06-09-2011

  12:33:17, por Corral   , 104 palavras  
Categorias: Dezires

CANTA O MERLO: O "corralito" espanhol está a cair

http://www.larepublica.es/

O "corralito" que ocorreu na Argentina fai dez anos chegou quando as autoridades impussérom um limite à retirada de dinheiro dos bancos do país. ?Véu como conseqüência da imposiçom de umha política de deficit zero?, lembrou Cândido Méndez, Secretário-Geral de UGT.

Para o dirigente sindical realizar este tipo de políticas pode provocar um ?colapso da economia a nível mundial? e pediu ao Executivo rectificar na reforma constitucional, à vez que sublinhou que ?as cousas som susceptíveis de piorar?, tal como advertiu o Fundo Monetário Internacional (FMI).

?Há experiência suficiente para ver até onde podem chegar as conseqüências deste tipo de políticas?, assinalou Méndez.

  12:24:24, por Corral   , 142 palavras  
Categorias: Dezires

CANTA O MERLO: Willis nom era cubano, nem Estados Unidos é Cuba

Um jovem de 24 anos morreu como conseqüência de umha infecçom na boca provocada pola moa do julgamento. Ocorreu na passada quarta-feira em Cincinatti, Estados Unidos.
http://www.larepublica.es/

A Kyle Willis começou a incomodar-lhe a moa do julgamento e recomendaram-lhe que acudisse a um dentista mas nom o pode fazer porque nom tinha seguro nem dinheiro: estava em desemprego. Finalmente declarou-se-lhe umha infecçom bucal acompanhada por fortes dores.

Foi entom quando se acudiu nesses serviços de urgências para gente de escassos recursos, onde lhe receitárom antibióticos e analgésicos, mas como seguia sem seguro e sem dinheiro, só lhe alcançou para comprar o segundo, pois os antibióticos superavam as suas possibilidades económicas.

O analgésico, acalmou-lhe a dor mas, ao mesmo tempo, camuflou a infecçom, a qual seguiu o seu curso demolidor até o ponto de afectar-lhe o cérebro, o que produziu o seu posterior falecimento.

04-09-2011

  16:36:40, por Corral   , 179 palavras  
Categorias: Dezires

CANTA O MERLO: De novo as mentiras para manter o genocídio na Líbia

http://leonorenlibia.blogspot.com/

Desde Líbia...

Umha pessoa que nom quer dar o seu nome por medo, informa que esta noite ou manhá a corrente de TV Aljazira vai dar a notícia falsa com fotos incluídas da morte do líder líbio.

http://allainjules.com/2011/09/04/libye-ils-vont-annoncer-capture-a-de-kadhafi/

> Os acontecimentos ocorrerám:

1. Esta noite a NATO bombardeará Beni Walit
2. Os mercenários entrarám em assalto na cidade.
3. Os rebeldes anunciarám que o líder líbio foi capturado e morto no assalto.
4. A meta deste novo engano é para provocar que os líbios se rendam.

Esta pessoa informa de fontes directas que há um grupo de profissionais muito bem preparados tentando "terminar" com todos os membros da família do líder. Segundo conta esta pessoa que nom deseja dar o seu nome, este grupo tem ordem de nom deixar nem um só membro da família vivo, incluídos crianças.

As famílias de Beni Walid estám a viver uns momentos terríveis totalmente assediadas sem água, nem comida.

As gentes de Tripoli estám estremecidas e comentam que agora Al-qaeda manda pelas ruas. Também se podem ver por cale-las tropas estrangeiras da França, britânicos, italianos, Usa, etc.

03-09-2011

  19:36:58, por Corral   , 603 palavras  
Categorias: Novas

CANTA O MERLO: Mercenários da OTAN detenhem, torturam e assassinam a imigrantes em Líbia

http://www.aporrea.org/internacionales/n187869.html

2 de Setembro de 2011.- Os mercenários da NATO estám a deter a milhares de imigrantes afros e levando-os aos acampamentos de prisioneiros como parte de represálias maciças que incluem relatórios de assassinatos indiscriminados, maus tratos e tortura, enquanto a capa "humanitária" da intervençom militar de ocidente rapidamente se desmorona.

Imigrantes africanos subsaarianos compreendem um terço do total da populaçom em Líbia, e segundo rumores umha minoria foram contratados por Gaddafi como combatentes, mas os mercenários estám a tratá-los a todos como combatentes inimigos, com relatórios de abusos, assassinatos e prisons maciços aumentando em volume.

Mercenários da NATO e ?esquadrons da morte? estám a deter a milhares de afros líbios e imigrantes africanos subsaarianos, acusando-os de luitar por Muammar Gaddafi e mantendo-os em cárceres improvisados na capital", informa agência AP.

A história de AP indica que virtualmente todas as vítimas som trabalhadores imigrantes inocentes e nom luitárom por Gaddafi, mas os mercenários ainda estám aos deter e internando-os nos estádios desportivos e outros acampamentos de prisioneiros simplesmente pola sua cor de pele.

Ao menos 5.000 homens foram presos, mas grupos de direitos humanos tenhem umha cifra mais alta.

Contodo o abuso vai mais ali das detençons maciças. O presidente da Uniom Africana, Jean Ping, dixo-lhe ao Washington Post que houvo umha clara evidência de assassinatos de represália. ?Eles estám a assassinar à gente, a trabalhadores normais, torturando-os", indicou. A história também relata como 500 pessoas de Darfur estám "desesperadas por sair de Líbia (...) eles temem muito polas suas vidas devido à sua cor de pele", segundo Richard Sollom, subdirector de Médicos polos Direitos Humanos.

Investigadores de Amnistia Internacional também presenciárom abusos no Hospital Central de Tripoli, "incluindo a homens que som tirados das camas dos hospitais para ser presos", enquanto também presenciam corpos nom identificados de homens pretos sendo transportados à morgue.

The Independent também informou que os representantes de Amnistia Internacional presenciárom como os ?esquadrons da morte? deitavam os corpos descompostos de 30 homens, case todos afros, logo que foram assassinados nos arredor de um hospital de campanha que levava o símbolo da média lua islâmica.

?Os assassinatos fôrom estimulados por rumores "ao que parece exagerados ou francamente falsos" de que Gaddafi contratara mercenários africanos de Chad e qualquer outro lugar para actuar como executores de civis líbios, disparando-lhes a sangue frio durante as supostos protestos", escreveu Rick Moram.

A possibilidade de que os abusos, torturas e assassinatos indiscriminados de pretos imigrantes e líbios aumentem num programa substancial de limpeza étnica racial levada a cabo por mercenários islamitas radicais, quem som dirigidos por terroristas de Al-Qaeda, é umha das razons pola que a Uniom Africana há rejeitado apoiar o acto da NATO de mudança de regime.

O ilegítimo Conselho Nacional de Transiçom de Líbia (CNT), criado em Paris, advertiu sobre os assassinatos por represálias, mas a CNT tem ?pouco poder" para deter as atrocidades dado que os comandantes como Abd Al-Hakim Belhadj e os seus mercenários tenhem aparentemente o controlo das grandes cidades incluindo Tripoli.

O tratamento dos mercenários aos afros líbios oferece umha prova mais para sublinhar o facto de que o pretexto ?humanitário? da NATO para umha intervençom foi um completo engano e que forças ocidentais aliás entregou um país inteiro a máfias de extremistas e racistas que continuarám violando e torturando à populaçom preta até que sejam expulsos do país por completo.

Os vídeos mostram clara evidência, a maioria dos quais som trabalhadores imigrantes inocentes e nom leais a Gaddafi, sendo torturados, atacados e assassinados polos ?esquadrons da morte? da NATO. O último vinde-o, particularmente perturbador, amostra a um homem afro pendurado para a exibiçom pública.

http://www.youtube.com/watch?v=DtuIZozNryo

http://www.youtube.com/watch?v=YNA8z5G-Xmk

http://www.youtube.com/watch?v=ihD20J2gXds

http://www.youtube.com/watch?v=15Eds2B6HlU

http://www.youtube.com/watch?v=megUguhKP6I

http://www.youtube.com/watch?v=r4oOAjCbXUg

http://www.youtube.com/verify_age?next_url=http%3A//www.youtube.com/watch%3Fv%3DCWitn-5v1Sc

02-09-2011

  17:36:38, por Corral   , 72 palavras  
Categorias: Novas

CANTA O MERLO: A República da África do Sul nom vai participar na conferência de Paris,

1 de Setembro de 2011,

Interfax
A República da África do Sul nom vai participar na conferência de Paris, "Amigos da Líbia", dixo na quinta-feira o presidente sul-africano Jacob Zumha. "Estamos descontentes com a forma como foi interpretada a ler Resoluçom da ONU 1973 Como resultado, começárom os ataques aéreos sobre a Líbia." - Dixo ele durante umha visita à Noruega, "Interfax". Antes, líderes sul-africano tenhem repetidamente criticado as acçons da coligaçom internacional na Líbia. Interfax

01-09-2011

  11:50:15, por Corral   , 686 palavras  
Categorias: Ensaio

CANTA O MERLO: Os porquês do terrorismo da OTAN em Líbia

O que está detrás do derrocamento de Gaddafi
Por: Ásia Times
Data de publicaçom: 31/08/11

31 Agosto 2011 - O complô para derrocar a Gaddafi perfeccionou-se em Dezembro 2010, Nicolas Sarkozy tinha umha bolsa cheia de motivos para vingar-se de Muammar Gaddafi.

Bancos franceses disseram-lhe a Sarkozy que Gaddafi estava prestes a transferir os seus milhares de milhons de euros a bancos chineses. Deste modo o líder líbio nom podia de nengumha maneira ser num exemplo para outras naçons árabes sobre os fundos soberanos.

Corporaçons francesas disseram-lhe a Sarkozy que Gaddafi decidira nom comprar mais avions Rafale, e nom contratar aos franceses para construir umha planta nuclear; o líder líbio estava mais preocupado por investir em serviços públicos.

A gigante petroleira Total queria um pedaço bem mais grande do torta petroleiro de Líbia, a qual estava a ser comida em grande parte por Europa, pola italiana ENI, especialmente porque o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, um fanático confesso de Gaddafi, fechara um acordo complexo com o mandatário líbio.

Deste modo o golpe militar foi perfeccionado em Paris em Dezembro; as primeiras manifestaçons em Cirenaica em Fevereiro, enormemente instigadas polos conspiradores, fôrom frustradas.

O auto promovido filósofo Bernard Henri-Levy - sionista ao igual que Sarkozy - "voou a Benghazi para conhecer aos "rebeldes" e telefonou a Sarkozy, virtualmente ordenando-lhe que os reconheça a princípios de Março como legítimos (nom era necessário um estímulo para Sarkozy).

O Conselho Nacional de Transiçom foi inventado em Paris, mas as Naçons Unidas também devidamente tragou-no como o "legítimo" governo de Líbia, só que a NATO nom tinha um mandato da ONU para ir de umha zona de exclusom aérea a um bombardeio "humanitário" indiscriminado, culminando com o actual assédio à cidade de Sirte.

Os franceses e os britânicos escrevêrom o que se converteria na Resoluçom 1.973 da ONU. Washington alegremente uniu à festa. O Departamento de Estado negociou um acordo com o Rei saudita através do qual os sauditas garantiriam um voto da liga Árabe como um preludio para a resoluçom da ONU, e a mudança seriam deixados tranqüilos para reprimir qualquer protesto vantagem-democrática no Golfo Pérsico, como o fizérom, selvagemente em Bahrain.

O Conselho de Cooperaçom do Golfo (GCC polas suas siglas em inglês) também tinha toneladas de razons para desfazer-se de Gaddafi. Os sauditas amariam acomodar a um emirato amigável no norte da África, especialmente desfazendo-se do mau sangue entre Gaddafi e o Rei Abdullah. Os Emiratos queriam um lugar novo para investir e "desenvolver".

