[O Sítio de Suso Sanmartin]

      No Caminho Português a Santiago de Compostela existe um lugar chamado Angueira de Suso.

      Segundo o dicionário e-Estraviz da língua galego-portuguesa “angueira” é “o quefazer, cuidados e negócios que cada pessoa tem”. “Angueiras” som “trabalhos, cargas sofrimentos”. Por sua parte “suso”, do latim susu, quer dizer “acima, atrás”.

      Angueira de Suso é o sítio de Suso Sanmartin na rede. Aqui colocará o susodito as suas angueiras presentes, passadas e futuras.

      Obrigado pola visita.

      susosanmartin@gmail.com


      ddooler


    Busca

    As minhas visitas no mundo

    Locations of visitors to this page

b2

Categoria: FOTO SUSO

“Umha Imagem Para O Galego” (A Minha Foto)

No ano passado enviei para O Galego No Espelho, concurso fotográfico convocado na Temporada das Letras por Vieiros, a fotografia dum sinal de trânsito que, fazendo umha leitura em chave luso-reintegracionista, intitulei ele-agá.

Para Umha Imagem Para O Galego (que é como este ano denominaram o mesmo concurso as/os amigas/os de Vieiros) enviei a fotografia que ilustra este post, intitulada Sardinhas, acompanhada do seguinte pé:

“Em galego-português estamos no mundo. Também na Galiza.”

Este pé de foto é paródia (à galego-portuguesa) do slogan dumha antiga campanha do Serviço de Normalizaçom Lingüística da Universidade de Santiago de Compostela que, com certeza, lembraredes muitas e muitos de vós e que dizia: En galego estamos no mundo.

A foto da políglota embalagem de “sardinhas em tomate” (carente de qualquer valor artístico e feita com a única intençom de marcar presença reintegrata no certame convocado por Vieiros) figem-na no Dia% que há na compostelana Rua do Avio (fazendo esquina com a nova Rua de Boiro) na manhã da segunda-feira 11 de Junho. Muito obrigado à Teresa por emprestar-me a sua Gold Camera! :)

Nesse mesmo dia (dia após o Dia de Camões e, num princípio, último dia para fazê-lo) enviei-na polo correio electrónico para Vieiros.Com.

No dia a seguir (terça-feira, 12 de Junho) pudem ver a minha foto publicada no mosaico rotatório de Umha Imagem Para O Galego e comprovar como o prazo apresentaçom de fotografias (e vídeos) tinha sido ampliado umha semana mais (até o domingo, dia 17).

A poucas horas da Noite de São João, em 23 de Junho, Vieiros publicava a resoluçom dum júri composto por Manuel Sendón, Roberto Ribao, César Galdo e Lois Rodríguez.

Embora “polo São João a sardinha molha o pão”, como era previsível nom foi a minha fotografia a que "levou o gato á agua". A imagem ganhadora do concurso Umha Imagem Para O Galego na categoria de fotografia resultou ser a intitulada Saca a lingua a flote, de Manu Lago.

Parabéns ao(s) premiado(s)!!!

Escrito em 26-06-2007, na categoria: FOTO SUSO
Café Bar García Lorca

“Café Bar García Lorca”. Rua de García Lorca, 27. Santiago de Compostela.

Postamos hoje, quarta-feira 6 de Junho, o post que com motivo do 80º aniversário da Geraçom de 27 (e 380º aniversário da morte do poeta e dramaturgo espanhol Luis de Góngora) queríamos ter postado na quarta-feira 23 de Maio.

Os preparativos do 1º Dia do Orgulho Lusista e Reintegrata, celebrado com grande sucesso de crítica e público no passado 25 de Maio coincidindo com o 7º Dia Internacional da Toalha, nom nos permitiram postá-lo daquela. Postamo-lo hoje, exactamente duas semanas depois da efeméride:

Generación del 27
De Wikipedia, la enciclopedia libre

La denominada Generación del 27 fue una constelación de autores que surgió en el panorama cultural español alrededor del año 1927, en que se celebró el tricentenario de la muerte del poeta barroco Luis de Góngora. Estos autores aprovecharon esta fecha para reivindicar la poesía que este autor compuso en la última época de su vida (Culteranismo), desprestigiada por la crítica decimonónica. Tanto escritores como profesores e intelectuales celebraron en homenaje a Góngora una serie de actos (conferencias, etc.) en el Ateneo de Sevilla en ese año que se ha venido a considerar el acta fundacional del grupo.

“Café Bar García Lorca”

García Lorca é um nome bem curioso para um bar. Bem mais curioso que o de Suso, sem dúvida. No entanto, no meu bairro existe um bar que se chama assim: Café Bar García Lorca.

A razom de que o Café Bar García Lorca se chame igual que o poeta e dramaturgo espanhol adscrito à Geraçom de 27 é bastante prosaica: o susodito bar está na Rua de García Lorca.

Mas nom é o nome do Café Bar García Lorca o mais curioso. O mais curioso de tudo é que o Café Bar García Lorca, sito, como digemos, na compostelana Rua de García Lorca, esteja por acaso no número “27”.

Escrito em 06-06-2007, na categoria: FOTO SUSO
As 7 Diferenças

1) A fotografia da esquerda era analógica. A da direita é digital.

2) A fotografia da esquerda foi realizada em Fevereiro de 2002. A da direita, em 18 de Março de 2006.

3) A fotografia da esquerda foi feita nalgum lugar do Triângulo Mágico (Ginzo-Laça-Verim) de cujo nome nom podo lembar-me. A da direita foi feita em Regalados, Concelho de Vila Verde.

4) Embora ambas as duas fotos foram feitas no território da antiga Galécia, a fotografia da esquerda foi MADE IN GALICIA (SPAIN) e a da direita MADE IN PORTUGAL.

5) O sinal da fotografia da esquerda é bípede, tem dous pés. O sinal da fotografia da direita é monópode, tem apenas um.

6) O sinal da fotografia da esquerda trata-te por tu, tuteia-te. O sinal da fotografia da direita trata-te por você, vosea ;)

7) O sinal fotografado no nosso país (esquerda) nom está escrito na nossa língua. Porém, o sinal fotografado no país vizinho (direita), sim que está.

Por algo dizia Castelao (o peatón/peão retratado tanto no sinal da fotografia da esquerda quanto no da direita) que "a nossa língua está viva e floresce em Portugal".

Escrito em 03-03-2007, na categoria: FOTO SUSO
Barcelona 1984

Pl. George Orwell, Barcelona. O Grande Irmao está a observar-te!

Em 19/21 Janeiro e 24/25 Fevereiro de 2007 desenvolverá-se no Centro Galego de Arte Contemporánea (CGAC) o seminário, dirigido por José Miguel G. Cortés, intitulado Santiago múltiple: O corpo da cidade e o xénero dos espazos.

O tríptico promocional do mesmo está ilustrado pola fotografia dum sinal em que a Polícia Local compostelana advirte de que a zona (a foto foi tomada na Rua da Atalaia, esquina com a Rua da Porta da Pena, se nom me equivoco) é umha "ZONA VIDEO VIXIADA".

Esta foto fijo-me lembrar umha outra foto de temática semelhante que eu próprio figera em Barcelona em 18 de Julho de 2005, 69º Aniversário do Alzamiento Nacional, mera coincidência.

No sinal que aparece na(s) minha(s) fotografia(s) é o Ajuntament de Barcelona quem nos advirte de que nos topamos numha "zona vigilada en un radi de 500 m".

As fotos foram feitas na Plaça del Tripi, que é como popularmente é conhecida a Praça de... GEORGE ORWELL!!!

Escrito em 15-01-2007, na categoria: FOTO SUSO
Ser e/ou Cope
ser ou cope?
Acima: ilustraçom para os “Dias Soltos” do Bieito Iglesias (Tempos Novos Nº 105, FEV-2006, pág. 81.). Abaixo: sinais indicadores da freguesia de Ser (Concelho de Santa Comba) e do lugar de Cope (freguesia de Carracedo, Concelho de Caldas de Reis).

