Sete romãs de presente
Sete romãs de presente

Dividi-las,
apartá-las,
parti-las:
comer, comer comer -
não deixar que saiam da minha boca!

Duas cartas-poema

O tempo está bom
e tenho muitas visitas
mas pouca comida.
Tens algum umeboshi
que não queiras?

Cresceu o frio
e o pirilampo
já não brilha.
Será que uma alma cândida
me trará água doirada?

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA.

(Ryôkan)

Um presente de umeboshis e batatas
Um presente de umeboshis e batatas

Depois de procurar lenha nas montanhas
voltei à minha cabana
e encontrei umeboshis e batatas
que alguém deixou por baixo da janela.
As umeboshis embrulhadas em papel,
as batatas em folhas verdes
e um pedaço de papel com o nome de quem mo ofereceu.
No fundo das montanhas a comida não sabe a nada -
é sobretudo nabos e legumes -
assim que logo cozinhei o presente com molho de soja e sal:
enchi o meu estômago normalmente vazio
com três tigelas grandes.
Se o meu amigo poeta tivesse deixado algo de vinho de arroz
tinha sido um verdadeiro banquete.
Saboreei mais ou menos um quinto do presente, reservei o resto,
e, a dar palmadas à barriga cheia, voltei aos meus afazeres.
O Dia da Iluminação do Buda é daqui a seis dias
e ainda não sabia o que oferecer.
Mas agora tornei-me rico
e Buda vai deleitar-se com umeboshis e delicioso puré de batata.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. O título é meu.

(Ryôkan)

Tigela cheia, tigela vazia
Tigela cheia, tigela vazia

Ao longo da sebe alguns ramos de crisântemos doirados.
Corvos de inverno pairam por cima do bosque espesso.
Mil picos fulguram brilhantes ao pôr do sol,
e este monge volta a casa com a tigela cheia.

-------

Hoje não houve sorte nas minhas saídas mendicantes.
De vila em vila, só consegui arrastar-me.
Ao pôr do sol, milhares de montanhas entre mim e a minha cabana.
O vento frio rasga o meu corpo débil,
e a minha minúscula tigela parece tão abandonada!

Mas este é o caminho que escolhi e que me guia
pela desilusão e a dor, o frio e a fome.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. O título é meu.

(Ryôkan)

<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 47 >>