Diferenças

Esta página mostra as diferenças entre a revisom do documento que escolheu e a versom actual.


Ligaçom para esta vista de comparaçom

pt_agal:relacons_com_falantes_doutros_paises_lusofonos [23/12/2010 19:20]
ramom
pt_agal:relacons_com_falantes_doutros_paises_lusofonos [13/01/2011 18:43] (Actual)
ramom
Linha 4: Linha 4:
 ===== Queredes ser portugueses? ===== ===== Queredes ser portugueses? =====
  
-Querem os [[http://fr.wikipedia.org/wiki/Wallonie|valons]] ou os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Quebec|quebequenses]] serem franceses?, os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Suíço-alemão|teuto-suíços]] ou os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Tirol_Meridional|sul-tiroleses]] serem alemáns?, os chilenos ou os porto-riquenhos serem espanhóis?, os irlandeses ou os australianos serem ingleses?. É muito frequente as fronteiras lingüísticas nom se corresponderem com as fronteiras políticas, por umha parte existem vários grupos de naçons que tenhem a mesma língua oficial: francofonia, anglofonia, hispanofonia, lusofonia, etc., e por outra existem muitas mais línguas que estados, e portanto o usual é num estado falarem-se várias línguas.+Querem os [[http://fr.wikipedia.org/wiki/Wallonie|valons]] ou os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Quebec|quebequenses]] ser franceses? Os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Suíço-alemão|teuto-suíços]] ou os [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Tirol_Meridional|sul-tiroleses]] serem alemáns? Os chilenos ou os porto-riquenhos serem espanhóis? Os irlandeses ou os australianos serem ingleses?. É muito freqüente as fronteiras lingüísticas nom se corresponderem com as fronteiras políticas, já que, por umha parteexistem vários grupos de naçons que tenhem a mesma língua oficial: francofonia, anglofonia, hispanofonia, lusofonia, etc., epor outraexistem muitas mais línguas que estados, e portanto o usual é num estado falarem-se várias línguas.
  
-Os reintegracionistas que militam nalgumha força política fam-no, maioritariamente em forças independentistas ou federalistas, nom existindo na actualidade nengum movimento político organizado que defenda a inclusom da Galiza na República Portuguesa.+Os reintegracionistas que militam nalgumha força política fam-no, maioritariamente em forças independentistas ou federalistas, nom existindo na atualidade nengum movimento político organizado que defenda a inclusom da Galiza na República Portuguesa.
  
 ===== Por que em Portugal nos falam em castelhano? ===== ===== Por que em Portugal nos falam em castelhano? =====
  
-Em Portugal continental, excepto o Algarve, a imensa maioria dos turistas som espanhóis, e a indústria turística portuguesa adaptou-se logicamente a esta circunstáncia. De maneira que para os trabalhadores deste ramo falar castelhano é umha mais-valia. E assim tam logo detetam que o cliente é espanhol falam-lhe, melhor ou pior, em castelhano. E fam-no por dous motivos, por tentar agradar a clientela, mas também com o intuito de praticarem o castelhano, e nom sempre a primeira causa é a principal.+Em Portugal continental, exceto o Algarve, a imensa maioria dos turistas som espanhóis, e a indústria turística portuguesa adaptou-se logicamente a esta circunstáncia. De maneira que para os trabalhadores deste ramo falar castelhano é umha mais-valia. E assim tam logo detetam que o cliente é espanhol falam-lhe, melhor ou pior, em castelhano. E fam-no por dous motivos, por tentar agradar a clientela, mas também com o intuito de praticarem o castelhano, e nom sempre a primeira causa é a principal.
  
-Para os galegos que pretendemos falar a nossa língua em Portugal, ou mesmo para qualquer espanhol que pretenda praticar português, este fenómeno resulta um tanto frustrante.  Aliás, como o visitante interage principalmente com a indústria turística -hotéis, restaurantes, lojas de lembranças...-, pode chegar a conclusom de que em Portugal a maior parte da populaçom fala castelhano. Mas este é um fenómeno restrito a tal indústria, e fora dela nom se verifica. Assim se entramos numha livraria, numha sapataria, numha loja de azulejos... o usual é os vendedores falarem unicamente em português.+Para os galegos que pretendemos falar a nossa língua em Portugal, ou mesmo para qualquer espanhol que pretenda praticar português, este fenómeno revela-se um tanto frustrante.  Aliás, como o visitante interage principalmente com a indústria turística -hotéis, restaurantes, lojas de lembranças...-, pode chegar a conclusom de que em Portugal a maior parte da populaçom fala castelhano. Mas este é um fenómeno restrito a tal indústria, e fora dela nom se verifica. Assim se entramos numha livraria, numha sapataria, numha loja de azulejos... o usual é os vendedores falarem unicamente em português.
  
 === Como conseguir que nos falem na sua língua? === === Como conseguir que nos falem na sua língua? ===
Linha 28: Linha 28:
 Para se integrar socialmente. Para se integrar socialmente.
  
-A língua das pessoas emigrantes costuma ser um indício bastante fiável, em contextos plurilingues, de que língua funciona melhor socialmente. Aprender umha língua implica um esforço que se vê facilitado com o contato social com os seus falantes. Assim sendo, se os emigrantes lusófonos investem nesse esforço é porque acham que será recompensado. Se o galego fosse a língua social da Galiza, teriam menos incentivos para investir na aprendizagem do castelhano.+A língua das pessoas emigrantes costuma ser um indício bastante fiável, em contextos plurilingues, de que língua funciona melhor socialmente. Aprender umha língua implica um esforço que se vê facilitado com o contacto social com os seus falantes. Assim sendo, se os emigrantes lusófonos investem nesse esforço é porque acham que será recompensado. Se o galego fosse a língua social da Galiza, teriam menos incentivos para investir na aprendizagem do castelhano.
  
-Outra questom a tratar seria a expetativa dos e das emigrantes. Quando um brasileiro emigra para a Eslovénia ou a Suécia, tem a expetativa de que ali falam uma língua local. Quando emigra para a Galiza, a expetativa (salvo contadas exceçons) é que falam espanhol porque na verdade estão a emigrar para a Espanha. Esta expetativa poderia ser talvez reformulada se o formato de galego que encontrassem fosse outro mas, para além de ter uma presença periférica (escasseia nas cidades), a sua vestimenta oficial nom ajuda a fazer as ligaçons necessárias (galego=português). +Outra questom a tratar seria a expetativa dos e das emigrantes. Quando um brasileiro emigra para a Eslovénia ou a Suécia, tem a expetativa de que ali falam umha língua local. Quando emigra para a Galiza, a expetativa (salvo contadas exceçons) é que falam espanhol porque na verdade estám a emigrar para a Espanha. Esta expetativa poderia ser talvez reformulada se o formato de galego que encontrassem fosse outromas, para além de ter uma presença periférica (escasseia nas cidades), a sua vestimenta oficial nom ajuda a fazer as ligaçons necessárias (galego=português). 
  
 Naqueles contextos onde o galego é hegemónico é habitual que os emigrantes lusófonos mantenham a sua língua, nomeadamente áreas rurais, ambientes culturais, certas áreas profissionais... Naqueles contextos onde o galego é hegemónico é habitual que os emigrantes lusófonos mantenham a sua língua, nomeadamente áreas rurais, ambientes culturais, certas áreas profissionais...
  
QR Code
QR Code pt_agal:relacons_com_falantes_doutros_paises_lusofonos (generated for current page)