AUTHOR: suso TITLE: On era jo l'1-O? BASENAME: on-era-jo-l-1 DATE: Mon, 01 Oct 2018 09:29:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Observador Internacional CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
quico salles

'On eres l'1-O?', demana l'intrèpid periodista Quico Sallés en el títol del seu últim llibre, que jo vaig adquirir (amb dedicatòria de l'autor inclosa) el passat 14 de setembre a la 36ª Setmana del Llibre en Català i vaig llegir (a cavall entre Catalunya i Galícia) immediatament després.

Que on era jo l'1-O? Doncs, com en Quico Sallés, jo també era a Barcelona i, motivat per la lectura de la seva trepidant crònica, m'he animat a escriure jo la meva. Aquesta és la meva crònica, doncs, del que vaig veure i viure a Barcelona l'Ú d'Octubre de 2017, avui un any fa.

A diferència d'aquesta crònica, aquesta i aquesta altra (que vaig escriure en gallec-portuguès) aquesta meva crònica de l'1O l'he escrit directament en català, llengua que (almenys des de 2010) faig servir cada cop que vaig a Catalunya i en la que, per suposat, parlo amb els meus amics catalans (demano perdó per les segurament nombroses errades i agraeixo per davant les vostres correccions).

Com en Quico al seu llibre, faré servir a la meva crònica la primera persona del singular del Present d'Indicatiu (encara que hagi sigut escrita de memòria un any després). Com en Quico, també, vull fer una dedicatòria i la meva va pel meu vell amic Joan-Marc Passada i Caserres (J-M), qui va ser el meu amfitrió en aquella històrica (i també una mica histèrica) jornada i qui (darrerament amb bastant poc d'èxit, per manca de temps i excés de mandra per la meva part) sempre m'està demanant que torni a escriure alguna d'aquelles cròniques de les meves escapades catalanes com les que escrivia abans. Benvolgut, J-M: Dedicat! ;)

Dissabte (30 de Setembre) Nit

L'1-O no em vaig aixecar molt d'hora. La vetlla (dissabte 30 de setembre, jornada de reflexió) havia anat amb el J-M a sopar (Terra d'Escudella) amb amics/amigues valencians/valencianes seus/seves que havien vingut tambè a Barcelona a donar recolzament als/a les seus/seues germans/germanes catalans/catalanes. Després de sopar encara vàrem anar a fer un gintònic (Bao Bao) i quan vàrem arribar per fi a can J-M ja eren les 02:55h. L'arribada de les urnes als col.legis estava prevista per a les cinc de la matinada, es a dir, només dues hores desprès (!!!).

Ja tinc una edat (aleshores tenia 46 anys tot just fets) i la a perspectiva d'enfrontar la que previsiblement seria una llarguíssima i tensa jornada havent dormit només una hora (amb son acumulat del viatge a sobre) s'em feia, diguem-ne, molt rambla amunt. La possibilitat de fer la migdiada no es contemplava (una vegada hagués posat el peu fora de casa ja no hi tornaria fins a la nit) així que, sentint-ho molt, vaig prioritzar poder passar el dia i arribar a la nit (de mes que probable celebració) en unes condicions físiques i psíquiques mínimes (tot i que això supusés haver de perdre'm l'iconic moment de l'arribada de l'urna al 'nostre' col·legi) i no vaig posar el despertador.

DIUMENGE 1 D'OCTUBRE

En J-M (l'home que, com la ciutat de NY, mai dorm) entra en el seu pis com un elefant en una terrisseria i em desperta. Ha anat al seu col·legi ja i, molt atabalat, ha tornat a casa seva cercant alguna cosa. Quan torna a sortir, em crida des de la porta força emprenyat: ''Estem em guerra (cito literalment) i tu estirat al llit'' (cito de memòria però la idea és aquesta). BLAM!

CFA Rius i Taulet

Després de fer l'esmorzar i la dutxa baixo per l'Avinguda Príncep d'Astúries a peus fins al CFA Rius i Taulet, el col·legi electoral d'en J-M,. Fora del recinte n'hi ha una llarguíssima cua de persones que esperen sota la pluja per poder votar.

Els fatxes que (des de damunt la moto d'en J-M) vàrem veure ahir a la nit quan tornàvem de sopar i vàrem passar pel davant (intentat intimidar amb els seus crits i banderes espanyoles la bona gent que s'havia quedat al col·legi durant tot el cap de setmana per tal d'evitar que la policia el tanqués) van deixar la seva firma d'odi al mur exterior del CFA Rius i Taulet (això sí, en català): 'VISCA ESPANYA' i 'NO VOTAREM'.

Dintre de la tanca, un munt de gent que s'espera pacientment també però en J-M ja no hi es. Ens whatsappejem. Pel que sembla s'ha anat al col·legi de la seva xicota Eva, on els problemes són una mica més greus. Està molt nerviós i segueix emprenyat amb mi. Li faig saber que no em semblen gaire bé els seus retrets. Li demano que es tranquil·litzi dient-li que, de tant en tant, s'ha de dormir una estona i li desitjo que tingui sort. Ja ens veurem.

A hores d'ara, en aquest col·legi, no s'està votant. No es pot degut als ciberatacs que estan rebent per part de l'Estat. Els informàtics estan intentant solucionar-ho i demanen, per això, que tothom posi el seu telèfon en mode avió. Així ho faig.

Després de 20 minuts, aproximadament (la primera foto que faig al CFA Rius i Taulet és de les 09.42 h i la darrera de les 10.05 h) me'n vaig amb el meu paraigües a una altra part.

Vila de Gràcia

Avinguda Príncep d'Astúries amunt, Plaça Lesseps i Carrer Gran de Gràcia avall, vaig a peus fins a la veïna Vila de Gràcia (VdG).

Els estrets carrers del barri estan col·lapsats de votants determinats i determinades a exercir el seu dret al vot (i a l'autodeterminació del seu Poble). Las cues dels diferents col·legis es toquen i barregen als carrers d'aquest emblemàtic barri que, més tard ho sabríem, la policia espanyola per alguna raó va decidir respectar. Els informàtics aconsegueixen restablir la conexió a internet i comença la votació (per la gent gran). En havent votat, les 'padrines' i els 'padrins' surten satisfets i satisfetes dels col·legis i, a pas lent, travessen en filera una multitut que els obri un passadís i els rep amb crits d'eufòria i grans aplaudiments. Moments de gran emoció.

Carrer de Pérez Galdós, Vila de Gràcia.


Carrer de Badia (cognom del que, enguany, és el meu professor de català, en Andratx).


Cantonada del Carrer ... amb el Carrer Badia (VdG).


Creuament dels carrers de Santa Àgata, Trilla i Pérez Galdós (VdG).


Al Carrer Gran de Gràcia, on a la vorera dreta també s'ha format una llarguíssima cua, algú ha tret al balcó un altaveu per tal que tothom pugui sentir les últimes notícies per Catalunya Ràdio. Des de l'altra vorera, a l'abric de la pluja que encara no s'ha aturat, escolto les primeres declaracions del MHP Carles Puigdemont qui, malgrat tots els esforços de les forces i cossos de l'Estat per tal d'impedir-ho, ha aconseguit votar. després d'una maniobra mestra digna del mateix James Bond,

Altaveu a un balcó del Carrer Gran de Gràcia.


Cua al Carrer Gran de Gràcia (Metro Fontana).




Poble Nou - Besòs

Després d'1 hora i 10 minuts (fotos fetes a Gràcia de 10.29 a 11.40) agafo el Metro (de Lesseps a Llacuna amb enllaç a Passeig de Gràcia) per tal de trobar-me amb un altre dels meus grans amics catalans (i també amfitrió meu al seu coquet àtic del Poble Nou en nombroses ocasions), el meu benvolgut Jordi Avià.

Surt per la boca del Metro Llacuna quan és, exactament, migdia i mitja (12:30h). Vaig caminant pel carrer Pujades i, uns minutets de no res després, ja em trobo amb l'Escola de la Llacuna del Poble Nou, on en Jordi m'ha dit pel Whatsapp que es troba fent cua. Vaig recorrent-la de davant cap enrere i, malgrat els seus mal dissimulats intents per tal de passar desapercebut (LOL), em trobo amb en Jordi (qui és amb la Lídia, una amiga seva a qui ja conec d'altres vegades, i la filla d'aquesta) a la cantonada oposada de l'illa (C/ Llacuna amb C/ Pallars?).

Escola de la Llacuna del Poble Nou.


Donat que això no avença gaire, aprofitant el cens universal, en Jordi i na Lídia decideixen anar a la cerca d'un altre col·legi on votar. Els acompanyo com observador internacional (no oficial).

M'aturo per tal de fer-li una foto a una pintada molt 'rumbera' que em trobo, aquesta en castellà ('FRANCO NO ESTABA MUERTO. ESTABA DE PARRANDA!') i perd de vista el meu amic i amigues. Entro al pati del col·legi ... ... pensant-hi que els trobaré aquí però no hi son. La cua a aquest col·legi és tambè molt llarga (fa una volta sencera al voltant del pati), per això no s'han quedat.

Telenotícies cap de setmana migdia - 01/10/2017



Surt del recinte escolar i ens tornem a retrobar aviat. Caminant, arribem a l'Escola Brasil (Gran Via de les Corts Catalanes, 1108) on n'hi ha molta menys gent així que decidim posar-nos a la cua aquí. Em crida l'atenció (però tampoc gaire perquè ja n'estic acostumat a veure aquesta mena de coses) que la parella que es posa a la cua al darrere nostra sigui castellà-parlant. Els demanem si ens poden fer a tot(e)s quatre una foto de record i molt amablement ens la fan.



Per motius de seguretat s'ha d'esperar fora del recinte. Quan arriba el nostre torn, abans d'entrar-hi, deixem sortir-hi una 'padrina' que, amb mobilitat molt reduïda per l'avençada edat i amb l'ajut d'unes crosses i altres votants, puja les empinades escales d'entrada/sortida al/del col·legi en havent votat. Impressionant i molt, molt emocionant.

Un cop dintre ens acostem a una de les meses on a aquesta hora (l'hora de dinar) no n'hi ha cua i votem. Vull dir, veig amb enveja sana com na Lídia i en Jordi voten 'Sí' a la Independència de Catalunya. Com foraster que sóc, no puc fer una altra cosa que no sigui fer d'observador internacional i immortalitzar amb el telèfon de la Lídia (jo n'estic sense bateria i el telèfon d'en Jordi és una mica retro, com ell mateix) aquest històric moment.



Demano a la presidència de la mesa si pot tocar l'urna i, amb màxim de respecte, jo també em faig una foto amb aquest fosc objecte de desig policial.



Quan ens apropem a les 14.30 h (l'hora del Telenotícies Migdia) deixo el meu amic (i les amigues del meu amic) defensant el col·legi (l'amenaça fantasma de què la policia espanyola arribi i s'emporti urnes i vots plana sobre l'ambient) i vaig a la cerca d'un bar on tinguin posada la TV3 per dinar (jo tot sol, perquè en Jordi, na Lídia i la seva filla ja han menjat alguna cosa abans). He de caminar una bona estona perquè gairebé tots els bars que em trobo a aquesta alçada multicultural de la Gran Via de les Corts Catalanes tenen posats canals espanyols i/o musicals.

Al Bar Granada (fora no té cap rètol però demano al cambrer com es diu el bar i em contesta que es diu així), a l'altre costat de la Gran Via de les Corts Catalanes, faig un entrepà i una Estrella Damm per dinar (assegut al taulell, donant l'esquena a la porta del carrer) mentre em miro el TN Migdia al televisor (situat al fons, a d'alt). Em quedo horroritzat quan al TN veig les primeres imatges de les brutals càrregues policials (al meu telèfon encara no n'havia vist res; per tal d'estalviar bateria, per una banda, i, per altra, per allò de viure en viu i en directe el moment).

Telenotícies cap de setmana migdia - 01/10/2017


Més horroritzat em quedo encara quan, per la Gran Via (de les Corts Catalanes), sento passar a tota pastilla i amb les sirenes en funcionament, una dotzena(?) de 'lleteres' del CNP en direcció a l'Escola Brasil. Tement-me el pitjor, torno immediatament cap allí. Feliçment (almenys per nosaltres) els 'piolins' han passat de llarg i em trobo els meus amics sans i estalvis, tal com els havia deixat.

Després de gairebé tres hores i mitja amb en Jordi i companyia al Poble Nou i Besòs, decideixo anar ara a la trobada d'en Millán Fernández i en Antón Sánchez qui, en companyia d'altres companys i companyes d'Anova, es troben també a Barcelona fent tasques d'Observació Internacional (alguns i algunes d'ells i d'elles en missió oficial).

M'acomiado fins a la propera de na Lídia i de la seva filla i en Jordi m'acompanya a l'Estació de Sant Martí del Provençals. Quan arriba el meu tren (T5), ens acomiadem fins després a la nit. Són les quatre i escacs.

Baixo del tren a les rodalies de la torre abans coneguda com a Agbar i en entrant a l'estació del Metro de Glòries, començo a sentir uns crits que semblen provenir dels mateixos inferns i que (OMG!) venen apropant-se cap a mi. Faig veure que sóc un turista despistat que no acaba de situar-se en el plànol fixat a la paret ('Vostè és aquí) i passa al meu costat una veritable manifestació de neonazis, amb banderes i parafernàlia espanyolista, seguida per un fotògraf que dispara la seva càmera com si no hagués un endemà [aleshores encara no n'havia sentit parlar d'ell però ara em demano si no seria el mateix Jordi Borràs]. Jo no faig cap foto, per si de cas.

Carrer Diputació

En Glòries agafo un Metro (L1) fins a Rocafort on arribo a dos quarts de cinc (16.30 h), hora catalana. A la terrassa de la Cafeteria-Snack Diamante (C/ Calàbria, 114, perpendicular al C/ Diputació) em trobo l'amic Millán Fernández amb altres joves companys i companyes d'Anova. Faig un cafè amb llet i un dònut amb elles i ells i intercanviem impressions.

Amb aquest jovent vaig fins a l'Escola Joan Miró (C/ Diputació, 21) on, en mig de la multitud que s'aplega davant per tal de protegir el col·legi, em trobo amb altres companys d'Anova com ara en Manolo Besteiro o en Antón Sánchez. També em trobo aquí (mes aviat és ell qui em troba a mi) el Maxim Paquin, quebequès catalanòfil com jo amb qui, a l'Estiu de 2010, vaig coincidir al 10è Campus de la Llengua Catalana de Mallorca i Andorra. Ens fem unes selfies commemorant la retrobada i en Maxim em fa també una foto amb l'australià Julian Assange, que està tan 'on fire' amb Catalunya darrerament que ha sortit d'amagatotis de l'Ambaixada de l'Equador a Londres i és a Barcelona d'incògnit [i si no era l'Assange, era algú que almenys de perfil se semblava a ell bastant].

Amb el quebequès Maxim Paquin (esquerra) i l'australià Julian Assange (dreta).


Amb en Millán, en Besteiro i altres faig un recorregut pel Carrer Diputació. Davant l'escola homònima (Escola Diputació, C/ Diputació, 112), pujat a un altillu i megàfon en mà, un noi explica el que s'ha de fer en cas que, com tothom es tem, aparegui la policia espanyola amb la intenció d'emportar-se unes urnes a aquelles hores ja plenes de vots a vessar. La consigna és resistència pacífica, res de respondre amb violència a la violència policial.

Escola Joan Miró i Escola Diputació, totes dues al Carrer Diputació.


El Carrer Diputació es va omplint per moments de gent i més gent. Sembla que l'embogida violència desfermada contra una ciutadania pacífica (avis i àvies inclos@s) aquest matí ha tingut l'efecte contrari al desitjat per les autoritats de l'Estat. En comptes de tancar-se a casa amb por de ser atonyinada, la gent ha decidit sortir al carrer en massa en senyal de rebuig a la violència policial. L'Estat no ha aconseguit tancar més que un grapat de col·legis però l'espai aeri sí que està tancat. Així que TV3 no pot emetre imatges aèries però jo m'imagino que, com el Carrer Diputació, està col·lapsada tota la ciutat.

Entrem a fer una Estrella (Damm) al Bar Ibèrics Eixample (C/ Diputació, 99), ple també a vessar. Em fa mal l'esquena després de tantes hores dret així que, quan veig que a una cantonada (d'esquena a l'aparador dels pinxos i davant el televisor) queda una cadira lliure, m'assec a beure tranquil·lament la meva Estrella mentre veig al televisor (damunt la porta d'entrada) les últimes notícies de tan extraordinària jornada electoral. Comparteixo taula amb altres parroquians i parroquianes i parlo amb ells i elles (en català, per suposat). Sempre és agradable que et diguin que parles el català molt bé, encara que aixó sigui lluny de ser veritat. Sembla que a ells i elles també els agrada conèixer un gallec que practica una veritable catalanofília (no com ara en Rajoy que diu 'me gustan los catalanes' porque 'hacen cosas' i després fa el que fa).


A les 20.00 h tanquen els col·legis i de l'Escola Joan Miró hi surt algú i, en mig de la multitud que aquí es congrega, 'canta' els resultats. El sí a la Independència de Catalunya ha guanyat aclaparadorament però el més important és que, malgrat tots els entrebancs, gràcies a una fermíssima voluntat democràtica col·lectiva, s'ha pogut votar: 'Hem votat i hem guanyat!'

Al Bar Bienvenido (C/ Diputació, 40, al costat de l'Escola Joan Miró) faig el sopar (entrepà de botifarra i canya de cervesa). Assegut a una taula un periodista portuguès escriu la crònica de la jornada per algun mitjà. El Antón Sánchez, el Manolo Besteiro, el Millàn Fernández i jo parlem en una estona (en la llengua comuna) amb ell i després ja el deixem treballar.

Plaça Catalunya

Ja s'ha fet de nit. Amb la colla d'Anova (a la que, entre d'altres s'ha afegit el poeta, editor i diputat d'En Marea en Madrid Miguel-Anxo Fernán Vello) vaig fins a la Plaça Catalunya caminant.

A Plaça Catalunya seiem al terra a veure l'especial informatiu de TV3 en una pantalla gegant. M'aixeco un segon per tal d'agafar una d'aquestes banderoles de colors (amb la paraula 'Sí' impresa dintre d'un fumetti blanc) que semblen estar liquidant.

Em retrobo amb el Jordi, que arriba acompanyat pel seu amic Salvador Mallol i pel seu germà Salvador Avià (altre dels meus vells camarades catalans). La bandera grega d'en Salva (helenòfil com el seu germà Jordi) atrau l'atenció d'algunes persones gregues que paren per allà. També s'acosta a nosaltres un militant del FLA (Front d'Alliberament de les Açores) i faig d'intèrpret portuguès-català. És mentida, no cal.



Els amics Antón Escuredo i Dani ... (Nós Televisión), que han vingut de Sant Jaume de Galícia a Barcelona a cobrir la jornada pel Sermos Galiza, s'afegeixen també al nostre grupet galaico-català.

En Joan-Marc (a qui no he tornat a veure en tot el dia des d'aquest matí), ja una mica més relaxat, em diu pel Whatsapp que ve cap a Plaça Catalunya amb la motxilla plena de petards i una ampolla de xampany per tal de celebrar el triomf del 'Sí' a la Independència de Catalunya (i el que no és menys important, la nostra 'reconciliació') com cal.

Quan arriba a la plaça, en J-M em demana que faci els honors i sigui jo qui obri l'ampolla. Li dic que un mandrós indolent com jo no es mereix tan gran honor però, davant la seva insistència, no em queda mes remei que obeir i procedir a destapar el xampany: VISCA CATALUNYA LLIURE i VISCA L'AMISTAT GALAICO-CATALANA!!!


----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Andaina contra a banalizaçom das agressons machistas BASENAME: andaina-contra-a-banalizacom-das DATE: Wed, 14 Dec 2016 10:44:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na terça-feira 22 de novembro, há quatro semanas atrás, as companheiras da Revista Galega de Pensamento Feminista Andaina publicavam um comunicado contra a Banalizaçom das Agressons Machistas que, apenas 3 dias antes do 25-N (Dia Internacional da Eliminaçom da Violência contra as Mulheres), vinha pôr algo de sentidinho neste tremendo sem sentido que me tocou viver e que significou para mim um antes e um depois neste meu particular Via Crucis.

Nom foram poucas as pessoas que me disseram que o feminismo organizado tinha demorado demasiado em reagir e, na verdade, o anseiado posicionamento público chegava:

* 2 semanas e meia após a publicaçom do segundo abaixo-assinado contra mim, intitulado «Já chega de agressons machistas!!!!» (SEX, 04-NOV-2016);

* 1 ano e 4 meses após a publicaçom do primeiro abaixo-assinado contra mim, intitulado "Pelo fim da invisibilizaçom de agressons machistas nos movimentos sociais" (TER, 21-JUL-2015);

* Quase um ano e meio depois de que naquela noite (QUI, 28-MAI-2015), naquele "emblemático bar", tivesse começado tudo...

Seja como for, bem-vindo seja. Mais vale tarde do que nunca. Demorou um bocado, sim, mas abalou, que é o que importa. Eu às andainas, nom lhes poderia estar mais agradecido (nem, visto como as gasta este pessoal, mais reconhecido pola sua valentia).

BANALIZACIÓN DAS AGRESIÓNS MACHISTAS
revista andaina / 22 Novembro 2016

A finais de xuño de 2015 Andaina: Revista Galega de Pensamento Feminista recibiu un correo asinado por un colectivo que se identificaba como Feministas de Compostela, no que se nos pedía que colgásemos na web a carta que se axuntaba. Tratábase dun texto escrito en primeira persoa, no que se acusaba a Suso Sanmartín de agredir, apenas un mes antes, a unha muller nun local público de Compostela.

A reiteración de expresións do tipo «violentamente», «invasión do meu espazo», «burlouse, riu», «desquiciante», «violentadas», «comportamentos obsesivos e dominantes» e a insistencia en evidenciar «o tipo de condutas destes agresores» falaban alto e claro do malestar da denunciante, pero o motivo da súa ira non estaba, ao noso entender, suficientemente explicado. A este respecto, a carta limitábase a indicar: «Este suxeito interrumpiume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar comigo. Cando o evitei e respondín a invasión do meu espazo o tal S. S. burlouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante».

Ao continuar lendo, chamou a nosa atención a cantidade de información persoal que se proporcionaba do suposto agresor, tanto a respecto da súa militancia política e social, como do seu quefacer laboral. A denunciante dicía non ter nada en contra deses colectivos e organizacións, pero insistía en facer pública a «responsabilidade política» de Sanmartín.

Ao final do documento, desaparecía a primeira persoa e xurdía un plural que denunciaba que o que «lle aconteceu a esta compañeira nom é nada novo», anunciaba o fastío das mulleres ante este tipo de situacións, demandaba un espazo público de debate e ameazaba con que, en caso de necesidade, «seremos as feministas as que nos tomemos a justiça pola mao».

Respondemos ao correo pedindo reunirnos con algunha representante do colectivo para aclarar as nosas dúbidas, debater sobre o tema e actuar en consecuencia. A resposta que recibimos deixounos bastante descolocadas. Apoiaba plenamente unha das expresións finais da carta que se nos enviara: «Empregar este comunicado para outra cousa que non seja o que nós desejamos é invisibilizar o ocorrido e dar-lhe mais importancia a desacreditar um coletivo que a tratar de combater o patriarcado». Acordamos gardar silencio e non pronunciarnos.

Isto foi hai máis dun ano. Nese tempo o asunto ten dado moitas voltas e a situación volveuse pública e complicada. En xullo de 2015, apareceu un novo documento dixital baixo o epígrafe «Pelo fim da invisibilizaçom de agressons machistas nos movimentos sociais» e en novembro de 2016 chegou a nós un novo texto, asinado por 450 persoas, que reza «Já chega de agressons machistas!!!!». Cartas de amigos de Sanmartín defendéndoo, do propio Sanmartín tentando explicar o sucedido, pintadas nos muros composteláns, denuncias nos xulgados e centos de comentarios nas redes sociais completan tan desagradable historia.

En vista da dimensión que está tomando o asunto, Andaina decide agora posicionarse publicamente.

En Andaina non acostumamos asinar documentos polo feito de estar impresos nun papel malva ou redactados en tinta violeta. Gústanos entender que é o que apoiamos e procuramos reflexionar sobre todo o que nos rodea. Evidentemente, desde sempre combatemos sen contemplacións a violencia de xénero e calquera tipo de violencia exercida contra as mulleres pero consideramos que este uso dun problema social tan serio é moi perigoso, pois banalízao e non favorece en absoluto ás vítimas que o sofren realmente.

Entendemos que neste caso estamos ante un texto redactado nunha linguaxe escura e tendenciosa, que non se corta á hora de difundir nas redes, manifestos e paredes o nome e apelidos dunha persoa á quen se lle apón a cualificación de agresor, a comisión dunha suposta agresión contra unha muller, condenándoo con violencia, pero que non deixa claro o sucedido. A postura autoritaria das asinantes e a percepción de que as persoas ás que se lles demanda apoio deben condenar incondicionalmente unha agresión que non se explica nin se demostra, esperta en nós preocupación, desconfianza e rexeitamento. Como expresamos no editorial do noso último número publicado: «Corremos o risco de converter esta viaxe común pola nosa liberdade nunha intimidación, errando de inimigo. [?] Unha volta punitiva ou lonxe da resolución de conflitos de xeito colectivo ideal pola que deberiamos pelexar».

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: e-mail de amigo BASENAME: e-mail-de-amigo DATE: Wed, 09 Nov 2016 21:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Em realçom ao tristemente célebre non-caso do "emblemático bar", acabei de receber este e-mail de um bom amigo (que prefere permanecer no anonimato embora autorize a sua publicaçom) e nom sei mui bem o que fazer, se seguir ou nom os seus conselhos. Vós o que me dizedes, amigas?

Caro Suso,

Pregúntasme o que facer en respecto ao comunicado desta xente, e sinceramente penso que ti tamén deberas (aínda ao teu pesar) "converter o privado en público" e defenderte dos vellos e novos ataques que sofres, pois a cousa está chegando xa moi lonxe.

Eu lembraríalles de forma obxectiva a orixe, o xerme desta situación, o feito que nos trouxo ate aquí: que unha noite de finais de maio do ano 2015, estando de festa nun pub compostelán, convidaches a bailar a unha moza tocándolle un brazo, rexeitando esta o teu convite e marchándote de alí sen darlle mais importancia. (Aclara ben que estes feitos son obxectivos, e que así os redacta a persoa afectada o 10 de xuño de 2015!)

Tes que ter claro que este feito para calquera persoa é un encontro totalmente normal entre persoas adultas nun espazo lúdico, mais foi a escusa que algúns/has aproveitaron para arrancar unha campaña de acoso e desprestixio contra ti. Compre que aclares que non é que non te preguntaran pola túa versión, que non é que se cuestionara ou debatera o acontecido, que non é que te requirisen un perdón, pois nada diso ocorreu, mais ao contrario, fica claro que a decisión adoptada por estas persoas foi iniciar unha campaña de difamación. Se repasas os e-mails que me enviaches cando comezou isto, xa o propio 10 de xuño estas persoas decidiron enviar un e-mail aos colectivos e organizacións das que participas titulado "Comunicado em denúncia duma agressom" esixindo un posicionamento público destas contra ti, correo no que xa se te cualificaba de "fodido baboso agresor" e te ameazaban dicindo: "Se nom houver interesse em solucionar esto por parte destes coletivos, seremos as feministas as que nos tomemos a justiça pola mao". En parte tes a sorte de que todo está aínda na rede e todos poden comprobalo!

Lémbralles que non conseguimos contactar coas responsables e que chegamos a deixarlles unha mensaxe no propio blogue onde aparecía esta publicación, pedíndolles que eliminaran ese contido da internet, advertíndolles de que de non ser retirado terías que acudir a vía xudicial para defenderte.

Resulta incrible que digan agora que "No verao de 2015 decidimos retirar o foco do agressor" aclara que non é que no verán 2015 non se retirase o foco sobre ti, moi ao contrario, que o acoso multiplicouse sen posibilidade algunha de defensa, debate ou argumentación, lémbralles que naquelas datas vimos as pintadas co teu nome vinculado á violencia de xénero, ao tempo que se movía polas redes un manifesto no que desaparecía o relato do sucedido para pasar a falar da "agresión" e do "agresor", dando por feito que isto era así e non cabía discusión, e que dende este momento, pasaches a ser para ante o gran público un "machista agresor". Fixen un repaso dos emails que temos coas datas, din que no verán quitaron o foco de sobre ti? Pois mira, o 17/06 foi cando "Feministas Compostela" (bastadeagressonsmachistas@gmail.com) remitiron e-mail para AGAL; CA, A Gentalha do Pichel e o NovasGZ, o 20/06 reenviárono a centos de e-mails, entre eles diferentes xornais e negocios da cidade. O 21 de xuño o comunicado apareceu en "As Candongas do Quilombo", no da "Marcha Mundial das Mulleres" o 23 de xullo, no de "Conas Ceives" o 23 de xullo, en "Abordaxe" o 1 de agosto e en "Coordinación Baladre" o 2 de agosto.

Tes que facerlles ver o dano que están causando, tes que explicarlles que esta situación está a afectarte a todos os niveis, persoal, familiar e laboral, explícalles que calquera persoa que teclee "Suso Sanmartin" no Google atópase coa perfecta descripción dun "fodido maltratador" cun "baboso agresor", cunha persoa que agrediu a unha rapaza unha noite! E isto pode lelo calquera, alumnos, coñecidos, amig@s, familiares!

Os que te coñecemos sabemos do teu activismo social e da túa posición a respecto do feminismo, mais se cadra deberas lembrarllo, sei que é fodido ter que estar aclarando isto, pero se cadra, e neste estado de cousas, aínda é preciso.

Pon tamén porqué remataches no xulgado, que o 17 de xuño no que te advertín que "circulaba" este tema na rede, pasámolo enteiro tentando contactar coas persoas que estaban detrás desta publicación, e que pese a ter solicitado a súa retirada, a publicación continuaba no blogue ao día seguinte, o que che obrigou a ir ao xulgado, e se non lembro mal aínda tiveches que voltar unha segunda vez en xullo por cando foran as pintadas e ameazas.

Pretenden agora facer ver que a túa denuncia é un ataque ao feminismo en xeral, e que teñen que estar todas a unha, é por iso que tes que falar, tes que contar en público que ti non denunciaches ao "feminismo" senón que tan só denunciaches uns contidos publicados en internet, e que foi o xulgado quen pediu á brigada de delitos informáticos que puxera nomes e apelidos a os titulares destes medios que facían pública e difundían o escrito calumnioso. Seguen coas súas mentiras dicindo que denunciaches ao chou ou que denunciaches as 149 asinantes, cando incluso varias das asinantes chamáronte para desculparse cando se decataron da realidade do ocorrido, se cadra cumpriría tamén que falaras con elas para que deran xa un paso, e xa que estamos que destapasen as presións e coaccións exercidas sobre elas para que asinasen o escrito.

Pero se ate houbo unha conciliación e nin chamaron antes para falar contigo e mandaron ao acto á súa avogada para dicir que non había acordo sen negociar nada!

Sabes que todo isto dáme moita rabia, sabes que moitas teñen medo a falar, sabes ben como é o inframundo ao que te estás enfrontar, mais non tes nada a perder, e moitos están a falar agora sen saber que foi o que ocorreu, escoitando só unha versión interesada e perversa buscando facerte o máximo mal posible.

Fai o que queiras meu (que sempre o fas) pero non te agobies demasiado, non paga a pena, e ao final todo pasa. Apertas.

XXX

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Sobre as desculpas que (nom) me pedem BASENAME: sobre-as-desculpas-que-nom-me-pedem DATE: Thu, 03 Sep 2015 08:54:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?Por outra parte, nom pretendemos centrar-nos na cabeça do camarada Suso -muito menos nos coletivos dos que faz parte- ainda que ele soubo colher protagonismo bastante em um caso no que umhas desculpas teriam-o desbancado a um segundo plano?

(Charo Lópes: O feminismo encoraja as mulheres)

?Quero pedir desculpas. Desculpas a todas as mulheres às [que] tenho agredido (...) Por sacar a bailar comigo a quem nom queria, invadindo o seu espaço (...) Quero pedir desculpas (...) Acho que NOM É TAM DIFÍCIL (...) e sim, essa é a palavra certa, SEM AGREDIR (...) A respeito do sucedido (...) quando umha mulher tem a coragem de fazer umha denúncia de umha agressom machista (...) adoito ouvimos cousas com: 'Non era para tanto', 'É intolerável o que fizeram com esse rapaz', 'Foi un linchamento'. DISCREPO TOTALMENTE. Podem ser incorretas as formas mas ninguém lhe fez nada a esse rapaz (...) A suspeita sempre mora no outro lado. Claro que nengumha/nengum de nós vai apoiar um linchamento (...) mas a resposta a umha mulher que se sente agredida nom é essa, NUNCA DEVE SER ESSA (...) Exagero? A sério alguém pode aturar que para (...) defender o companheiro militante (...) alguns (e algumhas) insultem, difamem, intimidem, ameacem? Que peçam represálias? Que exijam que a agredida, a vítima, revele a sua identidade para ser lapidada e apedrejada na praça pública? (...) Ninguém é infalível, todas as pessoas temos direito a retificar. O triste é que nestes debates houvo quem sim soubo acertar e arriscou-se a receber insultos, ameaças e incompreensom de todas as partes implicadas. É por estas pessoas que me decidim a escrever este artigo.?

(Xurxo Nóvoa Martins: Carta aberta ao macho militante)

Entre o dia, aliás, a noite de autos (madrugada da quinta-feira, 28 de maio) e o dia, aliás, a noite em que tenho conhecimento do texto intitulado ?Comunicado final agressom machista? que andava e ainda anda a circular por aí (madrugada da quarta-feira, 17 de junho) passaram 3 semanas (21 dias).

No mencionado texto (que consta de duas partes, o arrepiante testemunho dumha tal ?Zorra anónima enfadadísima? [sic] e a apostila dumhas desconhecidas ?Mulheres feministas de Compostela?), por um feito tam banal como o já tristemente célebre e sobradamente conhecido (escolham a versom que quiserem, a minha ou a outra; o feito em si é basicamente o mesmo), injuriava-se-me e caluniava-se-me qualificando-me de ?agressor? (derivados do verbo ?agredir? repitem-se no texto até seis vezes em duas normativas: ?agresores?, ?agresión?, ?agrede?, ?agresores?, ?agressons?, ?agressom?; sete, se contamos o título) e ameaçava-se-me mafiosamente, a mim e aos coletivos de que fago parte, com umha série de acçons caso nom figéssemos o que elas diziam. Naturalmente, quando lim aquilo, fum eu o que se sentiu agredido!

Eu achava que o conflito com essa pessoa tinha ficado resolvido in situ: ela insultara-me por ter-lhe tocado o braço sem o seu consentimento prévio, eu nom lhe retruquei e listo (estávamos em paz, achava eu, vai-se o comido polo servido).

Nem nos mais medonhos pesadelos podia eu imaginar as manobras que se estavam a orquestrar na escuridade para tentar acabar com a minha vida (vida social, espero; ainda que isso de que ?seremos as feministas a que nos tomaremos a justiça pola mao? com que finalizava o ?Comunicado? mui tranquilizador nom soava, na verdade).

Porque nesse período de tempo (21 dias / 3 semanas) ninguém se pujo em contato para nada comigo. Inteirei-me de casualidade, através do amigo-dumha amiga-dumha amiga.

Realmente pode haver algumha pessoa normal (nem por riba nem por baixo da normalidade) que pense que eu, ao ter conhecimento de todo isto, o que devia ter feito era pedir desculpas??? Figem o que tinha de fazer que era ir denunciá-lo ao julgado!! E, mesmo assim, nom o figem imediatamente senom que estivem durante um dia inteiro (dia perdido para o trabalho que, por certo, era bastante naquela altura) tentando contatar, infrutuosamente, com alguém que estivesse por trás de tam demencial movida! Pedir desculpas eu, ainda por riba??? Nom me fagam rir, por favor, que o conto é triste!!!

É mais, três meses depois daquele feito absolutamente intranscendente que acabou por ter umha transcendência tam terrível, depois do enorme dano que me levam causado gratuitamente durante todo este tempo, sou eu quem está ainda à espera dumhas desculpas.

NOM É TAM DIFÍCIL! &#59;) :p

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Thu, 03 Sep 2015 12:50:55 +0000 URL:

Ai… Como a vida seria mais simples com humor e sorrisos… Quando por fim - e trabalho levou - conseguimos tirar a carriça mal encarada ao reintegracionismo e um pouco a política… Muito caminho tem ainda a gente que andar para poder arranjar e construir… Apertas150

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Perante a agressom que venho sofrendo em silêncio desde há já demasiado tempo... BASENAME: perante-a-agressom-que-venho-sofrendo-em-silencio-desde-ha-ja-demasiado-tempo DATE: Fri, 24 Jul 2015 20:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Na última semana de maio, num emblemático bar da cidade de Compostela, mentres conversaba cun colega atopeime (violentamente) cun señor que resultou chamarse Suso Sanmartín. Este suxeito interrompeume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar conmigo. Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante."

("Anónima zorra enfadadísima" [sic])
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-agressom.html

Seguindo a recomendaçom de George Lakoff em Don't Think About Elephants (livro que já tem uns aninhos mas que eu só vim ler recentemente) resistim-me até agora a dar a minha versom dos feitos por nom entrar no frame d@ adversári@ nem fazer-lhe o jogo, cousa que a todas luzes parecia um erro. Provavelmente continue a sê-lo ainda mas vou fazê-lo na mesma porque é que isto está já mui saído de madre :(

Visto que a bola de neve, aliás, de bosta nom fijo desde aquela mais que medrar e medrar e que a difusom da grande ?bola? atingiu já uns limites insuportáveis, vejo-me na bochornosa necessidade de ter que dar públicas explicaçons sobre um feito absolutamente trivial e que devia ter sido também intranscendente (como diria o pintor e escritor suíço Friedrich Dürrenmatt: ?Tristes tempos estes em que há que luitar polo que é evidente?).

Farei-no, isso sim, ao meu estilo. Com bom humor e mala leche, como o genial Laxeiro dizia que havia que andar pola vida e como é também a minha máxima. Espero nom ferir a sensibilidade de essas pessoas que som tam sensíveis (no mal sentido) ao exercício do humor e aparentemente tam insensíveis perante um linchamento público como o que contra mim (desde o passado17 de junho, desde há um mês e umha semana já) se vem perpetrando. E, se a ferir, desde já, pido imensas desculpas antecipadas.

Pois resulta que a minha versom dos feitos coincide basicamente com a da pessoa (in)visibilizada como "Anónima zorra enfadadísima" (o pseudónimo é seu; a ver se é que eu, como a coitada da Yoko Ono, vou ter a culpa de todo!). Coincide com alguns matizes. Com alguns matizes importantes.

Com efeito, na noite da quarta-feira 27 de maio (tecnicamente seria madrugada da quinta-feira 28, já), num ?emblemático? bar da cidade de cujo nome nom quero lembrar-me, tivem a pouca fortuna de topar-me com essa ?zorra enfadadísima Anónima?. Tenho que reconhecer que a toquei (que lhe toquei o braço direito, as costas, ou talvez ambas partes em simultâneo) sem o seu prévio consentimento, num gesto convidativo para o baile (como ela interpretou corretamente) que nada tivo de extraordinário. Esse ?colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación)? é dum dramatismo que nada achega e que resulta totalmente desnecessário. Ainda bem que, à sua folhetinesca maneira, a ?Anónima e enfadadísima zorra? esta dixo a verdade! Porque se chega a dizer que eu a arrastei por um braço ou polos cabelos, estava lixado! (Para esta tropa, a palavra da ?vítima? é como a da Polícia: tem ?presunçom de veracidade?).

Ainda que poida perfeitamente entender que a esta pessoa (visibilizada como ?trenô? em galego ILG-RAG) nom lhe agradara que eu a tocasse (talvez se eu fosse mais bonito, mais novo, mais alto, o conto cambiasse), até onde eu sei, um contato físico assim nom é um tabú na nossa cultura. ?Por favor, nom me toques?, ?desculpa? e acabamos.

?Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante". Bem, aqui sim que há algumha cousinha que matizar. Algo bastante.

Nom me lembro mui bem dos detalhes (a cousa tampouco é que tivera demasiada importância) mas do que sim me lembro é de ter cachado à primeira a rejeiçom desta pessoa (visibilizada como ?golpe? nalgumhas comarcas) e lembro-me de, assumindo a derrota com desportividade, sem maior problema, ter-me afastado.

Nesse preciso momento entra no ?emblemático? bar um amigo (mais novo do que eu, mais alto, com mais cabelo e, se calhar, mais 'ghuapo') com o que tinha saído aquela noite e que, por algumha inexplicável razom, chegou atrasado. Ponho-me a falar com ele e, desde umha distância de 4 ou 5 metros, a pessoa visibilizada como ?raposa? em galego vem correndo até nós e di-lhe ao meu amigo (a mim, nom; a ele): ?O teu amigo é um baboso e um nom-sei-o-que!?. A mim deu-me por rir. Mas nom estava a rir dela (como erroneamente ela interpretou) senom do patético da situaçom. Do patético que estava a ver-me eu a mim mesmo naquela patética situaçom. ?Peró, Suso... aos teus anos!?? E por quê lho dizia ao meu amigo e nom a mim?? Enfim...

Mas à pessoa visibilizada como mamífero carnívoro da família dos Canídeos e o gênero Vulpes deveu-lhe parecer mal que eu, em vez de responder aos seus insultos com outros insultos, reagisse botando-me a rir porque se virou para mim e dixo-me (agora a mim, diretamente, nom ao meu amigo): ?A ti todo isto importa-che umha merda, nom??. E eu, vendo esta pessoa fora de si, assentim dando-lhe a razom como um ?zorro?. End of the story! (ou, ao menos, isso era o que ingenuamente eu achava).

No seu relato, a pessoa (in)visibilizada como mulher do forajido mascarado e encapotado que com a sua espada defende o povo de funcionários tirânicos e outros vilões, omite habilmente o facto de que foi ela, e nom ao revês, quem me insultou a mim (tanto no ?emblemático bar da cidade? no dia de autos quanto no injurioso escrito que fijo circular por aí onde se me qualifica de ?fodido baboso? e se me acusa de ser um ?agressor?, o que é muitíssimo mais grave). Dá a entender que aconteceu justamente o contrário quando di que eu me ?mofei? e/ou me ?burlei? dela. Eu a ela nom lhe dirigim nem umha má palavra. Ela, a mim, sim. Bem ao contrário.

Por fortuna "Anónima zorra enfadadísima" nom me acusou de ter feito nengumha barbaridade (se assim tivesse sido, estava perdido!) e qualquer pessoa que saiba ler separando o grão da palha pode ver o que aí há: muita palha (mental) e pouco grão. Desde logo nada que justifique a delirante campanha de acoso à que me vim submetido a partir daí (*) (orquestrada na escuridade como aquelas famosas manobras). Infelizmente semelha que há muita gente que vê/lê só aquilo que deseja ver/ler: Suso Sanmartin (membro de Compostela Aberta, sócio da AGAL e A Gentalha, colaborador do ?Novas?), ?agressor machista?!! De puta madre!!

Daquela, quê? Que é o que vcs acham? Quem é a vítima e quem o/a agressor/a nesta ?emblemático? caso? Julguem vcs mesm@s e condenem quem lhes sair d@ cona/caralho (ou dos colhons/ovários).

Suso Sanmartin
Transgressor marxista


(*) A partir deste momento comeza o meu particular ?vía crucis? do que semella tod@s tedes xa coñecemento. Primeiro mediante a difusión a través de distintos foros dun inxurioso escrito que fixeron circular por aí onde se me cualifica de ?fodido baboso? e se me acusa de ser um ?agresor?. Pedín no propio blogue e no e-mail que aparecía, que eliminaran o citado post, o que non sucedeu, obrigándome a acudir ao xulgado a efectuar unha denuncia.
 
Depois, e sempre dende o anonimato das autodenominadas ?Feministas de Compostela?, comunicaron a todo o meu entorno vital (organizacións nas que participo, amigos, inimigos, etc) estes feitos, esixíndolles a adopción de medidas contra a miña persoa (tristemente debo dicir que algúns, os menos, cederon á chantaxe).
 
Despois foron as rúas tamén ?emblemáticas? da cidade cheas de pintadas co meu nome, e xa por último (que non derradeiro, ao parecer) foi o coñecido comunicado coa recollida de sinaturas que se fixo publico e circula polos foros e grupos mais variopintos e poñendo o meu nome en boca de tod@s vós.
 
Mais o conto foi cambiando, neste punto do affaire onde moit@s vos incorporades ao tema, xa non se fala da conducta, xa non se cuestiona o feito obxectivo ocorrido, o convite ao baile, senón que xa se parte da existencia dunha agresión, co fin de que ninguén poda cuestionar da pertinencia desta campaña de acoso persoal. Por sorte, sabemos quen anda detrás disto e qué se persegue (pero iso xa será outro capítulo para cando toque).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 03 Sep 2015 09:14:27 +0000 URL:

SOBRE AS DESCULPAS QUE (NOM) ME PEDEM

?Por outra parte, nom pretendemos centrar-nos na cabeça do camarada Suso -muito menos nos coletivos dos que faz parte- ainda que ele soubo colher protagonismo bastante em um caso no que umhas desculpas teriam-o desbancado a um segundo plano?

(Charo Lópes: O feminismo encoraja as mulheres)

?Quero pedir desculpas. Desculpas a todas as mulheres às [que] tenho agredido (…) Por sacar a bailar comigo a quem nom queria, invadindo o seu espaço (…) Quero pedir desculpas (…) Acho que NOM É TAM DIFÍCIL (…) e sim, essa é a palavra certa, SEM AGREDIR (…) A respeito do sucedido (…) quando umha mulher tem a coragem de fazer umha denúncia de umha agressom machista (…) adoito ouvimos cousas com: ‘Non era para tanto’, ‘É intolerável o que fizeram com esse rapaz’, ‘Foi un linchamento’. DISCREPO TOTALMENTE. Podem ser incorretas as formas mas ninguém lhe fez nada a esse rapaz (…) A suspeita sempre mora no outro lado. Claro que nengumha/nengum de nós vai apoiar um linchamento (…) mas a resposta a umha mulher que se sente agredida nom é essa, NUNCA DEVE SER ESSA (…) Exagero? A sério alguém pode aturar que para (…) defender o companheiro militante (…) alguns (e algumhas) insultem, difamem, intimidem, ameacem? Que peçam represálias? Que exijam que a agredida, a vítima, revele a sua identidade para ser lapidada e apedrejada na praça pública? (…) Ninguém é infalível, todas as pessoas temos direito a retificar. O triste é que nestes debates houvo quem sim soubo acertar e arriscou-se a receber insultos, ameaças e incompreensom de todas as partes implicadas. É por estas pessoas que me decidim a escrever este artigo.?

(Xurxo Nóvoa Martins: Carta aberta ao macho militante)

Entre o dia, aliás, a noite de autos (madrugada da quinta-feira, 28 de maio) e o dia, aliás, a noite em que tenho conhecimento do texto intitulado ?Comunicado final agressom machista? que andava e ainda anda a circular por aí (madrugada da quarta-feira, 17 de junho) passaram 3 semanas (21 dias).

No mencionado texto (que consta de duas partes, o arrepiante testemunho dumha tal ?Zorra anónima enfadadísima? [sic] e a apostila dumhas desconhecidas ?Mulheres feministas de Compostela?), por um feito tam banal como o já tristemente célebre e sobradamente conhecido (escolham a versom que quiserem, a minha ou a outra; o feito em si é basicamente o mesmo), injuriava-se-me e caluniava-se-me qualificando-me de ?agressor? (derivados do verbo ?agredir? repitem-se no texto até seis vezes em duas normativas: ?agresores?, ?agresión?, ?agrede?, ?agresores?, ?agressons?, ?agressom?; sete, se contamos o título) e ameaçava-se-me mafiosamente, a mim e aos coletivos de que fago parte, com umha série de acçons caso nom figéssemos o que elas diziam. Naturalmente, quando lim aquilo, fum eu o que se sentiu agredido!

Eu achava que o conflito com essa pessoa tinha ficado resolvido in situ: ela insultara-me por ter-lhe tocado o braço sem o seu consentimento prévio, eu nom lhe retruquei e listo (estávamos em paz, achava eu, vai-se o comido polo servido).

Nem nos mais medonhos pesadelos podia eu imaginar as manobras que se estavam a orquestrar na escuridade para tentar acabar com a minha vida (vida social, espero; ainda que isso de que ?seremos as feministas a que nos tomaremos a justiça pola mao? com que finalizava o ?Comunicado? mui tranquilizador nom soava, na verdade).

Porque nesse período de tempo (21 dias / 3 semanas) ninguém se pujo em contato para nada comigo. Inteirei-me de casualidade, através do amigo-dumha amiga-dumha amiga.

Realmente pode haver algumha pessoa normal (nem por riba nem por baixo da normalidade) que pense que eu, ao ter conhecimento de todo isto, o que devia ter feito era pedir desculpas??? Figem o que tinha de fazer que era ir denunciá-lo ao julgado!! E, mesmo assim, nom o figem imediatamente senom que estivem durante um dia inteiro (dia perdido para o trabalho que, por certo, era bastante naquela altura) tentando contatar, infrutuosamente, com alguém que estivesse por trás de tam demencial movida! Pedir desculpas eu, ainda por riba??? Nom me fagam rir, por favor, que o conto é triste!!!

É mais, três meses depois daquele feito absolutamente intranscendente que acabou por ter umha transcendência tam terrível, depois do enorme dano que me levam causado gratuitamente durante todo este tempo, sou eu quem está ainda à espera dumhas desculpas.

NOM É TAM DIFÍCIL! ;) :p

----- COMMENT: AUTHOR: Populista de Esquerda [Visitante] DATE: Wed, 12 Aug 2015 12:46:44 +0000 URL: https://populismodeesquerdas.wordpress.com/

Mais um detalhe interessante: parece que o que mais indignou a denunciante fundamentalista não foi o convite para bailar, foi a “burla” posterior. Porque já se sabe que o riso mata o medo e sem o medo não há fé.

----- COMMENT: AUTHOR: Populista de Esquerda [Visitante] DATE: Wed, 12 Aug 2015 12:40:53 +0000 URL: https://populismodeesquerdas.wordpress.com/

Deixei um comentário no Sermos Galiza mas está a ser censurado com o estilo habitual do jornal: esperar a que o artigo esteja a piques de sair da capa para aprovar os comentários que desafiam os dogmas teologais da esquerda.

Antes de mais, quero mostrar a minha solidariedade com a pessoa que está a ser vítima deste processo inquisitorial, deste auto de fé virtual.

Haverá duas ou três décadas que soubemos por primeira vez desse novo feminismo norte-americano, dessa ordem religiosa de mulheres néo-puritanas, amarguradas e cheias de ódio, vestidas em negro para denunciar a opressão patriarcal. Naquela altura a esquerda europeia olhava para elas como se fossem animalinhos do zoo. Mas elas souberam evoluir, pintaram os beiços, vestiram roupa mais colorida e agora… já estão aqui amigos!

O mais irónico é que foi a própria esquerda quem assumiu como próprio o seu delirante discurso e alimentou o seu doido fanatismo. Estava visto que tarde ou cedo teríamos que pagar o preço…

E, infelizmente, não é o único tipo de fanatismo, nem o mais perigoso, que estamos a alimentar… Pensemos se não na monja anti-vacinas que o mês que vem poderia vir obter uma cadeira no novo governo catalão.

Acho que estamos da hora de deixar o magufismo e voltar à razão antes de que seja tarde de mais…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 23:03:31 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Polo que tu sabes, Ánxel? Pois já me contarás, porque já sabes mais do que eu e porque esse enlace que me pôs nom tem nada a ver com o meu nom-caso!

----- COMMENT: AUTHOR: Meu Dónimo [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 22:37:11 +0000 URL:

Hai qualquer colectivo feminista compostelám que diga ter sido consultado para assinar isso como “Mulheres feministas de Compostela"?

Hai qualquer participante da Marcha Mundial das Mulheres na Galiza que diga ter sido consultada, muito menos ter dado a sua aprovaçom, à Xiana de Ourense (BNG, @troleadagalega) para essa organizaçom assinar esta denúncia?

Coa salvedade das rectificaçons que puiderem chegar, acho que a lista de assinantes dessa denúncia é esclarecedora quanto a quais indivíduos e organizaçons estám dispostas a assinar um linchamento sem a máis mínima comprovaçom. Por outras palavras, a quem folgamos máis fazer puto caso.

Folgos e aços, Suso.

----- COMMENT: AUTHOR: Ánxel [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 22:14:58 +0000 URL:

Polo que eu sei, penso que as ameazas non eran esas.

http://www.pikaramagazine.com/2015/07/decalogo-de-actitudes-machistas-ante-una-denuncia-de-maltrato/

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 14:47:50 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Obrigado polo esclarecimento, Edu. Como ia saber eu que nom tinha sido apagado quando o Xosé esse e mais tu afirmavades o contrário? Pois aí estám, para quem as quiser ver, as supostas “ameaças".

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 14:16:16 +0000 URL:

ehem!! eu ao igual que tu pensei que o quitaram, mais nom, por que nesse blogue apareceu por duas vezes o comunicado de marras e de a minha equivocaçom. eu dim-me conta dias depois mas nom lhes pedim que o quitaram por que nom quero tratos com essa gente:

1º do 10 de junho com o meu comentário:
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-agressom.html

2º do 16 de junho com o comentário do Suso, que ninguém quitou:
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-final.html


----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 12:33:56 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

No seu lugar pode ler-se agora o seguinte comentário (óbri, Edu):

“abordaxe 26 de julho de 2015 06:26

Oh!! Onde vai o comentário do Suso?? Quem censura agora?? Quê queredes ocultar?

Quanto durará estoutro?? Tic, tac, tic, tac som as 15.26′ do 26 de julho de 2015

Edu.”

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 12:29:47 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Suponho que o tal Xosé se referia a este comentário que no passado 17 de junho (o mesmo dia em que me inteirei das graves acusaçons que contra mim andavam a circular por aí) coloquei no misterioso blogue sexualidademedular.blospot.es:

“Com ajuda de várias pessoas amigas levo o dia inteiro a tentar localizar algumha pessoa responsável por trás do blogue sexualidademedular.blospot.es. Sem êxito por enquanto. Visto que cada minuto que passa a minha imagem pública e a minha honra se vêm mais e mais prejudicadas polas injúrias e as calúnias que sobre mim nele se dim e visto que sobre a minha cabeça pesa a ameaça de ser denunciado falsa, anônima, pública e maciçamente, vejo-me na obriga de exigir a quem quiser que esteja por trás de todo isto que apague o post e qualquer referência ao meu nome e à minha pessoa imediatamente. E, por suposto, que se abstenha de dar qualquer passo para a frente. Caso contrário, verei-me na obriga de tomar outro tipo de medidas que, sem dúvida, resultarám mais desagradáveis para todos e todas. Cumprimentos.”

O tal Xosé dá por suposto que fum eu quem apagou o comment (nom sei se isso seria possível tecnicamente). Em qualquer caso, que pouco me conhece! Eu sou responsável dos meus atos, nom coma outr@s.

Quem o apagou saberá por que o fijo. O medo está a mudar de bando, ao que parece ;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 07:24:26 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Eu nom apaguei comentário nengum, Xosé. Nem neste nem, evidentemente, em nengum.outro. A que comentário e a que blogue te referes? Gjoder, jà pareço a Yoko Ono levando a culpa de todo! ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: mmm [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 19:52:06 +0000 URL:

Porfa, poderíades esclarecer melhor o que é “invadindo o seu espaço e burlando-se dela"? Se a invasom do espaço apresenta um caráter efetivamente machista e a burla também, começarei a pensar em assinar o comunicado.

Terminarei de convencer-me se há proporcionalidade entre o facto denunciado e as medidas punitivas tomadas, como deve ser em qualquer sistema de justiça. Isso é: se há proporcionalidade entre ‘a invasom do espaço e a burla’ e umha campanha pessoal, que ficará para sempre no google e marcará a o tal Suso Sanmartim (a quem nom conheço pessoalmente, mas sei quem é) no seu ámbito.

Se há machismo e proporcionalidade entre os factos denunciados e o castigo, assino sem pensá-lo duas vezes.

Nota: era bom esclarecerdes publicamente, já que poderíades ganhar muitos mais apoios… se se dam essas duas cousas, claro. Entretanto, “yo sólo sé que había nieve".

----- COMMENT: AUTHOR: Xose [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 17:39:08 +0000 URL:

Suso, e logo por que borraches o comentario do blogue? Caían sobre a túa conciencia as ameazas? Non che viña ben ao conto?

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 14:58:37 +0000 URL:

Na internet usar maiúsculas é entendido como berrar. Por muito que berredes nom ides convencer a ninguém mais.

Parvas eu dúvido muito que sejam as assinates mas, porquê se quitou a referência aos feitos em que se basea a suposta agressom no comunicado que se passou a assinar e só se deixou esta frase “Este homem agrediu-a invadindo o seu espaço e burlando-se dela"?

A mim si me passam a assinar algo assim e som mulher envolvida no feminismo, nom vou duvidar em nenhum momento do que lá se di. Por suposto que muitas das assinantes o figerom de boa fe e por esse sentido nato que vos une que ás vezes confunde-se com certo ?corporativismo?.

Mas ainda espero lêr que é o que figera o Suso no bar emblemático além do que contam ambas partes coincidentes e colo o que di a agredida: “Este suxeito interrompeume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar conmigo. Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante".

Juro-o eu sego a ver só umha montagem. Por certo tam mal montada que nenhum medio alternativo dignou-se a dar-lhe pulo ao 1º comunicado e nom me venhades agora com que somos todos machistas.

Ou é que somos tam parvas como para nom publicar algo assim que pom a feder a um membro de Compostela Aberta, no governo da cidade e se o acontecido fora como parece que vos empenhades em crêr algumhas feministas?.

Se vos saiu o tiro pola culata, por algo será.

Edu (colabourador da revista anarquista Abordaxe)

----- COMMENT: AUTHOR: Mlo [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 06:53:34 +0000 URL:

Vestir de feminismo umha pataleta porque o Suso nom entrou a umha provocaçom tua, Anonima Zorra, fai-lhe mal ao Feminismo e à Esquerda. Felizmente, só a leitura do comunicado (o da Zorra, nom o do Suso) já deixa às claras o que já por trás de toda a vossa campanha. Força ao Suso

----- COMMENT: AUTHOR: Álex [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 22:21:42 +0000 URL:

Mira Suso e amighas de…se a mim me passa isso,que ja me passou..nom só o feito(ti nom sabes a nossa historia..e se ja fumos agredidas tantas vezes que nom aghuentamos uma máis?…sabes o que é ser mulher neste mundo? tamém o saberás,co listo e marxista transgressor que es,ou é que como sou galega tenho que ter esse “contacto físico” que ti decidiches sem nem contato visual prévio,"normalizado"?E se che agharro da pirola,e tiro forte e te digho que na minha aldeia é assim e que nom passa nada?E porque nom “convidas a bailar” a um do teu tamanho e “formas"..ighoal che parte a cara,é o que vos mola,nom? EU NOM QUERO QUE ME TOQUES NEM DE LONGE!!),senóm a burla e condescendencia e ameaças posteriores…admitidas,por outra banda… juro-te que se me pilhas de boas o mínimo é um ostióm,listo e culto agressor…más que ganho eu com isso? aparte de entrar no teu jogho violento,e sentir-me uma merda depois?..que ja me passou..e malheira por ser máis débil tamém..)Ou é que temos de esperar ás palizas ou ó assasinato para que depois nos digham pobrinhas,nom se defedenram e mira.. COM O FÁCIL QUE SERÍA DESCULPAR-TE SEM MÁIS E PENSAR…
Por outra banda,NOM SERÁ QUE TOOODAS NOS RECONHECEMOS UM BOCADO NA FIGHURA DO AGRESSOR POIS NINGHÉM NOS LIBRAMOS,SENHORXS!! E DÁ UM BOCADO DE CANGHELO RECONHECER OS PRÓPIOS ERROS E MUDAR..EU TAMBÉM FUI AGRESSORA E ASUMÍ AS CONSECUENCIAS E ADMITÍ MEU ERRO SEM MÁIS E CRESCÍ COMO PESSOA…E SIGHO-ME EQUIVOCANDO E SIGHO RE-FAZENDO-ME DIA A DIA…CUSTA,CLARO QUE CUSTA..O EGO EXACERBADO,O SENTIDO DO HONOR PÚBLICO,POIS ESTÁ CLARO QUE O RESTO CHE IMPORTA TRES CARAJOS É O NOSSO MAIOR INIMIGHO…O PERSONAL É POLÍTICO…E O PRIVADO PARA NÓS JA NOM EXISTE
NÓS NOM FUMOS AS QUE ACUDIMOS Ó PAPAI ESTADO ESPANHOL EM PROCURA DE PROTEÇCOM…NÓS,ELA VALENTE!,ATUAMOS PEDINDO-T EXPLICAÇOMS PRIMEIRO A TI E LOGHO ÁS NOSSAS(ÁS QUE SUPOSTAMENTE DE ESQUERDAS E ANARCAS SE AUTODEFINEM TAMÉM COMA FEMINISTAS)E NOM LHE TIRES A AUTONOMÍA A QUEM SI RESPOSTOU,SERÁ POR ALGHO,NOM CHANTAJEAMOS NIMGHEM,O DEBATE ESTÁ ABERTO,HÁ TRIBUS NO MUNDO ONDE TUDO SE RESOLVE EM RONDA,ENTRE AS PRÓPIAS INTEGRANTES…NOM VÁO A CHIVAR-SE Ó PRÓPIO NÚCLEO DO IMPERIO,O PAPAI,Ó DIRETOR…PARA QUE NOS CASTIGUE POR DEFENDER-NOS…QUE CLASE DE REVOLUÇOM É A QUE NOM TEM CONTA DOS COIDADOS ENTRE NÓS?…BOENO,TU PARA MIM JA NOM ES DOS NOSSOS CHAVAL FEO E SIM,TES DOTES LITERÁRIAS!..ESCREVE,ESCREVE…BEIJOADA LILÁ DE VULPE CADELA CANICUS OU O QUE CHE PETE!

----- COMMENT: AUTHOR: Aine [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 16:09:54 +0000 URL:

EN SERIO ALGUÉN PENSA QUE A DENUNCIA SE FIXO POR CONVIDAR A BAILAR A UNHA MOZA? ASÍ DE SIMPLE? CONVIDAR A BAILAR NON É UNHA AGRESIÓN, MÁIS O SUSO NON FIXO TAL. ABRAMOS AS MENTES. CREDES QUE AS PERSOAS QUE PUBLICAN OS SEUS NOMES SON TAN PARVAS COMO PARA METERSE EN ALGO ASÍ NO CASO DE QUE O ACONTECIDO FORA COMO PARECE QUE VOS EMPEÑADES EN CRER? ESTAMOS A TOLEAR OU QUE? PENSEMOS MÁIS BEN EN POR QUE SEGUEN A PASARSE POR ALTO AS AGRESIÓNS MACHISTAS DENTRO DA ESQUERDA POR MEDO A ADMITIR DE QUE ESTAMOS FEITOS/AS. INSULTAR A UNHA MULLER AGREDIDA E A OUTRAS QUE A APOIARON ALZANDO A VOZ E ATREVÉNDOSE A DAR UN PASO SABENDO O DURO QUE ÍA SER, CARECE DE SENTIDO. ABRAMOS ESPAZOS. DEBATAMOS. PENSEMOS. MUDEMOS. TRISTEZA LER TANTA PATOCHADA, PERO SABER QUE ESAS MULLERES FORTES EXISTEN DAME ESPERANZA.

----- COMMENT: AUTHOR: Andre [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 15:55:09 +0000 URL:

Se por cada vez que unha persoa sacase a bailar sen acordo previo a outra no contexto dunha noite compostelán saíse un manifesto e unha condea pública no noso idioma a presenza do galego na rede tería unha significación e unha presenza case equivalente á que ten o castelán. Denunciade!! A xente en vez de atesourar con fachenda contactos de facebook presumiría de denuncias publicas, que iso si que ten chicha e viste curriculos.
O Galego precisa de nós!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 17:14:44 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Nom sei de que caste ameaças falas, Maria. Poderias explicar-te melhor? Obrigado.

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 10:55:10 +0000 URL:

está claro que cada quem tem o seu parescer, e cada quem conta como lhe foi na feira; mas se fosse eu o “agressor dançom” em troques do suso, tamém me revoltaria como um tolo ao lêr tal ato de fé inquisitorial por convidar umha moça a bailar mesmo até faria coisas das que depois poida que me teria arrependido. Mas isto fede a caça de brujas (ou brujos mais bem).

Eu som moi partidário de tratar o tema dos abusos nos movimentos sociais; mas mal começamos se esta campanha orquestrada pretende ser o ponto de início desse debate entre todas e todos. Igual as desculpas tinham que vir da outra banda.

Ah! e eu nom fum esse dia á feira.

Edu

----- COMMENT: AUTHOR: María [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 10:45:02 +0000 URL:

Cóntao todo. Se te desculparas e non amenazaras (de m¡forma privada) outro galo cantaría.

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 09:40:55 +0000 URL: https://abordaxe.wordpress.com/2015/07/23/cando-abusamos-do-abuso-machista/

Se bem nom concordo, como bem sabes, Suso, com a tua decissom de apresentar denúncia nos julgados, acho que ambos comunicados denigram a luta feminista; é mais ao considerar os feitos como umha agressom machista estám a minusvalorar o conceito de agressom e de ai que agora a merda lhes venha de volta. bks e ánimos!! Amanhá podo ser eu quem me convirte num agressor por ponher olhinhos a qualquer moça (ou moço)!! Estám a censurar o mais natural achegamento intersexual, quê será o seguinte??

ánimos meu!!

Vos convido a lêr este texto.

https://abordaxe.wordpress.com/2015/07/23/cando-abusamos-do-abuso-machista/

----- COMMENT: AUTHOR: Maria Castelo [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 22:59:31 +0000 URL:

Fraco favor fai esta malta ao feminismo, e muito menos às mulheres. Fraco favor fazemos quando pedimos exceções juridicas tão graves como banir a presunção de inocência, a carga da prova, o dereito a se defender e a ter duas verssões dos factos. Fraco favor faz em geral, este feminismo que nos converte a todas em vitimas por decreto, que não acredita quando dizes nunca te teres sentido violentada nem agredida, quando pretende que a mulher vire num ser indefenso que necessita da tutela judicial, politica e policial para tudo. Fraco favor faz a ninguém o maniqueismo do linchamento público, o pretender criar bandos em que escudar um revanchismo privado, inventando um delito onde não há e exacerbando uma questão trivial até pôr a média sociedade no molho, confundindo uma atitude que a interessada pode entender como mais ou menos educada com uma agressão. Com estas atitudes perdemos todas.
Até onde os meus conhecimentos juridicos alcançam, ser um “baboso", um basto, um maleducado, um incordio, no reino da Espanha, ainda não é delito, nem pode se aplicar, por analogia, a um comportamento violento, agressor nem muito menos machista.

----- COMMENT: AUTHOR: G. [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 22:17:48 +0000 URL:

Mais por deformação profissional do que por outra cousa, aborreço o que se chama «presunção de veracidade». Teoricamente, só é aplicável a determinados funcionários públicos, designadamente os «cuerpos y fuerzas de seguridad del Estado».

Mas parece que há quem pretende exercer para si o dito privilégio, que parece mais próprio de determinado tipo de regimes, especialmente esses que chefia(va)m tipos com bigodes simpáticos que odeia(va)m que a gente pense por si própria. «Mas como ousas pensar? Não che estou a dizer que é ‘assim’ e não ‘assado’?».

Pensemos, (alvíssaras!), pensemos.

Leiamos entre linhas.

Pensemos, pensemos.

Façamos as seis perguntas básicas do jornalismo.

Pensemos, pensemos.

Procuremos o contexto. Percebamos o contexto.

Pensemos, pensemos.

Pensemos se estamos diante de um todo com sentido próprio ou se falta algo. Se falta algo, procuremo-lo.

Pensemos, pensemos.

Pensemos, CONA/CARALHO/REI, pensemos!!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Silvia Ribas Ribas [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 21:13:54 +0000 URL:

Incribel e resulta que despois vas denunciar umha agressom certa e olham para uma como se fosse uma cannis lupus……. beijos e anmo

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Suso, quanto trabalho che deu fazer este disfarce?" BASENAME: suso-quanto-trabalho-che-deu-fazer-este-disfarce DATE: Wed, 25 Feb 2015 10:01:35 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Passado o Entruido publico aqui, como nom podia ser doutro jeito, o esmendrelhante vídeo que o amigo Miguel R. Penas me enviou no passado dia 13 do mês corrente, sexta-feira, polo Telegram.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Caricaturas de Estraviz & Montero Santalha BASENAME: caricaturas-estraviz-aamp-montero-santalha DATE: Thu, 23 Jan 2014 13:10:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
Caricaturas de Estraviz e Montero Santalha), os caricaturados com as caricaturas
e o caricaturista com os caricaturados.

No sábado 11 de novembro de 2011 a Associaçom Galega da Língua (AGAL) celebrava no Museu do Povo Galego, em Santiago de Compostela, o seu XXX aniversário.

Naquele mesmo dia, à hora do almoço, a AGAL homenageiava no Dezasseis os seus sócios e membros da Academia Galega da Língua Portuguesa (AGLP) Isaac Alonso Estraviz e José-Martinho Montero Santalha. Segundo se pode ler no Portal Galego da Língua (PGL), na crônica da jornada:

Homenagem a dous vultos do reintegracionismo

Já fora das instalações do Museu do Povo, num conhecido restaurante compostelano tivo lugar o jantar-homenagem a dous protagonistas da história do reintegracionismo, membros da Comissom Lingüística da AGAL e académicos da AGLP: José-Martinho Montero Santalha e Isaac Alonso Estraviz. Após o convívio, na hora do café fôrom presenteados com duas caricaturas, elaboradas polo também sócio da AGAL Suso Sanmartin, e a seguir realizárom uns breves discursos aos companheiros e companheiras que os arroupavam, os quais correspondêrom com estrondosas ovações.

[AGAL celebrou 30º aniversário clamando que «a nossa língua é mundial», PGL, 07/11/2011]

Com efeito, do Conselho da AGAL recebim a encomenda de desenhar umha caricatura de cada um dos homenageados para serem-lhes entregues, como oferta da associaçom, no decurso do ato de homenagem.

Apesar de levar bastante tempo sem desenhar caricatura nengumha acho que as duas ficaram bastante bem e desfrutei bastante desenhando-as. Espero que os caricaturados também gostaram.

À esquerda, José-Martinho Montero Santalha, à direita, Isaac Alonso Estraviz


De esquerda a direita: o Estraviz, o 'susodito', o Montero Santalha, o 'Foz' e, ao fundo,
o Valentim R. Fagim, no Dezasseis. Foto: Xavier Rodríguez Somoza.


----- COMMENT: AUTHOR: Adela Figueroa [Visitante] DATE: Wed, 19 Feb 2014 11:49:25 +0000 URL:

Gosto imenso das duas caricaturas. Porqu também gosto imenso das duas pessoas. Parabéns.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Suso sólo piensa en dormir" BASENAME: suso-solo-piensa-en-dormir DATE: Thu, 23 Jan 2014 10:43:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Há dez dias atrás (segunda-feira, 13 de janeiro de 2014), surpreendeu-me ouvir o meu nome, aliás, o meu hipocorístico, fazendo parte da letra dumha cançom que soava no rádio.

Era a primeira cançom a soar no programa de Rádio 3 Capitán Demo, naquele dia integralmente dedicado à música Made in Asturias.

Segundo ao final da cançom explica a apresentadora Paula Quintana, a cançom, intitulada Suso pertence a um grupo asturiano chamado Lavandera (até que o vim escrito no blogue do programa nom sabia se era La Bandera ou Lavandera) e resultou-me engraçada por vários motivos:

1º) Por intitular-se assim, Suso.

2º) Por tocar um tema mui querido para mim: a sesta (ainda que para mim segundas-feiras nom som boas precisamente porque nom podo fazê-la).

3º) Porque todos os dias (exceto segundas-feiras), igual ao protagonista da cançom, chego à casa às três e tal e, depois de comer, durmo a sesta até quase as seis (hora de ir a inglês).

4º) Porque, curiosamente, eu tenho umha peça intitulada A Bandeira Lavandeira da que já tenho falado aqui neste blogue.

Eis a letra, quasi completa, da susodita cançom:

SUSO
Lavandera

Una fría mañana
... ... ... ...
Suso se ha levantado
Sin ganas de discutir
Se ha lavado los dientes
Se ha vestido de gris
Ha cogido sus cosas
Y no ha tardado en salir

El autobús no ha llegado
Con puntualidad
Pero eso no es algo
Que le pueda alterar
... informes de ventas
... ... ... ...
Suso ha sido eficiente
Como ya es habitual

Suso sólo quiere dormir
No le importa nada
De lo que hay aquí
Si hay tormenta en Alaska
Si hay ... en Pekín
Suso sólo quiere dormir

HA LLEGADO A SU CASA
BIEN PASADAS LAS TRES
Y HA DORMIDO LA SIESTA
HASTA CASI LAS SEIS
Ha soñado que estaba
en el fondo del mar
... ... de las olas
Le ha hecho despertar

Los tebeos pendientes
Un mensaje de ayer
Una lista de cosas
Que hoy tampoco va a hacer
... un buen rato
Una peli después
Una ... ... silencio
Ya en la cama a las diez

Suso sólo quiere dormir
No le importa nada
de lo que hay aqui
Si hay revuelta en El Cairo
... ... ... ...

Suso sólo quiere dormir
Suso sólo quiere dormir
No le importa lo que hay aquí
... ... ... ...

----- COMMENT: AUTHOR: Paulo O´Brien [Visitante] DATE: Thu, 23 Jan 2014 13:15:57 +0000 URL:

Muito bom!; ainda bem que nom sou eu sozinho a gostar do sono -e das cousas que me traz, porque na verdade eu assisto verdadeiros filmes quando durmo, amiúde tenhem a ver com água, com piscinas, praias, lagos…; por vezes trazem-me ainda avós e avôs a falarem-me com naturalidade, quando já levam um monte de anos abaixo da terra-.

A sesta é boa, mas ainda: ontem meti-me abaixo das sabas por volta das sete do serao; acordei brevemente às dez; volvim dormir… Uma maravilha!!!… E isso tudo enquanto fora da cama, do quarto, da moradia, chovía a chuva toda do mundo.

Nalgo sim concordo: segundas, terças e sextas eu também tenho “obrigas” com o conhecimento das línguas: no meu caso é esse francês que levo douscentos anos a estudar e nunca darei arranjado…!

Hmmm… raio do francês, o bonito que é e nunca vou sonhar nele…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "La Tienda de Suso" (Ponte-Vedra) BASENAME: la-tienda-de-suso-ponte-vedra DATE: Fri, 24 Aug 2012 14:40:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
"La Tienda de Suso, Iluminaçom e Som", R. Rosalia de Castro, Nº 37, rés-do-chão, Ponte-Vedra.

Fotografia feita para mim, pensando em mim, polo meu cunhado Félix (passou-ma por Bluetooth há três semanas atrás, no passado 3 de agosto). Muitíssimo obrigado, cuñaaaao!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Jose Manoel [Visitante] DATE: Mon, 22 Apr 2013 21:06:17 +0000 URL:

Canta falta de vara…. Estades cheus e folghados
Eu gosto de mamar dos peitos da cabritinha

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 20 Sep 2012 11:35:39 +0000 URL:

Muito! Um por ’susodito’ estabelecimento comercial! ;-P

Mira que tenho negócios de tocaios meus na minha coleçom… Mas isto semelha que nom vai acabar mais! :-D

----- COMMENT: AUTHOR: Eu [Visitante] DATE: Fri, 24 Aug 2012 17:05:51 +0000 URL:

Quanto ego nom?

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 25 de Abril, ZECA!!! BASENAME: 25-de-abril-zeca DATE: Tue, 08 May 2012 10:28:31 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

No passado 24 de março recebim o amável convite do Xoán Quintáns (Caramuxo, Camisolas da Galiza) para colaborar no jornal que a organizaçom de Terra da Fraternidade (Galiza a Zeca Afonso) tirou para contribuir para financiar o evento.

Dai a dezassete dias, no passado 10 de abril, figem a mão o desenho que hoje vos apresento, digitalizei-no (fazendo-lhe umha foto com a câmara do meu telefone) e enviei-lho ao Quintáns (através do Facebook Messenger também através do Sanmart-Phone, muito vos mudou o conto desde que comecei a fazer este tipo de colaborações!)

E por fim trasantontem, sábado 5 de maio, na Feira da Primavera da Rua de Sam Pedro (Compostela), pudem vê-lo impresso numha das páginas do devandito jornal.

A minha ilustraçom pode ser vista (ou nom) como umha caricatura do Zeca. Mas, em qualquer caso, nom como um retrato caricatural senom, mais bem, como o que Castelao chamava de "caricatura arbitrária":

"Non sempre a caricatura é unha abreviatura do dibuxo ou unha síntesis do impresionismo da liña, obedecendo a leises determinadas. Muitísimas veces o caricaturista chea de inspiración, deixa a unha beira a folica dos métodos e das reglas, e, fora de toda realidade, deseña arbitrariamente i-empíricamente, pero con acerto, todol-o que se propón. Hay caricaturistas arbitrários dinos de todal-as loubanzas. Bagaría, por exemplo, é arbitrario anque moitas veces a sua preguiza faino caer no autoplaxio."

[A. R. Castelao, Humorismo, Dibuxo Humoristico, Caricatura. Conferência, Publicaciós da Real Academia Gallega, março 1920, pág. 29]

Na minha "caricatura arbitrária e simbólica" (e um bocado irreverente também, se se quer) do Zeca, um "2" desenha o nariz e a sobrancelha direita, um "5" a zona supra-labial e a boca ("un seis y un cuatro, la cara de tu retrato").

Por sua parte, o "A" de "Abril" saindo da sua boca pode representar a palavra do poeta e cantor ou mesmo um alto-falante (o que nos remitiria aos Homens da Luta, um dos quais, o Falâncio, é ele mesmo umha caricatura do próprio Zeca).

E, por último, umha guitarra (ou violão) de inspiraçom cubista fai as vezes dos sempiternos óculos do José Afonso (a boca e o cavalete do instrumento seriam os olhos do Zeca).

25 DE ABRIL (25A), ZECA!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Rajoy es guay" BASENAME: rajoy-es-guay DATE: Mon, 21 Nov 2011 12:00:40 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Novas da Galiza TAGS: ----- BODY:
"Rajoy es guay". NGZ Nº 108 (15-NOV/15-DEZ-2011), pág. 2.

No passado 26 de outubro recebim um e-mail do amigo Carlos Barros, diretor do periódico galego de informaçom crítica Novas da Galiza, dizendo:

Boas, Suso,

Escrevo só para lembrar-che o da tua colaboraçom com a que contamos para o número de novembro. A reportagem central tratará sobre as eleiçons espanholas mas, como sempre, tés via livre na temática a tratar.

Abraços,

Carlos

Perguntei ao Carlos qual seria a data limite para o envio da minha colaboraçom ao que ele me respondeu que "chegando antes do dia 10 seria óptimo".

No dia dez do mês corrente, último dia para fazê-lo segundo o prazo dado, realizei e enviei para o Carlos Barros a minha colaboraçom (a ideia, para variar bastante fresca, tinha-me ocorrido apenas três dias antes, justo antes do face to face entre Rubalcaba e Rajoy). Para realizá-la imprimim em preto e branco esta imagem e retoquei-na (a mão e a máquina, Bic Cristal e Photoshop) depois.

Seis dias depois, na quarta-feira 16 de novembro, recebim na minha morada o número 108 do Novas, que na sua segunda página incluia a minha colaboraçom.

E hoje, segunda-feira 21 de novembro, o dia depois de mais um fatídico 20-N, procedo aqui a sua publicaçom.

Rajoy es sentido común; es cambio; es futuro; es España; es diálogo; es bueno; es fuerte; es concordia; es consenso; es claridad; es gestión; es capaz; es ilusión; es fiable; es sincero; es coherente; es necesario...

Rajoy es guay! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 23 Nov 2011 11:14:56 +0000 URL:

Pode que seja masoquista mas Catalunha (e isso ficou claro, mais umha vez, nas eleições do passado domingo) nom é España ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: manuel [Membro] DATE: Wed, 23 Nov 2011 10:14:54 +0000 URL: https://www.facebook.com/groups/1650288525232212/?ref=ts&fref=ts

Espanha é masoquista. Principalmente a Catalunha.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: A que cheira Espanha? BASENAME: a-que-cheira-espanha DATE: Mon, 13 Jun 2011 11:39:14 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"VEHÍ[CULO] LONGO" [0'35'']

A pequena peça de vídeo-criaçom que apresentamos hoje parte dumha ideia que, segundo consta na minha caderneta, me ocorreu no domingo 11 de abril do ano passado quando regressava, de carro, da Ilha de Arouça, trazendo comigo o meu amigo José Ramom Pichel.

Mas nom seria até um ano depois quando, no passado 23 de abril, sábado, nalgum lugar indefinido da estrada entre o Porto e Avintes (Portugal), gravei o vídeo que precisava para a sua realizaçom.

Esse vídeo editei-no, por fim, na passada sexta-feira, 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, terminando às oito em ponto da tarde (hora espanhola).

Obrigado ao meu tocaio Suso Irago e a sua filha Catuxa por dar-me a conhecer a bonita cançom que serve de banda/trilha sonora original a esta minha pecinha e por porem-ma indefetivelmente sempre que vou polo Avante.

Ainda que suponho que nom o farám por mim (por mim, de fato, dispensavam de pôr música espanhola &#59;) ), se nom tivesse sido por eles e pola sua maçadora insistência no tema (España huele a culo, Fat Fish), provavelmente nunca me teria ocorrido esta ridi-culista piada.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 10-A em Barcelona BASENAME: 10-a-em-barcelona DATE: Fri, 10 Jun 2011 09:02:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Observador Internacional CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No passado 10 de abril, há hoje exatamente dous meses, celebrou-se em Barcelona (e em mais vinte municípios catalans) a quinta e derradeira onada de consultas sobre a independência de Catalunha.

Igual que já figera com motivo das onades primeira (13-DEZ-2009) e terceira (25-ABR-2010), voltei a viajar a Catalunha com ocasiom desta quinta e derradeira onada (só nom estivem, portanto, na primeira consulta sobre a independência, celebrada no 13 de setembro de 2009 em Arenys de Munt, e nas onades segunda (28-FEV-2010) e quarta (20-JUN-2010); nada mal, nom é?)

Figem-no, igual que nas duas anteriores ocasiões, convidado polos meus amigos (amigos e residentes em Barcelona, como diriam no 1, 2, 3) Martí, Jordi e Joan-Marc. Mas, a diferença das duas ocasiões anteriores, nom viajei sozinho a Catalunha desta volta. Figem-no na companhia do meu ?grande? amigo e parceiro Miguel Penas.

Tampouco fum ?sem papéis? desta vez. O Miguel e mais eu fomos acreditados pola organizaçom (Barcelona Decideix) como Observadores Internacionais (OI) em representaçom da AGAL, a Associaçom Galega da Língua de que o Miguel é vice-presidente e eu vogal. Que nível!

Dous meses depois da que, por enquanto, é a minha última viagem aos Països Catalans (aonde, se tudo correr, voltarei neste Verão para participar, de 24 de julho a 7 de agosto, no X Campus Universitari de la Llengua Catalana Mallorca-Andorra), e como já figera com as do 13-D em Solsona e as do Sant Jordi em Barcelona e 25-A em Girona e Manresa, publico neste meio abandonadinho blogue pessoal as minhas fotos do fim-de-semana do 10-A em Barcelona.

Sábado, 9 de abril

Nesta ocasiom foi ao amigo Martí a quem tocou fazer de ?taxista?. O Martí veu de carro procurar-nos ao Aeroport de Barcelona - el Prat e levou-nos ao seu apartamento no Poble Nou, onde o Miguel e mais eu ficaríamos, sábado e domingo, a dormir.

O Martí deu-nos umhas cópias das chaves do seu apartamento e foi-se embora atender os seu quefazeres, marcando connosco às 16h30 na 'Plaça del Mal Nom' (local e horas onde previamente tinha combinado com o Jordi e o Joan-Marc) para irmos todos juntos ver o jogo de ráguebi (quartos de final da Taça da Europa) entre o RCT (de Toló/Tolon/Toulon, Occitânia) e a USAP (de Perpinyà/Perpignan, Catalunya Nord) no Estadi Olímpic Lluís Companys (tremenda surpresa, companheiros!).

Nom me resultou nada fácil mas afinal conseguim convencer o Miguel para irmos dar um mergulho rápido à vizinha Platja de la Nova Mar Bella antes de almoçar (existem fotos desse refrescante momento mas o Miguel nom autoriza a sua publicaçom).

Após o almoço na ?Pizzaria Divina Stefy? (só nom almoçamos no ?Bar Espanya?, bar de galego, porque acabaram a ?Estrella Galicia? e o pão) reencontramos o Martí (e encontramos o Jordi, o Joan-Marc e amigas/os de uns e outro) como combinado. Na foto da esquerda, um casal amigo do Martí, o Miguel, o 'susodito', o Jordi, o Martí, o Ferran e o Joan-Marc no ?punt de trobada? (ao pé dumha das duas torres da 'Plaça del Mal Nom', a da direita a olhar para Montjuic). Na foto da direita, o Miguel, o Jordi, o Joan-Marc e mais eu, com estelada e estreleira, diante das míticas Quatre Columnes.

Na foto de baixo (e de esquerda a direita): o Miguel Penas, o Jordi Avià, o Ferran Alsius, o 'susodito' e mais o Joan-Marc Passada, a torcida galaico-catalana da Unió Esportiva Arlequins de Perpinyà (USAP).




À noite o Miguel, o Jordi o Joan-Marc e mais eu fomos ao Anduriña, bar regentado por um sofrido celtista no Carrer Fruita (e oficiosamente conhecido como El Lloro, pássaro bem diferente do que oficialmente dá nome ao bar), ver o Barça-Almeria (3-1). Repare-se na eclética decoraçom do bar: gaita galega, chapéu mexicano... autocolante ?Mocidade galega à Galiza? (Sim, hó! À esquerda da foto! À direita da orelha direita do amigo Joan-Marc!).

Depois, ceia em La Vinateria del Call (Sant Domènec del Call, 9, Barri Gòtic): ?truita camperola?, ?truita de patates?, ?secallona?, ?bull blanc?, ?montsec sendrat (fromatge)?, ?escalibada?, ?tonyina amb alegries?, ?pa amb tomàquet?, tudo regado com Bru de Verdú 2008. Do Gòtic os quatro subimos à Vila de Gràcia (VdG) e, topándomos a persiana de La Torna já entornada, fomos tomar a saideira a La Terreta (Taverna Valenciana).

Domingo, 10 de abril

Vestido como um Blues Brother por exigências do guiom (um guiom escrito e dirigido polos tolos dos meus amigos Jordi & Joan-Marc) tomei com o Miguel o pequeno-almoço na esplanada da Cervecería Cafetería ROUSES (Poble Nou). Enquanto nom aparecia por alí a dupla dinâmica, figem no próprio bairro as minhas primeiras "observações internacionais" (?Tant sí com no, VOTA?).



E por fim se produziu o esperado encontro dos dous Blues Brothers (Jordi & Joan-Marc a.k.a. Els Catlànders a.k.a. Fills del Dr. Cat) com o seu Blues Cousin (eu próprio). Na fotografia da direita, atrás de nós os três, o Catmóvel (portando no porta-bagagem o Catigat). O que eu seguro nas minhas mãos é um cartaz publicitário do Museu del Rock, com umha imagem igual à que eu próprio tinha fotografado na véspera (impressa sobre o Bus Turístic) nas imediações do Estadi Olimpic Lluís Companys (foto da esquerda).



Do Poble Nou à Plaça de Catalunya no Catmóvel com o Miguel, o Jordi e o Joan-Marc, parando em cada col.legi electoral que encontrávamos no caminho para oferecerem exemplares do Referènding! autografados polo mesmíssimo Dr. Cat. O Miguel e mais eu chegávamos atrassadíssimos à nossa marcaçom com a Anna Arqué, de Barcelona Decideix, mas, o que se lhe vai fazer, se estás numha missom felina é o há &#59;)

Quando o Miguel e mais eu subimos à sede da Fundació Catalunya Estat (Plaça de Catalunya 9, 4rt pis) a Anna Arqué já nom estava alí. Nem ela nem as/os observadoras/es internacionais ao seu cargo. Digeram-nos que mirássemos no vizinho Restaurante Trobador (Rambla Catalunya, 2-4) e alí foi onde encontramos o Joan Vives e à Núria Maynou, da organizaçom. Mas nom à poliglota Anna Arqué, que estava a atender um meio alemão. Quando a nossa mulher por fim apareceu (também fala português!), deu-nos ao Miguel e a mim as nossas anseiadas acreditações enquanto Observadores Internacionais (OI).

Dalí fomos (o Miguel de táxi com o Joan, a Núria e a Anna e eu de Catmóvel com o Jordi e o Joan-Marc) à Sagrada Família, onde havíamos encontrar-nos com o resto de observadoras/es internacionais.

Visita guiada à Sagrada Família, gentileza de Sagrada Família Decideix, em agradecimento polo nosso ?esforço? aos observadores internacionais (?Sense el teu esforç no hagués estat possible, gràcies! Catalunya s'ho mereix?). E tanto!

