Festival Em Movimento 2007: Cada Dia Somos Mais

Festival Em Movimento 2007: Cada Dia Somos Mais

29-04-2007



No Pólo Universitário de Ourense e no Centro Social A Esmorga, 5 de Maio de 2007, segunda edição da grande festa da língua da Coordenadora de Centros Sociais

A Esmorga Blogue.- Sob a recepçom e organizaçom da Esmorga, junto com a Coordenadora de Centros Sociais da Galiza, próximo sábado, 5 de Maio, o Cámpus Universitário da cidade das Burgas, bem como o próprio local da rua Telheira, 9, serám palco da segunda ediçom do Festival Em Movimento.

Esta grande festa da língua, cuja primeira ediçom decorreu o ano passado em Oleiros, oferecerá um grande espectáculo lúdico-reivindicativo no contexto do qual poderemos desfrutar de poesia, rádio ao vivo, curta-metragens, ruada lúdico-festiva, a proposta «Conhece o teu Mundo», bookcrossing e muitas mais cousas até encerrar com o grande concerto nocturno.

Além de diversos centros sociais da Galiza, no festival também colaboram a AGAL o MDL, Novas da Galiza, e, ainda, a Universidade de Vigo, a Conselharia de Cultura, a Câmara Municipal de Ourense, a Casa da Juventude e mais de 30 entidades privadas ourensanas ?e nem só- que apostam pela língua e a sua dignificaçom.

Tencionando envolver um número cada vez maior de pessoas e fazendo o apelo para todo o mundo deslocar-se até a cidade das Burgas nesse dia, a organizaçom pela segunda ediçom do «Festival Em Movimento» já tem tudo pronto.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Programa de Actividades

10h30 ? Casa da Juventude

» Apresentaçom dos diversos Centros Sociais Galegos colaboradores no evento

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

12h00 ? Pelas ruas da Cidade Velha de Ourense

» Ruada Lúdico-Festiva

Com saída da Praça do Ferro e final na Praça do Corregedor (a histórica Cima de Vila). Leitura do manifesto «Cada Dia Somos Mais» [veja-se abaixo texto], através do qual se pretende indicar que vamos a mais as pessoas que achamos que é possível viver em galego, e aliás, defender a ideia de que a nossa língua, reintegrada no seu espaço linguístico lusófono que lhe é próprio, é útil para as nossas vidas. O manifesto será lido por um representante dos colectivos organizadores.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

» Durante todo o dia desenvolver-se-á um Bookcrossing pelas ruas da zona universitária de Ourense, actividade proposta pelo MDL.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

14h00 No Cámpus Universitário

» Jantar ecológico.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

17h00 No Cámpus Universitário

» Jogos para crianças.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

17h00 Centro Social A Esmorga

» Concurso de Curta-Metragens Galegas, com posterior colóquio e presença de directores e directoras. [veja-se abaixo programaçom]

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

18h00 Pólo Universitário de Ourense (ao lado da nova Biblioteca)

» Realizaçom em directo dum programa de rádio a cargo de diferentes rádios livres que emitem em diferentes comarcas galegas

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

19h00 Centro Social A Esmorga

» Recital Poético Musical a cargo dos poetas Séchu Sende, Xosé Lois «O Carrabouxo», Belém de Andrade e Silvino.

» Intervençom do Delegado da Conselharia de Cultura em Ourense, X. Carlos Sierra.

» Após o recital será apresentado o livro sobre os centros sociais galegos editado pelo jornal Novas da Galiza.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

20h30 Centro Social A Esmorga

» Palestra «Conhece o teu Mundo», na qual falarám pessoas implicadas em projectos empresariais e/ou sociais que tenhem o galego como língua veicular na sua actividade.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

22h00 Pólo Universitário de Ourense (ao lado da nova Biblioteca)

» Concerto Musical com os grupos ourensanos Coanhadeira e Guezos e o compostelano GalegoZ.


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Manifesto Cada Dia Somos Mais

Cada dia do ano que passa na Galiza há mais pessoas que acordam da «longa noite de pedra» e conseguem somar-se ao projecto reintegracionista. Porque cada dia somos mais as que sabemos que o futuro do galego passa polo NH e o LH. Porque cada dia somos mais as que estamos fartas de ver como fracassam os projectos normalizadores e normativizadores feitos polo governo duma perspectiva espanholista, esbanjando cifras astronómicas de dinheiro público. Porque cada dia somos mais as que sabemos que o galego só faz sentido num contexto de lusofonia.

Por estes e muitos mais motivos, hoje na Galiza estám a crescer os projectos de normalizaçom desde a base, estamo-nos a referir à criaçom e multiplicaçom dos Centros Sociais. Este tipo de projectos som fulcrais para a socializaçom do ideal reintegracionista, som os projectos que trabalham desde a rua e para a rua numa autêntica normalizaçom , e som os projectos que nos unem como pessoas e nos agrandam como colectivos.

Cada dia neste País há alguém que percebe que pode viver em galego: e isto fa-nos sentir grandes e fortes!!


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Concurso de Curta-Metragens Galegas
Programaçom

A Ninfa Eco. Ecos (8?05??) ? 2004

Realizaçom: Valentín Barreiro
Guiom: Jorge E. Bóveda
Produçom Executiva: Oscar Blanco

Sinopse: «- que tarde se fijo e tu nom sabes as ganas que tenho de ir para a casa
-pois ainda nos resta este para rematar a faena...»

Voando (4?) - 2007

Direcção: Inma Vilanova
Produçom: Alba Botanes
Guiom: Noemí Rodríguez

Sinopse: Uma curta-metragem realizada por rapazes de Alhariz de 16 anos. Conseguiu o prémio «Misto de Pau» ao melhor trabalho dos obradoiros realizados por Mr.Misto, na primeira edição do Festival «On&Off» de Ribadeu.

20 Anos Desafiando o Patriarcado (26?) ? Março 2007

Realizaçom: Paula Fernández Otero- Luisa Ocampo Pereira-Jesús Fernández Mosquera ? José Rodríguez Dieguez
Guiom: Paula Fernández Otero- Luisa Ocampo Pereira
Produçom: Mulheres Nacionalistas Galegas

Sinopse: Todas as organizações têm as suas próprias histórias que deixam ver a sua visom da realidade, os seus ideais ou os seus símbolos. A história de Mulheres Nacionalistas Galegas começa em Novembro de 1986 e continua até os nossos dias?

O Jogo (O Xogo) (4?50??) ? 2006

Realizaçom: Inma Vilanova
Guiom: Daniel Feal
Produçom: Ana Vispo
Montagem: Mr. Misto

Sinopse: Uns quantos amigos estám num bar vendo o jogo. O Depor faz um golo...

Uma Imagem (Unha Imaxe) (14') - 2007

Realizador: José Manuel Mouriño Lorenzo

Sinopse: A obra de Álvaro Cunqueiro Merlim e Família foi publicado no ano 1955. Manolo Montero «Merlim», livreiro mindoniense e mago, sustém que no seu dia, Cunqueiro se baseou na sua pessoa para criar a personagem de Merlim.

Panta Rei (Tudo Flui) (12?) ? 2005

Realizaçom: Simón Casal de Miguel
Produçom: Simón Casal de Miguel
BSO: Xulio Montero

Sinopse: Esta é a hitória do sonho de Estebán um rapaz ávido de experiências que procura o seu lugar no mundo. Esse mundo é um comboio que o recolhe como único passageiro numa paragem silenciosa e perdida entre montanhas. Uma vez dentro perceberá que cada vagom é um mundo diferente, povoado por aquelas pessoas que o vam guiar em seu afã por descobrir que é o que o inquieta deste mundo e atopar o seu lugar nele.

Surfer (24') - 2007

Director, guionista e productor: J J G Rodicio
Ajudante de Direcçom: Valentín Barreiros
Ajudante de Produçom: Susana Couso

Intérpretes: FErnando González, Toni Deaño, Marta Fernández

Sinopse: Um rapaz vai ver o seu avô à Marinha. Mas também nom fica muito com ele, pois vai de surfista com uns amigos, desses que levam a bandeira espanhola na carrinha. A distância entre neto e avô nom só é geracional, vivencial ou entom ideológica.

Pulgas (11') - 2007

Director, guionista e productor: J J G Rodicio
Ajudante de Direcçom: Valentín Barreiros
Ajudante de Produçom: Susana Couso

Intérpretes: Fernando González, Iago López, Laura Míguez, Marta Fernández

Sinopse: Dous amigos passan o verão, e a vida, tomando cervejas nun bar. Nom sabem fazer uma outra cousa? Se calhar tenhem poderes supranormais, e nem eles próprios sabem isso. Som espécie em perigo de extinçom ou abondam?

Rosas (15?) ? 2005

Realizaçom: Mikel Fuentes
Guiom: Mikel Fuentes
Producção: Mikel Fuentes
Montagem: Fran Naveira

Sinopse: Ao Luís, reformado, chama-lhe a atençom um vestido exposto na janela duma loja. Pensa nele como presente para a Carme, a sua mulher. Porém, Rosa, a filha, volta ao lugar onde cresceu entre familiares e vizinhos. Un bairro velho, antigo. As lembranças misturam-se com uma realidade quase incomprensível. Seleccionada para o catálogo Curtas 05 do Consórcio Audiovisual da Galiza.

Des(H)abitado (DesHabitado) (10'30'') - 2007

Direcçom e Roteiro: José Manuel Mouriño e Manuel I. Nanín
Ediçom: José Manuel Mouriño e Manuel I. Nanín
Produçom: Os Filmes De Mark Lewis P.C. E A Chanca Producións

Sinopse: Estar condenado a amar ainda sabendo que nom é soluçom para cousa nenguma, mas também convicto de que é o único que nos ajuda a sobreviver.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

=> Fazer Download do Cartaz em PDF
[Tamanho 316 Kb.]

=> Fazer Download do Tríptico em PDF
[Tamanho 578 Kb.]

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Escrito ?s 13:08:43 nas castegorias: Eventos, Festas
por csesmorga   , 1075 palavras, 2640 visualizaçons     Chuza!

39 comentários

Comentário de: pactar as reformas, conformar-se com as migalhas? [Visitante]  
pactar as reformas, conformar-se com as migalhas?

Entristece-me enormemente ver como algumha gente considera que os centros sociais só servem para normalizar a lingua… eu que pensei que estava num projecto anticapitalista desde a base que procurava dar-lhe a volta a tortilha na vida cotiá… E que fam as instituiçons como a UVI, o concelho, e essas “mais de 30 entidades privadas ourensanas ?e nem só"??? Parece umha broma de mal gusto…
O seguinte que é, dar-lhe o nome de Amáncio Ortega a um CS(A)? Que viva o capitalismo galego e o pactismo com as instituiçons (com a legitimaçom que isto conleva…)!

29-04-2007 @ 22:46
Comentário de: raphael [Visitante]  
raphael

Mas isto é da Esmorga ou de todos os Centros Sociais??

Escaaaaaaandalo..es un escandalo……..

30-04-2007 @ 11:34
Comentário de: anxo [Visitante]  
anxo

A ver como carallo fas un concerto ao aire libre nunha poboación sen contar co concello de turno…e sin cartos e sin patrocinio…
Non sei, cada un ten as súas ideas, pero hai que ser realista, non?
Saúdos.

30-04-2007 @ 14:11
Comentário de: qualquer [Visitante]  
qualquer

é umha vergonha ser sóci*s d’a esmorga, trabalhar n’a esmorga, pagar quotas n’a esmorga, fazer por que esse projecto medre, avance e pôr todo o esforço em algo no que se acredita para que o carimbo mais grande que aparece no cartaz seja o da junta!!!
e que apareça o logo do concelho de ourense!!!! e logo nom houvo que ir berrar-lhes à porta para que nom fecharam o local??? e logo nom se fixo umha campanha imeeeensa contra eles??? alucina, vecina! agora a esmorga e o concelho vam de maos dadas, é de nom acreditar! e “30 entidades privadas", pois que bem. nom chega com as públicas que lhe ides lamber o cu às privadas, nom seja que fiquedes sem cocacola, ou sem um 0′02% de desconto nos cartazes. agora resulta que um centro social, que é o que era a esmorga, se convirte no clube náutico de ourense. só vos resta organizar um bingo e, se calhar, um leilom de associad*s, e assim já vale umha cousa pola outra.
seica agora vale mais o trabalho das instituiçons do que o d*as sóci*as, e por isso saem na foto. vale mais o seu dinheiro do que a iniciativa e a ilussom. de risa! assim fazedes curriculum, assim.
nom sei já se algo que saia de ai me pode surpreender…

