26-09-2007

  23:45:43, por Corral   , 419 palavras  
Categorias: Ossiam

Ú, os sindicatos e partidos de classe?

O último relatório da OCDE que inclui os países economicamente mais desenvolvidos, indica que Espanha é, dos 27 países, o único que teve durante o período 1995-2005 um descenso do salário média. Enquanto no conjunto destes países os salários tinham um crescimento anual de 1,8% durante o período 1995-2005 e de 0,7% entre os anos 2000 e 2005, em Espanha desceram uma média anual de -0,5% durante o primeiro período e de -0,3% no segundo.

Olhado desde outro ângulo os dados de OCDE /Eurostat /INE sobre como evoluiu a participaçom das "Rendas salariais sobre o PIB total" confirmam que em Espanha, desde o ano 1994 até começos do actual 2007: em 1995 (último ano completo regido por Felipe González) baixou-se desde um 49% ao 48,6% [com 0,40% de perda anual]; entre 1996 e 2003 (com o Momento de Aznar) teve outras rebaixas, até um 48,1% [e meia do 0,06% perdido durante cada um de seus oito anos] finalmente desde o 2004 a 2006 sob as presentes gestões de Solbes e a presidência de Rodríguez Zapatero continuaram as "rebaixas", negativas até 46,4% , ou seja, com ritmo de 056% ao ano, a maior perda relativa, em qualquer época, de todo o período.

Este crescimento baseado na exploraçom selvagem nom só incumpre as leis espanholas, segundo a Carta Social Européia do Conselho de Europa, aprovada e vigente para a UE, o SMI tem de cobrir um 60% do Salário Médio em cada país, em Espanha, para 2004, era superior aos 18.500 ? anuais, uns 1.550 ? / mês, por tanto e calculando uma subida dentre o 2-3% aos salários médios em funçom do incremento derivado da inflaçom prevista, deveria colocar ao SMI no meio dos 1000 ?. A comparaçom com o SMI vigente nos estados da UE clarifica mais que se cabe a situaçom:

Salário mínimo Euros/mês

Luxemburgo 1503
Irlanda 1293
Holanda 1273
Reino Unido 1269
França 1254
Bélgica 1234
Alemanha 1150
Suécia 1100
Itália 770
Grécia 668
Espanha 570
Portugal 437

Fonte: Eurostat 2006

Na Espanha som morridos, porque som morridos na acçom do enriquecemento dos capitalistas, um promedio de 4 operarios por dia. Onte morreu umha percebeira de 64 anos, e os mangantes que dim nos representar, aos 8 anos por estar sentados nas cadeiras e dizer sim ou nom segundo lhe dé a ordem o patrom da bancada saem com a máxima pensom, os demais a trabalhar desde nenos até os 65 anos para logo ter umha pensom de nom mais 550 ?. E por se fosse pouco, ainda se ponhem 15.000 ? de por vida, só por estar 2 (dous) anos dizindo amem.

25-09-2007

  15:33:24, por Corral   , 324 palavras  
Categorias: Ossiam

Ú, os sindicatos e partidos de classe?

O último relatório da OCDE que inclui os países economicamente mais desenvolvidos, indica que Espanha é, dos 27 países, o único que teve durante o período 1995-2005 um descenso do salário média. Enquanto no conjunto destes países os salários tinham um crescimento anual de 1,8% durante o período 1995-2005 e de 0,7% entre os anos 2000 e 2005, em Espanha desceram uma média anual de -0,5% durante o primeiro período e de -0,3% no segundo.

Olhado desde outro ângulo os dados de OCDE /Eurostat /INE sobre como evoluiu a participaçom das "Rendas salariais sobre o PIB total" confirmam que em Espanha, desde o ano 1994 até começos do actual 2007: em 1995 (último ano completo regido por Felipe González) baixou-se desde um 49% ao 48,6% [com 0,40% de perda anual]; entre 1996 e 2003 (com o Momento de Aznar) teve outras rebaixas, até um 48,1% [e meia do 0,06% perdido durante cada um de seus oito anos] finalmente desde o 2004 a 2006 sob as presentes gestões de Solbes e a presidência de Rodríguez Zapatero continuaram as "rebaixas", negativas até 46,4% , ou seja, com ritmo de 056% ao ano, a maior perda relativa, em qualquer época, de todo o período.

