Busca

        As minhas visitas no mundo

        Locations of visitors to this page

      b2
      ?Frutería Suso? (Lugo)

      ?Frutería Suso?, Av. das Américas (com a Fonte dos Ranchos ao fundo), Lugo. Fotos: Teresa & Suso.

      Domingo, 5 de Outubro de 2008, Sam Froilám. Desde ontem, dia 4, até o próximo dia 12 a cidade de Lugo celebra, na honra do seu padroeiro, a mae de todas as festas patronais.

      No ano passado, Angueira de Suso somou-se à celebraçom das festas de Sam Froilám publicando cada dia, de 5 a 11 de Outubro, as fotos dum susodito estabelecimento comercial luguês diferente: Mesón-Cervecería Suso (dia 5), SusoMotor (dia 6), Suso Comercial (dia 7), Suso Maquinaria Agrícola (dia 8), Instalaciones Eléctricas Suso (dia 9), Talleres Suso (dia 10) e Mesón do Suso (dia 11 de Outubro de 2007).

      Esses eram todos os susoditos estabelecimentos comerciais lugueses de cuja existência, até aquela altura, tínhamos constância. Parecia impossível que pudesse haver mais mas... impossible is nothing! Como dizemos sempre, para susoditos estabelecimentos comerciais, Lugo!

      ?Frutería Suso?

      No passado 8 de Agosto (sexta-feira) a Teresa e mais eu fomos no seu carro à cidade de Lugo. Às 00h10 (GMT+2) do sábado dia 9 saía da sua rançosa Estaçom Rodoviária o autocarro que nos levaria a Madri, desde cuja vanguardista T4, às 12h55 (GMT+2), voaríamos a Atenas.

      Ao entrarmos em Lugo pola Avenida das Américas foi quando, por acaso, descobrim a Frutería Suso. A susodita frutaria nom figurava nem figura como tal no guia QDQ nem nas Páginas Amarelas. A sua descoberta foi, portanto, toda umha surpressa para mim. Mas aquele nom era o melhor momento para parar a fazer o freakie assim que a Teresa e mais eu acordamos adiar a sessom fotográfica para a volta.

      À volta, no sábado 30 de Agosto, figemos noite em Lugo. No dia a seguir, domingo 31, pegamos o carro da Teresa e vinhemos para Compostela. Mas antes de deixar a cidade da muralha paramos na Avenida das Américas para fazermos as ansiadas fotografias por três longas semanas adiadas.

      Seriam por volta das 12h40 (GMT+2) da manhã. As ruas estavam desertas. Nom havia ninguém pola rua. E quem aparece por ali ainda bem nom ponho o pé fora do carro!? Pois nada mais e nada menos que o Sr. Guitián, velho amigo e grandíssimo artista luguês residente em Barcelona!

      Após o animado bate-papo com o amigo Guitián (sobre a vida, o universo e tudo mais) a Teresa e mais eu figemos as susoditas fotografias e, depois, tiramos para Compostela.

      Um mês e cinco dias depois Angueira de Suso soma-se à celebraçom do Sam Froilám com a publicaçom das susoditas fotografias. Viva o Sam Froilám!!! Viva Lugo, indiscutível capital do susodito estabelecimento comercial!!!

      Fonte dos Ranchos

      A Frutería Suso encontra-se, como digemos, na Avenida das Américas, muito perto da Fonte dos Ranchos. Os ranchos som animais omnívoros, comem de tudo, fruta também. Durante o franquismo -com e sem o Franco- a Fonte dos Ranchos chamou-se Plaza del Ejército Español. Eis a explicaçom do porquê:

      A Fonte dos Ranchos, era umha fonte nos arrabaldes de Lugo, onde iam os porcos, marraos, cochos, chinos, quinos, bácoros: Ranchos!! (palavra para denominar o porco, normalmente o porco de ceva, rancho de ceva). Naquel passado andavam ceivos e a fonte era exclusiva para eles, para nom contaminarem outras. C'o tempo esse lugar urbanizou-se. Mudou-se-lhe o nome à espanhola. A traduçom foi simples, Fuente de los ranchos, Fuente de las "comidas hechas para muchas personas, comidas para los soldados". La fuente pues donde los soldados comían! Ao ficar a fonte sob o cimento, pugérom um monólito, com brasom e nome de "Plaza del Ejército Español." Verídico. Se a Galiza depender de Lisboa a praça seria chamada Praça dos Passeios ou Praça da Gaita ... a imaginar, mas nunca Praça dos Porcos, como muito muito Praça dos Suídeos.