30-04-2007 @ 21:53
Comentário de: Sócio d'A Esmorga [Visitante]  
Sócio d'A Esmorga

Eu do que estou farto é do pessoal que agora ficou em AMI (e não quero dar nomes) e que durante muito tempo, impediram que este projecto avançasse e se convertisse no que hoje é: um referente para o nacionalismo e a esquerda da comarca de Ourense ( e nem só), que é do que se tratava.
Eu o que vejo é que agora A Esmorga é capaz de trabalhar com os colectivos, colaborar com outras entidades, tirar proveito das instituições e do dinheiro público, que é isso, público, de todos nós, e que está para ajudar a organizar eventos como este. E tudo isto…sem complexos mas sem perder os princípios nem perder o nosso caracter reintegracionista, alternativo e muito mais…
A verdade, é que é pena ver a AMI de hoje. Será que vos faltam as luzes, ou será que quando vos dão uma boa pancada não sabedes reconhecer o que fazedes mal e queredes manter o tipo embora hoje sejades um cadáver político, sectário e marginal…?
Enfim, vós a bater contra os muros, nós a fazer País.
Avante A Esmorga!!!!

30-04-2007 @ 22:32
Comentário de: Simpatizante d'A Esmorga [Visitante]  
Simpatizante d'A Esmorga

Parabéns a toda a malta d’A Esmorga pelo que trabalho que estades a fazer
A verdade é que o programa do festival é bués de fixe, muito bom!!!
Que tenhades muita sorte e saia tudo bem, vemo-nos lá!

*** Não façades muito caso dos comentários daqueles palermas que nos vão “desalienar” com o seu sectarismo. Enquanto eles ladram, nós cabalgamos.
Saudações

30-04-2007 @ 22:43
Comentário de: lico [Visitante]  
lico

vemo-nos la. Grandes aportacoes e contributos por parte de da malta a causa da Galiza tanto na pagina da esmorga como no indymedia. Falange, o Ministerio de interior, a pasma, os Subdelegados, os orelhas e todos os amigos da galiza estan contentisimos.A cada quen se lhe conhece pelos seus obras. Virtualpredicadores/as na obrigado.

01-05-2007 @ 01:49
Comentário de: gzlivre [Visitante]  
gzlivre

Muitos parabéns à Esmorga pola organizaçom do Festival, e ánimo para seguir avante na luita.

Também é umha boa nova que a Conselharia comece a apoiar este tipo de actividades e projectos. Espero que por fim algumhas cousas comecem a mudar. Seja assim ou nom, A Esmorga continua!

01-05-2007 @ 15:41
Comentário de: David [Visitante]  
David

Eu non son socio da Esmorga, mais sigo con interese o que facedes e a verdade é que ainda que non opino igual en todo, sintome mui identificado con o que facedes e sobre todo, como o facedes. As formas son o primeiro, e niso si que parece que A Esmorga está dando un bo exemplo
Que sexades capaces de organizar este festival, pareceme unha pasada.
Por iso escrebo, para darvos o meu apoio, e porque xa saberedes que predicadores, plastas e salva-patrias hainos en todas partes.
Nada, que ao final o tempo pon a cada quen no seu lugar, e niso tedes muita ventaxa a respeito dos iluminados que vos critican nos primeiros comentarios.
Un saudo

01-05-2007 @ 18:01
Comentário de: Pestinho [Visitante]  
Pestinho

O nível do programa cultural da ESMORGA é magnífico. Está a se converter num referente não só para Ourense, mas para Galiza e o norte de Portugal. Basta só dar uma olhada no blogue para constatar isto. E quem não o veja, tem um grande problema de perspectiva.

Avante a Esmorga.

01-05-2007 @ 18:14
Comentário de: David [Visitante]  
David

Ola, parabéns a toda A Esmorga por esta magnífica actividade.
Escribo para apoiarvos, porque quedei asustada con as parvadas que vin nalgun comentario. Afortunadamente, sei de primeira mao que eses que critican nom pintan hoxe nada na Esmorga. Menos mal…
Conhezo o trabalho de persoas como o Alex, o Rucho ou o Beltrán, e paraceme umha inxustiza e umha falta de respeto dicir o que algun iluminado di.
En fin, os feitos ponhem a cada quem no seu lugar..
Bicos

01-05-2007 @ 18:35
Comentário de: Ladridos de rencor [Visitante]  
Ladridos de rencor

Con todos os meus respetos para a xente que loita, paréceme incrible o que algúns estades a facer co traballo dos últimos anos. Dame auténtico noxo.

Cando dicides:
“eles ladram, nós cabalgamos.”
non estades citando a Cervantes estades parafraseando a Aznar. Os antifascistas e anticapitalistas seguiremos cos nosos ladridos de rencor (por las esquinas).

01-05-2007 @ 20:16
Comentário de: nómada [Visitante]  
nómada

A notícia publicada no Indymedia é un “fake” bastante bon: é unha falsa nota da Esmorga que, modificando apenas as formas da orixinal e sen dicer nengunha falsidade, saca à luz o espíritu orixinal do festival e sirve para criar unha polémica -e o conseguinte debate- ao respeito. No “fake” procura-se expresar o que non é politicamente correcto dicer, mais que non por iso deixa de ser verdadeiro. Por outras palabras: parece evidente (ou non tanto, e por iso pasou por verdadeira?) que a Esmorga nunca escribiria un comunicado de prensa como este, mais non está tan claro CON QUE PONTOS DA NOTÍCIA A ESMORGA REALMENTE NON ESTÁ DEACORDO. Era bon que algun responsabel da asociación nolo aclarase…

A respeito do Festival, que dicer… Apenas que despois de que fecharan a Esmorga prometin-me non votar nunca mais PP, paro agora que vexo que a sua Concelleria de Cultura colabora activamente co evento mais importante que o nacionalismo e o reintegracionismo fan na cidade das Burgas nos ultimos anos, e que a sua colaboración mesmo é indispensabel (se fose prescindibel, entendo que os organizadores non terian feito esta publicidade do governo do PP…), pois estou a pensar en serio que haberá que votar ao Poly….

;-)

02-05-2007 @ 09:53
Comentário de: Nómada 2 [Visitante]  
Nómada 2

Apenas dois apontamentos amig@:

Fake significa falso. A utlização de qualquer tipo de meios (suplantar identidade, falsificar informação…) para conseguir um fim tem um nome.

A notícia do Indymedia (por desgraça meio que para mim já é pouco fiável, desde já) começa dizendo “a ajuda inestimável da Junta". Pois não, a ajuda da Junta, como a de qualquer instituição pública, é pública e deve repartir o dinheiro público com justiça. Eu julgo que ninguém deve render pleitesia por isso.

E assim poderíamos continuar. Tou certo que tu própri@ tens utilizado em mais de uma vez o SERGAS (Junta) mesmo na era Fraga, e não saíste da consulta dizendo que eras um(a) vendid@ por essa ajuda inestimável. Se não o utilizaste, parabéns, significa que tens uma magnífica saúde, coisa muito boa, mas talvez num futuro (quanto mais tarde melhor) tenhas de utilizá-lo.

Podemos discordar com o sistema, tentarmo-lo mudar, mesmo renunciar ao dinheiro público (cuidado, a coerência máxima deveria levar a renunciar em tudo, serviços socios, sanitários incluídos), mas de aí a chegar à desqualificação, falsificação e pseudointerpretações (nomeadamente se nem tão sequer se esteve no debate dado no seio da Esmorga) é bem diferente.

A questão é que para mim o facto das instituições actuais aceitarem propostas deste tipo (mesmo da Câmara Municipal de Ourense -instituição pública) implica um avanço, o que não implica que tenha de votar neste ou naquel, isso é mais uma clara interpretação dirigista e questionável.

02-05-2007 @ 11:49
Comentário de: arturito [Visitante]  
arturito

País,país,país….

Parece que a frase de Don Manuel segue a manterse, pero do revés.Explicome, a frase famosa era “Eu non pago para que me critiquen"; e a explicación que se lle daba ó carallo do vello era “Vostede non paga,ese diñeiro é de todos od galegos,vostede só o administra".
Pois ben,o que agora parece é que non se poden tomar cartos das institucións para os proxectos que pretendemos levar a cabo. Claaaro,como as institucións son corruptas,fascistas,atrasadas,etc,etc.
Señores,tanto os dun lado coma os de outro AS INSTITUCIÓNS SOMOS TOD@S.Que quede ben claro. E non hai maneira de facer cousas sen contar cuns cartos que tamén SON NOSOS.Outra cousa son as decisións dos gobernantes de turno que os administran,e os que podemos criticar se non o fan de xeito adecuado.
Estou farto de ver a irrealidade dos “estupendos” que se gaban de non ter que ver con certas cousas e critican os demais por facelo. ´Pero en fin, “Gauche divine” haina en todos lados e logo esa xente morre por optar a unha subvención ou un postiño de funcionario.

02-05-2007 @ 12:49
Comentário de: un [Visitante]  
un

Eu non critico que as institucións apoien actividades en defensa da lingua e a cultura galegas..faltaria mais!! O que critico é que se venda como “autoxestión” ou “alternativismo” o que non o é…
Porque, se as institución somos todos (algo que desde un ponto de vista nacionalista e marxista non podo aceitar…), por que montamos Centros Sociais, en vez de dinamizar social e culturalmente o noso país e as nosas localidades desde as Casas da Xuventude, Foros da Mocidade, Centros Socio-culturais e demais iniciativas institucionias??
Todo depende da perspectiva. Da miña, o nacionalismo deve traballar sempre que lle for posibel à marxen das institucións españolas, unica forma de non depender delas. E sobran exemplos de festivais da mesma categoria que este organizados sen necesidade de facer propaganda do Estado Español (a Xunta é Estado) ou do Concello de Poly, en plena precampaña eleitoral…

02-05-2007 @ 13:10
Comentário de: comochoconto da rádio kalimera [Visitante]  
comochoconto da rádio kalimera

Como pessoa que forma parte dum dos colectivos implicados nesta histórieta, quiger dizer algo ao respeito da polémica xurdida:

As pessoas e colectivos que moverom esta história calarom coma petos à hora de se sincerar ao respeito da colabouraçom das administraçons. Só soubemos delo quando foi vissível o cartaz com os logos do concelho e da junta.

O feito de cala-lo só pode-se entender como medo a que nom se apontaram à movida várias das participantes que figuram na mesma, e mais depois de se saber que dumha outra movida de rua planificada em Ourense para o 12 de maio (Lar crio que chama-se) desvincularam-se vários colectivos por figurar o concelho como patrocinador.

Agora metem-na dobrada, e pretendem que aqui nom se passa nada porque a administraçom ponha quartos (que si, serám de todas nós e ao igual que a seguridade social, as estradas e escolas públicas).

Mas há colectivos que sentimos a autogestom como parte da nossa indiosincrasia, que cicais nunca chegaremos a fazer algo tam vissível como este acto da Esmorga, mas que gostamos de ser assim e de pretender manter intacta a nossa maneira de ser e actuar, e agora vemo-nos vendidas, ultrajadas e violentadas por esta falha de respeito manifesta dos e das organizadoras deste evento.

Há umha clara falha de sinceridade, há umha manifesta burla com colectivos que nos prestamos a colabourar desinteresadamente e agora vemo-nos traiçonadas e manipuladas.

Seremos raras e estaremos paranoicas, mas exigimos um respeito ás nossas convinçons e maneiras de nos prantejar a nossa luta diaria.

O feito de silenciar as subvençons de concelho e junta, só podemos entende-la como umha traiçom aos colectivos solidários com a lingua que nom passamos pelo aro das subvençons nem das legalidades.

Obrigadas por enganar-nos.

02-05-2007 @ 13:33
Comentário de: Brian [Visitante]  
Brian

Lamentoo moito,e sei que hai opinións que foron feridas e que moita xente entende a autoxestión independiente coma o eixo das súas propostas,e é aceptable,pero esta conversa/crítica paréceme o eterno combate Frente Popular de Judea vs. Frente Popular Judaico.

