O FACHO: Tópicos falazes da História de Espanha por Francisco Calo Lourido

07-02-2014

O FACHO: Tópicos falazes da História de Espanha por Francisco Calo Lourido

O passado dia 04 de Fevereiro, o Doutor e Catedrático de Geografia e Historia, Francisco Calo Lourido, intervéu dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua exposiçom versou sobre: ?Tópicos falazes da História de Espanha.?

Calo Lourido, deu a conhecer o interesse ideológico dos poderes que conformam o Estado espanhol em manter inumeráveis falácias sobre a existência de Espanha como identidade política desde o começo dos tempos. Demostrou com múltiplos dados que tal discurso mantido e sustido polos poderes políticos e ideológicos constitui umha das ferramentas de dominaçom sobre Nós, em tanto que povo e naçom.

Ao rematar a sua explicaçom mantivo um interessante debate com a cidadania assistente.

O FACHO: Francisco Calo Lourido - ?Tópicos falazes da História de Espanha.?

26-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2013-14

Palestra

O vindouro dia 04 de Fevereiro, terça-feira (martes), o Doutor e Catedrático de Geografia e Historia, Francisco Calo Lourido, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua charla versará sobre: ?Tópicos falazes da História de Espanha.? O acto realizara-se em Portas Artabras-Rua Sinagoga 22- Cidade Velha

O professor Calo Lourido é membro, entre outras instituiçons: da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia. Patrono do Museu do Povo Galego Correspondente da Real Academia Galega e professor convidado na Universidade do Porto. Participante em múltiplas escavaçons arqueológicas, também dirigiu as do Castro de Baronha.

Desenvolve a sua actividade investigadora sobre todo nos eidos da arqueologia e da antropologia com mais de 180 publicaçons, como, por citar só livros, A Plástica da Cultura Castrexa Galego-Portuguesa (2 tomos); A Cultura Castrexa; Castro de Baroña; La cultura de un pueblo marinero: Porto do Son; Xentes do Mar. Traballos, tradicións e costumes; Fainas do mar. Vida e trabalho no litoral norte; As artes de pesca. Os celtas. Unha (re)visión dende Galicia ... Salseiros é a sua primeira obra como narrador.

Dia: 4 de Fevereiro do 2014 - Hora: 8 do serám
Portas Artabras - Rua Sinagoga 22
Cidade Velha-A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A Agrupaçom Cultural O Facho festejou o 50 aniversário da sua fundaçom

25-01-2014

O FACHO: A Agrupaçom Cultural O Facho festejou o 50 aniversário da sua fundaçom

O Agrupaçom Cultural O Facho celebrou ontem o seu primeiro meio século de vida com umha conferência no salom de actos do ONCE e com um ceia de confraternizaçom no hotel Riaçor. O Facho nasceu o 23 de Dezembro de 1963, com umha reuniom de sócios na cafetaría Linar, ao mês seguinte, os membros começaram a trabalhar nuns estatutos que seguem, ainda, em vigor.

O professor Ricardo Gurriarán foi o encarregado de dar a conferência sobre a história das diversas associaçons culturais, em particular O Facho, como ferramentas de resistência cultural contra a tirania clerical-fascista do franquismo.

O FACHO: Concurso de Teatro Infantil

22-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º
15005 Corunha

CONCURSO DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Junta Directiva da Associaçom Cultural O FACHO acordou convocar o Concurso de Teatro Infantil, que, nesta nova etapa, se regerá polas seguintes bases:

1º) Poderám optar ao devandito prémio qualquer pessoa, sem restriçom, sempre que a obra seja inédita e redigida em língua galega ?em qualquer tipo de suporte- nom representadas, nem premiadas noutros certames.
2º) Estabelece-se como prémio único de 100,.- ? e umha biblioteca de livros teatrais.
3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será presenteada por quintuplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.
4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio à sé da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia n.º 12-1º A Corunha (15005) ou a Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal d'A Crunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
5º) O prazo de admissom de originais finda o dia 31 Março de 2014 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego.
7º) O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho



Na Crunha, 22 Janeiro 2014

O FACHO: A República Galega por M.XaimeBarreiroGil

22-01-2014

O FACHO: A República Galega por M.XaimeBarreiroGil

O passado dia 21 de Janeiro do 2014 às 8,00 do serám, o Doutor e Professor da U.S.C., M. Xaime Barreiro Gil, falou dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom. A sua conferencia tivo como eixo: A República Galega
Barreiro Gil dissertou como a Naçom galega nom tivo até agora umha classe social que exercitará e demandará os direitos como naçom. Nem os portadores de terra (os foristas) no Velho Régime agrário nem posteriormente a nacente burguesia nada ao abeiro da Revoluçom Industrial. Assim mesmo manifestou a carência de vias de comunicaçom entre as distintas cidades do Pais que facilitassem o desenvolvimento do mesmo.
Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

O FACHO: "Todo para Madrid" por Óscar Paços Rodrigues-

13-01-2014

O FACHO: "Todo para Madrid" por Óscar Paços Rodrigues-

O passado dia 10 de Janeiro do 2014 às 8,00 do serám, sexta, o ensaísta e geólogo, Óscar Paços Rodrigues, participou dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Todo para Madrid?. O acto desenvolveu-se em Portas Artabras, Rua Sinagoga 22- Cidade Velha.

Paços Rodrigues explicou com avondosos dados como a construçom de Madrid como centro de poder e comunicaçom só foi possível com a desertificaçom dos distintos países que conformam ao actual Estado espanhol. Converter a Madrid como ?eixo e cabeça vertebradora? do Estado sempre foi e é a razom para fornecer o saqueio que levam a cabo os ?Altos cortesaos? de ontem e de hoje. Prova evidente do afirmado é actual situaçom de rapina dos recursos económicos e da miserabilizaçom das classes trabalhadoras dos povos do Estado no seu conjunto.

Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

O FACHO: M. Xaime Barreiro Gil - A República Galega

11-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 21 de Janeiro às 8,00 do serám, terça, o Doutor e Professor da U.S.C., M. Xaime Barreiro Gil, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A República Galega. O acto realizara-se em Portas Artabras-Rua Sinagoga 22- Cidade Velha.

M.Barreiro Gil é professor de História e Instituçons Económicas da USC. Foi um dos membros do Colectivo Socialista Galego que, procedentes do Partido Socialista Galego, integrárom-se no PSOE depois das eleiçons gerais de 1977. Foi senador pola província de Corunha, Presidente do Grupo Parlamentar Socialista do Senado e membro da Uniom Parlamentar Internacional e das Assembleias Parlamentares do Conselho da Europa,

Como autor publicou diversos trabalhos académicos sobre a Galiza contemporânea e temas europeus. Dita conferências e é colaborador habitual de diversos meios de comunicaçom da Galiza.

Dia: 21 Janeiro 2014 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Artabras-Rua Sinagoga 22-
Cidade Velha - A Crunha


J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Actos polo 50 Aniversário d'0 Facho

11-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Corunha

No 50 Aniversário de 0 Facho

Um 23 de Dezembro de 1963 fizo-se a primeira reuniom de sócios, da nossa Associaçom, na cafetería Linar da Corunha, e foi no mês de Janeiro do seguinte ano quando começamos a desenvolver os Estatutos que ainda seguem em vigor.

Por isso:
A Agrupaçom Cultural O Facho tem a bem convida-lo à conferência, sobre as Agrupaçons Culturais que será dada polo professor Ricardo Gurriarán, e a um jantar de irmandade, que se celebrarám com o galho do 50 Aniversário da sua existência. Os actos terám lugar o dia 24 de Janeiro; a conferência no salom de actos da O.N.C.E no Cantom Grande, às 19,30 horas, e o jantar no Hotel Riaçor às 21 horas

Preço por pessoa: 20 ?.
Para reservardes lugar, chamar a: Helena: 647 816 566 /
Henrique: 619 536 540. Ou enviades correio a: santamarinac@hotmail.com

Agrupaçom Cultural O Facho

O FACHO: Concurso de Contos de Nenos para Nenos

09-01-2014

CONCURSO LITERÁRIO DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS CONVOCADO POLA ASSOCIAÇOM CULTURAL O FACHO

Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participárom ou ganhárom muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, realiza-se a convocatória para 2014 do XLVI Concurso Literário de ?Contos de Nenos para Nenos?

BASES DO CONCURSO

1. Poderám participar rapazes e raparigas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.

2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2014 às doce da noite.

3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à sede da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia, 12-1º 15005A Corunha. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.

4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.

5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de cinco anos contados a partir do dia do falho do júri.

6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras.

7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e raparigas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A 1º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.
2º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.

Categoria B 1º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.
2º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por triplicado, manuscritas ou mecanográficas, encadernadas ou grampadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.

12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.

13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Correo electrónico: o_facho_a_cultural@yahoo.com.br
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

A Corunha, 31 de Janeiro 2014

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário do Facho

O FACHO: Óscar Paços Rodrigues- ?Todo para Madrid?.

03-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15005 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 10 de Janeiro do 2014 às 8,00 do serám, (sexta) venres, o ensaísta e geólogo, Óscar Paços Rodrigues, intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Todo para Madrid?. O acto realizara-se em Portas Artabras-Rua Sinagoga 22- Cidade Velha.

Paços Rodrigues, licenciou-se em Geologia pola Universidade de Oviedo. Trabalhou como professor na Universidade de Vigo e posteriormente como geólogo autónomo fazendo estudos de geotécnica, hidrologia, médio ambiente e geofísica de resistividade. Assim mesmo foi também comercial de produtos químicos e de cimentaçons profundas.
Publicou Galicia e o mar, na ed. Nigra Trea; Madrid es una isla, na ed. Los libros del Lince. Na actualidade publica estudos e ensaios sobre as minas romanas em Galiza, geologia em geral e geografias da Península

Dia: 10 de Janeiro 2014 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Artabras ? Rua Sinagoga 22-Rés do Chao
Cidade Velha - Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

<< 1 ... 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 ... 58 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution