O FACHO: Encontros e desencontros da Literatura Galega com a Lusofonas por Carlos Quiroga

24-02-2010

O professor da USC, Carlos Quiroga, ofereceu umha interessantíssima palestra sobre o encontro e desencontro entre a literatura galega e a lusófona a passada terça (23 de Fevereiro).
Na sua exposiçom o conferencista mostrou a existência de um permanente ziguezague entre a cultura galega e a dos países de fala portuguesa, em particular no eido literário. Desvendou como o encontro de Rodrigues Lapa com Castelao nos tempos da II República foi para o português um acordar para sempre cara o norte do Minho, e assim como o desencontro produzido no começo do actual período político post-franquista entre o filólogo português com Ramom Pinheiro. Também comentou como a existência da revista ?Celtiga? levada polo minhoto Guerra serviu nos anos duros do franquismo para veicular tanto aos escritores galegos com os norte-portugueses como a estes para com os galegos.
Ao findar a sua exposiçom houvo um mui interessante debate.

O FACHO: Concurso de contos de nenos para nenos "Carlos Casares"

21-02-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 Corunha

CONCURSO DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS ?CARLOS CASARES? CONVOCADO POLA ASSOCIAÇOM CULTURAL O FACHO

BASES DO CONCURSO

Poderem participar crianças e meninas que apresentem as suas obras em língua galega.

Os trabalhos apresentados deverám ser originais e inéditos em toda a sua extensom.

O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2010 às doce da noite.

O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.

A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à sede da Associaçom Cultural O FACHO, R/Frederico Tápia,12-1º 15005 - Corunha. Podendo fazer-se individualmente ou por meio do centro onde curse os seus estudos.

No caso em que sejam os centros escolares os que apresentem os originais ao Concurso, deverám fazer umha pre-selecçom de um máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.

As obras haverem de ser relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos a Associaçom Cultural O FACHO por período de três anos contados a partir do dia da falha do jurado.

Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras.

Estabelecem-se duas categorias:
Categoria A Crianças de 6 a 12 anos.
Categoria B Crianças e meninas de 13 a 16 anos.

As quantias dos prémios serám as que seguem:
Categoria A: 1º 400 ? em efectivo, 2º 400 ? em efectivo
Categoria B 1º 500 ? em efectivo, 2º 400 ? em efectivo

Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

As obras haverem de se apresentar manuscritas ou mecanografadas, encadernadas ou grampadas e levarám por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone.
Correio electrónico (se o tem).
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

Os prémios serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO em falha que se fará público no mês de Maio.

O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se apresentem e que nom estejam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.

A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Na cidade d'A Corunha, mês de Janeiro 2010

O FACHO: Concurso de teatro infantil

21-02-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 Corunha

CONCURSO DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA ASOCIAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Junta Directiva da Associaçom Cultural O FACHO acordou convocar de novo o Concurso de Teatro Infantil, que, nesta nova etapa, se regerá polas seguintes:

BASES:

1º) Poderám optar ao devandito prémio todas as pessoas que pressentem obras inéditas ?em qualquer tipo de suporte- nom representadas, nem premiadas noutros certames e que esteiam escritas em língua galega.

2º) Estabelece-se como prémio único, a ediçom da obra ganhadora, da que o autor ou autora receberá como mínimo o 40% da ediçom..

3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será presenteada por quintuplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.

4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio á sé da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia n.º 12-1º A Corunha (15005) ou a Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal de A Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.

5º) O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2010 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.

6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego: Amalia Gómez, Xosé Manuel Rabón, Francisco Pillado.

7º) O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom

8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.

9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom.:
No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.

10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Na cidade d?A Corunha, mês de Janeiro 2010

O FACHO - Carlos Quiroga Díaz: Encontros e desencontros da Literatura Galega com a Lusofonas

18-02-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Corunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2009-10.

Palestra:

O vindouro 23 de Fevereiro, o doutor e professor da U.S.C., Carlos Quiroga Díaz falará dentro do Ciclo, Literatura e Naçom. A sua charla versará sobre: Encontros e desencontros da Literatura Galega com as Lusófonas.

Carlos Quiroga Díaz, é Doutor europeu com uma tese sobre Fernando Pessoa, com prémio extraordinário, exerce como Professor de Literatura Portuguesa na Universidade de Santiago de Compostela. Também forma parte da Associaçom Galega da Língua (AGAL).
Como escritor, ganhou duas vezes o prémio Carvalho Calero de narrativa. A sua obra está publicada tanto na Galiza como fora da mesma ( Itália, Brasil, Portugal, etc.). Entre os seus títulos podemos salientar:
G.O.N.G. - Mais de vinte poemas globais e um prefácio esperançado, Periferias ( prémio C. Calero), A Espera Crepuscular. O Castelo da Lagoa de Antela (Prémio de teatro infantil na Mostra de Ferrol-Terra), Inxalá ( prémio C. Calero).

Dia: 23 de Fevereiro 2010 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande 21-24 ? A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO - Anjo Guerreiro Carreiras: A involuçom do governo de Feijoo

10-02-2010

O conferencista Anjo Guerreiro -Geluco- diante dum público que enchia o salom de conferencias desvendou com umha análise diáfana a grande involuçom que significam as medidas tomadas polo governo de Feijoo. Como toda a sua tarefa pousada no extremismo da mais rançosa direita espanhola, só tomou decisons dinamitadoras contra as medidas mais progressistas do governo bi-partido. Entre as que podemos sublinhar: a destruiçom programada do ensino e a sanidade pública, auspiciando a consolidaçom tanto no ensino como na sanidade a penetraçom de entidades fundamentalistas do catolicismo.
Ao findar a palestra houvo um mui interessantíssimo debate.

O FACHO: A INVOLUÇOM do Governo de Feijoo por Anjo Guerreiro Carreiras

08-02-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º-C
15005 Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2009-10

Palestra

O vindouro dia 9 de Fevereiro, terça-feira (martes), Anjo Guerreiro Carreiras, intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social. Com a sua palestra ? A involuçom do Governo de Feijoo? reflexionará e compartilhará com o público assistente sobre a actualidade política galega.

Quem nom ouviu falar de Anjo Guerreiro (Geluco), militante do Partido Comunista de Galiza desde a sua mocidade nos tempos de ignomínia, ferro e medo, que foi o franquismo? A sua militância activa e organizativa contra a tirania nacional-católica levou-no varias vezes para a cadeia. Posteriormente foi nomeado Secretário Geral do PCG. Também participou como membro da Comissom dos 16 na redacçom do actual Estatuto de Autonomia de Galiza.

Na actualidade é um dos comentaristas políticos mais lidos no País, as suas observaçons caracterizam-se pola sua profundidade de análise bem documentada.

Dia: 09 de Fevereiro 2010 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande ? A Corunha

***Entrega do Facho de Ouro a D. Xesús Alonso Montero***

31-01-2010

***Entrega do Facho de Ouro a D. Xesús Alonso Montero***
***Entrega do Facho de Ouro a D. Xesús Alonso Montero***
***Entrega do Facho de Ouro a D. Xesús Alonso Montero***

As 9 da noite do passado dia 30 de Janeiro num acto emotivo e arrodeado por sócios amigos, a Agrupaçom Cultural O Facho entregou do Facho de Ouro ao professor Jesus Alonso Montero em reconhecimento da sua lavoura prol a defesa da Língua e a Cultura Galega, assim como a sua perseverante luita no processo de emancipaçom das classes populares e a liberaçom de Galiza como povo e naçom. No evento também estivérom pressentes os académicos Luz Pozo e Antom Santamarina, este último em representaçom da R.A.G.,
Na sobremesa da ceia, o presidente do Facho fizo umha evocaçom da figura do homenageado à qual respondeu o mesmo, lembrando aos anteriores Fachos de Ouro e agradecendo à Agrupaçom Cultural O Facho a sua designaçom.

O FACHO: Oferenda floral a Castelao

31-01-2010

O FACHO: Oferenda floral a Castelao

O dia 30 de Janeiro, às 12 e meia da manhá, com o galho da entrega do Facho de Ouro ao professor Jesus Alonso Montero, fizo-se a tradicional oferenda floral diante do monumento de Curros Henriques nos jardins de Mendes Nunes na lembrança de Daniel A. Rodrigues Castelao.
No acto estivérom sócios d'O Facho assim como numeroso público. Houvo umha pequena evocaçom da figura do rianjeiro feita polo o presidente da Agrupaçom, J. L. Rodrigues Pardo e ao findar da mesma tocou-se o hino galego que foi cantado por todos os pressentes

** O FACHO DE OURO **

29-01-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Corunha

** F A C H O D E O U RO **

Entrega do Facho de Ouro a D. Xesús Alonso Montero

A Directiva da Agrupaçom acordou outorgar O Facho de Ouro ao professor e homem de bem, D. Xesús Alonso Montero, como testemunha e reconhecimento a sua longa trajectória na defesa da dignidade e da cultura do País.
O acto cívico será acompanhado dumha ceia homenagem que se celebrará o sábado, dia 30 de Janeiro, às 21 horas no Hotel Riaçor d?A Corunha.

Prezo por pessoa: 30 ?.
Para reservar lugar chamardes a Rafael, telefone: 981.269.663-(tardes)
c. electrónico: lobezan@yahoo.es

* * *
No mesmo dia e na lembrança de Castelao, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques as 12 e ½ da manhá.. Na cerimonia haverá musica de gaiteiros.

J. Alberte Corral Iglesias
Secretario d?O Facho

**O FACHO: Concurso de TEATRO INFANTIL**

28-01-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 Corunha

CONCURSO DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA ASOCIAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Junta Directiva da Associaçom Cultural O FACHO acordou convocar de novo o Concurso de Teatro Infantil, que, nesta nova etapa, se regerá polas seguintes:

BASES:

1º) Poderám optar ao devandito prémio todas as pessoas que pressentem obras inéditas ?em qualquer tipo de suporte- nom representadas, nem premiadas noutros certames e que esteiam escritas em língua galega.
2º) Estabelece-se como prémio único, a ediçom da obra ganhadora, da que o autor ou autora receberá como mínimo o 40% da ediçom..
3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será presenteada por quintuplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.
4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio á sé da Associaçom Cultural O FACHO. R/ Frederico Tápia n.º 12-1º A Corunha (15005) ou a Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal de A Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
5º) O prazo de admissom de originais finaliza o dia 31 de Março de 2010 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego: Amalia Gómez, Xosé Manuel Rabón, Francisco Pillado.
7º) O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom.:
No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Na cidade d?A Corunha, mês de Janeiro 2010

<< 1 ... 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 ... 58 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution