EXISTO, POR QUE NOM ME VÊS? MULHER, LÉSBICA, VISÍVEL!

EXISTO, POR QUE NOM ME VÊS? MULHER, LÉSBICA, VISÍVEL!

05-06-2008

EXISTO, POR QUE NOM ME VÊS? MULHER, LÉSBICA, VISÍVEL!
28 DE JUNHO DE 2008, COMPOSTELA, GALIZA

13:00 Maripiquenique-Foliada no Parque de Belvis (Bairro de S. Pedro)
Concurso de tortilhas, maribrilé, bolhifutebol,...

18:00 Mani-festa-acçom!
Saída do Passeio Central da Alameda de Compostela.

22:30 Festa-Concertos
Praça da Quintá
Alive
Opperetta Mix
La Kinky Beat

Apresenta: Pajarito

MANIFESTO:

EXISTO, POR QUE NOM ME VÊS? MULHER, LÉSBICA, VISÍVEL!
Compostela, 28 de Junho, dia do Orgulho LGBT.

Todos os dias somos conscientes da discriminaçom que sofremos as mulheres a nível laboral ou doméstico. No entanto, poucas vezes se fai referência à discriminaçom que sofremos as mulheres por sermos seres sexuados.
Durante muito tempo as mulheres nom tivemos sexualidade própria, ou ao menos isso pretendêrom fazer-nos crer.

Somos educadas num sistema patriarcal que defende a submissom da mulher aos desejos do homem e transmite e perpetua a cousificaçom da mulher.
Esta repressom sexual de que somos vítimas as mulheres evidencia-se e maximiza-se quando falamos de mulheres lésbicas:

? Discriminadas por sermos mulheres.
? Discriminadas por sermos lésbicas.

Duplamente discriminadas por umha sociedade que nos menospreza e nom nos tem, nem nunca nos tivo, em conta. Umha sociedade que nom sabe que existimos e nom o sabe porque nom nos quere ver, e o que nom se vê nom existe.

É este aspecto da visibilidade o que senta as bases para a normalizaçom e o que facilita a compreensom por parte da maior parte da sociedade, que nom tem contacto com as realidades LGBT.
Achamos que a discriminaçom é causada pola ignoráncia e como é bem sabido para este problema a única soluçom possível é o conhecimento, mas nom se pode conhecer o que nom se vê.
E é neste sentido onde todas e todos deveríamos reflectir sobre a conveniência de continuar com a presumível comodidade da invisibilidade.

A sociedade patriarcal di que a sexualidade e a afectividade som privadas, íntimas. Sob esta argumentaçom acusa de ?PRESUMIR DE HOMOSSEXUALIDADE? pessoas como por exemplo umha mulher lésbica que fai cousas tam estranhas como levar a sua companheira a umha ceia de empresa, a um casamento, ou a qualquer acto público. Umha mulher que pronuncia frases tam fora de lugar como, ?vou que combinei com a minha moça?, ?esta e a Maria, a minha companheira? etc.

A comunidade homossexual continua a ser um colectivo discriminado, e em maior medida as mulheres lésbicas. A sexualidade e afectividade entre mulheres ainda nom é respeitada, em muitos ámbitos a uniom de duas lésbicas nom é considerada plenamente, senom como ?companheiras? ou ?amigas?, restando-lhe reconhecimento social.

Reivindicamos o fim da concepçom heterocêntrica dos relacionamentos afectivo-sexuais, e que se tomem as medidas necessárias para normalizar a vida das mulheres lésbicas no ámbito laboral, no da saúde, por exemplo no ginecológico, sofrendo questionários-interrogatórios sobre a maneira de vivermos a nossa sexualidade, etc.

Estamos aqui para fazer-nos ouvir e fazer-nos ver, para demonstrar o que somos e expressar o que sentimos. Para reclamar que formamos parte de umha sociedade que, apesar de nos dar igualdade de direitos civis, nega-nos ainda a nossa igualdade real. Reivindicamos o exercício do nosso direito individual a ser o que queremos ser: livres, visíveis, iguais. Cidadás de pleno direito. É hora de assumirmos a responsabilidade de sermos visíveis, em todos os aspectos da nossa vida.
Reivindicamos o fim da discriminaçom laboral pola nossa orientaçom sexual (como o recente despedimento de umha companheira trabalhadora da COPE).
Exigimos às instituiçons um compromisso firme de apoio à visibilidade lésbica, que nos permita desenvolver-nos plenamente no ámbito laboral, educativo e social.
Exigimos campanhas de informaçom orientadas ao nosso colectivo para a prevençom das doenças sexualmente transmissíveis, cancro da mama e do útero.
Exigimos que se nos garantam as mesmas possibilidades de adoptar que às pessoas heterossexuais.

Este ano as reivindicaçons conjuntas da Federaçom de associaçons de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trans som:

1. A garantia do direito à protecçom saúde das pessoas transexuais, incluindo o tratamento clínico integral de reassignaçom de sexo no catálogo de prestaçons sanitárias do Serviço Galego de Saúde.

2. O compromisso dos poderes públicos de Galiza a contribuírem na normalizaçom e a integraçom da colectividade LGBT.

3. A garantia do direito de todas as pessoas a serem tratadas com respeito independentemente da sua orientaçom ou identidade sexual e de género

4. O compromisso por parte dos meios de comunicaçom a reflectirem umha imagem real e plural da sociedade que dê cabimento aos diversos tipos familiares existentes hoje em dia.

5. O respeito à diversidade afectivo-sexual no ensino público. A promoçom por parte das instituiçons de um ensino público, laico e de qualidade que facilite um ambiente seguro em que as filhas e filhos de unions homoparentais podam viver abertamente a sua realidade familiar.

6. Pola plena soberania sobre os nossos corpos: Eliminaçom da psiquiatrizaçom obrigatória no processo das pessoas trans e a total despatologizaçom da transexualidade. Solicitamos um posicionamento institucional pola eliminaçom da transexualidade da lista de doenças mentais da Organizaçom Mundial da Saúde.

Federaçom ATURUXO
Plataforma Orgulho 08

Escrito ?s 01:03:24 nas castegorias: Actividades
por LGTB   , 888 palavras, 2584 visualizaçonsChuza!

3 comentários

Comentário de: Manuel [Visitante]  
Manuel

Olá caros: o cartaz não é muito visível. Poderiais especificar a data do evento, é para o dia 28 de junho?

05-06-2008 @ 14:14
Comentário de: Laura Bugalho [Visitante]  
Laura Bugalho

28 DE JUNHO DE 2008, COMPOSTELA, GALIZA

13:00 Maripiquenique-Foliada no Parque de Belvis (Bairro de S. Pedro)
Concurso de tortilhas, maribrilé, bolhifutebol,…

18:00 Mani-festa-acçom!
Saída do Passeio Central da Alameda de Compostela.

22:30 Festa-Concertos

06-06-2008 @ 19:06
Comentário de: margarida [Visitante]
margarida

deviam por gajas nuas nexte seite e mostrar como e k se afx

16-05-2009 @ 08:20