Ser ou Cope?

Lembro que o de “Ser ou Cope...” (paródia do célebre dilema hamletiano) se me ocorreu no sábado, 26 de Janeiro de 2006, no “prévio” da Ultranoite Smoke, enquanto tomava no balcom do Café-Bar Manila um café au lait com o meu amigo Tomás Lijó. E lembro-me graças a que, para nom esquecer-me da paródica parida, tomei nota dela num guardanapo de papel.

Na quarta-feira, 1 de Fevereiro, recebo polo correio electrónico os Dias Soltos (colaboraçom do Bieito Iglesias em Tempos Novos de cuja ilustraçom eu me encarrego mês sim, mês nom) e leio a resposta que o escritor ourensano dá à "questom" que eu (parodiando em chave radiofónica o William Shakespeare) me formulara no Manila apenas quatro dias antes:

Xaneiro 11
PETIT ROI
O día de Reis viaxei con agasallos como se fose un dos Tres Astrónomos que, en caricatural cabalgata, tiran caramelos á rapañota. Non me guiou unha estrela nin montei en camelo, desloqueime nun Opel guiado polo meu xenro Manolo Haro. Esperábame un neno de dous anos que á pregunta “¿Quen é o homiño?”, respondeu: “Son o Brais”. Este sobriño que talvez fale galego endeica as postrimerías do século XXI constitúese no 'tercer problema español' (Rodríguez Ibarra); en inimigo do xeneral Mena; en amoladela de xuíces destinados nun futuro a Ourense e impelidos a parolar en vernáculo cando preferirían aprender a bailar sevillanas. Algús amigos meus ven como a época lles educa os fillos en castellano. Teño a sorte de comunicarme coa filla e groso da parentela na lingua materna (de mamá Clementina, que non da Madre Patria). Nin COPE nin SER, escoito estoutras doces voces e estranxeiras. A patera interior.

A feliz coincidência animou-me a dar forma no Photoshop à minha ocorrência e a enviar-lha a Tempos Novos para a sua publicaçom.

E na página 81 do seu número 105 (Fevereiro de 2006) a revista Tempos publicou a minha ilustraçom, prova palpável da, boa nom, hertziana sintonia existente entre ilustrado e ilustrador.

Ser ou Cope? That’s not the question.

Ser e Cope

Ser é também umha freguesia do Concelho de Santa Comba e Cope, ser, é um lugar da freguesia de Carracedo, Concelho de Caldas de Reis.

Na terça-feira, 20 de Junho de 2006, procedente de Bueu e no dia a seguir, quarta-feira 21, procedente Santa Comba, figem caminho de Santiago as duas fotos de abaixo, as dos sinais que indicam o caminho a seguir para chegar a estas duas localidades de radiofónico nome.

Escrito em 22-11-2006, na categoria: COLABORAÇÕES HABITUAIS:, Tempos Novos, FOTO SUSO
ele-agá

Foto realizada o passado 14 de Maio em São Marcos (Santiago de Compostela) e enviada no dia aO Galego no Espelho, concurso convocado por Vieiros.com. A fotografia foi publicada no dia a seguir sob o mesmo título que este post e com o seguinte pé:

S-52a.
Final de faixa de rodagem.
Pré-sinaliza, numha via de duplo sentido de circulaçom, a faixa de rodagem que vai deixar de ser utilizável indicando a mudança de faixa precisa ;-)

Esta mesma ideia já fora publicada por mim na página 19 do número 905 d'A Nossa Terra (21 de Outubro de 1.999) em forma de vinheta.

Vinheta que foi enviada, junto com mais duas, ao IV Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2000 e que aparece publicada na página 87 do catálogo do salão, naquele ano dedicado a "o automóvel".

Escrito em 24-05-2006, na categoria: FOTO SUSO