Ou…como dicía “La Polla Records":

“luchamos entre nosotros mientras ellos se rien…”

02-05-2007 @ 13:55
Comentário de: Eu [Visitante]  
Eu

Por que os iluminados e gurús nao di, que o festival do ano pasado também colaborou o Concelho de Oleiros ACTIVAMENTE E COM MUITO PESO MAIS QUE ESTE ANO??? Por que nao se di que o vereador de cultura desse mesmo concelho, que era do BNG,l tivo um momento para fazer uma intervençao quando foi a leitura do manifesto???Por que nao se fala dos 1000 euros que pujo esse mesmo concelho????
Eu participei na organizaçao do festival em Oleiros e o papel das instituiçoes municipais naquela altura está a ser muito maior que a de este ano.
UM POUQUINHO DE COERENCIA, POR FAVOR!!!!
NESTE PAIS SOBRAO LUZES!!!MELHOR DITO, SOBRAO IILUMINADOS/AS!!!!

02-05-2007 @ 14:42
Comentário de: comochoconto da rádio kalimera [Visitante]  
comochoconto da rádio kalimera

Efectivamente tem razom Eu, mas o que nom di é que mesmo que agora em Ourense, foi silenciada a participaçom da administraçom até o derradeiro momento. Picamos e assistimos e agora temos que ver como o BNG local de Oleiros tem um boletim na rede com o nome de “Enmovemento” (isso sim em normativa isolacionista) http://www.blogoteca.com/bngoleiros/

Os politicuchos que sentam as suas cadeiras nos escanos do poder nom som do nosso agrado, ainda que digam que som da esquerda.

02-05-2007 @ 14:55
Comentário de: gzlivre [Visitante]  
gzlivre

O nome do boletim do BNG já existia (nom o blogue) antes do Festival, assim que tampuoco nos flipemos que nada tem a ver.

O Concelho daquela pagara o cenário, por exemplo…

02-05-2007 @ 16:25
Comentário de: Diana [Visitante]  
Diana

Eu o que flipo é que ninguém se atreve nem a pôr o seu nome. Que facil é criticar via internet, nao é? Os que tanto criticais dai a cara, nao vos escondais trás nomes estúpidos.
Quero dar por tanto aos meus parabêns a todo o mundo que organizou o festival e soube ter a suficiente inteligencia como para usar o dinheiro público para fazer em Ourense um acto como este.
Porque caros e caras “de las grandes ciudades” quando vos interessa Ourense é uma vilinha donde nunca acontece nada e quando nao, Ourense é uma cidade e pelo tanto nao se pode organizar aqui o festival.
Beijinhos para todos os implicados e todos os detractores……

02-05-2007 @ 17:12
Comentário de: Encarna [Visitante]  
Encarna

Parabéns a todos os que están a trabalhar no festival. A esmorga já é um referente na cidade… ou é que nao o vedes?
Eu nao estou na política, nem sou de uns nem de outros, mas o que vejo é que a esmorga funciona muito bem. Basta ver o movimento que há todos os dias….

02-05-2007 @ 17:15
Comentário de: Xavier [Visitante]  
Xavier

Os meus máximos parabens à gente da Esmorga que dia-a-dia está construindo um local social, aberto e plural na cidade de Ourense, fugindo dos sectarismos e iluminismos dos 4 de sempre que só atopam sentido da sua existência em parasitar qualquer iniciativa nacionalista com sucesso para para depois submeté-la ao pensamento único e à adoração ao lider.
Agora mais que nunca, avante Esmorga!!

02-05-2007 @ 18:01
Comentário de: as esmorganas [Visitante]  
as esmorganas

nós achamos que a gente que está a trabalhar no festival é a gente que realmente trabalha pelo associacionismo.Falar é grátis.
Avante o trabalho cultural (Com ou sem dinheiro das instituicoes)

02-05-2007 @ 20:22
Comentário de: gentalha [Membro]  
gentalha

Confeso que tinha gana de entrar no blogue da esmorga para deitar algumha crítica (sem a ma ostia que se observa por aqui) sobre o decorrer do processo organizativo do festival. O caso é que ha individuos que me obrigam a definirme, que tenhem umha capacidade aglutinadora por simples antagonismo. Silêncio as minhas críticas e convido as pessoas que hoje vam sair colar, aos que estam no local pintando faixas,ás que ainda andam a tratar cos grupos musicais, aos que continuam a difundir o festival nos meios, ás que andam a negociar cos distribuidores… a quem honestamente gasta o seu tempo e esforço em ?acordar a malta? neste 5 de maio, a continuar no seu caminho sem fazer caso ao oportunismo parasitário.
Ánimo Esmorga!!!

Paulo

03-05-2007 @ 09:52
Comentário de: comochoconto da rádio kalimera [Visitante]  
comochoconto da rádio kalimera

O ano passado, passado está

Efectivamente o ano passado também fora umha passada a maneira de fazer-se a convocatória. De feito as rádios livres nom saviamos bem a que iamos e que iamos a atopar-nos, mas acordamos assistir e participar porque entendiámos que estavámos a compartilhar um espaço com grupos moi afins como os Centros Sociais e as Asociaçons da Lingua, com as que temos trabalhado em várias ocasions.

A nossa sorpresa ao ver a actuaçom dos politiquilhos de Oleiros nom foi nada grata, mas acordamos nom menea-la nem fazer delo um drama dado que o passado, passado está. A desorganizaçom foi grave, mas entendimos que era a primeira vez que se fazia e os erros som comprensíveis.

Mas agora nom é o mesmo:

Primeiro, porque, no caso das rádios livres, a gente da Esmorga sabia bem que acordaramos nom assistir a um outro acto de rua prevista em Ourense para o 12 de maio (LAR) por contar com o patrocínio do concelho e junta, e pese a isso alentaram-nos para participar neste festival, calando como petos o feito de que também contava com os mesmos patrocinios que o LAR

Segundo, porque, nom só fumos enganadas e nom se nos respeita a nossa maneira de viver a autogestom diária, senom que pese a nossa insistência por conhecer o programa, nom o figerom público até que já figuramos como participantes da mesma e comprobamos o engano e a traiçom.

Terceiro, porque tivemos que ser a rádio kalimera a transmisora às demais rádios da Rede deste evento (seica a pessoa encargada pela organizaçom esquecera-se de tam simples detalhe).

E quarto, porque estamos em periodo eleitoral e nom é o mesmo fazer-lhe o jogo aos assassinos e vende-patrias do PP que fecha locais sociais que aos pringados do BNG que aspiram a fazer pátria apropriando-se do trabalho da base.

A gente da Esmorga que organiza este evento fijo do engano a sua práctica, ve-se que tenhem bos amigos de cama.

03-05-2007 @ 14:37
Comentário de: huesi [Visitante]  
huesi

Compañeiro comochoconto, só un par de cousas para repensar no teu comentario:
1.- Podemos debatir, como estamos facendo (ainda que as formas non sexan un modelo de comportamento entre adultas) sobre a subvencións e os apoios económicos cos que conta a Esmorga para organización deste festival… Eu on me quero meter aquí públicamente porque creo que está todo demasiado cheo de malas sensacions e non creo que vaia a convencer a ninguén cos meus razoamentos… seguramente que eu o faría doutro xeito (e esto para mín é mellor falalo directamente, á cara, na asemblea da Esmorga, como xa se falou, ou nas asembleas de cada colectivo), pero creo que se foi decisión da Esmorga, está ben que o leven a cabo como decidan. Podemos non concordar, por suposto, e facerlles chegar as nosas críticas, que de todo se pode ir aprendendo.
2.- No que xa non concordo tanto contigo é no feito de que penses que houbo unha vontade na Esmorga co tema das radios… A miña visión é que se lles pode recriminar que igual a organización non foi a mellor e que o fluxo de información non foi todo o bon que debería ter sido (igual, que non o sei, cada quen que decida!), pero non se pode pensar que houbo mala vontade porque diso estou ben segura, eu estaba diante o día que se convidou á radio e foi algo moi informal e rápido… Ademáis diso, a xente da Esmorga case non ten relación co tema LAR polo menos como colectivo, e creo que nas reunións onde íamos recollendo información de como se ía a levar a cabo LAR e nos íamos desligando de LAR, non había ninguén da Esmorga presente… polo tanto tampouco creo que souberan, sequera, que a radio decidiu deixar LAR…
3.- Creo que ás veces nos deixamos levar por cousas que non sabemos como se produciron e que levan a engano, e facemos suposicións e sobre esas suposicións construimos verdades… Iso mesmo nos pasa a todo o mundo, e incluso dentro da Esmorga temos vivido recentemente algunha situación coma esta…

Para min o importante é deixar de pensar que exista unha mala vontade e que se actúa con mala ostia… Aceptemos que podemos concordar máis, menos ou nada coas actuacións e decisións doutros colectivos, porque cada quen de nós temos unhas claves de actuacións e uns obxetivos que pensamos acadar por un camiño determinado. Que cada quen decida o seu camiño e discutamos sobre o bon e o malo que ten cada un deses camiños…
o resto non ten nada de constructivo!

03-05-2007 @ 16:31
Comentário de: Diana [Visitante]  
Diana

Nao caiades no jogo dos detractores, seguro que lhes encanta que ande o pessoal a atacar-se…Isso mesmo o que pretendem, ou nao os conheceis?
Ao final esta gente fica sozinha, acaba morrendo ou entao acabao montando um “chiringuito” que morre e depois outro e assim sucessivamente.
Os que nao gostem da gestao do festival que façao um “alternativo” e a poder ser solapando este….
Muito falao mas, quem deles nunca cobrou o fundo de desemprego ou uma bolsa de estudos na universidade, ou vai ao médico do Sergas…..???
Primeiro há que varrer a casa de um antes de barrer a dos outros.
Insisto nao esconder-se detrás de nomes absurdos, isso é um síntoma de que vos próprios sabem que estao a fazer mal….

03-05-2007 @ 19:14
Comentário de: absurdo [Visitante]  
absurdo

quanta mala óstia..nom?

03-05-2007 @ 19:23
Comentário de: Celso [Visitante]  
Celso

Eu não sou de Ourense, mas se morasse lá daria uma volta polo Pólo para desfrutar da Orgasme- digooo, da Esmorga (este Freud!), e ver como funcionam a Língua e a língua, que para algo devem servir as duas.

E pergunto eu (ingénuo de mim): Qual a diferença entre o subsídio de “Xunta de Galicia” e o de “Super Bock", além de que “Xunta de Galicia” é pior cerveja e ainda por riba tod@s somos accionistas dela?

De maneira que se pediu ajuda não apenas às cervejeiras públicas mas também às privadas como “Xunta de Galicia", “Universidade de Vigo” e “Concello de Ourense"? E por isso esta pede propaganda da Orgasme para renovar a sua Junta Directiva nas eleições de accionistas de Maio? Pois apanhade hoje os seus quartos e depois não os votedes!

Obrigado polo espaço. Saúde e boa Festa da Língua com a língua.

-celso

04-05-2007 @ 06:34
Comentário de: comochoconto da rádio kalimera [Visitante]  
comochoconto da rádio kalimera

Depois de ter lido as diferentes opinions, descalificacions e insultos sobre esta polémica, acordei conmigo mesmo pedir desculpas por dar por feito umha má vontade na ocultaçom do programa até que já estava enriba o festival.

Aluzino com a versom de que esta polémica é coisa de iluminadas hipócritas e lastre sócial.

Na Kalimera jurdida recentemente o debate sobre a nossa participaçom em actos que contasem com patrocínio dos poderes públicos e a assembleia tomara a decisom unánime de nom participar no LAR por este motivo.

Pouco depois soubemos desta jornada, e ilusionámo-nos de ter a oportunidade de participar nestoutro projecto impulsionado por Centros Sociais e organizaçons defensoras e alentadoras do reintegracionismo, pugemo-nos a elo e servimos gostosas de intermediárias com às demais rádios da Rede para compartilhar este evento e fomentar o jurdimento dumha outra rádio livre em Ourense. Já tinhamos todo listo para levar parte da nossa equipa e havia várias pessoas dispostas a participar activamente nelo. Mas só soubemos do patrocínio dos assassinos e vende-patrias do PP e do PSOE, que fecham locais sociais e criminalizam a disidência, quando recebemos este sábado passado um correio da Esmorga com o programa e o cartaz (um mês depois de solicita-lo) e nel já figuravamos ao carom destes impresentaveis mercaderes do voto.

A reacçom em cadeia da gente da rádio foi inmediata a través da nossa lista de correio da assembleia, sentimo-nos enganadas e que nom se nos respeitava a nossa maneira de viver a autogestom diária. Cicais dimos por suposta a má ideia e o engano, mas foi devido a que nunca se nos digera nada ao respeito e nom esperavamos tal actitude de camaderia dos centros sociais, pois entendiamos que som projectos anticapitalistas desde a base, donde se practica día a día a luita antagonista contra o capital e a sua lógica, mas é triste comprovar que aqui também se practica o mercadeo.

Nom tivemos nem a oportunidade de debate-lo e analisa-lo numha assembleia presêncial, mas dado que já tomaramos esse acordo com respeito ao LAR, era evidente que nesta ocasiom nom ia ser diferente. Depois foi quando vimos a que se montara nesta página e mais no do CMI Galiza, e é evidente que coincidimos com o expresado nas críticas à presência do concelho e mais a junta, mas de ai a que todo parte por questom de “2 iluminados” é pretender fazer-nos passar por parvas sem identidade própria que nos deixamos levar por o que dim umhas mentirosas, e isto já é o colmo do tolerável.

Nom há mentira nengumha, há quem está disposta a encamarse com assassinos buscadores de votos a cambeo dumhas migalhas e há quem procuramos ser consequentes com a autogestom e a nossa indiosincrásia, e que sentimo-nos doidas de que nom se nos consultara nem se nos comunicara nada ao respeito até que já figuravamos no programa.

Espero que em vindouras ocasions, quando nom haxa periodo eleitoral e os concelhos e junta nom tenham interés em promover o que sempre perseguirom e criminalizarom, poidamos compartilhar umhas outras actividades.

De feito, em princípio estaremos na festa do dezasete que organiza a Gentalha, sempre e quando consigam um espaço ajeitado para elo, o que nom está moi doado graças à boa laboura de perseguiçom política por parte do concelho compostelám (BNG-PSOE). Ver a tal efeito o que fam os vossos patrocinadores com um dos centros sociais

http://www.agal-gz.org/blogues/index.php/gent/2007/04/26/p2696

Mais nada.

04-05-2007 @ 11:30
Comentário de: A Kalimera [Visitante]  
A Kalimera

Comunicado da rádio kalimera ao respeito do Festival ‘Em Movimento’ 2007:

Nom concordamos com este jeito de “autogestom” patrocinada e desmarcamo-nos dos actos. Cada día somos mais.

Sumamo-nos ao projecto desde que souvemos que umha gente de Ourense quere montar lá umha nova rádio livre. De certo, num primeiro momento falaramos de participar junto às demais rádios livres e comunitárias galegas num outro evento previsto na cidade da Burgas para o 12 de maio (LAR) e aproveitar essa data para fazer umha juntança da rede de rádios livres. Com essa ilusom de ver nacer umha outra rádio na Galiza e dar o nosso apoio a tal projecto, desistimos delo em quanto souvemos que o LAR ia ser subvençonado pela Junta e mais o concelho de Ourense; dado que, se bem, cada quem é moi livre de estar disposta a receber quartos por publicidade partidária e electoralista, nós também sentimo-nos livres de nom participar daqueles actos que vam em contra da nossa indiosincrásia e de como entendemos e practicamos a autogestom, e mais se temos em conta o periodo eleitoralista no que estamos inmersas.

A mediados do mês de abril soubemos, por umha pessoa da kalimera que é de Ourense, deste segundo festival ?Em Movimento? e ficamos bem contentes de saber que havia intençom de convidar a todas as rádios a tal evento (depois soubemos que quem asumira a responsabilidade de faze-lo esquecera-se (??)), dado que agora si iamos poder ter essa experiência de compartilhar todas as rádios um bo momento e assim fomentar o nascimento dumha nova rádio na Galiza e dentro dumhas jornadas na que previamos sentirnos moi cómodas e gratas apoiando às organizaçons na defensa da lingua e mais à coordinadora de Centros Sociais.

A tal efeito contactamos com as organizadoras e concordamos em fazer umha emissom ao vivo na rua e prestar parte da nossa equipa humana e técnica para tal efeito; também asumimos a responsabilidade de contactar com as outras rádios, isso sim, às pressas e sem case tempo para elo, e tentamos aproveitar o Domingo para juntar-nos e falar-nos numha juntança da Rede Galega de Rádios,. Dimos esses pasos ilusionadas, gastamos energias e tempo e nom importava porque gostavamos do projecto e ilusionáva-nos a criaçom dumha outra rádio livre.

Evidentemente, nunca nesse tempo se nos dijo que esta jornada ia contar também com patrocínio do Concelho do PP e mais a Junta do BNG-PSOE, isso pese a que estavamos em contacto e solicitaramos desde há mais de um mês o contido da programaçom, mas só este sábado passado, tras muito insistir, recebemos o cartaz e os actos programados.

Qué desilusom, quanta energia inútil para descobrir, agora, a poucos días do evento e quando já figura a nossa participaçom no programa, que estes patrocinadores figuram em lugar moi destacado do cartaz e do programa, numha coincidência com a campanha pre-eleitoral (só 3 semanas antes das eleiçons) que da para pensar que é o motivo fundamental para que, tanto o concelho do PP como a Junta do bipartito se apontaram a promover o reintegraçonismo (quando a sua práctica diária é toda a contrária) e que as organizaçons convocantes acordarom sospresivamente fazer-lhes publicidade eleitoral em troques duns quartinhos. E nós confiadas em que os centros sociais som mais do que umha ferramenta de normalizaçom lingüística (que também o som) mais, muito mais… som projectos anticapitalistas desde a base, donde se practica día a día a luita antagonista contra o capital e a sua lógica, mas é triste comprovar que aqui também se practica o mercadeo.

Entendemos que é umha falha de sinceridade e um dar por feito que todo é assumível, quando somos muitas as pessoas e organizaçons de base que nom gostamos de figurar no mesmo cartaz que os assassinos deste sistema. É, por tanto, umha actitude antidemocrática e umha falta de respeito.

