Categoria: REGIONALIZAÇÃO

12-05-2009

LÍNGUA, CARTAZ, GALIZA, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO, NORTE, CENTRALISMO, POLÍTICA À PORTUGUESA

Atualizações 11/5/09

* Finalmente o bom senso:

Empresa de energia apadrinhada por Sócrates e Pinho perde certificação

A empresa Energie, da Póvoa de Varzim, perdeu a certificação de produtora de equipamentos solares térmicos, apurou o PÚBLICO. O laboratório alemão que tinha certificado os seus produtos retirou-lhe essa classificação, no final da semana passada.



No Público.


* José Sócrates:

Há uma questão que está a preocupar muita gente no Porto e no Norte: o que vai acontecer ao aeroporto? Ficará na dependência nacional, na ANA, ou terá autonomia administrativa?

É preciso para o país que haja uma gestão conjunta das diferentes infra-estruturas aeroportuárias, sobre isso não tenho a mínima dúvida e remeto todos aqueles que têm opinião diversa para um estudo feito pela ANA que é muito explícito relativamente a esse ponto.



No JN, via ACdP.


Há três premissas básicas, que convém nunca esquecer:

-o potencial de passageiros do aeroporto Sá Carneiro é infinitamente superior ao de qualquer aeroporto construído à volta de Lisboa;

-os aeroportos não 'têm' de ser geridos em rede - a gestão em rede tem de ser feito pelas transportadoras aéreas;

-só um país muito pequeno (como o Luxemburgo) pode pensar na ideia de aeroporto nacional.

Assim sendo, o que se percebe de todas estas movimentações políticas é de que o Governo acha que a ANA só conseguirá uma privatização favorável se esta incluir todos os aeroportos que gere neste momento. E que o aeroporto de Alcochete só fará sentido, na sua megalomania descabida, se tiver os aeroportos de Faro e do Porto abaixo de si na hierarquia, a alimentá-lo. Remeter o jornalista para um 'estudo feito pela ANA' é como remeter o jornalista para a 'opinião da ANA'. E o interesse da ANA é óbvio.


* Há quem ache que só podem existir ciclovias se se mantiverem os privilégios dos automóveis. Eu, obviamente, penso o exato contrário - as ruas já estão entregues aos carros, porquê insistir nisso?

Ciclovia em Alvalade abre acesa polémica

O presidente da Junta de Freguesia de Alvalade, em Lisboa, considera o projecto "uma aberração". O vereador Sá Fernandes diz que o caso ainda está a ser estudado. E os utilizadores de bicicletas criticam a Junta.

Em causa está um troço de uma pista ciclável projectada para atravessar a Rua de Entrecampos e a Avenida Frei Miguel Contreiras. Esta ciclovia faz parte do plano da Câmara Municipal de Lisboa para uma rede de pistas cicláveis que deverá atingir os 25 quilómetros de extensão até ao final do ano.

Armando Dias Estácio, presidente da Junta de Freguesia de Alvalade, emitiu um comunicado e um abaixo-assinado num tom bastante crítico contra o projecto. Sucintamente, a Junta de Alvalade considera "um absurdo" a construção de uma pista ciclável na Rua de Entrecampos. A diminuição de estacionamento automóvel é o argumento apresentado.



No JN.


*


Dia 17 de Maio em Compostela:

Por todo isto este 17 de maio queremos fazer saber que:

1. É umha falácia que exista umha imposiçom do galego. A imposiçom do castelhano nom tem discussom desde o momento em que é a única língua que todos os cidadãos e cidadãs do estado espanhol têm a obriga de conhecer segundo a constituiçom espanhola.

2. Reclamamos, para enfrentar esta situaçom, a aboliçom do sistema legal que subordina o galego ao castelhano, a aboliçom do supremacismo castelhano que procura a limpeza do galego e exigimos a implementaçom de autênticas políticas de normalizaçom lingüística ao serviço da nossa sociedade.

