Crónica da X Escola de Formaçom. A Guarda 2013.

Crónica da X Escola de Formaçom. A Guarda 2013.

26-03-2013

Passou deixando pegada a décima ediçom da Escola de Formaçom. Como em anteriores ocasions, o convívio e a camaradagem fôrom a tónica dominante. Conseguimos assim, mais um ano, envolver vári@s jovens pertencentes às organizaçons BRIGA e AGIR num saudável ambiente que reinou ao longo de 48 horas com grande concentraçom de atividades.

O clima instável estivo presente. Porém, praticamente nom interferiu no desenvolvimento das atividades, cessando as chuvas mais intensas durante as realizadas ao ár livre na comarca sul-ocidental do Baixo Minho.

Todo começaria ao longo da tarde de sexta-feira, durante a qual fôrom chegando jovens de todo o país e incorporando-se ao albergue do concelho da Guarda. Um bingo musical serviria para amenizar o início do encontro, logrando facilitar depressa o divertimento em grupo.

Sábado foi como habitualmente, o dia mais agitado. Era dever erguer-se cedo para abrir a manhá a um fabuloso roteiro de várias horas baixo um céu cambiante. Desta volta, as visitas começárom polo histórico castro de Santa Trega, na elevada cimeira à beira mesmo do mar. Umha professora da escola pública local fixo as tarefas de guia, proporcionando-nos um conhecimento para além do meramente espetacular do visual. Nom faltou umha visita ao museu do castro, onde se encontra algumhas das peças achadas no lugar do jazigo das tribos castrexas, e datadas em há aproximadamente 2.000 anos.

Mais tempo requeriu o seguinte episódio de excursiom, realizada polo roteiro dos moinhos do Folom e do Picom. Umha autêntica joia da natureza nacional, com achegas realizadas por umha companheira sobre a arquitetura e a história destas singulares edificaçons em cadeia construidas nas abas de pronunciadíssimas pendentes no concelho do Rosal. As imagens que achegaremos desde o blogue da Escola de Formaçom chegarám para compreender a enorme compensaçom de ter escolhido esta paragem que movimentou a economia minhota desde há três sêculos aproveitando os recursos hídricos do lugar.

As afortunadas temáticas das palestras que decorreriam de tarde no Centro Social O Fuscalho da Guarda servírom para complementar o dia com a necessária dose de debate, colóquio e formativas intervençons realizadas pola companheira de NÓS-Unidade Popular Noa Rios e do secretário geral de Primeira Linha Carlos Morais. A primeira, achegando-se do significado do marxismo no feminismo moderno, e o segundo, achegando-se da atual conjuntura política da esquerda nacional. Ambas intervençons, denotadamente políticas e didáticas, fomentárom nas horas seguintes e de seguro nos próximos meses as achegas da gente mais nova da nossa esquerda independentista.

A tarde completaria-se com o evidente acento pedagógico aportado por EsCULca, o Observatório para a Defesa dos Direitos e Liberdades. Graças a avondosa documentaçom, e também à experiência no campo do direito e do acompanhamento legal e material das ferramentas de repressom do Estado ao longo de anos, Fernando Blanco explicou-nos com linguagem desenfadada um guia sobre aspetos elementares referidos à denominada "seguridade cidadá". As referências legais e jurisprudenciais, além da constante briga com as autoridades policial e judicial espanholas permitírom contextualizar a introduçom do que "se permite", e do que "acontece" quando luitamos pola prevalência do nosso projeto político num estado policial que nom duvida em utilizar as suas normas, ou ignorá-las segundo convenha ao fim de manter a dissidência política dizimada.

Nom faltou com certeza a foliada noturna. Domingo já seria momento para recuperar umha modalidade de entretenimento, a gincana, baseada no contato com a natureza e a utilizaçom dos conhecimentos mais básicos sobre a nossa identidade para combinar jogo, desporto, convívio e cultura geral e umha pisca de sacrifício físico.

Remataríamos com as leituras em quente do fim-de-semana gozado; das suas valorosas improntas sobre a nossa cultura militante de trabalho em equipa. De aprendizagem dialética. E de lazer integrador.

Escrito ?s 01:39:30 nas castegorias: EF '13, Crónica
por agir_briga   , 604 palavras, 1661 visualizaçons     Chuza!

Sem comentários ainda