ESTREIA DE NOVO DOCUMENTÁRIO SOBRE O MERDEIRO NESTE ENTRUIDO

01-02-13

Reproduzimos um pequeno resumo do projeto feito pola equipa que elaborou o documentário do que anunciam estreia para este entruido:

Tratam-se vários temas arredor do merdeiro: qual é a sua razom de ser, por que desapareceu, como começou a recuperaçom, como foi a organizaçom e a planificaçom da mesma, quem participa, a inclusom da mulher, a resposta da gente, etc.

Nom contou com nenhuma subvençom, esta financiado integramente polos dous membros responsáveis do projeto e realizado com o esforço nom remunerado de toda a equipa. Todo o software empregado em todo o processo de criaçom é software livre (GNU-Linux,Libre Office, Kdenlive, Inkscape, Audacity, Gimp, etc.)

A gravaçom abrange desde as primeiras saídas dos merdeiros no entruido de 2011 até o verao de 2012. Entrevistamos às principais pessoas responsáveis da recuperaçom: ao desenhador da máscara Pancho Lapeña, ao autor do livro "O Merdeiro, un persoaxe do entroido vigués" Xerado F. Santomé, e ás mulheres e homens que participam das saídas desta figura e da organizaçom e planificaçom das mesmas.

Licenciará-se em Creative Commons de jeito que qualquer pessoa que o deseje poda descarga-lo, empresta-lo ou visiona-lo. Esta é a filosofia da equipa: a difusom, gratuita , de umha cultura que nos é própria e o registo do esforço de muita gente por recuperar parte da nossa memória. Nom tem interesse comercial nenhum.

Escrito ?s 11:30:55 nas castegorias: NOVAS
por csrevolta   , 218 palavras, 590 views     Chuza!
3, 2, 1... AVANTE MERDEIR@S 2013!!

30-01-13

Na próxima sexta-feira dia 1 de fevereiro arrancamos com a treboada d@s merdeir@s com as crianças às 19h00 na praça da vila da zona velha.

Já no domingo dia 10 terá lugar o tradicional jantar d@s Merdeir@s por volta das 14h00 no Centro Social A Revolta (Rua Real, 12)

E como sempre, recordamos:
Dia 8 - de tarde nas ruas da zona velha.
Dia 10 - todo o dia nas ruas da zona velha.
Dia 12 - todo o dia nas ruas da zona velha.

Escrito ?s 10:35:04 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 76 palavras, 550 views     Chuza!
III CEIA SOLIDÁRIA COM OS PRESOS INDEPENDENTISTAS

29-01-13

Neste sábado 2 de fevereiro transcorrerá a partir das 21h00 a III ceia solidária no nosso local social com umha aportaçom mínima de 5 ?.

As ceias solidárias é umha iniciativa do centro social Revolta a celebrar o primeiro sábado de cada mês e nas quais o dinheiro recadado destina-se integramente a paliar os gastos económicos derivados da situaçom repressiva dos patriotas presos.

Desde o centro social Revolta saudamos a iniciativa das ceias solidárias noutras localidades como Ponte Areias, Ourense ou Lugo, e encorajamos a somar-se aos demais centros sociais do país.

Recuncar até que voltem para a casa!!
Solidariedade ativa!!

Escrito ?s 17:19:10 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 99 palavras, 427 views     Chuza!
APOIO AO C.S. GUINDASTRE

22-01-13


Umha reclamaçom de dinheiro por parte de fazenda ativou solidariedade com o que fora centro social do bairro viguês de Teis. Após a ceia da passada sexta-feira, em fevereiro fará-se o sorteio dumha cesta de produtos galegos ecológicos e a solidariedade continuará com mais iniciativas para fazer frente a este novo ataque ao associacionismo de bairro.

Escrito ?s 08:32:12 nas castegorias: NOVAS
por csrevolta   , 56 palavras, 602 views     Chuza!
C.S. REVOLTA ADERE E CHAMA A PARTICIPAR NO BLOCO LARANJA DO 27-J

19-01-13

O C.S. Revolta aderimos e chamamos a participar no bloco laranja da manifestaçom em defesa da nossa língua que para o próximo 27 de janeiro foi convocada em Compostela pola plataforma Queremos Galego.

Reproduzimos a seguir o manifesto feito público polo bloco laranja com motivo de dita mobilizaçom:

Podemos motivar, podemos somar, mas é preciso virar o rumo

O espanhol, que já era a língua praticamente única das cidades galegas mais povoadas, também se tornou a língua ambiental de um grande número das nossas vilas médias e até pequenas nos últimos anos. Nestas circunstáncias, também ficárom mui reduzidas as pessoas que tenhem algum tipo de contacto com a nossa língua. Sabia-se que ia acontecer e aconteceu, de maneira que algo tem que estar a falhar. Como tantas outras cousas na nossa sociedade, o movimento normalizador necessita de novos ares, de um novo rumo que nom jogue todas as cartas à açom institucional e ao vitimismo de sermos língua minorizada. A situaçom da língua é delicada, mas nós pensamos que é possível voltar a conectar com a sociedade, voltar a motivar, voltar a somar.

As sociedades atuais e os comportamentos lingüísticos delas som tam complexos que dificilmente se podem induzir ou alterar apenas através da açom institucional. Tampouco o ensino, nem que fosse maioritariamente em galego, asseguraria grandes avanços por si só. Temos muitos exemplos de que esse rumo nom dá os frutos que esperávamos. Muito menos ainda, claro, quando a estratégia consiste simplesmente em ficar à espera dessa situaçom. Guiarmos noutra direçom nom nos instalaria repentinamente na situaçom oposta. Ora bem, parece claro que continuarmos a bater nas mesmas teclas, a de estar à espera de um ambiente ideológico propício e a de limitar os recursos que pomos ao dispor do processo normalizador, nom gera a motivaçom social polo galego que desejaríamos.

Os coletivos reintegracionistas que hoje nos reunimos no bloco laranja entendemos que, sem renunciarmos a utilizar o ensino e as instituiçons públicas em prol da nossa língua quando estivermos em condiçons de o fazer, também devemos somar outro tipo de vontades e recursos à margem daquelas. Parece-nos o modo mais interessante de devolver ao movimento normalizador o entusiasmo de que atualmente carece e que julgamos imprescindível para conectar com a sociedade. Um novo rumo em que cada pessoa poda pôr o seu grao de areia para que o galego volte a ser, para além da língua que as pessoas identificam com o uso ritual institucional, umha língua de ambientaçom social. Por isso queremos animar-te a trabalhar conosco:

1. Na promoçom de espaços físicos de socializaçom em galego e polo galego em todas as comarcas do País.

2. Na promoçom de redes cooperativas de ensino em galego e polo galego em que o galego nom seja apenas a língua da docência, senom o projeto que aglutine toda a comunidade educativa: direçom, docentes, maes e pais, crianças...

3. No aproveitamento de recursos lusófonos em todos os ámbitos em que seja possível, fazendo do intercámbio com os outros países de fala galega a aposta cultural fundamental do movimento normalizador até que se criem condiçons mais favoráveis para a cooperaçom lingüística com os estados de língua portuguesa.

Som medidas simples que já se verificárom eficazes noutros países, porque nom basta fazermos campanhas de promoçom do galego: devemos fazer do galego umha opçom interessante para as pessoas e para isso temos que ter em conta as pessoas.

Galiza, 27 de janeiro de 2013

Escrito ?s 11:26:32 nas castegorias: NOVAS
por csrevolta   , 564 palavras, 469 views     Chuza!
CEIA NA SEXTA-FEIRA EM COLABORAÇOM COM O KOLEKTIVO O GUINDASTRE

15-01-13

Na sexta-feira dia 18 de janeiro, após a assembleia deste centro social, acolhemos a partir das 22h00 umha ceia para colaborar com o Kolektivo O Guindastre.

Escrito ?s 19:59:08 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 25 palavras, 527 views     Chuza!
FILME E PETISCOS NESTA QUARTA-FEIRA

15-01-13

O centro social acolhe esta quarta-feira dia 16 às 21h00 um filme sobre o ajustiçamento do que fora primeiro-ministro da Itália e dirigente da Democracia Cristá, Aldo Moro. Sequestrado em 16 de março de 1978 polas Brigadas Vermelhas, após 55 dias de cativério o seu corpo foi encontrado no interior dum carro na Via Caetani de Roma.
Como é costume a projeçom se acompanhará duns petiscos para as e os assistentes.

Escrito ?s 19:49:29 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 67 palavras, 260 views     Chuza!
SENLHEIRO: "TORTURÁROM-ME NO MONTE E ESTÁM-ME AMEAÇANDO"

09-01-13

Redaçom Galiza livre/ O jovem independentista Hadriám Mosquera "Senlheiro" denunciou ter padecido torturas por parte dos polícias que o detivérom. Durante o registo da sua vivenda na paróquia amiense de Quistiláns, Senlheiro berrou várias vezes para que pudessem escuitá-lo os companheiros e amigos que protestavam no exterior da casa:"Torturárom-me no monte e estám-me ameaçando!", além de mensagens para a sua família.

Nestes momentos Senlheiro continua nas maos dos mesmos mercenários, possivelmente num carro caminho de Madrid, onde continuará vários dias mais no seu poder.

Esta parece ser a segunda ocasiom de tortura física a detidos em operaçons contra a resistência galega, depois das detençons pola Guarda Civil de Xurxo, Diego e Koala. Neste caso, a cárrego do outro corpo de mercenários do Estado espanhol, a Polícia Nacional.

Concentraçons na quarta-feira dia 9:

COMPOSTELA: Concentraçom solidária ás 20h na Praça do Pam.
OURENSE: Concentraçom solidária ás 20h na Praça do Ferro.
VIGO: Concentraçom solidária ás 20h diante do MARCO (Rua Príncipe).
LUGO: Concentraçom solidária ás 20:30h na Praça Maior.

Escrito ?s 12:53:28 nas castegorias: NOVAS
por csrevolta   , 167 palavras, 689 views     Chuza!
NOITE DE LUME NOVO É PONTO DE PARTIDA PARA A SUA RECUPERAÇOM

05-01-13

A simbólica queima dos fachos na passada noite de lume novo fixou o ponto de partida para começarmos a pesquisa e investigaçom desta tradiçom. Nos poucos dias que levámos desde a publicaçom do artigo de Joám Evans Pim, já nos tenhem chegado numerosos testemunhos de diferentes comarcas do país que dumha forma ou doutra recordam a celebraçom da noite de passagem de ano através do lume. Acendemos o facho da dignidade galega neste 2013 e iniciamos um trabalho de recuperaçom que esperemos nos dé aços para melhorar na próxima a noite de lume novo que vimos de celebrar.

Galeria fotográfica Noite de Lume Novo 2012-13

Escrito ?s 23:31:08 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 103 palavras, 763 views     Chuza!
INICIAMOS RECUPERAÇOM DA QUEIMA DO FACHO NESTE FIM DE ANO

28-12-12

Através dum artigo do jornalista e antropólogo Joám Evans Pim publicado no Portal Galego da Língua o passado 27 de dezembro, fomos conhecedores da tradiçom da queima do facho em várias comarcas do país.

Sem muito tempo para afundar na pesquisa e investigaçom que bem merece o facto, propugemo-nos iniciar este ano a sua recuperaçom e inseri-la na programaçom da passagem de ano do centro social.

O nosso interesse é continuar no ano 2013 com a pesquisa antropológica e a procura de testemunhas desta tradiçom para a sua revitalizaçom, os frutos deste trabalho iremo-los dando a conhecer ao longo do ano.

Agradecemos ao autor do artigo a sua boa disposiçom e animamos a todas as pessoas a participarem nesta viagem que com tanta ilusom iniciamos.

Escrito ?s 16:15:30 nas castegorias: ACTIVIDADES
por csrevolta   , 123 palavras, 957 views     Chuza!

<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ... 40 >>