3. Consideramos hipócrita a negaçom do conflito lingüístico existente na sociedade galega, causado por umha legislaçom de inspiraçom perversa, que condiciona e impede o desenvolvimento de umha verdadeira normalizaçom lingüística. Exigimos, aliás, que instituições teoricamente concebidas para o estudo e potenciamento da língua (RAG e ILG) se pronunciem sobre tal conflito, saindo de um silêncio que colabora na subordinaçom do galego e na manutençom do supremacismo castelhano.

4. Afirmamos que a normalizaçom lingüística é um direito colectivo inalienável, constituindo a necessária coesom social de cada povo em torno à língua própria. O monolingüismo social é o complemento natural ao polilingüismo individual e à diversidade lingüística crescente das sociedades actuais. Negamos a reduçom do galego a um fenómeno meramente individual pois, como qualquer língua viva, é umha realidade social cujo sentido e utilidade reside no seu uso na Galiza como língua comum a todos e todas e para o relacionamento internacional.

5. Toda a instituiçom social, como os meios de comunicaçom, ensino, administraçom e quaisquer serviços públicos, deve contribuir, portanto, à eliminaçom dos preconceitos e discriminações contra a nossa identidade lingüística e cultural e promover a normalizaçom lingüística. Denunciamos especialmente a pretensom de continuar discriminando o galego no ensino infantil e pré-escolar, encorajando o auto-ódio e a galegofobia.

6. Consideramos que, frente ao recrudescimento do discurso refractário ao galego na vida pública, a política lingüística nos últimos quatro anos se tem caracterizado polo continuísmo com a era fraguista. E que com a chegada do novo governo à Junta da Galiza se aproximam tempos de retrocesso e de concessom aos sectores mais espanholistas.

7. A nossa aposta é reintegracionista, pois consideramos que o único futuro do galego passa por integrar-se no mundo da Lusofonia que permitirá a sua sobrevivência, ajudará ao seu prestígio e, sobretudo, fará com que os utentes tenham um universo de possibilidades de relações humanas, comerciais e culturais ao seu dispor.

8. Fazemos parte do movimento social de base que trabalha diariamente ao longo de muitos anos para a dignificaçom da língua e da cultura galegas e que nom somos um movimento que fique à espera de que governos ou instituições venham a lançar leis que salvem ou embarguem o futuro da língua.

9. O sistema cultural galego, com todos os seus produtos, é um sistema cultural dependente do sistema cultural espanhol e tem como conseqüência que todos os produtos que chegam a nós tenham que ter passado anteriormente um filtro. A nossa cultura nunca conseguirá falar em pé de igualdade com culturas doutros lugares estando baixo este jugo, pois nom poderá ter presença própria, senom através da espanhola.

10. Denunciamos a discriminaçom e silenciamento da tradiçom cultural galeguista do reintegracionismo, e reclamamos o justo reconhecimento social de umha das principais figuras culturais do século xx galego, cujo legado continua vivo: Ricardo Carvalho Calero, para quem reclamamos o Dia das Letras no ano 2010, ano em que se cumprem 100 anos do seu nascimento e 20 anos do seu finamento.





tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 02:01:18

31-03-2009

REGIONALIZAÇÃO, ACORDO ORTOGRÁFICO, FERROVIÁRIO, NORTE, GRANDE PORTO

Atualizações 30/3/09

* As minhas fontes falharam: afinal fecharam a linha do Corgo e a do Tâmega, ambas por razões de segurança, e Ana Paula Vitorino anunciou que as linhas serão modernizadas, gastando-se 1 milhão de euros por quilómetro, o que me parece simpático.

Dizem por aí que a reconversão da Linha do Tâmega incluirá a passagem de via estreita a via larga, passando assim a fazer parte da rede de suburbanos do Porto, com comboios diretos. Consequentemente, passará muito facilmente das 150 pessoas por dia para largos milhares. Claro que certas pessoas de Lisboa não entendem isto. Não sei quem é Maria João Avillez, mas detesto-a. Pessoazinha ignorantezeca, irra.