Qatar, muito compichada com Sarkozy, queria fazer dinheiro " como o manejo das novas vendas de petróleo dos "legítimos" rebeldes.

A Secretária de Estado Hillary Clinton esta muito enmarachada com a Casa Saudita ou com os criminosos Al-Khalifas de Bahrain. Mas o Departamento de Estado fortemente condenou a Gaddafi polos seus "políticas nacionalistas em aumento no sector petroleiro", e também por "Libianizar" a economia.

Gaddafi, um jogador astuto, deveria ver o escrito na parede. Desde que o primeiro-ministro Mohammad Mossadegh foi derrocado fundamentalmente pola CIA no Irám em 1.953, "a regra é nom se pôr a mal com as grandes petroleiras globalizadas. Sem mencionar o sistema banqueiro/financeiro internacional, promovendo ideias subversivas tais como o voltear a sua economia para beneficio da sua populaçom.

Se vostede é partidário do seu país, vostede automaticamente é contra daqueles que mandam: bancos ocidentais, mega-corporaçons e "escuros" inversionistas para beneficiar do que seja que o seu país produz.

Gaddafi nom só cruzou todas estas linhas vermelhas, também tratou de escapulir-se do petrodólar; ele tratou de vender a ideia a África de umha moeda unificada, o dinar de ouro (a maioria dos países apoiaram-lo); ele investiu num projecto multibillonario " o Grande Rio Artificial, umha rede de tubagens distribuídas bombeando água fresca desde o deserto até a costa mediterránea " sem dobrar os seus joelhos no altar do Banco Mundial; ele investiu em programas sociais em países pobres do África subsaariana; ele financiou ao Banco Africano, permitindo assim a superaçom das naçons para evitar, mais umha vez, ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional; ele financiou um amplo sistema africano de telecomunicaçons que evitou redes ocidentais; ele aumentou a qualidade de vida em Líbia. A lista é interminável.

Fonte: Pepé Escobar, Ásia Times

31-08-2011

  23:14:09, por Corral   , 227 palavras  
Categorias: Ensaio

CANTA O MERLO: Sacrifícios inúteis

http://www.resistir.info/

Multiplicam-se as declarações acerca do fim do euro. Um importante dirigente da indústria alemã defende que a Alemanha, Áustria, Holanda e Finlândia saiam do euro . O conhecido historiador Hans-Joachim Voth afirma que "O euro não pode sobreviver na sua forma actual" . O economista liberal Charles Gave considera que "o euro é um Frankenstein que não pode funcionar" . Tudo isso significa que os sacrifícios que estão a ser exigidos aos povos da Grécia, Irlanda e Portugal são inúteis. Trata-se de uma tentativa de espreme-los ao máximo, em benefício dos credores, antes de abandoná-los. Quando os abandonarem, no fim do processo, estarão numa situação económica pior do que a actual. Não há luz no fim deste túnel: só trevas.
Tivéssemos nós uma classe dominante minimamente lúcida, não submetida ao diktat externo e intelectualmente preparada, tomaria ela a iniciativa de afastar Portugal do euro. O passo seguinte seria a criação de uma nova moeda ? mas não o antigo escudo. A nova moeda deveria ser de emissão estatal, nos moldes propostos por Rudo de Rujiter (v. Sair do euro ? e depois? ). Esta deveria ser a perspectiva também das forças progressistas. Propor o aumento da produção nacional é um objectivo louvável, mas de duvidosa factibilidade sob o euro e a ditadura da troika. Tal proposta traz implícita a ideia (errada) de que poderia haver soluções dentro do sistema actual.

  23:09:58, por Corral   , 97 palavras  
Categorias: Dezires

CANTA O MERLO: Líbia - Novas desde Trípoli

http://twitter.com/#!/LibyanLiberal

- Ainda nom fixemos a batalha mae para Líbia mas estamos preparados.
- O melhor momento quando o míssil acertou no helicóptero. Pequena vitória, mas vitória.
- Quando digo traidores refiro-me aos que dérom as costas a Líbia para conseguir mais dinheiro. Serám perseguidos até o seu último alento.
- Parece que apesar do terrorismo da organizaçom NATO e os seus mercenários, a gente mantem-se com o líder. Agora estamos a buscar aos traidores.
- De Khamis dizem que está morrido outra vez, mas ontem chefiou umha batalha na costa.
- Mercenários armados prendêrom lume aos escritórios de Afrikiyah Airlines de Tripoli.

  22:48:51, por Corral   , 118 palavras  
Categorias: Dezires

CANTA O MERLO: Líbia - Saif al Islám assegura que o Governo e o Exercito de Líbia continuarám resistindo

Por: Imprensa Web A Rádio do Sul /Agências
Data de publicaçom: 31/08/11

Saif al Islám afirmou que som mais de 20 mil homens armados.? Teremos a vitória logo", dixo. Agregou que o seu pai "está bem",

31 Agosto 2011 - Saif al Islám, filho do mandatário líbio, Muammar Gadafi, reapareceu nesta quarta-feira e assegurou em declaraçons a umha cadeia de televisom árabe que o Governo e o Exercito de Líbia continuarám resistindo e que contam com mais de 20.000 homens armados para luitar contra os ?mercenários?.

"Teremos a vitória logo", afirmou.
"O líder está bem", agregou. "Estamos a pelejar e tomando chá e tomando café, com as nossas famílias, e pelejando".

Chamou aos líbios a luitar contra os "bandidos?, as "ratas" e os "mercenários?

29-08-2011

  21:27:00, por Corral   , 920 palavras  
Categorias: Ensaio

CANTA O MERLO: Sete pontos acerca da Líbia

http://www.resistir.info

por Domenico Losurdo

Doravante mesmo os cegos podem ver e compreender o que está a acontecer na Líbia:

1. O que se passa é uma guerra promovida e desencadeada pela NATO. Esta verdade acaba por se revelar até mesmo nos órgãos de "informação" burgueses. No La Stampa de 25 de Agosto, Lucia Annunziata escreve: é uma guerra "inteiramente externa, ou seja, feita pelas forças da NATO"; foi "o sistema ocidental que promoveu a guerra contra Kadafi". Uma peça do International Herald Tribune de 24 de Agosto mostra-nos "rebeldes" que se regozijam, mas eles estão comodamente instalados num avião que traz o emblema da NATO.

2. Trata-se de uma guerra preparada desde há muito tempo. O Sunday Mirror de 20 de Março revelou que "três semanas" antes da resolução da ONU já estavam em acção na Líbia "centenas" de soldados britânicos, enquadrados num dos corpos militares mais refinados e mais temidos do mundo (SAS). Revelações ou admissões análogas podem ser lidas no International Herald Tribune de 31 de Março, a propósito da presença de "pequenos grupos da CIA" e de uma "ampla força ocidental a actuar na sombra", sempre "antes do desencadeamento das hostilidades a 19 de Março".

3. Esta guerra nada tem a ver com a protecção dos direitos humanos. No artigo já citado, Lucia Annunziata observa com angústia: "A NATO que alcançou a vitória não é a mesma entidade que lançou a guerra". Nesse intervalo de tempo, o Ocidente enfraqueceu-se gravemente com a crise económica; conseguirá ele manter o controle de um continente que, cada vez mais frequentemente, percebe o apelo das "nações não ocidentais" e em particular da China? Igualmente, este mesmo diário que apresenta o artigo de Annunziata, La Stampa, em 26 de Agosto publica uma manchete a toda a largura da página: "Nova Líbia, desafio Itália-França". Para aqueles que ainda não tivessem compreendido de que tipo de desafio se trata, o editorial de Paolo Paroni (Duelo finalmente de negócios) esclarece: depois do início da operação bélica, caracterizada pelo frenético activismo de Sarkozy, "compreendeu-se subitamente que a guerra contra o coronel ia transformar-se num conflito de outro tipo: guerra económica, com um novo adversário: a Itália obviamente".

