Tags: enfermidade

Segurança

23-09-2011

CONSUTA:

Na Veiga de Valcarce, Oencia, Carracedelo... a xente dice seguranza. Tamén a forma oficial do llionés e do Asturiano ie seguranza. En portugués ie segurança. Pero na Galiza solo se usa seguridade en todo o que ie oficial i tamén en textos de reintegracionistas vin seguridade.
Cual a forma correcta no galego?
De onde ven ese seguridade, seria como o navidade do meu pai?
Si ie asi, porque é o oficializado?

RESPOSTA DA COMISSOM:

A coordenaçom do galego culto com os padrons lexicais lusitano e brasileiro, decididamente patrocinada polo Reintegracionismo e pola Comissom Lingüística da AGAL, tem a virtude, entre outras muitas vantagens, de nos orientar sobre as freqüências relativas de uso que as palavras de um dado conjunto ou série (de sinónimos, p. ex.) devem mostrar em galego, o que é muito importante, porque tais freqüências costumam surgir hoje em galego (espontáneo) interferidas polo castelhano. Assim, sendo os dous sinónimos que nos propom o consulente, segurança e seguridade, legítimos, em princípio, em galego-português, o modelo luso-brasileiro faculta-nos a indispensável informaçom de que é segurança, dos dous sinónimos, aquele que, de longe, deve usar-se em galego com mais freqüência (trata-se, de facto, da forma mais antiga, largamente documentada no galego medieval). Assim, ainda que a forma seguridade seja registada nos dicionários lusitanos e brasileiros como sinónimo de segurança, aquela voz só em raros casos é de facto utilizada na nossa língua, constituindo a expressom seguridade social, habitual no Brasil, a única exceçom importante ao dito (mas, em Portugal, utiliza-se segurança social, forma também preferível na Galiza).

Do mesmo modo, na concorrência, por exemplo, entre as séries sinonímicas doença - doente - adoecer e enfermidade - enfermo - enfermar, ao contrário do que acontece no atual castelhano (em que enfermedad predomina sobre dolencia), o luso-brasileiro assinala-nos que devemos priorizar o uso de doença - doente - adoecer (com as exceçons de enfermeiro -a, enfermaria e enfermagem). Por outro lado, tenha-se em conta que, com o sentido de ‘sofrer o defeito de’, se o castelhano recorre ao verbo adolecer, o galego-português utiliza enfermar, umha vez que este verbo fica “libertado” do sentido ‘cair doente’ polo predomínio de adoecer (ex.: «exposta ao vírus, logo adoeceu»; «este texto enferma de prolixidade»).

Categoria(s): Léxico
Chuza!