      Escrito em 05-10-2008, na categoria: SUSODITOS EST. COMERCIAIS
      Lástima de Beuys!

      ?Como Explicar a Arte a umha Lebre Morta? (Joseph Beuys, 1965). ?Que lástima de bois!? (A. R. Castelao, Álbum ?Nós?).? Como Explicar a Arte a um Touro Morto... Lástima de Beuys!?

      Desde 17 de Julho até anteontem, 28 de Setembro, na sede compostelana da Fundaçom Caixa Galicia (Rua do Vilar, 19) permaneceu patente ao público a exposiçom Joseph Beuys Múltiples (objectos, fotografias, gravuras, etc. de Joseph Beuys, um dos mais influentes artistas europeus da segunda metade do século XX).

      Na imelhorável companhia da Teresa visitei esta excelente exposiçom no dia 11 do corrente, 11-S, quinta-feira. A nossa visita vespertina foi dupla. Por livre primeiro e guiada (pola Araceli) depois. Foi o Roberto Abuín, grande admirador do alemao a quem por acaso encontramos no segundo andar, quem nos informou de que havia visita guiada às 19h30 (GMT+2). Muitíssimo obrigado, amigo Roberto!

      Full story »

      Escrito em 30-09-2008, na categoria: ARTISTADAS
      Afrodite de Milos

      Afrodite de Milos e eu (sentado no chao) no Museu Arqueológico de Plaka, Milos, Grécia. Domingo, 24 de Agosto de 2008. Foto: Teresa Díaz.

      Das cinco Cíclades que a Teresa e mais eu visitamos no passado mês de Agosto (veja-se post anterior) a penúltima foi a ilha de Milos (Μήλος).

      Procedentes de Folegandros chegamos a Milos na manhã do sábado 23 e de Milos partimos rumo a Sérifos três dias depois, na terça-feira 26. Umha estada breve de mais como para podermos apreciar tanta maravilha como a ilha mais a sudoeste das Cíclades tem, que é muita.

      Umha das maravilhas que a ilha de Milos tinha mas que infelizmente já nom tem (tenhem-na os franceses sequestrada no Museu do Louvre) é famosíssima Vênus de Milo / Afrodite de Milos.

      Full story »

      Escrito em 17-09-2008, na categoria: VÁRIOS
      Koulouri, alimento olímpico

      Koulouri, alimento olímpico (esquerda). Pormenor do meu diário de 1996 (superior-direita). Compra-venda de koulouri na Praça Sintagma, Atenas, 29 de Agosto de 2008 (inferior-direita).

      Após mês e meio de férias blogueiras aqui estamos outra vez de novo com todas e todos vós.

      Depois de assistirmos o concerto de Caetano na Quintana (tema do último post postado antes de ir-nos de férias) neste verao estivemos de campismo em Louro (22 e 23 de Julho), no Festigal (24 e 25 de Julho), de turismo rural em Igom (de 27 a 30 de Julho), no XXIX Festival de Pardinhas-Guitiriz (1, 2 e 3 de Agosto), no meu Bueu natal (de 4 a 7 de Agosto) e três semanas (de sábado 8 a sábado 30 de Agosto) de viagem por terras gregas e mares gregos (Atenas e cinco das Cíclades: Paros, Santorini, Folegandros, Milos e Sérifos) em companhia da Teresa.

      Três semanas física e psiquicamente longe de Espanha, fora do alcance da Brunete mediática (a isso e ao que eu chamo estar de férias) e passando olimpicamente de Beijing.

