Paris arde e Europa treme

08-11-2005

  23:11:04, por Corral   , 412 palavras  
Categorias: Novas, Ossiam

Paris arde e Europa treme

Acaba de explodir recentemente na França uma bomba-relógio, os miseráveis dizem nom.. O novo proletariado francês, filhos a sua vez de proletários de origem emigrante, dixo nom a sua miserabilizaçom.

O estoupido é conhecido, a morte de dous jovens trabalhadores ?tal vez sem trabalho- que foram electrocutados quando fugiam da polícia. De umha polícia afeita a reprimir e injuriar aos miseráveis gerados polo sistema capitalista. O quarto mundo explodiu.

Porém, não é só em Paris, também em outras cidades francesas acontecem os distúrbios, como foi reconhecido por muitas autoridades.

O ministro do Interior, Nicolas Sarkozy - ele mesmo é filho de emigrantes húngaros -, declarou que os problemas detonadores das últimas onze noites de violência nos subúrbios pobres foram ?descuidados por 30 anos? e que necessitará de muito tempo para resolvê-los.

Sarkozy é o mesmo que foi acusado de exacerbar os ânimos dos jovens trabalhadores sub-empregados ou desempregados, quando os acusou de escória, declaração que inclusive, provocou a fúria de diversos sectores franceses que começaram a pedir a renúncia deste alto funcionário do governo. Claro, no novo proletariado francês começa a dominar a cor parda, e Sarkozy é filho de emigrantes, mas branco.

Até o momento, há um morto e numerosos feridos e jovens feridos pela brutalidade policial. Crescem, sim, as acções contra as instalações e mais de 3.500 automóveis foram incendiados nos primeiros dias de novembro.

Os distúrbios localizam-se nos arredores de Marselha, na cidade de Dijon e inclusive no sul e oeste da nação europeia. Certamente, o titular do Interior moderou a sua linguagem, mas talvez um pouco tarde.

A possibilidade de novos mortos está latente. Não são décadas, são séculos de explotaçom. Primeiro os seus pais nos países de procedência e no ?paraíso? que pensaram encontrar, donde são necessários, mas são discriminados. E agora eles, o novo proletariado francês são maltratados impunemente, porque som pobres e de pelo crespo. Ademais alguns no som critiaos senom mulsumans.

O que, sim, muitos já reconhecem e mostram a sua preocupação é que as causas de situações como as que hoje preocupam a maioria dos franceses, voltarão a estremecer as cidades do Primeiro Mundo rico. Os párias dizem nom.

Talvez seja novamente em Paris, Londres, Roma, ou qualquer outra grande capital. Questão de tempo.

Sem comentários ainda

Agosto 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

blogging software