Entendemos que alguem queira organizar um festival com as instituiçons, é mui legítimo, cada quem pensa o que queira. Pero nom consentimos que o faga em nome de organizaçons que nom fomos consultadas a tal efeito.

Por isso desmarcamo-nos da mesma e alentamos ao resto das rádios para que figeram o mesmo. Sabemos que a gente de Ourense interesada em montar umha rádio poderá agardar a um outro momento para fazer umha juntança e assisti-las e anima-las na sua andaina e que entenderám o nosso desmarque. Pedimos desculpas às pessoas que poideram assistir ao Pólo Universitário de Ourense buscando a realizaçom em directo dum programa de rádio que nom vai ter lugar, e pola mesma solicitamos das organizadoras a retirada da programaçom deste acto (de donde se poida, claro).

Para acabar dizer que sentimos imensamente nom participar nesta jornada, mas que aguardamos que em vindouras ocasions, encontremos a oportunidade de colaborar, criar, e artelhar algo juntas, sem a presência de oportunistas e mercaderes de votos.

Tristes e anojadas.

Rádio kalimera.

04-05-2007 @ 13:24
Comentário de: Raquel [Visitante]
Raquel

Concordo com algumas opiniões q já se dixerom anteriormente e tp creio q vaia a dizer nada novo mas…
Paréze-me absurdo pensar q por estar subvencionado pelo concelho ou por cultura ou por quem seja já haxa q votar a esse partido…Pensar desse jeito é um pouco estúpido, ti podes aproveitar as oportunidades q haxam para fazer o q ti queiras sem por isso ter q ‘devolver-lhe’ o favor como se lhe debeses algo! Para nada, se o PP pensa q assim vai a ganhar votos alá ele, mas creio q as pessoas q vam á Esmorga e se preocupam pela cultura da Galiza não são futuros votantes do PP em nenhúm momento (independentemente do q o PP faga de cara a galería).
E creio q a gente q critica estas coisas, míraoo de jeito superficial e dende arriba, quando o q se debería fazer é muitas máis coisas coma estas, para q haxa uma sana competência e a cultura chegue a todos os pontos do planeta, não criticar cómodamente dende os nossos ordenadores em casinha quentinh@s. Q singelo é tudo dende aí!
As coisas são muito máis complexas e ser máis papistas q o Papa não nos convirte em máis coerentes q os demáis…Não nos confundamos.
Aguardo q todos os esforços feitos para q este dia seja algo grande sejam recompensados e @s q não estám dacordo tenhem o futuro por diante para fazer algo melhor, com ou sem ajuda do Estado, da Junta ou d@s seus papás, pq hà muito ácrata pelo mundo q fala da independência mas q aínda vive cos pais :)

05-05-2007 @ 00:19
Comentário de: huesi (David) [Visitante]  
huesi (David)

Existen máis motivos dos expostos polos cales traballar sen subvencións de ninguén (nin PP, nin PSOE, nin BNG…), e sen chegar ao absurdo de dicir que entón non poderías ir ao Sergas cando estés enferma. En todo caso, Na Esmorga debatiuse en asemblea este tema, e chegouse a un acordo público que non se está incumplindo… As súas socias decidimos colectivamente, e ainda que unhas nos guste máis este modelo, e a outras nos guste menos, esta foi a decisión. Debatir está moi ben porque enriquece e nos imos entendendo e chegando a puntos en común, pero quizáis discutir a través da rede quede desvirtuado pola cantidade de insultos e descalificacións que se levan a cabo, e que non conlevan que haxa predisposición de entendimento…
De seguro que os mellores sitios para seguir o debate son nas asembleas respectivas, nos foros onde si haxa pretensión de entendimento, etc… Tentemos seguir construindo, que destructoras xa hai abondo

05-05-2007 @ 09:29
Comentário de: Raquel [Visitante]  
Raquel

Dacordo contigo…Está claro q @s q estades dentro sodes @s q tedes q tomar esas decisiões, aínda q @s de fóra poidamos opinar grazas á Rede e outros medios assim, entendo q não leva a muita solução sem ver-lhe a cara ás pessoas, tes razão ‘huesi’ (David).

05-05-2007 @ 11:39
Comentário de: Estou fatal [Visitante]  
Estou fatal

Comentar que hoje domingo encerramos o festival cumha actividade divertida a la par que patriotica. Vamos apanhar o lixo. Aguardamos que seja tam concorrida coma as demais. O pais nom aguarda menos de nos, havemos estar a altura, coma sempre estivemos.

QUE BOM CAR@S!!!!

06-05-2007 @ 16:54
Comentário de: Raquel [Visitante]  
Raquel

xDDDDDDDDDD

07-05-2007 @ 16:37
Comentário de: MoZ [Visitante]  
MoZ

Noraboa ó Rucho, Beltrán, Álex e demais xente d’A Esmorga que participastes na organización deste festival, creo que facedes un labor importante para Ourense, para o galego e para o ideal de sociedade que queremos. Seguide así, ou mellor aínda :-)

Xurxo

08-05-2007 @ 16:00
    A Esmorga somos cada vez mais pessoas que apostamos pelo activismo social e cultural comprometido com a realidade em que vivemos.

    Trabalhamos para promover a língua e a cultura galegas, a sensibilidade para com o meio ambiente e a solidariedade entre as pessoas e os povos.

    Torna-te esmorgan@

    O entusiasmo, o espírito positivo, o empenho e a diversão são as nossas ferramentas de trabalho para construir tijolo a tijolo um mundo mais justo e agradável para tod@s.

    A porta da Esmorga está aberta para qualquer pessoa que queira conhecer-nos ou mergulhar neste projecto.

    ASSOCIA-TE!Torna-te esmorgan@
    Inscrição on-line



    http://aesmorga.agal-gz.org

    aesmorga[arroba]agal-gz.org

    Facebook esmorgano Flickr esmorgano Calendário esmorgano
      Dezembro 2020
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
        1 2 3 4 5 6
      7 8 9 10 11 12 13
      14 15 16 17 18 19 20
      21 22 23 24 25 26 27
      28 29 30 31      

      Busca

      multiblog