CANTA O MERLO: O fascismo "made in USA" aterroriza aos venezuelanos

17-04-2013

  01:45:20, por Corral   , 811 palavras  
Categorias: Novas

CANTA O MERLO: O fascismo "made in USA" aterroriza aos venezuelanos

A direita venezuelana ataca canais de TV, centros médicos, sedes do partido socialista e casas particulares

Agências / teleSUR / aporrea

Simpatizantes de Capriles, demonstrando as suas convicçons "pacíficas e democráticas", incendiárom a noite da segunda-feira vários centros médicos, sedes do Partido Socialista Unido de Venezuela, petro-casas, sedes de Mercal, habitaçons de militantes do Partido Socialista Unido de Venezuela, entre outros actos vandálicos.

Em Sam Cristóbal, queimárom a sede do PSUV, atacárom várias emissoras comunitárias e provocárom umha morte em Santa Ana. "atacárom CDIS, Mercales e atacárom hopedagens de militantes do Psuv em várias localidades do Estado Táchira", denunciou o governante Vielma Moura.

Grupos afectos ao ex-candidato presidencial anti-chavista Henrique Capriles rodeárom a noite da segunda-feira a sede do canal de televisom teleSUR e ameaçárom aos seus trabalhadores, informou a presidenta do canal, Patricia Villegas.

"Ameaçárom ao nosso pessoal, os trabalhadores do canal estám nos seus postos de trabalho (...) ameaçárom de maneira permanente", denunciou a presidenta de teleSUR Patricia Villegas.

"Nom se sabe se som as mesmas pessoas (que assediárom fai uns instantes ao canal do Estado Venezuelana de Televisom), mas sim respondem ao mesmo movimento político que chamou à desestabilizaçom", detalhou Villegas.

Do mesmo modo que teleSUR, a sede da estatal Venezuelana de Televisom (VTV), também foi assediada por seguidores do candidato opositor Henrique Capriles Randonski, o que foi rejeitado polo presidente da planta de televisom, William Castelo.

Assim mesmo, também fôrom accosadas as casas da presidenta do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, e dos pais do ex-ministro de Comunicaçom e Informaçom e membro do comando de campanha Hugo Chávez, Andrés Izarra.

Enquanto isso, o correspondente de teleSUR, William Parra, reportou desde o nordés de Caracas que ''há um grande sector de seguidores de Hugo Chavez que vinhérom a resguardar a casa do chefe de campanha, Jorge Rodríguez''. A residência de Jorge Rodríguez, chefe do Comando de Campanha Hugo Chávez, foi também rodeada nesta segunda-feira.

Os protestos repetirom-se em várias cidades do país sob a mesma consigna: rejeitar o resultado das presidenciais, tal como pedira o líder opositor, Henrique Capriles. O candidato realizou um chamado aos seus votantes para que se o acto de proclamaçom celebrava-se saíssem à rua como forma de protesto. "Temos a convicçom de que nós ganhamos", afirmou.

Nicolás Maduro acusou a Capriles dos incidentes e do incêndio de duas sedes do Partido Socialista Unido de Venezuela. "Queimárom a casa do PSUV no estado Anzoátegui e em Táchira com gente dentro", dixo Maduro durante umha conferência de imprensa.

"Essa é a Venezuela que vocês querem", essa é a Venezuela que tu vais promover candidato perdedor" tu és responsável por esta queima, fago-te responsável por esta queima (...) e se há feridos ou morridos tu és responsável", afirmou, dirigindo-se a Capriles. Maduro chamou a seguir "ao povo ao combate em paz". "A mobilizar-se manhá em todo o país pola paz, mobilizaçons em todo o país, e na quarta-feira e na sexta-feira, todos a Caracas", indicou em alusom ao acto de juramento presidencial. "Que saiba o mundo que classe de direita há em Venezuela", agregou.

Em Barinas, denunciou o governante Adán Chávez um grupo de manifestantes queimou dous automóveis face à sede do Psuv em Barinas, quando se encontravam pessoas dentro. "Tentárom penetrar ao local, tentárom violentar a porta, tínhamos 10 mulheres que estavam a trabalhar aí sem nengum tipo de protecçom, estám tolos, seguimos chamando à calma e reflexom", salientou.

Informou que resultárom gravemente feridos quatro funcionários policiais produtos das pedras, bombas molotov e objectos contundentes. Também queimárom vários contentores de lixo de umha empresa regional para a colheita de refugalhos sólidos. "Responsabilizo directamente a Júlio César Reyes e César Azuaje, quem estám a dirigir esta barbárie, som ademais traidores à revoluçom, estivérom durante vários anos disfarçados dentro das nossas forças e agora som os mais violentos e mais fascistas que temos em Barinas", indicou.

Manifestantes anti-chavistas arremetérom nesta segunda-feira contra o Centro de Diagnóstico Integral (CDI) Pedra Azul, situado em Baruta, Miranda. Com caçarolas, pancartas a favor do candidato derrotado, Henrique Capriles Radonski, e consignas como "fora os cubanos", o grupo chegou ao CDI perto das 4:30 da tarde exigindo o desalojo dos galenos do centro de saúde e forçando a entrada do mesmo, de acordo a umha informaçom fornecida por Lila Muñoz, pertencente aos Cuidadores da Saúde do CDI.

Ao conhecer a notícia, vizinhos da Urbanizaçom Socialista A Limonera achegárom-se para brindar o seu apoio e apoiar aos médicos cubanos que trabalham ali desde o passado Dezembro, quando foi inaugurado o CDI. Muñoz informou que o grupo de manifestantes atirou umha bomba molotov ao Centro de Reabilitaçom, onde afortunadamente nom havia pacientes. Acrescentou que no CDI estám laborando 10 médicos cubanos, quem prestam o seu serviço à comunidade. Por sua parte, Marienela Aular, quem se encontra hospitalizada no centro de saúde, relatou que umha das pessoas identificada com a oposiçom ameaçou com umha pistola.

Fontes:

http://aporrea.org/oposicion/n226961.html

http://aporrea.org/oposicion/n226952.html

http://www.elmundo.es/america/2013/04/15/venezuela/1366062632.html

http://www.telesurtv.net/articulos/2013/04/15/grupos-violentos-rodeiam sede-de-telesur-a-ameaçam-a-os seus-trabalhadores-2533.html

Sem comentários ainda

Agosto 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

powered by b2evolution