CANTA O MERLO: Como fôrom inventados os alicerces do Sistema Monetário Mundial e quem se aproveitou de todo isto

24-02-2012

  13:44:35, por Corral   , 1108 palavras  
Categorias: Ensaio

CANTA O MERLO: Como fôrom inventados os alicerces do Sistema Monetário Mundial e quem se aproveitou de todo isto

Voltairenet.org

Como fôrom inventados os alicerces do Sistema Monetário Mundial e quem se aproveitou de todo isto

As manipulaçons do sistema monetário e do sistema de mudança constituem o maior escândalo da nossa época. Por vez primeira, a estafa monetária alcança dimensons mundiais "está a desenvolver-se com efeito através do mundo inteiro", sem que nengum governo seja capaz de controlá-la nem de pôr-lhe fim ou de impedi-la. Formalmente, é mesmo legal devido a razons obsoletas.

A etapa decisiva na ruptura com a moeda de Estado produziu com a fundaçom, em 1913, do Sistema Federal de Reserva de Estados Unidos. Desde finais do século XIX, os bancos que se achavam sob controlo do império Rotschild empreenderam umha grande campanha para apoderar do controlo da economia estadounidense. Os Rotschild, provenientes da Europa, financiárom o Banco J.P. Morgan & Com o., o Banco Kuhn Loeb & Com o., John D. Rockefelhers, Standard Oil Com o., os comboios de Edward Harriman e as fábricas de aço de Andrew Carnegie.

Por volta do ano 1900, os Rotschild enviárom a Estados Unidos a um dos seus agentes, Paul Warburg, quem devia cooperar com o Banco Kuhn Loeb & Com o. Jacob Schiff e Paul Warburg [quem] empreendêrom umha campanha tendente a instaurar vários «Federal Reserve Banks» (FED), instituiçons privadas de emissom de moeda. Com o apoio dos dous grandes grupos financeiros Rotschild e Rockefelher, alcançárom fundar um banco central privado com direito a emitir a sua própria moeda, meio legal de pago garantido ao princípio polo Estado. A instauraçom da FED, em 1913, permitiu que os banqueiros internacionais pudessem consolidar o seu poderio financeiro em Estados Unidos. Paul Warburg foi o primeiro presidente da FED.

Depois da fundaçom da FED produziu-se a adopçom da 6ª emenda da Constituiçom estadounidense, que permitiu que o governo cobrasse um imposto sobre os ingressos. Era conseqüência do feito com que o governo nom pudesse já emitir a sua própria moeda. Dessa maneira, os banqueiros internacionais apropriavam-se indirectamente do património privado do cidadao estadounidense. Naquele momento, os accionistas mais importantes da FED eram:

1. Os bancos Rothschild de Paris e de Londres
2. O Banco Lazard fréres de Paris
3. O Banco Israel Moses Seif na Itália
4. O Banco Warburg em Amsterdã e Hamburgo
5. O Banco Lehmann em Nova Iorque
6. O Banco Kuhn Loeb & Com o.em Nova Iorque
7. O Banco Rockefelher Chase Manhattan em Nova Iorque
8. O Banco Goldman Sachs em Nova Iorque.

Depois da Primeira Guerra Mundial, as reservas mundiais de ouro acumulárom naquele banco privado que em realidade era a FED, de maneira que numerosos bancos centrais nom puderam seguir mantendo o patrom ouro e os seus países virom-se imersos na deflaçom, produzindo-se assim a primeira crise económica mundial.

Durante a Guerra Mundial, Estados Unidos chegou a exigir que os países em guerra pagassem-lhe com ouro as armas que compravam. Ao terminar a guerra, o ouro da Alemanha converteu-se em botim de guerra. Mais de 30,000 toneladas do ouro mundial acumulárom-se assim em Estados Unidos.

Esse ouro serviu de cobertura ao dólar. Mas, como grande parte desses dólares estava a fazer o papel de reserva monetária nas caixas dos bancos centrais estrangeiros, Estados Unidos pode seguir imprimindo mais dólares, em quantidades que já nom correspondiam com os seus reservas em ouro.
Em efeito, os demais países necessitavam dólares para poder comprar matérias primas, que se compravam somente com essa moeda. Ademais do ouro, o dólar converteu-se assim numha das principais reservas monetárias dos bancos centrais estrangeiros.

Começara o reinado mundial do dólar. Em 1971, Richard Nixon (o presidente número 37 de Estados Unidos, de 1969 a 1974) anulou a convertibilidade do dólar em ouro e, ao mesmo tempo, a garantia do Estado sobre o valor do dólar. Desde entom, o valor do bilhete verde nom está em correspondência com as reservas de ouro nem está garantido polo Estado. Trata-se portanto da moeda privada livre da FED. Mas a massa monetária de dólares que a FED pom em circulaçom (desde Março de 2006, a FED nom publicou mais a cifra da massa monetária M3) converteu-se num problema sem soluçom: a massa mundial de bens quadruplicou-se durante os últimos 30 anos, mas a massa monetária multiplicou-se por 40.

Como funciona este banco privado com direito a imprimir os dólares" A FED produz dólares. Presta-lhos ao governo de Estados Unidos em troques de obrigaçons que lhe servem [à FED] como «garantias». Os bancos da FED em possesom desses títulos percebem interesses anuais. Muito astutos, nom lhes parece"

Já em 1992, as obrigaçons em poder da FED alcançavam um valor de 5 trilhons de dólares, e os interesses que paga o contribuinte estadounidense seguem aumentando constantemente. A FED apoderou-se desse incrível património prestando-lhe dinheiro ao governo de Estados Unidos e cobrando-lhe depois interesses. O contra-valor é esse papel verde que se conhece com o nome de dólar.

É importante repetir que nom é o governo de Estados Unidos quem emite o dólar, senom a FED, que por sua vez se encontra sob o controlo de bancos privados e que pom a disposiçom do governo quantidades de dinheiro e, como contrapartida, cobra suculentos juros e recolhe impostos. Ninguém se dá conta desta artimanha. Ademais, as obrigaçons que o governo emite outorgam à FED umha garantia, de carácter público e privado, sobre o conjunto de bens e fundos de Estados Unidos. Numerosas acçons jurídicas tratárom de obter a anulaçom da lei sobre a FED, sem sucesso até o momento.

O presidente John F. Kennedy foi o primeiro que tratou de transformar a FED emitindo um decreto presidencial («executive order number 11110»). Pouco depois, foi assassinado, provavelmente polo seu próprio serviço de inteligência. O primeiro que fixo o seu sucessor, Lyndon B, Johnson, no aviom presidencial que o trazia a Washington desde Dalhas, foi anular o decreto de Kennedy.

Qual é a situaçom actual" Os bancos privados tratam por todos os meios de manter e reforçar a sua gigantesca fonte de ingressos: o dólar.
E aos países que querem estabelecer as suas relaçons comerciais internacionais [em diante] sobre a base do euro, como Iraque, Irám ou Venezuela, tacha-se-lhes de terroristas.

Obriga aos governos a vender os seus produtos a Estados Unidos a mudança de dólares carentes de valor, e o desenfreado aumento de liquidez proporciona à alta finança [internacional] as somas ilimitadas que lhe permitem comprar o mundo inteiro.

Os bancos centrais do mundo inteiro vem-se obrigados a acumular dólares sem valor como «reservas monetárias». O dólar estadounidense é a moeda privada da alta finança, moeda que ninguém garante, que nom dispom de outra garantia que a própria, moeda que se utiliza para maximizar o ganho, acrescentada sem vergonha algumha, que se utiliza como meio de dominaçom mundial e para acaparar as matérias primas e outros valores do mundo.

Sem comentários ainda

Setembro 2018
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

powered by b2evolution