* Afonso Miguel, de quem me habituei a discordar, faz o resumo da desativação de linhas de caminho-de-ferro nos últimos 30 anos.


*

Inovação «made in» Bragança: Finalmente um partido político defende a Regionalização por Fusão de Autarquias

No Norteamos, via TAF.


* É óbvio que, perguntando a pessoas sem formação na matéria, elas dirão que preferem o metro subterrâneo no seu bairro. O Metro do Porto é um metro de superfície, gente. Acordem.


*

Aplicação das novas regras deverá começar na documentação oficial do Estado
Acordo Ortográfico poderá ser implementado em Portugal e Cabo Verde a 5 de Maio

No Blogtailors.


* O meu apelo (sem desespero, espero).



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 02:59:50

20-03-2009

LÍNGUA, GALIZA, REGIONALIZAÇÃO, ACORDO ORTOGRÁFICO, IMPRENSA, POLÍTICA À PORTUGUESA, GRANDE PORTO

Atualizações 19/3/09

* O Rui Tavares ilustrou em crónica do Público o que publicou no blogue ontem, e teve o condão de, falando da desigualdade, abarcar temas como a regionalização, o Norte e a situação no Estado Espanhol. Cada vez mais, Rui Tavares é o meu herói pessoal.

O erro está em pensar que igualdade é homogeneidade, quando são coisas muito diferentes. Não por acaso, a obsessão com a homogeneidade é de direita (se pensarmos bem, é herdeira da obsessão religiosa com a pureza) e a obsessão com a igualdade é de esquerda. A direita preocupa-se menos com a desigualdade desde que o país seja homogéneo. O conservadorismo nacional é anti-regionalização, anti-imigração e anti-direitos dos gays (bom dia, Dra. Manuela Ferreira Leite) mas não perde o sono com a desigualdade. O projecto oposto não tem problemas em viver num país heterogéneo; o que nos interessa é dar a mesma dignidade a cada uma das partes que o constituem.

Em suma, eu diria que foi o quando a Espanha viu que é um país plural que começou a tornar-se um país mais igual. Mas que sei eu? Perguntem a Felipe González. O que ele respondeu numa entrevista recente foi que o segredo do crescimento da Espanha está em assumir a sua pluralidade interna: “Se há trinta anos atrás me dissessem que a Galiza viria a ser uma economia dinâmica na globalização, eu daria uma gargalhada”. Com o nosso desigual Norte a cair no atraso, é uma gargalhada amarga para nós.




*

Aos 30 anos, o "Correio da Manhã" começa nos próximos dias a adaptação do jornal ao novo Acordo Ortográfico, anunciou o director do título, Octávio Ribeiro, na edição de hoje.

Parece óbvia ainda a ignorância em relação ao Acordo:

"A nova ortografia só se estenderá a todos os textos do jornal, respectiva primeira página e manchete, "caro Leitor", quando já ninguém estranhar a palavra 'facto' escrita sem cê", refere Octávio Ribeiro.

Segundo o AO, 'fa(c)to' é uma palavra de dupla grafia, o que significa que se grafa como se quiser. E se na fonia preponderante em Portugal se lê o 'c', se bem que subtilmente, deve grafar-se 'facto', como eu faço há já algum tempo. O que é um facto.

No Público, via Blogtailors.


* 32 mil euros por bilhetes de La Féria:

A Câmara do Porto adquiriu bilhetes no valor de 32,5 mil euros para o musical "Alice no País das Maravilhas" de La Féria. O montante foi deduzido nos 5% da receita de bilheteira que a Autarquia tem direito. O PS critica discriminação.

No passado, a aquisição de ingressos nos espectáculos de companhias teatrais da cidade era uma forma da Autarquia apoiar esse trabalho. "A compra de bilhetes era uma maneira da Câmara do Porto ajudar as companhias no momento de concretização dos espectáculos. E distribuía esses bilhetes pelas escolas. Com Rui Rio, deixou de fazê-lo", especifica Carla Miranda, convencida de que o problema fundamental não reside nessa aquisição, mas na inexistência de critérios na gestão do Pelouro da Cultura.

"Rui Rio disse que as companhias eram subsídiodependentes", quando a única ajuda municipal era a compra de ingressos, argumenta: "Esses termos não servem para o senhor La Féria. Não é igual para todos. O facto de não existirem regras conduz a estes actos discricionários".



tudo isto e muito mais em coisar.tumblr.com

BLOGADO ÀS 01:15:35

10-10-2008

INSTANTÂNEOS, OBSESSÕES, LIGAÇÕES, REGIONALIZAÇÃO

O FIM DOS DISTRITOS?

Link: http://paisinterior.blogspot.com/

Aqui está um artigo muito bem escrito sobre o fim dos distritos e a nova divisão administrativa do país.

Através do Regionalização.

BLOGADO ÀS 17:44:16

30-09-2008

GAMANÇOS, PORTURARIDADE, OBSESSÕES, REGIONALIZAÇÃO

Portugal, país de contrastes???

Portugal é um país com assimetrias regionais acentuadas, sendo que nas áreas mais pobres investe mais na construção de equipamentos e de infra-estruturas do que na promoção de actividades que permitam a criação de emprego. O retrato é feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).


Da TSF, através do Regionalização/Descentralização.

BLOGADO ÀS 00:33:57

21-08-2008

INSTANTÂNEOS, RECORRÊNCIAS, OBSESSÕES, PORTUGAL MELHOR, LIGAÇÕES, REGIONALIZAÇÃO

PETIÇÃO PELA REGIONALIZAÇÃO

Aqui.

Concordo com o essencial, apesar de me parecer que a ‘desertificação’ é mais uma falácia que, de tão repetida, passou a verdade incontestável. Como se nos outros países não existisse uma tal dispersão heterogénea da população. Como se isto correspondesse a um ‘mal nacional’ que não merece ponderação mas apenas condenação.

Primeiro, ‘desertificação’ vem de deserto. Significa a degradação tal de um território que leva a que este se transforme em deserto. Deserto coisa física.

Quando se utiliza a palavra ‘desertificação’ nestes contextos (desenvolvimento regional), refere-se à componente humana do deserto. Ou seja, próxima do zero. Quando se diz que um território se ‘desertifica’, quer-se normalmente dizer que este se esvazia de população.

É óbvio que existem aldeias abandonadas, em Portugal como em todo o lado. Mas também é certo que, comparando com o início do século vinte, existem nas sedes de concelho (em todas, em todo o país) muitas mais pessoas. Isto é um fato que, imagino, dificilmente será rebatível.

Sei também que todos os que reclamam dessa ‘desertificação’ galopante do país vivem certamente em sedes de concelho, e muitas das vezes no litoral e mesmo nas áreas metropolitanas. Moram em zonas com serviços públicos abundantes, cultura, crescente qualidade de vida.

Existem, é certo, dinâmicas negativas em áreas muito importantes do país. O desemprego agarra-se como a peçonha a áreas que já padecem de outras maleitas (como a baixa escolaridade), e é difícil quebrar os ciclos.

Mas a ideia do ‘país homogéneo’ é tão falaciosa quanto o conceito de ‘desertificação’. Nem tudo são rosas, nem tudo são picos.

BLOGADO ÀS 05:26:26

09-07-2008

OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

investimentos para os próximos 10 anos


Esta imagem é a explanação gráfica da tabela que publiquei há algum tempo. É incrível verificar que o distrito de Lisboa (cuja região já não tem direito a fundos do QREN, por estar acima dos 75% da média da UE), com 21,6% da população, tem direito a 35,07% (!!!!) do investimento.



Mais uma vez, mea culpa. Ainda não percebi a origem desta tabela. PIDDAC? Orçamento de Estado? Já agora, estes investimentos não incluem a construção da rede de Alta Velocidade.

BLOGADO ÀS 23:57:34

03-06-2008

GAMANÇOS, REGIONALIZAÇÃO, ALTA VELOCIDADE ELEVADA

aeroporto gerido por lá

"Governo vai alienar a maioria do capital da ANA

O Público noticia que o ministro Mário Lino, em entrevista à Reuters, anunciou que o governo vai privatizar 60% da ANA. A notícia não é esclarecedora quanto ao futuro da Aeroporto Sá Carneiro. Mas desconfia-se que não haverá qualquer tratamento diferenciado, o governo vai fazer ouvidos moucos, e hipocritamente nem sequer dará continuidade à resposta ao desafio lançado pelo próprio 1º ministro para que a região apresentasse interessados em gerir de modo autónomo o ASC – o que ela fez."




Notícia do Público, via Norteamos.

É óbvio o interesse do Norte (e das Beiras, e da Galiza) em ter um aeroporto com gestão própria. O novo aeroporto de Lisboa só será rentável mantendo o Sá Carneiro como aeroporto secundário. Logo, e como o Governo não quer construir um aeroporto deficitário, prefere manter o Norte sem as ligações internacionais (essenciais). E já que nos vão obrigar a ir até Alcochete, aproveitam para rentabilizar a rede de Alta Velocidade.

BLOGADO ÀS 21:09:13

01-06-2008

OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

.

BLOGADO ÀS 22:02:39

01-06-2008

OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

Länder


É óbvio que a escala não é a mesma, mas aqui fica uma comparação do futuro mapa adminsitrativo português (sem as ilhas) com o mapa dos estados alemães (Länder).

BLOGADO ÀS 21:44:15

31-05-2008

GAMANÇOS, REGIONALIZAÇÃO

o dinheiro, empurrado pela nortada, desliza para sul

"JA Junta Metropolitana do Porto anunciou hoje que vai apresentar queixa contra o Governo em Bruxelas caso não seja alterada, num mês, a resolução que prevê o desvio de verbas do QREN para a região de Lisboa.


Em causa está a resolução do Conselho de Ministros nº86/2007, de 03 de Julho, que no ponto sete prevê que verbas do Quadro de Referência Nacional Estratégico (QREN) destinadas ao Programa Operacional do Norte possam ser utilizadas em Lisboa se forem aplicadas em projectos considerados de interesse nacional.

«A JMP pediu um parecer jurídico para saber se isto é ou não legal face às normas comunitárias», disse o presidente daquele órgão, Rui Rio, acrescentando que a avaliação feita conclui que «esta resolução é ilegal».

Segundo referiu, de acordo com o parecer jurídico, a resolução «viola grosseiramente» normas comunitárias.

Face à situação, a JMP decidiu fazer um ultimato ao Governo, sendo que vai escrever uma carta à tutela, designadamente ao Ministro do Ambiente, Nunes Correia, a solicitar que até ao final de Junho «anule essa possibilidade», alterando a resolução.

«Se nada for alterado, a JMP tem obrigação, em Julho, de apresentar uma queixa em Bruxelas», junto do Tribunal das Comunidades, frisou o autarca do Porto. Para Rui Rio, é dever dos autarcas do Norte «não ficar de braços cruzados».

O presidente da JMP salientou, contudo, que o desvio de verbas comunitárias para a região de Lisboa "tem sido constante", não sendo apenas «um pecado deste Governo».

Rui Rio falava aos jornalistas no final de uma reunião ordinária da JMP, que agrupa 14 concelhos."



Daqui, via norteamos.

BLOGADO ÀS 01:46:17

25-05-2008

OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

contra o centralismo 3.0


Agora o mapa da direita é mais bonitinho do que o da esquerda. Senhores centralistas, acabaram de perder a última desculpa.

BLOGADO ÀS 20:31:22

23-05-2008

OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

contra o centralismo 2.0

A ver se gostam mais desta.

BLOGADO ÀS 04:03:39

23-05-2008

OBSESSÕES, CARTAZ, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

contra o centralismo

No sábado, Aliados, lá para as 16h. Eu vou. Alguém quer t-shirt?

