Douglas Mondo: «Ártico»

Douglas Mondo: «Ártico»

10-11-07



Tela para reflectir: «Soliloquy VI»
(Autor: Sam Taylor, 1999)

Artur Alonso.- Às vezes afogamos nessas pequenas teimas, das quais às vezes também forma parte uma vida burguesa, ou acomodada. Nom aceitar a realidade tal como é leva-nos a desfocá-la... Nom aceitar que morte e vida som princípio e começo... que a morte e a vida fazem parte do jogo pleno de viver, leva-nos às vezes a inventar becos sem saída... nos quais tal vez a apatia, a falta de estimulo... e o medo, o grande medo, nom nos deixem mexer livres, como quiséssemos... às vezes nom sabemos o caminho para a libertaçom... em todo caso nunca morrer presos dos nossos pequenos prantos.

«Ártico»
Douglas Mondo (Brasil)
...Douglas Mondo...


O urso polar olha o mar branco
e não desanima
O gelo não reflete a ausência
da presa
Apenas a camada que a esconde

O urso sabe que a foca sairá
para respirar
A foca sabe que ao sair
Poderá morrer

Mesmo assim a foca respira
Mesmo assim o urso se alimenta

Ora você é urso
Ora você é foca
E o mar gelado é branco

A vida é seu mar gelado
Não morra preso em
seu pequeno pranto.

Escrito ?s 05:42:47 nas castegorias: Poetas e Poesia, Brasil

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Ainda sem comentários

      O nosso clube é um grupo de galeg@s comprometid@s com a terra e a língua que tencionamos trazer a voz que chega d@s noss@s avôs e d@s avôs d@s nosso@s avôs.

      Somos pessoas que tentamos transmitir liberdade às novas gerações, enfiando palavras que saem do coraçom e enfeitando-as com acordes e melodias.

      http://poetas.agal-gz.org
      novelhe[arroba]gmail[ponto]com
      Agosto 2018
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
          1 2 3 4 5
      6 7 8 9 10 11 12
      13 14 15 16 17 18 19
      20 21 22 23 24 25 26
      27 28 29 30 31    

      Busca

    free blog tool