O FACHO: X. L. Méndez Ferrín - " Galicia na poesia de X. L. Méndez Ferrín"

25-05-2010

Agrupación Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 Corunha

A Agrupación Cultural O Facho de A Coruña convida-lo asistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2009-10

Palestra

O vindouro día 25 de Maio, terça-feira (martes), o escritor e Presidente da Real Academia Galega, Xosé Luís Méndez Ferrín falará dentro do ciclo, Lingua, Literatura e Nación. A súa charla versará sobre: Galicia na poética de X. L. Méndez Ferrín.

O profesor Méndez Ferrín é Doutor en Filoloxía e Doutor Honoris Causa pola Universidade de Vigo. Desde o 23 de xaneiro preside a RAG. Foi profesor de literatura no Instituto Santa Irene de Vigo. Dirixe a revista de pensamento crítico A Trabe de Ouro que ten marcado de xeito notábel na última década o devir da nosa cultura coa difusión de problemas e investigacións sobre cuestións diversas con aproximacións interdisciplinares e baixo unha dupla perspectiva nacional e universal. Preparou a edición crítica do Cancioneiro de Pero Meogo e como ensaísta publicou De Pondal a Novoneyra.

Deuse a coñecer como poeta coa obra Voces na néboa, á cal seguiron Antoloxía popular, asinado co heterónimo de Heriberto Bens; Sirventés pola destrucción de Occitania; Con pólvora e magnolias, Premio da Crítica; Poesía enteira de Heriberto Bens, O fin dun canto, Erótica, Estirpe, Premio Losada Diéguez.

Como narrador publicou: Percival e outras historias; O crepúsculo e as formigas; Arrabaldo do norte; Retorno a Tagen Ata; Elipsis e outras sombras; Antón e os inocentes; Crónica de nós; Amor de Artur; Arnoia, Arnoia; Bretaña Esmeraldina, Premio da Crítica de Galicia, Arraianos, Premio da Crítica de Galicia, Premio Losada Diéguez, Premio da Crítica Española, e No ventre do silencio, Premio Eixo Atlántico. En 1999 foi proposto pola Asociación de Escritores en Lingua Galega para o Premio Nobel de Literatura.

Debido á súa actividade política foi procesado en tres ocasións -a última, cando xa estaban en vigor as institucións democráticas españolas-, sufrindo torturas e varios ingresos no cárcere.

Día: 25 de Maio do 2010 - Hora: 8 do serán
Local: Fundación Caixa Galiza
Cantón Grande ? Coruña

J. Alberte Corral Iglesias
Secretario d?O Facho

Entrega premios contos 2010

24-05-2010

Num agarimoso acto fizo-se entrega dos prémios de literatura infantil ? Contos de nenos para nenos?.convocados pola nossa Agrupaçom. A mesa esta composta polos membros do júri : Mar Hermida, José Mondelo, assim como polo presidente d'O Facho, J. L. Rodríguez Pardo e a vogal responsável desta actividade, Soledade Glez. Maside. O escritor e membro do júri, Xavier Docampo nom pudo assistir, mas enviou umha nota que foi lida Sol para logo lhe a entregar aos premiados

Os premiados fôrom agasalhados com livros, diplomas, e o prémio correspondente, sendo os mesmos:

1º.- Prémios da Categoria A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos)

Primeiro prémio: ?Evaristo o piollo listo? de Matías Núñez Gil
Aluno do IES Celanova (Ourense)
Segundo prémio: ?Un verán moi especial? de Lorena Barrera López
Aluna do CEIP Vista Alegre, Burela (Lugo)

2º.- Prémios da categoria B. (Rapazes e rapazas de 13 a 16 anos)

Primeiro prémio: ?Seis de diamantes? de Brais Lamela Gómez
Aluno do IES Basanta Silva de Vilalba (Lugo)
Segundo prémio: ?...E na terra, un mar de bágoas? de
Laura Rivadulla Costa
Aluna do IES Agra de Raízes,Cée (Corunha)

Accesit categoria B:

?Unha bágoa e mais unha flor? de Uxía Barrientos Reboiras
Aluna do IES Agra do Orçam, Corunha
?O meu xardín maldito? de Sofía Calvo Soares
Aluna do IES As Lagoas (Ourense)

Ao findar o acto houvo umha ceia homenagem aos rapazes e raparigas premiados.