BLOGADO ÀS 00:28:24

09-05-2008

RECORRÊNCIAS, OBSESSÕES, IMAGENS, REGIONALIZAÇÃO

as regiões na europa

Este belo mapinha mostra a Europa das regiões, incluindo já as regiões portuguesas. Não quer dizer isto que todos os países europeus estejam regionalizados, mas dá para perceber que as nossas regiões não são grandes nem pequenas. São o que são. E que quem é contra a regionalização ou mora em Lisboa e arredores ou então ainda não percebeu a falta que faz.

'Portugal é dos países mais centralistas da União Europeia, senão mesmo o mais centralista. Cruzando-se os dados da OCDE, FMI e Eurostat, conclui-se que Portugal apresenta um grau de descentralização de 14%, medido no grau de participação da administração não central (regional e local) no orçamento de estado. Em Espanha os valores são de 43%, 35% em Itália, 38% na Finlândia, 25% na Estónia, 30% na Letónia, etc., etc..'

Através daqui.

(aqui o formato grande)

BLOGADO ÀS 03:28:29

02-05-2008

PORTURARIDADE, OBSESSÕES, REGIONALIZAÇÃO, CENTRALISMO

Lisboa a inchar

'são 140 milhões de euros para a construção da A16 que integra o IC30, entre Alcabideche(A5) e Ranholas (IC19), iniciando nova circular exterior, e o IC16, entre Lourel e a CREL; são 332 milhões de € para alargamento do IC19 de 2 para 3 vias, até, 2008, conclusão do último lanço da CRIL entre a Buraca e a Pontinha, até 2009 e conclusão do Eixo Norte-Sul até Abril de 2007(?); são 100 milhões de € para a reabilitação da frente do Tejo; são 300 milhões de € para a Estação do Metro de Santa Apolónia; são 500 milhões de € para obras no apeadeiro do Oriente; são 3000 milhões de € para o novo aeroporto de Lisboa; são 300 milhões de € para a nova travessia do Tejo; são 100 milhões de € para novas creches e rede pré-escolar da região de Lisboa; são 120 milhões de € para intervenções em 10 escolas de Lisboa; são 377 milhões de € para o Hospital de todos os Santos'



Tenho pensado muito nisto nos últimos dias, mas alguém se deu ao trabalho de enumerar as imbecilidades por mim. São 5269 milhões de euros investidos em Lisboa nos próximos anos. Acho que nem comento. Sinto-me arrepiado demais para o fazer.

BLOGADO ÀS 00:41:25

27-04-2008

RECORRÊNCIAS, OBSESSÕES, PORTUGAL MELHOR, REGIONALIZAÇÃO

Norte



Um mapita interessante que mostra como será a Região Norte quando chegar a Regionalização. Consiste nos distritos de Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança, e nos limites Norte dos distritos de Aveiro, Viseu e Guarda. É um começo, está muito bem.

Por aqui.

BLOGADO ÀS 22:38:15

21-04-2008

RECORRÊNCIAS, PORTURARIDADE, OBSESSÕES, PORTUGAL MELHOR, REGIONALIZAÇÃO, CENTRALISMO

desproporção


Amei. Se a contabilização da distribuição dos dinheiros por distrito (do Semanário Económico) me parece já anacrónica, ainda mais anacrónico é o insistente centralismo que os sucessivos governos têm imposto ao país. Senão, vejam. O distrito de Lisboa, com 21% da população, recebe 35% do investimento. Se isto fosse por alguma situação excepcional (como a desproporção população/investimento que também se verifica em Bragança, Coimbra, Vila Real e Évora), originada por uma grande obra que acontece de tempos a tempos, até nem seria assim excepcional. Também terá havido uma grande desproporção aquando do grande investimento do metro do Porto. Agora, como nós sabemos que em Lisboa as grandes obras são contínuas, apercebemo-nos da hipocrisia do governo. Dos governos.

Daqui.

(admito que não sei a que período se refere isto. quer dizer, é o presente, mas não sei qual o espetro temporal a que se refere)

BLOGADO ÀS 02:41:40
blog software