Tags: léxico de portugal

Autocarro

20-03-2012

CONSULTA:

Antes de mais queria-os parabenizar por tão boa ferramenta linguística! Bom, a minha consulta é sobre o porquê da defesa ou recomendação por parte da AGAL do uso da palavra autocarro e não de ônibus, já que esta última ainda continua viva nas falas da Galiza.

Obrigadinho.

Frã Varela

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

No caso de se registar divergência entre Portugal e o Brasil na designaçom de algum conceito de surgimento posterior, entre nós, ao século XV (atuaçom no galego-português da Galiza dos processos degradativos da estagnaçom e da suplência castelhanizante a partir do início dos Séculos Obscuros), a Comissom Lingüística da AGAL propom, em geral, e com muito poucas exceçons (cf. O Modelo Lexical Galego, texto de próxima publicaçom por parte da CL-AGAL, e Léxico Galego: Degradaçom e Regeneraçom, de Carlos Garrido), a adoçom na Galiza da soluçom lusitana, na procura da eficácia comunicativa (homogeneizaçom imediata na Galiza dos usos lexicais), e atendendo a um critério de (maior) proximidade (lingüística, cultural, geográfica, económica, política).

O caso concreto que coloca o consulente (Pt. autocarro / Br. ônibus, para designar um veículo automóvel de uso coletivo, com rotas ou carreiras urbanas prefixadas), achamos que nom deve constituir exceçom à regra enunciada, pois a eventual presença na Galiza de ômnibus, —descartada aqui, evidentemente, a convergência neológica espontánea e autónoma com o Brasil, por nom existir na prática tal capacidade neológica na Galiza contemporánea— só caberá entendê-la por «aderência» a partir do castelhano (cast. ómnibus, voz sinónima do cast. autobús, as quais originam a forma castelhana informal bus). (Cf. a presença na Galiza contemporánea dos castelhanismos «desfasados» *misto ‘fósforo’ e *carrito ‘autocarro’).

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Mapache, urso-lavador ou urso-lavadeiro

13-03-2012

CONSULTA:

Como devem denominar-se em galego os mamíferos do género Procyon? Já procurei em diversos sítios mas nom dou atopado resultados satisfatórios nem no estraviz.org, nem nos materiais da Real Académia Galega (nom aparece nem no Volga nem no diccionario).

Hugo Martínez.

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Dado que o conceito ‘mamífero do género Procyon’ é posterior (na Galiza e na Europa) ao século XV (espécies americanas, exóticas em relaçom à Galiza), a sua designaçom na Galiza está sujeita ao processo degradativo da estagnaçom(e suplência castelhanizante). Nesta circunstáncia, como medida para enriquecer o léxico galego, a Comissom Lingüística da AGAL prescreve, em geral, a coordenaçom com os padrons lexicais lusitano e brasileiro e, no caso de divergência designativa entre Portugal e o Brasil, a priorizaçom na Galiza da(s) soluçom(ns) lusitana(s) (cf. O Modelo Lexical Galego, de próxima publicaçom pola CL-AGAL; Léxico Galego: Degradaçom e Regeneraçom, de Carlos Garrido; Manual de Galego Científico, de Carlos Garrido e Carles Riera).

Em referência às espécies do género Procyon, as denominaçons utilizadas em Portugal som mapache e urso-lavador (ou urso-lavadeiro), enquanto no Brasil se usam as vozes guaxinim, mão-pelada e zorrinho. Por conseguinte, no galego-português da Galiza, usaremos mapache ou urso-lavador ou urso-lavadeiro.

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Soto, cave e porom

21-10-2011

CONSULTA:

Qual é o significado da voz "soto" ou "sótao" em galego? Qual das duas formas é correta e porquê?

Muito obrigado

RESPOSTA DA COMISSOM:

A Comissom Lingüística da AGAL, mediante a próxima publicaçom de O Modelo Lexical Galego, proporá como unidades pertencentes ao padrom lexical galego com o significado de ‘andar subterráneo de um edifício’ as vozes cave, porom e soto; enquanto cave e porom som comuns às variantes galega, lusitana e brasileira da nossa língua, já a palavra soto, no sentido apontado, é peculiar da Galiza. Por outro lado, em Portugal e no Brasil, mas nom na Galiza, a voz sótão concorre com desvão para denotar o compartimento de umha casa que se acha imediatamente abaixo do telhado; nesse sentido, a Comissom Lingüística da AGAL padroniza em galego as vozes faiado e desvao, esta com menor peso normativo do que aquela. Na notaçom empregada em O Modelo Lexical Galego:

‘andar subterráneo de um edifício’
PLGz: cave = porom = soto
PLPt: cave = porão

‘compartimento de umha casa imediatamente abaixo do telhado’
PLGz: faiado > desvao
PLPt: desvão = sótão

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Segurança

23-09-2011

CONSUTA:

Na Veiga de Valcarce, Oencia, Carracedelo... a xente dice seguranza. Tamén a forma oficial do llionés e do Asturiano ie seguranza. En portugués ie segurança. Pero na Galiza solo se usa seguridade en todo o que ie oficial i tamén en textos de reintegracionistas vin seguridade.
Cual a forma correcta no galego?
De onde ven ese seguridade, seria como o navidade do meu pai?
Si ie asi, porque é o oficializado?

RESPOSTA DA COMISSOM:

A coordenaçom do galego culto com os padrons lexicais lusitano e brasileiro, decididamente patrocinada polo Reintegracionismo e pola Comissom Lingüística da AGAL, tem a virtude, entre outras muitas vantagens, de nos orientar sobre as freqüências relativas de uso que as palavras de um dado conjunto ou série (de sinónimos, p. ex.) devem mostrar em galego, o que é muito importante, porque tais freqüências costumam surgir hoje em galego (espontáneo) interferidas polo castelhano. Assim, sendo os dous sinónimos que nos propom o consulente, segurança e seguridade, legítimos, em princípio, em galego-português, o modelo luso-brasileiro faculta-nos a indispensável informaçom de que é segurança, dos dous sinónimos, aquele que, de longe, deve usar-se em galego com mais freqüência (trata-se, de facto, da forma mais antiga, largamente documentada no galego medieval). Assim, ainda que a forma seguridade seja registada nos dicionários lusitanos e brasileiros como sinónimo de segurança, aquela voz só em raros casos é de facto utilizada na nossa língua, constituindo a expressom seguridade social, habitual no Brasil, a única exceçom importante ao dito (mas, em Portugal, utiliza-se segurança social, forma também preferível na Galiza).

Do mesmo modo, na concorrência, por exemplo, entre as séries sinonímicas doença - doente - adoecer e enfermidade - enfermo - enfermar, ao contrário do que acontece no atual castelhano (em que enfermedad predomina sobre dolencia), o luso-brasileiro assinala-nos que devemos priorizar o uso de doença - doente - adoecer (com as exceçons de enfermeiro -a, enfermaria e enfermagem). Por outro lado, tenha-se em conta que, com o sentido de ‘sofrer o defeito de’, se o castelhano recorre ao verbo adolecer, o galego-português utiliza enfermar, umha vez que este verbo fica “libertado” do sentido ‘cair doente’ polo predomínio de adoecer (ex.: «exposta ao vírus, logo adoeceu»; «este texto enferma de prolixidade»).

Categoria(s): Léxico
Chuza!
Camisa, camisola, camiseta

17-08-2011

CONSULTA:

Qual a diferença, diferenças, ou similitudes entre camiseta, camisola, camisa e casaco/casaquinho?

Para além disso queria aprobeitar para esclarecer uma outra dúvida no que diz respeito aos nomes da roupa: Qual o sinónimo em galegoportuguês da palavra espanhola ''sudadera'' e, para denominar o ''jersei'' qual a palavra nossa mais ajeitada para usarmos?

Com os melhores cumprimentos.

Muito Obrigado.

Fran

RESPOSTA DA COMISSOM:

O léxico das peças de roupa está naturalmente mui castelhanizado. Trata-se de um ámbito em que existe umha enorme diversidade de termos específicos, vulgarizados modernamente através da linguagem comercial, em geral por lojas, revistas e publicidade. Para além dessa grande diversidade de vocábulos específicos, também existem termos genéricos que costumam englobá-los, mais usados na linguagem corrente. É especialmente destes últimos que fala Fran e neles nos vamos centrar.

Umha vez que se trata de um ámbito onde as falas galegas que chegárom aos nossos dias pouco podem fornecer, levaremos em conta o uso atual em Portugal, ainda admitindo que existam diferenças importantes em relaçom ao Brasil, que nom deixaremos de referir em ocasions pontuais. Quanto à Galiza, é verdade que ainda há quem use palavras como calças ou peúgos, mas a convergência com o castelhano é praticamente absoluta para a maioria dos utentes.

A palavra casaco denomina umha série de peças de roupa que se vestem sobre outras e que se abrem por diante, até a cintura, por exemplo o 'de malha' ou o que fai parte do fato. Comercialmente, os tipos de casaco, com os seus diferentes nomes, som numerosos, mas popularmente costuma usar-se a palavra genérica que os engloba todos, quase sempre traduzível para castelhano por chaqueta. Casaquinho é o diminutivo de casaco.

Camisola é o termo genérico que abrange suéteres, pulôveres, T-shirts e quaisquer outras peças de roupa que se vestem pola cabeça e cobrem o tronco e, muitas vezes, os braços, inclusive as que em castelhano se conhecem como jerséis e como sudaderas. Quanto às últimas, coloquialmente, o normal é denominar camisola ou camisola com capuz o que nas lojas também se vende como suéter desportivo (com/sem capuz). Isto é, tanto som camisolas as de lá de inverno como as interiores que vam coladas ao corpo, como as usadas para fazer desporto, quer jogging quer futebol ou basquetebol, por exemplo.

Isto quer dizer que nas falas portuguesas nom penetrou o anglicismo jersey, conservando-se camisola com essa aceçom. Polo contrário, além Minho alastrou outro anglicismo que o espanhol nom trouxo até nós: T-shirt. Este último termo refere-se às camisolas geralmente de manga curta, por isso com forma de T, que normalmente tenhem um desenho publicitário ou reivindicativo à frente. Com este valor, a palavra usada no Brasil é camiseta.

Nom existem divergências entre o uso de camisa em galego e em castelhano.

Em resumo, em galego temos as seguintes possibilidades:

Camisa: em geral, peça de roupa aberta por diante com botons de tecido leve.
Casaco: em geral, peça de poupa aberta por diante usada sobre outras peças de roupa, sobretodo camisas.
Camisola: em geral, qualquer peça de roupa vestida pola cabeça que cobre o tronco, designadamente as de lá e algodom usadas sobre T-shirts.
Camiseta ou T-shirt: em geral, tipo de camisola vestida pola cabeça, de tecido mais leve que a camisola, que costuma levar um desenho publicitário ou reivindicativo pola frente.

Categoria(s): Fonética, Léxico
Chuza!

1 2 3 >>