Um manual imprescindível e desmitificador

Um manual imprescindível e desmitificador



Texto-apresentação incluído na recente edição digital do magnífico «Manual de Iniciaçom à Língua Galega» do Prof. Castro Lôpez

Altera Galiza.- Tenho de reconhecê-lo, nunca fum um grande leitor de livros mas... talvez por acaso, duas leituras marcárom e acompanhárom o meu acordar lingüístico. O primeiro acordar aconteceu para me rebelar perante aquilo que achava umha anormalidade ?por vezes cheguei a pensar que minha própria- a respeito da língua que eu falava e que «os meus» falavam e que diferia na altura daquela na qual éra(mos) educado(a)s na escola. E nom foi um livro muito volumoso, nem sequer um autor que esteja nos lábios de todo o mundo, o que me fijo reafirmar a luita pola minha normalidade linguística.

om galega, publicada por Xerais na sua colecçom Xabarin, de «A Chamada da Selva», de Jack London, lida por mim no ano 1984, marcou essa primeira etapa. Foi, hei de dizê-lo, além do lingüístico. Mesmo anos depois, quando voltava a reler a magnífica história que relata e o facto de ter lido umha «dublagem» literária para galego (embora fosse ILG-RAG, ou qualquer cousa parecida) continuava a me apaixonar ? e continua.

O meu segundo acordar lingüístico acontecia no ano 1998. Depois de ter conhecimento dos diversos caminhos para a língua, nom conseguira, todavia, entender bem algumhas chaves básicas (eis que, contodo, o ensino do meu galego por via educativa apenas tinha ficado numha questom reivindicativa, o qual, se calhar, já nem é pouco). Numha das minhas freqüentes visitas à livraria Torga, o gerente dessa magnífica loja sugerira-me a leitura do «Manual de Iniciaçom à Língua Galega», assinado por um tal Maurício Castro.

Sei bem, sei bem, o inculto era eu. Mas conforme fum lendo o manual, fum entrando num universo que até entom me tinham «ocultado» intencionadamente. O manual do Prof. Castro Lopes nom só me fijo perder o medo à alegada complexidade etimológica da proposta ortográfica reintegracionista, também fijo com que reflectisse em profundidade acerca da sociolingüística galega e o seu, o nosso léxico... E comecei a recuperar o perdido, e deixei de corrigir mesmo o meu caro avô materno para me começar a corrigir a mim próprio.

Guardo na gaveta com muito carinho aquela ediçom ?hoje esgotada- do «Manual de Iniciaçom à Língua Galega» publicada sob a chancela da Fundaçom Artábria. Tenho nela inúmeros apontamentos, além de umhas páginas muito folheadas.

Anos depois, quando a minha dedicaçom ao Portal Galego da Língua me fijo trabalhar conjuntamente com o Prof. Maurício Castro, surgiu a ideia da reediçom deste magnífico manual. Várias razons fundamentavam a necessidade; resumindo-as: a simplicidade e a facilidade da sua leitura iam de maos dadas com umha fantástica explicaçom e introduçom na correcta escrita e conhecimento da língua galega, abrangendo a sua dimensom lusófona. Além de mais, os inúmeros pedidos para dependurarmos na rede um guia, ou qualquer cousa que ajudasse a iniciar-se na proposta agálica, figérom o resto.

Por isso agora surge esta ediçom digital, revista e corrigida nalguns pontos polo Prof. Castro Lopes e que, fago votos, será antecipo de umha futura ediçom em papel que venha a complementar outros trabalhos voltados para um ensino teórico-prático -e sem fronteiras- da língua, avançando no seu conhecimento e, portanto, aperfeiçoando-a, algo que na Galiza é mais do que necessário nos dias de hoje. Só assim também caminharemos melhor na sua normalizaçom.

Ourense, 23 de Julho de 2006

Vítor Manuel Lourenço Peres.
Director do PGL (Portal Galego da Língua)

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Ligaçom relacionada:

+ Ediçom digital do «Manual de Iniciaçom à Língua Galega» no PGL.

+ Conferir directamente o Manual em formato PDF.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Escrito em 20-09-2007, na categoria: Contributos, Língua
Chuza!

1 comentário

Comentário de: oscar de lis [Visitante]  
oscar de lis

Devo confesar a minha admiraçom por esse manual do prof. M. Castro. Quando cheguei a ele pola vez primeira eu acaba de contemplar a lusofonia como própria e começava a escrever a normativa da AGaL. Desde logo, o oferecimento deste manual na rede foi umha ideia genial porquanto constitui umha ajuda de primeiro nível para quem deseja introduzir-se na escrita universal do idioma. Parabéns ao Prof. M. Castro e parabéns a quem impulsárom a ideia da sua ré-ediçom na rede.

21-09-2007 @ 12:42

        Busca

      powered by b2evolution