Busca

        As minhas visitas no mundo

        Locations of visitors to this page

      b2
      Quem Sabell Onde?
      quem sabell onde

      Se as contas que há dous anos atrás botamos aqui som corretas, o (in)certo domingo de abril de 1956 em que Manoel-António foi sequestrado por Domingo García Sabell era dia 15. É dizer, um dia igual a hoje, hoje há 54 anos.

      E hoje, igual que fazíamos dous, dez anos atrás, continuamos a perguntar: QUEM SABELL ONDE???

      NOTA: Mais informaçom sobre o sequestro de Manoel-António (e a luita cidadã para conseguir a sua imediata libertaçom) na sub-categoria Cachimbo pola Paz (categoria Terrorismo Cultural) de Angueira de Suso.

      Escrito em 15-04-2010, na categoria: TERRORISMO CULTURAL (TC):, Cachimbo Pola Paz
      "Café-Bar-Restaurante-Ultramarinos Suso" (Lalim)
      cafebarestultrasuso
      "Café-Bar-Restaurante-Ultramarinos Suso" (Lalim)

      No passado 25 de março recebim do meu amigo Antom Papa-Queijos um e-mail intitulado Estivem em La-lim e lebrei-me te susosanmar-tim que trazia anexas estas seis fotografias.

      Aparentemente o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso se encontra no número 33 da rua Carragoso de Baixo da capital dezana. Corrijam-me se me equivoco.

      Se a memória nom me engana (como engana a fantasia) o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso é o segundo susodito estabelecimento comercial lalinense que publicamos aqui em Angueira de Suso. O primeiro foi Servi-Auto Suso, do que nom tínhamos fotografias mas sim este espetacular vídeo:

      Tampouco é o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso o primeiro susodito estabelecimento comercial que o amigo Antom Papa-Queijos fotografa para nós. Com anterioridade já nos tinha enviado fotografias do Mesón Suso (Arteijo) e de Comercial Suso (Betanços). Muitíssimo obrigado, caro amigo, pola tua entusiasta colaboraçom com tam pessoal projeto! :)

      Escrito em 06-04-2010, na categoria: SUSODITOS EST. COMERCIAIS, Hotelaria Suso
      Apostasia: Quem dixo que era difícil?
      renuncia & resposta
      A minha Declaraçom de Apostasia (entregue em 23 de dezembro de 2009) e a resposta do Arcebispado de Santiago de Compostela (com data de saída de 23 de fevereiro de 2010).



      Sem tempo nom era. Em 23 de dezembro do ano passado e na sé do Arcebispado de Santiago de Compostela (à que pertence a minha paróquia natal de São Martinho de Bueu) apresentei por fim a minha renúncia formal a fé católica.

      Cinco dias mais tarde, num comentário à notícia intitulada Este nadal... fai apostasía publicada por Vieiros.Com explicava a razom para nom tê-lo feito antes:

      #44 28/Decembro/2009 osanma

      Eu queria tê-lo feito em 2004, com trinta e três anos e o cabelo comprido, ademais da barba que ainda conservo. Nessas condições ("Jesus" é o meu nome de batismo) a minha apostasia teria roçado a heresia quase. Se nom o figem daquela foi porque nom quigem que a minha apostasia fosse um ato individual e privado. Aspirava a poder fazê-lo junto com mais pessoas, no quadro dalgumha campanha apostática (tipo esta "Apostasia antes do Natal"), para que a nossa renúncia (coletiva e pública) à fé católica, caso atingir algumha repercussom mediática, encorajasse outras pessoas a apostatarem. Espero que assim seja! Muitíssimo obrigado pola ajuda a Marcos Payno, "Sei O Que Nos Figestes..." e a Vieiros.com! :)

      Com efeito, o meu ato de apostasia foi feito no quadro da campanha Apostasia antes do Natal promovida por SeiOQue.Com e apadrinhada polo músico Marcos Payno. E nom fum eu só. Apostataram junto comigo o escritor Carlos Quiroga e a inclasificável Erika Seven.

