Manuela Ribeiro e Fernando Farinha: Antigamente

Manuela Ribeiro e Fernando Farinha: Antigamente

ANTIGAMENTE

Frederico de Brito / Júlio Proença (fado modesto)

Antigamente era coito a Mouraria
Daquela gente condenada a revelia
E o fado ameno, canção das mais portuguesas
Era o veneno pra lhes matar as tristezas

E a Mouraria
Mãe do fado doutras eras
Que foi ninho de Severas
Que foi bairro turbulento
Perdeu agora
Todo o aspeto de galdéria
Está mais limpa, está mais séria
Mais fadista cem por cento

Adeus tipoias com pilecas e guizeiras
Adeus ramboias e cafés de camareiras
Nada mais resta da moirama que deu brado
Do que a funesta lembrança do seu passado

E a Mouraria
Que perdeu em tempos idos
A nobreza dos sentidos
E o calor de uma virtude
Conserva ainda
Toda a graça que mantinha
Agarrada à capelinha
Da Senhora da Saúde


FERNANDO FARINHA (letras.com)

Escrito em 07-07-2024, na categoria: Fadistas
Chuza!

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Ainda sem comentários

Bem pensado / Todos temos nosso fado / E quem nasce mal fadado / Melhor fado não terá

RÁDIOS E MAIS

Facebook Antena 1 / Antena 1 Fado / Posto Emissor do Funchal Canal 1 / R. Alfa Fado / R. Amália / R. Borba / R. Botareu / R. Campanário Voz de Vila Viçosa / R. Campo Maior / R. Despertar Voz de Estremoz / R. Elvas / R. Nova Antena / R. Portalegre / R. Renascença / TSF R. Notícias
Powered by DaysPedia.com
HORA DE LISBOA
sex, 2 de Junho
06:13am 14:42 20:55pm
Flag Counter

Procurar

Categorias

Ferramentas de administração

  Feeds XML

CMS software