      Full story »

      Escrito em 08-09-2008, na categoria: ARTISTADAS
      Caetano Veloso: "A nossa língua é o galego-português"
      [youtube]dEUg-IhIrm8[/youtube]

      Ontem, 21 de Julho de 2008, segunda-feira, tivem o privilégio de assistir o concerto que o Caetano Veloso, com a única companhia do seu violão, deu na Quintana dos Mortos, emblemática praça da capital da Galiza.

      Para mim era já a quarta ocasiom em que podia desfrutar em direto da arte do meu admirado Caetano (e a terceira em que podia fazê-lo na minha terra, a Galiza, e na companhia da minha Teresa).

      Full story »

      Escrito em 22-07-2008, na categoria: YO TUBE UN SUEÑO, LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni)
      Caminhada em Perspectiva
      [youtube]Nlgm57VSpKo[/youtube]
      Caminhada em Perspectiva (38'')

      Aproximadamente nove meses e meio após O Grande Salto, continuo com a pubicaçom em Angueira de Suso dos exercícios de animaçom tradicional que, em 1996 e enquanto estudante Erasmus, realizei no Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens). Na Grécia, sim. Mas Sempre em Galiza!!! &#59;)

      Após A Metamorfose (27-MAR-07), Galician Man Walking (02-MAI-07), Galego Corredor (15-JUN-07) e O Grande Salto (24-SET-07), hoje toca-lhe a vez à Caminhada em Perspectiva.

      Este exercício de caminhada em perspectiva foi feito ao final da minha estada enquanto estudante Erasmus no país heleno. Nom podo precisar em que dias do mês de Junho exatamente (porque nom o tenho anotado no meu diário) mas, como podedes imaginar, foi em vários.

      2ª ediçom, 12 anos depois

      Como já contei aqui nas quatro anteriores ocasiões, a fita VHS em que trouxera gravados os trabalhos de animaçom tradicional realizados durante a minha estada na Grécia sumiu misteriosamente poucos anos depois do meu regresso. A versom da caminhada em perspectiva que publicamos hoje é, portanto, umha reediçom digital feita a partir dos desenhos originais que, felizmente, ainda conservo.

      Os cinquenta e quatro desenhos diferentes que, se reparades bem, podedes ver neste exercício (54!!!) tinha-os escaneados já desde Novembro do ano passado (escaneei-nos em três sessões: domingo 18, segunda-feira 19 e terça-feira 27 de Novembro de 2007), mas nom foi até esta semana que me animei a reanimá-los digitalmente.

      Figem-no na passada segunda-feira (7 de Julho, São Firmino) estando em Bueu e empregando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro para fazê-lo.

      Deixei pendentes apenas o título (Caminhada em Perspectiva / Walk in Perspective) e a banda ou trilha sonora (Foliada da Montanha, primeira faixa de Aires d'a Terra, O Primeiro Disco Galego), cousas ambas as duas que lhe coloquei ontem à noite (quarta-feira, 9 de Julho de 2008) aqui em Compostela.

      Hoje (quinta-feira, 10 de Julho) subim-na ao YouTube... et voilá!

      Escrito em 10-07-2008, na categoria: YO TUBE UN SUEÑO, Desenhos Animados
      The Invisible Man (O Vídeo)
      [youtube]wu86yq9lE4I[/youtube]
      The Invisible Man (50'')

      Em 30 de Janeiro do ano passado, coincidindo com o 121º aniversário do nascimento em Rianxo de A.R. Castelao, publicávamos aqui, em Angueira de Suso, um post intitulado The Invisible Man.

      Nele contava-se a pequena intra-história dumha cousa (cartoon? charge? ilustraçom?) que lá polo ano de 1993(?) eu figera acrescentando o rótulo "The Invisible Man" a umha das mais famosas auto-caricaturas desenhadas por Castelao (esta).

      Um ano, cinco meses e dous dias após a publicaçom daquele post publicamos estoutro post intitulado... tacham, tacham...

