Manifesto do Clube d@s Poetas Viv@s

Manifesto do Clube d@s Poetas Viv@s

03-11-07

Imagem Cantigas de Santa Maria
(CSM número 150)


p://www.agal-gz.org/blogues/index.php/poetas?cat=566">Clube d@s Poetas Viv@s.- Iniciamos aqui o nosso caminho pola rede um grupo de poetas galeg@s que sonham mudar o mundo com a ajuda da poesia. Na rua já levamos um ano. Informaremos-vos dos nossos recitais poético-musicais. Para já aí vai o manifesto pelo qual nos guiamos.

Manifesto

Somos o Clube das e dos Poetas Viv@s (como alguém disse uma vez). Respeitamos a palavra como forma autêntica apegada à vida, como vida da vida com vida própria, porque a palavra primeiro foi rio, logo mar, mais tarde montanha e voz. Por isso nos comprometemos, hoje, com a palavra para fazer dela curso verdadeiro, fala e coração.

Somos o Clube das Poetas e dos Poetas Viv@s (como alguém disse uma vez), não reconhecemos fronteiras que separem por cobiça a um e outro ser, não reconhecemos estados que nos dividam para nos escravizar, não reconhecemos guerras que nos matem para delas se beneficiarem os que dividem o mundo e não respeitam culturas nem o direito a ser diferente na diversa riqueza universal, e só habitam para semear o ódio.

Somos o Clube das Poetas e dos Poetas Viv@s (Como alguém disse uma vez), aplicamos a palavra contra todo esquecimento. E falamos em alto, conversas demoradas com nossa Terra Mãe, que nos deu o berço, a lua, a língua que é verbo feito amor para comunicar livres aos filhos, às filhas, na alegria e na dor.

É a Mãe Terra quem por nós fala, clama, nos chama a través do vento poluido ferindo a entranha da nossa paixão, nos chama a través das águas que morrem gelando a vida à nossa volta, nos berra nas árvores queimadas intoxicando o sonho, contrariando a alegre visão, grita na voz dos e das que não têm voz e inventa em nós a palavra primeira que incita a rebelião: NUNCA MAIS!

É a palavra da Mãe Terra que fala na nossa língua, vive na nossa língua, chora e morre na própria língua quando esta é contaminada de palavras alheias que a sufocam e a matam. Por isso o compromisso com a língua é o compromisso com a vida, como a vida dum povo. Com uma forma de ser, uma forma de ver e sentir o próprio mundo. Por isso, nós, poetas, respeitamos e legamos a voz que vem das mães, das avós, dos pais e avôs de nossos avôs, por isso não submetemos a voz ao comércio do verbo, nem entregamos a fala em troca dum suposto parabém que nos calme a consciência. Por isso escrevemos na norma que une povos diversos, mais de 200 milhões de vozes nascidas neste ventre universal.

Fazer Download do Díptico em PDF
[Tamanho 1.58 Mb.]

Escrito ?s 12:20:52 nas castegorias: Notícias na Hora, Quem Somos?

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Ainda sem comentários

      O nosso clube é um grupo de galeg@s comprometid@s com a terra e a língua que tencionamos trazer a voz que chega d@s noss@s avôs e d@s avôs d@s nosso@s avôs.

      Somos pessoas que tentamos transmitir liberdade às novas gerações, enfiando palavras que saem do coraçom e enfeitando-as com acordes e melodias.

      http://poetas.agal-gz.org
      novelhe[arroba]gmail[ponto]com
      Agosto 2018
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
          1 2 3 4 5
      6 7 8 9 10 11 12
      13 14 15 16 17 18 19
      20 21 22 23 24 25 26
      27 28 29 30 31    

      Busca

    b2