Por serem nacionais catalães o Jordi e o Joan-Marc nom foram convidados a entrarem ao templo connosco. À saída estavam ?atrás das grades? (Jailhouse Rock) à nossa espera para distribuirem de graça exemplares dos livros do Dr. Cat (Descoloniza't, S'ha acabat el bròquil! e Referènding!) entre as/os observadoras/es internacionais. Para que logo digam dos catalães!

Após a visita turística à Sagrada Família a organizaçom convidava as/os observadoras/es internacionais a almoçarmos no Restaurant Típic La Bóta del Racò (Av. Mare de Déu de Monserrat, 232). O Miguel e mais eu fomos até alí de táxi com o Joaquim Batista, da organizaçom. O taxista, que ainda era um rapaz novo, era galego, de Verim.

Em La Bóta del Racò (em galego, ?O Barril do Rincom? ou ?A Pipa do Recanto?) ?nos pusimos las botas?, em román paladino: ?pá amb tomàquet?, ?pernil?, ?escalibada? (a meias com o Miguel), ?peus de porc amb cargols? (pedim eu)... Após a sobremesa e o café, cada um interpretou respeitosamente o seu respetivo Hino Nacional (Catalunha, Flandres, Tirol... Galiza).

Após o opíparo almoço em La Bóta del Racò o Miguel e mais eu fomos com o Joaquim Batista de táxi a Nou Barris, onde a organizaçom tinha preparado para nós, observadoras/es internacionais, um magnífico espetáculo de Castells (para mim, que nunca o tinha visto ao vivo, foi a primeira vez).

Para encerrar o seu espetáculo a colla castellera desfraldou umha senyera desde o alto do último dos castells que carregaram e, com tam catalaníssimo pano de fundo, as/os observadoras/es internacionais figemo-nos umha foto de família com a Anna Arqué (de cujo Twitter retiramos a foto, a de baixo).

De esquerda a direita: Um par de observadores internacionais da Dinamarca, um terceiro observador internacional ainda nom identificado, Joan Vives, Miguel Penas, Anna Arqué, o 'susodito', Joaquim Batista, umha observadora internacional flamenga e o seu acompanhante.

Com tam apertado programa de atos (sobretudo para mim, que tinha de conciliar a minha condiçom de Blues Brother Cousin com a de Observador Internacional) tudo foi com bastante atrasso e nom deu tempo mais do que para ?observar? 3-4 mesas eleitorais no mesmo bairro (Nou Barris) quando já estavam prestes a fechar (e/ou fechando). O Miguel (que de manhã, antes da visita à Sagrada Família, já tivera ocasiom de ?observar? algumha mesa) fijo-se a foto (figem-lha eu) e fijo umha ?escapada? à sede de VilaWeb (que eu ja conhecia, conhecera-a precisamente no 13-D, mas ele nom e tinha mesmo muita vontade de conhecer).

Após o encerramento dos colégios, de Nou Barris (com o Joaquim Batista, umha observadora internacional flamenga e o seu acompanhante) fum de táxi à Sede Central Operativa da Consulta, edifício histórico sito no número 10 da Rambla de Santa Mònica e cedido pola UGT, onde me reencontrei com o Miguel, o Joan-Marc e o Jordi e ouvim as comparecências de Alfred Bosch (porta-voz de Barcelona Decideix), Oriol Pujol (presidente do grupo parlamentar de CiU no Parlament de Catalunya), Jordi Portabella (candidato à autarquia de Barcelona pola Unitat per Barcelona-ERC), Uriel Bertran (secretário geral de Solidaritat Catalana per la Independència)...

No corredor cruzei-me com o Joan Laporta (Democracia Catalana) mas, apesar do meu fluente catalão, nom lhe dirigim a palavra nem lhe pedim para fazer-me umha foto com ele porque: 1º) Nom ia de fato (ele, eu sim) e 2º) Após o seu surpreendente abandono de Solidaritat Catalana per la Independència (SI) e do correspondente grupo parlamentar eu, que tinha saudado a sua fulgurante irrupçom na política catalana e me declarava seu fã, já nom sabia muito bem o que pensar...

Com quem também me cruzei (neste caso na rua, na Rambla, à porta da sede de UGT / Barcelona Decideix) foi com o grande Xosé Manoel Beiras, quando ia com o Joan-Marc e um faminto Jordi um momento ao bar do lado para que este pudesse pedir qualquer cousa que petiscar. Com O'Beiras sim que parei um instante a falar. Aqui estou, com ?Os Dous de Sempre?, digem-lhe em referência aos meus amigos catalães (o Jordi, o Joan-Marc e mais eu já nos tínhamos encontrado, por acaso, com O'Beiras em Girona no 25-A). Daquele encontro há testemunho gráfico. Deste nom. Tampouco era ?plan?.

Após a proclamaçom dos resultados, as/os observadoras/es internacionais fomos chamados ao palco. Na imagem (umha captura do vídeo AVUI+ Consulta sobre la independència a Barcelona) pode ver-se-nos, aliás, intuir-se-nos ao Miguel e a mim, meio ocultos atrás da senyera, junto com o resto das/dos observadoras/es internacionais (entre elas/eles o grande Xosé Manoel Beiras).

Atendendo a sugestom dum emocionadíssimo Alfred Bosch (porta-voz de Barcelona Decideix) o Miguel e mais eu descemos à rua para celebrarmos com o pessoal nom acreditado (e que, portanto e a diferença nossa, nom podia entrar) o sucesso de participaçom que tinha suposto a convocatória da consulta sobre a independência na capital nacional. O Joan-Marc (que tinha ido acompanhar o Jordi à casa) apareceu com as bandeiras galegas (que tínhamos deixado na mala do Catmóvel) justo a tempo de fotografar-nos e sermos fotografados em plena folia. As três primeiras fotos fijo-as o próprio Joan-Marc. A quarta saiu no AVUI+ (ediçom digital).


Bandeiras galegas na Rambla [00:07-10:00]; Miguel & eu, acima do cenário, com o resto de observadores/as internacionais [02:55-03:10] e bandeiras galegas na Rambla outra vez [04:16-04:24, FIM].



Segunda-feira, 11 de abril

Capa do AVUI+ da segunda-feira 11 de abril (esquerda). Ainda que mui em pequeninho e sem bandeiras, o Miguel e mais eu saimos na foto (?Ambient d'eufòria, ahir a la nit, a la Rambla de Barcelona?, Robert Ramos). O Miguel e mais eu, recém-chegados ao Aeroporto da Lavacolha, mostrando orgulhosos à câmara uns crachás iguais aos que aparecem na infografia da capa do AVUI+, com a satisfaçom do objectiu complert (direita).

----- COMMENT: AUTHOR: Paulo O´Brien [Visitante] DATE: Thu, 23 Jan 2014 13:26:40 +0000 URL:

A estreleira catalá encarnada sempre foi a minha favorita, acima da branca de fundo azul.

É mais inequívoca: Fala em independência, mas também em qual independência acredita…

Por estética, por história (por volta de oitenta e noventa acho ser ela a mais utilizada, polo daquela nom tam maioritário independentismo) e polo que a estrela encarnada de cinco pontas representa em qualquer parte do mundo… Fico mais à sua roda.

Mas a outra tem também sua história, é claro ;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 10 Jun 2011 12:26:00 +0000 URL:

Miguel: Acho que na mesma praia, no momento mesmo de fazermo-nos as fotos, vetaches (entre gargalhadas) a possibilidade da sua publicaçom ;) Obrigado polos parabéns, caro! Na verdade dediquei a esta reportagem mais tempo do que devia tendo em conta tudo o que tenho que fazer mas, sim, foi emocionante para mim também rememorar esse breve mas intenso espaço de tempo compartilhado contigo e com os nossos amigos catalães :)

Camarada 64: A “catalanofobia” existente no Estado espanhol (na Galiza também, infelizmente) é totalmente injusta e carente de justificaçom. Como “catalanófilo” que sou, ofendem-me como se fossem dirigidas a mim próprio as ofensas a Catalunha e aos catalães que, às vezes, tenho de ouvir. Como a cousa por estes pagos continue a pôr-se assim de feia nom descarto um dia vir nacionalizar-me catalão (e ser um “nou almogàver” desses que tu dis). Per si de cas ja estic aprenent a parlar català! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Camarada 64 [Visitante] DATE: Fri, 10 Jun 2011 10:35:33 +0000 URL: http://www.facebook.com/catlanders

No tinc paraules, irmao (cosí-Blues)! Està clar que després d’aquesta propagandística imatge del nostre país i del tracte que es diu que se’ls hi dóna als països germans en general i als “irmaos reintegratas” en particular (la foto de la de la plata de cargols a la “Bota del racó” és definitiva!!), auguro un “efecte crida” de més irmaos que emigraran cap aquí per obrir més bars de “gallegus", noves companyies de taxis i sengles marisqueries. Com si ho veiés: Serà com els anys 60, però en descolonitzat i reintegrata. Els nous almogàvers, vaja!

----- COMMENT: AUTHOR: Miguel R. Penas [Visitante] DATE: Fri, 10 Jun 2011 10:22:36 +0000 URL: http://www.miguelpenas.com

“existem fotos desse refrescante momento mas o Miguel nom autoriza a sua publicaçom”

quando dixem eu que nom se podiam publicar??? eh?? Ainda que pensando-o melhor (estou a lembrar o meu improvisado fato de banho) mui elegante nom ia : )

Parabéns pola reportagem, é mesmo emocionante re-lembrar esta jornada de observaçom internacional do mais ‘granao’ da Galiza: O’Beiras, O’Sanma e O’Penas

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Sant Jordi em BCN e 25-A em Manresa e Girona BASENAME: 25-a-em-manresa-e-girona DATE: Wed, 06 Apr 2011 12:23:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Observador Internacional CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Já vai fazer um ano que forom feitas as fotografias que publicamos hoje. Foram feitas na penúltima ocasiom em que viajei a Catalunha (a última foi há menos tempo, aproximadamente meio ano, para participar nas XXII Jornades de Llengua i Cultura Catalanes celebradas em Gironella e Masdenverge) com motivo do Sant Jordi e tercera onada de consultas populares sobre a independência de Catalunha.

Com efeito, entre a quinta-feira 22 e a segunda-feira 26 de abril do ano passado viajei a Catalunha para celebrar o Sant Jordi (23 de abril) em Barcelona e participar, em qualidade de observador internacional, sem papéis, nas consultas populares sobre a independência de Catalunha em Manresa e Girona (25 de abril).

Como observador internacional amador já tinha participado na consulta popular celebrada em 13 de dezembro de 2009 (entre muitos outros) no município de Solsona, de onde é natural o meu amigo Joan-Marc. A reportagem fotográfica dessa proveitosa expediçom foi pontualmente publicada aqui, em Angueira de Suso.

E, se tudo correr bem, no próximo fim-de-semana regressarei a Barcelona para ser testemunha direta da última e derradeira da série de consultas populares sobre a independência de Catalunha que, desde que em 13 de setembro de 2009 se celebrasse a primeira em Arenys de Munt, se venhem celebrando periodicamente em infinidade de municípios desse admirável país.

As fotografias que publico hoje levam editadas (recortadas e coladas) e subidas ao blogue desde primeiros de maio do ano passado mas nom foram publicadas antes por eu nom ter encontado em todo este tempo o momento adequado para pôr-me a redigir o post. Publico-as hoje, a três dias de voltar a voar a Barcelona, porque nom quero esperar mais, ainda que a falta de tempo me impida dar sobre elas demasiadas explicações.



Sant Jordi em BCN

aeroport2
Igual que já fizera em 12 de dezembro de 2009, em 22 de abril de 2010 o meu amigo Joan-Marc voltou a receber-me com honras de chefe de estado cozinha no aeroporto (desta volta o Jordi nom pudo vir).


paradeta sant jordi
Com o Jordi e o Joan-Marc na 'paradeta' compartilhada nas Ramblas por 'CIM Edicions' e 'Els Amics del Dr. Cat' (apresentando 'Cent anys d´estelada. Un segle d´iconografia independentista' e 'Referènding! L'art de fer i guanyar referèndums', respetivamente).


25-A em Manresa e Girona

cat on tour
À porta do estúdio-armazém do Jordi no barcelonês Carrer Pau Claris (justo em riba de 'Paraguas Carballo') e CAT On Tour com trilha sonora original do dub-poet jamaicano Linton Kwesi Johnson (aka LKJ).


ca la teresa
A tomar a parva em 'Ca la Teresa', Autovia Terrassa-Manresa, Km 35,5 (El Palà), Vacarisses.


Manresa decideix

mon groc
Polas ruas de Manresa fazendo gala dum excelente sentido do 'humor amarelo'.


manresa decideix
Num dos colégios eleitorais da capital da comarca do Bages exercendo de observadores (inter)nacionais.


referending
O 'Referènding' como umha das belas artes (marciais).


Girona decideix

xuixos
'Posao' com xuixos perante a montra da Pastisseria La Vienesa (Pujada Pont de Pedra, 1, Girona), a petiçom dos meus amigos e 'Amics del Dr. Cat'.


les voltes
Exemplar de 'Referènding!' exposto na montra da Livraria Les Voltes (Plaça del Vi, 2, Girona).


le bistrot
Martí & Joan-Marc, Jordi & eu a tomarmos o aperitivo antes do almoço no Restaurant Café Le Bistrot (Pujada Sant Domenec, 4, Girona).


escadarias girona
Abandeirados CAT-alans e galego no 'Barri Vell' de Girona.


girona decideix
Na Casa da Cultura de Girona, sede central de campanha e colégio eleitoral do 25-A (o da camisola aduaneira -Sei o que fizestes aos meus repolos- é o barcelonês Albert Salamé, fotógrafo free-lance).


beiras
Encontro, por acaso, com o grande Xosé Manoel Beiras, observador internacional (oficial) no 25-A, perto da 'Pont de Pedra' (O'Beiras recebeu dos 'Amics del Dr. Cat' um exemplar do 'Referènding' de oferta).


VINT-I-CINC D'ABRIL, SEMPRE!!! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: Gervasio Macuto Cayuco Gonzalez Martinez [Visitante] DATE: Mon, 28 Jan 2013 15:56:46 +0000 URL:

Mira que es borrachon

----- COMMENT: AUTHOR: maldito lusista [Visitante] DATE: Fri, 27 Apr 2012 17:32:14 +0000 URL:

això de tornar al món Real, vol dir escriure en gallec de normativa borbónica ( RAG )?. A mi m´ agrada més que els gallecs escriguin a larepublicana, de Portugal,está clar.

----- COMMENT: AUTHOR: Camarada 64 [Visitante] DATE: Tue, 07 Jun 2011 12:19:47 +0000 URL: http://wwww.catigat.org

Quina colla de festers, per favor! Com es nota que aquí els que pencaven eren els vasalls de la Patrícia Gabancho amb el Mr.Fontanals aka el-pencaire-morrut al capdavant. No se pué premitir, eh!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 06 Jun 2011 14:17:40 +0000 URL:

algodão100%: Va ser una barrila (=tabola) de collons, en efecte! ;)

xenteNORMAL: 1º) Por como te fas chamar, acho que te sobrestimas ;) 2º) Polo seu tom, tam desagradável, acho que o teu comentário nom devia ser respondido, mas apagado. No entanto deixarei que seja o grande, grande, grande Xosé Manoel Beiras (a quem ainda pareces respeitar algo, ainda bem) o que responda por mim:

“Segum como vaiam as cousas aqui a mim pode interessar-me ao melhor nacionalizar-me português e seguir vivendo em Briom, porquê? Ou ir-me viver à outra banda do Minho porque ALÍ ESTOU NA NORMALIDADE. Está em português os carteis, estám em português […] portanto falam-me em, em galego…”

[X.M. Beiras em “Fronteiras", documentário do Rubén Pardiñas sobre a “Galiza irredenta", emitido pola Televisom de Galiza o 25 de julho de 2007, 42:52-43:16]

----- COMMENT: AUTHOR: Xentenormal [Visitante] DATE: Wed, 25 May 2011 21:15:29 +0000 URL:

Malditos lusistas, mira que sodes parvos eh! deixade de tocar o carallo cas vosas tonterías, volvede ó mundo real e non mesturedes a Beiras con esa empanada mental vosa!

----- COMMENT: AUTHOR: algodão100% [Visitante] DATE: Tue, 12 Apr 2011 22:33:48 +0000 URL:

Buah, nenos! Isso foi umha esmorga do caralho, nom?

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Vila Suso (Conc. Guitiriz) BASENAME: vila-suso-conc-guitiriz DATE: Wed, 19 Jan 2011 19:47:25 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS LUGARES CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
Vila Suso, São Vicente dos Vilares, Guitiriz. Fotos: Nando Sanmartin.

Comentário de: teu irmão Nando [Visitante]

"Já nom é a primeira vez que o meu irmão topa por esses caminhos um susodito estabelecimento comercial ou um susodito lugar (Vila de Suso, Conc. de Oia) e o fotografa para mim"; certamente, mas acho esqueceste publicar as dum indicador com neve a VILASUSO (São Vicente dos Vilares, Guitiriz)

Que publiques o que fotografo para ti é uma "cousa que che agradeço e sempre che agradecerei imenso."

Um abraço muito amigável irmão!

14-01-2011 @ 11:46

Caro irmão:

Nom tinha esquecido essas fotos "dum indicador com neve a Vila Suso" que me tinhas passado tempo atrás, nom. Guardava-as na "neveira", como tantas outras cousas, esperando ter tempo, vontade ou melhor ocasiom.

Pois já que mo comentas, que melhor ocasiom! Publish NOW!

Para além do susodito indicador nevado, é claro, o que chama a atençom nas tuas fotos esse imponente calvário::

Patrimonio

A igrexa de San Vicenzo dos Vilares ten no seu adro un fermoso calvario de finais do século XVIII da autoría de Felipe de Sá, canteiro da veciña parroquia de San Salvador de Parga.

[http://gl.wikipedia.org/wiki/Os_Vilares,_Guitiriz#Patrimonio]

Nom tenho As Cruzes de Pedra na Galiza aqui para comprová-lo mas acho que esse, junto com o que temos em Bueu, era um dos dous únicos calvários que, com as figuras dos ladrões, existiam na Galiza no tempo em que Castelao compujo a sua monumental obra.

As fotos forom feitas na sexta-feira, 19 de março de 2010, por volta das três e meia da tarde, nom forom? (essa é, ao menos, a informaçom que vejo ao abri-las no computador).

Muitíssimo obrigado, meu irmão, mais umha vez! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: algodão100% [Visitante] DATE: Tue, 12 Apr 2011 22:36:20 +0000 URL:

Onde vai parar? O irmam muito melhor que o original! ;)
Fantásticas a-fotos! (como diria o meu irmam… de pequecho). Isso si: HDR ou nom HDR? :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Muebles Suso" (Guarda) BASENAME: muebles-suso-guarda DATE: Thu, 13 Jan 2011 21:34:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Carpintarias e Cristalarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:
"Muebles Suso" Rua Antonio Alonso, 11, Guarda.

Anteontem, terça-feira 11 de janeiro, o meu irmão Nando passou-me umha pouco amigável carta da Sub-Delegaçom do Governo de Espanha na Corunha (recebida na nossa residência familiar, em Bueu, no ante-penúltimo dia do ano passado, achando-me eu de férias no Brasil) e estas quatro fotografias (mais umha que descartei) feitas por ele na Guarda no passado Verão.

As fotos (que o Nando fijo com o seu celular na terça-feira 6 de julho de 2010, entre 21h43 e 21h45 (GMT+2)) correspondem Muebles Suso, susodito estabelecimento comercial sito no número 11 da Rua Antonio Alonso da Guarda.

Já nom é a primeira vez que o meu irmão topa por esses caminhos um susodito estabelecimento comercial ou um susodito lugar (Vila de Suso, Conc. de Oia) e o fotografa para mim, cousa que lhe agradeço e sempre lhe agradecerei imenso.

Valeu, meu irmão! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: algodão100% [Visitante] DATE: Tue, 12 Apr 2011 22:51:37 +0000 URL:

Pois eu boto em falta as “Puertas Chiño” de Vigo, dessa rua infernal (como todas as que nessa cidade nom som paralelas ao mar) que comunica Torrecedeira com Pi i Margall. Claramente “Chiño” é outro hipocorístico de “Jesús” (digo eu, porqueyolovalgo) e, claramente também, ter os “ghüevos” de chamar-lhe assim a um neghósio bem vale um post, nom si?
:)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 19 Jan 2011 19:50:15 +0000 URL:

Caro irmão: Nom tinha esquecido essas fotos “dum indicador com neve a Vila Suso” que me tinhas passado tempo atrás, nom. Guardava-as na “neveira", como tantas outras cousas, esperando ter tempo, vontade ou melhor ocasiom. Pois já que mo comentas, que melhor ocasiom! Publish NOW! http://agal-gz.org/blogues/index.php/suso/2011/01/19/vila-suso-conc-guitiriz

----- COMMENT: AUTHOR: teu irmão Nando [Visitante] DATE: Fri, 14 Jan 2011 10:46:17 +0000 URL:

“Já nom é a primeira vez que o meu irmão topa por esses caminhos um susodito estabelecimento comercial ou um susodito lugar (Vila de Suso, Conc. de Oia) e o fotografa para mim"; certamente, mas acho esqueceste publicar as dum indicador com neve a VILASUSO (São Vicente dos Vilares, Guitiriz)
http://sit1.lugo.usc.es/2005/datos_municipais/guitiriz/planos/planos_de_poboamento/27022183870-Vilasuso/27022183870-Vilasuso-basico.pdf

Que publiques o que fotografo para ti é uma “cousa que che agradeço e sempre che agradecerei imenso.”

Um abraço muito amigável irmão!


----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Deolinda, o Filipe Candeias e mais eu BASENAME: deolinda-o-filipe-candeias-e-mais-eu DATE: Mon, 29 Nov 2010 12:44:35 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: GUEST ARTIST CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nom creio que ninguém se importe (eu próprio nom me importo demasiado) mas levo mais de quatro meses sem atualizar este blogue pessoal. O compromisso diário num outro site da Internet de cujo nome nom podo lembrar-me (que o nosso amor é clandestino) mantem-me afastado de Angueira de Suso.

Nom atualizo porque, como digem, outras ocupações me restam muito, praticamente todo o tempo (de feito tenho vários rascunhos na geladeira deste blogue e nunca encontro o vagar necessário para aprontá-los e publicá-los dumha vez) mas nom resisto a tentaçom de publicar hoje estas quatro imagens que (por ordem cronológica) coloco a continuaçom.

As quatro foram obtidas no passado sábado à noite, no Paço da Cultura de Ponte-Vedra, durante e após o concerto que deu alí o grupo de música popular portuguesa (MPP) Deolinda no marco do Culturgal.

O concerto, que assistim extasiado e ladeado de boas amigas e bons amigos desde a primeira fila, foi umha autêntica maravilha (nom esperava menos) e maravilhoso foi também o encontro com o grupo imediatamente posterior (encontro que nom entrava dentro das minhas previsões). Infelizmente nom disponho agora mesmo de contar como foi que aconteceram um e outro assim que o único que vos vou dizer (há alguém aí?) é que a Ana Bacalhau me achou parecido com um amigo da banda, um tal Filipe Candeias, que o Luís José Martins confirmou.

deolinda no culturgal
Momento do concerto de Deolinda no 'Culturgal'.


dois selos e um carimbo dedicado

Página interior do livreto de 'Dois Selos e Um Carimbo', segundo disco d@s Deolinda, com dedicatória da Ana Bacalhau subscrita polos seus três parceiros (as caricaturas som do João Fazenda).

canção ao lado dedicado
Capa de 'Canção ao lado', o primeiro disco d@s Deolinda, com dedicatória do Luís assinada pol@s quatro.


deolinda+eu
Eu, com dous discos e um bonezinho, feliz entre a e os Deolinda após o seu concerto no Culturgal. De esquerda a direita: José Pedro Leitão, Ana Bacalhau, Luís José Martins e Pedro da Silva Martins.

Atualizaçom SEX, 08-ABR-2011

diariodeferrol 13 mar 2011
Diário de Ferrol, 13 de março de 2011, pág. 11.

E no histórico sábado 12 de março, ainda que desta volta nom fiquei ao final do concerto para falar com ela e com eles, também estivem alí, como nom? De fato neste vídeo gravado desde um camarote vizinho ao meu pode-se ouvir a minha voz &#59;)

Atualizaçom SEX, 07-OUT-2011

Amanhã sábado, 8 de outubro, por quinta vez na Galiza, Deolinda! Eu estivem presente em três dos quatro concertos que até agora deram na nossa terra (Ponte-Vedra, Ferrol e Ourense). Só faltei ao do Festigal por encontrar-me fora (em Maiorca, no X campus universitari de la llengua catalana de Mallorca i Andorra). Amanhã, se tudo correr bem, voltarei a ver a Ana Bacalhau e os seus companheiros no Sam Froilam, em Lugo :)

Com os Deolinda após o concerto que deram na ourensana Praça de Santa Eufêmia (SEX, 29-ABR-2011). Belem de Andrade, Jacobo Fernández, José Pedro Leitão, Pedro da Silva Martins, Luís José Martins (na fila superior), ..., Marinha Paradelo Veiga, Noemi Vn, Ana Bacalhau, Carme Saborido e mais eu (na fila inferior).
----- COMMENT: AUTHOR: Sao Tomé [Visitante] DATE: Fri, 03 Dec 2010 09:49:26 +0000 URL:

Cala cala! logo há crimes por ciúmes!! :P

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 01 Dec 2010 13:19:04 +0000 URL:

Clandestino Afonso: Esse jeito teu resulta-me “familiar” ;-) Muitíssimo obrigado pola visita, meu irmão! Pois é, se tivesses vindo, a adorável Ana Bacalhau teria te achado parecido como o seu amigo Filipe Candeias a ti também! X-)))

São Tomé: E isso que nom contei nada! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: São Tomé [Visitante] DATE: Wed, 01 Dec 2010 09:03:54 +0000 URL:

Quê inveja me das castrom!

----- COMMENT: AUTHOR: Clandestino Afonso [Visitante] DATE: Tue, 30 Nov 2010 10:35:23 +0000 URL:

(há alguém aí?)

Ola!

Cassualmente por eiquí che andamos; acho que é das poucas maneiras que tenho de ter com vocé!

Motivos familiares impediron-me de ir lá mirar esse espetáculo, mas havía-che repressentação (familiar).

De ir eu contigo, que havía dizer a Bacalhau!!

Abraços

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Panadería Suso" (Caldas de Reis) BASENAME: panaderia-suso-caldas-de-reis DATE: Wed, 21 Jul 2010 11:51:08 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Padarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:
padaria suso caldas de reis
"Panaderia Suso", Rua da Igreja (foto superior-direita), Nº 23 (inferior-direita), Caldas de Reis.

Neste passado fim-de-semana fum ao festival internacional Cultura Quente de Caldas de Reis. Apesar de ser já a duodécima+1, esta ediçom do festival era para mim a primeira. Nom tinha ido nunca.

Na sexta-feira, indo cuns amigos de retirada, caminho da cama na zona da acampada, encontrei por acaso este susodito estabelecimento comercial. Eram as três em ponto da manhã (GMT+2). Tenicamente era sábado já.

Na manhã do dia seguinte (tenicamente o mesmo dia), por volta das nove e meia (GMT+2) regressei ao lugar da descoberta (esquina da Rua da Igreja com a Avenida Pedro Mateo Sagasta, a avenida principal de Caldas) para fazer as fotografias que hoje, quatro dias depois e com muito gosto, vos apresento.

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Mon, 20 Sep 2010 16:21:37 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Máis sobre angueira:
http://www.crtvg.es/reproductor/inicio.asp?canal=tele&hora=20/09/201015:15:00&fecha=26/08/2010&arquivo=1&programa=BENFALADO!&id_programa=456&corte=&mp4=0&medio=

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Mon, 20 Sep 2010 16:20:05 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Máis sobre angueira: http://www.crtvg.es/reproductor/inicio.asp?canal=tele&hora=20/09/201015:15:00&fecha=26/08/2010&arquivo=1&programa=BEN FALADO!&id_programa=456&corte=&mp4=0&medio=

----- COMMENT: AUTHOR: Óscar Rivadeneyra Prieto [Visitante] DATE: Sat, 21 Aug 2010 15:01:06 +0000 URL:

Hola Suso, soy Óscar Rivadeneyra

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Thu, 22 Jul 2010 07:34:49 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Justo há um mês passei por lá e por diante da padaria e pensei em ti… mágoa que não levava câmara a mão!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Branco Sobre Branco (Homenagem a Malevich) BASENAME: branco-sobre-branco-homenagem-a-malevich DATE: Thu, 10 Jun 2010 18:11:52 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: ARTISTADAS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
branco sobre branco
?Branco Sobre Branco (Homenagem a Malevich)?, ready-made, 300 x 400 x 35 mm (Fotos: Teresa Díaz).



No domingo 28 de fevereiro de 2010 clausurou-se a exposiçom do Sexto Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas 2009 que, desde 2 de dezembro de 2009 e por quase três meses, estivera patente ao público no Auditório de Galiza.

A este Sexto Prémio 2009, igual que ao Quinto Prémio 2007, apresentei umha obra. As duas vezes com idêntico resultado: a minha obra nom foi selecionada polo júri do certame. Ainda que, segundo fontes de toda confiança, desta volta andei-lhe perto.

Se à penúltima ediçom do prémio apresentara umha peça intitulada A Bandeira Lavandeira ou Salva-Pátrias (Homenagem à Tropicália no seu XL Aniversário) a esta última ediçom apresentei umha intitulada Branco sobre Branco (Homenagem a Malevich). Um título um pouquinho mais breve, como vedes, mas igual de homenageativo &#59;)

No ?texto explicativo -nom superior às 20 linhas- da obra? que, segundo o Regulamento do concurso, tod@s @s participantes devíamos apresentar, dizia da mesma:

A ideia para a criaçom desta peça ocorreu-me sendo estudante de Belas Artes em Salamanca catorze anos e oito meses atrás. Anotada num caderno, permanezia desde aquela no mundo das ideias a realizar.

Tratava-se de fazer umha paródia do célebre quadro do pintor suprematista russo Kazimir Malevich (1878-1935), intitulado ?Branco Sobre Branco? (1918) empregando um simples papel para Desenho Técnico BASIK 130 g/m2 GVARRO-CANSON, com ?margem normalizada? (Exterior: 230 x 325 mm, Interior: DIN A-4, 210 x 297 mm ).

Com efeito, a ideia ocorreu-me em Salamanca no longínquo 30 de janeiro de 1995 (costou-me encontrar este dado entre as minhas anotações, que naquela altura ainda nom eram tam sistemáticas como agora, nem muitíssimo menos) e nom foi implementada até catorze anos e oito meses depois (entre 22 e 24 de setembro de 2009).


Making Off

Em 21 de setembro do ano passado, quatro dias antes de que expire o prazo de apresentaçom de obras ao VI Prémio Auditório de Galiza para novos artistas 2009, decido finalmente apresentar-me. Num princípio a realizaçom daquela minha velha ideia de Homenagem a Malevich nom parecia mui complicada e o tempo parecia, justinho mas, mais do que suficiente. Primeiro contra-tempo: no Leroy Merlin (Parque Empresarial Costa Velha) dim-me que devido à grande quantidade de encomendas o da moldura demoraria meses.

Mas antes de encomendar a moldura precisava era conseguir umha lâmina DIN A-4 com margem normalizada (ou cajetín) que emoldurar. Umha das razões para nom ter realizado a peça em todos estes anos foi a de nom ter encontrado umha lâmina destas caraterísticas com o texto marginal em galego-português. Lembro que nalgumha ocasiom procurei nalgumha papelaria do país vizinho (por Portugal) e lembro tê-las encontrado mas só com o texto em castelhano ou em inglês. Devia ter apanhado algumha destas últimas!

Na tarde da terça-feira 22 de setembro de 2009 saio à procura da lâmina que precisava para fazer a minha artistada. Na Hiperpapelaria Carlin e na Livraria-Papelaria Palácios, ambas na Rua dos Concheiros, nom a encontro. Encontro-a em Prensa BA-BA, na Área Central, e volto a passar por Altaira (por onde já tinha passado previamente para perguntar o tempo que lhes poderia levar), na Avenida de Lugo, para deixá-la a emoldurar.

Nom me lembro do tempo que me digeram (nem me lembro nem o tenho anotado) mas nom deveram de ser mais de 24 horas porque daí a dous dias, na quinta-feira 24 de setembro, já tinha a lâmina perfeitamente emoldurada (com a moldura mais barroca que tinham) de volta no meu poder.

De manhã fum à Ferragens Casas Chico (Rua das Casas Reais) para encomendar umha plaquinha metálica com umhas letras gravadas que digessem: ?Branco Sobre Branco (Homenagem a Malevich)?. Digeram-me que demoraria de 7 a 10 dias assim que nom a encomendei (o prazo de apresentaçom ao concurso terminava no dia a seguir). Perante a falta de tempo material para fazer umha placa autêntica nom tinha mais remédio que optar pola falsificaçom.

Depois de percorrer vários estabelecimentos à sua procura (Eurotenda e Livraria Ler (Santa Comba), Fotocópias Pelâmios e T44 (Compostela)) encontei, por fim, umha cartolina dourada na antedita Hiperpapelaria Carlin. Umha cartolina dourada tamanho DIN A-3 que na copistaria ?T44?, na Rua São Roque, amavelmente me cortaram em duas metades (tamanho DIN A-4) para, a seguir, fotocopiar numha delas o texto que eu levava (como imagem) guardado num pen drive: ?Branco Sobre Branco (Homenagem a Malevich)? (em Edwardian Script ITC).

Nas Ferragens A'Rua (Rua de São Pedro) deram-me de graça dous parafusinhos (douradinhos e com a cabecinha redondinha) com os que, às 21h55 (GMT+2), terminei de afixar na dourada e barroca moldura a plaquinha (de cartolina dourada mas que aparenta ser de dourado metal) com o título da obra: Branco Sobre Branco (Homenagem a Malevich).

Na manhã do dia a seguir (sexta-feira, 25 de setembro de 2009) a Teresa fijo-me umhas fotos da obra com luz natural. Imprimim-nas imediatamente em "T44" e, ato seguido, fum ao Auditório de Galiza entregá-las junto com o resto da documentaçom (fotocópia do DNI, fotografia pessoal, currículum vitae, ficha ténica e texto explicativo da obra...). Às 10h40 (GMT+2), três horas e vinte minutos antes de que, às 14h00, expirasse o prazo, tinha apresentado formalmente a minha candidatura ao Sexto Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas 2009.


Aquest any tampoc...

Vinte dias mais tarde, na quinta-feira 15 de outubro de 2009, recebim carta do Paulo Rodríguez, Diretor-Gerente do Auditório de Galiza. Apesar de que nalgumha ocasiom em que nos tínhamos encontrado por aí me tinha dito que a minha obra tinha algumha hipótese (e mesmo algumha ardente defensora, como a diretora dumha prestigiosa revista especializada em arte, dentro do júri do certame) as notícias que o amigo Paulo me enviava por carta desta volta tampouco eram boas: ?Lamentamos comunicarlle que NESTA OCASIÓN A SÚA OBRA NON FOI SELECCIONADA.?

Na sexta-feira 27 de novembro, também por correio ordinário, recebim um convite para assistir a entrega de prémios e inauguraçom da exposiçom que, na Sala Isaac Diaz Pardo do Auditório de Galiza, teria lugar na quarta-feira 2 de dezembro. Nom foi a decepçom por afinal nom ser selecionado (se sou sincero tenho de admitir que já me tinha feito umha certa ?ilussom?) mas um ?Catarro Vias Altas (CVA)?, do que me encontrava convalescente, o que me impediu finalmente assistir.

No passado dia 9, terça-feira, fum por fim visitar a exposiçom.


...i mai més

Este Sexto Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas 2009 era a minha última oportunidade de ser reconhecido como ?novo artista?. Se o regulamento do certame nom mudar ao Sétimo Prémio já nom me poderei apresentar porque, a 31 dezembro de 2011, já terei feitos os quarenta anos.

?Poderán participar artistas, individual ou colectivamente, que naceran ou residan en Galiza, menores de 40 anos a 31 de decembro de 2009.?

[http://www.auditoriodegalicia.org/premios/index.php?txt=aud_premios&lg=gal]

Portanto, no improvável caso de que algum dia chegue a ser reconhecido como artista, já nom serei um ?novo? mas um ?velho artista? (?bello artista? já sou porque sou formado em ?Bellas Artes? pola Universidade de Salamanca, Espanha).

Ficam-me como consolaçom duas pecinhas que, nom fosse o estímulo do Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas, provavelmente nunca tivesse realizado.


Homenagem a Malevich, por Hélio Oiticica

Durante o processo de realizaçom material da minha peça (é dizer, catorze anos e oito meses depois de concibida a ideia para a realizaçom da mesma) descubro, por acaso, que quem tem umha peça intitulada igual (Homenagem a Malevich) é o Hélio Oiticica.

homenagem malevich helio oiticica
Hélio Oiticica, B22 Glass Bólide 10 Homage to Malevich Gemini 1 Homenagem a Malevich Gemini 1, 1965, Glass; painted plastic lids; paint/pigment in water, 202 x 830 x 930 mm , César and Claudio Oiticica Collection, Rio de Janeiro [taken from Tate Modern].



Homenagem à Tropicália

Hélio Oiticica é o autor dumha instalaçom penetrável, intitulada Tropicália, da que tomariam o nome a celebérrima canção do Caetano Veloso e um disco coletivo homónimo, manifestos dum movimento (o tropicalista) para o que os seus seguidores mais acérrimos rejeitam o nome de Tropicalismo preferindo chamá-lo de Tropicália mesmo.

No interior dumha reconstruçom da Tropicália do Hélio Oiticica tivem eu a imensa fortuna e o privilégio de penetrar quando, na terça-feira 21 de agosto de 2007, visitei a exposiçom Tropicália, uma revolução na cultura brasileira (1967-1972), organizada polo Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro para comemorar o XL aniversário do "movimento de ruptura que sacudiu o ambiente da música popular e da cultura brasileira entre 1967 e 1968".

E à Tropicália, no seu XL aniversário, renderia eu homenagem quando pouco mais dum mês depois (em 27 de setembro de 2007) e com A Bandeira Lavandeira ou Salva-Pátrias, me apresentava à anterior ediçom do certame.

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Sun, 11 Jul 2010 14:16:14 +0000 URL:

muito subtil e lúdico…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Muebles Suso" (Cospeito) BASENAME: muebles-suso-cospeito DATE: Mon, 31 May 2010 15:44:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Carpintarias e Cristalarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:
muebles suso cospeito

No dia 3 do mês que hoje termina o meu amigo Heitor enviou-me esta foto por e-mail. É, como podedes ver, do camiom dum susodito estabelecimento comercial cospeitense arrumado num local sem identificar.

Segundo podemos ler na caixa do camiom Muebles Suso (Carpinteria y Exposición) se encontra na Feira do Monte, capital do concelho de Cospeito, na Terra Chá.

Procurando na internet pudem localizar a morada deste meu tocaio marceneiro que está no número 29 da Av. Cidade de Veria (segundo as Páginas Amarelas) e no mesmo número da Av. Generalísimo (segundo o guia QDQ).

Cospeito que a Lei da Memória Histórica deve ter algumha cousa a ver &#59;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: JA.MA.O. BASENAME: ja-ma-o DATE: Tue, 20 Apr 2010 08:47:20 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:
jamao
"JA.MA.O.", Dias Soltos, Tempos Novos Nº 155 (Abril de 2010), pág. 7.

O último número da Revista Mensal de Informaçom para o Debate Tempos Novos (TN Nº 155, de abril de 2010) traz na sua sétima página esta minha ilustraçom. Como cada dous meses (mês sim, mês nom) este mês era a mim a quem tocava ilustrar os Dias Soltos, a secçom do escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias.

Making Off

Às 14h44 (GMT+1) do passado 25 de março, quinta-feira, a amiga Belén Puñal enviou-me por correio eletrónico os Dias Soltos como sempre fai. Às 15h55 (GMT+1) enviou-me ademais um SMS avisando-me de que já tinha o texto do Bieito na minha caixa de entrada.

Nom o lim até à noite. Lim-no no computador portátil do amigo David Lombao, na sua casa, antes de irmos por aí tomar uns vinhos e uns petiscos (árduo labor em que fomos secundados polo nosso comum amigo Antón Somoza).

Marzo 23
COUCES

Ese comisario galo que non se molestou en chamar ao choio dos bombeiros catalás por ver se eran quen dicían ser e as dignísimas autoridades que se apuraron a poñelos no presenteiro mediático son exemplos da cafarnaxe que manda na Franza chistosa de Louis de Funès. No entanto pensen que aquí foi ministro da cachamorra Mayor Oreja, de orellas maiores que as dun burro preso pola cabezada (onte orneou as súas paranoias, asegurando que Zapatero e a ETA defenden proxectos políticos complementares). Os votantes empoleiran a estes próceros e tan bo é o burro como quen o tangue. Ás veces faise difícil petar na alma dun pobo que idolatra a Belén Esteban.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 155 (Abril de 2010), pág. 7].

Uns vinhos e uns petiscos mais tarde (às 02h13 GMT+1 da sexta-feira 26 de março), indo a pé da taberna (Café-Bar 13) para a casa, foi quando me ocorreu a feliz ideia.

Na manhã a seguir aproveitei umha hora morta que tivem no choio para implementá-la. Enviei-na para a sua publicaçom desde alí mesmo, logo depois de implementada.

Para o acrónimo JA.MA.O. recortei e colei (no PhotoShop) as letras da cabeceira dum número (Nº 865) da vetusta revista espanhola de banda desenhada infantil Jaimito e para o nome completo do ex "ministro da cachamorra" (JAime MAyor Oreja) empreguei o tipo Radiant RR Bold Condensed, parecido com o tipo de letra com que está escrita a frase revista para los jóvenes no original.

Na passada terça-feira 13, há hoje umha semana, recebim na minha morada o último número da revista Tempos Novos, incluindo o meu JA.MA.O. na sua sétima página.

Qual o significado de jama(d)o?

Quando figem esta ilustraçom eu achava que sabia o que era estar jamado (ou jamao, pronunciado com castiço sotaque madrileno). Eu achava que estar jama(d)o era estar tolo, louco ou guilhado e o ja.ma.o. da minha ilustraçom tem esse significado. Mas para a minha surpressa nom foi isso o que encontrei quando, na hora de escrever este post, procurei a palavrinha em diferentes dicionários:

gamado2
n adjetivo
Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
que se encontra apaixonado ou encantado; vidrado
Ex.: sinfonias de Brahms>

[Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa 1.0]

JAMADO/DA
(jgo.) Naipe marcado o baraja en iguales condiciones (AD.).

JAMAR
(jgo.) Marcar los naipes para jugar con ventaja// (pop.) Comer (AD.)// mirar fijamente, contemplar, observar// percibir, comprender algo.

[Diccionario Lunfardo]

jamar
1. tr. col. Tomar alimento, comer. También prnl.:
se jamó toda la bandeja él solo.

[Diccionario de la lengua española © 2005 Espasa-Calpe, via WordReference.com]

jamar
vtr (fam) (comer) papar, bater um rango

[Gran diccionario español-portugués português-espanhol © 2001 Espasa-Calpe,
via WordReference.com]

A procura no Google88 resultados para "estás jamado" e 178 para "estás jamao". Muitos deles, talvez a maioria, provenhem aparentemente de sites galegos. Eu acreditava a palavra jamado/a nom ser galego/portuguesa senom espanhola/castelhana. Agora já nom o tenho assim tam claro.

Como será afinal: ghamado (gamado com gheada ghalegha) ou jamado (com jota castelhana)? G(h)amado de g(h)amar, em galego, ou jamado de jamar em castelhano? Há entre o público algum filólogo versado? &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: algodão100% [Visitante] DATE: Tue, 12 Apr 2011 22:42:38 +0000 URL:

Ponto 1º.: reconheço nom ter lido o “post” na sua totalidade (reconheço-me hiperativa, como todos esses que fazéis “click” no 1º link que se apresenta… hehe).
Ponto 2º. (e último, a hiperatividade é o que tem): lembro umha pintada, verídica e certeira que resume tudo “A Mayor Oreja, menor escucha” xD

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Quem Sabell Onde? BASENAME: quem-sabell-onde DATE: Thu, 15 Apr 2010 21:59:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cachimbo Pola Paz CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): TAGS: ----- BODY:
quem sabell onde

Se as contas que há dous anos atrás botamos aqui som corretas, o (in)certo domingo de abril de 1956 em que Manoel-António foi sequestrado por Domingo García Sabell era dia 15. É dizer, um dia igual a hoje, hoje há 54 anos.

E hoje, igual que fazíamos dous, dez anos atrás, continuamos a perguntar: QUEM SABELL ONDE???

NOTA: Mais informaçom sobre o sequestro de Manoel-António (e a luita cidadã para conseguir a sua imediata libertaçom) na sub-categoria Cachimbo pola Paz (categoria Terrorismo Cultural) de Angueira de Suso.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Café-Bar-Restaurante-Ultramarinos Suso" (Lalim) BASENAME: cafe-bar-restaurante-ultramarinos-suso-lalim DATE: Tue, 06 Apr 2010 17:17:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Hotelaria Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:
cafebarestultrasuso
"Café-Bar-Restaurante-Ultramarinos Suso" (Lalim)

No passado 25 de março recebim do meu amigo Antom Papa-Queijos um e-mail intitulado Estivem em La-lim e lebrei-me te susosanmar-tim que trazia anexas estas seis fotografias.

Aparentemente o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso se encontra no número 33 da rua Carragoso de Baixo da capital dezana. Corrijam-me se me equivoco.

Se a memória nom me engana (como engana a fantasia) o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso é o segundo susodito estabelecimento comercial lalinense que publicamos aqui em Angueira de Suso. O primeiro foi Servi-Auto Suso, do que nom tínhamos fotografias mas sim este espetacular vídeo:

Tampouco é o Café-Bar-Restaurante (e Ultramarinos) Suso o primeiro susodito estabelecimento comercial que o amigo Antom Papa-Queijos fotografa para nós. Com anterioridade já nos tinha enviado fotografias do Mesón Suso (Arteijo) e de Comercial Suso (Betanços). Muitíssimo obrigado, caro amigo, pola tua entusiasta colaboraçom com tam pessoal projeto! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Apostasia: Quem dixo que era difícil? BASENAME: apostasia-quem-dixo-que-era-dificil DATE: Wed, 03 Mar 2010 10:05:54 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
renuncia & resposta
A minha Declaraçom de Apostasia (entregue em 23 de dezembro de 2009) e a resposta do Arcebispado de Santiago de Compostela (com data de saída de 23 de fevereiro de 2010).



Sem tempo nom era. Em 23 de dezembro do ano passado e na sé do Arcebispado de Santiago de Compostela (à que pertence a minha paróquia natal de São Martinho de Bueu) apresentei por fim a minha renúncia formal a fé católica.

Cinco dias mais tarde, num comentário à notícia intitulada Este nadal... fai apostasía publicada por Vieiros.Com explicava a razom para nom tê-lo feito antes:

#44 28/Decembro/2009 osanma

Eu queria tê-lo feito em 2004, com trinta e três anos e o cabelo comprido, ademais da barba que ainda conservo. Nessas condições ("Jesus" é o meu nome de batismo) a minha apostasia teria roçado a heresia quase. Se nom o figem daquela foi porque nom quigem que a minha apostasia fosse um ato individual e privado. Aspirava a poder fazê-lo junto com mais pessoas, no quadro dalgumha campanha apostática (tipo esta "Apostasia antes do Natal"), para que a nossa renúncia (coletiva e pública) à fé católica, caso atingir algumha repercussom mediática, encorajasse outras pessoas a apostatarem. Espero que assim seja! Muitíssimo obrigado pola ajuda a Marcos Payno, "Sei O Que Nos Figestes..." e a Vieiros.com! :)

Com efeito, o meu ato de apostasia foi feito no quadro da campanha Apostasia antes do Natal promovida por SeiOQue.Com e apadrinhada polo músico Marcos Payno. E nom fum eu só. Apostataram junto comigo o escritor Carlos Quiroga e a inclasificável Erika Seven.

Dous meses depois (que nom é muito tendo em conta que coincidiram as férias do Natal polo meio) os três recebíamos nas nossas respetivas moradas a esperada resposta dumha igreja, a ICAR, à que felizmente já nom estamos vinculados (a Erika no dia 20, o Carlos no 24 e eu em 25 de fevereiro de 2010).

Apostasia: Quem dixo que era difícil?

apostasia 23 dez 09
De esquerda a direita: Carlos Quiroga, Marcos Payno (O Padrinho), Erika Seven e mais eu,
na compostelana Praça da Imaculada (Azivecharia) após termos apresentado no Arcebispado de Santiago
as nossas respetivas declarações de apostasia.
----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 04 Mar 2010 12:14:04 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado ao chuceiro Fer pola difusom! :-)

http://chuza.org/historia/apostasia-quem-dixo-que-era-dificil/

Agora a ver quanta gente se anima! ;-)

O modelo de “declaraçom de apostasia” que eu empreguei (elaborado no seu dia pola assessoria jurídica da VA-CA) está disponível aqui:

seioque.com/media/blogs/seioque/2009/declarapostasia.pdf

ANIMAR-SE!!! :-D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: (Jacobus)Land-Rober(to Varela) BASENAME: jacobus-land-rober-to-varela DATE: Wed, 24 Feb 2010 08:55:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:
jacobuslandrobertovarela
'(Jacobus)Land-Rober(to Varela)', Tempos Novos Nº 153 (FEV 2010), pág. 7.

Publicamos hoje o design que figemos para ilustrar a secçom Dias Soltos, do escritor Bieito Iglesias, no último número da revista Tempos Novos (TN Nº 153, de fevereiro de 2010), disponível em todos os quiosques do país.

A ideia ocorreu-me às 18h53 (GMT+1) da quarta-feira 27 de janeiro de 2010, após várias leituras e re-leituras em primícia do texto do escritor Bieito Iglesias que, por correio eletrónico e como habitual, me tinha enviado previamente a jornalista Belén Puñal.

No dia a seguir (quinta-feira, 28 de janeiro) figem o design em CorelDRAW e daí a dous dias (na sexta-feira, dia 29) enviei-no, por correio eletrónico também, para a amiga Belén.

No passado 16 de fevereiro, Terça-feira de Entruido, ao chegar de madrugada à minha casa proveniente de Ginzo-Laça (bom, tenicamente já era Quarta-feira de Cinzas, 17-F), encontrei na caixa do correio o último número da revista Tempos Novos, contendo na sua sétima página a minha ilustraçom.

A minha ilustraçom (manipulaçom do logótipo de Land Rober, o programa de humor que o ex-Tonecho Roberto Vilar tem na TVG) tem como pretexto o seguinte trecho do texto do escritor Bieito Iglesias:

Xaneiro 20
QUERELA DOS UNIVERSAIS
Roberto Varela, elixido ramista ou mordomo das festas xacobeas polo Tigre dos Peares, repite nunha entrevista o mantra de que a cultura galega está ensimesmada. Por iso elimina da propaganda do Ano Santo a Santiago e Galiza, convidando aos turistas a que collan o camiño de Spain (o do Rocío?). Como é que un cosmopaleto ben colocado en Nova Iorque veu parar a estes zudres provincianos? Hai algús que por comungar coa ideoloxía imperial xa se consideran intelectuais senlleiros e homes de mundo, mentres dan por certo que todos cantos escriben en galego deben ser por forza pailás de pucha con perillo capado ou sen capar. Don Roberto arrola no seu maxín idénticos preconceptos que unha miña alumna convicta de que non se pode estudar xeografía planetaria en vernáculo. Pouco importa que este menda leccione na fala de Ourense sobre a unificación de Italia, a descolonización de África ou o cinema do Quebec. Non acredita en min desde que sabe que non son adepto ao Real Madrid. William Faulkner ensimesmouse no condado mítico de Yoknapataupha pra ser universal. Nunca houbo un grande escritor que non experimentase o big bang en si mesmo.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 153 (FEV 2010), pág. 6].

E contém umha piscadela de olho à primeira acepçom (A) que a palabra varela, apelido do conselheiro de Cultura e Turismo, tem no Dicionário Porto Editora da Língua Portuguesa (à segunda e terceira acepções, B e C, nom) &#59;)

varela (A) s. f. dim de vara; vara pequena ou delgada; vareta ( B ) s. m. [gír.] homem casado cuja mulher manda tanto como ele (Diz o povo: se é varão, manda ele e ela não; se é varela ora manda ele, ora manda ela; se é varunca, manda ela e ele nunca) © adj. volúvel (De vara+ela)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Estás de 'good year'! BASENAME: estas-de-good-year DATE: Mon, 22 Feb 2010 15:58:57 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas da Galiza CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
michelins
Novas da Galiza nº 87 (15-FEV/15-MAR-2010), pág. 2.

Publicamos hoje em Angueira de Suso umha charge da nossa autoria que aparece na segunda página do último número do Novas da Galiza (NGZ nº 87), à venda em todos os quiosques.

A ideia ocorreu-me um par de meses atrás, no sábado 19 de dezembro de 2009, na hora do almoço, na churrascaria São Clódio (Rua de São Pedro, 26, Compostela).

O desenho (a mão e a máquina) nom o figem até há um par de semanas. Figem-no na terça-feira 9 do mês corrente, terminando por volta das 23h40 (GMT+1).

No dia a seguir, na quarta-feira 10 de fevereiro de 2010, enviei-no por correio eletrónico para o Carlos Barros, diretor do Novas, quem achou "mui simpática" a minha colaboraçom.

Oito dias depois, na passada quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010, recebim na minha morada o último número do Novas da Galiza (NGZ nº 87).

Para a minha grata surpressa (e para além desta charge que hoje publicamos) o último número do Novas inclui o meu bem-sucedido Boicoz (originalmente publicado n'O Pasquim nº 12 e último) na sua página 19.

----- COMMENT: AUTHOR: Óscar Rivadeneyra [Visitante] DATE: Sun, 22 Aug 2010 11:02:44 +0000 URL:

Je, je. Es la habitación de Van Gogh.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Má Educação BASENAME: ma-educacao DATE: Mon, 18 Jan 2010 11:38:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:
Má Educação
'Má Educação', Tempos Novos Nº 151 (Dezembro 2009), pág.7.

Como estava doente na cama (o médico diagnosticou-me um Catarro Vias Altas, CVA, do que mês e meio depois ainda nom estou totalmente recuperado) e nom tenho fax nem internet na casa (desde hoje e pola culpa do apagom analógico, quando chegue na casa, tampouco terei televisom), no mês passado (na terça-feira, 1 de dezembro de 2009) a amiga Belén Puñal chegou-se à minha morada para entregar-me em mão os Dias Soltos do Bieito Iglesias que, como cada dous meses, me tocava ilustrar.

Umha vez lida (em primícia) a colaboraçom mensal do escritor ourensano fixado em Compostela decidim usar, para ilustrá-la, umha ilustraçom que já tinha feita (ou a meio fazer).

Nom tenho anotada na minha caderneta (como ultima e sistematicamente costumo a fazer) a data em que me ocorreu a ideia para a elaboraçom desta (tudo seja dito) pouco elaborada imagem, mas deveu de ser por volta do mês de setembro. A ideia era simples: substituir, no nipónico cartaz do filme Mã Educação do Pedro Almodóvar, a cabeça do rapaz protagonista pola do mal-educado conselheiro galego de educaçom.

Na quarta-feira, 21 de outubro de 2009, e sem saber ainda o destino que finalmente lhe iria dar, figem umha primeira versom da mesma em que a cabeça do conselheiro Jesús Vázquez (recortada desta fotografia) era sensivelmente menor.

Já na terça-feira, 1 de dezembro de 2009, imediatamente após a leitura dos Dias Soltos, figem a segunda e definitiva versom (em que, para que fosse mais reconhecível no contexto dumha imagem tam pequena, aumentei ao conselheiro o seu cabeçom).

No dia seguinte (quarta-feira, 2 de dezembro de 2009) nom tivem mais remédio que sair da casa (fum à Biblioteca da Faculdade de Jornalismo) para poder enviar por correio eletrónico a minha ilustraçom (durante a minha convalescência cheguei a pensar que talvez fosse boa ideia pôr internet na casa).

Exatamente três semanas depois, na terça-feira 22 de dezembro, recebim na minha morada o número 151 da revista Tempos Novos, contendo na sua sétima página a minha ilustraçom.

Novembro 30
TANGUILLO DE RIBADAVIA

Xesús Vázquez (Jesú pró seu asesor andaluz e Gasús se vivise a súa tataravoa) denunciou a ignorancia da Axencia Europea das Linguas que vén de censurar a política idiomática de San Caetano. Que os europeus non saiban o que pasa en Ribadavia no bar do Papuxas xa é malo pero semella mais grave que Vázquez descoñeza a realidade suíza, belga ou catalá. Ao conselleiro chóvenlle rebimbas e el ensaia desplantes de Jesulín de Ubrique. As fans de Galicia Bilingë debían tirarlle bragas de rebolo despois de cada faena.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos151 (Dezembro 2009), pág.7].
----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 13-D em Solsona BASENAME: 13-d-em-solsona DATE: Wed, 16 Dec 2009 17:02:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Observador Internacional CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Convidado polo Joan Marc (que é solsoní ainda que mora em Barcelona), neste passado fim-de-semana fum a Solsona "observar" o referendo sobre a independência de Catalunha celebrado (entre outros 166 municípios catalães) na cidade natal do meu amigo. Acompanhou-nos o nosso comum amigo Jordi (barcelonês de toda a vida).

Apesar de que a Galiza (a mãe de todas as lusofonias) ainda nom tem sequer o estatuto de observadora na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) o meu amigo Joan-Marc nomeou-me observador da Cê-Cê-Cê! Pê-Pê-Pê, Pê-Pê! Lê-Lê-Lê, Lê-Lê! Pê-Pê-Pê! (A Lusofonia) e o meu amigo Ifrit encarregou-se de divulgá-lo no Chuza.

Eis umha breve crônica em imagens da vívida experiência vivida:

Joan-Marc & Jordi vinherom receber-me no Aeroporto cum simpático cartaz que polo lado de diante dizia "Sr. Suso Observador Internacional" e "Castelaaaao", polo de trás (SÁB, 12-DEZ-09, 00h15 GMT+1).

Como se nos fazia algo tarde, antes de chegar a Solsona decidimos parar num lugar chamado Su (comarca do Solsonès) para almoçar no Restaurante El Forn. Joan-Marc & Jordi insistirom em que tinha que retratar-me ao pé do (duplicado) sinal indicador de início de povoaçom, cousa que figem segurando o Avui do dia nas minhas mãos (SÁB, 12-DEZ-09, 14h30).

Joan-Marc, Jordi e mais eu (com umha estreleira sobre os ombreiros) partiticipamos na rápida descida com tochas desde o Castellvell à Plaça Major onde, como ato final da campanha polo referendo, se celebrou um comício express (havia que terminar logo para ir ao bar ver o Barça-Espanyol). (SÁB, 12-DEZ-09, 19h00 GMT+1).

À Alva de Glória do domingo 13-D enfeitamos com a estelada e a estreleira a varanda de Ca la Carme (2º andar).

Jordi (à esquerda), Joan-Marc (à direita) e mais eu (no centro) posando juntos à entrada do colégio eleitoral (DOM, 13-DEZ-09).

A presidenta da mesa em que votou o Joan Marc era a diretora do Instituto de Solsona... e é de Combarro!!! Visca l'Arantxa! Sentim-me mui orgulhoso dela! (DOM, 13-DEZ-09).

Como no dia a seguir tanto o Joan Marc como o Jordi como eu tínhamos que madrugar muito (eu para apanhar o aviom de regresso a Compostela) decidimos nom ficar para a apuraçom das votações em Solsona e regressar a Barcelona para viver a noite eleitoral em Vilaweb. Quando íamos de caminho recebemos umha mensagem do Martí dizendo que afinal os mui vilões-webões acordaram nom fazer festa aberta ao público que dias antes tinham valorado fazer. De todo modo passamos por alí para cumprimentarmos o nosso querido amigo, a quem tocava fazer horas extras (DOM, 13-DEZ-09, 22h30 GMT+1).

Confire as fotos do fim-de-semana (SAB 12 & DOM 13-D) em Solsona na Galería de o_creus no Flickr.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 04 Jan 2010 17:29:45 +0000 URL:

Terceira entrega da crônica d’O Beiras: Crónica dun referendum insólito. III. Un de cada catro [Galicia Hoxe, DOM, 03-JAN-10].

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 27 Dec 2009 18:34:10 +0000 URL:

Segunda entrega da beirista crônica do 13-D: Crónica dun referéndum insólito. II. Votan os “sen papeis” [Galicia Hoxe, DOM, 27-DEZ-09].

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 22 Dec 2009 16:40:03 +0000 URL:

Camaradas 64 & 21, Ernesto… ARANTXA!!! QUINA SORPRESA!!! Moltes gràcies, muito obrigado a vós polos vossos amáveis comentários! :-)

Dizer-vos que no passado domingo, 20 de dezembro, o grande, grande, grande Xosé Manoel Beiras publicou no jornal Galicia Hoxe a primeira entrega da sua crônica do referendo do 13-D, referendo do que, coma mim ;) , foi observador internacional: Crónica dun referendum insólito. I. “Por Santa Lucía…", en Catalunya

----- COMMENT: AUTHOR: Arantxa Gómez [Visitante] DATE: Mon, 21 Dec 2009 22:22:35 +0000 URL:

Graciñas Suso polas frores, cando queiras xa sabes on sou.

Mais ou menos en Burgos (entre Solsona i Combarro).

Boas festas

Arantxa

----- COMMENT: AUTHOR: 21 [Visitante] DATE: Sat, 19 Dec 2009 19:40:38 +0000 URL: http://www.catigat.cat

Bom resumen, senhor observador: un cap de setmana memorável (així, escrit en catalanogallec)

Mèeuuuuuuuuuu!

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Fri, 18 Dec 2009 14:57:26 +0000 URL:

Mítico:

A presidenta da mesa em que votou o Joan Marc era a diretora do Instituto de Solsona… e é de Combarro!!! Visca l’Arantxa! Sentim-me mui orgulhoso dela! (DOM, 13-DEZ-09).

Nós sentimo-nos muito orgulhosos dela e de Você Mr. Suso…

;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 17 Dec 2009 10:43:49 +0000 URL:

Camarada, t’has oblidat de posar el link! No et preocupis, ja ho poso jo (aprofitant que m’ho vas enviar pel correu també): http://ca.wikipedia.org/wiki/Solson%C3%AD

I sí, segur que el Beiras no va destrossar les sabates castellanes ni la llengua catalana tant com jo (li vam veure en la tele fent unes declaracions en castellà per al canal “3 24″ de la TDT, veritat?)

Moltes gràcies per tot, mata-rucs! ("A Solsona matem els rucs i quedem els savis” o “A Solsona matem els rucs i els quatre que quedem som savis").

----- COMMENT: AUTHOR: 64 [Visitante] DATE: Thu, 17 Dec 2009 09:56:34 +0000 URL: http://www.catigat.cat

Quina excursió, noi! Segur que l’altre observador gallec que va venir a Catalunya, em refereixo al “was-been", malograt i inefable “zapatones” X.M.Beiras, no va fer ni la meitat de quilòmetres-pallissa que tu. Per als encuriosits lectors “d’Angueira de Suso” us deixo un link amb la parla dialectal solsonina, transició entre català occidental (lleidatà i valencià, per dir-ho mal i prompte) i oriental (barceloní, mallorquí i alguerès, també per dir-ho ras i curt) que farà les delícies dels “irmaos” filocatalans.

Un mata-ruc.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Peluquería Suso" (Estrada) BASENAME: pelususoestr DATE: Thu, 03 Dec 2009 10:54:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Cabeleireiros Suso TAGS: ----- BODY:
"Peluquería Suso" (Estrada). Fotos: Teresa Díaz.

Eu nom estivem ali. Mas a Teresa sim (na terça-feira, 23 de junho de 2009, por volta das 20h45) e fijo estas fotos para e por mim.

Perguntei ao amigo Marcos Payno, estradense de pro, se sabia que rua era essa e o "grande" Payno respondeu (TER, 10-NOV-09): "Nom sei o nome da rua, mas creio que é a que vai desde a praça do concelho até a praça da Farola (praça de Galiza), no centro justo do povo".

Para além do susodito estabelecimento (Peluquería Suso) nas fotografias da Teresa podem ver-se (e ler-se) os letreiros de outros três estabelecimentos comerciais: Café-Bar A Cunca D'Ouro (foto superior-direita), Joyería-Relojería Benito Puente e Delegaçom El Correo Gallego / Galicia Hoxe (inferior-direita). Com isto devia avondar para geolocalizar a Peluquería Suso corretamente. Mas a cousa nom está a resultar assim tam fácil.

Segundo as Páxinas Galegas a Joyería-Relojería Benito Puente está no número 12 da rua Justo Martínez da Estrada.

Na mesma rua, dous números antes (R. Justo Martínez, 8), encontramos na internet nom um senom dous cabeleireiros diferentes (Campos Gómez, Josefina & Peluquería Alonso) que tenhem o mesmo número de telefone (986 570 309). Pode ser que essa informaçom esteja desatualizada e esse seja o local que atualmente ocupa a Peluqueria Suso.

Na outra mão, com efeito, encontramos umha cafetaria. Mas nom é o Café-Bar A Cunca D'Ouro senom a cafetaria VASAN (Justo Martínez, 9).

E, por último, a delegaçom na Estrada de El Correo Gallego / Galicia Hoxe encontramo-la em "Avenida de Benito Vigo Galerias avenida 47-49, local 7", nom na rua Justo Martínez. Mas estando numhas galerias comerciais como semelha estar, pode ser que tenha umha outra porta por aquela rua.

Como vedes, a soluçom a este enigma nom a vamos encontrar a nom ser que nos desloquemos à Estrada um dia ou que algum leitor ou algumha leitora estradense me dê umha mao. Antecipadamente, muitíssimo obrigado a ele ou ela!

----- COMMENT: AUTHOR: calvo [Visitante] DATE: Sat, 29 May 2010 15:19:37 +0000 URL: http://susocalvorota.org

Meu não diga estupideces, como cona vais ficar tu a peluqueria?
Barbear os pêlos da pirola?
anda meu não me Rallis …. que você vê que há pessoas tolo no mundo … mas desde que vi esta página deime conta que as lindes da sunormalidade eram superables.
Você o não ter cabelo na testa e que te Jode a cabeça, se é que a tem.

vaite deitar entre as Urtica este é o seu ..

vout pendurar da lâmpada com grampos e com supergrampadora pelo pêlo dos collons ..
e se pôs chulo, maqueamosche o carro, que tem as luzes coladas com zelo.
E se você continua charmoso douche um chute nos collons que você vai colocar de olhos. e os olhos vanche baixar para os collons!

PARVIOLO!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 04 Dec 2009 11:25:24 +0000 URL:

Estradenses de Pró coma ti! Hahaha! Muito bom, Isabel, desculpa! Touché! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Isabel [Visitante] DATE: Fri, 04 Dec 2009 00:18:37 +0000 URL:

Homem, isso passa-che por não botares mão de estradenses de Pró coma mim… X-b

A rua é, com efeito, a que vai da Câmara à praça da Galiza. Sempre foi conhecida como rua de Bedelhe, porque leva cara esse lugar da vila, hoje absorvido pelo núcleo urbano. A rua chama-se Serafín Pazo ou Serafim Paço (Serafim Paço Cumbrãos, 1828-1907, médico, biografia do polígrafo local Olímpio Arca, Dom Olímpio) e esse edifício antigo que se vê na terceira foto foi a antiga biblioteca da Estrada, o lugar onde recebi às minhas primeiras aulas de música, onde aprendi a solicitar livros numa biblioteca e um dos prédios que ainda ficam em pé do que era o formoso casco velho. Nada a ver com o espectáculo lamentável de hoje, ainda que maquilhado ultimamente pelas obras no centro…

O que sim não tinha reparado é nesse estabelecimento. Infelizmente acho que a Cunca d’Ouro, de que muito gostávamos, encerrou. Agora não sei o que há lá. A relojoaria Puente está na Serafim Paço, claro. Há-che cada cousa…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: IGEA BASENAME: igea DATE: Tue, 27 Oct 2009 10:44:24 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

'IGEA', Tempos Novos Nº 147 (Agosto 2009), pág. 7.

No post anterior publicávamos o design que figemos para ilustrar a secçom Dias Soltos, de Bieito Iglesias, no último número da revista Tempos Novos (TN Nº 149, nos quiosques).

Publicamos hoje a ilustraçom que figemos para a secçom do escritor ourensano fixado em Compostela dous números atrás, no Nº 147 da revista Tempos Novos.

O pre-texto para a publicaçom do nosso design encontramo-lo no seguinte dia solto (18 de julho):

Xullo 18
SECUELA DE ESPARTACO
Remanece o Instituto de Estudos Europeos e Autonómicos baixo a presidencia de Anxo Quintana. Suponse que este tanque de ideas será un estanque onde criar ras a partir de cágados ?de cagar sentencias hai que pasar a propor alternativas? e un carro de combate blindado contra mísiles propagandísticos da direita cañí. A nómina dos estudosos recrutados prá presentación desconcerta un chisco pois tal parece que o criterio de selección non se funda nos saberes senón na admiración que profesan polo ex vicepresidente: os máis son cargos que o acompañaron no bipartito. Esperemos que non quede nun alpendre máis dos que andan sobros polo país nin nun grupo de notables que despois non chegan nin ao aprobado. O Instituto anuncia debates encol da financiación das autonomías e da lingua galega (pra ?desdramatizar?), a máis da palestra dun ?visitante ilustre? que nos alumee sobre as bondades do autogoberno. Deséxolle o mellor e ogallá que sirva pra armar ideoloxicamente a oposición ao PP e pra que os políticos nacionalistas non cheguen no futuro ás poltronas ceguiños como toupas. A idea quintanista de rachar a identificación do nacionalismo co elitismo semella correcta, sempre que non pase de elitista a populista.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 147 (Agosto 2009), pág. 7].

A nossa ilustraçom foi feita no Photoshop (na quinta-feira, 23 de julho de 2009) a partir destas três imagens encontradas no Google: ikea-logo.jpg, ikea.jpg (porta branca e carpete indepe) e Bienvenidos a mi casa (auto-retrato dum tal Francesc Esteve).

O "G" que substitui o "K" do logótipo original (dizendo IGEA onde antes dizia IKEA) é do tipo OL London Black.

Para pôr na nossa língua o texto que pode ler-se no carpete ("Bem-vindo à República Independente da Minha Casa") tivem de traduzi-lo (cortando e colando as letras) a partir do castelhano original. Aparentemente a campanha publicitária independentista da companhia sueca só se fijo em Espanha e em espanhol (em Portugal e em galego-português, nom).

No sábado 15 de agosto, três semanas depois de feita e enviada, recebim na minha morada o Nº 147 da revista Tempos contendo na sua sétima página a minha ilustraçom: IGEA, Bem-vindo à República Independente da Tua Casa.

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Wed, 25 Nov 2009 16:31:43 +0000 URL:

Mmmmm…. esta charge não chega ao teu nível habitual, Suso. Será que che deu a ‘frouxeira’ ;)? Menos mal que sei que o teu talento não se desperdiçou e está bem aplicadinho noutros labores, que se não já me começaria a preocupar! :*

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: feijóo feio BASENAME: feijoo-feio DATE: Wed, 21 Oct 2009 09:22:35 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

'Fei0 09', 'Tempos Novos' Nº 149 (Outubro 2009), pág. 7.

Depois de mais de três meses de parom e sem que ainda conheçamos a resoluçom do júri da terceira ediçom do concurso Umha Imagem Para O Galego de Vieiros.Com (ao que nos apresentamos com o vídeo intitulado Café Español, publicado no post anterior) atualizamos esta a nossa Angueira para que nom se diga que caiu em desuso &#59;)

E fazemo-lo publicando a paródia do logótipo eleitoral que o candidato Alberto Núñez Feijóo (na atualidade e para a nossa desgraça presidente da Junta de Galiza) empregou na campanha das últimas eleições autonónicas, celebradas no 1º de Março, Domingo de Pinhata.

A ideia ocorreu-me às 19h00 (GMT+2) da quinta-feira, 1º de outubro e, imediatamente depois de realizá-la (rápida e eficazmente no Photoshop), enviei-na a Tempos Novos para a sua publicaçom.

Nesta segunda-feira, 19 de outubro, ao sair da casa às 11h00 (GMT+2), encontrei no portal do meu prédio o último número da revista Tempos que o carteiro tinha botado por baixo da porta. E na sua sétima página, como cada dous meses, a minha ilustraçom.

Ilustraçom que, já agora, fai referência a este trecho dos Dias Soltos bieito-eclesiásticos:

Setembro 27
NORMALIZACIÓN

Polanski non é uh home normal (...) Tampouco é normal Manuela Ferreira Leite (...) Nin semella normal un xefe superior de policía como García Mañá (...) En troques, Núñez Feijóo é un galego normal, segundo vén de proclamar nun mitin en Silleda. Porque o di el e porque é mal feito, sendo o feísmo -non só arquitectónico- o trazo identitario clave deste país no que case todos vimos daqueles devanceiros tan brutos como Urtain que levantaron monumentos megalíticos. Está probada polos xenetistas a endogamia enxendradora de exemplares feos que non valen un corno.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 149 (Outubro 2009), pág. 7].
----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 'Café Español' BASENAME: cafe-espanol DATE: Sun, 05 Jul 2009 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: , galego, gallego, unha imaxe para o galego, vieiros ----- BODY:

'Café Español' [33'']

A diferença dos dous vídeos enviados a concurso nas duas edições anteriores o vídeo que neste ano enviei a Umha Imagem Para O Galego foi concebido e realizado para a ocasiom.

Nas duas edições anteriores o concurso de Vieiros servira-me de pretexto para a realizaçom de duas velhas ideias (Perigo Zona Escolar e The Invisible Man) que doutro jeito teria realizado ou nom.

Mas neste ano nom. Neste ano o processo criativo foi diferente. Como já digem, neste ano o vídeo nom foi apenas ?realizado para? senom que a ideia, o roteiro, foi também ?concebido para? o certame.

Making Of

O momento e o lugar da concepçom do mesmo fica muito claro na minha mente (e na minha caderneta): Praia das Sinas (Conc. Vila Nova d'Arouça), sábado 20 de junho de 2009, entre 19 e 19h30 (GMT+2).

Há dous fins-de-semana fum fazer umha visita ao meu querido amigo Eugénio Outeiro a Vila Garcia. Mas em vez de ir direto para a sua morada passei antes pola Praia das Sinas, no vizinho concelho de Vila Nova d'Arouça, para dar um mergulho (o Eugeniote dixo que tinha trabalho na casa e que nom vinha). Após umha hora de carro desde Compostela e um relaxante mergulho no Mar d'Arouça, deitei-me na toalha e, enquanto me secava ao Sol, pugem-me a dar-lhe voltas ao assunto. Assim foi como me chegou a inspiraçom. Bom, nesta ocasiom seria melhor dizer que fum eu quem foi à sua procura.

Umha vez que tínhamos a ideia agora só restava pôr-se maos à obra na sua realizaçom.

Cinco dias depois de ter a ideia, na quinta-feira 25 de junho, e desde o Café-Bar Devagar (WiFi), baixei do YouTube o vídeo da demoliçom dum modernista Café Español que polos vistos havia na valenciana vila de Aiora e do Google imagens as fotografias de diferentes Cafés Espanhois que polo mundo adiante há.

No dia a seguir (sexta-feira 26 de junho), após o almoço na esplanada da cafetaria do Burgo das Nações e com a inestimável ajuda do Heitor (que me emprestou a sua câmara, melhor do que a minha) e do José Ramom (a mão que mexe a colher), gravei o segundo plano que aparece no vídeo (1/2). Editei o vídeo ao serao (primeira ediçom).

Na noite do domingo 28 figem algumhas mudanças no vídeo (mudei o primeiro plano que aparecia no vídeo, um zoom sobre esta foto fixa que nom me convencia, e o barulho de fundo também) e (por volta das 00h30-45, GMT+2, da segunda-feira 29) dei-no por terminado.

Há hoje umha semana, na segunda-feira 29 de junho (penúltimo dia em que era possível fazê-lo antes da prorrogaçom) enviei o meu vídeo para o concurso Umha Imagem Para O Galego de Vieiros.com. Acompanhei-no da seguinte descriçom:

"Como torrom (ou pacote) de açúcar num café com leite -¿con leche?- a doce e melodiosa fala galega vai-se dissolvendo a pouco a pouco no espanhol".

Ao que parece "problemas ténicos" estám a impedir a sua visualizaçom. Esperemos que as/os amigas/os de Vieiros encontrem logo umha soluçom.

Atualizado QUA, 08-JUL-09, 13h15 (GMT+2). Os "problemas ténicos" aos que fazíamos referência estám felizmente solucionados ao menos desde anteontem (segunda-feira, 6 de julho) à noite.

Atualizado QUA, 15-JUL-09, 19h55 (GMT+2). Esquecim dizê-lo mas, feliz ou infelizmente, na Galiza nom existe já nengum Café Español. De existir ainda lá teria ido eu câmara em riste gravar uns planos e fazer umhas fotografias em vez de baixá-l@s da internet. Nom existe nengum na atualidade mas em tempos sim que existiu. Segundo podemos ler na Galipédia (no verbete dedicado ao pintor Carlos Maside, concretamente) em tempos da II República Espanhola houvo em Santiago de Compostela um movimentado Café Español (nom sei se tanto quanto o Café Español de México D.F. que aparece no conto de Max Aub (podedes escolher: livro ou filme?), mas bom):

En 1932, na vida intelectual compostelana, conviven dúas tertulias , a do ?café Derby? e a do ?Español?. Na primeira xúntanse os galeguistas, profesionais de procedencia universitaria, a esta cita acude D. Ramón del Valle Inclán nas súas estadias temporais en Santiago, e ten acollida Carlos Maside que disfruta da amistade de varios contertulios e do escritor, de quen realiza varios apuntes e retratos do natural. A outra tertulia, a do ?café Español?, caracterízase polo interese artístico e literario. Está formada por artesáns, empregados, estudiantes e artistas. Moitos son republicanos e de pensamento filomarxista. No eido da plástica Maside exerce unha especial influencia, e Luis Seoane destaca como futura promesa. No ?Español? xéstase a constitución dun grupo local do Comité Cooperación Intelectual. Convídase a varios poetas para pronunciar conferencias. Un dos escritores invitados é García Lorca.

*********

Estes som os vídeos que enviei ao concurso Umha Imagem Para O Galego nas suas duas anteriores edições:

Perigo Zona Escolar, 2007 [28'']

The Invisible Man, 2008 [50'']
----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 08 Jul 2009 11:05:13 +0000 URL:

Novamente muitíssimo obrigado, amigo Vixía! Grande abraço! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Mon, 06 Jul 2009 15:57:01 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Novamente breve é fantástico. Abrazo!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Dá Pena / Pode Passar BASENAME: da-pena-pode-passar DATE: Wed, 01 Jul 2009 16:46:44 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Dá Pena / Pode Passar [37'']

Apresentamos hoje um pequeno vídeo que começou a gestar-se há quase um ano.

Segundo consta na caderneta em que anoto as paridas (nem todas) que me vam ocorrendo, a primeira ideia para este vídeo ocorreu-me em 21 de julho de 2008, segunda-feira, enquanto passava pola Rua de Sam Roque:

-?Rua Sam Roque, pode passar? (dixo o semáforo)
- Como que ?pode passar??!? Tampouco está tam mal! (pensei eu)

Neste passado 17 de Maio, domingo, indo pola Rua da Porta da Pena de regresso à casa depois de passar a tarde inteira cuns amigos tentando tirar (a base de polvo à feira, churrasco, vinho com gasosa, licor café, 3 gin tônicos, 1 vinho de Aragom e várias cervejas) o mau sabor de boca que me tinha deixado a manifestaçom reintegracionista da manhã, olhei para a pétrea placa da rua e digem em voz alta:

?Rua da Porta, dá pena? [gargalhadas].

Liguei esta parida com aqueloutra que me tinha ocorrido dez meses antes e decidim fazer com as duas um pequeno vídeo que levaria ao início a seguinte questom:

?Porque a sinalética urbana compostelana, em vez de limitar-se a informar @ viandante sobre o objeto assinalado, se dedica a emitir sobre este juízos de valor??

Anteontem, segunda-feira 29 de junho, por volta das 20h30 (GMT+2), gravei o vídeo na Rua da Porta da Pena. Comochoconto, da Rádio Kalimera, que por acaso naquela hora passava por alí, está de testemunha.

Ontem, terça-feira 30 de junho, por volta das 11h15 (GMT+2), gravei o vídeo na Rua de Sam Roque e vim para a casa editar. Quando às duas da tarde (GMT+2) terminei de editar o vídeo, cheguei-me a Sam Caetano para dar o meu apoio aos Companheiros do Metal.

Et voilà!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 25 Sep 2009 11:28:37 +0000 URL:

Comochoconto: se che sou sincero tampouco eu visito com muita freqüência o meu próprio blogue. Tenho-o meio abandonado. O teu amável comentário (que me chegou à i-alma) chegou-me à caixa do correio (e-mail) e é por isso que cá estou! Vemo-nos nos bares! Obrigadom! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: comochoconto [Visitante] DATE: Fri, 25 Sep 2009 08:46:17 +0000 URL: http://akalimera.org

Levava tempo sem vissitar a página, mas só podo dizer que já que fas mençom de mim, eu dou fe do que vim.

Boíssimo!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 05 Jul 2009 18:00:03 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado, amigo Vixía! És muito amável… embora isso de “urbanita” nom saiba muito bem como tomá-lo! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 01 Jul 2009 20:14:06 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

É vostede un auténtico urbanita! Alégrame ver novamente as súas enxeñosas creacións audiovisuais en Angueira de Suso. Apertas.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 01 Jul 2009 17:55:36 +0000 URL:

Muito obrigado, Anónima! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Anónima [Visitante] DATE: Wed, 01 Jul 2009 17:01:50 +0000 URL:

:) Muito bom!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Praia de Susinhos BASENAME: praia-de-susinhos DATE: Tue, 16 Jun 2009 11:13:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS LUGARES CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Praia de Susinhos (Porto Cuvelo/Lira/Carnota). Fotos: Sara Jess & Suso Sanmartin.

Ampliamos a nossa coleçom de susoditos lugares com a publicaçom destas fotografias realizadas na Praia de Susinhos neste passado sábado, 13 e Junho de 2009, minutos antes do pôr-do-sol.

Na pedra da fotografia inferior-esquerda há duas placas. A placa branca di: "Camiño solidario ARIETE 1966 PRESTIGE 2002". E a de granito:

"Esta placa é unha homenaxe do Concello de Carnota á solidaridade [sic] e o esforzo dos voluntarios e participantes no programa "CASTILLA Y LEÓN SOLIDARIA" que recuperaron esta praia despois do vertido do petroleiro Prestige. Marzo de 2003"

----- COMMENT: AUTHOR: un [Visitante] DATE: Sun, 05 Jul 2009 19:55:50 +0000 URL: http://un.com

mira que es paleto macho….en negreira case nunca neva…..sodes todos ben paletos oh!!!caevos 1 gota de auga e xa pensades que e neve……tonto que es tonto!!se estudiaras carallo…..

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 01 Jul 2009 15:44:55 +0000 URL:

O’Padín: Nom sabia eu que daquela andaras a limpar piche, chapapote que castiga. E menos que o figeras na susodita praia. Eu, daquela, afinal nom limpara merda nengumha (contribuim no que pudem na frente sócio-cultural) como tampouco a vou limpar agora, nom te preocupes! ;)

Cagoendiuuus a.k.a. droghas tomaralas ti: Podes insultar-me a mim se queres mas, por favor, nom te metas co meu colega! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: droghas tomaralas ti [Visitante] DATE: Wed, 01 Jul 2009 14:40:37 +0000 URL: http://tuputamadre.pt

pero ti mona do carallo…..pensas que se tomara droghas saberia falar em portugues….??

parvo da virgem

----- COMMENT: AUTHOR: O'Padín [Visitante] DATE: Tue, 30 Jun 2009 17:51:51 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Hostias, Susinho! A quen suspendiches? Nom apagues o comentario dese, déixao para que se mire bem o malas que son as droghas.
Nesa praia estivera eu a limpar pitróleo, coido, estaría irreconhecivel. Pero os limpas nom eramos casteláns, senom de Pontemerda. Qué frio, mimadrinha! E a volta, com neve en Negreira. E qué dor de cabeça, como fedia o fuel aquel.

----- COMMENT: AUTHOR: cagondiuuus!!! [Visitante] DATE: Tue, 30 Jun 2009 16:01:55 +0000 URL: http://cagondius.cagondius.eh

me cago no demo … mas como pode ser tão
flipado …. imosche estragar o carro (citroen zx) que já tem
as luzes sujeita a fez …. imoslle partir das
janelas …. e imolo colgar na tábua …. e depois
colgote da lampada com uma grampa utilizando o método da
grampadora …. vamos comprar uma motoserra para afeitarche o
pelo dos collons … e se te pos farruco afeitoche a
cocorota …. ai já não tem mais pelo que tem três metros de
frente …. sabemos onde Vives maricon ….. e não te me
ponha chulo que te arranco os pelos da barba com uma pinza
de depilar … se não se me cães a mão.

uma pergunta … tu arritas muito a memória? é o mais
importante .. eres maricon?
aquela música que tem no arradio do amoto e uma puta
merda … vouche madar uma patada nos collons que vai ter
que vir a ambolancia para baixarche os collons da
cabeça … e não te cabrees que tenho o teu telefano …

uma patada nos collons

Viva ESPANHA …. abaixo PORTUGUÊS

aprende dos que saben
http://www.youtube.com/watch?v=3mQ7pvTfWLs

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 17 Jun 2009 10:33:37 +0000 URL:

Xurxo, eu nom tenho facebook, nom tarás a confundir-me com outra pessoa? ;)

----- COMMENT: AUTHOR: xurxo [Visitante] DATE: Tue, 16 Jun 2009 16:31:11 +0000 URL: http://aturuxo.agal-gz.org

olá!
ontem enviei um mail á caixa de correios do vosso facebook… com umha proposta para umha festa/gala/romaria…
um abraço!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: DdoOLeR'09 BASENAME: ddooler-09 DATE: Thu, 21 May 2009 08:16:58 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Polo terceiro ano consecutivo estamos a organizar, with a little help from my friends, o Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (DdoOLeR'09).

O Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (DdoOLeR)celebra-se desde há três anos, em 25 de Maio, coincidindo com o Dia Internacional da Toalha (póstuma homenagem d@s suas/seus fãs ao saudoso Douglas Adams, criador d'O Guia do Mochileiro das Galáxias). No ano passado 25 de Maio caiu em domingo. Neste ano cai em segunda-feira.

Muitíssimo obrigado ao Eugeniote (por esse precioso blogue, a imagem do topo, etc), ao Zé Pequeno (por esses cintilantes banners), ao Gerardinho (polas notas de imprensa e por tudo um pouco), ao Berto (polos espaços publicitários gratuitos em Chuza.Org), ao Quico (por ceder-nos a sua imagem e obsequiar-nos com a sua palavra), à Mon (polo toalhístico vídeo do Quico), à Comba (por deixar-se enlear e enlear a toalha à cabeça)... Muitíssimo obrigado a tod@s elas/es pola sua inestimável e desinteressada ajuda.

Muitíssimo obrigado também a todas aquelas pessoas (lusistas e/ou reintegratas ou não/nom) que dalgum jeito participastes nas duas edições anteriores (DdoOLeR'07 e DdoOLeR'08) e às que ainda havedes participar.

Vemo-nos segunda-feira na Praça do Pão (Cervantes)!
25 DE MAIO, SAIMOS DO ARMÁRIO!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Meia hóstia BASENAME: meia-hostia DATE: Fri, 15 May 2009 10:01:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

'Meia hóstia', Tempos Novos Nº 143 (Abril de 2009), pág. 7.

Para rompermos o nosso delongado silêncio publicamos hoje em Angueira de Suso a ilustraçom que figemos para ilustrar os Dias Soltos de Bieito Iglesias no penúltimo número da revista Tempos.

Por algumha estranha razom o penúltimo número de Tempos Novos (TN nº 143, Abril 09) nunca chegou à minha caixa de correio. Dia após dia ao meio-dia chegava à casa com a esperança de lá encontrá-lo à minha chegada... e nada! Assim foram passando os dias, as semanas, chegamos ao final do mês... e a revista Tempos que nom dava chegado!

Ontem, quinta-feira 14 de Maio, recebim na minha morada o último número da Revista Mensal de Informaçom para o Debate (TN nº 144, Maio 09) e, conjunta e inseparavelmente com ele, a Revista de Livros ProTexta nº 10 (Primavera 09). Neste número nom era a mim mas ao José Tomás a quem correspondia ilustrar os Dias Soltos (como sabedes, um mês ilustra-os ele e no outro sou eu a ilustrá-los).

Por acaso também ontem, quinta-feira 14, apanhei na Escola Oficial de Idiomas (aonde, a petiçom minha, a Belén Puñal mo tinha deixado) o exemplar da revista Tempos que me faltava. Belén, muitíssimo obrigado!

Um dia depois de conseguido, por fim, o anseiado exemplar publicamos aquí, em Angueira de Suso, a ilustraçom da nossa autoria que nele aparece e que concretamente fai referência a este dia solto bieito-eclesiástico:

Marzo 27
BURRACRÚA
Un tal Irigoyen publica un sisudo artigo na Voz pra censurar certa iniciativa do Bloque no parlamento madrileño, que logrou retirar do Dicionario da Real Academia Española a acepción de tonto na entrada correspondente a gallego. Razoa Irigoyen que, por esa regra de tres, deberían os reais académicos borrar a mesma acepción como un dos significados de beocio, a fin de que non se incomoden os naturais da rexión helénica de Beocia. Ignoro se o articulista é gallego, pero parvo é de raio. Admira a defensa da sinonimia galego=idiota no xornal máis difundido deste miserable país. Que se publique aquí semellante faltada indica que non temos media hostia. Merecemos que nolas boten fervendo, como barro á parede. Que contas botaría Irigoyen se os dicionarios galegos, acolléndose á autoridade poética de Ferrín (Unha salmántiga lisa e envisgada, isto é pra nós, irmao, Hespaña), definisen o Reino de Xoán Carlos como unha caste de píntiga especialmene repulsiva?

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 143 (Abril 2009), págs. 6-7].

Como podedes ver a sua realizaçom foi bem simples. Só tivem que apanhar esta imagem do Escudo de Galiza no Google e apagar meia hóstia com o PhotoShop. Fácil, rápido e eficaz &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: O'Padín [Visitante] DATE: Mon, 18 May 2009 18:07:34 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Este Irigoyen merecía ter a sua citaçom celebre no seioque, ou?
Hai que fazer uma campanha para pedir á Coz que mude definitivamente o seu nome. Poden quedar con esa cabeçeira gotica tan de estilo 3º Reich, pero que troquen Galicia por Estulticia e quedamos en paz.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: No Centenário de Carmen Miranda BASENAME: no-centenario-de-carmen-miranda DATE: Thu, 09 Apr 2009 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: carlos meixide, carmen miranda, , marco de canaveses, ----- BODY:

[Premir em cima da imagem para vervo Álbum do Centenário de Carmen Miranda em Slideshow]

Hoje, 10 de Abril de 2009, é Sexta-Feira Santa. Na Sexta-Feira Santa do ano passado, 21 de Março de 2008, e na companhia do meu amigo Carlos Meixide, visitei (em Várzea da Ovelha e Aliviada, Marco de Canaveses, Portugal) a casa natal da cantora e atriz luso-brasileira Carmen Miranda.

No passado 9 de Fevereiro (há dous meses e um dia) o mundo celebrou o centenário do nascimento de Carmen Miranda. Era com motivo da efeméride que gostava de ter publicado as fotografias que (dous meses e um dia depois do inicialmente previsto) venho publicar hoje. Os intensos preparativos e a ressaca do 8 de Fevereiro (Sunday Pottery Sunday) impediram-me fazê-lo daquela.

Marco de Canaveses

Procedentes de Barcelos e do Porto (Museu Serralves: Robert Rauschenberg: Em viagem 70-76) o Carlos Meixide e mais eu chegamos ao Marco de Canaveses na tarde do 20 de Março de 2008, Quinta-Feira Santa.

Primeiro contratempo, no Posto de Turismo (Alameda Dr. Miranda da Rocha) encontramos um bilhete assinado polo Presidente da Câmara, Dr. Manuel Moreira, que dizia assim [Fotos 01 e 02]:

MUNICÍPIO DO MARCO DE CANAVESES

AVISO

A CÂMARA MUNICIPAL DE MARCO DE CANAVESES AVISA todos
os Munícipes que os Serviços desta Câmara se encontrarão encerrados ao
público na tarde do próximo dia 20 de Março (quinta-feira santa), e o
dia 24 de Março (segunda-feira de Páscoa), atendento à tradição
Pascal.

Câmara Municipal de Marco de Canaveses, 13 de Março de
2008.

O Presidente da Câmara Municipal,

Manuel Moreira, Dr.

O Carlos e mais eu fomos à procura dum quarto onde passar a noite (ficamos no Residencial Nantilde) e, depois, jantar (costeletinhas de porco, etc., regadas com umha garrafa de Porca de Murça) à Churrasqueira Pensão Magalhães (Lg. António Q Montenegro, 31) sob a atenta mirada da Carmen Miranda (na fotografia feita desde o exterior na manhã do dia a seguir podem intuir-se, apesar dos reflexos, um olho e boca do grande retrato que presidia a sala de jantar) [Fotos 03 e 04].

À manhã seguinte voltamos ao Posto de Turismo, que continuava fechado. Tampouco encontramos ninguém que nos informasse na Câmara Municipal. O Carlos e mais eu figemo-nos fotografias com o pétreo escudo do concelho do Marco de Canaveses e mais com um monolito (onde podem ler-se os nomes das suas 31 freguesias) que, fazendo esquina, se encontra por alí. O Carlos (quem o conhece sabe da sua importante vis cômica) achou piada em que no Marco de Canaveses houvesse umha freguesia ?Folhada? (?fodida? em calão castelão) e umha outra ?Aliviada? [Fotos 05, 06 e 07].

Na Frutaria Alameda (Pça. Dr. Miranda da Rocha) compramos a umha simpática fruteira fruta variada (um ananás, um cacho de bananas, um racimo de uvas...) para confecionarmos um toucado digno da Carmen Miranda com o que retratar-nos perante a sua casa natal [Foto 08].

Na esquadra da Polícia Municipal tampouco deram sinais de vida assim que acabamos perguntando numha bomba de gasolina por onde era que se ia à Várzea da Ovelha e Aliviada.

Várzea da Ovelha e Aliviada

Seguindo as indicações dos amáveis fregueses da loja da bomba de gasolina (direçom Tabuado, foi o que nos digeram) nom demoramos em encontrar o sinal indicador da freguesia de Várzea da Ovelha e Aliviada [Foto 09] e, um pouco mais à frente, a Sede da sua Junta da Freguesia [Fotos 10, 11 e 12].

E, trás umha volta da sinuosa estrada, apareceu por fim diante dos nossos olhos a casa natal de Carmen Miranda. Reconhecim-na eu, nom porque houvesse qualquer sinal que indicasse que o fosse, senom porque antes de iniciar a viagem tinha visto umha foto na internet [Foto 00]. Na versom da Adriana Calcanhotto no rádio do carro estava a soar o Disseram Que Eu Voltei Americanizada.

Casa da Obra Nova

Arrumamos o carro ao pé da paragem do autocarro que, ao outro lado da estrada, há um pouquinho antes da casa. A sua cor azul combinava à perfeiçom com a dos azulejos que revestem o (inexistente nos tempos em que a Pequena Notável morava lá) andar superior da Casa da Obra Nova. Figemo-nos naquele ponto (p. de ônibus) umhas simpáticas fotografias a pintar a mona (com tocado tropicalista-carmen-mirandês e a comermos umha banana na sua honra) [Fotos 13, 14, 15, 16 e 17].

Logo depois aproximamo-nos um bocadinho mais da casa para observar e fotografar alguns pormenores (entre os quais os azulejos que, pola entrada posterior à propriedade, indicam qual é o seu nome) [Fotos 18, 19, 20, 21 e 22].

Igreja de São Martinho

Antes de abandonar o concelho do Marco de Canaveses e prosseguir o nosso caminho para Amarante, o Carlos Meixide (cujas iniciais, ainda agora reparei, coincidem com as da Carmen Miranda) e mais eu visitamos ainda a Igreja de São Martinho (São Martinho de Aliviada), onde há um cento de anos Maria do Carmo Miranda da Cunha, mais conhecida por Carmen Miranda, foi baptizada [Fotos 23 e 24].

Museu Carmen Miranda (RJ)

Havia pouco mais de oito meses que tinha passado pola frente do Museu Carmen Miranda, no Rio de Janeiro, também sem chegar a entrar. Foi durante um longo passeio que a Teresa e mais eu dêmos polo Aterro do Flamengo (da Praia do Flamengo até a de Botafogo) na segunda-feira 30 de Julho de 2007. Infelizmente, a intensidade e a velocidade do trânsito carioca impediram-nos daquela atravessar a Avenida Infante Dom Henrique para aproximar-nos mais. E o nosso tempo de estada no Brasil, um mês escasso, acabou antes de que pudéssemos voltar.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Fora as vossas sujas maos de Manoel-António! BASENAME: fora-as-vossas-sujas-maos-de-manoel-anto DATE: Sun, 05 Apr 2009 17:25:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cachimbo Pola Paz CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): TAGS: ----- BODY:

'Colectivo da Imaxe'. Cartaz 'Fora as vosas sucias mans de Manoel-Antonio', 1979. Serigrafia, 39,1 x 26 cm

Nesta assoalhada manhã de domingo (Domingo de Ramos) em vez de ir à missa a Teresa e mais eu decidimos ir culturizar-nos um pouco ao CGAC. Dêmos umha vista de olhos às três exposições que na atualidade estám patentes ao público no Centro Galego de Arte Contemporânea: Pequena História da Fotografia, A Mancha Humana / The Human Stain e Portas de Luz. Umha Achega às Artes e à Cultura na Galiza dos 70.

Entre os tesouros expostos nesta última (e muito recomendável) exposiçom, algumhas joias bibliográficas do Grupo de Comunicaçom Poética Rompente (Alberto Avendaño, Antón Reixa e Manolo Romón). Algumhas que ainda pudem conseguir [como Facer pulgarcitos tres (A.A., 1979), As ladillas do travesti (A.R., 1979) e Galletas kokoschka non (M.R., 1979)] e outras [como o Silabario da turbina (Rompente, 1977)] que infelizmente já nom.

Nom vim na devandita exposiçom exemplar nengum d'A dama que fala (livro que também tenho a sorte de ter na minha biblioteca) nem de Fora as vosas sucias mans de Manuel Antonio (obra de Rompente que nem sequer conseguim ter nunca entre as minhas espero-que-limpas maos):

Cando en 1979 o día das Letras foi adicado a Manuel Antonio, o grupo Rompente editou un boletín, continuador das famosas Follas de resistencia poética, que se titulaba precisamente así: Fora as vosas sucias mans de Manoel-Antonio. A realidade é que os poetas vangardistas, que morren novos e que deixan unha fonda pegada nas xeracións posteriores non casan ben coas academias nen cos seus fastos.

[O Porto dos Escravos, Fóra as vosas sucias mans, 23 de Maio de 2008].

O que sim pudem ver nesta expo foi o cartaz que para a particular homenagem manoel-antoniana do Grupo de Comunicaçom Poética Rompente fijo o Colectivo da Imaxe (Menchu Lamas, Antón Patiño, Jorge Agra e Carlos Berrido), o cartaz que ilustra este post.

De Fora as vossas sujas maos de Manoel-António! tivem o privilégio de falar com um dos seus autores, Alberto Avendaño, a quem conhecim numhas Jornadas de Estudo (organizadas pola Direcçom Geral de Promoçom Cultural da Conselharia de Cultura e Comunicaçom Social da Junta de Galiza) dedicadas a Manoel-António que se celebrarom no Quartel Velho-Casa da Cultura de Rianxo há nove anos, nos dias 30 e 31 de Março de 2000.

Nesta mesma liña reivindicativa, pero tamén coa intención de que nos servise como promoción dos nosos futuros libros, creamos os Boletíns de Rompente. Por desgracia, non fomos capaces máis que de tirar un:

Foi co gallo do «Día das Letras Galegas» dedicado a Manuel Antonio. Ocorréusenos facer unha portada con esta consigna: ¡FORA AS VOSAS SUCIAS MANS DE MANUEL ANTONIO! Tratábase dunha publicación estilo fanzine na que ficcionalizabámo-la figura de M-A. Manipulamos un carnet de identidade cos seus datos, recuperamos supostos-falsos textos do poeta rianxeiro, fixemos a M-A protagonista dunha historia de ficción e aproveitamos para lanzar unha proclama a xeito de «nós, poetas galegos, pensamos que...», etc. Seica a ocorrencía non sentou nada ben en círculos galeguisras e institucionais. Para nós, M-A, era unha referencia imprescindible: a única actitude literaria coa que nos podiamos identificar dentro de territorio literario galego de calquera época.

[Alberto Avendaño, O meu Rompente].

Suponho que por modéstia o Alberto Avendaño nom o contou neste texto que acabei de encontrar agora mesmo na internet, mas acho que me digera que o bilhete de identidade com o que falsificaram o de Manoel-António era o seu. Também me dixo daquela que no falhado da casa da sua mai devia haver caixas e caixas cheias de exemplares do (ao menos por mim) cobiçado boletim. "Só espero que a tua mai nom faga como Dona Pura" [a mai de Manoel-António], parece-me que lhe digem eu.

Já agora, nom lho perguntei ao Alberto Avendaño naquela ocasiom mas o título Fora as vossas sujas maos de Manoel-António acho que é umha paródia de No pongas tus sucias manos sobre Mozart, livro com o que por aquelas mesmas datas (1979-1980 a Wikipédia hispana nom o esclarece) ganhou o Prémio González-Ruano o escritor espanhol Manuel Vicent.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sat, 29 May 2010 15:29:47 +0000 URL: http://agal-gz.org/blogues/index.php/suso/

Mecagoendios cocksucker die balle!
wanneer jy klaar is met wat ek het ek ‘n groter clowns hier!
dit is wat jy eet piesangs sal …, en kersies wat om af te gaan nie, want dit beklemtoon jou klein.
Reuse olifant Mamapollas.
Silly

en verskyn nog steeds met ‘n pynappel op sy kop …..
as jy was die verhoging van ‘n familie foto is beter in Cortell

Stupid!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 05 Apr 2009 19:57:31 +0000 URL:

Levava tanto tempo sem atualizar este blogue (um mês inteiro e quase dous sem receber comentário nengum) que o último que esperava hoje ao publicar este post era receber um comentário tam logo assim! Muitíssimo obrigado, Vixía! Deches-me umha agradabilíssima surpressa, umha alegria e umha satisfaçom! :-)

A pesquisa da frase “fora as vossas sujas maos” (e variantes) no Google produze os seguintes resultados: 5 para “fora as vosas sucias mans” (4 “de Manuel Antonio” e 1 “da Apenove"), 9 para “fora as vosas suxas mans” (2 “de Cuba e Venezuela", 1 “do galego” e 6 “de Manoel Antonio"), 1 para “fora as vossas sujas mans” ("de Manoel-António!!!") e 6 para “fora as vossas sujas maos” (4 “de Manoel-António", 1 “de Suso de Toro” e 1 “da Frente Popular"). Como podes comprovar, embora nom muito avondosos, já há alguns precedentes de reutilizaçom! ;-)

Concordo com a tua inteligente e interessante reflexom e, como nom podia ser doutro jeito, coincido ao 100% contigo no que dis a respeito de seioque.com ;-)

Um grande abraço e, mais umha vez, muitíssimo obrigado! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Sun, 05 Apr 2009 19:27:15 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

“Fóra as vosas sucias mans” é unha frase que propoño reutilizar ante calquera nova ofensiva ou mal uso contra a nosa cultura e os nosos creadores. Parabéns polo teu artigo, Suso!

Penso que un dos camiños é seguir afondando nas actitudes dos galeguistas precursores e dos seus continuadores ata o presente, que moitas veces fican esquecidas ou incomprensiblemente mal/marxinalmente comunicadas. En moitos casos é posible sacar á luz xenialidades como esta, para refrescar a memoria doutras xeracións ou ampliar a da máis novas. Hai escritas moitas verdades coma puños. Con Internet non hai escusa, todo o que teña algo debería publicalo para que estea ao dispor de todos. Afortunadamente, o grupo de Sei o que nos figestes está a cumprir esa función con intelixencia.

Apertas.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Panadería-Cafetería Suso" (Lugo) BASENAME: panaderia-cafeteria-suso-lugo DATE: Fri, 06 Mar 2009 19:34:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Padarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:

"Panadería-Cafetería Suso", Rua García Abad, 25, Lugo (Fotos: Teresa Díaz).

Dizemo-lo sempre e nom cansamos de repetí-lo: Lugo é a capital do susodito estabelecimento comercial! Para susoditos estabelecimentos comerciais, Lugo!

Com motivo da festividade do Sam Froilám, padroeiro de Lugo, publicamos em Angueira de Suso as fotos de oito susoditos estabelecimentos comerciais oito que localizamos na cidade da muralha, sete em Outubro de 2007 e mais um em Outubro de 2008: Mesón-Cervecería Suso (05-OUT-07), SusoMotor (06-OUT-07), Suso Comercial (07-OUT-07), Suso Maquinaria Agrícola (08-OUT-07), Instalaciones Eléctricas Suso (09-OUT-07), Talleres Suso (10-OUT-07), Mesón do Suso (11-OUT-07) e Frutería Suso (05-OUT-08).

Publicamos hoje as fotografias dum novo susodito estabelecimento comercial luguês que a Teresa descobriu por acaso no passado 13 de Fevereiro (sexta-feira) e me enviou na segunda-feira 16.

Trata-se da Panadería-Cafetería Suso, sita no número 25 da luguesa Rua Garcia Abad, adjacente à Avenida da Corunha.

Se nom for por acaso, nas Páginas Amarelas este susodito seria impossível localizá-lo, já que nelas figura a nome e nom ao hipocorístico do seu proprietário: Jesús Penas Pérez.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 30 Jan 2015 11:05:26 +0000 URL:

Pois é, Xabier! ;)

http://agal-gz.org/blogues/index.php/suso/2007/12/05/panaderia_suso_friol

Óbri pola info! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Xabier [Visitante] DATE: Tue, 26 Aug 2014 11:15:14 +0000 URL:

O establecemento principal desta panadería está na localidade de Friol, na mesma provincia de Lugo, e por certo fan un pan estupendo.

----- COMMENT: AUTHOR: sandra machado & yves lafrance (sao luis-ma,bresil) [Visitante] DATE: Fri, 13 Nov 2009 02:09:33 +0000 URL: http://sandramachadoimoveis.blogspot.com/

salut!!!

Parabens pelo seu site , muito engraçado.interessamte e curioso,poderias vir ate minha cidade sao luis-maranhao -brasil terra da marron alcione nos visitar e comer nossos pratos tipicos arroz de cuxá com peixe frito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Comercial Suso" (Betanços) BASENAME: comercial-suso-betancos DATE: Thu, 26 Feb 2009 10:39:45 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Comercial Suso". Rua Alcalde Beccaria, 16, Betanços.

E hoje, o dia depois da Quarta-feira de Cinzas, as fotos de um novo susodito estabelecimento comercial.

Trata-se do betanceiro Comercial Suso, loja de eletrodomésticos sita no número 16 da Rua Alcalde Beccaria (v. googlemapa).

As fotos enviouno-las o nosso amigo Antom Papa-Queijos no dia 1 do mês corrente junto com estas simpáticas linhas:

Eis estám umhas fotinhos feitas num dia de cheia. A qualidade é a habitual nas minhas fotos :D Outro dia co móvel bom, já lhe farei outras instantâneas para que nom pense a gente a verdade dos feitos: que sou um paquete!!

Nas fotos de baixo aparecem o próprio Antom (esquerda) e a mais sua namorada Luzia (direita) a quem efusivamente agradeço o "posado" e mais o envio das tais fotografias (já nom é a primeira vez).

Muitíssimo obrigado, meus amigos!!! :D

Atualizaçom SEX, 24-AGO-2012, 15H45 (GMT+2)

"Comercial Suso". Rua Alcalde Beccaria, 16, Betanços.

Encontrei-no por acaso no passado 16 de agosto à noite justo depois de ver inflar e soltar, na Praça dos Irmãos Garcia Naveira, o famoso balão pola primeira vez. Ontem à tarde voltei a passar por Betanços e aproveitei para fazer estas fotografias. Achava que nom tinha o betanceiro "Comercial Suso" na minha coleçom mas acabei de comprovar que já sim (tinha-o graças às fotos que gentilmente me enviaram no seu dia os meus amigos Antom & Luzia). Isso sim, o 'susodito' estabelecimento comercial betanceiro apresenta na atualidade um novo visual.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Aislamientos SUSO, S.L." (Vila de Cruzes) BASENAME: aislamientos-suso-s-l-vila-de-cruzes DATE: Fri, 20 Feb 2009 10:49:08 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Construções Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:

Na manhã da quinta-feira, 4 de Setembro de 2008, quando ia caminho da minha casa encontrei arrumada na Rua do Espírito Santo, quase na sua desembocadura na Avenida de João XXIII, a carrinha de mais um susodito estabelecimento comercial: Aislamientos SUSO, S.L.

Figem-lhe quatro fotografias e, quando apareceu o meu surpreendido tocaio, dei-lhe umha explicaçom mais ou menos satisfatória.

Na carrinha apareciam sefigrafiados uns números de telefone e fax com o 986 diante (o indicativo da província de Ponte-Vedra) mas nengumha informaçom sobre a sua razom social ou o seu lugar de procedência.

5 meses e 6 dias mais tarde...

Cinco meses e seis dias mais tarde, na manhã do passado dia 10 de fevereiro, indo da casa para o trabalho, topei colado no quadro elétrico (?) do Nº 34 do Lugar de Vite de Baixo (Compostela) um autocolante de Aislamientos SUSO, S.L.

Para além dos mesmos números de telefone fixo e telemóvel que na perua, nele figurava a razom social (Lugar de São Tomé de Obra, 40, Vila de Cruzes) deste novo susodito estabelecimento comercial cujas fotografias publicamos hoje.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Espectáculos Suso" (Melide) BASENAME: espectaculos-suso-melide DATE: Thu, 29 Jan 2009 11:37:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Espectáculos Suso" (Melide)

Na passada quinta-feira, 22 de janeiro de 2009, há hoje umha semana, recebim do meu caríssimo amigo e parceiro Heitor Lopez de Castro um e-mail que tinha por assunto "BI HESTO I ME HACORDÉ DE TI" e trazia um link à fotografia que podedes ver acima.

Perguntei ao meu amigo Heitor onde tinha visto haquilo
e se a tal fotografia era sua, ao que o Heitor respondeu: "Nom é minha, estava no facebook de Anxo Lois Diéguez Pardo."

A verdadeee... nom sei onde vamos ir parar com esta invençom do diabo (que todo deus abençoou) &#59;)

E esses que aparecem na fotografia nom som os d'A Magnifique Bande dos Homes sen Medo? Alguém pode dizer-me onde e quando foi feita esta fotografia? Para já, muitíssimo obrigado a quem me der a resposta correta! Obrigadissimo também ao amigo Heitor, evidentemente! :)

----- COMMENT: AUTHOR: madeingaliza [Visitante] DATE: Mon, 02 Feb 2009 22:38:12 +0000 URL: http://blogoteca.com/madeingaliza

Desde Made in Galiza aqui vai um dardo, meu amigo!

vemo-nos nas ruas!

«Com o Prémio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogger, emprega ao transmitir os mesmos por culturais, éticos, literários, pessoais, etc., que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Este Prémio obedece a algumas regras:
1) Exibir a imagem do selo;
2) Linkar o blog pelo qual se recebeu a indicação;
3) Escolher outros blogs a quem entregar o Prémio Dardos.»

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 02 Feb 2009 09:06:05 +0000 URL:

Segundo me informa, via e-mail, o amigo Óscar O. Payno: “Essas som as provas de som de GalegoZ en Monterroso, no Festival Sítio Distinto…”. Obrigadom polo esclarecimento, amigacho! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Boicoz! BASENAME: boicoz DATE: Wed, 21 Jan 2009 11:36:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

"Boicoz". O Pasquim Nº 12 (NGZ Nº 67), pág. 3.

No penúltimo post de Angueira de Suso publiquei as minhas colaborações n?O Pasquim Nº 6, que foram duas. Publico neste post a minha única colaboraçom no último número do Suplemento de Humor do Novas da Galiza (O Pasquim Nº 12, de Junho-Julho de 2008): Boicoz.

Esta ideia do Boicoz ocorreu-me na manhã do domingo 20 de Abril de 2008 enquanto passeava polo Passeio da Ria no Concelho de Oleiros.

Boicoz é um trocadilho que mestura a palavra boicot (boicote -do inglês boycott- ou boicotagem ?do francês boycottage- em castelhano) com a palavra coz (couce ou coice em espanhol). Dizer, por se houver aí alguém de fora, que o jornal La Voz de Galicia, libelo regionalista/espanholista Made in La Coruña, é popularmente e com todo o merecimento conhecido na Galiza por La Coz.

Para compor a palavra Boicoz (e mais as duas frases nem 1? para La Coz de Galicia e nom com o meu dinheiro) empreguei a tipografia da cabeceira de La Voz de Galicia e dos seus cadernos comarcais La Voz de A Coruña, La Voz de Carballo, La Voz de Ferrol (que já tinha de antes) e La Voz de Barbanza (que tivem de fazer vir do Barbança, propositadamente, para a ocasiom).

No sábado 10 de Maio de 2008 pedim via SMS ao meu bom amigo Eduardo Maragoto, professor de português na EOI-Compostela, que digesse a algumha das suas alunas ribeirás se podia trazer-me de Ribeira um exemplar atrassado do caderno comarcal barbanceiro de La Voz.

Apenas dous dias depois, na segunda-feira 12 de Maio, recebim um SMS do Edu dizendo assim: ?Suso, tés um LA VOZ DE BARBANZA na Gentalha, em teu nome. Bjs?.

Devim começar a trabalhar no design naquela altura (ainda que pode ser que nom, pois daquela andava super-atarefado com os preparativos do DdoOLeR 2008) mas o que sim sei (porque assim consta no meu diário) é que nom o terminei até a quarta-feira, 18 de Junho de 2008 (?por fim!?).

Na segunda-feira 23 de Junho o Gerardo Uz (maquetista) e mais eu (coordenador) maquetamos na sua morada, cotovelo a cotovelo, o último número d?O Pasquim.

Umha semana e um dia depois, na terça-feira 1º de Julho, conjunta e (in)separavelmente com o Nº 67 do Novas da Galiza (pdf), recebim na minha morada O Pasquim Nº 12 (pdf), o último número d?O Pasquim, incluindo o meu Boicoz na sua página três.

BOICOZ!
Nem 1? para La Coz de Galicia!
Nom com o meu dinheiro!

Agradecimentos
Promessas som dívidas (e bem nascidos é ser agradecidos) assim que muitíssimo obrigado ao amigo Eduardo Maragoto, à Susana Rodríguez (aluna ribeirá, barbanceira, do Edu) e ao José Manuel Pozo (colega de andar, também ribeirám, da Susana que foi quem realmente foi a Ribeira e trouxo para mim o caderno barbanceiro de La Voz).

----- COMMENT: AUTHOR: Polaino [Visitante] DATE: Wed, 11 Feb 2009 16:36:00 +0000 URL:

Melhor impossível Suso. Segue assim. Um abraço.

----- COMMENT: AUTHOR: Eu [Visitante] DATE: Tue, 10 Feb 2009 17:17:55 +0000 URL:

Se quereis deixar pegada nas estatísticas que usam os responsáveis do web site de La Coz acrescentai este link aos vossos marcadores:

http://www.google.com/search?q=lacozdegalicia&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=org.mozilla:pt-PT:official&client=firefox-a

Desse modo fica-lhes registado nas estatísticasdesde onde entras: uma pesquisa no google por “lacozdegalicia".

É parvoice, mas molava que se notasse… A ver se acabam por ter que mudar as estratégias de posicionamento web…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 25 Jan 2009 17:46:42 +0000 URL:

Acabei de agradecer no seu blogue (muito obrigado, Galeguzo! ultimamente quase nom tenho tempo para visitar o meu blogue… quanto mais os dos amigos!) e agora agradeço aqui também: Obrigadíssimo, amigo Séchu! Tu sim que és muito! :) (Eu nunca serei tanto X-)))

----- COMMENT: AUTHOR: Galegzo [Visitante] DATE: Sat, 24 Jan 2009 20:03:57 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

De nada, de nada, mas dá também agradecimentos para o amigo Séchu, quem ademais che envia um piropo ;) http://www.blogoteca.com/madeingaliza/index.php?cod=53967

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 23 Jan 2009 18:40:42 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado ao gerardinho2000 pola chuçada (que tantas visitas me está a reportar) e a todas/os as/os amigas/os que chuçaram (91) e/ou comentaram a mesma (14) em Chuza.Org! :) [SEX, 23-JAN-09, 19h40 (GMT+1)].

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: No LXXX aniversário de Tintin BASENAME: no-lxxx-aniversario-de-tintin DATE: Sat, 10 Jan 2009 18:00:58 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: BD / HQ CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Premir na imagem para alargá-la.

Polo Telediario 1 de La Primera fiquei sabendo que hoje, 10 de Janeiro de 2009, era o octogésimo aniversário de Tintin.

Agora mesmo, lendo o Jornal de Notícias, acabei de confirmá-lo:

Tintin faz 80 anos
00h03m
F. CLETO E PINA

Foi a 10 de Janeiro de 1929 que o belga "Le Petit Vingtième" publicou a primeira prancha de Tintin, dando início a uma aventura cuja actualidade, 80 anos depois, se faz cada vez mais distante da banda desenhada.

Aproveito a efeméride para publicar aqui, em Angueira de Suso, a página que, por encomenda da Casa da Juventude de Ourense e para comemorar o septuagésimo aniversário da personagem de Hergé, figera há dez anos para o Fanzine das Jornadas (Revista das XI Jornadas de BD de Ourense).

Aproveito também para publicar as amabilíssimas palavras que o amigo Henrique Torreiro (a quem, curiosamente, pudem escuitar hoje mesmo após o Telediario quando desliguei a televisom espanhola e liguei a Rádio Galega) me dedicava a mim e a minha -"alguém dirá que envenenada"- homenagem a Tintin e Popeye (que em 1999 estava também de LXX aniversário e que, portanto, neste 2009 completa também 80 anos) na página 30 do Fanzine das Jornadas.

Premir na imagem para alargá-la.

Segundo consta no meu diário daquele ano esta página desenhei-na em Cangas do Morraço entre o domingo 12 ("deitei-me contra as 5 AM") e a segunda-feira 13 de Setembro de 1999 ("terminei-na à última hora da tarde").

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 16 Jun 2010 11:43:32 +0000 URL:

Após os quatro últimos comentários do meu amigo invisível, por fim um comentário nom insultante! Obrigado, amigo kb… ou será que “preguiçoso” também é um insulto? ;)

----- COMMENT: AUTHOR: kb [Visitante] DATE: Wed, 16 Jun 2010 11:07:20 +0000 URL:

a ver se fais mais bd, preguiçoso

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Tue, 20 Jan 2009 12:41:50 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Prezado Suso, parece que ao visitante “a ti que che importa” lhe entrou cagarria (intelectual) por comer espinafres em mau estado que mercara nos Hipermercados Hipocampo ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 19 Jan 2009 09:46:11 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Caro troll:

Antes de mais, muitíssimo obrigado polas visitas e polos teus amáveis comentários.

E já para para finalizar… reconhecer que tens um estilaço! ;-)

Cumprimentos.

----- COMMENT: AUTHOR: a ti que che importa [Visitante] DATE: Fri, 16 Jan 2009 21:52:44 +0000 URL: http://traballosdemerda.com

meu escribe en jallejo,non nesa merda ome

pareces maricon e todo

eke si meu

esa e a miña suxerencia

[/b]e nn sexas tan creido[/b]

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: As minhas colaborações n'O Pasquim Nº 6 BASENAME: as-minhas-colaboracoes-n-o-pasquim-no-6 DATE: Fri, 26 Dec 2008 18:30:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

"Pavo Real", "O Pasquim" Nº 6 ("Novas da Galiza" Nº 61, de 15-DEZ-07 a 15-JAN-08), pág. 4.

A cinco dias para o final do ano, actualizamos este semi-abandonado blogue (a culpa do seu semi-abandono tem-vo-la estoutro novo blogue) publicando aqui as duas cousinhas que há um ano (é incrível como passa o tempo!) figéramos para a sua publicaçom no sexto número d'O Pasquim, desaparecido Suplemento de Humor do Novas da Galiza que saiu a lume durante um ano, de Julho de 2007 a Julho de 2008.

O Pasquim Nº 6, intitulado 2007: 'Annus Horribilis? para o humor e do que já temos falado aqui com anterioridade, podedes descarregá-lo em pdf premendo aqui.

"Il Postino", "O Pasquim" Nº 6 ("Novas da Galiza" Nº 61, de 15-DEZ-07 a 15-JAN-08), pág. 3.
----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Fri, 26 Dec 2008 20:45:23 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Cumpre reconhecer-che o mérito e o acerto de visualizares a necessidade (que partilhei e partilho) de que esse número d’O Pasquim se voltasse para o Annus Horribilis para o Humor.

Lembremos que no alvo estavam o feche na Galiza dos Aduaneiros sem Fronteiras, o sequestro de um exemplar de El Jueves e a demanda contra dous desenhadores de um colaborador do suplemento Caduca Hoy (diário Deia).

Precisamente nos últimos dias conhecemos a feliz notía de que Rodríguez&Ripa (os desenhadores) e o colaborador (o filósofo Lococo) foram absoltos… portanto, espero algum artigo teu valorando esta (bem feliz) notícia :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Aluminios Suso (Alvedro) BASENAME: aluminios-suso-alvedro DATE: Mon, 01 Dec 2008 14:00:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Carpintarias e Cristalarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:

"Aluminios Suso?. Rua Irmáns Brañas Fernández, Alvedro (Culheredo). Fotos: Teresa Díaz & Suso Sanmartin.

Dous meses e um par de dias depois de que foram feitas publicamos hoje aqui, em Angueira de Suso, as fotos dum susodito estabelecimento comercial que se encontra no (graças ao seu aeroporto) famoso lugar de Alvedro, no Concelho de Culheredo.

As fotos figemo-las a Teresa e mais eu no domingo 28 de Setembro, no caminho de regresso a Compostela depois de passarmos o dia no Concelho de Oleiros (em Perilho e na Praia de Bastiagueiro).

Para aquela jornada dominical marcara-me como objectivo fotografar três susoditos estabelecimentos comerciais que tinha localizados no guia QDQ e que ficavam mais ou menos de caminho: Suso Stylo (Corunha), Aluminios Suso (Culheredo) e Excavaciones Suso (Ordens). Inesperadamente apenas um dos três, Aluminios Suso, fazia ostenaçom no seu rótulo do hipocorístico Suso (um de três, pouca efectividade, apenas um 33%) :(

Suso Stylo (Corunha)

O cabeleireiro Suso Stylo (Rua Fuente Álamo, 3) já tentáramos localizá-lo cinco meses antes, no domingo 20 de Abril, dia em que figéramos as fotos do Bar Suso. Mas daquela nom o conseguíramos porque (como dous dias depois explicávamos no post dedicado ao susodito bar corunhês) ?no pré-constitucional e deteriorado mapa de 'La Coruña' que levávamos connosco nom dêmos localizado a tal rua Fuente Álamo?.

Desta volta conseguimos localizá-lo sem problema mas, para a nossa dessagradável surpresa, o nosso eu-fônico nome tinha sido banido do rótulo de Suso Stylo. Tocaio, desculpa-me mas... que total falta de estilo! :(

?Suso Stylo? (Rua Fuente Álamo, 3, Corunha) e ?Excavaciones Suso? (Casilhas, 76, Ordens), dous 'susoditos' estabelecimentos comerciais que nom fam gala dum grande orgulho 'susista' que digamos.

Aluminios Suso (Culheredo?)

Dar com Aluminios Suso nom resultou assim tam fácil. Segundo o guia QDQ Aluminios Suso estava em: ?C/ José Espronceda, 4, Culleredo?. Mas no concelho de Culheredo ninguém parecia saber onde era que ficava a rua que levava o nome do autor da Canción del Pirata. Finalmente numha céntrica cafetaria (Café-Bar Canedo? o mesmo onde à Teresa lhe explicaram um dia como chegar ao circo d?A Cultura Circula) emprestaram-nos um mapa onde por fim pudemos localizar a misteriosa rua. A rua José Espronceda resultou estar no famosíssimo lugar de Alvedro, na culherdense paróquia de Sam Giao de Almeiras! (mas como oficialmente os lugares e as paróquias nom existem...) :(

Afinal Aluminios Suso nem sequer estava em tam romântica rua. Pola rua José Espronceda acedíasse a um parque empresarial com várias naves industriais, grisalhas, todas iguais, numha das quais se sediava Aluminios Suso. À direita da montra do susodito estabelecimento, fazendo esquina, pode ver-se umha tabuleta azul (hasteada que nem bandeira azul num mastro igualmente azul) onde em letras brancas se lê mui claramente: ?Rua Irmáns Brañas Fernández?.

A completa reportagem fotográfica sobre Aluminios Suso foi feita pola Teresa e mais por mim por volta das 19h15-20 (GMT+2).

O fotógrafo fotografado (à esquerda) e mais as suas fotografias (à direita). Fotos: Teresa Díaz & Suso Sanmartin.

Excavaciones Suso (Ordens)

A terceira e última parada do nosso saffari fotográfico caminho de Santiago era no Concelho de Ordens.

Paramos no centro da vila para perguntar pola Calle Casillas onde segundo o guia QDQ se encontrava Excavaciones Suso. Casilhas resultou nom ser o nome de nengumha rua ordense mas o dum lugar que se encontra ao pé da estrada um par de kilómetros mais para frente!

Tal e qual nos indicaram, depois de andado mais um pouco em direcçom a Santiago encontramos à direita umha concesionária da SEAT, Talleres Soneira, e à esquerda o Café-Bar Os Golfinhos.

Arrumamos o carro ao pé da estrada e internamo-nos na aldeia das Casilhas. De longe já vim arrumada no quintal dumha vivenda unifamiliar a maquinária de Excavaciones Su... árez?!? 88| Umhas vizinhas que por ali passavam confirmaram-nos que aquela casa era a do susodito. Inexpicavelmente o meu tocaio decidira nom rotular o seu nome (o nosso nome) nas suas máquinas e sim o seu apelido. :'( Eram por volta das 20h05 (GMT+2).

----- COMMENT: AUTHOR: servando [Visitante] DATE: Tue, 06 Oct 2009 21:32:24 +0000 URL: http://agal-gz.org/blogues/index.php/suso/2008/12/01/aluminios-suso-alvedro

MAIS VOSES ESTADESPOLO MUNDO COMA PUTES CABRITINHAS

----- COMMENT: AUTHOR: cagonodemoxodermerdaostia@hotmail.com [Visitante] DATE: Tue, 02 Dec 2008 18:35:58 +0000 URL: http://cadonodemoxodermerdaostia.com

creido
esta pax e pssssss…
non teño palavras
xd
a ke xogas meu??


----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Tue, 02 Dec 2008 17:24:47 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Suso, Teresa, estais feitos uns detectives… tendes de procurar algum inventor que vos crie um “Suso-calizator” ou similar :D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 02 Dec 2008 10:43:03 +0000 URL:

Celebro que gostasses, Anónima Alumínica! :) E essa piscadela de olho… o que quer dizer? ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Anónima [Visitante] DATE: Mon, 01 Dec 2008 21:47:44 +0000 URL:

Linda e meticulosa reportagem e lindas fotos também ;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Croisantería Suso" (Corunha) BASENAME: croisanteria-suso-corunha DATE: Wed, 19 Nov 2008 11:18:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Padarias Suso CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS TAGS: ----- BODY:

?Croisantería Suso?, Rua da Galeira, Nº 31, Corunha (Foto: ntonel).

Já notariam que a actividade em Angueira de Suso é ultimamente ainda menor do que a habitual. Que nom notaram nada?!? Bom... nesse caso... tanto fai!

A culpa desta desaceleraçom no ritmo de publicaçom de novos artigos (por enquanto nom falaremos em crise) tem-na um novo e entusiasmante projeto coletivo no que andamos meio envolvidos (se tiverem muita curiosidade podem conferir a barra lateral! &#59;) ).

Actualizamos hoje com a publicaçom da foto dum novo susodito estabelecimento comercial enviada polo meu velho amigo ntonel na passada quinta-feira 13 de Novembro, Dia da Dignidade (?)

Segundo o ntonel me conta no seu e-mail a foto foi feita na cidade da Corunha no passado mês de Julho numha rua cujo nome nom me soubo precisar:

Non sei a rúa. É na zona vella, moi perto das oficinas dun periódico no que traballa unha parente miña.... El Ideal...? Pode ser? Así que non podo precisar o nome da rúa. Florida...? de la franja...? Nestas que hai sitios pa comer, moita sapateria... etc... Non che sei o nome.

Há alguém aí que poda dar umha maozinha com a geolocalizaçom? Para já, muitíssimo obrigado! E muitíssimo obrigado ao amigo ntonel por lembrar-se de mim e, sobretudo, por enviar-me tam suculenta foto! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: cagonodemoxodermerdaostia [Visitante] DATE: Tue, 02 Dec 2008 20:11:44 +0000 URL: http://enviameuncorreo.com

eres un creido…..
jaja….
haha
haha
pd:haha

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Tue, 02 Dec 2008 17:23:47 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Estes comentários demonstram que:

1) internet ainda tem o seu encanto e romanticismo ;)

2) o mundo é, decerto, bem pequeno :D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 21 Nov 2008 10:31:17 +0000 URL:

Editado! Mais umha vez, reitero, muitíssimo obrigado! Espero que o carné de crunhês por isto nom che seja retirado! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Thu, 20 Nov 2008 13:37:13 +0000 URL:

Vinha-me desculpar. Serei asno. Vão-me tirar o meu carné de Crunhês. Não é a rua da Franja é a da Galeira.

Pois não acho que não conheço esses amigos.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 20 Nov 2008 13:15:32 +0000 URL:

Lo flipo!!! Lo flipo!!! Assim que esse era o fugidio Bar Suso que no passado 20 de Abril e com tam pouco sucesso tanto procurei! E que forma tam rocambolescamente engraçada de descobri-lo! Por puro acaso, graças a três amigos meus que, se nom me equivoco, nom se conhecem entre si! Que genial!!! :)

Caríssimos Ernesto, Meixidinho e ntonel, muitíssimo obrigado aos três!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Thu, 20 Nov 2008 07:44:18 +0000 URL:

Meu caro Suso. Esse é o local original do mítico bar SUSO que depois deu origem a Sucursal do Bar Suso, que se tornou principal. Sem mais aviso fecharam uma tempada (quando tu tratavas de o localizar) reabriram com essa “tapadeira” de Croisanteria /padaria encoberta.

Efetivamente está na Rua da Franja, mas quase na esquina com a Caleixa da Trompeta, por Fronte à Praça sem nome (onde antes estava o Cinema Corunha) e que agora atravessa até Santo André.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 19 Nov 2008 17:19:27 +0000 URL:

Se o Meixidinho nom se engana / como engana a fantasia / é-che na Rua da Franja / a tal croissantaria…

Ha, ha, ha!!! Muitíssimo obrigado, caro amigo, por tam fadista geolocalizaçom!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: meixidinho [Visitante] DATE: Wed, 19 Nov 2008 14:35:39 +0000 URL:

Estimado:

Se o meu sangue nom me engana, estamos a falar da Rua da Franja, ao lado do jornal A Opiniom e de Casa Ramona

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Yes, weekend! BASENAME: yes-weekend DATE: Fri, 07 Nov 2008 12:46:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Publicamos hoje umha parida paródica que nos ocorreu ontem (quinta-feira, 6 de Novembro de 2008) às 12h22 (GMT+1) enquanto assistíamos este vídeo no YouTube. Yes, weekend!

Ainda que, polos vistos, nom sou eu a primeira pessoa a quem ocorreu esta ideia, publicamo-la na mesma porque nom todo o mundo tem a sorte de ter um nome artístico tam parecido com o do presidente eleito dos Estados Unidos &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Mon, 10 Nov 2008 11:38:31 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

És mui grande, Oba… O’Sanma, grandíssimo :)

Mágoa que leia isto em segunda-feira… a ver se para o próximo week-end o lembro :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Vigoën Vivo" BASENAME: vigoen-vivo DATE: Sun, 26 Oct 2008 13:13:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARTAZISMO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Cartaz do III Concurso Pop-Rock "VIGO EN VIVO". Colagem. 35x50 cms.

Aconteceu-me há onze anos por estas datas. Com o cartaz que acima podedes ver, em Outubro de 1997 fum o ganhador do III Concurso Pop-Rock e Design VIGO EN VIVO. Na modalidade de design, evidentemente. Ainda nom havia um mês que finara em Nova Iorque o pintor pop estado-unidense Roy Lichtenstein.

O cartaz, feito com a técnica da colagem, devim fazê-lo entre a terça-feira 14 e a sexta-feira 17 de Outubro porque, segundo consta no meu diário de 1997, no dia 14 fum a Copimeu (R. Eduardo Vincenti, 47, Bueu) fazer as fotocópias que precisava para a sua realizaçom e no dia 17 entregá-lo à Casa da Juventude de Vigo.

Segundo consta também no meu diário no dia a seguir, sábado 18 de Outubro, jornada de reflexom das Autonómicas?97, ?ao chegar na casa [dos meus pais] deram-me a boa nova: ganhara o concurso?.

Apenas umha semana depois, no sábado 25 de Outubro, fiquei grande e gratamente surpreendido quando, chegando a Bueu de autocarro, pudem ver através das suas janelas todo o centro da vila empapelado .

Na quinta-feira 30 de Outubro cheguei-me até a viguesa Sala Nova Olímpia para que o pessoal da TVG me figesse umha entrevista. Dentro dumha reportagem sobre o concurso Vigo en Vivo, a entrevista seria emitida n?A Revista do Tele-Jornal na segunda-feira 10 de Novembro. Quando cheguei na casa dos meus pais eu já saira (mamá e papá viram-me) mas eu só cheguei a tempo de ver os músicos (participantes na modalidade de Pop-Rock) e o Salvador Gómez Arias (organizador do concurso).

Na quarta-feira dia 12 de Novembro, dous dias após a minha apariçom televisiva, fum com o meu irmao Nando à Biblioteca da Casa da Cultura de Bueu fotocopiar umha Carta ao director mui crítica com o meu cartaz aparecida quatro dias antes, no sábado 8 de Novembro, no Faro de Vigo. Na dita carta (que reproduzimos ao final) o seu autor (um tal Juan C. Rivas, de Ourense, que com menos fortuna do que eu poderia ter participado também no concurso) qualifica o meu cartaz de ?rematadamente malo, feo y engañoso?. Julgai vós mesmas/os!

O Meu (primeiro) PC

O prémio na modalidade de design consistia num Macintosh performa 460 segundo o regulamento do concurso. Mas como daquela nom tinha um peso para comprar monitor, teclado, etc., acordei com o Salva Gómez trocá-lo por um vulgar Pentium 200 (com o seu monitor, o seu teclado, rato, modem, impressora, etc.).

Na segunda-feira 24 de Novembro de 1997 fum a Vigo à loja de informática Marka (Av. Madri, 11) a polo que foi o primeiro computador que tivem na minha vida e o único até que em 2 de Novembro de 2004 comprei no Lidl de Mos/Porrinho (em Valença do Minho as promoções do Lidl nom eram as mesmas) o portátil em que agora mesmo escrevo e que, portanto, já vai fazer quatro vigorosos anos.

Vigo en Vigo [sic]

Acabo de ver el cartel ganador del concurso municipal de diseño gráfico ?Vigo en Vigo? [sic], y estoy anonadado por lo que he visto. Ignoro quién es su autor/a, ni quienes formaban el ?exquisito? jurado de ?entendidos?, pero desde luego se han lucido. El caso es que aún no sé si el cartel de marras es una especie de chiste malo, formado por un simplón juego de palabras y símbolos, o una demostración flagrante de ?peloteo? y publicidad gratuíta a la casa Citroën. Seguramente se trate de ambas cosas a la vez. Lo que sí sé, y salta a la vista de cualquiera con un mínimo sentido estético (y ya no digamos con una mínima idea de diseño), es que el cartel es rematadamente malo, feo y engañoso. ¿Cómo puede ganar un concurso algo semejante? ¿Es que no había nada mejor que ?eso? entre todos los participantes? Seguramente al jurado le ha parecido muy ingeniosa esa marca del revés, formando dos uves y ese juego sintáctico ?VIGOËN-CITROËN?. Pues bueno? No soy vigués, pero me parece bastante penoso que el binomio Vigo-Citroën esté tan anclado en la conciencia de algunas personas que se llegue a casos tan ridículos como este, mezclar (descarada y gratuitamente, para mas inri) a una empresa de automoción con el anuncio de un concurso de Pop-Rock. ¡Que tendrán que ver ambas cosas! ¿Es que en Vigo sólo existe la Citroën? ¿No es un poco triste que se le conozca más por una fábrica de coches que por un monumento, un paisaje, un edificio, un personaje ilustre o una obra de Arte, por poner varios ejemplos? Y que conste que no tengo nada en contra de una empresa que da de comer a tanta gente. Pero una cosa es el reconocimiento ?el agradecimiento, incluso- y otra el servilismo y la tontería fuera de lugar. Para publicidad, y este año más que nunca, la del Celta, que para eso se la pagarán.

Juan C. Rivas. Ourense.
[FARO DE VIGO, SEX, 08-NOV-1997, pág. 36 (Cartas)]
----- COMMENT: AUTHOR: Camarada 64 [Visitante] DATE: Fri, 28 Oct 2011 12:05:08 +0000 URL: http://www.facebook.com/catlanders

Cartazo Very-Very SUSO! Parabens o melhor deito… VVictoria! (i jouda-se o Juan C.)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Mon, 03 Nov 2008 10:16:21 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

O que é penoso é que o director do Faro de Vigo permita publicar cartas de burros adoutrinados.

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Tue, 28 Oct 2008 16:25:24 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

É boa, é! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 26 Oct 2008 19:19:39 +0000 URL:

Bom, o pessoal do júri opinou e a sua opiniom foi-me mui favorável, nom me podo queixar. Já a opiniom do tal Juan C. Rivas é outra cousa, os seus motivos teria. A tua é boa, nom é? Pois daquela, muitíssimo obrigado, Galeguzo! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Sun, 26 Oct 2008 14:29:07 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Homem, eu não entendo muito de arte, mas o desenho parece mui-mui da cultura pop americana, com essa deconstrução dos símbolos do quotidiano para convertê-los em novas expressões artísticas. Se fosse uma lata de tomate decerto o pessoal opinava diferente :p http://www.marnet.com.br/aulaonline/Textos/popart/pop01.jpg

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Eu nom som esse! BASENAME: eu-nom-som-esse DATE: Wed, 15 Oct 2008 07:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Foi em 15 de Outubro de 2006, domingo, há hoje justo dous anos. Quando acordei o meu homónimo estava alí. Na televisom. Na Televisom de Galiza. No Informativo Local de Santiago de Compostela mais concretamente. Chamava-se Xesús Sanmartín, igual a mim, e segundo também dizia o rótulo era polícia, ?policía en prácticas? (!).

Ainda que pudem vê-lo perfeitamente, ouví-lo nom pudem (a TV estava sem volume). Após o pequeno-almoço na varanda do nosso quarto (na casa As Pipas, Reboredo, São Vicente, Ogrobe onde nos encontrávamos de fim-de-semana com motivo da celebraçom da XLIII Festa do Marisco) a Teresa e mais eu regressamos à cama e, com a TV ligada, ficamos dormidos de novo.

?Ali o vén?

Vinte e cinco meses e meio antes, no domingo 24 de Agosto de 2004, apareceu publicado nas páginas de La Voz um mui cursi Relato de Verão intitulado Ali o vén e assinado por um autor novel, ?veciño de Santiago de Compostela? e ?Mestre de ensino secundario? [sic] como eu chamado Xesús Sanmartín.

Ali o vén, Xesús Sanmartín, La Voz de Galicia (DOM, 29-AGO-04), pág. 10.

Algumhas pessoas conhecidas minhas chegaram a pensar que o susodito autor era eu. Ainda que quem bem me conhece sabe que eu (fuso-reintegracionista convicto) nunca começaria um relato dizendo assim: ?Érguese ás 4.30-5.30 na Península? &#59;)

?Xogos de palabras?

E há apenas um mês e três dias, no passado 12 de Setembro, sexta-feira à noite, cruzo-me na escada do Atlântico com o humorista Gonzalo Vilas e vai o tio e pouco mais oferece-me umhas hóstias. A razom era umha Carta ao Diretor, crítica com a sua pessoa e o seu desempenho enquanto ?responsável dos passa-tempos d?A Nossa Terra?, aparecida no último número do Periódico Semanal Galego (ANT Nº 1.324, de 11 a 17 de Setembro de 2008, pág. 8) sob a sinatura dum vizinho de Santiago de Compostela coma mim chamado Xesús Sanmartín.

Xogos de palabras, Xesús Sanmartín, ANT Nº 1.324 (11-17 de Setembro de 2008), pág. 8.

Ignoro se estes três tocaios, homónimos meus som a mesma pessoa ou nom o som (o certo é que os dous últimos bem poderiam sê-lo). O que podo prometer e prometo ao amigo Gonzalo e a todo o mundo é que eu, que no bilhete de identidade também me chamo ?Xesús Sanmartín? (com xis de xará), nom som esse! Nengum desses três!

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Wed, 22 Oct 2008 11:17:24 +0000 URL: http://madeiradeuz.org

Não, o que tem mais heterónimos sou eu, mas a maior parte morreram em 2004/2005 :D

Suso, acho que agora se pode mudar legalmente o nome para algum hipocorístico com entidade própria… Deixa isso de “Jesus/Xesús” e Susiza-te :D!

----- COMMENT: AUTHOR: Liutenant Blueberry en personne (ou como se diga) [Visitante] DATE: Sat, 18 Oct 2008 07:24:20 +0000 URL:

Mais, o que é que é que non entende vocé? Ainda que non estés familiarizado coa personaxe, podes apreciar nas afotos cómo borraban pistolas, personaxes sustituidos pola onomatopea “Bang", coitelos suprimidos, marxes redibuxadas… Acaso esto non é un delicto de “leso comic", susceptibel de ser investigado por Garzón, retroactivamente? Hei dito!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 17 Oct 2008 10:11:40 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Amigo Gonçalo, és a “pessoa” com mais heterónimos que conheço ("pessoalmente"). É claro que escreves meio português, porque escreves (more or less) na Norma ILG-RAG que é galego-portuñol, meio castelhano/espanhol e meio galego/português! ;-)
Quanto ao do Blueberry devo dizer-che que, infelizmente, je ne compren pas! :-(

----- COMMENT: AUTHOR: Gonçalo de Berçeo, ou Vilas. [Visitante] DATE: Wed, 15 Oct 2008 20:58:32 +0000 URL:

Por certo, se queres ver unhas curiosidades sobre cómo Bruguera censuraba os comics de Blueberry, acode aquí.
http://ltblueberry.blogspot.com/
A ver si o vou enchendo de todo tipo de curiosidades sobre a personaxe, das que teño recopiladas.Esto apenas o puxen onte (xa escribo medio portugués, oichh!!)

----- COMMENT: AUTHOR: Xesus Sanmartín III de España e V de Alemania, e IV de Portugal [Visitante] DATE: Wed, 15 Oct 2008 20:53:54 +0000 URL:

Eu tampouco o sabía. Eis a inxente laboura educativa dos meus crucigramas (pois son eu quen llos fai ao G. Vilas ese).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 15 Oct 2008 19:16:40 +0000 URL:

Hahaha!!! Caro tocaio (mais um!), di-lhe ao teu amigo Gonzalo Vilas que, embora o conto nom fosse exatamente assim, pugem o de que “pouco mais” me oferecera umhas hóstias para fazer a história um bocado mais interessante: a violência sempre vende! ;)

Quanto ao da “ranilha” se che sou sincero eu, como que me chamo Xesús Sanmartín, que nom cho sabia. Quem sim cho sabia era, como nom podia ser doutro jeito, o Isaac Alonso Estraviz:

Ranilha s. f. (1) Saliência mole, de forma triangular, na planta do pé do cavalo. (2) Doença que atacava as vacas e que precisavam ser sangradas [esp. ranilla].

----- COMMENT: AUTHOR: Suso Sanmartin III [Visitante] DATE: Wed, 15 Oct 2008 17:31:13 +0000 URL:

Eu tamén me chamo Suso Sanmartin (concretamente, III de España e V de Portugal), e estou indignado pola última proliferación de Susos Sanmartines, esto xa parece o filme aquel dos ladróns de corpos que salían dunhas vainas…
E segundo afirma o meu amigo G. Vilas, non che ía dar unhas hostias, máis que nada porque pondera a diferencia de envergadura entre un e outro.E ademáis engade que si a “ranilla” é unha enfermidade das vacas, todo galego, e todo Suso Sanmartín debe sabelo, qué caralho!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Insuficiência? BASENAME: insuficiencia DATE: Tue, 14 Oct 2008 21:19:54 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

Logótipo Sergas sobre Ikurriña. "Tempos Novos" Nº 137 (Outubro de 2008), pág. 7.

Quando hoje, por volta das 15h15 (GMT+2), cheguei à minha casa encontrei na caixa do correio o último número da revista Tempos Novos.

Na sua sétima página o Nº 137 de Tempos traz o design que para ilustrar os Dias Soltos do Bieito Iglesias figem no passado 25 de Setembro (quinta-feira) e enviei no dia a seguir (sexta-feira 26).

Na véspera, a amiga Belén Puñal enviara-me o texto via e-mail e informara-me ao telefone de que era a mim a quem correspondia ilustrar este mês os Dias Soltos (o Xosé Tomás Díaz Teijo e mais eu alternamo-nos na ilustraçom da secçom que o Bieito Iglesias tem na revista Tempos).

Segundo a Belén (que é quem leva conta de tudo) já me correspondia a mim fazê-lo no mês anterior mas no mês anterior os Dias Soltos nom sairam ao nom poder o Bieito Iglesias acudir ao encontro mensal com as leitoras e os leitores da revista Tempos por motivos de saúde materna.

Até que a Belén mo contou eu, que no mês de Agosto estivem como ausente, nom sabia nada de todo isto. Mais tarde, quando lim o texto do Bieito a ilustrar, fiquei sabendo mais detalhes:

Setembro 5
INSUFICIENCIA
Nos doce anos ou máis que levo escribindo este dietario nunca faltara á cita mensual cos lectores de Tempos. O mes pasado, no entanto, non puden entregar os Días soltos, se cadra porque vivín días insólitos (solto, do latín solitu e pronunciado co primeiro o pechado, quer dicir habitual, frecuente, acostumado, oposto a día santo ou festivo). Non é que andivese festexando, sucedeu que percorrín un calvario por ver se operaban á miña nai dunha insuficiencia cardíaca. Por último tiven que acompañala a unha clínica privada vasca, onde o doutor Goiti lle mudou dúas válvulas, salvándoa polo momento do afogo e a defunción (eskarrik asko!). Todo pola nosa conta e risco, porque os médicos da seguranza social non interveñen cun perigo de morte do 19% (así mo estamparon nun papel). Pregúntome pra qué valen eses cirurxiaos que se escoan dos riscos. Deben ser moi bos operando doentes saos como buxos. Aforrareilles o relato da morosidade e insidia burocrática que reina no sistema público de saúde, así como a descrición dunhos galenos empertigados que se dan aire de xamanes. Se enferman, eviten a planta de cardioloxía da residencia ourensá, na que exercen o doutor Perece (Pérez), o doutor De Pena (De la Peña) e o doutor Sandez (Sánchez).

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 137 (Outubro de 2008), pág. 6].

De Angueira de Suso um afetuoso saúdo para o bom do Bieito Iglesias e o sincero desejo de que a sua senhora mãe se encontre muito melhor.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Frutería Suso? (Lugo) BASENAME: fruteria-suso-lugo DATE: Sat, 04 Oct 2008 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?Frutería Suso?, Av. das Américas (com a Fonte dos Ranchos ao fundo), Lugo. Fotos: Teresa & Suso.

Domingo, 5 de Outubro de 2008, Sam Froilám. Desde ontem, dia 4, até o próximo dia 12 a cidade de Lugo celebra, na honra do seu padroeiro, a mae de todas as festas patronais.

No ano passado, Angueira de Suso somou-se à celebraçom das festas de Sam Froilám publicando cada dia, de 5 a 11 de Outubro, as fotos dum susodito estabelecimento comercial luguês diferente: Mesón-Cervecería Suso (dia 5), SusoMotor (dia 6), Suso Comercial (dia 7), Suso Maquinaria Agrícola (dia 8), Instalaciones Eléctricas Suso (dia 9), Talleres Suso (dia 10) e Mesón do Suso (dia 11 de Outubro de 2007).

Esses eram todos os susoditos estabelecimentos comerciais lugueses de cuja existência, até aquela altura, tínhamos constância. Parecia impossível que pudesse haver mais mas... impossible is nothing! Como dizemos sempre, para susoditos estabelecimentos comerciais, Lugo!

?Frutería Suso?

No passado 8 de Agosto (sexta-feira) a Teresa e mais eu fomos no seu carro à cidade de Lugo. Às 00h10 (GMT+2) do sábado dia 9 saía da sua rançosa Estaçom Rodoviária o autocarro que nos levaria a Madri, desde cuja vanguardista T4, às 12h55 (GMT+2), voaríamos a Atenas.

Ao entrarmos em Lugo pola Avenida das Américas foi quando, por acaso, descobrim a Frutería Suso. A susodita frutaria nom figurava nem figura como tal no guia QDQ nem nas Páginas Amarelas. A sua descoberta foi, portanto, toda umha surpressa para mim. Mas aquele nom era o melhor momento para parar a fazer o freakie assim que a Teresa e mais eu acordamos adiar a sessom fotográfica para a volta.

À volta, no sábado 30 de Agosto, figemos noite em Lugo. No dia a seguir, domingo 31, pegamos o carro da Teresa e vinhemos para Compostela. Mas antes de deixar a cidade da muralha paramos na Avenida das Américas para fazermos as ansiadas fotografias por três longas semanas adiadas.

Seriam por volta das 12h40 (GMT+2) da manhã. As ruas estavam desertas. Nom havia ninguém pola rua. E quem aparece por ali ainda bem nom ponho o pé fora do carro!? Pois nada mais e nada menos que o Sr. Guitián, velho amigo e grandíssimo artista luguês residente em Barcelona!

Após o animado bate-papo com o amigo Guitián (sobre a vida, o universo e tudo mais) a Teresa e mais eu figemos as susoditas fotografias e, depois, tiramos para Compostela.

Um mês e cinco dias depois Angueira de Suso soma-se à celebraçom do Sam Froilám com a publicaçom das susoditas fotografias. Viva o Sam Froilám!!! Viva Lugo, indiscutível capital do susodito estabelecimento comercial!!!

Fonte dos Ranchos

A Frutería Suso encontra-se, como digemos, na Avenida das Américas, muito perto da Fonte dos Ranchos. Os ranchos som animais omnívoros, comem de tudo, fruta também. Durante o franquismo -com e sem o Franco- a Fonte dos Ranchos chamou-se Plaza del Ejército Español. Eis a explicaçom do porquê:

A Fonte dos Ranchos, era umha fonte nos arrabaldes de Lugo, onde iam os porcos, marraos, cochos, chinos, quinos, bácoros: Ranchos!! (palavra para denominar o porco, normalmente o porco de ceva, rancho de ceva). Naquel passado andavam ceivos e a fonte era exclusiva para eles, para nom contaminarem outras. C'o tempo esse lugar urbanizou-se. Mudou-se-lhe o nome à espanhola. A traduçom foi simples, Fuente de los ranchos, Fuente de las "comidas hechas para muchas personas, comidas para los soldados". La fuente pues donde los soldados comían! Ao ficar a fonte sob o cimento, pugérom um monólito, com brasom e nome de "Plaza del Ejército Español." Verídico. Se a Galiza depender de Lisboa a praça seria chamada Praça dos Passeios ou Praça da Gaita ... a imaginar, mas nunca Praça dos Porcos, como muito muito Praça dos Suídeos.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Lástima de Beuys! BASENAME: lastima-de-beuys DATE: Tue, 30 Sep 2008 10:12:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: ARTISTADAS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?Como Explicar a Arte a umha Lebre Morta? (Joseph Beuys, 1965). ?Que lástima de bois!? (A. R. Castelao, Álbum ?Nós?).? Como Explicar a Arte a um Touro Morto... Lástima de Beuys!?

Desde 17 de Julho até anteontem, 28 de Setembro, na sede compostelana da Fundaçom Caixa Galicia (Rua do Vilar, 19) permaneceu patente ao público a exposiçom Joseph Beuys Múltiples (objectos, fotografias, gravuras, etc. de Joseph Beuys, um dos mais influentes artistas europeus da segunda metade do século XX).

Na imelhorável companhia da Teresa visitei esta excelente exposiçom no dia 11 do corrente, 11-S, quinta-feira. A nossa visita vespertina foi dupla. Por livre primeiro e guiada (pola Araceli) depois. Foi o Roberto Abuín, grande admirador do alemao a quem por acaso encontramos no segundo andar, quem nos informou de que havia visita guiada às 19h30 (GMT+2). Muitíssimo obrigado, amigo Roberto!

Há catorze anos (de 15 de Março a 6 de Junho de 1994) houvo no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía (MNCARS) de Madri umha magna exposiçom retrospetiva dedicada ao Joseph Beuys que, embora nom me lembrasse com muita claridade, eu achava ter visitado (nestes dias, repassando o meu diário de 1994, pudem comprovar que nom, que nom foi assim).

A que sim visitei (na quinta-feira 7 de Julho, segundo consta no meu diário de 1994) foi a exposiçom intitulada Para Joseph Beuys (obra gráfica de 30 artistas internacionais em homenagem a Joseph Beuys) que naquele mesmo ano, durante os meses de Julho e Agosto, estivo patente ao público na Casa da Parra, em Santiago de Compostela.

Cinco anos mais tarde (em 27 de Julho de 1999, terça-feira) ainda teria oportunidade de contemplar algumha peça de Joseph Beuys na exposiçom Double Trouble (The Patchett Collection), patente ao público no Auditório de Galiza e na Igreja de São Domingos de Bonaval, em Santiago de Compostela, no verao daquele ano.

O facto de entre 1994 e 1999 ter visto bastantes obras de (ou para) Joseph Beuys unido ao de que durante os meus anos de estudante de Belas Artes na Universidade de Salamanca (1992-1996) ia cada ano ao MNCARS ao menos umha vez deveu ser o que me levou ao erro de pensar que tinha estado no Reina Sofia na expo de Joseph Beuys (como digem à Teresa, ao Roberto e à Araceli faltando à verdade sem querer).

Mas o certo é que nom, nom estivem. Em 1994 estivem no Reina Sofía, sim, mas foi em 29 de Janeiro, apenas mês e meio antes da inauguraçom da retrospectiva de Joseph Beuys (com certeza naquela altura a exposiçom estava já anunciada e isso também pudo contribuir à minha confussom). Naquele sábado, 29 de Janeiro de 1994, as exposições que vim foram as de Bruce Nauman e o Picasso Gravador.

How to Explain Pictures to a Dead Hare

Wie man dem toten Hasen die Bilder erklärt
(traduzido ao inglês como How to Explain Pictures to a Dead Hare e ao galego-português como Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta) é o título de umha acçom que Joseph Beuys levou a cabo na Galerie Alfred Schmela de Düsseldorf em 26 de Novembro de 1965. Na devandita acçom o artista alemao (que podia ser visto a través do vidro da janela da galeria) levava o rosto recoberto de mel e ouro em folha e um pedaço de ferro sujeito à sua bota. No colo carregava umha lebre morta em cuja orelha resmungava velados sons bem como explicações dos desenhos que se alinhavam nas paredes.

Como Explicar a Arte a um Touro Morto... Lástima de Beuys!

Polos vistos a paródia anti-taurina desta acçom de Joseph Beuys (do seu título, mais bem) ocorreu-me em 11 de Junho de 1994 (ao menos essa é a data que aparece ao pé da anotaçom feita na caderneta que gastava naquele ano e na que, já agora, dizia Como explicar Quadros... e nom ...a Arte a um Touro Morto).

Se finalmente optei por pôr Arte em vez de Quadros foi porque, catorze anos depois, foi assim como a ideia veu à minha cabeça (com certeza devido ao facto de que para os seus defensores a tauromaquia é Arte) e porque as traduções que um pode topar por aí nom acabam de pôr-se de acordo a este respeito: Quadros, desenhos, fotografias... Arte (o tradutor do Google traduz die Bilder por imagens e Bilder por Fotos).

Além disso no título da minha anti-taurina paródia a lebre morta (dem toten Hasen) é substituida por um touro morto (o touro moribundo das sementes Facundo de cujo lombo, por aquilo do politicamente correto, há já bastantes anos que retiraram o estoque e as bandarilhas).

Agora já nom se sabe se o touro, animal sensível, morre de morte natural ou dum infarte de miocárdio pola terrível impressom que lhe provoca um tipo vestido com tam pouco gosto (o toureiro performer nom leva o rosto coberto de mel e ouro em folha senom que vai vestido de oro y grana).

E para rematá-lo (o nosso desenho) acrescentamos ao mesmo ac célebre frase que Castelao pom na boca dum velho labrego na célebre estampa 3 do álbum Nós: Lástima de bois! Só que na nossa paródia os bois (o castrado marido da vaca, em plural) som substituidos polo apelido/sobrenome do artista alemao (nom sei se o diremos mal mas neste canto do planeta todo o mundo pronuncia Beuys como bois).

Lástima de Beuys!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Afrodite de Milos BASENAME: afrodite-de-milos DATE: Wed, 17 Sep 2008 11:14:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Afrodite de Milos e eu (sentado no chao) no Museu Arqueológico de Plaka, Milos, Grécia. Domingo, 24 de Agosto de 2008. Foto: Teresa Díaz.

Das cinco Cíclades que a Teresa e mais eu visitamos no passado mês de Agosto (veja-se post anterior) a penúltima foi a ilha de Milos (Μήλος).

Procedentes de Folegandros chegamos a Milos na manhã do sábado 23 e de Milos partimos rumo a Sérifos três dias depois, na terça-feira 26. Umha estada breve de mais como para podermos apreciar tanta maravilha como a ilha mais a sudoeste das Cíclades tem, que é muita.

Umha das maravilhas que a ilha de Milos tinha mas que infelizmente já nom tem (tenhem-na os franceses sequestrada no Museu do Louvre) é famosíssima Vênus de Milo / Afrodite de Milos.

Eu estivem umha vez no Louvre (no verao de 1991) mas daquela nom a pudera ver. E nom a pudera ver porque nom passei do hall da entrada ao Museu (sob a controversa pirâmide de vidro) onde com grande tristeza e dor de coraçom me tivem que despedir dos meus caríssimos amigos José Maria Duram e Franjo Padín (que iam entrar ao Museu) porque o meu bilhete InterRail expirava e eu tinha de regressar.

O que sim que pudem ver agora nesta minha visita à ilha de Milos foi o local (perfeitamente sinalizado) onde em 1820 a Vênus/Afrodite foi atopada polo labrego local Georgios Kentrotas e a cópia que tenhem no Museu Arqueológico feita apartir do original (ambas as duas cousas no domingo, 24 de Agosto de 2008, de manhã).

Plaster cast

Umha cópia em ?escaiola feita a partir do mármore Pariano original? (isso ao menos é o que di a tabuleta, plaster cast, embora a nós nos soasse mais bem a poliéster) ?polos artesaos do Louvre -como umha sorte de ?Venus de Mea Culpa?, quiçá? (acrescenta o guia Lonely Planet na sua página 441).

Ademais de tocá-la (com os cotelos, cotenos, cotomelos, nortelhos ou nós dos dedos, toc, toc) a Teresa e mais eu figemos ainda umha outra cousa expressamente proibida (Signomi! I?m sorry!): fotografar-nos com ela. (De brincadeira eu figem também um desenho rápido a lápis na minha caderneta, um desenho sem graça que nom dá para mostrar).

O lugar da descoberta

Após a visita ao Museu Arqueológico, em Plaka, na nossa descida a pé até a pitoresca aldeia de Klima, passamos polo SITE OF THE DISCOVERY OF VENUS OF MILOS (segundo rezava o sinal bilingue, grego-inglês, que encontramos no caminho).

À esquerda (no sentido da marcha) do sinal e do caminho, uns metrinhos mais abaixo, sob as oliveiras e afixada a um muro de pedra vulcânica, descobrimos emocionados umha quadrilíngue placa de mármore que (em grego, inglês, alemao e francês) indicava: HERE HAS BEEN FOUND THE VENUS OF MILOS.

Pouco antes, no Museu Arqueológico, a Teresa e mais eu pudéramos ler que o lavrego Georgios Kentrotas descobrira a estátua ?no interior dum nicho (ingl. niche, cast. hornacina) subterráneo na Antiga Milos? e que ?posteriores excavações mostraram que a área em que foi encontrada ?e onde nós, 188 anos depois da fantástica descoberta, nos encontrávamos- era provável que tivesse sido o ?gymnasium? da antiga cidade?.

Souvenir of Milos

Na manhã da terça-feira, 26 de Agosto, depois de deixarmos a thomatio onde dormíramos as três últimas noites e antes de apanharmos o Ferry Boat (F/B Agios Georgios) que nos levaria a Sérifos, comprei numha loja de brinquedos chamada ΜΟΣΧΟΥΛΑ (Μοσχούλα) umha cópia em escaiola (e em miniatura) da Afrodite de Milos à que já lhe tinha botado o olho na noite anterior.

Com efeito, na noite anterior percorrera várias lojas de souvenirs de Adamas na companha da Teresa comparando diferentes tamanhos, preços e modelos (há abondos porque, como é lógico, a Venus de Milo é um dos souvenirs mais solicitados da ilha).

Se, apesar da sua horrível policromia (cor-de-rosa, acastanhado e dourado), me decidim por comprar esta em concreto foi por três razões fundamentais: 1) Porque, com muita diferença, oferecia a melhor relaçom tamanho/preço (40,5 cm / 14 ?); 2) Polo seu razoável parecido físico com o original (as estatuetas mais pequenas eram horríveis caricaturas!) e 3) Porque na peanha, ainda que nom ponhia ΑΦΡΟΔΙΤΗ ΤΗΣ ΜΗΛOY (Afrodite de Milos) como eu gostaria, ao menos pom ΑΦΡΟΔΙΤΗ (Afrodite) em alfabeto grego (e nom Venus of Milos como ponhia na maioria das que ponhia qualquer cousa e das que vim).

Aphrodite of Milos & me

Apesar de que ainda nom conseguim ver a Venus de Milo ?em pessoa? (um dia conseguirei!) a minha relaçom com esta divina, maravilhosa estátua já é prolongada no espaço-tempo.

Na minha época de estudante de Belas Artes (em Ponte-Vedra, primeiro (1991-1992) e em Salamanca, depois (1992-1996)) devim desenhá-la mais de umha vez. Infelizmente os supostos desenhos nom apareceram quando há algum tempo os procurei no falhado .

Já formado em Belas Artes, tocou-me desenhá-la nos procedimentos seletivos de ingresso ao corpo de professores de ensino secundário do 99.

Nos dias 6 e 7 de Julho de 1999 (terça e quarta-feira, respetivamente), durante doze horas repartidas em três sessões de quatro horas cada umha (terça de 10h00 a 14h00 e de 16h00 a 20h00 e quarta de 10h00 a 14h00) tivem de desenhar a Venus de Milo (primeiro exercício dum total de quatro de que constava a primeira prova - de caráter prático- do concurso público).

Esta primeira prova (4 exercícios) desenvolveu-se na E.ART Ramón Falcón, em Lugo. Por sorteio tocou-me em sorte o cavalete Nº 1 desde onde (como pode ver-se nas fotografias analógicas que figem umha vez rematada a faena) via a Vênus de perfil, que azar! Figem o meu desenho a grafite em vez de fazê-lo (como o meu vizinho de cavalete e a maioria de aspirantes a profes) a carvom. Umha ténica mais lenta mas na que eu, dispondo de tempo suficiente como era o caso, me encontro mais seguro.

Apesar de obter a quinta melhor qualificaçom na prova prática nom conseguim superar a prova escrita e naquele ano nom aprovei as Oposicións.

Apoxyomenos

A quem pareceu exagerado o tempo dedicado à realizaçom do desenho da Venus de Milo direi que nos dous anos imediatamente anteriores (em que, evidentemente, tampouco aprovei as Opos) dispugera ainda de mais tempo, 3 x 5 h = 15 horas (1997) e 4 x 4 h = 16 horas (1998), para desenhar o Apoxyomenos de Lísipo.

Este primeiro exercício da prova prática desenvolvera-se ambos anos na Escola de Arte Mestre Mateu, em Santiago de Compostela, e nos dous me tocara desenhar a mesma estátua (o Apoxyomenos) desde o mesmo ponto de vista.

Infelizmente nom conservo nengum dos dous desenhos (dos que lembro que fiquei bastante satisfeito, bastante mais que da Venus de Milo, com certeza) nem tenho nengumha fotografia deles que mostrar. Nom as figem.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 12 Oct 2008 12:19:02 +0000 URL:

Caro Padín: Sinto nom ter respondido o teu amável comentário antes, os preparativos da grandiosa Fiesta Españhola que na noite de ontem (SÁB, 11-OUT-08) tivo lugar no C.S. O Pichel (Compostela) absorveram quase todos os meus tempos livres. Pois tes-me que enviar essa foto, tes. Nom a vas publicar no teu blogue? As incríveis peripécias que aconteceram a esta divina, maravilhosa estátua desde que em 1820 foi descoberta merecem ser contadas por um eminente arqueólogo e excelente narrador como tu! Anima-te! Desde o exílio compostelano um abraço morracense para ti também! :)

----- COMMENT: AUTHOR: O'Padín [Visitante] DATE: Tue, 07 Oct 2008 08:10:47 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Sinto non ter respondido a esta mención (honrosa) antes. Casualmente, este verán volvín ao Museo de La Ubre (en palabras do noso admirado Gila)e mirei a Venus de Milo. Tireille unha foto de costas, mentres aproximadamente un millón de xaponeses se arremuiñaban diante tirándolle fotos ás tetas. A foto quedou ben curiosa. Prometo enviala.
Xa poderás facer un album con todas as fotos que tes diante de tanta pedra esculpida. Podías criar unha seción de suso-marmolina!
Unha aperta morracense!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Koulouri, alimento olímpico BASENAME: koulouri-alimento-olimpico DATE: Mon, 08 Sep 2008 20:14:12 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: ARTISTADAS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Koulouri, alimento olímpico (esquerda). Pormenor do meu diário de 1996 (superior-direita). Compra-venda de koulouri na Praça Sintagma, Atenas, 29 de Agosto de 2008 (inferior-direita).

Após mês e meio de férias blogueiras aqui estamos outra vez de novo com todas e todos vós.

Depois de assistirmos o concerto de Caetano na Quintana (tema do último post postado antes de ir-nos de férias) neste verao estivemos de campismo em Louro (22 e 23 de Julho), no Festigal (24 e 25 de Julho), de turismo rural em Igom (de 27 a 30 de Julho), no XXIX Festival de Pardinhas-Guitiriz (1, 2 e 3 de Agosto), no meu Bueu natal (de 4 a 7 de Agosto) e três semanas (de sábado 8 a sábado 30 de Agosto) de viagem por terras gregas e mares gregos (Atenas e cinco das Cíclades: Paros, Santorini, Folegandros, Milos e Sérifos) em companhia da Teresa.

Três semanas física e psiquicamente longe de Espanha, fora do alcance da Brunete mediática (a isso e ao que eu chamo estar de férias) e passando olimpicamente de Beijing.

Como já tenho contado aqui em várias ocasiões, em 1996 fum estudante Erasmus no Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens). A deste verao foi, portanto, a minha segunda viagem à Grécia (para ela foi a primeira vez). Ademais de descobrir junto com a Teresa lugares novos (Paros, Folegandros, Milos e Sérifos nom as conhecia) esta viagem foi para mim de reencontro, doze anos depois, com alguns lugares (Atenas e Santorini, sim) e sabores (os gyros pitta, as horiatiki, o ouzo, os frappés...) que tam bom sabor de boca me deixaram e dos que tinha tam boas recordações. Mas nom tudo foi sol e praia, comércio e bebérzio na nossa viagem, nom. Também houvo algo de tempo para a arqueologia e mesmo para o trabalho &#59;)

Koulouri, alimento olímpico

Com efeito. Ainda que tarde, mal e arrasto (no último dia, aliás, na última noite da nossa estada) pudem realizar umha ideia que me ocorrera na minha primeira viagem à Grécia há doze anos (exatamente às 00h45 do 25 de Abril -sempre!- de 1996, segundo consta no meu diário daquele ano) mas que naquela altura, polo que for, nom conseguira realizar.

Na sexta-feira 29 de Agosto (após o nosso último pôr-do-sol heleno desde o monte Lykavittos) deixei a Teresa sozinha no hotel um momento e fum a pé até a Praça Omonia para comprar (a razom de cinquenta céntimos a unidade) os cinco koulouri (κουλούρι) que precisava para a realizaçom daquela velha ideia minha.

A operaçom de compra-venda desenvolveu-se totalmente em grego (muito grego nom vos sei mas às vezes o pouquinho que sei saca-me dalgum apuro). ?Thélo péndeh koulouri, kaló kíklos, ya tékhni?, digem eu querendo dizer ?quero cinco koulouri, bem redondos, para umha artistada?. Mais surpreendido pola minha boa dicçom, polo meu bom sotaque, do que pola minha extravagante petiçom o vendedor ambulante, divertido, perguntou-me: ?Apó poo íseh?? (De onde és?). ?Egó ímeh apó tin Santiago de Compostela!? (digem-lhe que era de Santiago por nom dizer-lhe que era português, ?apó tin Portugalia?, que é o que quase sempre fago para nom ter de dar maiores explicações). ?Thío penínda? (dous cinquenta). "Efkharistó polí!" (Muito obrigado!). "Parakaló!" (por nada).

Regressei ao hotel com os meus cinco koulouri. Arremedando os anéis olímpicos coloquei-nos sobre os brancos lençóis da thipló kreváti (cama de casal) do nosso thipló thomátio (quarto duplo). Figem-lhes umhas fotografias e, umha vez feitas, a Teresa e mais eu papamos três deles (os outros dous ficaram para o último pequeno almoço antes de pegar o aviom).

E koulouri, colorado...

Para quem nom souber (ou nom quiser) ler em Deutsch, Ελληνικά, English, Español, Français, Magyar, Nederlands ou Türkçev (únicas línguas nas que é possível ler o verbete dedicado ao koulouri na Wikipédia) copio e colo aqui duas descrições bastante boas (e feitas na nossa língua) que encontrei no Google. Kalí Oréxi! (Bom apetite!):

?Com fome? Compre um Koulouri, pão grego em forma de anel coberto com gergelim. Crocante, ele é encontrado em todos os cantos e pode ser comido durante a caminhada?.

[Capital grega é mais charmosa a pé, Bem Paraná, 18/11/07 17:00]

"Koulouri é quase pão. Mas melhor. É quase exclusivamente côdea devido à sua forma redonda e fininha, ligeiramente adocicado com um travinho a canela e coberto de sementes de sésamo torradas. Uma delícia. Prático para comer em andamento, não suja a mão (quanto aos vestígios de sementes no dente já é uma chatice!), não engorda mais que uma carcaça oca e aborrecida e só custa 50c a unidade!"

[Koulouri e frapê, ...and the pig strikes again, Thursday, October 25, 2007 1:38 PM]
----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Caetano Veloso: "A nossa língua é o galego-português" BASENAME: caetano_veloso_a_nossa_lingua_e_o_galego DATE: Tue, 22 Jul 2008 21:59:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO TAGS: ----- BODY:
[youtube]dEUg-IhIrm8[/youtube]

Ontem, 21 de Julho de 2008, segunda-feira, tivem o privilégio de assistir o concerto que o Caetano Veloso, com a única companhia do seu violão, deu na Quintana dos Mortos, emblemática praça da capital da Galiza.

Para mim era já a quarta ocasiom em que podia desfrutar em direto da arte do meu admirado Caetano (e a terceira em que podia fazê-lo na minha terra, a Galiza, e na companhia da minha Teresa).

A primeira vez que vim o Caetano Veloso ao vivo foi na Concha Acústica - Teatro Castro Alves de Salvador (6 de Agosto de 2001), a segunda foi no Auditório de Castrelos, em Vigo (2 de Julho de 2003), a terceira no Palácio da Ópera da Corunha (23 de Outubro de 2007) e a quarta foi, como digem, ontem na Quintana, em Santiago de Compostela.

Do concerto que há cinco anos Caetano Veloso deu na cidade de Vigo (com o mesmo formato que o concerto que em Compostela deu ontem, voz e violão) escrevim umha extensa crônica para O Portal Galego da Língua que mais tarde publicaria também aqui, em Angueira de Suso.

Ao igual que o ano passado no mesmo local fizera o seu íntimo amigo Gilberto Gil (...) Caetano Veloso empregou apenas o português para dirigir-se ao público galego.

Havia entre a ?reintegratada? um certo temor de que o C.V. preferisse usar para isso o castelhano (...)

Mas os nossos temores dissiparam-se quase por completo quando pudemos ler na manhã do mesmo dia do concerto a resposta que o Caetano dava à última pergunta que o jornalista lhe formulava na entrevista datada no Porto que, em castelhano, publicava ?La Voz de Galicia?: El público gallego entiende muy bien el portugués.

Depois de interpretar seguidas uma boa quantidade de canções (...) o Caetano disse em português, mais ou menos, que esta é a segunda vez, se não for a terceira,que atuo na Galiza. As outras vezes atuei na Corunha (...) e não sei se devo fazer como naquela ocasião e falar em português...

Com berros e aplausos a gente assentiu e, a partir dai, o C.V. não deixou de dar mostras de sentir-se a vontade na Galiza por este motivo: posso falar português, que delícia; posso falar português, venho da Bahia, que é o local com a maior concentração de galegos do Brasil...tou em casa! (...)

O delírio já chegou quando Caetano disse, depois de interpretar, em inglês, ?Star Dust? e imediatamente antes de acometer a interpretação, em castelhano, de ?Cururrucucú paloma? e o ?Lamento borincano?, algo assim como: Tou tão a vontade por poder falar português que até posso cantar em línguas estrangeiras.

Ao final dessa crônica para o PGL (intitulada Fale com ela, coa Galiza, em português) fazia referência também à primeira ocasiom em que pudera vê-lo em Salvador da Bahia, no Brasil.

A terceira vez que vim o Caetano ao vivo (Corunha, 23 de Outubro de 2007) nom escrevim crônica nengumha mas editei uns vídeos gravados pola Teresa e que subimos ao YouTube (Caetano Veloso ao vivo na Corunha - Galiza) e enviei ao Chuza (sítio de novas galegas que emprega um controlo editorial nom hierárquico) umha história intitulada Caetano Veloso em Versom Original (ou o privilégio de sermos galeg@s) que introduzim assim:

A diferença do que (segundo contou no EL PAÍS o Carlos Galilea) aconteceu em Madri, no concerto que ontem deu na Corunha, Caetano Veloso falou bastante. Talvez, como ele próprio dixo acima do palco, porque na Galiza ele nom precisa de traduzir as suas palavras, porque aqui "mesmo aquelas pessoas que nom falam galego no seu quotidiano, compreendem o português". Genial! (A crônica da Marta García Márquez em "El Ideal Gallego" nom é, apesar dos apelidos da cronista, de Prêmio Nobel precisamente, mas é a mais extensa que por enquanto encontrei).

Nos concertos de Vigo e a Corunha fiquei com mágoa por nom ter podido gravar em audio e/ou em vídeo aqueles maravilhosos speaches do culto e sensível Caetano. Mas no concerto de ontem, em Compostela, por fim pudem gravá-lo!

A qualidade do vídeo (o primeiro vídeo gravado com o meu flamante novo telemóvel/celular, estreado há apenas dez dias) nom é muito boa, mas o audio está bastante bem e acho que o documento é excepcional. Caetano Veloso voltou a insistir na ideia (em que as/os reintegracionistas galegas/os firmemente acreditamos) de que galegas/os e brasileiras/os falamos a mesma língua, o português ou galego-português (e desta volta estávamos alí, câmara em riste, para registá-lo). OBRIGADO, BONITÃO!!! VOLTE SEMPRE!!! :)

Dossiê de imprensa:

El Caetano más desnudo llenó de emociones la noche en A Quintana (El Correo Gallego, 22-JUL-08)
Caetano Veloso silabea a música de Brasil na praza da Quintana (La Voz de Galicia, 22-JUL-08)
Caetano Veloso reúne os seus seguidores en Santiago (A Galega.Info, 22-JUL-08)
La cara amable de Caetano Veloso (EL PAÍS, 23-JUL-08)
Caetano Veloso: «Na Galiza falo em português porque o nosso idioma comum é o galego-português» (PGL, 23-JUL-08)
Gosto muito de você, leãozinho... (O Cartafol de Silêncios, 23-JUL-08)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 30 Jul 2008 15:06:22 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Ás veces tería que ser tan fácil como dicir só iso. “Lingua dos collóns".

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 30 Jul 2008 15:04:47 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Non se podía dicir mellor que como o Caetano o expresou, non.

----- COMMENT: AUTHOR: sara jess [Visitante] DATE: Wed, 23 Jul 2008 16:46:22 +0000 URL: http://www.ocartafoldesilencios.blogspot.com

oes, meu: eu tamén pendurei fotos e video dese concerto. xa que o futuro da lingua está no galegoportugués, eu pasarei o 24 e 25 na patria arraiana, Vilanova de Çerveira, celebrando o Filimnho e enteirándome do que fan os portugueses no mundo do audiovisual. tamén apresentando algúns traballos… entre eles o documentario de Balan xa rematado, muito mellor que o que puxemos na Nasa… gostarías, coido.

beijocas moitas a ti e á linda Teresa.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 23 Jul 2008 10:26:27 +0000 URL:

Em resposta ao teu comentário, caro Ptolo, copio e colo aqui um comentário que sobre o mesmo assunto figera no Chuza naquela altura:

Quando veu a Vigo em Agosto de 2002 o Gilberto Gil portou-se mas nom sei o que lhe aconteceu que na seguinte ocasiom que veu à Galiza (Compostela, Julho de 2004) cagou-na! Embora nós também… ELE O PERDE!!! Isto engrandece ainda mais e dá-lhe mais valor à atitude lingüística que o Caetano (quem, já agora, fala o castelhano bem melhor que o Gil) mantém na Galiza :-)

Vêmo-nos no Dia da Mátria Galega, com certeza! Um abraço fraternal! A língua é minha pátria / E eu não tenho pátria: tenho mátria / E quero frátria ;)

----- COMMENT: AUTHOR: gomes [Membro] DATE: Wed, 23 Jul 2008 09:24:55 +0000 URL:

do que me lembro ( de ler pela internet, e não de presenciar), o Gilberto Gil dirigiu-se à plateia exclusivamente em castelhano e defendeu que o futuro era do portunhol. posso estar enganado.

vemo-nos no dia da pátria galega? devo andar com o maragoto. abraço.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Caminhada em Perspectiva BASENAME: caminhada_em_perspectiva DATE: Thu, 10 Jul 2008 18:29:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: Desenhos Animados TAGS: ----- BODY:
[youtube]Nlgm57VSpKo[/youtube]
Caminhada em Perspectiva (38'')

Aproximadamente nove meses e meio após O Grande Salto, continuo com a pubicaçom em Angueira de Suso dos exercícios de animaçom tradicional que, em 1996 e enquanto estudante Erasmus, realizei no Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens). Na Grécia, sim. Mas Sempre em Galiza!!! &#59;)

Após A Metamorfose (27-MAR-07), Galician Man Walking (02-MAI-07), Galego Corredor (15-JUN-07) e O Grande Salto (24-SET-07), hoje toca-lhe a vez à Caminhada em Perspectiva.

Este exercício de caminhada em perspectiva foi feito ao final da minha estada enquanto estudante Erasmus no país heleno. Nom podo precisar em que dias do mês de Junho exatamente (porque nom o tenho anotado no meu diário) mas, como podedes imaginar, foi em vários.

2ª ediçom, 12 anos depois

Como já contei aqui nas quatro anteriores ocasiões, a fita VHS em que trouxera gravados os trabalhos de animaçom tradicional realizados durante a minha estada na Grécia sumiu misteriosamente poucos anos depois do meu regresso. A versom da caminhada em perspectiva que publicamos hoje é, portanto, umha reediçom digital feita a partir dos desenhos originais que, felizmente, ainda conservo.

Os cinquenta e quatro desenhos diferentes que, se reparades bem, podedes ver neste exercício (54!!!) tinha-os escaneados já desde Novembro do ano passado (escaneei-nos em três sessões: domingo 18, segunda-feira 19 e terça-feira 27 de Novembro de 2007), mas nom foi até esta semana que me animei a reanimá-los digitalmente.

Figem-no na passada segunda-feira (7 de Julho, São Firmino) estando em Bueu e empregando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro para fazê-lo.

Deixei pendentes apenas o título (Caminhada em Perspectiva / Walk in Perspective) e a banda ou trilha sonora (Foliada da Montanha, primeira faixa de Aires d'a Terra, O Primeiro Disco Galego), cousas ambas as duas que lhe coloquei ontem à noite (quarta-feira, 9 de Julho de 2008) aqui em Compostela.

Hoje (quinta-feira, 10 de Julho) subim-na ao YouTube... et voilá!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: The Invisible Man (O Vídeo) BASENAME: the_invisible_man_o_video DATE: Wed, 02 Jul 2008 18:30:40 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
[youtube]wu86yq9lE4I[/youtube]
The Invisible Man (50'')

Em 30 de Janeiro do ano passado, coincidindo com o 121º aniversário do nascimento em Rianxo de A.R. Castelao, publicávamos aqui, em Angueira de Suso, um post intitulado The Invisible Man.

Nele contava-se a pequena intra-história dumha cousa (cartoon? charge? ilustraçom?) que lá polo ano de 1993(?) eu figera acrescentando o rótulo "The Invisible Man" a umha das mais famosas auto-caricaturas desenhadas por Castelao (esta).

Um ano, cinco meses e dous dias após a publicaçom daquele post publicamos estoutro post intitulado... tacham, tacham...

The Invisible Man (O Vídeo)

Nom podo precisar com exactidom quando foi que me ocorreu a ideia de fazer umha versom animada, em imagem real, do meu Castelao, The Invisible Man (inspirada, obviamente, na famosa cena do homónimo filme de James Whale). Procurei umha anotaçom nas velhas cadernetas que por cá tenho mas nom tivem nengum sucesso. O que sim sei é que a ideia me ocorreu há já vááários anos.

Seja como for, o caso é que nom foi até este passado sábado, 28 de Junho (por acaso Dia do Orgulho LGBT, jornada ludo-reivindicativa que visa a visibilizaçom de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros), que a minha ideia desceu do mundo das idens e virou umha realidade.

Com a imprescindível ajuda da Teresa e do Breixo no sábado, após o almoço, gravei na sala-cozinha da minha morada o vídeo The Invisible Man. Estivem editando a tarde inteira e à meia-noite (UTC+2) enviei-no ao concurso Umha Imagem Para O Galego de Vieiros.com.

Na manhã da segunda-feira, 30 de Junho, anteontem, o meu vídeo aparecia publicado em destaque na capa de Vieiros. Cum link à seguinte notícia:

CONCURSO EN REDE
CASTELAO, THE INVISIBLE MAN
Suso Sanmartín proponnos este vídeo para 'Unha imaxe para o galego'.
Redacción - 12:30 30/06/2008

O concurso 'Unha imaxe para o galego' está que arde. Xa temos 88 fotografías e nove vídeos. Un dos últimos que nos chegou é este de Suso Sanmartín coa seguinte lenda: ?Desenhei Sempre Em Galego, escrevim Sempre Em Galego, e se tirades o que há de galego e de humano na minha obra, nom ficaria nada dela?.

Xa sabedes que ampliamos o prazo até este venres, cando pecharemos definitivamente o concurso. A vindeira semana reunirase o xurado para escoller as mellores fotos e vídeos.

Como diria o outro: Alea jacta est!

Agradecimentos

Muitíssimo obrigado a Teresa Díaz (camerawoman), Breixo Tomé Díaz (Best boy) e Pepe Penabade (vestuário). Sem a sua inestimável ajuda a realizaçom deste vídeo Made in Feito na Casa (na cozinha, concretamente) nom teria sido possível.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 09 Jul 2008 06:37:55 +0000 URL: http://agal-gz.org

Ostiá! Já sei quem é o da Torre Vixía! :) Bragançaaaaa! :-)

E de resto, prezado Suso, reitero os parabéns que che enviei por SMS, e que faço extensíveis à boa equipa que te acompanhou e che ajudou :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 04 Jul 2008 14:00:30 +0000 URL:

Caro Vixía, isso é porque ainda me conheces pouco! (O Vixía e mais eu conhecemo-nos no passado 27 de Dezembro, caminho do Estádio de Balaidos com dous dos seus primos e meus amigos, ver o Galiza-Camarões). Muitíssimo obrigado polos teus melhores desejos! Um abraçom pra ti também! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 12 (e último) BASENAME: o_pasquim_no_12_e_ultimo DATE: Tue, 01 Jul 2008 12:00:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 67 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 12 d'O Pasquim' (direita).

No dia de hoje, terça-feira 1º de Julho, o carteiro trouxo à minha casa o último número d'O Pasquim.

O Pasquim Nº 12 (e último) distribui-se conjunta e (in)separavelemente com o último (o mais recente) número do periódico galego de informaçom crítica Novas da Galiza (NGZ Nº67).

Porque com efeito, caras/os leitoras/es, o número d'O Pasquim que nestes dias podedes encontrar nos quiosques é o último número do Suplemento de Humor do Novas da Galiza. Ao menos da sua primeira época.

Pola primeira vez e, como é lógico, sem abrir precedente, o tema d'O Pasquim Nº 12 é livre. Até a data cada número d'O Pasquim foi monográfico e monotemático: 25-J: O humor começa por um mesmo (Nº 1), os fode-chinchos (Nº 2), o Regresso às aulas (Nº 3), o plus dos altos cargos (Nº4), as Mudanças climáticas (Nº 5), a Censura no Reino de Espanha (Nº 6), a ICAR (Nº 7), as Eleições Gerais no Reino de Espanha ( (Nº 8), os/as tangallegos/as (Nº 9), a crise econômica (Nº 10) e o 25 de Maio, Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (Nº 11). Mas neste número os nossos dessinteressados colaboradores tiveram, como digemos, liberdade criativa total. E para terminar... barra livre! é o título que, galego-portuñolesismo por consumaçom livre incluído, leva o último número pasquineiro.

Para além de mim, colaboraram neste último número d'O Pasquim Gerardo Doco Velo, Maceirax, Pestinho+1, Gonzalo Vilas, Bruno Ruival e Franjo Padin. Muitíssimo obrigado a todos!!!

So Long and Thanks for all the Fish

Com a saida a lume d'O Pasquim Nº 12 o Xico Paradelo (coordenador adjunto) e mais eu (coordenador) cumprimos o compromisso adquirido com o pessoal do Novas há pouco mais dum ano e ganho um merecido descanso. O Gerardo Uz, entusiasta maquetista-propagandista d'O Pasquim, e resto dos colaboradores que desinteressadamente fizeram possível mês a mês que este entusiasmante projeto virasse umha realidade(in alphabetic order: Bruno Ruival, Carlos Meixide, Fer, Franjo Padin, Gerardo Doco Velo, Gonzalo Vilas, Heitor López de Castro, Maceirax, Pepe Carreiro, Pestinho+1, Séchu Sende e um servidor, Suso Sanmartin), também o merecem.

A todos eles, a todos e todas vós, até logo e obrigado pelos peixes!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 02 Jul 2008 07:17:57 +0000 URL: http://agal-gz.org

Faço meu e assumo esse reconhecimento a todo o pessoal que contribuiu n’O Pasquim. O dito reconhecimento, ainda, será feito de maneira formal e pública em pouco tempo (até aí posso ler), mas igualmente público e formal o faz já o Suso neste espaço aberto.

Abraços!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Les Invasions Barbares" BASENAME: les_invasions_barbares DATE: Tue, 17 Jun 2008 23:30:17 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: TAGS: ----- BODY:

Cartaz do filme 'Les Invasions Barbares' (esquerda) e ilustraçom publicada na pág. 7 do último núm. da revista 'Tempos Novos' (direita)

Ainda nom chegou à minha morada (a ver se amanhã!) mas acabo de encontrá-lo no bem sortido revisteiro do Café-Bar 13 (R. Santa Clara, 13, Compostela). Estou a referir-me ao número 133, de Junho de 2008, da revista Tempos Novos.

O desenho que na Tempos deste mês da ilustra os Dias Soltos do escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias nom é original mas é inédito.

Figem-o em 18 de Maio de 2004 (quarta-feira), exatamente quatro anos e um dia antes de que no passado 19 de Maio (segunda-feira) a jornalista Belén Puñal me enviasse por correio eletrónico os Dias Soltos bieito-eclesiásticos para a sua ilustraçom.

O Cartafol Nº 32

Figera-o por encomenda da amiga Isabel Vaquero para ilustrar o editorial, intitulado Espazo Europeo de Educación Superior. U-lo galego?, do número 32 d'O Cartafol, porta-voz da USC em matéria de normalizaçom lingüística.

Este editorial falava dos problemas que supostamente o estudantado de mobilidade tinha com o galego, de como muitas vezes estes supostos problemas serviam de escusa para nom exercer as responsibilidades cara a língua própria, das soluções que a USC propunha para este problema (informaçom + formaçom), etc.

Visto que do que se tratava era de seduzir o alunado estrangeiro para a causa da nossa língua, a minha ilustraçom, como era visto, foi rejeitada por besta e eu vim-me obrigado a fazer umha outra que sim seria aceite.

E aí ficou, a dormir o sono dos justos.

Tempos Novos Nº 133

Até que quatro anos e um dia depois, em 19 de Maio de 2008, como digem, a Belén Puñal me enviou os Dias Soltos. Uns Dias Soltos em que, entre outras cousas, pudem ler:

Maio 1
SITIOS SOCIAIS
Son polo visto sitios distintos virtuais onde a malta se comunica, conversa, pendura fotos de vaixes, etc. O seu carácter de simulacro non é tan evidente como na second life, baile de caprichosos avatares ao que acoden eus mascarados. De calquera maneira certifica a defunción da comunidade e a súa substitución por un arremedo fundado nun paradoxal solipsismo gregario. Tamaña adhesión ao egotismo, á leira entre narcisos e á realidade redundantemente real explica o descrédito da ficción. Porque o consumo de ficciós require -como todo acto creativo- algunhas doses de instrospección e aburrimento: ?Facemos vida social porque somos gregarios e lemos porque nos sentimos sós? (Como unha novela, Daniel Pennac). Os potenciais lectores de romances artísticos (o mesmo vale pra espectadores de filmes tipo O anxo azul, Amarcord ou As invasiós bárbaras) xa non queren intimar con fantasmas. Eles propios se propoñen como espectros e están decididos a non abandonar nin por un instante as súas preciosas vidiñas.

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 133 (Junho de 2008), págs. 6-7]

Dada a falta de tempo (Maio, Maio Louco! a organizaçom do DdoOLeR'08 absorveu o tempo todo... e mais que houvera!) e a falta dumha ideia melhor (com o pretexto de que o título do filme québécois era mencionado no texto), decidim resgatar aquela minha velha ilustraçom.

Na segunda-feira 26 de Maio, após voltar a digitalizar a imagem (com a inestimável ajuda da Teresa e da sua máquina fotográfica) e acrescentar de novo o texto mecanoscrito que podedes ler, enviei-na por correio eletrónico para Tempos Novos.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 24 Jun 2008 22:27:17 +0000 URL:

Felizmente há muitas e honrosíssimas excepções mas, infelizmente, a maioria d@s estrangeir@s que vêm estudar à Galiza devem ter a mesma compreensom polo nosso feito diferencial que aquela estudante Erasmus do filme L’Auberge Spagnole. A culpa nom é sua, que é toda nossa, mas les invasions barbares também contribuem com o seu grao de areia para que o declínio da língua galega (o português da Galiza) continue.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 24 Jun 2008 09:02:02 +0000 URL:

Piada bestaaaaa! E logo o que diriam se desenhares umas lições de “francês” ou “grego” ;)? Sensura, sensuuuuura!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 'Susa Literatura' edita Manoel-António em basco BASENAME: susa_literatura_edita_manoel_antonio_em_ DATE: Sun, 08 Jun 2008 22:01:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

Trasantontem, sexta-feira 6 de Junho, recebim e-pístola do Jesu Pinheiro em que o meu amigo e tocaio rianxeiro (membro fundador da Coordenadora Cidadã Cachimbo pola Paz) me dava conta da impressionante descoberta que, como bom manoelantoniano, figera navegando pola internet.

Resulta que umha editorial basca editara Lauretatik lauretara (untziko eguneroko baten orri databakoak), é dizer, De catro a catro (follas sin data d'un diario d'abordo) em basco!

Mas nom era apenas isso! Resulta que a editorial responsável pola ediçom na língua dos bascos e das bascas do poemário manoelantoniano por antonomásia se chama... Susa!!!

É dizer, igual a nós os dous, só que em feminino :D

Tem razom o amigo Jesu/Suso Pinheiro (um dos trinta e nove luso-reintegracionistas que, atoalhados e orgulhosos, podedes encontrar neste vídeo) quando di que passam os anos e (Manoel-António e mais nós) continuamos unidos. E, quem sabe, talvez tenha razom também quando no seu e-mail acrescenta:

Portanto, Manoel António segue vivo em Euskal Herria, onde deveu refugiar-se trás fugir do 'zulo' onde o tinham pecho o comando dos 'GALaxios'. Estará o nosso heroi de marinheiro em Trintxerpe ou Ondarroa (vilas cumha alta percentagem de rianxeiros a trabalhar nos seus barcos nos anos 70 e 80)?, ou bem fazendo-se passar em Portugalete por um reformado de 'Altos Hornos de Vizcaya'?. Quiçá seja um dos líderes na sombra da Batasuna ilegal ou mesmo um "ojeador" do Atlhetic de Bilbao. Nada se sabe, há que investigar. Mira que sentido cobra agora aquele berro de "García Sabell sipaio / devolve De Catro a Catro".

Pois é, meu caro xará, tudo parece vir mesmo a calhar! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 11 BASENAME: o_pasquim_no_11 DATE: Fri, 30 May 2008 10:12:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 66 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 11 d'O Pasquim' (direita).

Na passada terça-feira, 27 de Maio, recebim o último, o mais recente número do periódico galego de informaçom crítica Novas da Galiza (NGZ Nº66). Conjunta e (in)separavelmente com ele, recebim na minha morada o penúltimo (o que precede imediatamente ao último) número d'O Pasquim, Especial 25 de Maio,Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata e Dia da Toalha.

Com efeito, caras/os leitoras/es, lestes bem. O número d'O Pasquim que nestes dias podedes encontrar nos quiosques (Nº11) é o penúltimo e o próximo (Nº12) será o último número do Suplemento de Humor do Novas da Galiza.

Ao menos desta primeira época.

Com a saida a lume d'O Pasquim Nº 12 o Xico Paradelo (coordenador adjunto) e mais eu (coordenador) teremos cumprido o compromisso adquirido com o pessoal do Novas há pouco mais dum ano e ganho um merecido descanso. O Gerardo Uz, entusiasta maquetista-propagandista d'O Pasquim, e resto dos colaboradores que desinteressadamente fizeram possível mês a mês que este entusiasmante projeto virasse umha realidade, também o merecem.

A todos eles, a todos e todas vós, muitíssimo obrigado!!!

P.S.: As despedidas, sempre tam tristes, deixamo-las para o mês que vem!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 04 Jun 2008 10:40:49 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Viva O Pasquim, claro que sim, Uz!!! :)

E: “E não haverá mais?”
S: Pode ser que sim, pode ser que não. Depende (depende de em que condições). Mas por enquanto não.
E: “E que de que foi esta morte anunciada?”
S: Sinto, Ernesto, mas não compreendo a pergunta! Que De Quê?!? ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Tue, 03 Jun 2008 19:22:17 +0000 URL:

E não haverá mais? E que de que foi esta morte anunciada?

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 02 Jun 2008 10:49:11 +0000 URL:

Tristes são, com efeito. Mas, já sabes aquilo de “Morreu O Pasquim. Viva O Pasquim!!” :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 10 BASENAME: o_pasquim_no_10 DATE: Thu, 29 May 2008 19:35:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 65 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 10 d'O Pasquim' (direita).

Hoje há um mês que recebim na minha morada o Nº 65 do Novas da Galiza (pdf) e, conjunta e (in)separavelmente com ele, O Pasquim Nº 10 (pdf).

E há já um mês e um dia que o Gerardo Uz, entusiasta maquetista e propagandista d'O Pasquim, deu notícia da saída a lume do décimo número pasquineiro no seu blogue.

A esta altura do filme nom vou contribuir com nada novo, assim que (com licença do Gerardinho) copio e colo aqui um trechinho da mesma:

O número 10 leva por título «Crise? Que crise?», uma pequena reflexão sobre a crise ligeira desaceleração económica que estamos a viver no último ano (especialmente acrescentada desde o 1 de Janeiro de 2008).

Neste número colaboram os já habituais Suso Sanmartin (quem, ademais, coordena), Pestinho +1 e Maceirax, assumindo o incansável Xico Paradelo a coordenação adjunta? e quem lhes escreve, pois perpetrando maquetando, mais um número. Comprovariam que a nómina de colaboradores sofreu uma ligeira redução neste número, mas é que crise afecta todos por igual &#59;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: DdoOLeR'08 BASENAME: ddooler_08 DATE: Sun, 18 May 2008 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Cartaz do DdoOLeR'08 (premer na imagem para alargá-la).

Como as minhas escassas leitoras e os meus escassos leitores terám percebido, a actividade de Angueira de Suso, o Sítio de Suso Sanmartin na rede, é bastante escassa ultimamente.

Nom assim a atividade do susodito, um serviror, enquanto blogueiro. Se calhar, a nossa ciber-atividade é ultimamente mais intensa do que habitual. O que acontece neste mês é que, igual ao que aconteceu em Maio do ano passado, esta se desloca de Angueira de Suso para outro lugar, o blogue oficial do DdoOLeR, Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata (I e II).

Quando se cumprem duas semanas exatas desde a publicaçom do último artigo neste blogue, atualizamos o mesmo publicando aqui o cartaz do DdoOLeR'08.

Espero ver-vos a todos e todas na festa do próximo sábado e, no domingo, na mani-festa-acçom!

25 DE MAIO, SEMPRE!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 21 May 2008 12:01:33 +0000 URL:

Pois a ver se o consegues, Sak! ;)

Vixía: Muitíssimo obrigado! Polos parabéns, por chegar-te à Quintana respondendo à nossa convocatória… e polas magníficas fotografias! Parabéns a ti também! Um abraço! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Tue, 20 May 2008 02:35:07 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Boas! Parabéns pola convocatoria de onte. Fotos da manifestación en http://torrevixia.blogspot.com

----- COMMENT: AUTHOR: Sak [Visitante] DATE: Tue, 20 May 2008 00:24:03 +0000 URL:

Tentarei estar com cabeça e toalhóm!

Abraço

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Peluquería Suso" (Ribadávia) BASENAME: peluqueria_suso_ribadavia DATE: Sun, 04 May 2008 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Cabeleireiros Suso TAGS: ----- BODY:

"Peluquería Suso" (Ribadávia). Fotos: Nando & Noa.

Na passada quinta-feira, 1º de Maio, o meu irmao Nando e a minha cunhada Noa (progenitores do Nuno e da Nara) enviaram-me por correio eletrónico estas cinco fotografias.

Segundo me contava no seu e-mail o Nando (que é o tipo que aparece nas fotografias e que tanto se imita a mim) no fim-de-semana anterior a família inteira fora a Alhariz celebrar o trigésimo aniversário da Noa e, de regresso a Compostela, passaram por Ribadávia.

O acaso quijo que na vila do Ribeiro arrumassem o carro na frente de um cabeleireiro tocaio meu (polos vistos foi a Noa quem se deu conta deste fato) e decidiram tirar estas simpáticas fotografias e enviar-mas para a minha já avultada coleçom.

O mau é que nem no guia QDQ nem nas Páginas Amarelas aparece umha Peluquería Suso (nem um cabeleireiro cujo nome de batismo seja Jesús) no concelho de Ribadávia. Segundo estes dous diretórios telefónicos o único susodito cabeleireiro que há em toda a província de Ourense está em Viana do Bolo (Peluquería Suso, Praça Maior, 20).

Mas, como no passado fim-de-semana puderam comprovar o meu irmao Nando e a sua encantadora familia em Ribadávia (e eu próprio pudem comprovar no ano passado em Ginzo de Límia), isto nom é bem assim!

Segundo o Nando "a perruquería está mesmo na curva da estrada de entrada à ponte de Rivadávia, na margem esquerda do rio (no sentido da corrente)". Eu nom conheço muito bem Ribadávia... Poderia dar-me alguém umha maozinha com a geolocalizaçom do susodito? Para já, muito obrigado!

Muitíssimo obrigado, mais umha vez, a Nando e Noa... E PARABÉNS À ANIVERSARIANTE!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 05 May 2008 23:06:14 +0000 URL:

Im-pressionante, N+4! Ao ler o teu comentário nom pudem evitar lembrar-me da famosa cena do filme Blade Runner em que Rick Deckard (Harrison Ford) navega polo interior de umha fotografia empregando umha Esper Machine que controla com a sua voz! :-)))

----- COMMENT: AUTHOR: N+4 [Visitante] DATE: Mon, 05 May 2008 15:41:26 +0000 URL:

A perruquería tá na rúa Progreso, nos últimos prédios antes de chegar á Ponte de São Francisco, e pelos números reflejados no espelho anunciador, o 45 e o 63, o máis probável é que se localice dun número par desta rúa…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Rosa Díez (UCPA) BASENAME: rosa_diez_ucpa DATE: Tue, 29 Apr 2008 17:48:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos TAGS: ----- BODY:

Rosa Díez (UCPA), Tempos Novos Nº 131 (Abril de 2008), pág.7.

A ideia (que viria servir para ilustrar os Dias Soltos do Bieito Iglesias na revista Tempos do mês que termina) ocorreu-me no domingo 2 de Março, em trânsito do Porto a Compostela a bordo do autocarro da Gentalha.

Achei piada à similitude dos nomes dos partidos Unión Condado Paradanta (UCPA) e Unión, Progreso y Democracia (UPyD) [em castelhano a palavra Democracia é proparoxítona ou esdrúxula], ambos os dous partidos fundados por fachas (do PP e do PSOE, respetivamente) encabreados com a sua respetiva organizaçom política.

Dezassete dias depois (na quarta-feira 19) a jornalista Belén Puñal enviava-me por correio eletrónico o mecanoscrito do escritor ourensano fixado em Compostela para que (como cada dous meses) eu o ilustrasse. Entre outras cousas, aí pudem ler:

Marzo 12
BONECAS ANTIGAS
(...) Nunha televisión afín ao PP (tódolos opinantes son fanáticos dese partido ou da hoste de Rosa Díez) vexo que reina o desconcerto polos votos de Esquerra e Izquierda Unida emprestados ao PSOE (...).

Marzo 13
OS OUTSIDERS
(...) Érguense voces pra solicitar que se mude a lei electoral a fin de impedir que os nacionalistas sexan decisivos. Neste sentido pronunciáronse izquierdistas unidos, Rosa de España, Blanco-Valdés (La Voz) e Suárez Abel (Correo Gallego) (...).

Marzo 17
CIDADANÍA
Máis unha posta de análise poselectoral. Quen votou por Unión, Progreso y Democracia? Eu sei dun votante, funcionario por máis sinal, que pensa que o PSOE sacrificou un peón (o ex concelleiro de Mondragón asasinado pola ETA) pra gañar os comicios (...)

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 131 (Abril de 2008), págs. 6-7.]

E ao ler estas cousas lembrei-me da ideia que, a primeiros de mês, tivera a bordo do autocarro da Gentalha.

Implementei-na na terça-feira 25 de Março (três semanas e dous dias depois de tê-la), na Biblioteca da Faculdade de Filologia da Universidade de Santiago de Compostela (USC) e desde aquí mesmo enviei-na para a revista Tempos.

Em 11 de Abril (sexta-feira) recebim na minha morada o último número de Tempos Novos, incluindo a minha ilustraçom na sua sétima página.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Marisquería Suso-2" (Corunha) BASENAME: marisqueria_suso_2_corunha DATE: Thu, 24 Apr 2008 09:39:52 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

"Marisquería Suso-2" (Pça. Portugal, 7. Corunha). Fotos: Teresa Díaz.

Com um dia de atrasso conforme ao anunciado (era para ontem mas antes nom pudo ser) publicamos as fotos do segundo susodito estabelecimento comercial corunhês fotografado por nós (este plural nom é majestático, refere-se à Teresa e a mim) no passado Domingo, 21 de Abril de 2008 (Pedimos imensas desculpas aos nossos leitores polo atrasso esperando que o plural, neste caso, nom seja um exagero &#59;) ).

Trata-se da Marisquería Suso-2, marisqueira (restaurante onde se servem mariscos) sita no número 7 da corunhesa Praça de Portugal.

Bom apetite! Bom proveito!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Bar Suso? (Corunha) BASENAME: bar_suso_corunha DATE: Tue, 22 Apr 2008 10:11:48 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

?Bar Suso? (R. Olmos, 22. Corunha). Fotos: Teresa Díaz.

Anteontem, Domingo 20 de Abril, a Teresa tinha de ir à Corunha resolver um assunto... e eu resolvim acompanhá-la.

Em retribuiçom, umha vez resolvido o seu assunto, a Teresa acompanhou-me a mim a resolver my own bussines. Bussines is bussines (o negócio é o negócio) e o negócio (o assunto) era fotografar os quatro susoditos estabelecimentos comerciais (ou negócios) que graças ao Guia QDQ tinha desde o princípio dos tempos localizados na cidade herculina : Bar Suso (R. Olmos, 22), Grúas Suso (R. Girassóis, 14), Marisquería Suso-2 (Pça. Portugal, 7) e Suso Stylo (R. Fuente Álamo, 3).

O nosso saffari fotográfico foi bem-sucedido só a meias, pois dos quatro susoditos estabelecimentos comerciais corunheses que procurávamos apenas encontramos dous: o Bar Suso e a Marisquería Suso-2.

No número 14 da Rua Girassóis (Bairro das Flores) nom encontramos nem rasto de Grúas Suso (acabamos de comprovar que no Guia QDQ já nem aparece! Mas nas Páginas Amarelas sim!) e o cabeleireiro Suso Stylo se nom o encontramos foi porque no pré-constitucional e deteriorado mapa de La Coruña que levávamos connosco nom dêmos localizado a tal rua Fuente Álamo.

Publicamos hoje as fotos do que no Guia QDQ aparecia, já nom aparece, como Bar Suso e que na realidade nom resultou ser mais do que umha simples sucursal: Taberna Los Olmos, Sucursal del Bar Suso (R. Olmos, 22). Almost the same!.

Amanhã as fotos dominicais da corunhesa Marisquería Suso-2!

----- COMMENT: AUTHOR: manolo [Visitante] DATE: Fri, 05 Dec 2008 23:22:41 +0000 URL:

es parvo. puto nacionalista abaixo o galego!!!!!!
viva españa, viva franco!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 14 Nov 2008 11:16:29 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Pola rede ou polos bares, Oscar? ;) Nom fai falta que me dês os apelidos mas… quando é que foi isso e em que turma estavas? Saudações e muito obrigado pola visita e o comentário, Oscar! :) Vemo-nos! (na rede e/ou nos bares!) ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Oscar [Visitante] DATE: Tue, 11 Nov 2008 16:06:24 +0000 URL:

Mira ti a quen fun atopar pola rede!!

Saúdos dun que foi alumno teu no IES Terra de Xallas.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 25 Apr 2008 17:51:14 +0000 URL:

Caros Ernesto & O’Lombar:

Muitíssimo obrigado polos vossos amabilíssimos comentários (que tanto prazer me deu ler) e imensíssimas desculpas polo meu atrasso em responder aos mesmos. Não foi a soberba senão a falta de tempo o que me impediu fazê-lo antes (andamos a argalhar outras histórias e o tempo não dá para mais!).

Pois sim que é rocambolesca (relativa ou pertencente a Rocambole, personagem principal de um romance de Ponson du Terrail) a história do corunhês Bar Suso, metáfora da Galiza Susófona, aliás, Lusófona! Não é, Ernesto? ;-)

Com efeito, se for em verso era digna do mesmíssimo António Gonçalves Annes Bandarra!

Um forte abraço para os dous, aliás, cadanseu! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Thu, 24 Apr 2008 11:25:03 +0000 URL:

Oi Lombar,

Sim a verdade é que bem mirado semelha talvez uma mensagem de cripto-Susismo?

Havia um SUSO original, e depois um SUSO sucursal que era melhor e maior local.

Mas o original fechou quando os donos deixaram de o atender, mas logo entanto uns dos herdeiros ficavam com o sucursal e permanecia e ampliava negócio, outros ficaram com o nome original e mais adiante reinventaram o Suso original.

Mas infelizmente o Suso reinventado foi para o tacho e o Suso sucursal permanecia como Suso.

Interessante, não sei que me lembra.

Se for em verso era Bandarra…

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Wed, 23 Apr 2008 10:41:13 +0000 URL:

Como que “simples sucursal” ?, caro ;-)
Um bar, ou O.P. fechada, com “sucursal” supervivente. Fantástico :-)

Abraço

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Tue, 22 Apr 2008 15:13:25 +0000 URL:

Sim esse da Galeira é que fechou. O que era o Suso reinventado. Era um recantinho por fronte a essa praça (sem nome) feita onde antes estava o Cinema Coruña e que agora permite atravessar a Santo André. Eram bons esses vinhos dos Susos.

Saúde,

Ernesto

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 22 Apr 2008 12:44:22 +0000 URL:

Complicado é-che bastante, sim! Haverá por volta de dous anos (quando comecei com esta frikada) encontrei no QDQ um Bar Suso sito no número 22 da corunhesa rua dos Olmos. Dous anos depois no QDQ já nom aparece e o que encontro no seu lugar (Olmos, 22, Corunha) é o que pode ver-se nas fotografias. Enquanto edito este post descubro nas Páginas Amarelas que no número 31 da contígua rua Galera existe um (outro?) Bar Suso que anteontem Domingo me passou completamente desapercebido! (e isso que, logo depois de retratar-me perante a susodita Sucursal, a Teresa e mais eu almoçamos nessa mesma rua!). Será que, como tu me comentas, fechou sem deixar rasto? É para virar louco! ;-)

As duas casas Jesusa (1 e 2) sim que as vim mas nom as fotografei porque, ao menos por enquanto, cinjo-me aos estabelecimentos comerciais que levam por único nome o meu hipocorístico familiar (com apelidos também nom me vale).

Lástima de cuncas! À Corunha temos de voltar (embora só seja porque ficaram vários susoditos no tinteiro) assim que espero que tenhas oportunidade de pagar umhas taças tintas! ;)

Obrigado por tudo, amigo Ernesto, um forte abraço!

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Tue, 22 Apr 2008 10:32:15 +0000 URL:

É-che mais complicado. O Suso é um bar muito familar. O sucursal foi a ampliação, mas o original que era mais pequeno há muito fechou, mas logo o reabriram outro também nos olmos mantendo a denominação de Suso. Infelizmente há um ano ou cousa fechou. Podias ter aproveitado e fotografar os casa Jesusa (1 e 2).

Por certo, mais uma vez o nosso fado. Eu por cousas familiares andei sábado e domingo pela Crunha. E podia te ter convidado a cuncas famosas em algum outro.

Saúde,

Ernesto

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Um (in)certo Domingo de Abril de 1956 BASENAME: um_in_certo_domingo_de_abril_de_1956 DATE: Mon, 14 Apr 2008 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

0. (De esquerda a direita) "Borobó", "Máximo Sar", "O Bibliótafo" e "Roxerius" num (in)certo Domingo de Abril de 1956 perante a casa onde viveu e seica morreu Manoel-António em Asados (Conc. de Rianxo). 1. Raimundo García Domínguez ?Borobó?. 2. Roxelio Pérez González ?Roxerius?. 3. Maximino Rodríguez Buján ?Máximo Sar?. 4. Domingo García Sabell ?O Bibliótafo?.

É de domínio público que Manoel-António nom morreu, nem em Asados (Rianxo) em 1930 (como se reza na sua falsificada certidom de óbito) vítima da tuberculose, nem dez anos depois na França, em 1940 (como afirma Xesús González Gómez, sob o pseudónimo de Ramón Posada, em Ucronia) vítima dos nazistas. Manoel-António está vivo, como Elvis Presley.

Vivo e sequestrado. Manoel-António foi surpreendido polos seus captores (o comando itinerante dos GALaxios, integrado por Domingo García Sabell ?O Bibliótafo?, Raimundo García Domínguez ?Borobó?, Roxelio Pérez González ?Roxerius? e Maximino Rodríguez Buján ?Máximo Sar?) na manhã dum chuvoso dia de meados do Século XX quando descansava em paz na intimidade do seu quarto.

Mas, que dia se perpetrou e-xa-ta-men-te o sequestro de Manoel-António?

O único dos quatro sequestradores que ainda permanez com vida ("Máximo Sar") nom o esclarece no artigo que no nome dos ?GALaxios? enviou dias depois do sequestro ao vespertino compostelano La Noche (na altura, vozeiro dos via-lentos) reivindicando a autoria do mesmo.

A única pista que ?Máximo Sar? deixa no seu artigo (datado em Caldas de Reis em Abril de 1956) é que o dia de autos era Domingo:

?Y, al fin, Rianxo. Un Rianxo dominguero en cuya calle del Medio las mozas lucen sus trajes de fiesta, aprovechando el escampo.?
[RODRÍGUEZ BUJÁN, Maximino, Tras las huellas de Manuel Antonio, La Noche, 21 de Abril de 1956, pág. 4.]

Estes dados serviram-lhe a Antón Capelán Rey (que nom é capelám nem soberano mas eminente p.i. manoel-antoniano) para escrever:

?Nunha boa mañá de domingo de abril de 1956, Borobó, García Sabell, Roxelio Pérez Gonzáles (?Roxerius?) e Máximo Sar fixeron unha viaxe a Rianxo para recadaren o legado de Manuel Antonio (...). Uns días despois, Máximo Sar publicou en La Noche (21-VI-1956) [sic] o relato pormenorizado destes feitos no artigo titulado ?Tras las huellas de Manuel Antonio (...)?
[CAPELÁN REY, Antón, Un autor nunca esquecido, en Manuel Antonio: Embarcados nun cantar, A Nosa Terra- A Nosa Cultura,16, Promocións Culturais Galegas, Vigo, 1996, pág. 25.]

Um trecho do citado ensaio do Antón Capelán aparece reproduzido na margem direita da Página Amarela que, em Janeiro de 2000 e com motivo do 70º aniversário da suposta morte de Manoel-António, a Coordenadora Cidadã Cachimbo pola Paz tirou para denunciar o longuíssimo sequestro do que era (e ainda é) vítima o poeta. Umha dessas Páginas Amarelas caiu nas maos de Borobó, como daí a uns dias ele próprio contaria num dos seus célebres Anacos d?A Nossa Terra:

?Sorprendeume ledamente a leitura dunha folla amarela que se repartiu durante o Congreso de Castelao celebrado en Rianxo. Asinada pola Coordinadora ?Cachimba [sic] pola Paz? (...) informaba de que Manoel-Antonio non morreu en Asados, no 1930, senón que foi secuestrado, no ?sequestro mais longo de todos os tempos, que dura já a frioleira de 44 anos?. (...)?
[BOROBÓ, O secuestro de Manoel-Antonio(Anacos de Borobó), A Nosa Terra Nº 921 (10-FEV-2000), pág. 35.]

Com anterioridade a essa data quando Borobó (o sequestrador arrependido) se referia ao sequestro de Manoel Antonio fazia-o sem dar umha data precisa (e, evidentemente, sem falar em termos de ?sequestro?):

?Hace aproximadamente un año, fuimos con don Rogelio Pérez, el inspector de escuelas y buen escritor rianxeiro a la villa natal de éste y de tantos hombres ilustres, García Sabell, Máximo Sar y este cronista. Aquel viaje, en una mañana de primavera fría y lluviosa, tenía por objeto escudriñar y recoger los papeles que quedaban en la casa de Manuel Antonio.?
[BOROBÓ, ANACOS ??do meu interior?, La Noche Nº 11.287, Sábado, 23 de Março de 1957.]

?Anque o momento estelar da nosa relación ocorreu en Asados, preto do pazo dos Torrados, un ano daqueles. Cando fun con il, e con Domingo García Sabell e Maximino Rodríguez Buján, a abrir a habitación do seu curmán Manoel Antonio, pechada pola nai diste desde o mesmo dia do enterro do poeta?.
[BOROBÓ, O inxel curmán de Manuel Antonio, em Roxerius, un pedagogo galeguista, A Nosa Terra Nº 816, 5 de Fevereiro de 1998, pág. 8.]

?Entre os papeis de Manoel Antonio, encontrados na súa alcoba, tras permanecer choida vinte anos*, atopáronse varios poemarios inéditos...?
[BOROBÓ, O vento inconsciente de Manoel Antonio, A Nosa Terra Nº 917, 13 de Janeiro de 2000, pág. 36.]

* Segundo a sua falsificada certidom de óbito, Manoel-António faleceu em 28 de Janeiro de 1930. 1930+20=1950. Ao dizer di ?vinte anos? (e nom ?mais de vinte?) Borobó data no ano 50 (e nom na década de 50) o sequestro.

?Anque o momento estelar da nosa relación ocorreu en Asados, preto do pazo dos Torrados, un ano daqueles. Cando fun con el, e con Domingo García Sabell e Maximino Rodríguez Buján, a abrir a habitación do seu curmán Manoel Antonio, pechada pola nai deste desde o mesmo dia do enterro do poeta?.
[BOROBÓ, Vinte anos choída a alcoba onde morreu Manoel Antonio, O Correo Galego, Lecer, DOM, 06-FEV-2000.]

Mas desde o dia em que aquele pasquim caiu nas suas maos (cousa que aconteceu na Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2000, véspera do 70º aniversário da suposta morte do poeta) sim o faria dando por boa a dataçom do Antón Capelán assumida na sua Página Amarela pola Coordenadora Cachimbo pola Paz:

?Sorprendeume ledamente a leitura dunha folla amarela que se repartiu durante o Congreso de Castelao celebrado en Rianxo. Asinada pola Coordinadora ?Cachimba [sic] pola Paz? (...) informaba de que Manoel-Antonio non morreu en Asados, no 1930, senón que foi secuestrado, no ?sequestro mais longo de todos os tempos, que dura já a frioleira de 44 anos?. Logo explica coma foi e quen o cometeron: ?Manoel Antonio foi surpreendido polos seus captores (...) n a manham dum fatídico Domingo de Abril de 1956 quando descansava em paz na intimidade do seu quarto?.?
[BOROBÓ, O secuestro de Manoel-Antonio (Anacos de Borobó), A Nosa Terra Nº 921 (10-FEV-2000), pág. 35.]

?Acompañei nisa misión a Garcia Sabell, certo domingo de abril de 1956, dende Santiago nun coche de punto no que montaron en Padrón tamén Rogelio e Maximino, como narraria iste deseguida no artigo, Tras las huellas de Manuel Antonio, aparecido en La Noche, do 26 [sic] daquel Abril (...)?
[BOROBÓ, A chave de Manoel Antonio(Anacos de Borobó), A Nosa Terra Nº 928 (30-MAR-2000), pág. 35.]

?Pois a miña memoria, limpa como unha patena (?) certifica que foi ali onde penetramos, na mañá daquil domingo de Abril, os catro ?secuestradores? pra cometer o ?espolio? da obra inédita e demais papeis do poeta de ?Catro a catro?.?
[BOROBÓ, O Cantor da Choiva (Anacos de Borobó), A Nosa Terra Nº 930 (13-ABR-2000), pág. 35.]

Um (in)certo Domingo de Abril de 1956

A nossa conhecida afeiçom às efemérides (e à sua comemoraçom o bememoraçom) fijo com que esta dataçom (assim, tam vaga) nos parecesse francamente insuficiente. Propujemo-nos datar o sequestro de Manoel-Antonio e-xa-ta-men-te, mais que nada para termos no ano umha data concreta em que lembrar e denunciar a sua inumana situaçom.

O nossa primeira tarefa era reconstruirmos ?as folhas evadidas do almanaque? de 1956. Sinaladamente a de Abril de 1956.

Sabendo que dia da semana era 21 de Abril de 1956 (data da publicaçom em La Noche do artigo do Máximo Sar) poderíamos saber que dia da semana eram todos os dias do mês. O problema era que na fotocópia da que dispúnhamos no citado artigo (amavelmente enviada por carta, em Abril de 2000, polo mesmíssimo Antón Capelán) nom figurava este dado.

Graças ao Calendário Perpétuo que (entre outra informaçom de utilidade) trazia a minha agenda do ano 2002, averiguei que o 21 de Abril de 1956 era Sábado (em 3 de Abril de 2002, consultando a coleçom que de La Noche conserva El Correo Gallego no Polígono do Tambre, teria oportunidade de confirmar esse dado). A partir dessa data pudem reconstruir o mês inteiro e comprovar que, com anterioridade ao Sábado 21 (data da publicaçom do artigo do Máximo Sar em La Noche), em Abril de 1956 havia três Domingos (dias 1, 8 e 15) candidatos a ser o ?dia de autos?.

Na Quarta-feira, 3 de Abril de 2002, tivem o prazer de compartilhar garrafa de vinho e tertúlia com Miguel Anxo Fachado Baquedano, Pancho Valle-Inclán e Borobó na enoteca O?Beiro (Rua da Rainha, 3, Compostela). Naquela ocasiom perguntei ao finado mestre se sabia em qual desses três domingos (1, 8 e 15 de Abril de 1956) se poderia ter produzido o sequestro. Nom soubo dizer-me mas dixo-me qualquer cousa relativa à Pascuilla de Padrom (festividade que na vila padronesa se celebra no Domingo seguinte ao Domingo de Páscoa). Tratava-se dumha pista para averigua-lo. Pode ser que me digesse que o sequestro de Manoel-António fora perpetrado no Domingo a seguir à Pascuilla mas, infelizmente, nom me lembro com exatidom. Tampouco me lembro de se tomei nota do que o Borobó naquele dia me dixo mas, contrariamente ao meu costume, pode ser que nom. Ao menos, foi inútil a procura da hipotética anotaçom.

O que com certeza o Borobó nom me dixo foi que o sequestro se tivesse perpetrado no próprio dia da Pascuilla ou no Domingo anterior (Domingo de Páscoa). Nom, porque de ser assim me lembraria e também porque nos seus artigos sobre o assunto Máximo Sar (que montou em Padrom no carro com o que se cometeria o sequestro) teria feito algumha mençom:

?La verdad es que cuando trasladé al interior del ?Simca? mis noventa kilogramos, García Sabell y Borobó sufrieron una notable reducción física. Rogelio Pérez iba delante, con todo un parabrisas a su disposición, por lo que durante el trayecto a Rianxo exhibió un humor excelente. (?) la expedición aludida partió, un día lluvioso, de Padrón y enfiló la flamante carretera de Riveira.?
[RODRÍGUEZ BUJÁN, Maximino, Tras las huellas de Manuel Antonio, La Noche, 21 de Abril de 1956, pág. 4.]

?En el citado 1956, viviendo yo en Caldas de Reis, por razones profesionales, me llamó ?Borobó? por teléfono y me dice que tal día a tal hora esté en mi casa de Padrón para ir a Rianxo.
En la ocasión señalada subo a un coche, en donde ya están García Sabell y ?Borobó? y me entero que el ilustre Dr. Compostelano tiene plena autorización de la madre del poeta para recoger cuantos antecedentes y datos del mismo se hallaren en una modesta casita que se alza al inicio de la calle del Medio.
Allí se nos unió ?Roxerius? ?Rogelio Pérez- primo de Manoel Antonio??

[RODRÍGUEZ BUJÁN, Maximino, Yo ayudé a ?secuestrar? a Manoel Antonio, El Correo Gallego, 6 de Fevereiro de 2000.]

* Há umha importante contradiçom entre estes dous artigos, escritos polo Máximo Sar com 46 anos de diferença, em que acabo de reparar. Mais um enigma que resolver!

Visto que o Domingo de Páscoa é umha data móvel no calendário, tivemos de empregar a fórmula proposta por Johann Friederich Carl Gauss (fórmula que tiramos da Wikipédia na passada Quarta-feira) para calcularmos em que mês (Março ou Abril?) e em que dia caira a Páscoa de 1956.

O resultado resultou ser bastante engraçado: em 1956 o Domingo de Páscoa caiu em 1º de Abril, Dia da Mentira e, durante o franquismo, Día de la Victoria também. Naquele ano a Pascuilla de Padrom celebrou-se, portanto, no Domingo 8 de Abril.

Se descartamos o Domingo dia 1 (Domingo de Páscoa) e o Domingo dia 8 (Pascuilla de Padrom) como possíveis datas do sequestro de Manoel-António a única possibilidade que resta é que este se tivesse perpetrado no Domingo dia 15.

A informaçom meteorológica que encontramos na imprensa da época parece concordar com o relato do Máximo Sar fijo em La Noche e corroborar a nossa teoria:

?(?) la expedición aludida partió, un día lluvioso, de Padrón (?). Por momentos arreciaba la lluvia y los limpia-parabrisas danzaban rítmica y ágilmente(?).(?) el maravilloso Ullán, velado por una lluvia de características rosalianas (?). Y, al fin, Rianxo. Un Rianxo dominguero en cuya calle del Medio las mozas lucen sus trajes de fiesta, aprovechando el escampo(?).?
[RODRÍGUEZ BUJÁN, Maximino, ?Tras las huellas de Manuel Antonio?, ?La Noche?, 21 de Abril de 1956, pág. 4. ]

SEX, 13-ABR-1956
?Veinte litros de agua por metro cuadrado? (La Noche, pág. 2).

SAB, 14-ABR-1956

?El Sarela, el Sar, el Ulla y el Umia se han desbordado ayer / Inundaciones en Santiago, la Mahía, el Ullán y Caldas?, ?El Ulla salió de madre?, ?Desbordamiento del Umia? (La Noche Nº 10.917, pág. 1); ?La inundación del barrio de Vista Alegre?, ?La riada en la Mahía?, ?El río Umia se desbordó a su paso por Bayón? (pág. 2).

?Inundaciones en la zona de Vista Alegre / El agua alcanzó un metro de altura en la calle de los Pelamios?, ?El temporal de lluvias provocó en la comarca de Bertamiráns grandes inundaciones? (El Correo Gallego)

DOM, 15-ABR-1956
?Inundaciones provocadas por desbordamiento de los ríos en Padrón, Puentecesures y Caldas? (El Correo Gallego)

SEG, 16-ABR-1956
?Serios daños causados por la riada [em Betanços]? (La Noche)

TER, 17-ABR-1956
?En Noya también hubo inundación.
NOYA- a causa de las lluvias torrenciales caídas en la tarde del jueves y viernes (?)?
(La Noche)

Conclussom

Atrevemo-nos a afirmar que aquele fatídico ?Domingo de Abril de 1956? de que falou o Antón Capelán (e, a partir dele, todos os demais: Cachimbo pola Paz, Borobó...) era dia 15. É dizer, TAL DIA COMO HOJE HÁ 52 ANOS.

Manoel-Antonio, que no vindouro 12 de Julho fará 108 anos, leva 52 anos sequestrado. Esperemos que García Sabell O Bibliótafo (falecido na Corunha em 5 de Agosto de 2003) nom o tenha levado consigo para o Mais alá. Por isso, igual que Cachimbo pola Paz (paipa em forma de interrogaçom) fazia em 12 de Julho de 2000 (Centenário do nascimento do poeta) hoje, 15 de Abril de 2008 (52º aniversário do seu sequestro), nós nos perguntamos: QUEM SABELL ONDE???

52 ANOS DE SEQUESTRO, BASTA JÁ!!!
MANOEL-ANTÓNIO A CASA!!!
A Borobó, in memoriam.

NOTA: Mais informaçom sobre o sequestro de Manoel-António (e a luita cidadã para conseguir a sua imediata libertaçom) na sub-categoria Cachimbo pola Paz (categoria Terrorismo Cultural) de Angueira de Suso.

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 21 May 2008 22:14:09 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Haha, iso non podía faltar! Temos que recuperar ese estilo tantas veces cultivado por Cunqueiro (polo menos cando nos dea o presuposto!). Aburiño!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sat, 03 May 2008 15:41:39 +0000 URL:

Equivocas-te, caro Vixía! No seu artigo Trás las huellas de Manuel Antonio ao Máximo Sar nom lhe faltou nem isso! O que acontece é que no meu artigo (já bastante longo, mesmo assim) eu nom reproduzim o trecho em que o bom do Máximo Sar falava desses pormenores no seu. Aí o vai, especialmente dedicado para ti:

Alrededor de las tres de la tarde quedaba en el coche, hábilmente empaquetado, todo lo que a Sabell le pareció de valor y, satisfechos por la prodigalidad de la memorable mañana, nos sentamos en torno a la mesa de la ?Chucha?. Debo hacer constar que esta parte de nuestra misión no fue menos provechosa y digna de memoria ?aunque en otro estilo- que la precedente. Y ello porque la mesa estuvo ilustrada abundantemente con los suculentos productos de la ría rianxeira. ¡Qué decir de aquellas ostras, exquisita pulpa hecha de puro mar azul! ¡Y qué mejillones roqueños, presentados en fresco salpicón! Y de las sardinas y de otros productos de mar adentro con que nos sorprendió Rogelio gratamente, ¿qué diría yo, Dios mío?- Lo único que se me ocurre después de exprimir concienzudamente mis circunvoluciones cerebrales, en una sola palabra monosilábica: ?bis?.

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Thu, 01 May 2008 08:38:06 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

?La verdad es que cuando trasladé al interior del ?Simca? mis noventa kilogramos, García Sabell y Borobó sufrieron una notable reducción física. Rogelio Pérez iba delante, con todo un parabrisas a su disposición, por lo que durante el trayecto a Rianxo exhibió un humor excelente. (?) la expedición aludida partió, un día lluvioso, de Padrón y enfiló la flamante carretera de Riveira.?

Estes intelectuais de antes éranche a hostia! (Faltoulle apenas mentar a comida e o viño que deberon de tomar aquel día :-D) Facían falta máis xente desta, e non tantos rosmóns crispados.

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Wed, 23 Apr 2008 10:47:10 +0000 URL:

Sempre visitando o blog com demora e sempre visita surpreendente. Com menos a galera tem feito “tesiñas” inteiras. Parabéns, caro.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 17 Apr 2008 09:37:55 +0000 URL:

“Muito choveram por nós desde aquela”, com efeito, amigo Ernesto! Especialmente ontem à noite, por volta das 21h30 (GMT+1), justo depois de cumprimentar o Sr. Galeguzo e a sua Senhora na Cafetaria De Vagar (R. Noia, 1, esquina com Av. Castelao, Compostela). Tomei umha molhadura como havia anos! E o relampo/trono que me surpreendeu caminho da casa foi incrível, nunca tinha visto/ouvido nada igual!!!

Pois eu ao Rubén (O Ghaiteiro de Lapamán) pessoalmente acho que nom o conheço! Conhecim-no virtualmente há quase um ano (em 3 de Maio de 2007) graças a certo comentário que deixou no blogue do meu tio Félix, na altura candidato à Autarquia e hoje Autarca de Bueu. Lapaman, Lapaman

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Thu, 17 Apr 2008 08:50:58 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Caralho! Pois abofé que o mundo é bem pequeno, Suso e Rubén, que até eu vos conheço aos dous! Os caminhos da rede (e da Avenida de Castelão s/n) são inescrutáveis :-p

Viva o Império Gallego Gallácteo!

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Wed, 16 Apr 2008 21:37:32 +0000 URL:

Muito choveram por nós desde aquela.

Conservas-te mui bem.

Saúde,

Ernesto

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 16 Apr 2008 19:18:24 +0000 URL:

Obrigado, Ernesto! Precisamente nestes dias estivem a reler a correspondência eletrónica que intercambiamos (e que tivem a aquela de imprimir) naquele já longínquo ano 2000, quando o nosso comum amigo José Ramom Pichel nos pujo em contato! Manoel-António sempre… e mais depois!!! :)

Obrigado a ti também, caro Ruben, meu convizinho morracense!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: ruben [Visitante] DATE: Wed, 16 Apr 2008 08:09:13 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/lapaman

grande, hehe, nos dous sentidos da palabra, XDD. noraboa pola investigación! menudo traballón…

chaue

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Wed, 16 Apr 2008 06:37:49 +0000 URL:

Ha, Ha, Ha e até mais Ha,

Muito boa pesquisa. Suspeitosamente coincidente essa viagen com o 14 de abril (que algum destes aproveitava para se casualmente reunir e tomar uns copinhos).

Permanecemos a espreita dos papéis. Talvez algum dia no expólio sabelliano algum investigador seja capaz de topar isso (e algo mais).

Talvez haja que ir pelo cadaleito (armados de estaca que ele era um biblio-vampiro) de Sabell, não seria de estranhar que qual farão se tiver enterrado com algum dos seus tesouros.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 15 Apr 2008 20:34:20 +0000 URL:

O artigo, queres dizer? Já o sei, saiu-me grande de mais! ;) Mas espero que, de todo modo, poda resultar interessante para alguém!

----- COMMENT: AUTHOR: Galeguzo [Visitante] DATE: Tue, 15 Apr 2008 17:33:18 +0000 URL: http://http;//caminhos.gzpt.org

Grande, muito grande, Suso Holmes!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Vila de Suso (Conc. de Oia) BASENAME: vila_de_suso_conc_de_oia DATE: Tue, 08 Apr 2008 16:13:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS LUGARES CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Placas de sinalizaçom em Vila de Suso (Conc. de Oia). Fotos: Nando & Noa.

No passado 6 de Fevereiro (Quarta-feira de Cinzas) o meu irmao Nando e a minha cunhada Noa (pai e mãe de Nuno e Nara) enviaram-me as fotos de certas placas de sinalizaçom polas que com frequêcia passam e que, segundo Nando e Noa me contavam no seu e-mail, havia tempo que tinham vontade de fotografar para mim.

Lograram fazê-lo, por fim, no dia 1 e no próprio dia 6 de Fevereiro, à ida e à volta do Rosal, localidade onde passaram em família as férias do Carnaval.

Polos vistos as quatro primeiras fotografias (Vila de Suso somente e Vila de Suso - Serralho) foram feitas à ida (SEX, 01-FEV-08) e as duas últimas [Vila de Suso (Centro)] à volta (QUA, 06-FEV-08).

Vila de Suso é umha das seis paróquias pertencentes ao Concelho de Oia (Comarca do Baixo Minho).

O Serralho é um dos doze lugares da paróquia de Sam Miguel de Vila de Suso (os outros onze som: Barroca, Enguido, Loureiros, Mogolhom ?flipa!-, Passarinhos, Peres, Portosanim, Preans, Serra Seca, Sobral e Volta das Orelhudas).

O tipo que aparece na primeira fotografia e que tanto se parece comigo nom sou eu. A sério. É o meu irmao Nando.

Dous meses e dous dias depois de que os seus autores mas enviaram (e um dia depois de publicarmos aqui umha foto feita num lugar homónimo do Concelho de Catoira), as fotografias feitas por Nando e Noa na paróquia de Vila de Suso (Concelho de Oia) por fim vêm à tona.

Muitíssimo obrigado, irmao! Obrigadíssimo, cunhada! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 19 May 2008 13:54:33 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Feliz acaso, sim senhor! :)
Saudações Pasquineiras, Kiko! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: kiko da silva [Visitante] DATE: Mon, 19 May 2008 12:37:38 +0000 URL: http://www.revistaretranca.com

Pois que casualidade Suso, pola subida da rúa da segunda foto
súbese a casa dos meus pais. :)
Saúdos Retranqueiros, kiko da silva

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 10 Apr 2008 09:10:09 +0000 URL:

Não acreditais em ditados PoPulares espanhois, quereis dizer, né?

Obs: A cultura espanhola encara não as sextas, mas as terças-feiras em geral e as terças-feiras 13 em particular, como dias de azar chegando mesmo a dizer, em jeito de provérbio: ?En martes, ni te cases ni te embarques? (às terças-feiras, nem te cases nem viajes). http://felixfelicisamis.blogspot.com/2006/10/sexta-feira-13.html

Já agora, para pôr o til de nasalidade (~), Ctrl+Alt+4 ou Alt Gr+4 ;-)

Beijinhos para as/os 4 Ns!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: N+4 [Visitante] DATE: Wed, 09 Apr 2008 10:20:13 +0000 URL:

Gostamos muito de mirar as fotinhas no ar, oia! Por certo, foi na Ilha de Arouça que passamos nós nossa lúa de mel, em terça, num veleiro fondeado ( n4aoacreditamos em ditos PoPulares ).

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Vila de Suso (Conc. de Catoira) BASENAME: vila_de_suso_conc_de_catoira DATE: Sun, 06 Apr 2008 23:09:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS LUGARES CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Suso em Vila de Suso (Foto: Teresa Díaz).

Caminho da Ilha de Arouça, onde desfrutamos dum idílico fim-de-semana, a Teresa e mais eu passamos por Vila de Suso, lugar da paróquia do Oeste (Santa Baia), no Concelho de Catoira.

Esta foto (com a que inauguramos em Angueira de Suso -sem tempo nom era!- a categoria dos 'susoditos' lugares) fijo-ma a Teresa no Sábado à tarde, por volta das 16h30 (GMT+2).

Repare-se em que no galego da Xunta Vila de Suso se escreve assim, tudo xunto :p

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 11 Apr 2008 10:21:12 +0000 URL:

Leitores ociosos… e cultos! Vejam só os palavros que eles empregam!!! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 10 Apr 2008 14:43:10 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Muito bom… todo o blogue e os ociosos leitores que o visitam (ver os tautológicos comentários acima, hehe ;))

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 10 Apr 2008 09:38:16 +0000 URL:

Muito bons os comentários do el niño de la guía (sobre o meu comentário sobre o comentário de Uz sobre o meu comentário a respeito do galego da Xunta e a sua mania de escrever tudo xunto) e do berto (sobre o comentário do el niño de la guía sobre o meu comentário sobre o comentario de Uz sobre o meu comentario a respeito do galego da Xunta e a sua mania de escrever tudo xunto). E muito engraçados também! Muitas graças!!! X-)))

----- COMMENT: AUTHOR: berto [Visitante] DATE: Wed, 09 Apr 2008 19:05:37 +0000 URL:

Muito bom o comentario de el niño de la guia sobre o comentario de suso sobre o comentario de Uz sobre o teu comentario a respeito do galego da Xunta e a sua mania de escrever tudo xunto

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Wed, 09 Apr 2008 19:01:40 +0000 URL:

Muito bom o teu comentário sobre o comentário de Uz sobre o teu comentário a respeito do galego da Xunta e a sua mania de escrever tudo xunto

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 08 Apr 2008 16:18:50 +0000 URL:

Muito obrigado, Uz! Muito amável o teu comentário sobre o meu comentário a respeito do galego da Xunta e a sua mania de escrever tudo xunto! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 07 Apr 2008 18:19:37 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Muito bom o teu comentário da última frase sobre a Xunta e o “xunto” :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 9 BASENAME: o_pasquim_no_9 DATE: Sun, 30 Mar 2008 01:46:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 64 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 9 d'O Pasquim' (direita).

Anteontem, sexta-feira, 28 de Março de 2008, chegou à minha caixa do correio o último número do Novas e, conjunta e in-separavelmente com ele, o último número d'O Pasquim.

N'O Pasquim Nº 9 (dedicado a Tan gallego como el gallego, Galicia Bilingüe, Mesa por la Libertad Lingüística e toda essa galegófoba ralé) colaboramos (in alphabetical order): Fer, Franjo Padín, Gerardo Doco Velo, Gonzalo Vilas, Maceirax, Pestinho+1, Pepe Carreiro e um servidor, Suso Sanmartin.

O título do Nº 9 d?O Pasquim («Be lingual, be happy!») tomamo-lo emprestado da magistral BD com a que o mestre Gonzalo Vilas, ausente nos dous anteriores números d'O Pasquim, volta a deleitar-nos neste número. A Deus o que é de Deus e a César o que é de César! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 02 Apr 2008 09:42:36 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Álvaro de Campos e Ricardo Reis tão-pouco! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 01 Apr 2008 12:14:59 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Prezado Suso, ainda que é um erro muito comum, Gerardo D. Velo mais eu não somos a mesma pessoa :-D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Carnicería Suso" (Bertamirans) BASENAME: carniceria_suso_bertamirans DATE: Fri, 28 Mar 2008 11:23:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Peixarias e Talhos Suso TAGS: ----- BODY:

"Carnicería Suso" (Avenida da Amaia, 38, Bertamirans-Ames).

Na segunda-feira encontrávamos por acaso um camiom de Construcciones Suso (Bexe-Seixo-Marim) e anteontem, quarta-feira, o amigo Antón Díaz enviava-nos as fotos do Mesón Suso (Arteijo) que nom havia muito tempo nos prometera.

As fotografias de um e outro susodito estabelecimento comercial foram publicadas aqui, em Angueira de Suso, com data de 26 de Março de 2008.

Nom há dous sem três, diz o ditado, assim que aproveitamos para publicar umhas fotografias, as da Carnicería Suso de Bertamirans, que levavam mais de cinco meses no disco rígido do computador esperando a sua vez.

Foram feitas em 20 de Outubro de 2007 (Sábado) quando a Teresa e mais eu regressávamos a Compostela depois de desfrutar, em pleno Outono e graças à mudança do clima, dum maravilhoso dia de praia.

A única nota negativa daquela jornada foi que, for the second time in my life e depois de muitíssimos anos, fum picado por umha faneca inglesa (às/aos que nom sodes de Bueu terei que explicar-vos que umha faneca inglesa é o que vós chamades de faneca brava).

Embora as moléstias no dedo gordo do pé direito me durariam várias semanas, na foto que com a Carnicería Suso de fundo me fijo a Teresa (a primeira, acima à esquerda) pareço completamente restabelecido da picada.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Mesón Suso" (Arteijo) BASENAME: meson_suso_arteijo DATE: Wed, 26 Mar 2008 19:30:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

"Mesón Suso" (Cruzamento de Sabom-Seixedo, S/N. Arteijo)

Antón Xosé Díaz Gómez (mais conhecido por Antón Papa-Queijos) prometera nom há muito enviar-me as fotografias dum susodito estabelecimento comercial do qual é bom fregués.

Seu dito, seu feito. Na manhã de hoje recebim do amigo Antón cinco fotografias do arteijano Mesón Suso das que selecionei estas duas para a sua publicaçom.

Très bien, Antoine! Merci bocoup! Tu es très bon! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 27 Mar 2008 11:49:23 +0000 URL:

Pois É! Pois SÃO! Très, très bons! Antón Díaz, Fran Amil e Xurxo Souto! Les trois! (sem esquecermo-nos do Lourenzo Castro, aka O Vendaval do Rosal, o quarto trè bon) ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 27 Mar 2008 11:20:13 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Perdão, onde acima digo “era” deveria dizer “É"!! :P

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 27 Mar 2008 11:18:50 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Les Trois Très Bons, hehehe :D eu sempre defendi que o nome deste grupo musical era, precisamente, muito bom :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Construcciones Suso" (Bexe-Seixo-Marim) BASENAME: construcciones_suso_beja_seixo_marim DATE: Tue, 25 Mar 2008 23:49:45 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Construções Suso TAGS: ----- BODY:

"Construcciones Suso" (Bexe-Seixo-Marim)

Anteontem à tarde, por volta das 16h00 (GMT), topei na Portelinha (lugar da freguesia de Sam Giam de Marim) este camiom de Constucciones Suso arrumado ao pé dumha casa em construçom.

Segundo reza na serigrafada porta do veículo, Constucciones Suso tem o seu domicílio social num lugar da vizinha freguesia de Seixo, Concelho de Marim também, chamado Bexa (terminado em "a").

Nem no Nomenclátor de Galiza nem no Topogal encontramos um lugar chamado assim. Encontramos, porém, que na morracense freguesia de Seixo existe um lugar chamado Bexe (terminado em "e").

Mais um mistério por resolver!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 Apr 2008 11:10:55 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

E eu sou de Bueu e tampouco! Já vês, oko, o Morraço nom é tam pequeno como canta(va)m os Soak! O Morraço é um Mundo!!!

----- COMMENT: AUTHOR: oko [Visitante] DATE: Sun, 06 Apr 2008 22:12:34 +0000 URL: http://dornaretina.blogspot.com

eu son de marín-de-toda-a-vida e nunca oín falar dese sitio :( e iso que pasei de nena moitos días en castro, na brea…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 26 Mar 2008 11:45:12 +0000 URL:

Muito bom nom é, com efeito, mas tampouco fai falta que te vexes publicamente! ;-P

Se afinal fosse Beja (e nom Bexe) poderíamos falar do seu homónimo topónimo em terras de Portugal: http://pt.wikipedia.org/wiki/Beja (nom vejas!)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 26 Mar 2008 09:26:36 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

É mágoa que seja Bexe e não Beja, porque desse jeito poderíamos indicar também o de “Construcciones Suso | Beja aqui” :D (malíssimo, malíssimo ;))

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?O Pasquim? Nº 8 BASENAME: o_pasquim_no_8 DATE: Tue, 18 Mar 2008 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 63 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 8 d'O Pasquim' (direita).

Há exatamente três semanas (na Quarta-feira, 27 de Fevereiro) recebim na minha morada o número 63 do Novas da Galiza e (conjunta e in-separavelmente com ele) O Pasquim número 8.

E há três semanas menos um dia (vinte dias já) que (na quinta-feira, 28 de Fevereiro) Gerardo Uz publicou no seu blogue um post sobre a oitava entrega do Suplemento de Humor do Novas da Galiza, integralmente dedicado às Eleições Gerais celebradas no Reino de Espanha no passado 9 de Março (há hoje dez dias).

A estas alturas O Pasquim Nº 8 já nom é, portanto, novidade nengumha. No entanto (visto que de todos os números anteriores d?O Pasquim foi dada notícia aqui, em Angueira de Suso) tarde, mal e arrasto fazemos o próprio com O Pasquim Nº 8.

E igual que figemos no post dedicado ao anterior número d?O Pasquim (O Pasquim Nº 7), abusando da confiança do Gerardinho voltamos a copiar e colar aqui um trecho do seu post. Com licença:

(...) Neste número colaboram os já habituais Suso Sanmartin (quem, ademais, coordena), Pestinho +1 e Franjo Padin. A maravilhosa equipa recupera a colaboração de Bruno Ruival (autor da imagem corporativa d?O Pasquim) e, como novidade, duas gratas fichagens: Fer (texto de opinião) e Maceirax (desenho crítico). Como no resto de números, o resto de tarefas continuam sendo as mesmas, com o grande Xico Paradelo assumindo a coordenação adjunta? e quem lhes escreve, pois perpetrando maquetando (...)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 24 Mar 2008 09:02:41 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Hahahaha, claro que há confiança, meu ;-)

Por certo, que aproveito para lhe dizer à tua audiência que o número 9 d’O Pasquim já está a poucas horas de entrar no forno, hehehe, assim que apurem em mercar o último NGZ (o 63, e o in-separável O Pasquim 8) antes de que seja substituído nas bancas do país polo n.º 64 e O Pasquim n.º 9:D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Entendemo-nos? BASENAME: entendemo_nos DATE: Tue, 11 Mar 2008 22:59:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

De esquerda a direita: Eduardo Sanches Maragoto, Samuel Rego, eu, Domingos Manaça e Nilsom Leite (Foto: Teresa Díaz).

Desde ontem, segunda-feira 10 de Março, até depois de amanhã, quinta-feira 13, a Escola Oficial de Idiomas de Santiago de Compostela celebra o seu Festival das Línguas.

Dentro do programa do Festival das Línguas 2008 encontramos muitas e variadas actividades relacionadas com as línguas que se estudam na EOI: workshops (de gastronomia, regueifa, danças do mundo, manualidades, etc.), concursos (Cinema, music and literature quiz, Festival da Cançom de EOIvisom, etc.) projecções cinematográficas, debates...

Os meus bons amigos Edu e Bea (professores ambos do Departamento de Português da EOI compostelana) tiveram a gentileza de convidar-me a participar numha mesa-redonda intitulada Entendemo-nos? junto com o português Samuel Rego, o angolano Domingos Manaça e o brasileiro Nilsom Leite ...e eu tivem a ousadia de aceitar o seu amável convite!

O debate tivo lugar hoje, terça-feira 11 de Março, de 18h00 a 20h00 (GMT+1). Espero que para o público assistente (quinze encantadoras pessoas) escuitar os meus colegas de mesa-redonda tenha resultado tam interessante quanto para mim.

Entendemo-nos? &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 03 Jul 2008 14:52:12 +0000 URL:

Amigo Luís (os amigos dos meus amigos são os meus amigos), suponho que terás aberto o link que no post leva o nome do nosso comum amigo Samuel Rego e que terás encontrado (como a mim me acaba de acontecer agora mesmo) esta mensagem: “O sítio do Instituto Camões encontra-se em reestruturação. É possível que a página que procurava tenha sido renomeada, esteja em nova localização ou tenha sido eliminada…”. Por favor, experimenta estoutro. Boa sorte, um abraço (um para ti e um outro para o Samuel da minha parte, ok?)

----- COMMENT: AUTHOR: Croios detector [Visitante] DATE: Tue, 25 Mar 2008 07:42:21 +0000 URL:

Of course! :-D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 18 Mar 2008 19:04:22 +0000 URL:

Salvando as diferenças, é claro, caro! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Croios detector [Visitante] DATE: Mon, 17 Mar 2008 11:52:16 +0000 URL:

mágoa nao poder ir :-( !!!!!!!!!!

Chamar-lhe a isso debate??????? :-D :-D :-D debate estilo COPE

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sun, 16 Mar 2008 19:27:58 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Ah! É? Pois eu nom cho sabia! E como é que tu o sabes, Uz?

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 14 Mar 2008 12:26:02 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

E isso que este blogue é um dos mais visitados de todo o Blogomilho reintegrata :D!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 13 Mar 2008 12:34:44 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Angueira de Suso (a minha bitácora, como tu dis) logo fará dous aninhos de vida. Vejo no teu blogue (como digo eu), que tampouco conhecia, que o Colectivo Literário Sacou nasceu em Noia-Outes há dez anos. Parabéns, portanto, no vosso décimo aniversário e muitíssimo obrigado pola visita e o amável comentário! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Colectivo literario sacou [Visitante] DATE: Thu, 13 Mar 2008 12:05:40 +0000 URL: http://www.sacou.blogspot.com

vaites, nom conhecía esta bitácora. Um prazer atopa-la.

Saudos desde o mundo Sacou

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: IX Bienal da Caricatura de Ourense: aí estamos! BASENAME: ix_bienal_da_caricatura_de_ourense_ai_es DATE: Wed, 05 Mar 2008 22:52:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Caricaturas de Xan, Lois & Chicho ["De Troula" Nº 0 (JAN 2006), pág. 7], José María Martínez Bordíu "Pocholo" ["Novas da Galiza" Nº 48 (15-NOV/15-DEZ-06), pág. 3], Bieito Iglesias ["Tempos Novos" Nº 117 (FEV 2007), pág. 7], Rafael Louzán ["Novas da Galiza" Nº 52 (15-MAR/15-ABR-07), pág. 3], Miguel Torga [Catálogo XI Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2007 (Torga ou a Poética da Vida), pág. 76], Quim Barreiros ["O Pasquim" Nº 1 ("Novas da Galiza" Nº 56, 15-JUL/15-AGO-07), pág. 4], Rubén Cela ["O Pasquim" Nº 4 ("Novas da Galiza" Nº 59, 15-OUT/15-NOV-07), pág. 2], Quintana, Tourinho & Feijoo ["O Pasquim" Nº 4 ("Novas da Galiza" Nº 59, 15-OUT/15-NOV-07), pág. 2], Isaac Díaz Pardo ["Galícia" Nº 0 (JAN 2008), pág. 12] e Xosé Lois González Álvarez "O Carrabouxo".

Hoje, 5 de Março de 2008, quarta-feira, a partir das 19h30 (GMT+1), inaugura-se na Casa da Juventude de Ourense a IX Bienal da Caricatura, que decorrerá na cidade das Burgas até o dia 30 do corrente (descarregar catálogo e programa em pdf).

Embora o Tenente de Alcaide do Concelho de Ourense, o Diretor Geral de Juventude e Solidariedade e mais o Vice-Reitor do Câmpus de Ourense tiveram a gentileza de convidar-me ao acto (o convite chegou na passada sexta-feira, 29 de Fevereiro, à minha caixa do correio), sentindo muito acho que nom vou poder ir: amanhã é dia de garavulhos! :(

E gostava muito de chegar-me até lá! Por duas razões: 1ª) porque é sempre um prazer estar em Ourense e 2ª) porque, após dous biénios de ausência (VII e VIII Bienais da Caricatura; 2004 e 2006, respectivamente), os meus trabalhos voltam a marcar presença no badalado evento ourensano.

Caricaturas minhas já estiveram presentes na III, IV, V e VI Bienais da Caricatura de Ourense (1996, 1998, 2000 e 2002, respectivamente). Aliás, em 1996 fum galardoado com o primeiro prémio no III Concurso Galego de Caricaturistas Noveis (por umha colecçom composta polas caricaturas de Xosé Mª Caneda, Xosé Cuíña, Xosé Ramón Gayoso, Felipe González, Mário Soares e Paco Vázquez) e dous anos mais tarde, em 1998, deram-me um dos quatro prémios de consolaçom (cast. accésit) por umha caricatura de Xosé Luís Méndez Ferrín.

No passado 16 de Janeiro, quarta-feira, recebim via telefónica o amável convite do diretor da Casa da Juventude de Ourense (o entranhável Benito Losada) para participar nas exposições de Caricaturistas Galegos e de Homenagem ao Carrabouxo desde hoje mesmo patentes ao público na cidade de Ourense (no Museu Municipal e no Pólo Universitário das Lagoas, respectivamente).

Naquele dia o Benito pediu-me dez caricaturas realizadas nos últimos dous anos e mais umha homenagem em forma de desenho aO Carrabouxo, a popular personagem criada por Xosé Lois25 anos.

Procurando no baú das recordações descobrim que poucas mais (13) eram as caricaturas que em total tinha desenhado no último biénio: sete caricaturas individuais (Pocholo, Bieito Iglesias, Rafael Louzán, Miguel Torga, Quim Barreiros, Rubén Cela e Isaac Díaz Pardo) e dous retratos caricaturais de seus respectivos trios (Xan, Lois & Chicho por um lado e Tourinho, Quintana & Feijoo por outro). Excepto a de Rubén Cela e as do trio Feijoo-Touri-Quin dum ou doutro jeito todas elas tinham aparecido já por aqui.

Em 29 de Janeiro, terça-feira, desenhei a partir desta foto a caricatura de Xosé Lois González Álvarez O Carrabouxo que podedes ver acima e daí a dous dias, na quinta-feira 31, tal e qual o seu diretor me pedira, enviei à Casa da Juventude de Ourense tudo por SEUR.

Vemo-nos em Ourense qualquer dia destes!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 11 Mar 2008 21:02:26 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Só depois de postar a minha resposta ao teu comentário anterior foi que reparei em que A Nossa Terra Diário tinha elevado (apupado nom, aupado) Angueira de Suso, este meu humilde blogue, à categoria de BLOG DO DIA!!! Agradeço imenso a preferência (embora seja consciente de que chegaram aqui procurando no Google informaçom sobre a Bienal da Caricatura, nom sobre mim) mas mais agradecido lhes estaria se tivessem ilustrado o artigo cum desenho meu, nom do Leandro (nada tenho contra o Leandro mas, afinal de quem era o BLOG DO DIA? Do Leandro ou meu?!?) ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Fri, 07 Mar 2008 18:41:07 +0000 URL:

Ah, senão és tu o colaborador, logo não és apupado. Escrevem estranho. Surpreendia-me (achava envergonhante mesmo) que eles disseram que eras colaborador de La Región.

De qualquer jeito era um arcaísmo irónico.

Do e-estraviz (Por certo o 3 do verbo, é muito bom):

Apupado adj. Corrido com apupos. Envergonhado.

Apupar v. tr. (1) Desprezar, ter em pouco uma pessoa. (2) Perseguir alguém com gritos e burlas. (3) Correr com berros trás de um animal prejudicial. (4) Tocar buzina para se reunirem os monteiros.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 07 Mar 2008 10:56:38 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Hei, Ernesto!!! Muito obrigado polo aviso!!! “Apupado” porquê? Nom percebo! E o de “colaborador” acho que é em referência ao Xosé Lois porque eu, embora em tempos fum colaborador d’A Nossa Terra, nunca colaborei em La Región! Repara bem! (E muito obrigado também às/aos amigas/os d’ANT pola publicidade da minha pessoa e do meu blogue!) :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Fri, 07 Mar 2008 09:58:07 +0000 URL:

Saes cá apupado e como “colaborador”

http://www.anosaterra.org/nova/o-mellor-da-caricatura-do-pas-na-rede-.html

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Minhocas BASENAME: minhocas DATE: Thu, 28 Feb 2008 10:22:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Jonás, Antia, Linda, Aldán e mais eu no ?minhocário? do Assentamento ?Terra Vista? , MST-Bahia (Domingo, 19 de Agosto de 2001). Fotos: Mónica Puga.

Em 18 de Maio de 2006 o meu amigo Post Scriptum publicava no seu magnífico blogue homónimo, hoje infelizmente inactivo, um nom menos magnífico artigo, intitulado Preconceitos, que começava dizendo:

Muitos membros da confraria reintegrata temos um pequeno mito privado ou historieta que nos serve para explicar por quê escrevemos assim. Por exemplo, O?Sanma sempre conta que a epifania - aqui poderia falar-se de queda do cavalo, ou de madalena de Proust, ou de pílula de Matrix segundo as (p)referências culturais de cada quem - aconteceu quando um pescador do Rio Grande do Sul lhe contou que ía apanhar minhoca. ?Uma língua que chama minhocas às minhocas nom pode ser outra língua?, pensou o meu colega.

Nos comentários a esse artigo o aludido O?Sanma reconhecia a paternidade da lapidária frase e matizava:

8 o'sanma Maio 21st, 2006 at 4:29 pm
Por alusões. Nunca estivem no Rio Grande do Sul. O mais perto que estivem foi no Paraná, o terceiro Estado da República Federativa do Brasil começando por abaixo. Mas, com efeito, a frase (?uma língua que chama minhocas às minhocas nom pode ser outra língua?) é minha?

9 o'sanma Maio 21st, 2006 at 4:29 pm
?Cheguei a esta conclussão quando, encontrando-me no Assentamento Terra Vista (MST, Bahia) na companhia de outros dous bons amigos nossos, M.P.V. e A.S.C., tivem a oportunidade de visitar um ?minhocário? (...) A historieta é um bocado longa para ?comentá-la? aqui. Talvez crie o meu próprio blog e talvez a conte alí inteira.

Em 31 de Maio de 2006, exactamente dez dias depois de deixar estes comentários no blogue do Post Scriptum, O?Sanma abria ?oficialmente? as portas do seu próprio blogue: Angueira de Suso. Porque, com efeito, por se alguém ainda nom o sabia, O?Sanma nom é outro que o Sanmartin, o Suso Sanmartin, um servidor.

Mas passaram os dias, as semanas, os meses e as minhocas nom assomaram a cabeça por aqui! Houvo que esperar quase um ano (onze meses menos doze dias, exactamente) para que pudéssemos ler em Angueira de Suso a primeira referência a estes vermes anelídeos, da família dos Lumbricídeos.

Minhocas no Constantinopla

Foi em 18 de Abril de 2007, nun artigo, intitulado Porquê sou reintegrata?, em que publicávamos a versom extendida dum texto que, na sua versom reduzida, saira no primeiro número da nova época digital do Constantinopla. Eis o último parágrafo do texto em ambas as duas versões:

Contudo houvo nessa evoluçom pessoal um ponto de nom retorno. Esse momento produziu-se durante a visita que, no domingo 19 de Agosto de 2001, figem ao ?minhocário? do Assentamento Terra Vista, do MST, na Bahia. Mas essa é umha outra história. Umha história que o meu amigo J.R. Pichel me fijo repetir tantas vezes que quase cheguei a aborrecé-la. É brincadeira, ?uma língua que chama minhocas às minhocas não pode ser outra língua!?

Suso Sanmartin, Porquê sou reintegrata?, Angueira de Suso, 18 de Abril de 2007.

Com efeito, fum eu quem durante uma visita ao minhocário do Ass. Terra Vista, do MST, na Bahia, dixo: "Uma língua que chama minhocas às minhocas não pode ser outra língua!" Mas essa é outra história.

Suso Sanmartin, Porquê sou reintegrata?, Constantinopla Nº 19 (Primavera 2007), pág. 3.

Fernando Venâncio e as minhocas

No dia 12 deste mês recebim um e-mail, significativamente intitulado minhocas, em que junto com certo link o meu amigo Eduardo S. Maragoto me enviava estas afetuosas palavras:

Olá rapaz, tivérom êxito as tuas palavras (nom te preocupes, alguns sabemos que fôrom e som tuas, ainda que já pronunciadas aquém e além oceano) :)

O link era a um recente artigo, intitulado Carta a Marina por causa do galego ? 1, do escritor, crítico literário e colaborador do Portal Galego da Língua Fernando Venâncio. Para a minha enorme surpressa (e regozijo) no quinto parágrafo da sua epístola o professor Venâncio dizia:

Certo dia, um brasileiro de visita à Galiza deu-se conta de que uma minhoca se chamava ali tal e qual como do outro lado do Atlântico, e pronunciou as imortais palavras: ?Duas línguas que chamam minhoca à minhoca têm que ser a mesma?.

Apesar de que esse ?brasileiro de visita à Galiza? nom podia ser eu (mais que nada porque eu sou galego, um galego que ?isso sim- sempre que pode vai de visita ao Brasil) e apesar de que neste caso a citaçom nom era literal (a diferença do que acontecia com a do amigo Post Scriptum) parecia evidente que (como o amigo Edu dizia no seu e-mail) as citadas ?imortais palavras? eram minhas.

Mas pode ficar descansado o amigo Eduardo porque, longe de preocupar-me, a leitura do imprecisso relato do Fernando Venâncio encheu-me de alegria e produziu-me umha enorme satisfacçom. Com as suas pequenas ou grandes imprecissões tanto ele quanto o amigo Post Scriptum (nom houvo nesta história pescador gaúcho nengum; o único pescador que nesta história houvo -e há- é do Morraço, chama-se Suso Sanmartin e é o meu pai*) conseguiram conferir a esta minha historieta minhocária um carácter lendário francamente divertido. Muitíssimo obrigado a ambos!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 04 Mar 2008 21:05:05 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Muitíssimo obrigado, bem-querido Uz!!! Deste país… e de parte do estrangeiro!!! Hahaha!!!

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Tue, 04 Mar 2008 19:12:47 +0000 URL:

(Sou Uz, mais uma vez logado como Compostela)

Bem-querido Suso, já podes começar a registar tudo isto num livro para presentear os netos num futuro longínquo e demonstrar(-lhes) que formas parte da história viva e mitologia oral deste país :D

«Duas línguas que chamam minhoca à minhoca têm que ser a mesma»
(Suso Sanmartin, um galego a falar desde o Brasil :D)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 03 Mar 2008 23:15:30 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Eu também aguardo! Embora nom tam invejoso quanto tu porque eu sim que tivem a sorte de poder ir lá! Talvez algumha pessoa da organizaçom do evento (as/os nossas/os comuns amigas/os José Ramom, Óscar, Raquel e Sabela) se anime a escrevê-la! Um abraço, Er! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Mon, 03 Mar 2008 07:58:11 +0000 URL:

Aguardo muito invejoso uma reportagem do Porto.

Abraço,

Er

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 29 Feb 2008 13:07:41 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Galego, portugês, brasileiro etc. som a mesma língua… e amanhã (SÁB, 01-MAR-08) no Porto (http://galizaemtransito.wordpress.com/) teremos umha boa ocasiom de comprová-lo! Um abraço pra ti também, amigo Ernesto! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Fri, 29 Feb 2008 10:00:36 +0000 URL:

O mesmo pensei eu.

Um bocadinho mais abaixo, na epístola 5, parágrafo 3, o susodito Venâncio diz:

“Grafado em espanhol, ou em cirílico ou em ideográfico, o galego será, sempre e ainda, a nossa língua.”

A respeito do galego ser português ainda se escreverem em cirílico, kanjis ou ideogramas… há muito também a dizer.

É engraçado porque um poderia pensar que realmente é o português o que está a ser invadido por uns quantos galegos ainda e ainda andarmos à minhoca.

Apertas para ti e recordações para o Pichi.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Nara & Nara BASENAME: nara_aamp_nara DATE: Thu, 21 Feb 2008 10:41:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Alexandre Kassin, Domenico Lancelloti e Moreno Veloso ao vivo em Vigo. Fotos: ? (Atlántico Diario), Xoán Carlos Gil (La Voz de Galicia), J. de Arcos (Faro de Vigo).

Trasanteontem, segunda-feira 18 de Fevereiro, tivem a oportunidade de assistir no Auditório do neobarroco Centro Cultural CaixaNova de Vigo (antes Teatro García Barbón), o concerto inaugural do 6º Festival Sinsal em que os cariocas Alexandre Kassin e Domenico Lancelloti e soteropolitano Moreno Veloso apresentavam Futurismo, o terceiro disco do trio, assinado por Kassin+2.

Era esta a terceira vez que eu via Domenico Lancelloti e Moreno Veloso ao vivo e a segunda que via o Alexandre Kassin.

A anterior ocasiom em que vim os três juntos foi em 7 de Maio de 2004 (Sexta-feira). Domenico, Moreno e Kassin apresentavam no compostelano Auditório da Galiza (dentro do impagável ciclo Sons da Diversidade) o segundo disco do trio, assinado por Domenico+2 e intitulado Sincerely Hot.

No ano passado (SAB, 26-MAI-07) Moreno Veloso e Domenico Lancelloti apareceram por surpressa (eu inteirei-me no mesmo dia e pola imprensa da sua presença morena) acompanhando Adriana Calcanhotto no esperadíssimo concerto que, também dentro do Sons da Diversidade, a cantora porto-alegrense fixada no Rio de Janeiro deu em Compostela. Nom a/os acompanhou naquela ocassiom o seu amigo Kassin.

Adriana Partimpim

No cartaz que a Secretaria Municipal, Pelouro ou Concelharia da Cultura do Concelho de Santiago tirou para anunciar o concerto da Adriana Calcanhotto esta aparecia com anteface cor-de-rosa, caracterizada como Adriana Partimpim (cousa que, como eu já podia imaginar e trasanteontem pudem confirmar, nom foi muito do agrado da cantora gaúcha).

Os discos (CD+DVD) da Adriana Partimpim ? O Show comprara-os eu na fnac de Lisboa (na quarta-feira, 4 de Janeiro de 2006) para oferecer-lhos à minha sobrinha Inês (que daquela tinha 2 aninhos) e ao meu sobrinho Nuno (de 5 meses).

Nara & Nara

Na altura eu nem podia imaginar a trascendência que havia-de ter este acto. No ano a seguir o Nuno tivo uma irmãzinha e os seus pais (o meu irmão Nando e a minha cunhada Noa) decidiram pôr-lhe Nara por Quando Nara ri, faixa nº. 10 do disco Adriana Partimpim ? O Show (e porque, igual que os nomes dos três da casa, começava por ?N? também).

No show de Adriana Partimpim, ao finalizar a sua interpretaçom, Adriana Calcanhotto di desta cançom:

?Essa canção que a gente fez se chama ?Quando Nara ri?. É uma canção que eu fiz com o meu amigo e parceiro Kassin. Esse é um parceiro com quem eu faço letras. Ele manda músicas, eu faço as letras. E a gente fez essa canção. Essa letra fala sobre a Nara, filhinha dele que nasceu no Japão. O Kassin era uma pessoa que gostava de dormir de manhã mas desde que a Nara nasceu ele não durmiu nunca mais.?

Algo semelhante foi o que lhe aconteceu ao meu irmão Nando quando a Nara chegou à sua vida, he, he.

Ao finalizar o concerto de Kassin+2 trasantontem, segunda-feira 18 de Fevereiro, tivem a oportunidade de falar (bastante e por esta ordem) com Moreno, Domenico e Kassin no backstage.

Os três tiveram a gentileza de dedicar-nos à minha sobrinha Nara e a mim os dous exemplares de Futurismo (que inclui a versom paterna de Quando Nara ri, faixa nº. 3) que alí mesmo comprei para tal efeito.

Visivelmente agradecido e emocionado (tanto quanto eu... ou mais!) na sua dedicatória para mim o Kassin escreveu:

?Suso, muito obrigado pela estória da Nara. Tenha sorte sempre. Abraços. K.?

Nom vou reproduzir aqui a nossa inesquecível conversa. Apenas vou dizer que o Kassin exprimiu o seu desejo (compartilhado por mim) de que as duas Naras (a Nara Kassin e mais a Nara Sanmartin) um dia se encontrem. A mãe da Nara, que também andava por alí, dixo na minha alucinada presença ao seu homem que tinha que contar à Adriana (Calcanhotto) a história que eu lhes acabava de contar, que ela ia adorar... Imaginem só! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 25 Feb 2008 09:46:09 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Que bom, Sérgio! :-) Foi pena não dispor de mais tempo para falar! Neste próximo fim-de-semana haverá desembarco galego no Porto (http://galizaemtransito.wordpress.com/). Talvez a ti e aos teus amigos bracarenses vos apeteça chegar-vos lá e podamos ter oportunidade de falar do belíssimo concerto de Kassin+2 (concordo) e de tudo o mais! Abração!

----- COMMENT: AUTHOR: Sérgio [Visitante] DATE: Sun, 24 Feb 2008 12:04:06 +0000 URL:

Sim. Trabalho na Rádio Universitária do Minho.
Fui com uns amigos de Braga a Vigo para, mais uma vez, ver o Kassin, o Moreno e o Domenico.
Belíssimo concerto e belíssimas pessoas!
Um Grande Abraço para ti… e a para a Nara.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 21:12:43 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Hahaha!!! Nobody is perfect, caro el niño de la guía!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 21:08:56 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Desculpai-me caros/as irmao, cunhada, sobrinho e sobrinha! É que tinha medo de que -a raiz do vosso comentário e a falta de fotos demonstrativas- o pessoal pudesse pensar que a minha história era inventada, fruto da minha fantasia!

Pois isso, continuemos a fantasiar (a conceber mentalmente, usando a imaginaçom, factos ou situações, sobretudo agradáveis, e-Estraviz) e a fantasiar-nos (mascarar-nos, Priberam) que nem a Adriana Partimpim! Beijinos! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 21:02:52 +0000 URL:

faranduleiroooooo

----- COMMENT: AUTHOR: NX4 [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 20:04:28 +0000 URL:

Bom, sim, isso, ‘uma boa história'’que revela fantasía, que exist(iu) só na imaginaçom ( mas ) que (…) é real’.
E seguimos fantaseando, sem vaidade nem fachenda, mas pecamos de fantasiosos, que lhe ímos fazer!
Seguimos…imaginando só!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 22 Feb 2008 18:28:37 +0000 URL:

Vedes?!? Nom só tenho tenho (por duplicado, para a Nara e para mim) dos três (Moreno, Domenico e Kassin) senom que também tenho testemunhas!!! ;-P

Com isto sim que não contava! Que surpressa tão agradável! Muitíssimo obrigado pelo teu testemunho, Sérgio Xavier! És, por acaso, o radialista português cuja conversa com o Domenico tão-pouco pude evitar ouvir parcialmente? Um grande abraço para ti também!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Sérgio Xavier [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 17:39:22 +0000 URL:

Eu também estava lá no “backstage” e, por acaso, assisti a parte da conversa. É (mais) uma boa história para recordar.
Grande Abraço.
SX

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 22 Feb 2008 08:45:40 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Fantasiosa?!?!?

Fantasioso adj. (1) Que revela fantasia. (2) Vaidoso, fachendoso. (3) Que existe só na imaginaçom, que nom é real [http://www.agal-gz.org/estraviz].

Fantástica historieta, quereredes dizer!!! Embora nom pudesse fazer fotografias (nom tinha com que) a minha história é bem real (tenho outras provas que o demonstram) e vós bem o sabedes! Um beijinho muito grande para as/os quatro! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Nando, Noa, Nuno e mais Nara [Visitante] DATE: Thu, 21 Feb 2008 16:24:14 +0000 URL:

Muito obrigados pela fantasiosa historieta!!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Galiza Nom Se Vende... Presenteia-se!!! BASENAME: galiza_nom_se_vende_presenteia_se DATE: Wed, 13 Feb 2008 19:04:20 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Novas da Galiza TAGS: ----- BODY:
?Galiza Nom Se Vende... Presenteia-se!!!?, ?Novas da Galiza? Nº 60 (15-NOV / 15-DEZ-07), pág. 3.

Neste Domingo, 17 de Fevereiro de 2008, estamos tod*s convocad*s por Galiza Nom Se Vende (plataforma que envolve desde a ADEGa à Verdegaia, passando por Arredemo e a FEG), a manifestar-nos em Compostela contra a destruiçom do território.

Esta convocatória serve-nos de pretexto para publicarmos em Angueira de Suso a charge que em 23 de Novembro do ano passado figemos, digitalizamos e enviamos para a secçom de humor do sexagésimo número do periódico galego de informaçom crítica Novas da Galiza, cuja reportagem central (A Fundo) tratava do Plano Aqüícola da Junta e dava notícia da Marcha Nacional que, em 4 de Novembro de 2007, tivera lugar em Corrubedo.

A inspiraçom para a realizaçom desta charge chegou com a leitura destes dous trechos da reportagem que o seu autor, Raimundo Serantes, tivera a gentileza de enviar-me uns dias antes para a sua ilustraçom:

?A criaçom da plataforma Galiza nom se Vende é o primeiro exemplo de umha Galiza saudável que está a ganhar terreno na defesa do território sem necessidade de aprovaçom pola parte das cúpulas partidárias e sindicais? (capa).

?Os colectivos afectados insistem na desproporçom desta incidência socioeconómica, sobretodo criticando os 400 milhons de euros em conceito de subsídios públicos que as transnacionais piscícolas vam receber, apesar do impacto ambiental e paisagístico que vam produzir. A multinacional mais beneficiada por estas quantias que vam pagar até 50% da construçom das unidades de produçom será a Stolt Sea Farm...? (pág. 12).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 21 Feb 2008 11:50:44 +0000 URL:

Caro Vixía, entendo que o que me sugires é que abra no meu blogue umha nova categoria intitulada Mostras de apoio popular a Angueira de Suso ou Qual foi a tua experiência Suso?… Há tempos que tenho pensado abrir aqui umha categoria dedicada aos Susoditos Lugares mas o certo é que ainda nom o figem… Qualquer dia destes! Embora nom seja este o post mais acaido (já liches este? e estoutro?) muitíssimo brigado por copiares e colares aqui aquilo tam bonito que polo correio electrónico que me digeras o outro dia! É que me dava pena nom poder compartilhá-lo com o resto do mundo! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 20 Feb 2008 10:30:21 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Ou mesmo:
“Qual foi a tua experiência Suso?”

xD

----- COMMENT: AUTHOR: Vixía [Visitante] DATE: Wed, 20 Feb 2008 10:27:28 +0000 URL: http://torrevixia.blogspot.com

Recomendo ao caro axitador de conciencias deste blogue a apertura dun novo espazo,

Mostras de apoio popular a Angueira de Suso:

“Alén do Milladoiro, ábrese á vista unha basta extensión de terra, a falla Carballo-Tui, atravesada polos vales que van morrer nas rías. Angueira fica nese punto no que un home do norte como eu cre estar a cruzar unha fronteira invisible cara ás terras de Pontevedra e Portugal. Altos montes, casas de granito, parras, sol! E esta aldea de rúas estreitas e curvas, coas señoras “de antes” coidando das flores a escasos metros das obras do TGV, como che digo, moi auténtico. Ese lugar quedoume gravado na mente porque foi onde sufrín unha das persecucións caninas máis adrenalínicas da miña vida (nótese que os cans adoitan perseguir todo aquilo que se move sobre si, como bólas ou ródas). Alí tamén gocei dunha boa conversa cun veciño que tiña un can igualiño ao meu. En fin, Angueira de Suso é unha mistura de ingredientes galaicos, un preludio do sur da Galiza e, como ti apuntas, un nexo entre Portugal e Compostela, entre o Minho e as duras terras altas que fican ao norte de Santiago.”

Para logo non andares a dicir que non o puxen. Hum! X-))

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 7 BASENAME: o_pasquim_no_7 DATE: Thu, 07 Feb 2008 20:17:58 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: O Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 62 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 7 d'O Pasquim' (direita).

Já passaram oito dias desde que, na Quarta-feira 30 de Janeiro, recebim na minha morada o último número d'O Pasquim e dez desde que, na Segunda-feira 28, o Gerardo Uz (entusiasta maquetista e divulgador pasquineiro) publicou a recensom do mesmo no seu magnífico blogue.

Com ressaca do Entrudo do Io e aqueixado do sindroma de regresso ao trabalho nom dou para mais que para copiar e colar aqui parte do escrito acolá polo amigo Gerardo. Gerardinho, espero que nom te importes! &#59;)

?O Pasquim? n.º 7 ? Topamos com a Igreja!
Janeiro 28, 2008 at 7:00 · Escrito em comuuunicando, criativo, uz · a choutar!

Já está nas bancas do País, conjunta e separavalmente com o Novas da Galiza, o número 7 do seu magnífico suplemento de humor, O Pasquim (sítio oficial, sítio oficioso), nesta ocasião voltado para um tema de ardente actualidade: Topamos com a Igreja! (mais católica, apostólica e romana do que nunca).

Neste número colaboram os já habituais Suso Sanmartin (quem, ademais, coordena), Pestinho +1, Franjo Padin e, por segundo número consecutivo, o mestre Pepe Carreiro. Se no número anterior tivemos como sinatura convidada o nosso bom amigo Heitor Lopes de Castro, desta volta temos outro grande amigo desta casa, o Carlos G. Meixide (...)

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Wed, 13 Feb 2008 21:15:05 +0000 URL:

Como me vou importar, ho!!

(Vaites, estou logado como Compostela :p)

- uz

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Apoio o Isaac Diaz Pardo BASENAME: solidariedade_com_o_isaac_diaz_pardo DATE: Tue, 22 Jan 2008 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Se isto nom se amanha...". Jornal "Galícia" Nº0, pág. 12.

Hoje, Quarta-feira 23 de Janeiro de 2007, às 19h30 (GMT+1), em homenagem ao intelectual e artista galeguista Isaac Diaz Pardo, apresenta-se no IGI (Instituto Galego de Informaçom, sito no lugar de Sam Marcos, freguesia de Bando, concelho de Santiago de Compostela) o primeiro e último número do desejado jornal Galícia (pdf).

As amigas e os amigos de Arredemo (A Rede de Acçom Sócio-Cultural) tiveram a gentileza de pedir a minha colaboraçom para o Galícia Nº 0 e eis o que figem com todo o carinho para elas e eles e, sobretudo, para o mestre Isaac.

VEMO-NOS NO IGI HOJE À TARDE!!!
SE ISTO NOM SE AMANHA...

NOTA (para as/os leitoras/es lusófonas/os mas nom galegas/os): Para apanhar a piada é preciso saber que na Galiza costumamos a empregar o barbarismo caña (castelhanismo) para pedirmos o que em Portugal é um fino ou uma imperial e é um chope no Brasil. Em castelhano dar o meter caña a alguien quer dizer... bom, depende do contexto, mas neste seria sinónimo de lenha (surra, somanta, sova, tunda, malheira, pancada) daí a tantas vezes repetida palavra de ordem: "Se isto nom se amanha, canha! canha! canha!" Pois isso! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 25 Jan 2008 17:16:51 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Semelha que os partidários do Isaac deram bastante canha na junta de accionistas da passada Quarta-feira que afinal, e contra todo prognóstico, conseguiram ganhar a batalha: http://www.arredemo.com/node/128
SE ISTO NOM SE AMANHA, CANHA, CANHA, CANHA!!!
ISAAC, AMIGO, O POVO ESTÁ CONTIGO!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 25 Jan 2008 08:24:54 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

… canha, canha, canha!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Gales-Cola Light BASENAME: gales_cola_light DATE: Tue, 22 Jan 2008 18:41:47 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

"Gales-Cola Light", "O Pasquim" Nº3, pág.1.

Após a publicaçom de Gales-Cola, Cifras e Letras e Se o Bart Simpson fosse à Galescola publicamos hoje aqui a nossa quarta e última criaçom previamente publicada n'O Pasquim Nº3 (Setembro-Outubro 2007), dedicado ao regresso às aulas.

Esta ideia foi a última que implementei e só o figem (umha vez feito, cotovelo com cotovelo com o Gerardo Uz, um rascunho de maqueta) porque me parecia que as colaborações recebidas nom preenchiam as quatro páginas d'O Pasquim devidamente.

Figem-na (com PhotoShop) na Terça-feira 18 de Setembro de 2007, logo depois de terminar a reediçom digital (em Abobe Premiere Pro) d'O Grande Salto.

A minha ideia era que saisse (em escala de cinzento e em vertical) na segunda página, mas o maquetista (que é o que mais ordena) decidiu que (a cores e em horizontal) finalmente fosse na capa. Onde manda patrom, nom manda marinheiro! &#59;)

Feed-back

Com data de 2 de Outubro de 2007 recebim um e-mail do Celso A. Cáccamo dizendo-me o quanto tinha gostado deste design em particular. Embora já o tenha feito em privado aproveito esta oportunidade que me brindo a mim próprio para agradecer publicamente ao amigo Celso as suas amáveis e, sem dúvida, exageradas gabanças :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 07 Feb 2008 18:51:55 +0000 URL:

MadeInGaliza: Muitíssimo obrigado a ti também polo susodito superlativo e pola gentileza de reproduzires este meu design no teu magnífico blogue! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 07 Feb 2008 18:43:38 +0000 URL:

O’Lombar: A comparaçom com o admirado Chichi Campos nom é, como bem sabes, nada odiosa para mim! Bem ao contrário, é um elogio que algum dia gostava de merecer! O dia que publique aqui o Gallaecia Fulget Per Absentia Sua, em agradecimento, hei-cho dedicar como no seu dia che dediquei o The Invisible Man! Prometido! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: madeingaliza [Visitante] DATE: Sun, 03 Feb 2008 20:27:11 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/

Susissimo!!!

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Sun, 03 Feb 2008 12:05:57 +0000 URL:

Sempre demoro em chegar ao blog, caro, mas que bom, que bom. Entre o “The invisible man” , o “gallaecia fulget per absentia sua” e o melhor Chichi Campos.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 25 Jan 2008 16:59:42 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Eu nom digem o contrário, caro maquetista! E para que veja que os seus desejos som ordens pra mim, velaí a lata deitada: http://www.novasgz.com/pdf/opasquim3.pdf (tá na primeira página).

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 25 Jan 2008 08:25:42 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Pois eu acho que ficou bem a versão ‘deitada’ da lata. Venha, venha, coloca aqui para que possamos comparar :D!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Se o Bart Simpson fosse à Galescola BASENAME: se_o_bart_simpson_fosse_a_galescola DATE: Mon, 21 Jan 2008 17:26:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Bart Simpson na Galescola, "O Pasquim" Nº3, pág.1.

Após a publicaçom de Gales-Cola e Cifras e Letras publicamos em Angueira de Suso a terceira das nossas quatro colaborações no terceiro número d'O Pasquim (Setembro-Outubro de 2007), dedicado ao regresso às aulas.

Por ordem cronológica de realizaçom hoje toca-lhe a vez a esta charge que (a toda cor e co-assinada por Matt Groening, Eduardo Pondal e um servidor) apareceu na capa d'O Pasquim Nº3.

A charge que hoje aqui trazemos foi feita a cavalo entre Bueu (Sábado 15 e Domingo 16 de Setembro de 2007) e Compostela (Segunda-feira, 17) e fai referência à polêmica estival sobre a inclussom ou nom do Hino Galego no currículo educativo das Galescolas.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 22 Jan 2008 17:53:42 +0000 URL:

Nom sabia, mas já me estranhava a mim que o seu primogénito estivesse escolarizado tam longe do domicílio familiar! Agora é que me explico tudo! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 22 Jan 2008 17:45:30 +0000 URL:

Sem problema, amigo Uz! Trabalho pouco, o que me levou dar-me conta de que a Linha de Horizonte e, portanto, o Ponto Principal (ponto de fuga das linhas perpendiculares ao Plano do Quadro), coincidia aproximadamente com a testa do Bart e nom com o bordo superior do enquadre como (com certeza devido ao facto de eu ser um bocado mais alto do que ele) num princípio e erroneamente interpretei… Algumha dúvida mais? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: madeingaliza [Visitante] DATE: Tue, 22 Jan 2008 13:58:39 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/madeingaliza/index.php?cod=23160

ola, suso,
sabias que hommer simpsom trabalha em reganosa?

é que nos estamos a springsfielizar…

http://www.blogoteca.com/madeingaliza/index.php?cod=23160

beijinho

ss

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 22 Jan 2008 11:04:01 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Oi, já postos podias explicar a anedota esta do trabalho que deu que as linhas de fuga quadrassem bem com as linhas que escreve o Bart ;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Cifras e Letras: VOGAL VS Vice-Presidência BASENAME: title_315 DATE: Fri, 18 Jan 2008 11:15:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

"Cifras e Letras", "O Pasquim" Nº 3, pág. 2.

Após a publicaçom no dia de ontem do design da Gales-Cola, continuamos com a publicaçom em Angueira de Suso dos trabalhos da nossa autoria publicados com antecedência n'O Pasquim Nº3 (NGZ Nº 58, de 15 de Setembro a 15 de Outubro de 2007), integralmente dedicado ao regresso às aulas.

Por ordem cronológica de realizaçom o seguinte trabalhinho que figemos para o terceiro número d'O Pasquim foi a charge que hoje publicamos. O desenho foi feito em Compostela na tarde da Sexta-feira, 14 de Setembro de 2007, e colorido em Bueu, com PhotoShop, dous dias depois.

Afinal a este desenho tocaria-lhe ir numha das páginas a preto e branco d'O Pasquim e, sendo assim, preferim que fosse a linha que em escala de cinzento. No entanto, e já que passamos o trabalho, publicamos em Angueira de Suso a versom colorida.

No segundo e no terceiro número O Pasquim perdeu a condiçom de separata (que tinha no primeiro número e que recuperaria a partir do quarto) e, em troca, ganhou umha capa a toda cor. Para aproveitarmos ao máximo esta primeira e única página colorida o Gerardo Uz (maquetista) e mais eu (coordenador) decidimos, nom sei se com muito bom critério, que na capa d'O Pasquim Nº3 fossem o maior número de colaborações possível (cinco mais a primeira parte do editorial). Para além da segunda parte do editorial (assinado por um tal Gerardo Doco Velo), para a segunda página ficaram apenas duas ilustrações (por acaso ambas as duas da minha autoria): a da Gales-Cola, publicada aqui ontem, e a que hoje publicamos. Esta última tivo de sair, por causa disso, a um tamanho exageradamente grande, ocupando todo o largo da página e praticamente dous terços da mesma.

A terceira página e a contra-capa estavam reservadas para Gonzalo Vilas e Pestinho+1, respectivamente.

Na minha charge os concursantes do televisivo Cifras e Letras polemizam no plató sobre de quem é a ideia original das Galescolas, se da VOGAL ou se da consoante, aliás, da Vice-Presidência!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Gales-Cola BASENAME: gales_cola DATE: Thu, 17 Jan 2008 10:13:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

"Gales-Cola", "O Pasquim" Nº 3, pág. 2.

Para o primeiro número d'O Pasquim (O Pasquim Nº1 / NGZ Nº56, de 15 de Julho a 15 de Agosto de 2007) desenhei três charges e escrevim um pequeno texto. Todo isto foi publicado aqui em 30 de Outubro de 2007, por junto, num post intitulado igual que o textinho em questom: "Porque O Pasquim?"

A minha participaçom no segundo número (O Pasquim Nº2 / NGZ Nº57, de 15 de Agosto a 15 de Setembro de 2007) limitou-se a um design que, aproveitando que eu tava de férias no Brasil, o maquetista d'O Pasquim decidiu pubicá-lo a grande tamanho na capa. Devido a esta circunstância considero que nom é preciso voltar a publicá-lo num post ad hoc porque o design já se vê avondo bem no post dedicado aO Pasquim Nº 2 (ilustrado com suas respectivas reproduções das capas do Novas e d'O Pasquim).

Para o terceiro número d'O Pasquim (O Pasquim Nº3 / NGZ Nº58, de 15 de Setembro a 15 de Outubro de 2007), dedicado ao regresso às aulas, figem quatro cousas. Quatro cousinhas que (separadamente, em dias sucessivos e por ordem cronológica de realizaçom) irei publicando aqui, em Angueira de Suso.

Gales-Cola

Começamos pola primeira das quatro. Trata-se da paródia gal-escolar do logótipo da Coca-Cola e de certo verso emparelhado da nossa infância que, em castrapo, tentava persuadir-nos de que a Coca-Cola nom só era boa para desenferrujar pregos enferrujados senom que como esticadora de pênis nom tinha rival.

O design da Gales-Cola foi feito na Quarta-feira 12 de Setembro de 2007 (com CorelDRAW).

Apareceu publicado (em escala de cinzento) na segunda página d'O Pasquim Nº3.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 6 BASENAME: o_pasquim_no_6 DATE: Fri, 11 Jan 2008 08:36:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 61 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 6 d'O Pasquim' (direita).

Há mais de umha semana que se encontra nos quiosques de toda Galiza o último número do Novas e, conjunta e separavelmente com ele, o último número d?O Pasquim. A mim chegou-me à casa na já passada quinta-feira, 3 de Janeiro de 2008.

Para além dos habituais Franjo Padín, Gerardo Uz (maquetista), Gonzalo Vilas, Pestinho+1, Xico Paradelo (coordenador adjunto) e um servidor (o coordenador) o último Pasquim de 2007 - ?Annus Horribilis? para o humor- contou com a desinteressada colaboraçom do Heitor López de Castro e o Pepe Carreiro. Bem-vindos a bordo aos segundos e muitíssimo obrigado a uns e outros, amigos todos!

O Editorial

Na noite de 23 de Dezembro do ano passado (domingo) o Gerardo e mais eu estivemos a maquetar O Pasquim na sua morada até as duas da manhã (GMT+1). A maquete ficou-nos quase pronta, faltando apenas um pequeno texto editorial que eu devia escrever e enviar para o Gerardo com a maior brevidade. Escrevim o texto no dia a seguir, 24 de Dezembro, à tarde e na manhã do 25 de Dezembro, Dia de Natal, ditei-lho ao Gerardo polo telefone.

Nom sei qual o problema, se calculamos mal o número de caracteres ou se é que o Gerardo me ouvia en-tre-cor-ta-do, o caso é que na versom que saiu publicada ao texto que escrevim nom o reconhece nem a mãe que o pariu... que fum eu!

Para que poidades compreender o que vos digo anexo a este post a versom integral do susodito texto (um texto que, aliás, nom tinha outra funçom que a de preencher um oco da maquete e servir de argamassa entre as diferentes colaborações; se queredes ler um bom texto nom perdades o escrito polo amigo Heitor: Sobre jornais e baionetas!).

Aproveito a ocasiom que me brindo a mim mesmo para agradecer publicamente ao amigo Gerardo (Gerardo Mãos-de-Tesoura) o seu difícílimo, impagável e nom remunerado labor. Alguém tem de fazê-lo e poucas pessoas no mundinho estám tam capacitadas quanto ele para fazê-lo tam bem e, o que é pior... desfrutando tanto!!! ;-P

2007: Annus Horribilis... para o Humor!

A meados do passado mês de Novembro o jornal gratuito espanhol 20minutos publicava umha notícia intitulada ?El ?annus horribilis? del Rey: de Mitrofán a la separación de los duques de Lugo?.

No cabeçalho, a jornalista Susana Elguea trazia à tona a latinada com o que a Rainha Isabel II da Inglaterra qualificara o seu azarado ano de 1992 para qualificar o polos vistos nefasto ano de 2007 que a Dom Juan Carlos I de Espanha lhe tocou viver. Coitadinho!

Se horrível foi para S.M. El-Rei (que, a fim de contas, vive como o que é) imaginem só o que do ano que termina poderíamos dizer alguns especímenes menos afortunados como plantígrados e humoristas gráficos! (Bom, nós ao menos podemos contá-lo!)

Com certeza, 2007 foi um mau ano para o humor gráfico (e literário) no Reino de Espanha. Trinta anos depois a censura, teoricamente banida em 1977, reapareceu nas nossas vidas adoptando formas muito mais subtís (Reparando bem, nem tanto). Maus tempos para a sátira, poderíamos lamentar parafraseando aquele mítico grupo viguês.

Como as/os nossas/os fieis leitoras/es sabem, cada número d?O Pasquim é monográfico e monotemático. Os cinco primeiros números estiveram dedicados a ?nós mesmos? (Nº 1), aos fode-chinchos (2), ao regresso às aulas (3), ao plus dos altos cargos (4) e às alterações climáticas (5). Por umha ou outra razom até agora nom encontráramos o momento ajeitado para dedicarmos um número d?O Pasquim ao tema do Humor Gráfico e a Censura no Reino de Espanha como era o nosso desejo a nossa obriga moral. Fazemo-lo agora aproveitando que estamos a finais de ano e muitos meios de comunicaçom como o nosso aproveitam para fazerem balanço anual.

Este número d?O Pasquim está dedicado, com todo o carinho e admiraçom, aos nossos colegas humoristas processados e condenados em 2007 no Estado Espanhol: Manel Fontdevila, Guillermo Torres (El Jueves), José Antonio Rodríguez, Javier Ripa (Caduca Hoy) e Nicola Lococo (Gara).

E também, in memoriam, a Mitrofán.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 16 Jan 2008 11:48:56 +0000 URL:

Cadeeerno de bitááácora do comandante Susô… Muitíssimo obrigado, An! Por achares interessante o meu blogue e por achares que tens de tê-lo mais em conta! Saúde! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: An [Visitante] DATE: Mon, 14 Jan 2008 10:16:22 +0000 URL: http://paxarada.blogspot.com

Moito interesante o teu caderno…tereino que ter máis en conta :) Saudos

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 11 Jan 2008 11:32:18 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Hahaha!!! Nom, hó! Que caralho vam levar! Enquanto estejas tu a bordo o barco pasquineiro levará bom rumo! Muitíssimo obrigado polos dous comentários e pola hiperligaçom! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 11 Jan 2008 11:23:43 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Por certo, deixo cá uma hiperligação para a minha particular ‘recensão’ do número 6 d’O Pasquim :)

http://gerardouz.org/blogue/index.php/2007/12/28/%e2%80%98o-pasquim%e2%80%99-n%c2%ba-6-%e2%80%94-annus-horribilis-para-o-humor/

- uz

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 11 Jan 2008 11:22:16 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Juntamente com uma ligação para este artigo, recebo isto na minha caixa dos correios: «Com todo o carinho (e “umas gotas” de retranca)».

Não sei o motivo, mas nada mais ler esse titular já intuia para onde me enviava a ligação… :D

Ai, caríssimo Suso! Já che pedi desculpas pola ingrata mutilação do texto editorial. Sabes bem, bem sabias, que o espaço n’O Pasquim se cotiza a altos preços, e que o número de caracteres é limitado. De facto, na previsão inicial dera-che um número de caracteres que o teu texto, porém, triplicava.

E claro, nos casos de excesso de caracteres tem de agir o Mãos-de-Tesoura, tarefa totalmente ingrata mas que alguém tem de realizar. Neses casos sinto-me como um cirurgião que deve amputar um membro ou um órgão. E, claro está, trata-se de uma acção totalmente indesejada. E tanto dura para o executor quanto injusta para a ‘vítima’, que neste caso foste tu.

O texto do amigo Heitor teve melhor sorte e praticamente não resultou vítima da tesoura também conhecida como “Control+X” e que dá vida ao verbo ‘control-xisear’ (irmão de ‘control-cear’ e ‘control-uvear’).

Espero que este tipo de incidências, totalmente pontuais, não levem a mal porto a nossa até agora frutífera colaboração ;-)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Escaiolas Suso" (Alhariz) BASENAME: escaiolas_suso_alhariz DATE: Fri, 21 Dec 2007 09:52:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Construções Suso TAGS: ----- BODY:

"Escaiolas Suso", Rua da Granja, 14. Alhariz.

Onze dias após a publicaçom das fotografias de Construcciones Suso (Amoeiro) procedemos hoje à publicaçom das fotografias do outro susodito estabelecimento comercial que no passado 6 de Dezembro fotografamos na província de Ourense: Escaiolas Suso (Alhariz).

Nom sem certa dificuldade a Teresa e mais eu localizamos, no alto dum outeiro, o número 14 da alaricana Rua da Granja. Naquela mansom era onde, segundo o guia QDQ, Escaiolas Suso tinha o seu domicílio social.

6 de Dezembro, Dia Nacional da Finlândia, é também feriado no Reino de Espanha. Graças a esta circunstância encontramos o camiom da empresa estacionado no jardim (com espigueiro) da mansom do meu tocaio.

As fotos foram feitas pola Teresa (1ª e 4ª) e por mim (2ª e 3ª) por volta das 15h50 (GMT+1).

Com a satisfacçom do trabalho bem feito atravessamos a ponte sobre o Rio Arnóia para irmos beliscar qualquer cousa (tábua de empadas: sorça, bacalhau, cogumelos e choquinhos) no Restaurante Muinho Acea da Costa antes de prosseguir o nosso caminho para Chaves, primeira estaçom da nossa digressom trasmontana.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 02 Jan 2008 16:46:50 +0000 URL:

Mas podes voltar por aqui quando quiseres que nom é umha doença contagiante! ;-) FELIZ ANO NOVO, EL NIÑO !!!

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Tue, 01 Jan 2008 22:55:11 +0000 URL:

Tas doente de homonimia

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Construcciones Suso? (Amoeiro) BASENAME: construcciones_suso_amoeiro DATE: Mon, 10 Dec 2007 12:39:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Construções Suso TAGS: ----- BODY:


?Construcciones Suso?, Rua Sam Marcos, S/N, Amoeiro.

Nesta passada ponte da Imaculada-Constituiçom a Teresa e mais eu figemos umha agradabilíssima visita à portugalega regiom de Trás-Os-Montes.

Caminho de Chaves, na quinta-feira 6 de Dezembro (Dia da Constituiçom... do Partido Galeguista, em 1931) figemos escala em Amoeiro e Alhariz para tirar umhas fotografias aos dous únicos susoditos estabelecimentos comerciais que, segundo o guia QDQ, se encontram na província de Ourense: Construcciones Suso e Escaiolas Suso.

Publicamos hoje as fotografias que de Construcciones Suso figemos em Amoeiro na passada quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007, por volta das 14h30 (GMT+1).

As duas primeiras foram feitas numha casa de pedra em construçom (casa que, segundo nos informaram, o meu tocaio está a construir para um filho). A terceira fotografia (Casa Suso) foi feita duas casas mais abaixo, no número 4 da Rua Sam Marcos, lugar onde segundo o QDQ Construcciones Suso tem o seu domicílio social.

Surpreendentemente para nós Sam Marcos parece ser nome de rua e nom de freguesia ou de lugar (ao menos no Nomenclátor de Galícia e no Topogal figura como tal).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 02 Jan 2008 16:56:13 +0000 URL:

Estivem, sim. E concordo contigo no que dis a respeito de Trás-Os-Montes. Já che digem que no dia do jogo Galiza-Camarões conhecim um ghicho da Corunha, primo duns amigos meus de Seixo residentes em Bruxelas e Madri, que te conhecera a ti em Bragança, precisamente? FELIZ ANO NOVO, UZ!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 26 Dec 2007 09:52:58 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Oi, e então estiveste em Vila Real na semana do 19? Buó, pois que inveja, porque em adoro Trás-os-Montes… para mim é quase como uma reserva… espiritual e linguística :) Contudo, prefiro Bragança, mália a que esteja meio invadida por Caja Duero :D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 19 Dec 2007 11:51:46 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Estimado Marcos: nom só nom me importo senom que agradeço imenso a preferência. Embora nom fosse premiada em Vila Real (cidade trasmontana que, já agora, visitei nesta ponte pola primeira vez) acho que a minha caricatura torguiana tampouco está tam mal. Além disso, é sempre um prazer expôr em Ourense (sem o impulso da sua Casa da Juventude eu nom sei se seria tam caricaturista) e se, como é o caso, é compartilhando espaço expositivo com o mestre Xosé Lois… o prazer ainda é maior. Obrigado e um abraço.

----- COMMENT: AUTHOR: marcos valcárcel [Visitante] DATE: Tue, 18 Dec 2007 19:54:31 +0000 URL:

Só para comentarlle que o pasado domingo 16 de decembro usei
unha caricatura de Miguel Torga da súa autoría, que se
publicou en La Región, cun meu comentario falando do poeta
portugués. Está tamén colgada no meu blog, nesa data (As uvas
na solaina). Espero que non lle importe esta utilización: se
non fose así, fágamo saber porque non o farei no futuro.
Máis nada, saúdos cordiais,

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Panadería Suso? (Friol) BASENAME: panaderia_suso_friol DATE: Wed, 05 Dec 2007 11:41:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Padarias Suso TAGS: ----- BODY:

?Panadería Suso?, Estrada Friol-Lugo, S/N (Friol).

No sábado 21 do passado mês Julho, quando regressava a Compostela depois de passar uns dias em Igom (lugar da freguesia de Sam Martim da Ribeira, Concelho de Cervantes, Comarca dos Ancares de que a Teresa é natural), figem na cidade de Lugo um alto no caminho para tirar-lhe umhas fotografias a três susoditos estabelecimentos comerciais.

As fotos do Mesón-Cervecería Suso, de Suso Motor e de Suso Comercial publicaríamo-las aqui a primeiros de Outubro com motivo das festas do Sam Froilám.

Mas nom foram estes os únicos susoditos estabelecimentos comerciais fotografados por mim naquela produtiva jornada.

Naquele dia desviara-me do meu itinerário habitual e vinhera de Lugo a Compostela por Friol com o único objectivo de fotografar alí o susodito estabelecimento comercial cujas fotografias publicamos hoje: a Panadería Suso.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 5 BASENAME: o_pasquim_no_5 DATE: Tue, 27 Nov 2007 18:14:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 60 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 5 d'O Pasquim' (direita).

Mudanças Climáticas

Um mês mais, e já vam cinco, O Pasquim acode fiel à sua cita com as leitoras e os leitores do NOVAS DA GALIZA.

Se os números anteriores estiveram dedicados a ?nós mesmos?, aos ?fode-chinchos?, ao regresso às aulas e ao ?plus? dos altos cargos, O Pasquim Nº 5 está inteiramente dedicado a um assunto de candente (nunca melhor dito) actualidade: as mudanças climáticas.

Deste jeito tam pouco original começa o textinho que a última hora (na tarde da passada quinta-feira) e em baixa forma escrevim para editorializar o quinto número d'O Pasquim.

O resto das colaborações publicadas neste número (as de Gonzalo Vilas, Franjo Padín, Pestinho+1 e inclusive as minhas) estám, acho, a um nível bastante superior.

O Pasquim On Line

Desde o passado 31 de Outubro O Pasquim conta cum espaço próprio dentro do site do Novas da Galiza. Nele estám disponíveis, em formato pdf, os quatro primeiros números d'O Pasquim: números 1, 2, 3 e (desde hoje mesmo) também o número 4.

Muitíssimo obrigado ao amigo Carlos Barros!!! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 05 Dec 2007 18:55:33 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Desta volta, no texto do post, nom mencionei o labor do entusiasta maquetista, mas é claro que sem o seu contributo nada disto seria possível! Tu sim que tás feito um craque, Gê Uz! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 29 Nov 2007 17:10:30 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Somos uns cracões e uns fora-de-série, para que andarmos com rodeios :D?

Com o capitão Barros e o resto da galera, o NGZ (e O Pasquim vitamímico) navega com óptimo rumo :))

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: A Bandeira Lavandeira ou Salva-Pátrias BASENAME: a_bandeira_lavandeira_ou_salva_patrias DATE: Wed, 21 Nov 2007 18:51:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: ARTISTADAS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?A Bandeira Lavandeira ou Salva-Pátrias (Homenagem à Tropicália no seu XL Aniversário)?. Talha em esponja e ?fibra verde? (?Salva-Unhas Consumer?). 150 x 100 x 25 mm (Foto: Teresa Díaz)

Hoje há duas semanas que recebim na minha morada umha carta do Auditório de Galiza em que com suma delicadeza o seu Diretor-Gerente me informava de que a obra por mim apresentada ao Quinto Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas 2007 nom fora seleccionada polo júri do certame.

Nom é que demorasse duas semanas em assimilar a má notícia (embora a esperança é a última cousa a perder-se, sinceramente, era o que esperava), é que nom sei o que acontece com o tempo (com o tempo cronológico, e nom com o meteorológico apenas) que ultimamente nom corre, voa que se mata!

Texto explicativo

Segundo o Regulamento do concurso as/os participantes no mesmo devíamos apresentar um ?texto explicativo nom superior às 30 linhas? da obra que apresentávamos. Eis o textinho que eu escrevim para a ocasiom:

A idéia desta obrinha ocorreu-me em Curitiba (Paraná) há doze anos durante a minha primeira viagem ao Brasil. Mas nom foi até este ano, em que a Tropicália (ou o Tropicalismo) comemora o seu quadragésimo aniversário e eu regressei ao Brasil pola terceira vez, que me decidim a implementá-la.

A idéia, nom exenta de humor negro, é construirmos a bandeira do Brasil (como toda bandeira nacional, objecto quase sagrado) deconstruindo um objecto tam profano como é um ?salva-unhas?. O ?salva-unhas? tem duas capas: umha de esponja amarela e umha outra de ?fibra verde?. Retirando parcialmente a ?fibra verde? (rombo) e praticando umha perforaçom na esponja amarela (circunferência) surge umha irreverente e evocadora bandeira do Brasil.

Enfim, a ver se para o ano! Parabéns às/aos selecionadas/os e muita sorte! Vemo-nos no Auditório o vindouro 20 de Dezembro na inauguraçom! :p

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 18 Mar 2008 18:54:56 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado, caro homedareia, pola paródia/homenagem (que nom plágio) e polas tuas amabilíssimas palavras! Abração! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: homedareia [Visitante] DATE: Sat, 15 Mar 2008 12:43:15 +0000 URL: http://homedareia.blogspot.com/

não pude evita-lo, companheiro.
http://homedareia.blogspot.com/2008/03/bandeira-lavandeira-ii.html
abraço!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 05 Dec 2007 19:15:32 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Muitíssimo obrigado, O’Lombar! Com amigos coma ti (ou como o nosso comum amigo Pichel, que disque tentou até três vezes deixar-me um comentário e nom o conseguiu pola culpa do Captcha) nom há júri no mundo que poda erodir a auto-estima dum future artist coma mim! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Tue, 04 Dec 2007 10:22:01 +0000 URL:

Ainda vi agora…A ideia é realmente (bom, republicanamente) magnífica e o resultado final excelente. Acho que alguma malta desse júri se calhar e nem com links sabiam como era a bandeira do Brasil (Brasil não se classificou para a Eurotaça, não é? ;)e nem perceberam. Senão não percebo. Uma lástima de júri. Abraços e parabéns, Suso.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 23 Nov 2007 10:52:12 +0000 URL:

Peraí!!! “Botaria” com “B"?!? O que querias dizer, amigo Ra?

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 23 Nov 2007 10:49:36 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Pois abofé que o conseguiches, amigo Ra!!! :-)

Senhores e senhoras do júri do Quinto Prémio Auditório de Galiza para Novos Artistas 2007: existe algumha possibilidade, por pequena que seja, de que tenham um trasacordo? Já vêm que os meus amigos concordariam… ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Fri, 23 Nov 2007 08:15:34 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

é xenial!!! eu tamén a botaría.
(dígoo para alegrarche o día seguinte)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 22 Nov 2007 20:18:45 +0000 URL:

Nom, se eu também acho! Bue(u) da fixe! Lástima que nom fóssedes vós os três os membros do júri! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 22 Nov 2007 16:32:02 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Caro, pois eu acho a ideia bué da fixe!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 22 Nov 2007 09:52:22 +0000 URL:

Enquanto respondia o amável comentário do amigo homedareia recebim o nom menos amável comentário do el niño de la guía! Meus amigos, estades a alegrar-me o dia! Muitíssimo obrigado! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 22 Nov 2007 09:49:06 +0000 URL:

Nom deveu ser por exceder-me nas minhas explicações textuais que nom fum selecionado, caro homedareia! X-))) Celebro que gostasses tanto, tanto da minha bandeira lavandeira. Na verdade eu também estou muito satisfeito da ideia e do resultado! Muitíssimo, muitíssimo obrigado! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Thu, 22 Nov 2007 09:39:11 +0000 URL:

genial!

----- COMMENT: AUTHOR: homedareia [Visitante] DATE: Wed, 21 Nov 2007 22:05:00 +0000 URL: http://homedareia.blogspot.com

Mas esse texto nom sobrepassa as trinta linhas!!
Gosto muito muito da bandeira :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Alacrám Alatriste BASENAME: alacram_alatriste DATE: Fri, 16 Nov 2007 18:29:52 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: CARICATURA TAGS: ----- BODY:

Caricatura de Arturo Pérez-Reverte publicada na página 89 do Nº 43 da revista mensal de informaçom para o debate Tempos Novos (Dezembro de 2000).

Amanhã sábado, 17 de Novembro de 2007, o Grupo de Estudos Sobre a Condiçom da Mulher Alecrim entrega, no Centro Social Caixanova de Vigo, os seus décimo oitavos Prémios Alecrim-Alacrám.

Na sua ediçom 2007 o Prémio Alecrim recaiu no Professor Carl Djerassi, o pai da pílula anticoncepcional, "descobrimento que lhe outorgou à mulher a opçom de exercer o controlo sobre o seu corpo no relativo à concepçom e fixo com que a maternidade, em vez de destino, seja eleiçom."

Também com todo merecimento o Prémio Alacrám 2007 foi para o escritor espanhol(ista) Arturo Pérez-Reverte, "pola apologia que fai da violência contra as mulheres e pola sua atitude reaccionária e machista lançada nas suas proclamas e artigos que está a fazer do anti-feminismo a sua melhor bandeira."

Caricatura Revertiana

Aproveitamos a ocasiom para publicar em Angueira de Suso a caricatura que do autor da colecçom Las Aventuras del Capitán Alatriste figemos em 23 de Novembro de 2000, há praticamente sete anos.

Figemos a devandita caricatura como ilustraçom para os Dias Soltos, secçom que o escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias tinha e ainda tem na revista mensal de informaçom para o debate Tempos Novos.

A minha ilustraçom referia-se, concretamente, ao Dia Solto bieito-eclesiástico seguinte:

NOVEMBRO 19
RÚSTICOS

Pérez-Reverte corrixe en certo semanario os fanatismos e ignorancias de lugareño e cabra de campanario. O remedio é visitar museos, ver mundo e ler libros. Esa é a patria verdadeira. Ten mais razón que un santo. Eu tomei café diante do Panteón de Agripa e díxenme que España non é ningunha lobada. Admirei a Alegoría Sacra de Bellini, no museo florentino dos Uffizi, e volvínme apóstata do nacionalismo español. Tomei un cóctel Papá Hemingway no Floridita habaneiro e reneguei da batalla das Navas de Tolosa. Deille a man a Marieke, doncela cantada por Brel, nun xardín de Bruxas, e maldicín os Tercios de Flandres. Lin algúns libros (ningún de Pérez-Reverte, lamento confesalo) e, tamén neste sentido, funciona o De correctione rusticorum. Admito que as viaxes non lograron persuadirme de que a lingua falada por meu pai é inferior á escrita por Reverte, como pretende a Constitución Española.

[Bieito Iglesias, Días Soltos, Tempos Novos Nº 43 (Dezembro de 2000), pág. 88].

Na minha caricatura o viajado Arturo Pérez-Reverte aparece ao pé do logótipo de Halcón Viajes tocando as maracas, tal e qual a popular vedeta Norma Duval fazia num odioso spot da rede de agências de viagens que daquela se emitia na televisom.

VI Bienal da Caricatura de Ourense

Para além de aparecer na página 89 do Nº 43 da revista Tempos esta caricatura apareceria também publicada na página 142 do catálogo da VI Bienal da Caricatura (Ourense 2002) pois (junto com as de António Ramilo, Manuel Lourenzo Melghacho e o próprio Bieito Iglesias) foi umha das quatro caricaturas que enviei à Exposiçom de Caricaturistas Galegos que de 1 a 15 de Março de 2002 estivo patente ao público no Museu Municipal ourensano.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 22 Nov 2007 20:23:05 +0000 URL:

A apontar-lhe com um florete em plam mestre de esgrima: “Perece, Revertido!!!” X-)))

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 22 Nov 2007 16:40:38 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Eu tampouco o A®turo! Urf!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "La Torre de Suso" BASENAME: la_torre_de_suso DATE: Thu, 08 Nov 2007 23:01:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Cartaz do filme "La Torre de Suso" (Tom Fernández, 2007).

Hoje, 9 de Novembro, nas salas de cinema do Estado espanhol estreia-se um filme que leva por formoso título o de La Torre de Suso.

Como as/os minhas/meus escasas/os leitoras/es sabem, Angueira de Suso nom é um blogue de cinema (como, por exemplo, o Dias Estranhos do amigo Martin Pawley). No entanto hoje, e por razões óbvias, vamos falar (embora só seja tangencialmente) da susodita estreia cinematográfica.

Quando, nom há muito tempo, tivem notícia da existência deste filme... eu nom podia dar crédito! Nom só por nom ser frequente escuitar o meu eufónico hipocorístico familiar fazendo parte do título dumha longa-metragem (acho que é um caso único), senom porque o sintagma ?A Torre de Suso? tinha e tem para mim um significado muito especial. Deixade-me que vos conte:

Nos anos acadêmicos 1999-2000 e 2000-2001 trabalhei e morei na vila de Rianxo. No berço de Castelao e Manoel-António travei amizade com um ou outro colega de trabalho. Do Antón Vilariño (da sua mulher Pilar e da sua filha Antia) já tenho falado aqui nalgumha ocasiom. De quem ainda nunca falei é do Rafa Saco (nem de Sol, Aida e Amaro).

Durante aquele biénio rianxeiro fum várias vezes convidado polos meus colegas de trabalho (e no entanto amigos) a comer com as suas respetivas famílias nas suas acolhedoras casas. Muitas vezes tenho comido em Asados, na casa do Antón Vilariño, e umhas quantas também em Leiro, na casa do Rafa!

Embora nom goste muito de crianças (nom quero enganar ninguém) o certo é que sempre que ia à rianxeira paróquia de Leiro almoçar com Sol e Rafa acabava brincando na carpete do salom com os seus rebentos (que já serám uns moços!) Aida e Amaro.

A brincar com eles em dado momento ocorreu-me empilhar, dando-lhes um uso diferente a aquele para o que foram fabricadas, as peças dum brinquedo de construçom. Perante a atónita mirada da pequena Aida a multicor pilha atingiu, num equilíbrio que semelhava quase impossível, umha altura estonteante. Como nom podia ser doutro jeito, a susodita construçom ficou sendo conhecida como A Torre de Suso.

No passado ano acadêmico Teresa, a minha namorada, estivo trabalhando na rianxeira paróquia de Asados. Por acaso coincidiu alí com a Sol, quem lhe dixo que na sua casa ainda hoje era recordada a famosa Torre de Suso. A minha torre, modéstia aparte &#59;)

Beijinhos e recordações para Rafa, Sol, Amaro e Aida (a quem espero logo voltar a ver) e longa vida em cartaz para La Torre de Suso!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 14 Nov 2007 16:19:42 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Obrigado pola dica, caro El Niño! De todos os jeitos (e por alusões) eu já pensava ir vê-la apesar de no outono compostelano a oferta cinematográfica nom comercial ser aporrinhante! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Wed, 14 Nov 2007 08:51:43 +0000 URL:

A peli é chistosissima. Paga a pena.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 12 Nov 2007 11:41:40 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Pois já viches/vistes! Nom tardei nada, no mesmo dia da estreia do susodito filme já estava eu a postá-lo! Obrigado por terdes-me presente nas vossas orações! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: berto [Visitante] DATE: Fri, 09 Nov 2007 17:23:09 +0000 URL: http://ber.to

home!! na casa comentabamos canto tardarías en postear sobre esto cada vez que viamos o anuncio na TV :D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 09 Nov 2007 11:29:14 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Obrigado, Zezinho! Normal que gostaras da minha história porque tu és mui tenreiro ;-)

A dos susoditos lugares é umha categoria que tenho pendente de abrir em Angueira de Suso. Há umha cheia deles! Nom há mas que dar umha vista de olhos ao Nomenclator de Galicia ou ao Topogal.

Obrigado por lembrares-te de mim ao teu passo por Catoira! Como cantavam Os Ressentidos: “Com cornos ou sem cornos umha vaca nom é um viquingo!” :-D

----- COMMENT: AUTHOR: Zé Pequeno [Visitante] DATE: Fri, 09 Nov 2007 09:44:00 +0000 URL: http://ipanemagrafica.blogsome.com

Que história mais tenra, por certo, o outro dia voltando a casa logo do nosso ré-encontro compostelano, topei com um sinal na estrada que indicava “Viladesuso” à altura de Catoira. Obviamente lembrei-me de ti e de todas as referências que lhe fas ao teu brandname neste blog :D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: No VIII aniversário da proclamaçom da República Popular do Morraço BASENAME: no_viii_aniversario_da_proclamacom_da_re DATE: Wed, 07 Nov 2007 18:03:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Fre.Li.Mo. TAGS: ----- BODY:

Típico "paperboy", interpretado pola atriz Paula Sanmartin, a vozear cabeçalhos de "Faro de Vigo", "Diário de Ponte-Vedra" e "A Comarca do Morraço" referentes à Frente de Libertaçom do Morraço, Fre.Li.Mo.

Aconteceu tal dia como hoje, há oito anos. No domingo, 7 de Novembro de 1999, no decurso dumha festa-comício celebrada no Aturuxo Bar de Bueu, a Frente de Libertaçom do Morraço (Fre.Li.Mo.) proclamava a República Popular do Morraço (R.P.M.).

Para comemorar a efeméride publicamos em Angueira de Suso as fotografias, inéditas até hoje, que naquela histórica data realizou o fotógrafo boedense Xabier Castro, Xabicas.

As fotografias que hoje (umha vez digitalizadas) publicamos, estiveram em paradoiro desconhecido durante muitos anos. (Umha vez reveladas) chegáramos a tê-las nas nossas maos, mas desde aquela nom voltáramos a vê-las.

O ano passado pediramos-lhas ao seu autor para publica-las aqui coincidindo com o VII aniversário da R.P.M. Mas, por mais que o Xabicas as procurou, as condenadas nom apareceram.

Exactamente um mês e um dia depois da efeméride (na sexta-feira, 8 de Dezembro de 2007), por volta das 19h45 (GMT+1), recebemos alvoroçados a chamada telefónica do amigo Xabi. Entre os objectos estragados polas inundações que a Vila de Bueu padeceu por aquelas datas (Rio Bispo Askatu!) apareceram as tais fotografias. Milagrosamente as fotos sobreviveram e sairam ilesas da inundaçom do Atu.

As fotografias do Xabi Castro Xabicas constituem o único testemunho gráfico que, que nós saibamos, existe dos actos de apologia do interiorismo protagonizados em Novembro de 1999 polos guerrilheiros de salom da Fre.Li.Mo.

Como há oito anos figemos ao vivo, queremos reiterar hoje o nosso agradecimento ao amigo Xabi Castro pola sua presença, câmara em riste, no Aturuxo. Queremos agradecer também ao Xabicas a amável cessom das fotografias para a sua publicaçom aqui, em Angueira de Suso.

A carne de burro nom é transparente. Com a ajuda do caralhudo punteiro de Arsénio Burrote (mascote da revista Xó!) Fulano (guerrilheiro de salom da Fre.Li.Mo.) dá resposta à pergunta de se a R.P.M. tem um território próprio.

Tem o Morraço um idioma próprio? ?Tem- responde Mengano- o ghalegho-portughês é o idioma próprio do Morraço. O ghalegho-batea é, a imagem e semelhança do euskera-batua, o padrom, o standard ou coiné do ghalegho na R.P.M. A gheada e o sesseio som normativos e obrighatórios. O verbo 'mirar' substitui o 'ver' em todas as suas acepçons. O ghalegho e o castrapo serám línguas cooficiais da R.P.M.?

Para encerrar a festa-comício o Subcomandante Marcos da Portela, lider da Fre.Li.Mo., profire um incendiário discurso.

Os guerrilheiros de salom da Fre.Li.Mo. foram naquele dia ?teloneros? do grupo Quempallou (Morraço-Íncio).
----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 08 Nov 2007 12:11:58 +0000 URL:

Acabas de deixar-me alucinado, Manu! Nom tinha a menor idéia da existência do Comando Independentista do Morraço (C.I.M.)! Too long in exile! Um forte abraço! MORRACISMO OU BARBÁRIE!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Manu [Visitante] DATE: Wed, 07 Nov 2007 23:26:27 +0000 URL:

Aghora está o CIM a dalo todo polo Morraso.. buff como pasa o tempo dende a frelimo. Saúdos!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Humor Gráfico na Galiza: Que dim Xaquín Marín e Suso Sanmartin? BASENAME: humor_grafico_na_galiza_que_dim_xaquin_m DATE: Sun, 04 Nov 2007 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Auto-caricaturas de Xaquín Marín (esquerda) e Suso Sanmartin (direita).

Na passada segunda-feira (SEG, 29-OUT-07) recebim no trabalho a ligaçom do meu amigo Germám Ermida. O Germám, que trabalha como redator em CulturaGalega.Org, queria fazer-me umhas perguntinhas para umha reportagem que estava a fazer sobre o Humor Gráfico na Galiza.

Apesar de nom estar de muito bom humor (I don?t like Mondays) respondim o melhor que pudem as perguntas do amigo Germám. Reconheço que naquele dia estivem especialmente espesso mas o bom fazer do meu amigo fijo com que a cousa nom ficasse tam mal assim.

A reportagem (que inclui apenas os depoimentos do mestre Xaquín Marín e deste aprendiz que atende por Suso Sanmartin) foi publicada no portal do Conselho da Cultura Galega na passada quarta-feira, 31 de Outubro.

Publicamo-la hoje aqui, em Angueira de Suso, agradecendo ao amigo Germám tam grande honor.

Humor gráfico en Galicia

É un campo de creación no que contamos con verdadeiros xenios a nivel universal. Canda aos grandes nomes, unha vizosa canteira mantén un digno pabillón que conta cunha grande aceptación popular. O relevo xeracional e a adaptación aos novos soportes son os grandes retos dunha arte que segue a pasar inadvertida na nosa cultura. Estamos a falar do humor gráfico galego.

Santiago. Redacción. 31 / 10 / 2007

Castelao era humorista. Celestino Fernández de la Vega atreveuse a escribir o ensaio ?O segredo do humor?. Julio Camba ou Wenceslao Fernández Flórez destacaron como autores deste xénero na prensa da súa época. Canda estes nomes, podemos engadir aínda unha longa lista de autores que deixaron xa unha fonda pegada na historia da arte de facer rir. Siro, Pepe Carreiro, Chichi Campos ou Xosé Lois ?O Carrabouxo?son só algúns exemplos. E isto xa sen nos introducir na ampla presenza do humor en obras literarias, teatrais, televisivas ou de cinema. Non se pode dubidar que o humor supón un elemento importante da nosa cultura. Dentro das distintas manifestacións que buscan provocar a nosa risa, destaca como xénero específico o humor gráfico, que loita por manter a súa función de conciencia crítica da realidade.

As revistas

Xaquín Marín, director do Museo do Humor de Fene e nome imprescindible do noso humor gráfico, amósase esperanzado a respecto do futuro desta arte. ?Agora mesmo vexo a situación bastante ben, porque se vai presentar unha nova revista, e iso sempre é bo?, explica. Marín refírese á publicación ?Retranca? que ve a luz este 31 de outubro da man do autor Kiko da Silva e que conta cunha nutrida nómina de autores do país. Fóra desta raiola de esperanza, o panorama non é precisamente optimista para este veterano. ?Polo demais, vexo moitos humoristas especialmente bos, sobre todo na parte gráfica?, explica, ?pero non teño claro que o humor estea en moi bo momento. Para comezar, hai unha falta de publicacións especializadas?. A respecto desta eiva, Marín recoñece que non é específica do noso país. ?Acontece a nivel estatal, o panorama está moi difícil e só existen excepcións puntuais. E non sei ben por qué. Nos quioscos hai publicacións de todo tipo de temáticas agás de humor?. No mesmo sentido maniféstase Suso Sanmartín, un autor bastante máis novo que desenvolve o seu traballo entre o humor gráfico impreso, o web ou dinamizando diferentes eventos de carácter lúdico-reivindicativo. ?Non o vexo moi ben, aínda que parece que ultimamente hai síntomas de recuperación e aparecen publicacións de humor gráfico dedicadas exclusivamente a isto, que é algo que non había desde hai bastante tempo?. Á xa mencionada ?Retranca?, Suso engade ?O Pasquim?, suplemento humorístico do xornal ?Novas da Galiza? que el mesmo coordina canda a Xico Paradelo, e mais o ?Guau Guau? que da man de Pepe Carreiro se pode ler en ?Tempos novos?.

A prensa

A maiores, tampouco a prensa escrita, habitual baluarte do xénero, está no seu mellor momento. ?En canto a presenza, cada vez o humor está máis relegado nos xornais e cóntase menos con el?, especifica Marín. Sanmartín, pola súa banda, ten claras as causas desa situación. ?Penso que o humor non se pode entender separadamente doutras formas de xornalismo de opinión. Se as columnas de opinión reflicten todas o mesmo pensamento único, o humor gráfico non é diferente?. Nese sentido, ?paréceme que pasamos moitos anos de censura e que xa se interiorizou moito? denuncia. ?Na noite de pedra fraguiana, como non se podía facer humor sen se afastar da liña editorial que marcaban os xornais, mantidos en última instancia polas institucións, acabaron meténdose moitos ilustradores a facer humor?. Resultado disto, para este autor ?hai moita calidade a nivel gráfico pero o nivel do humor paréceme que non está á mesma altura. Os auténticos humoristas foron relegados a medios máis marxinais, como foi o caso de Pepe Carreiro, que chegou a publicar en `La Voz de Galicia´ou na edición galega de `El Mundo´, e ¿onde está agora??

Un pouco de historia

A seguir coa ollada cara atrás, Xaquín Marín repasa os diferentes momentos que viviu o humor gráfico en Galicia. ?A posguerra foi unha época moi mala. Despois comezou a mellorar, e houbo un momento concreto no que penso que os humoristas tiveron unha grande importancia dentro dos xornais. Logo pouco a pouco foise perdendo o humor gráfico aínda que apareceron novos vehículos, coma fotografías humorísticas e outros formatos?, resume. Dentro da nosa historia do humor podemos salientar desde os traballos de Castelao para os xornais da súa época, ao importante rexurdir de autores coma o propio Marín, Siro ou Pepe Carreiro desde os setenta ou Chichi Campos coma nome imprescindible para comprender os anos oitenta no noso país. En canto a publicacións, destacan ?Can sen dono? (1983-1990) ou ?Xo! A voz que para as bestas? na década seguinte, sen esquecermos ?Sapoconcho?, publicación que tirou desde 1994 o Museo do Humor de Fene e que alcanzou dezasete números.

O futuro do humor galego

De cara ao futuro inmediato, Marín está convencido de que ?o sentido do humor xenuinamente galego vaise esgotando, como todas as características diferenciais dos galegos ante a globalización. Non sei por onde irá. Haberá que mudar de vehículo, porque cada vez hai menos papel polo medio. Ao tempo, iremos globalizándonos, e se non somos quen de manter a nosa personalidade perderemos o humor?, lembra Marín, que non deixa de confiar nas nosas posibilidades: ?Penso que Galicia podería ser unha grande potencia. Os galegos somos humoristas por natureza. Outra cousa é que sexamos moi coñecidos a nivel profesional?.

Humor sen papel

De calquera xeito, aparición de novos soportes, nomeadamente Internet, pode ser unha posibilidade para manter con vida o noso humor. A rede galega foi xa testemuño dos traballos de Aduaneiros Sem Fronteiras, recentemente desaparecido, ou da Va-Ca, canda a un bo feixe de páxinas individuais que, coma os blogs ?Un mundo de paxaradas? ou, na vertente escrita, ?Galpón de Breogán? apostan polo humor como eixe. ?O que antes podían ser os fanzines e as revistas fotocopiadas hoxe cúmpreno Internet e os blogs á hora de difundir a obra?, explica Sanmartín, que mantén el mesmo a bitácora ?Angueira de Suso?. Tamén Marín contempla a importancia que pode desenvolver este medio. ?É un soporte marabilloso que permite unha grande difusión?, recoñece. De xeito semellante, a proliferación nos últimos anos de camisetas con retranca ou a introdución do humor en linguaxes coma a publicidade ou o audiovisual (sen esquecermos a literatura ou os espectáculos, de onde non desapareceu nunca), semellan campos nos que aínda pode florecer a arte de facer rir.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 07 Nov 2007 12:25:48 +0000 URL:

Serei pelota, puxa-saco ou o que tu quiseres, mas como podes acusar um tipo que se chama Suso e que “mantém ele mesmo” (como bem dis na tua reportagem) umha bitácora chamada ?Angueira de Suso? de ter pouca auto-estima?!? ;-P Muitíssimo obrigado, Germám!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Germám [Visitante] DATE: Mon, 05 Nov 2007 17:30:08 +0000 URL:

Serás pelota! :-P Vaia por diante que liguei para ti por te ter escuitado em certa charla (http://mdl-galiza.org/content/view/299/)sobre o tema e porque me pareceu que complementarias bem o Xaquim! E acho que nom me trabuquei muito…
quê pouca autoestima conas! :-P

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Porque O Pasquim? BASENAME: porque_o_pasquim DATE: Tue, 30 Oct 2007 16:10:17 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capa do primeiro número d?O Pasquim e charges da minha autoria publicadas no devandito número: ?Causa Galiza ? M.A.P.I.E.? (pág. 4), ?Somos Unha E Carne? (pág. 1) e ?Quim Barreiros, Vice-Presidente?(pág. 4).

Esta manhã a carteira trouxo à minha caixa do correio o último número do Novas da Galiza (NGZ Nº 59, de 15 de Outubro a 15 de Novembro de 2007), número que no seu interior alberga a quarta entrega d?O Pasquim.

Enquanto a equipa d?O Pasquim está a tabalhar no que será o próximo número eu (que me honro em coordenar o Suplemento de Humor do Novas da Galiza) inicio a publicaçom aqui, em Angueira de Suso, das minhas colaborações em anteriores entregas deste entusiasmante projecto. Começando polo princípio, polas colaborações da minha autoria publicadas no primeiro número d?O Pasquim (O Pasquim Nº 1 / NGZ Nº 56, de 15 de Julho a 15 de Agosto de 2007).

As minhas colaborações no primeiro número d'O Pasquim

Para o primeiro número d?O Pasquim desenhei três charges e escrevim um pequeno texto. Sobre as charges (que junto com a reproduçom da capa d?O Pasquim Nº 1 componhem a imagem que ilustra este post) voltarei, se calhar, um outro dia.

O texto (intitulado Porque O Pasquim?) escrevim-no na casa dos meus pais, em Bueu, entre o domingo 15 e a segunda-feira 16 de Julho (Dia do Carmo).

Por problemas de espaço, para a sua publicaçom na capa d?O Pasquim a modo de editorial foi ligeiramente recortado. A seguir publicamo-lo na sua integridade:

Porque O Pasquim?

Pasquim (Pasquino em italiano) é o nome com o que o povo de Roma baptizou umha velha e escaralhada estátua que, encontrada em 1501 no decurso das obras de pavimentaçom da rua e reestruturaçom do Palazzo Orsini (hoje Palazzo Braschi), foi erguida na esquina da Piazza di Parione (hoje Piazza di Pasquino), polo Cardeal Oliviero Carafa.

Foi precisamente este purpurado quem, sem querer, deu ao Pasquino o dom da palavra quando no Dia de Sam Marcos de 1501 (25 de Abril, Sempre!) inaugurou umha cerimônia anual consistente em cubrir com umha toga o seu marmóreo torso e pendurar dela inocentes e latinos epigramas.

O decoroso evento inicial nom demorou em sair-se de madre convertendo a estátua do Pasquim no suporte ideal para os poemas satíricos escritos por pessoas críticas com o Santo Padre e o seu governo.

Por metonímia, estes escritos passaram a ser chamados igual que a estátua que os suportava e, ainda hoje em dia, a primeira acepçom que a palavra ?pasquim? tem nos nossos dicionários é ?sátira, afixada em lugar público, contra a autoridade ou governo? (e-Estraviz), ?escrito afixado em lugar público com expressões injuriosas ao governo ou pessoa constituída em autoridade; panfleto difamatório? (Porto Editora) ou ?sátira afixada em lugar público? (Aurélio Século XXI).

Pasquim (26-JUN-1969 / 11-NOV-1991) é também o nome do primeiro e mais influente jornal de oposiçom à ditadura militar brasileira. Fundado polo chargista/cartunista Jaguar e os jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral, o nome d?O Pasquim foi, segundo conta a Wikipédia lusófona, sugestom do próprio Jaguar ?inspirado na história de um monsenhor italiano chamado Pasquino, que segundo a lenda escrevia fofocas e notícias para serem lidas em praça pública? (!?). No documentário intitulado ?O Pasquim ? A Subversão do Humor?, lançado em Junho de 2004 pola governamental TV Câmara, Jaguar acrescenta: "Eu sugeri o nome 'Pasquim'. Porquê? Porque eu disse que todo o mundo ia chamar esse jornal que nós íamos fazer de pasquim, he, he, então a gente já cortava a onda dos caras, né?"

Com efeito, a segunda acepçom que a palavra ?pasquim? tem nos dicionários da nossa língua é ?panfleto difamatório? (e-Estraviz), ?jornal que publica diatribes e artigos difamatórios? (Porto Editora) ou ?jornal ou panfleto difamador? (Aurélio Século XXI).

Tanta maravilha era ignorada por nós até há muito pouco tempo. Descubrimo-la ainda em Abril deste ano quando, ao nosso regresso das férias da Páscoa em território italiano, nos documentávamos para escrever um artigo que, precisamente sob o título de ?O Pasquim?, apareceria pubicado no nosso blogue.

Deveu ser por essas datas quando se começou a falar da possibilidade de tirar um suplemento de humor com o ?Novas da Galiza?. Por isso quando o pessoal do ?Novas? nos perguntou sobre o nome que, na nossa opiniom, devia levar este novo e entusiasmante projecto fomos incapazes de dar umha outra resposta que nom fosse a de ?O Pasquim?. Felizmente para nós a nossa sugestom foi acolhida com unânime entusiasmo e hoje, 25 de Julho de 2007, tedes nas vossas maos o primeiro número dum Pasquim Made in Galiza que, sem deixar de reivindicar-se herdeiro da viçosa tradiçom galega dos Can sen dono, Xo!, Arre, O Farelo..., quer ser também umha modesta mas sincera homenagem galega (da Galiza) ao seu deslumbrante homónimo brasileiro.

O humor começa por um mesmo

D?O Pasquim acreditamos nisso que se costuma a dizer de que ?o humor sam e bem entendido começa por um mesmo?. Por isso, e por aqueloutro que também se di de que ?se nom sabes rir de ti mesmo nom tens direito a rir dos outros?, quigemos dedicar este primeiro número a rir de nós mesmos, nacionatas e indepes que somos. Porque queremos rir de tudo e de todo o mundo e nom queremos que ninguém ponha em causa o nosso direito a fazê-lo. Porque a ocasiom (do Dia da Pátria Galega) bem o merece e porque para risíveis... PARA RISÍVEIS, NÓS! Nom é?

O nosso agradecimento a todas as pessoas que desinteressadamente colaboram neste primeiro número d?O Pasquim, às que o tentaram mas nom deram feito e a todas as que já mostraram a sua disposiçom a colaborarem e ainda ham-de colaborar.

Suso Sanmartin
----- COMMENT: AUTHOR: Eduardo [Visitante] DATE: Mon, 25 May 2015 20:39:49 +0000 URL:

Em que língua isso foi escrito?

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 05 Nov 2007 11:55:25 +0000 URL:

Hahaha!!! Nom, nada disso, Compostela/Uz! De facto ao princípio eu escrevera que recortáramos o texto entre os dous, maquetista e coordenador, mas afinal decidim apagá-lo por encontrar desnecessário o esclarecimento ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Wed, 31 Oct 2007 17:40:12 +0000 URL:

Ala, já estamos ‘matando o mensageiro’ :-p (Noutras palavras, sempre lembrando que o fodido maquetista mete tesoura nos textos, hahahaha)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 4 BASENAME: o_pasquim_no_4 DATE: Fri, 26 Oct 2007 17:22:05 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 59 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 4 d'O Pasquim' (direita).

Ontem, quinta-feira, saiu a lume a quarta entrega d'O Pasquim, suplemento de humor do Novas da Galiza.

O Pasquim Nº 4 (dedicado ao plus dos altos cargos) distribui-se conjunta e inseparavelmente com o número 59 do Periódico Galego de Informaçom Crítica.

Neste número d'O Pasquim colaboramos Gerardo Uz, Gonzalo Vilas, Xico Paradelo, Franjo Padín, Bruno Ruival, um servidor e, pola primeira vez, o Carlos Meixide.

ACTUALIZADO 30-OUT-07
Na Hemeroteca NGZ estám disponíveis, em formato pdf, os três primeiros números d'O Pasquim: números 1, 2 e 3.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 05 Nov 2007 12:01:05 +0000 URL:

Com efeito, com muito trabalhinho conseguimos que O Pasquim recuperasse a condiçom de “separata” com a que saiu à rua o primeiro número, embora fosse a costa de prescindirmos na capa da cor. Muitíssimo obrigado, caro Compostela/Uz, pola precissom ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Wed, 31 Oct 2007 17:39:16 +0000 URL:

(O comentário anterior é de Uz, administrador também do blogue http://compostela.agal-gz.org :-p)

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Wed, 31 Oct 2007 17:38:21 +0000 URL:

Hahahaha! Há uma inexactidão no teu comentário, Suso! Desta volta O Pasquim distribui-se «conjunta e separavelmente» com o NGZ. Com o trabalho que nos deu, como podes esquecer tão importante detalhe :-D!!?

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Até sempre, alfandegários!!! BASENAME: ate_sempre_alfandegarios DATE: Wed, 17 Oct 2007 17:58:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: GUEST ARTIST CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Ad Augusta Per Angusta", by Panchez (Aduaneiros Sem Fronteiras).

Outra vaca no paraíso dos mártires do humor! Os meus pêsames, os meus parabéns e o meu mais sincero obrigado a Bertez e Panchez por tudo! Até sempre, alfandegários!!! :'(

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 23 Oct 2007 08:51:14 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Como nom fazer-me eco da notícia! Para além de serem uns gênios os Aduaneiros Sem Fronteiras som bons amigos meus!

----- COMMENT: AUTHOR: O\\\'Padim [Visitante] DATE: Mon, 22 Oct 2007 21:43:54 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Miro que xa fixeches eco da nova. Hai quen sube á pola e non baixa. Vale que os comentarios podían ser ferintes, pero de aí a esta choromicada da nena…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 22 Oct 2007 10:48:48 +0000 URL:

Nem eu! Nem eles próprios sabem! A batata quente (nalgumha zona da Galiza diriam a castanha ou castanha da terra quente) está no telhado da Yolanda Castaño! ;-)

“Queremos lembrar que o feche seria reversível se, como agora afirma a demandante, estivesse disposta a aceitar por escrito ou pessoalmente a nossa já reiterada oferta de retirar os comentários e manter o desenho gráfico.” (ASF, II Comunicado).

----- COMMENT: AUTHOR: Zé Pequeno [Visitante] DATE: Sun, 21 Oct 2007 23:44:12 +0000 URL: http://ipanemagrafica.blogsome.com

Nom sabia que este feche fosse permanente :-S Novos tempos virám, já verás, ainda queda moito cérebro por exprimir.

A.S.F. D.u.P.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Mesón do Suso" (Lugo) BASENAME: meson_do_suso_lugo DATE: Thu, 11 Oct 2007 07:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

"Mesón do Suso" (Lagoas, S/N. Ombreiro. Lugo). Fotos: Teresa Díaz.

Por sétimo dia consecutivo (e em comemoraçom das festas do Sam Froilám) publicamos em Angueira de Suso as fotografias dum dos numerosos susoditos estabelecimentos comerciais existentes na cidade de Lugo.

Começamos na passada sexta-feira 5, Sam Froilám, publicando as fotografias do Mesón-Cerveceria Suso. Em dias sucessivos publicamos as fotos de SusoMotor (Sábado 6, Dia da China em Lugo), Suso Comercial (Domingo 7, Domingo das Moças e Dia do Traje Tradicional Galego), Suso Maquinária Agrícola (Segunda-feira 8, Dia dos Maiores), Instalaciones Eléctricas Suso (Terça-feira, 9) e Talleres Suso (Quarta-feira, 10).

Hoje (Quinta-feira 11, Dia de Ferrol) finaliza a nossa pessoalíssima celebraçom do Sam Froilám com a publicaçom das fotos do sétimo e último susodito estabelecimento comercial luguês de cuja existência temos constância.

Sete dias, sete susoditos estabelecimentos comerciais!!! Para susoditos estabelecimentos comerciais... Lugo!!!

Mesón do Suso

Segundo as Páginas Amarelas o luguês Mesón do Suso estava em "Lagoas, S/N". Mas no mapa da cidade nom aparecia nengumha rua com esse nome. Perguntamos a um munipa e no posto de informações turísticas e tampouco souberam dizer-nos onde era que as tais Lagoas estavam. Assim que no Sábado à noite (indo de Suso Maquinária Agrícola a Instalaciones Eléctricas Suso com a Teresa no seu carro) ligamos para o número de telefone do Mesón do Suso que encontramos nas Páginas Amarelas e perguntamos diretamente. "Estamos em Ombreiro", digeram-nos por resposta.

Com efeito, o conhecido Mesón do Suso encontra-se nas Lagoas, lugar da freguesia de (Sam Martinho de) Ombreiro pertencente ao Concelho de Lugo.

No Domingo à noite regressamos a Santiago por um caminho diferente ao habitual para passarmos polas Lagoas (Ombreiro) e fazer as obrigadas fotografias do susodito Mesón.

Enquanto ultrapassávamos o limiar da porta a Rússia derrotava de novo Espanha na televisom. E é que a vida pode ser maravilhosa :))

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Talleres Suso" (Lugo) BASENAME: talleres_suso_lugo DATE: Wed, 10 Oct 2007 08:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Automobilismo Suso TAGS: ----- BODY:

"Talleres Suso" (Ronda das Fontinhas, 127. Lugo)

Em comemoraçom das festas de Sam Froilám, por sexto dia consecutivo, publicamos em Angueira de Suso as fotografias de um dos numerosos susoditos estabelecimentos comerciais existentes na cidade de Lugo.

Após o Mesón-Cervecería Suso (SEX 5), SusoMotor (SAB 6), Suso Comercial (DOM 7), Suso Maquinária Agrícola (SEG 8) e Instalaciones Eléctricas Suso (TER 9) hoje (QUA 10) é a vez de Talleres Suso.

As duas fotos de acima fijo-mas a Teresa e já mas passara havia bastante tempo. As três de baixo figem-nas eu próprio neste passado Domingo das Moças.

E amanhã, sétimo e último susodito estabelecimento comercial luguês que publicaremos aqui, em Angueira de Suso, para celebrarmos o Sam Froilám 2007. Viva o Sam Froiám!!! Lugo capital do susodito estabelecimento comercial!!! Para susoditos estabelecimentos comerciais... Lugo!!! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Instalaciones Eléctricas Suso" (Lugo) BASENAME: instalaciones_electricas_suso_lugo DATE: Tue, 09 Oct 2007 17:14:48 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Eletricidade Suso TAGS: ----- BODY:

"Instalaciones Eléctricas Suso" (Rua Bispo Ona de Echave, 2, 3ºA. Lugo)

Desde o passado dia 4 e até o próximo dia 12 celebram-se na cidade de Lugo grandes festas na honra do Sam Froilám. Para comemorá-lo estamos a publicar aqui cada dia as fotografias dum susodito estabelecimento comercial luguês diferente. E é que Lugo, senhoras e senhores, é-lhes a capital do susodito estabelecimento comercial!

Após o Mesón-Cervecería Suso (Sexta-feira 5, Sam Froilám), SusoMotor (Sábado 6, Dia da China em Lugo), Suso Comercial (Domingo 7, Domingo das Moças e Dia do Traje Tradicional Galego) e Suso Maquinária Agrícola(Segunda-feira 8, Dia dos Maiores), hoje, Terça 9 de Outubro, toca-lhe a vez a Instalaciones Eléctricas Suso.

Instalaciones Eléctricas Suso

Logo depois de irmos à Campinha (lugar da freguesia de Sam Salvador de Muja, no concelho de Lugo) para fotografarmos Suso Maquinária Agrícola trás-anteontem à noite a Teresa e mais eu fomos até a Rua Bispo Ona de Echave à procura de Instalaciones Eléctricas Suso.

Segundo as Páginas Amarelas a razom social do susodito estabelecimento comercial estava num terceiro andar (e nom no rés-do-chao, como é habitual) polo que temíamos que no exterior do prédio nom houvese placa nengumha.

Os nossos temores confirmaram-se ao chegarmos diante do número 2 da luguesa Rua Bispo Ona de Echave. Nom topamos a susodita placa mas, felizmente, topamos arrumada diante da porta a carrinha serigrafiada de Instalaciones Eléctricas Suso.

Tiramos as obrigadas fotografias e, com a satisfacçom do trabalho bem feito e do dever cumprido, a Teresa e mais eu fomos à Ronda das Fontinhas cear opiparamente no Bodegón Barqueiro-2 cuns amigos. Porque para comer e para susoditos estabelecimentos comerciais... Lugo!!!

NOTA: Muitíssimo obrigado, mais umha vez, e parabéns à Teresa no seu aniversário! Visitem o magnífico fotolog da aniversariante e deixem nos comentários os seus parabéns também! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 10 Oct 2007 18:55:28 +0000 URL:

Por nada, Teresinha! Muitíssimo obrigado eu por deixares o teu primeiro comentário neste meu blogue e, sobretudo, por avir-te a colaborar de tam bom grau nas frikadas deste friki egocêntrico! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Teresa [Visitante] DATE: Wed, 10 Oct 2007 09:50:06 +0000 URL:

Muuito obrigada, Suso, polos parabéns, e foi un pracer compartillar as carreiras na procura dos susoditos con voçe :-)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Suso Maquinária Agrícola" (Lugo) BASENAME: suso_maquinaria_agricola_lugo DATE: Mon, 08 Oct 2007 08:50:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Mecanizados Suso TAGS: ----- BODY:

"Suso Maquinária Agrícola" (Campinha, 126. Lugo)

Mais um susodito estabelecimento comercial luguês em comemoraçom das festas que na honra de Sam Froilám e até a próxima sexta-feira se celebram na cidade de Lugo.

Após o Mesón-Cervecería Suso, SusoMotor e Suso Comercial hoje toca-lhe a vez a Suso Maquinária Agrícola, susodito estabelecimento comercial sito no número 126 da Campinha luguesa.

As fotos de Suso Maquinária Agrícola foram feitas ante-ontem, sábado 6 de Outubro, por volta das 20h40 (GMT+2). A primeira foto e a última som minhas. A segunda e a terceira fijo-mas a Teresa.

Muitíssimo obrigado à Teresa por levar-me de carro até a Campinha, polas fotos e por tudo o mais! :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 09 Oct 2007 18:25:09 +0000 URL:

Ainda que este é já o centésimo quinto post publicado neste sítio, fai o número 100 desde que (com a publicaçom do artigo intitulado Welcome to Angueira de Suso e após quatro 4 posts de prova) em 31 de Maio de 2006 inauguramos oficialmente este blogue.

100 posts em 1 ano, 4 meses, 1 semana e 1 dia. 100 posts em 495 dias. Sai a umha média de 1 post cada 4,95 dias.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Suso Comercial? (Lugo) BASENAME: suso_comercial_lugo DATE: Sun, 07 Oct 2007 07:00:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Mecanizados Suso TAGS: ----- BODY:

?Suso Comercial? (R. Monforte, 27. Lugo)

Após o Mesón-Cervecería Suso e SusoMotor publicamos hoje (Domingo das Moças) em Angueira de Suso as fotografias do terceiro e último susodito estabelecimento comercial luguês fotografado por nós no sábado 21 de Julho de 2007: Suso Comercial (R. Monforte, 27).

Mas, perdam cuidado! Nom acaba aqui a cousa! Amanhã, segunda-feira, um novo susodito estabelecimento comercial luguês! Porque para susoditos estabelecimentos comerciais, Lugo!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?SusoMotor? (Lugo) BASENAME: susomotor_lugo DATE: Sat, 06 Oct 2007 06:53:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Automobilismo Suso TAGS: ----- BODY:

?SusoMotor? (Av. Corunha, 374. Lugo

Em comemoraçom das festas de Sam Froilám em Angueira de Suso continuamos a publicar as fotografias dos susoditos estabelecimentos comerciais existentes na cidade de Lugo, que som avondos!

Se ontem foi o Mesón-Cervecería Suso (Av. Corunha, 433) hoje toca-lhe a vez à vizinha concessionária de automóveis SusoMotor (Av. Corunha, 374).

As fotos de SusoMotor foram feitas também no sábado 21 de Julho, logo depois das do susodito Mesón.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Mesón-Cervecería Suso? (Lugo) BASENAME: meson_cerveceria_suso_lugo DATE: Fri, 05 Oct 2007 06:49:49 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

?Mesón-Cervecería Suso? (Av. Corunha, 433. Lugo)

5 de Outubro, Sam Froilám. Desde ontem, dia 4, e até o próximo dia 12 a cidade de Lugo celebra, na honra do seu padroeiro, a mae de todas as festas patronais.

De Angueira de Suso queremos somar-nos a esta magna celebraçom publicando aqui as fotografias dos numerosos susoditos estabelecimentos comerciais existentes na cidade da muralha.

Cada dia desta festiva semana publicameros as fotos dum susodito estabelecimento comercial luguês diferente. Porque Lugo, senhoras e senhores, é a capital do susodito estabelecimento comercial! Porque para comer e para susoditos estabelecimentos comerciais... Lugo!!!

?Mesón-Cervecería Suso?

Inauguramos a susodita série com a publicaçom das fotos do Mesón-Cervecería Suso, susodito estabelecimento comercial sito no número 433 da luguesa Avenida da Corunha (esquina com a Rua Reisenhor).

Estas quatro fotos foram feitas no sábado 21 de Julho quando regressávamos a Compostela depois de passar uns estupendos dias em Igom, lugar da freguesia de Sam Martim da Ribeira (concelho de Cervantes, comarca dos Ancares) do que a Teresa é natural.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Restaurante Suso (Castro de Ribeiras do Lea) BASENAME: restaurante_suso_castro_de_ribeiras_de_l DATE: Tue, 02 Oct 2007 09:58:44 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

Restaurante Suso. Pça. Galiza, 7. Castro de Ribeiras do Lea (Fotos: Gerardo Uz)

Publicamos hoje as fotografias de um susodito estabelecimento comercial sito no lugar de Castro de Ribeiras do Lea, freguesia de Ribeiras do Lea, concelho de Castro do Rei, comarca da Terra Chã: o Restaurante Suso.

Mas as fotos que publicamos hoje nom as figemos nós. Fijo-no-las o amigo Gerardo Uz com o seu flamante novo trebelho durante o passado fim-de-semana e enviou-no-las por correio electrónico ontem, segunda-feira, de manhã.

Na mensagem que acompanhava as fotos (estas duas e um lote delas mais) o Gerardo (que é da vizinha freguesia de Prevesos) esclarece-nos: ?'todo o mundo' conhece a freguesia polo nome do lugar, quer dizer, a maior parte das pessoas que se referem/nos referimos a Ribeiras do Leia fazemo-lo falando de 'Castro' ou 'Castro de Ribeiras do Leia'?.

Muitíssimo obrigado ao Gerardo! Polas fotos, polos esclarecimentos e por tudo o mais! :)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 3 BASENAME: o_pasquim_no_3 DATE: Fri, 28 Sep 2007 18:20:11 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 58 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº 3 d'O Pasquim' (direita).

Desde ontem, quinta-feira, tá na rua a terceira entrega d'O Pasquim, suplemento de humor do Novas da Galiza.

O Pasquim Nº 3 (integramente dedicado ao regresso às aulas galegas) distribui-se conjunta e inseparavelmente com o número 58 do Periódico Galego de Informaçom Crítica.

Neste número d'O Pasquim colaboramos os habituais Gerardo Uz, Gonzalo Vilas, Xico Paradelo, eu e (à la troisième, c'est la bonne! third time's a charm!) o Franjo Padín.

Mençom especial merece um Gonzalo Vilas que, em estado de graça, volta a deleitar-nos com toda umha página da melhor banda desenhada. Se no primeiro número foi O Dia da Pátria Galega e no segundo os Pere-guiri-nos, desta volta o alvo do seu agudo engenho é o intrépido Asdrúbal Varmal, autor dumha sensacional reportagem sobre as Galescolas recentemente publicada em certo jornal madrileno.

ACTUALIZADO 30-OUT-07
O Pasquim Nº 3, em formato pdf, disponível aqui.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 03 Oct 2007 17:17:38 +0000 URL:

Para quem nom o conheça, o blogue do amigo Asdrúbal… é este aqui, hó: http://ardelleoeixo.blogspot.com/ (tendes o enlace neste blogue, na coluna da direita: “Ligações” => “Miscelânea” => “Ardell’o eixo"). Obrigado pola visita, Asdrub! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Asdrúbal, que mal vas! [Visitante] DATE: Tue, 02 Oct 2007 22:44:13 +0000 URL:

Facendo un sobrehumano esforzo, actualicei algo o meu blog, metendo algunha cousa d’O Pasquim.
Até logo, craques!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 02 Oct 2007 10:08:41 +0000 URL:

Subscrevo as tuas palavras, Uz: “colaborar com craques como vós faz com que o que devesse ser trabalho devenha em puro prazer” :-P

Sabias? Sabiades? Este post era o número cem e nom me dera conta! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 01 Oct 2007 14:54:45 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

O dito tantas vezes: colaborar com craques como vós faz com que o que devesse ser trabalho devenha em puro prazer :-D

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: O Grande Salto BASENAME: o_grande_salto DATE: Sun, 23 Sep 2007 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: Desenhos Animados TAGS: ----- BODY:
[youtube]2g6wauUDPp4[/youtube]
O Grande Salto (23'')

Três meses (umha semana e dous dias) depois, continuo com a publicaçom dos exercícios de animaçom tradicional que em 1996, sendo estudante Erasmus, realizei no Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens).

Após A Metamorfose (27-MAR-07), Galician Man Walking (02-MAI-07) e Galego Corredor (15-JUN-07) hoje toca-lhe a vez aO Grande Salto.

Como já contei aqui nas três anteriores ocasiões, a fita VHS em que trouxera gravados os trabalhos de animaçom tradicional realizados durante a minha estada na Grécia sumiu misteriosamente poucos anos depois do meu regresso.

A versom d'O Grande Salto que publicamos hoje é, portanto, umha reediçom digital feita a partir dos desenhos originais que, felizmente, ainda conservo.

Os dezasseis desenhos diferentes que podedes ver, se reparades bem, n'O Grande Salto tinha-os escaneados já desde 29 de Abril (naquela maçadora sessom de escaneado escaneara também os oito desenhos do ciclo de corrida).

Mas nom foi até a semana passada (segunda-feira 17 e terça-feira, 18 de Setembro de 2007) que reeditei digitalmente O Grande Salto empregando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro.

E na manhã da quarta-feira, 19 de Setembro, subim O Grande Salto ao YouTube.

Há onze anos

Nom encontrei no meu diário de 1996 demasiadas anotações sobre a realização deste exercício em concreto (vê-se que contra o final da minha estada no país heleno fum menos auto-disciplinado na hora de reflectir no meu diário o meu quotidiano).

Sei que na sexta-feira 17 de Maio (Dia das Letras Galegas e Dia Nacional da Noruega também) estivem a trabalhar nele e que daí a duas semanas, na sexta-feira 31, "gravei as provas do salto" assim que Yoannis (colega cretense da turma de Animation I) terminou de gravar o seu.

Super-Eu

Igual que em Galician Man Walking e Galego Corredor o protagonista d'O Grande Salto sou eu, aliás, a minha auto-caricatura. Mas a diferença dos dous exercícios anteriores nom vou vestido de galego senom disfarçado de super-herói (Chana, amiga asturiana e Erasmus como eu, dixo de mim em certa ocasiom: "Susiño es supergallego") &#59;)

Sob os efeitos super-vitaminantes e mineralizantes do ouzo (leia-se "uso", com esse sonoro, e nom "ouço", que esse esse, apesar do que diga, é surdo) o super-galego Super-Suso (super-eu) dá, dou O Grande Salto.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 26 Sep 2007 16:37:48 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Hahaha!!! Estás certo, Uz? Se nom for absolutamente imprescindível apagá-los eu nom os apagava… O SUSO dá-che as GRAAAAAAÇAS! ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 25 Sep 2007 13:25:37 +0000 URL: http://ferreira.gzpt.org

Mecaghondioooola!!! Vê se podes apagar os meus dous comentários anteriores :-p

OUZO dá-che AAAASAS!!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 25 Sep 2007 13:24:48 +0000 URL: http://ferreira.gzpt.org

Meeeeerda! Esta ortografia maluca minha :-p! Corrijo:

OUÇO DÁ-CHE AAAAAAASAS!!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 25 Sep 2007 13:22:54 +0000 URL: http://ferreira.gzpt.org

Tal e como combinamos, aí vai :-D!

Ouzo dá-che aaaaças!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Restaurante "Susos" (Av. São Marcos, 22. Compostela) BASENAME: restaurante_susos DATE: Wed, 19 Sep 2007 22:02:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

Restaurante "Susos" (Av. São Marcos, 22. Santiago de Compostela).

Tal dia como hoje, há um ano, a Teresa e mais eu fomos almoçar a um susodito restaurante cuja existência eu nom descobrira até havia apenas dous dias antes.

No meio-dia do sábado 18 de Setembro de 2006 eu chegara à Lavacolha procedente de El Prat (vinha de passar em Barcelona umha semaninha inteira que aproveitei para fotografar um ou outro susodito estabelecimento comercial). Desde o Freire em que descim do Aeroporto de Santiago à Estaçom dos Autocarros reparei, alvoroçado, no Restaurante "Susos" pola primeira vez.

Daí a dous dias convencim a Teresa para irmos almoçar lá. Perguntei ao camareiro que nos atendeu polo singular (embora plural) nome do restaurante (repare-se em que "Susos" nom leva o apóstrofo característico do genitivo saxónico) e a sua resposta foi que os donos, que se chamam Suso e Susa, decidiram chamar-lhe assim. Sábia decissom! :-)

Ademais de comer (e comer bem) a Teresa e mais eu tiramos naquele dia estas simpáticas fotografias. Passou um ano, como um suspiro, e as fotografias deste susodito estabelecimento comercial compostelano permaneciam inéditas. Hoje, exactamente um ano depois de serem feitas, procedemos por fim à sua publicaçom em Angueira de Suso.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: NESCAFÉ PARA TODOS! BASENAME: nescafe_para_todos DATE: Tue, 18 Sep 2007 17:28:54 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos TAGS: ----- BODY:

Ao voltar da compra, hoje ao meio-dia, encontrei à porta da casa o último número da Revista Mensal de Informaçom para o Debate Tempos Novos (Nº 124, de Setembro de 2007).

Na sua sétima página este número traz a ilustraçom que há vinte dias (na quarta-feira, 29 de Agosto) figem para os Dias Soltos do escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias. Concretamente, o dia solto ao que a minha ilustraçom fai referência é este:

Agosto 23
A BOLSA E A VIDA
O soldo dos políticos (e os complementos retrospectivos dos altos cargos) están no presenteiro mediático. Tense a impresión de que alcaides, conselleiros e toda caste de representantes públicos queren facer o agosto. Ata hai pouco (na era de Felipe González) ían a serrucho nas contratas, pero hogano pretenden acceder ao gran diñeiro polo legal. Cando se entraba en política pra transformar a sociedade era unha cousa; desempeñar postos de servizo aos cidadaos é outra distinta e latosa, que merece polo visto unha indemnización millonaria. Sería o prezo esixido por exercer de pallasos en debates de tv, de histriós nos mitins e de charlatás de feira nas rodas de imprensa. Pobriños!

[Bieito Iglesias, Dias Soltos, Tempos Novos Nº 124 (Setembro de 2007), pág. 7].

A ideia da ilustraçom (umha ilustraçom sem imagem, com letra apenas) ocorreu-me apartir do que o meu amigo José Ramom Pichel me contara polo telefone no dia anterior, terça-feira, 28 de Agosto.

Eu chegara das minhas férias no Brasil havia três dias (no sábado 25) mas, sinceramente, ainda estava a aterrar. Embora, como pudem comprovar depois, já dera capa de jornal em 24 de Julho (três dias antes da minha partida) confesso que até que o Pichel mo contou eu nem ouvira falar do assunto.

O Pichel, ingignado, empregou naquele dia a expressom Salário Nescafé para referir-se aos sobre-soldos de 15.000 Euros, anuais e vitalícios, que para os ex-altos cargos da Junta (e nom só) aprovara por unanimidade o Parlamento de Galiza. Portanto, é justo reconhecer publicamente o seu papel como, no mínimo, muso inspirador.

"Nescafé para todos" é, evidentemente, umha paródia de "café para todos", histórica frase pronunciada polo Ministro Adjunto para las Regiones Manuel Clavero Arévalo (UCD) durante a Transición Española.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 24 Sep 2007 14:07:02 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Nom sei se é um “meio de massas” ou nom o é, mas eu já há tempo que me inteirei da notícia via Chuza.Org (acô, alá e acolá). Mas nom é inoportuno o teu comentário, algumha cousa haveria que fazer… Todos somos Josetxu Rodríguez, Javier Ripa e Nicola Lococo!!! Todos somos Nitrofan!!!

----- COMMENT: AUTHOR: O\'Padim [Visitante] DATE: Thu, 20 Sep 2007 15:13:12 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Deixo aquí este comentario, que non ten moito que ver co teu poste, pero igual queres facer eco da nova.
A finais do 2006 o suplemento de humor de DEIA “Caduca Hoy” (o “Pasquim” de DEIA) puxo na portada unha imaxe que recreaba a suposta participación de El-Rei nunha cacería en Rusia, na que, ad hoc, un oso pardo doméstico chamado Mitrofan, convenientemente embebedado, foi usado como víctima. Os deseñadores foron, evidentemente, demandados pola audiencia nacional, e estes días celébrase o xuízo. Emporiso, non ollei en ningun medio de masas referencia a esta noticia. Igual é que son bascos.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: A nossa língua cresce e floresce no Brasil BASENAME: title_257 DATE: Fri, 14 Sep 2007 20:47:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Prima na imagem para aumentar.

"A nossa língua está viva e floresce em Portugal" (A. R. Castelao, Sempre em Galiza, Livro II, Cap. XXIV).

"Quando Pero Vaz Caminha descobriu que as terras brasileiras eram férteis e verdejantes, escreveu uma carta ao rei: Tudo que nela se planta, tudo cresce e floresce. E o Gauss da época gravou!" (improvisação do baterista Dirceu na introducçom de Tropicália, de Caetano Veloso).

"O Brasil fala a língua galega" (Júlio César Barreto Rocha)

O Brasil é, sem dúvida, um país com grandes atractivos. Mas o que o fai irresistivelmente atraente para mim é algo que se reflecte nas pequenas cousas. Cousinhas como as que durante a minha última viagem ao país sul-americano fotografei e que hoje apresento aqui em forma de mosaico.

Nom figem uma recolhida exaustiva, é claro. Ao fim e ao cabo estava de férias com a minha namorada, nom em viagem de estudos sócio-lingüísticos. De todo modo acho que a pequena amostra que trouxem é bastante eloquente e exprime graficamente o que hoje, com o amigo Júlio Rocha, vos quero dizer: o Brasil fala (e escreve) a língua galega!

E ainda diria mais. Cruzando a florida citaçom de Castelao com a improvisaçom, lembrando Pero Vaz de Caminha, do baterista Dirceu na introducçom de Tropicália (a cançom-manifesto de Caetano Veloso) hoje eu proclamo: A NOSSA LÍNGUA CRESCE E FLORESCE NO BRASIL!!!

Sirva esta paródia também de homenagem galega (da Galiza) a Tropicália (o movimento) no seu 40º aniversário.

NA IMAGEM:

HORIZONTAL: "VENDE-SE PEIXE" (Ilha Grande/RJ, QUA, 08-AGO-07); "ALUGA-SE" (Praia Grande das Palmas, Ilha Grande/RJ, QUA, 08-AGO-07); "FEITO COM AMOR" (pormenor da típica sacolinha de papel, "Bar Aperitivo", Praia do Abraãozinho, Ilha Grande/RJ, SEX, 10-AGO-07); "RECANTO DA PRAIA" ("Rest. Recanto da Praia", Praia de Japariz, Ilha Grande/RJ, SÁB, 11-AGO-07); "PADARIA" e "ALUGO CASA" (Vila do Abraão, Ilha Grande/RJ, sÁB, 11-AGO-07); "TENHA CUIDADO AO DESEMBARCAR" (Barca Vila do Abraão X Angra dos Reis, DOM, 12-AGO-07); "FOLGA" ("Paititi Paraty, Antigüidades e Modernidades", Centro Histórico Parati/RJ, DOM, 12-AGO-07); "RESTAURANTE VAGALUME" e "TEMOS FILMES" (Centro Histórico Parati/RJ, DOM, 12-AGO-07); "TELEFONE" (Centro Histórico Parati/RJ, SEG, 13-AGO-07); "PEDE-SE A GENTILEZA DE NÃO ENTRAR SEM CAMISA" ("Rest. Girasol", Paraibuna/SP, TER, 14-AGO-07); "CUIDADO AO ENTRAR À ESQUERDA" e "RUA SEM SAÍDA" (São Paulo/SP, Centro, QUA, 15-AGO-07); "PROIBIDO TIRAR FOTOGRAFIAS" (Catedral Metropolitana, São Paulo/SP, QUA, 15-AGO-07); "FAZEMOS CARIMBOS" (Rua Gal. Couto de Magalhães, 153. São Paulo/SP, QUI, 16-AGO-07); "OLHE" (imediações Estação da Luz, São Paulo/SP, QUI, 16-AGO-07); "AVISO AOS PASSAGEIROS..." (MASP, São Paulo/SP, SEX, 17-AGO-07); "MANTENHA SUA CIDADE LIMPA" (Banca de jornal da Av. Paulista, São Paulo/SP, SEX, 17-AGO-07); "UTILIZE O CORRIMÃO..." (Metrô, São Paulo/SP, SEX, 17-AGO-07); "SAÍDA DE EMERGÊNCIA" (Expresso do Sul São Paulo X Rio de Janeiro, SÁB, 18-AGO-07); "ESGOTO", "TROCA DE ÓLEO" (Rio de Janeiro/RJ, QUA, 22-AGO-07); "SÓ ENTULHO" (R. Alm. Alexandrino, Santa Teresa, Rio de Janeiro, QUA, 22-AGO-07); "BEM VINDO" ("Simplesmente", Rua Paschoal Carlos Magno, 115, Santa Teresa/RJ, QUI, 23-AGO-07). VERTICAL: "APERTE" ("Rest. Recanto da Praia", Praia de Japariz, Ilha Grande/RJ, SÁB, 11-AGO-07); "DESCULPE O TRANSTORNO..." (Parque Garota de Ipanema, Rio de Janeiro/RJ, QUA, 22-AGO-07); "DEVAGAR ESCOLA" (Rio de Janeiro/RJ, QUA, 22-AGO-07).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 17 Sep 2007 09:08:23 +0000 URL:

O sábado à tarde fum à praia de Barra, na península riabaxeira do Morraço, e o único que sentim falar foi o castelhano. E isso que as Castilhas, no atual Estado das Autonomias, nom têm saída ao mar!

----- COMMENT: AUTHOR: O'Padim [Visitante] DATE: Sun, 16 Sep 2007 21:46:18 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

O de “feito com amor” é o melhor. Humanidade e mercadotecnia, xuntos da man. Eu avogo pola criaçâo duma reserva de galegofalantes nalguma peninsula riabaixeira, na que nos envien aos que ficamos, coma indios derrotados pero dignos.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 16 Sep 2007 11:25:04 +0000 URL:

NÓS? Muito me temo que NUNCA, caro Oscar de Lis! :-( Menos mal que nos queda Portugal e (com algo mais de tempo e dinheiro) Brasil, Angola, Moçambique… :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Oscar de Lis [Visitante] DATE: Sat, 15 Sep 2007 18:26:12 +0000 URL: http://www.galizadebate.blogspot.com

Quando será que nos poderemos caminhar assim polo nosso país?

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Encontro com Jaguar, fundador do Pasquim BASENAME: title_250 DATE: Fri, 07 Sep 2007 18:54:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: GUEST ARTIST CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Teresa Díaz, Jaguar e Suso Sanmartin na sede da Editora Desiderata, em Copacabana (Foto: Fernanda Zanuzzi).

A primeira vez que ouvim falar do Jaguar foi no passado 11 de Abril, na Wikipédia.

Apenas quatro meses e onze dias depois, na quarta-feira 22 de Agosto, há hoje exactamente duas semanas, tivem o privilégio de bater papo com ele em Copacabana.

Com efeito, por incrível que pareça até a quarta-feira, 11 de Abril de 2007, nada tinha ouvido falar do Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe, Jaguar (cartunista brasileiro nascido em 29 de fevereiro de 1932 no Rio de Janeiro). Soubem dele quando, a documentar-me para escrever um artigo sobre a romana estátua de Pasquino (artigo que sob o título de O Pasquim apareceria publicado neste mesmo blogue naquele mesmo dia) descobrim na Wikipédia lusófona a refulgente preexistência d'O Pasquim:

?O Pasquim foi o primeiro e mais influente jornal de oposição à ditadura militar no Brasil. O projeto nasceu no final de 1968 após uma reunião entre o cartunista Jaguar e os jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral (...) O nome foi sugestão de Jaguar, inspirado na história de um monsenhor italiano chamado Pasquino, que segundo a lenda escrevia fofocas e notícias para serem lidas em praça pública.?

Embora por motivo bem diferente ao que figura na Wikipédia (de onde tiraria o wikipedista essa distorcida história?) em diversas ocasiões o Jaguar tem admitido ser o responsável de que O Pasquim acabasse por chamar-se assim:

"Eu, sem querer, fui responsável pelo nome do Pasquim. Quando a gente estava quase desistindo de fazer o jornal porque não tinha nome, eu falei 'por que a gente não faz o seguinte: quando falarem de pasquim, porque inevitavelmente vão dizer que o nosso jornal é um pasquim, a gente corta a onda deles, corta a piada'. Eles já estavam de saco cheio e toparam."

(Jaguar em entrevista ao UM - Universo Masculino disponível aqui)

"Eu sugeri o nome 'Pasquim'. Porquê? Porque eu disse que todo o mundo ia chamar esse jornal que nós íamos fazer de pasquim, he, he, então a gente já cortava a onda dos caras, né?"

(Depoimento do Jaguar em O Pasquim ? A Subversão do Humor, documentário lançado em Junho de 2004 pola governamental TV Câmara).

Regresso ao Rio

Como já contei aqui, neste verao regressei ao Rio de Janeiro. Regressei, sim, porque embora fosse fazendo escala na viagem de ida e vinda de Curitiba (onde em 1995 fiquei quase dous meses graças a uma bolsa Intercâmpus) e por breve espaço de tempo (7-8 de Agosto e 27-28 de Setembro) no Rio já estivera havia doze anos.

A atual presença no Rio da minha irmã Paula (que foi lá em Outubro do ano passado graças a uma outra bolsa -da Deputaçom da Corunha no seu caso- e gostou tanto que resolveu ficar) era a escusa perfeita que eu precisava para regressar à Cidade Maravilhosa, desta volta com mais vagar.

Nesta ocasiom estivemos no Rio de Janeiro por volta de duas semanas e meia, de 27 de Julho a 7 de Agosto e de 18 a 24 de Agosto de 2007 (entre o 7 e o 18 de Agosto visitamos a Ilha Grande, Parati e São Paulo), ao início e ao final das nossas férias no Brasil (o plural nom é majestático, é que fum com a Teresa).

O Pasquim, Suplemento de Humor do NGZ

Em 25 de Julho, apenas dous dias antes da nossa partida, saira a lume o primeiro número dum novo suplemento de humor do Novas da Galiza que, a sugestom minha, foi baptizado como O Pasquim. Sugerim o nome em homenagem ao (embora já desaparecido) recentemente por mim descoberto Pasquim brasileiro, um Pasquim chamado assim (por sua parte e como acima vimos) a sugestom do próprio Jaguar.

Confiando na virtualidade do nosso encontro com o Jaguar (pensamento positivo, sempre!) levamos ao Rio na mala um ou outro exemplar do recém-saído primeiro número do recém-nascido Pasquim galego (O Pasquim Nº 1 / Novas da Galiza Nº 56) decididos a entregar-lho em mao ao egrégio fundador do Pasquim original.

Jaguar. Bibliografia

No verbete Jaguar (cartunista) da Wikipédia portuguesa conhecim os títulos de cinco Obras publicadas polo autor: Átila, você é bárbaro, Nadie es perfecto, Confesso que bebi e Ipanema, se não me falha a memória.

Na manhã da terça-feira 31 de Julho encontrei e comprei na Academia do Saber (sebo sito no número 43 da cêntrica Rua Luis de Camões, esquina com a Avenida Passos) Átila, você é bárbaro (Civilização Brasileira, 1968) e Confesso que bebi (Editora Record, 2001).

À tarde, na livraria Siciliano do Shopping Avenida Central (Av. Rio Branco, 156 Loja 26 Centro), comprei O Pasquim ? Antologia Volume I 1969-1971 (Editora Desiterata, 2006) e O Pasquim ? Antologia Volume II 1972-1973 (Editora Desiterata, 2007), antologias pasquineiras organizadas e apresentadas por Jaguar e Sérgio Augusto.

O livro do Jaguar que me faltava para completar a coleção, Ipanema, se não me falha a memória, comprei-no na Livraria da Travessa (Av. Afranio de Melo Franco, 290 LJ: 205 A-Leblon) (Shopping Leblon) na segunda-feira, 6 de Agosto.

A coluna do Jaguar no jornal O DIA

Também segundo o verbete Jaguar (cartunista) da Wikipédia lusófona o chargista carioca ?atualmente escreve uma coluna semanal no jornal O Dia?. Visto que a Enciclopédia Livre nom esclarecia que dia da semana era o que Jaguar publicava a sua coluna (e visto que nengumha das pessoas às que lho perguntei soubo dizer-mo) nos dias seguintes à nossa chegada ao Rio (sábado 28, domingo 29...) compramos O DIA todas as manhãs.

Ainda nom conseguíramos ler a coluna do Jaguar quando, na noite da terça-feira 31 de Julho, fomos à sede do jornal O Dia (Rua Riachuelo [sic], 359) tentando contatar com ele. Segundo o contínuo que nos atendeu o Jaguar nom costumava a passar por alí, enviava as suas colaborações por correio eletrônico. Nom podia dar-nos qualquer endereço eletrônico ou telefone de contato mas informou-nos de que a coluna do Jaguar saía às quartas-feiras, é dizer, no dia a seguir. Talvez alí aparecesse o e-mail que procurávamos...

No dia seguinte (QUA, 01-AGO-07), antes de embarcar para Niterói, compramos O DIA na banca de jornal da Estação das Barcas e, com efeito, lá estavam a coluna (e a charge!) do Jaguar! :) Na terceira página d?O DIA D, caderno de Cultura, Diversão e Estilo de Vida, concretamente ...Mas, de e-mail, nada! :(

De como, quando tudo parecia perdido, conseguimos o telefone do Jaguar

Se através do jornal onde publicava nom era possível... como caralho íamos encontrar nós o jaguar no meio daquela selva urbana!?

Afinal encontramo-lo graças a um anúncio. O anúncio que o Paulo Rafael e a Elliz (Cia Tropa de Palhaços de 5ª) colaram no Tumbao do Malevo (Rua Paschoal Carlos Magno, 121) e na banca de jornal do Largo do Guimarães (Santa Teresa) para alugarem o fantástico apartamento no que a Teresa e mais eu estivemos (como em casa) durante toda a nossa estada no Rio de Janeiro.

Porque os nossos simpáticos anfitriões (Paulo Rafael e Elliz) resultaram ser amigos duma amiga (Ângela Pêcego, a quem tivemos o prazer de conhecer na segunda-feira 6 de Agosto no conhecido Bar do Gomes, galego coma ti) dum amigo do Jaguar (o Claudius, colaborador do Pasquim dos primeiros).

No domingo 19 de Agosto (ao nosso regresso ao Rio após o passeio pola Ilha Grande, Parati e São Paulo), desde a loja da Oi (internet de graça!) do Rio Sul (O Shopping Carioca) enviei um e-mail para o Claudius tal e qual a Ângela (no nosso encontro do Gomes na véspera da nossa partida para a Ilha Grande) me indicara.

No dia a seguir (SEG, 20-AGO-O7), ao voltarmos à casa depois de passar a manhã no Pão de Açúcar e a tarde na Praia Vermelha, encontramos na mesa da cozinha o bilhete que a Elliz escrevera sobre a mesma folha em que imprimira os e-mails que a petição minha (andava meio desligado) a Ângela e o Claudius enviaram para ela.

Nom me resisto a reproduzir um trecho da rápida resposta que (com cópia para a Ângela Pêcego que esta encaminhou para a Elliz) me enviou o Claudius. Lamento nom ter podido, por falta de tempo, combinar também com ele e confio em que nom interpretará como violaçom da correspondência este arejamento em vida do nosso epistolário:

From:
Date: 19/08/2007 21:21
Subject: Re: Suso Sanmartin, chargista galego, da Galícia, tentando entrar em contato com o Jaguar e a turma do Pasquim (URGENTE)
To: susosanmartin
Cc:

Caro Suso,

Entrei no site que você indicou, mas o teu Pasquim ainda não está lá. De qualquer modo, deu para ver uma amostra da qualidade do teu trabalho

Falei com o Jaguar, que me autorizou a te passar os números de telefone dele:

Em casa, ---- ----
Celular ---- ----

Ele é uma pessoa muito disponível e simpática, que vai te chamar de ?Ô, Galego!? quando te encontrar. Ele sugere que você lhe telefone amanhã pela manhã. Não faço idéia do que isso quer dizer, quando traduzido em horas, mas, se eu fosse você, não o chamaria antes das 11.

(...)

Um abraço

Claudius

O esperado encontro com o Jaguar

Seguindo a dica do Claudius à manhã seguinte (TER, 21-AGO-07), por volta das onze horas, descim ao Largo do Guimarães para, do orelhão que lá tem, ligar para o Jaguar. Foi um bate-papo muito legal (apesar dos bondes, ônibus, taxis e moto-táxis que nom paravam de fazer barulho). O Jaguar é, com efeito, uma pessoa muito simpática. Mas visto que a sua agenda para esse dia estava bastante apertada acordamos encontrar-nos no dia seguinte. O Jaguar propujo combinar às onze mas pediu-me que o ligasse antes, às nove e meia para lho lembrar.

No dia seguinte (QUA, 22-AGO-07), às nove e meia, descim ao Largo do Guimarães, comprei O DIA na banca de jornal e, antes de ligar para o Jaguar, lim a sua coluna, intitulada Lucro Líquido, cujo conteúdo no dia anterior me adiantara polo telefone e que começava assim:

?Réu confesso (Confesso que Bebi) minha punição foi uma isquemia depois de 60 anos de transgressão. O lado bom: não morri nem fiquei torto. O mau: os médicos me proibiram de beber temporariamente. Pelo menos, como prêmio de consolação, estou juntando uma bela poupança.?

Combinamos às 11h00 na sede da Editora Desiderata, em Copacabana. Do Largo do Guimarães (Santa Teresa) a Teresa e mais eu descemos de ônibus à Carioca. De Metrô fomos de Carioca a Cantagalo. Daí, seguindo as precisas indicações do Jaguar, nom foi difícil encontrar, ao pé do supermercado Zona Sul, a Editora Desiderata (Av. Nossa Senhora de Copacabana, Nº 928, 4º andar, Sala 402).

Chegamos por volta das 11h10 (apenas dez minutos atrassados). O Jaguar ainda nom chegara mas ligara dizendo que tava a chegar... e chegou daí a nada. Antes de mais perguntei-lhe de quanto tempo dispunha e respondeu-me que do tempo que Célia, a sua mulher, demorasse em ligar para ele. Gargalhadas. Afinal a Célia demorou aproximadamente 1 hora e 20 minutos em ligar para o Jaguar (saímos da Editora por volta das 12h30).

Rascunho de A(c)ta da Reunião

Alguma das muitas cousas que aconteceram durante esses aproximadamente oitenta minutos de excitada conversa foram as seguintes:

Na sua companhia pudemos comprovar (na tela ou écrã dum computador) como ficaram os paineis da exposição individual do Jaguar que, com a sua presença, se inaugurou ontem (terça-feira, 4 de Setembro de 2007) em Luanda (Angola).

O Jaguar oferceu-me um livro do Millôr, Ministério de Perguntas Cretinas, dedicado por ele, o autor das ilustrações.

Eu oferecim ao Jaguar os dous últimos exemplares do número 56 do Novas da Galiza (+ O Pasquim Nº 1) que me restavam pedindo-lhe que desse um deles ao Claudius. O Jaguar fijo-me algumas perguntas sobre as charges e prometeu ler o meu texto (Porque O Pasquim?) com calma.

Ao final da nossa animada conversa (durante a que o Jaguar se definiu como ?preguiçoso?) figem-no trabalhar duro ao fazer que me dedicasse todos os livros da sua autoria (ou co-autoria) que, com esse único objectivo, carreguei numa mochila de Santa Teresa a Copacabana: Átila, você é bárbaro, Confesso que bebi, Ipanema, se não me falha a memória, Antologia Brasileira de Humor 1 (Jaguar, págs. 237-242), A Lei de Murphy (traduzido e transubstanciado por Millôr Fernandes e ilustrado por Jaguar) e O Pasquim ? Antologia (volumes I e II).

Na hora da despedida manifestei-lhe ao Jaguar a minha pena por nom dispor do tempo necessário para fazer-lhe uma entrevista para O Pasquim (Novas da Galiza). Ele deu-me o e-mail da Célia (que é quem se ocupa das questões tecnológicas das que o Jaguar se confessa ignorante) para que lhe envie as perguntas, cousa que tenho pensado fazer daqui a nom muito tempo.

A Teresa tirou-nos umas fotos juntos ao Jaguar e a mim e a Fernanda Zanuzzi (gaúcha residente em Barcelona e blogueira como nós) tirou a foto dos três (Teresa, Jaguar e mais eu) que ilustra este post.

NOTA: Este post devia ter saido ao ar ante-ontem quarta-feira, 5 de Setembro. Uma série de desafortunados acontecimentos fijo com que nom pudesse sair até hoje, 7 de Setembro, Dia da Independência do Brasil.

----- COMMENT: AUTHOR: JOSÉ ANTONIO DO NASCIMENTO [Visitante] DATE: Sat, 12 Sep 2015 19:09:50 +0000 URL:

Acompanho o grande cronista, jornalista, chargista, e por que não, humorista JAGUAR desde o jornal O Pasquim. Suas crônicas são talentosas, não me canso de lê-las! Ainda bem, que ele só aniversaria de 4 em 4 anos! Assim, ele vai continuando jovem e cada vez mais nos abrilhantando com as suas palavras.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 23 Sep 2008 11:22:32 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Querida Sandra Machado,
Yves Lafrance, mon cheri,
Este blog não é do Jaguar mas meu, do Suso Sanmartin, um humilde chargista galego (da Galiza) que, se vocês reparam bem no que o artigo diz, também teve o enorme prazer de encontrar o Jaguar no Rio, na quarta-feira 22 de Agosto de 2007, no nosso caso. No entanto, obrigadão pelo seu insuspeitado comentário! Adorei ter notícias de vocês! Beijocas :-)

----- COMMENT: AUTHOR: sandra machado e yves lafrance [Visitante] DATE: Mon, 22 Sep 2008 00:33:31 +0000 URL:

querido Jaguar
foi muito gratificante jantar com você … na noite de sexta-feira 19 de set 2008 no Bistrõ 66 no rio de janeiro…´foi um presente alias o rio de janeiro é um presente…pois na noite anterior conforme havia falado a vc e a (Leda Nagle)Risos…porque parece muito com ela..fiquei impressionada… ter encontrado o Ziraldo seu colega Na casa de Shows Plataforma…show fechado para turistas… que pena , tivemos de voltar à são luis no maranhão tão rapidamente…podería-mos jantar mais vezes…hoje estou aki em slz…meu conpanheiro canadense frances…..de quebec-ca….diz saluit..merci boncoup for you…..and me beijossssssss

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 14 Sep 2007 08:07:32 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Uz: Pois é, todo um luxo e um orgulho! O Jaguar é um autêntico mestre! Pois nisso estamos (n’O Pasquim Nº 3), como bem sabes! ;-)

o’lombar: Por várias razões nom estava muito certo de se publicá-la ou nom, mas comentários como o teu fam-me pensar que figem bem em fazê-lo. Muitíssimo obrigado, caro amigo! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Thu, 13 Sep 2007 17:58:37 +0000 URL:

Preciosa peripécia, lindíssima crónica (e magníficas ligações). Adorei e aprendi.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 13 Sep 2007 16:34:03 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Que orgulho! Que luxo! Oi, uma autêntica (e bem sucedida) tarefa de investigação a vossa :-D

E agora, venha, a dar-lhe duro ao terceiro ‘O Pasquim’ :-D!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 12 Sep 2007 21:24:35 +0000 URL:

Os comentários dum cidadao tam educado coma ti som sempre bem recebidos, caro! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Tue, 11 Sep 2007 18:11:41 +0000 URL:

É. Nom ousaria fazer comentários sobre a camisola de Teresa O:). Ou se calhar acabo de faze-lo.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 11 Sep 2007 17:08:26 +0000 URL:

Porque tavas te referindo à minha camisola, nom à da Teresa, né? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 11 Sep 2007 16:43:57 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Esquecim-me de contar-cho o outro dia (sexta-feira, 7 de Setembro) quando, na inauguraçom da expo Questom Geracional, nos encontramos no CGAC! Pensei em dizer-cho mas perdim a meada e nom cho digem! Acabava justo de postar este post!

Para quem ainda nom o saiba a camisola que luzo na fotografia é uma criaçom que el niño de la guía fijo para os Aduaneiros Sem Fronteiras. A ideia de levá-la posta ao encontro com o Jaguar deu-ma o Claudius no seu e-mail: “Ô, Galego!”

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Tue, 11 Sep 2007 13:59:00 +0000 URL:

Nunca uma camissola tam bonita estivo tam perto dum jaguar

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 10 Sep 2007 18:14:01 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Caro Paulo Rafael,

Gostei de ler que você gostou da minha crônica embora duvide alguém (eu próprio incluído) possa gostar da mesma: enleio-me que nem persiana! ;-p

Agradecidos nós, a gente, e felizes de haver tido o privilégio de estreiar esse seu encantador Cama & Café aí em Santa Teresa. Na minha crônica eu não botei a morada porque pensei que talvez vocês não gostassem mas no seu comentário botou-a você e aí fica por se houver alguma pessoa interessada. A gente recomenda! :-)

Saudações à Teresa foram dadas! Beijos e abraços de nós os dois para vocês dois extensivos a toda a “Tropa de Palhaços de 5ª” (desculpe a “atrapalhação", agora mesmo corrijo!) e feliz entrada na nova estação (Primavera para vocês, Outono para nós) a todos e todas!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Paulo Rafael [Visitante] DATE: Mon, 10 Sep 2007 02:49:30 +0000 URL:

Caro Suso gostei de ler a sua crônica, uma aventura e tanto. Muito agradecido pela simpatia do casal, saudações a Teresa, foram os primeiros do nosso cama e café ( Rua Triunfo nº 2/201, Largo dos Guimarães, Santa Teresa 021-81978708), e é muito bom proporcionar hospedagem com troca de culturas, se sentir em casa como você falou, demos sorte de hóspedes tão interessados em conhecer o Brasil. Como disse passei pelo Grupo Tá na Rua de Teatro e hoje continuo desenvolvendo a pesquisa dessa linguagem , dirigindo há 9 anos a Cia Tropa de Palhaços de 5ª. Vamos fazer a direção artística da chegada da primavera domingo dia 23/9 com um encontro de Teatro de Rua e artes afins
Grande abraço
Paulo Rafael

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 2 BASENAME: o_pasquim_no_2 DATE: Wed, 29 Aug 2007 19:10:03 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Novas da Galiza CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 57 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº2 d'O Pasquim' (direita).

Caras/os amigas/os,

após um mês por Terra Brasilis (Rio de Janeiro, Ilha Grande, Parati, São Paulo...) já tamos aqui (na Galiza) de volta. Um mês no Brasil dá para muito e algumha cousa havemos contar aqui, em Angueira de Suso. Mas hoje queria era contar-vos umha outra história. Com licença:

Hoje de manhã encontrei na minha caixa do correio o último número do Novas da Galiza (Nº 57, de 15 de Agosto a 15 de Setembro de 2007) que inclui o segundo número d'O Pasquim.

Neste número d'O Pasquim colaboramos o Xico Paradelo (coordenador em funções), o Gerardo Uz (maquetista), o Gonzalo Vilas, Pestinho+1, o Séchu Sende e um servidor.

A minha participaçom neste número limitou-se a um design que enviei em 26 de Julho (ressaca do Dia Nacional de Galiza e véspera da minha partida para o Brasil) e que a equipa de NGZ-O Pasquim tivo a bem publicar tanto na capa do Suplemento de Humor do Novas da Galiza (em grande, a tamanho xurelo) quanto na do Periódico Galego de Informaçom Crítica propriamente dito (a tamanho chincho), numha chamada que literalmente di: "O Pasquim despede os 'fodechinchos' do Verao climaticamente mais entretido" :-)))

Para a realizaçom do meu design empreguei este peZqueñín (500 x 267 px) que pesquei no Google e mais a Ellis True Type. A escolha desta fonte nom foi por acaso: enquanto procurava a Rubber Stamp ouvia Elis Regina ;-)

LITTLE ATLANTIC HORSE MACKEREL FUCKERS GO HOME! (acho que dispensa traduçom) ;-)

ACTUALIZADO 08-OUT-07
O Pasquim Nº 2, em formato pdf, disponível aqui.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 11 Sep 2007 09:56:23 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Nom o tens claro, eh? Pois tem-no Claro, Calvo! Hahaha! Um abraço, Scolopendra cingulata ;-p

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Mon, 10 Sep 2007 22:36:20 +0000 URL:

Hum, nom o tenho tam claro…
No estudo ‘Applying biomass dynamic models to the southern horse mackerel …’ in www.icm.csic.es/scimar/pdf/67/sm67s1291.pdf, diz: The horse mackerel (Trachurus trachurus) fishery of the Northeast Atlantic, is currently subject to assessment. and management in the ICES area.
Também em www.nasdap.ejgv.euskadi.net/…/informacion/conxemar_06/es_dapa/adjuntos/Catalogo%20Conxemar_06.pdf
se afirma que ‘Species from the Cantabrian Sea: Atlantic mackerel, horse. and Spanish mackerel, sardine and tuna.’
Mas, também taxativamente, se postula Jurel común, Suro. Sorell, Sorell verd, Carapau. Txitxarro arrunta. Xurelo, Chincho. Atlantic horse mackerel. E mesmo Chinchard Européen e em italiano Sugarella, desde: www.portalgastronomico.com/El_Rebost/Pescados_y_Mariscos/Jurel_comun_Trachurus%20trachurus.htm

Algum anglofilológico do ILG(B) [Instituto da Língua de la Gran Pbretanha]pode achegar mEscolopendraehr Licht para o antro pilórico onde dormem, literalmente, o sonho dos justos chinco e xurela, xurela e chincho?

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 09 Sep 2007 19:12:06 +0000 URL:

Caros amigos (O’Lombar, Escolopendra e Uz): antes de mais imensas desculpas aos três pola demora em responder os vossos amáveis comentários e muitíssimo obrigado por eles, que sempre é umha grande alegria recebé-los! :-)

O’Lombar: Muitíssimo obrigado polas boas-vindas, caro! Perguntas-me se cansei? Não! (como os amigos e as amigas do MST-Bahia gostam de responder) Na luta do povo ninguém se cansa! (esse João Dória Jr. que se dedique a promover desfiles de cãezinhos de madame, que é o seu, e que deixe a Agitprop).

Escolopendra: A cousa é-che complexa de mais como para tentar explicá-la aqui num breve comentário. Como exemplo direi-che que no verao de 2003, na Praça do Peixe de Tavira (Algarve, Extremo Sul), vim umha caixa do que nós, em Bueu (Galiza Sul) chamamos de “rincha” ou “cavala” (ou “torno", se é pequena) rotulada como “sarda". E que neste mesmo verao, no “Restaurante e Lanchonete Aconchego’s” da Vila do Abraão (Ilha Grande/RJ/Brasil) comim um peixe chamado de “cherelete” (quando grande) ou “carapau” (quando pequeno) que, podes-mo crer, pouco ou nada tinha a ver com o nosso “xurelo” (Trachurus trachurus) que, se a Wikipédia nom mente, é “Atlantic horse mackerel” em inglês. Segundo isto os “chinchos", xurelos pequenos, seriam “Little Atlantic horse mackerel” e “Little Atlantic horse mackerel fuckers” os “fode-chinchos". Aqui o único híbrido que há és tu, Escolopendra! (Vas prendra una SKOL, oi?) ;-P

Uz: O prazer é meu de poder contar com espantosas (assombrosas, admiráveis, surpreendentes, estupendas, extraordinárias) pessoas como o Gonzalo, o Séchu, o Xico… e contigo, meu modesto grande amigo! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 04 Sep 2007 11:54:37 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Caro Suso, sempre um prazer trabalhar com você. Outro tanto para o Xico (impagável labor de coordenação num duro mês de Agosto), e excelentes colaborações as de Pestinho +1, Séchu Sende e o génio Gonzalo Vilas.

Com uma equipa assim, se algo sair mal a culpa só pode ser de quem ordenar os quadrinhos e os textos.

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Sun, 02 Sep 2007 10:13:21 +0000 URL:

E por lá, “cansaste"? (www.cansei.com.br :))

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Fri, 31 Aug 2007 21:50:05 +0000 URL:

Apenas umha dúvida: Atlantic mackerel=Scomber scombrus=Sarda ou Xarda, no Sul Rincha, mais ao Sul Cavala. Horse mackerel=Trachurus trachurus=Jurelo/a, no Sul Chincho, mais ao Sul Carapau.
Estamos a falar de um novo híbrido?, (fruto do acaso, engenharia genética ou económica); em qualquer caso, quais duas espécies hibridam? (Fode-chincho - Sarda? Fode-chincho - chincho? Fode-sarda - fode-chincho? Chincho - sarda? etc.

----- COMMENT: AUTHOR: o 'lombar [Visitante] DATE: Wed, 29 Aug 2007 23:16:02 +0000 URL:

Wellcome home, caro :-)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "O Pasquim" Nº 1 BASENAME: o_pasquim_no_1 DATE: Thu, 26 Jul 2007 16:04:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Novas da Galiza CATEGORY: O Pasquim TAGS: ----- BODY:

Capas do Nº 56 do 'Novas da Galiza' (esquerda) e do Nº1 d'O Pasquim' (direita).

Ontem, 25 de Julho, Dia Nacional de Galiza, saiu a lume o primeiro número d'O Pasquim, novo suplemento de humor do mensal Novas da Galiza que, com a inestimável ajuda do meu velho amigo Xico Paradelo, me honro em coordenar.

Para além do Xico e de mim, neste primeiro número d'O Pasquim colaboram o Gerardo Uz (maquetaçom), o Bruno Ruival (imagem corporativa, etc), o Franjo Padín e mais o Gonzalo Vilas. Muitíssimo obrigado a todos eles pola sua colaboraçom desinteressada com este entusiasmante projecto.

Muitíssimo obrigado também a toda a equipa humana do Novas da Galiza e mais à Conselharia de Cultura e Desporto da Junta de Galiza polo seu imprescindível suporte económico.

Por último, um obrigado muito grande aos meios de comunicaçom que noticiaram o nascimento d'O Pasquim: Portal Galego da Língua, Chuza e Vieiros.

ACTUALIZADO 11-SET-07
O Pasquim Nº 1, em formato pdf, disponível aqui.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sun, 19 Aug 2007 23:33:41 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Hahaha! Saudações “mui muitas” para ti também, caro O’Lombar, desde a loja da Oi (internet de graça!) no Rio Sul, O Shopping Carioca! :-)

Obrigado eu, amigo (e vizinho) Ruben! Celebro que o meu Lapaman fosse do teu agrado! Saudações para ti também desde a Cidade Maravilhosa! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: ruben [Visitante] DATE: Fri, 17 Aug 2007 21:16:27 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/lapaman

vaia, suso, non foi ata hoxe que lin o teu marmurio no post inicial do meu blog… moitas gracias polas túas palabras e por engadirme nas túas ligazóns. eu xa fixen o mesmo. o curioso é que navegando pola rede xa caera no comic que comentabas do superheroe o home lapa, e boa graza que me fixera, jeje. un saúdo!

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Thu, 16 Aug 2007 17:02:58 +0000 URL:

Estive a procurar-vos com o http://maps.live.com/ pela microrregião da Baía da Ilha Grande, mesorregião Sul Fluminense, cidade que já foi sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil durante o período colonial.
Desde esta cidade com alegada toponímia aurífera, capital de comarca, “província", e partido judicial de seu, com período colonial ainda de corpo presente, saudações mui muitas.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 13 Aug 2007 20:32:04 +0000 URL:

No nome de todos os que fazemos O Pasquim, muitíssimo obrigado, Oscar de Lis! Desde Parati (RJ/BR) um abraço para ti e para todo o mundo! ;-p

----- COMMENT: AUTHOR: oscar de lis [Visitante] DATE: Thu, 02 Aug 2007 23:26:12 +0000 URL: http://galizadebate.blogspot.com/

Apenas é possível saudar com paixom esta nova. O humor dos povos é também umha forma de cultura, e a cultura é quem nos mantém em pé. Parabéns.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sun, 29 Jul 2007 21:24:27 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Para sermos exactos o que o alcaide de “Bienvenido, Mr Marshall” dizia era: “…y esa explicaci’on que os debo, os la voy a pagar". Pois isso, QUE MAS VAS PAGAR!!! Apesar de tudo incluimos-te na listagem de colaboradores do primeiro numero d’O Pasquim por seres o autor da foto da estatua do Pasquino, em Roma. Se nom o recebeches ainda, logo receberas um e-mail do Xico Paradelo (coordenador em funçoes) a solicitar a tua colaboraçom para o segundo numero d’O Pasquim. Por favor, nom voltes a falhar! Ja me contaras como correu tudo pola Tunisia. Aqui, no Rio de Janeiro, esta um frio que pela! Esperemos que a cousa melhore um bocadinho durante a semana porque senom… Desde a casa da minha irma Paula, no carioca bairro de Santa Teresa, um forte abraço para ti e para todo o mundo!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Fri, 27 Jul 2007 23:37:20 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Susinho, ja estou de volta. Déboche uma explicaçâo, e (como alcalde voso que son, que diría PP Isbert), voucha dar. Presas previas á viagem, e um chisqueiro de memoria extraibel estraviado fixeron o desastre. Parabens polo projecto cumplido, conta con este teu servidor, que agora hai tempo.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: DUCADO(de)S(uárez) BASENAME: ducado_de_s_uarez DATE: Mon, 23 Jul 2007 13:12:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos TAGS: ----- BODY:

Quando procedente de Igom (S. Martim da Ribeira-Cervantes-Ancares) ante-ontem à noite cheguei à minha casa (em Compostela), topei na caixa do correio o último número da revista Tempos Novos.

Na sua página 7 o número 122 da Revista Mensal de Informaçom para o Debate traz a fotomontagem que, no passado 27 de Junho, figera para ilustrar os Dias Soltos do escritor ourensano fixado em Compostela Bieito Iglesias.

Em concreto, a minha ilustraçom alude a umha das últimas frases do seguinte e estarrecedor dia solto bieito-eclesiástico:

Xuño 14
VISCERAL
Existe ao parecer un ?cerebro intestinal?, conectado ao seu irmao da azotea, rico en neurotransmisores e capaz de tomar decisiós tales como iniciar os movementos da defecación cando non toca, por exemplo baixo a influencia dunha situación de estrese (medo ou abalo nervioso). Non cumpría o ditame dos científicos pra constatar que hai unha psicoloxía visceral. Eu coñecín un señor (viña á casa de xornaleiro a mantido en certas endeitas) que narraba as súas fazañas de executor no 36 sen o melindre dun Raxoi, partidario de abolir a Lei da Memoria Histórica. Explicaba aquel home nacho ?de nefres esmagados- que as vítimas, á vista do cano das armas do somatén falanxista, ?se desfacían a peidos?. O tipo, que consideraba os republicanos claudiados como outros tantos trofeus (e iso que, ao rematar o morticinio, lle pagaron mal e tivo que volver á cava das cepas), admiraríase diante do empeño da direita actual en ocultar os paseos. A direita está resolvida a exaltar a transición (unha versión palaciana da mesma, con intrigas da Zarzuela e paquetes de tabaco fumados por Suárez e Carrillo, sen loita operaria nin algueiradas estudiantís) e a edulcorar a historia con cantigas de Fórmula V. Coidadiño con pronunciar o nome dos asasinos.

Bieito Iglesias, Dias Soltos. Tempos Novos Nº 122 (Julho de 2007), pág. 6.

Dando por suposto que essa seria a marca de tabaco que o histórico lider comunista e o ex-presidente do governo espanhol fumariam a meias durante a tam badalada Transición, para a realizaçom da nossa ilustraçom empregamos um maço de tabaco da espanholíssima marca Ducados.

Sem tocar umha só letra do logótipo original acrescentamos umhas quantas letras mais ("de" e "uárez") para transformarmos o nome da antedita marca de tabaco no pomposo título nobiliário concedido em 1981 polo actual chefe do Estado Espanhol ao presidente do seu segundo governo: o Ducado de Suárez.

No seu momento, o título nobiliário outorgado por Juan Carlos I de Bourbon a Adolfo Suárez González dera pé a um popular trocadilho segundo a qual o significado das siglas do C.D.S. (partido fundado por Suárez em 29 de Junho de 1982) nom seria o de Centro Democrático y Social, que era o que significavam realmente, senom o de Conde-Duque Suárez.

A marca de tabaco Ducados toma o seu nome dumha antiga moeda de ouro cunhada em vários paises europeus e em diferentes épocas e introduzida na península ibérica polos Reis Católicos.

Na minha fotomontagem os perfís de Isabel I de Castela e Fernando II de Aragom, que aparecem no ducado do maço de Ducados original, foram substituídos polos perfís de Santiago Carrillo e Adolfo Suárez retirados desta foto.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 24 Jul 2007 12:50:07 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Obrigado polo teu apontamento, Escolopendra! Com efeito, as Wikipédias dim que Altadis é umha multinacional hispano-francesa (nascida em 1999 fruto da fussom entre a espanhola Tabacalera e a francesa SEITA) e que no mês corrente (Julho de 2007) foi comprada pola multinacional britânica Imperial Tobacco. Entom em vez de falar de umha marca espanhola haveria que falar de umha marca EXpanhola, he, he.

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Mon, 23 Jul 2007 22:02:35 +0000 URL:

Apenas um apontamento: a ‘espanholíssima marca Ducados’, já hai uns anos que se passou a ser ‘francessícima marca Altadis’, e agora nem isso…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: No 107º Aniversário de Manoel-António BASENAME: no_107o_aniversario_de_manoel_antonio DATE: Thu, 12 Jul 2007 17:12:40 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

"A Portrait of Manoel-Antonio as a Young Man" (Ready made)

Hoje, 12 de Julho de 2007, Manoel-António Péres Sánches, o poeta do Navy Bar, fai 107 anos.

Dizemos ?fai? e nom ?faria? e dizemos bem porque, a nom ser que se demostre o contrário, Manoel-António (M-A) nom morreu, nem em Assados (Rianxo) em 1930 (como se reza na sua falsificada certidom de óbito) vítima da tuberculose, nem dez anos depois na França, em 1940 (como afirma Xesús González Gómez, sob o pseudónimo de Ramón Posada, em Ucronia) vítima dos nazistas. M-A está vivo, como Elvis Presley.

Assim o afirmava a Coordenadora Cidadã Cachimbo Pola Paz em 28 de Janeiro de 2000 no septuagésimo aniversário da suposta morte do poeta (Vid. pasquim, cartaz e vídeos), e assim o afirmamos nós hoje, no centésimo sétimo aniversário do seu nascimento.

Manoel-António vivo? Difícil mas nom impossível!

Embora é muito provável que M-A tenha falecido durante o seu prolongadíssimo cativeiro a maos do finado García-Sabell, que o poeta permaneça com vida ainda é possível.

Os 107 anos que hoje fai Manoel-António som superados em dous (109) polas actuais avós de Galiza (a viguesa Nieves Ledesma e a rianxeira -igual que o nosso homem- Pilar Fernández) e até há bem pouco (SEG, 25-JUN-07) ainda vivia umha compatriota três anos mais velha do que ele: Aurora Lombán, A Rata, nascida em 30 de Abril de 1897.

Visto que continuamos sem sabell nada sobre o paradoiro de Manoel-António, e a falta de qualquer certidom de vida ou de óbito fiável, nós mantemos a esperança de que um dia nom longínquo ele reapareça com vida.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel-António)? BASENAME: de_catro_a_catro_doze_horas_na_casa_de_m DATE: Mon, 02 Jul 2007 15:46:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

Acima: Cartaz de ?De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel-António)? original do ?Grupo Revisión? e assombrosamente parecido com estoutro cartaz realizado seis meses antes por nós (verso e reverso). Centro e inferior-esquerda: Três instantâneas do acto de abertura de ?De Catro a Catro(doze horas na casa de Manoel-António)? (Foto Pepe, Rianxo). Inferior-direita: O finado do Borobó e um servidor conversam animadamente nos jardins da Cafetaria Atalaia durante a sardinhada manoel-antoniana (foto ?roubada? por Xosé Vilas).

Sob o título de De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel-António), tais dias como hoje e ontem, há sete anos, celebrava-se em Asados (Rianxo) umha maratoniana jornada (de 4 PM do sábado, dia 1, a 4 AM do domingo, 2 de Julho de 2000) de homenagem ao poeta do mar.

A 10-11 dias para a celebraçom do Centenário de Manoel-António (nascido no número 2 da rianxeira Rua de Abaixo em 12 de Julho de 1900.), a maratona de leitura De Catro a Catro celebrava-se na casa onde ?presuntamente? Manoel-António morrera, em 28 de Janeiro de 1930, com apenas trinta anos de idade.

A ideia de celebrar umha maratona de leitura de doze horas de duraçom intitulada De Catro a Catro, modéstia aparte, fora nossa. Da Coordenadora Cidadá Cachimbo pola Paz.

Na sua coluna da terça-feira, 27 de Junho de 2000, Manuel Dourado Deira atribuia em El Correo Gallego a ideia de De Catro a Catro a Cachimbo pola Paz e advertia: ?Xa criticarei?:

De Catro a Catro: Doce horas con Manuel Antonio. Por Manuel Dourado Deira

(...) A iniciativa partiu orixinalmente dun grupo de mozos que se congregan baixo o nome de 'Cachimbo pola Paz'. Son aqueles mesmos que, nos últimos días do Congresso sobre Castelao, en xaneiro, deron o estoupido do "sonado secuestro dos arquivos do poeta" (...).

Meu dito, meu feito. Daí a umha semana, na terça-feira 4 de Julho de 2000, podíamos ler a ?crítica? de Dourado Deira nas páginas de El Correo Gallego:

?Un ronsel de estrelas? para Manuel Antonio. Por Marcial [sic] Dourado Deira

Debo referirme hoxe, como lles prometín, a ?Un ronsel de estrelas? que escintilou con brillo singular na xornada ?De Catro a Catro: Doce horas con Manuel Antonio? o pasado sábado na casa de Asados (Rianxo) de Manuel Antonio (...).

Durante as 12 horas da ?Garda de Catro a Catro? grande número de persoas da máis varia condición cultural marcamos na casa do poeta un ?ronsel de estrelas? que foron iluminando, cada un co brillo propio da sua amorosa experiencia, a súa vida e obra. Foi emocionante escoitar a nenos de tódalas idades como recitaban con sentido e mesmo escenificaban con ademáns plenos de gracia e significado poemas de Manuel Antonio, acompañándose con música de fondo interpretada por eles mesmos.

Os maiores, de case toda Galicia, fixemos ?ronsel? con lecturas e recitacións propias ou do poeta. Era coma un ritornelo da biografía das xeracións dos máis de 35-40 anos a dolorosa peripecia de como cadaquén foi descubrindo a poesía de Manuel Antonio oculta durante décadas baixo inicuos silencios impostos na vida, na Historia e no sistema educativo. Esta xornada serviu para resucitar a Manuel Antonio, incardinalo na nosa Historia e no sistema educativo (...).

Meses antes...

Meses antes, em Carta al Director do próprio El Correo Gallego, publicada (em reintegrata!) na terça-feira, 15 de Fevereiro de 2000 (pág. 4) Cachimbo pola Paz já manifestava as suas intenções:

?(...) Que continuaremos a realizar diversas atividades, como umha próxima Marathom de Leitura de doze horas de duraçom (de 4 PM a 4 AM) das Obras Incompletas manoelantonianas (...)?

Aproveitando a celebraçom no Quartel Velho-Casa da Cultura de Rianxo (30 -31 de Março de 2000) dumhas Jornadas de Estudo (organizadas pola Direcçom Geral de Promoçom Cultural da Conselharia de Cultura e Comunicaçom Social da Junta de Galiza) dedicadas a Manoel-António, e aproveitando também a sua proverbial hospitalidade, em 30 de Março de 2000, quinta-feira, celebrara-se na casa que Pilar Fernández e Antón G. Vilariño (na altura Secretário do Centro Cultural Simón Varela) têm no lugar da Mámoa (freguesia de Asados, concelho de Rianxo) umha reuniom preparatória (alindada com bom vinho de mencia e generosos petiscos) da que eu próprio me encarreguei de lavrar acta.

Assim lho contava eu ao Antón Capelán Rey numha carta que dias depois, em 10 de Abril de 2000, lhe remitia desde Rianxo (localidade em que, por motivos de travalho, naquele ano morava):

?Em ?Cachimbo pola Paz? já estamos a trabalhar, em colaboraçom c?o Centro Cultural ?Simón Varela? de Asados, numha Marathoniana Leitura Manoelantoniana de doze horas, que levará por título ?De Catro a Catro? e que terá lughar de 4 PM da Sexta-feira/venres 23 a 4 AM do Sábado 24 do mes de Sam Joam (Junho), durante a noite de Sam Joam (sob o pre-texto da conmemoraçom da saida à lus do Manifesto ?Mais Alá!?) e co?a participaçom de Poetas locais e visitantes?.

Umha semana antes... e mais depois

Por questões de intendência a celebraçom de De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel-António) adiaria-se umha semana.

Na terça-feira, 27 de Junho, quatro dias antes da celebraçom do evento, La Voz de Galicia dedicava as 8 páginas do seu suplemento Culturas (Nº 133) a Manoel-António.

Na terça-feira a seguir, 4 de Julho de 2000, três dias após a apoteósica celebraçom, estando já na casa familiar, em Bueu, redigim um extenso texto que dias depois apareceria publicado nas páginas d?A Nossa Terra (ANT Nº 942, 06-JUL-00, pág. 35) e mais em Vieiros.com (QUA, 12-JUL-00, Centenário de M-A). Nesse texto, intitulado Basta Já! (Notícia dum Seqüestro), falava de De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel-António nos seguintes términos:

?C?o mesmo fim, [exigir a imediata libertaçom de Manoel-António] ?Cachimbo pola Paz? tivo tamem a original ideia de organizar outra série de atos, como umha Marathom de Leitura de doze horas, de catro AM a catro PM (Jornada marathoniana-manoelantoniana), ideia que foi assumida como própria polo Centro cultural ?Simón Varela? de Asados, que correu com todo o peso da organizaçom do evento (contando para isso co?a inestimavel ajunda de Axeitos p.i., auténtico ?motor de explossiom? do invento). ?De Catro a Catro (doze horas na casa de Manoel Antonio)? tivo por fim lugar de 4 PM do Sábado 1 a 4 AM do Domingo 2 de Julho, na casa onde viveu e morreu o poeta, co?a participaçom de poetas locais e visitantes, grandes e pequenos e cumha moimental Sardinhada (sardinhas assadas em Asados) como compango da poesia.?

Homenagem a M-A no 107º aniversário do seu nascimento

Igual que figemos o ano passado, daqui a dez dias em Angueira de Suso comemoraremos o aniversário de Manoel-António. Manoel-António, que o vindouro dia doze fará 107 anos, leva cinquenta anos sequestrado a maos de Garcia-Sabell. Quem Sabell Onde? Queremos Sabell!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 23 Jul 2007 13:33:25 +0000 URL:

Já agora… O outro dia escuitei no rádio umha história que, procurando no Google, acabo de topar também neste sítio. Copio e colo:

En esto de la rivalidad y el plagio, el toma y dame sigue a la hora del día y de las acusaciones y la condena no se salvó siquiera Charlie Chaplin (1889-1977), quien en 1931 tuvo que pagar una gran cantidad de dinero por el ?supuesto plagio? a la partitura de ?La Violetera? del maestro español José Padilla (1889-1960) para la película: ?Luces de Ciudad? Tras escuchar el original ante testigos, del también creador del tango ?El Taita del Arrabal? , y compararlo con el tema de su film, Chaplin fue honesto, admitió su infracción y se excusó diciendo que pensaba que la había inventado el…? silbando mientras se duchaba?.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 23 Jul 2007 13:20:36 +0000 URL:

Acho que isso foi exactamente o que aconteceu. O meu cartaz fora reproduzido na página 35 do Nº 921 (10-FEV-2000) do semanário A Nossa Terra (ilustrando um Anaco de Borobó intitulado O secuestro de Manoel-Antonio) e provavelmente fosse aí onde o bom do Salgado o visse ainda que, na hora de realizar o seu cartaz, nom se lembrasse de tê-lo visto. Muitíssimo obrigado polo comentário, amigo Gonçalo ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Gonçalo [Visitante] DATE: Thu, 19 Jul 2007 20:39:51 +0000 URL:

Hai coincidencias que matan.Ainda que xa teño visto ( e en propria carne) coincidencias case exactas en chistes e ideas, pero non é o mesmo.A coincidencia gráfica é moito máis difícil de darse como tal.
Será aquelo do “recordo inconsciente".O deseñador veu o voso co rabiño do ollo, quedóuselle no subconsciente, e saiulle o que lle saiu.E pasou o que pasou, que diría Mella, ou non sei quén.

----- COMMENT: AUTHOR: madeingaliza [Visitante] DATE: Mon, 09 Jul 2007 12:46:14 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/madeingaliza/index.php

tou, tou, suso, pensando nisso.
tou detrás dumha ideia…
a ver.

saudinha

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 09 Jul 2007 09:02:20 +0000 URL:

Sejas bem-vindo ao maravilhoso mundo do humor gráfico, amigo… Made in Galiza!!! E bem-vindo também à Angueira de Suso!!! Acabo de adicionar o teu blogue (que nom conhecia) aos enlaces do meu (secçom Apocalípticos e Reintegrados). Enviei-che um e-mail na semana passada, confire a caixa de entrada do teu correio electrónico. I want you… ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 09 Jul 2007 08:46:01 +0000 URL:

Dacordo, Ra. Talvez “assombrosamente parecido” nom sejam as palavras mais afortunadas. Evidentemente os dous cartazes som muito diferentes e o do Salgado (Revisión) é infinitamente melhor que o meu. O que eu queria dizer (e, no esforço de dizê-lo por poucas palavras, nom digem) é que a coincidência na imagem do cartaz (caligrama Excelsior sobreposto ao retrato, o mesmo retrato, de Manoel-António) é bastante assombrosa. No decurso da maratoniana homenagem De Catro a Catro tivera oportunidade de falar do assunto com o próprio Salgado e semelha que nom foi mais do que isso, umha feliz coincidência. Coincidência que, aliás, me enche de orgulho e satisfacçom (sou um grande admirador do trabalho do Grupo Revisión).

P.S.: O que foi umha pena foi o nom coincidirmos em Compostela no passado sábado :-( Como correu a celebraçom do Dia do Orgulho Nevero? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: madeingaliza [Visitante] DATE: Fri, 06 Jul 2007 16:08:17 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/madeingaliza/index.php

Ola, suso, e companhia,
Ai que emosionante…
Acabo de me estrear como humorista gráfico
e nom é um chiste,
em fim, nom como podes ver, o do desenho nom é o meu…

saúde!

www.blogoteca.com/madeingaliza

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Thu, 05 Jul 2007 06:29:38 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

asombrosamente parecido??
XDDDDDDDDDDD
sr. o’sanma, verémonos este sábado en santiago?

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Castela-a-a-a-a-ao!!! BASENAME: castela_a_a_a_a_ao DATE: Thu, 28 Jun 2007 15:48:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje, 28 de Junho, Dia do Orgulho LGBT, comemora-se também o quinto aniversário da Concentração Anti-Caspa que, tal dia como hoje de 2002, convocou a extinta Assembleia da Língua em protesto pola encenação, na Galiza e em castelhano, de Los viejos no deben enamorarse de A. R. Castelao.

Para celebrá-lo publicamos em Angueira de Suso um texto que, em forma de rascunho, jazia esquecido desde aquela no disco rígido do meu computador. Junto com o antedito texto e o cartaz da convocatória publicamos um par de fotos inéditas até hoje.

Castela-a-a-a-a-ao!!!

Contra as suas últimas vontades, em 28 de Junho de 1984, os restos de Castelao eram trazidos a Santiago de Compostela desde Buenos Aires. Não era a primeira vez que Castelao era traido. Nem seria a última. Tal dia como aquele, dezoito anos mais tarde, Castelao era traduzido em Santiago de Compostela. Trazido, traduzido, traido... O traidor (taduttore, traditore) nesta ocasião chamava-se Xesús Alonso Montero.

A Assembleia da Língua convocara, perante o Auditório da Galiza, em Santiago de Compostela, uma Concentração Anti-Caspa em protesto pola representação -polo CDG em parceria co Centro Dramático Nacional e o Centro Cultural de la Villa de Madrid- de Los viejos no deben enamorarse. Em chave irônica e ao mais puro estilo americano -arredor de si- as pessoas participantes na concentração denunciaram esta nova aldragem a Castelao e à nossa língua. Cinqüenta pessoas segundo a organização convocante, dez pessoas segundo La Voz de Galicia e meia dúzia segundo Xesús Alonso Montero secundaram a convocatória.

A Concentração Anti-Caspa fora concebida pola Assembleia da Língua como uma manifestação ao mais puro estilo americano. Sabemos polos filmes norte-americanos que as manifestações lá não são como cá. Nos Estados Unidos da América as pessoas manifestantes não vão em procissão detrás duma faixa de cabeceira, como é costume por estes lares, senão que dão voltas arredor de si portando pirulitos (e lemas) individuais.

Como complemento, e como na farsa de Castelao, @s activistas anti-caspa levavam os seus rostos cubertos por caretas. As caretas que estas pessoas levavam representavam o rosto de Castelao com a boca aberta. Na boca fanada de Castelao, ao jeito do célebre Risitas, um triste e solitário dente: ?¡¡¡Cuña-a-a-a-a-ao!!!? ?Castela-a-a-a-a-ao!!!?

Guerra de cifras

?Dez persoas secundaron a convocatoria da Assembleia da Língua e desde media hora antes do início do espectáculo protestaron con caretas perante o Auditorio, onde era a representación, e había forte presencia policial. A parodia pasou ás reprobacións dirixidas ó público que chegaba para presenciar o espectáculo?, dizia La Voz de Galicia no dia a seguir (Sábado, 29 de Junho de 2002). Pola sua parte, Xesús Alonso Montero escreve, também na Voz, dias depois (Quinta-feira, 4 de Julho de 2002): ?...asisto, en Santiago, á representación de Los viejos no deben enamorarse, cobizoso de oí-la miña traducción, e, ó entrar no teatro, media ducia de mozos (con carauta, como na farsa de Castelao), recíbenme cunha pancarta en inglés (sic) en que me chaman ?heroe?.

A explicação (desta guerra de cifras) é que nem todas as pessoas que secundaram a convocatória da A.L. participaram ativamente na ?Concentração Anti-caspa?. Desconfiando da eficácia da ironia como arma -ou quiçá simplesmente dos seus dotes para a arte dramática- algumas pessoas preferiram o confronto direto co escaso público assistente ao ?espetáculo?. Infelizmente foram estes incidentes os que deram à A.L. capa de jornal (na edição local compostelana de ?La Voz de Galicia?) pola primeira e última vez na sua breve história :-(

"Alonso Montero Is Our Hero"

Na coluna que publicava em La Voz de Galicia uma semana depois (Castelao en castelán, QUI, 04-JUL-02, pág. 13) Xesús Alonso Montero ?suponhia? que a gente o recebera como um heroi porque seica em 1975 passara muito medo quando, pola culpa de Castelao, a polícia espanhola o retivera na estação ferroviária de Leão (Espanha).

Equivocava-se Dom Xesús, equivocava-se. Não tinha nada a ver com esse facto (que, por outra parte, nós desconhecíamos) nem com uma outra coluna do polifacético Swan We Sam Say Shahs (João Guisan Seixas), intitulada Does do as bird add s the All on so Mount Hero (Das duas verdades de Alonso Montero) e publicada no número 917, de 13 de Janeiro de 2000, d?A Nossa Terra.

Como digemos (e como pode ver-se na fotografia superior direita) na Concentração Anti-Caspa não havia uma faixa principal (Xesús, que afã de protagonismo!), senom numerosas cartolinas individuais com diferentes lemas, entre os quais ?Xesús Alonso Montero is Our Hero?.

Palavras de Ordem

Para além da citada por Alonso Montero na sua coluna, outras palavras de ordem escritas sobre as cartolinas e/ou coreadas de viva voz naquela tarde foram: CASTELA-A-A-A-A-AO / CASPA YA / NO-E-RA-SIN-TIEM-PO / CARMIÑA BURANA, ARTISTA GALEGA / VIVA, VIVA, VIVA, MANOEL GUEDE OLIVA / COMO MOLA, A NOSA ?ZARZOLA? / EN GALICIA EN CRISTIANO / AHÍ ESTÁ, AHÍ SE VÉ, SI VIVIERA CASTELAO ESTARIA EN EL PP / EN CASTELLANO LO ENTIENDE TODO EL MUNDO / YA ESTÁN A PROTESTAR ?LOS DOS DE SIEMPRE? / EN BUENOS AIRES EN GAXEGO, EN GALIZA EN CASTEXANO / ?OJO DE VIDRIO?, DIENTE POR DIENTE?

Canção-protesto

Para a ocasião também foram adaptadas letras de músicas da Transición española (?Vota por el Centro / vota libertad / vota por el Centro / Dramático Nacional?; ?Cedegá, Cedegá / sin ira Cedegá / guárdate tu lengua / gallé-é-gá / porque hay Cedegá /sin ira Cedegá / y si no lo hay / sin duda la habrá?) e ainda a letra de Lela, de A. R. Castelao: ?Pérez Varela, Vareliña por quien yo muero, quiero mirarme en la pupila de tus ojos. No me dejes y ten compasión de mi. Sin ti no puedo, sin ti no puedo vivir...? Tão-pouco podiam faltar ?La Rianjera? nem uma adaptação da hispano-eurovisiva ?Europe is living...? (?Los viejos no deben...?) ??a cellebration? (??enamorarse?), que com tanta arte defendera a Rosa de España naquele ano :-p

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 03 Jul 2007 17:24:03 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Croios detector: Agora sim! Snif, snif! ;-)

O Padín: Licht, mehr licht! X-)))

----- COMMENT: AUTHOR: Croios detector [Visitante] DATE: Tue, 03 Jul 2007 07:10:26 +0000 URL: http://www.lelelelelele.com

snif, snif

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Fri, 29 Jun 2007 17:10:33 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Bottle yeah House all in a absent row drum attic o!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Umha Imagem Para O Galego? (O Meu Vídeo) BASENAME: umha_imagem_para_o_galego_o_meu_video DATE: Tue, 26 Jun 2007 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
[youtube]LUNbal3yU9Y[/youtube]
Perigo Zona Escolar (27'')

?(...) As palabras tamén poden ter forma (...) de imaxes en movemento. Hai un ano, Vieiros celebraba o Día das Letras dun xeito diferente (...) Nesta ocasión, o certame dá unha reviravolta e tamén se abre a vídeos (...) Como exemplo, para que sirva de guía, amosamos (...) un curioso vídeo que chama a participar no Albaroque pola lingua.?

http://www.vieiros.com/nova/59180/xa-existe-o-flickr-gal

No concurso que (sob o rótulo de Umha Imagem Para O Galego) Vieiros convocou este ano pola Temporada das Letras havia duas categorias: umha categoria de ?fotografia? (igual que em O Galego No Espelho, título da ediçom do ano passado) e mais umha nova categoria de ?vídeo?.

Para orientar as/os potenciais participantes na nova categoria de ?vídeo? do concurso Umha Imagem Para O Galego as/os amigas/os de Vieiros ponhiam como exemplo o ?curioso vídeo? que os ramistas do Alvaroque da Língua figéramos para animar o pessoal a anotar-se ao mesmo.

Modéstia aparte a ideia de parodiarmos o famoso apelo televisivo do Xabarín (?E tu, já és do Clube? Afilia-te!?) ocorreu-me a mim. Ocorreu-me no decurso do brainstorming que na quarta-feira 25 de Abril celebramos na sede que Arredemo-Burla Negra tem no C.S. O Pichel (R. Santa Clara, 21. Compostela).

No dia a seguir (quinta-feira, 26 de Abril de 2007, Cabo de Ano da VA-CA e 161º aniversário dos Mártires de Carral), sobre a mesa da cozinha d?O Pichel, gravamos o vídeo que tam curioso lhes acabaria parecendo às amigas e aos amigos de Vieiros. Na realizaçom do mesmo participamos, entre outras/os, o Séchu Sende (produtor executivo e manipulador de alimentos), o Carlos Meixide (roteiro improvisado a partir da ideia original, câmara ao ombro e voz em directo) e mais eu (a mao que mexe a mao -do coitado do porco- e a ediçom com-estas-maozinhas-e-o-meu-Movie-Maker). O Nel Vidal encarregaria-se de subí-lo ao You Tube, de publicá-lo no blogue do Alvaroque e mais do self-bombing em Chuza.Org.

Até aqui a história que tinha pensado contar caso o prazo de apresentaçom de trabalhos ao concurso Umha Imagem Para O Galego tivesse finalizado, como num princípio estava previsto, na segunda-feira 11 de Junho.

Mas ao Vieiros ampliar o prazo umha semana mais, até o domingo 17 de Junho, ademais da fotografia de que falei no post anterior, deu-me tempo a apresentar um vídeo a concurso também.

Desse vídeo, intitulado Perigo Zona Escolar, é do que falarei a continuaçom.

Perigo Zona Escolar

A ideia original do vídeo que (no sábado, 16 de Junho de 2007) enviei para o concurso Umha Imagem Para O Galego data dos inícios de 1995. A ideia tem, portanto, a bagatela de doze anos! Há que ver como passa o tempo!

Mas nom foi até o ano passado que a ideia passou do papel da velha caderneta em que no seu dia a anotara à tela do meu novo PC portátil.

Na madrugada de 23 de Junho de 2006 (treze dias após criar neste blogue a categoria Yo Tube Un Sueño) realizei com o Windows Movie Maker (empregando os vídeos que gravara em Santa Comba e Porto Mouro poucos dias antes, sinais antigo e moderno, respectivamente) um rascunho mudo de Perigo Zona Escolar.

Making Off

Exactamente um ano e umha semana depois (no sábado, 16 de Junho de 2007) editei com o Adobe Premiere Pro a versom definitiva (e sonora) do meu vídeo.

Para a versom definitiva de Perigo Zona Escolar desbotei o vídeo do sinal antigo empregue no rascunho (pola culpa dum molesto smiley de chiclete colado ao sinal por algum simpático escolar) e substituim-no por um outro vídeo gravado também na vila jalheira em Janeiro deste mesmo ano (SEG, 15-JAN-07).

A trilha sonora do vídeo ?compugem-na? no próprio Premiere cortando e colando o audio que, umha vez editado o vídeo, gravei com a Gravadora de sons (Acessórios, Entretenimento) do Windows X-P. O barulho que se ouve, como de corrente eléctrica, conseguim-no com dous telemóveis (um a chamar e os dous a interferirem) e um aparelho receptor de rádio.

Na noite do próprio sábado 16 de Junho, desde o Garigolo Café Teatro, enviei o meu vídeo a Vieiros.

A crítica dixo...

Daí a quatro dias, na quarta-feira, dia 20, Ana Salgado escrevia em Galego.Org (Vieiros.Com) algo que me enchia de orgulho e satisfacçom (e que me fazia albergar algumha esperança de fazer-me com a video câmara JVC Evereio GZ-MG 275 na que consistia o prémio):

?O nacente Teutubo O apartado de vídeos ficou desta xeira nunha certa invisibilidade debida á tan escasa participación. Malia isto, debemos salientar o nivel de retranca contida na achega de Alberto Dafonte, o esforzo de síntese de Carlos Ferreiro ou a sinxeleza da proposta de Suso Sanmartín en que se apunta lucidamente cara á escola como elemento desgaleguizador.?

http://www.vieiros.com/nova/59180/xa-existe-o-flickr-gal

And the winner was...

A poucas horas da Noite de São João, em 23 de Junho, Vieiros publicava a resoluçom dum júri composto por Manuel Sendón, Roberto Ribao, César Galdo e Lois Rodríguez.

Apesar de contar cum 33,33% de possibilidades de ganhar o prémio, na categoria de vídeo o ganhador tampouco fum eu. O justo ganhador foi Alberto Dafonte por Pelotas, divertida paródia do divertido e bem-sucedido spot publicitário de Dacia Logan.

Parabéns ao(s) premiado(s)!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 27 Jun 2007 18:20:06 +0000 URL:

Eu também gosto (e muito) do vídeo ganhador (como bem sabedes as/os que me conhecedes sou bastante afeiçoado à paródia). Muitíssimo obrigado polas gabanças ao meu, de todos os jeitos! E muito obrigado a Vieiros por ampliar umha semana o praço! Se nom chegam a ampliá-lo, nom me teria apresentado e já nom haveria lugar às comparações… :-)

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Wed, 27 Jun 2007 09:14:55 +0000 URL:

Gostando (muito) do vídeo ganhador, acho que o teu tem mais conteúdo quanto ao significado. É um magnífico estilhaço-denúncia. bjs muitos, caro.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Umha Imagem Para O Galego? (A Minha Foto) BASENAME: umha_imagem_para_o_galego_a_minha_foto DATE: Tue, 26 Jun 2007 11:34:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOTO SUSO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No ano passado enviei para O Galego No Espelho, concurso fotográfico convocado na Temporada das Letras por Vieiros, a fotografia dum sinal de trânsito que, fazendo umha leitura em chave luso-reintegracionista, intitulei ele-agá.

Para Umha Imagem Para O Galego (que é como este ano denominaram o mesmo concurso as/os amigas/os de Vieiros) enviei a fotografia que ilustra este post, intitulada Sardinhas, acompanhada do seguinte pé:

?Em galego-português estamos no mundo. Também na Galiza.?

Este pé de foto é paródia (à galego-portuguesa) do slogan dumha antiga campanha do Serviço de Normalizaçom Lingüística da Universidade de Santiago de Compostela que, com certeza, lembraredes muitas e muitos de vós e que dizia: En galego estamos no mundo.

A foto da políglota embalagem de ?sardinhas em tomate? (carente de qualquer valor artístico e feita com a única intençom de marcar presença reintegrata no certame convocado por Vieiros) figem-na no Dia% que há na compostelana Rua do Avio (fazendo esquina com a nova Rua de Boiro) na manhã da segunda-feira 11 de Junho. Muito obrigado à Teresa por emprestar-me a sua Gold Camera! :)

Nesse mesmo dia (dia após o Dia de Camões e, num princípio, último dia para fazê-lo) enviei-na polo correio electrónico para Vieiros.Com.

No dia a seguir (terça-feira, 12 de Junho) pudem ver a minha foto publicada no mosaico rotatório de Umha Imagem Para O Galego e comprovar como o prazo apresentaçom de fotografias (e vídeos) tinha sido ampliado umha semana mais (até o domingo, dia 17).

A poucas horas da Noite de São João, em 23 de Junho, Vieiros publicava a resoluçom dum júri composto por Manuel Sendón, Roberto Ribao, César Galdo e Lois Rodríguez.

Embora ?polo São João a sardinha molha o pão?, como era previsível nom foi a minha fotografia a que "levou o gato á agua". A imagem ganhadora do concurso Umha Imagem Para O Galego na categoria de fotografia resultou ser a intitulada Saca a lingua a flote, de Manu Lago.

Parabéns ao(s) premiado(s)!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 27 Jun 2007 18:06:48 +0000 URL:

Compostela & O’Lombar: “Em Galego-Português estamos em Vista-Alegre” ;-)

P.S.: O editor de comentários está a dar-me bastantes problemas ultimamente. Suponho que a vós também, caras/os leitoras/es e comentaristas, e isso preocupa-me :-(

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 27 Jun 2007 17:59:11 +0000 URL:

Quanto comentário, que alegria!!! :-)

Sobre a qualidade estética da fotografia ganhadora nom me pronuncio (porque nom sou um especialista na matéria nem costumo a “entrar a valorar las decisiones judiciales") mas o pior que tem é, sen dúvida, o título e mais o “supérfluo” comentário do autor: “Saca a lingua a flote, fala galego.” :-p

A qualidade lingüística do título da fotografia ganhadora de “Umha Imagem Para O Galego” é o exemplo mais patente do grau de deturpaçom ao que chegou a nossa língua na Galiza (conste que nom estou a criticar, eu tampouco, o autor nem o júri do concurso): “sacar a flote” nom é galego, é castelhano. Vamos a pique!!!

P.S.: E muito obrigado eu também polas dicas, caro Vítor! Prometo dar-lhes bom uso!

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Wed, 27 Jun 2007 11:23:22 +0000 URL:

“Em galego-português estamos no mundo. Mesmo no Dia". ;)

----- COMMENT: AUTHOR: compostela [Membro] DATE: Tue, 26 Jun 2007 21:31:11 +0000 URL:

Obrigado ao Vítor polas dicas, das que também eu tomo nota :)

Por certo, o Suso-dito tirou essas fotografias justo diante da minha actual (mas caduca) morada :)

----- COMMENT: AUTHOR: Vítor [Visitante] DATE: Tue, 26 Jun 2007 19:39:36 +0000 URL:

Sugiro ainda que o pessoal utilize para as expressões fraseológicas o «Dicionário de Frasegologia» do PGL (www.agal-gz.org), ou então, o completíssimo dicionário multilíngue www.wordreference.com, escolhendo a opção espanhol-português para a fraseologia espanhola…

A descoberta valerá a pena, se queremos autoestradas sem portagens e abertas ao mundo, veremos as nossas expressões totalmente descolonizadas.

----- COMMENT: AUTHOR: Vítor [Visitante] DATE: Tue, 26 Jun 2007 19:18:33 +0000 URL:

Está bem a intencionalidade desse concurso, mas grande parte dos pés de foto reflectem uma dialectalização impressionante na fraseologia, e não culpo as pessoas que participaram, mas o espanhol é o único referente, excepto na tua, claro.


Uma expressão como «Saca a lingua a flote», é claramente exemplo disso. Sugiro ao autor mudar para «Leva a língua para frente» ou então «Bota a língua para diante», com isso começamos a fazer que a língua «flutue».

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: XI Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2007 (Miguel Torga ou a Poética da Vida) BASENAME: xi_salao_luso_galaico_de_caricatura_de_v DATE: Mon, 25 Jun 2007 16:39:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Caricaturas de Miguel Torga, Manoel-António e Méndez Ferrín.

Neste sábado, 23 de Junho, abriu na Galeria de Arte do Teatro Municipal de Vila Real o XI Salão Luso-Galaico de Caricatura (XI SLGC-VR 07), uma organização do Município de Vila Real e do Grémio Literário Vila-Realense, com produção da Humorgrafe.

No Centenário do Nascimento de Miguel Torga, o XI Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2007 está dedicado ao genial escritor trasmontano e, para além de ?caricaturas de outros poetas ou alegorias humorísticas ao lado poético da vida?, todas/os as/os participantes no mesmo devíamos obrigatoriamente enviar uma caricatura dele.

A partir desta fotografia (e tomando certos elementos emprestados destoutro retrato a óleo por Guilherme Filipe) no passado 25 de Abril desenhei a caricatura de Miguel Torga que podedes ver acima.

Graças a que o 25 de Abril, feriado na República Portuguesa, é laborável no Reino de Espanha, no mesmo Dia da Liberdade pudem enviar polos correios (junto com as outras duas caricaturas antigas dos poetas Manoel-António e Xosé Luís Méndez Ferrín que também podedes ver acima a ilustrar este post) a minha caricatura do autor de Bichos.

Até a semana passada, em que recebim por e-mail a Acta de Reunião do Júri, não soubem o que afinal este resolvera. Segundo consta na antedita acta (datada em Vila Real, a 7 de Maio de 2007) ?após cuidadosa ponderação dos oitenta e quatro trabalhos apresentados a concurso? o Júri resolveu atribuir os prémios previstos no Regulamento do Salão aos seguintes artistas:

Primeiro Prémio (Prémio Câmara Municipal de Vila Real ) ? António Santos (Santiago)
Segundo Prémio (Prémio Governo Civil de Vila Real) ? Paulo Santos
Terceiro Prémio (Prémio Região de Turismo da Serra do Marão) ? David Pintor
Menções Honrosas ? Henrique Monteiro e António Amado Lorenzo

É dizer, que este ano tão-pouco caiu nada! :( Parabéns, de todo modo, aos premiados! :)

Não se consola quem não quer, é-vos bem certo, mas podedes crer-me se vos digo que a presença dos meus trabalhos nos sucessivos Salões Luso-Galaicos de Caricatura de Vila Real e nos catálogos correspondentes (1998-Ambiente e caça; 1999-Humor e vinho; 2000-O automóvel; 2001-2001 Odisseia em Vila Real; 2005-A moda) já é todo um Prémio de Consolação (cast. accésit) para mim... Apesar de tudo espero que para o ano haja mais sorte! &#59;)

A exposição do XI SLGC-VR 07 estará patente ao público até ao dia 31 de Julho no Teatro Municipal de Vila Real. Como nos anos anteriores esta exposição viajará a Ourense em cuja Casa da Juventude poderá ser vista no vindouro mês de Agosto.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 03 Jul 2007 17:08:24 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Terás queixa tu, que já tens um par de pelourinhos desses na estante da tua casa! Eu, no entanto, ainda nom ganhei o primeiro!

Nom vim as caricaturas que enviaches (ou levaches em mao) a Vila Real, a ver como e quando mas mostras! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Fri, 29 Jun 2007 16:11:53 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Non puido ser, non. Mágoa non ganhar algun deses pelourinhos, e ir convidados a Vila Real, onde tratan á gente melhor que a pachás e papar um bistéquele de vitela a conta da Câmara Municipal, para logo sair de troula por uma das cidades universitarias mais pequenas do mundo.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Galego Corredor BASENAME: galego_corredor DATE: Fri, 15 Jun 2007 10:51:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: Desenhos Animados TAGS: ----- BODY:
[youtube]5dViUFaSoIA[/youtube]
Galego Corredor (35'')

Continuo com a publicaçom dos exercícios de animaçom tradicional que em 1996, sendo estudante Erasmus, realicei no Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens).

Após A Metamorfose e Galician Man Walking hoje toca-lhe a vez ao terceiro exercício de animaçom daquela realizado, um simples ciclo de corrida (run-cycle) que, se bem até ante-ontem nom levava título, foi intitulado Galego Corredor para a ocasiom.

Segundo consta no meu diário de 1996, rematei-no na sexta-feira 3 de Maio (ficava pendente apenas o floco da faixa do traje nacional) e com a inestimável ajuda da professora associada Afrodite procedim à sua gravaçom.

Visto que a primeira ediçom analógica se encontra em paradoiro desconhecido, a que publicamos hoje é umha segunda ediçom digital realizada ante-ontem (QUA, 13-JUN-07) empregando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro. Os oito desenhos originais tinha-os escaneados já desde o passado 29 de Abril.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Café Bar García Lorca BASENAME: cafe_bar_garcia_lorca DATE: Wed, 06 Jun 2007 15:01:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOTO SUSO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?Café Bar García Lorca?. Rua de García Lorca, 27. Santiago de Compostela.

Postamos hoje, quarta-feira 6 de Junho, o post que com motivo do 80º aniversário da Geraçom de 27 (e 380º aniversário da morte do poeta e dramaturgo espanhol Luis de Góngora) queríamos ter postado na quarta-feira 23 de Maio.

Os preparativos do 1º Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata, celebrado com grande sucesso de crítica e público no passado 25 de Maio coincidindo com o 7º Dia Internacional da Toalha, nom nos permitiram postá-lo daquela. Postamo-lo hoje, exactamente duas semanas depois da efeméride:

Generación del 27
De Wikipedia, la enciclopedia libre

La denominada Generación del 27 fue una constelación de autores que surgió en el panorama cultural español alrededor del año 1927, en que se celebró el tricentenario de la muerte del poeta barroco Luis de Góngora. Estos autores aprovecharon esta fecha para reivindicar la poesía que este autor compuso en la última época de su vida (Culteranismo), desprestigiada por la crítica decimonónica. Tanto escritores como profesores e intelectuales celebraron en homenaje a Góngora una serie de actos (conferencias, etc.) en el Ateneo de Sevilla en ese año que se ha venido a considerar el acta fundacional del grupo.

?Café Bar García Lorca?

García Lorca é um nome bem curioso para um bar. Bem mais curioso que o de Suso, sem dúvida. No entanto, no meu bairro existe um bar que se chama assim: Café Bar García Lorca.

A razom de que o Café Bar García Lorca se chame igual que o poeta e dramaturgo espanhol adscrito à Geraçom de 27 é bastante prosaica: o susodito bar está na Rua de García Lorca.

Mas nom é o nome do Café Bar García Lorca o mais curioso. O mais curioso de tudo é que o Café Bar García Lorca, sito, como digemos, na compostelana Rua de García Lorca, esteja por acaso no número ?27?.

----- COMMENT: AUTHOR: Tiranizan [Visitante] DATE: Thu, 11 Oct 2007 19:50:01 +0000 URL: http://debolichesycopas.blogspot.com

Hola,
tengo un blog donde subo bares, que me envian de varias partes del mundo pero la idea es seguir creciendo. Es por eso que te escribo para que si te animas, me envies algun dato bar, de esos que vale la pena conocer aunque sea por internet.
salud2
Tiranizan

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 07 Jun 2007 09:26:14 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Homem, nom tantas como a meninha d’O Exorcista mas umhas poucas sim que lhe dou X-DDD

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Thu, 07 Jun 2007 06:38:19 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

joerrr, mira que lle das voltiñas á cabeza.
XDDDD

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Tendendo pontes, em Ponte Vedra, com a nossa língua" (17-MAI-04) BASENAME: tendendo_pontes_em_ponte_vedra_com_a_nos_04 DATE: Mon, 04 Jun 2007 19:13:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O "susodito" mestre de cerimônias. Foto: Teresa Díaz

Na Temporada das Letras 2004 a organizaçom da Festa da Língua de Ponte-Vedra (Assembleia Reintegracionista Ene Agá, Movimento Defesa da Língua e Associaçom Cultural Reviravolta) convidou-me para apresentar as actuações musicais (Trópico de Grelos e Lemorai) e teatrais (Os Quinquilláns e Códia e Miolo) do tradicional evento.

Daquela tivem a honra de compartilhar o cenário com quem na altura era Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Ponte-Vedra e na actualidade é Diretor Geral de Criaçom e Difussom Cultural da Conselharia de Cultura e Desporto da Junta de Galiza, o lusófilo Luís Bará, que subiu ao palco da pontevedresa Praça da Lenha para apresentar ele próprio a Orquestra Gente que Encanta (Instituto Cultural Casa do Béradêro) de Catolé do Rocha, Paraíba, Brasil.

Para tam especial ocassiom eu escrevera um texto que afinal, por falta de tempo, nom pudera ler. Dous dias depois, em 19 de Maio, o meu texto saiu publicado no Portal Galego da Língua (PGL). Hoje, três anos mais tarde e dentro desta Temporada das Letras 2007, publico-o aqui, em Angueira de Suso.

Espero que seja do vosso agrado.

Tendendo pontes, em Ponte Vedra, com a nossa língua

Suso Sanmartin

No passado mês de Abril a revista do coração (ou de fofoca, como dizem no Brasil) ?Noivas da Galiza? surpreendia-nos a todas e todos com a publicação da seguinte bisbilhotice (ou fofoca):

?ROSÁLIA E CAMÕES UNIRÁM-SE POLA LÍNGUA?

Insinuava NGZ acaso que, no mês corrente, Rosalia de Castro ia pôr os cornos a Manuel de Murguia com Luís de Camões?

Reconheço que a imagem da Rosalia e o Luís a darem-se um ? beijo desentupidor de pia? que sugeria o sensacional cabeçalho me deixou um bocado chocado. E já estava eu a imaginar o que viria a continuação: tórridas confissões da ?Santinha? em verso (em versos emprestados de Caetano Veloso), ?GOSTO DE SENTIR A MINHA LÍNGUA ROÇAR A LÍNGUA DE LUÍS DE CAMÕES? e depoimentos exclusivos do autor d?Os Lusíadas à imprensa reintegracionista rosa, ?JÁ SEI NAMORAR, JÁ SEI BEIJAR DE LÍNGUA AGORA SÓ ME RESTA SONHAR? (fazendo a rima fácil ao jeito dos Tribalistas).

Nada mais longe da realidade! A leitura da letra pequena tirou-me do meu engano: desde este ano, e a iniciativa da AGAL e do MDL, todos os actos que do 17 de Maio (Dia das Letras Galegas) ao 10 de Junho (Dia de Camões) organizem os diferentes colectivos reintegracionistas hão-de de anunciar-se num mesmo cartaz e tríptico e sob um mesmo lema, sendo o lema escolhido para este primeiro ano o de ?tendendo pontes com a nossa língua?.

Que alívio que não se tratasse de mais um caso de adultério (como esses que impudicamente se arejam com ?Molho Cor-de-Rosa? ou de ?tomate? no tele-lixo espanhol) e sim do princípio duma formosa amizade! Uma amizade à galego-portuguesa (não compartilhada, como habitual, por ?Amizade Galiza-Portugal?) que significa o primeiro passo dum caminho (já agora, repararam em que o Caminho Português passa por Ponte-Vedra?) que nos pode levar a algo mais sério: a unidade orgânica dos colectivos que, como AGAL e MDL, acreditam no reintegracionismo lingüístico e no monolingüismo social e que, por enquanto, são amigos com direito a roce (?Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões?), nada mais.

A união fai a força, mas não se a união for à força. Esta nunca se conseguiria com uma Oferta Pública de Aquisição (O.P.A.) hostil, por isso saudamos cum ?Opa!? amigável (interjeição que designa espanto, admiração e/ou contentamento) a iniciativa de AGAL e MDL de celebrarmos juntas/os a ?Temporada das Letras 2004? sob o erótico-festivo lema de ?tendendo pontes com a nossa língua?.

Com efeito, este lema pode interpretar-se (ao menos a ou o jornalista de NGZ e mais eu assim o fizemos) como um convite a fazer com a nossa língua (que, como é sabido, vive e florece em Portugal) certas cousas às quais, paradoxalmente, designamos numa língua morta (tipo Pontus-Veteris, fellatio, cunni-lingus, etc).

Mas que não se me emocione a/o ludo-reintegracionista nudista (ou nudo-reintegracionista) que ainda não é hora de despir-se. Se botarmos contas vemos que o 10 de Junho (Dia de Camões) vem sendo 40 de Maio e, já se sabe o que di o provérbio, ?ANTES DE QUARENTA DE MAIO NÃO TIRES O SAIO?.

Beijos (de língua) para todas e todos.

Ponte-Vedra, 17 de Maio de 2004
----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 12 Jun 2007 07:53:37 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Muitíssimo obrigado, grande amigo!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 11 Jun 2007 16:56:02 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Grande, Suso! E grande discurso!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Temporada das Letras 2007 BASENAME: temporada_das_letras_2007 DATE: Wed, 30 May 2007 00:00:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Em 2004 o luso-reintegracionismo galego (donde senom?) tivo umha formosa iniciativa conjunta denominada Temporada das Letras que, infelizmente, nom teria continuidade em anos subsequentes.

Segundo os editores do Portal Galego da Língua (PGL) explicavam num artigo publicado no jornal Novas da Galiza no ano a seguir (NGZ Nº 30, pág. 17), a Temporada das Letras ?tencionava juntar o dia das letras galegas (17 de Maio) e o dia de Camões (10 e Junho) sob um mesmo epígrafe. O objectivo ?continuavam dizendo os nossos amigos- era duplo: introduzir na Galiza a comemoraçom do dia 10 e singularizar as iniciativas reintegracionistas por volta das letras?.

Como as minhas escassas leitoras e os meus escassos leitores terám percebido, a actividade de Angueira de Suso, o Sítio de Suso Sanmartin, também é bastante escassa ultimamente.

A culpa tenhem-na a quantidade de actos de carácter ludo-reintegracionista que no último mês reclamaram a nossa atençom e que nos impediram manter como é devido este blogue:

SAB 05 - Festival da Língua Em Movimento
SAB 12 - Festa do Dezassete
QUA 16 - Alvaroque da Língua
SEX 18 - Festa Hortera
SEX 25 - Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata / Dia da Toalha
SAB 26 - Concerto de Adriana Calcanhotto +2 (Moreno Veloso e Domenico Lancellotti) = Três.

Postos juntos num cartaz estes actos conformariam umha Temporada das Letras 2007 que nada teria que invejar a aquela T.L. de há três anos.

Mas, como digemos, a Temporada das Letras ainda termina o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Di o provérbio que ?até o quarenta de Maio nom tires o saio?. Como boas e bons lusistas e reintegratas nós nom tiraremos o agasalho, nem atiraremos a toalha, até o 41 (10 de Junho) ... ou 42 &#59;)

Desculpem o incómodo!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 31 May 2007 15:39:09 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Caro Padín,
Caro Escolopendra,
Caríssimas/os amigas/os todas/os,

Creio que até o 41 de Maio (10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas) ou 42 (O Dia da Resposta) nom tirarei o saio nem atirarei a toalha (o agasalho).

Passo quase todo o tempo metido no blogue do I Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata. Alí podedes topar-me e alí espero a vossa visita.

Muitíssimo obrigado polos comentários e, como dixo um outro Douglas (D. MacArthur, nom D. Adams): I Shall Return! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Wed, 30 May 2007 22:53:47 +0000 URL:

Oiga polho, está vocês esquecendo que em 2003 Alto Minho já organizara o I Mês da Língua, que efectivamente, ia desde 17 de Maio até 10 de Junho. Rematando, claro está, co que se chamou I Festa pola Língua, concerto na Praça de Santa Maria com Os Estoupacaldeiros, Gaiteiros de Alto Minho, Quempallou e Ruxe-Ruxe, com um bom sucesso de público.
Neste ano estamos a celebrar o V Mês da Língua, o cartaz da festa nom está fechado ainda, aceitamos propostas friquis.
Para mais informaçom visitar www.altominho.org

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Wed, 30 May 2007 14:30:57 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Xa me tardaba ler algo novo, pero ten que haber vida alén do blogue.
Sinto non ter acudido a ningún deses eventos, pero as ereccións reclamaban a miña atención. En Bueu, o teu tocaio ha de estar pelando as barbas, así que imaxino que hai motivo para unha festa máis.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Carpintería Suso" (Vila de Cruzes) BASENAME: carpinteria_suso DATE: Sat, 19 May 2007 20:44:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Carpintarias e Cristalarias Suso TAGS: ----- BODY:

A Teresa passou o Dia das Letras dedicado à María Mariño em Igom, a sua aldeia.

Quando na véspera foi à Rua do Meio pegar o seu carro (para, parodiando o Uxío Novoneyra, ir de Compostela aos Ancares por terra alcatroada) topou e fotografou para mim esta carrinha branca.

Graças a um dos dous números de telemóvel serigrafados nas suas janelas, o 606 074 014, pudemos ubicar no Concelho de Vila de Cruzes, Comarca do Deça, a Carpintería Suso à que o veículo das fotografias pertence.

O que nom podemos é precisar em que freguesia do concelho deçano se encontra a susodita carpintaria. Em Sam Tomé de Ínsua, talvez? Nom poderiamos afirmá-lo com rotundidade. O estrangeirizante topónimo de Villaba, que aparece na morada da Carpintería Suso disponível nas Páginas Amarelas, despista-nos totalmente. Poderia alguém da zona dar-nos uma maozinha? Para já, muitíssimo obrigado!

E muito obrigado também à Teresa polas suas fotografias :)

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Wed, 30 May 2007 23:06:59 +0000 URL:

Continuando coa fricada, e se alguém quer se aventurar em cábalas geográfico-linguístico-reintegristas podo acrescentar que, se trazamos umha linha direcçom Norte-Sul que passe por Vila de Cruzes, e nos pomos a caminhar desde o primeiro ponto da costa, poderemos visitar as seguintes vilas e aldeias: Oceano Atlântico, Vivente [haverá algum Morrente], Dordanho, Lançá, Burres [o chiste era doado de mais…], Patinhobre, Brandeso, Duxame, VILA DE CRUZES, Bexesos, Bendoiro, Souto Longo, Leboçám, Brués, Boborás, As Laxas, Paços, Esposende, Arnóia, Quéguas [haverá que ir a montar a cavalo aqui?], Venceás, Vilameá, Anjos, Calvos [como mínimo interessante do ponto de vista pitórico isto dos anjos calvos…], Várzea, Cova, Padronelo, Baião, Tendais, Gafanhão, Solgos, Pinho, Coja, Torrozelas, Cepos, Soeirinho, Moradias, Lobatos, Lomba do Barco, Álvaro, Mosteiro, Ermida, Malhadal, Relva da Louça, Vale de Água, Capela, Carvoeiro, Degolados, Vale da Mua, Areira, Margalha, Torres das Vargens, Avis, Montinho da Dourada, Comenda, Vale de Moura, Padrão!, Álvares, São Joao dos Caldeireiros, Manuel Galo, Amoreira, Garcia, Estiramantens, Fuzeta, Ilha Fuzeta e Oceano Atlântico. Tremenda excursom!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 23 May 2007 18:53:00 +0000 URL:

Obrigado, Post Scriptum! Isso explicaria o da “Vilaba” de Escolopendra mas nom o Expediente X da de Vila de X X X (Cruzes) ! O caso continua aberto… ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: post scriptum [Visitante] DATE: Wed, 23 May 2007 14:54:09 +0000 URL: http://postscriptum.wordpress.com

A Vilaba de que fala Escolopendra há de ser uma errata por Vilaboa. Nom há nenhum município na província de Ponte Vedra de nome Vilaba, e só os concelhos podem convocar vagas de Polícia Local. :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 22 May 2007 11:54:58 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Manda caralho! Busca-se Polícia Local para localidade fantasma! Pois é, nem no Topogal nem no Nomenclator da Xunta aparece nengumha entidade de povoaçom com esse nome! Obrigado pola colaboraçom cidadá, Escolopendra, embora a pista que nos dás ainda nos despiste mais se couber! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Escolopendra [Visitante] DATE: Mon, 21 May 2007 23:28:06 +0000 URL:

Nom tenho nem puta idéia de onde fica, mas olha, olha, busca-se pitufo em Vilaba: http://www.canaloposiciones.com/ultimas_oposiciones_convocadas-Policia_Local-Galicia-Pontevedra-Vilaba-ayun.asp

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: PRIMEIRO O BANDULHO!!! DEPOIS O ORGULHO!!! BASENAME: primeiro_o_bandulho_depois_o_orgulho DATE: Wed, 16 May 2007 17:41:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje, 16, Alvaroque da Língua e o vindouro 25 de Maio, Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata.

Ao invés do que naquela cançom berravam Os Diplomáticos de Monte Alto: PRIMEIRO O BANDULHO!!! DEPOIS O ORGULHO!!! X-D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 01 Jun 2007 10:48:32 +0000 URL:

“O cavalo de Santiago -di o Apóstolo (Carlos) Santiago para terminar o seu último monólogo- nom é branco que é verde e nom é um cavalo que é umha planta alucinógena” X-))) (Cito de memória).

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Thu, 31 May 2007 19:19:16 +0000 URL:

O exibicionismo morreu, vive le voyeurisme digital!.
Por certo, nom quedaramos em que o cabalo branco de Santiago era policromado? :P

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 29 May 2007 19:17:10 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

EL NIÑO DE LA GUÍA!!! Que saudades de você e da sua aranheira!!! Onde e em que anda metido, meu caro amigo??? :-)

----- COMMENT: AUTHOR: el niño de la guía [Visitante] DATE: Tue, 29 May 2007 18:46:15 +0000 URL:

para que logo andem a dizer que a VA-CA morreu.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Ramoncín, King of Fried Chicken BASENAME: ramoncin_king_of_fried_chicken DATE: Tue, 08 May 2007 18:27:05 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: GUEST ARTIST CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
Ramoncín, King of Fried Chicken segundo Germano (acima à esquerda), Suso Sanmartin (acima à direita) e Panchez (abaixo).

No passado 26 de Março publicávamos em Angueira de Suso duas ilustrações da nossa autoria que com antecedência tinham sido publicadas no número 6 da revista De Troula: King of Fried Chicken e Pans & Poetry (paródias dos logótipos de duas redes de restaurantes de comida rápida, a norte-americana Kentucky Fried Chicken e a catalá Pans & Company, respectivamente).

Da primeira delas dizíamos aqui daquela:

KFC

King of Fried Chicken é a traducçom para o inglês do castelhano El Rey del Pollo Frito (O Rei do Frango Frito em galego-português, alcunha pola que também é conhecido o ex-cantor, lexicógrafo, contertúlio e directivo da SGAE José Ramón Julio Martínez Márquez, Ramoncín) e as suas siglas coincidem com as do KFC original. O retrato do Ramoncín utilizado é o que aparece na capa de Como el fuego, o seu LP de 1985.

Embora a do King of Fried Chicken é umha ideia que data de Julho do ano passado, nom foi até 28 de Dezembro, Dia dos Santos Inocentes, que a realizei. Realizei o design na Biblioteca da Faculdade de Jornalismo da USC e desde alí mesmo a enviei por correio electrónico para os amigos da revista De Troula (junto com o Pans & Poetry que tinha feito dous dias antes, em 26 de Dezembro, na Biblioteca Pública de Bueu).

King of Fried Chicken, by Panchez

Recentemente o aduaneiro Panchez recebeu do kalimero Ghato a encomenda de realizar o cartaz da XII Festa Hortera, festa pirosa (Pt), cafona ou brega (Br) que, em envenenada homenagem ao Ramoncín e se a todo-poderosa SGAE o permitir, se celebrará o vindouro 18 de Maio na compostelana Sala Nasa.

O Panchez, que é um profissional, encarregou-se de passar a limpo o design rasca-salsicheiro que, previamente, tinha feito este designer amador.

King of Fried Chicken, by Germano

Nom contente com isso o aduaneiro Panchez informou-me de que a minha ideia nom era original e de que já a outra pessoa, segundo ele também galega, se lhe ocorrera antes do que a mim.

Nom sei quando lhe ocorreria a ideia ao Germano mas o caso é que ele foi o primeiro a disparar. O seu King of Fried Chicken foi publicado em 19 de Setembro de 2006 (com mais de três meses de adianto à realizaçom do meu) dentro da categoria Logotomias do Abuse Magazine.

A jeito de desculpa tenho de dizer que até que o Panchez mo mostrou eu ignorava a existência do tal design. A do Kentucky/King of Fried Chicken era umha ideia que levava seis meses anotada na minha caderneta e que, a finais do ano passado e para a revista De Troula, me decidim a realizar por fim. Apesar de parecer-me umha ideia bastante óbvia, a diferença do que tenho feito noutras ocasiões, desta volta nom me molestei em comprovar se a alguém lhe teria ocorrido já. Se o tivesse feito, provavelmente, agora nom estaria a contar todo isto aqui.

----- COMMENT: AUTHOR: Tumbadioses [Visitante] DATE: Fri, 25 May 2007 11:05:45 +0000 URL:

Vaia, vaia.
Sigo pensando que o que merece Ramoncín é o que del dixo
Joaquín Sabina:
“Eu iba por Madrid, e vin un negro vendendo discos cunha manta.
Pregunteille:
- Oes, ¿Non tes ningún de Ramoncín?
E respondeume:
- ¿Para qué, se están máis baratos nas tendas?”

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 14 May 2007 21:00:27 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Olá, Laurindinha! Acabo de cruzar-me contigo -ou com umha metade de ti- pola compostelana Algália de Abaixo! Vaia casualidade! Por Ponte-Vedra a tua outra metade, nom é?

De Ramoncín à Festa Hortera? Se consigo um nariz de palhaço, vou! ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Laurindinha [Visitante] DATE: Mon, 14 May 2007 14:29:17 +0000 URL: http://www.noitesubsahariana.blogspot.com

Vaia casualidade…!
Non irás disfrazado de Ramoncín á festa hortera, non?

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 09 May 2007 17:37:46 +0000 URL:

Senhor Dom Ghato:

Nom sou digno de que entre no meu blogue mas um mio (ou miado) seu bastou para alegrar-me o dia ;-)

Muitíssimo obrigado polo comentário, polas flores e (porquê nom?) polo momento publicitário também!

Lambedelas felinas! (que nom gatunas!) ;-p

----- COMMENT: AUTHOR: ghato [Visitante] DATE: Wed, 09 May 2007 12:57:41 +0000 URL:

Eis a genealogia de umha idéia genial.
De cómo naszeu, de cómo se geriu, de cómo evoluiu arredor de sim própria até dar com a imagem reclamo para a festa hortera deste ano 2007. E a saber qual é o percorrido que lhe resta… o futuro dirá.
O certo é que, a pessar de argalhar até a migranha, nao demos com imagem mais explícita e inequívoca que a proposta desenhada por os grandes Germano e o Suso, as quais conheciamos e celebramos até a dor.
Ao primeiro tinhamos vontade de integrar estas imagens na nossa propaganda, como “sponsor", mas ao final a ideia impuxo-se como protagonista da nossa campanha já que era difícil, por nao dizer impossível, superar tal órdago popular. E a nós, tal qual fora concebida, é que nos vinha mais do que acaidíssima para rendir merescida homenagem ao incomprendido e injustamente fiscalisado autor do “Marica de Terciopelo” e outros hinos generacionais. Para alêm, ardiamos em desejos de ve-la imagem em cartaz i em camisola… Assim pois, digem-lhe eu a Pancho, a cuia generossidade devemos a ejecuzao em prazo e data da nossa propaganda deste ano de jeito tao brilhante, que trabalha-se sobre esta ideia na altura já concebida, sendo o assinante o autêntico instigador da reapropriazao da ideia popular com fins publicitários.
…e se alguém se pica, pois que nos denuncie à SGAE, que teremo-lo bem merescido

E aproveito a ocassao para recordar aos/às leitores/as que o cartaz e mais as camisolas podem-se mercar no Bartolo, no Embora ou no Medusa, em Compostela…
E nao perdades a Festa, um dos meetings mais ridiculista, queer e pimba do panorama contracultural contemporáneo da Galiza freakie.
Venha pois, a preparar o playback! ou quê!

beijocas
ghato

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Alvaroque da Língua BASENAME: alvaroque_da_lingua DATE: Fri, 04 May 2007 11:20:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Eis o texto que na reuniom da comissom de festas que tivo lugar na sede da Burla Negra no passado 17 de Abril me comprometim a escrever para animar o pessoal a anotar-se ao Alvaroque da Língua. Por umha cousa ou por outra o caso é que até a tarde de ontem (véspera do dia no que expira o prazo para anotar-se, que é hoje) nom encontrei vagar para escrevé-lo. O texto (o último, por enquanto, dumha série de textos que diferentes pessoas foram escrevendo para animarem o cotarro) apareceu esta mesma manhã publicado no blogue do Alvaroque.

O Alvaroque para Suso Sanmartin

Serei-vos franco. Nom me parece mui afortunado o nome de Alvaroque da Língua. Nom mo pareceu quando o passado 12 de Abril lho ouvim ao amigo Séchu Sende pola primeira vez e continua sem parecer-mo agora. Porque em nengumha das suas acepções a ceia que o vindouro 16 de Maio celebraremos em Luou se corresponde com o que o dicionário (e-Estraviz) define como alvaroque:

?Alvaroque s. m. (1) Acto de dar por terminado um convénio ou venda, bebendo um copo de vinho ou tomando algo em sinal de que o contrato está ultimado. (2) Comida que se dá aos operários ou jornaleiros depois de terminada uma obra ou faina agrícola. (3) Convite que se dá para celebrar um contrato. (4) Copa de aguardente que acostumam tomar os trabalhadores pola manhã cedo, em jejum e antes de começar o trabalho. Sinón. Alboroque [ár. al-baruk].?

Porque o banquete de Luou terá tanto de alvaroque (ou ramo) como de albricoque (ou damasco). Sou filho e neto de canteiros e sei bem do que vos falo.

Mas, politicamente, também sou filho (ou neto) de Castelao (o mesmo que no seu Álbum Nós escreveu: ?Nom lhe ponhades chatas à obra namentres nom se remata. O que pense que vai mal que trabalhe nela; há sítio para todos?), por isso também eu irei ao Alvaroque da Língua.

Longe de estar terminada, a obra de marras nom está nem empeçada. Tampouco é que seja o melhor começo chamar-lhe alvaroque ao que, no melhor dos casos, será a primeira pedra dumha obra na que tudo está por fazer. Nom me importo, seguindo o conselho de Castelao nom ponho chatas à obra, arremango-me, frego as maos com norueguesa Neutrogena e ponho-me maos à mesma na confiança de que nela, como dizia Castelao, haverá sítio para todos e todas.

Para além de Dia das Letras Galegas 17 de Maio é o Dia Nacional da Noruega, um país (o país com o mais alto Índice de Desenvolvimento Humano do mundo, já agora) que escreve a sua língua em duas normas oficiais (Bokmål e Nynorsk). Desde que, há anos, descobrim esta feliz coincidência acredito na Via Norueguesa como única saída viável a um conflito, o normativo, cuja superaçom nos colocaria em vias de solucionar o outro conflito que ameaça a sobrevivência do galego, o conflito lingüístico.

Talvez num futuro nom mui longínquo isolas/os e reintegratas podamos celebrar, cum autêntico alvaroque no que o salmom defumado será o rei, o facto de termos chegado, por fim, a esse acordo à norueguesa necessariamente nom-ortográfico.

Por enquanto, comecemos a casa polo telhado (nom passa nada!) e dêmos boa conta do churrasco o próximo 16 de Maio no Alvaroque da Língua, em Luou.

UM POVO, UMHA FALA, DUAS NORMAS!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 08 May 2007 10:14:25 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Ha, ha, ha!!! Na Grécia chamam-lhe Scópia à Macedónia e Constantinópoli a Istambul. “Macedonia is greek", dim eles na sua gíria. À Síria e à sua capital, Damasco, nom sei eu como lhe chamarám… Tutti frutti total!!! Tutto bene!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Tue, 08 May 2007 09:18:37 +0000 URL:

Já vi no Priberam, dúvida resolvida e aprendida. Um fruto, dous nomes :-) Pesquisara antes por “albricoque” no e-estraviz e nada saia…, alías, nunca distingui bem albaricoques de pessegos, nem a Siria da Jordania: Macedónias mentais. bjs a granell ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 18:07:11 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Que o que é um albricoque ou damasco!? Perguntas-mo a sério!? Caro, necessitas um Vox! Aliás, um Viz. Extra-Viz ;-)

Ao invés do que acontecia na mitologia grega, neste caso o prazer é do anfitrião ;-)

P.S.: Acabo de conferir. Procura por “albaricoque” (com “a” intercalado) ou “damasco” se procurares no e-Estraviz e por “albricoque” (ou “damasco”) se procurares no Priberam.

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 17:37:33 +0000 URL:

Um prazer, Suso, partilhar con vós esta esplanada (feita sobre recheio nenhum na ria http) com vistas às Cies e Ons…
ei, o quê é um albricoque ou damasco? :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 09:01:30 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Que bom regressar do fim-de-semana na Terra da Chispa e topar-vos aos três, dous velhos e um novo amigo, aqui, na Angueira de Suso. Muitíssimo obrigado pola visita e os comentários, caros!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Sun, 06 May 2007 19:38:53 +0000 URL:

Muito obrigado, Franjo. Que bom encontrar-te nesta (aínda,..) tarde (..que tinha que ser já noite) na que o Celta afunde para segunda e já nem París nos queda ;-) Abraço.

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Sun, 06 May 2007 17:20:23 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Xa mirei que miraches que deixei un comentario chez l’albaroque. Non me vou repetir. Non sei aínda qué farei o día das letras goliardas, pero xa non teño tempo de apuntarme ao albaroque. Mirarei en todo caso de apuntarme á carallada subseguinte. E Lombar, saúdos, se cruzas a Moaña xa sabes onde tes a túa casa.

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Sun, 06 May 2007 15:34:39 +0000 URL:

…e o quê é um albricoque ou damasco? bjs.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sat, 05 May 2007 17:27:36 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Duas normas… para dominá-los a todos ;-)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Galician Man Walking BASENAME: galician_man_walking DATE: Wed, 02 May 2007 10:55:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: Desenhos Animados TAGS: ----- BODY:
[youtube]YFVo_uigrgQ[/youtube]

Um mês e cinco dias depois da publicaçom d?A Metamorfose, primeiro exercício de animaçom tradicional realizado em 1996 enquanto aluno Erasmus da Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens), publico em Angueira de Suso o segundo exercício realizado naqueles tempos e naquele espaço.

Trata-se dum simples ciclo de caminhada que, parodiando o título de certo filme na altura em cartaz, intitulei Galician Man Walking*.

Making Off

Segundo escrevim no meu diário de 1996, na sexta-feira 29 de Março, assistim no T.E.I.-Athens à liçom teórica que, sobre a caminhada e com traduçom simultânea para o inglês, deu a minha professora de Animaçom, Heleni.

À tarde, na livraria Papasotiriu comprei, por 7.400 Dracmas, The Animator?s Workbook (em pesetas saia exactamente a metade de preço, 3.700).

No dia a seguir, sábado, 30 de Março, estivem a ler, dicionário bilingue em mao, o capítulo do The Animator?s Workbook dedicado aos andares.

Entre o domingo, 31 de Março, e a segunda-feira, 1º de Abril, figem a lápis os dezasseis desenhos necessários para completar o ciclo de caminhada. Trabalhei ambos os dous dias até altas horas da madrugada (03h30 e 05h30 respectivamente).

Na segunda-feira, 22 de Abril, com a imprescindível ajuda da professora associada Afrodite, gravei Galician Man Walking (e mais a primeira parte d?A Metamorfose, que terminaria de gravar na segunda-feira seguinte, 29 de Abril).

Na sexta-feira, 26 de Abril, voltei a gravar a limpo o ciclo de caminhada (?master piece?, segundo o amável mas sem dúvida exagerado comentário da Afrodite).

Remake

Como já contei aqui, a fita VHS na trouxera gravados este e o resto dos trabalhos de animaçom tradicional realizados na Grécia enquanto estudante Erasmus, sumiu misteriosamente poucos anos depois do meu regresso.

A versom de Galician Man Walking que publicamos hoje é, portanto, umha reediçom digital feita a partir dos desenhos originais que, felizmente, ainda conservo.

Escaneei-nos na segunda, 26, e na terça-feira, 27 de Março de 2007, enquanto escuitava na Rádio Galega A Boca da Noite.

Trás-anteontem (domingo, 29 de Abril) re-animei-nos combinando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro e ante-ontem (segunda-feira, 30 de Abril) dei-lhe ao Galician Man Walking os últimos retoques antes de subí-lo ao You Tube.

* Na quarta-feira, 24 de Abril de 1996, fum ao cinema com a Victória, a minha nova colega norueguesa no cêntrico andar (Ipokratous 71) ao que me mudei em 20 de Abril, ao meu regresso das férias da Páscoa pola Turquia. A Victória queria ir ver Dead Man Walking mas por mim (a mim nom me apetecia demasiado) sacrificou o Walking e, em versom original com legendas em grego, fomos ver Dead Man.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 09 May 2007 18:14:23 +0000 URL:

O careto do auto-caricaturado… :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 09 May 2007 11:52:21 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Ao deter a animação no segundo 23 pude comprovar que o homo gallaicus ostente um suseiro careto ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 10:43:50 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Reparou o Sr. paleontólogo no homo gallaicus que protagoniza a animação? Soa-lhe da algo a sua cara ou despistam-no essas pré-históricas guedelhas? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 10:25:28 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Bem sabes que nisto da tecnologia, um ano é um mundo, dous uma era… e ao falarmos de 10, é já pré-história :-D!!

(Y todo esto lo digo sin acritú ;-))

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 09:06:45 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Muitíssimo obrigado, caro Uz, por chamar-me “animador pré-histórico". Ainda não somos tão velhos mas, como se costuma a dizer, “eles pra riba e nós pra baixo” ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sat, 05 May 2007 17:24:01 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Interessantíssimo exercício de regresso à pré-história da animação ;)

Afinal também dás uma resposta sobre o homem galego: nem sobe nem baixa, mas caminha para a frente ;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Lembrança de Abu Ghraib BASENAME: title_204 DATE: Fri, 27 Apr 2007 22:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos TAGS: ----- BODY:

"Tempos Novos" Nº 85 (Junho 2004), pág. 81 e boletim Nº 12 de "EsCULcA" (2006), pág. 2.

Em 28 de Abril de 2004, tal dia como hoje há três anos, o desaparecido informativo semanal 60 Minutes II, da norte-americana CBS, emitia umha reportagem em que, pola primeira vez, o mundo pudo ver as pornográficas fotografias que a soldadesca estado-unidense se fijo enquanto divertida torturava indefesos prisioneiros na iraquiana prisom de Abu Ghraib.

Daí a dez dias e para os seus Dias Soltos (secçom fixa que o escritor ourensano afincado em Compostela tem na revista Tempos Novos) o Bieito Iglesias escreve:

Maio 8
SUPLICIO
As imaxes dunhos animalciños vestidos de roupa militar torturando presos iraquianos conmocionan a opinión pública. Os afeizoados á Historia Antiga que dirixen o Pentágono alegan que son poubanos brutamontes, pero tales lugareños nunca pensaron en imitar as campañas de Alexandre o Magno, entregados como estaban a chupar cervexa e música country. A culpa non é toda deles (como tampouco era dos policías e gardas civís da raia seca ourensá que, durante o franquismo, mallaban en nós como no centeo verde). O descrédito da ocupación de Iraque é total, ninguén traga o calote das armas de destrución masiva, desconfíase da vinganza polas Torres Xemelgas e da sede de cru. Os americanos só teñen alí unhos amigos de comenencia, os curdos (Go home, pero non sen antes proclamar o Curdistao Ceibe). A resistencia degola ianquis ó grito de ¡Alá é grandísimo! Dá gana de apostilar con Borges: Os porcos están devorando ós porcos.

[Tempos Novos Nº 85 (Junho 2004), págs. 80-81]

Para ilustrar os Dias Soltos do Bieito Iglesias que haviam aparecer no número 85, de Junho de 2004, da Revista Mensal de Informaçom para o Debate (e sob os efeitos do horror que me produziu a visom da fotografia protagonizada, muito ao seu pesar, polo prisioneiro Satar Jabar) realizei a ilustraçom que hoje ilustra este post baseiada, evidentemente, no Homem Vitruviano do génio renascentista Leonardo da Vinci.

O ano passado esta mesma ilustraçom apareceu também na segunda página do boletim Nº 12 de EsCULcA, Observatório para a Defesa dos Direitos e Liberdades.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 30 Apr 2007 11:38:29 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Bom, como escusa devo dizer que em Tempos Novos (no boletim de EsCULcA também) a ilustraçom saiu a um tamanho muitíssimo mais pequeno (o pentágono tem 3 cm de lado e a circunferência 52 mm de diâmetro) e a chapuza (armengue em galego-português-brasileiro-baiano) da carapucha ou capuz nom tem tanta importância…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sat, 28 Apr 2007 18:57:05 +0000 URL:

Eu também lha mudaria, mas agora já é tarde de mais. O feito, feito está.

Enviei, enviei. Na quarta-feira, 25 de Abril, enviei-lhe por correio certificado as caricaturas de três poetas: a obrigatória caricatura do Miguel Torga (que figem no mesmo dia e da que fiquei razoavelmente satisfeito) e duas caricaturas antigas do X.L. Méndez Ferrín e do Manoel-António. A ver se o facto de tê-las enviado no Dia da Liberdade (feriado na República Portuguesa mas dia de trabalho no Reino de Espanha) me dá boa sorte! Boa viagem a Trás-os-Montes e um abraço para ti também!

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Sat, 28 Apr 2007 14:44:32 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

O único que cambiaría é a carapucha, que nom parece carapucha. Pero o conceto é o conceto, e é coma sempre excelente.
Por certo, nom sei se enviaches algo ao Osvaldo de Sousa, da Humorgrafe, pois hoje era o derradeiro día de prazo. Eu nom tivem tempo de enviar por correio, pero hei de aproveitar agora mesmo para achegarme a Vila Real. Tal vez fique aló até domingo.
Um abraço.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: 25 de Maio: Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata BASENAME: 25_de_maio_dia_do_orgulho_lusista_e_rein DATE: Fri, 20 Apr 2007 11:42:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Emulando o professor José Manuel Barbosa, proposta de bandeira luso-reintegracionista.

Era uma vez a Assembleia da Língua (A.L., 15 de Dezembro de 2001 - 7 de Setembro de 2002) e era, dentro dessa A.L., uma turma compostelana caracterizada polo seu alto sentido do ludo-reintegracionismo, conceito derivado de luso-reintegracionismo (alcunhado em 10 de Maio de 2002 polo Eugénio Outeiro e por mim) de que falaremos um outro dia.

Grandes sucessos do compostelano Grupo Local da Assambleia da Língua foram, por exemplo, a Festa da Língua (17 de Maio de 2002), a Concentração Anti-Caspa (28 de Junho 2002) ou a I Festa do Sesseio (11-S de 2002).

Naquela altura os elementos mais lúdicos (mas não necessariamente os mais lúcidos) da A.L.-Compostela especulávamos com a possibilidade de instituir o Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata.

Pessoalmente eu pensava que a data idônea para a celebração de tal dia seria a do nascimento do Andrés do Barro (data que naquela altura não sabia qual era pois não aparecia no Google nem na Gran Enciclopedia Gallega) e pensava-o porque tinha entendido que o saudoso cantor, para sorteiar a censura franquista, fazia passar por português a novilíngua galega das suas encantadoras letras (não me lembro de onde nem quando vim ou ouvim eu esta história mas o Bruno Ruival afirma ter visto a entrevista televisiva em que o próprio ADB a contava).

Já em 2005, extinta a Assembleia da Língua (A.L.), a hoje também desaparecida Via Anti-Colonial Activa (VA-CA, 12 de Outubro de 2002 ? 26 de Abril de 2006) declarou o 1º de Outubro, data de nascimento do Andrés do Barro, Dia do Orgulho Neofalante. Pilhada a data do 1º de Outubro cumpria, pois, procurar uma data alternativa em que celebrar o Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata.

Dia del Orgullo Friki. Dia da Toalha.

Lendo o blogue de pavochungo, lanevera61, em 25 de Maio do ano passado inteiro-me de que nessa mesma data e no Reino de Espanha se celebra o Dia del Orgullo Friki. As histórias que o amigo Ra conta no seu mais que recomendável blogue são do mais interessante sempre, mas esta do Orgulho Friki pareceu-mo especialmente. Sem perda de tempo iniciei uma pequena pesquisa na internet sobre o tema que deu insuspeitos frutos.

Na edição electrónica de La Voz de Galicia leio:

?Varias ciudades españolas, lideradas por Madrid, acogerán el jueves, día 25, la fiesta del Día del Orgullo Friki. Bajo el lema ¡Quién no sea friki que levante su espada láser!, la jornada acogerá distintos campeonatos, concursos de disfraces y sorteos.

La fecha de 25 de mayo no es casualidad. Los organizadores han escogido para esta celebración el aniversario del estreno de La Guerra de las Galaxias y la fecha de la muerte del creador de La guía del autoestopista galáctico.?

Graças a Google e Wikipédia averiguo o nome de Douglas Adams, criador de The Hitchhiker's Guide to the Galaxy, título original da obra intitulada O Guia do Mochileiro das Galáxias (Br) ou À Boleia pela Galáxia (Pt) na nossa língua (e La guía del autoestopista galáctico na língua de La Voz de Galicia).

Apesar do que dizia La Voz, a Wikipédia dizia que o Douglas Adams não morrera em 25 de Maio senom duas semanas antes, no dia 11. Porquê era homenageado, entom, em 25 de Maio? A resposta encontrava-se no verbete Dia da Toalha que se nos convidava a ?ver também? ao finalizar a leitura do verbete dedicado ao escritor e comediante britânico:

Dia da Toalha
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Dia da Toalha é celebrado no dia 25 de Maio como uma homenagem dos fãs ao autor da série O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams.

A saga de cinco livros conta a história de Arthur Dent e seus amigos em aventuras pela galáxia e pelo tempo. Um detalhe importante da história é a importância da toalha para os "viajantes da galáxia", a qual seria útil para as mais variadas e inimagináveis situações.

Primeiramente, quando do falecimento de Douglas Adams, fãs do autor queriam encontrar uma forma de homenagear uma pessoa que tinha feito o mundo rir, então precisavam de um tema engraçado para sua homenagem. Como sua mais conhecida obra é O Guia do Mochileiro das Galáxias, e como no livro o autor dedicou um página inteira sobre a toalha e sua importância para os mochileiros das galáxias, decidiu-se então pelo uso da toalha como tema da homenagem.

O dia 25 de Maio de 2001 foi o dia em que foi feita a primeira homenagem. Depois discutiu-se sobre a possibilidade de alterar o dia para 42 dias após a data de falecimento, devido a outro detalhe da saga, que afirma que a resposta para questão fundamental da vida, o universo e tudo mais seria 42. De todo modo, acabou continuando a data da primeira comemoração, 25 de Maio. A data é lembrada pelos fãs que carregam uma toalha durante do dia inteiro com eles. Alguns usam como uma capa, outros como um turbante, enfim cada um usa a toalha como deseja, desde que esteja consigo a toalha.

O Dia da Toalha é comemorado em diversos países, e na internet é possível encontrar sites com fotos dos fãs que comemoraram a data, como o site/blog http://www.diadatoalha.blogger.com.br.

Assim que no 25 de Maio, declarado em 2006 Día del Orgullo Friki polo frikismo hispano, o mundo inteiro celebrava desde 2001 o Dia Internacional da Toalha! Interessante, muito interessante!

?Pano próprio para cobrir a mesa onde se come, ou para enxugar o corpo ou qualquer parte dele? (Dic. Porto Ed.) poucos objectos como a toalha simbolizam para nós, galegas e galegos, o bom povo português. Orgulho, frikismo, humor e toalhas, para mim não havia a menor dúvida: 25 de Maio era a data que na A.L.-Compostela procurávamos para celebrar o Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata. Se a força nos acompanhava, como acompanha a fantasia, para o ano havíamos de celebrar, do orgulho luso-reintegrata, o dia!

25 de Maio de 2007: I Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata

Nos últimos meses comentei esta minha ideia com um punhado de amigos, luso-reintegracionistas coma mim, e tenho que dizer que a sua resposta não pudo ser mais entusiástica. Tanto é assim que podo anunciar e anuncio que, sob o lema ?NÃO ENTRE EM PÂNICO, NOM?, o vindouro 25 de Maio celebraremos em Compostela, com mani-festa-acção e tudo, o VII Dia Internacional da Toalha e I Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata. Será boa ocasião para tirar do armário um ou outro luso-reintegrata! &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 05 Dec 2007 19:22:09 +0000 URL:

Saúde, galiza thule, e a seguir mesturando!!! ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: galiza thule [Visitante] DATE: Wed, 05 Dec 2007 14:00:40 +0000 URL: http://www.ssgalizzzza.org

Agora só vos falta a pronunciación medieval do voso ridículo
esperanto. Iso, a esforzarse para que o ano que ven xa
nin vos entendan cando pidades as copas no Avante. Saúde!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sat, 09 Jun 2007 10:13:49 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Muitíssimo obrigado pola parte que me toca! Nom estávamos tod@s, faltavam muitas pessoas, entre as quais tu, quem quiser que sejas! A minha calvície já há bastante tempo que deixou de ser “incipiente"! Ainda vamos ter que convocar umha outra mani-festa-acçom para exigir a tua imediata libertaçom: 100%algodão askatu! Talvez a gente faga qualquer cousa para o 25 de Julho, permanece atenta ao teu écrã! (Se nom me dis quem és tu eu nom podo dizer-che se o do Carteiro Pat era eu ou era o meu irmao! Podes escrever-me ao meu e-mail de contacto, acima à direita!)

----- COMMENT: AUTHOR: 100% algodão [Visitante] DATE: Thu, 07 Jun 2007 22:46:25 +0000 URL:

Sodes geniais! Morrim de inveja!
Agggggggggggh! Odeio-me por nom ter estado!
Estavades todos: o Pancho, o Pichel, o Suso (desde quando essa “calvície incipiente"?),… mesmo o Quiroga!!! (tam “Omar Sharif” como sempre… ai! XD XD XD)
Quero viver em Compostela “again"!
Quero deixar de estar sequestrada pelo isolacionismo (sim, umha tem que pagar portagens: passei o dia a corrigir exames de 3º da ESO… grrrr)!
Por favor, a próxima antes de setembro!
(Eras ti o do carteiro Pat ou o teu irmám? XD XD XD)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 07 May 2007 18:24:12 +0000 URL:

Que bom vê-lo hoje por aqui, Dom Ghanito! E que bom será vê-lo por Compostela no Dia da Toalha (e D.doO.L.eR.). “Isolinos preguiceiros” como o senhor (pessoas que bem poderiam ser reintegratas, segundo a sua própria definiçom) também serám bem-vindos (máxime se quando menores forom corrompidos polo incomensurável Douglas Adams).

P.S.: Já agora, parabéns polo seu magnífico artigo três comentários acima citado pol’O Padín.

----- COMMENT: AUTHOR: ghanito [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 17:54:43 +0000 URL: http://apocalipsedoporco.blogaliza.org/

Se podo estar en Compostela ese día achegareime, se a miña preguiza o permite ;-).
Caso de ir levarei unha toalla (portuguesa, non podía ser doutro xeito), as noveliñas de Douglas Adams foron para min leituras de nenez e danaron a miña mente para sempre.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 07 May 2007 11:39:42 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Caro Padín, quando no comentário anterior deixaches este link nom sabias a que estavas a montar:

Tribos reintegratas na Galiza (I)
Tribos reintegratas na Galiza (II)
Tribos reintegratas na Galiza (I) (Chuza.Org)

E a cousa promete continuar. Muito obrigado polo teu contributo ao necessário debate, ilosino-preguiceiro e, no entanto, amigo :-)

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Tue, 01 May 2007 16:50:14 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Por certo, meu caro, pacendo polo blogomillo atopei unha bitacorinha interesante na que estaba pendurado isto. http://apocalipsedoporco.blogaliza.org/2007/04/27/reintegratas-new-age/
Pareceume interesante esta visión dun isolino-preguiceiro. Ben está.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 26 Apr 2007 09:38:20 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Pois para ser reintegrata o Juan Lamelas dissimula-o bastante bem! Bom, se tu o dis, será que é! Já comentarás se no meeting esse houvo outing ou nom o houvo ;-)

Um ano sem a VA-CA!!! Parece que foram mais!!! :-(

----- COMMENT: AUTHOR: Zé do Caixão [Visitante] DATE: Thu, 26 Apr 2007 07:15:59 +0000 URL:

Suso, o candidato por EU de Ogrobe ao que lhe daremos o recital é reintegrata, poderia “sair do armário” no discurso desse meeting :D

Um ano sem a VA-CA!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 24 Apr 2007 10:26:49 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Muitíssimo obrigado, carões, pela difusão:

25 de Maio: Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata
http://chuza.org/historia/25-de-maio-dia-do-orgulho-lusista-e-reintegrata

?NÃO ENTRE EM PÂNICO, NOM?
http://www.blogoteca.com/novomundo/index.php?cod=13721

Reintegratas do mundo, unide-vos!
http://oscaminhoscruzados.blogspot.com/2007/04/reintegratas-do-mundo-unide-vos.html

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 24 Apr 2007 10:23:13 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Celso: Como que para quando??? Para o 25 de Maio!!! 25 de Maio é o Dia do Orgulho de todas essas pessoas, animais e cousas às que tu fas referência!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 24 Apr 2007 10:14:34 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

100%algodão: 1) Pois nalgum lugar cêntrico e bem visível (Pç. de Cervantes ou Pç. do Pão) por volta das 20h30 (C.E.T.) ou 19h30 (W.E.T.), ao sair dos respectivos choios (a sexta-feira 25 de Maio é dia de garabulhos) e antes ou depois de assistir no C.S. O Pichel (em versão original com legendas em português do Brasil) “O Guia do Mochileiro das Galáxias“. Ainda falta um mês e um dia, temos tempo… 2) Presidente da AGAL, eu!? “Por dios", se sou “impresentável"! 3) “… gato Jess", mas… de que eram essas aulas nas que dis que cantávamos isso juntos? Sinto, 100%algodão, mas não caio…

----- COMMENT: AUTHOR: Celso [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 23:41:18 +0000 URL:

E para quando o Dia da Associaçom Galega da Academia do Movimento
da Assembleia de Defesa da Associação de Amizade da Língua Portuguesa de
Galiza-Portugal
? (DAGAMADAALPG-P) Eh? Eh? Sim, muito ludo, muito ludo,
mas nunca pensamos nos demais, eh? Eh?

Podia ser o dia da soma cabalística dos dias da criação de todas as associações, comunicados, manifestos,
campanhas, e actos lúdicos, mais o Dia das Letras, o Dia de Camões,
o Dia do Livro, os aniversários de todos os sócios (23), o 1 de Abril, e mais
o Dia da Parálise Galega Mental Permanente (13 de Agosto), o Dia dos Desamparados
por Falta de Pepto-Bismol (24 de Março), o Dia das Minhocas Levemente
Cortadas por um Sacho (3 de Janeiro) e o Dia dos Alfaiates Bronquíticos
de Perto de Melide que Perderam uma Mala com Um Pouco Queijo Fedorento e Uns
Postais Preciosos da Torre Infiel na Estação de Irún Quando Voltavam de
Visitar um Curmão Bastante
Pensatible que Tronçara Para Sempre Dous Dedos na Caseta de Tiro
ao Lado do Bar Fajanjasto Uma Tarde que Tronava a Diós.

----- COMMENT: AUTHOR: 100%algodão [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 23:40:19 +0000 URL:

(Isto nom vém a conto mas lembro-me de umhas aulas de nom-sei-o-quê nas que cantávamos juntos: “Carteiro Pat, carteiro Pat, carteiro Pat e o seu…” -como seguia?-
Alegro-me de te reencontrar.)

----- COMMENT: AUTHOR: 100%algodão [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 23:31:20 +0000 URL:

Sejamos sérias, por favor!……. Onde?!, a que horas?!
Os tempos som chegados! Basta de papanatismo digital! Retomemos as ruas! (Peço-me o roupão de banho!)

Suso “for president” da AGAL! “Por dios", participa na “lista de distribuiçom” que aló morremos de peninha…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 21:04:34 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Celso: 1) Podia ser (porque D.O.L.eR. não fai sentido nenhum em galego-português) mas parece que cai melhor Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata que do Orgulho Reintegrata e Lusista. 2) Podia celebrar-se, podia, mas daquela nom poderia-mos cantar aquilo de vaia, vaia, aqui nom há praia. First we’ll take Compostela, then we’ll take Marim! 3) Os da outra beirarrúa som eles, nom nós!!! I’m reintegrationist and I’m proud of it!!! Um forte abraço.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 21:00:42 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

O articulista viário és tu, caro Croios detector. Quando quiseres…

Paulo, se conheces algum di-lhe, por favor, que venha. Para além do Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata e Dia da Toalha 25 de Maio é o Dia del Orgullo Friki.

----- COMMENT: AUTHOR: Celso [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 18:11:48 +0000 URL:

Eu, como franco-atirador, sempre venho destragar tudo:

Parabéns!, a ideia é FANTÁSTICA, uma verdadeira MERDA:

1) E não se podia chamar Dia do Orgulho Reintegrata e Lusista e assim
fazia-se rimar DORL com pecadorrlll?

2) E não se podia celebrar na praia e assim a gente levava toalhas
das de secar o corpo nudo-reintegracionista? (em espanhol,
desnudo-integralcionista). Já avonda, Não Temos Nada que Ocultar!,
nem o pene-agá nem a c… cedilhada!

3) Eu proponho que se chame Xeira do Orgulo Lusista Arestora. Para
reconhecermo-nos, devemos ir sem rasurar nem depilar, com óculos de pasta
negra, fumando Celtas e com o número 1 da revista Teima no
sobaquillo.

Apertas, benqueridos petrucios devanceiros!

----- COMMENT: AUTHOR: Paulo [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 17:47:41 +0000 URL: http://www.croios.detector.org

Adimitides na parada reintegratas do PP patologicamente ateus e ex-troskistas?

----- COMMENT: AUTHOR: Croios detector [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 14:32:17 +0000 URL: http://www.lelelelelele.com

Lá estarei o 25 de Maio, todos somos frikis! todos somos reintegratas! artigo para vieiros já….

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 23 Apr 2007 11:18:03 +0000 URL:

Uz, Eugeniote e Zé: Don’t panic! (NÃO entrem em pânico, NOM!)

Uz: Descanse, ar! ;-P

Eugeniote: Pena não poderes estar fisicamente, com efeito, mas estarás virtualmente connosco se no dia de autos nos envias ao telemóvel uma foto tua provisto da preceptiva toalha :-)

Zé: se não puderes vir… ao menos… não esqueças a toalha quando feches a campanha (uouó-shalalá-yé-yé-yé-yé) :-D

----- COMMENT: AUTHOR: Zé do Caixão [Visitante] DATE: Mon, 23 Apr 2007 09:04:00 +0000 URL:

Quanto mono de frikismo, Susinho. Creio que nom vou poder estar que essa noite tocamos no feche de campanha dos comunistas.

----- COMMENT: AUTHOR: eugeniote [Visitante] DATE: Sun, 22 Apr 2007 17:18:24 +0000 URL: http://extramuros.agal-gz.org/

Pena não poder estar, mas em qualquer caso, resulta-me suspeitoso isso do mochileiro das “Galáxias". ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 20 Apr 2007 21:46:11 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

A Sus’ó-rdenes, mi kapitán!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 20 Apr 2007 18:56:52 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

fer, oscar de lis, mas nom vos esqueçades da toalha quando venhades à parada, ok? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Fer [Visitante] DATE: Fri, 20 Apr 2007 14:12:02 +0000 URL: http://odemo.blogaliza.org

Boa ideia!

----- COMMENT: AUTHOR: oscar de lis [Visitante] DATE: Fri, 20 Apr 2007 13:47:34 +0000 URL: http://galizadebate.blogspot.com/

Pois eu tentarei estar ali. Sem dúvida. “Será boa ocasião para tirar do armário um ou outro luso-reintegrata!”

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Porquê sou reintegrata? BASENAME: title_202 DATE: Wed, 18 Apr 2007 16:17:24 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capas do "Constantinopla" Nº 19 e mais do "Diccionario Xerais da Lingua".

Publicamos hoje em Angueira de Suso a primeira versom do texto que, por encomenda dos camaradas do grupo local compostelano da AGAL, escrevemos para o primeiro número da nova época digital do Constantinopla, histórico boletim da Assembleia Reintegracionista Bonaval reeditado agora como órgao de expressom da AGAL-Compostela.

A versom publicada neste último número do Constantinopla (Constantinopla Nº 19, págs. 1 e 3) é a segunda e definitiva e é umha versom reduzida deste.

PORQUÊ SOU REINTEGRATA?

Eu sou reintegrata graças a um dicionário ou, se preferides, pola sua culpa. Mas, ao contrário do que se pudéssedes pensar, nom sou reintegrata pola culpa do Estraviz, nem do Aurélio, nem do Dicionário da Porto Editora, sou reintegrata graças ao Diccionario Xerais da Língua (DXL). Palavra.

?Eu sou ateu graças a Deus?, dizia com fina ironia o cineasta Luís Buñuel. Do mesmo jeito, paradoxal só em aparência, eu sou reintegrata graças ao DXL, livro que para algumhas pessoas (como a super-tacanhona do Cifras e Letras) é pouco menos que palavra de Deus revelada. O que o DXL diga, vai a missa.

O DXL entrou na casa dos meus pais da mao dumha vendedora do Círculo de Lectores. Deve haver vinte anos disso porque o exemplar que temos na casa familiar pertence à primeira re-impressom, de Fevereiro de 1987, da sua primeira ediçom, de Dezembro de 1986.

Era um livro ao que num princípio tinha bastante apreço. Gostava da clareza da sua maqueta, das primorosas ilustrações do Xoan Carlos López Domínguez e de que todas as palavras vinhessem com a sua correspondente etimologia.

No caso dalguns vocábulos, ao final do verbete, o DXL trazia as variantes dialectais diferentes à variante preferida pola norma. Mas nom todas. Suspeitosamente o DXL nom incluia variantes cuja exitência no território da Comunidade Autónoma de Galicia (CAG) estava documentada, pois eram empregues na minha casa na hora do almoço, mas que coincidiam, vaia por Deus, com o português padrão.

Assim, por exemplo, se procuramos no DXL a palavra nocelo lemos: ?nocelo (de noz). s. m. Avultamento que forman a tibia e o peroné na unión da perna co pé. VAR. Nocello, noelo, nortello.? Tudo muito bem nom fosse porque nom di umha palavra da palavra tornozelo, que é como toda a vida lhe chamamos aos tornozelos ou artelhos na minha casa.

Um outro exemplo: ?ervella (lat. ervilia) s.f. 1. Planta leguminosa con froito comestible que se emprega como condimento. 2. Froito desta planta. 3. Nalgúns lugares de Galicia, faba. VAR. Ervello?. Comeram as ervilhas que a minha mae botava na veiga e ainda bota!

Continuando polo ch de chícharo: ?choiva V. chuvia?; ?chuvia (lat. Pluvia pluere = chover)" etc, etc, etc. Como quem ouve chover! A chuva*, que é como em Bueu lhe dizemos à chuva, tampouco existe para o DXL!!!

Os principais valedores da norma ILG-RAG nom só nom escolhiam para o galego normativo aquelas variantes coincidentes com o português padrão (cousa que eu, enquanto proto-reintegracionista, veria com bons olhos) senom que sistematicamente ocultavam a sua existência!

Suponho que daquela eu pensava que galego e portugês eram línguas diferentes. Diferentes mas muito parecidas. E nom via que problema havia em tirar vantagem deste assombroso parecido (lembro-me de discutir sobre isto com o Xesús Ferro Ruibal, na altura professor de latim no I.N.B. Salvador Moreno de Marim, onde figem o Bacharelato).

Por isso me enfadei tanto quando descobrim a fraude perpetrada polo DXL. Era claro que se tratava de criar umha Língua Galega afastando-a artificialmente do Português. E eu nom podia concordavar com isso em absoluto!

A pouco a pouco fum passando do filo-reintegracionismo ao reintegracionismo praticante. A minha evoluçom ortográfica (normativo, mínimos, máximos, padrão...) pode ser acompanhada através das charges que, entre 1994 e 2002, publiquei n?A Nossa Terra.

Contudo houvo nessa evoluçom pessoal um ponto de nom retorno. Esse momento produziu-se durante a visita que, no domingo 19 de Agosto de 2001, figem ao minhocário do Assentamento Terra Vista, do MST, na Bahia. Mas essa é umha outra história. Umha história que o meu amigo J.R. Pichel me fijo repetir tantas vezes que quase cheguei a aborrecé-la. É brincadeira, ?uma língua que chama minhocas às minhocas não pode ser outra língua!?

Suso Sanmartin

* Para o meu escândalo a palavra chuva era exemplo de lusismo no livro de Língua Galega (Edicións Xerais de Galicia) que eu tinha em 3º de B.U.P. (?). Resulta que na minha casa éramos, sem sabé-lo, umha data de lusistas!

----- COMMENT: AUTHOR: Bibiana [Visitante] DATE: Thu, 29 Dec 2011 15:37:13 +0000 URL: http://noneoblogdeglorialago.blogspot.com/

Perdoade que escriba no galego do DXL, é o que me ensinaron. Se ben non me atopo cómoda escribindo doutra forma, e verdadeiramente me custa ler dunha soa pasada os textos reintegracionistas, gustoume este post un montón, porque é certo que na miña casa se dice chuva, ou máis ven chuvia (pero creo que isto xa vai ser un pouco castelanizado), ervilla, e outras palabras que nunca me parara a pensar se estaban ben, mal e por que.
Graciñas.

----- COMMENT: AUTHOR: Airinhas [Visitante] DATE: Wed, 21 Dec 2011 20:31:25 +0000 URL:

Engraçado o das minhocas…mas sinto dizelo, em Cadiz também é empregada a palavra para se referir ao mesmo (influência galego-portuguesa?). Pelo contrario, há lugares da Galiza onde é empregada a variante “mioca".

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 23 Apr 2007 11:32:01 +0000 URL:

Muito obrigado, caro Pepe!

Em demasiadas ocasiões os luso-reintegracionistas nos temos comportado como elementos pertencentes a uma seita destrutiva, aliás, autodestrutiva. Tá na hora do ludo-reintegracionismo e da curtição!!! Viva o Orgulho Lusista e Reintegrata!!!

P.S.: Velaí vai uma perguntinha verdadeiramente enviesada: De que cor é a faixa azul da bandeira galega? Eu, sinceramente, desconheço a resposta.

----- COMMENT: AUTHOR: pepe [Visitante] DATE: Fri, 20 Apr 2007 16:07:26 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/novomundo/

“Porquê sou reintegrata?"… li e passou-me um calafrio
na espinha: “Eh, pá! Será que este blog passou a ser duma seita religiosa fundamentalista, porra?!
Mas depois compreendi, ufa!
Boa, boa, Suso, e gostei dessa da chuva e das minhocas.

p.s.: aquela perguntinha anti-spam…não aceita mesmo
perguntas enviesadas.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 19 Apr 2007 20:36:46 +0000 URL:

Se tu nom te lembras, lembro-cho eu! Até logo, Lucas Skywalker! X-D

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 19 Apr 2007 09:39:06 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Ainda que me esquecera comentar-cho, o meu processo de ‘conversão’ veio também por caminhos análogos… o meu ‘muito’, o meu ‘cuidado’, o meu ‘pior’… Palavras ainda usadas pola minha avó como ‘peúgas’ (lido ‘piúgas’)… Enfim, uma soma de cousas que acabou por me fazer cair do lado ‘escuro’ da Força (para o 25 de Maio a ver se me lembro de escrever um post sobre o reintegracionismo e a fantástica história que sai em Star Wars).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 18 Apr 2007 17:08:32 +0000 URL:

Ha, ha, ha! Um abraço, mejillón colorao!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Padim [Visitante] DATE: Wed, 18 Apr 2007 16:44:16 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia/index.php

Meu amigo.
Aínda que no estado larvario de filoreintegracionista que escribe ILGuego (non considero que o galego sexa cousa distinta do portugués en máis medida que o catalá diso que chaman valenciano), concordo en todo o que dis contigo.
Aínda hoxe os alumnos sacáronme as cores cando un par deles correxiron o meu querido e patrimonial “mexilón” polo seu (non menos patrimonial, pero para mín estrano) “mexillón". O puto Xerais deixoume en evidencia. De nada valeu para a miña honra que na soidade da sala de profes o prolífico Estravís deitara unha morea de variantes nas que estaba o meu ostracizado mexilón de toda a vida.
Garda ese diccionario de 1987 ben gardado, a pesar dos pesares: Dentro dese inmenso repertorio de definicións literalmente traducidas do diccionario escolar Anaya (en castelán), había pérolas barrocas, como unha preciosísima explicación de “nación", hoxe, tamén, desterrada.
Unha aperta.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: E.U.E. ou U.R.S.E.? BASENAME: e_u_e_ou_u_r_s_e DATE: Mon, 16 Apr 2007 09:39:52 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: O Farelo/A Peneira TAGS: ----- BODY:

Capa do Nº 34 d'O Farelo (esquerda) e ampliação da nossa colaboração publicada na mesma (direita).

Publicamos hoje a charge que em Dezembro de 2003 e a toda cor nos publicaram n'O Farelo (Revista de Humor que Rabea por Peneirar), suplemento mensal do periódico quinzenal A Peneira (Jornal Galego de Informação Geral).

A nossa charge (O Farelo Nº 34 / A Peneira Nº 360) estava moderadamente inspirada na campanha publicitária que uma conhecida marca de whisky escocês lançou há uns anos ao mercado espanhol.

Após colocar retóricas perguntas tipo ¿homosexualidad o heterosexualidad?, ¿prohibición o legalización? ou ¿dolor o placer?, afinal os anúncios despejavam todas as dúvidas respondendo Sin Duda, Cutty Sark!

Estados Unidos da Europa ou União de Repúblicas Socialistas Europeias?

Sem dúvida, U.R.S.E.!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 18 Apr 2007 16:27:20 +0000 URL:

Nasdrovia, tobarich!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Wed, 18 Apr 2007 15:51:34 +0000 URL:

…é claro que por enquanto a C.A. da Galiza não seja admitida na U.R.S.S. (e não percebo a demora do ingresso, uma vez realizada em regra a solicitude já em Dezembro do 91 ;-) a U.R.S.E. é boa opção, e magnífico desenho de bandeira…bjs e muito vodka com limão, carão.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 18 Apr 2007 10:51:07 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Spasiva, tobarich!!! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 17 Apr 2007 13:10:06 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Simples e efectivo… Vamos, como o ‘humor instantâneo’ que baptizou o outro mestre, o inefável Yáñez :)!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: O Pasquim BASENAME: pasquim DATE: Wed, 11 Apr 2007 21:29:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Franjo Padín e Suso Sanmartin perante a estátua do Pasquim, em Roma.

Após duas semanas de folga, Angueira de Suso retoma a sua actividade.

Folgou Angueira de Suso mas nom folgou o susodito quem, de 1 a 9 de Abril e em território italiano e vaticano, nom tivo um só dia de descanso.

Porque este ano as férias da Páscoa nom forom férias senom umha extenuante viagem de estudos realizada, isso sim, na melhor companhia possível (falando em termos de companhia masculina, é claro): a do professor de Geografia e História, arqueólogo, humorista gráfico, caricaturista, blogueiro e velho amigo (conhecemo-nos em 1º de B.U.P., há a bagatela de 20 anos, no I.N.B. Salvador Moreno de Marim) Franjo Padín.

Dos dous Gigas de memória fotográfica que o Padín e mais eu trouxemos da península itálica, hoje seleccionamos duas fotografias para a sua publicaçom. Forom feitas em Roma no passado dia 4, é dizer, há exactamente umha semana. Na fotografia da direita, realizada polo amigo Padín, ao pé da estátua do Pasquim aparece o súbdito norueguês que, a seguir e a petiçom nossa, realizaria a fotografia da esquerda. Na fotografia da esquerda aparecemos o próprio Padín e mais eu perante a devandita estátua da que, para a nossa surpressa, o voluntarioso fotógrafo apenas tomou o pedestal.

O pedestal da estátua do Pasquim está, como podedes observar nas fotografias, acogulado de pasquins, escritos que nom por acaso recebem dito nome:

pasquim s.m. escrito afixado em lugar público com expressões injuriosas ao governo ou pessoa constituída em autoridade; panfleto difamatório; [fig.] jornal que publica diatribes e artigos difamatórios (Do it. ant. Pasquino, nome de uma estátua mutilada em Roma, onde se afixavam panfletos satíricos)

[Dicionário da Língua Portuguesa, Porto Editora]

pasquim. [Do it. ant. pasquino, do it. Paschino, Pasquino, nome, em Roma, de uma estátua de gladiador, na qual se fixavam libelos e sátiras.] s.m. 1. Sátira afixada em lugar público. 2. Jornal ou panfleto difamador. 3. P. ext. Deprec. Jornaleco. [Sin.: pasquinada.]

[Aurélio Século XXI, O Dicionário da Língua Portuguesa]

Com efeito (traduzo agora da Wikipedia inglesa):

?Pasquinada refere-se a um libelo anônimo, em verso ou em prosa. Pasquim (Italiano Pasquino) foi o nome que os romanos correntes deram à maltratada e antiga estátua desenterrada durante a pavimentaçom do distrito Parione e erguida na esquina da Piazza di Pasquino e Palazzo Braschi, no lado oeste da Piazza Navona em 1501, polo Cardeal Oliviero Carafa, quem involuntariamente deu à estátua a sua primeira voz, ao originar umha cerimônia anual, a primeira em 1501, polo Dia do Sam Marcos, 25 de Abril. O torso de mármore foi cuberto com umha toga e epigramas em Latim foram sujeitados a ela. O decoroso evento logo se foi das maos quando virou costume para aqueles que queriam criticar o Papa ou indivíduos do seu governo ?por pasquinada entende-se primeiro e principalmente um ataque pessoal- escrever poemas satíricos em amplo dialecto Romano (chamados ?pasquinadas? do Italiano ?pasquinate?) e afixá-los a essa estátua.?

[http://en.wikipedia.org/wiki/Pasquinade]

Embora no quarto do hotel o Padín já me falara da sua existência, o certo e que a estátua do Pasquim topamo-la por acaso quando, procedentes de Campo di Fiori e trás tomar um capuccino delizioso num dos cafés da Via del Governo Vechio, nos dirigíamos ao Palazzo Altemps (Museo Nazionale Romano) onde, entre outras maravilhas marmóreas, o Trono Ludovisi, o Ares Ludovisi e o Gálata Suicida esperavam por nós.

Muito rim e muito aprendim com o meu colega de Marim! Aprendim, por exemplo, porquê é que um pasquim se chama assim! Muito obrigado por tudo, caro amigo Padín!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 17 Apr 2007 08:56:11 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Benvenuto alla tua terra, caro amico! Já me contarás como che foi polos madriles com o teu alunado morracense. “Tam ghuapos como somos", com efeito. Nem mais, nem menos ;-) Prego! (por nada!) Foi um sado-marmorista prazer arrastar os meus maltreitos pés ao pé dos teus por terras italianas e vaticanas! Auguri!

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Mon, 16 Apr 2007 19:50:07 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Mio caro amico.

A minha aventura en plan Güili Fog rematou aínda este fin de semana, e nada mais “arrivar” recibo con sorpresa que son co-protagonista do teu poste. O noruegués era un pésimo fotógrafo, pero non puido facer nada por evitar que saísemos tan ghuapos como somos.

Obrigado polas flores que me botas. Sinto terte arrastrado por tanta ruína, os meus pés tampouco serán nunca os mesmos. Pero pagou a pena, aínda que só sexa por mexar (legalmente) na basílica de San Pietro, beber coma piollos falando en galego meridional cun camareiro italiano, ou coñecer á musa de Néstor Marmolino na fontana de Trevi.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 13 Apr 2007 12:48:37 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Acabo de vê-lo mas nom de ouví-lo. Estou no ciber da Rua Nova e aqui os computadores nom têm altifalantes. Imagino que a cançom será umha paródia do Sólo pienso en ti de Víctor Manuel…

----- COMMENT: AUTHOR: sarijess [Visitante] DATE: Thu, 12 Apr 2007 17:40:41 +0000 URL:

viches o video este?

seguro que a canción che soa de algho…

;)

http://youtube.com/watch?v=1hg7ns8-qXs

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 12 Apr 2007 10:36:39 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Obrigado eu a ti, caro Uz… por seres assim… por estares aí… e por comentares-me aqui os teus pareceres… :-)

Ra! Regressaches! Que boa notícia! Nom era má vidinha se durasse, nom. Ainda que nom sei se agüentaria muito tempo a esse ritmo. Seja como for aqui estamos de novo ao pé do canhom… e tu também, que bem! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Thu, 12 Apr 2007 06:46:57 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

pero que ben vivimos…

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 12 Apr 2007 00:17:20 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Obrigado, Suso…

… por regressares…

… por nos ‘ilustrares’…

… pola grata conversa em terras picheleiras, falando do humano e do div… agnóst… ate… até logo, que não atopo palavras ;-)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Rafael Louzán, O Graduado BASENAME: rafael_louzan_o_graduado DATE: Thu, 29 Mar 2007 10:02:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Novas da Galiza CATEGORY: CARICATURA TAGS: ----- BODY:

Foto oficial de Rafael Louzán (tirada do site da Escola de Canteiros de Ponte-Vedra) e caricatura do Presidente da Deputaçom Provincial feita a partir da mesma (NGZ Nº 52, pág. 3).

Já está nos quiosques o número 52 (15 de Março a 15 de Abril de 2007) do Periódico Galego de Informaçom Crítica Novas da Galiza.

Na sua terceira página este número traz o desenho que por encomenda do pessoal do Novas figem (na quarta-feira 21 do mês corrente) para ilustrar a impressionante reportagem de H. Irímia e S. Rosa sobre a corrupçom na província de Ponte-Vedra (págs. 11-12). Concretamente a minha charge (caricatura feita a partir de foto oficial que, já agora, nom facilitou muito o labor do caricaturador) fai referência ao seguinte trecho do perfil de Rafael Louzán:

?A vaga [de bedel da Câmara Municipal de Ribadúmia] foi obtida de forma irregular, pois o actual presidente da Deputaçom nem tam sequer cumpria o requisito básico de ter o graduado escolar. Fontes consultadas por este periódico asseguram que o director do estabelecimento de ensino onde estudara aceitou assinar um documento a atestar que Louzán acabara a Primária? (pág. 12).

A frase por nós posta em boca do Presidente da Deputaçom Provincial de Ponte-Vedra (em castelhano no original) é possivelmente a mais célebre das boutades saidas da boca do Presidente Fundador do PP, partido ao que, como já teram adivinhado, pertence o ínclito Rafael Louzán.

Com o acréscimo (entre parênteses) da palavra ?escola? quigemos sinalar o ?estabelecimento de ensino? onde aprendeu as suas más artes o popular Rafael Louzán &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 10 Apr 2007 10:10:43 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Após umas beatíficas férias da Páscoa em território italiano e vaticano, aqui estamos de novo na Angueira de Suso. Muitíssimo obrigado, caro Uz, polos teus dous novos comentários. Ao Padín já tivem oportunidade de agradecer-lhe em pessoa o seu, pois fomos de férias juntos :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sat, 31 Mar 2007 21:58:21 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

O’Padín… e reparaste nas orelhas de burricainas que leva :-D?

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Sat, 31 Mar 2007 15:16:00 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Moi boa, Susinho. Non te preocupes pola semellanza do interfeto, podo testemuñar que o rictus facial é moi propio. Ademais, esa barba de tísico que lle puxeches acae moi ben a alguén titulado nesa escola na que di que cursou estudos.
Mirámonos!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 30 Mar 2007 23:35:16 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Não, é claro :) “Tijolo” com sentido de… “tijolo” (peça de barro cozido, geralmente rectangular, e destinada a construções :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 30 Mar 2007 11:54:12 +0000 URL:

Muito amável da tua parte, como sempre :)

Mas nom “tijolo” no sentido de “livro gordo", nom é?
porque este indivíduo, para além do livro em branco da fotografia, nom colheu um livro nas maos na sua vida :)))

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 29 Mar 2007 17:56:06 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Como sempre, o desenho casa à perfeição com o espírito das reportagens do NGZ :)

Eu apenas acrescentaria (ao ler, não no desenho), “… e os tijolos também".

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: A Metamorfose BASENAME: title_194 DATE: Tue, 27 Mar 2007 19:08:46 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: YO TUBE UN SUEÑO CATEGORY: Desenhos Animados TAGS: ----- BODY:
[youtube]dhS5OlLjdbs[/youtube]

Ainda que o meu sonho era ir seis meses a Edimburgo, a Atenas do Norte, por umha série de problemas burocráticos que nom vêm ao caso em 1996 acabei indo quatro meses a Atenas de Erasmus. Mas há males que vêm por bem, como di o ditado popular, e em Atenas encontrei a possibilidade de fazer algo que anseiava fazer havia anos: desenhos animados.

É com enorme prazer que em Angueira de Suso publicamos hoje o primeiro exercício de animaçom que figemos enquanto alunos &#59;) do Technological Educational Institute of Athens (T.E.I.-Athens): A Metamorfose.

Metamorfose, a própria palavra está dizendo (meta- mudança + morphosis forma). O exercício consistia em transformar umha forma qualquer numha outra forma diferente, e vice-versa. A mim, a deformaçom profissional levou-me a realizar umha metamorfose de tipo humorístico-político, a transformaçom do logótipo da Televisom de Galiza (TVG) no logótipo do Partido Popular (PP), ambos os dous, como é lógico, tal como eram em 1996.

Figem os onze desenhos necessários (dous keyframes, os logótipos da TVG e do PP, e nove inbetweens) em três maratonianas sentadas (sexta-feira 22, domingo 24 e quarta-feira 27 de Março). Segundo anotei no meu diário o segundo e o terceiro e definitivo assalto terminaram às cinco da manhã. Foi assim como aprendim do Nikos Chatzigeorgakidis, colega greco-alemao com quem compartilhei apartamento em Egaleo (Pallikaridou 11), a expressom inglesa (?) "to make the night through" (trasnoitar).

Com a imprescindível ajuda da professora associada Afrodite filmei a minha metamorfose em duas sessões, nas segundas-feiras 22 e 29 de Abril de 1996.

Da Grécia trouxem muitas e muito boas recordações e umha fita VHS com todos os trabalhos de animaçom tradicional realizados durante a minha estada no país heleno enquanto estudante Erasmus. Essa fita, que guardava como um tesouro, desapareceu misteriosamente poucos anos depois. A última vez que foi vista com vida foi no sábado, 3 de Outubro de 1988, na Casa da Juventude de Ourense, durante um passe privado para os amigos participantes nas X Jornadas Banda Desesenhada :(

A versom que publicamos hoje é, portanto, umha reediçom digital feita a partir dos desenhos originais que, felizmente, ainda conservo.

Já em 26 de Novembro do ano passado escaneara um por um os onze desenhos Made in Greece mas nom foi até a semana passada (quinta-feira 21 e domingo 25 de Março de 2007) que encontrei vagar para editá-los combinando Adobe Photoshop e Adobe Premiere Pro.

A minha intençom é ir reeditando digitalmente e publicando aqui todos aqueles trabalhos um a um. Espero que sejam do vosso agrado.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 18 Apr 2007 16:23:50 +0000 URL:

Pos se lene!!!??? Apo pu ise!!!??? :-D

----- COMMENT: AUTHOR: yo tuve allí [Visitante] DATE: Wed, 18 Apr 2007 14:58:20 +0000 URL:

yo tuve allí,

Cosas de la vida que he visto esta animación, y digo, esto lo ví yo hace unos diez años, bueno en el 96, en Atenas, SI, yo también estuve allí. En el T.E.I. ¡Qué gracia!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 28 Mar 2007 12:17:03 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Feliz coincidência onírica…

Por nada, deduzo das tuas palavras que agora sim a escuitaches, suponho que aqui. Obrigadíssimo, porque suponho que te referes ao enlace ao meu blogue e nom à página do magnífico programa do Quico.

Pois é, he, he.

Nom creio que o faga, nom o faria tam bem coma ti e, para além disso, daria-me um pouco de corte que me psicoanalisassem assim, em público.

Beijos e por nada

P.S.: Muito obrigado, mais umha vez, a tua opiniom a respeito da minha caricatura do sujeito era muito importante para mim :-)

----- COMMENT: AUTHOR: sarajess [Visitante] DATE: Tue, 27 Mar 2007 21:24:29 +0000 URL: http://www.ocartafoldesilencios.blogspot.com

yo tube un sueño…

ghrasias por avisar da emisión, que non a escoitara. xa puxen
un enlace no blog.

o que tal dan os subconscientes en boca dos demais…

a ver cándo te animas.

beijos, e ghrasias

pd: o de caneiro, que non cho dixen, moi bo.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: De Troula Nº 6 BASENAME: de_troula_no_6 DATE: Mon, 26 Mar 2007 18:24:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: De Troula TAGS: ----- BODY:

Ilustrações publicadas no penúltimo número (Nº 6) da revista "De Troula": "King Of Fried Chicken" (pág. 3) e "Pans & Poetry" (pág. 9).

Em resposta ao e-mail que em 25 de Fevereiro lhes enviara preocupado por nom ter recebido ainda exemplar nengum do número 6, no passado 5 de Março recebim um correio electrónico dos amigos da revista De Troula mostrando-me a sua estranheza por este facto e anunciando-me o imediato envio polo correio ordinário dum par de exemplares do devandito número junto com o os do recém saido a lume número 7 (que, como antecipo, me enviavam anexo em pdf).

Desconheço qual a razom mas o caso e que a dia de hoje ainda nom recebim o envio. Esperava à recepçom desses exemplares da revista De Troula para postar aqui, em Angueira de Suso, as colaborações da minha autoria publicadas neles mas, cansado de esperar em vao, tentei consegui-los por outros meios.

Nom foi nada fácil mas na passada sexta-feira, 23 de Março, conseguim-nos por fim. Topava-me eu na cidade de Ourense com motivo de raioto roteiro da Co.Ga.RRo. e, engraçadamente, n'A'Vereda (caminho estreito, senda)(Rua Viriato, 5) fum topar senhos (cast. sendos) exemplares dos números 6 e 7 da revista De Troula. Muito obrigado a Roberto, o sempre atencioso taberneiro! :)

De Troula Nº 6
Postamos hoje as duas ilustrações publicadas (em escala de cinzento) no penúltimo número da Revista Mensal da Movida Galega e deixamos para um outro dia as outras duas, publicadas no seu último número. Trata-se de paródias dos logótipos de duas redes de restaurantes de comida rápida: a norte-americana Kentucky Fried Chicken (KFC) e a catalá Pans & Company.

KFC
King of Fried Chicken é a traducçom para o inglês do castelhano El Rey del Pollo Frito (O Rei do Frango Frito em galego-português, alcunha pola que também é conhecido o ex-cantor, lexicógrafo, contertúlio e directivo da SGAE José Ramón Julio Martínez Márquez, Ramoncín) e as suas siglas coincidem com as do KFC original. O retrato do Ramoncín utilizado é o que aparece na capa de Como el fuego, o seu LP de 1985.

Pans & Poetry
Apesar dos ares que se dá o sabichom do Ramoncín a segunda ilustraçom é um bocado (aliás, um bocatta) mais intelectual que a primeira. Pans & Poetry é umha paródia de Pans & Company que fai referência à falsa citaçom de Arístides Silveira com a que o Celso Emílio Ferreiro introduz Janeiro 1972, o maravilhoso poema de amor que o poeta de Cela Nova dedica à sua dona Moraima:

O pan é máis útil que a poesía,
pro ¿como comer o pan sin o compango da poesía?

E que é compango? Perguntarás enquanto cravas na minha pupila a tua pupila azul. Que é compango? Tu perguntas-me? Compango és... traviz:

Compango s. m. (1) Manjar que os labregos comem com pam antes ou depois do caldo, como carne, ovos, toucinho, peixe, chouriço, queijo, etc. Sinón. Condúmio. (2) Todo o alimento (requeijom, mel, queijo, etc.) que se come com pam, excepto o caldo.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Rosalia de Warhol BASENAME: rosalia_de_warhol DATE: Tue, 20 Mar 2007 20:04:44 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: ARTISTADAS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Capa do primeiro número da revista "Galicia dende Salamanca" (Salamanca, 1996).

De entre todos os designs saidos da factoria do ReiZentolo um dos mais afortunados é, sem dúvida, o retrato da Rosália de Castro feito ao estilo dos inúmeros retratos que o Andy Warhol fijo da Marilyn Monroe.

Embora as camisolas pareçam estar já descatalogadas, na loja virtual do ReiZentolo ainda podemos comprar chávenas, crachás, chaveiros e lâminas com este POPular design.

Ignoramos de quando data o design régio-zentoleiro mas em nengum caso é anterior a Abril de 2003, data em que (segundo pudemos ler na reportagem, intitulada Estilo e mensaxes no teu peito, publicada em 22 de Abril de 2004 por CulturaGalega.Org) o Salva, o Pablo e o José Miranda começaram a estampar camisolas:

Rei Zentolo

Neste mes de abril faise un ano desde que Salva, licenciado en Historia da Arte e Pablo e José "Miranda", de Belas Artes, comezaron a estampar camisetas. (...) Naceu así Rei Zentolo, unha empresa con sede en Pontevedra que se está a facer famosa polos seus deseños de "Red Hot Peppers from Padrón" ou "Percebes".

Muito antes, em 1996, dirigida e editada polo entranhável amigo Alexandre Rodríguez Guerra, na altura leitor de galego na Universidade de Salamanca, saiu a lume o primeiro número da revista Galicia dende Salamanca (Depósito Legal: S. 762-1996 / ISBN: 84-605-5459-7). Na capa da revista o retrato da Rosália que, no mínimo um ano antes, eu figera ao jeito de Andy Warhol.

Nom vou negar que o design do ReiZentolo está melhor feito do que o meu (técnica rasca e mista de reprografia em acetato e colagem). Com certeza o alunado da Faculdade de Belas Artes de Ponte-Vedra (onde, já agora, eu próprio figem o primeiro ano do curso) sai milhor preparado do que o alunado da faculdade homónima da Universidade de Salamanca pola que eu sou formado.

Tampouco estou a dizer que os colegas de ReiZentolo plagiaram a minha ideia. Em todo caso isso terám de dizê-lo eles visto que eu nom tenho pensado denunciá-los perante os tribunais &#59;)

Ao que denunciava de boa gana, se o mau gosto fosse delito, era ao que perpetrou isto. Inda por riba o tipo deve crer que tivo umha ideia da hóstia porque se dedica a inçar a Galiza e parte do estrangeiro de horrorosos autocolantes!

Tingir a Rosália de loiro também é um acto de mau gosto, poderá dizer algum de vós. Talvez sim, mas na altura a mim pareceu-me justo e necessário fazer-lhe umha pecaminosa mudança de imagem à que injustamente era alcunhada de Santinha.

Nom sei, se queredes discutimo-lo nos comments...

Atualizaçom QUA, 25-FEV-2015

Trecho da intervençom do professor Fernando Pereira Bueno na "Mesa redonda As imaxes en Rosalía, as imaxes de Rosalía", "Rosalía de Castro no século XXI", Conselho da Cultura Galega, 21-MAR-2013).
----- COMMENT: AUTHOR: igor [Membro] DATE: Thu, 22 Mar 2007 00:12:11 +0000 URL:

Expo Cadáver em Ponferrada

O Cadáver esta vivo!, e caminha por Ponferrada. O Sábado 31 de Março, a partir das 20′30h., em Ponferrada, na Galeria de Arte Dosmilvacas.arte , na rua Avenida de Astorga nº 7, realizaremos umha exposiçom dos Cadáveres realizados, e um recital de poesia onde apresentar esses poemas, e onde qualquer pessoa participante poderá recitar os textos que lhe apeteza compartilhar com nós.
Até o momento, som um total de 56 cadáveres, 56 poemas distintos, o resultado desta experiência, na que tenhem participado já perto de 70 pessoas. Contaremos esse dia com a presência do cantautor Xosé Constenla.
Por suposto, a entrada é livre e gratuita. E desde aqui queremos animar a todas as pessoas participantes na construçom deste cadáver, destes cadáveres, a estar presentes esse dia em Ponferrada para celebrar a boa saúde do nosso cadáver. Viva o Cadáver!

=> Continua…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 21 Mar 2007 11:40:52 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Ha, ha, ha!!!

----- COMMENT: AUTHOR: jander [Visitante] DATE: Wed, 21 Mar 2007 11:30:38 +0000 URL:

obviamente… digeriu-nas com potaoes!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 21 Mar 2007 10:37:49 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Ho, ho, ho. E nom saberás por acaso, caríssimo Jander, o que aconteceu com as camisolas que o tal Armando Nosolomúsica tirou com a sua incisiva ideia? ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: jander [Visitante] DATE: Wed, 21 Mar 2007 09:02:41 +0000 URL:

en fin … quede dito q a obra ” Rosalia de castor ” e do mais grande dos falsificadores q viu nacer Ferrol e criou Compostela , o gran impostor Armando Guerreiro , nos seus tempos conhecido como Armando “nosolomusica” nos circulos atenienses ferrolanos.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Acaparateurdeprix BASENAME: title_191 DATE: Thu, 15 Mar 2007 17:23:08 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: De Troula CATEGORY: A Nossa Terra CATEGORY: CARICATURA TAGS: ----- BODY:

O laureado escritor Xosé Carlos Caneiro n?A Nossa Terra [ANT Nº 955 (05-OUT-2000), pág. 25] e caricatura do verinense publicada no periódico semanal galego [ANT Nº 956 (12-OUT-2000), pág. 19], primeiro, e na revista De Troula [De Troula Nº 4 (2006), pág. 11], anos depois.

Em 29 de Setembro de 2000 Xosé Carlos Caneiro ganhava dous prémios, o Eixo Atlántico e o Blanco Amor, por umha única obra, Ébora quinta parte dumha pentalogia cujas anteriores quatro entregas se intitularam O infotunio da soidade, Un xogo de apócrifos, Talvez melancolía e Os séculos da lua.

Na semana a seguir, o semanário A Nossa Terra dava a surpreendente notícia a meio dum artigo realizado pola jornalista Arantxa Estévez a partir de depoimentos do laureado escritor:

?O meu camiño nos prémios xa rematou?
Xosé Carlos Caneiro gaña con Ébora os prémios Blanco Amor e Eixo Atlántico no mesmo dia

A. ESTÉVEZ

(...) Ao perguntarlle se non se sinte un acaparador de prémios, precisamente por ter gañado os de máis renome na Galiza e agora facerse con dous no mesmo dia, o Venres 29 de Setembro, Xosé Carlos Caneiro recoñece padecer un pouco esa sensación (...)

[ANT Nº 955 (05-OUT-00), pág. 25]

E na seguinte semana [ANT Nº 956 (12-OUT-2000), pág. 19] A Nossa Terra publicava a caricatura do Caneiro que eu figem a partir do retrato que o Xan Carballa fijo ao verinense e que ilustrava o artigo da semana anterior.

Na minha caricatura o Xosé Carlos Caneiro (que confessara à Arantxa Estévez sentir-se um pouco acaparador de prémios) aparece caricaturado como Acaparateurdeprix e tem aos seus pés umha caixa de texto na que pode ler-se (na versom galega de quem dá nome a um dos prémios acaparados polo Xosé Carlos Caneiro naquele 29 de Setembro, e com mínimas modificações) o texto de apresentaçom do bardo Assurancetourix que aparece nos comic books de Asterix e Obelix.

?Acaparateurdeprix é o vate. As opinions sobre o seu talento estam divididas: el (e mais a crítica) pensam que é genial e os demais (o público) que é inaturável. Pero, qando está calado, é um companheiro ledo e mui querido...?

A reacçom nom se fijo esperar. Daí a duas semanas os fãs do verinense acaparavam a secçom de Cartas ao Diretor d?A Nossa Terra com duas das três missivas publicadas naquela semana polo Periódico Semanal Galego [ANT Nº 958 (26-OUT-2000), págs. 19-20].

Nom sei o que pensarám Rosa de la Parra Martínez e Emílio Cid Fernández ao relerem, sete anos depois, as suas cartas de amor ao escritor de Verim. Mas eu, que nom lim ningum livro do Xosé Carlos Caneiro mas que o sigo muito (La Voz de Galicia, Diário Cultural?), ainda cago de rir XD

Leiam, leiam...

Caneiro, fílias e fóbias

Estimado director: o motivo desta carta é o de mostrarlle o meu desagrado polo trato que se lle está dando por parte do semanário que vostede dirixe ao escritor Xosé Carlos Caneiro. Desde que este escritor galego empezou a publicar libros, mantívose unha postura de ignoráncia con respecto a el, por parte do seu xornal, pero o trato que se lle dá con motivo dos últimos prémios que lle foron concedidos paréceme o colmo. Na mini entrevista que se lle fai, como por compromiso, entrevese unha pergunta tendenciosa sobre o acaparamento de prémios, e para coroar a história o señor Suso Sanmartin apreséntanos unha caricatura lamentável. É que acaso non hai neste país a quen caricaturizar deste xeito sen ser aos nosos escritores? É que non temos de sobra quen nos desprestíxie sen facelo nós mesmos? Ou será que a envexa non nos permite ser obxectivos?

Non son crítica literária, por eso non xulgo aqui a obra de Caneiro. Eso correspóndelle facelo a outros e, por certo, creo que xa o están facendo. Non son escritora, nen xornalista, nen ninguén importante. Quen son eu, entón, para atreverme a dar a miña opinión? Son unha muller calquer deste país, pero tamén unha nacionalista que por ideoloxia e por coeréncia cos meus principios axudei na medida das miñas posibilidades a que este xornal saíse para diante, facendo subscritores ao comenzo, axudando económicamente cando foi necesario e sendo subscritora até o dia de hoxe, porque considero que debo apoiar un médio que se autodenomina nacionalista e que está na mesma liña que podo estar eu. Por esto me sinto lexitimada a dirixirme a vostede.

E por que me atrevo a falar de Caneiro? Pois porque sei que Caneiro é un nacionalista galego e como tal se ten identificado en numerosas ocasións publicamente, cousa que lle ten traído problemas moitas veces con aqueles que ódian todo o que cheire a nacionalismo, e que sabemos moi ben quen son. Que ataquen a Caneiro os xornais de dereitas antigalegos é algo que todos podemos entender, pero que o faga un xornal nacionalista que teoricamente deberia, cando menos defender aos nacionalistas, paréceme incríbel. Resulta chocante, ademais, que neste caso non se critica (ou se ridiculiza) por ser ou non nacionalista, senón porque lle dan prémios; inaudito. Por certo, quero aclarar que polo de agora Caneiro escrebe exclusivamente no noso idioma, o galego.

Son subscritora de A Nosa Terra, pero quizás me tiña que dar de baixa e suscribirme a La Región, porque polo menos sei de que van e non me levaria estas decepcións.

Para rematar permítame dicerlle que penso que a función de A Nosa Terra non é machacar aos nacionalistas, eso sobra no país quen o faga. Ou non? Creo que o que ten que facer este xornal é ser coerente cos seus princípios e non permitir que algunhas persoas utilicen este médio para mostrar as suas fóbias (ou debo dicer envexas?) persoais. Demostra moi pouca profisionalidade.

ROSA DE LA PARRA MARTÍNEZ

Caricatura de Caneiro

?Acaparateurdeprix é o vate. As opinións sobre o seu talento estam divididas: el (e máis a crítica) pensan que é genial e os demais (o público) que é inaturável?, di o caricaturista de letra miúda do Caneiro nestas mesmas páxinas. Unhas páxinas máis adiante, Xurxo Borrazás, un autor ao que tamén paga a pena ler, declara que nunca se apresentou a nengun prémio. É dicer, que hai autores como o Caneiro que papan todos os prémios e autores que non saben o que é para sentar a un prémio [sic]. A Luís Rei Núñez, o último prémio Xerais de novela, pergúntalle se se apresenta a moitos prémios e responde que ?un non escrebe para receber prémios, senón para gañar leitores para a sua causa solitária?. A causa solitária dos escritores: toda unha chamada de atención.

Os prémios non melloran nen deixan de mellorar a obra dun autor. Pobre do que lea unha obra polo prémio que lle deron e máis pobre ainda se a comprou por aquilo de que levou un prémio e logo non a le. A calidade dunha obra vai por diante dos prémios que lle podan dar ou non dar. Caneiro ten gañado moitos prémios e non vexo eu que ocupe o número un da lista dos mais vendidos. ?Créase ou non, di Arturo Lezcano, os galardóns non lle acrecentan calidade ao Caneiro, o que non quer dicer que non lle cadrasen redondos?. Acaparar todos os prémios para que logo non me lean, debe pensar o Caneiro. Deixémonos de trapalladas, os que acaparan os prémios de verdade todos sabemos quen son, pois como dixo o Ferrín: ?Antes da parte do PSOE e agora tamén hai escritores favorecidos ?xeralmente, os mesmos- polo PP?. A non ser para eses, escreber en Galiza é berrar no deserto e morrer de fame. Non sei a que espera A Nosa Terra para facerlle unha entrevista ao Acaparateurdeprix onde nos explique todo isto e moito mais.

Caneiro vive en Verin/Ébora entregado afervoadamente à composición da sua obra ebórica, lonxe do estrépito fulgurante de tanta cova céltica como existe no país que renega do seu e gaba o alleo. País que renega do seu e gaba o alleo: eis a chave de tantos asuntos que nos estragan. Cando saia publicado Ébora, xa falaremos se é ?genial? ou non é ?genial?. En calquer caso, tanto se falamos como se non falamos, que esas cousas dependen do gosto e dos intereses literários de cada quen, o que non poderemos evitar é que Ébora fale por nós, nen que a literatura galega, ou a literatura en xeral, sexa un chisco máis importante ainda. Claro que haberá quen insista no de ?inaturável?. Sempre houvo preguiceiros que prefiren fecharse no tópico para non teren que recoñecer a valia dunha obra. Fora prémios, ao mellor a fama de ?inaturável? venlle por non ser bolboreta de cenáculos. Bolboretear, un verbo de éxito. Ou pola sua condición de artista solitário. Quen sabe.

Non é nengun segredo que Caneiro ama as palavras e devece pola literatura. Ao meu ver, Caneiro sacha os regos abertos pola memória literária dos séculos, extrai dos recantos máis abruptos e gozosos da sua imaxinación a matéria que nutre as suas páxinas, viaxa febrilmente polos soños que atormentan ao home desde que o mundo é mundo, persegue con fruición os xogos de palavras ?apócrifos ou non, tanto ten- que bulen no interior da linguaxe.

Como nunca falaban de Caneiro, un dia deume por chamar a un programa galego de rádio aqui en Barcelona para falar de Tal vez melancolia e, as cousas como son, deixáronme dicer o que quixera. Desde aquela, que eu saiba, non deron notícia do de Verín, nen sequer cando gañou o Eixo Atlántico e o Blanco Amor a un tempo. E que conste que cando falo de Caneiro estoume a referir tamén a outros autores galegos. A cultura galega en Barcelona ignora a Caneiro e a outros autores galegos. Ocupada como anda en canonizar a Ramón Piñeiro, non ten tempo de pensar en mais ninguén. Algún dia teremos que falar polo miúdo da Cultura Galega en Barcelona que se expresa por boca do fantasma da filosofia da saudade e ignora a quen sobarda os límites do seu pensamento inspirado no santo Grial.

?Quando está calado, é um companheiro ledo e mui querido...?, remata o caricaturista. Cando está calado hai que deixalo porque está escrebendo a sua obra e cando non está calado é porque está falando da sua obra e das grandes obras que admira. En calquer caso, un home/obra, compañeiro ledo e mui querido sempre. Con ou sen prémios hai que ler e opinar sen prexuízos, sabendo que a do escritor é unha causa solitária, e moito máis no país que renega do seu. A verdade é que dá un certo noxo falar destas cousas nun tempo en que calquer presentador/a de televisión pode vender cen mil exemplares pondo o seu nome nun bódrio quen sabe se argallado sen escrúpulos polos ?negros? dunha editorial. O negócio da literatura, do que tamén fala Caneiro nas suas obras.

EMÍLIO CID FERNÁNDEZ
(BARCELONA)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 03 Oct 2007 17:25:53 +0000 URL:

O mermo, merminho! Para vergonha alheia a que produze escuitar a sua coluna radiofónica semanal (toda quarta-feira) no Diário Cultural da Rádio Galega! :-P

Muito obrigado, Gonzalo de Berceo, ou Vilas, ou como for… ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Gonçalo de Berçeo, ou Vilas. [Visitante] DATE: Wed, 03 Oct 2007 03:49:24 +0000 URL:

Pero este Caneiro non é o que escrebe (ou ten escrito) un cacho en galego e outro en spanish nas súas colunas? Unha das experiencias de maior vergoña allea, si exceptuamos as colunas de Casares e as andanzas do seu gato pola horta, ou as indescifrabeis babosadas de Alfred Conde.
Moi ben o de Acaparaconcursix, ou como fora….

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 21 Mar 2007 20:26:42 +0000 URL:

Nom estou eu tam certo disso, caro amigo. Ao menos eu nunca lhe lim (nem lhe ouvim dizer) ao Caneiro nada que me induzisse a pensar tal cousa dele. É “inaturável". Quando estou a escuitar o “Diário Cultural” e lê a sua “coluna de opiniom” (toda quarta-feira, por volta das 15h50, C.E.T.) para poder aturá-lo entrentretenho-me contando as vezes que o mui pedante repite a palavra “cultura"… ou “intelectual". Fai/Fazede a prova! Evidentemente, coma ti, eu nunca lhe lim ao Caneiro umha coluna inteira!

----- COMMENT: AUTHOR: O Padín [Visitante] DATE: Wed, 21 Mar 2007 15:36:20 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia

Hoje, día internacional da poesía, uma companheira colgou da parede do meu centro de trabalho um poema do ebórico vate. Case inmediatamente despois de leelo sofrim un “cólico frenético". Ecce home debe coidar que a poesía consiste en empregar palabros coma “silfo” ou “ebúrneo". O teu poste é genial: lémbrame que, junto a Federico Mejinho en los Santos, Caneiro é o colunista do que jamais fun capaz de acabarlhe um escrito. Pódeme! E os seus implacaveis defensores lembranme tamen que certos nazionanistas nom tenhen sentido do humor. Retrátanse. Ata estou convencido que o propio Caneiro sería quen de rir coa súa caricatura. Cando cala, é um companheiro moi amigable.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 16 Mar 2007 12:28:49 +0000 URL:

[Embora hoje ainda seja véspera do 17 de Março] Happy St. Patrick’s Day (Lá Fhéile Pádraig Sona Duit) 4 U2 (for you too), dear O’Lombar! E muitíssimo obrigado polos teus elogios, carão! :)

----- COMMENT: AUTHOR: o'lombar [Visitante] DATE: Fri, 16 Mar 2007 12:11:45 +0000 URL:

Esse foi um, dos teus muitos, desenhos merecentes de
figurar no “the very best of suso". E fuches valente, para além.
Feliz São Patricio day !!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Oitenta Anos de Idade (Só) BASENAME: oitenta_anos_de DATE: Tue, 06 Mar 2007 22:36:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARICATURA CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje, 6 de Março de 2007, Gabriel García Márquez fai oitenta anos.

Para celebrá-lo publicamos em Angueira de Suso, o nosso Macondo particular, a caricatura que em 19 de Abril de 1997, o mês que vem fará dez anos, figemos do autor de Cem Anos de Soidade.

Tinha para mim que o Gabriel García Marquez, Gabo para as/os amigas/os, tinha umha avó galega da que teria herdado o seu dom de narrar histórias. Mas após umha extenuante pesquisa pola internet a única confirmaçom que topei desta minha ideia foi o capítulo dum livro* de Antón Castro intitulado La abuela gallega de Gabo.

Nom é por gabar-me (que, felizmente, ainda tenho avó) mas lembro que a caricatura do Gabo me saira à primeira. Figera-a logo depois de tirar a do candidato da AELG ao Prémio Nóbel de Literatura, Xosé Luís Méndez Ferrín, que se me resistiu durante horas e horas.

Parabéns para o Gabo, pois, e que faga muitos mais!!!

* CASTRO, Antón. El sembrador de prodigios, Editorial Certeza, Colección Cantela, Zaragoza, 2005.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 09 Mar 2007 16:51:58 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

O caso é que essa procaz, lusofóbica e escatológica frase me soa muito, mas nom consigo lembrar-me de onde a lim ou ouvim. Acabo de escrever-lhe aos meus amigos do MDL a ver se eles sabem qualquer cousa.

Que se pom o vídeo, queres dizer, e nom a música apenas!? Só fum aquela vez que nos topamos mas dá pra ver que o Small é um pequeno-grande locall!

----- COMMENT: AUTHOR: Zé Pequeno [Visitante] DATE: Fri, 09 Mar 2007 10:25:52 +0000 URL: http://www.fotolog.com/fame_and_fortune

Veu-me à cabeça umha outra vinheta que falava de García Márquez (do MDL?), aquela na que rematava dizindo “Joder, no querrás que nos confundan con portugueses de mierda". Nom sei se saberás qual digo.

O vídeo d’Os Mutantes está de puta matrix, pom-se às vezes no Small (o garito onde nos vimos os caretos este verão).

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: As 7 Diferenças BASENAME: as_7_diferencas DATE: Sat, 03 Mar 2007 15:34:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOTO SUSO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

1) A fotografia da esquerda era analógica. A da direita é digital.

2) A fotografia da esquerda foi realizada em Fevereiro de 2002. A da direita, em 18 de Março de 2006.

3) A fotografia da esquerda foi feita nalgum lugar do Triângulo Mágico (Ginzo-Laça-Verim) de cujo nome nom podo lembar-me. A da direita foi feita em Regalados, Concelho de Vila Verde.

4) Embora ambas as duas fotos foram feitas no território da antiga Galécia, a fotografia da esquerda foi MADE IN GALICIA (SPAIN) e a da direita MADE IN PORTUGAL.

5) O sinal da fotografia da esquerda é bípede, tem dous pés. O sinal da fotografia da direita é monópode, tem apenas um.

6) O sinal da fotografia da esquerda trata-te por tu, tuteia-te. O sinal da fotografia da direita trata-te por você, vosea &#59;)

7) O sinal fotografado no nosso país (esquerda) nom está escrito na nossa língua. Porém, o sinal fotografado no país vizinho (direita), sim que está.

Por algo dizia Castelao (o peatón/peão retratado tanto no sinal da fotografia da esquerda quanto no da direita) que "a nossa língua está viva e floresce em Portugal".

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 08 Mar 2007 11:11:10 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Que cousas me dis, Gerardinho! Perdo-o-cho porque somos amigos, que senão… “Seja como for", muitíssimo obrigado polos elogios que, embora exagerados, sempre se agradecem :-)

E muito aguda a tua observação também (peatón relaxado vs. peão estressado). Afinal vão ter de ser “as 10 diferenças” em vez das 7! ;-) Muitíssimo obrigado a todas pola vossa participação!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 07 Mar 2007 18:59:13 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Na fotografia da esquerda o peão caminha aparentemente relaxado/despreocupado.
Na fotografia da direita, o peão caminha com o corpo ligeiramente torcido cara adiante.

Seja como for, o que é de justiça é reconhecer que este post é o melhor que li em 2007. Os meus parabéns, Suso, por teres retratado tão bem a nossa (triste) realidade!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 07 Mar 2007 12:24:25 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Ha, ha, ha. Muito aguda, caro Pepe, a tua observação. Mas ela contradiz a minha teoria de os dois peões serem a mesma Pessoa, aliás, o mesmíssimo Castelao. Olha, eu creio que na fotografia da esquerda o Castelao vai vestido à moda Zazou (não em vão em 1946-1947 Castelao, ministro sem pasta do governo da República Espanhola no exílio, residiu em Paris) e que na da direita vai, com efeito, vestido à americana (em 1938-1940 o nosso homem realizou uma digressão pelos USA com o fim de arrecadar fundos para a República Espanhola, chegando a entrevistar-se em Hollywood com Paul Muni e Joan Crawford).

Welcome Back To Angueira de Suso, Dear Ra! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: pepe [Visitante] DATE: Wed, 07 Mar 2007 09:28:05 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/novomundo/

Há outra diferença, suso: o peão da esquerda tem um casaco com as mangas mais compridas que os braços e as calças sobem-lhe acima dos calcanhares, como se fosse o aldeão das histórias, enfarpelado com roupa avulsa e emprestada para abalar à cidade grande, talvez a fazer negócios (e a ser burlado, graças à sua ingenuidade e ganância). Repara-se no outro peão: o andar decidido de quem sabe o que quer e ao que vai, o bom corte do fato e o chapéu (típico dos anos 40/50 como se
pode ver aqui:( http://imdb.com/gallery/mptv/1391/Mptv/1391/13189_0002.jpg?path=pgallery&path_key=Bogart,%20Humphrey).

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Tue, 06 Mar 2007 20:41:04 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

boeno, xa volvín.
;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 06 Mar 2007 09:41:37 +0000 URL:

Quando quero respostas eu já vou a lanevera61, o meu particular Oráculo de Delfos. Mas tu também podes vir aqui e dizer o que che pete e che dê a gana. Angueira de Suso é a tua casa. Por favor, Ra, volta sempre!!!

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Tue, 06 Mar 2007 07:34:51 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

non volvo dicir nada. a partir de xa, cando queiras respostas vés á miña casa.
8ppp

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 05 Mar 2007 13:16:47 +0000 URL:

O comentário do Sr. Ra está, como sempre ultimamente, fora de lugar. No entanto, e visto que o nosso blogue nom anda mui sobrado de comentários e o dele sim, agradecemos-lho o mesmo que se vinhesse a conto ;-p

Com o senhor Prosciutto Mourente concordo plenamente. Sempre me indignou que nos acessos às autovias e às auto-estradas galegas proibissem a entrada a veículos de tracçom animal com sinais como este e nom com outros que representassem mais fielmente a tipologia dos carros do país.

----- COMMENT: AUTHOR: Prosciutto Mourente [Visitante] DATE: Mon, 05 Mar 2007 11:37:30 +0000 URL: http://www.prosciuttomourente.blogspot.com

Ainda hai muito a fazer em matéria de sinalética neste país…

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Mon, 05 Mar 2007 11:14:19 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

mmm… eu creo que está ben…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Casa Suso" (Barcelona) BASENAME: casa_suso_barcelona DATE: Fri, 02 Mar 2007 12:14:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Hotelaria Suso TAGS: ----- BODY:

?Casa Suso?, Avinguda Rio de Janeiro, 95, Nou Barris, BCN.

Procedente do da Lavacolha, na madrugada do 11-S do ano passado um servidor, terrorista cultural de nome artístico O?Sanma, aterrou no aeroporto de El Prat.

Apesar do intempestivo das horas e do 11 de setembre ser para eles dia de muito garavulho, alí estavam para receber-me o J e o JM, dous dos meus amigos cataláns, amigos dos seus amigos e Amics d?En Dr. Cat.

Na sua imelhorável companha e na de outras/os bons/boas amigos/as cataláns/catalás, a praticar a mica de catalám que aprendera durante o ano nas aulas da Mercè, passei a Diada Nacional de Catalunya e a última semana inteira das minhas férias estivais.

Casa Suso

Aproveitei a viagem para (na Sexta-feira, 15 de Setembro, ao meio-dia) fotografar um* dos susoditos estabelecimentos comerciais que, graças à numerosíssima emigraçom galega, existem na Ciutat Comtal: o Bar Petit Restaurant Casa Suso.

Umha vez tomadas as fotos de rigor entrei em Casa Suso para tomar umha canya no mostrador. Segundo a camareira me informou o meu tocaio era de Curtis. Do que mais gostei nom foi de que ela se chamasse Mari (como cantava o Reixa com Os Ressentidos) senom de que a Mari (à sazom filha do Suso, emigrante galego) por defeito fosse catalanoparlante.

Estando em Casa Suso recebim um sms do amigo Carabassa convidando-me a almoçar com ele na república independente da sua casa. Alá fum eu prévio passo polo Caprabo (per a comprar una ampolla de vi negre) e por El Quiosq del Barri (l' Avui nostre de cada dia).

E é que se em Barcelona se encontra Casa Suso, em Barcelona o susodito se encontra como em casa!

* Digem um deles e digem bem porque na Àrea Metropolitana de Barcelona existem, ao menos, mais dous estabelecimentos comerciais homónimos nossos. Polo guia QDQ sabia já daquela que em L?Hospitalet de Llobregat havia um Restaurante Suso (Av. Fabregada, 66) que, infelizmente e por falta de tempo, nom pudem fotografar. E nas Páginas Amarelas descobrim em data mais recente a existência na própria Barcelona (Craywinckel, 5) dumha loja de roupa também coma mim chamada. Na próxima visita... na próxima ocasiom... &#59;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Lembrança do Fórum da Língua BASENAME: forum_da_lingua DATE: Tue, 27 Feb 2007 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: LA QUESTIONE DELLA LINGUA (degli coglioni) CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

José Ramom Pichel e Suso Sanmartin no acto de abertura do Fórum da Língua. Compostela, 28 de Fevereiro de 2004 (Foto: Teresa Díaz)

Convocado polo Movimento Defesa da Língua (MDL) em 28 de Fevereiro de 2004 (sábado) e na Faculdade de Filologia da Universidade de Santiago de Compostela (USC) celebrou-se o primeiro Fórum da Língua.

Os meus amigos e as minhas amigas do MDL convidaram-me a proferir o discurso de abertura, cousa que figem encantado e também, porque não dizê-lo, um bocado ressacoso.

Para celebrarmos o terceiro aniversário daquele irrepetível (?) evento a seguir publicamos em Angueira de Suso o texto ao que, tal dia como hoje há três anos, demos leitura no Salão de Graus da Faculdade de Filologia compostelana:

SÃO-CHE COUSAS DA VIDA (DE BRIAN), POR CASTELAO!

[Com peruca e óculos escuros] ?Perdoade que me apresente assim mas, como estamos no Entrudo...?

Pido perdão também polo meu galego (português ou galego-português) embora não seja eu o único culpável da minha incompetência lingüística e esta tenha muito a ver com a minha condição de galego.

Perdoade também se digo algum pecado. Por favor, não me crucifiquedes por isso.

Embora a organização do ?Fórum da Língua? tenha pensado em mim para falar neste acto de abertura porque, entre outros muitos méritos que viram em mim (e que eu não acabo de ver tão claros) tenho o de ser sócio do MDL, vou falar a título pessoal e não no seu nome.

Confio na vossa indulgência e espero não ter de pagar com a cruz a ousadia de ter aceitado o amável convite (que sincera e publicamente agraceço) do pessoal do MDL.

Fago trinta e três (33) anos em dous mil e quatro (2004) e falta pouco mais de um mês para a Semana Santa, porém não tenho vocação de mártir e não gostaria de acabar crucificado como lhe aconteceu ao meu xará Jesús Cristo e também ao seu contemporâneo e vizinho (portal com portal) Brian de Nazaré.

?É como n?A Vida de Brian?!?. Quantas vezes não teremos dito e ouvido esta frase! E é que, muitas vezes, a tragicômica realidade do luso-reintegracionismo (e outros movimentos minoritários como o nosso) supera a ficção do clássico dos Monty Python. ?A Vida de Brian? é como a vida mesma!

E falando nos clássicos qualquer ocasião é boa também para citar a denominada ?Bíblia? do galeguismo. Ainda que, para sermos mais exactos, haveria que chamar-lhe ?Antigo Testamento? porque Castelao (profeta n?A Nossa Terra) morreu deixando escritos apenas sete capítulos do Segundo Tomo (que viria sendo o ?Novo Testamento? galeguista) do ?Sempre em Galiza?.

Da afirmação de que ?Estamos fartos de saber que o povo galego fala um idioma de seu, filho do latim, irmão do castelhano e pai do português? (?Sempre em Galiza?. Livro I, Capítulo IV) provavelmente o único em que todas e todos os aqui presentes concordaremos com Castelao é em que o nosso idioma é filho do latim.

E se a língua em que hoje falamos é filha do latim e não irmã do bretão, o galês ou o gaélico...*

* e aqui quero fazer um inciso e dizer que coincido totalmente com a opinião recentemente exprimida na sua coluna d?A Nossa Terra polo meu xará Suso de Toro (não de Nazaré desta volta) em que ?enquanto cidadãos cultos e livres há que ser celtistas e reintegracionistas?.

... [se a língua em que hoje falamos é filha do latim], dizia, é porque (como reconhecia o camarada Rogers, da Frente Popular da Judéia, n?A Vida de Brian) em matéria de impérios o romano era o número um. Sabiam como se impor.

Mas, embora reconheçamos a supremacia do Império Romano não devemos menosprezar o que na nossa história o veu suceder, o Império Espanhol, dizendo como Castelao que são ?uns imperialistas fracassados?. Não convém rir muito nem muito alto (não esqueçamos que Castelao também era humorista) porque quem ri último é ri melhor e o processo de Normalização Lingüística da língua do Império, por rasca que ele seja, na Galiza avança imparável.

E se, como Castelao também di no citado trecho do ?Sempre em Galiza?, galego e castelhano são irmãos, então são como Caim e Abel. (E não fai falta dizer qual dos dous é o fratricida).

Mas o fratricídio e o cainismo não se dão apenas entre idiomas irmãos. Isso acontece nas melhores famílias, em famílias como a nossa.

Com efeito, enquanto a nova Romanização Lingüística avança as/os filhas/os de Breogam envolvemo-nos em luitas fratricidas, em guerras civís (que, como todo o mundo sabe, são as piores porque são entre irmãos) e tudo porque se há alguém que odiemos mais que aos próprios romanos essa é a Mesa pola Normalización Lingüística (dissidentes!), e mais a Asociación Sócio-Pedagóxica Galega (dissidentes!), e mais a Associaçom Galega da Língua (dissidentes!), e mais a Associação de Amizade Galiza-Portugal (dissidentes!), e mais as Irmandades da Fala de Galiza e Portugal (dissidentes!), e mais o Movimento Defensa da Língua (dissidentes!)

Ah, não, o MDL somos nós! (Foi um ?lapsus linguae?).

Divide e vencerás. Um clássico, mais um. Não sei se este ?Fórum da Língua? servirá para que (como desejam as maravilhosas pessoas que nos convocaram aqui hoje) encontremos o nosso ?mínimo comum múltiplo? ou se, polo contrário e como n?A Vida de Brian, prevalecerá o ?máximo comum divisor?.

Mas sejamos optimistas. Sejamos ludo-reintegracionistas.

E para começarmos com bom pé nada melhor que começar polo final. Portanto, como na última cena do filme ?A Vida de Brian?, olhemos o lado bom da vida e (fazendo por uma vez algo tod*s junt*s) cantemos:


?Always look on the bright side of life!?
(assobio)
?Always look on the bright side of life!?
(assobio)
?Always look on the bright side of life!?
assobio)

----- COMMENT: AUTHOR: Croios detector [Visitante] DATE: Tue, 13 Mar 2007 19:27:57 +0000 URL:

Com efeito que Croio tinha diante com esse cabelo preto…que bem o passei eu nesse fórum…parabéns suso pola lembrança

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 06 Mar 2007 09:25:41 +0000 URL:

Por nada, amigo Luís! Obrigado eu polo teu amável comentário e polos interessantes enlaces que nele colocaches. Um abraço.

----- COMMENT: AUTHOR: luiz [Visitante] DATE: Tue, 06 Mar 2007 08:56:59 +0000 URL:

É uma boa lembrança
Obrigado suso
(pelo teu papel daquela no acto e por lembrá-lo agora)
Luís

Aqui as fotos e os artigos relacionados:
http://mdl-galiza.org/galeria/f-rum-da-l-ngua/
http://mdl-galiza.org/galeria/f-rum-da-l-ngua/page/2/

http://mdl-galiza.org/content/view/177/75/

http://mdl-galiza.org/content/view/63/32/

http://mdl-galiza.org/content/view/108/43/

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sat, 03 Mar 2007 13:07:43 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

(*^-^*)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Fri, 02 Mar 2007 16:30:22 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Suso, mais uma vez, ergo o chapéu perante a tua vasta (que não basta) cultura :-D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 02 Mar 2007 12:28:13 +0000 URL:

The answer, my friend, is MOOin’ in YouTube! ;) MUUUitíssimo ubregado, meu amigo Nem-Tele-Nem-Gaitas! ;)

----- COMMENT: AUTHOR: nemtele [Visitante] DATE: Fri, 02 Mar 2007 10:22:49 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/nemtele

à fim e ao cabo… que fizerom os espanhois por nos?
noraboa polo artigo, dissidente!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 01 Mar 2007 11:50:57 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

A primeira frase por ti citada, que pertence ao presidente norte-americano Franklin Delano Roosevelt e é referida ao ditador nicaraguano Anastasio Somoza García, di literalmente assim: “Somoza may be a son of a bitch, but he’s our son of a bitch” (é dizer, “Somoza pode ser um filho da puta, mas é o nosso filho da puta").

Se nos guiamos por D. Álvaro Cunqueiro, a segunda ("We are galician people and we don’t understand the eachother") foi pronunciada em Póvoa de Sanábria por um dos que ia numha “tropa de galegos chamada polo rei de Castela para campanhas contra o mouro na linha do Tejo".

OBS: Como nom podia ser doutro jeito, Grouchadas som sempre bem recebidas em Angueira de Suso ;)))

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 01 Mar 2007 11:01:08 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Sem qualquer animus iniuriandi (livre-me a Demiurga e Suma Fazedora), apenas lembrarei uma frase que não é minha, mas que utilizo muito: tal ou qual serão uns cabrões, mas são OS NOSSOS cabrões.

E antes de preferir os romanos deveríamos tender pontes cara aos nossos cabrões. A fim de contas, os nossos cabrões são cabrões para nós… e nós para eles. E isto é assim proque falamos o mesmo idioma (mas não a mesma linguagem).

E esses romanos (eu também os prefiro, mas não os seus imitadores fracassados mesetário-estepários) falam idioma distinto. Então, concluo, sempre estaremos mais próximos dos nossos queridos/odiados cabrões do que dos pseudoromanos-mesetário-estepários, que não compartilham connosco o elo comunicacional básico: o idioma.

O problema é das linguagens, porque somos galegos e não nos entendemos (prometi não utilizar o tópico, mas acabou indo).

OBS: este post não o supera nem Groucho, haw, haw, haw! (riso do ‘Lindo Pulgoso’ ;))

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Thu, 01 Mar 2007 10:51:02 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Precisamente nesse Fórum foi que pude conhecer em pessoa muitos ‘disidentes’ do sistema :-D

A verdade é que para mim foi uma experiência muito grata esse 28-F, se bem não guardo testemunho gráfico.

O que sim conservo é o diploma que acredita a minha participação, que guardo como pequeno tesouro :)

A tua intervenção, a menção va-queira e os fragmentos da Vida de Brian… ainda hoje plenamente actuais 3 anos depois (por desgraça).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 28 Feb 2007 13:24:13 +0000 URL:

O conto que me contas é um conto triste. No entanto, always look on the bright side of life, berremos: Menos mal que nos queda o Zebral! Viva Galiza Solitária! Um forte abraço, Carlos.

----- COMMENT: AUTHOR: Carlos Figueiras [Visitante] DATE: Wed, 28 Feb 2007 11:36:49 +0000 URL:

E eu agora sou um dos assinalados como dissidente
ha, ha, ha!
Ainda bem, nem sempre os romanos são os piores…
sempre respeitei aquele homem só
sentado no circo
com dignidade.

Algumas pessoas deveriam rever-se no filme três anos depois!

Até prefiro os romanos!

Abraços Suso.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: melòmans. com tu BASENAME: melomans_com_tu DATE: Thu, 22 Feb 2007 13:19:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos CATEGORY: CARICATURA TAGS: ----- BODY:

"Melòmans. com tu". Tempos Novos Nº 117 (FEV 2007) pág. 7.

Como anunciado publicamos aqui hoje a nossa ilustraçom para os Dias Soltos do Bieito Iglesias publicada no último número da revista Tempos Novos.

Trata-se dumha paródia do audaz cartaz protagonizado polo Carod que Esquerra Republicana (Som com som, som com tu) tirou para a campanha eleitoral das eleições ao Parlament de Catalunya celebradas no 1º de Novembro de 2006.

A potente imagem roviriana veu-me à mente quando lim um dos Dias Soltos que, em 25 de Janeiro, o jornalista Iago Martínez me enviou por correio electrónico para a sua ilustraçom:

LE PLAT PAYS
Pairan horrísonas gavotas no anaco de ceo visible desde a miña xanela e a invernía poucas oportunidades lle dá ao contento. Finou Madeleine, unha ex-amante de Jacques Brel, probablemente morreu tamén Marieke (un idilio de mocidade do cantor belga), el propio sobrevive somente nos discos, na acordanza dos admiradores e desde logo na voz deste melómano after-shave (canto ao aviar a barba). Por cima hai que apandar coas consecuencias dos crimes de tarados que pensan que a liberdade nacional, social ou individual se conquista vitimando inmigrantes ecuatorianos fillos de nais descalzas.

[IGLESIAS, Bieito. Dias Soltos, Tempos Novos Nº 117 (FEV 2007), págs. 6-7]

Desenhei a caricatura do Bieito Iglesias (a terceira que fago do autor d'O mellor francés de Barcelona) na noite do 29 de Janeiro, segunda-feira, e no dia a seguir, terça-feira 30, à tarde, enviei para Tempos Novos a ilustraçom terminada.

Para dar-lhe um maior tom melomaniático ocorreu-me cruzar o nome do escritor ourensano com o do polêmico encenador catalám Calixto Bieito.

Na quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2007, recebim na minha morada o último número da revista Tempos. Fiquei surpreendido ao comprovar o como a palavra "melòmans" aparecia em cor amarela. Nom é que eu nom a enviasse assim mas esperava que, como habitual, a minha ilustraçom saisse publicada em escala de cinzento. Se o chego a saber dou cor também à toalha!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 28 Feb 2007 12:30:23 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Por algo dizia “Kermit The Frog” (conhecido por “Cócas, o Sapo” em Portugal, “Caco, o Sapo” no Brasil, “la rana René” na hispano-américa e “la rana Gustavo” no Estado espanhol) “It’s Not Easy Bein’ Green".
E a Chenoa (conhecida polo seu aguante na hora de fazer o amor) acrescentava: “cuando tú vas… yo vengo de allí” ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Zé Pequeno [Visitante] DATE: Tue, 27 Feb 2007 19:20:23 +0000 URL: http://www.fotolog.com/fame_and_fortune

Nom digas isso, Susinho! De feito o Domingo na hora do café (numha cafetaria) contei-lhe aos meus colegas o conto de “estou-me a vir” pero nom lhes fijo muita graça. Que duro é ser reintegrata *sigh*

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 26 Feb 2007 20:11:33 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Na verdade ao primeiro resultou-me um pouco dificil diferenciar as vossas vozes porque todos falávades co mesmo “meco” sotaque. Mas afinal sim, afinal identifiquei a tua perfeitamente.

Está visto que nom vos interessa um caralho o que vos conto neste blogue porque se vos dignades a comentar-me algo é em resposta aos comentários que eu deixo nos vossos blogues ou fotologues ;-p

Thank you for the visiting, anyway! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Zé Pequeno [Visitante] DATE: Mon, 26 Feb 2007 18:15:41 +0000 URL: http://www.fotolog.com/fame_and_fortune

A que te referes co que nom digem nada? A que nom falei? ;-) Nom será que confundias as vozes? O de pôr-lhe o link ao nome olvida-te, fotolog is such a technology disaster.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 23 Feb 2007 19:15:11 +0000 URL:

O amigo Ra refere-se, com certeza, à odiosa comparaçom que figem no comentário que esta manhã deixei no blogue do pavochungo e nom à comparaçom entre Carod-Rovira e Bieito Iglesias de que vai este post. Desculpas mil e um milhom de obrigados pola visita! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: ra [Visitante] DATE: Fri, 23 Feb 2007 13:12:00 +0000 URL: http://lanevera61.com/serendipity/categories/4-pavochungo

hai comparacións que non deberían facerse nunca!!!
saúdos, susodito suso!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Suso Peluquería" (Ginzo de Límia) BASENAME: suso_peluqueria_ginzo_de_limia DATE: Mon, 19 Feb 2007 21:52:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Cabeleireiros Suso TAGS: ----- BODY:

Publicamos hoje, segunda-feira, as fotografias de um susodito estabelecimento comercial que por acaso descobrimos ontem, Domingo de Entruido, en Ginzo de Límia (repare-se no cartaz colado na porta do local).

Suso Peluquería, cabeleireiro sito na céntrica Praça João XXIII da vila limiã, nom se topa ainda nas Páginas Amarelas nem no guia QDQ. Por isso presumimos que deve levar pouco tempo aberto. De Angueira de Suso desejamos muita sorte ao nosso tocaio no seu empreendimento empresarial. E QUE VIVA O ENTRUIDO!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: EL PIS BASENAME: el_pis DATE: Sat, 17 Feb 2007 22:13:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: VÁRIOS CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Como todas e todos bem sabedes, desde o passado 22 de Novembro de 2006 podemos topar nos quiosques galegos umha ediçom galega do jornal madrileno El País que trouxo como grande novidade a possibilidade de lermos em castelhano escritoras galegas e escritores galegos que, até a data e para Galiza, sempre escreveram em galego.

EL PIS

A minha paródia escatológica da cabeceira do El País já e velha. Deve datar de 1993-94 pois aparece identificando a porta da casa de banho numha fotografia realizada no corredor do andar que naquele ano acadêmico compartilhava com outros três estudantes galegos em Salamanca. Mas, na altura, era a piada pola piada, nom havia na paródia mais intençom do que essa nem podia imaginar eu que treze-catorze anos depois viria tê-la.

Com efeito, na sexta-feira 24 de Novembro de 2006 (é dizer, no terceiro dia de existência da Edición Galicia do El País), durante a performance audiovisual de Marc Leclair & Gabriel Coutu-Dumont (radiado encerramento do Video Heroes) no auditório do CGAC, o meu cérebro fijo umha urológica associaçom entre aquela velha ideia e aqueloutra célebre frase atribuida a Castelao: EL PIS - Edición Galicia / "mejam por nós e temos que dizer que chove"*.

Feliz ideia, pensei no momento, mas enseguida me dim conta de que havia nela algo que nom funcionava. A imprensa madrilena, com efeito, meja por nós. Mas é que a imprensa galega leva 125 anos fazendo-o e nós tam contentes! Esta evidência, unida ao afecto que sinto por muit*s d*s colaboracionistas, tirou-me o ânimo de plasmar e publicar aquela ideia que, vai para três meses, tivera no CGAC. Até hoje.

Eureka!

Ante-ontem quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2007, recebim o último número de Tempos Novos. Para além de umha ilustraçom minha (que proximamente publicaremos e comentaremos aqui) o número 117 da revista Tempos traz várias referências à polêmica das/dos escritoras/es do país galego publicando as suas opiniões em castelhano na ediçom galega do El País. Na Obertura o meu tocaio de Toro explica a sua controversa decissom (Entre Escila e Caribdis, pág. 3) e nas páginas de humor gráfico que ele mesmo coordena (¡Guau, guau!, págs. 64-65) o meu colega Pepe Carreiro fai-lhe dizer a um cam: "Agora, grazas á edición galega de "El País" podemos ler os nosos escritores en español".

Estas leituras figeram-me retomar a ideia e ontem, sexta-feira 16 de Fevereiro, num momento de inspiraçom, conseguim dar-lhe à mesma a última volta de porca: a frase atribuida a Castelao deveria aparecer parcialmente traduzida ao castelhano ("mejam por nós e temos que dizer "que llueve"") ou, melhor ainda, traduzida de tudo ("nos mean encima y tenemos que decir que llueve").

Com a ideia definitivamente clara pugem-me maos à obra... et voilá!

* Em vao procurei entre as Cousas da Vida (6 volumes) e as Cousas da Vida no Faro de Vigo a devandita frase atribuida a Castelao. Terá o Ernesto Vázquez Souza, o Íker Ximenes do galeguismo, ou algum/algumha das/dos minhas/meus cultíssimas/os leitoras/es, algumha pista sobre a sua procedência? Será bem agradecida qualquer informaçom &#59;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 24 Apr 2007 16:03:35 +0000 URL:

Este da mictória frase atribuida a Castelao vai caminho de converter-se num autêntico Expediente X. Leiam senom o que di o Antón Patiño no último parágrafo da coluna que hoje (TER, 24-ABR-07) escreve na Edición Galicia do El País

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 21 Feb 2007 21:19:34 +0000 URL:

E obrigadíssimo também por isto! Acabo de vê-lo :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 21 Feb 2007 21:13:23 +0000 URL:

É engraçado porque todos empregamos a frase atribuindo-lha a Castelao e cada um de nós (Ernesto Vázquez Souza, José Manuel Outeiro, Gerardo Uz e eu) tem uma ideia diferente sobre a sua procedência (Vida Gallega, Sempre em Galiza, cartazismo estatutário e Cousas da Vida, respectivamente). É um grande mistério, é uma comoção ;)

E muitíssimo obrigado, Gerardinho! :)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 20 Feb 2007 16:35:44 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Não faço ideia de onde aparece a frase (nalgum cartaz sobre o estatuto do ‘36????), mas este post-imagem é, simplesmente, sublime.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 19 Feb 2007 23:14:52 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado, José Manuel! Parabéns a ti também pola tua brilhante análise… de urina! Ha, ha, ha! Eu tampouco tenho certeza de que a frase atribuida a Castelao apareça no Sempre em Galiza. Umha “diurética” para quem dê a resposta correcta!

----- COMMENT: AUTHOR: J. Manuel Outeiro [Visitante] DATE: Mon, 19 Feb 2007 22:37:28 +0000 URL: http://blogue.outeiro.com

Parabéns polo texto e mais pola composiçom gráfica, que me permito usar hoje mesmo no meu blogue referindo este e o seu autor.

A frase de Castelão acho que é do Sempre em Galiza, mas nom tenho certeza.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 19 Feb 2007 19:00:30 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado, caro Ernesto, pola tua resposta. A ver se entre todas e todos conseguimos descobrir a misteriosa procedência da tantas vezes citada citaçom.

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Sun, 18 Feb 2007 18:58:37 +0000 URL:

Pois não. Sinto-o. Não che tenho o meu arquivo em condições!! Talvez nalguma capa de Vida Gallega?

Mas deixo escrito no meu caderno para quando salte a frase atribuida.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Suso Moda" (Sam Genjo) BASENAME: suso_moda_sam_genjo DATE: Fri, 16 Feb 2007 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Butiques e Sapatarias Suso TAGS: ----- BODY:

?Suso Moda? (Rua Luís Vidal Rocha, 6. Sam Genjo).

Um dia depois de fotografar em Porto Novo a boutique do meu tocaio, na manhá do sábado, 29 de Agosto, desloquei-me Sam Genjo com o único propósito de tirar as fotografias dos dous susoditos estabelecimentos comerciais que, segundo o guia QDQ, existiam na Rua Luís Vidal Rocha da capital municipal: Zapatos Suso (Nº 4) e Suso Moda (Nº 6).

Topei o Suso Moda onde o QDQ dizia, no número 6 da Rua Luís Vidal Rocha, mas no número 4 da mesma rua, em vez de topar-me com um outro estabelecimento comercial coma mim chamado, com o que me topei foi com isto. Até logo, Lucas!

ÚLTIMA HORA: Na hora de editar este post, procurando Zapatos Suso nas Páginas Amarelas, acabo de descobrir que em Sam Genjo existe um Suso Zapatos no número 40 da Rua Ramón Cabanillas. Semelha que o meu tocaio sapateiro se mudou de local sem que os do QDQ se inteiraram. Continuaremos a informar.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ?Suso Moda? (Porto Novo) BASENAME: suso_moda_porto_novo DATE: Fri, 16 Feb 2007 12:33:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Butiques e Sapatarias Suso TAGS: ----- BODY:

?Suso Moda? (R. Marina, 1. Porto Novo).

A pouco a pouco vamos publicando em Angueira de Suso as fotografias que, de diferentes estabelecimentos comerciais homónimos nossos, figemos no último verao: Cristalería Suso (Ponte-Vedra), Panadería Suso (Tápia de Casarego), Foto Suso e Pescados Suso (Guitiriz)?

Hoje toca-lhe a vez a Suso Moda, susodito estabelecimento comercial sito em Porto Novo, concelho de Sam Genjo (freguesia de Adina e comarca do Salnês).

As fotos forom feitas na sexta-feira, 28 de Agosto de 2006, pola Teresa e mais por mim. As duas de acima som minhas e dela som as duas de abaixo. O fotógrafo fotografado na fotografia inferior-esquerda som eu. Eu e a minha circunstância &#59;)

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "dous rollos distintos" BASENAME: dous_rollos_distintos DATE: Tue, 13 Feb 2007 09:46:31 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: De Troula TAGS: ----- BODY:

[De Troula Nº 3 (2006), pág. 14]

Publicámos hoje em Angueira de Suso umha charge que realizamos para a sua publicaçom no Nº 28 (de Março de 2003) da revista O Cartafol mas que permaneceu inédita até que no ano passado veu a lume no número 3 da revista De Troula.

Apareceram no devandito número da Revista Mensal da Movida Galega duas criações nossas: a que publicávamos no post anterior (pág. 3) e mais a que a colaçom trazemos hoje (pág. 14).

Desenhei esta charge no dia 11 de Fevereiro de 2003 e nesse mesmo dia enviei-na para o Serviço de Normalizaçom Lingüística (SNL) da Universidade de Santiago de Compostela (USC), organismo responsável pola publicaçom d'O Cartafol.

Nom interessa aqui e agora porquê mas a minha charge nom respondeu ao que as/os amigas/os do SNL esperavam de mim. Assim que dous dias depois, é dizer, tal dia como hoje há quatro anos, realizei e enviei umha segunda ilustraçom que, no mês a seguir, apareceria n'O Cartafol ilustrando o editorial.

Dedicatória

Eu nom lembro mas devim mostrar o desenho que hoje nos ocupa (ou senom contar a piada de palavra) ao meu bom amigo Eugénio Outeiro porque o Eduardo Maragoto (a quem de palavra e por sua vez lha teria contado o amigo Eugénio) ma comentou a mim quando em 16 de Abril (Domingo de Páscoa e Aberri Eguna) regressávamos juntos (a Maria, o Jacobe e mais nós) das nossas férias em Euskal Herria. Comentou-ma a desfazer-se nuns elogios que, a modéstia nom, a memória me impede reproduzir e que, como é lógico e natural, me encheram de satisfacçom.

Foi isso o que me encorajou a enviar às/aos amigas/os da revista De Troula a minha inédita charge com umha petiçom, que ao pé da mesma colocassem a seguinte dedicatória: "A Ugio Outeiro e Edu Maragoto".

No sábado 1º de Julho de 2006 recebim na minha antiga morada compostelana dous exemplares no número 3 da revista De Troula. Segundo as/os amigas/os da revista me explicaram um "erro informático" fijo com que os nomes do Ugio e do Edu ficassem ocultos detrás da imagem.

O que há sete meses a informática impediu que a informática o permita hoje. Com todo o carinho e gratidom tenho o maior prazer em dedicar esta charge aos meus grandes amigos Eduardo Maragoto e Eugénio Outeiro. Eles, e agora vós também, já sabedes porquê :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sat, 17 Feb 2007 22:34:55 +0000 URL:

Caros Ugio & Edu: agradecido e emocionado somente podo dizer “obrigado por virdes” ;)

----- COMMENT: AUTHOR: Ugio Outeiro [Visitante] DATE: Sat, 17 Feb 2007 21:07:48 +0000 URL: http://extramuros.agal-gz.org

Mostraras-ma tu, a charge, um dia que tinha ido à tua casa por alguma coisa. Foi antes, acho, de a teres enviado ao Cartafol,ou mesmo depois de que ta deram de volta. E, amiguinho, eu tinha de comentar porque isso está demais…

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Fri, 16 Feb 2007 23:07:20 +0000 URL:

fantástica!/mola

beijons/muas

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 16 Feb 2007 19:16:07 +0000 URL:

Concordo contigo, amigo Pepe / Pedro de Almeida. Esta era uma piada para o consumo interno. O público alvo desta piada eram as galegas e os galegos da Comunidade Autónoma de Galiza, nom portugalegos como tu. O que eu menos esperava era que o primeiro comentário viesse do além-Minho, mas estas são as agradáveis surpressas que nos depara a internet. Muitíssimo obrigado!

E muitíssimo obrigado a ti também, amigo Uz, embora seja precisamente do “desenho” da parte charge da que menos satisfeito estou ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Wed, 14 Feb 2007 12:20:40 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Magnífico o desenho, Suso!

----- COMMENT: AUTHOR: pepe [Visitante] DATE: Wed, 14 Feb 2007 12:16:38 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/novomundo/

É verdade, “cada um foi à sua bola". Mas suas vivências, sonhos e realidades estão, como raramente na sua História, tão próximas de modo a se poderem ajudar mutuamente. Como sempre, nestas coisas, a cultura anda a reboque da pragmática geo-política: o desconhecimento cultural que, de facto existe entre o cidadão comum, é ultrapassado pelo lado profissional e lúdico das relações que se vão criando entre as duas margens do Minho.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Este vai-se e aquel vai-se... BASENAME: este_vai_se_e_aquel_vai_se DATE: Thu, 08 Feb 2007 19:46:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: De Troula CATEGORY: Xó! TAGS: ----- BODY:

Inteiro-me polo meu amigo Post Scriptum, pessoa bem informada onde as haja e afervoado caetanista coma mim, de que o Caetano Veloso tem novo disco no mercado () e que nele inclui umha música (Porquê?) na qual repete, inúmeras vezes e com sotaque português, a frase Estou-me a vir.

O cantor baiano explicou asssim ao jornal Extra (SÁB, 16-SET-06) o emprego da expressom portuguesa:

?Acho bonita a maneira como, lingüisticamente, os portugueses resolveram a questão (do orgasmo). No Brasil, usamos o verbo gozar, como na França. Mas é como se estivesse acabando alguma coisa. Estou-me a vir é reflexivo, ou seja, fala de si próprio. E ainda dá uma idéia de continuidade?.

Com efeito, "vir-se" é para os portugueses o que para os espanhois é "irse", é dizer, ejacular, expulsar o sémen. Mesma direcçom, sentido contrário. Onde um brazuca diria "estou gozando" (que é gerúndio) um tuga diria "estou-me a vir" (infinitivo gerundial).

"Me voy" diria um espanhol, e um galego, pola perniciosa influência da língua deste, diria "vou-me" ou que "me vou".

Seja como for, este apontamento (muitíssimo obrigado, caro P.S.!) dá-me o pretexto que precisava para publicar em Angueira de Suso umha velha charge, a que ilustra este post, cuja publicaçom tinha pendente desde havia algum tempo e que com antecedência já publicara em papel em três revistas diferentes:

Eis Nº 8 (1993), pág. 11
Xó! Nº 37 (Dezembro 1999), pág. 4
De Troula Nº 3 (2006), pág. 3

Nela pugem em boca dos amantes uns conhecidos versos rosalianos que, nas suas bocas e graças as interferências lingüísticas do castelhano sobre o galego, cobram um sentido completamente diferente. Ele, meio desculpando-se, di-lhe a ela "Adiós, adiós que me vou". Ela, resignada perante a efemeridade do acto amoroso, soluça, salouca: "Éste vaise i aquél vaise / e todos, todos se van".

"Adiós, adiós, que me vou" é um verso de Adiós, ríos; adiós fontes, décimo quinto poema de Cantares Gallegos, obra de Rosalia de Castro publicada o 17 de Maio de 1863.

"Éste vaise i aquel vaise / e todos, todos se van" som, por sua parte, dous versos de As viudas dos vivos e as viudas dos mortos, poema de Follas Novas, poemário rosaliano de 1880.

"Follas Novas"!!?? Devido à "perniciosa influência" do castelhano, de que falava antes, devo esclarecer que aqui "follas" é o plural de "folha" (órgao apendicular, de forma variada, geralmente plano e de cor verde que se desenvolve no caule e nos ramos das plantas e geralmente constituída por bainha, pecíolo e limbo) e nom a segunda pessoa do singular do presente do indicativo do verbo "follar" (foder, copular);)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sat, 17 Feb 2007 22:40:19 +0000 URL:

:-) Que bom é ouvir-che dizer isso, caro Ugio! Daquela (1993) ainda nom nos conhecíamos mas já era claro que estávamos predestinados! Um abraço muito grande!

----- COMMENT: AUTHOR: Ugio Outeiro [Visitante] DATE: Sat, 17 Feb 2007 21:31:49 +0000 URL: http://extramuros.agal-gz.org

Guardo ainda esse número da revista Eis como um tesouro. De facto, há umas quantas ilustrações tuas por lá realmente geniais: ONAN, Galiza C&B, Galiza/Canárias e o absolutamente mítico Self-Determinator.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 16 Feb 2007 19:00:02 +0000 URL:

Do mesmo jeito que “quase todos os dias som after-shave” (Antón Reixa dixit), quase todos os post som post-coitais. Mas este último post (nom foi o derradeiro, como tiveches ocassiom de comprovar) era ademais “coital” no sentido de relativo ao coito, cópula ou tiquetaque sexual X-D Muito obrigado a ti também, amigo Uz!

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Tue, 13 Feb 2007 18:59:10 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Concordo com o Padim em que é um post muito completo; casam muito bem a imagem e o texto, a sério!

Nota: espero que isso de “último post coital” seja último de ser o mais recente, e não ‘último’ com significado de ‘derradeiro’ X-D

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 12 Feb 2007 10:31:10 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Muitíssimo obrigado, caro Franjo, polos teus amáveis comentários a este meu último post coital. Para mim é um prazer tanto visitar o teu magnífico blogue quanto receber a tua visita no meu. Quando “um dia destes” venhas a Compostela comentamos ao vivo e em directo. Um abraço virtual até daquela!

----- COMMENT: AUTHOR: Franjo Padin [Visitante] DATE: Sun, 11 Feb 2007 16:51:54 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia/index.php

Venho devolver as tuas visitas, meu caro.

O caso é que esta é uma das tuas melhores vinhetas. Inteletualismo e procacidade juntos da mao. Post amorem omne animal triste.

Saúde, hei ir por Compostela um dia destes, ja avisarei para combinar.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Lapaman, O Homem Lapa BASENAME: lapaman_o_homem_lapa DATE: Mon, 05 Feb 2007 10:48:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: BD / HQ CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Lapaman, O Homem Lapa. H2Oil (Colectivo Chapapote, 2003), pág. 50.

Las rías reciben dosis de veneno
El fuel alcanza de nuevo arenales de Baiona, Nigrán, Vigo, Cangas y Bueu

REDACCIÓN. VIGO/BAIONA/CANGAS

El fuel procedente del Prestige ha vuelto a envenenar la Ría de Vigo y la entrada de la de Pontevedra. Galletas de hasta veinticinco centímetros y pequeñas bolas de hidrocarburo se han extendido en las últimas horas por diversos arenales de Baiona, Nigrán, Vigo, Cangas y Bueu (...).

También la playa de Lapamán(Bueu) se ensució ayer del fuel procedente del Prestige.

FARO DE VIGO. Quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2003, pág.23.

Em 5 de Fevereiro de 2003, é dizer, tal dia como hoje há já quatro anos, o Faro de Vigo informava da chegada à Praia de Lapamam (Morraço) da maré negra do Prestige.

Rondava a minha cabeça desde havia anos a ideia da criaçom dum super-heroi que levasse por nome o do fermoso areal compartilhado polos concelhos de Bueu e Marim.

Lapaman seria o homem-lapa resultante dumha mutaçom (leia-se humanizaçom) que teria transformado umha vulgar lapa (Patella vulgata) numha criatura extraordinária tipo as Teenage Mutant Ninja Turtles.

O quê teria provocado essa fantástica mutaçom nom o sabia ainda mas a má notícia dada polo Faro naquele dia cinco de Fevereiro deu-me a excussa que precisava.

Segundo consta no meu caderno de bitácora trabalhei em Lapaman durante o mês de Março de 2003.

Três meses antes, em Dezembro de 2002, nascera o Colectivo Chapapote cum objectivo primordial, a ediçom dum álbum de banda desenhada, "un álbum colectivo que mostrasse de jeito caleidoscópico a nossa indignaçom polo curso dos acontecimentos que terminaram com o afundimento do Prestige e com as marés negras mais devastadoras que sofreu nunca a costa galega".

O comic book do Colectivo Chapapote (que era para chamar-se Formato Prestige mas que finalmente se chamaria H2oil e que trazia o meu Lapaman na sua página 50) apresentou-se em 11 de Agosto de 2003, dentro da sexta ediçom do Vinhetas desde o Atlântico da Corunha, atingindo grande sucesso de crítica e público.

Aqui podes, se queres, descarregar o H2Oil em pdf.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 06 Feb 2007 09:54:07 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Os croios som de pedra. De pedra som as lapas etcétera…

Muitíssimo obrigado, carão! E as camisolas (de Lapaman) são para o verão! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Croio's detector [Visitante] DATE: Mon, 05 Feb 2007 17:45:30 +0000 URL:

Já sabes meu fascínio polo Lapaman, eu groupie das praias de Marin’e e bueu. Parabéns polo superheroi, eu quero uma CAMISSOLA DO LAPAMAN!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Cachimbo pola Paz exige na rua libertaçom de Manoel-António (Rianxo, 28-JAN-00) BASENAME: cachimbo_pola_paz_exige_na_rua_libertaco_00 DATE: Tue, 30 Jan 2007 19:08:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

1ª Parte (6'09'')

2ª Parte (8'40'')

Aconteceu em Rianxo há sete anos (e dous dias).

Convocadas pola Coordenadora Cidadá Cachimbo pola Paz e sob o lema Basta já! Manoel-António a casa! em 28 de Janeiro de 2000 dúzias de pessoas se concentraram perante a casa natal do poeta, sequestrado desde havia 44 anos a maos de Domingo García-Sabell, para exigirem a sua imediata libertaçom.

Ao ser-nos impossível tê-lo pronto para a efeméride de ante-ontem domingo (28 de Janeiro de 2007, septuagésimo sétimo aniversário da suposta morte de Manoel-António) como eram as nossas iniciais intenções, publicamos hoje, 30 de Janeiro de 2007 (centésimo vigésimo primeiro aniversário do nascimento dum outro rianxeiro ilustre, A. R. Castelao), o vídeo que a jovem Antía Melba González Fernández (filha de Pilar e Antón Vilariño, bons e generosos amigos meus), que na altura contava com apenas treze anos de idade, gravou naquela mágica noite.

Sete anos (e dous dias) depois, falecidos já três dos seus quatro sequestradores [Roxélio Pérez González Roxerius (+1963), Domingo García-Sabell O Bibliótafo (1909-2003) e Raimundo García Domínguez Borobó (1916-2003)], o poeta Manoel-António continua em paradoiro desconhecido.

E igual que Cachimbo pola Paz (paipa en forma de interrogaçom) fazia há sete anos (e dous dias), hoje nós perguntamos: QUEM SABELL ONDE?

A Borobó, o sequestrador arrependido, In Memoriam.
----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Mon, 05 Feb 2007 09:29:52 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Obrigadíssimo, carão! Ansiosos estamos por saber o que o Íker Ximenes do galeguismo (De Catro a Cuatro) topa a remexer nesses caixotes. Estaremos com os olhos de vidro (e com as restras de alhos) alerta por se acaso. Saúde e Terra!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Sat, 03 Feb 2007 22:57:12 +0000 URL:

Óptimo, caro e escaralhante.

Hei remexer muitos caixotes algum dia à vossa saúde.
Porém, como investigador do oculto, tenho o dever de vos advertir que suspeito que Garcia-Sabell, não era um Bibliotafo, nem um biblioclasta, nem um bibliopirata qualuqer. Era um vampiro. Estai com o olho de vidro alerta.

Saúde

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Wed, 31 Jan 2007 19:37:54 +0000 URL:

O “percurso post-manifestaçom polas tabernas do porto rianxeiro” levo-o eu gravado no peito. E nom é, como tu bem sabes, licença poética, que sete anos e três dias depois de fazer aquela animalada (deixando-me levar pola euforia etílico-poético-militar) ainda me doi a contrac(ul)tura osteo-muscular.

E o meu “zulo” da Rua Arcos Moldes era bem “chulo", que desde ele podiam ver-se a diário os “gigantescos” pôr-do-sois (dos que falava Manoel-António no seu epistolário) trás a Serra do Barbança. “Nom tudo em Rianxo é pequeno” (M-A).

Abraços dum de Bueu exilado no bairro da Guadalupe (como vês Sempre em Rianxo embora fisicamente me tope em Compostela).

----- COMMENT: AUTHOR: Jesu [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 16:18:38 +0000 URL:

Parabéns polo video. Quantas lembranças daquel día em Rianxo!! Mágoa nom ter gravado o percorrido post-manifestaçom polas tabernas do porto rianxeiro, recitando en alto os poemas de “De Catro a Catro” entre taças de ribeiro e gin-tonics. Umha jornada de luta e festa nada durante as cabriolas mentais nas tardes-noites de debates e cafés no teu “zulo” de detrais do colegio de Rianxo (Rúa Arcos Moldes). Apertas dum rianxeiro exiliado no bairro de Sar (Compostela).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 13:11:06 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Com efeito, foi umha luita sem quartel que começou na quinta-feira 18 e nom terminou até às quatro e dez da manhã da segunda-feira, 29 de Janeiro de 2007. No dia a seguir tinha de levantar-me às oito para vir trabalhar mas, embora nom pudesse publicá-lo aqui até daí a um par de dias por cousa de subí-lo ao YouTube e tal, queria tê-lo pronto para o mesmo dia em que se completavam setenta e sete anos desde a suposta morte de manoel-antónio e sete desde O Gesto de Cachimbo pola Paz (DOM, 28-JAN-07). As altas horas às que terminei nom desculpam mas explicam algumhas das gralhas que cometim na legendagem (escrever “acabar” com “v", por exemplo).

Quando quiseres. Muitíssimo brigado polo convite a dar umha volta nesse pailebote branco, branco como o laço que simboliçava a nossa luita e que, se reparas bem, o mesmíssimo Borobó leva na lapela. Beijocas.

----- COMMENT: AUTHOR: sara jess [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 12:51:37 +0000 URL: http://www.ocartafoldesilencios.blogspot.com

home, Susinho. vostede é todo un superman (mira ti no que andaba el a fedellar estes días todos, empechado na oficina pelexándose cos videos e a tituladora…). pois o seu traballo quedou moi digno, isto tamén se chama recuperar a memoria histórica. non só pola memoria, senón porque a min tamén me toca fondamente, manoelantoniana coma son. está vostede convidado a dar unha volta en pailebote branco cando o desexe. beijocas.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: THE INVISIBLE MAN BASENAME: the_invisible_man DATE: Mon, 29 Jan 2007 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Xó! TAGS: ----- BODY:

Janeiro é o mês de Castelao. No mês de Janeiro comemoramos o seu nascimento e a sua morte.

Afonso R. Castelao nasceu em Rianxo em 30 de Janeiro de 1886 (tal dia como hoje há 121 anos) e morreu exilado em Buenos Aires em 7 de Janeiro de 1950.

No dia a seguir à sua morte, 8 de Janeiro de 1950, a Dirección General de Prensa y Propaganda da ditadura franquista enviou umha nota aos diretores dos jornais galegos advertindo que do "político republicano y separatista gallego" unicamente poderiam elogiar-se, em páginas interiores e a umha só coluna, "sus características de humorista, literato y caricaturista".

Ao largo da sua frutífera vida o político, escritor, desenhador, pintor, humorista e caricaturista rianxeiro auto-caricaturou-se em diferentes ocasiões. Sem lugar a dúvidas os seus dous auto-retratos caricaturais mais reproduzidos e famosos som este (capa do seu folheto "Algo acerca de la caricatura", Pontevedra, s.a., 1916?) e estoutro (1920), em que Castelao fai desaparecer o essencial, a sua própria pessoa, para deixar ficar apenas o acessório: chapéu, óculos, gravata de laço e fumegante cigarro.

Foi precisamente esta segunda imagem a que em 1993(?) empreguei para realizar, acrescentando apenas o pé "the invisible man", a cousa que ilustra este post.

A cousa esta (cartoon? charge? vinheta? ilustraçom?) já fora publicada com antecedência em três ocasiões, as duas primeiras na revista universitária Eis [Eis Nº 8 (1993), pág. 11 e Eis Nº 10 (1995), pág. 8] e a terceira na Revista Satírica de Humor Platónico Xó! [Xó! Nº 37 (Dezembro 1999), pág. 2].

No seu testamento político, o Sempre em Galiza, Castelao demostrou científicamente que Galiza era umha naçom. Cinquenta e sete anos após a sua morte os herdeiros do general Franco, galeguistas coma ti, recusam-se a definí-la como tal nem sequer no Limiar do seu novo estatuto.

Agora, como na hora da sua morte, Castelao melhor invisível. O homem invisível.

The Invisible Man, O Filme

No passado sábado, 20 de Janeiro de 2007, às 19h30 (CET), dentro do ciclo de cinema Ficções e Alterações da Realidade, no Centro Galego de Arte Contemporânea (CGAC) projectaram um dos meus filmes favoritos de sempre: The invisible man (James Whale, 1933).

Por tal motivo queria ter publicado naquela data a cousa que hoje publico, mas imprevistos de última hora impediram-me fazê-lo. Nom só me impediram fazê-lo senom que por pouco nom acordo a tempo de ir ver o fime! Som-che cousas da vida... por Castelao! ;-)

Dedicatória

Quigera dedicar esta cousinha ao meu grande amigo João Miguel Lombardeiro (co-fundador junto com José Maria Duram, Marcelo Maneiro, Franjo Padín e comigo próprio, da saudosa revista Eis) e quigera fazê-lo por certo comment que, em 13 de Outubro de 2006 e a propósito de umha outra ilustraçom, me fijo off the record (via e-mail), comentário que hoje fago público com a sua licença:

"Até há pouco tinha uma doença que de por vezes fazia-me passar por tolinho: lembro em qualquer momento, oportuno ou inoportuno, o teu invisible man e escacho a rir perante quem seja (a sério, uma vez passou-me quanado ligava desde a Federação Vizinhal à Subdelegação do Governo Spagnolo em Ponte-Vedra; comecei a rir e não me dava controlado) Agora acontece-me ademais com o buda-fraga".

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 30 Jan 2007 12:35:42 +0000 URL:

É que há funcionários e funcionários. O próprio Castelao, quem, já agora, tinha sérios problemas de “vista", também exerceu como servidor público em Ponte-Vedra. Eu próprio… :-)))

http://www.museocastelao.org/vida/biografia.html

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Tue, 30 Jan 2007 11:21:55 +0000 URL:

Obrigadíssimo carão :-) Em concreto, o lance da Subdelegação ponte-vedresa sucedera quando desde a Federação ajudávamos a organizar, na altura em que já a peste atingira a ria, as massivas e históricas manifestações de Nunca Mais-Vigo. Naquela conversa houve um link verbal co ?the invisible man?. O meu interlocutor da subdelegação dissera que sem os regulamentares quinze dias de antecedência e permissão (ele!) ?não via? motivo para convocar manifestação nenhuma; se calhar, uma concentração, sempre com garantia de não realizar movimentações na via pública. Mais não via…Acho que aquele funcionário mesmo escutou risos de Castelao desde a rua da Oliva. Bjs.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Notícia dum sequestro (pasquim) BASENAME: cachimbo_pola_paz_o_pasquim DATE: Sat, 27 Jan 2007 23:00:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

?Sorprendeume ledamente a leitura dunha folla amarela que se repartiu durante o Congreso de Castelao celebrado en Rianxo. Asinada pola Coordinadora Cachimba pola Paz (a cachimba, sen dúbida, perdida do poeta De catro a catro) dita folla informaba de que Manoel-Antonio non morreu en Asados, no 1930, senón que foi secuestrado no ?sequestro máis longo de todos os tempos, que dura já a frioleira de 44 anos?. Logo explica coma foi e quen o cometeron?.

BOROBÓ, O secuestro de Manoel-Antonio, A Nosa Terra, Nº 921 (10 de Fevereiro de 2000), pág. 35.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 19:06:21 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Nom sei se cho dixo nessa reuniom que tuvestes onte (a que andaredes?) peró o nosso comum amigho Franjho abreu bloghe, Novas de Arqueoloxía, recentemente. Fai-lhe também umha visitinha, hó!

Aleghria a minha ao topar estes dous comentários teus -amigháveis, morracistas e manoel-antonianos- ao reghressar à Angueira de Suso após o pôr-do-sol.

Quando o poeta do Navy Bar seja por fim liberto beberemos pipas de vinho e fumaremos o Cachimbo da Paz (isto nom é umha pipa!) no Aturuxo Bar de Bueu!

----- COMMENT: AUTHOR: candepalheiro [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 17:02:24 +0000 URL:

era xa tempo que o POETA DO MAR estivera na rede

----- COMMENT: AUTHOR: candepalheiro [Visitante] DATE: Wed, 31 Jan 2007 16:59:47 +0000 URL:

Caro amigho susinho,quanto tempo sen nos mirar,onte foi unha
verdadeira ghosada resibir a tua mensagem (estaba nunha xuntansa
co noso amigho franjo ( entre outros);cando o telemovel escomenzou
a bufar e remexerse derriba da mesa.Boto man dele e a mensaxe de
susinho¡que ledicia!.Pois a última ves que nos miramos foi no
Aturuxo, pero eu xa non miraba pois bebera alomenos un canado
de viño(facendo honra do nosso himno)Morraço é tan pequeno que
non se ve no mapa, pero bebendo viño coñecenos o papa…E en
varias ocasoes quisera contactar contigo e non houbo xeito.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Manoel-António askatu! BASENAME: title_177 DATE: Sat, 27 Jan 2007 23:00:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: TERRORISMO CULTURAL (TC): CATEGORY: Cachimbo Pola Paz TAGS: ----- BODY:

Eis o cartaz que a Coordenadora Cidadá Cachimbo pola Paz tirou para convocar a cidadania toda à primeira das concentraçons que, para exigir a imediata libertaçom de Manoel-António, teria lugar em 28 de Janeiro de 2000, septuagésimo aniversário da suposta morte do poeta, perante a sua casa natal, sita na rianxeira Rua d'Abaixo.

O design do cartaz está inspirado em Excelsior, caligrama publicado por Manoel-António no número 6 (Outubro-Novembro de 1924) da revista Ronsel e para a sua realizaçom foi muito apropriadamente empregue um tipo de letra tipo Kidnap (sequestrar em inglês).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 28 Jan 2007 19:12:07 +0000 URL:

Dava um romance detetivesco, concordo contigo, e dava um filme noir também.

Na mudança do milênio tinha a ideia de fazer um falso (?) documentário sobre O Sequestro de Manoel-António. Sete anos depois ainda nom o figem mas, como vês, nom me esqueço do assunto. Com efeito “esta é uma teima que compartilhamos".

Queria ter publicado hoje mesmo, 28 de Janeiro de 2007, septuagésimo sétimo aniversário da morte (?) de M-A, o vídeo que gravamos na concentraçom que, tal dia como hoje, há sete anos, celebramos na rianxeira Rua d’Abaixo. Estamos trabahando en eyooo mas hoje já nom vai poder ser. Permanez, no entanto, atento ao ecrám.

Um grande abraço, irmao na fé manoel-antoniana,

Suso.

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Sun, 28 Jan 2007 18:53:39 +0000 URL:

Sim tens razão caro, e alguma mais gente tem comentado de quando em quando. O que queria dizer é que continuamos sem novas dos papéis.

De facto várias pessoas, algumas conhecidas polo seu patriotismo outras polo seu bibliopiratismo têm-se tentado achegar desses papéis na Barrié. O último que soube deles -isso foi há uns anos- é que não estavam ainda bem arrumados ainda.

Esta é uma teima que compartilhamos. Que seria dos papéis? A verdade é que dá para argumento de romance detetiveso. Sabell, depois de anos a negar que os tinha chegou a dizer-lhe a Ajeitos que os estaviara.

Provavelmente seja isto, para terminar o esperpento, que os perdeu, ou os deixou num banco dun parque ou cafetaria de Compostela.

Abraço.

Ernesto

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sun, 28 Jan 2007 11:09:27 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

Bom, caro Ernesto, isso nom é de tudo certo. Miguel López Calzada, Miguel Anxo Fachado Baquedano e a mesmíssima Fundaçom Barrié sim o figeram. Dá-lhe umha vista de olhos à coluna lateral direita da página 13 do número 10 (Setembro de 2003) do Novas da Galiza e verás.

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Sat, 27 Jan 2007 23:52:39 +0000 URL:

Por certo,

Logo que morreu Sabell e dado que este vendera pouco antes a sua magnífica, estupenda soberva e e inconmensurável livraria de bibliopirata a uma fundação dessas, nunca mais ninguém volveu falar nem da biblioteca, nem do tomo misterioso anunciado para Galáxia, nem dos manuscritos famosos…

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Grúas Suso" e "Fontanería Suso" (Carvalho) BASENAME: gruas_suso_e_fontaneria_suso_carvalho DATE: Fri, 19 Jan 2007 12:18:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Mecanizados Suso CATEGORY: Pichelaria Suso TAGS: ----- BODY:

Na boa companhia da Felisa e do José Ramom, no penúltimo dia do ano passado (Sábado, 30 de Dezembro de 2006) assistim em Pontecesso ao IV Encontro Galego de Acordeom Diatônico.

Após o almoço no Café-Bar-Restaurante A Pesqueira (Av. Anlhons, 84, frente ao CEIP Eduardo Pondal), onde a Bea e o Paulo se uniram a nós, assistimos na Casa dos Vizinhos do Couto à palestra, intitulada As gravações históricas dos acordeonistas Hermanos Moreira, do diretor artístico de Ouvirmos S.L. e professor de História da Música Galega no Conservatório de Música Tradicional e Folque de Lalim, Ramom Pinheiro.

Encerrou-se o poderoso encontro cum concerto-baile apresentado polo Xurxo Souto e amenizado por Brais Maceiras, o Sr. Pazos de Merexo (o homenageado), Carlos Quintá & Óscar Fernández, Os Tres Trebóns e o Vendaval do Rosal e o monitor de dança tradicional Marcelo González.

Ao finalizar o Concerto-Baile, de regresso a Compostela, topamos no Concelho de Carvalho os dous susoditos estabelecimentos comerciais que aparecem nas fotografias que ilustram este post: Grúas Suso (esquerda) e Fontaneria Suso (direita).

A viagem de volta figemo-la em comboio: a Bea e o Paulo diante, no seu carro, e a Felisa, o José Ramom e mais eu detrás, no meu. Grúas Suso descobrim-no eu quando, perdidas e perdidos, dávamos voltas por Carvalho. Há males que vêm por bem. A Fontanería Suso foram o Paulo e mais a Bea quem a descobriram para mim. Boa gente!

Do número de telefone que figura tanto no letreiro quanto na porta do guindaste (981 75 75 35) deduzimos que as fotos correspondentes a Grúas Suso foram feitas no lugar da Revolta da freguesia de Carvalho. E é que, segundo as nossas pesquisas internáuticas, no número 61 do lugar de Bolom, freguesia de Sofám, Concelho de Carvalho, existe um outro Grúas Suso cujo número de telefone é o 981 75 30 83.

Quanto às fotos da Fontanería Suso a identificaçom do local onde foram feitas é-nos mais complicada.

Segundo as Páginas Amarelas há no Concelho de Carvalho três canalizadores, picheleiros ou encanadores susceptíveis de serem chamados de Suso: Jesús Pedrouzo (Sam Joam Baptista, 7), Jesús Suárez Tasende (Ponte Rosende, 26) e Jesús Antonio Viña Rodríguez (Av. Fisterra, 71). Será que o susodito estabelecimento comercial que aparece nas tais fotografias pertence a algum destes três tocaios meus? Ou será que as fotos seriam feitas já fora do término municipal bergantinham?

A Felisa tivo a gentileza de enviar-me nesta semana as fotos que naquela noite figera com a máquina que gentilmente me emprestou. Por ambas as duas cousas, muitíssimo obrigado, Feli! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 09 Mar 2007 20:37:07 +0000 URL:

Que presente tam bonito, Ghanito. Agradeço-cho muito mais que se me trouxesses umha camisola que digesse “Estuve en A Revolta y me acordé de ti” ;-) Nom, a sério, Ghanito, muito obrigado por enviares as fotos ao meu e-mail e muito obrigado também por deixar, como che pedia na minha resposta, o anterior comentário. Um abraço.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: ANARROSA BASENAME: anarrosa DATE: Wed, 17 Jan 2007 09:53:08 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: De Troula CATEGORY: A Nossa Terra CATEGORY: CARICATURA TAGS: ----- BODY:

Contra-capa do Nº 957 d'A Nossa Terra (19-OUT-00) e caricatura da Ana Rosa Quintana publicada n'A Nossa Terra [ANT Nº 959 (02-NOV-00), pág. 23] e mais na revista De Troula [Nº 1 (FEV-06), pág. 34].

Em Outubro de 2000 Ana Rosa Quintana (AR) viu-se imersa num enorme escândalo ao a revista Interviú desvendar que Sabor a hiel, romance teoricamente escrito pola popular apresentadora a encomenda da Editorial Planeta, continha trechos de Mujeres de ojos grandes, da escritora mexicana Ángeles Mastretta, e páginas inteiras de Álbum de Família, da norte-americana Danielle Steel.

AR, que na altura apresentava em Antena 3 o magazine matinal Sabor a tí, botou-lhe primeiro a culpa a um "erro informático" para finalmente, ao ver-se encurralada pola mídia, botar-lha a um negro curiosamente apelidado rojo, David Rojo.

Por tam colorido motivo Ana Rosa Quintana foi contra-capa do número 957, de 19 de Outubro de 2000, do Periódico Semanal Galego A Nossa Terra (ANT). A presença de AR na sua última página dava-lhe ao hebdomadário nacionalista fasquia de revista de mexericos.

Daí a duas semanas ANT publicou-me a caricatura da AR que, junto com a devandita contra-capa, ilustra este post.

Sobre a cabeça da caricaturizada, em American Typewriter, tipo de letra empregue na cabeceira d'A Nossa Terra, o nome da Anarrosa, de evidente parecido formal e fonético. Em Futura Bold, tipografia usada por A Nossa Terra nos seus cabeçalhos, a frase "tem o seu ponto a fresca Ana Rosa", paródia de Ten o seu punto a fresca rosa, título do livro publicado pola escritora (esta sim) Maria Xosé Queizán naquele mesmo ano.

E é que, como diria o cantautor, Ana Rosa Quintana "a sus cuarenta y pocos tacos, ya ves tú..."

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Fri, 19 Jan 2007 17:59:52 +0000 URL:

Que sorte a tua, saber francês e poder ler o Charlie Hebdo! Compro-o sempre que vou à França mas, para além de “mirar os santos", pouco mais podo fazer!

----- COMMENT: AUTHOR: O de Berçeo [Visitante] DATE: Fri, 19 Jan 2007 17:35:24 +0000 URL:

Pois sí que semella que en portugués, e disque tamén en castellano, hai o palabro.Só que eu só o oira ou lera até agora en Francés, donde é a palabra habitual para os semanários, tamén abreviada en “hebdos".
Nunca apagarás o router,
sen unha cousa máis saber
(rímese coas “liçenças” debidas)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Fri, 19 Jan 2007 11:46:18 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Na nossa língua das borboletas (que também é a tua, caro Gonçalo de Berçeo e que, como dizia Castelao, vive e floresce em Portugal) “hebdomadário” (do latim “hebdomadariu") é sinónimo de “semanário” ou “periódico semanal". Que se é umha “licença” perguntas-me incisivo? Para algo estam os sinónimos, digo eu…

Muitíssimo obrigado polos teus amáveis (Sinóns. Afectuosos, agasalheiros, simpáticos; agradáveis, amenos, deleitosos) comentários! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Gonçalo de Berçeo [Visitante] DATE: Fri, 19 Jan 2007 11:09:47 +0000 URL:

Mami qué será o que ten o preto (o de Ana Rosa d’España)?
Saudos Suso, o que non sabía eu é que na vosa língua das bolboretas lusitanas decides “hebdomadário", coma en francés? Ou é unha “licença” que te permitiches ti?
Intrigado fico.Moi boa páxina,xa debe ser das mellores da BD galega e das afotos curiosas con retranca.Pero tamén tes que voltar ao papel,o-pa-pel tío, anímate.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Barcelona 1984 BASENAME: title_173 DATE: Mon, 15 Jan 2007 10:30:42 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOTO SUSO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Pl. George Orwell, Barcelona. O Grande Irmao está a observar-te!

Em 19/21 Janeiro e 24/25 Fevereiro de 2007 desenvolverá-se no Centro Galego de Arte Contemporánea (CGAC) o seminário, dirigido por José Miguel G. Cortés, intitulado Santiago múltiple: O corpo da cidade e o xénero dos espazos.

O tríptico promocional do mesmo está ilustrado pola fotografia dum sinal em que a Polícia Local compostelana advirte de que a zona (a foto foi tomada na Rua da Atalaia, esquina com a Rua da Porta da Pena, se nom me equivoco) é umha "ZONA VIDEO VIXIADA".

Esta foto fijo-me lembrar umha outra foto de temática semelhante que eu próprio figera em Barcelona em 18 de Julho de 2005, 69º Aniversário do Alzamiento Nacional, mera coincidência.

No sinal que aparece na(s) minha(s) fotografia(s) é o Ajuntament de Barcelona quem nos advirte de que nos topamos numha "zona vigilada en un radi de 500 m".

As fotos foram feitas na Plaça del Tripi, que é como popularmente é conhecida a Praça de... GEORGE ORWELL!!!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Thu, 18 Jan 2007 13:18:05 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Muito obrigado, Lombar. Ainda que mais que onírico o Grande Irmao, o que é, é omnipresente ;-)

----- COMMENT: AUTHOR: o' lombar [Visitante] DATE: Wed, 17 Jan 2007 17:23:33 +0000 URL:

Genial, Suso (quase onírico). Coloquei a foto como fundo do ecrã.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Tue, 16 Jan 2007 11:02:16 +0000 URL:

Padim, Uz, mui agradecido! :-)

Padim, qualquer cousa de errado acontece co teu blogue. Até três vezes tentei ontem, sem sucesso, deixar um comentário à tua magnífica “Crónica do círculo lítico da Mourela". Hoje voltei a tentá-lo e tam-pouco :-(

A tua história aparece hoje na capa do Chuza.Org. Chucei-na eu ontem e foi a minha primeira vez :-)

----- COMMENT: AUTHOR: Padim [Visitante] DATE: Tue, 16 Jan 2007 09:03:12 +0000 URL: http://www.blogoteca.com/arqueoloxia/index.php

Meu caro Suso, se mo contan non o crería. As veces, a realidade supera calquera ficción. GraZÇSas pola tua visita.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Mon, 15 Jan 2007 14:33:01 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Diós e rediós! A foto é boíssima!!!

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: "Carnicería Suso" (Ponte-Vedra) BASENAME: carniceria_suso_ponte_vedra DATE: Sun, 07 Jan 2007 16:01:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: SUSODITOS EST. COMERCIAIS CATEGORY: Peixarias e Talhos Suso TAGS: ----- BODY:

Em 6 de Novembro de 2006, há dous meses e um dia%, oferecíamos ao nosso distinto público as fotografias da Cristalería Suso, o único susodito estabelecimento comercial ponte vedrês de cuja existência na altura tínhamos constância.

Mas o acaso quijo que na passada terça-feira (2 de Janeiro de 2007) descubríssemos na cidade do Leres um outro susodito estabelecimento comercial do que nada dizia o guia QDQ.

?Suso Cerdo?

Ia eu tranquilamente pola rua Cobián Roffignac ao encontro do amigo Eugénio e da amiga Bárbara quando me parece ler (escritas em grandes caracteres sobre um mesmo colorido cartaz) duas palavras que reclamam poderosamente a minha atençom: umha é ?CERDO? (cochino, marrao, porco em castelhano) e ?SUSO? (o meu próprio nome) é a outra.

Imediatamente percebim que nom se tratava dum insulto gratuito dirigido à minha pessoa mas das promoções natalícias (quase gratuitas de tam baratas) da Carnicería Suso, talho ou açougue situado no interior do supermercado Dia% que ocupa o rés-do-chao do Edif. Bargón (Rua Santa Clara, Nº 5-11).

Entrei no supermercado por se a Carnicería Suso (ao fundo, à direita) tinha um letreiro digno de ser fotografado mas o único que encontrei foram mais cartazes como os da cristaleira exterior. Quando já me dirigia cara a porta alguém dixo ?Susinho? e, instintivamente, dei a volta pensando que era por mim. Era polo talhador :-)

Fum a pola máquina de fotos ao carro (arrumado ao outro lado do rio, ao pé do Paço da Cultura) e quando regressei à Rua Santa Clara comprovei com desagrado o como as pilhas estavam esgotadas (a longa noite de Ano Velho!). Felizmente no Dia % também vendem pilhas.

Entrei no súper, comprei quatro pilhas alcalinas por 1,15 Euros, saim à rua, troquei as gastas polas novas, figem quatro fotos e prosseguim o meu caminho ao encontro da Bárbara e do Eugénio.

A nós três uniria-se, daí a um bocadinho, o amigo José Ramom...

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Na Galiza, Greenwich Mean Time! (GZ=GMT!) BASENAME: greenwich DATE: Fri, 05 Jan 2007 23:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FUSO-REINTEGRACIONISMO CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Royal Observatory, Greenwich, 6 de Janeiro de 2003.

Nas férias de Natal do ano acadêmico 2002-2003 viajei a Inglaterra para visitar a minha irmã Paula que, embora hoje more no Rio de Janeiro, na altura morava em Brighton.

Aproveitando a viagem (e a hospitalidade da Marta, o Edu e os irmaos Cortinhas, Santi e Xesús) após a passagem de ano em Brighton fum a Londres passar uns dias.

Estando alí um fuso-reintegracionista convicto coma mim nom podia deixar de visitar o Royal Observatory de Greenwich, cousa que figem no dia 6 de Janeiro, é dizer, tal dia como hoje há quatro anos.

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Mon, 15 Jan 2007 10:36:26 +0000 URL:

Ha, ha, ha! Muito obrigado, Uz, pelo aviso! (e muito obrigado ao Berto também pola publi).

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sun, 14 Jan 2007 20:09:14 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

A ligação de antes é longa de mais. Utiliza esta:

http://chuza.org/historia/fraudator-multiplier-apresentada-possivel-fraude-cientifica-em-compostela

E olha para o comentário número #11, do Berto.

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sun, 14 Jan 2007 18:49:44 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Ó vaites, quê decepção… :-D

A todo isto, olha o que há em Angueira de Suso: http://chuza.org/historia/fraudator-multiplier-apresentada-possivel-fraude-cientifica-em-compostela#comentario-11

Um outro abraço para ti. Um prazer seguir-te lendo :)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Sun, 14 Jan 2007 16:05:13 +0000 URL:

Muitíssimo obrigado, Gerardinho, pelos teus como sempre amáveis comentários. Celebro que adorasses tanto a sessão fotográfica (foto analógica ainda) quanto a minha crónica do concerto do Caetano em Vigo. Muitíssimo obrigado, mais uma vez!

P.S.: Sinto decepcionar-te mas os meus conhecimentos de Photoshop (e, aliás, das revistas direcionadas ao público masculino) são apenas “a nível de usuário” ;-p

Um grande abraço para ti também,

-suso

----- COMMENT: AUTHOR: Uz [Visitante] DATE: Sat, 13 Jan 2007 17:52:41 +0000 URL: http://caminhos.gzpt.org

Fixe a sessão fotográfica, meu!
Por certo, fazendo um repasso polo teu blogue, dizer que adorei o artigo/crónica sobre o concerto do Caetano Veloso em Vigo City (ler ‘Vaigo Síti’, http://www.agal-gz.org/blogues/index.php?blog=28&cat=232).

PD: tu que tanto gostas do Photoshop (ao menos no aspecto ténico), bem nos podias ilustrar sobre os filtros, efeitos ou procedimentos que se usaram com as fotos de, ehm, AMR :-p

Um abraço grande,

- uz

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Histórias em Quadrinhos de Galiza em Madri BASENAME: title_172 DATE: Wed, 27 Dec 2006 17:29:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: CARTAZISMO CATEGORY: BD / HQ TAGS: ----- BODY:

Depois de dormir a sesta e antes de acudir ao acto de apresentaçom da nova época da revista Tempos Novos, no passado 19 de Dezembro fum ao Suso tomar um café despertador.

Quando, depois de tomar o meu café e dar-lhe umha vista de olhos à imprensa do dia, saia do Suso (Rua do Vilar, 65) caminho da Fundaçom Torrente Ballester (Rua do Vilar, 9), topei-me com o Fausto Isorna e a sua companheira, grávida de seis meses, Gemma Sesar.

Baixo os soportais do susodito estabelecimento compostelano o Fausto informou-me de que havia um cartaz da minha autoria na exposiçom que a Gemma e mais ele nestes dias tinham em Madri.

Sempre tam amável comigo o Fausto ofereceu-me um exemplar de Están Vivas!, as Novas Aventuras de Simón Martel, e mais um fanzine-catálogo de La Historieta Gallega, exposiçom comissariada pola feliz parelha que decorre na madrilena Fundaçom FEIMA de 14 de Dezembro de 2006 a 25 de Janeiro de 2007.

Caros Gemma e Fausto, mais umha vez, muito obrigado... e parabéns! :-)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sun, 14 Jan 2007 15:51:16 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org/

“MADRID. O cómic galego arrasa fóra. A Fundación Feima decidiu ampliar polo menos até o 1 de febreiro a mostra sobre a banda deseñada de autores do país que inaugurou en decembro, ante a espectacular acollida” (Galicia Hoxe. DOM, 14-JAN-07).

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Lerroux e Cicciolina BASENAME: title_169 DATE: Thu, 21 Dec 2006 17:17:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: COLABORAÇÕES HABITUAIS: CATEGORY: Tempos Novos TAGS: ----- BODY:

Lerroux e Cicciolina (Tempos Novos, Nº 115, pág. 7).

Trás-anteontem, segunda-feira, por volta das 17h00 (WET), recebim via sms o convite pessoal do Luís Álvarez Pousa, diretor de Tempos Novos, para assistir ao acto de apresentaçom da nova etapa da revista mensal de informaçom para o debate que apartir das 19h30 (CET) de ante-ontem, terça-feira, teria lugar na sede da Fundaçom Torrente Ballester.

Ao chegar a casa, por volta das 19h30 (WET), encontrei na minha caixa do correio o último número (Nº 115, de Dezembro de 2006) dumha renovada Tempos Novos que este mês traz, conjunta e inseparavelmente com a revista, o primeiro número dum novo suplemento, bibliófilo e trimestral, denominado ProTexta , suplemento coordenado pola mesma pessoa que, há já bastante tempo, me propugera entrar a fazer parte da ilustre nômina de colaboradoras e colaboradores da revista Tempos, o amigo Xabier Cid.

Na sua página 7 este último número traz a fotomontagem que, a todo correr, figem para ilustrar os Dias Soltos do Bieito Iglesias (págs. 6-7). A minha ilustraçom refere-se, concretamente, ao seguinte Dia bieito-eclesiástico:

Novembro 5
TUTEO

O candidato de Ciutadans, mestura de Lerroux e Cicciolina (compareceu en coiros nos cartaces electorais), anuncia que vai falar castellano no Parlament. O seu lema (No importa donde naciste, me importas tú; no me importa tu lengua, me importas tú) semella plaxiado de Manu Chao (Me gusta La Coruña, me gustas tú) e non di a verdade. Ese partido non pelexará contra a lei que esixe a condición de español pra opositar a un cargo público nin contra a norma que lles impide aos deputados intervir nas Cortes en otras lenguas españolas. Trátase, pois, dun partido etnicista co 3% dos sufraxios . Na Galiza engarraría porque Fraga, amigo de costumes ingleses tales como beber porto coas sobremesas e reforzar partidos maioritarios, instaurou unha barraxe do cinco por cento.

A Belén Puñal enviou-me os Dias Soltos na manhã do 28 de Novembro dizendo que corria "muita, muita presa" porque queriam fechar a ediçom no dia a seguir. Nessa mesma tarde eu figem e enviei a minha a ilustraçom. Apesar do pouco tempo que tivem para fazê-la, em escala de cinzento e a tamanho reduzido (4,4 x 6,5 cm), nom ficou tam mal como esperava.

Para a realizaçom da fotomontagem empreguei umha foto, intitulada Ilona on top, pertencente à série Made in Heaven do artista norte-americano Jeff Koons, nas que este aparece mantendo relações sexuais com a sua esposa (1991-1992) Ilona Staller, mais conhecida por Cicciolina. Na minha fotomontagem a cabeça do artista é substituida pola de Alejandro Lerroux.

Agradecimento

Como em data recente já figeram as/os amigas/os do Novas da Galiza, neste último número e pola primei