Categoria: PÓVOA-VILA

25-06-2009

LÍNGUA, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO, MOBILIDADE, ESPAÑA ESTRAÑA

Atualizações 24/6/09

* Entrevista a Joan Solá:

¿Entonces la única solución es tener un Estado propio?

Yo no digo eso. Digo que la única manera de salvar la lengua es tener una concepción política de este país no subordinada. ¿Cómo debe ser? El ideal evidentemente es la independencia, pero podría haber una fórmula intermedia tan digna como esa. Como pasa en Suiza, Canadá o Bélgica por ejemplo , que son países donde la situación lingüística no está tan podrida como aquí.



No Público.es, via PGL.


* É na sexta que começam a fazer tudo direito?

Ana Paula Vitorino avança

Autoridades dos Transportes iniciam trabalhos esta semana

A secretária de Estado dos Transportes avançou que o Conselho Geral da Autoridade Metropolitana dos Transportes (AMT) de Lisboa irá reunir pela primeira vez amanhã. Na ordem de trabalhos estão dois assuntos: eleger os representantes para o Conselho Executivo e eleger o presidente do Conselho Geral. A mesma ordem de trabalhos marcará a primeira reunião da AMT do Porto, a realizar na sexta-feira.
Ana Paula Vitorino confirmou ainda à Transportes em Revista os nomes escolhidos para as presidências. Tal como a Transportes em Revista anunciou, Carlos Correia foi o escolhido para a AMT de Lisboa, enquanto Isabel Oneto (na foto) deverá encabeçar a autoridade do Porto.



Na Transporte em Revista.



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 01:55:24

25-03-2009

FOTOS, LÍNGUA, GALIZA, VIAGENS, IMAGENS, TERRA, FERROVIÁRIO, NORTE, POLÍTICA À PORTUGUESA, PORTUGAL ESPERTO, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Atualizações 24/3/09

*

Movimento cívico defende região autónoma

O Movimento Alternativo do Nordeste (MAN) promete defender "com unhas e dentes" a criação da Região de Trás-os-Montes e Alto Douro com autonomia igual à da Região Autónoma da Madeira e até defende a criação de uma zona franca na Região.

Este é um movimento completo - para além de pugnar por questões regionais, não deixa de se relacionar com as grandes questões nacionais (senão mesmo da humanidade):

Outra das causas que este movimento abraçou foi a da taxa dos contadores da água. O MAN organizou uma petição, com 1190 assinaturas, que já enviou ao Provedor de Justiça, onde denuncia que a taxa de disponibilidade de caudal cobrada aos munícipes é "uma forma camuflada de cobrança ilegal com o recurso à esperteza saloia para obter receitas ilícitas, pela utilização dos contadores da água", refere a petição que está em fase de análise pelo Provedor.




*

Um homem que circulava esta quart-afeira de manhã numa bicicleta, na Estrada Nacional 378, na Venda Nova, concelho de Sesimbra, teve morte imediata após ter sido atropelado por um automóvel e ter caído em plena via.

Não queria soar a maluquinho das bicicletas, mas um agente da autoridade não pode expressar a sua opinião sobre os casos em mão. É a lei.

Filipe, de cerca de 60 anos, terá tentado desviar-se dos buracos existentes na berma da estrada e acabou por se desequilibrar e cair. O veículo que seguia na sua traseira, no sentido Sesimbra/Fogueteiro, não conseguiu travar e atropelou-o.

Segundo as autoridades policiais, esta é a explicação mais plausível para o acidente. "A pessoa iria a circular na via e ao desviar-se de uns buracos, desequilibrou-se e caiu na estrada. A viatura que seguia atrás não teve tempo de reacção", adiantou, ao JN, fonte da GNR, que identificou a condutora do automóvel, prosseguindo agora as investigações para que o caso transite para tribunal.

Se assim dita a lei, porquê isto? É assim que se fazem inquéritos em Portugal? Pergunta-se à pessoa que sobreviveu a um acidente a sua versão do que aconteceu e fecha-se o inquérito? Ou apenas se decreta, a priori, a culpabilidade do ciclista (ou a natural previsibilidade do acidente)?


* A Associação Galega da Língua Portuguesa chegou ao Mário Soares - será que ele reparou?




* Eis uma ótima notícia: em Lisboa, Metro cresce mais dois quilómetros em Agosto. A Linha Vermelha, que acabava na Alameda (Linha Verde), vai continuar até São Sebastião (Linha Azul), passando pelo Saldanha (Linha Amarela). Digam o que disserem, a rede lisboeta é fraquinha. Tem poucas interligações entre as várias linhas e deixa uma parte importante do território por cobrir. É bom ver que andam a corrigir isso.




* Em Ponte de Lima discute-se a chegada da Velocidade Elevada - terão direito a estação? Era bem.


* Sugestão do Nuno:

Especialistas de energia denunciam "embuste" na visita de Sócrates e Pinho à Energie

A visita de José Sócrates e de Manuel Pinho às instalações da Energie para assinalar a segunda fase de expansão da fábrica que produz o que designa por "painéis solares termodinâmicos" está a desencadear uma série de protestos por parte dos principais responsáveis pela investigação e indústria solar no país.

"É uma empresa que assenta a sua propaganda num embuste", denuncia Eduardo Oliveira Fernandes, ex-secretário de Estado da Energia e académico que desenhou a política energética do actual Governo, no que é acompanhado por Nuno Ribeiro da Silva, presidente da Endesa Portugal e presidente da Sociedade Portuguesa de Energia Solar (SPES), e por Manuel Collares Pereira, considerado um dos principais especialistas em energia solar no país, ex-investigador do INETI e responsável pela empresa fabricante de painéis solares térmicos Ao Sol. Os três especialistas clamam que o produto da Energie, fabricado na Póvoa de Varzim, é "publicidade enganosa" - mostram tratar-se de uma bomba de calor accionada a electricidade com apoio secundário em energia solar e não de um painel solar térmico - e atribuem o incentivo político do primeiro-ministro e do ministro da Economia, com a visita efectuada, a uma possível ausência de apoio técnico adequado pelos respectivos gabinetes.




* Os tram-train avançam em Coimbra (via Transportes em Revista):

Sistema de Mobilidade do Mondego

Foi hoje enviado para publicação no Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia o anúncio do concurso público relativo à Empreitada de Reabilitação das Infra-estruturas do Troço Miranda do Corvo/Serpins, do Ramal da Lousã, primeira empreitada da 1.ª Fase do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM).




* Em Matosinhos, continua a limpeza da costa:

Forçados a demolir habitações onde vivem há décadas




* Comboios: Governo encerra Linha do Corgo por razões de segurança (sugestão do Nuno)


* O melhor programa de sempre versando Prevenção Rodoviária:



A mensagem é de que, se virem o Toy, não entrem no carro com ele ou, então, fujam da frente.


* Hoje, quarta-feira, 25 de Março de 2009, exploro as debilidades do sistema ferroviário português (acompanhar minuto a minuto):




tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 00:26:24

08-03-2009

PORTURARIDADE, IMAGENS, FERROVIÁRIO, POLÍTICA À PORTUGUESA, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Atualizações 7/3/09

* Página incrível, criada por um português que mora em Londres que vale a pena seguir: Visual Complexity.

Prometo ver todos os 658 projetos. Incluindo esta apetitosa categoria, redes de transportes. Iami.


* O metro pára mais (e demora o mesmo):

As estações de Portas Fronhas, da Varziela e de Mindelo passam a receber veículos «Expresso»

Entra em vigor no dia 16 de Março (segunda-feira) o novo serviço da Linha Vermelha do Metro do Porto, que liga a Póvoa de Varzim ao Porto.

Até chegar o tram-train, um serviço diferente. Nas estações expresso passa a haver metro de 15 em 15 minutos, nas outras de 30 em 30. É ver se funciona. Os expressos deixam de continuar para o Dragão, fazendo término na Trindade, o que é claramente um passo atrás. É ver. É preciso ver.


* Finalmente, o Marco volta ao caminho certo:
(no Arrastão)



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 01:57:32

01-03-2009

PORTURARIDADE, FERROVIÁRIO, NORTE, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Atualizações 28/2/09

* Falavam no Público sobre Projecto "Casa no Gerês" distinguido nos EUA e em Israel e a M, matreira como sempre, logo percebeu que o interesse não residia na notícia em si mas na caixa de comentários. Ora vejamos:

Comentário 27.02.2009 - 18h46 - Anónimo, arquitecto desempregado
O projecto é sem dúvida excepcional... Só falta referir que foi feito á base de trabalho não remuneado ( ou melhor 200 euros por mês.. que somente servem para pagar alimentação nos dias de hoje). É assim.. a arquitectura portuguesa actualmente é feita á base da completa exploração dos jovens arquitectos que têm que aceitar qualquer condição de trabalho, quer a nível de renumeração quer a nível de horas de produção, para não estarem no desemprego. Mas que condição é esta?? De país de 3º mundo em que os que têm algum trabalho limitam-se a explorar aqueles que agora começam a sua carreira profissional

27.02.2009 - 20h01 - Anónimo, Lisboa
De facto, é como o meu colega (de profissão e de desemprego) diz. Mas a exploração atinge os jovens e os ditos mais experientes. Hoje em dia os anos de experiência não contam. Contam sim as propostas de trabalho por 7 dias da semana, com horários entre as 9.30/10/11 e as "até conseguir acabar o trabalho", com pagamentos de 600 euros mensais ou menos e sempre com aquela grande instituição - presente em todos os ateliers de arquitectura portugueses - que é o recibo verde. É como se todos já estivessem formatados para o mesmo: "Sabe como é, a crise está por todo o lado, nunca sabemos como é o dia de amanhã, no fundo todos estamos nesta situação. Até os sócios recebem a recibo verde, veja lá!!!!" O curioso deste "modelo" é que ele existe desde que me conheço como arquitecto já vai para 9 anos. E a crise de que se fala agora é um bocadinho mais recente...

27.02.2009 - 20h13 - Anónimo, (outro) arquitecto desempregado, Lisboa
Tanto que se fala na precariedade no trabalho e no combate aos recibos verdes... Apresento uma proposta ao Público: vão de atelier de arquitectura em atelier de arquitectura. Investiguem as condições de trabalho que têm. Vejam há quantos anos alguns trabalham a recibo verde e quanto ganham. Há uns anos veio a público uma notícia que falava num salário médio mensal de 2000 euros para arquitectos... Confirmem-no. Vão verificá-lo ao local devido. Porque isto dos prémios é muito bonito, mas se existe exploração por trás, já não tem tanta piada assim. Até porque, na maioria dos casos, são um ou dois arquitectos a ganhar o prémio e duas mãos cheias de explorados a fazer o trabalho a sério...

28.02.2009 - 09h18 - Arquitecto , no Estrangeiro
Com 26 escolas de arquitectura algum resultado tem de dar. Um deles e a emigracao de arquitectos porque e verdade nao ha trabalho para todos. Os estagios em Portugal sao pateticos: ou nao sao pagos ou sao simbolicamente pagos 100 euros/mes. Vamos ultrapassar qualquer pais europeu em numero de arquitectos por 1000 habitantes inevitavelmente e so resta uma solucao para isto: fechar cursos de arquitectura ou entao aceitar que se faz um curso de arquitectura para nao ter trabalho nessa area. A respeito do recibo verde - o qual e norma em muitos gabinetes de arquitectura - era bom que o Sr. Presidente da Republica desfizesse a asneira que criou quando foi primeiro ministro. A precariedade faz-se, e ele e o responsavel por esta.

Pelo meio, houve tempo para o habitual idiota de serviço:

27.02.2009 - 21h46 - Luis, Almada
Desculpem lá mas só se deixa explorar quem quer. Andar 7 anos a tirar um Curso, fazer um Estagio para ser Arquitecto e depois aceitar um salario baixo só faz sentido para 'artistas' e só lhe veste a pele quem quer

Quando o que se fala são as práticas laborais vigentes em todo o país na área da arquitetura, é óbvio que não é um caso de 'só se deixa explorar quem quer'. O caso é mais de 'se queres trabalhar em arquitetura em Portugal queres ser explorado'. O que este comentário revela é a coisa mais óbvia, que ninguém combate: os jovens arquitetos não são explorados por outra classe profissional má, sem escrúpulos. São, a maior parte das vezes, explorados por colegas de profissão.

Enquanto os arquitetos não olharem para este problema de modo a resolvê-lo e insistam em tentar resolver apenas os problemas pontuais do escritório não vamos lá. É a classe que tem de resolver isto - os arquitetozinhos e os outros.


* Em Viana, Câmara proíbe touradas no município. Óbvio que isto não significa nada num concelho onde, imagino, não há tradição de touradas e a praça de touros da cidade está para ser convertida noutra coisa qualquer. Mas começando por algum lado, iniciativas destas têm de partir dos sítios menos touradescos, e nunca seria uma vila ribatejana a começar movimento semelhante. Acho que a Póvoa de Varzim deveria ser a próxima. Fechada a praça de Viana, a Póvoa terá uma das praças de touros mais a norte. É ir por aí abaixo, proibindo a ignomínia. Defensor Moura,

Segundo disse, o Município segue, assim, o exemplo de 52 cidades e vilas do país vizinho e de outras três localidades francesas "que proibiram, também, a realização de touradas".

Mais interessante seria a ideia do "Concelho livre de eucaliptos". Obviamente que um movimento destes nunca começaria no Minho. Como sabem, o Minho é aquela região escondida atrás dos eucaliptos.


* Desde que alguém no Público inventou que as anteriores viagens do comboio demoravam 52 minutos entre a Póvoa e a Trindade, que os jornalistas deste jornal se lembraram de referir a baixa velocidade sempre que falam do metro. Como se tivessem esquecido o pormenor. O que raramente referem é que este era um projeto pensado para os tram-train, que só agora vão chegar. E que, quando eu era novo, a viagem entre a Póvoa e a Trindade demorava 55-56 minutos, que é o mesmo que demora agora, apesar de parar em muitas mais estações. Tirando o pormenor do ar condicionado, a ligação melhorou porque pára em mais estações e demora o mesmo e os veículos são mais modernos e seguros e etc. Existem ainda problemas com os expressos, que serão melhorados nos próximos tempos, e com a lotação nas horas de ponta, mas não há dúvida que o serviço melhorou. Só não vê quem tem má vontade.



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 06:09:15

26-02-2009

LÍNGUA, GALIZA, POLÍTICA À PORTUGUESA, PÓVOA-VILA

Atualizações 26/2/09

* Póvoa de Varzim sem lei:

O presidente da Junta de Freguesia de Argivai, Póvoa de Varzim, terá ameaçado com "três tiros" os deputados da União Eleitoral de Argivai, na última Assembleia de Freguesia. O incidente podia ter terminado pior, não fosse o público presente ter conseguido segurar o autarca Adolfo Ribeiro.

Em resposta, explicou, ao JN, Domingos Silva, "o presidente da Junta disse, aos gritos: "Vocês são uns calhaus com dois olhos. Se tivesse aqui a 'p….' dava-vos três tiros a todos".

Isto de chamarem 'autarca' ao homem é abuso.


* No ciberdúvidas, perguntas e mais perguntas e respostas sobre o galego.


* Na Galiza, e tudo no domínio do presunto (presumível, isto é), um rapaz, Jácobo Pinheiro, matou um casal homossexual por temer ser violado. Um dos homossexuais teria aproximado-se de Jácobo, nu, Jácobo não foi na cantiga, e o homossexual terá ido buscar uma faca. Jacobo tirou-lhe a faca e matou-o com 35 facadas. De seguida Jácobo terá matado o companheiro do referido homossexual, que fugira, com outras 22 facadas. No total, 57 facadas. Passadas algumas horas, depois do banho, Jácobo ateou fogo ao apartamento. Sentença judicial, através de um júri popular? Própria defesa.

Em Lazkao, Euskal Herria, um jovem, depois de uma bomba da ETA ter danificado o seu apartamento, desceu à mais próxima Herriko Taberna (bar ou centro social onde costumam reunir-se os simpatizantes da esquerda abertzale vasca) e atacou-a. Como agora ele encontra problemas em continuar a viver na referida terra, poderá ter de mudar de sítio ou necessitar de proteção policial. Alguns políticos do PP compreendem que o jovem, traumatizado, tenha vandalizado um lugar que não tinha nada a ver com o ocorrido.

A mensagem que perpassa tudo isto é clara: em Espanha, o discurso conservador e espanholista (muito presente nos meios de comunicação) defende que se matem homossexuais e se ataquem lugares com tendências não-espanholistas. A acompanhar.



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 21:04:41

21-01-2009

FOTOS, PÓVOA-VILA

PVz '08

Enquanto que no resto do mundo neva, aqui graniza. Para vosso espanto (e suprema inveja).

BLOGADO ÀS 00:17:58

13-01-2009

GAMANÇOS, FOTOS, LÍNGUA, CARTAZ, LIGAÇÕES, VÍDEOS, GALIZA, HUMOR, IMAGENS, AMIGOS, ACORDO ORTOGRÁFICO, PÓVOA-VILA

Atualizações 12/1/09

* O Vasquinho agora julga-se estrela de cinema e aparece em 32 revistas por mês:




* Pim Pam Pum, de Andoni de Carlos Yarza e Asier Urbieta. Via Igor.


* O Acordo Ortográfico e Vasco Graça Moura:

Acordo vai agravar a crise de 2009



* O Acordo Ortográfico em Coimbra:

Jornal “O Despertar” começa a aplicar acordo ortográfico



* Manuel Jorge Marmelo e Carlos Quiroga na TVG


* Paulo Moura:

O silêncio dos contentores

Enquanto o país discute se se deve ou não construir o novo terminal em Alcântara, fomos espreitar o que se passa por trás da barreira dos contentores. Uma semana no porto de Lisboa.



(negrito meu)

Aos poucos vai-se percebendo que não é só implicância minha: em Lisboa, há mesmo quem ache que Portugal é uma cidade.


* Para que ninguém se esqueça mesmo, Janeiro no Octopus:




* O mundo com os nomes certos (em inglês).

BLOGADO ÀS 01:31:18

10-01-2009

INSTANTÂNEOS, GAMANÇOS, OBSESSÕES, FERROVIÁRIO, NORTE, IMPRENSA, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Atualizações 10/1/09

* Neva no Porto,

Pera lá. E na Póvoa? Na Póvoa, não neva?

Maia,

O repórter TSF Nuno Miguel Martins está na auto-estrada Porto-Vila do Conde. Nuno, estás a ouvir-me? Parece que não.

Famalicão,

Já temos o contacto com o nosso repórter. Como está a estrada?

Guimarães,

A neve era só na Maia. Aqui a estrada está molhada mas sem neve.

Barcelos,

Existem no entanto freguesias de Vila do Conde mais longe do mar onde houve registos de neve.

Braga,

Na Póvoa, bolha. A neve passou-nos ao lado.


* Viana do Castelo:

Acessos ao porto de mar de Viana do Castelo serão lançados este ano. Estudos da ligação ferroviária concluídos até Junho. Garantias deixadas na cidade por governante, que presidiu à tomada de posse da administração do porto vianense.

(negrito meu)


* Segue o massacre em Gaza:

At least 30 people were killed in the Zeitoun district of Gaza after Israeli troops repeatedly shelled a house to which more than 100 Palestinians had been evacuated by the Israeli military, the UN said today.

No Guardian, através do Luís.

Voltando ao mapa (eu gosto muito de mapas), há quem defenda Israel e as suas ações (normalmente quando não estão a matar palestinos) porque 'Israel nasceu de acordo com as Nações Unidas'. Ora, nem isto é exatamente verdade nem o mapa proposto pela ONU foi o adotado. O mapa adotado era logo à partida desfavorável aos árabes, por reduzir as suas áreas e eliminar os pontos de contacto. E o que existe hoje em dia tem tudo menos a ver com o mapa adotado.

E o argumento das Nações Unidas é dos piores. Nunca qualquer resolução contra Israel passou na ONU. Os americanos vetam sempre. Assim, para que serve a ONU? Talvez esse seja um dos maiores desafios da nossa geração - reformular a instituição.

E, lamento, tenho muita pena pelas pessoas que estão a morrer em Gaza mas não compreendo a onda de contestação internacional. Acho bem que exista, mas o seu sentido é vago. Quando Israel retirar, a seu tempo, o statu quo mantém-se. Israel erguido, de chibata na mão, e o árabe no chão, prostrado. E é esse paradigma que tem de mudar.


* a primeira ideia é estúpida
a segunda é má
a terceira é assim assim
e a quarta

mas quem é que falou em quarta?


* Em relação à foto da campanha ateísta, o que têm de facto os crentes para nos assustar? Se não fizermos o que Deus manda, ele irá castigar-nos. Como? Fazendo-nos morrer mais cedo? Não, freiras tão santas que até dói morrem aos trinta por uma infeção no tornozelo. Não, Deus poderá matar-nos de morte natural aos noventa e dois, depois de uma vida dedicada à pornografia homossexual e milhares de amantes. O castigo: a eternidade no inferno. E será isso mesmo verdade? Não há relatos do inferno. Então ameaçar-nos com uma coisa que poderá acontecer mas que nunca ninguém comprovou é que leva tanta gente à missa? Não posso crer.


* Merda. Se me falam outra vez de neve eu juro que expludo. Como uma bola de neve.

BLOGADO ÀS 00:52:10

26-12-2008

INSTANTÂNEOS, PORTURARIDADE, LIGAÇÕES, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Atualizações 25/12/08

* Eis uma bela metáfora do galego:

No passado dia 20 de Dezembro de 2008 a Bolívia tornou-se, depois de Cuba (1961) e Venezuela (2005), no terceiro país livre de analfabetismo na América Latina. Mais de oitocentas mil pessoas fôrom alfabetizadas em espanhol, quechua ou aimará.

O método audiovisual «Yo si puedo» foi ministrado em espanhol, mas também em quechua e aimará, na tentativa de os falantes dessas línguas terem as mesmas oportunidades. Finalmente fôrom alfabetizadas 24 mil pessoas em quechua e trinta mil em aimará, um número aquém do esperado, pois a maioria escolheu o espanhol (previam-se duzentas mil e trescentas mil, respectivamente).

«Falar aimará e quechua era muito difícil, porque até para os jovens era umha vergonha falarem na sua própria língua;


Através do PGL.


* Admito que me dá um especial prazer as notícias de países nórdicos (Islândia) a quererem aderir à UE e ao euro ou, já estando na UE, apenas ao euro (Suécia, Dinamarca). Aparentemente, as economias europeias fora do euro estão mais expostas à crise. Aparentemente, digo eu, porque em questões económicas posso apenas especular (e quase nunca afirmar). Países como Portugal ou Espanha juntaram-se à UE por serem, na Europa Ocidental, dos mais pobrezinhos. Mas houve sempre países que não o fizeram por serem ricos e não quererem perder regalias da riqueza, como por exemplo o dinheiro (Noruega, Suíça), ou juntaram-se apenas parcialmente (Reino Unido, Suécia) de modo a colherem apenas o que lhe interessasse da União. Houve até uma região a separar-se da União de modo a não ter sobre si o peso das leis pesqueiras comunitárias, entre outras. Foi o caso da Gronelândia. Enfim. Dão-me para rir estas coisas.


* Em qualquer jornaleco ou revista improvisada surge sempre o inevitável 'mais e menos', seja do dia ou da semana. Ora na nossa incrivelmente rica e diversificada comunicação social, é regra. Por uma lógica que me ultrapassou, Nicole Kidman apareceu certeira em todas elas, e em todas na zona 'negativa'. Isto porque Nicole (não te importas que te trate por Nicole, pois não, Nicky? Na boa), num programa televisivo australiano, soprou num tubo de maneira de modo a produzir sons. Tocou, por assim dizer, num didjeridu. Os aborígenes, rezam as crónicas, ficaram piursos, e logo eles que nunca viram um urso. Toda a gente sabe que o didjeridu é exclusivo dos homens, para além de provocar infertilidade nas mulheres.

Erro fatal de Nicky, numa altura em que quer ter tantos filhos? Não, erro fatal dos 'jornalistas' portugueses. Agora que cada vez mais se esbatem fronteiras entre géneros e se diminuem o número de empregos exclusivos de um ou outro género, qual o sentido de glorificar essa prática aborígene restrita a apenas um dos sexos? Pouco ou nenhum.

Mas não. Má Nicole Kidman. Má.


* Sempre achei que os bileiros eram porquitos. Agora surge a confirmação:

Não é por estar mais suja, mas porque gasta pouco em limpeza e os munícipes pagam pouco pelo serviço que Vila do Conde não ganhou o título da cidade mais limpa, galardão que perdeu para a vizinha Póvoa de Varzim.

No JN.


* Não consigo pensar na Casa da Música sem arriscar um sorriso de satisfação. Não vou falar da obra nem do processo da sua construção - talvez um dia destes - mas sobre a sua função. E essa é a evangelização do pobo em relação a todas as músicas. E admito que, do que depreendo do que vou vendo, tem cumprido a sua função. Os espetáculos estão cheios e o pobo sai satisfeito. O clubbing junta a malta, careiro, mas vai tudo lá parar. Tem serviço educativo, cria softwares musicais e vai adaptando a programação à cidade. Tudo rola sobre carris.

O que me traz aqui tem a ver com uma ideia. Mais uma vez, são os meus preconceitos a funcionar. Mas sigam o meu raciocínio. Nesta abrangente classe média, há ditames a cumprir. Um desses ditames, parece-me, é o gostar de música. A Casa da Música, imagino, tem a mesma função da música clássica para quem não gosta nem tem qualquer interesse na música. É que a música clássica é muito dada a ser ouvida. Grande parte das peças clássicas têm esse condão, e parece-me que não será apenas um portal iniciático para quem não tem cultura musical, mas antes uma máscara para quem não liga a música. Assim, ir à Casa da Música funcionará também como um advento social. De integração, talvez.


* Um arquivo incrível: Europa Film Treasures. Através do ípsilon.

BLOGADO ÀS 01:07:09

28-10-2008

CARTAZ, NORTE, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Recount


Hoje, na sede do Octopus, pelas 21h45. Entrada grátis. E como eu, não sendo grátis, sou bastante baratinho, estarei obviamente presente.

BLOGADO ÀS 12:55:50

20-10-2008

CARTAZ, LIGAÇÕES, NORTE, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

Octopus


Aproveito para anunciar que o Octopus retoma as emissões regulares em Novembro, com tela e som renovados. Vou lá estar no dia 13 para rever La Graine et le Mulet, um dos melhores filmes dos últimos anos, e no dia 27, para ver o Surveillance. Alguém mais?

BLOGADO ÀS 12:10:44

16-09-2008

PORTURARIDADE, OCORRÊNCIAS, FOTOS, IMAGENS, NORTE, PÓVOA-VILA, GRANDE PORTO

a impunidade acaba aqui

Rua Santos Minho (Póvoa de Varzim), hoje (16/09/08) pelas 14h.

Uma pedra atravessa a vidraça do primeiro andar e atinge o passeio. Um homem olha para baixo através da vidraça, depois para mim, chama um rapaz e manda-o limpar antes que alguém visse. O rasto ficou. Se eu passasse sob a janela na altura, poderia bem morrer.

BLOGADO ÀS 17:24:13

28-06-2008

FOTOS, IMAGENS, PÓVOA-VILA

são pedro na póvoa (hoje)


O trono do Sul. Inevitavelmente, ainda o meu bairro.


O trono do Norte, que nunca foi o meu bairro.


O trono da Matriz, o meu bairro atual.

BLOGADO ÀS 18:01:56

20-03-2008

FOTOS, PÓVOA-VILA

Quintas e Quintas

Como vos falei aqui, o pior aconteceu. A única fachada decente do Quintas foi mesmo abaixo. O dono de obra argumentou falhas estruturais graves, mas prometeu repor o original. Acham mesmo? Eu não acho.

Como era

e como ficou.

(o texto segue com alguns meses de atraso. as minhas sinceras desculpas)

BLOGADO ÀS 03:14:18

06-02-2008

FOTOS, EU, IMAGENS, MONTA, PÓVOA-VILA

ecofoto

BLOGADO ÀS 04:25:42

06-02-2008

RECORRÊNCIAS, PORTURARIDADE, FOTOS, PÓVOA-VILA

nome de rua

É de facto idiota morar numa Rua Viana do Castelo. Ainda mais idiota seria morar numa Rua Doutor Belarmino José Correia de Sousa (antiga Rua da Ponte). A rua pode já nem ter ponte, mas foi a ponte que lhe deu nome e assim lhe emprestou algum carácter. No bairro sul, onde morei a minha infância, as ruas ainda se chamam Rua dos Ferreiros e Rua de Trás-os-Quintais. Como deve ser.

BLOGADO ÀS 04:16:13

18-09-2007

IMAGENS, PÓVOA-VILA

campões, nacinais, cilcistas


Concordo com o valter. Vacoradas fascizantes, digo, bacoradas fascinantes. Até dá para fazer uma musiquinha, ora cantem comigo,

campões, nacinais, cilcistas,
lá lá lá lá lá lá

campões, nacinais, cilcistas,
lá lá lá lá lá lá


(sei bem que as letras são pequeninas, no cartaz. vão ter de acreditar em mim)

BLOGADO ÀS 00:15:39

03-09-2007

PÓVOA-VILA

to be não é viver

O slogan da Câmara da Póvoa

É bom viver aqui

vem apoiado pela frase em inglês

It's good to be here

Acho que copiei bem. À primeira imagina-se uma tradução. Uma traduz a outra.

Mas 'viver' não é, de facto, 'to be', que significa 'estar'.

Sugiro uma exlicação: a frase de cima é para portugueses, que ou já moram na Póvoa ou, sendo turistas, poderão vir a morar cá; a segunda para estrangeiros, com menores probabilidades de acabarem como moradores da Póvoa.

Tudo bem. Mensagens diferentes para públicos diferentes. A única questão é que, para qualquer espectador mais desatento, parece mesmo uma tradução. E assim fica a saber um pouco menos de inglês. Ou de português.

BLOGADO ÀS 17:55:22

12-06-2007

OCORRÊNCIAS, IMAGENS, PÓVOA-VILA

via nova

e, de repente, a epifania. habituado já à modorra suburbana, ainda não absorvi bem esta novidade. o meu bairro, chamado de mourões (imagino eu), tem daquelas maravilhas que me lembram, todos os dias, que moro em portugal.

se a póvoa é a capital dos desastres urbanísticos oitentistas do norte litoral, o meu bairro é a sede das réplicas dos desastres urbanísticos oitentistas. pois se não foi construído nos anos oitenta (mas sim nos últimos anos), é como é porque a câmara não conseguiu proibir os direitos adquiridos de construção que vinham dessa década nefasta. assim não houve arquitectos, paisagistas ou sequer urbanistas a darem uma ligeira vista de olhos ao loteamento de mourões. tudo à vontade do freguês.

o trânsito é outra das maravilhas. como podem ver em cima, eu moro no x. em cima da imagem têm a alameda do modelo (o nome não é este??? não me lixem), que ainda está por concluir. o trânsito urbano entre a póvoa e a vila, assim, encana por onde pode. como até agora as vias estavam apenas meias feitas, praí um terço do trânsito da póvoa encanava onde? na minha rua. (aproveito para relembrar que moro no x). a minha rua, para além de não estar preparada para tanto trânsito (por ser, acreditem ou não, larga demais, e ter paralelos), teve ainda a bênção de lombas de velocidade. parece uma gincana. todos a desviarem-se das lombas. qualquer dia subiam passeios.

com as duas vias a concretizarem-se (a do modelo-modelo e a do cemitério), na minha humilde rua viana do castelo passará apenas o trânsito de quem cá mora.

mas o essencial disto, que já me perdi, era a minha epifania. ora bem. nos dois últimos dias percorri as novas vias, ainda fechadas ao trânsito. já sabia que morava junto aos campos, mas sem perceber bem o que isso queria dizer. e percebi. as novas vias passam (literalmente) sobre os campos. puseram a descoberto coisas que para mim pareciam apenas pertencentes a contos de fadas. ou de gente maluquinha. já via coelhos, muros imensos de granito (alguns infelizmente cortados pela estrada), ramadas, campos de milho e outros tubérculos não identificados, famílias inteiras a passear de bicicleta. entretanto, no meio deste meu deslumbramento de ter encontrado o lado escondido do meu bairro, percebi o perigo que existe sobre ele. nunca podemos esquecer que cidade é cidade. densa. mas adoro a ideia da diferenciação clara cidade/campo, e não esta ambiguidade em que vivemos aqui no minho. e pensar que somos dos países na europa com menor participação cívica. acordem, carambas!

tornando uma entrada comprida curta, sr. macedo vieira, pense bem antes de encher aquela via de prédios. ainda não são precisos. faça isso no centro. até lá, deixe-nos este pedacinho de natureza. e faça uma linha a tracejado para as famílias continuarem a ir às compras de bicicleta.

BLOGADO ÀS 22:44:38

04-06-2007

OCORRÊNCIAS, FOTOS, PÓVOA-VILA

quintas

essa era a fachada traseira do Quintas, cá na Póvoa. tirei a foto no início dos trabalhos de demolição, com medo que também isto fosse abaixo. ao contrário do resto da fábrica, esta parecia-me a única parte com alguma pinta. já tinha mesmo posto cá no blogue, mas perdi a entrada.

no jornal de há algumas semanas noticiavam a demolição total do Quintas. mesmo este pedacinho, com óbvio interesse arquitectónico, desapareceu. a explicação apresentada dizia que, apesar da intenção de manter esta fachada no projecto final, debilidades estruturais ditaram a demolição. mas explicaram que iriam reconstruí-la.

a minha versão. demoliram tudo o que havia, alguém resmungou que aquela fachada era importante, e aí inventaram desculpa. seja como for, a fachada parecia duradoura. e, ao contrário de Portugal, lá fora (o arquitecto é catalão) o conceito de restauro significa botar abaixo e fazer de novo. mesmo nos centros históricos.

espero que algo de bom aconteça. até na Póvoa há património.

BLOGADO ÀS 01:34:24

24-04-2007

FOTOS, GALIZA, VIAGENS, IMAGENS, AMIGOS, MONTA E RECORTA, PÓVOA-VILA

entre o mar

já que não dá para ser produtivo hoje, decidi não ser produtivo aqui no blogue. assim sendo, mar para todos. falar com o romeu dá para estas coisas.

BLOGADO ÀS 06:20:03
powered by b2evolution free blog software