alunos LousameAnabel Novo (*) - O Valentim R. Fagim deu com grande sucesso um ateliê de língua portuguesa em 4 horas (LP4) às turmas de 3º ESO do CPI ?Cernadas de Castro?, em Lousame, dentro do qaudro do projeto do EDL do nosso centro. Aliás, o professor não foi apenas ministrar uma aula de português, mas foi fazer com que meninos e meninas de 14 anos comecem a olhar o mundo a partir da sua língua, o galego.

Mostrou-nos as caras do português, portanto mostrou-nos a potencialidade natural do galego, língua-chave para atravessar a porta que temos na frente, dar só um passo, e entrar num mundo de 250 milhões de pessoas com quem podemos comunicar.

O LP4 acerta no alvo do objetivo principal de qualquer Projeto de Dinamização Linguística, já que reforça a dimensão comunicativa do galego em relação com contextos vivos e internacionais e ajuda as gerações mais novas a perceberem a utilidade da língua galega.

O ateliê esteve dividido em 4 horas. Na hora 1 o Valentim, a falar em português de Portugal e do Brasil, fez uma breve introdução histórica e uma aproximação às culturas lusófonas remarcando que a nossa vantagem como galegos e galegas era a nossa riqueza linguística. Desde o início os adolescentes ficaram maravilhados, pois para muitos era a primeira vez que sabiam da existência do português nos continentes africano e asiático.

Na hora 2, depois de ver as dicas de leitura da ortografia portuguesa, fez uma atividade em que envolveu ativamente os meninos e meninas: um concurso musical. Eles adoraram, e houve prémio para a equipa ganhadora, um manual Do Ñ para o NH.

Já de tarde, depois do almoço, vieram as horas 3 e 4. Nelas o professor centrou-se no léxico e na gramática marcando o quanto sabiam já os alunos só pelo facto de serem galegos e galegas. Depois, advertiu dalgumas diferenças morfossintáticas a respeito do galego, léxico diferente e falsos amigos.

Finalmente, ensinou-nos como utilizar e aplicar muitos dos recursos que temos disponíveis na Internet para os alunos e alunas aprenderem sozinhos e sozinhas.

Este tipo de atividades são necessárias porque para muitos rapazes e raparigas galego-falantes, e também para os que não o são, foi a primeira vez a perceber que o galego os posiciona numa situação de vantagem dentro do mercado laboral para um futuro cada vez mais competitivo.

Agora os alunos e alunas de Lousame são conscientes de que se o galego e o português tivessem mais contato, poderia ser benéfico para o galego. Quase todos assinalam que se a escola ofertasse o português como matéria optativa, não duvidariam em a escolher.

Alguns alunos colocaram o seu parecer sobre o ateliê no nosso blogue: Blog da Silva - Ás voltas co portugués.

(*) Professora da ENDL do CPI Cernadas de Castro.

O ateliê dura 100 minutos, duas aulas consecutivas de 50 minutos ainda que exista a possibilidade de as aulas serem alternas.
Unidade 1 Ler está ao alcance dos nossos olhos (ortografia)
Objetivos gerais:
  • Mostrar que as palavras e as letras podem ser lidas de diferentes formas.
  • Mostrar como se leem à galega as letras do alfabeto português não presentes na ortografia galega.
    Unidade 2 Temos muito a ganhar
    Objetivos gerais:
    • Mostrar a vantagem competitiva da Galiza em relação à Lusofonia.
    • Mostrar o que a Lusofonia representa em termos geográficos, culturais e económicos.
    • Tomar consciência do que sabemos e desconhecemos a respeito dos países que falam português.
    • Mostrar o que a população galega tem a ganhar sabendo português.
      Unidade 3 Sabemos muito mas não nos devemos confiar (léxico e gramática)
      Objetivos gerais:
      • Mostrar a nossa vantagem competitiva em termos de compreensão escrita (gramática e léxico)
      • Mostrar que a maioria do léxico é comum.
      • Advertir das dificuldades léxicas: sinónimos, falsos amigos, palavras modernas, anglicismos.
      Unidade 4 Podes aprender tu mesmo/a
      Objetivos gerais:
      • Fornecer recursos para que os alunos e alunas sejam autónomos na aprendizagem.
      • Fornecer recursos culturais (música, cinema, jornais, ebooks, jogos) para que se mergulhem no mundo em português.

      A pessoa responsável do ateliê vai expressar-se em português de Portugal ou do Brasil e vai-se incidir em que tal ação seria inviável em Madrid ou Barcelona. O objetivo é lembrar (Ops!) aos alunos e alunas que já sabem muito e que esse saber é a sua vantagem competitiva no quadro espanhol e europeu.

      A interação com os alunos e as alunas é alta facilitando o seu envolvimento para integrarem os diferentes aspetos e ideias-força da exposição.

      O número de alunos e alunas ideal estaria entre 20 e 40 podendo-se alargar até 60 mas tendo presente que quanto maior for o número de alunos e de alunas a interatividade, essência do ateliê, perde força.

      O suporte base serão várias apresentações em Office Impress para as unidades 1,2 3 precisando-se de uma sala com projetor, ecrã e acesso à Internet.

      Entre a unidade 2 e 3 ouviremos um tema musical e a turma terá de preencher os ocos que faltam na letra que lhe será entregue.

      A unidade quarta consistirá na mostra e interação com alguns dos sites recomendados em folha que se entrega ao estudantado.

      Existem duas versões:
      Ops Alunos/as a partir dos 12 anos (ciclo superior de educação primaria, ESO,
      bacharelado, FP, ensino de adultos...).
      Ops+ Para as mesmas idades e para alunos/as que já realizaram o Ops.

      << 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 >>

      Contacto OPS!

        Feeds XML
      powered by b2evolution free blog software