Busca

        As minhas visitas no mundo

        Locations of visitors to this page

      powered by b2evolution CMS

      Eu nom som esse!

      Eu nom som esse!

      Foi em 15 de Outubro de 2006, domingo, há hoje justo dous anos. Quando acordei o meu homónimo estava alí. Na televisom. Na Televisom de Galiza. No Informativo Local de Santiago de Compostela mais concretamente. Chamava-se Xesús Sanmartín, igual a mim, e segundo também dizia o rótulo era polícia, ?policía en prácticas? (!).

      Ainda que pudem vê-lo perfeitamente, ouví-lo nom pudem (a TV estava sem volume). Após o pequeno-almoço na varanda do nosso quarto (na casa As Pipas, Reboredo, São Vicente, Ogrobe onde nos encontrávamos de fim-de-semana com motivo da celebraçom da XLIII Festa do Marisco) a Teresa e mais eu regressamos à cama e, com a TV ligada, ficamos dormidos de novo.

      ?Ali o vén?

      Vinte e cinco meses e meio antes, no domingo 24 de Agosto de 2004, apareceu publicado nas páginas de La Voz um mui cursi Relato de Verão intitulado Ali o vén e assinado por um autor novel, ?veciño de Santiago de Compostela? e ?Mestre de ensino secundario? [sic] como eu chamado Xesús Sanmartín.

      Ali o vén, Xesús Sanmartín, La Voz de Galicia (DOM, 29-AGO-04), pág. 10.

      Algumhas pessoas conhecidas minhas chegaram a pensar que o susodito autor era eu. Ainda que quem bem me conhece sabe que eu (fuso-reintegracionista convicto) nunca começaria um relato dizendo assim: ?Érguese ás 4.30-5.30 na Península? &#59;)

      ?Xogos de palabras?

      E há apenas um mês e três dias, no passado 12 de Setembro, sexta-feira à noite, cruzo-me na escada do Atlântico com o humorista Gonzalo Vilas e vai o tio e pouco mais oferece-me umhas hóstias. A razom era umha Carta ao Diretor, crítica com a sua pessoa e o seu desempenho enquanto ?responsável dos passa-tempos d?A Nossa Terra?, aparecida no último número do Periódico Semanal Galego (ANT Nº 1.324, de 11 a 17 de Setembro de 2008, pág. 8) sob a sinatura dum vizinho de Santiago de Compostela coma mim chamado Xesús Sanmartín.

      Xogos de palabras, Xesús Sanmartín, ANT Nº 1.324 (11-17 de Setembro de 2008), pág. 8.

      Ignoro se estes três tocaios, homónimos meus som a mesma pessoa ou nom o som (o certo é que os dous últimos bem poderiam sê-lo). O que podo prometer e prometo ao amigo Gonzalo e a todo o mundo é que eu, que no bilhete de identidade também me chamo ?Xesús Sanmartín? (com xis de xará), nom som esse! Nengum desses três!

      Escrito em 15-10-2008, na categoria: VÁRIOS
      Chuza!

      7 comentários

      Comentário de: Suso Sanmartin III [Visitante]
      Suso Sanmartin III

      Eu tamén me chamo Suso Sanmartin (concretamente, III de España e V de Portugal), e estou indignado pola última proliferación de Susos Sanmartines, esto xa parece o filme aquel dos ladróns de corpos que salían dunhas vainas…
      E segundo afirma o meu amigo G. Vilas, non che ía dar unhas hostias, máis que nada porque pondera a diferencia de envergadura entre un e outro.E ademáis engade que si a “ranilla” é unha enfermidade das vacas, todo galego, e todo Suso Sanmartín debe sabelo, qué caralho!!

      15-10-2008 @ 19:31
      Comentário de: suso [Membro]  
      suso

      Hahaha!!! Caro tocaio (mais um!), di-lhe ao teu amigo Gonzalo Vilas que, embora o conto nom fosse exatamente assim, pugem o de que “pouco mais” me oferecera umhas hóstias para fazer a história um bocado mais interessante: a violência sempre vende! ;)

      Quanto ao da “ranilha” se che sou sincero eu, como que me chamo Xesús Sanmartín, que nom cho sabia. Quem sim cho sabia era, como nom podia ser doutro jeito, o Isaac Alonso Estraviz:

      Ranilha s. f. (1) Saliência mole, de forma triangular, na planta do pé do cavalo. (2) Doença que atacava as vacas e que precisavam ser sangradas [esp. ranilla].

      15-10-2008 @ 21:16
      Comentário de: Xesus Sanmartín III de España e V de Alemania, e IV de Portugal [Visitante]
      Xesus Sanmartín III de España e V de Alemania, e IV de Portugal

      Eu tampouco o sabía. Eis a inxente laboura educativa dos meus crucigramas (pois son eu quen llos fai ao G. Vilas ese).

      15-10-2008 @ 22:53
      Comentário de: Gonçalo de Berçeo, ou Vilas. [Visitante]
      Gonçalo de Berçeo, ou Vilas.

      Por certo, se queres ver unhas curiosidades sobre cómo Bruguera censuraba os comics de Blueberry, acode aquí.
      http://ltblueberry.blogspot.com/
      A ver si o vou enchendo de todo tipo de curiosidades sobre a personaxe, das que teño recopiladas.Esto apenas o puxen onte (xa escribo medio portugués, oichh!!)

      15-10-2008 @ 22:58
      Comentário de: suso [Visitante]
      suso

      Amigo Gonçalo, és a “pessoa” com mais heterónimos que conheço ("pessoalmente"). É claro que escreves meio português, porque escreves (more or less) na Norma ILG-RAG que é galego-portuñol, meio castelhano/espanhol e meio galego/português! ;-)
      Quanto ao do Blueberry devo dizer-che que, infelizmente, je ne compren pas! :-(

      17-10-2008 @ 12:11
      Comentário de: Liutenant Blueberry en personne (ou como se diga) [Visitante]
      Liutenant Blueberry en personne (ou como se diga)

      Mais, o que é que é que non entende vocé? Ainda que non estés familiarizado coa personaxe, podes apreciar nas afotos cómo borraban pistolas, personaxes sustituidos pola onomatopea “Bang", coitelos suprimidos, marxes redibuxadas… Acaso esto non é un delicto de “leso comic", susceptibel de ser investigado por Garzón, retroactivamente? Hei dito!!

      18-10-2008 @ 09:24
      Comentário de: Galeguzo [Visitante]
      Galeguzo

      Não, o que tem mais heterónimos sou eu, mas a maior parte morreram em 2004/2005 :D

      Suso, acho que agora se pode mudar legalmente o nome para algum hipocorístico com entidade própria… Deixa isso de “Jesus/Xesús” e Susiza-te :D!

      22-10-2008 @ 13:17