Peónias selvagens
Peónias selvagens

Peónias selvagens
agora mesmo no seu ponto máximo
de gloriosa floração completa.
Demasiado preciosas para colhê-las.
Demasiado preciosas para não colhê-las.

Ó pinheiro solitário!
Dava-te de bom grado
o meu chapeu de colmo
e o meu casaco de palha
para te cobrires da chuva.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. O título é meu.

(Ryôkan)

Bambu
Bambu

O denso arvoredo de bambu à volta da minha cabana
mantém-me cómodo e fresco.
Rebentos proliferam, bloqueando o caminho
enquanto os galhos velhos procuram o céu.
Anos de geadas dão espírito ao bambu;
são mais misteriosos quando embrulhados na névoa.
O bambu é resistente como o pino ou o carvalho
e mais subtil que a flor do pessegueiro e da ameixeira.
Cresce direito e alto,
oco por dentro, mas com raiz robusta.
Amo a pureza e honestidade do meu bambu,
e quero que cresça aqui para sempre.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. Ilustração de: Jan Zaremba

(Ryôkan)

Lótus
Lótus

Primeiramente florescido no Paraíso do Oeste,
o lótus tem-nos deleitado durante tempo infinito.
As suas pétalas brancas estão cobertas de orvalho,
as suas folhas verdes de jade espalham-se pela lagoa,
e a sua fragrância pura perfuma o vento.
Majestoso e calmo, surge das águas escuras.
O sol está a pôr-se por trás das montanhas
mas eu fico no escuro, demasiado cativado para me ir embora.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. Ilustração de: Kazu Shimura

(Ryôkan)

<< 1 ... 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 >>