Cursos 2020-2021

    Apoia-nos

    Revista A Malha Nº 1

    Defendamos o Minho

          Busca

        Operaçom Jaro , um ataque contra todas

        27-10-20

        Escrito ?s 18:30:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 0 palavras, 23 views     Chuza!
        Comunicado dos centros sociais perante o juízo na Audiencia Nacional contra 12 independentistas galeg@s

        17-10-20

        Os Centros Sociais abaixo assinantes fazemos um chamamento à solidariedade e denúncia social ante a petiçom, por parte da fiscalia do Estado Espanhol, de 102 anos de prisom para as 12 pessoas processadas na Operaçom Jaro I e II, assim como a ilegalizaçom das 2 organizaçons implicadas: Causa Galiza e Ceivar. De novo, as forças repressivas do Estado Espanhol, na sua mania persecutória de aniquilar todo quanto atente contra os seus interesses neoliberais e centralistas enraizados baixo a sombra ideológica do franquismo, criminaliza a solidariedade e a luita polos direitos políticos e sociais de todo um povo, inclusive o seu direito de autodeterminaçom -direito legítimo recolhido na DDHH-, coa escusa de servir ambas organizaçons de cobertura e enaltecimento do "terrorismo galego".

        Os Centros Sociais nom somos alheios a estas dinámicas repressivas. Nos últimos anos fomos asaltadas, saqueadas e incorporadas às diferentes campanhas de criminalizaçom contra o independentismo galego saídas das cloacas do estado e que contarom com a inestimável colaboraçom dos meios de (des)informaçom.

        A pantasma "Resistência Galega" nom deixa de ser um invento de pesadelo infundado na sociedade através da complicidade dos médios de (des)informaçom para irradiar inseguridade e ódio e poder, assim, justificar as suas actuaçons de "orde e seguridade cidadá nacional" contra quem defende e luita pola liberdade e a justiça social e os direitos dos povos. A defensa da terra nom deberia ser delito, se nom um direito de todas ante a especulaçom, manipulaçom e violência que, dia a dia, recebemos da mao e baixo o controlo das elites políticas e económicas para satisfazer os seus interesses. Por isso cumpre solidariedade social, porque a defensa dos interesses de todas é de responsabilidade e compromisso de todas. Porque nom podemos permitir que os nossos direitos sigam sendo pisados.

        Nom podemos deixar que o nosso direito de organizaçom para a denúncia e açom social ante o abandono, repressom e espólio no que se atopa a nossa terra seja castigado.

        Porque se tocam a umha, tocam a todas.

        Centro social A Gentalha do Pichel (Compostela).

        Fundaçom Artábria (Ferrol)

        Colectivo Terra (Pontedeume)

        Centro social Gomes Gaioso (Corunha).

        Centro social Mádia Leva! (Lugo).

        Centro Social Xebra (Burela)

        A.C. A Galleira (Ourense)

        Centro social O Quilombo (Ponte Vedra).

        Centro social Fuscalho (Guarda).

        Centro social Faísca (Vigo).

        Centro social A Revolta (Vigo)

        CSA A Cova dos Ratos (Vigo)

        A Casa Colorida (Nigrám)

        Escrito ?s 00:18:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 386 palavras, 78 views     Chuza!
        Manifestaçom nacional. Todas frente a Jaro.

        14-10-20

        Vimos de assinar junto com outras organizaçons e coletivos o Manifesto Muro Cidadão contra a Repressom

        As organizaçons abaixo assinadas, perante o juízo político que terá lugar na Audiência Nacional espanhola nos próximos dias 19, 20 e 21 de outubro contra 12 independentistas galegas e galegos, manifestamos:

        1. Que este juízo é um atentado contra o direito de associaçom política e a liberdade de opiniom e expressom do povo galego. A pretensom de encarcerar doze pessoas com condenas que vam de 4 a 12 anos de prisom e ilegalizar ou dissolver Causa Galiza e Ceivar ?ambas com umha atividade pública e legal contrastadas?, é um ataque sem precedentes na Galiza à democracia e ao pluralismo político.

        2. Que, de sairem adiante, as ilegalizaçons criariam um gravíssimo precedente jurídico que, no futuro, poderia ser de aplicaçom a qualquer tentativa de organizaçom da política independentista ou da solidariedade frente à repressom.

        3. Que opinamos que toda pessoa e organizaçom que se considere democrata deve situar-se publicamente frente a esta montagem policial, política e judicial.

        4. Que exigimos o arquivo imediato da causa, a cessaçom imediata deste tipo de operativos contra o independentismo galego, e um marco real de liberdades democráticas e direitos civis que possibilite o seu exercício pleno. Trabalhar pola independência da Galiza, defender os direitos das independentistas presas e presos ou rememorar episódios da nossa história nacional nom pode ser nunca considerado delito.

        5. Que, por último, apelamos à sociedade galega e aos agentes e coletivos sociais, sindicais e políticos que a vertebram a levantar um muro de solidariedade e denúncia frente a este juízo político que atenta contra os direitos civis e as liberdades democráticas de todas e todos.

        Na Galiza, em 12 de outubro de 2020

        Mais informaçom sobre a campanha aqui

        Escrito ?s 18:49:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 281 palavras, 31 views     Chuza!
        Nova camisola 100 aniversário da Revista Nós

        14-10-20

        Compra a tua camisola no centro social por 8 euros. Esta é a nossa pequena homenagem o ano em que celebramos o 100 aniversário do seu nascimento.

        A Revista Nós apareceu o 30 de Outubro de 1920 em Ourense, ligada ao pensamento nacionalista, pretendia normalizar o uso do idioma e eleva-lo dos usos orais à alta cultura. Mesmo a publicidade era maioritariamente em galego. Pretendeu-se também que o seu desenho gráfico ajuda-se a conseguir essa dignificaçom e a criar umha estética genuinamente galega, para o que Risco designou a Castelao como responsável artístico.

        Publica-se até o ano 1936. O último número (139-144) saiu do prelo pouco antes da sublevaçom militar e nom se chegou a distribuir, apenas dous exemplares sobrevivem à queima da imprensa de Ánxel Casal polos fascistas.

        Escrito ?s 18:21:00 nas castegorias: material, album
        por SCMadiaLeva   , 123 palavras, 29 views     Chuza!
        Sam Froilam Associativo

        07-10-20

        Será em versom covid mas voltamos à rua neste Sam Froilam. As pessoas que queiram conhecer de primeira mao o nosso trabalho e doutras associaçons e coletivos da cidade que venham este domingo pola Praça Maior.
        Dia 11 de 11h00 a 15h00.

        Escrito ?s 23:11:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 41 palavras, 72 views     Chuza!
        Cd de Airiños da Freba

        06-10-20

        O nosso mestre de gaita, Victor Villamor , vem de deixar-nos o novo cd do grupo que fai parte: Airiños da Freba. Leva o título de Con grelos e podes comprar no centro social por 15 euros.

        Escrito ?s 18:32:00 nas castegorias: material, album
        por SCMadiaLeva   , 35 palavras, 20 views     Chuza!
        Assembleia aberta

        25-09-20

        Escrito ?s 10:11:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 0 palavras, 97 views     Chuza!
        Fora honras ao Borbom nas ruas de Lugo

        15-09-20

        Esperamos que seja atendida esta proposta que apresentamos ao registro do concelho de Lugo este mês de setembro.

        Porque a Fonte do Rei
        passe a chamar-se
        Fonte da Sanidade Pública

        Full story »

        Escrito ?s 23:35:00 nas castegorias: album
        por SCMadiaLeva   , 434 palavras, 105 views     Chuza!
        Voltamos abrir.

        10-09-20

        Nesta semana começamos a abrir.

        Setembro

        segundas (luns), terças (martes) , quintas (xoves) e sextas-feiras(venres). de 19h30 a 21h
        Quartas-feiras (mércores) 19h30 a 22h30

        A partir de outubro (depois do Sam Froilam)

        De segundas a sextas-feiras de 19h30 a 22h30.

        Escrito ?s 10:48:00 nas castegorias: local, album
        por SCMadiaLeva   , 39 palavras, 74 views     Chuza!
        A nossa vietnamita

        02-09-20

        A nossa vietnamita

        Marca: Print Fix
        Modelo: Pea 150
        Fabricante: Edgar Rutishauser Zurich
        Doaçom: CIG

        A vietnamita, como se lhe conhecia popularmente, é umha máquina para fazer cópias em papel muito empregada nos anos 60-70 do século passado nos movimentos sociais e revolucionários em todo o mundo. O seu uso polo Viet Cong para dar a sua versom da guerra de Vietname derom-lhe esse alcume. Esta precursora da fotocopiadora foi muito empregada nas luitas clandestinas contra o franquismo.
        A máquina emprega umha folha ou praça conhecida como estêncil, na que se registam os textos ou imagens, que ao passar polo rolo do aparelho vai fazendo as impressons. O procedimento era bastante sujo polo uso da tinta, mas tinha a ventagem de que podia ser usada manualmente sem necessidade de ter toma eléctrica.
        No documentário Reboiras ,aparece este mesmo modelo de vietnamita na recriaçom dos feitos. Também fala-se da importáncia que tinha para a propaganda política daquela UPG dos últimos anos do franquismo e na etapa posterior.

        Escrito ?s 18:10:00 nas castegorias: local, album
        por SCMadiaLeva   , 164 palavras, 18 views     Chuza!

        1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 121 >>

          madialeva.gz@gmail.com
          Rua Serra de Ancares 18 Horário De segundas-feiras (luns) a sextas-feiras (venres) de 19h30 a 22h30 CIF:G-27360825
            powered by b2evolution free blog software