      The Invisible Man (O Vídeo)

      Nom podo precisar com exactidom quando foi que me ocorreu a ideia de fazer umha versom animada, em imagem real, do meu Castelao, The Invisible Man (inspirada, obviamente, na famosa cena do homónimo filme de James Whale). Procurei umha anotaçom nas velhas cadernetas que por cá tenho mas nom tivem nengum sucesso. O que sim sei é que a ideia me ocorreu há já vááários anos.

      Seja como for, o caso é que nom foi até este passado sábado, 28 de Junho (por acaso Dia do Orgulho LGBT, jornada ludo-reivindicativa que visa a visibilizaçom de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros), que a minha ideia desceu do mundo das idens e virou umha realidade.

      Com a imprescindível ajuda da Teresa e do Breixo no sábado, após o almoço, gravei na sala-cozinha da minha morada o vídeo The Invisible Man. Estivem editando a tarde inteira e à meia-noite (UTC+2) enviei-no ao concurso Umha Imagem Para O Galego de Vieiros.com.

      Na manhã da segunda-feira, 30 de Junho, anteontem, o meu vídeo aparecia publicado em destaque na capa de Vieiros. Cum link à seguinte notícia:

      CONCURSO EN REDE
      CASTELAO, THE INVISIBLE MAN
      Suso Sanmartín proponnos este vídeo para 'Unha imaxe para o galego'.
      Redacción - 12:30 30/06/2008

      O concurso 'Unha imaxe para o galego' está que arde. Xa temos 88 fotografías e nove vídeos. Un dos últimos que nos chegou é este de Suso Sanmartín coa seguinte lenda: ?Desenhei Sempre Em Galego, escrevim Sempre Em Galego, e se tirades o que há de galego e de humano na minha obra, nom ficaria nada dela?.

      Xa sabedes que ampliamos o prazo até este venres, cando pecharemos definitivamente o concurso. A vindeira semana reunirase o xurado para escoller as mellores fotos e vídeos.

      Como diria o outro: Alea jacta est!

      Agradecimentos

      Muitíssimo obrigado a Teresa Díaz (camerawoman), Breixo Tomé Díaz (Best boy) e Pepe Penabade (vestuário). Sem a sua inestimável ajuda a realizaçom deste vídeo Made in Feito na Casa (na cozinha, concretamente) nom teria sido possível.

      Escrito em 02-07-2008, na categoria: YO TUBE UN SUEÑO
      "O Pasquim" Nº 12 (e último)

      Capas do Nº 67 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 12 d'O Pasquim' (direita).

      No dia de hoje, terça-feira 1º de Julho, o carteiro trouxo à minha casa o último número d'O Pasquim.

      O Pasquim Nº 12 (e último) distribui-se conjunta e (in)separavelemente com o último (o mais recente) número do periódico galego de informaçom crítica Novas da Galiza (NGZ Nº67).

      Porque com efeito, caras/os leitoras/es, o número d'O Pasquim que nestes dias podedes encontrar nos quiosques é o último número do Suplemento de Humor do Novas da Galiza. Ao menos da sua primeira época.

      Pola primeira vez e, como é lógico, sem abrir precedente, o tema d'O Pasquim Nº 12 é livre. Até a data cada número d'O Pasquim foi monográfico e monotemático: 25-J: O humor começa por um mesmo (Nº 1), os fode-chinchos (Nº 2), o Regresso às aulas (Nº 3), o plus dos altos cargos (Nº4), as Mudanças climáticas (Nº 5), a Censura no Reino de Espanha (Nº 6), a ICAR (Nº 7), as Eleições Gerais no Reino de Espanha ( (Nº 8), os/as tangallegos/as (Nº 9), a crise econômica (Nº 10) e o 25 de Maio, Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (Nº 11). Mas neste número os nossos dessinteressados colaboradores tiveram, como digemos, liberdade criativa total. E para terminar... barra livre! é o título que, galego-portuñolesismo por consumaçom livre incluído, leva o último número pasquineiro.

      Para além de mim, colaboraram neste último número d'O Pasquim Gerardo Doco Velo, Maceirax, Pestinho+1, Gonzalo Vilas, Bruno Ruival e Franjo Padin. Muitíssimo obrigado a todos!!!

      So Long and Thanks for all the Fish

      Com a saida a lume d'O Pasquim Nº 12 o Xico Paradelo (coordenador adjunto) e mais eu (coordenador) cumprimos o compromisso adquirido com o pessoal do Novas há pouco mais dum ano e ganho um merecido descanso. O Gerardo Uz, entusiasta maquetista-propagandista d'O Pasquim, e resto dos colaboradores que desinteressadamente fizeram possível mês a mês que este entusiasmante projeto virasse umha realidade(in alphabetic order: Bruno Ruival, Carlos Meixide, Fer, Franjo Padin, Gerardo Doco Velo, Gonzalo Vilas, Heitor López de Castro, Maceirax, Pepe Carreiro, Pestinho+1, Séchu Sende e um servidor, Suso Sanmartin), também o merecem.

      A todos eles, a todos e todas vós, até logo e obrigado pelos peixes!!! :)

      Escrito em 01-07-2008, na categoria: O Pasquim
      "Les Invasions Barbares"

      Cartaz do filme 'Les Invasions Barbares' (esquerda) e ilustraçom publicada na pág. 7 do último núm. da revista 'Tempos Novos' (direita)

      Ainda nom chegou à minha morada (a ver se amanhã!) mas acabo de encontrá-lo no bem sortido revisteiro do Café-Bar 13 (R. Santa Clara, 13, Compostela). Estou a referir-me ao número 133, de Junho de 2008, da revista Tempos Novos.

      O desenho que na Tempos deste mês da ilustra os Dias Soltos do escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias nom é original mas é inédito.

      Full story »

      Escrito em 18-06-2008, na categoria: COLABORAÇÕES HABITUAIS:, Tempos Novos
      'Susa Literatura' edita Manoel-António em basco

      Trasantontem, sexta-feira 6 de Junho, recebim e-pístola do Jesu Pinheiro em que o meu amigo e tocaio rianxeiro (membro fundador da Coordenadora Cidadã Cachimbo pola Paz) me dava conta da impressionante descoberta que, como bom manoelantoniano, figera navegando pola internet.

      Resulta que umha editorial basca editara Lauretatik lauretara (untziko eguneroko baten orri databakoak), é dizer, De catro a catro (follas sin data d'un diario d'abordo) em basco!

      Mas nom era apenas isso! Resulta que a editorial responsável pola ediçom na língua dos bascos e das bascas do poemário manoelantoniano por antonomásia se chama... Susa!!!

      É dizer, igual a nós os dous, só que em feminino :D

      Tem razom o amigo Jesu/Suso Pinheiro (um dos trinta e nove luso-reintegracionistas que, atoalhados e orgulhosos, podedes encontrar neste vídeo) quando di que passam os anos e (Manoel-António e mais nós) continuamos unidos. E, quem sabe, talvez tenha razom também quando no seu e-mail acrescenta:

      Portanto, Manoel António segue vivo em Euskal Herria, onde deveu refugiar-se trás fugir do 'zulo' onde o tinham pecho o comando dos 'GALaxios'. Estará o nosso heroi de marinheiro em Trintxerpe ou Ondarroa (vilas cumha alta percentagem de rianxeiros a trabalhar nos seus barcos nos anos 70 e 80)?, ou bem fazendo-se passar em Portugalete por um reformado de 'Altos Hornos de Vizcaya'?. Quiçá seja um dos líderes na sombra da Batasuna ilegal ou mesmo um "ojeador" do Atlhetic de Bilbao. Nada se sabe, há que investigar. Mira que sentido cobra agora aquele berro de "García Sabell sipaio / devolve De Catro a Catro".

      Pois é, meu caro xará, tudo parece vir mesmo a calhar! :)

      Escrito em 09-06-2008, na categoria: TERRORISMO CULTURAL (TC):, Cachimbo Pola Paz

      << 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 21 >>