Carvalhim (o)

Carvalhim (o)

28-10-2014

Tanto na placa da estrada como na própria legenda de foto deveria aparecer só Carvalhim, que se usa com o no galego-português comum e com el no galego local

CONSULTA:

Boa noite,

Como é que devem escrever-se em galego reintegrado topónimos que têm o artigo El no galego local? Por exemplo El Carvalhim em Negueira... Como é que se fai a contraçom? Vou a El Carvalhim ou vou al Carvalhim?

Obrigado

Rudesindo Bombarral

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Muitos topónimos galegos levam artigo, mas nengum tem. Isto quer dizer que o nome da localidade sobre a qual somos consultados é Carvalhim e nom O Carvalhim ou El Carvalhim, ainda que num contexto frásico esse topónimo, como muitos outros do ámbito galego-português, leve artigo:

A Corunha é longe.
Vivo no Porto.

Da mesma maneira que os anteriores, há muitos outros topónimos que levam artigo: quase todos os países e regions do mundo (p. ex. Alemanha, Brasil, Andaluzia) e muitas localidades galego-portuguesas (p. ex. Figueira da Foz, Barqueiro) e lusófonas em geral (p. ex. Rio de Janeiro). Porém, sempre que estas localidades aparecem numha placa indicadora da estrada ou num mapa, nom vam acompanhadas de artigo, porque, como qualquer outra palavra, necessitam de contexto frásico para o levar.

Assim, à seguinte lista de topónimos, que poderiam aparecer em qualquer mapa ou placa indicadora da estrada, correspondem os seguintes exemplos em que esses mesmos topónimos aparecem em contextos frásicos:

Brasil: Quem dixo que o Brasil fosse pequeno?
Alemanha: Tu pensas que na Alemanha admitem isso?
Andaluzia, Estremadura: O território da Andaluzia é maior que o da Estremadura.
Carvalhinho: Concelho do Carvalhinho.
Carvalhim (Fonsagrada): O lugar do Carvalhim fica na comarca da Fonsagrada.

Ora bem, pode acontecer que umha pessoa deseje repeitar a morfossintaxe local e escreva ?El lugar del Carvalhim fica na comarca da Fonsagrada?, ou seja, respeitando a forma do masculino singular do artigo tam característica das comarcas mais norte-orientais galegas. Nesse caso, o artigo el nom deveria apenas preceder o topónimo, mas qualquer outro substantivo que o exigir. A nossa Comissom nada tem contra isso, obviamente, embora se deva admitir que a forma padrom do artigo masculino é o.

Tenha-se em conta, no entanto, que os topónimos de origem castelhana que tenhem artigo (agora sim, tenhem) devem ser respeitados tanto num contexto frásico como fora dele (ex.: «vivo em Las Palmas», «La Paz [Bolívia]»).

Categoria(s): Fonética
Chuza!

Sem comentários ainda