4. Desejada por motivos abjectos, a guerra é conduzida de modo criminoso. Limito-me apenas a alguns pormenores tomados de um diário acima de qualquer suspeita. O International Herald Tribune de 26 de Agosto, num artigo de K. Fahim e R. Gladstone, relata: "Num acampamento no centro de Tripoli foram encontrados os corpos crivados de balas de mais de 30 combatente pró Kadafi. Pelo menos dois deles estavam atados com algemas de plástico e isto permite pensar que sofreram uma execução. Dentre estes mortos, cinco foram encontrados num hospital de campo; um estava numa ambulância, estendido numa maca e amarrado por um cinturão e tendo ainda uma transfusão intravenosa no braço".

5. Bárbara como todas as guerras coloniais, a guerra actual contra a Líbia demonstra como o imperialismo se torna cada vez mais bárbaro. No passado, foram inumeráveis as tentativas da CIA de assassinar Fidel Castro, mas estas tentativas eram efectuadas em segredo, com um sentimento de que se não é por vergonha é pelo menos de temer possíveis reacções da opinião pública internacional. Hoje, em contrapartida, assassinar Kadafi ou outros chefes de Estado não apreciados no Ocidente é um direito abertamente proclamado. O Corriere della Sera de 26 de Agosto de 2011 titula triunfalmente: "Caça a Kadafi e seus filhos, casa por casa". Enquanto escrevo, os Tornado britânicos, aproveitando também a colaboração e informações fornecidas pela França, são utilizados para bombardear Syrte e exterminar toda a família de Kadafi.

6. Não menos bárbara que a guerra foi a campanha de desinformação. Sem o menor sentimento de pudor, a NATO martelou sistematicamente a mentira segundo a qual suas operações guerreiras não visavam senão a protecção dos civis! E a imprensa, a "livre" imprensa ocidental? Ela, em certo momento, publicou com ostentação a "notícia" segundo a qual Kadafi enchia seus soldados de viagra de modo a que eles pudessem mais facilmente cometer violações em massa. Como esta "notícia" caiu rapidamente no ridículo, surge então uma outra "nova" segundo a qual os soldados líbios atiram sobre as crianças. Nenhuma prova é fornecida, não se encontra nenhuma referência a datas e lugares determinados, nenhuma remessa a tal ou tal fonte: o importante é criminalizar o inimigo a liquidar.

7. Mussolini no seu tempo apresentava a agressão fascista contra a Etiópia como uma campanha para libertar este país da chaga da escravidão; hoje a NATO apresenta a sua agressão contra a Líbia como uma campanha para a difusão da democracia. No seu tempo Mussolini não cessava de trovejar contra o imperador etíope Hailé Sélassié chamando-o "Negus dos negreiros"; hoje a NATO exprime seu desprezo por Kadafi chamando-o "ditador". Assim como a natureza belicista do imperialismo não muda, também as suas técnicas de manipulação revelam elementos significativos de continuidade. Para clarificar quem hoje realmente exerce a ditadura a nível planetário, ao invés de citar Marx ou Lénine quero citar Emmanuel Kant. Num texto de 1798 (O conflito das faculdades), ele escreve: "O que é um monarca absoluto? Aquele que, quando comanda: 'a guerra deve fazer-se', a guerra seguia-se efectivamente". Argumentando deste modo, Kant tomava como alvo em particular a Inglaterra do seu tempo, sem se deixar enganar pela forma "liberal" daquele país. É uma lição de que devemos tirar proveito: os "monarcas absolutos" da nossa época, os tiranos e ditadores planetários da nossa época têm assento em Washington, em Bruxelas e nas mais importantes capitais ocidentais.
27/Agosto/2011

O original encontra-se em http://domenicolosurdo.blogspot.com/ ; a versão em francês em
http://www.legrandsoir.info/sept-points-sur-la-libye.html

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

<< 1 ... 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 ... 118 >>

Fevereiro 2024
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29      

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

powered by b2evolution