O FACHO: Concurso de Contos de Nenos para Nenos

09-01-2014

CONCURSO LITERÁRIO DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS CONVOCADO POLA ASSOCIAÇOM CULTURAL O FACHO

Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participárom ou ganhárom muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, realiza-se a convocatória para 2014 do XLVI Concurso Literário de ?Contos de Nenos para Nenos?

BASES DO CONCURSO

1. Poderám participar rapazes e raparigas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.

2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2014 às doce da noite.

3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à sede da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia, 12-1º 15005A Corunha. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.

4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.

5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de cinco anos contados a partir do dia do falho do júri.

6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras.

7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e raparigas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A 1º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.
2º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.

Categoria B 1º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.
2º: 100,.- ? em efectivo e umha biblioteca de livros.

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por triplicado, manuscritas ou mecanográficas, encadernadas ou grampadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.

12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.

13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Correo electrónico: o_facho_a_cultural@yahoo.com.br
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

A Corunha, 31 de Janeiro 2014

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário do Facho

O FACHO: Óscar Paços Rodrigues- ?Todo para Madrid?.

03-01-2014

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15005 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 10 de Janeiro do 2014 às 8,00 do serám, (sexta) venres, o ensaísta e geólogo, Óscar Paços Rodrigues, intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Todo para Madrid?. O acto realizara-se em Portas Artabras-Rua Sinagoga 22- Cidade Velha.

Paços Rodrigues, licenciou-se em Geologia pola Universidade de Oviedo. Trabalhou como professor na Universidade de Vigo e posteriormente como geólogo autónomo fazendo estudos de geotécnica, hidrologia, médio ambiente e geofísica de resistividade. Assim mesmo foi também comercial de produtos químicos e de cimentaçons profundas.
Publicou Galicia e o mar, na ed. Nigra Trea; Madrid es una isla, na ed. Los libros del Lince. Na actualidade publica estudos e ensaios sobre as minas romanas em Galiza, geologia em geral e geografias da Península

Dia: 10 de Janeiro 2014 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Artabras ? Rua Sinagoga 22-Rés do Chao
Cidade Velha - Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema

20-12-2013

O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema
O FACHO: A República Galega por Joám Antom Peres Lema

O passado dia 17 de Dezembro, o advogado e Secretario do Grupo Local da Corunha e membro do Conselho Político Nacional de Compromisso por Galiza, Joám Antom Peres Lema, intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versou sobre: A República Galega.

Peres Lema desenvolveu a sua exposiçom dando a conhecer o posicionamento de Compromisso por Galiza diante do paradigma da Soberania Galega. A sua exposiçom acudiu um heterogéneo público que seguiu a palestra com grande interesse.
Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

O FACHO: Joám Antom Peres Lema - A República Galega.

09-12-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 17 de Dezembro do 2013 às 8,00 do serám, terça, o advogado e Secretario do Grupo Local da Corunha e membro do Conselho Político Nacional de Compromisso por Galiza, Joám Antom Peres Lema, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A República Galega.

Peres Lema é licenciado em Direito pola USC e graduado em Administraçom de Empresas. É co-fundador das Mocidades Nacionalistas Galegas. Assim mesmo foi membro da executiva do PNG-PG, e chefe do gabinete da Conselharia da Presidência da Junta de Galiza. Tem exercido também como assessor jurídico do Conselho da Juventude de Galiza, defendendo judicialmente a objectores e insubmissos até que se acadou a supressom do serviço militar obrigatório. Foi professor da Faculdade de Ciências Sociais da UdV., da Escola de Prática Jurídica do Colegio de Advogados da Crunha e secretario geral de Relaçons Institucionais da Junta de Galiza com o bipartito. Colabora na Rádio Galega e na TVG, assim como em outros médios de comunicaçom social.

Dia: 17 de Dezembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Paideia - Praça de Maria Pita
Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade por Manuel Fernandes Branco

04-12-2013

O FACHO: Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade por Manuel Fernandes Branco

O passado dia 03 de Dezembro, o psicanalista Manuel Fernandes Branco intervéu dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade?
Fernandes Branco mostrou de jeito mui didáctico como a identidade feminina que nom vem dada polos factores biológicos condiciona a realidade do amor, da violência sexual e do feminicido na generalidade das sociedades. Como si o masculino é a manda o feminino de por si é a diversidade, nom podendo se falar da mulher como umha totalidade única.
A exposiçom foi seguida de um interessante debate.

O FACHO: Manuel Fernández Branco - Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade

27-11-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 20013-14

Palestra
O vindouro dia 03 de Dezembro, terça (martes), o psicanalista Manuel Fernández Branco intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social com a sua palestra intitulada: ?Identidade feminina, amor, violência sexual e feminicido na actualidade?

Fernández Branco é psicanalista e psicólogo clínico no Serviço de Psiquiatria do Complexo Hospitalário Universitário A Corunha. É o Director da Clínica do Campo Freudiano na Corunha (destinada a possibilitar um tratamento psicanalítico a pessoas com escassos recursos económicos). Foi Presidente da Escola Lacaniana de Psicanálise, Secretário do Bureau da Associaçom Mundial de Psicanálise, e membro do Conselho da Escola Europeia de Psicanálise. É docente internacional do Instituto do Campo Freudiano e autor de numerosas publicaçons no âmbito da Psicanálise e da Saúde Mental, da que somente sublinhamos alguns dos seus trabalhos: A repetiçom como conceito fundamental da Psicanálise; Felicidade, culpa e depressom; Autoridade e educaçom; O capitalismo pulseonal, Culpa e castigo; etc...

Dia: 03 de Dezembro 2013- Hora: 7,30 do serám
Local: R. Academia Galega
Rua Tabernas (Cidade Velha) ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A República galega por Maurício Castro Lopes

20-11-2013

O FACHO: A República galega por Maurício Castro Lopes

O passado dia 19 de Novembro o Professor da Escola de Idiomas d'O Ferrol, Maurício Castro Lopes, membro da Direcçom Nacional de NÓS-Unidade Popular, falou dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom sobre: A República Galega.

Castro Lopes espujo de jeito mui didáctico o direito dos galegos ser donos de nós mesmos, do nosso direito unilateral a nos independizar, tal como vem recolhido pola ONU o direito de todo povo a se constituir em Estado, e como assim mesmo é reconhecido polas leis internacionais. Como é possível a configuraçom da República Galega sempre que Nós, os galegos, decidamos que assim fosse. O palestrista desenvolveu com um gram desenvolvimento tanto de ideias como de feitos históricos o irrenunciável direito dos galegos e galegas de contar umha estrutura política de seu, para poder defender os nossos interesses como povo e das maiorias dos cidadaos que conformam a Naçom galega, as classes trabalhadoras.

Ao findar a sua exposiçom houvo umha interessante conversa levada a cabo polos assistentes.

Ligaçom a presentación http://prezi.com/exyrgw6muuv6/?utm_campaign=sha

CANTA O MERLO: Maurício Castro Lopes - A República Galega.

10-11-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Crunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Crunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2013-14.

Palestra

O vindouro dia 19 de Novembro do 2013 às 8,00 do serám, terça, o Professor da Escola de Idiomas d'O Ferrol, Maurício Castro Lopes, membro da Direcçom Nacional de NÓS-Unidade Popular, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A República Galega.

Castro Lopes é licenciado em Filologia Galego-Portuguesa pola USC, exercendo na actualidade a docência de português na Escola Oficial de Idiomas de Ferrol, após ter leccionado nas escolas oficiais de Badajoz (Estremadura), da Corunha e noutros pontos da Galiza durante a última década. Porém, a sua relaçom com o idioma galego-português remonta à sua adesom militante desde a juventude, tendo participado em diferentes projectos de auto-organizaçom em defesa dos direitos lingüísticos do povo galego. É autor ou co-autor de obras divulgativas como a História da Galiza em Banda Desenhada, Manual de Iniciaçom à Língua Galega, Manual Galego de Língua e Estilo, Galiza Vencerá! Participou no movimento anti-militarista galego na década de 90 do passado século, sendo condenado por insubmissom a 4 anos de inabilitazaçom quando já presidia o primeiro Centro Social reintegracionista em defesa do galego, aberto pola Fundaçom Artábria em Ferrol no ano 98. Posteriormente, em 2007, foi eleito membro da Comissom Lingüística da AGAL.

Dia: 19 de Novembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: R. Academia Galega ? Rua Tabernas 11
A Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Capitalismo lingüistico-por que se esta a perder a língua da Galiza por Celso Álvarez Caccámo -

06-11-2013

O FACHO: Capitalismo lingüistico-por que se esta a perder a língua da Galiza por Celso Álvarez Caccámo -

http://agal-gz.org/blogues/media/blogs/ofacho/Capitalismo.pdf

O passado dia 5 de Novembro o professor da Universidade d?A Corunha, Celso Álvares Cáccamo intervéu dentro do ciclo ?Língua, Literatura e Naçom? organizado pola Agrupaçom Cultural O Facho, com umha mui interessante charla sobre : Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza (e que se pode fazer).

O professor Álvarez Cáccamo seguindo a metodologia de analise de Pierre Boudieu expujo como a presencia das relaçons de produçom capitalistas marcam e definem hoje a produçom cultural, fazendo notara como a capacidade da ?inteligência? cultura galega dominante impom as suas produçons culturais e simbólicas fazendo assim jogo a la reproduçom do domínio do capitalismo.

Ao findar a sua exposiçom mantivo umha interessante conversa com os assistentes.

Attachments:

O FACHO: Celso Álvarez Caccámo - Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza

31-10-2013

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2013-14

Palestra

O vindouro dia 05 de Novembro, terça-feira (martes), o Professor de Lingüística da Universidade d?A Crunha, Celso Álvarez Cáccamo falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom na Fundaçom Paideia, Praça da Maria Pita. A sua charla versará sobre: Capitalismo lingüístico: por que se está a perder a língua da Galiza (e que se pode fazer).

O Professor Álvarez Cáccamo é Doutor (Ph.D.) em Sociolinguística e Antropologia Linguística pola University of California at Berkeley, EUA; a sua tese (1991) versou sobre The Institutionalization of Galician: Linguistic Practices, Power, and Ideology in Public Discourse. É também Licenciado em Filologia Hispânica pola Universitat Central de Barcelona, e M.A. em Hispanic Languages and Literatures pola State University of New York at Buffalo, EUA. Tem publicado tanto ensaio como poesia. Entre os primeiros podemos sublinhar "Contra o capitalismo lingüístico: perante a crise da língua na Galiza", texto introdutório ao volume monográfico da revista Agália (104) Língua, desigualdade e formas de hegemonia;?Contra a normalización: Reconhecimento cultural e redistribuição económica sob a dominação lingüística?,Agália; ?Political cross-discourse: Conversationalization, imaginary networks, and social fields in Galiza? com Gabriela Prego-Vázquez. Pragmatics 13(1). Special Issue Ethnography, Discourse, and Hegemony, ed. by Jan Blommaert, James Collins, Monica Heller, Ben Rampton, Stef Slembrouck and Jef Verschueren. ?Construindo a Língua no discurso público: Práticas e ideologias linguísticas?. Agália. No eido poético salientamos: Os distantes, Espiral Maior, Escolma de familia. Cen anos de poesía, Ed. Xerais (livro coletivo no qual participou com vários poemas). É membro da Academia Galega da Língua Portuguesa, e sócio fundador de EDiSo - Asociación de Estudios sobre Discurso y Sociedad - Associação de Estudos sobre Discurso e Sociedade - Associació d'Estudis sobre Discurs i Societat.

Dia: 05 de Novembro 2013 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Paideía
Praça da Maria Pita ? A Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

<< 1 ... 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 ... 61 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution