Diferenças

Esta página mostra as diferenças entre a revisom do documento que escolheu e a versom actual.


Ligaçom para esta vista de comparaçom

pt_agal:teoria:identidade_e_categorias [10/01/2011 17:43]
ramom
pt_agal:teoria:identidade_e_categorias [12/06/2012 19:31] (Actual)
ramom
Linha 22: Linha 22:
  
 Se ouvires os seguintes áudios, poderás comprovar como a questom da intercompreensom é um tanto relativa. Se ouvires os seguintes áudios, poderás comprovar como a questom da intercompreensom é um tanto relativa.
-  - {{:audio:portugues_padrom.mp3|Português padrom}}+  - {{:audio:portugues_padrom.mp3|Português padrom}} de Portugal
   - {{:audio:castro_laboreiro.mp3|Castro Laboreiro}} no norte de Portugal   - {{:audio:castro_laboreiro.mp3|Castro Laboreiro}} no norte de Portugal
   - {{:audio:lovios.mp3|Lóvios}} no sul da Galiza   - {{:audio:lovios.mp3|Lóvios}} no sul da Galiza
Linha 47: Linha 47:
 O esforço relativo tem a ver com que o código ortográfico em que fomos educados maioritariamente é o do castelhano. Devemos perguntar-no se vale a pena fazer o esforço de aprender outro código e a resposta é positiva porque o reintegracionismo é mui rentável, individual e socialmente. O esforço relativo tem a ver com que o código ortográfico em que fomos educados maioritariamente é o do castelhano. Devemos perguntar-no se vale a pena fazer o esforço de aprender outro código e a resposta é positiva porque o reintegracionismo é mui rentável, individual e socialmente.
  
-Umha das vantagens do galego llg-Rag a respeito do galego-português é que é mais fácil. A natureza da sua maior facilidade assenta em dous factos:+Umha das vantagens do galego Ilg-Rag a respeito do galego-português é que é mais fácil. A natureza da sua maior facilidade assenta em dous factos:
  
   - Está muito mais próximo do castelhano.   - Está muito mais próximo do castelhano.
Linha 59: Linha 59:
  
 === Livros para aprender: === === Livros para aprender: ===
 +<WRAP column 40%>
 +\\
 +
 +[[http://www.pglingua.org/index.php?option=com_content&view=article&id=1008:do-n-para-o-nh-manual-de-lingua-para-transitar-do-galego-castelhano-ao-galego-portugues&catid=23:agal-editora&Itemid=62|{{ :wiki:do-n-para-o-nh.jpg?  |Do Ñ para o NH}}]]
 +
 +\\
 +
 +\\
 +
 +\\
 +
 +[[http://www.agal-gz.org/modules.php?name=News&file=article&sid=3946|{{ :wiki:manual-de-lingua-e-estilo.jpg?220 |Manual Galego de Língua e Estilo}}]]
 +</WRAP>
 +
 +<WRAP column 40%>
 +[[http://agal-gz.org/faq/lib/exe/fetch.php?media=contributos-pgl:manual-iniciacom-lingua.pdf|{{ :wiki:manual-iniciacom-lingua-galega.png?220 |Manual de Iniciaçom à Língua Galega}}]]
 +
 +\\
 +
 +[[http://www.pglingua.org/noticias/entrevistas/3380-carlos-garrido-a-expressom-tecnico-cientifica-e-indispensavel-para-garantirmos-a-sobrevivencia-do-galego|{{ :wiki:capa-manual-galego-cientifico-2.jpg?220 |Manual de Galego Científico}}]]
 +</WRAP>
 +
 +<WRAP clear></WRAP>
  
-//[[http://www.pglingua.org/index.php?option=com_content&view=article&id=1008:do-n-para-o-nh-manual-de-lingua-para-transitar-do-galego-castelhano-ao-galego-portugues&catid=23:agal-editora&Itemid=62|Do Ñ para o NH]]//.   
  
-<wrap fgyellow>//[[http://issuu.com/fromgaliza/docs/manual-iniciacom-lingua | Manual de Iniciaçom à Língua Galega]]//</wrap> 
  
-//[[http://www.agal-gz.org/modules.php?name=News&file=article&sid=3946 | Manual Galego de Língua e Estilo]]//.  
  
  
Linha 88: Linha 108:
  
  
-===== Se o galego e o português é a mesma língua, que nome lhe damos? =====+===== Se o galego e o português som a mesma língua, que nome lhe damos? =====
  
 Na Galiza a nossa língua recebe o nome de galego e internacionalmente o nome de português. A questom seria, devemos na Galiza utilizar unicamente a denominaçom de galego ou alternar esta com o de português ou português da Galiza? Na Galiza a nossa língua recebe o nome de galego e internacionalmente o nome de português. A questom seria, devemos na Galiza utilizar unicamente a denominaçom de galego ou alternar esta com o de português ou português da Galiza?
Linha 108: Linha 128:
 O galego é a língua da Galiza e o melhor lugar para a aprender é a própria Galiza. Ainda existem núcleos mui fortes de galego-falantes que preservam a língua na sua forma mais genuína e devemos aproveitá-los e usá-los como modelo para construir o galego moderno.  O galego é a língua da Galiza e o melhor lugar para a aprender é a própria Galiza. Ainda existem núcleos mui fortes de galego-falantes que preservam a língua na sua forma mais genuína e devemos aproveitá-los e usá-los como modelo para construir o galego moderno. 
  
-No entanto, devemos ter em conta que a nossa língua na Galiza está a sofrer um avançado processo de substituiçom linguística enquanto em Portugal ou no Brasil nom acontece tal. Por isso, o conhecimento em profundidade das particularidades e variantes linguísticas de outros países de língua portuguesa e o seu uso podem também ser de muita utilidade para fortalecer as nossas falas. Igualmente, toda [[pt_agal:meios_de_comunicacom_lusofonos|interaçom com os produtos culturais]] e, de todo o tipo, que emanam das sociedades portuguesa, brasileira...vai vir em beneficio de uma galego mais genuíno e menos castelhanizado.+No entanto, devemos ter em conta que a nossa língua na Galiza está a sofrer um avançado processo de substituiçom lingüística enquanto em Portugal ou no Brasil nom acontece tal. Por isso, o conhecimento em profundidade das particularidades e variantes lingüísticas de outros países de língua portuguesa e o seu uso podem também ser de muita utilidade para fortalecer as nossas falas. Igualmente, toda [[pt_agal:meios_de_comunicacom_lusofonos|interaçom com os produtos culturais]] e, de todo o tipo, que emanam das sociedades portuguesa, brasileira... vai vir em beneficio de um galego mais genuíno e menos castelhanizado. 
 + 
 +<HTML><center> 
 +<object style="height: 390px; width: 640px"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/S9bt35qR8GE?version=3"><param name="allowFullScreen" value="true"><param name="allowScriptAccess" value="always"><embed src="http://www.youtube.com/v/S9bt35qR8GE?version=3" type="application/x-shockwave-flash" allowfullscreen="true" allowScriptAccess="always" width="640" height="390"></object> 
 +</center></HTML>
  
 ===== Sendo umha língua minoritária, o galego é tam importante como qualquer língua falada por centos de milhons de falantes... ===== ===== Sendo umha língua minoritária, o galego é tam importante como qualquer língua falada por centos de milhons de falantes... =====
  
-Todas as línguas do mundo deveriam merecer exatamente o mesmo respeito; as pessoas reintegracionistas, em geral, caracterizam-se por estarem especialmente sensibilizadas com o porvir do galego, e normalmente estám intensamente implicadas na defesa das línguas em situaçom minorizada. +Todas as línguas do mundo deveriam merecer exatamente o mesmo respeito; as pessoas reintegracionistas, em geral, caraterizam-se por estarem especialmente sensibilizadas com o porvir do galego, e normalmente estám intensamente implicadas na defesa das línguas em situaçom minorizada. 
  
-O que acontece é que nós nom pensamos que o galego seja umha língua pequena, nem minoritária, e portanto parece-nos ilógico isolar-se do mundo quando nom existe nisso nengumha vantagem. Já que temos a sorte de contar com umha língua que apesar de minorizada na Galiza conseguiu desenvolver-se plenamente noutros estados, aproveitemos os recursos que daí se derivam: aproveitemos a possibilidade de viver em galego muito mais.+O que acontece é que nós nom pensamos que o galego seja umha língua pequena, nem minoritária, e portanto parece-nos ilógico isolar-se do mundo quando nom existe nisso nengumha vantagem. Já que temos a sorte de contar com umha língua queapesar de minorizada na Galizaconseguiu desenvolver-se plenamente noutros estados, aproveitemos os recursos que daí se derivam: aproveitemos a possibilidade de viver em galego muito mais.
  
 ===== Queredes substituir o colonialismo madrileno polo lisboeta? ===== ===== Queredes substituir o colonialismo madrileno polo lisboeta? =====
Linha 120: Linha 144:
 O reintegracionista médio é contra todo tipo de colonialismos.  O reintegracionista médio é contra todo tipo de colonialismos. 
  
-Na Galiza está a se desenvolver um processo de substituiçom linguística em que a nossa língua (A) está sendo suplantada por umha outra (B), que é a oficial em todo o Reino de Espanha. A estratégia reintegracionista nom pode substituir A por B, como está a fazer o castelhano porque a língua de Portugal e do Brasil é a mesma que a da Galiza com os seus sabores particulares, seriam portanto (Á).+Na Galiza está a desenvolver-se um processo de substituiçom lingüística em que a nossa língua (A) está sendo suplantada por umha outra (B), que é a oficial em todo o Reino de Espanha. A estratégia reintegracionista nom pode substituir A por B, como está a fazer o castelhanoporque a língua de Portugal e do Brasil é a mesma que a da Galiza com os seus sabores particulares, seriam portanto (Á).
  
-O que se trata é de construir um formato de língua nas coordenadas do nosso sistema linguístico e nom nas coordenadas de umha outra língua que, por acaso, está a substituir a nossa. O que se trata é de preencher as nossas carências internamente com Á e nom externamente com B. +O que se trata é de construir um formato de língua nas coordenadas do nosso sistema lingüístico e nom nas coordenadas de umha outra língua que, por acaso, está a substituir a nossa. O que se trata é de preencher as nossas carências internamente com Á e nom externamente com B. 
  
-Seja como for, os galegos e as galegas nunca falaremos como os naturais de Lisboa. O que nom está tam claro é que se acabaremos sendo monolingues como em Madri.+Seja como for, os galegos e as galegas nunca falaremos como os naturais de Lisboa. O que nom está tam claro é se acabaremos sendo monolingues como em Madrid.
  
  
Linha 131: Linha 155:
 Ainda bem, se assim fosse seria um caso difícil de explicar e talvez tivéssemos que indagar nas ciências ocultas.  Ainda bem, se assim fosse seria um caso difícil de explicar e talvez tivéssemos que indagar nas ciências ocultas. 
  
-Quando uma língua se estende por um território, as formas de falá-la mudam de um espaço para outro. No Brasil e em Portugal fala-se a mesma língua bem como no México e na Argentina e ao mesmo tempo nom "falam igual". De facto, o português de Portugal é de difícil compreensom para o brasileiro médio, o que nom sucede à inversa. Isto ocorre em todas as línguas com um mínimo de extensom.+Quando umha língua se estende por um território, as formas de falá-la mudam de um espaço para outro. No Brasil e em Portugal fala-se a mesma língua bem como no México e na Argentinaeao mesmo temponom "falam igual". De facto, o português de Portugal é de difícil compreensom para o brasileiro médio, o que nom sucede à inversa. Isto ocorre em todas as línguas com um mínimo de extensom.
  
 As diferenças dialetais entre diferentes variedades afetam fonética, gramática, léxico e pragmática e som consubstanciais a qualquer língua com umha extensom mínima. As diferenças dialetais entre diferentes variedades afetam fonética, gramática, léxico e pragmática e som consubstanciais a qualquer língua com umha extensom mínima.
  
-O que fai que duas variedades sejam ou nom a mesma língua nom é facto de serem iguais nem sequer parecidas como constatam o caso do [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Su%C3%AD%C3%A7o-alem%C3%A3o|alemám]], o [[http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_chinesa#Dialetos|chinês]] ou o [[http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_%C3%A1rabe#Dialectos|árabe]] por umha parte ou o [[http://pt.wikilingue.com/es/Idioma_servocroata|servo-croata]] pola outra. Nos primeiros casos existem variantes que não compreensíveis entre si e no caso do servo-croata, polo contrário, existe compreensibilidade mas estão-se a gestar várias línguas.+O que fai que duas variedades sejam ou nom a mesma língua nom é facto de serem iguais nem sequer parecidas como constatam o caso do [[http://pt.wikipedia.org/wiki/Su%C3%AD%C3%A7o-alem%C3%A3o|alemám]], o [[http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_chinesa#Dialetos|chinês]] ou o [[http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_%C3%A1rabe#Dialectos|árabe]] por umha parte ou o [[http://pt.wikilingue.com/es/Idioma_servocroata|servo-croata]] pola outra. Nos primeiros casos existem variantes que nom compreensíveis entre si e no caso do servo-croata, polo contrário, existe compreensibilidade mas estám-se a gestar várias línguas.
  
-Ser a mesma língua é umha questom política, nom filológica, é social, não formal.+//Ser a mesma língua é umha questom política, nom filológica, é social, nom formal//.
  
  
QR Code
QR Code pt_agal:teoria:identidade_e_categorias (generated for current page)