O FACHO: Uxío Novo-Neira por Xulio López Valcárcel

19-05-2010

O poeta Júlio Lopes Valcárcel falou da figura do homenageado neste ano o também poeta Uxío Novo-Neira ante um interessado público que acudiu aos eventos programados pola nossa Agrupaçom com o galho do dia das ?Letras Galegas?

O conferencista compartilhou com a cidadania presente as suas reflexons nom só sobre a pessoa do grande poeta da Terra, Uxío Novo-Neira, senom também sobre a transcendência da sua obra poética. Com umha exposiçom clara e documentada, Júlio L. Valcárcel mostrou o devir literário e existencial do autor de ?Os Eidos? nos duros anos da tirania nacional-católica que asovalhou ao País por mais de quarenta anos.

Ao findar a sua exposiçom houvo um colóquio com umha grande participaçom dos assistentes

O FACHO: ? As origens das políticas sociais na Galiza (1908-1963) por Margarida Vilar Rodrigues

15-05-2010

Com umha sala de interessado público, a professora da Universidade da Corunha, Margarida Vilar Rodrigues, falou e reflexionou com os assistentes sobre a evoluçom as políticas sociais na Galiza e desmitificou a "lenda franquista" que a extensom das mesmas nascera no Regime nacional-católico. É obvio que sendo o nosso País parte do Estado espanhol, as mesmas seguírom os processos havidos no território do Estado.

Com umha exposiçom exaustiva de documentaçom, e de fontes legislativas, fizo visível as diversas etapas das políticas de previsom e amparo, e como a sua maior implementaçom se deu no período da II República. Mostrou com dados irrefutáveis como os custos de estas políticas de cobertura dos riscos de acidentes de trabalho que se produziam a cote , de velhice, maternidade, doença e desemprego, eram sobre as costas dos jornais dos obreiros e demais camadas trabalhadoras.

Ao findar a professora, Margarida, a sua exposiçom houvo um colóquio com umha grande participaçom dos assistentes

O FACHO: Manifesto contra a política ETNOCIDA de Feijóo e os seus "mariachis"

15-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º
15005 A Corunha

?O galego, o nosso existir?

Ante a necessidade de respostas à política etnocida de Feijóo e o seu desgoverno contra a nossa Língua, O Facho chama aos bons e generosos a fazer valer os seus direitos cidadás frente às agressons contra a Língua Galega que está a levar a cabo o P.P. e a actual Junta de Galiza participando na manifestaçom convocada para o 17 de Maio ás 12 horas desde a Alameda de Compostela.

A Agrupaçom Cultural O Facho manifesta

O nosso posicionamento de jeito beligerante e irrenunciável na defesa da Língua Galega que constitui um elemento básico de identidade cultural e representa um valor fundamental de coesom.

As políticas lingüísticas levadas a cabo pola Junta do P.P. supom um passo adiante na política de repressom, empobrecimento e marginalizaçom que Feijóo e os seus ?mariachis? estám a realizar contra a Língua e a Cultura dos galegos e galegas desde a Junta de Galiza.

O Estatuto de Autonomia de Galiza, no seu artigo 5, define o galego como Língua própria de Galiza, declara que os idiomas galego e castelám som oficiais em Galiza e que todos tenhem o direito de conhece-los e usa-los. Assim mesmo, estabelece que os poderes públicos da Galiza potenciarám o emprego do galego em todos os planos da vida pública, cultural e informativa, e aportarám a dotaçom dos recursos necessários para facilitar o seu conhecimento. Certamente, todas as políticas culturais e lingüísticas estám a violentar o próprio Estatuto de Autonomia.

Demandamos

Que cesse a perseguiçom da Língua e Cultura Galega por parte da actual Junta do P.P.

A aboliçom do sistema legal que subordina o galego ao castelám, a aboliçom do supremacismo castelám que procura a desapariçom do galego e exigimos a implementaçom de autênticas políticas de normalizaçom lingüística ao serviço da nossa sociedade.

Na cidade d?A Corunha, mês de Maio 2010

O FACHO: Actos com o galho das LETRAS GALEGAS

10-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha

Actos para realizar polo Facho com o galho das Letras Galegas do ano 2010

18 de Maio 2010

Às 12 e 1/2 da manhá: Oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques. Falará o presidente d?O Facho, José Luís Rodrigues Pardo e dará a conhecer o ganhadores dos prémios convocados pola nossa Agrupaçom:

Concurso de Contos de nenos para nenos ?Carlos Casares?
Concurso de Teatro Infantil

Na cerimonia haverá musica de gaiteiros.

18 de Maio 2010

Às 8 do serám no local da Fundaçom Caixa Galiza, Cantom Grande, Corunha; o poeta e ensaísta, Júlio Lopes Valcárcel falará sobre a figura do grande poeta do Caurel, Uxío Novo Neira. A sua intervençom intitula-se: Uxío Novo Neira, poeta da Terra
22 de Maio 2010

Às 8 do serám no local da Fundaçom Caixa Galiza, Médico Rodrigues n.º 2 da Corunha efectuara-se a entrega dos prémios:

Concurso de Contos de nenos para nenos ?Carlos Casares?
Concurso de Teatro Infantil

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: -Margarida Vilar Rodrigues ? As origens das políticas sociais na Galiza (1908-1963)

08-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 A Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2009-10

Palestra

O vindouro dia 11 de Maio, terça-feira (martes), a Doutora e Professora da Universidade da Corunha, Margarida Vilar Rodrigues falará dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais, sobre ? As origens das políticas sociais na Galiza (1908-1963): a cobertura dos riscos de acidentes de trabalho, velhice, maternidade, enfermidade e paro?

Margarida Vilar Rodrigues é Doutora em Economia pola Universidade de Barcelona (2004), instituiçom onde trabalhou durante vários anos. Na actualidade é professora do Departamento de Economia Aplicada I (Área de Historia e Instituiçons Económicas) na UDC. A sua actividade investigadora está centrada em torno ao funcionamento do mercado de trabalho, a desigualdade e as políticas sociais em Espanha e Galiza durante o século XX.

É autora de umha notável e amplia obra tanto em trabalhos colectivos como individuais em revistas científicas. Como membro do Grupo de Investigaçom de Historia da Empresa é também co-autora de diversas obras sobre a história económica da Galiza, entre elas sublinhamos: O aforro dos galegos. Origens e História da Caixa Galicia,1876-2002; O auga bem-feitora. Umha história dos balneários da Galiza, 1700-1936. Os origens do Estado de bem-estar na Espanha, 1900-1945: Os seguros de acidentes, velhice, desemprego e doença.


Dia: 11 de Maio do 2010 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa-Galiza / Cantom Grande
Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Manifesto pola defesa da Língua e Cultura Galega

05-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º
15005 A Corunha


?O galego, o nosso existir?

Ante a necessidade de respostas à política etnocida de Feijóo e o seu desgoverno contra a nossa Língua., O Facho chama aos bons e generosos a fazer valer os seus direitos cidadás frente às agressons contra a Língua Galega que está a levar a cabo o P.P. e a actual Junta de Galiza participando na manifestaçom convocada para o 17 de Maio ás 12 horas desde a Alameda de Compostela.

A Agrupaçom Cultural O Facho manifesta

O nosso posicionamento de jeito beligerante e irrenunciável na defesa da Língua Galega que constitui um elemento básico de identidade cultural e representa um valor fundamental de coesom.

As políticas lingüísticas levadas a cabo pola Junta do P.P. supom um passo adiante na política de repressom, empobrecimento e marginalizaçom que Feijóo e os seus ?mariachis? estám a realizar contra a Língua e a Cultura dos galegos e galegas desde a Junta de Galiza.

O Estatuto de Autonomia de Galiza, no seu artigo 5, define o galego como Língua própria de Galiza, declara que os idiomas galego e castelám som oficiais em Galiza e que todos tenhem o direito de conhece-los e usa-los. Assim mesmo, estabelece que os poderes públicos da Galiza potenciarám o emprego do galego em todos os planos da vida pública, cultural e informativa, e aportarám a dotaçom dos recursos necessários para facilitar o seu conhecimento. Certamente, todas as políticas culturais e lingüísticas estám a violentar o próprio Estatuto de Autonomia.

Demandamos

Que cesse a perseguiçom da Língua e Cultura Galega por parte da actual Junta do P.P.

A aboliçom do sistema legal que subordina o galego ao castelám, a aboliçom do supremacismo castelám que procura a desapariçom do galego e exigimos a implementaçom de autênticas políticas de normalizaçom lingüística ao serviço da nossa sociedade.

Na cidade d?A Corunha, mês de Maio 2010

O FACHO; Actos com o galho das Letras Galegas do ano 2010

05-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha

Actos para realizar polo Facho com o galho das Letras Galegas do ano 2010

18 de Maio 2010

Às 12 e 1/2 da manhá: Oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques. Falará o presidente d?O Facho, José Luís Rodrigues Pardo e dará a conhecer o ganhadores dos prémios convocados pola nossa Agrupaçom:

Concurso de Contos de nenos para nenos ?Carlos Casares?
Concurso de Teatro Infantil

Na cerimonia haverá musica de gaiteiros.

18 de Maio 2010

Às 8 do serám no local da Fundaçom Caixa Galiza, Cantom Grande, Corunha; o poeta e ensaista, Júlio Lopes Valcarcel falará sobre a figura do grande poeta do Caurel, Uxío Novo Neira.

22 de Maio 2010

Às 8 do serám no local da Fundaçom Caixa Galiza, Médico Rodríguez nº 2 d?A Corunha efectuara-se a entrega dos prémios:

Concurso de Contos de nenos para nenos ?Carlos Casares?
Concurso de Teatro Infantil

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Margarida Vilar Rodrigues -As origens das políticas sociais em Galiza (1908-1963)

03-05-2010

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 A Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2009-10

Palestra

O vindouro dia 11 de Maio, terça-feira (martes), a Doutora e Professora da Universidade da Corunha, falará dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais, sobre ? As origens das políticas sociais em Galiza (1908-1963): a cobertura dos riscos de acidentes de trabalho, velhice, maternidade, enfermidade e paro?

Margarida Vilar Rodrigues é Doutora em Economia pola Universidade de Barcelona (2004), instituiçom onde trabalhou durante vários anos. Na actualidade é professora do Departamento de Economia Aplicada I (Área de Historia e Instituiçons Económicas) na UDC. A sua actividade investigadora está centrada em torno ao funcionamento do mercado de trabalho, a desigualdade e as políticas sociais em Espanha e Galiza durante o século XX.

É autora de umha notável e amplia obra tanto em trabalhos colectivos como individuais em revistas científicas. Como membro do Grupo de Investigaçom de Historia da Empresa é também co-autora de diversas obras sobre a história económica da Galiza, entre elas sublinhamos: O aforro dos galegos. Origens e História da Caixa Galicia,1876-2002; O auga bem-feitora. Umha história dos balneários da Galiza, 1700-1936. Os origens do Estado de bem-estar na Espanha, 1900-1945: Os seguros de acidentes, velhice, desemprego e doença.


Dia: 11 de Maio do 2010 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa-Galiza / Cantom Grande
Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

<< 1 ... 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 ... 61 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution