Saudaçom

Saudaçom

19-02-2011

CONSULTA:

Queria saber se na nossa normativa seria permitido o uso da forma "saúdo", nom existente no resto da lusofonia ou unicamente seria válida a forma saudaçons ou saudaçoes, dependendo da zona da Galiza.Por exemplo no final de umha missiva.
Cumprimentos e parabéns por este serviço tam útil e necessário.

Aniceto Pinilla Nunes

RESPOSTA DA COMISSOM:

A voz saúdo pertence ao ámbito da língua culta e forma parte das fórmulas de cortesia. Desde o século XVI a única língua que na Galiza se arrogou o direito de se chamar culta foi o castelhano e, portanto, qualquer expressom que manifestasse respeito devia de se fazer nessa língua, de tal maneira que as fórmulas de cortesia que se impugérom, mesmo falando galego, fôrom as castelhanas: grácias/graças, vostede/vostê/ostê, adiós, mi padre/mi madre, mi amo/mi senhor e, também, saúdo. Este último termo, ainda que morfologicamente se pudesse justificar como umha formaçom autóctone, é claro que deve o seu uso e ampla difusom ao castelhano, como o demonstra o facto de a voz saudaçom estar documentada desde o século XIII, e saúdo apenas no galego moderno.

Conseqüentemente, deve evitar-se o substantivo saúdo e utilizar no seu lugar saudaçom, saudaçons ou cumprimentos para nos referir à açom ou efeito de saudar.

Categoria(s): Léxico, Morfossintaxe
Chuza!