FACHO DE OURO 2011 para Bernardino Graña

25-01-2011

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Corunha

** F A C H O D E O U R O **

Entrega do Facho de Ouro 2011 a Bernadino Graña Villar

A Directiva da Agrupaçom acordou outorgar O Facho de Ouro ao homem de bem, poeta e professor Bernardino Graña Villar, como testemunha e reconhecimento a sua longa trajectória na defesa da dignidade e da cultura do País.

O acto cívico será acompanhado dumha ceia homenagem que se celebrará o sábado, dia 29 de Janeiro, às 21 horas no Hotel Riaçor d?A Corunha.

Prezo por pessoa: 30 ?.
Reservas, chamardes a Rafael, telefone: 981.269.663 (tardes)-698.147.851
c. electrónico: lobezan@yahoo.es

* * *

No mesmo dia e na lembrança dos Precursores, e Mártires, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques as 12 e ½ da manhá. Na cerimonia haverá musica de gaiteiros.

J. Alberte Corral Iglesias
Secretario d?O Facho

O FACHO: António Gil Hernández - "Marinhas del Valle e a lusofonia na sua obra poética"

23-01-2011

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha convida-lo assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2010-11

Palestra

O vindouro dia 25 de Janeiro, terça-feira (martes), o ensaísta e professor António Gil Hernández, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua charla versará sobre: ?Marinhas del Valle e a lusofonia na sua obra poética?.

O professor Gil Hernández, colabora decote em diversas revistas: "Cadernos do Povo", "Nodos", "O Ensino", "Temas do Ensino" e "Agália". Também participou em congressos e encontros, nacionais e internacionais, sobre a situaçom da Língua Galega. Entre os seus livros de sócio-linguistica podemos sublinhar: Silêncio ergueito, Temas de Lingüística Política e "Tese reintegracionista" - em Que galego na escola?-.
Para além, vários poemários:
Baralha de sonhos e Luzes e espírito, Dio, come ti amo!, ELA e ELE, Rimas a Amarílis, Silveira Lírica, Ut pictura, Tractatus de euphemica dictione, assim como um e-livro ?Contos nada exemplares?

Actualmente junto Paulo Gonçales Marinhas, Iolanda R. Aldrei está a preparar a ediçom dos poemas de Jenaro Marinhas del Valle.

Dia: 25 de Janeiro 2011 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande ? Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretario d?O Facho

O FACHO: Concurso de TEATRO INFANTIL

20-01-2011

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º
15005 Corunha

CONCURSO DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA ASOCIAÇOM CULTURAL O FACHO.



Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Junta Directiva da Associaçom Cultural O FACHO acordou convocar de novo o Concurso de Teatro Infantil, que, nesta nova etapa, se regerá polas seguintes bases:

1º) Poderám optar ao devandito prémio todas as pessoas que pressentem obras inéditas ?em qualquer tipo de suporte- nom representadas, nem premiadas noutros certames e que esteiam escritas em língua galega.

2º) Estabelece-se como prémio único, a ediçom da obra ganhadora, da que o autor ou autora receberá 500,.- ? e como mínimo o 40% da ediçom..

3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será presenteada por quintuplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.

4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio á sé da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia n.º 12-1º A Corunha (15005) ou a Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal de A Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.

5º) O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2011 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.

6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego: Xosé Manuel Rabón, director teatral; Susana Longueira, actriz; Francisco Pillado Maior, director de Edicoes Laiovento.

7º) O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom

8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.

9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom.:

No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.

10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.


Corunha, Janeiro 2011

O FACHO: Concurso de CONTOS DE NENOS PARA NENOS ?CARLOS CASARES?

20-01-2011

Concurso de contos de nenos para nenos "Carlos Casares"

Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participarem ou ganharem muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, fai-se a convocatória para 2011 do Concurso Literário Carlos Casares e em afectuosa homenagem ao primeiro ganhador do Certame de Literatura Infantil no ano 1968 com a sua formosa obra ?A galinha azul? que acadaria a honra de ter sido o fito fundacional da bem viçosa Literatura Infantil e Juvenil Galega contemporânea.

BASES DO CONCURSO:

1. Poderám participar rapazes e rapazas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.

2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2011 às doce da noite.

3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à sede da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia, 12-1º 15005A Corunha. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.

4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.

5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de três anos contados a partir do dia do falho do júri.

6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras.

7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e rapazas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A 1º: 400,.- ? em efectivo / 2º: 400,.- ? em efectivo

Categoria B 1º: 500,.- ? em efectivo / 2º: 400,.- ? em efectivo

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A: Um máximo de cinco fólios
Categoria B: Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por duplicado, manuscritas ou mecanografadas, encadernadas ou grampeadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.

12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.

13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

A Corunha, Janeiro 2011

O FACHO: "Situaçom actual da Língua" por X.H. Costas González

19-01-2011

O passado dia 18 de Janeiro, o professor e ensaísta X.H. Costas González intervéu dentro do ciclo ?Língua, Literatura, e Naçom? organizado pola nossa Agrupaçom. A sua palestra intitulada ?Situaçom actual da Língua?

Na sua exposiçom o conferenciante salientou a situaçom de agressom manifesta e perversa levada a cabo pola actual administraçom da Junta contra a nossa Língua. De todas as medidas tomadas polas distintas Conselharias nom há nengumha de avanço ou protecçom a Língua Galega, senom ao invés. Levando assim a cabo o desenho integrista e etnicista auspiciado polo mais rançoso nacionalismo madrilenho, consubstanciado nas FAES, que é o extermínio de qualquer expressom cultural o lingüística galega. A sua exposiçom foi ilustrada com mostras de normas ditadas polas distintas Conselharias, em especial a de Educaçom, e das inumeráveis condutas e anedotas.

Ao findar a palestra houvo um distindido colóquio com o público assistente.

O FACHO: X. H. Costas González - "Situaçom actual da Língua"

12-01-2011

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha convida-lo assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2010-11

Palestra

O vindouro dia 18 de Janeiro, terça-feira (martes), o Prof. Doutor da U. de Vigo, Xosé Henrique Costas González, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua charla versará sobre: ?Situaçom actual de Língua?.

O professor Costas González, é doutorado em Filologia Galega pola Universidade de Santiago de Compostela, assim mesmo é Catedrático em História e Dialectologia do Galego. Professor da Universidade de Vigo desde sua fundaçom, deu docência nos três campus. Especializado em sociolingüística das línguas europeias minorizadas, deu docência em mestrados, em cursos de doutoramento e em aulas de diversas universidades de Europa e América. Em 2011 cumprirá 25 anos como docente universitário. Foi claustral e membro do Conselho de Governo em várias legislaturas, director do Departamento de Filologia Galega e Latina (2000-2006) e director do Área de Normalizaçom Lingüística (2006-2010).

Assim mesmo foi coordenador do projecto de investigaçom Estúdio lingüístico, etnográfico e antropológico do Val do Rio Ellas. É especialista na fala do Val do Ellas, na Comunidade Estremenha. É membro do conselho de redacçom das revistas Anima+l, Estúdios de Sociolingüística e Língua e Direito. As suas obras de mais relevo som: Aspectos sociolingüísticos do bilingüismo en Galicia segundo os alumnos da segunda etapa de EXB. Galego Coloquial. 1.000 nomes galegos. Dicionario galego de sinónimos. The Galician Language in Education in Spain. 55 mentiras sobre a lingua galega.

Dia: 18 de Janeiro 2011 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande ? Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretario d?O Facho

O FACHO: ? Hermerico, O primeiro Rei da Galiza? por Joám Bernardes Vilar

12-01-2011

Com grande sucesso, o passado dia 11 de Janeiro, terça-feira, o escritor e historiador, Joám Bernardes Vilar falou dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais organizado pola nossa Associaçom, sobre ? Hermerico, O primeiro Rei da Galiza? . A sua dilatada experiência investigadora de Bernardes Vilar converteu-no num dos maiores especialistas da Alta Idade Média do nosso País. No desenvolvimento da sua interessante palestra mostrou aos assistentes que ateigavam a sala, o fundo desconhecimento existente e interessado sobre o nascimento de Galiza como Reino. E como este acochar da nossa história serve a interesses espúrios contrários a nossa emancipaçom como povo e naçom.
A findar a sua exposiçom o conferenciante mantivo um muito interessante colóquio com o público assistente.

O FACHO: Joám Bernardes Vilar - ? Hermérico, O primeiro Rei da Galiza?

03-01-2011

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 A Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2010-11

Palestra

O vindouro dia 11 de Janeiro, terça-feira (martes), o escritor e historiador, Joám Bernardes Vilar falará dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais, sobre ? Hermérico, O primeiro Rei da Galiza?

Joám Bernardes Vilar doutorou-se em Geografia e Historia na Universidade de Vigo, Campus de Ourense. É co-fundador da "Associaçom Cultural" de Vigo (1965), por decisom da qual passou a colaborar, entre 1965 e 1975, na emissom "Raiz e Tempo", em "La Voz de Vigo", a primeira que se fixo em galego depois da Guerra. O seu trabalho consistiu na confecçom duns oitocentos capítulos compendiando a Historia de Galiza.

Também dirigiu o semanário "Galicia Social", a revista "Latexo" de Caixavigo. Toda a sua narrativa é de corte histórico, destacando: "Un home de Vilameán. Anatomia de revolución Irmandiña", !Ouveade, naves de Tarish¡; No ano do Cometa; !Xerusalén, Xerusalén; Big-Bang e A Saga da illa sen noite. No eido da investigaçom escreveu: Pescudas nas orixes do mito de Tristán e Iseu; Galicia no século VI a.C. (1990); Exipto, a viaxe perdida de Egeria, etc. Entre os principais prémios que conseguiu, destacam: "Padroado da Cultura Galega" (Montevideu); "Galicia" de Investigaçom (Universidade de Santiago de Compostela); "Casa Galicia" de Leom; "Prémio Xerais" de narrativa; "Taboada Chivite" de Investigaçom (Concelho de Verim); e duas vezes o "Prémio de Teatro" da Universidade de Vigo. Também tem diversos accessits de contos de "O Facho",

A Real Academia Galega nomeou-no Académico Correspondente o 22 de Fevereiro do 2003.

Dia: 11 Janeiro 2011
Hora: 8 do serám ? Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande ? A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: "Galiza na Idade Moderna: Rebelions e Revoluçons no 1640" por Francisco Carvalho Carvalho

17-12-2010


Com grande sucesso, o passado dia 14 do mês que corre, o doutor, historiador, teólogo, Francisco Carvalho Carvalho falou sobre ?Galiza na Idade Moderna: Rebelions e Revoluçons no 1640? dentro do ciclo, Economia, História e, Realidade Social organizado pola nossa Associaçom. A sua dilatada experiência e trajectória investigadora fai do professor Francisco Carvalho um dos maiores especialistas da Idade Moderna do nosso País.

No desenvolvimento da sua interessante palestra , o professor Francisco Carvalho, mostrou como os diversos acontecimentos desde finais do século XVI até finais do século XVIII definírom a constituírom a Europa actual, na que o nosso País, encadeado à coroa de Castela, ficou ausente do nascimento das revoluçons burguesas que mudárom o tecido político e social do continente europeu estando os labregos e mais os artesans (as classes criadoras de riqueza naqueles séculos) obrigados a sustentar a umhas classes parasitárias constituídas pola ?nobreza? e a ?Eireja?.

Ao findar a sua exposiçom mantivo um curto mas muito interessante colóquio com os cidadás assistentes.

O FACHO: Francisco Carvalho Carvalho - "Galiza na Idade Moderna: Rebelions e Revoluçons no 1640"

07-12-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o a assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2010-11

Palestra

O dia 14 do mês que corre, o doutor, historiador, teólogo, Francisco Carvalho Carvalho falará dentro do ciclo, Economia, História e, Realidade Social. A sua palestra intitulada: "Galiza na Idade Moderna: Rebelions e Revoluçons no 1640? Na mesma departirá com os assistentes sobre os acontecimentos históricos a mediados do século XVII no nosso País.

Francisco Carvalho Carvalho, licenciou-se no 1954 em História na U. C. de Madrid. Foi professor de Filosofia e reitor do Teologado de paúles em Salamanca. Voltou ao País no ano 1973. Em Vigo exerceu de professor da E. U. de Magistério. Actividade cultural directa no bairro e na A.C. de Vigo que presidiu uns anos. Co-fundador e presidente de Promocións Culturais Galegas, 1977, editora de A Nossa Terra. Na acçom política foi membro activo tanto da ANPG como do BNG e actividade religiosa na Eireja galega dos ?Colóquios de Irimia?, etc.
Tem umha grande e extensa obra sobre a História do nosso País, fundamentalmente da Idade Moderna. A mesma está publicada em monografias editadas nos números extras de A.N.T. e também em revistas internacionais.
Desde que se jubilou como professor vive no Morraço. Segue activo: ministerialmente com a pequena Igreja galega de Irimia; culturalmente, com colectivos v.g. Fundaçom Joana Matagal, Maio Longo (Ponte-Vedra), Pedra Longa (Marím), ANT e outros; intencionalmente, co BNG. Actualmente está a trabalhar numha monografia do século XVI na Galiza e a num ensaio cristiá sobre "inserçom do cristianismo" na Naçom Galega.

Dia: 14 de Dezembro 2010
Hora: 8 do serám - Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande - A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

<< 1 ... 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 ... 61 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution