O FACHO: MANIFESTO ante a AFRENTA ao POVO GALEGO por parte da JUNTA DE GALIZA

13-06-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º
15005 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho chama aos bons e generosos a fazer valer os seus direitos cidadáns frente às agressons contra a Língua Galega que está a levar a cabo o P.P. e a actual Junta de Galiza conformada na sua maioria por membros do OPUS e outras seitas semelhantes.

Ante esta afrenta ao povo galego, O Facho manifesta:

1) O nosso posicionamento de jeito beligerante e irrenunciável na defessa da Língua Galega
.
2) A Língua constituí um elemento básico de identidade cultural e representa um valor fundamental de coesom. A supressom do actual Decreto 124/2007, polo que se regula o uso e a promoçom do galego no sistema educativo, retrotrai-nos ao mais râncio franquismo do que o actual Governo da Junta tem múltiplos canles manifestos e soterrados de comunicaçom.

3) A eliminaçom deste Decreto supom um passo adiante na política de repressom, empobrecimento e marginaçom que os responsáveis políticos da Junta de Galiza estám a realizar contra a Língua e a Cultura dos galegos e galegas.

4) O Estatuto de Autonomia de Galiza, no seu artigo 5, define o galego como Língua própria de Galiza, declara que os idiomas galego e castelám som oficiais em Galiza e que todos tenhem o direito de conhece-los e usa-los. Assim mesmo, estabelece que os poderes públicos da Galiza potenciarám o emprego do galego em todos os planos da vida pública, cultural e informativa, e como a dotaçom dos recursos necessários para facilitar o seu conhecimento. Certamente, com a supressom do Decreto 124/2007 violenta-se o próprio Estatuto de Autonomia.

5) Depois de séculos de persecuçom e de escárnio dos falantes galegos à vez que geravam políticas de extirpaçom da Língua Galega, tanto por parte do Estado, da Eireja, e outras Instituçons. O Decreto 124/2007 desenvolve a Lei 3/1983, de Normalizaçom Lingüística que garante a igualdade do galego e do castelám como Línguas oficiais da Galiza e assegura a normalizaçom do galego em todos os eidos da sociedade.

Demandamos que cesse a persecuçom da Língua Galega por parte da actual Junta de Galiza e que o Decreto 124/2007 mantenha a sua vigência.

Na cidade d?A Corunha a 10 de Junho 2009

A EMIGRAÇOM GALEGA, HOJE ou A CÚMPLICIDADE das classes dominantes galegas no colonialismo da Galiza, por Frederico Martím Palmeiro

29-05-2009

Numha mui interessante conferência, o economista e professor da Universidade d'A Corunha, Frederico Martim Palmeiro, deu a conhecer com dados irrefutáveis o ciclo da III grande emigraçom galega que se está a produzir nestes anos. Este novo ciclo de dessangramento de Galiza é silenciado por todos os "mass media" como cúmplices e actores junto a grandes sectores da patronal de origem galega do sistema de extermínio de qualquer possibilidade de construçom do País, mostrando umha vez mais com dados estatísticos contrastados que nom se trata de nengumha teoria conspirativa; senom de feitos e de resultados confrontados dentro dum processo de colonizaçom económica e social nos que desde séculos estamos mergulhados os galegos em tanto que povo.

O FACHO: A EMIGRAÇOM GALEGA, HOJE. Incapacidade das classes dominantes galegas ou colonialismo? por Frederico Martím Palmeiro

26-05-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2008-9
Palestra

O vindouro dia 28 de Maio, quinta-feira (joves), o Doutor em Economia e Vice decano Faculdade de Sociologia na Universidade da Corunha, Federico G. Martín Palmeiro falará dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A Emigraçom galega, hoje. Incapacidade das classes dominantes galegas ou colonialismo?

O professor Federico G. Martín Palmeiro é um economista de reconhecido prestigio dentro da comunidade educativa e cientifica. Possui umha abundosa obra publicada tanto em livros como ensaios em revistas de grande sona nos eidos intelectuais. Entre as suas publicaçons sublinhamos somente algumhas:

O debate sobre a pegada ecolóxica de Galica
Unha Galícia insustentable?
A pegada ecolóxica
Aproximación ó deseño dun índice sintético de equidade e a súa aplicación ó caso de Galicia?

Dia: 28 de Maio do 2009 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom PAIDEIA
PRAÇA de M. PITA ? A Corunha
J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: A EMIGRAÇOM GALEGA, HOJE. Incapacidade das classes dominantes galegas ou colonialismo? por Frederico Martím Palmeiro

22-05-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2008-9

Palestra

O vindouro dia 28 de Maio, quinta-feira (joves), o Doutor em Economia e Vice decano Faculdade de Sociologia na Universidade da Corunha, Federico G. Martín Palmeiro falará dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social. A sua charla versará sobre: A Emigraçom galega, hoje. Incapacidade das classes dominantes galegas ou colonialismo?

O professor Federico G. Martín Palmeiro é um economista de reconhecido prestigio dentro da comunidade educativa e cientifica. Possui umha abundosa obra publicada tanto em livros como ensaios em revistas de grande sona nos eidos intelectuais. Entre as suas publicaçons sublinhamos somente algumhas:

O debate sobre a pegada ecolóxica de Galica
Unha Galícia insustentable?
A pegada ecolóxica
Aproximación ó deseño dun índice sintético de equidade e a súa aplicación ó caso de Galicia?

Dia: 28 de Maio do 2009 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom PAIDEIA
PRAÇA de M. PITA ? A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

O FACHO: Entrega dos prémios do XLII ?Concurso de Contos de Nenos para Nenos - Carlos Casares?.

21-05-2009

Num acto de grande emoçom fizo-se entrega dos prémios do Concurso de Contos de Nenos para Nenos ? Carlos Casares convocado pola nossa associaçom. As premiadas assistentes estavam acompanhadas polas suas famílias, mágoa que alguns dos premiados nom houvesse podido assistir ao evento, que sem perder o seu caracter de festa lúdica também converteu-se em reivindicativa da Língua Galega nestes tempos no que começa umha nova andaina de agressom institucional por parte do governo opusdista da Junta de Galiza a nossa Língua mae.

A seguir de umhas palavras do presidente d?O Facho leu-se umha carta remitida polo escritor Xabier Docampo para os nascentes literatos premiados, a continuaçom também falárom os demais membros do Júri do Concurso de Contos: José Mondelo, Mar Hermida e Soledad González Maside. Para de imediato efectuar a adjudicaçom dos prémios aos beneficiados do mesmo.

OFERENDA FLORAL no monumento a Curros Henriques realizado polo FACHO com o galho das LETRAS GALEGAS

16-05-2009

Com o galho da festa das Letras Galegas a Agrupaçom Cultural O Facho fizo o dia 14 às 12 e ½ da manhá a tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques na cidade d?A Corunha. Baixo o começo dumha marmalha e resguardados em pára-augas deu-se a conhecer os ganhadores do Prémio do Concurso de Contos de nenos para nenos d?O Facho? Carlos Casares?.

Para findar o acto houvo´música de gaita para logo todos os numerosos assistentes cantar o Himno Galego.

LETRAS GALEGAS: A figura de Ramom Pinheiro analisado por X. Luís Franco Grande no Facho

15-05-2009

LETRAS GALEGAS: A figura de Ramom Pinheiro analisado por X. Luís Franco Grande no Facho
LETRAS GALEGAS: A figura de Ramom Pinheiro analisado por X. Luís Franco Grande no Facho

O advogado e intelectual Xosé Luís Franco Grande compartilhou numha mui interessante palestra sobre a figura de Ramón Piñeiro, personagem a quem este ano esta adicado as Letras Galegas. Na sua exposiçom deu a conhecer experiências compartidas nos seus anos moços com Piñeiro, fazendo sobressair a importância da labor perseverante do mesmo no artelhar e despertar da consciência e dignidade galega na gente nova daqueles anos escuros do franquismo.

A exposiçom do palestrante foi seguida com grande interesse polo numeroso público assistente, o que deu posteriormente um quente debate.

O FACHO: ?Concurso de Contos de Nenos para Nenos - Carlos Casares?

