« Apresentado XIII Festival da Terra e da LínguaQueres montar um posto na Feira Popular de coletivos e artesanato? »

15 anos da Fundaçom Artábria: umha Galiza soberana e em galego é possível!

06-09-2013

  20:27:07, por artabria   , 573 palavras  
Categorias: Local Social

15 anos da Fundaçom Artábria: umha Galiza soberana e em galego é possível!

Reproduzimos artigo de opiniom do nosso companheiro Xende Lopes Teixeiro, membro da Diretiva da Fundaçom Artábria, publicado no Sermos Galiza nº63.

15 anos da Fundaçom Artábria: umha Galiza soberana e em galego é possível!

Nom foi em 1998, mas no início da década de 90, que a Artábria começou a fazer trabalho de base pola língua na comarca de Trasancos, nomeadamente nos concelhos de Ferrol, Narom e Fene. Durante aqueles anos, a Associaçom Reintegracionista Artábria fazia parte da rede de coletivos locais que em diferentes pontos do País realizavam um valioso labor de socializaçom das ideias reintegracionistas, de umha maneira prática.

Antes, em 1981, tinha sido criada a AGAL, que propujo a recuperaçom da escrita própria do galego e desenvolveu um grande trabalho de tipo mais académico que precisava de se provar como socialmente válido para a regeneraçom e normalizaçom da nossa língua.

Daí vinha a Artábria. Cursos, campanhas de denúncia, palestras, debates... um trabalho modesto e constante que, em 1998, nos levou a dar um passo que permitisse um avanço substancial na prática popular normalizadora na nossa comarca, com a defesa da unidade lingüística galego-luso-brasileira como bandeira. Com esse objetivo, foi aberto o primeiro centro social reintegracionista e a Associaçom Reintegracionista passou a ser a Fundaçom Artábria, oficialmente declarada logo no início da sua atividade como ?de Interesse Galego? pola própria Junta da Galiza.

A nova fase iniciada naquele ano ofereceu um espaço físico para o uso permanente do galego. Um espaço que tem servido, hoje sabemo-lo bem, para ?criar? galegofalantes numha das cidades mais agredidas pola espanholizaçom e tem servido também para dinamizar a atividade doutros coletivos, que pudérom dispor das nossas instalaçons ou participar nas centenas de iniciativas desenvolvidas em todos estes anos.

O Festival da Terra e da Língua, cuja décima terceira ediçom decorre neste mês de setembro, é um bom exemplo disso: dezenas de grupos galegos já passárom polos cenários do Festival organizado anualmente em Narom, dando espaço à música feita na nossa língua.

O exemplo, modesto mas firme, da Fundaçom Artábria tivo aginha um efeito multiplicador, com a inauguraçom de centros sociais inspirados na experiência ártabra em Lugo, Vigo, Compostela, Ourense, Ponte Vedra Corunha, Límia, Boiro... umha rede de centros sociais em que a reivindicaçom lingüística e a aposta reintegracionista som centrais e hoje continua a crescer e afirmar-se sobretodo na Galiza urbana, onde a desgaleguizaçom é maior.

É claro que nom chega com abrir espaços de prática lingüística galega para garantir o presente e o futuro do nosso idioma. É precisa umha política lingüística séria e decidida que inverta as tendências destrutivas que estám a esfarelar a nossa comunidade lingüística. Fai falta um poder político galego, alicerçado socialmente e com uns objetivos e práticas coerentemente assentes na construçom nacional em todos os ámbitos. Fai falta a hegemonia social desse poder galego em todos os ámbitos até a construçom de um Estado galego e em galego.

Porém, todas as pessoas que durante estes 15 anos levantamos o projeto da Fundaçom Artábria exibimos o orgulho de termos exercido a nossa responsabilidade lingüística e nacional ao construir um pequeno ámbito desse poder galego que ainda está por desenvolver em todas as suas potencialidades e necessidades.

Frente às ilusons da falsa normalizaçom autonómica e dos falsos consensos em parlamentos e instituiçons inservíveis para a reconstruçom da nossa pátria, a Fundaçom Artábria leva 15 anos defendendo, na prática, que outra Galiza é possível: umha Galiza soberana e em galego!

Xende Lopes Teixeiro, da Junta Diretiva da Fundaçom Artábria

Sem comentários ainda

Horário de Abertura
- Segundas a sextas 10.00h-13.30h // 17.30h-feche
- Sextas e Sábados 18.00h-feche

A Associaçom Reintegracionista Artábria, nascida em 1992 em Narom, transformou-se em abril de 1998 em Fundaçom, inaugurando em setembro desse mesmo ano o seu Centro Social.

A Fundaçom Artábria está declarada de Interesse Galego e classificada de interesse cultural, com o número de inscriçom 54 e CIF:G15645518.


Para saberes mais, lê a definiçom da Artábria na wikipédia + info

Busca

Ferramentas de administraçom

  Feeds XML

powered by b2evolution free blog software