Reuniom da Assembleia de Mulheres do Centro Social Revolta

Reuniom da Assembleia de Mulheres do Centro Social Revolta

15-01-08

Na 3ªFeira dia 15 de Janeiro às 20:30hh no Centro Social Revolta, reunirá-se a Assembleia de Mulheres.

Aliás, publicamos o artigo que editárom no passado mês de Dezembro de 2007 com motivo da organizaçom dos jogos das nossas selecçons nacionais:

assembleia de mulheres do cs revolta

METE-LHE UM GOLO AO MACHISMO!!

A criaçom da equipa feminina de futebol, apesar de ser para disputar um jogo amigável pola falta de vontade institucional para caminhar para a oficialidade, era umha dívida pendente com as mulheres galegas jogadoras deste desporto, depois de dous anos de recuperaçom da
selecçom masculina.

Nesta estreia, por desgraça, as jogadoras do Galiza-Catalunya sairám ao campo num quase que seguro vazio Balaidos, pois som "convidadas de pedra" num encontro do "futebol galego que une", mas que tanto na publicidade como na difusom do evento os protagonistas som os de sempre: os onze jogadores masculinos do Galiza - Camarons.

Nom entendemos como depois da demora na apariçom da selecçom feminina nom foi possível apostar por fazer numha data específica a estreia das selecçons femininas - já que também jogam a sub-18 e sub-16 contra Braga- e assim dar-lhes o merecido espaço a todas estas jogadoras.

Nom compreendemos como este jogo é declarado de máximo risco e como se obriga às pessoas que queiram ir ao jogo feminino a permanecerem no interior do campo até o jogo masculino, já que som muitas horas num estádio para qualquer pessoa e impossibilita a participaçom na manifestaçom que tem convocada Siareiras Galegas para as 20.15 da tarde desde as Travessas.

E por isso queríamos criticar e rejeitar este modelo
de "gestos institucionais" que nom fomentam nem a participaçom activa da sociedade nem o reconhecimento e visibilizaçom das mulheres. Queremos compromissos concretos e umha aposta decidida polo futebol feminino e de base.

Á hora de mudar estereótipos o desporto tem ainda muito que fazer, fomentar o interesse e a participaçom das mulheres
nos desportos de grupo é também tarefa pendente das Conselharias de Educaçom e de Cultura, as duas dirigidas por mulheres.

Porque som os padrons e estereótipos culturais, muito mais que as diferenças biológicas, postas tantas vezes como escusa, as que marcam qual é o papel masculino e feminino normativo e diferenciado desde idades moi temperá nas escolas ou nas casas à hora de praticar um desporto. E também há muitas questons por mudar dentro do próprio
mundo do futebol, desporto masculino por excelência e inserto no capitalismo selvagem, que reproduze um sistema de valores culturais excludentes e discriminatórios com as mulheres, além da concepçom actual do desporto como mercadoria e negócio.

O 27 de Dezembro queremos fazer visíveis estas contradiçons, e berrar que nós acreditamos na autonomia do feminismo. Nom podemos permitir que se utilize a "igualdade" de um jeito mediático e que o feminismo seja um instrumento institucional. E queremos sair às ruas para ocupar
o espaço público deste jogo, e que esta data se converta num dia de visibilidade feminista. Queremos convidar-vos desde a cumplicidade a construir este dia com todos e todas para apostar polo feminismo, que entre todas já inventamos dia a dia.

Porque os direitos das mulheres nom som um jogo!!

Escrito ?s 13:13:52 nas castegorias: ASSEMBLEIA DE MULHERES
por csrevolta   , 553 palavras, 484 views     Chuza!

Ainda sem comentários