Plurais de -om e -am em galego

09-10-2012

Na Galiza oriental conservam-se os mesmos ditongos dos plurais portugueses atuais, embora maioritariamente sem nasalaçom

CONSULTA:

Por que grafar os plurais de -om e -am como -ons e -ans e nom -ões e -ães, que tenho visto na literatura medieval e acho que som mais representativos das soluções galegas atuais (-ôns, -ôs, -ôis)?

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A codificaçom ortográfica e morfológica da CL-AGAL inclui tanto a soluçom -ões/-ães como a soluçom -ons/-ans. O que justifica nesta proposta normativa as formas -ons/-ans é a sua aceitável correspondência com as realizaçons verificadas nos falares galegos atuais, a sua ocasional ocorrência na literatura galega medieval (e, mesmo, hoje em dia, nalguns falares dialetais luso-brasileiros), o seu freqüente emprego na literatura galega contemporánea e, de modo patente, o seu caráter estratégico na presente altura, pois tais formas vam ao encontro do hábito de muitos utentes atuais de galego, os quais, infelizmente, apenas conhecem a codificaçom isolacionista (i. é, as formas -ons/-ans contribuem para o valor estratégico ou pedagógico da norma AGAL, que assim se erige em pontífice, ou «construtora de pontes», entre o galego genuíno e o galego subordinado ao modelo castelhano).

Categoria(s): Morfossintaxe
Chuza!
Se por acaso precisares...

23-09-2012

CONSULTA:

Olá! Podiam-me dizer como seria a tradução em bom galego de "por si acaso": "por se acaso"?; "por se calhar"?; "porventura"?... Não sei. Há uma frase feita que reflecte muito bem o seu significado: "Não vaia ser o demo", mas não encontro nenhuma locução que se ajeite a este matiz. Muito obrigado!

Xurxo

RESPOSTA DA COMISSOM:

Como equivalentes funcionais galegos da locuçom castelhana por si acaso, podemos indicar os seguintes (informaçom retirada, em grande medida, do Dicionário Espanhol-Português da Porto Editora, dirigido polo lexicógrafo galego Álvaro Iriarte Sanromám):

a) Registo formal ou nom marcado:

1. cast. por si acaso [nom seguido por verbo] > gal. à cautela / polo si(m), polo nom. Ex.: cast. «Vamos a llevar paraguas, por si acaso» > gal. «Vamos levar guarda-chuva, à cautela.» / gal. «Polo si(m), polo nom, vamos levar guarda-chuva.»

2. cast. por si acaso + imperativo > gal. para o caso de precisares + imperativo / polo si(m), polo nom. Ex.: «Por si acaso, toma mi número de teléfono» > gal. «Para o caso de precisares, toma o meu número de telefone». / gal. «Polo si(m), polo nom, toma o meu número de telefone.».

3. cast. por si acaso + indicativo > gal. para o caso de + infinitivo / se por acaso + futuro do conjuntivo. Ex.: cast. «Es mejor llevar el bañador por si acaso vamos a la playa» > gal. «É melhor levarmos o fato de banho para o caso de irmos à praia.» / «É melhor levarmos o fato de banho se por acaso formos à praia.».

b) Registo popular ou coloquial: gal. nom vaia/vá ser o demo [+ que + pres. conj.]. Ex.: cast. «Vamos a llevar paraguas, por si acaso» > gal. «Vamos levar guarda-chuva, nom vaia/vá ser o demo.»

Categoria(s): Morfossintaxe
Chuza!
Filhós e orelhas

01-08-2012

Em geral, as nossas orelhas som conhecidas por filhós em Portugal

CONSULTA

Só recentemente pudem descobrir que as filhós portuguesas e as galegas som doces diferentes. Qual seria o nome en galego do que em Portugal é umha filhó? E vice-versa? Por outro lado, qual seria a aceçom de "pastel" em galego?

Obrigadíssimo!

Rudesindo Bombarral

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA

Tanto polos seus ingredientes quanto pola sua preparaçom e aspeto, a especialidade culinária que em Portugal se denomina filhó corresponde à galega orelha (de Carnaval/Entruido); por seu turno, a filhó (ou filhoa) da cozinha galega equivale à filhó de leite portuguesa, quando aquela nom é de sangue. Por conseguinte, podemos estabelecer o seguinte esquema de equivalências:

Pt. filhó = Gz. orelha (de Carnaval/Entruido)
Gz. filhó (ou filhoa) = Pt. «filhó galega» / Pt. filhó de leite + «filhó de sangue»

Quanto à pergunta sobre o valor semántico de pastel em galego, diga-se que tal voz, no ámbito da culinária, pode empregar-se no sentido de 'massa de farinha de trigo, com recheio doce ou salgado, que se frite ou assa'.

tags: filhó, orelha, pastel
Categoria(s): Léxico
Chuza!
Cotonete e zaragatoa

23-05-2012

Em cima, umha zaragatoa; em baixo, recipiente com cotonetes

CONSULTA:

Queria sabes qual é a palavra certa para designar em galego o utensílio com forma de pau e algodão nos extremos que usamos para a higiene dos ouvidos. Em Portugal acho que usam a palavra 'cotonete', mas esta deriva dum nome comercial.

Também quaria saber qual é o nome do utensílio que é igual ao anterior, mas estéril e usado para a toma de amostras no âmbito médico. Nos hospitais galegos usam o termo castelhano 'hisopo', na wikipédia lusófona usam as palavras 'zaragatoa' e 'suabe' e o Estraviz também dá como boa a palavra 'hissope'.

Muito obrigado polas vossas respostas.

Jon Amil

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Constituindo a conversom de um nome próprio em nome comum umha modalidade de neologia aceitável (ex.: umha aspirina [marca registada da Bayer], a heroína 'droga' [marca da Bayer], o rímel [marca de cosmético]; a dália [planta, de Anders Dahl], um erlenmeyer 'frasco de laboratório' [de E. R. A. C. Erlenmeyer], o germánio [elemento químico, de Germánia], um volt [de Alessandro Volta], etc.), recomendamos sem reservas a utilizaçom em galego, de harmonia com o luso-brasileiro, da voz cotonete para designar as hastes de plástico terminadas em bolas de algodom que se utilizam na higiene pessoal (dos ouvidos) e em cosmética; também de harmonia com as variedades socialmente estabilizadas do galego-português, recomendamos o emprego na Galiza da voz zaragatoa de 'utensílio de uso médico composto por umha haste terminada em bolas de algodom destinado à tomada de amostras e à aplicaçom de medicamentos'.

Categoria(s): Fonética, Léxico
Chuza!
Esgoto, sarjeta e bueiro

17-05-2012

De cima para baixo: esgoto, sarjeta, bueiros e valeta

CONSULTA:

Gostava de saber se os três termos são sinónimos: sarjeta, bueiro e esgoto.

Obrigado!

Paulo

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Nom se trata de vocábulos estritamente sinónimos, polo menos quando referidos a um ámbito urbano, ou de obras públicas, atual (que supomos ser o foco de interesse do consulente). Assim, nesse contexto, o termo esgoto designa os canos ou condutas por onde correm líquidos, águas pluviais ou detritos de um aglomerado populacional (rede de esgoto(s)); por sua vez, o termo sarjeta refere-se a umha abertura situada no rebordo dos passeios das ruas ou das praças públicas para escoamento das águas da chuva; finalmente, bueiro denota um cano ou tubo que atravessa os muros ou paredes de sustentaçom de terreios ou estradas, para dar escoamento a águas pluviais, subterráneas ou de rios. Tenha-se em conta, além do mais, que valeta denota umha vala estreita e de pequena profundidade, de corte trapezoidal ou triangular, aberta em cada um dos lados das ruas ou das estradas para escoamento e drenagem das águas.

Categoria(s): Fonética
Chuza!

<< 1 ... 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 ... 21 >>

    O Cosultório Lingüístico é um serviço da CL-AGAL para o povo galego, com o intuito de melhorar o conhecimento das normas prescritas por esta instituiçom, e dessa maneira ajudar a melhorar a qualidade da língua de todos/as as/os galegos/as.

    Busca

    Ligaçons:

    • Comissom Lingüística
    • AGAL
powered by b2evolution