Kaváfis

Kaváfis

12-11-07

Konstantinos Kavafis

Κωνσταντίνος Πέτρου Καβάφης [no alfabeto grego]
(Alexandria, 29 de abril de 1863 ? Alexandria, 29 de abril de 1933)

Artur Alonso.- Konstantinos Kaváfis, nasceu em 29 de abril de 1863 na cidade de Alexandria, onde morrerá também em 29 de abril de 1933. Era de familia grega radicada no Egipto. Homem desconcertante é um dos mais grandes e fascinantes poetas gregos da modernidade.

O mundo que Kavafis apresenta é decadente, embora nom o faga à moda da poesia europeia da época. Inspira-se no mundo pagão-cristão que morre na Alexandria, intercedendo com a suas emoções pessoais. A homosexualidade e a saudade figuram entre os seus poemas.

«Fui»
Konstandinos Kaváfis
(1913)

Não me manietei. Dei-me totalmente e fui.
Aos deleites, que metade reais,
metade volteantes dentro da minha cabeça estavam,
fui para dentro da noite iluminada.
E bebi dos vinhos fortes, tal
como bebem os denodados do prazer.

[Tradução de
Joaquim Manuel Magalhães e Nikos Pratsinis
]

«Ítaca»
Konstandinos Kaváfis
(1911)

Quando começares a tua viagem para Ítaca,
reza para que o caminho seja longo,
cheio de aventura e de conhecimento.
Não temas monstros como os Ciclopes ou o zangado Poseidon:
Nunca os encontrarás no teu caminho
enquanto mantiveres o teu espírito elevado,
enquanto uma rara excitação agitar o teu espírito e o teu corpo.
Nunca encontrarás os Ciclopes ou outros monstros
a não ser que os tragas contigo dentro da tua alma,
a não ser que a tua alma os crie em frente a ti.

Deseja que o caminho seja bem longo
para que haja muitas manhãs de verão em que,
com quanto prazer, com tanta alegria,
entres em portos que vês pela primeira vez;

Para que possas parar em postos de comércio fenícios
para comprar coisas finas, madrepérola, coral e âmbar,
e perfumes sensuais de todos os tipos -
tantos quantos puderes encontrar;
e para que possas visitar muitas cidades egípcias
e aprender e continuar sempre a aprender com os seus escolares.

Tem sempre Ítaca na tua mente.
Chegar lá é o teu destino.
Mas não te apresses absolutamente nada na tua viagem.
Será melhor que ela dure muitos anos
para que sejas velho quando chegares à ilha,
rico com tudo o que encontraste no caminho,
sem esperares que Ítaca te traga riquezas.

Ítaca deu-te a tua bela viagem.
Sem ela não terias sequer partido.
Não tem mais nada a dar-te.

E, sábio como te terás tornado,
tão cheio de sabedoria e experiência,
já terás percebido, à chegada, o que significa uma Ítaca.

[Tradução Jorge de Sena]

Escrito ?s 19:26:45 nas castegorias: Poetas e Poesia, Grécia

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Ainda sem comentários

      O nosso clube é um grupo de galeg@s comprometid@s com a terra e a língua que tencionamos trazer a voz que chega d@s noss@s avôs e d@s avôs d@s nosso@s avôs.

      Somos pessoas que tentamos transmitir liberdade às novas gerações, enfiando palavras que saem do coraçom e enfeitando-as com acordes e melodias.

      http://poetas.agal-gz.org
      novelhe[arroba]gmail[ponto]com
      Dezembro 2017
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
              1 2 3
      4 5 6 7 8 9 10
      11 12 13 14 15 16 17
      18 19 20 21 22 23 24
      25 26 27 28 29 30 31

      Busca

    blogging software