15-05-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Federico Tapia 12-1º
15005 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O FACHO tem a bem de lhes comunicar o falho do ?Concurso de Contos de Nenos para Nenos - Carlos Casares? na convocatória 2009, segundo acordo do júri formado por Xabier P. Docampo, José Mondelo, Mar Hermida e Soledad González Maside.

1º.- Prémios da Categoria A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos)

Primeiro prémio: ?Cada ollada unha historia? de Iria Esperón Abril
CEIP Banho de Xanza - Valga (Pontevedra)
Segundo prémio: ?Unha boneca moi especial? de Katia Pérez Pereira
CPI de Zás (A Corunha)

Accésit: ?O soño de voltar? de Matias Nuñez Gil
CEIP Curros Enriquez de Celanova (Ourense)
?A princesa Cisne? de Ada Freire Vázquez
CEP Álvarez-Limeses de Pontevedra

2º.- Prémios da Categoria B. (Rapaces e raparigas de 13 a 16 anos)

Primeiro prémio: ?Atlántico? de Beatriz Rodríguez Fernández
IES Blanco Amor de Ourense
Segundo prémio: ?Historia dun chicle? de Helena Salgueiro Golán
IES Antonio Fraguas de Santiago de Compostela

Accésit: ?Renacer da eternidade? de Maria Laura Carrillo Neira
IES Manuel García Barros da Estrada (Pontevedra)
?Recordas? O cuco labicha? de Iván Prado Rodríguez
IES Cidade de Antioquía de Xinzo da Limia (Ourense)

Agradecemos a participaçom de todos os concursantes e felicitamos mui especialmente aos ganhadores, e também queremos recordar que o acto de entrega de diplomas e prémios será o dia 20 de maio as 20 horas, na sede da Fundaçom Caixa Galicia, Cantom Grande, da cidade da Corunha.


A Corunha, 14 de Maio de 2009

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

LETRAS GALEGAS: Oferenda floral no monumento a Curros Henriques polo O Facho

13-05-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha

Oferenda floral no monumento a Curros Henriques com o galho das Letras Galegas do ano 2009

14 de Maio 2009

Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques as 12 e ½ da manhá. Falará o presidente d?O Facho, José Luís Rodrigues Pardo e dará a conhecer o ganhadores do Prémio do Concurso de Contos de nenos para nenos d?O Facho? Carlos Casares?. Na cerimonia haverá musica de gaiteiros.

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

LETRAS GALEGAS: "Ramom Pinheiro e a política galega anterior á transiçom" por Xosé Luís Franco Grande

08-05-2009

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus actos com o galho da Semana das Letras Galegas.

Palestra

O vindouro dia 13de Maio, quarta-feira (mércores), advogado e academico da R.A.G., Xosé Luís Franco Grande falará da figura homenageada neste ano. A sua palestra intitula-se "Ramón Piñeiro e a política galega anterior á transición".

O académico Franco Grande é um intelectual de reconhecido prestigio dentro tanto dentro comunidade cultural do País como fora do mesmo. Actualmente Exerce na cidade de Vigo a sua professom de advogado e foi até a sua jubilaçom em Junho do ano 2001, Assesor Jurídico da Caixa de Aforros de Vigo, agora CAIXANOVA.

Tem intervido em numerosos actividades no eido da cultura galega, assim como possui umha reconhecida obra publicada. Dos seus livros sublinhamos somente alguns:

Vieiro Choído (1957) Galaxia.
Entre o si e o non (1967) Galaxia
Diccionario Galego Castelán, (1968), Galaxia
OBRA COMPLETA, de Leiras Pulpeiro (1970) Fundación Penzol
Vocabulario Galego Castelán (1972) Galaxia
Os anos escuros I (1985) Edicións Xerais de Galicia
Herdo de Memoria e Tempo (1987) Edicións Xerais de Galicia
A ilusión da esperanza (1991) Edicións do Cumio
Francisco F. Del Riego (2001), Ir Indo
Os anos escuros, Galaxia, 2005

Também tem publicado artigos tanto em jornais como em revistas do País como fora do mesmo.

Dia: 13 de Maio do 2009 - Hora: 8 do serám
Local: Fundaçom Caixa Galiza
Cantom Grande ? A Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

<< 1 ... 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 ... 61 >>

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution