Fados alentejanos

Fados alentejanos

Link: http://evunix.uevora.pt/~appt/

O Alentejo, terra esquecida pelo Poder português, também tem fados (música da capital do Poder do mesmo país) e fadistas:

Escrito em 06-08-2012, na categoria: Fadistas
Chuza!

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

2 comentários

Comentário de: Fernando [Visitante]
Fernando

Manuel:
Me permito dejar aqui la divertida letra que puede ser de interés para los estudiosos del idioma.

João Vasconcelos e Sá / Popular *fado corrido*
Repertório de António Pinto Basto.
Terra de grandes barrigas / Onde ha tanta gente garda
Ás sopas chamam açorda / E à açorda chamam-lhe migas;
Ás razões chamam cantigas / Milhaduras são gorjetas
Maleitas dizem maletas / Em vez de encostas, chapadas
Em vez de açoites, nalgadas / E as bolotas são boletas
.
Terra mole é atasquero / Ir embora é abalar
Deitar fora é aventar / Fita de coiro é apero;
Vaso com planta é cravero / Carpinteiro é abegão
E a choupana é cabanão / E às hortas chamam hortejos
Os cestos são cabanejos / E ao trigo chama-se pão!
.
No resto de Portugal / Ninguém diz palavras tais
As terras baixas são vales / Monte de feno é frascal;
Vestir bem, parece mal / Á aveia chamam cevada
Ao bofetão, orelhada / Alcofa grande é gorpelha
Égua lazã é vermelha / Poldra ?Isabel? é melada
.
Quando um tipo está doente / Logo dizem que está morto
E a todo o vau chamam porto / Chamam gajo a toda a gente;
Vestir safões é corrente / Por acaso é por atrego
As saco chamam talego / E até nas classes mais ricas
Ser janota é ser maricas / Ser beirão é ser galego
.
Os porcos medem-se às varas / E o peixe vende-se aos quilos
E a gente pasma de ouvi-los / Usar maneiras tão raras;
Chamam relvas às cearas / Ás vezes, não sei porquê
E tratam por vomecê / Pessoas a quem venero
Não quero, diz-se nã quero / Eu não sei? diz-se *ê nã sê*. Transcrito por: J.F.C (José Fernandes e Castro)

15-08-2012 @ 17:05
Comentário de: manuel [Membro]  
Ibérico

Sr. Fernando,

Muito obrigado.

Aqui temos a letra do “Mestre alentejano” (não exatamente igual à que aparece no comentário anterior) e a do “Mestre alentejano (II)": http://alemguadiana.blogs.sapo.pt/11269.html (do blogue do Além Guadiana, que eu giro).

Volte sempre.

Manuel Sánchez
("Todos temos nosso fado")

20-08-2012 @ 16:45
Bem pensado / Todos temos nosso fado / E quem nasce mal fadado / Melhor fado não terá

Categorias

Procurar

Ferramentas de administração

  Feeds XML

blog software