EIS O PROGRAMA DA XIII ESCOLA DE FORMAÇOM!

10-03-2016

EIS O PROGRAMA DA XIII ESCOLA DE FORMAÇOM!

Como já temos avançado, este fim de semana decorrrá mais umha Escola de Formaçom, e já vam 13!. Nesta ocasiom, o ponto geográfico escolhido é Ferrol, cidade histórica e um dos referentes para a classe obreira galega. Aliás, o programa de atividades da Escola vém carregadinho de novidades e, portanto, conteúdos que nom encontramos ao longo das ediçons anteriores.

Como bem sabemos, a Escola define-se polos seus três grandes eixos característicos: a formaçom teórica, o conhecimento da realidade do ponto geográfico escolhido e também o tempo de lazer. E estes pontos continuarám a manter-se intactos nesta nova ediçom:

Para começar, sexta-feira desfrutaremos dumha atividade que tivo bastante sucesso nas últimas anos. Estamos a falar evidentemente do ?Trivial?, organizado por umha companheira que, com certeza, porá as cousas difíceis às participantes com perguntas sobre a história de luita da classe obreira galega. Seja como for, é um momento divertido onde podemos encontrar umha incrível mistura de lazer e formaçom, além de oferecer um espaço agradável e convívio que permite umha maior e grande integraçom entre todas as participantes da Escola.

Já dentro do sábado, de manhá poderemos conhecer mais de perto essa cidade histórica que comentamos anteriormente, através dum roteiro intitulado ?Ferrol Rebelde?, onde teremos a oportunidade de ampliar o nosso conhecimento sobre a história da luita da classe obreira galega, e concretamente ferrolá, através dumha terceira pessoa encarregada de conduzir o ato. À tarde, com a Fundaçom Artábria como espaço elegido, desenvolverá-se a projeçom do documentário ?Fios Fora?, o qual tivo enorme sucesso nos últimos meses e onde se amostra a realidade do setor têxtil galego, com entrevistas e conversas mui clarificadoras de trabalhadoras e patrons. Recomendável, sem dúvida!. Aliás, teremos um pequeno espaço de tempo para o debate e a participaçom das presentes no ato.

Mas tampouco queremos deixar passar sábado sem o tempo de lazer, para o qual organizamos à noitinha um concerto com um grupo local, Eira, na própria Fundaçom Artábria.

E para cobrir o programa de atividades, deixaremos para domingo a palestra que tratará, desta volta e como nom podia ser doutra forma num dos pontos referentes do país, sobre história e intervençom sindical, onde um companheiro nos dará algumhas das chaves para umha prática revolucionário no eido do sindicalismo nacional e de classe.

Sem dúvida, um fim de semana no que o compromisso com a formaçom militante e a camaradagem, serám os protagonistas.

Escrito ?s 16:02:00 nas castegorias: EF ´16, Programa
por agir_briga   , 397 palavras, 559 visualizaçons     Chuza!
Chega a XIII ediçom da Escola de Formaçom

02-03-2016

Chega a XIII ediçom da Escola de Formaçom

Mais um ano acolhemos umha nova ediçom da Escola de Formaçom, e já é a décimo terceira desde que em 2004 a organizaçom estudantil AGIR punha em andamento este encontro formativo dirigido por e para a juventude rebelde galega. Desta volta, no contexto do ilusionante processo de unidade do estudantado da esquerda independentista e nacionalista galega que o vindouro 5 de março deverá culminar com a criaçom dumha nova entidade estudantil, BRIGA convoca esta jornada em solitário, após anos desenvolvendo-a junto as companheiras/os de AGIR.

Ante um panorama caraterizado pola fragmentaçom e debilitado estado geral do Movimento Juvenil Galego, falarmos de 13 ediçons consecutivas dum espaço de formaçom, trabalho e convivência auto-organizado pola juventude independentista galega, nom é tam doado como pode semelhar.

A constante perseguiçom e criminalizaçom da esquerda independentista galega acentua a crise na que nos últimos anos se vê sumido o Movimento de Libertaçom Nacional Galego, e nom é umha tarefa simples para as e os jovens organizados em BRIGA continuar a manter acesso o facho da luita por umha Galiza livre, vermelha e lilás.

Porém, nom esperávamos caminhos doados nem que os nossos objetivos tam frontalmente opostos a quem detenta o poder, nos vinhessem dados. E é justamente por isso polo que somos conscientes das enormes eivas e dificuldades que padece a esquerda independentista e da necessidade de formar-nos para saber melhorar a nossa intervençom política, dotar-nos de ferramentas úteis que nos permitam avançar e somar mais moças e moços à fermosa luita pola liberdade.

Em 2016, após a dissoluçom da nossa organizaçom política referencial, Nós-UP, há menos de um ano, e num contexto de alarmante agudizaçom da repressom contra a esquerda independentista, BRIGA anuncia com orgulho esta XIII ediçom da Escola de Formaçom que decorrerá em Ferrol o fim de semana do 11, 12 e 13 de março.

Construindo consciência de classe? é a legenda escolhida para um encontro que, aproveitando a proximidade no calendário de duas datas tam significativas como som o 8 março, Dia da Mulher Trabalhadora, e 10 de março, Dia da Classe Obreira Galega, se centrará no estudo e análise da específica opressom das mulheres obreiras galegas e da luita sindical na Galiza.

Nos vindouros dias iremos concretizando as atividades deste ano, que como novidade, contará com umha parte aberta a pessoas de todas as idades, e que será anunciada proximamente.

Avante a Escola de Formaçom! Avante a juventude da esquerda independentista!

Escrito ?s 22:22:00 nas castegorias: EF ´16, Programa
por agir_briga   , 392 palavras, 78 visualizaçons     Chuza!
XII Ediçom da EdF: SOMOS SEMENTE DE VENCER

04-03-2015

edf15

No final de mês decorrerá a Escola de Formaçom, como todos os anos desde que em 2004 AGIR começasse a organizá-la. Desde aquela, e ininterrompidamente ao longo de doze ediçons, as organizaçons estudantil e juvenil AGIR e BRIGA levamos a cabo este encontro anual em primavera.
A deste ano será a número doze, sim. E como nas anteriores, haverá momentos para o convívio, para o debate, e para a socializaçom do nosso projeto político independentista, socialista e feminista. Sob a legenda ?Somos semente de vencer? a jornada dará começo a sexta-feira dia 27 e finalizará 48 horas depois, domingo 29.
Nesta ocasiom, aproveitando os 40 anos após o assassinato do jovem nacionalista e comunista, Moncho Reboiras, será a sua figura como militante corajoso, disciplinado e rebelde a que inspire os conteúdos formativos deste encontro. Longe de pretendermos dedicar a Escola de Formaçom à aproximaçom da vida e luita de Reboiras, amplamente estudada noutros espaços, sim pretendemos reconhecer e preservar os referentes mais válidos da história da luita do nosso povo, aqueles que encarnárom os valores e atitudes revolucionárias que hoje tanto necessitamos desenvolver e otimizar adaptando-as à realidade dos nossos dias.
O conteúdo manterá pois, o espírito que protagonizou até agora esta Escola para a gente nova do nosso movimento político: charlas-debate, roteiro pola contorna, jogos formativos, e tempo para o lazer.
Toda a militáncia e colaboradores/as das nossas entidades estamos chamad@s a tomar parte deste evento, assim como pessoas convidadas.
ADIANTE A ESCOLA DE FORMAÇOM!

Escrito ?s 00:34:06 nas castegorias: EF '15
por agir_briga   , 241 palavras, 1423 visualizaçons     Chuza!
Somos escola de revoluçom galega

17-04-2014

A XI Escola de Formaçom decorreu com completa normalidade entre a jornada de sexta-feira e domingo passados. A militáncia juvenil de BRIGA mais a estudantil de AGIR juntamo-nos por undêcimo ano consecutivo, desta volta na paróquia viguesa de Candeám, onde um tempo veranego nos acolheu durante toda a estáncia. O Grupo de Base de Vigo, o organizador deste evento, cumpriu com o seu labor desenvolvendo com totais garantias e planificaçom o conjunto de atividades da jornada.

AGIR e BRIGA temos vários agradecimentos que fazer, antes de mais. Nomeadamente às pessoas que do Centro Social Lume! se preocupárom com que tivêssemos umha ceia estupenda num local perfeitamente acondicionado para juntar-nos a todas e todos. A ceia que nos dérom cumpriu as expetativas, e o serviço foi realmente proveitoso.

Nom menos agradecimentos devemos a KaveGZ, cantor de rap galego que nos dedicou com o seu habitual entusiasmo e expressividade um recital de música combativa, de rua, cantada desde a experiência de luita e dedicada à continuidade desta.

Com certeza, também queremos agradecer à associaçom de vizinh@s de Candeám a cessom do seu local para o nosso acomodamento.

E por último, à equipa do Alakrám Vermelho do Porrinho. Um coletivo organizado à volta do desporto de contato que está a socializar no nosso país, aos poucos, a prática sá e consciente de modalidades desportivas que enriquecem o nosso desenvolvimento como jovens com umha cabeça, e também com um corpo, que cultivar e saber utilizar para o nosso próprio bem e satisfaçom.

Jornada de recebimento

Como sempre, sexta-feira transcorreu com a progressiva chegada de companheir@s de distintos pontos do País até Vigo. Quem antes, quem depois, foi chegando até juntarmo-nos todas as pessoas aguardadas para essa noite a escuitar o discurso de boas-vindas do companheiro Óscar, responsável de BRIGA na cidade mais grande do país.

Com as suas palavras de acolhida demos passagem a uns petiscos preparados pola militáncia, que finalizou com a realizaçom dum jogo por equipas de habilidade e agilidade mental. Afinal, sem esperá-lo, adentramo-nos em plena madrugada à volta deste jogo de mesa, para finalmente ir passar a noite nom sem antes ter começado a conhecer nov@s companheir@s e a reencontrar-nos com antig@s.

Sábado: roteiro e formaçom

Os seis quilómetros do roteiro das Mámoas, com direcçom circular e finalizaçom na Madroa, onde jantamos, decorrêrom durante umha manhá que começava a ameaçar umha suorenta calor. Como em todas as ediçons anteriores, o passeio serviu para conhecermos um novo espaço do nosso meio natural. Esse mesmo meio que nos proporciona a riqueza da que somos donos e cujo aproveitamento responsável deve ser inescusável objetivo revolucionário. Um país rico como poucos nom pode permanecer impassível ante a sistemática destruiçom, sobreexploraçom e/ou desuso do seu próprio território, esbanjando as imensas potencialidades económicas que oferece e que som o sustento material do nosso desenvolvimento produtivo.

Durante o jantar, e mesmo durante o percurso, pudemos falar sobre a história dos jazigos arqueológicos (as mámoas neste caso), algo ocultos, testemunhas dum passado nom tam remoto. Testemunhas funerárias dumhas tribos prerrománicas esquecidas na mitologia da história espanholista e fruto de variadas e contrapostas interpretaçons ainda por desenvolver.

Ao regresso ao local, acondicionamos o mesmo para receber o Carlos Morais, membro da Direçom Nacional de NÓS-Unidade Popular e secretário geral de Primeira Linha. Este veterano militante patriota e comunista assistiu carregado de argumentos para colocar sobre a mesa várias ideias chave que devem ser discutidas, argumentadas, expostas e defendidas, para compreendermos porquê umha militante da esquerda socialista ou comunista na Galiza nom pode ser senom independentista. A interligaçom das luitas nacionais, sociais e de gênero, fôrom expostas sob esta interpretaçom unificadora e com um potencial de intervençom de horizontes muito mais avançados que as conhecidas teimas espanholistas, essencialistas, identitaristas, ou confussas práticas e estratégias misturadoras pretensamente novidosas.

Pouco a seguir interveu Carlos Garcia Seoane, durante anos Responsável Nacional da nossa organizaçom e que pola primeira vez participava desta escola apenas como ponente dumha das suas palestras. E nom foi pouca participaçom. Carlos soubo erguer dúvidas, picar o coraçom dalguns dos interrogantes mais ocultos pola ideologia dominante e pola descarada falta de formaçom teórica que reiteradamente propomos subsanar. Formaçom que tanto trabalho requer, e por isso tam frutífera e avançada pode chegar a ser. Dumha óptica claramente marxista, dialética e materialista, Carlos guiou-nos por um roteiro de pensamento inçado de entraves que superar com o exercício do pensamento racional, para achegar-se ao dia a dia da praxe militante, só compreensível e explicável à volta dum esforço inteletual brilhante e exaustivo.

Para rematar... os sábados sempre acabam com algo de festa! Já dentro da área urbana de Vigo, e do nosso Centro Social de referência na mesma, o Lume!, pudemos gozar dumha ceia deliciosa, o concerto de que já falamos, e mais e mais debate, diálogo e camaradagem.

Domingo: dia de folga?

Muitos domingos aproveitamos para folgar algo. Mas nom foi o caso. A equipa do Alakrám Vermelho do vizinho concelho do Porrinho, e a militáncia independentista figemos um coquetel explosivo de entretenimento, sacrifício, e muita muita liçom que levar para a casa: o papel do desporto e da preparaçom física nas nossas vidas. Nom apenas como pessoas preocupadas com a saúde e o cuidado dumha das dúas ferramentas de trabalho que temos: o corpo. Mas também como conhecedores/as da importáncia que tem umha boa disposiçom física para um melhor equilíbrio e para um combate ao que @s revolucionári@s nom podemos prescindir, e no qual o corpo, para bem ou para mal, joga um importante papel.

A introduçom ao grappling, graças a entre outros o camarada e campeom nacional Pichel, sob a direçom do caro Jano, tem introduzido após onze anos umha novidade nas Escolas de Formaçom, como antes o figera por exemplo a gincana na Estrada. A suor foi muita. O sacrifício também. Aproximadamente 4 horas de tempo. E muitas liçons recolhidas deste exemplar projeto de base que é a escola do Alakrám Vermelho. Também, muito entretenimento, técnicas e exercícios físicos aprendidos. Umha experiência inapagável que formará parte do nosso calendário individual e coletivo.

Após o intenso seminário prático voltamos a Candeám para jantar, recolher e limpar o local, nom sem antes recebermos o discurso de despedida por parte da companheira Antia, de AGIR, que transmitiu a importáncia de jornadas formativas e de convivência para a militáncia juvenil revolucionária e os seus desejos de que venha mais umha ediçom da Escola de Formaçom.

AVANTE A UNIDADE JUVENIL DO MOVIMENTO DE LIBERTAÇOM NACIONAL!
AVANTE A ESCOLA DE FORMAÇOM!
ORGANIZA-TE, DEFENDE-TE E LUITA!

Escrito ?s 12:14:41 nas castegorias: EF '14, Crónica
por agir_briga   , 1079 palavras, 1593 visualizaçons     Chuza!
Programa da Escola de Formaçom '14

07-04-2014

Dentro duns dias estaremos na comarca de Vigo reunid@s na Escola de Formaçom 2014. Militantes, colaboradores/as e simpatizantes de AGIR e BRIGA preparam já as suas mochilas para o fim-de-semana de encontro que aí vem.

Como poderedes comprovar, o horário e as atividades previstas seguem o patrom das últimas ediçons, combinando diversos formatos de formaçom e convívio.

Fazemos público este horário de atividades da undêcima ediçom:

Horário Escola de Formaçom AGIR-BRIGA

Somos escola da revoluçom galega

Vigo, 2014

Sexta-feira, 11 de abril

21.00: chegada e instalaçom

21.30: Bem-vinda a cargo dum/ha militante de BRIGA

21.45: ceia

22.30: atividade

Sábado, 12 de abril

9.30: diana

10.00: almorço

10.45-12.15: primeira palestra

12.30-13.30: apresentaçom material de Xerfas ediçons

14.00 ? 16.00: jantar

16.00-18.00: segunda palestra

18.00: roteiro

20.00: duches e higiene pessoal

21.30: ceia

23.00: concerto

Domingo, 13 de abril

10.00: diana

10.30: almorço

11.15 ? 13.30: seminário

14.00: jantar

15.00: valorizaçom da Escola e despedida a cargo dum ou dumha companheira de AGIR

16.00: recolhida de cousas e saída

Escrito ?s 00:06:14 nas castegorias: EF '14, Programa
por agir_briga   , 140 palavras, 319 visualizaçons     Chuza!
E venha mais umha: XI ediçom da Escola de Formaçom

30-03-2014

AGIR e BRIGA coorganizamos a que será undêcima Escola de Formaçom da juventude da esquerda independentista. Começárom já os preparativos do evento central de encontro e formaçom do ano político. Mais umha vez deslocaremo-nos ao sul do país. Lá, a militáncia revolucionária do estudantado e da juventude trabalhadora do Movimento de Libertaçom Nacional Galego reuniremo-nos ao longo de três dias e dúas noites.

O motivo das palestras deste ano será o aperfeiçoamento da nossa ferramenta de teoria revolucionária, o debate à volta da nossa proposta política tática e estratégica em base à nossa identidade ideológica marxista revolucionária, independentista, feminista e juvenil.

Sobre o eixo deste denso formato, procuraremos deixar o lugar que se merecem o lazer, o convívio, o conhecimento da contorna natural do território, e outras atividades paralelas para dinamizar o mais e melhor possível essas 48 horas de proveitoso encontro.

Jovens do norte e do sul, recém chegad@s e militantes mais veteran@s, tod@s teremos a oportunidade de participar nesta XI ediçom da Escola de Formaçom, aberta também para colaboradores/as e @s simpatizantes mais próxim@s.

Como nas ediçons anteriores, o Blogue da Escola de Formaçom, acessível clicando aqui, volverá a estar ativo desde agora até a ediçom da Escola informando dos preparativos, e posteriormente para narrar a crónica da mesma.

ORGANIZA-TE, PARTICIPA, DEFENDE-TE E LUITA!

Escrito ?s 22:31:43 nas castegorias: EF '14
por agir_briga   , 215 palavras, 562 visualizaçons     Chuza!
Crónica da X Escola de Formaçom. A Guarda 2013.

26-03-2013

Passou deixando pegada a décima ediçom da Escola de Formaçom. Como em anteriores ocasions, o convívio e a camaradagem fôrom a tónica dominante. Conseguimos assim, mais um ano, envolver vári@s jovens pertencentes às organizaçons BRIGA e AGIR num saudável ambiente que reinou ao longo de 48 horas com grande concentraçom de atividades.

O clima instável estivo presente. Porém, praticamente nom interferiu no desenvolvimento das atividades, cessando as chuvas mais intensas durante as realizadas ao ár livre na comarca sul-ocidental do Baixo Minho.

Todo começaria ao longo da tarde de sexta-feira, durante a qual fôrom chegando jovens de todo o país e incorporando-se ao albergue do concelho da Guarda. Um bingo musical serviria para amenizar o início do encontro, logrando facilitar depressa o divertimento em grupo.

Sábado foi como habitualmente, o dia mais agitado. Era dever erguer-se cedo para abrir a manhá a um fabuloso roteiro de várias horas baixo um céu cambiante. Desta volta, as visitas começárom polo histórico castro de Santa Trega, na elevada cimeira à beira mesmo do mar. Umha professora da escola pública local fixo as tarefas de guia, proporcionando-nos um conhecimento para além do meramente espetacular do visual. Nom faltou umha visita ao museu do castro, onde se encontra algumhas das peças achadas no lugar do jazigo das tribos castrexas, e datadas em há aproximadamente 2.000 anos.

Mais tempo requeriu o seguinte episódio de excursiom, realizada polo roteiro dos moinhos do Folom e do Picom. Umha autêntica joia da natureza nacional, com achegas realizadas por umha companheira sobre a arquitetura e a história destas singulares edificaçons em cadeia construidas nas abas de pronunciadíssimas pendentes no concelho do Rosal. As imagens que achegaremos desde o blogue da Escola de Formaçom chegarám para compreender a enorme compensaçom de ter escolhido esta paragem que movimentou a economia minhota desde há três sêculos aproveitando os recursos hídricos do lugar.

As afortunadas temáticas das palestras que decorreriam de tarde no Centro Social O Fuscalho da Guarda servírom para complementar o dia com a necessária dose de debate, colóquio e formativas intervençons realizadas pola companheira de NÓS-Unidade Popular Noa Rios e do secretário geral de Primeira Linha Carlos Morais. A primeira, achegando-se do significado do marxismo no feminismo moderno, e o segundo, achegando-se da atual conjuntura política da esquerda nacional. Ambas intervençons, denotadamente políticas e didáticas, fomentárom nas horas seguintes e de seguro nos próximos meses as achegas da gente mais nova da nossa esquerda independentista.

A tarde completaria-se com o evidente acento pedagógico aportado por EsCULca, o Observatório para a Defesa dos Direitos e Liberdades. Graças a avondosa documentaçom, e também à experiência no campo do direito e do acompanhamento legal e material das ferramentas de repressom do Estado ao longo de anos, Fernando Blanco explicou-nos com linguagem desenfadada um guia sobre aspetos elementares referidos à denominada "seguridade cidadá". As referências legais e jurisprudenciais, além da constante briga com as autoridades policial e judicial espanholas permitírom contextualizar a introduçom do que "se permite", e do que "acontece" quando luitamos pola prevalência do nosso projeto político num estado policial que nom duvida em utilizar as suas normas, ou ignorá-las segundo convenha ao fim de manter a dissidência política dizimada.

Nom faltou com certeza a foliada noturna. Domingo já seria momento para recuperar umha modalidade de entretenimento, a gincana, baseada no contato com a natureza e a utilizaçom dos conhecimentos mais básicos sobre a nossa identidade para combinar jogo, desporto, convívio e cultura geral e umha pisca de sacrifício físico.

Remataríamos com as leituras em quente do fim-de-semana gozado; das suas valorosas improntas sobre a nossa cultura militante de trabalho em equipa. De aprendizagem dialética. E de lazer integrador.

Escrito ?s 01:39:30 nas castegorias: EF '13, Crónica
por agir_briga   , 604 palavras, 1655 visualizaçons     Chuza!
Dez anos formando-nos

25-03-2013

Já começamos a chegar ao destino que este ano tem no sul do país o ponto de encontro para a militáncia de BRIGA e AGIR.

Como indica o cabeçalho desta nova, com a ediçom que começa hoje farám-se dez consecutivas desde que no já distante 2004 começasse a experiência inédita de organizar jornadas de convívio e formaçom por e para a juventude independentista galega, coincidindo sempre com o primeiro fim de semana das férias de primavera.

Cervo, Salvaterra de Minho, Narom, Oleiros, Poio, A Estrada, Pontedeume, Noia e Teu vírom até agora como nos movíamos de norte a sul do país para, em todos os casos, desenvolver um programa intenso para um fim de semana que deixa na memória do nosso modesto e novo movimento político umha impronta de capacidade autoorganizativa juvenil.

Esta vez a Escola de Formaçom nom será monotemática, como tampouco o foi em boa parte das anteriores citas. As palestras da tarde do sábado tratarám, para começar, sobre um grande desafio para o pensamento marxista mais avançado: a compenetraçom e sinergias geradas polo feminismo na consciência, na obra, e na praxe socialista.

Mas nem só. A candente atualidade. Os incessantes movimentos políticos que, ao compasso das convulsas transformaçons sociais que esperamos viver e potenciar para já, se produzem no seio da esquerda nacional. Quais som as linhas principais de mudança e transformaçom. Que nos oferece o presente e que nos depara o futuro imediato. Som questons que devemos debater abertamente na militáncia dia após dia.

Também contaremos com umha palestra antirepressiva de eminente caráter didático, para conhecer as ferramentas repressivas do estado espanhol e qual o seu sustento jurídico e translaçom à realidade quotidiana da perseguiçom da dissidência política.

E isto nom será todo.
E nom será dum dia para outro que deixemos à beira estes interessantes assuntos formativos. Com a sua introduçom nesta Escola queremos sementar debate e gerar interesses, interrogantes, alternativas, ideias e projetos que irám florescendo nos próximos meses na mente e nas maos de todas e todos os que trabalhamos desde a juventude da esquerda independentista.

Escrito ?s 11:33:08 nas castegorias: EF '13, Programa
por agir_briga   , 342 palavras, 308 visualizaçons     Chuza!
Ultimam-se preparativos para atividades deste ano

25-03-2013

A primavera já deu entrado. E a décima ediçom da Escola de Formaçom achega-se para este próximo fim-de-semana. Já faltam apenas uns dias, e as organizaçons BRIGA e AGIR daremos por começado o primeiro evento em conjunto feito por e dirigido a toda a militáncia juvenil do MLNG.

A partir de sexta-feira iremo-nos achegando ao ponto de destino cargad@s de ilusiom por reencontrar-nos com velh@s e nov@s companheir@s, algum material pessoal, e ganas de aproveitar os dous dias por diante ao máximo.

Sábado começará cedo com toque de diana para erguer todo o mundo e começar o dia com fôlegos. Falta nos vam fazer nesta manhá que se prevê de climatologia instável como todas as férias de primavera deste ano. Porque o roteiro, sim, o passeio pola natureza autóctone com as botas sobre solo húmido espera-nos! E nom vai ser qualquer roteiro. Incluirá descriçons dos lugares visitados, da sua história, e do seu estado de conservaçom atual.

Após o jantar, haverá umha longa tarde para a tradicional cita mais propriamente formativa: as palestras que decorrerám incentivando o debate e a troca de opinions e impresions, tam necessárias nesta época de silenciamento por imposiçom e educaçom na passividade.

A noite será o momento mais lúdico com tempo para o espareximento e mais distraçom para o conhecimento mútuo e individual.

Já domingo, a cousa nom se acaba. Umha gincana bem organizada é um dos prazeres que por experiência sabemos nos pode proporcionar a Escola de Formaçom: desporto em equipa, perguntas sem resposta, sá rivalidade, ...

A primeira hora da tarde valorizaremos o decurso desta nova ediçom. E colocaremos os alicerces para a cita do ano que vem.

Escrito ?s 11:30:57 nas castegorias: EF '13, Programa
por agir_briga   , 274 palavras, 154 visualizaçons     Chuza!
Chega a décima ediçom da Escola

25-03-2013

Trata-se da décima ediçom dumha Escola de Formaçom. As entidades estudantil e juvenil AGIR e BRIGA convocamo-la polo décimo ano consecutivo, como de costume, no primeiro fim de semana das férias escolares de primavera.

Ao longo deste ano fomos transitando por diversas atividades, problemas, campanhas e açons que serám temas interessantes para abordar conjuntamente entre a militáncia e as pessoas mais achegadas de ambas organizaçons.

E nem só. Ao longo de 48 horas teremos tempo para as anedotas e o trato pessoal mais quotidiano.

Este ano a Escola chega carregada de atividades, começando sexta-feira com um concurso e rematando domingo com a tradicional assembleia de valorizaçom.

Ao longo destes dias iremos aumentando a informaçom sobre esta cita anual da juventude da esquerda independentista.

Escrito ?s 11:28:24 nas castegorias: EF '13, Programa
por agir_briga   , 122 palavras, 189 visualizaçons     Chuza!

1 2 3 4 5 >>