Categoria: BICICLETAS

29-06-2009

CADERNOS, FOTOS, IR'05, VIAGENS, BICICLETAS

19/12, 13h30, Paragem (Den Haag)

Decidi esperar que a chuva passe numa paragem de autocarros. Andei no início da manhã a tentar chegar ao mar, e o resto da manhã a tentar descobrir o Hoek van Holland. Não sei o que é, não sei onde é, mas tenho a ligeira sensação que será interessante. Como não consegui descobrir, vou tentar ir ao centro de Den Haag, já que ainda não saí dos subúrbios. Ainda há luz.







IR'05 é a transcrição do diário escrito durante uma viagem de comboio através da Europa entre Novembro e Dezembro de 2005. todas as entradas aqui

tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 23:57:51

15-05-2009

OCORRÊNCIAS, LÍNGUA, BICICLETAS, FERROVIÁRIO, PORTUGAL ESPERTO, TRÁS-OS-MONTES

Atualizações 14/5/09

* É óbvio que eu, tendo tido umas cadeiritas de engenharia, não me arrogo a assinar projetos de especialidades. Muitos engenheiros e engenheiros técnicos, no entanto, achavam-se capazes de assinar projetos de arquitetura. Portugal passou 35 anos com o seu desenvolvimento urbanístico regulado por uma das leis mais incivilizadas da Europa. Daqui a 5 anos, seremos um país um pouco mais normal:

Só os arquitectos passam a poder assinar projectos

Uma longa luta, de mais de 35 anos, dos arquitectos portugueses chegou ontem ao fim: o decreto 73-73, que permite o exercício da arquitectura a profissionais sem a qualificação necessária para isso, vai ser revogado. A proposta de lei 116/10 foi aprovada na comissão parlamentar de Obras Públicas e será votada amanhã pela Assembleia da República.

“É um momento muito importante na vida dos arquitectos. É um novo ciclo que se abre”, diz João Rodeia, presidente da Ordem dos Arquitectos, declarando-se “muito satisfeito” com o desfecho do processo e, sobretudo, com o facto de a nova lei ter resultado de um acordo “inédito e histórico” com a Ordem dos Engenheiros.

Até aqui, a lei portuguesa permitia que projectos de arquitectura fossem assinados por pessoas sem formação específica na área – nomeadamente engenheiros. A nova lei “consagra a arquitectura para os arquitectos”. E vai mais além do que a revogação do 73-73, decreto maldito no mundo da arquitectura. Reconhece, por exemplo, o trabalho dos arquitectos nas áreas de urbanismo, fiscalização de obra e direcção de obra.

Vai haver ainda um período de transição de cinco anos, mas depois disso, explica Gonçalo Menéres Pimentel, assessor jurídico da Ordem, “qualquer obra, da ponte ao quiosque, tem que ter um projecto de arquitectura necessariamente subscrito por arquitectos”. As únicas excepções são a renovação de interiores em edifícios não classificados e obras “de escassa relevância urbanística”.

Cada obra deve também ter um projecto de engenharia. A fiscalização pode ser feita quer por engenheiros, quer por arquitectos, dependendo da “natureza predominante da obra”. “O que se consagrou – sublinha Menéres Pimentel – é que a actividade de projecto é multidisciplinar”.



No Público.


*

Câmaras de Vagos e Aveiro trocam carros por bicicletas
Funcionários utilizam velocípedes sem motor nas deslocações profissionais, agilizando alguns serviços

Funcionários da Câmara de Vagos pediram ao presidente da Autarquia bicicletas para percorrer distância entre a Câmara e outros serviços públicos no centro da vila. Veículo rápido, económico, fácil de estacionar e não polui.

Se um dia reconhecer um fiscal da Autarquia, um técnico do sector de património, urbanismo ou qualquer outro funcionário da Câmara Municipal de Vagos (CMV) a andar de bicicleta, em pleno centro da vila de vaguense, em horário laboral, não se admire. É o mais recente veículo adquirido pela Autarquia, para facilitar a mobilidade dos funcionários.

(...)



No JN.


* Foi o que me pareceu perceber, mas eles confirmam - a Declaração de Impacto Ambiental da Barragem de Foz Tua não obriga a EDP a fazer uma nova linha ferroviária. Primeiro diz que sim, mas depois indica que a EDP deverá realizar um 'análise da viabilidade de construção de um novo troço de linha férrea'. Já que a Linha do Tua será inapelavelvemente submersa em parte da sua extensão, uma nova linha terá de ser feita nesse troço, mas a Declaração apenas manda a EDP fazer um estudo. E se o estudo concluir que a nova linha é muito cara (o mais provável), como ficámos? Com estudo e sem linha?

Mais no linhadotua.net.


* E ainda há quem diga que os políticos portugueses são maus - se querem reacionários, conservadores sem vergonha e fascistas, vejam os nossos vizinhos:

Mayor Oreja se enorgullece de que su bisabuelo prohibiese hablar el euskera en su casa

"Mi bisabuelo se esforzó para que sus hijos no se encerrasen en el granero. Prohibió que hablaran el vasco en casa, para que aprendieran bien el español". El guipuzcoano Jaime Mayor Oreja, que encabeza la lista del Partido Popular a las elecciones europeas del próximo junio, se enorgullece de esta historia familiar suya. La ha narrado esta mañana en Barcelona para justificar su oposición al modelo de inmersión lingüística en las escuelas catalanas, que consagra la lengua propia de Cataluña como la vehicular en los colegios.

(...)



No El País, via garabulho.



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 01:16:35

27-04-2009

PORTURARIDADE, ACORDO ORTOGRÁFICO, BICICLETAS, ENTRE-DOURO-E-MINHO

Atualizações 26/4/09

* Algarve - obsessão por rotundas, carinho por bicicletas:

EN125 sem anúncios e com 71 rotundas

A EN125 terá 71 novas rotundas, uma ciclovia em toda a sua extensão e não terá publicidade quando terminarem, em 2012, todas as obras previstas. O contrato de concessão, que é assinado hoje, em Faro, com a presença do primeiro-ministro, prevê a requalificação da estrada de 157,5 quilómetros, a construção de 30 quilómetros e a exploração de mais 86 quilómetros de outras vias.

(...)

No Correio da Manhã.


* Há uma escola que já segue o Acordo Ortográfico, se bem que ainda parcialmente:

Regras por mudar nas escolas

Os alunos do externato Papião, em São Pedro do Estoril, acham mais fácil escrever com as regras do Acordo Ortográfico do que com as actuais. Quem o garante é Isabel Nunes, directora do estabelecimento de ensino, o primeiro do País a adoptar as novas regras. "Os alunos já estão bem adaptados e acham que é mais fácil", contou ao CM.

(...)

O acordo não está contudo a ser adoptado de forma integral. 'Tivemos dúvidas na aplicação das novas regras de acentuação e dos hífens, por isso decidimos apenas aplicar a regra da eliminação das consoantes ‘c’ e ‘p’ quando não se pronunciam', afirma a responsável, defendendo a necessidade de serem promovidas 'acções de formação de professores que esclareçam as dúvidas'.

(...)

O ministro da Cultura, Pinto Ribeiro, afirmou que o Acordo deve entrar em vigor já a 5 de Maio. Mas o Ministério da Educação já disse que não se aplicará nas escolas no próximo ano lectivo. As associações de pais criticam as divergências.

(...)

No Correio da Manhã, através dos Blogtailors.


* Gente que se vem pelo cu, de excitação pura, ao torturar touros e outros animais domésticos como garnizés e ervilhas-de-cheiro, manifesta-se:

"Façam referendo que a cidade aprova touradas"



No JN.



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 00:17:21

06-02-2009

GAMANÇOS, BICICLETAS, FERROVIÁRIO, IMPRENSA, MÁ IMPRENSA, TRÁS-OS-MONTES

Atualizações 5/2/09

*Sugestões da M:

Alterações do Código da Estrada para o aumento da segurança no uso da bicicleta (texto riquíssimo de conteúdo e competência - aconselho a todos a leitura);

Petição ao Presidente da República - O direito dos ciclistas em Portugal e a necessidade de revisão do Código da Estrada


* Linha do Tua:

Estudo ambiental da barragem do Tua prevê alternativa rodoviária e contradiz Governo

A secretária de Estado garantiu que o comboio não acabaria no vale do Tua. Não é isso que a EDP propõe:a linha será submersa. Em troca haverá um museu

A Horas após o último acidente na Linha do Tua, no passado dia 22 de Agosto, a secretária de Estado dos Transportes e Mobilidade, Ana Paula Vitorino, garantiu que aquele troço ferroviário iria continuar, mal fossem repostas as condições de segurança. Nem mesmo a construção da futura barragem do Tua acabaria com o comboio naquele vale, pois o promotor da obra, a EDP, "teria que encontrar uma alternativa ferroviária", assegurou a governante.

Mas o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do futuro Empreendimento Hidroeléctrico de Foz-Tua (EHFT), actualmente em fase de consulta pública, apenas prevê uma alternativa rodoviária à submersão da linha ferroviária actual. Para compensar o fim do comboio, a EDP propõe a construção de um pequeno museu (ver caixa).

Qualquer uma das três cotas da barragem que estão em estudo leva ao fim do traçado actual da Linha do Tua. Com o nível de armazenamento pleno (NPA) de 195 metros, o mais alto e também o mais rentável para a EDP, a linha será submersa em 31 quilómetros, com as águas a alagarem nove apeadeiros. Para um NPA de 180 metros, desaparecem 23 quilómetros de linha e sete apeadeiros. A cota mais baixa, 170 metros, inundará 16 quilómetros de linha e quatro apeadeiros. Como alternativa para o fim da linha, a EDP propõe um serviço rodoviário baseado em autocarros e em viaturas de pequena dimensão para as localidades mais isoladas a funcionar entre a estação do Tua e a última estação ferroviária não submersa - à cota máxima, será a do Cachão, a 13 quilómetros de Mirandela.

Mesmo antes de a albufeira começar a encher, a linha terá que ser cortada entre a estação do Tua, onde entronca na Linha do Douro, e o apeadeiro de Tralhariz, para a realização dos estudos e trabalhos geológicos e geotécnicos necessários à elaboração do projecto.

Neste cenário, e como a linha se encontra encerrada até que sejam realizados todos os estudos e trabalhos de reparação da actual plataforma, cujas más condições contribuíram para o último descarrilamento, não é de excluir que as ligações ferroviárias entre o Douro e o vale do Tua não voltem a ser retomadas.

A construção de uma nova via ferroviária teria um custo incomportável e apenas a autarquia de Mirandela está verdadeiramente empenhada na manutenção da linha. Além de que a elevação da cota da linha inviabilizaria qualquer ligação com a Linha do Douro. Resumindo: o comboio só deverá continuará a apitar no vale do Tua se a barragem não avançar.

Os argumentos a favor da construção do EHFT enquadram-se na estratégia energética do Governo.

Como é sublinhado no EIA, a barragem "contribui, de forma directa, para a produção de energia limpa através de um recurso renovável e, de forma indirecta, (...) para a utilização da potência eólica instalada, ao mesmo tempo que presta um importante serviço para aumentar a segurança de abastecimento energético e para reduzir a emissão de gases". Para a EDP, é uma barragem fundamental, porque pode tirar partido da cascata de barragens que possui a jusante e rentabilizar ainda mais os parques eólicos que possui no Marão.

O custo principal é a destruição de uma das mais belas linhas ferroviárias nacionais, que, pela beleza do percurso e pelo gigantismo técnico da sua construção, teria sido possível candidatar, em devido tempo, a património mundial. Outros impactes negativos, caso prevaleça a cota máxima, serão, por exemplo, a submersão de perto de 100 hectares de vinha, que incluem a Quinta da Brunheda e a Quinta da Azenha das Três Rodas, a perda das captações de água de Sobreira e Barcel e a destruição das Caldas de Carlão e respectivos anexos, de dois edifícios em São Lourenço, um em Barcel e mais 56 edifícios. Será também submersa a ponte da Ribeira de Milhais e cortadas algumas ligações rodoviárias entre as estradas municipais. No EIA, é reconhecido que ocorrerão "impactes muitos negativos ao nível da agricultura e agro-indústria, com repercussões também muito negativas ao nível do emprego e dos movimentos e estrutura da população". "Isto porque", pode ler-se, "serão alagadas áreas onde a actividade vitivinícola é responsável pela presença de uma comunidade jovem, por exemplo nas freguesias de Candedo, Pinhal do Norte e Pereiros".

A opção pela cota mais baixa permitirá salvar a Quinta da Brunheda e também as Caldas de Carlão, no concelho de Alijó. Já as Termas de São Lourenço não serão afectadas, podendo mesmo beneficiar da barragem.



* Sobre aulas de karaté para idosos, o jornalista da RTP refere que, "numa altura como esta", é coisa que dá jeito.

O que quer dizer ele com isto? Existe uma vaga de crime violento? Portugal é um país violento?

Nem uma coisa nem outra. Nem Portugal é um país inseguro nem se tornou mais inseguro nos últimos tempos. É com este tipo de mau jornalismo que as mães não deixam os putos brincar na rua, que os velhotes não saem de casa à noite, que põe todagente a achar que, na realidade, Portugal é mesmo um país violento.

Não sei em que estado dos EUA (Califórnia?), mas num determinado período de tempo o crime reduziu-se 20%, mas a exposição mediática do crime aumentou 200%. Consequência: enquanto o crime diminuia, as pessoas ganhavam medo.


* O patrocínio que ainda não tenho (mas mataria para garantir):





tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 01:27:54

26-01-2009

PORTURARIDADE, BICICLETAS, NORTE, URBANISMO DE PONTA

Atualizações 25/1/09

* No Nós por cá falam dos não-incentivos fiscais às bicicletas. Um tema bonito que merecia ser referido mais vezes.


* Bragança aprova primeiro plano de urbanização:

O PU esteve em discussão pública entre Setembro e Outubro, e foi alvo "de muita participação" por parte da população, garantiu Caseiro. Foram feitas 30 propostas de alteração, a maioria delas relacionadas com as plantas de zonamento. Metade foi aceite. O documento permite o alargamento do perímetro urbano de 968 para 1526 hectares, e um aumento de cerca de 300% da área afecta à Estrutura Ecológica Urbana. O potencial de construção futura é de sete mil fogos, mais 46% do que os 15.073 que existem actualmente. Ao todo a área urbana total é de 15,3 Km2, o equivalente a 1,3% da área do município que tem 1173,63 km2. O PU prevê ainda a integração da freguesia de Samil no perímetro urbano da cidade. Este é o primeiro PU da cidade e só foi conseguido 60 anos depois da primeira tentativa de o elaborar.


Nada de novo: duplicação da área urbana e mais 7.000 novos fogos. Quando é que a construção pára? E para quê tanta construção nova numa zona com queda populacional?


* Esta gente pega nos bichos, esteriliza-os e lança-os de novo na rua - não é sadismo, é mesmo civismo.

BLOGADO ÀS 02:20:43

24-01-2009

GAMANÇOS, BICICLETAS

Atualizações 23/1/09

* Extensão aos velocípedes dos benefícios fiscais à aquisição de veículos não poluentes (petição)


* Detesto o Maradona mas, enfim, puta de citação:

pessoas de má índole vieram aqui desmentir-me, utilizando para tal, à falta de melhor, argumentos


Via A Origem das Espécies.


* Mais porrada?

Uma nova celebração da zona pedonal de Almada está marcada para esta tarde, uma semana depois de a Polícia ter sido acusada de agredir transeuntes. Desta vez, as pessoas são convidadas a levar protecções.

