Tags: aves

Fulmar

09-07-2015

Fulmar-boreal, também conhecido por pardela-branca e pombalete nalguns pontos da Galiza e Portugal respetivamente

CONSULTA

Em galego-português usa-se às vezes a forma fulmar, com origem no inglês (a partir de falas nórdicas das ilhas Hébridas), para designar umha ave marinha que nom cria na Galiza mas que é comum no Gram-Sol. Recentemente o português recuperou a voz pombalete, usada em documentos dos bacalhoeiros na Terranova. Em galego conhece-se a denominaçom pardela-branca em vários portos da costa Norte. Qual deveria ser a voz recomendada na norma galega (no Brasil a espécie similar é chamada pardelão-prateado). Obrigado!

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

As pardelas ou procelariídeos do género Fulmarus som, em larga medida, exóticos em relaçom ao território galego, pois a espécie meridional, Fulmarus glacialoides, nidifica em volta da Antártida —embora faga incursons em latitudes mais setentrionais—, e a espécie setetrional, Fulmarus glacialis, nidifica em regions subárticas —embora faga incursons em latitudes mais meridionais—, polo que a sua designaçom vernácula calha, em princípio, no ámbito da estagnaçom e da suplência castelhanizante padecidas polo léxico galego. A esse respeito, a informaçom fornecida polo consulente de em território galego (ocasionalmente visitado polo Fulmarus glacialis) se registar a denominaçom vernácula popular pardela-branca é deveras interessante, mas achamos que, pola escassa difusom desse nome na Galiza, e pola sua natureza popular (nom erudita), ela nom refuta o que se acaba de dizer, nem invalida a reflexom que a seguir se expom.
Para combatermos a estagnaçom e suplência castelhanizante padecidas polo léxico galego, procedemos, por via de regra, a coordenar o galego com as suas variedades lusitano e brasileiro. Assim, neste caso, vemos que tanto em lusitano como em brasileiro, como denominaçom vernácula das espécies do género Fulmarus, a soluçom mais estendida e tradicional (na bibliografia) é fulmar, de caráter erudito (incorporada ao galego-português a partir de umha língua nórdica através do inglês), e menos estendidas som as soluçons vernáculas populares pombalete (lusitana) e pardelão-prateado (brasileiro) (embora pombalete seja usado, em referência a Fulmarus glacialis, nalgum guia de aves editado em Portugal [o de Svensson, Mullarney e Zetterström], e pardelão-prateado, em relaçom a Fulmarus glacialoides, por exemplo, na Lista das aves do Brasil editada em 2014 polo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos).
Nestas circunstáncias, o mais aconselhável parece ser designarmos em galego as aves do género Fulmarus com a denominaçom vernácula (erudita) que é comúm aos ámbitos lusitano e brasileiro, que é neles mais tradicional (ainda hoje largamente utilizada em todo o tipo de publicaçons) e que harmoniza com as soluçons doutras línguas próximas (ingl. fulmar, fr. pétrel fulmar, cast. fulmar, cat. fulmar). Assim, portanto, em galego recomendamos utilizar as denominaçons vernáculas fulmar-boreal, para denotarmos Fulmarus glacialis, e fulmar-austral para Fulmarus glacialoides.

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Palheira (nome das aves da família Stercorariidae)

23-02-2011

Palheira-pomarina

CONSULTA:

Alcaide, moleiro, palheira, papa-merda, cagote, gaivota-rapineira...

Qual considera a AGAL a forma estándar galega para as aves do gén. Stercorarius e porquê? Graças

Rudesindo Bombarral

RESPOSTA DA COMISSOM:

As aves do género Stercorarius (família Stercorariidae) presentes na Galiza (S. longicaudus, S. parasiticus, S. pomarinus e S. skua) tenhem hábitat pelágico, mas podem ver-se perto da costa nas migraçons de setembro e outubro. Como acontece com muitos outros animais, na língua popular costuma usar-se umha única denominaçom para abranger diversas espécies, ainda que esta denominaçom divirja muito de zona para zona: cagote, merdeiro, papa-merda e palheira som as mais estendidas na Galiza. A denominaçom genérica utilizada no padrom lexical de Portugal (na língua especializada dos ornitologistas portugueses) é moleiro, mas esta voz, no sentido aduzido, é desconhecida na Galiza. Por tal motivo, e porque a voz galega palheira tem umha difusom na fala espontánea contemporánea relativamente importante, carece de sentido escatológico e já é utilizada polos ornitologistas galegos, é palheira a denominaçom vernácula recomendável para designarmos no galego-português da Galiza as aves do género Stercorarius.

Se neste caso, como exceçom, e de modo justificado, recomendamos adotar em galego umha soluçom terminológica diferente da usual em Portugal como designaçom do género Stercorarius, já em relaçom à designaçom das espécies ibéricas a esse género subordinadas, a nossa recomendaçom é seguir o modelo adotado polos ornitologistas portugueses. Assim, palheira-de-cauda-comprida, para Stercorarius longicaudus; palheira-pomarina, para S. pomarinus; palheira-parasita, para S. parasiticus, e palheira-grande, para S. skua.

Categoria(s): Léxico
Chuza!
    O Cosultório Lingüístico é um serviço da CL-AGAL para o povo galego, com o intuito de melhorar o conhecimento das normas prescritas por esta instituiçom, e dessa maneira ajudar a melhorar a qualidade da língua de todos/as as/os galegos/as.

    Busca

    Ligaçons:

    • Comissom Lingüística
    • AGAL
free blog software