      Dous meses depois (que nom é muito tendo em conta que coincidiram as férias do Natal polo meio) os três recebíamos nas nossas respetivas moradas a esperada resposta dumha igreja, a ICAR, à que felizmente já nom estamos vinculados (a Erika no dia 20, o Carlos no 24 e eu em 25 de fevereiro de 2010).

      Apostasia: Quem dixo que era difícil?

      apostasia 23 dez 09
      De esquerda a direita: Carlos Quiroga, Marcos Payno (O Padrinho), Erika Seven e mais eu,
      na compostelana Praça da Imaculada (Azivecharia) após termos apresentado no Arcebispado de Santiago
      as nossas respetivas declarações de apostasia.
      Escrito em 03-03-2010, na categoria: VÁRIOS
      (Jacobus)Land-Rober(to Varela)
      jacobuslandrobertovarela
      '(Jacobus)Land-Rober(to Varela)', Tempos Novos Nº 153 (FEV 2010), pág. 7.

      Publicamos hoje o design que figemos para ilustrar a secçom Dias Soltos, do escritor Bieito Iglesias, no último número da revista Tempos Novos (TN Nº 153, de fevereiro de 2010), disponível em todos os quiosques do país.

      A ideia ocorreu-me às 18h53 (GMT+1) da quarta-feira 27 de janeiro de 2010, após várias leituras e re-leituras em primícia do texto do escritor Bieito Iglesias que, por correio eletrónico e como habitual, me tinha enviado previamente a jornalista Belén Puñal.

      No dia a seguir (quinta-feira, 28 de janeiro) figem o design em CorelDRAW e daí a dous dias (na sexta-feira, dia 29) enviei-no, por correio eletrónico também, para a amiga Belén.

      No passado 16 de fevereiro, Terça-feira de Entruido, ao chegar de madrugada à minha casa proveniente de Ginzo-Laça (bom, tenicamente já era Quarta-feira de Cinzas, 17-F), encontrei na caixa do correio o último número da revista Tempos Novos, contendo na sua sétima página a minha ilustraçom.

      A minha ilustraçom (manipulaçom do logótipo de Land Rober, o programa de humor que o ex-Tonecho Roberto Vilar tem na TVG) tem como pretexto o seguinte trecho do texto do escritor Bieito Iglesias:

      Xaneiro 20
      QUERELA DOS UNIVERSAIS
      Roberto Varela, elixido ramista ou mordomo das festas xacobeas polo Tigre dos Peares, repite nunha entrevista o mantra de que a cultura galega está ensimesmada. Por iso elimina da propaganda do Ano Santo a Santiago e Galiza, convidando aos turistas a que collan o camiño de Spain (o do Rocío?). Como é que un cosmopaleto ben colocado en Nova Iorque veu parar a estes zudres provincianos? Hai algús que por comungar coa ideoloxía imperial xa se consideran intelectuais senlleiros e homes de mundo, mentres dan por certo que todos cantos escriben en galego deben ser por forza pailás de pucha con perillo capado ou sen capar. Don Roberto arrola no seu maxín idénticos preconceptos que unha miña alumna convicta de que non se pode estudar xeografía planetaria en vernáculo. Pouco importa que este menda leccione na fala de Ourense sobre a unificación de Italia, a descolonización de África ou o cinema do Quebec. Non acredita en min desde que sabe que non son adepto ao Real Madrid. William Faulkner ensimesmouse no condado mítico de Yoknapataupha pra ser universal. Nunca houbo un grande escritor que non experimentase o big bang en si mesmo.

      [Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 153 (FEV 2010), pág. 6].

      E contém umha piscadela de olho à primeira acepçom (A) que a palabra varela, apelido do conselheiro de Cultura e Turismo, tem no Dicionário Porto Editora da Língua Portuguesa (à segunda e terceira acepções, B e C, nom) &#59;)

      varela (A) s. f. dim de vara; vara pequena ou delgada; vareta ( B ) s. m. [gír.] homem casado cuja mulher manda tanto como ele (Diz o povo: se é varão, manda ele e ela não; se é varela ora manda ele, ora manda ela; se é varunca, manda ela e ele nunca) © adj. volúvel (De vara+ela)

      Escrito em 24-02-2010, na categoria: COLABORAÇÕES HABITUAIS:, Tempos Novos
      Estás de 'good year'!
      michelins
      Novas da Galiza nº 87 (15-FEV/15-MAR-2010), pág. 2.

      Publicamos hoje em Angueira de Suso umha charge da nossa autoria que aparece na segunda página do último número do Novas da Galiza (NGZ nº 87), à venda em todos os quiosques.

      A ideia ocorreu-me um par de meses atrás, no sábado 19 de dezembro de 2009, na hora do almoço, na churrascaria São Clódio (Rua de São Pedro, 26, Compostela).

      O desenho (a mão e a máquina) nom o figem até há um par de semanas. Figem-no na terça-feira 9 do mês corrente, terminando por volta das 23h40 (GMT+1).

      No dia a seguir, na quarta-feira 10 de fevereiro de 2010, enviei-no por correio eletrónico para o Carlos Barros, diretor do Novas, quem achou "mui simpática" a minha colaboraçom.

      Oito dias depois, na passada quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010, recebim na minha morada o último número do Novas da Galiza (NGZ nº 87).

      Para a minha grata surpressa (e para além desta charge que hoje publicamos) o último número do Novas inclui o meu bem-sucedido Boicoz (originalmente publicado n'O Pasquim nº 12 e último) na sua página 19.

      Escrito em 22-02-2010, na categoria: Novas da Galiza
      Má Educação
      Má Educação
      'Má Educação', Tempos Novos Nº 151 (Dezembro 2009), pág.7.

      Como estava doente na cama (o médico diagnosticou-me um Catarro Vias Altas, CVA, do que mês e meio depois ainda nom estou totalmente recuperado) e nom tenho fax nem internet na casa (desde hoje e pola culpa do apagom analógico, quando chegue na casa, tampouco terei televisom), no mês passado (na terça-feira, 1 de dezembro de 2009) a amiga Belén Puñal chegou-se à minha morada para entregar-me em mão os Dias Soltos do Bieito Iglesias que, como cada dous meses, me tocava ilustrar.

      Umha vez lida (em primícia) a colaboraçom mensal do escritor ourensano fixado em Compostela decidim usar, para ilustrá-la, umha ilustraçom que já tinha feita (ou a meio fazer).

      Nom tenho anotada na minha caderneta (como ultima e sistematicamente costumo a fazer) a data em que me ocorreu a ideia para a elaboraçom desta (tudo seja dito) pouco elaborada imagem, mas deveu de ser por volta do mês de setembro. A ideia era simples: substituir, no nipónico cartaz do filme Mã Educação do Pedro Almodóvar, a cabeça do rapaz protagonista pola do mal-educado conselheiro galego de educaçom.

      Na quarta-feira, 21 de outubro de 2009, e sem saber ainda o destino que finalmente lhe iria dar, figem umha primeira versom da mesma em que a cabeça do conselheiro Jesús Vázquez (recortada desta fotografia) era sensivelmente menor.

      Já na terça-feira, 1 de dezembro de 2009, imediatamente após a leitura dos Dias Soltos, figem a segunda e definitiva versom (em que, para que fosse mais reconhecível no contexto dumha imagem tam pequena, aumentei ao conselheiro o seu cabeçom).

      No dia seguinte (quarta-feira, 2 de dezembro de 2009) nom tivem mais remédio que sair da casa (fum à Biblioteca da Faculdade de Jornalismo) para poder enviar por correio eletrónico a minha ilustraçom (durante a minha convalescência cheguei a pensar que talvez fosse boa ideia pôr internet na casa).

      Exatamente três semanas depois, na terça-feira 22 de dezembro, recebim na minha morada o número 151 da revista Tempos Novos, contendo na sua sétima página a minha ilustraçom.

      Novembro 30
      TANGUILLO DE RIBADAVIA

      Xesús Vázquez (Jesú pró seu asesor andaluz e Gasús se vivise a súa tataravoa) denunciou a ignorancia da Axencia Europea das Linguas que vén de censurar a política idiomática de San Caetano. Que os europeus non saiban o que pasa en Ribadavia no bar do Papuxas xa é malo pero semella mais grave que Vázquez descoñeza a realidade suíza, belga ou catalá. Ao conselleiro chóvenlle rebimbas e el ensaia desplantes de Jesulín de Ubrique. As fans de Galicia Bilingë debían tirarlle bragas de rebolo despois de cada faena.

      [Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos151 (Dezembro 2009), pág.7].
      Escrito em 18-01-2010, na categoria: COLABORAÇÕES HABITUAIS:, Tempos Novos
      13-D em Solsona

      Convidado polo Joan Marc (que é solsoní ainda que mora em Barcelona), neste passado fim-de-semana fum a Solsona "observar" o referendo sobre a independência de Catalunha celebrado (entre outros 166 municípios catalães) na cidade natal do meu amigo. Acompanhou-nos o nosso comum amigo Jordi (barcelonês de toda a vida).

      Apesar de que a Galiza (a mãe de todas as lusofonias) ainda nom tem sequer o estatuto de observadora na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) o meu amigo Joan-Marc nomeou-me observador da Cê-Cê-Cê! Pê-Pê-Pê, Pê-Pê! Lê-Lê-Lê, Lê-Lê! Pê-Pê-Pê! (A Lusofonia) e o meu amigo Ifrit encarregou-se de divulgá-lo no Chuza.

      Eis umha breve crônica em imagens da vívida experiência vivida:

      Joan-Marc & Jordi vinherom receber-me no Aeroporto cum simpático cartaz que polo lado de diante dizia "Sr. Suso Observador Internacional" e "Castelaaaao", polo de trás (SÁB, 12-DEZ-09, 00h15 GMT+1).

      Como se nos fazia algo tarde, antes de chegar a Solsona decidimos parar num lugar chamado Su (comarca do Solsonès) para almoçar no Restaurante El Forn. Joan-Marc & Jordi insistirom em que tinha que retratar-me ao pé do (duplicado) sinal indicador de início de povoaçom, cousa que figem segurando o Avui do dia nas minhas mãos (SÁB, 12-DEZ-09, 14h30).

      Joan-Marc, Jordi e mais eu (com umha estreleira sobre os ombreiros) partiticipamos na rápida descida com tochas desde o Castellvell à Plaça Major onde, como ato final da campanha polo referendo, se celebrou um comício express (havia que terminar logo para ir ao bar ver o Barça-Espanyol). (SÁB, 12-DEZ-09, 19h00 GMT+1).

      À Alva de Glória do domingo 13-D enfeitamos com a estelada e a estreleira a varanda de Ca la Carme (2º andar).

      Jordi (à esquerda), Joan-Marc (à direita) e mais eu (no centro) posando juntos à entrada do colégio eleitoral (DOM, 13-DEZ-09).

      A presidenta da mesa em que votou o Joan Marc era a diretora do Instituto de Solsona... e é de Combarro!!! Visca l'Arantxa! Sentim-me mui orgulhoso dela! (DOM, 13-DEZ-09).

      Como no dia a seguir tanto o Joan Marc como o Jordi como eu tínhamos que madrugar muito (eu para apanhar o aviom de regresso a Compostela) decidimos nom ficar para a apuraçom das votações em Solsona e regressar a Barcelona para viver a noite eleitoral em Vilaweb. Quando íamos de caminho recebemos umha mensagem do Martí dizendo que afinal os mui vilões-webões acordaram nom fazer festa aberta ao público que dias antes tinham valorado fazer. De todo modo passamos por alí para cumprimentarmos o nosso querido amigo, a quem tocava fazer horas extras (DOM, 13-DEZ-09, 22h30 GMT+1).

      Confire as fotos do fim-de-semana (SAB 12 & DOM 13-D) em Solsona na Galería de o_creus no Flickr.

      Escrito em 16-12-2009, na categoria: Observador Internacional
      "Peluquería Suso" (Estrada)
      "Peluquería Suso" (Estrada). Fotos: Teresa Díaz.

      Eu nom estivem ali. Mas a Teresa sim (na terça-feira, 23 de junho de 2009, por volta das 20h45) e fijo estas fotos para e por mim.

      Perguntei ao amigo Marcos Payno, estradense de pro, se sabia que rua era essa e o "grande" Payno respondeu (TER, 10-NOV-09): "Nom sei o nome da rua, mas creio que é a que vai desde a praça do concelho até a praça da Farola (praça de Galiza), no centro justo do povo".

      Para além do susodito estabelecimento (Peluquería Suso) nas fotografias da Teresa podem ver-se (e ler-se) os letreiros de outros três estabelecimentos comerciais: Café-Bar A Cunca D'Ouro (foto superior-direita), Joyería-Relojería Benito Puente e Delegaçom El Correo Gallego / Galicia Hoxe (inferior-direita). Com isto devia avondar para geolocalizar a Peluquería Suso corretamente. Mas a cousa nom está a resultar assim tam fácil.

      Segundo as Páxinas Galegas a Joyería-Relojería Benito Puente está no número 12 da rua Justo Martínez da Estrada.

      Na mesma rua, dous números antes (R. Justo Martínez, 8), encontramos na internet nom um senom dous cabeleireiros diferentes (Campos Gómez, Josefina & Peluquería Alonso) que tenhem o mesmo número de telefone (986 570 309). Pode ser que essa informaçom esteja desatualizada e esse seja o local que atualmente ocupa a Peluqueria Suso.

      Na outra mão, com efeito, encontramos umha cafetaria. Mas nom é o Café-Bar A Cunca D'Ouro senom a cafetaria VASAN (Justo Martínez, 9).

      E, por último, a delegaçom na Estrada de El Correo Gallego / Galicia Hoxe encontramo-la em "Avenida de Benito Vigo Galerias avenida 47-49, local 7", nom na rua Justo Martínez. Mas estando numhas galerias comerciais como semelha estar, pode ser que tenha umha outra porta por aquela rua.

      Como vedes, a soluçom a este enigma nom a vamos encontrar a nom ser que nos desloquemos à Estrada um dia ou que algum leitor ou algumha leitora estradense me dê umha mao. Antecipadamente, muitíssimo obrigado a ele ou ela!

      Escrito em 03-12-2009, na categoria: SUSODITOS EST. COMERCIAIS, Cabeleireiros Suso
      IGEA

      'IGEA', Tempos Novos Nº 147 (Agosto 2009), pág. 7.

      No post anterior publicávamos o design que figemos para ilustrar a secçom Dias Soltos, de Bieito Iglesias, no último número da revista Tempos Novos (TN Nº 149, nos quiosques).

      Publicamos hoje a ilustraçom que figemos para a secçom do escritor ourensano fixado em Compostela dous números atrás, no Nº 147 da revista Tempos Novos.

      O pre-texto para a publicaçom do nosso design encontramo-lo no seguinte dia solto (18 de julho):

      Xullo 18
      SECUELA DE ESPARTACO
      Remanece o Instituto de Estudos Europeos e Autonómicos baixo a presidencia de Anxo Quintana. Suponse que este tanque de ideas será un estanque onde criar ras a partir de cágados ?de cagar sentencias hai que pasar a propor alternativas? e un carro de combate blindado contra mísiles propagandísticos da direita cañí. A nómina dos estudosos recrutados prá presentación desconcerta un chisco pois tal parece que o criterio de selección non se funda nos saberes senón na admiración que profesan polo ex vicepresidente: os máis son cargos que o acompañaron no bipartito. Esperemos que non quede nun alpendre máis dos que andan sobros polo país nin nun grupo de notables que despois non chegan nin ao aprobado. O Instituto anuncia debates encol da financiación das autonomías e da lingua galega (pra ?desdramatizar?), a máis da palestra dun ?visitante ilustre? que nos alumee sobre as bondades do autogoberno. Deséxolle o mellor e ogallá que sirva pra armar ideoloxicamente a oposición ao PP e pra que os políticos nacionalistas non cheguen no futuro ás poltronas ceguiños como toupas. A idea quintanista de rachar a identificación do nacionalismo co elitismo semella correcta, sempre que non pase de elitista a populista.

      [Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 147 (Agosto 2009), pág. 7].

      A nossa ilustraçom foi feita no Photoshop (na quinta-feira, 23 de julho de 2009) a partir destas três imagens encontradas no Google: ikea-logo.jpg, ikea.jpg (porta branca e carpete indepe) e Bienvenidos a mi casa (auto-retrato dum tal Francesc Esteve).

      O "G" que substitui o "K" do logótipo original (dizendo IGEA onde antes dizia IKEA) é do tipo OL London Black.

      Para pôr na nossa língua o texto que pode ler-se no carpete ("Bem-vindo à República Independente da Minha Casa") tivem de traduzi-lo (cortando e colando as letras) a partir do castelhano original. Aparentemente a campanha publicitária independentista da companhia sueca só se fijo em Espanha e em espanhol (em Portugal e em galego-português, nom).

      No sábado 15 de agosto, três semanas depois de feita e enviada, recebim na minha morada o Nº 147 da revista Tempos contendo na sua sétima página a minha ilustraçom: IGEA, Bem-vindo à República Independente da Tua Casa.

      Escrito em 27-10-2009, na categoria: Tempos Novos
      feijóo feio

      'Fei0 09', 'Tempos Novos' Nº 149 (Outubro 2009), pág. 7.

      Depois de mais de três meses de parom e sem que ainda conheçamos a resoluçom do júri da terceira ediçom do concurso Umha Imagem Para O Galego de Vieiros.Com (ao que nos apresentamos com o vídeo intitulado Café Español, publicado no post anterior) atualizamos esta a nossa Angueira para que nom se diga que caiu em desuso &#59;)

      E fazemo-lo publicando a paródia do logótipo eleitoral que o candidato Alberto Núñez Feijóo (na atualidade e para a nossa desgraça presidente da Junta de Galiza) empregou na campanha das últimas eleições autonónicas, celebradas no 1º de Março, Domingo de Pinhata.

      A ideia ocorreu-me às 19h00 (GMT+2) da quinta-feira, 1º de outubro e, imediatamente depois de realizá-la (rápida e eficazmente no Photoshop), enviei-na a Tempos Novos para a sua publicaçom.

      Nesta segunda-feira, 19 de outubro, ao sair da casa às 11h00 (GMT+2), encontrei no portal do meu prédio o último número da revista Tempos que o carteiro tinha botado por baixo da porta. E na sua sétima página, como cada dous meses, a minha ilustraçom.

      Ilustraçom que, já agora, fai referência a este trecho dos Dias Soltos bieito-eclesiásticos:

      Setembro 27
      NORMALIZACIÓN

      Polanski non é uh home normal (...) Tampouco é normal Manuela Ferreira Leite (...) Nin semella normal un xefe superior de policía como García Mañá (...) En troques, Núñez Feijóo é un galego normal, segundo vén de proclamar nun mitin en Silleda. Porque o di el e porque é mal feito, sendo o feísmo -non só arquitectónico- o trazo identitario clave deste país no que case todos vimos daqueles devanceiros tan brutos como Urtain que levantaron monumentos megalíticos. Está probada polos xenetistas a endogamia enxendradora de exemplares feos que non valen un corno.

      [Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 149 (Outubro 2009), pág. 7].
      Escrito em 21-10-2009, na categoria: COLABORAÇÕES HABITUAIS:, Tempos Novos

      << 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 21 >>