Este crescimento baseado na exploraçom selvagem nom só incumpre as leis espanholas, segundo a Carta Social Européia do Conselho de Europa, aprovada e vigente para a UE, o SMI tem de cobrir um 60% do Salário Médio em cada país, em Espanha, para 2004, era superior aos 18.500 ? anuais, uns 1.550 ? / mês, por tanto e calculando uma subida dentre o 2-3% aos salários médios em funçom do incremento derivado da inflaçom prevista, deveria colocar ao SMI no meio dos 1000 ?. A comparaçom com o SMI vigente nos estados da UE clarifica mais que se cabe a situaçom:

Salário mínimo Euros/mês

Luxemburgo 1503
Irlanda 1293
Holanda 1273
Reino Unido 1269
França 1254
Bélgica 1234
Alemanha 1150
Suécia 1100
Itália 770
Grécia 668
Espanha 570
Portugal 437

Fonte: Eurostat 2006

  15:30:10, por Corral   , 105 palavras  
Categorias: Outros, Dezires

O pior analfabeto

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele nom ouve, nom fala, nom participa dos acontecimentos políticos.
Ele nom sabe que o custo de vida, o preço das favas, do pam, da farinha, do vestido, do sapato e dos remédios, dependem de decisões políticas.
O analfabeto político é tam burro que tem a fachenda e bota peito dizendo que odeia a política.
Nom sabe que de sua ignorância política nasce a prostituta, o meninho abandoado e o pior de todos os bandidos que é o político corrupto, nefando e rasteiro das empresas nacionais e multinacionais

Beltolt Brecht

  15:29:08, por Corral   , 0 palavras  
Categorias: Ossiam

  15:28:00, por Corral   , 0 palavras  
Categorias: Novas

24-09-2007

  12:45:05, por Corral   , 324 palavras  
Categorias: Ossiam

Ú, os sindicatos e partidos de classe?

O último relatório da OCDE que inclui os países economicamente mais desenvolvidos, indica que Espanha é, dos 27 países, o único que teve durante o período 1995-2005 um descenso do salário média. Enquanto no conjunto destes países os salários tinham um crescimento anual de 1,8% durante o período 1995-2005 e de 0,7% entre os anos 2000 e 2005, em Espanha desceram uma média anual de -0,5% durante o primeiro período e de -0,3% no segundo.

Olhado desde outro ângulo os dados de OCDE /Eurostat /INE sobre como evoluiu a participaçom das "Rendas salariais sobre o PIB total" confirmam que em Espanha, desde o ano 1994 até começos do actual 2007: em 1995 (último ano completo regido por Felipe González) baixou-se desde um 49% ao 48,6% [com 0,40% de perda anual]; entre 1996 e 2003 (com o Momento de Aznar) teve outras rebaixas, até um 48,1% [e meia do 0,06% perdido durante cada um de seus oito anos] finalmente desde o 2004 a 2006 sob as presentes gestões de Solbes e a presidência de Rodríguez Zapatero continuaram as "rebaixas", negativas até 46,4% , ou seja, com ritmo de 056% ao ano, a maior perda relativa, em qualquer época, de todo o período.

Este crescimento baseado na exploraçom selvagem nom só incumpre as leis espanholas, segundo a Carta Social Européia do Conselho de Europa, aprovada e vigente para a UE, o SMI tem de cobrir um 60% do Salário Médio em cada país, em Espanha, para 2004, era superior aos 18.500 ? anuais, uns 1.550 ? / mês, por tanto e calculando uma subida dentre o 2-3% aos salários médios em funçom do incremento derivado da inflaçom prevista, deveria colocar ao SMI no meio dos 1000 ?. A comparaçom com o SMI vigente nos estados da UE clarifica mais que se cabe a situaçom:

Salário mínimo Euros/mês

Luxemburgo 1503
Irlanda 1293
Holanda 1273
Reino Unido 1269
França 1254
Bélgica 1234
Alemanha 1150
Suécia 1100
Itália 770
Grécia 668
Espanha 570
Portugal 437

Fonte: Eurostat 2006

  12:41:58, por Corral   , 249 palavras  
Categorias: Ossiam

A "soluçom final" do Estado nazi-sionista de Israel

O Estado nazi-sionista de Israel opta pola soluçom final para os palestinianos. Fechou a fronteira e planifica cortar a luz e o água a Gaza em represália polo ataque da resistência palestina com foguetes Al Kassam a umha base militar em contestaçom ao ataque com obuses dos blindados israelenses em Beit Hanun, onde quatro membros de uma família palestiniana, entre eles dous meninos, tinham resultado feridos.

Desde que Hamás expulsasse de Gaza ao agente do Mossad e da Cia, Abbas (hoje refugiado com Al Fatah em Cisjordânia). Israel e os USA traçaram um plano para derrocar à governo legitimo de Hamás. Mas dessa estratégia, o boicote económico que sumiu aos habitantes palestinianos da Faixa de Gaza numha catástrofe humanitária, segundo a ONU, de proporções dantescas.

Nunca o Mar Morto será mais salgado. As lágrimas palestinas assolagam-no. O seu amargor nom vem só do sofrimento do povo palestiniano. É a convivência de U.E. com os campos de extermínio israelís. Jamais existiu um até agora, com um milhão duas centos mil pessoas, jamais? Gaza, se o é. É o maior campo de extermínio planetário, e nós os civilizados europeus contemplamo-o e financiámos o espectáculo. Nom esqueçamos os pagamentos de Alemanha ao Estado Sionista, nom esqueçamos os acordos económicos da U.E. privilegiando a esse Estado expansionista, neonazi, racista, chamado Israel. Hoje tenho vergonha de pertencer à civilizada Europa.

  12:41:11, por Corral   , 0 palavras  
Categorias: Novas

23-09-2007

  15:33:29, por Corral   , 324 palavras  
Categorias: Ensaio

Ú, os sindicatos e partidos de classe?

O último relatório da OCDE que inclui os países economicamente mais desenvolvidos, indica que Espanha é, dos 27 países, o único que teve durante o período 1995-2005 um descenso do salário média. Enquanto no conjunto destes países os salários tinham um crescimento anual de 1,8% durante o período 1995-2005 e de 0,7% entre os anos 2000 e 2005, em Espanha desceram uma média anual de -0,5% durante o primeiro período e de -0,3% no segundo.

Olhado desde outro ângulo os dados de OCDE /Eurostat /INE sobre como evoluiu a participaçom das "Rendas salariais sobre o PIB total" confirmam que em Espanha, desde o ano 1994 até começos do actual 2007: em 1995 (último ano completo regido por Felipe González) baixou-se desde um 49% ao 48,6% [com 0,40% de perda anual]; entre 1996 e 2003 (com o Momento de Aznar) teve outras rebaixas, até um 48,1% [e meia do 0,06% perdido durante cada um de seus oito anos] finalmente desde o 2004 a 2006 sob as presentes gestões de Solbes e a presidência de Rodríguez Zapatero continuaram as "rebaixas", negativas até 46,4% , ou seja, com ritmo de 056% ao ano, a maior perda relativa, em qualquer época, de todo o período.

Este crescimento baseado na exploraçom selvagem nom só incumpre as leis espanholas, segundo a Carta Social Européia do Conselho de Europa, aprovada e vigente para a UE, o SMI tem de cobrir um 60% do Salário Médio em cada país, em Espanha, para 2004, era superior aos 18.500 ? anuais, uns 1.550 ? / mês, por tanto e calculando uma subida dentre o 2-3% aos salários médios em funçom do incremento derivado da inflaçom prevista, deveria colocar ao SMI no meio dos 1000 ?. A comparaçom com o SMI vigente nos estados da UE clarifica mais que se cabe a situaçom:

Salário mínimo Euros/mês

Luxemburgo 1503
Irlanda 1293
Holanda 1273
Reino Unido 1269
França 1254
Bélgica 1234
Alemanha 1150
Suécia 1100
Itália 770
Grécia 668
Espanha 570
Portugal 437

Fonte: Eurostat 2006

  15:00:13, por Corral   , 141 palavras  
Categorias: Ossiam

Borbonadas

Da entrevista a Iñaki Anasagasti, Senador do PNV no Plural

Tivo oportunidade de falar com o Rei da Guerra de Iraque em alguma outra ocasiom?

Si. E disse-me que, como ele era militar, ele gosta das guerras e lhe disse: pois vá você a Iraque ou mande a seu filho, mas nom mande à gente. Em fim, que nom entendo muitas cousas que ocorrem com a Casa Real e por que vai todo mundo a lhes fazer a pelota dizendo que é a instituiçom mais valorizada e nom sê quantas coisas mais. Tudo tem um limite. Este verão, por exemplo, estava a queimar-se meio Tenerife e nom se lhe ocorreu passar por ali a nenhum membro da família real. Pois um nom pode evitar se exclamar: mas homem, vá ali e anime à gente, que é seu trabalho, nom seja vadio!

<< 1 ... 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 ... 118 >>

Julho 2024
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administração

powered by b2evolution