Eu pedi e eles não me avisaram. Se houve porrada outra vez e eu não estava lá fico chateado.


* Uma mulher: Bai Ling

(sugestão do Marmelo)

BLOGADO ÀS 00:42:21

14-12-2008

RECORRÊNCIAS, GAMANÇOS, PORTURARIDADE, FOTOS, IMAGENS, BICICLETAS, IMPRENSA, URBANISMO DE PONTA, PLANEAMENTO MACADAME, MULHERES

Atualizações 13/12/08

* Na adolescência, Avelino Ferreira Torres corria os cem metros em 6.4 segundos.


* Uma no cravo, outra na ferradura: VL8 terá ciclovia e rotundas em vez de semáforos.


* O Bolhão tem um projeto feito há anos que cheguem: o de Joaquim Massena, pago com dinheiros públicos. Uma boa notícia: a reabilitação do Bolhão não prevê parque de estacionamento.


*

Quercus e Geota deram parecer desfavorável ao estudo de impacte ambiental da Terceira Travessia do Tejo (TTT), cujo processo de consulta pública terminou esta terça-feira. A componente rodoviária motivou o chumbo.


Mais aqui.


*

Algarve: pinhal já está a ser abatido para construir duas mil camas junto à praia Verde

Na ecosfera.


* Um pouco de humor para animar este outono friorento: Auto-estrada 4 é resposta à crise económica e social. Depois de vinte e tal anos a construir auto-estradas, faltam apenas mais alguns milhares de quilómetros para atingir o desenvolvimento.


* Apesar dos erros constantes, apesar do lisboacentrismo, apesar do hype, apressadamente imediatista, apesar do plágio não declarado: finalmente, o ípsilon está online.


* Uma mulher: Rose McGowan

BLOGADO ÀS 01:04:28

03-12-2008

INSTANTÂNEOS, FOTOS, OBSESSÕES, LÍNGUA, GALIZA, IMAGENS, BICICLETAS, MULHERES

Actualizações 2/12/08

* Abba, Dancing Queen




Chicoteiem-me, ridicularizem-me, etc. Os primeiros vinte segundos são écstasi.


* Proto-Abba?

Via Constant Siege.


* Assinem aqui esta petição, um pouco provocatória mas totalmente justificável, para equiparar as bicicletas aos carros elétricos como veículos não poluentes e, assim, beneficiar "de uma dedução à colecta no IRS de 30% dos custos de aquisição".

Via Menos Um Carro.


* Sessão Inaugural da Academia Galega da Língua Portuguesa


* É pena o castrapo, mas é a terra da pergunta total.




* É mesmo verdade. Olivença é portuguesa.


* Uma mulher: Nurgül Yesilçay

BLOGADO ÀS 00:11:55

02-09-2008

RECORRÊNCIAS, GAMANÇOS, OBSESSÕES, PORTUGAL MELHOR, BICICLETAS

andar de bicicleta

Distâncias médias (em quilómetros) percorridas de bicicleta pelos cidadãos europeus (anualmente):

Holanda _ 1019
Dinamarca _ 958
Bélgica _ 327
Alemanha _ 300
Suécia _ 300
Suomi _ 282
Irlanda _ 228
Itália _ 168
Áustria _ 154
Grécia _ 91
França _87
RU _ 81
Luxemburgo _ 48

Portugal _ 5

Espanha _ 24


No 100 dias de bicicleta em Lisboa.

BLOGADO ÀS 17:12:05

26-06-2008

GAMANÇOS, OBSESSÕES, BICICLETAS

Mário J. Alves, encorajar o uso da bicicleta - que opções?, arquitectura e vida #94

A queda de cocos mata 150 pessoas por ano em todo o mundo, 15 vezes o número de fatalidades atribuídas a tubarões. No entanto, as pessoas têm mais medo de tubarões que de cocos.

BLOGADO ÀS 13:30:20
powered by b2evolution free blog software