« preguiceiro"Botar o mar polos ollos" »

29-03-2005

Os poemas com os que começa o livro de Alicia:


De botar o mar polos ollos,
que ocorra nunha cidade
onde a orientación desapareza
e os xogos de nena non existan.
Onde as cores verdes estean preto
-uns metros é suficiente-
e as mans de millo apreten as ideas
(ou as tetas).
Onde ti sexas procura.
Onde ti (me) habites.


No areal este corpo é de cebas:
as mans de millo percórrenme
limpas
núas
salgadas,
sempre co movemento en espiral
como as ameixas que levo no pelo.
Se a marea alta non me viola
boto o océano todo polos ollos.

FOI ESCRITO @ 22:56:00 na categoria livros Link permanente

2 comentários

Comentário de: mArCeLo [Visitante]
mArCeLo

estava navegando e encontrei teu blog por acaso, resolvi comentar, afinal falamos a mesma lingua e estamos muito longe, em continentes diferentes. eu sou do Brasil. gostei bastante das coisas que escreves. se puderes, entra na meu blog pra conhecer: http://www.olhopreto.blogspot.com . abraços

30-03-2005 @ 14:14
Comentário de: xavi [Membro]  
xavi

Sim, falamos a mesma língua! Que contente me pom que entrasse alguém de mesmo o outro lado do oceano ^_^.

30-03-2005 @ 17:03
mariacastanha.agal-gz.org

Tocando em aberto é o blogue pessoal, agora inactivo, de um gaiteiro-engenheiro (sem ser ainda nenhuma das duas cousas) sócio da AGAL onde fala do que gosta, do que lê por aí, das suas intimidades (sem exceder-se) e do primeiro que lhe sai da cabeça se fica bonito.

Setembro 2019
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 << <   > >>
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            

Busca

  Feeds XML

powered by b2evolution free blog software