Três poemas de amor e nostalgia
Três poemas de amor e nostalgia

Nem de dia nem de noite consigo esquecer-te
e afundo-me na nostalgia desta cama vazia e escura.
Sonho que nos damos as mãos e trocamos palavras de amor,
mas o sino da aurora arranca-me o coração, fazendo em cacos o meu sonho.

* * *

Mulheres, flores que floram e logo se esvaecem;
caras de flores, cheias de rubor, adoráveis como sonhos.
Quando as flores desabrocham, rebentam com força e paixão,
mas depois de caídas, já ninguém volta a falar nelas.

* * *

Mesmo se eu fosse um Deus ou Buda, ter-te-ia na mente.
Sento-me sob a lâmpada: um monge raquítico a entoar canções de amor.
A força do vento de outono quase me faz voar
e o meu coração engasgou-se com as nuvens grossas.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Wild Ways, White Pine Press, 2003, USA.

(Ikkyu Sojun)

'Trinta mil grupos de nuvens'
'Trinta mil grupos de nuvens'

Durante mais de dez anos estive a pregar em casas do prazer.
Agora estou totalmente só no vale escuro da montanha.
Trinta mil grupos de nuvens moram entre mim e o lugar que amo
e só o som do vento melancólico a soprar no pinos chega ao meu ouvido.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Wild Ways, White Pine Press, 2003, USA.

(Ikkyu Sojun)

O mestre do Dharma do Amor
O mestre do Dharma do Amor

A minha vida tem sido dedicada à devoção ao amor.
Não tenho remorsos de me ter emaranhado de pés a cabeça no fio vermelho,
nem vergonha de ter passado os meus dias como uma Nuvem Louca-
Mas não gosto mesmo nada deste longo, longo outono sem bom sexo!

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Wild Ways, White Pine Press, 2003, USA. Ilustração de bettinaminamino em Devianart

(Ikkyu Sojun)

<< 1 2 3 4 5 6 >>