O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema

20-12-2013

O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema
O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema

O passado dia 17 de Dezembro, o advogado e Secretario do Grupo Local da Corunha e membro do Conselho Político Nacional de Compromisso por Galiza, Joám Antom Peres Lema, intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versou sobre: A República Galega.

Peres Lema desenvolveu a sua exposiçom dando a conhecer o posicionamento de Compromisso por Galiza diante do paradigma da Soberania Galega. A sua exposiçom acudiu um heterogéneo público que seguiu a palestra com grande interesse.
Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

O FACHO: Joám Antom Peres Lema - A República Galega.

09-12-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 17 de Dezembro do 2013 às 8,00 do serám, terça, o advogado e Secretario do Grupo Local da Corunha e membro do Conselho Político Nacional de Compromisso por Galiza, Joám Antom Peres Lema, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A República Galega.

Peres Lema é licenciado em Direito pola USC e graduado em Administraçom de Empresas. É co-fundador das Mocidades Nacionalistas Galegas. Assim mesmo foi membro da executiva do PNG-PG, e chefe do gabinete da Conselharia da Presidência da Junta de Galiza. Tem exercido também como assessor jurídico do Conselho da Juventude de Galiza, defendendo judicialmente a objectores e insubmissos até que se acadou a supressom do serviço militar obrigatório. Foi professor da Faculdade de Ciências Sociais da UdV., da Escola de Prática Jurídica do Colegio de Advogados da Crunha e secretario geral de Relaçons Institucionais da Junta de Galiza com o bipartito. Colabora na Rádio Galega e na TVG, assim como em outros médios de comunicaçom social.

Dia: 17 de Dezembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Paideia - Praça de Maria Pita
Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade por Manuel Fernandes Branco

04-12-2013

O FACHO: Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade por Manuel Fernandes Branco

O passado dia 03 de Dezembro, o psicanalista Manuel Fernandes Branco intervéu dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade?
Fernandes Branco mostrou de jeito mui didáctico como a identidade feminina que nom vem dada polos factores biológicos condiciona a realidade do amor, da violência sexual e do feminicido na generalidade das sociedades. Como si o masculino é a manda o feminino de por si é a diversidade, nom podendo se falar da mulher como umha totalidade única.
A exposiçom foi seguida de um interessante debate.

O FACHO: Manuel Fernández Branco - Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade

27-11-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 20013-14

Palestra
O vindouro dia 03 de Dezembro, terça (martes), o psicanalista Manuel Fernández Branco intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade?

Fernández Branco é psicanalista e psicólogo clínico no Serviço de Psiquiatria do Complexo Hospitalário Universitário A Corunha. É o Director da Clínica do Campo Freudiano na Corunha (destinada a possibilitar um tratamento psicanalítico a pessoas com escassos recursos económicos). Foi Presidente da Escola Lacaniana de Psicanálise, Secretário do Bureau da Associaçom Mundial de Psicanálise, e membro do Conselho da Escola Europeia de Psicanálise. É docente internacional do Instituto do Campo Freudiano e autor de numerosas publicaçons no âmbito da Psicanálise e da Saúde Mental, da que somente sublinhamos alguns dos seus trabalhos: A repetiçom como conceito fundamental da Psicanálise; Felicidade, culpa e depressom; Autoridade e educaçom; O capitalismo pulseonal, Culpa e castigo; etc...

Dia: 03 de Dezembro 2013- Hora: 7,30 do serám
Local: R. Academia Galega
Rua Tabernas (Cidade Velha) ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A República galega por Maurício Castro Lopes

20-11-2013

O FACHO: A República galega por Maurício Castro Lopes

O passado dia 19 de Novembro o Professor da Escola de Idiomas d'O Ferrol, Maurício Castro Lopes, membro da Direcçom Nacional de NÓS-Unidade Popular, falou dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom sobre: A República Galega.

Castro Lopes espujo de jeito mui didáctico o direito dos galegos ser donos de nós mesmos, do nosso direito unilateral a nos independizar, tal como vem recolhido pola ONU o direito de todo povo a se constituir em Estado, e como assim mesmo é reconhecido polas leis internacionais. Como é possível a configuraçom da República Galega sempre que Nós, os galegos, decidamos que assim fosse. O palestrista desenvolveu com um gram desenvolvimento tanto de ideias como de feitos históricos o irrenunciável direito dos galegos e galegas de contar umha estrutura política de seu, para poder defender os nossos interesses como povo e das maiorias dos cidadaos que conformam a Naçom galega, as classes trabalhadoras.

Ao findar a sua exposiçom houvo umha interessante conversa levada a cabo polos assistentes.

Ligaçom a presentación http://prezi.com/exyrgw6muuv6/?utm_campaign=sha

CANTA O MERLO: Maurício Castro Lopes - A República Galega.

10-11-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 19 de Novembro do 2013 às 8,00 do serám, terça, o Professor da Escola de Idiomas d'O Ferrol, Maurício Castro Lopes, membro da Direcçom Nacional de NÓS-Unidade Popular, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A República Galega.

Castro Lopes é licenciado em Filologia Galego-Portuguesa pola USC, exercendo na actualidade a docência de português na Escola Oficial de Idiomas de Ferrol, após ter leccionado nas escolas oficiais de Badajoz (Estremadura), da Corunha e noutros pontos da Galiza durante a última década. Porém, a sua relaçom com o idioma galego-português remonta à sua adesom militante desde a juventude, tendo participado em diferentes projectos de auto-organizaçom em defesa dos direitos lingüísticos do povo galego. É autor ou co-autor de obras divulgativas como a História da Galiza em Banda Desenhada, Manual de Iniciaçom à Língua Galega, Manual Galego de Língua e Estilo, Galiza Vencerá! Participou no movimento anti-militarista galego na década de 90 do passado século, sendo condenado por insubmissom a 4 anos de inabilitazaçom quando já presidia o primeiro Centro Social reintegracionista em defesa do galego, aberto pola Fundaçom Artábria em Ferrol no ano 98. Posteriormente, em 2007, foi eleito membro da Comissom Lingüística da AGAL.

Dia: 19 de Novembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: R. Academia Galega ? Rua Tabernas 11
A Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Capitalismo lingüistico-por que se esta a perder a língua da Galiza por Celso Álvarez Caccámo -

06-11-2013

O FACHO: Capitalismo lingüistico-por que se esta a perder a língua da Galiza por Celso Álvarez Caccámo -

http://agal-gz.org/blogues/media/blogs/ofacho/Capitalismo.pdf

O passado dia 5 de Novembro o professor da Universidade d?A Corunha, Celso Álvares Cáccamo intervéu dentro do ciclo ?Língua, Literatura e Naçom? organizado pola Agrupaçom Cultural O Facho, com umha mui interessante charla sobre : Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza (e que se pode fazer).

O professor Álvarez Cáccamo seguindo a metodologia de analise de Pierre Boudieu expujo como a presencia das relaçons de produçom capitalistas marcam e definem hoje a produçom cultural, fazendo notara como a capacidade da ?inteligência? cultura galega dominante impom as suas produçons culturais e simbólicas fazendo assim jogo a la reproduçom do domínio do capitalismo.

Ao findar a sua exposiçom mantivo umha interessante conversa com os assistentes.

Attachments:

O FACHO: Celso Álvarez Caccámo - Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza

31-10-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2013-14

Palestra

O vindouro dia 05 de Novembro, terça-feira (martes), o Professor de Lingüística da Universidade d?A Crunha, Celso Álvarez Cáccamo falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom na Fundaçom Paideia, Praça da Maria Pita. A sua charla versará sobre: Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza (e que se pode fazer).

O Professor Álvarez Cáccamo é Doutor (Ph.D.) em Sociolinguística e Antropologia Linguística pola University of California at Berkeley, EUA; a sua tese (1991) versou sobre The Institutionalization of Galician: Linguistic Practices, Power, and Ideology in Public Discourse. É também Licenciado em Filologia Hispânica pola Universitat Central de Barcelona, e M.A. em Hispanic Languages and Literatures pola State University of New York at Buffalo, EUA. Tem publicado tanto ensaio como poesia. Entre os primeiros podemos sublinhar "Contra o capitalismo lingüístico: perante a crise da língua na Galiza", texto introdutório ao volume monográfico da revista Agália (104) Língua, desigualdade e formas de hegemonia;?Contra a normalización: Reconhecimento cultural e redistribuição económica sob a dominação lingüística?,Agália; ?Political cross-discourse: Conversationalization, imaginary networks, and social fields in Galiza? com Gabriela Prego-Vázquez. Pragmatics 13(1). Special Issue Ethnography, Discourse, and Hegemony, ed. by Jan Blommaert, James Collins, Monica Heller, Ben Rampton, Stef Slembrouck and Jef Verschueren. ?Construindo a Língua no discurso público: Práticas e ideologias linguísticas?. Agália. No eido poético salientamos: Os distantes, Espiral Maior, Escolma de familia. Cen anos de poesía, Ed. Xerais (livro coletivo no qual participou com vários poemas). É membro da Academia Galega da Língua Portuguesa, e sócio fundador de EDiSo - Asociación de Estudios sobre Discurso y Sociedad - Associação de Estudos sobre Discurso e Sociedade - Associació d'Estudis sobre Discurs i Societat.

Dia: 05 de Novembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Paideía
Praça da Maria Pita ? A Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A República Galega por Xavier Vence Deza

23-10-2013

O FACHO: A República Galega por Xavier Vence Deza

Apesar dos atrancos postos polos ?mass-media? junguido às dificultades financeiras criadas polo saqueio do capitalismo especulador e bancário, O Facho segue mantendo a suas jeiras de palestras apresentando nas mesmas as investigaçons, as analises, e as reflexons nos distintos eidos das ciências e do conhecimento que estám a elaborar os investigadores e ensaístas do País assim como intelectuais da área da Galeguia (Lusofonia)

O passado dia 22 de Outubro do 2013 às 8,00 do serám convidado pola nossa Agrupaçom, o Doutor e Professor, Xavier Vence Deza actual porta-voz do BNG, intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versou sobre: A República Galega.

O professor Vence reflexionou junto a umha interessada cidadania sobre o direito dos galegos ser donos de nós mesmos, e a configuraçom possível do mesmo numha organizaçom político-territorial na que a Soberania dos galegos sejam o contido e alicerce da República Galega. O palestrista desenvolveu com um grande contido de ideias e conceitos a necessidade irrenunciável do povo galego de contar umha estrutura política de seu, para poder deixar de ser um mero apêndice de decisons alheias e contra ao desenvolvimento do País..

Ao findar a sua exposiçom mantivo umha interessante conversa com os assistentes.

O FACHO: "O Homem Verde? por Alfredo Erias Martínez

20-10-2013

O FACHO:  "O Homem Verde? por Alfredo Erias Martínez
O FACHO:  "O Homem Verde? por Alfredo Erias Martínez

Apesar das dificultades financeiras criadas polo saqueio do capitalismo especulador e bancário, O Facho continua apresentar investigaçons, as analises, e as reflexons nos distintos eidos das ciências e o conhecimento que estám a elaborar os investigadores e ensaístas do País assim como intelectuais da área da Galeguia (Lusofonia)
O passado dia 08 de Outubro do 2013, convidado pola nossa Agrupaçom, o escritor e historiador, Alfredo Erias Martínez encetou o ciclo de palestras 2013-14 com a sua charla intitulada: ? O Homem Verde?. Como é bem conhecido, O Busgoso é umha personagem mítica, o senhor do bosque e das árvores, o senhor da vida. .

Erias Martínez
expujo ante umha interessada cidadania umha ilustrada e documentada análise a figura do mito do ?homem verde?.O conferencista mostrou polo miúdo a relevância do Busgoso na cultura atlânticas ocidentais europeias, e em particular na Galiza, com mostras e fotos de distintos gravados em pedra de este deus mítico.
Ao findar a sua exposiçom mantivo um interessante colóquio com os assistentes

Presentación das diapositivas no seguinte enlace:homepwt.ppt

Attachments:

<< 1 ... 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 ... 58 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution