AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novas datas grupo de estudos. Foda-se Google. BASENAME: novas-datas-grupo-de-estudos DATE: Mon, 20 Mar 2017 15:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Continuamos co ciclo de debates que demos em chamar "Foda-se Google" agora co bloco II e bloco III. Nos dias 24 de março e 7 de abril celebraremos mais duas sessons que organizamos co Ateneo Libertário A Engranaxe.

-A sexta-feira 24 de março às 21h30 haverá um obradoiro prático sobre os perigos da rede e conheceremos algumhas ferramentas para proteger a nossa privacidade e melhorar a segurança nas comunicaçons pola internet. No obradoiro participará Miguel Garcia de Bitnós Será um pequeno achegamento mas de grande interesse para quem se queira iniciar no tema.
Depois do obradoiro haverá umha ceia-debate. Esta sessom celebrará-se no local de Mádia Leva! na rua Serra de Ancares 18.

-A sexta-feira 7 de abril às 21h30 faremos um debate sobre ciberativismo e feminismo. fará-se em colaboraçom co coletivo transfeminista Translurpies. Em breve disponibilizaremos os textos para estes debates. Haverá também ceia-debate. Esta sessom celebrará-se no local de A Engranaxe na rua Rio Sil 52.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: X Aniversário. 2007-2017 Dez ano de independência. BASENAME: x-aniversario-2007-2017-dez DATE: Mon, 20 Mar 2017 15:44:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

X Aniversário. Dez anos de independência.
Um ano depois de termos criado o Mádia Leva!, publicavamos umha editorial na nossa primeira revista co título "Quem dixo que nom merecia a pena?" Nesse artigo enumeravamos as muitas atividades que tinhamos feito em só um aninho. Hoje , com dez anos às costas, o relatório cronológico ocuparia umhas quantas páginas.
Dez anos de independência, porque erguemos neste tempo a bandeira da Galiza ceive que sonhamos. Também pola nossa capacidade para fazer o que queriamos por nós mesmas sem o apoio de qualquer instituiçom e co silenciamento dos médios locais. Nom envejamos esse funcionamento, acreditamos na autogestom. Graças a ela vivemos muitas boas experiências boas como montar o nosso posto no festival de Pardinhas todos estes anos. O que começou como um jeito de financiamento logo se convertiu num ponto de encontro da nossa gente.
Também trabalhamos por impulsionar a organizaçom do povo, intervir naqueles conflitos locais que entendemos afetam a todas, porque a nossa aposta é cultural mas também política.
Muitos esforços dedicamo-los a abrir e manter o centro social, primeiro na rua Amor Meilam que nos levou um verao intenso de trabalhos para inaugurar em setembro de 2007. Estivemos nele até janeiro de 2012. No mês seguinte, o 14 de fevereiro inauguramos o atual local na rua Serra de Ancares. Dez anos nos que mantivemos aberto um espaço de construçom nacional coas nossas maos e o nosso trabalho e luita militantes. Um espaço que também serviu ao movimento associativo comarcal.
Defendemos a nossa língua e luitamos por umha Galiza na que poidamos viver no nosso idioma. Para isso esta o nosso espaço servindo a normalizaçom do galego. Reconhecemos os nossos vínculos coa lusofonia e empregamos o galego reintegrado recolhendo o legado doutros coletivos locais reintegracionistas como Alto Minho e doutros centros sociais da Galiza.
Mas o nosso espaço sempre foi a rua, apoiando os conflitos em defesa da Terra que se derom nesta comarca como o das obras no Parque Rosalia, a luita contra a megaminaria ou o mais recente do dique no rio Minho. Somos um coletivo feminista, combatemos atitudes machistas tanto fora como dentro do coletivo. Somos também um espaço de reflexom, criando o grupo de estudos para melhorar a nossa formaçom.
Somos positivos e optimistas embora aos embates soubemos seguir em pé. Em dez anos conhecimos gente boa e aprendimos o verdadeiro valor da solidariedade. Temos a Antom e Maria na cadeia dispersados desde 2011, muitas companheiras do nosso coletivo sofrerom repressom polo seu compromisso co país, isso marcou-nos mas nunca nos escondimos.
Continuamos dez anos depois criando coletivamente umha realidade alternativa. Para nós o centro social é um lugar para produzir encontros emocionais, de cara a cara, um lugar que nos compromete, no que sementamos a irmandade. Contruimos um pequeno contra-poder, umha escola para aprender juntas práticas de resistência frente ao deserto que significam Espanha e o capitalismo.
Seguiremos fazendo por nós mesmas

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: X. O FACHO: Lois Ladra Fernández - Os torques galaicos: ouro e poder na proto-história da Galiza BASENAME: x-o-facho-lois-ladra DATE: Sat, 18 Mar 2017 11:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021 / N. I. 1966/000008-1ª
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2016-17

Palestra

O vindouro dia 24 de Março do 2017 (Sexta-Venres) às 8,00 do serám, terça, o arqueólogo e investigador, X. Lois Ladra Fernández, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: Os torques galaicos: ouro e poder na proto-história da Galiza

Lois Ladra, é Lcd. em Geografia e História pola UCM, Lcd. em Antropologia Social e Cultural pola UNED, Diplomado em Estudos Avançados em Arqueologia pola USC e Mestre em Arqueologia da Idade do Ferro pola U. do Porto.
Como investigador e arqueólogo tem colaborado em numerosos projectos, quer na Galiza, quer em Portugal, onde tem dirigido vários estudos na Beira Alta, na Beira Baixa, no Douro e em Trás-os-Montes. Participou em mais de meia centena de escavaçons arqueológicas, sendo responsável polas cartas arqueológicas de vários concelhos galegos e leoneses. É autor de múltiplos estudos publicados em revistas especializadas, assi como de meia dúzia de monografias, entre elas Arte relixiosa popular na Terra de Valga: cruceiros, cruces de pedra e petos de ánimas (Prémio de Investigaçom Xesús Ferro Couselo), A pesca tradicional nos rios de Galiza: caneiros, pescos e pesqueiras (Prémio de Investigaçom Vicente Risco), As embarcações tradicionais dos rios da Galiza (Prémio de Investigaçom Xaquín Lourenzo) e Tecnologia Tradicional do sumagre: Etnobotânica, História e Património. Encetou o estudo sistemático dos torques galaicos há mais de vinte anos, tendo publicado numerosos achados inéditos.

Dia: 24 de Março 2017 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: O Concerto fiscal galego ou Cupo por Gonzalo Rodriguez Rodríguez BASENAME: o-facho-o-concerto-fiscal-1 DATE: Sat, 18 Mar 2017 11:23:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 5 de Março do 2017, no salom de actos de Portas Ártabras acolheu a palestra que o o Doutor e Professor da U.S.C., Gonzalo Rodriguez Rodríguez interveu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social, organizado pola nossa Agrupaçom com a sua palestra: O Concerto fiscal galego ou Cupo.
Rodriguez Rodríguez encetou mostrando com distintos e esclarecedores diagramas como a relaçom existente entre o ingressos obtidos em regime de Concerto ? Euzkadi- fôrom e som mais eficazes em paliar a desfeita económica levada polos distintos governos da Troika no estado Espanhol.
Também na sua exposiçom mostrou a extracçom dos recursos financeiros cara estado Espanhol a través da obriga das empresas que realizam a sua principal actividade económica na Galiza a cotizar e ter os seus domicílios fiscais e logística em Madrid.

Ao findar a sua exposiçom mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Curso de língua 18 e 19 de março. BASENAME: curso-de-lingua-18-e DATE: Wed, 15 Mar 2017 10:46:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

Dias 18 e 19 de março.Curso intensivo de galego ministrado por Eduardo Maragoto, presidente de AGAL e mestre de português na Escola Oficial de Idiomas de Compostela.Preço 18 sócias e 20 nom sócias. Inscriçom prévia madialeva.gz@gmail.com

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no Português Perto de Ourense BASENAME: ops-no-portugues-perto-de DATE: Tue, 07 Mar 2017 15:47:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

La Región, 7 de março de 2017

"Ao obradoiro 'OPS! O galego como oportunidade competitiva e privilexiada' asistiu o alumnado da materia Patrimonio Cultural, impartida pola antropóloga Fátima Braña no segundo curso do grao de Turismo. Seguindo o modelo dos obradoiros celebrados en anteriores edicións de Portugués Perto, a sesión tivo un carácter principalmente práctico co obxectivo de que os asistentes se fixesen conscientes das portas que lles abre o galego no mundo, non só desde un punto de vista de enriquecemento cultural senón tamén de desenvolvemento profesional. 'A lingua é un patrimonio cultural fundamental e é necesario que o alumnado a teña en conta non só como un medio de expresión e identidade senón tamén de crecemento profesional', explicou Fátima Braña. Este obradoiro, apuntou a docente, dá en cada edición moi bos resultados, abrindo ao alumnado asistente unha nova perspectiva sobre a lingua galega e a portuguesa."

O galego, unha chave para acceder "case sen esforzo" ao mundo lusófono, Rosa Tedín

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: 8M: Homenagem a Amada Garcia BASENAME: 8m-homenagem-a-amada-garcia DATE: Tue, 07 Mar 2017 08:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Março 2017

Depois de realizarmos um mural no nosso bairro em homenagem ao Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, continuamos a atividade à volta desta jornada.

Esta vez será a jovem comunista, feminista e independentista galega Rosa Casais quem virá de Mugardos a falar-nos sobre outra comunista mugardesa, a fusilada Amada Garcia, cuja memória se conserva tam fraca na Espanha post-franquista em que vivemos.

Será a partir das 21h no nosso local, na Rua Marcóni.

A breve palestra de Rosa, introdutória à figura da sua vizinha, acompanhará-se da inauguraçom do mural em homenagem à própria Amada que teremos a partir deste mês, junto a Reboiras, no nosso local.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novo juízo por defender o rio. BASENAME: novo-juizo-por-defender-o DATE: Mon, 06 Mar 2017 10:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A próxima sexta-feira,dia 10 de março às 9h30 , terám que apresentar-se nos julgados nove ativistas da Plataforma Lugo Cara o Miño. De novo a nossa solidariedade estará presente.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Atividades de março na Fundaçom Artábria BASENAME: atividades-de-marco-na-fundacom DATE: Fri, 03 Mar 2017 17:11:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na próxima sexta-feira da início o programa de atividades que a Fundaçom Artábria tem agendadas para este mês de março.

Um completo programa que contará com audiovisual, fotografia, teatro, música, apresentaçom de livros, luso gastronomia, atividades para crianças e a celebraçom do Sam Martinho de Dume. Aliás como todos os anos, no mês de março, rendiremos homenagem à figura do ilustre Ricardo Carvalho Calero.

Eis o programa:

Sexta-feira 3 de março, às 20.30hs projetaremos o documentário "Entrar aos Vilares". Documentário dirigido por Cibrán Tenreiro e producido polo Projeto Os Vilares, Lareira de Sonhos, arredor da paroquia chairega do poeta Díaz Castro. A entrada é livre.

No sábado 4 às 20.00hs inauguraremos a exposiçom do fotógrafo ferrolano Gabriel Tizón que leva por título "Refuxiados son persoas". 9 imagens tomadas em 9 Estados europeios sobre o trato da Uniom Europeia com as pessoas chamadas "refugiadas".

No mesmo sábado às 22.00hs desde Compostela chega a Companhia Teatral do Pichel para apresentar o seu último trabalho ?Agorafobia, parálise sobre o medo?, dirigido por Zé Paredes.

Na sua quarta montagem o Teatro do Pichel, aborda um texto da dramaturga contemporanea Clara Gayo, "Agorafobia: Parálise sobre o medo". Umha inmolaçom dos pânicos de nove pessoas autoexiladas num piso de espaços pouco definidos. Umha exposiçom do medo como fronteira onde nada se move, nem mesmo o péndulo do relógio. Malia todo as exiladas seguem caminhando por riba de vidros, brasas, ou ruínas. Um caminho impossível cara dentro, na espera de encontrar muros protectores e acomodar-se na parálise.
A entrada é de graça.

No 10 de março, após a manifestaçom do Dia da Classe Obreira Galega, haverá petiscos no Centro Social.

Já no sábado 11 de março, organizado polo coletivo eumês Punktedeume Army chegám a Ferrol os vigueses Keltoi! e os composteláns Os Novos.
Keltoi! Buque insignia do Oi! e punk-rock de Galiza, toda umha referência na escena. 21 anos nos cenários e seguem na brecha. No seu primeiro concerto em Ferrol os vigueses apresentam o seu último trabalho "Sons da Rúa".

Pola sua parte Os Novos som umha compostelá de punk cujos integrantes tenhem umha dilatada carreira em grupos como os Samesugas, Redulhos ou Madame Germem.

O preço do bilhete é de 6 euros. Também há opçom de colhe-lo junto ao último trabalho de Keltoi! por 12 euros.

Na sexta-feira 17 de março decorrerá a apresentaçom do projeto "Bolcheviques: 1917-2017". "Bolxeviques 1917-2017". Coordinado pola escritora Teresa Moure e editado por Xerais e Através editora. Um livro coletivo no que participam 23 autores e autoras. Na apresentaçom, além da coordenadora, estarám a sindicalista Marga Corral e o historiador Eliseo Fernández.

Já no sábado 18, por terceiro ano consecutivo celebramos desde as 21.30hs o Sam Martinhos´s Day com umha nova festa suevo-irlandesa.
Nos últimos anos estendeu-se por todo o mundo, ajudada polo interesse comercial dumha conhecida marca de cerveja, a celebraçom irlandesa de Sam Patrício. Pois bem, a casualidade favoreceu que exista um forte paralelismo entre a vida do santo padroeiro da Irlanda e um outro santo que, embora bastante desconhecido, tivo umha importáncia na História Galega, Sam Martinho de Dume. Sam Patrício foi o evangelizador da Irlanda, lá polo século V da nossa era, e Sam Martinho cumpriu um papel semelhante na Galiza do século VI, o que lhe permitiu passar à história coma o apóstolo dos e das suevas. Curiosamente, as datas em que se comemoram as festividades de ambos santos están muito próximas no calendário, 17 e 20 de março respetivamente.

A proposta é aproveitar a vontade de festa do pessoal e, já que vamos celebrar Sam Patrício, aproveitemos para celebrar também a nossa suevicidade.
E nom, nom pensedes que na Fundaçom Artábria deixamos de ser laic@s, nom. A ideia é celebrar e reivindicar a suevicidade, nom ao Sam Martinho em si. De facto, um dos contributos fundamentais do bispo de Dume foi a redaçom dum texto conhecido como o "De correctione rusticorum", onde se indicavam e condenavam muitos dos costumes pouco cristaos que @s nossas antepassadas praticavam. Costumes que vos animamos encarecidamente a recuperar, porque, assim entre nós, Sam Martinho era um pouco reaça.

A festa suevo-irlandesa contará com cerveja das duas naçons, "suevitos quentes" e o concerto de "O Puto Coro do Exército Froilanista" e os Porcoteixos. Após os concertos haverá foliada, assim que convidamos-vos a trazer os vossos instrumentos.

O concerto dará início às 22.30hs e a entrada é de graça.

No dia 24 de março, e organizado pola Associação Cultural O Beco da Língua decorrerá umha nova ediçom das luso-paparocas, desta volta poderemos degostar algum prato típico do Moçambique.

O preço da ementa será de 12 euros, 10 euros se és sóci@ do Beco ou da Fundaçom Artábria.

No 25 de março, coincidindo com o 27º aniversário do passamento do ilustre ferrolano Ricardo Carvalho Calero realizaremos, mais um ano, umha homenagem diante das ruínas da sua casa natal em Ferrol Velho.

O ato dará início às 12.30h e o programa ainda esta por fechar, mas adiantamos que haverá música, poesía e intervençons.

No próprio sábado, 25 de março, Sanjurjo e Dopico 5.0 apresentarám o seu novo projeto na Fundaçom Artábria. O concerto dará início às 22.00hs e o preço do bilhete é de 3 euros.

Fecharemos as atividades de março na sexta-feira 31 às 19hs com um atelier infantil de repostaria criativa ministrado por Maru Alonso, onde aprenderemos a fazer rosquilhas. Precisa-se de inscriçom prévia gratuita e há límite de assistência para 15 crianças. A atividade está programa para nenos e nenas a partir dos 4 anos.

Podes fazer a inscriçom ligando para o 671 200 160 (Lara).

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Gisela João (2013) BASENAME: gisela-joao-2013 DATE: Fri, 03 Mar 2017 08:32:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://giselajoao.com/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Oferenda floral perante a tumba de Eduardo Pondal BASENAME: o-facho-oferenda-floral-perante DATE: Thu, 02 Mar 2017 09:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Oferenda floral perante a tumba de Eduardo Pondal

Dia 7 de Março do 2017


Em recordaçom do centenário da morte Eduardo Pondal, O Facho tem a bem de o convidar à oferenda floral perante da sua tumba, que se efectuará no cemitério de Santo Amaro o dia 7 de Março (terça-martes), às 5 da tarde. O acto realizara-se junto às associaçons culturais que engloba e apoiam a AS-PG, Galiza Cultura, a Mesa, Fundaçom Eduardo Pondal, e o Concelho de Carvalho.

Dia: 7 de Março do 2017
Hora: 5 da tarde.
Lugar: Cemitério de Santo Amaro

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "Ainda te quero" (F. de Brito / R. C. Félix) BASENAME: ainda-te-quero-f-de DATE: Wed, 01 Mar 2017 05:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Frederico de Brito e Rodrigo Costa Félix:
https://www.tugafado.com/files/videos/13740874554e869.mp4

http://rodrigocostafelix.blogspot.com.es/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Gonzalo Rodriguez Rodríguez - O Concerto fiscal galego ou Cupo BASENAME: o-facho-gonzalo-rodriguez-rodriguez DATE: Tue, 28 Feb 2017 11:42:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2016-17

Palestra

O vindouro dia 15 de Março do 2017 (Quarta-Mércores) às 8,00 do serám, o Doutor e Professor da U.S.C., Gonzalo Rodriguez Rodríguez intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua palestra versará sobre: O Concerto fiscal galego ou Cupo.

Rodriguez Rodríguez é Prof. do Dpto. de Economia Aplicada da USC. a vez que é Co-Director do Curso de Post-grao en Gestom Cultural da USC e coordenador do grupo do Grupo de Investigaçom en Economia Pesqueira.

Como autor tem umha interessantíssima e amplia obra própria como em parceria: O papel da muller na miticultura galega, Aspectos da capacidade tecnolóxica e dos procesos de innovación no sector pesqueiro-conserveiro galego, Eficiencia e productividade no emprego da man de obra na miticultura galega, As empresas cooperativas: Unha oportunidade para a igualdade, a integración e o desenvolvemento. Em parceria: Análisis de las descargas del vertido del Prestige: estudio metodológico y primera valoración, La pegada ecológica corporativa: concepto y aplicación a dos empresas pesqueras de Galicia, Are red tides affecting economically the commercialization of the Galician (NW Spain) mussel farming?, Origins matter. (No) market interactions between cultured and captured Gilthead sea bream (Sparus aurata) in the Spanish seafood market:.

Dia: 15 de Março do 2017 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Máquinas moleculares, prémios Nobel e Galiza por Carlos Peinador Veira BASENAME: o-facho-maquinas-moleculares-premios DATE: Tue, 28 Feb 2017 11:39:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 21 de Fevereiro, o catedrático da Faculdade de Ciências (Departamento Química Fundamental) da Universidade da Corunha e investigador do Centro de Investigaçons Científicas Avançadas (CICA), Carlos Peinador Veira intervéu dentro do ciclo A Ciência na Galiza, com a palestra intitulada Máquinas moleculares, prémios Nobel e Galiza. O acto decorreu às 8 do serám em Portas Ártabras e foi seguida com grande interesse polo publico assistente.

Depois dumha primeira exposiçom dos conceitos básicos da Química, o investigador desenvolveu a palestra centrado-se no eido da Química Supra-molecular en concreto no desenho de máquinas moleculares e nos processos de auto ensambladura. Este processo de investigaçom de Química Supra-molecular, que coordena o professor Peinador Veira, está em estreita relaçom e colaboraçom com a investigaçom levada a cabo polo Nobel britânico, Fraser Stoddart.

Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Teatro: Agorafobia - Parálise sobre o medo. BASENAME: teatro-agorafobia-paralise-sobre-o DATE: Thu, 23 Feb 2017 17:34:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 10 de março o Teatro do Pichel apresenta a obra Agorafobia - Parálise sobre o medo
Na sua quarta montagem o Teatro do Pichel, aborda um texto da dramaturga contemporanea Clara Gayo. Umha inmolaçom dos pânicos de nove pessoas autoexiladas num piso de espaços pouco definidos. Umha exposiçom do medo como fronteira onde nada se move, nem mesmo o péndulo do relógio. Malia todo as exiladas seguem caminhando por riba de vidros, brasas, ou ruínas. Um caminho impossível cara dentro, na espera de encontrar muros protectores e acomodar-se na parálise.

Sexta 10 de março às 21h no nosso centro social.Rua Serras de Ancares 18, Lugo.
Entradas 3 euros para associadas. 4 para nom associadas.
Informaçom e reservas 636525497.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: 4 de março. Ceia-charla solidária juízo Sala Iago BASENAME: 4-de-marco-ceia-charla DATE: Wed, 22 Feb 2017 12:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Após umha primeira convocatória em 5 de outubro do ano passado , o juízo às 12 acusadas era suspenso até o vindouro 13 de março, quando se presume que vam ser julgadas estas 12 pessoas por okupar, em novembro de 2011, este espaço emblemático da cidade de Compostela para uso cultural e desfrute de toda a cidadania; umha okupa pola que se passaram centos de pessoas durante os poucos dias em que estivo de portas abertas com um feixe de atividades para todos os públicos e umha gestom autogerida em assembleias numerosas e moi participativas, e isso depois de realizar umha limpeza e posta a ponto desse local. Hoje continua fechado.
O 4 de março conheceremos mais sobre a campanha solidária que se está desenvolvendo contra a criminalizaçom do ativismo social e cultural: somos nós mas poderiades ser vós?
#eutamenestivennasalaiago

Mais informaçom aqui

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Fafá de Belém BASENAME: fafa-de-belem-1 DATE: Sun, 19 Feb 2017 16:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


https://pbs.twimg.com/profile_images/786644879719948288/GSby9sOA_reasonably_small.jpg

https://pt.wikipedia.org/wiki/Faf%C3%A1_de_Bel%C3%A9m

https://www.youtube.com/watch?v=KqqUh16S2Iw

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! em Santiago de Compostela BASENAME: ops-em-santiago-de-compostela DATE: Thu, 16 Feb 2017 12:41:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Durante os meses de fevereiro e março terão lugar em Santiago de Compostela mais 5 ateliês 'OPS! O português simples' organizados polo Departamento de Língua Galega do Concelho.

O alunado de 2º e 3º da ESO do IES da Ponte Pedrinha e de 1º de Bacharelato do IES das Fontinhas descobrirá, da mão dos professores Quique Martins e Loaira Martínez, a enorme potencialidade da língua da Galiza num mundo globalizado em que o plurilinguismo tem cada vez mais valor.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! e O Mundo do INHO em Ponte Vedra BASENAME: ops-e-o-mundo-do-1 DATE: Thu, 16 Feb 2017 12:19:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Concelharia de Normalização Linguística do Concelho de Ponte Vedra organiza um ano mais, dentro da sua programação de atividades para a promoção e dignificação da língua em centros de ensino, os ateliês de português OPS! 'O português simples' para o alunado de secundário e 'O Mundo do INHO' para o de primário.

Os 14 ateliês organizados neste curso 2016-2017 serão ministrados polos professores Loaira Martínez, Henrique Martins e Tamara Varela e decorrerão em fevereiro nos centros que seguem: IES Sánchez Cantón, CEIP San Martiño, IES A Xunqueira 2, IES Torrente Ballester, IES Valle-Inclán, CEIP San Bieito de Lérez e EPA Río Lérez.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Carlos Peinador Veira - Máquinas moleculares, prémios Nobel e Galiza BASENAME: o-facho-carlos-peinador-veira DATE: Fri, 10 Feb 2017 10:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2016-17

Palestra


O vindouro dia 21 de Fevereiro, (terça-martes), o catedrático da Faculdade de Ciências (Departamento Química Fundamental) da Universidade da Corunha e investigador do Centro de Investigaçons Científicas Avançadas (CICA), Carlos Peinador Veira intervirá dentro do ciclo A Ciência na Galiza, com a palestra intitulada Máquinas moleculares, prémios Nobel e Galiza. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras - Rua Sinagoga 22- Cidade Velha

Peinador Veira é licenciado pola USC e doutor pola UDC. Actualmente é professor titular de química orgânica na UDC. Assi mesmo é autor de mais de cem artigos científicos publicados en revistas internacionais e director de 10 teses doutorais. Participou e participa como investigador principal en vários projectos de investigaçom financiados por programas nacionais e autonómicos. O seu trabalho investigador desenvolve-se no CICA, Centro dependente da UDC. Os seus interesses científicos centram-se no eido da Química Supra-molecular en concreto no desenho de máquinas moleculares e nos processos de auto ensambladura.
O equipo de investigaçom da Universidade da Corunha de Química Supra-molecular, que coordena o professor Carlos Peinador Veira, tem estreita relaçom com o Nobel britânico, Fraser Stoddart.


Dia: 21 de Fevereiro do 2017 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras - Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha
J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d'O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Volvem as FOLIADAS POPULARES BASENAME: volvem-as-foliadas-populares DATE: Thu, 09 Feb 2017 23:54:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fevereiro 2017

Umha das festas mais exitosas de sempre no nosso local foram as Foliadas. Desaparecidas durante meses, queremos recuperá-las com um pulo espetacular: a presença do grupo de jovens da comarca Dequenvessendo, intérpretes de música tradicional e amadores como poucos das peças e dos ritmos de aqui e de alá.

Mas a ideia nom é irmos vê-los como num concerto. Eles amenizarám o evento. A ideia é somar-nos e tocar, cantar, dançar e aturuxar livremente, com a coordenaçom que a espontaneidade imponha.

Abrimos às 21 horas, e a partir das 21h30 o local irá-se enchendo de solfejo e acordes o espaço. Anima-te!

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Queremos umha Semente na Corunha! BASENAME: queremos-umha-semente-na-corunha DATE: Thu, 09 Feb 2017 23:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fevereiro 2017

O percurso das escolas Semente começou em Compostela há uns anos. Neste tempo, nom só afiançou a sua presença na capital do País; também se estendeu com demandas de emulaçom a Vigo, Trasancos, Lugo... e agora a Corunha!

Um grupo de pessoas da nossa comarca quer organizar-se para dar luz a esse sonhadíssimo projeto de termos umha escola popular monolíngue, social, ambientalista e nom sexista. E escolhérom o nosso Centro Social para reunir-se e falar deste projeto.

Nom sós, nom. Com todas aquelas pessoas que tiverdes algo que achegar a este necessário propósito. Fam falta maos nos mais variados terrenos: educativo, artístico, técnico, doméstico... Há muitas tarefas que cobrir para poder erguer um projeto que cuide das crianças.

Este sábado às 17h podes vir ao Gaioso e trocar ideias com outras pessoas interessadas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Sem financiamento nom há autonomia: a visom de Alexandre Bóveda sobre Cupo ou Concerto é actual por Xosé Antonio Pena Beiroa BASENAME: o-facho-sem-financiamento-nom DATE: Wed, 08 Feb 2017 19:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha


O passado dia 7 de Fevereiro do 2017 (Terça-Martes) às 8,00 do serám, o economista e Professor colaborador da U.S.C., Xosé Antonio Pena Beiroa participou dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social. A sua charla versou sobre: Sem financiamento nom há autonomia: a visom de Alexandre Bóveda sobre Cupo ou Concerto é actual. O acto desenvolveu-se em Portas Ártabras.

Pena Beiroa explicou com avondosos dados como a nom existência dum Concerto Financeiro significa um grande quebranto tanto para a economia galega como para o desenvolvimento social e político centrado na realidade do nosso País. Prova evidente do afirmado é actual situaçom de rapina dos recursos económicos e da miserabilizaçom das classes trabalhadoras da Galiza.
Assi mesmo mostrou como no projecto de estatuto de 1936 a existência dum Concerto Financeiro era contemplado no mesmo.
Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no Milhadoiro (Ames) BASENAME: ops-no-milhadoiro-ames DATE: Thu, 02 Feb 2017 11:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

As professoras Tamara Varela e Loaira Martínez ministraram em 31 de janeiro dois ateliês 'OPS! O português simples' no IES do Milhadoiro em Ames.
Os 55 alunos e alunas de 4º da ESO que participaram na atividade descobriram que a nossa língua é a nossa vantagem competitiva no quadro espanhol e europeu porque nos permite aceder ao âmbito educativo e laboral dos países que se expressam em português (Brasil, Portugal, Angola...) e, portanto, às suas sociedades, produções culturais e mercado laboral.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Programaçom completa para este mês de entruido na Fundaçom Artábria BASENAME: programacom-completa-para-este-mes DATE: Wed, 01 Feb 2017 21:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Fundaçom Artábria oferece um variado programa de atividades para fevereiro: exposiçons, teatro, música, atividades para crianças, monólogos, gastronomia... completam umha intensa programaçom para este mês de entruido.

As atividades comezam a próxima sexta-feira 3 de fevereiro. Desde Porto, na sua turne pola Galiza, chegam ao nosso Centro Social os Palankalama.

Palankalama é um quarteto dedicado à música instrumental, oriundo da cidade tripeira. As suas composiçons baseiam-se na música tradicional/folque de diversas regions e imaginários. Cada música é umha procura de um cenário onde se desenvolve um argumento. Recorrendo à energia do rock, a narrativa é traçada polos quatro elementos da banda, numha busca de lugares de "fiçom".

O início do concerto está fixado para as 22.30hs e a entrada é de graça.

No sábado 4 às 20hs decorrerá a inauguraçom da exposiçom de fotografias analógicas de Antia DC que leva por título "Ferrol Vello". Umha série de imagens do bairro portuário desde a ótica da fotógrafa ferrolana.

Também no sábado 4 às 22.00hs a companhia eumesa DameCuerda QueTeatro traz ao nosso Centro Social a adaptaçom da obra de Noel Coward "Un espirito burlón".

Prepara-te para rir nesta hilarante, fantasmagórica e disparatada comédia. A entrada é de graça.

Na sexta-feira 10, o professor, historiador, escritor e jornalista ferrolano Guillermo Llorca recuperará numha palestra a "Memória histórica do bairro de Esteiro". A conferência começará às 20.00hs.

No mesmo dia 10, às 22.00hs daremos continuidade a projeçom de diapositivas do companheiro Ernesto Lopes sobre a história da nossa entidade.

No dia 11, participaremos na jornada de comemoraçom do centenário dumha reuniom histórica entre as Irmandades da Fala da Corunha e de Ferrol. A atividade organizada polo Coletivo Literário In Nave Civitas, da Corunha, começa às 10.50hs na Estaçom de comboios de Corunha, desde onde partirám as e os "hirmáns da Cruña" para chegar a Ferrol às 12.00hs onde serám recibid@s polos "hirmáns enxebres de Ferrol".

Posteriormente decorrerá um roteiro polo Ferrol das Irmandades guiado por Xosé Maria Do Barro. Durante o percurso espalharam-se escritos alusivos ao que aconteceu há 100 anos. No edifício Ideal Roon (antigo local comercial de Inditex na Praça de Armas) haverá um ?photocall? 100 anos depois e rematará o roteiro com a leitura de textos das Irmandades da Fala.

Às 14.30hs decorrerá um jantar-popular no nosso Centro Social. A ementa será entrantes, lacom assado com cachelos, sobremesa, água e vinho e terá um preço de 12 euros. Para apontar-se podedes fazê-lo escrevendo para correiodeartabria@gmail.com ou ligado para o telefone 669 778 474 antes do 9 de fevereiro.

Após o jantar haverá recital poético e foliada. Podes trazer o teu instrumento!

À volta das 18.30 acompanharemos ao pessoal que se deslocu desde a Corunha novamente à Estaçom de comboios.

O coletivo Literário in nave civitas fai um chamamento a animar-se e vestir de época durante a jornada.

Na sexta-feira 17 de fevereiro recalará na Fundaçom Artábria o ator Luis Zahera para oferecer ao público o monólogo "Chungo", um espetáculo no que explica as suas vivências como ator e a trajetória que o foi levando a interpretar papeis "de raro, de nom muito listo".

O preço do bilhete anticipado, que já se pode comprar no nosso Centro Social, e para pessoas associadas é de 4 euros e e em bilheteira de 6 euros. A atuaçom está marcada para as 22.00hs.

No sábado 18 decorrerá um novo atelier infantil de manualidades criativas. Desta volta as crianças aprenderám a fazer disfarces de entruido. A atividade que será ministrada por Lara Soto e Begonha Painceiras está destinada a nenas e nenos a partir de 6 anos. Require-se inscriçom prévia, que é gratuíta, e o límite de prazas é de 20.

Podes apontar-te no correiodeartabria@gmail.com ou ligando para o 671 20 01 60 (Lara).

No próprio sábado 18 decorrerá a primeira ediçom do Concurso Ártabro de elaboraçom de Freixós. As bases estám disponíveis na nossa página web. A inscriçom é gratuita.

Novamente a música será protagonista na sexta-feira 24. Desde o bairro corunhês de Monte Alto chegá Trapalhada para pôr-nos a dançar ao ritmo do seu último trabalho ?Alenta o Mar?. A entrada é de balde e o início do concerto está marcado para as 22.30hs.

Fecharemos as atividades do mês de fevereiro no sábado 25 com a tradicional Ceia de Entruido na Fundaçom Artábria. A ementa típica constará de sopa, cozido, sobremesa de entruido, vinho, água, café e "shots". O preço é de 15 euros, 12 euros para as pessoas associadas. Para reservar o teu bono podes escrever para correiodeartabria@gmail.com ou para o telefone 669 778 474.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Lorenzo Varela ? Centenário por Xosé C. López Bernárdez, BASENAME: o-facho-lorenzo-varela-centenario DATE: Wed, 01 Feb 2017 17:09:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado 31 de Janeiro e perante um interessado público, professor de Língua e Literatura Galegas, Xosé C. López Bernárdez, compartilhou umha muito interessante palestra sobre Lorenzo Varela ? Centenário. O acto realizou-se em Portas Ártabras.

Na sua exposiçom, apoiada com detalhada e interessante documentaçom mostrou a relevância da escrita de Lorenzo Varela na literatura do exílio e por ende na galega. Sem a jeira conjunta levada nas décadas do 40, 50, e 60 do século passado no desterro por Luis Seoane, Arturo Cuadrado, Rafael Dieste, Lorenzo Varela, entre outros; pode-se afirmar que a cultura galega seria umha estrela mortiça nos anos do terrorismo clerical-fascista do franquismo. Pessoeiros como Lorenzo Varela fizérom que o mundo das artes e a literatura galega este hoje pressente no universo da cultura mundial.

Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xosé Antonio Pena Beiroa - Sem financiamento nom há autonomia: a visom de Alexandre Bóveda sobre Cupo ou Concerto é actual BASENAME: o-facho-xose-antonio-pena DATE: Wed, 01 Feb 2017 16:42:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2016-17

Palestra

O vindouro dia 7 de Fevereiro do 2017 (Terça-Martes) às 8,00 do serám, o economista e Professor colaborador da U.S.C., Xosé Antonio Pena Beiroa intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: Sem financiamento nom há autonomia: a visom de Alexandre Bóveda sobre Cupo ou Concerto é actual.

Pena Beiroa é Licenciado en Ciências Económicas pola Universidade de S. Compostela e na actualidade Doutorando en Direito Administrativo na Universidade da Corunha. A sua carreira profissional desenvolveu-se principalmente no sector financeiro galego, no que ocupou postos de direcçom.

Como autor principalmente tem colaborado no extinto Xornal de Galicia e na actualidade no digital Mundiario e na revista O Economista, assi como noutros médios. Tem publicados libros de carácter técnico e, ademais, com outros autores foi o relator do capítulo ?A formación e o desenvolvemento profisional do Bóveda economista? na obra colectiva ?Perspectivas sobre Bóveda?.

Dia: 07 de Fevereiro 2017 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha ? Corunha


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Concentraçom esta sexta-feira dia 3 BASENAME: concentracom-esta-sexta-feira-dia DATE: Wed, 01 Feb 2017 10:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 3 de fevereiro nova concentraçom solidária

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Palestra sobre a especulaçom em Oleiros e Corunha BASENAME: palestra-sobre-a-especulacom-em DATE: Wed, 01 Feb 2017 10:01:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fevereiro 2017

O nosso Centro Social, com vocaçom integradora de toda a comarca corunhesa e preocupado com as situaçons de injustiça e espólio em toda ela, organiza para sexta-feira dia 3 de fevereiro umha palestra com três ponentes locais. Dous da cidade capital, e um da vizinha Oleiros.

Será às 20h30 no nosso local, na Rua Marcóni, 9, rés-do-chao.

O dous primeiros, Manuel Monge e Anxo Varela, som membros da Comissom Aberta em Defesa do Comum, que leva meses a coordenar informaçom e atividades contra a atuaçom especulativa da Autoridade Portuária (e nem só) com terrenos em possessom.

O derradeiro, Ramiro Vidal, preside o coletivo Santa Cruz Aberta ao Mar, que procura deitar luz e involucrar o povo oleirense na decisom do concelho de autorizar a construçom dumha mole hosteleira na parcela em primeira linha sobre a praia onde o antigo hotel Máxi.

Ambas situaçons concernem todos e todas. Afetam-nos porquanto estabelecem critérios de atuaçom institucional sobre pedaços de território em que as autoridades negoceiam com capital privado em lugar de procurar o interesse comum. Processos obscuros de mercantilizaçom de espaços mui simbólicos à margem da necessidade popular de protagonizar a construçom da sua própria vila.

Queremos escuitá-los e escuitar-nos. Queremos achegar e queremos decidir. A nossa Corunha, o nosso Oleiros, som nossos e queremos imginá-los e construi-los.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! em Vila Boa BASENAME: ops-em-vila-boa DATE: Tue, 31 Jan 2017 14:04:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No passado 26 de janeiro, as alunas e alunos de 2º da ESO do CPI do Toural em Vila Boa receberam um ateliê 'OPS! O Português Simples' ministrado pola professora Loaira Martínez.

Os assistentes à atividade aprenderam a ler à galega textos em português e puderam tomar consciência do que sabem e desconhecem repeito aos países onde se utiliza a língua portuguesa.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: Tamara Varela BASENAME: tamara-varela DATE: Tue, 31 Jan 2017 12:51:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Docentes CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Nascida em Lalim em 1990, é licenciada em Filologia Hispânica pela USC, universidade em que realizou o Mestrado Universitário de Professorado de Educação Secundária Obrigatória e Bacharelato, Formação Professional e Ensino de Línguas assim como o Grau em Línguas e Literaturas Modernas na especialidade em Português.
Na atualidade trabalha na empresa Teatroenpunto fazendo as visitas contadas em português no Museu das Peregrinações e de Santiago em Santiago de Compostela e também dá aulas de português a alunos/as universitários que precisam acreditar de forma rápida e fácil um B1 para tirar o título universitário.
----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Concurso de Teatro Infantil BASENAME: o-facho-concurso-de-teatro-1 DATE: Fri, 27 Jan 2017 17:07:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO NACIONAL DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Agrupaçom Cultural O FACHO acordou convocar o Concurso de Teatro Infantil, que se regerá polas seguintes bases:

1º) Poderám optar ao devandito prémio qualquer pessoa, sem restriçom, sempre que a obra seja inédita e redigida em língua galega, em qualquer norma ortográfica (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) nom representadas, nem premiadas noutros certames.
2º) Estabelece-se como prémio único de 200,.- ? e umha biblioteca de livros teatrais.
3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será apresentada por triplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.
A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se
4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio postal dirigido à Associaçom Cultural O FACHO, Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
5º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2017 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego.
7º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_cultural@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Agrupaçom Cultural O Facho
Na Corunha, 17 Janeiro 2017

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Concurso de Contos BASENAME: o-facho-concurso-de-contos DATE: Fri, 27 Jan 2017 17:05:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CONCURSO NACIONAL DE ?CONTOS DE NENOS PARA NENOS? CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO


Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participárom ou ganhárom muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, realiza-se a convocatória para 2017 do Concurso Literário de ?Contos de Nenos para Nenos?

BASES DO CONCURSO

1. Poderám participar rapazes e raparigas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.
2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 15 de Abril do 2017 às doce da noite.
3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à Associaçom Cultural O FACHO, Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.
4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.
5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de cinco anos contados a partir do dia do falho do júri.
6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras. As obras presentadas deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADO, LUSOFONA)
7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e raparigas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A
1º: 300,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais.
2º: 150,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

Categoria B
1º: 300,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais
2º: 150,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por triplicado, manuscritas ou mecanográficas, encadernadas ou grampadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.
12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom estejam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.
13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Correio electrónico: o_facho_a_cultural@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/



Corunha, 17 de Janeiro 2017

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O Facho: Concurso de Poesia BASENAME: o-facho-concurso-de-poesia-3 DATE: Fri, 27 Jan 2017 17:04:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO NACIONAL DE POESIA CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO

A Agrupaçom Cultural O FACHO convoca o Concurso de Poesia 2017, que se regerá polas seguintes bases:

1º) Ao prémio de poesia d'O Facho poderám concorrer qualquer pessoa até os 35 anos de idade e sempre que nom tenha publicado nengum livro individual de poesia e a obra seja inédita e nom ter sido premiada com anterioridade em qualquer outro concurso ou certame.
A obra presentada deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) e com um máximo de umha obra por autor. É responsabilidade do júri do prémio determinar se algum dos trabalhos apresentados possui ou nom as características para ser considerado ?livro?. Porém, recomenda-se que tenham umha extensom mínima de 300 versos.
2º) Os originais para o Concurso enviaram-se por triplicado devidamente encadernados, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara, à Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal da Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
3º) Estabelece-se como prémio único a ediçom da obra premiada. O Facho fará a entrega ao/à autor/a um máximo de 25 exemplares.
4º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2017 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
5º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo estará composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito da escrita literária, da ediçom ou da crítica.
6º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e resolvera aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom. Assim mesmo, o júri escolherá de entre os trabalhos apresentados um único libro. Ademais, poderá deixar constáncia na acta outros títulos considere merecedores de ser publicados, nom significando isto nengum compromisso por parte d'O Facho. Nom se fará referencia na acta ao nome dos autores ou autoras dos livros mencionados.
7º) O Facho disporia do prazo de um ano para editar o livro. Transcorrido esse tempo, o autor ou autora poderá dispor da obra com a única condiçom de que deverá deixar constáncia do galardom em sucessivas ediçons do livro.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_cultural@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/


Agrupaçom Cultural O Facho
Na Corunha, 17 Janeiro 2017

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O Facho: O Concerto fiscal galego ou Cupo por Xavier Vence Deza BASENAME: o-facho-o-concerto-fiscal DATE: Fri, 27 Jan 2017 17:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Dentro do ciclo de conferência Economia, História e C.C. Sociais, organizado pola nossa Agrupaçom, o passado dia 25 de Janeiro, quarta, o o Doutor e Professor da U.S.C., Xavier Vence Deza dissertou sobre: O Concerto fiscal galego ou Cupo.

Na sua exposiçom Xavier Vence centrou-se apoiado em exaustiva documentaçom e gráficas sobre as múltiplas razons nom só económicas, senom assi mesmo políticas na necessidade fulcral que a naçom galega seja dona do seu sistema fiscal, o que implica a criaçom dumha Fazenda própria e a constituiçom dum Concerto Fiscal com o Estado.

Ao findar a sua narraçom mantivo com os assistentes um mui interessante debate.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Ceia solidária. XI Marcha às Cadeias BASENAME: ceia-solidaria-xi-marcha-as DATE: Wed, 25 Jan 2017 18:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira às 21h30 haverá umha ceia no centro social para apoiar à organizaçom da XI Marcha às Cadeias que organiza a Plataforma Que Voltem Para Casa o sábado 4 de fevereiro. Custa 5 euros e podedes avisar-nos polo mail madialeva.gz@gmail.com para confirmar.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Solidariedade com Lois , Lola e Miguel. Defender o rio nom é delito! BASENAME: solidariedade-com-lois-lola-e DATE: Tue, 17 Jan 2017 12:55:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 20 de janeiro se tocam umha, tocam-nos a todas

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Fernando Rodríguez Campelo: Testemunhas desde o cárcere da Corunha por Henrique Sánchez Rodríguez BASENAME: o-facho-fernando-rodriguez-campelo DATE: Thu, 12 Jan 2017 18:21:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 10 de Janeiro, o filólogo tradutor e directivo da nossa Agrupaçom, Henrique Sánchez Rodríguezfalou dentro do Ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais com a sua palestra intitulada: Fernando Rodríguez Campelo: Testemunhas desde o cárcere da Corunha

Sánchez Rodríguez expujo ante umha interessada cidadania com documentos da época o terrorismo levado a cabo polos cruzados contra a cidadania na cidade da Corunha. E através de crónicas escrevidas por Fernando Rodríguez Campelo, mostrou como a barbárie clerical-fascista do franquismo fazia das execuçons umha das suas ferramentas de imposiçom do terror. Foi emocionante escuitar algum desses textos como no que narra o assassinato de Manolito Bello levado a cabo na prisom da Corunha. No acto estivérom pressentes filhas e filhos de Campelo.

Ao findar a sua exposiçom o conferencista mantivo um interessante intercambio de ideias com a cidadania assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cantares de Reis. Charla-concerto BASENAME: cantar-de-reis DATE: Tue, 03 Jan 2017 12:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 10 de janeiro na EOI às 20h30 animamos-vos a participar.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Morreu José Pracana (1946-2016) BASENAME: morreu-jose-pracana-1946-2016 DATE: Sun, 01 Jan 2017 17:16:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


http://www.museudofado.pt/fotos/temp/116_0_0.63003600%201233330830.jpg

26.XII.2016: O guitarrista açoriano José Pracana, que tocou vários anos com fadistas como Amália Rodrigues e Alfredo Marceneiro, morreu hoje aos 70 anos, na ilha de São Miguel, nos Açores, vítima de doença prolongada, informou um amigo da família.

Fonte: http://www.dn.pt/artes/interior/guitarrista-acoriano-jose-pracana-morreu-hoje-vitima-de-doenca-5572091.html

http://www.museudofado.pt/personalidades/detalhes.php?id=240

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Henrique Sánchez Rodríguez - Fernando Rodríguez Campelo: Testemunhas desde o cárcere da Corunha BASENAME: o-facho-henrique-sanchez-rodriguez DATE: Sat, 31 Dec 2016 17:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? da Corunha convida assistir aos seus ciclos de conferencias públicas e abertas do período 2016-17.

Palestra:

O dia 10 de Janeiro, o filólogo tradutor e directivo da nossa Agrupaçom, Henrique Sánchez Rodríguez falará dentro do Ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais com a sua palestra intitulada: Fernando Rodríguez Campelo: Testemunhas desde o cárcere da Corunha

Sánchez Rodríguez é Lcdo. em Filologia Galega pola UDC e Filologia Hispânica pola USC. Entre as súas publicaçons como tradutor salientam Viaxeiros por Galicia (Trifolium, 2011) de Xan Arias-Andreu, Manuel Gallego. Arquitectura 1969-2015 (2015), Said Armesto: a lección dun cidadán libre (2014), Impresións dunha viaxe por Galicia en 1935 (2011) de Federica Montseny, A natureza humana: xustiza versus poder (2010), conversa entre Noam Chomsky e Michel Foucault, A arte de escribir sen arte (2010) de Felipe Alaiz e os livros didácticos Veciños cósmicos, O soño de Mateo, Buscando o Norte, Astrónomos esquecidos, Camiños do ceo e Terra paralela, entre outros. Participou no libro colectivo Alén do silencio, iniciativa de Xosé Estévez. Publicou na revista Ferrolanálisis nº 19 ?Homenaxe a Álvaro Paradela no vinte e cinco aniversario do seu pasamento?, fruito das suas pescudas verbo da biografia do médico e escritor Álvaro Paradela (Amaro Orzán), que ainda está inédita.

A sua inqueda actividade cultural levou-no a participar no Congresso da Memoria Histórica de Pontevedra (2007); no Outono Pondaliano no 2012.

Dia: 10 de Janeiro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Abdías Uziel, Martina Gil e Xiana Ruíz ganhadoras do "V Concurso Escolar Conhecendo o Apalpador" BASENAME: abdias-uziel-martina-gil-e DATE: Thu, 29 Dec 2016 08:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A passada terça-feira, 26 de dezembro, o júri encarregado de atribuir os prémios do "V Concurso Escolar Conhecendo o Apalpador" nas suas diferentes modalidades, figérom público o seu falho.
O júri foi composto por Maurício Castro, Névia Lamas e Bruno L. Teixeiro, que se encarregarom de escolher os desenhos ganhadores.

Após umha complicada avaliaçom dos muitos trabalhos recebidos, finalmente ficou da seguinte maneira:

Categoria de 3-5 anos

1- Abdías Uziel Nava // 3 anos // CEIP Pazos
2- Icia Ponce Rodríguez // 4 anos // CEIP de Pinheiros
3- Teo Corredoira Garcia // 4 anos // Semente Trasancos

Mençom honorífica: Uxia Remuinham Freire // 4 anos // CEIP Pazos
Mençom honorífica: Osián Abalde Barro // 4 anos // Semente Trasancos
Mençom honorífica: Manuel Dopico Pérez // 3 anos // CEIP Pazos

Categoria de 6-8 anos

1- Martina Gil Diz // 6 anos // CEIP Isaac Peral
2- Antia Rodriguez Bouza // 8 anos // CEIP Isaac Peral
3- Brais Centeno Santiago // 8 anos // CEIP Manuel Masdías

Mençom honorífica: Aitana Prieto Crespo // 6 anos // CEIP de Pazos

Categoria de 9-12 anos

1- Xiana Ruíz Martínez // 9 anos // CEIP Manuel Masdías
2- Nuria Charlín Pérez // 10 anos // CEIP de Pazos
3- Paula López Mella // 10 anos // CEIP de Pazos

Mençom honorífica: Mercedes Ferreiro Tobio // 9 anos // CEIP Manuel Masdías
Mençom honorífica: Irene Fraguela Trastoy // 12 anos // CEIP de Pazos

A todos e todas queremos trasladar os nossos parabéns e os do júri e indicar que o Apalpador entregará-lhes os prémios no próximo dia 30 de dezembro às 18.00hs no nosso Centro Social.

(Imagem capa: Xiana Ruíz)

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: O dia 29 vem o Apalpador BASENAME: o-dia-29-vem-o DATE: Wed, 21 Dec 2016 19:24:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 29 de dezembro vem o Apalpador sairá do nosso centro social às 18h00

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novidades Loja BASENAME: novidades-loja-2 DATE: Wed, 21 Dec 2016 08:19:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: material TAGS: ----- BODY:

Bouba Vinculeiras. Novo cd de Bouba Pandereteiras. 10 euros.

A História da Língua em Banda Desenhada. Ediçom comemorativa no 25º aniversário da primeira publicaçom feita polo reintegracionismo de base de Ourense, o Grupo Meendinho e o Frente Comixário Preço 13 euros.

Já se pode comprar o calendário 2017 com desenhos do companheiro e preso independentista Antom Santos. Edita Ceivar. O preço som 10 euros.

O 4 de fevereiro será a XI Marcha às cadeias que organiza a Plataforma Que Voltem Para Casa. Já temos no local o bono solidário.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: O lombo do Mitreo por Celso Rodríguez Cao BASENAME: o-facho-o-lombo-do DATE: Wed, 21 Dec 2016 06:24:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 20 de Dezembro, o historiador e arqueólogo, Celso Rodríguez Cao intervéu dentro do Ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais. A sua exposiçom foi exposta sob o título: O lombo do Mitreo.

Rodríguez Cao expujo ante umha interessada cidadania umha ilustrada e documentada análise da descoberta arqueológica do templo a Mitra atopado numha grande Domus romana na cidade de Lugo, assim como a relevância desta cidade no período do Império romano.
O conferencista mostrou polo miúdo a importância do achado para conhecer a presencia em todo o território dominado por Roma do culto a Mitra entre o corpo militar e administrativo, sendo o templo de Lugo a expressom de maior grandiosidade deste veneraçom no occidente europeu.

Ao findar a sua exposiçom o conferencista mantivo um interessante debate com a cidadania assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mercado de troco BASENAME: mercado-de-troco DATE: Mon, 19 Dec 2016 11:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta terça-feira dia 20 concentraçom de 19h00 a 21h00 no centro social organiza-se mercado de troco

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Fado tropical (CHICO BUARQUE) BASENAME: fado-tropical-chico-buarque DATE: Thu, 15 Dec 2016 16:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://www.chicobuarque.com.br/

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Andaina contra a banalizaçom das agressons machistas BASENAME: andaina-contra-a-banalizacom-das DATE: Wed, 14 Dec 2016 10:44:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na terça-feira 22 de novembro, há quatro semanas atrás, as companheiras da Revista Galega de Pensamento Feminista Andaina publicavam um comunicado contra a Banalizaçom das Agressons Machistas que, apenas 3 dias antes do 25-N (Dia Internacional da Eliminaçom da Violência contra as Mulheres), vinha pôr algo de sentidinho neste tremendo sem sentido que me tocou viver e que significou para mim um antes e um depois neste meu particular Via Crucis.

Nom foram poucas as pessoas que me disseram que o feminismo organizado tinha demorado demasiado em reagir e, na verdade, o anseiado posicionamento público chegava:

* 2 semanas e meia após a publicaçom do segundo abaixo-assinado contra mim, intitulado «Já chega de agressons machistas!!!!» (SEX, 04-NOV-2016);

* 1 ano e 4 meses após a publicaçom do primeiro abaixo-assinado contra mim, intitulado "Pelo fim da invisibilizaçom de agressons machistas nos movimentos sociais" (TER, 21-JUL-2015);

* Quase um ano e meio depois de que naquela noite (QUI, 28-MAI-2015), naquele "emblemático bar", tivesse começado tudo...

Seja como for, bem-vindo seja. Mais vale tarde do que nunca. Demorou um bocado, sim, mas abalou, que é o que importa. Eu às andainas, nom lhes poderia estar mais agradecido (nem, visto como as gasta este pessoal, mais reconhecido pola sua valentia).

BANALIZACIÓN DAS AGRESIÓNS MACHISTAS
revista andaina / 22 Novembro 2016

A finais de xuño de 2015 Andaina: Revista Galega de Pensamento Feminista recibiu un correo asinado por un colectivo que se identificaba como Feministas de Compostela, no que se nos pedía que colgásemos na web a carta que se axuntaba. Tratábase dun texto escrito en primeira persoa, no que se acusaba a Suso Sanmartín de agredir, apenas un mes antes, a unha muller nun local público de Compostela.

A reiteración de expresións do tipo «violentamente», «invasión do meu espazo», «burlouse, riu», «desquiciante», «violentadas», «comportamentos obsesivos e dominantes» e a insistencia en evidenciar «o tipo de condutas destes agresores» falaban alto e claro do malestar da denunciante, pero o motivo da súa ira non estaba, ao noso entender, suficientemente explicado. A este respecto, a carta limitábase a indicar: «Este suxeito interrumpiume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar comigo. Cando o evitei e respondín a invasión do meu espazo o tal S. S. burlouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante».

Ao continuar lendo, chamou a nosa atención a cantidade de información persoal que se proporcionaba do suposto agresor, tanto a respecto da súa militancia política e social, como do seu quefacer laboral. A denunciante dicía non ter nada en contra deses colectivos e organizacións, pero insistía en facer pública a «responsabilidade política» de Sanmartín.

Ao final do documento, desaparecía a primeira persoa e xurdía un plural que denunciaba que o que «lle aconteceu a esta compañeira nom é nada novo», anunciaba o fastío das mulleres ante este tipo de situacións, demandaba un espazo público de debate e ameazaba con que, en caso de necesidade, «seremos as feministas as que nos tomemos a justiça pola mao».

Respondemos ao correo pedindo reunirnos con algunha representante do colectivo para aclarar as nosas dúbidas, debater sobre o tema e actuar en consecuencia. A resposta que recibimos deixounos bastante descolocadas. Apoiaba plenamente unha das expresións finais da carta que se nos enviara: «Empregar este comunicado para outra cousa que non seja o que nós desejamos é invisibilizar o ocorrido e dar-lhe mais importancia a desacreditar um coletivo que a tratar de combater o patriarcado». Acordamos gardar silencio e non pronunciarnos.

Isto foi hai máis dun ano. Nese tempo o asunto ten dado moitas voltas e a situación volveuse pública e complicada. En xullo de 2015, apareceu un novo documento dixital baixo o epígrafe «Pelo fim da invisibilizaçom de agressons machistas nos movimentos sociais» e en novembro de 2016 chegou a nós un novo texto, asinado por 450 persoas, que reza «Já chega de agressons machistas!!!!». Cartas de amigos de Sanmartín defendéndoo, do propio Sanmartín tentando explicar o sucedido, pintadas nos muros composteláns, denuncias nos xulgados e centos de comentarios nas redes sociais completan tan desagradable historia.

En vista da dimensión que está tomando o asunto, Andaina decide agora posicionarse publicamente.

En Andaina non acostumamos asinar documentos polo feito de estar impresos nun papel malva ou redactados en tinta violeta. Gústanos entender que é o que apoiamos e procuramos reflexionar sobre todo o que nos rodea. Evidentemente, desde sempre combatemos sen contemplacións a violencia de xénero e calquera tipo de violencia exercida contra as mulleres pero consideramos que este uso dun problema social tan serio é moi perigoso, pois banalízao e non favorece en absoluto ás vítimas que o sofren realmente.

Entendemos que neste caso estamos ante un texto redactado nunha linguaxe escura e tendenciosa, que non se corta á hora de difundir nas redes, manifestos e paredes o nome e apelidos dunha persoa á quen se lle apón a cualificación de agresor, a comisión dunha suposta agresión contra unha muller, condenándoo con violencia, pero que non deixa claro o sucedido. A postura autoritaria das asinantes e a percepción de que as persoas ás que se lles demanda apoio deben condenar incondicionalmente unha agresión que non se explica nin se demostra, esperta en nós preocupación, desconfianza e rexeitamento. Como expresamos no editorial do noso último número publicado: «Corremos o risco de converter esta viaxe común pola nosa liberdade nunha intimidación, errando de inimigo. [?] Unha volta punitiva ou lonxe da resolución de conflitos de xeito colectivo ideal pola que deberiamos pelexar».

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Concentraçom contra a violência machista BASENAME: esta-sexta-grupo-de-estudos-2 DATE: Wed, 07 Dec 2016 15:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta terça-feira dia 20 concentraçom às 20h00 na praça Maior de Lugo. Rematemos co patriarcado criminal.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta grupo de estudos. BASENAME: esta-sexta-grupo-de-estudos-1 DATE: Wed, 07 Dec 2016 15:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 9 nova sessom do grupo de estudos às 21h30 no Ateneo Libertário A Engranaxe. Os textos estám disponíveis na coluna esquerda secçom opiniom-entrevistas

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Celso Rodríguez Cao - O lombo do Mitreo BASENAME: o-facho-celso-rodriguez-cao DATE: Wed, 07 Dec 2016 09:21:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? da Corunha convida assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2016-17.

Palestra:

O dia 20 de Dezembro, o historiador e arqueólogo, Celso Rodríguez Cao falará dentro do Ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais com a sua palestra intitulada: O lombo do Mitreo

Rodríguez Cao é Lcdo. em Geografia e Historia, na especialidade de Pré-historia e Arqueologia, pola U.S.C. Assim mesmo tem o curso de doutoramento da UdV. ?Mundo rural na historia: metodologia e fontes? (1994-96). Primeiro Prémio de Investigaçom Etnográfica 2003. Ourense. É investigador do Grupo de Estúdios de Arqueologia, Antigüidade da UdV. Entre as suas inumeráveis actuaçons arqueológicas só salientamos as de: A Catedral de Santo Martinho de Ourense, Catedral de Santa Maria de Lugo, Catedral de Mondonhedo, entre muitas outras.
Actuo como arqueólogo em: As Burgas de Ourense, A Ponte romana de Ourense, Muralla romana de Lugo; e direçom arqueológica em: Castro de San Cibrao de Las, Castelos de Castro Caldelas, Maceda, Torres da Limia. Tem publicado numerosos artigos em solitário como em parceria, junto com livros entre os que sublinhamos: A Domus do Mitreo, Un novo centro arqueolóxico na cidade de Lugo; Permanencia do territorio histórico nos ámbitos rurais;Control arqueolóxico da ponte de San Alberte, Guitiriz; Aqva Divi Vrbs, Deuses e Cidade, em parceria com Alicia Colmenero etc...

Dia: 20 de Dezembro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: A desarticulaçom da sociedade galega por Rubém C. Lois González BASENAME: o-facho-a-desarticulacom-da DATE: Sat, 03 Dec 2016 13:38:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 29 de Novembro, o Doutor e Catedrático de Geografia da U.S.C, Rubén C. Lois González, intervéu dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social, com a sua exposiçom intitulada: A desarticulaçom da sociedade galega:

Lois González ilustrou a sua rica palestra com didácticas filminas elaboradas com dados obtidos no seu trabalho de investigaçom, mostrando a situaçom de desfeita populacional e de ocupaçom do território que está acontecer no nosso País. Na sua exposiçom expujo que para o desenvolvimento da Galiza é fulcral o eixo atlántico desde as Terras da Marinha até Lisboa.

Ao remate da palestra houvo um interessante colóquio.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: V concurso escolar Conhecendo o Apalpador já está em marcha BASENAME: v-concurso-escolar-conhecendo-o DATE: Wed, 30 Nov 2016 19:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Com o fim de continuar a promover o conhecimento da figura do gigante carvoeiro do Courel entre as crianças galegas, a Fundaçom Artábria convoca o V Concurso Escolar "Conhecendo o Apalpador". Nesta ediçom contamos mais umha vez com a colaboraçom do Concelho de Ferrol.

Animamos às crianças da comarca, e da Galiza enteira a participar no concurso.

Eis as bases do concurso

1.- Haverá 3 categorias. A primeira para nenas e nenos entre 3 e 5 anos. A segunda para nenas e nenos com idades entre 6 e 8. E a terceira para nenos e nenas entre 9 e 12 anos.

2.- Para poder participar no concurso, cada nen@ deverá apresentar um debuxo original, com qualquer material ou ténica, relativo à figura do Apalpador. O debuxo será apresentado num fólio A4.

3.- Estabelecem-se 3 prémios por categoria, que consistirám num lote de produtos relacionados com a figura deste mítico carvoeiro. O júri poderá conceder as mençons honoríficas que considerar oportuno, ou declarar deserto qualquer dos prémios.

4.- Os trabalhos candidatos aos prémios terám que ser entregados antes do 23 de dezembro de 2016 na Fundaçom Artábria (Trav. Batalhóns nº7, baixo. Ferrol.

5.- Para identificar os debuxos, estes deverám levar um envelope em cujo esterior se faga constar "Concurso de debuxo conhecendo o Apalpador" com os dados do curso onde está matriculad@ @ concursante, e em cujo interior deve figurar nome e apelidos, idade, curso, e centro onde está matriculado, além dumha autorizaçom do pai, mae ou tutor/a para participar no concurso.

6.- O júri será composto por 1 pessoa da Diretiva da Fundaçom Artábria, 2 pessoas ligadas ao mundo das artes plásticas e o próprio Apalpador. A decissom do júri será inapelável e dará-se a conhecer na terça-feira 27 de dezembro, mediante a publicaçom no nosso web.

7.- Os prémios serám entregues polo Apalpador no dia 30 de dezembro no nosso Centro Social.

8,- A participaçom no concurso supom a autorizaçom expressa para a difussom das imagens.

9.- A participaçom no concurso supom a aceitaçom de todas e cada umha das presentes bases, assim como o criterio da Fundaçom Artábria na resoluçom de qualquer questom nom prevista nestas bases

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Fechamos o ano com um amplo programa de atividades BASENAME: fechamos-o-ano-com-um DATE: Wed, 30 Nov 2016 15:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Concertos CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: Língua TAGS: ----- BODY:

Entramos no último mês de ano e na Fundaçom Artábria queremos fechar 2016 tal e como começamos, ofertando um variado programa de atividades para todos os públicos.

Em dezembro teremos música, palestras, monicreques, gastronomia, teatro e como nom a visita do Apalpador.

Na sexta-feira, 2 de dezembro, o duo ferrolano Kozmic Blues apresentam em Ferrol o seu segundo trabalho "Dream for winter". A entrada será gratuita e a hora de início às 22.30hs.
Este segundo album é umha mudança de ciclo e estado mental para Andrés e Elisa, definindo-o por elas mesmas como numha mistura entre sonho e realidade.

No sábado 3, às 20hs, decorrerá umha palestra sob o título "Que é a operaçom Jaro?" onde intervirám pessoas processadas na ofensiva judicial contra a organizaçom independentista Causa Galiza, a qual foi ilegalizada por ordem da Audiência Nacional.
Este processo de ilegalizaçom foi denunciado no Parlamento Europeu polo BNG e Bildu, destacando "o gravíssimo défice democrático do Estado espanhol".

Da Fundaçom Artábria, consideramos um exercício de democracia abrir portas à informaçom e dar a conhecer a outra versom deste processo político-judicial, a que nom contam os meios de informaçom

Na sexta-feira 9 de dezembro, decorrerá um novo atelier infantil. Desta volta Maru Alonso ensinará às crianças a elaborarem bolachas de natal.

A atividade gratuita é para nen@s a partir dos 4 anos e é precisso inscriçom prévia já que há límite de 15 prazas. Podes apontar-te ligando para o 671 200 160.

No dia 10 haverá umha nova projeçom de diapositivos da história da nossa entidade, da mao de Nês Lopes. Será às 21.30hs.

Já no 16 de dezembro a companhia de monicreques "O monifate teatro" trará o espetáculo "A espera", estreado no Festival internacional de fantoches de Redondela, em 2015. A obra, que está recomendada para maiores de 12 anos, toca o tema da memória histórica.
A entranhável personagem desta proposta, escrita por J.L Banhos de Cos, convida-nos a pensar sem discurso político, nas feridas abertas que soportam geraçons enteiras, produto da nossa insolência com a história. Através deste relato de vida, inspirada em personagens reais que luitárom no passado, chama-se a atençom sobre o direito à sua dignidade no presente. A entrada é gratuita.

No sábado 17, decorrerá umha nova sessom vermute no nosso Centro Social desde as 12.00hs. À volta das 12.30hs contaremos com a atuaçom de Grüvzilla. Este grupo de musica instrumental que chega desde Compostela mistura jazz, funk, rock e blues. O elemento básico: o groove!
Haverá espetos à grelha a 2 euros.

No 23 de dezembro, chegará o Apalpador à nossa cidade da mao da Fundaçom Artábria. O gigante carvoeiro percorrerá as ruas do bairro de Esteiro e da Madalena. A ruada partirá às 12hs do nosso Centro Social.

Nom podia faltar um encontro grastonómico para encerrar o ano 2016. Na quinta-feira 28 de dezembro, às 22hs decorrerá a "V Luso Paparoca". O preço da ementa, na qual se incluem entradas portuguesas, arroz caldoso, sobremesa, água/vinho e café, é de 10 euros, 8 euros para pessoas associadas da Fundaçom Artábria e o Beco da Língua. Podes inscrever-te escrevendo para o correiodeartabria@gmail.com ou ligando para o 669 778 474 antes do dia 26.

Fechamos as atividades do ano a sexta-feira 30 de novembro às 22.00hs.
Após ter que suspender a atuaçom por motivos de saúde no passado mês de novembro, a companhia Clube Teatral Elsinor trarám a obra "Xente de pálida pel", baseada em textos de Cunqueiro, a qual serve como homenagem ao bestiário saído da imaginaçom do autor mindoniense.

A obra é dirigida por Manuel Lourenço e conta com a atuaçom de Cristina Fuentes, Carme Martínez, Xosé Martínez e Xulia Miguel, além do próprio Lourenço.

Esta peça teatral já foi representada em multitude de cenários, recebendo nom só o beneplácito da crítica, como ftambém a mais importante cumplicidade do público perante um texto infalível.
A entrada é de graça.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! e O Mundo do INHO em Compostela BASENAME: ops-e-o-mundo-do DATE: Tue, 22 Nov 2016 16:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O Departamento de Língua Galega do Concelho de Santiago de Compostela oferece, no início deste curso 2016-2017 aos centros de ensino primário e secundário do município, 20 ateliês de português, como atividade de achegamento ao idioma com a que se pretende, à vez, contribuir ao processo de normalização da língua da Galiza.

Trata-se dos ateliês OPS! 'O português simples' e o novo 'O Mundo do INHO', criado polo professor da Faculdade de Ciências da Educação e do Deporte de Ponte Vedra, Carlos Valcárcel, destinado ao alunado do 3º ciclo de primário (5º e 6º) e cujo objetivo principal é facilitar a leitura de textos escritos com ortografia portuguesa descobrindo correspondências entre os sons do galego oral mas tocando transversalmente outros temas como geografia, flora e fauna dos países lusófonos.

Os ateliês, ministrados polos professores Loaira Martínez e Henrique Martins no primeiro trimestre do curso, estão a ter lugar nos centros que seguem: IES Lamas de Abade, IES Eduardo Pondal, IES S. Clemente, IES Rosalia de Castro, IES Gelmires I, IES Gelmires II, IES Antonio Fraguas, IES da Ponte Pedrinha, CIFP Compostela e CEIP Cardeal Quiroga Palacios.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! e #sabemosportuguês em Ogrove BASENAME: ops-e-sabemosportugues-em-ogrove DATE: Tue, 22 Nov 2016 13:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Concelharia de Educação e o Serviço de Normalização Linguística do Concelho de Ogrove organizaram um ano mais os ateliês de português destinados ao público geral.

Neste ano, 2016, realizaram-se dous ateliês:
- 1 OPS! O Português Simples em 29 de abril
- 1 #sabemosportuguês em 10 de junho

Ambos os obradoiros decorreram na Casa da Cultura de Ogrove e foram ministrados polo professor Henrique Martins.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Rubém C. Lois González - A desarticulaçom da sociedade galega BASENAME: o-facho-rubem-c-lois DATE: Tue, 22 Nov 2016 11:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Palestra

O vindouro dia 29 de Novembro, terça (martes), o catedrático de Geografia da U.S.C, Rubén C. Lois González, intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social, com a sua exposiçom intitulada ?A desarticulaçom da sociedade galega?

Lois González foi professor convidado das universidades de Le Mans, Caen e Toulouse-Le Mirail (Francia), e Bergen e Finmark Universitary College (Noruega). Também foi professor visitante en Calgary (Canadá). Entre 2005 e 2009 exerceu como Director Geral de Turismo da Junta de Galiza. Autor de mais de douscentas publicaçons, destaca polo seu interesse na geografia urbana. É co-autor do ?Diccionario de urbanismo, geografia urbana y ordenaçom del território? e coordenador do manual ?Los espacios urbanos?. Mais recentemente coordenou o livro New Tourism in the 21st Century. Tem publicado noventa artigos en revistas académicas entre as que compre nomear Annales de Géographie, Espaces et Societés, Tourism Geographies, Mobilities, Scripta Nova e Die Erde.

Assim mesmo é investigador principal de vários projectos internacionais, é consultor para temas de investigaçom dos governos italiano e romanés.

Dia: 29 de Novembro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras . Rua Sinagoga 22


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos 2016-2017. Foda-se google. BASENAME: grupo-de-estudos-2016-2017 DATE: Sun, 20 Nov 2016 09:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira 25 de novembro às 21h30 começamos um novo ciclo de debates do grupo organizado polo Ateneo Libertario A Engranaxe- C.S. Mádia Leva!

Grupo de estudos. 2016-2017 "Foda-se google"

Bloco I. Tecnologia, umha nova forma de governo?

Dia 25 novembro. Projeçom e posteiror ceia-debate. Black Mirror Episódio 3 1ª Tempada "The Entire History of You".V.O. legendada ao português. No local de Mádia Leva 21h30.

Dia 9 de dezembro.Debate sobre os textos "Fuck off google" Comité Invisível e "A constituiçom do comum" de António Negri. No local de Engranaxe. 21h30.

A partir de 2017

Bloco II.Implicaçons práticas: Obradoiro de segurança na rede.

Bloco III. Perspetivas de futuro.>>

Grupo de estudos 2016-2017. "Foda-se Google". Ateneo Libertario A Engranaxe- C.S. Mádia Leva!

Vivemos num mundo dominado polas novas tecnologias, internet e as redes sociais. Umha parte acha que som umha ferramenta de democratizaçom, participaçom e igualitarismo, e que os movimentos sociais devemos aproveitar. Foi comparada com a descoberta da imprensa no início da modernidade, considerando-se que teria efeitos igualmente revolucionários.
Logo duns poucos anos , quiçais os últimos cinco para a Galiza, o uso de redes como facebook ou twitter e de aplicaçons de telemovel como o whatsapp tenhem passado a ser habituais tanto a nivel individual como coletivo. Muitos e muitas acolherom com entusiasmo estas novidades que ajudavam a socializaçom da mensagem que queriamos transmitir, outras renegarom ou ficarom expetantes diante desta maré tecnológica polas suas implicaçons como elementos de isolamento.

O uso das redes sociais para a organizaçom dos protestos estivo representada no estado espanhol polo 15-M. A ocupaçom da rua foi parelha ao uso das novas ferramentas como facebook e sobretodo o twitter. Nesse movimento, igual que antes nos EUA e na "Primavera Arabe" derom-lhe às redes esse caracter de democracia direta frente aos meios de comunicaçom e o governo. Umha ideia que já foi saudada por Negri e Hardt dando-lhe umha visom revolucionária ao papel da internet, que seria o espaço alternativo da multidom (conceito amplo e que se refere a todos os potenciais contestadores do poder do "Império"). Na frente desta visom abre-se o debate sobre o que podemos denominar ativismo virtual. Manifestos na rede para assinar, convocatórias com miles de convidadas às que finalmente assistem as de sempre, centos de seguidores e amizades que nom conheces na realidade, trendings topics, grupos de whassap com pouca participaçom real,etc. Como dixo Guy Debord " a misom histórica de instaurar a verdade no mundo, nom a pode realizar nem o individuo isolado, nem a massa atomizada".
O meio impom as suas regras, nom se trata de umha tecnologia neutra. A búsqueda da imagem , do desenho mais chamativo. Como fala Kurz da estetizaçom militante, na que nom se trata mais da cousa em si, mas do estilo. Nom se reconhece outro critério de verdade que o número de comentários "gosto" na net. Ligamos assim coa temática do anterior grupo de estudos dedicada à democracia direta.

Hoje a realidade é que umha boa parte das usuárias das redes passam mais tempo comunicando através destes canais que em pessoa. Em redes como facebook prima um comportamento egocentrista , de exibiçom da intimidade . Os individuos consideram-se cada vez mais os seus próprios actores no seu próprio teatro. Esta pseudo-vida real tem funçom compensatória para a miséria das relaçons sociais reais. Um número crescente de pessoas tem na rede umha espécie de residência espiritual e cultural que abandona apenas ocasionalmente para umha visita à realidade social e material. Analisaremos em que medida esta fuga para um além simulado digital aponta para a miséria da realidade capitalista. É nesta linha na que incide a série británica Black Mirror coa que abriremos este ciclo de debates.
Por outra parte está o uso de internet como fonte de informaçom e comunicaçom, a sua apariçom significou umha maior liberdade de informaçom. Contudo também a rede adoece de falta de pluralismo já que as grande empresas tenhem métodos de influência para ter maior presença sobre o conteúdo. Nom devemos olvidar quem som os seus proprietários .Google está no primeiro lugar. (Youtube ou Motorola Mobility pertencem a estes). Entre os seus acionistas, por por um exemplo, atopa-se Eric Schmidt -membro do clube Bilderberg- que foi presidente e diretor geral até o 2011. Entre os inversores estám grandes fundos de inversom de capital de risco.Facebook ganhou 18000 milhons de dólares coa sua saida à Bolsa. Entre os principais acionistas está o Goldman Sachs , um banco implicado na crise financieira dos EUA no 2008. Também estám membros do governo de Obama e diretivos que compartem cargos com grandes multinacionais. Facebook comprou em 2014 Whassap o aplicativo de mensageria de móvel com mais usuárias.Twitter está composto na sua maior parte por acionistas de companhias de capital de risco e a Skype pertence a Microsoft e Tuenti a Telefónica.

Umha outra é o formato mesmo que internet impom ao jeito de chegar a informaçom. Google por exemplo financia-se de publicidade polo que no seu modelo o que favorece nom é a crítica e a atençom senom o consumo de informaçons isoladas. A superficialidade vai parelha a incapacidade de fazer pensamento subversivo. A Internet privilegia a eficácia, o imediatismo e a massa de informaçons. Nela a leitura é fragmentada e descontínua. No horizonte desponta o risco de a leitura clássica se turnar insuportável, até mesmo físicamente.
Estas empresas privadas nom tenhem problema em eliminar o conteúdo do que nom gostem. Apresenta-se assim outro tema a debater que é o da censura na rede. Vetar imagens ou bloquear contas no facebook é algo habitual como também eliminar videos do youtube . Mentres fam isto eles mantenhem os seus enormes ficheiros de dados sobre os usuários incluso depois de fechar umha conta nas redes sociais.

O controlo é outra das razons de ser da rede. Nom podemos olvidar as origens militares da cibernética -o pensamento policial do Império- do que fala o Tiqqun. Internet é umha máquina de guerra. O militares estadounidenses queriam um dispositivo que preservasse a estrutura de mando em caso de ataque nuclear. Em que medida estamos baixo vigiança permanente. Com finalidade repressiva e também mercantil já que a rede permite-lhes conhecer os gostos do consumidor e condicionar coa sua publicidade. Estamos diante da socializaçom do controlo na que os vigiantes som a sua vez vigiados.
Cremos que os nosso dados "pessoais" nos pertencem, como o nosso carro ou os nossos sapatos, e que nom fazemos mais do que exercer a nossa "liberdade individual" ao permitir que Google, Facebook, Apple, Amazon ou a polícia tenham acesso a eles, sem vermos que isso tem efeitos imediatos sobre aqueles que a tal se recusam, e que serám tratados como suspeitos potenciais desviantes. O governo pode suspeitar das pessoas que desertem do uso de tecnologias, de ter um perfil virtual ou um smartphone. Como medida antiterrorista o governo constituirá entom um ficheiro de "pessoas escondidas".

No segundo bloco queremos falar da segurança. Também há um mundo alternativo dentro da rede. Hoje existem grupos que trabalham para dar ferramentas livres dentro da rede ou nas aplicaçons móviles. Vamos a seguir empregando internet e aproveitando para a transformaçom da sociedade? em todo caso devemos repensar como empregar estas tecnologias. A sua vez leva-nos ao terceiro bloco no que trataremos de analisar as perspetivas de futuro numha sociedade cada vez mais sumida nas novas tecnologias.

Animamos a participar em todos o debates do grupo de estudos.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Eucaliptizaçom da Galiza por Xosé Alfredo Pereira Martínez e Pedro Alonso Iglesias BASENAME: o-facho-eucaliptizacom-da-galiza DATE: Wed, 16 Nov 2016 05:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 08 de Novembro, Xosé Alfredo Pereira Martínez e Pedro Alonso Iglesias intervírom dentro do ciclo: Economia, História, e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom coa a conferencia: Eucaliptizaçom da Galiza.
Os dous conferencistas mostrárom na sua rica palestra e mostrárom a destruiçom do País através da actual lei de montes e como esta vem a ser a chave para fazer desaparecer o monte comunal galego num processo de privatizaçom e o entregar aos interesses dos donos das fábricas de celuloses. A sua reflexons mostrárom como esta política contra os interesses dos donos do monte comunal é um chanço mais do nosso suicídio colectivo como Naçom.
Como sempre ao findar a descriçom os conferenciantes mantivérom um mui interessante colóquio com o público assistente.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: A concentraçom do poder financeiro ou o novo feudalismo por Xabier Peres Davila BASENAME: o-facho-a-concentracom-do DATE: Tue, 15 Nov 2016 21:16:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia dia 02 de Novembro, o economista e professor Xabier Peres Da Vila falou dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social, c?oa sua interessante palestra: A concentraçom do poder financeiro ou o novo feudalismo
Peres Da Vila desenvolveu na sua exposiçom apoiado em dados e gráficas como as actuais políticas financeiras neo-liberais levadas a cabo polos distintos governos da área auspiciada pola Troika acarretam a destruçom nom só do bem-estar da povoaçons senom assim mesmo ao desaparecer das liberdades.
Como sempre ao findar a descriçom os conferenciantes mantivérom um mui interessante colóquio com o público assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: 18 de novembro: manter o facho aceso! BASENAME: 18-de-novembro-manter-o DATE: Mon, 14 Nov 2016 16:59:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira,dia 18 de novembro, participa na homenagem conjunta à I Assembleia Nacionalista.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: e-mail de amigo BASENAME: e-mail-de-amigo DATE: Wed, 09 Nov 2016 21:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Em realçom ao tristemente célebre non-caso do "emblemático bar", acabei de receber este e-mail de um bom amigo (que prefere permanecer no anonimato embora autorize a sua publicaçom) e nom sei mui bem o que fazer, se seguir ou nom os seus conselhos. Vós o que me dizedes, amigas?

Caro Suso,

Pregúntasme o que facer en respecto ao comunicado desta xente, e sinceramente penso que ti tamén deberas (aínda ao teu pesar) "converter o privado en público" e defenderte dos vellos e novos ataques que sofres, pois a cousa está chegando xa moi lonxe.

Eu lembraríalles de forma obxectiva a orixe, o xerme desta situación, o feito que nos trouxo ate aquí: que unha noite de finais de maio do ano 2015, estando de festa nun pub compostelán, convidaches a bailar a unha moza tocándolle un brazo, rexeitando esta o teu convite e marchándote de alí sen darlle mais importancia. (Aclara ben que estes feitos son obxectivos, e que así os redacta a persoa afectada o 10 de xuño de 2015!)

Tes que ter claro que este feito para calquera persoa é un encontro totalmente normal entre persoas adultas nun espazo lúdico, mais foi a escusa que algúns/has aproveitaron para arrancar unha campaña de acoso e desprestixio contra ti. Compre que aclares que non é que non te preguntaran pola túa versión, que non é que se cuestionara ou debatera o acontecido, que non é que te requirisen un perdón, pois nada diso ocorreu, mais ao contrario, fica claro que a decisión adoptada por estas persoas foi iniciar unha campaña de difamación. Se repasas os e-mails que me enviaches cando comezou isto, xa o propio 10 de xuño estas persoas decidiron enviar un e-mail aos colectivos e organizacións das que participas titulado "Comunicado em denúncia duma agressom" esixindo un posicionamento público destas contra ti, correo no que xa se te cualificaba de "fodido baboso agresor" e te ameazaban dicindo: "Se nom houver interesse em solucionar esto por parte destes coletivos, seremos as feministas as que nos tomemos a justiça pola mao". En parte tes a sorte de que todo está aínda na rede e todos poden comprobalo!

Lémbralles que non conseguimos contactar coas responsables e que chegamos a deixarlles unha mensaxe no propio blogue onde aparecía esta publicación, pedíndolles que eliminaran ese contido da internet, advertíndolles de que de non ser retirado terías que acudir a vía xudicial para defenderte.

Resulta incrible que digan agora que "No verao de 2015 decidimos retirar o foco do agressor" aclara que non é que no verán 2015 non se retirase o foco sobre ti, moi ao contrario, que o acoso multiplicouse sen posibilidade algunha de defensa, debate ou argumentación, lémbralles que naquelas datas vimos as pintadas co teu nome vinculado á violencia de xénero, ao tempo que se movía polas redes un manifesto no que desaparecía o relato do sucedido para pasar a falar da "agresión" e do "agresor", dando por feito que isto era así e non cabía discusión, e que dende este momento, pasaches a ser para ante o gran público un "machista agresor". Fixen un repaso dos emails que temos coas datas, din que no verán quitaron o foco de sobre ti? Pois mira, o 17/06 foi cando "Feministas Compostela" (bastadeagressonsmachistas@gmail.com) remitiron e-mail para AGAL; CA, A Gentalha do Pichel e o NovasGZ, o 20/06 reenviárono a centos de e-mails, entre eles diferentes xornais e negocios da cidade. O 21 de xuño o comunicado apareceu en "As Candongas do Quilombo", no da "Marcha Mundial das Mulleres" o 23 de xullo, no de "Conas Ceives" o 23 de xullo, en "Abordaxe" o 1 de agosto e en "Coordinación Baladre" o 2 de agosto.

Tes que facerlles ver o dano que están causando, tes que explicarlles que esta situación está a afectarte a todos os niveis, persoal, familiar e laboral, explícalles que calquera persoa que teclee "Suso Sanmartin" no Google atópase coa perfecta descripción dun "fodido maltratador" cun "baboso agresor", cunha persoa que agrediu a unha rapaza unha noite! E isto pode lelo calquera, alumnos, coñecidos, amig@s, familiares!

Os que te coñecemos sabemos do teu activismo social e da túa posición a respecto do feminismo, mais se cadra deberas lembrarllo, sei que é fodido ter que estar aclarando isto, pero se cadra, e neste estado de cousas, aínda é preciso.

Pon tamén porqué remataches no xulgado, que o 17 de xuño no que te advertín que "circulaba" este tema na rede, pasámolo enteiro tentando contactar coas persoas que estaban detrás desta publicación, e que pese a ter solicitado a súa retirada, a publicación continuaba no blogue ao día seguinte, o que che obrigou a ir ao xulgado, e se non lembro mal aínda tiveches que voltar unha segunda vez en xullo por cando foran as pintadas e ameazas.

Pretenden agora facer ver que a túa denuncia é un ataque ao feminismo en xeral, e que teñen que estar todas a unha, é por iso que tes que falar, tes que contar en público que ti non denunciaches ao "feminismo" senón que tan só denunciaches uns contidos publicados en internet, e que foi o xulgado quen pediu á brigada de delitos informáticos que puxera nomes e apelidos a os titulares destes medios que facían pública e difundían o escrito calumnioso. Seguen coas súas mentiras dicindo que denunciaches ao chou ou que denunciaches as 149 asinantes, cando incluso varias das asinantes chamáronte para desculparse cando se decataron da realidade do ocorrido, se cadra cumpriría tamén que falaras con elas para que deran xa un paso, e xa que estamos que destapasen as presións e coaccións exercidas sobre elas para que asinasen o escrito.

Pero se ate houbo unha conciliación e nin chamaron antes para falar contigo e mandaron ao acto á súa avogada para dicir que non había acordo sen negociar nada!

Sabes que todo isto dáme moita rabia, sabes que moitas teñen medo a falar, sabes ben como é o inframundo ao que te estás enfrontar, mais non tes nada a perder, e moitos están a falar agora sen saber que foi o que ocorreu, escoitando só unha versión interesada e perversa buscando facerte o máximo mal posible.

Fai o que queiras meu (que sempre o fas) pero non te agobies demasiado, non paga a pena, e ao final todo pasa. Apertas.

XXX

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Magusto associativo 2016 BASENAME: magusto-associativo-2016 DATE: Tue, 08 Nov 2016 08:22:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira,dia 11 de novembro, vem ao magusto das associaçons na praça da Soidade.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xosé Alfredo Pereira Martínez e Pedro Alonso Iglesias - Eucaliptizaçom da Galiza BASENAME: o-facho-xose-alfredo-pereira DATE: Thu, 03 Nov 2016 06:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Palestra:

O vindouro dia 08 de Novembro (Terça-Martes) 2016, às 7,30 do serám, Xosé Alfredo Pereira Martínez e Pedro Alonso Iglesias falarám dentro do ciclo: Economia, História, e Realidade Social. A sua charla intitula-se: Eucaliptizaçom da Galiza.

Pereira Martinez está vencelhado a loita pola recuperaçom dos montes vizinhais dende a década dos 70 do século passado (Comité da ajuda a loita labrega, Coordenadora de montes de Pontevedra). Desde o ano 1989 forma parte da Coordenadora de Montes de Galiza. É co-fundador da Mancomunidades de Comunidades de montes de Val Minhor, a primeira Mancomunidade de Comunidades de montes que se creia no País (1992). No ano 1997 preside o I Congresso Galego de comunidades de montes celebrado no concelho de Poio. No ano 2002, preside o II Congresso Galego de comunidades de montes celebrado no concelho de Pontevedra. No ano 1999 e nomeado Presidente da Organizaçom Galega de comunidades de montes vizinhais en mao comum (ORGACCMM), cargo que ostenta na actualidade.
Alonso Iglesias é naturalista e biólogo. Formou parte en 1983 do núcleo fundador do Grupo Erva, associaçom ecologista e naturalista das mais dinámicas de Galiza durante os anos oitenta e noventa. Foi um dos impulsores da Assembleia de Grupos Ecologistas e Naturalistas de Galiza (AGENG), precursora da Federaçom Ecologista Galega, sendo coordenador da sua Comissom Forestal e representando aos grupos ecologistas galegos na mesa consultiva criada no seu momento pola Junta de Galiza durante o processo de elaboraçom do Plano Forestal aprovado en 992. Co-autor da exposiçom intitulada: Ence, a hipoteca dum povo, impulsada por Erva en 2005.


Dia: 8 de Novembro 2016 - Hora: 7,30 do serám
Local: Portas Ártabras . Rua Sinagoga 22

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Atividades do mês de novembro na Fundaçom Artábria BASENAME: atividades-do-mes-de-novembro DATE: Sun, 30 Oct 2016 15:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Visita a Adai por Samaim BASENAME: visita-a-adai-por-samaim DATE: Sat, 29 Oct 2016 09:58:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O domingo dia 6 de novembro, organizamos um roteiro de Samaim. Achegaremo-nos ao santuário celta de Adai. A saida será às 16h00 do centro social.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: GRANDE Alcindo de Carvalho BASENAME: grande-alcindo-de-carvalho DATE: Fri, 28 Oct 2016 08:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Mais: http://www.museudofado.pt/personalidades/detalhes.php?id=259

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xabier Peres Davila - A concentraçom do poder financeiro ou o novo feudalismo BASENAME: o-facho-xabier-peres-davila DATE: Wed, 26 Oct 2016 10:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Palestra

O vindouro dia 02 de Novembro, quarta (mércores), o economista e professor Xabier Peres Davila intervirá dentro do ciclo, Economia, História, e Realidade Social, co-a sua exposiçom intitulada: A concentraçom do poder financeiro ou o novo feudalismo

Peres Davila é Professor de Ensino Secundário é Licenciado em CC.EE. Assim mesmo está em possessom do Diploma em Estudos Avançados de Economia com um trabalho intitulado Factores que inflúen na viabilidade dos sistemas de protección social. É um estudioso da evoluçom do capitalismo desde a II G.M., as relaçons entre economia e ecologia e o processo en curso de mercantilizaçom acelerada da sociedade. É o autor de A batalla polas pensións (1980-2013). Sobre este mesmo tema impartiu conferencias por todo o país e assinou Pensións públicas, catástrofe demográfica ou asalto planificado. É colaborador da Trabe de Ouro e doutras publicaçons.

Desde mediados dos setenta participou em movimentos sociais e organizaçons sindicais e políticas de esquerda e nacionalistas. Mói activamente no Colectivo Pacifista do Baixo Minho e na Coordenadora Nacional de Organizaçons Pacifistas. Entre o 2005 e 2007 encargou-se das secçons de economia e ecologia no jornal InfoRosal. En 1986 publicou com Braulio Amaro ?30 de xaneiro, Día Escolar pola Paz. Materiais Didácticos?.

Dia: 02 de Novembro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras . Rua Sinagoga 22


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Lembrança e homenagem a Dores Arribe do Pico BASENAME: lembranca-e-homenagem-a-dores DATE: Tue, 25 Oct 2016 19:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Comissom de Língua CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Tendo conhecimento do falecimento de Dores Arribe do Pico, aos 78 anos, no seu Ferrol natal, a Fundaçom Artábria quer fazer pública a sua saudosa lembrança de quem foi firme defensora da nossa língua durante toda umha vida e sócia da nossa entidade durante anos.

Destacada dirigente política nas fileiras do Partido Socialista Galego (PSG) nos anos 70, desenvolveu posteriormente um nom menos destacado ativismo intelectual nas fileiras do reintegracionismo lingüístico mais militante.

Discípula, amiga e profunda admiradora de Ricardo Carvalho Calero e da sua obra intelectual, participou junto a ele na geraçom de intelectuais reintegracionistas que, nas décadas de 70 e 80, construírom, defendêrom e promovêrom o galego na sua legítima forma reintegrada. Foi sócia da AGAL na década de 80, participando em vários dos seus Congressos Internacionais da Língua Galego-Portuguesa e como integrante do Conselho Assessor da Revista Agália.

Já nos primeiros anos do novo século, associou-se à Fundaçom Artábria, participando ativamente durante vários anos nas nossas atividades culturais e mantendo com total coerência o seu compromisso lingüístico, cívico e patriótico, que a acompanhou até o derradeiro dia da sua vida.

Caraterizada por umha grande modéstia e sincera entrega à causa da língua e da pátria galega, Dores Arribe do Pico deixou-nos de vez no dia 24 de outubro de 2016.

Para ela, a nossa emocionada lembrança e homenagem. Para a sua família, o nosso pesar sincero pola grande perda de umha galega digna e exemplar.

Junta Diretiva da Fundaçom Artábria

Ferrol, 25 de outubro de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: IV jornadas micológicas engraleva BASENAME: iv-jornada-micologica-engraleva DATE: Fri, 21 Oct 2016 15:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sábado dia 5 de novembro, organizamos junto co Ateneo Libertário A Engranaxe as IV jornadas micológicas engraleva.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: "A Galiza moderna no agro" por Lourenzo Fernández Prieto BASENAME: o-facho-a-galiza-moderna-1 DATE: Thu, 20 Oct 2016 17:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 18 de Outubro, o Doutor e catedrático de Historia Contemporánea na USC, Lourenzo Fernández Prieto interveu no ciclo Economia, História, e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom com a sua palestra: A Galiza moderna no agro.
Fernández Prieto expujo numha interessante palestra apoiada com documentaçom diversa a sua análise como a Galiza anterior ao Golpe de Estado clerical-fascista do 1936 era umha Naçom com grande pujança económica e social, e que a modernidade constituía um eixo transversal em toda a sociedade galega: labrega, proletária, empresarial, etc..

Como sempre ao findar a descriçom o conferenciante mantivo um interessante colóquio com o público assistente.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: TOTEM E TABU. Mitos e médias verdades sobre a doença mental. BASENAME: totem-e-tabu-mitos-e DATE: Tue, 18 Oct 2016 08:41:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2016

Palestra da psiquiatra Íria Veiga, membro da Coordenadora do Movimento Galego de Saúde Mental.
Falará-nos sobre o quê é e o quê nom é umha doença mental. Sobre a psiquiatria como disciplina. E sobre as questons sociais e políticas relacionadas com esta matéria na Galiza de hoje.

Será na sexta-feira dia 21 (venres) a partir das 20h30

Entrada de balde.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Amig@s da Cultura fecha umha etapa BASENAME: amig-s-da-cultura-fecha DATE: Mon, 17 Oct 2016 16:50:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Após mais de um lustro de andaina nesta última etapa, da Associaçom Cultural Amig@s da Cultura queremos anunciar o fim da nossa atividade depois de um processo de reflexom sobre a nossa situaçom como coletivo e das possibilidades reais de trabalho no futuro.

Foi em 2010 quando, recuperando o legado histórico da associaçom e em parte continuando o labor cultural que nos anos anteriores se vinhera desenvolvendo em Ponte Vedra de posiçons soberanistas e reintegracionistas, começamos umha nova fase de Amig@s da Cultura com o objetivo de ser umha associaçom com incidência social e que realizasse um trabalho cultural nem neutral nem aséptico senom comprometido e útil para a recuperaçom da língua, a reconstruçom nacional e a transformaçom social.

Neste tempo dirigimos os nossos esforços face estes objetivos e realizamos um trabalho interessante em diversas ocasions. Mantivemos acesa a visom reintegracionista da língua e umha ideia da Galiza descolonizada, sem complexos e rebelde. Apoiamos as luitas sociais que achamos justas e tentamos colaborar nelas dentro das nossas possibilidades. E todo em base ao trabalho desinteressado das pessoas que formárom parte da associaçom.

Mas apesar das cousas positivas, chegamos à conclusom de que os nossos objetivos nom estavam a ser atingidos e, sobretodo, de que com o passo tempo fomos perdendo azos e iniciativa até chegarmos a um ponto em que a realizaçom de atividades dependia de impulsos irregulares. Estávamos longe, nos últimos tempos, de sermos um coletivo com umha vida interna real, com vitalidade e ilusom, e achamos que o melhor no nosso caso era pôr fim ao nosso caminho.

Consideramos, aliás, que mantermos a ficçom da existência de umha associaçom com as nossas características poderia dificultar a possibilidade de criaçom em Ponte Vedra de projetos similares com capacidade de superar as nossas limitaçons. E dizemos isto último por duas razons: em primeiro lugar porque as pessoas que conformamos Amig@s da Cultura temos disposiçom para colaborar no trabalho cultural em chave de compromisso com o País e os valores transformadores. E em segundo lugar porque achamos que o panorama local é atualmente um ermo neste sentido (algo que, por certo, deveria servir para a reflexom quando levamos quase duas décadas de governos municipais nacionalistas).

A autoorganizaçom é mais necessária que nunca e o compromisso com a Galiza também. Nom podemos esperar que as instituiçons fagam um labor que nos corresponde a nós se queremos tecer povo crítico, consciente e rebelde.

Ponte Vedra, 17 de outubro de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Charla esta sexta-feira BASENAME: charla-esta-sexta-feira DATE: Thu, 13 Oct 2016 11:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira o Sindicato Labrego Galego organiza umha charla no centro social na que intervirám Lois Varela, Isabel Vilalba e Manuel Cabañas.
Será às 19h30

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: 12 de outubro. VIII Polvada contra a hispanidade BASENAME: 12-de-outubro-viii-polvada DATE: Mon, 10 Oct 2016 08:31:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este ano nom sabemos que tal saberá o polvo nas casetas.Nós faremos a nossa tradicional Polvada para afirmar o nosso indigenismo rebelde contra a hispanidade.
Coa força das nossas tradiçons gastrónomicas mais enraizadas sentimo-nos em irmandade com os povos da América Latina que celebram o Dia da Resistência Indígena o 12 de outubro.

Nada de hispanidade e muito polvo à feira!

Reservas antes do dia 9. Preço 12 euros

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: A Galiza moderna no agro por Lourenzo Fernández Prieto BASENAME: o-facho-a-galiza-moderna DATE: Fri, 07 Oct 2016 16:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2009-10

Palestra

O vindouro dia 18 de Outubro, terça (martes), o Doutor e catedrático de Historia Contemporánea na USC, Lourenzo Fernández Prieto falará sobre ?A Galiza moderna no agro?dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais organizado pola nossa Agrupaçom.
Fernández Prieto é autor dumha interessantíssima e amplia obra, tanto em artigos como em livros. Destes últimos sublinhamos: Labregos con Ciencia; Atraso económico nunha sociedade destruída y Dinamismo social e desenvolvemento económico; A gran historia de Galicia) ou Facendo Historia con memoria. Tem dirigido diferentes trabalhos de investigaçom relacionados co-a construçom da modernidade en Galiza e os movimentos sociais
Assim mesmo coordinou varias publicaçons como Terra e Progreso: historia agraria da Galicia contemporánea, e tem colaborado en revistas e obras colectivas, onde mostrou diferentes trabalhos relacionados co mundo rural galego e a repressom sociopolítica que lhe afectou trás o golpe de estado de 1936, destacando neste aspecto Agricultura, gandería e economía de guerra: novas orientacións de política agropecuaria para Galicia, 1936-1939, Guerra civil e franquismo, Represión franquista e desarticulación social en Galicia: a destrución da organización societaria campesiña, 1936-1942. É investigador principal de vários projectos que tenhem como temática o franquismo.
Dia: 18 de Outubro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras . Rua Sinagoga 22

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Paco Macias e Xurxo Martiz - Xosé Velo e o seu tempo BASENAME: o-facho-xose-velo-e DATE: Wed, 05 Oct 2016 18:32:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado 4 de Outubro, o jornalista Xurxo Mártiz Crespo, em ausência de Aser Álvarez falou junto co-o editor Paco Macias sobre: Xosé Velo e o seu tempo. O acto realizou-se em Portas Ártabras.

Ambos os dous conferencistas mostrárom a um Pepe Velo como um ousado e terno intelectual de funda raizame galego-repúblicana que no seu exílio em Venezuela concebeu junto com outros companheiros galegos e portugueses o seqüestro do transatlântico Santa Maria para que tomasse rumo às colónias de Guinea Ecuatorial e Angola, encetando assim umha revoluçom que espalhariam logo à península para ceivar aos seus povos das tiranias clerical-fascistas do franquismo e salazarismo.

Ao findar a sua exposiçom mantivérom umha interessante palestra co-os assistentes

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: V Sam Froilam Associativo BASENAME: v-sam-froilam-associativo DATE: Tue, 04 Oct 2016 18:32:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 8 vemo-nos no V Sam Froilam Associativo.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Todo pronto para dar início ao XVIII aniversário do decano dos Centros Sociais da Galiza BASENAME: todo-pronto-para-dar-inicio DATE: Sat, 01 Oct 2016 16:11:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Concertos CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: Palestras e debates TAGS: ----- BODY:

Sábado 1, damos início às atividades programadas para celebrar o nosso dezaoito aniversário durante todo o mês de outubro.

Dezoito anos trabalhando pola defesa da nossa cultura, os valores solidários e os direitos históricos do nosso País.

E com este motivo que organizamos umha série de atividades para dar conteúdo ao completo programa previsto para celebrar esta data tam assinalada. Ei-lo.

No sábado 1, às 21hs, inauguramos umha exposiçom fotográfica que fará um repaso visual a estes 18 anos recolhendo imagens de concertos, atividades como Sahmain, os Maios ou o Apalpador, etc...

A exposiçom poderá ser visitada durante todo o mês em horário de apertura do Café-Bar.

Na sexta-feira 7, decorrerá umha palestra sob o título "Naçom e reivindicaçom na Banda Desenhada galega" ministrada por Xulio Carvalho, que é Doutor em Esutdos lingüísticos e literários de galego e português (2015, qualificaçom Cum laude) com umha tese sobre o cómic.

Sábado 8, começaremos a jornada com umha sessom vermute às 12.30, onde além de petiscos, contaremos com as cantadas de Manolo Bacalhau e Xurxo Souto.
Já à noite Os três trebóns ponheram a primeira trilha sonora a este dezaoito aniversário. O concerto comezará às 23hs e a entrada é de graça.

No dia 14 haverá umha nova projeçom de diapositivas da história da nossa entidade. Será às 21.30hs.

Sexta-feira 21, às 21.30hs, a companhia teatral "Damecuerda que teatro" apresentarám a obra "O escorial". A entrada também será gratuíta.

No sábado 22, chega desde Vigo o Ska de Liska!. Letras reivindicativas e combativas desde umha ótica nacional e de classe. O concerto comezará às 23hs. A entrada é livre.

Na sexta-feira 28, haverá um novo atelier infantil. Desta volta, Maru Alonso ensinará às crianças a fazer Bolachas para o Sahmain. A atividade é para nen@s a partir dos 4 anos e é precisso inscriçom prévia já que límite de praças. Podes apontar-te ligando para o 671 200 160.

No sábado 29 decorrerá a ceia do XVIII aniversário. O preço da ementa, que contará com Sopa, Lacom Assado com Cachelos, água e/ou vinho e sobremesa, é de 12 euros (10 euros para pessoas associadas). Haverá opçom vegana sob demanda. Podes apontar-te no balcom do café-bar ou escrevendo para correiodeartabria@gmail.com.

Na segunda-feira, 31 de outubro, fecharemos as atividades do aniversário celebrando a noite de sahmain. Desde as 20.00hs haverá um atelier infantil de decoraçom de cabaças e maquilhagem. Também haverá liscos a 1 euro.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cursos 2016-2017 BASENAME: cursos-gaita-e-tamboril DATE: Thu, 29 Sep 2016 11:37:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

Informamos de como ficam os cursos 2016-2017

Segundas-feiras (luns):

19:30-20:30 Pandeireta, iniciaçom.
20:30-21:15 Baile de foliada, iniciaçom.
20:30-21:30 Tamboril e bombo.
21:15-22:15 Adufe (Pandeiro quadrado).

Terças-feiras (martes):

20:30-22:00 Gaita

Quartas-feiras(mércores):

19:30-20:30 Pandeireta, aperfeiçoamento 1.
20:30-21:15 Baile de foliada, aperfeiçoamento.
21:15-22:15 Pandeireta, aperfeiçoamento 2.

As pessoas interessadas nestes cursos podem ligar com nós no nosso mail madialeva.gz@gmail.com ou bem passar polo local e perguntar.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Comunicado de apoio aos/às trabalhadors de EXTEL BASENAME: comunicado-de-apoio-aos-as DATE: Wed, 28 Sep 2016 20:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2016

Companheir@s de Extel: estamos ao día da precária situaçom laboral que levades sofrindo há tempo, e que, a pouco de ter ganhado o PP as eleiçons galegas, e com a Reforma Laboral na mao, traduze-se num ERE contra vós para seguir engrossando os benefícios dum gigante como Movistar.

Do Centro Social Gomes Gaioso queremos mandar-vos todo o nosso apoio e solidariedade, pois entendemos que a melhor arma que temos a clase trabalhadora é o apoio mútuo, a uniom frente ao terrorismo patronal e a luita na rua.

Porque estamos fartxs de mendigar por um futuro precário e de trabalhar no estrangeiro quando o que queremos é ter um trabalho digno na nossa terra.

Por isto, queremos mostrar o nosso respaldo a toda açom de protesto que levedes a cabo, pois entendemos que a vossa luita é a de todxs. Umha loita contra o modelo alienante, classista e destrutivo que o capitalismo nos impom, e que do Gomes Gaioso também fazemos dia a dia por mudar.

Chamamos, en conseqüência, aos corunheses e às corunhesas a acudir às concentraçons convocadas para amanhá quinta-feira 29 às 10:30 e às 16:30 para a turma de tarde, na entrada do Edificio Proa (Matogrande)

¡Porque juntxs somos mais fortes! ¡Nom estades sós!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: IV Festa da Afirmaçom e Dignidade BASENAME: iv-festa-da-afirmacom-e DATE: Wed, 28 Sep 2016 11:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 2 no nascimento do Minho IV Festa da Afirmaçom e Dignidade às 12h00.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Filme "Madragoa" (1952) BASENAME: filme-madragoa-1952 DATE: Tue, 27 Sep 2016 14:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: CURSOS 2016/17 Línguas, música, e algo mais! BASENAME: cursos-2016-17-linguas-musica DATE: Tue, 27 Sep 2016 10:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2016

A quatro dias de rematar o mês de setembro, podemos anunciar já o conjunto de cursos que ofertamos para o ano académico 2016/17.

Lembramos que o horário das atividades está ainda por fixar, e que para isso poremos-vos em contato com cada professor/a com o fim de organizar-vos para estabelecer o melhor para a maioria interessada em cada curso.

O conjunto da oferta garante o ENSINO EM GALEGO, guiado por um professorado com conhecimentos contrastáveis em cada umha das áreas.

O preço é de 25 euros por mês para pessoas nom sócias, e de 20 euros por mês para pessoas sócias. Nom se modificam portanto os preços com respeito aos últimos 2 anos.

A forma de contatar connosco é escreveres um correio a gomesgaioso@gmail.com ou chamares ao 676 75 81 64.
A partir daí solucionaremos as túas dúvidas e poremos-te em contato com @ professor/a correspondente para maracardes o horário conveniente.

IDIOMAS

- Galego para imigrantes

- Galego (normativa AGAL)

- Português (professora nativa e titulada)

- Russo (professor titulado)

- Inglês (professor titulado)

- Francês (professor titulado)

- Italiano (professora nativa)

- Catalám (professor bilíngue)

- Alemám básico

MÚSICA

- Gaita

- Ukelele

- Saxo

- Clarinete

- Iniciaçom à pandeireta

- Pandeireta avançada

OUTRAS

- Trabalho em coiro

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Fernanda Peres (1931-2016) BASENAME: fernanda-peres-1931-2016 DATE: Mon, 26 Sep 2016 17:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fernanda Peres: Lugar vazio (Fernando Farinha / Alberto Correia)

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Melilla: onde habita o esquecimento BASENAME: melilla-onde-habita-o-esquecimento DATE: Fri, 23 Sep 2016 17:12:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A quarta-feira dia 28 de setembro às 20h15 no centro social.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Edicions do Castro e O Facho BASENAME: edicions-do-castro-e-o DATE: Thu, 22 Sep 2016 19:59:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

REQUIEM SERÓDIO E BREVE DE MAIS, POR EDICIÓS DO CASTRO

Mais de douscentos títulos da colecçom DOCUMENTOS PARA A HISTORIA CONTEMPORÁNEA DE GALICIA tem tirado do prelo Ediciós do Castro, já hai anos desaparecida de morte matada.
Nestes ingratos tempos de involuçom democrática no nosso país e mais no Estado espanhol e na Europa toda, constitúe um capítulo singular o eclipse dumha editorial que, se por algo vai ser botada em falta, será por essa concreta série de títulos que na nossa Terra contribuíu decisivamente à recuperaçom da memória dos que estiverom silenciados durante décadas, eles e os seus achegados.
Ediciós do Castro, filha do Laboratorio de Industria e Comunicación, nascida no Castro de Samoedo (Sada) em 1963 (e posteriormente incorporando a Editorial e Imprenta Moret da Corunha), publicou, com anterioridade a dita colecçom, obras fundamentais de e para a nossa cultura, nos mais diversos campos: teatro, narrativa, poesia, arte e ensaio de toda caste: filologia, história, economia, ecologia... Mesmo reediçons como O Divino Sainete ou Terra de Melide ou betsellers (que o termo nom seja malinterpretado) como as Memorias dun neno labrego, por nom citarmos mais que algumhas criaçons insoslaiáveis. Nom devendo esquecermos as séries focadas ao Seminario de Estudos Galegos e aos Cadernos do Seminario de Sargadelos, do Laboratorio de Formas e do Laboratorio Xeolóxico de Laxe.

Esta desapariçom dolosa e dolorosa, nom por anunciada deve ser menos lamentada, mália o tempo passado, mais de um lustro, de tal insucesso, e todos quantos fomos beneficiados pola generosidade e bonomia de dom Isaac Díaz Pardo -uns publicando e muitos mais lendo- temos o dever de practicar este a jeito de ofício de trevas, quando se está a falar, a maiores, doutras mortes editoriais galegas.O Facho, muito especialmente, foi devedor dessa generosidade de Isaac, poisque ali se editarom publicaçons nossas entre 1968 (a Declaración dos dereitos do home, em versom tetralíngüe) e 1990 (Os prémios do nosso Concurso Nacional de Poesia Nova, como se pode aprezar na ilustraçom), passando por títulos como Teatro para nenos (1981) ou a Revista monográfica de cultura (da que saírom dous números em 1984 e 1986, este comemorando a Castelao e Bóveda).
Na medida em que um povo perde os seus instrumentos de comunicaçom e expressom (neste caso tendo produzido mais de 1.300 títulos devidos a mais de 700 autores em quase meio século de existência viçosa), empobrece-se e de calarmos perante tal feito concreto seríamos, a mais de malnascidos, cúmplices de semelhante assassinato.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Concentraçom esta quarta-feira. Lugo Cara o Minho. BASENAME: concentracom-esta-quarta-feira-lugo DATE: Mon, 19 Sep 2016 11:51:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 21 há convocada umha concentraçom diante do Concelho de Lugo às 20h30 para exigir a todas as instituiçons implicadas (Concelho, Xunta, Ministerio español de Medio Ambiente-CHMS), mas em especial ao Concelho por ser a instituiçom política mais próxima a nós, os vizinhos e vizinhas de Lugo, e já que logo a que antes nos tem que defender e representar.
Exigimos a retirada do dique antes da fim da época de estiagem, por segurança, por justiça, por economia, por lei.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Fado vadio (Miguel Sanches e outros) BASENAME: fado-vadio-miguel-sanches-e DATE: Sun, 18 Sep 2016 15:33:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Paco Macias e Aser Álvarez González: "Xosé Velo e o seu tempo" BASENAME: o-facho-paco-macias-e DATE: Thu, 15 Sep 2016 16:37:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Corunha enceta os seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2016-17.

Palestra:

O vindouro dia 04 de Outubro (Terça-Martes) 2016, às 8 do serám, Paco Macias e Aser Álvarez González falarám dentro do ciclo: "A Galiza da Diáspora". A sua charla intitula-se: "Xosé Velo e o seu tempo".

Aser Álvarez é Lcdo. em C.C. Políticas e da Administraçom na USC. Lcdo. em Jornalismo e C.C. da Comunicaçom na UPV e USC. Colaborador leitor da School of European Studies da U. de Cardiff (Gales). Entre as suas actividades podemos sublinhar: Director do Festival Internacional de Cinema Rural ?Carlos Velo?. Director de Comunicaçom e Mercadotecnia na Associaçom de Empresários de Hospedagem e Restauraçom de Compostela e bisbarra, de 2010 até Fevereiro do 2016. Redactor, apresentador e locutor de informativos e guionistas para programas e especiais informativos na CRTVG e redactor e locutor de informativos e programas em Rádio Galicia e na Cadena Ser.
Paco Macías é editor e responsável de Ediçons Positivas, editorial criadora do Prémio Narrativas Quentes de literatura erótica. E. Positivas é o selo que descobriu a Lois Pereiro em vida, muito antes de serem conhecido no âmbito literário. Assim mesmo vem de publicar a Obra Completa de Roberto Vidal Bolaño. Paco Macías é um editor preocupado da Galiza na Diáspora, como mostra o ter publicado em ebook: Os Galegos Anarquistas na Argentina, entre outros.

Dia: 4 de Outubro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras . Rua Sinagoga 22

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421
As conferências podem ser ouvidas em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Exposiçom de autocolantes. BASENAME: exposicom-de-autocolantes DATE: Wed, 14 Sep 2016 07:33:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje inauguramos umha bem nutrida exposiçom de autocolantes relacionados coa luita de povos de Europa contra a Uniom Europea e as suas políticas de retalhos. Fará a apresentaçom da mesma Bernardo Valdês.
Estará exposta nas próximas semanas.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cursos pandeireta, baile e pandeiro. Horários confirmados BASENAME: esta-sexta-derradeira-sessom-do DATE: Wed, 14 Sep 2016 07:23:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: cursos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Segundas-feiras (luns):

19:30-20:30 _____ Pandeireta, iniciaçom.
20:30-21:15_____Baile de foliada, iniciaçom.
21:15-22:15_____ Adufe (Pandeiro quadrado).

Quartas-feiras (mércores):

19:30-20:30_____Pandeireta, aperfeiçoamento 1.
20:30-21:15_____ Baile de foliada, aperfeiçoamento.
21:15-22:15_____Pandeireta, aperfeiçoamento 2.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Porque arde Galiza? Charla-debate esta sexta. BASENAME: esta-quinta DATE: Mon, 12 Sep 2016 11:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 16 às 20h30 organizamos umha charla-debate sobre os incêndios florestais.É um dos problemas que enfrentamos todos os veraos na Galiza. Falaremos sobre as causas e as possíveis soluçons coas intervençons de:

-Xosé Manuel Rodríguez. Membro de Adega e brigadista florestal
-Borxa Rei. Técnico de brigada helitransportada
-Representante de Batefogo. Projeto de prevençom de lumes e dinamizaçom do rural.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Projeçom documentário "ENCE. 60 anos mais?" BASENAME: projecom-documentario-ence-60-anos DATE: Sun, 04 Sep 2016 11:04:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2016

Aí venhem as atividades dum novo curso político!

Sexta-feira, que será dia 9, esperamos-vos para a projeçom e eventual debate sobre o documentário "ENCE. 60 anos mais?" do coletivo GalizaContainfo. Às 21h30.

Umha oportunidade para conhecer um dos negócios mais lucrativos do capital no nosso País. Para conhecer a história e as tripas desta imensa máquina de fabricar dinheiros e poluír o País com o amparo das administraçons. Para conhecer a irmá Ponte Vedra.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Convocatória de professorado para os CURSOS 2016/17 BASENAME: convocatoria-de-professorado-para-os DATE: Sun, 04 Sep 2016 10:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2016

O mês de setembro reativamo-nos, como muit@s, para volver começar. Para começar de novo. Para começar melhor e mais forte.

E nesta ocasiom fazemo-lo anunciando a CONVOCATÓRIA DE CURSOS 2016-2017, antes de anunciar os cursos em si. Fazemo-lo com a vontade de chegar a vizinh@s da cidade, e nom só, que queiram ensinar. Que queiram partilhar os seus conhecimentos ou habilidades artísticas, culturais ou desportivas com alunado interessado em aprender.

Durante os quase nove anos que levamos funcionando, este tem sido sem dúvias o principal elemento dinamizador da nossa Associaçom Cultural, e assim esperemos que continue a ser.

Se estiveres interessad@ em ensinar em galego, contacta connosco no num de tfn 676 75 81 64 ou no correio gomesgaioso@gmail.com

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Apresentaçom "Novas do exterior" BASENAME: apresentacom-novas-do-exterior DATE: Thu, 01 Sep 2016 06:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
<

O dia 9 de setembro apresentaremos em Lugo o livro de Xosé Luís Santos Cabanas "Novas do Exterior.63.000 quilómetros de viaxes á cadea". No livro conta as crónicas das viagens à cadeia para ver a seu filho Antom Santos.
Depois haverá umha ceia de convívio para mostrar o nosso apoio co companheiro Antom Santos. Para dezembro fará 5 anos que o sócio e ativista do centro social foi detido e desde entom leva passado por distintas prisons todas elas fora da Galiza. Agora mesmo está na de Mansilla de las Mulas a 479 km.
Também haverá umha exposiçom com desenhos do Antom.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Na "Parreirinha de Alfama" BASENAME: na-parreirinha-de-alfama DATE: Tue, 30 Aug 2016 15:42:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Joana Amendoeira

27.VIII.2016. Na Parreirinha de Alfama. Cantaram: Joana Amendoeira, Sérgio da Silva, Filipe Duarte e Maria de Fátima. Cantaram e tocaram: Bruno Costa e Paulo Valentim. E com muita canela por toda a parte!

Sérgio da Silva

Filipe Duarte

Maria de Fátima

Paulo Valentim e Bruno Costa

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Neste Dia da Galiza Mártir, lembramos Jaime Quintanilha e o resto de assassinados polo fascismo BASENAME: neste-dia-da-galiza-martir DATE: Fri, 19 Aug 2016 00:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Movimentos sociais CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Palestras e debates TAGS: ----- BODY:

Pola primeira vez, em Ferrol comemorou-se o Dia da Galiza Mártir, 17 de agosto. Foi iniciativa da Fundaçom Artábria, que nom quijo deixar passar o octogésimo aniversário do assassinato de Jaime Quintanilha sem reivindicar a sua figura de galeguista e antifascista.

Nom porque ele expressasse posiçons soberanistas antes de existir o chamado nacionalismo contemporáneo; nom porque fosse dirigente da esquerda operária ferrolana; nom porque fosse arquiteto do nacionalismo cultural galego em Ferrol antes de 1936.

Ou melhor dito... por todo isso e por mais. Ele representa as centenas de vizinhos e vizinhas de Ferrol e da comarca de Trasancos que caírom executados pola canalha fascista a seguir ao golpe dirigido polo assassino Franco.

Passadas as 20:30 horas deste 17 de agosto, um grupo de trasanqueses e trasanquesas ajuntamo-nos no Baluarte de Canido, perto do muro onde numerosas pessoas fôrom fusiladas polos franquistas 80 anos atrás.

Ali soou, interpretado pola gaita de foles galega, o hino operário de origem polaca "A Varsoviana", adotada polo antifascismo no Estado espanhol na década de 30. A seguir, tomárom a palavra os companheiros, Alexandre Carrodéguas, Henrique Sanfiz, John Thompsom e Vítor Santalha. Todos eles lembrárom o legado e a obrigaçom que hoje temos de reivindicar a memória da geraçom ceifada polas armas do fascismo espanhol, denunciando o papel do regime espanhol atual na impunidade da ditadura franquista.

O neto do homenageado, o músico Jamie Fifthring , reivindicou a memória do bisavô e lembrou a sua negativa a reconhecer qualquer existência cultural a Espanha, que historicamente usurpou o património musical das naçons da Península para tentar criar a sua inexistente identidade.

A seguir, interpretou com a sua guitarra a cançom Buracos do grupo Ruxe Ruxe. Finalmente, o Hino Nacional da nossa pátria encerrou o ato, para um encontro posterior de confraterindade no nosso Centro Social.

[GALERIA FOTOGRÁFICA] https://goo.gl/photos/ZKpWEczLAwKMb6XM6

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Intervençom do companheiro Vitor Santalha na homenagem a Jaime Quintanilha BASENAME: intervencom-do-companheiro-vitor-santalha DATE: Thu, 18 Aug 2016 23:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Movimentos sociais CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Os nazonalistas galegos éramos, fai catro ou cinco anos, autonomistas. Coidábamos de boa fe que á Galiza abondáballe coa Autonomía. Os nazonalistas galegos de hoxe xa non somos autonomistas. Coidamos de boa fe que á Galiza non lle abonda coa Autonomía. ¿Que queremos, pois, os nazonalistas galegos? Queremos a independenza de Galiza; a sua compreta e absoluta libertade. [?] A nosa Libertade non vai nin quere ir en contra de Libertade algunha. Pro a nosa Libertade é unha cousa tan nosa, que ninguén teria dreito á asoballala. E si o feito de querela e de pedila fose tomada como unha decraración de guerra pol-o Estado, pensariamos que a nosa Libertade e o Estado son cousas incompatibles.

Este texto, com um nítido caráter independentista e públicado no Dia da Pátria de 1922 no Boletín Mensual da Irmandade Nazonalista Galega. Del. do Ferrol corresponde ao Doutor Jaime Quintanilha.

Car@s companheiras, Car@s amigas

Foi no ano 1942 e em Buenos Aires, quando a Irmandade Galega, que substitui o Partido Galeguista, declarou o 17 de agosto Dia das Mártires Galegas. Decidírom esta data porque, tal dia como o de hoje de 1936 Alexandre Bóveda, foi passado polas armas no Monte da Caeira em Poio, mas bem podia ter sido polo assassinato do Doutor Quintanilha, já que simboliza e representa todas as pessoas mortas ou represaliadas pola violência fascista desatada a partir do dia 20 de julho de 36. Podemos debater se umha data tam trágica deve, ou nom, ser motivo de celebraçom, mas o que temos claro da nossa entidade é que um dia e um ano como este, em que se completam 80 anos do holocausto galego, é para nós motivo para a reivindicaçom e homenagem àquelas mulheres e homens que defendêrom a liberdade e a democracia.

Nom devemos esquecer que a II República Hespanhola foi um período mui fecundo, no qual se conseguem importantes, inda que insuficientes, vitórias democráticas (sufrágio universal, direito ao aborto, divórcio, igualdade legal entre mulheres e homens, direito à greve, legalizaçom de organizaçons políticas e sindicais...).

Jaime Quintanilha, embora nom nascesse em Ferrol, foi umha pessoa fundamental na vida política e social ferrolana. Cirurgiám comprometido com a causa operária e nacional, antifascista, defensor da nossa língua, pessoa vital na fundaçom da Irmandade da Fala Local, criador da Editorial Céltiga, autor teatral como também de multidom de artigos jornalísticos ou a sua teima com a criaçom dum sindicato nacionalista... som, para nós, motivos mais do que suficientes para ser merecedor da nossa admiraçom e reconhecimento.

Mas hoje nom comemoramos apenas a morte violenta dum patriota. Hoje comemoramos todas as vítimas do holocausto galego e em particular as vítimas do fascismo na nossa comarca. Fosse qual fosse o ideário que professassem. De Mario Rico a Moncho Reboiras, passando por Garcia Niebla, Amada Garcia, Manuel Morgado, Alfonso de Cal, Maria Vasques Soares, Pancho, Manuel e Jesús Dias Rascado ou Lopes Bouça. Sem querer esquecer, injustamente, os centos de pessoas presas e fusiladas no Campo de Concentraçom de Cedeira ou no Castelo de Sam Filipe como também nos cemitérios de Serantes ou das paróquias da zona rural. É por este motivo, que da nossa entidade reservamos um bocado de tempo no dia de hoje, para reivindicar e homenagear estas pessoas, como também contribuirmos para manter acesa a chama da sua memória para alimentar a nossa liberdade e a nossa identidade.

Denantes mortas que escravas!

Fascismo nunca mais!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Xaquín Marín BASENAME: xaquin-marin DATE: Thu, 18 Aug 2016 18:09:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

XAQUÍN MARÍN QUARENTA ANOS ATRÁS

Quatro décadas justas passarom desde que, em Janeiro do 76, se apresentou ao público a folha Arco da Vella, que ocupava toda umha página de El Ideal Gallego da Corunha.
Aquela aventura durou mais de três anos e florescéu num jornal que por entom, baixo a progressista direcçom do andaluz Rafael González e co apoio do chefe de redacçom Gabriel Plaza (ambos desaparecidos), contava na sua plantilha com nomes tam recordáveis como José Antonio Gaciño ou o malogrado Luís Pita, jornalistas de lei onde os haja.
O Arco da Vella, coa cabeceira de Siro que podedes aprezar, acolhéu, junto a textos variopintos, o luxo da arte de XAQUÍN MARÍN, já com alguns anos de criador, e concretamente a sua tira Gaspariño, que supomos nascida nesta folha d'O Facho.
Gaspariño, de quem tem afirmado seu pai: ?É con moito o meu personaxe máis querido, penso que tamén o que máis éxito acadou...?, merescéu um soneto dum nosso poeta, que Xaquín tem reproduzido em várias oportunidades. É aquela Teima sobre Gaspariño que di:
?Gasparinho Marín, sempre emigrando/ Gasparinho Marín, neno revelho/ a mirares de fronte (nom de esguelho)/ p'ra este país de homes e de gando./ Meu hominho galego indo c'o gando/ Gasparinho Marín neno de esguelho/ a mirares de fronte este revelho/ país universal sempre emigrando./ Ao mirares os homes emigrando/ deste país que é um país revelho/ meu neno de Galiza olhas de esguelho/ os que tratam o home como a gando/ Gasparinho Marín sempre emigrando/ Gasparinho Marín neno revelho.?
Umha dessas ocasions figura o poema no livro mariniano Dos pés á testa (1986) que, por certo, leva prólogo do recentemente finado Agustín Fz. Paz.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Este ano, XAQUÍN MARÍN foi honrado co prémio Pedra do Destino que outorga a Asociación de Amigos dos Museos de Galicia, com sede nas Portas Ártabras, essa felicíssima iniciativa de Felipe Senén que, materializada num velho recuncho corunhês enxebre, ninho de arte e cultura e cultura em geral, com tanta generosidade se abre periodicamente para acolher tanto acto, e particularmente os da nossa Agrupaçom Cultural O Facho.
Desde esta modesta tribuna aderimo-nos com entusiasmo a tam merescida distinçom -que tamém, claro é, honra à entidade outorgante- a alguém como XAQUÍN MARÍN que, co seu envejável ingénio, leva meio século deleitando, despertando, alertando, ilustrando a todo aquel que se achega, aqui e alá, às várias personagens saídas da sua mente cismadora e da sua mao de artista cabal.

Prema na imaxe para aumentar

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Pardinhas, dás-nos a vida! BASENAME: pardinhas-das-nos-a-vida DATE: Thu, 11 Aug 2016 07:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
<

Pardinhas rematou. Deixa-nos esgotadas, e ao mesmo tempo cheias de energia.
Cansas por umha jornada que começou a sexta-feira pola tarde e que rematamos a segunda-feira a médio dia. Foi umha festa que nom se interrompeu porque o nosso chigre nom fechou nem umha hora. Ficamos cheias de Pardinhas, da sua magia, da irmandade incomparável que se vive neste festival.Como no título do documentário podemos afirmar: Pardinhas dás-nos a vida!

Estamos cheias de energia porque todo foi bem. Pola parte económica tam importante mas também polas outras partes.

Como a da construçom nacional, espalhando as nossas ideias de liberdade e de revolta. Mantemos o posto de material com livros, música,roupa, bandeiras,... Este ano era obrigado lembrar-se de Manuel Maria e mais num lugar ao que tantos laços o unem. Assim o figemos cos autocolantes que distribuimos de graça polo festival coa legenda, porque o idioma é a chave coa que abrimos o mundo.

Outra parte é a feminista. Porque na festa que nos presta nom colhe o machismo. Cumpre agir e defender-se. Por isso este ano organizamo-nos na autodefesa perante agressons machistas. Perante algumha agressom é o dever de todas dar resposta de jeito colectivo.

<

Também pensamos na nossa soberania alimentar e tratamos de ir melhorando neste aspeito.Gostamos imenso de ter produtos da terra e ecológicos a distribuir na nossa cozinha e de ter bebidas galegas como a novidade do vermú Lodeiros ou da sidra chegada da Marinha e elaborada por companheiras nossas. Igualmente que ofertamos hamburguesas veganas que foi novidade e tiverom umha grande demanda.

<

E como todos os anos levamos também a bandeira da solidariedade coas presas independentistas galegas. Sentimos em especial a falta da Maria e do Antom currantes noutros anos neste mesmo campo da festa de Pardinhas , e também as dos demais presos independentistas. Queremo-las na casa!

Por último agradecer a todas as companheiras que tenhem trabalhado este ano no chigre do Mádia, trabalho voluntário e consciente. Festa e luita! Esse é o espírito que nos move a Pardinhas todos estes anos desde 2008.

Agardamos ver-nos pronto e nom só para currar!

Obrigadas a toda essa gente que veu tomar algo ao nosso chigre.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Audiovisual, gastronomia, memória histórica e atelier de malabares para crianças atividades de agosto na Fundaçom Artábria BASENAME: audiovisual-gastronomia-memoria-historica-e DATE: Wed, 10 Aug 2016 20:58:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado 5 de agosto davamos início às atividades do mês com a projeçom do documentário "Ence, 60 anos mais?" realizado por gzcontrainfo. À apresentaçom assistiu Zélia Garcia, ativista de gzcontrainfo.

Nesta sexta-feira, 12 de agosto, contamos com umha nova cita com a gastronomia . Desde as 20.30h haverá umha Paelhada Ártabra ao "estilo Vidal". O preço do prato é de 4 euros e haverá opçom vegana.
A receita da paelha (e nom arroz com cosas) conta com o visto bom dos ortodoxos deste manjar do Païs Valencià.

Na quarta-feira 17, com motivo do Dia da Galiza Martir organizamos umha homenagem ao alcalde ferrolano assassinado polo fascismo, Jaime Quintanilha e ao resto de vizinhos e vizinhas da nossa comarca mortas pola barbárie fascista. No ato, que decorrerá às 20.30hs no Baluarte de Canido, intervirám Vitor Santalha em representaçom da Fundaçom Artábria; Henrique Sanfiz, historiador; e o hispanista John Tomphsom.

O cantor ferrolano, e neto de Jaime Quintanilha, Jamie Fithring, ponhera a nota musical ao ato.

No dia 19, sexta-feira, às 19.30hs, decorrerá um atelier de malabares para crianças ministrado por Lucia Mira. É precisso inscriçom prévia, já que há um máximo de 12 praças. A idade mínima é de 4 anos. A atividade é gratuita.

Na sexta-feira 26 de agosto fechamos as atividades deste mês com a projeçom de diapositivas do companheiro Ernesto Lopes "Nês" sobre a história da nossa entidade. A projeçom dará início às 21.00hs.

Aproveitamos para recordar que durante agosto a Fundaçom Artábria permanecerá fechada todos os dias de manhá e os sábados de tarde.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Os dous Fernández BASENAME: os-dous-fernandez DATE: Mon, 08 Aug 2016 15:44:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

OS DOUS FERNÁNDEZ...

Vem de deixar-nos Agustín Fernández Paz. E se o lembramos especialmente aqui, deve-se a que é outro dos que, como tantos valores da nossa Literatura contemporânea, se iniciou n'O Facho, concretamente nos Concursos de Contos Infantis.
Assi é. Agustín foi premiado duas vezes, no 76 e mais no 80, quando estava nos começos da que ressultou fruitosa andaina literária sua.
Mais adiante (1984), já cumha trajectória ascendente nas letras galegas, estivo apadrinhando a apresentaçom do nosso livro Contos dos nenos galegos, que recolhia um feixe dos premiados nas duas décadas nas que o Concurso se vinha celebrando.
E quem é o outro dos dous Fernández a que se refere o título? Pois nem mais nem menos que o inesquecível amigo Xosé Fernández Ferreiro, quem tamém se nos foi recentemente. E traemo-lo a colaçom por mor de ter el actuado reiteradamente naqueles anos como membro do júri desse mesmo Concurso: entre 1970 e 1976 e depois no 1980, F. Ferreiro formou nesses júris que, justamente em 1976 e 1980 lhe derom o galardom ao outro Fernández, Agustín.
Um e outro deixarom-nos mas permanecem no nosso acervo literário e cultural, mesmo patriótico, pois que o arriquecerom, cada quem no seu eido, para sempre.
Bemhaja a Galiza dos criadores!

https://archive.org/download/OFacho1/O%20Facho%201.pdf

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: A ACIDENTADA VIDA DAS PLACAS D'O FACHO BASENAME: a-acidentada-vida-das-placas DATE: Mon, 08 Aug 2016 15:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A ACIDENTADA VIDA DAS PLACAS D'O FACHO

O FACHO tem instalado na geografia corunhesa até quatro placas comemorativas e inspirado ou coactuado em dous casos mais. Isto no espazo de seis anos na década de 80 do passado século. Fagamos um pouco de história.
1.A primeira placa instalou-se no número 38 da rua do Rego da Auga, em cujo primeiro andar -daquela sede da Real Academia Gallega- se fundaram (1916) as Irmandades da Fala.
Acontecéu a homenagem aos irmáus fundadores no ano 80, o 18 de Maio, instaurado por nós como Dia da Nossa Fala, iniciativa que tivo vária fortuna, adoptada aqui e alá mas nunca benta pola Academia -que por entom quase estreava, prévio a prolongada radicaçom nuns salons do Palácio de Maria Pita, o pardobazaniano palácio de Tavernas. Curiosamente, o actual seu presidente, si benzoou a nova festividade na conferência que déu o dia anterior sobre as IF.
No acto de descubrimento da pedra em homenagem a aqueles ?nacionalistas galegos Antón e Ramón Vilar Ponte?, salientamos a presença de Mª Teresa Villar Chao (filha de Ramón) e do irmáu Benito Ferreiro, dos primeiros das Irmandades, arroupados polas principais autoridades, tales o alcalde da cidade e o presidente da tam citada Academia.
U-la esta placa que hogano nom está ali? Pois o 23-12-1995 foi removida a inciativa nossa, perante as ameaças proferidas polo dono do local comercial do baixo, que substituíra a lembrada livraria Ágora, acolhedora do fito no momento da sua instalaçom. A retirada fixo-se na inteligência de que a livraria Kipling aceitava a sua colocaçom na fachada da rua da Franja, que faz parte da traseira do solar do Rego da Auga: com isto recorria-se ao mal menor, falseando um tanto a realidade histórica, mas cumprindo o objectivo informativo e social da placa: até hoje segue ali, já outro negócio no sítio, mas evidentemente respeitado... para bem de todos.
2.O ano 81, e 17 de Maio, tivo lugar a colocaçom da segunda placa, esta volta no número 26 da rua do Orçám, quase esquina coa rua Alta: ali nascera, em 1874, ?a figura universal do nacionalismo musical galego?, desde cedo radicado na República Argentina, Andrés Gaos Berea. Anos leva essa velha fachada velada polo véu preservativo da ruína do edifício... e veremos o que o futuro depara a umha placa que actualmente apenas se dá decifrado tras véu tal...
3.O 18 de Maio de 1982, quadrando cos 75 anos da estreia do nosso hino na Havana, descubrimos, no número 21 da rua de Juana de Vega, a placa dedicada ao autor do poema que devéu em letra da nossa cançom nacional, Os pinos, Eduardo Pondal. Ali morara e morrera 65 anos atrás o bardo de Bergantinhos.
E hoje ali segue em lugar tam estratégico da cidade: como se verá, é a que entre todas gozou de melhor vida... embora esta e a primeira necesitem da repintagem das letras.
Recuando apenas três semanas, foi por iniciativa d'O Facho que o Concelho da Corunha e a sua Concelharia de Cultura colocarom, no vestíbulo do teatro Rosalia Castro, o 25 de Abril, placa comemorativa dos "primeiros Xogos Florais de Galiza", co conseqüente Álbum de la Caridad, "fitos fundamentais do Rexurdimento cultural e da nosa conciencia nacional". (Anos depois, 1985, no centenário da poeta, o mesmo Concelho chantaria na sua proximidade placa em honra de Rosalia).
4.No número 14 da rua de Santo Agostinho (fronte ao popular Camarín de los Dolores), acha-se (logo substituída por outra, único caso entre todos de nom ser o edifício da época) a casa em que morou e morréu, em 1923, Manuel M. Murguía, e anos andados (1964) sua e de Rosalia, última filha, dona Gala.
O 18 de Maio de 1983, 150º aniversário do nascimento do patriarca, O Facho instalou (d'acavalo dos números 14 e 16) umha placa em homenagem a este "impulsor do Rexurdimento nacional de Galiza". O cronista da cidade e a Banda Municipal acompanharom o evento.
Contrastemente, as números 1 e 3, de granito e lavradas no obradoiro compostelám de Alfonso San Martín, as placas números 2 e (esta) 4 som de mármore e os seus textos aplicarom-se com letras metálicas autoadessivas.
Pois bem, co tempo forom caíndo algumhas delas. E em algum momento que pudera ser este ano 2016 em que ares de progresso mental ventilam o Concelho herculino (aí tendes a campanha, nem sempre compreendida, de renovaçom do nomenclátor urbano, para a qual O Facho tamém luitara reiteradamente na própria década de 80), supom-se que foi Maria Pita quem restituíu as letras faltantes... Boíssima intençom reconhecida, temos que advertir, segundo se vê na foto adjunta, que a primitiva palavra FALA, com letras caídas, foi substituída pola palavra FESTA! Sem negar que o Dia da Nossa Fala é umha ocasiom festiva... concordemos em que com tal alteraçom altera-se o conceito original e reivindicativo de FALA. Talvez em outro momento nom lonjano, quem o fixo o refaga, em aras da verdade histórica!
(Outra placa, plaquinha esta de bronze, aginha dessaparecida, fora chantada no pedestal do busto de Castelao, ano 1986 do seu centenário, ao impulso das AA.CC. da Corunha de que a nossa fazia parte,"en desagrávio. Sempre en Galiza. Sempre en galego" a sua inscripçom... para compensarmos a lenda em espanhol que aí mandara gravar o Concelho da Corunha promotor do busto... num acto que presidiu o nosso inesquecível dom Jenaro Marinhas).

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "O teu olhar" [versões] BASENAME: o-teu-olhar-versoes DATE: Fri, 05 Aug 2016 11:47:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fado Olga
​Letra: Fernando Farinha
Música: Carlos Ramos

Fernando Farinha

Desde que vi os teus olhos
Tenho o meu fado marcado.
Meu fado são os teus olhos,
Teus olhos são o meu fado.



Eu quis cantar ao teu olhar que me encantou,
Pois nele achei, como não sei, inspiração.
Foi o calor de um olhar teu
Que me prendeu e, desde então,
O teu olhar é a razão desta paixão.

Teus olhos são dois poetas
De grande imaginação
Foram eles que ditaram
Os versos desta canção.

Teus olhos, meninos tontos,
Dentro de mim estão brincando.
Se ergo os meus olhos um pouco,
Vejo os teus olhos dançando.

Todas as minhas canções
Vivem do teu lindo olhar
Quando não olhas pra mim
Já eu não posso cantar.

Carlos Ramos

Kátia Guerreiro

António de Noronha

João Chora
----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Filme "O miúdo da Bica" (1963) BASENAME: filme-o-miudo-da-bica DATE: Thu, 04 Aug 2016 17:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Cantam: Sidónio Gonçalves Garcia ("Fernando Farinha" em criança) e Fernando Farinha.

https://www.youtube.com/watch?v=mVKjuE9pkg8

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Autocolante para Pardinhas BASENAME: autocolante-para-pardinhas DATE: Tue, 02 Aug 2016 05:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Desenho do autocolante que distribuiremos de graça no balcom de Pardinhas. Já falta menos.

<
----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: 196 anos da Severa BASENAME: 196-anos-da-severa DATE: Tue, 26 Jul 2016 08:21:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Imagem do gúguil de 26.VII.2016.

Canta: Maria Clara.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Severa (na wikipédia)
http://www.museudofado.pt/personalidades/detalhes.php?id=368 (museu do fado)

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Maja Milinkovi&#263; (fadista da Bósnia e Herzegovina) BASENAME: maja-milinkovic-fadista-da-bosnia DATE: Thu, 21 Jul 2016 19:29:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Maja Milinković

https://img.discogs.com/M-aw44a5XfS6iw8r9sL_afF2Wpw=/fit-in/300x300/filters:strip_icc():format(jpeg):mode_rgb():quality(40)/discogs-images/A-2453539-1318523468.jpeg.jpg


MAIS: https://www.youtube.com/channel/UCdhq91CzLYV0gP0i6Htvpyg

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Raquel Tavares: "Meu amor de longe" (2016) BASENAME: raquel-tavares-meu-amor-de DATE: Thu, 21 Jul 2016 13:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Letra e música: JORGE CRUZ.

No Largo da Graça já nasceu o dia
Oiço um passarinho, vou roubar-lhe a melodia
Meu amor de longe ligou
Abençoada alegria

Junto ao miradouro, pombos e estrangeiros
Vão a cirandar como fazem dia inteiro
Meu amor de longe já vem
Pôs carta no correio

Barcos e gaivotas do Tejo
Vejam o que eu vejo, é o sol que vai brilhar
Meu amor de longe está
Prestes a chegar

Talhado para mim
Mal o conheci, eu achei-o desse modo
Logo pude perceber
O fado que ia ter por ver nele o fado todo

Chega de tragédias e desgraças
Tudo a tempo passa, não há nada a perder
Meu amor de longe voltou
Só para me ver

Fiz um rol de planos para recebê-lo
Fui pintar as unhas, pôr tranças no cabelo
Meu amor de longe há-de vir
Beijar-me no Castelo

Eu a procurá-lo, ele a vir afoito
Carro dos Prazeres, número 28
Meu amor de longe saltou
Iluminou a noite

Vamos celebrar ao Bairro Alto
Madrugada, baile no Cais do Sodré
Meu amor de longe sabe bem
Como é que é

Talhado para mim
Mal o conheci, eu achei-o desse modo
Logo pude perceber
O fado que ia ter por ver nele o fado todo

Chega de tragédias e desgraças
Tudo a tempo passa, não há nada a perder
Meu amor de longe voltou
Só para me ver

Mais: http://www.museudofado.pt/personalidades/detalhes.php?id=377

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Homenagem a Beatriz da Conceição BASENAME: homenagem-a-beatriz-da-conceicao DATE: Thu, 21 Jul 2016 12:26:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Informações do Portal do Fado:

Caixa Alfama presta tributo a Beatriz da Conceição
Notícias - Julho 20, 2016
As mais recentes novidades para o Caixa Alfama são a o tributo a Beatriz da Conceição por Filipa Cardoso em conjunto com outros fadistas anteriormente revelados.

Na noite que se dedica a Alfama, no Palco Caixa, terá três espetáculos especiais: Raquel Tavares, de Alfama, será o nome maior da noite. Mas outro dos destaques vai para a homenagem a Beatriz da Conceição, da qual farão também parte Artur Batalha, Diogo Rocha, Sara Correia, Maura Airez, Miguel Ramos, Pedro Galveias e Filipe Tavares.

A fadista Beatriz da Conceição morreu em Novembro de 2015 aos 76 anos. A fadista foi criadora de êxitos como "Ovelha negra", recebeu em 2008 o Prémio Amália Rodrigues de Carreira. Beatriz, natural do Porto, começou a cantar na década de 1960, após de uma visita à casa de fados Solar de Márcia Condessa, em Lisboa. Beatriz da Conceição fez parte dos elencos de diversas casas de fado, nomeadamente A Viela, Adega Machado, Nonó, Os Ferreiras, Taverna do Embuçado e Senhor Vinho. Uma das suas últimas presenças em palco foi no espectáculo de Ana Moura, no Coliseu de Lisboa, em 2013.

O Palco Caixa Futuro, na Sociedade da Boa União, receberá um conjunto de novos talentos: Luana Velasquez, João Leote, Margarida Ribeiro, Mariana Botas, Pedro Pereira, Bárbara Santos, Rodrigo Figueira e Beatriz da Conceição.

O Clube Lusitano é um espaço centenário, onde a união e a solidariedade são valores inabaláveis da associação fundada em 1905. Para o Festival Caixa Alfama, receberá os fadistas: José António, José Quaresma, Silvino Sardo, Lino Ramos, Ana Margarida, Rui Vaz, Linda Rodrigues e Ana Marta.

O Festival realiza-se no Bairro lisboeta de Alfama nos dias 23 e 24 de Setembro e tem um bilhete no valor de 38 euros para todos os concertos, no entanto nos dias do evento o valor do bilhete sobre para 45 euros.

Os clientes da Caixa Geral de Depósitos terão 10% de desconto nos bilhetes adquiridos com qualquer cartão de débito ou crédito, na bilheteira do Museu do Fado.

Já confirmados até ao momento:

Aldina Duarte, Ana Margarida, Ana Marta, António Parreira, António Pinto Basto, Artur Batalha, Bárbara Santos, Beatriz, Beatriz da Conceição, Carla Pires, Carminho, Diogo Rocha, Filipa Cardoso, Gisela João, Fábia Rebordão, Fado Nação ? Maria da Nazaré e António Passão, FF Fernando Fernandes, Guilherme Banza, João Leote, Kiko, Linda Rodrigues, Lino Ramos, Luana Velasquez, Madur, Marco Oliveira, Marco Rodrigues, Margarida Ribeiro, Maria Ana Bobone, Mariana Botas, Marina Mota, Maura Airez, Miguel Ramos, João Casanova, José António, José da Câmara, José Quaresma, Paulo Parreira, Pedro Calado, Pedro Galveias, Pedro Pereira, Raquel Tavares, Rodrigo Figueira, Ricardo Parreira, Ricardo Ribeiro, Rui Vaz, Sangre Ibérico José Gonçalez, Sara Correia, Silvino Sardo, e Vânia Duarte.

Fonte: http://www.portaldofado.net/content/view/3735/87/lang,pt/

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Festival de Pardinhas 6 e 7 de agosto. BASENAME: festival-de-pardinhas-6-e DATE: Mon, 18 Jul 2016 10:09:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Mádia Leva! voltará este ano ao melhor festival galego do verao, promovido por Xermolos.

<
<
----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Um intelectual para um povo: o galego! A Fundaçom Artábria fem reconhecimento da figura intelectual de Agustín Fernández Paz BASENAME: um-intelectual-para-um-povo DATE: Tue, 12 Jul 2016 14:48:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Língua CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Todo povo que aspira à liberdade coletiva plena precisa de muitos recursos de todo o tipo postos ao serviço do horizonte comum de liberdade. Dentre todos eles, um nada desprezível é a existência palpável de um coletivo intelectual fiel à causa, que pense e trabalhe por ela nos mais diversos campos das artes e das ciências.

A Galiza acaba de perder um representante desse intelectual coletivo que aposta no País num ámbito tam importante como é a cultura, especialmente a língua e a literatura e, dentro dela, a dirigida às galegas e galegos mais novos.

Poderíamos lembrar a sua ampla obra literária, premiada e traduzida a numerosas línguas, assim como a sua de trajetória de serviço incondicional à língua e ao País, expressado na sua participaçom em numerosas iniciativas cívicas nascidas do seio deste povo.

Porém, queremos destacar neste dia a dignidade com que rejeitou o "Prémio Cultura Galega das Letras", atribuído pola Junta do PP no ano 2010. Todo um exemplo de firmeza na defesa coerente de uns valores frente ao poder, situando a defesa da língua e da cultura por cima de qualquer veleidade narcisista que implicasse o reconhecimento de um poder explicitamente inimigo do País.

Quando vemos tanta intelectualidade ao serviço direto ou indireto desse mesmo poder oposto à construçom da Galiza, da sua cultura e da sua língua, é o momento de reivindicar com o orgulho o exemplo do intelectual que se situa incondicionalmente ao serviço do seu povo.

A homenagem e reconhecimento de todas e todos os que formamos a Fundaçom Artábria é hoje para Agustín Fernández Paz.

Ferrol, Galiza, 12 de julho de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Pronta a revista Nº 22 de julho, agosto e setembro 2016 BASENAME: pronta-a-revista-n-22 DATE: Thu, 07 Jul 2016 12:41:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
<
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Centro social no verao BASENAME: centro-social-no-verao DATE: Thu, 07 Jul 2016 12:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nos meses de julho e agosto nom abriremos o centro social co horário habitual. Mantem-se algum curso e mais abriremos em ocasons para asembleias e atividades. Se desejas contatar com nós para algo relacionado co local fai-no no nosso mail ou no facebook.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Concerto íntimo de Davide Salvado BASENAME: concerto-intimo-de-davide-salvado DATE: Thu, 07 Jul 2016 08:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Julho 2016

De hoje nuns dias, sábado 16, Davide Salvado cantará no nosso local. Podedes conseguir as entradas previamente passando polo Centro Social até ao dia antes. O preço é de 5?, 3? para pessoas sócias.

O cantor galego ia vir há dous meses, mas umha doença provocou a cancelaçom do evento a última hora.

Será umha noite fantástica na casa d@s independentistas galeg@s na Corunha. Vem-te!

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "Na rua dos meus ciúmes" (versões) BASENAME: na-rua-dos-meus-ciumes DATE: Tue, 05 Jul 2016 09:05:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Helena Tavares

Ada de Castro

Lenita Gentil

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: A cabeça nom para! Mês de julho na Fundaçom Artábria BASENAME: a-cabeca-nom-para-mes DATE: Sun, 03 Jul 2016 17:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: Roteiros CATEGORY: Teatro e conta-contos TAGS: ----- BODY:

Já passou meio ano e começamos os 6 meses que ficam para finalizar 2016 com umha variada programaçom de ócio alternativo em galego.

Eis um pequeno petisco do que temos preparado até o mês de dezembro.

Começamos as atividades de julho, na sexta-feira 1, com a inauguraçom às 21h da exposiçom da jovem artista ferrolana Névia Lamas. A exposiçom de desenhos em aguarela poderá ser visitada até dia 30.

No sábado 9, conheceremos um pouco mais a nossa ria com um roteiro que sairá às 10.30h do Peirao de Corujeiras para chegar aproximadamente 14 km depois ao Monte Ventoso. O roteiro tem umha dificuldade média-baixa e contará com as explicaçons de Ernesto Lopes "Nês", membro de ADEGA e Joám Lopes, licenciado em história pola UNED e Guia turístico da Galiza.

Na sexta-feira 15, chega a V ediçom do Concurso Ártabro de Elaboraçom de Tortilha de Patacas. As bases para participar estám no nosso web.

Queres saber como participar?

É muito fácil: preparar umha tortilha de tamanho médio (Entre 20 e 25 cm de diámetro) que, obrigatoriamente, deverá incluir ovos e patacas, e trazê-la entre as 19.00 e 21.00 à Fundaçom Artábria na sexta-feira 15 de julho.

Poderá participar qualquer pessoa.

Podes acrescentar, se assim o desejares, os teus ingredientes secretos ou favoritos à base de ovos+patacas, para conseguir a melhor tortilha do concurso.
Cada concorrente apresentará umha só tortilha.

O júri popular avaliará o sabor, a criatividade, a grossura, a originalidade e a apresentaçom da mesma.
Cada tortilha será identificada com um número que se anotará no exterior dum envelope fechado, em cujo interior figurará a folha de inscriçom (nome da ou do concorrente, apelidos, correio-e, telefone)

A decisom do júri fai-se pública no fim da degustaçom das tortilhas.

O júri será composto polas pessoas que assim o desejarem, pagando umha inscriçom de 3 euros, que lhe permitirá degustar todas as tortilhas apresentadas.

No sábado 16, haverá um Atelier de sabom artesanal ministrado por Matilde Ramos. O atelier terá umha duraçom de aproximandamente 4 horas e a inscriçom é de 20 euros ou 15 para as pessoas associadas à Fundaçom Artábria. O preço inclui os materiais utilizados durante o curso e um manual com a teoria precisa para fabricar sabons.

O objetivo do atelier é proporcionar os conhecimentos básicos para elaborar sabons com a ténica de "processo em frio", para o corpo, chao e máquina de lavar.

No mesmo sábado, às 22.30h, chegadas de Portugal e de tourné pola Galiza, subirám ao cenário da Fundaçom Artábria "Adufe e Alguidar". Sete vozes dam corpo a um projeto de canto e percussom que atravessa simbologias e tradiçons com ritmos de adufe e outros instrumentos, onde experimentar é sempre um convite. O adufe - instrumento musical de origem árabe - é o seu meio de viagem, qual roda quadrada, que ajudado por outros companheiros sonoros as leva até onde estivérem dispostas a ir. Tenhem no alguidar -peça de origem árabe que serve habitualmente para lavar ou amassar- a metáfora da reativaçom, reinvençom e mistura de sonoridades. A entrada é de graça e a atividade é em parceria com a Associação Cultural o Beco da Língua.

Na sexta-feira 22, Titeres Cascanueces, traz a obra para crianças "Barriga verde e o moinho da névoa" baseada na peça Barriga Verde de Manuel María. A entrada é de graça e está recomendado para maiores de 3 anos.

Barriga Verde vai de lugar em lugar e de feira em feira com a sua barraca cheia de cousas para fazer rir. E para fazer pensar. Monicreques, guitarras, pandeiros e gaitas. Desde umha avestruz até o mesmíssimo Titanic. A sua próxima funçom vai ser no Moinho da Névoa.

No sábado, 23 de julho, decorrerá no nosso Centro Social a festa do Dia da Pátria, que terá lugar o próximo 25 de julho. Haverá grelhada popular e música tradicional.

Aproveitamos para informar-vos que o nosso Centro Social permanecerá fechado o 25 de julho, Dia da Pátria.

A Fundaçom Artábria trabalha para que o nosso país esteja no lugar que lhe corresponde no espaço europeu e aportamos o nosso pequeno grao de areia na construçom nacional da Galiza, é por isso que apelamos a:

1.- Secundar ativamente todas aquelas iniciativas patrióticas promovidas nos próximos dias ao longo da Naçom que reclamem a soberania e a independência nacional da Galiza.

2.- Pendurar nas varandas, janelas, fachadas de casas e vivendas da nossa base social a bandeira da Galiza.

Fecharemos o mês de julho, sábado 30, com um novo concerto. Desta volta serám os Labregos do Tempo dos Sputniks os que visitarám o Centro Social para apresentar o seu trabalho "Libremente".

Este projeto musical integra o trabalho de O Leo i Arremecághona, García de Dios Ke te Crew e Lydia Botana de Lydia Boltereta.

O concerto iniciará às 22.30hs e o preço do bilhete é de 3 euros, 2 euros para as pessoas associadas.

Aproveitamos para informar os novos horários do Centro Social este verao. Polas manhás de segunda a sexta-feira de 11h a 14h e pola tarde de 19h a feche. Sábados de julho de 19h a feche. Em agosto fechamos os sábados.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Ana Moura: "Até o verão" BASENAME: ana-moura-ate-o-verao DATE: Wed, 29 Jun 2016 11:33:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://www.anamoura.com.pt/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Curso básico de galego (normativa reintegracionista) ministrado por Maurício Castro BASENAME: curso-basico-de-galego-normativa DATE: Tue, 28 Jun 2016 20:46:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Fundaçom Artábria oferta um curso básico de galego (em normativa reintegracionista) de 9 horas de duraçomo. O curso, cuja inscriçom está aberta, será ministrado polo professor Maurício Castro e decorrerá todas as sextas-feiras de julho e agosto de 12h a 13h.

O preço do curso é de 10 euros/mês e de graça para as pessoas associadas à Fundaçom Artábria.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Palestra de John Thompson: Pinta Passado, Cria Futuro: Um projeto de memória histórica e muralismo em Fene BASENAME: palestra-de-john-thompson-pinta DATE: Tue, 28 Jun 2016 19:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Palestras e debates CATEGORY: Local Social CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: Movimentos sociais TAGS: ----- BODY:

Amanhã, quarta-feira 29 de junho, às 20.30hs contaremos no nosso centro social com o hispanista John Thompson que nos apresentará o seu projeto: Pinta Pasado, Crea Futuro: Un proxecto de memoria histórica e muralismo en Fene.

Pinta Pasado, Crea Futuro: Un proxecto de memoria histórica e muralismo en Fene é um projeto que tem como finalidade involucrar à mocidade na recuperaçom da memória histórica por meio da exposiçom e dialogo para além da criaçom artística com a elaboçom dum mural coletivo.

John Patrick Thompson nasceu em Montana, Estados Unidos em 1971. É Doutor pola Universidade de Michigan e Professor Titular do Departamento de Línguas Modernas da Universidade de Montana. Como investigador tem trabalhado sobre a memória da Segunda República Espanhola e da ditadura fascista e a sua representaçom na narrativa galega. Publicou na Editorial Galaxia o livro 'As novelas da memoria. Trauma e representación da historia na Galiza contemporánea'. Elaborou também um completo censo dos monumentos às vitimas do franquismo que se erguerom em diferentes pontos da Galiza. Agora traz-nos um projeto inovador que procura a participaçom das jovens na apropriaçom da memória histórica. A sua iniciativa coneta com a arte chicana de Judith Baca, com os muralistas mexicanos Rivera, Siqueiros e Orozco, e também com a experiencia de 'Mar e ferro' que se desenvolveu em Sam Valentim em 2014.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Jantar de Irmandade BASENAME: jantar-de-irmandade-2 DATE: Sun, 26 Jun 2016 12:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
<

O vindeiro dia 2 de julho celebra-se mais umha ediçom do festival da Chaira na Pastoriza. Nesse marco é que todos o anos vimos fazendo o nosso jantar de irmandade prévio ao Dia da Pátria Galega. Este ano vem algo adiantado, polo troco de data do festival, mas por umha parte melhor para colher folgos com tempo de cara o dia da Pátria e começar umha campanha de difusom dos ideias patrióticos e independentistas.
Nom renunciamos à Pátria Galega, vemo-nos na Chaira.

Ide fazendo reserva antes do dia 30 de junho para poder organizar.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Chegou o Sam Joám. Chegou o solstício. BASENAME: chegou-o-sam-joam-chegou DATE: Tue, 21 Jun 2016 08:34:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Junho 2016

Ainda que nom sabemos, como a imensa maioria d@s corunheses/as, quem é ou foi o tal Santo Joám, sim sabemos que nestas datas cai a noite mais curta do ano. O que oficialmente se considera começo do verao, a estaçom do ano mais calorosa, festiva e luminosa.

Ao longo destes mais de 8 anos de trabalho como comunistas, feministas e independentistas galeg@s, temos colocado esta festa local e nacional como mais umha, mas sem dúvida especial, do nosso calendário lúdico.

E este ano repetimos, como nom. Como em 2015, teremos chouriços, carne, peixe, música, bebida... todo pronto para que podades passar-vos por um dos bairros mais autênticos na celebraçom desta festividade.

Sem sardinha ou com ela, sem Sam Joám ou com ele, haverá som brasas, espinhas, ossos, e umha boa "monha" se nom previndes à hora de beber.

A divertir-se!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Lume novo 2016 BASENAME: lume-novo-2016 DATE: Fri, 17 Jun 2016 07:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Olho que este ano muda de lugar. Será junto à Escola de Idiomas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: As Irmandades da Fala e O Facho por José Mª Monterroso Devesa BASENAME: as-irmandades-da-fala-e DATE: Tue, 14 Jun 2016 14:24:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Prema Full Story e nas 3 fotos para agrandar

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Santo António de Lisboa BASENAME: santo-antonio-de-lisboa-1 DATE: Mon, 13 Jun 2016 13:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

https://www.youtube.com/watch?v=_hNrisdufXU&list=RD_hNrisdufXU&index=1

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Manuel María e O Facho por José Mª Monterroso Devesa BASENAME: manuel-maria-e-o-facho DATE: Mon, 13 Jun 2016 08:47:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Prema na foto

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Duas atividades sinaladas para este sábado BASENAME: duas-atividades-sinaladas-para-este DATE: Fri, 10 Jun 2016 17:39:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá sábado 11 de junho há dous atos aos que desde Mádia Leva! animamos a participar.
Por umha parte a Plataforma Lugo Cara o Minho realiza umha dj session em defesa do Minho.
Por outra a Semente Lugo, celebra no Campo da Festa de Santa Comba em Lugo (na estrada de Lugo-Sarria) umha nova atividade com merenda, jogos circenses para crianças e o concerto de Ce Orquesta Pantasma.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Apresentaçom 'Imperialismo, fase superior do capitalismo' esta sexta-feira. BASENAME: apresentacom-imperialismo-fase-superior-do DATE: Fri, 10 Jun 2016 11:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O Coletivo Editor do Diário Liberdade apresentará no CS Mádia Leva! de Lugo a versom em galego-português da histórica obra, escrita por Vladimir Ilitch Ulianov Lenine em 1916, mas conservando umha vigência renovada e atualizada nesta ediçom num prólogo com perspetiva contemporánea e galega.

A obra será apresentada por Maurício Castro, lingüista e representante da editora, e por Joám Lopes, licenciado em História. Falarám sobre o contexto em que a obra foi escrita e como ela encaixa na realidade do ano 2016, para além de tratar pormenores específicos sobre a ediçom apresentada, que contém aliás ilustraçons artísticas coloridas.

A obra já foi apresentada na Corunha, Ferrol e Compostela, e agora visita Lugo num ato organizado polo Diário Liberdade, Mádia Leva! e Briga.

O ato será na sexta-feira dia 10 de junho polas 20h00.

'O Imperialismo, fase superior do capitalismo' fai cem anos em 2016. Comemorando a data, o Diário Liberdade acabou de publicar umha ediçom galega ilustrada que renova a vigência do clássico e que está disponível na loja online do Diário Liberdade e em diferentes livrarias e centros sociais do país.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Pendura a nossa bandeira pola República Galega. BASENAME: pendura-a-nossa-bandeira-pola DATE: Thu, 09 Jun 2016 14:19:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O 25 de junho é o aniversário da I República Galega.
A Primeira República Galega foi uma passagem na nossa história que teve lugar em junho de 1931.O dia 27 , um dia antes das eleiçons às Cortes Constituintes da II República Espanhola, ativistas compostelanos como Pedro Campos Couceiro ou Alonso Ríos, declararam que a soluçom para os problemas da Galiza nom iriam cessar numha República Espanhola senom optando pola criaçom da I República Galega.
Os feitos começam na madrugada do dia 25 de junho em Ourense quando tem lugar a primeira proclamaçom logo dumha manifestaçom em protesto pela paralisaçom das obras da ferrovia Corunha- Ourense-Zamora. Esta decisom tomada desde Madrid deixava sem trabalho 12000 obreiros galegos. Ocupa-se a cámara municipal, ergue-se a bandeira da Galiza e proclama-se a República Galega. O 28 de junho retomam-se as obras do caminho de ferro impedindo que a insurreiçom se espalhe por todo o país.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mês da Língua.Foliada das Letras BASENAME: mes-da-lingua-palestra-sobre DATE: Tue, 07 Jun 2016 13:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta quinta-feira desde às 21h30 faremos a Foliada das Letras, despedida das jornadas do Mês da Língua com festa e música.

Sentimos comunicar que a charla sobre títere galego na que iam falar da Asociación Viravolta fica suspendida. Agardamos poder fazer esta atividade mais adiante.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cineclube. A mae a a puta. BASENAME: cineclube-a-mae-a-a DATE: Fri, 03 Jun 2016 11:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira às 21h30 último filme da temporada, incluído no ciclo dedicado à revoluçom de abril e maio do 68

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Chegamos ao mês de junho com completo programa de atividades BASENAME: chegamos-ao-mes-de-junho DATE: Thu, 02 Jun 2016 14:46:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Concertos CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: Movimentos sociais TAGS: ----- BODY:

Deixamos atrás o mês das Letras e encetamos junho com um completo programa de atividades.

Mais umha vez, tentamos diversificar as atividades e oferecer umha alternativa mais de ócio na cidade. Gastronomia, solidariedade internacionalista, música, atividades para crianças, exposiçons... estarám presentes no programa do mês que dá início.

A primeira das atividades será a próxima sexta-feira, 3 de junho, quando Marcos Abalde apresentará o livro editado pola Semente Trasancos "A Escola das Irmandades da Fala". O ato começa às 20.30hs.

No dia 4, sábado, o grupo local Kozmic Blues vai trazer-nos o seu primeiro trabalho "premonition". Kozmic Blues, formado por Elisa Sánchez e Andrés Toimil pratica um "rock com destelhos de folc-rock ianque dos 70 e 90. Misturando umha voz potente e em ocasions sussurrante que traz à mente cantoras como Janis Joplin, Grace Slick ou Pj Harvey, com umha guitarra com ritmos frenéticos e punzantes". O concerto está programado para as 23.00hs e a entrada livre.

No dia 10 de junho, sexta-feira, decorrerám, coincidindo com o Dia de Portugal no país vizinho, o Dia Tuga. A jornada, organizada em parcereia com o Beco da Língua, começará às 19.30 com a apresentaçom do último livro de Carlos Quiroga editado por Através Editora: "A imagem de Portugal na Galiza".

Às 20.30, haverá umha grelhada ao estilo português. Poderemos degustar sardinhas, carapaus e alheiras a preços populares.

Às 22.00hs, Sérgio Tannus Trio porá trilha sonora a esta jornada lusófona, com um concerto gratuíto. Ao finalizar o mesmo, haverá umha Jam Session. Nom duvides e traz o teu instrumento.

Sábado 11, decorrerá um Atelier infantil de manualidades criativas da mao de Lara Soto. O atelier está programado para as 19hs00. É preciso inscriçom prévia, a qual é gratuita e haverá um máximo de 15 vagas. Podes inscrever-te no correio-e correiodeartabria@gmail.com ou no telefone 671 200 160.

No mesmo dia, às 20.30hs @s companheir@s de Xiralúa Artesania e Desenho apresentarám a exposiçom de desenhos "Rexurdir para vivir" que estará disponível desde o 6 até o 30 de junho.

Na sexta-feira 17 projetaremos o documentário da autoria de Antón Rodríguez Fernández "Vieiros de Esperanza", que trata sobre a figura do ilustre ferrolano Ricardo Carvalho Calero. A projeçom começará às 20.30hs e contaremos na mesma com o realizador do documentário.

Davide Salvado, umha das vozes mais carismáticas do nosso país, estará o próximo sábado 18 no cenário do nosso Centro Social apresentando o seu último trabalho em solitário: "Lobos". O concerto começará às 22.30hs e a entrada é de 4 euros, 2 euros para pessoas associadas à Fundaçom Artábria. O bilhete também estará disponível em venda antecipada no café-bar do Centro Social, a um preço de 2 euros.

Após o concerto haverá foliada, anima-te e traz o teu instrumento.

Já no 23 de junho, chega umha das jornadas clássicas do início do verao: A noite das lumeiradas. Como é habitual, celebraremos a chegada do solstício de verao com umha grelhada popular em Esteiro, na Travessa de Batalhons.

No sábado 25, temos um encontro com a solidariedade internacionalista. Ferrol e, concretamente, a Fundaçom Artábria foi o local escolhido para o "Punk for west Papua International 2016", um evento solidário que decorrerá no mesmo dia em outras cidades do mundo, como Sidney ou Melbourne.
Chris Masuak & The Viveiro Wave Riders, Bang74 e Klute atuarám no nosso Centro Social para angariar fundos e despertar as consciências de umha Papua Ocidental livre.

O concerto começara às 22.00hs e a entrada é à vontade, disponibilizando vários petos no local para aquelas pessoas que quigerem colaborar com o seu contributo.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Projeçom de FIOS FORA BASENAME: projecom-de-fios-fora DATE: Tue, 31 May 2016 22:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Junho 2016

FIOS FORA é um documentário realizado polo coletivo ILLA BUFARDA cujo sucesso nom deixa de surpreender as próprias criadoras do mesmo.

O documentário achega-se da história da indústria têxtil galega, abrindo o novelo e estendendo-se num percurso temporário até à globalizada rede de exploraçom capitalista contemporánea.

Recomendamos-vos aproveitar a sua projeçom gratuita para passar polo local da Rua Marcóni e começar umha noitinha veraniega que se anuncia para esta-feira às 20h30.

http://fiosfora.gal/

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! em Verim BASENAME: ops-em-verim DATE: Tue, 31 May 2016 13:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No passado 9 de maio, o professor Henrique Martins deslocou-se a Verim para ministrar um obradoiro OPS! 'O português simples' aos alunos e alunas de 4º da ESO do IES Xesús Taboada Chivite.

Assim relata a experiência uma aluna assistente ao ateliê.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! em S. Sadurninho BASENAME: ops-em-s-sadurninho DATE: Tue, 31 May 2016 09:33:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Em 31 de março, a professora Loaira Martínez Rey esteve no CPI de San Sadurninho onde ministrou um ateliê OPS! 'O português simples' ao alunado do 4º curso da ESO.

Os 26 alunos a alunas assistentes ao obradoiro aprenderam que as palavras e as letras podem ser lidas de diferentes maneiras e que, partindo dos seus conhecimentos prévios como utentes da língua galega, é muito fácil mergulhar no mundo em português.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Concerto solidário com a Papua Ocidental com Klute, Bang74 e Chris Masuak BASENAME: concerto-solidario-com-a-papua DATE: Mon, 30 May 2016 19:16:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Chris Masuak & The Viveiro Wave Riders, Bang74 e Klute actuarám na Fundaçom Artábria no sábado 25 de junho para Punks For West Papua, um movimento internacional que tem como objetivo angariar fundos e despertar as consciências dumha Papua Ocidental livre.

O genocídio da gente de Papua Ocidental a maos do exército indonésio é um dos mais tristes, mas raramente informados dramas dos nossos tempos. Situada ás portas de Australia, a provincia de Papua Ocidental é umha terra de incalculáveis riquezas que em 1969 foi seqüestrada com umhas violentas e manipuladas eleiçons por parte da Indonésia.

Com a ajuda da Austrália, dos EUA e Naçons Unidas, o exército indonésio assassinou mais de meio milhom de indígenas de Papua Ocidental durante estes anos, todo em nome dumha montanha de ouro. Todo isto mantido em segredo, pola proibiçom de entrada de jornalistas e de ajuda externa.

O choro do povo de Papua Ocidental é desatendido desde há uns cinqüenta anos. Mas a música punk berra alto, muito alto!

E agora, músicos galegos somam o seu apoio ao movimento.

O premiado documentário sobre este movimento, Punks For West Papua, conta a verdadeira história de como as Naçons Unidas atraiçoou o povo de Papua Ocidental e como Jody Bartola, um músico australiano, se inspirou para criar este movimento histórico para ajudar estranhos em terra estrangeira.

Recomenda-se ver este filme nom só aos amantes do punk rock, mas a todas aquelas pessoas que acreditarem na justiça.

Punks For West Papua está disponível para a descarga e os fundos angariados serám destinados ao Movimento Unido de Liberaçom de Papua Ocidental (ULMWP).

www.punks4westpapua.com

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Intervençom do nosso companheiro Vitor Santalha na homenagem a Carvalho Calero no XXVI Aniversário do seu passamento BASENAME: intervencom-do-nosso-companheiro-vitor DATE: Mon, 30 May 2016 18:59:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Documentos CATEGORY: Língua TAGS: ----- BODY:

Mais vale tarde que nunca! Reproduzimos intervençom do companheiro Vitor Santalha, em representaçom da Diretiva da Fundaçom Artábria, na homenagem a Carvalho Calero no XXVI Aniversário do seu passamento.

Boa tarde a todas e todos, da Fundaçom Artábria, obrigadas por estardes aqui.
Ontem completarom-se vinte e seis anos do passamento de Ricardo Carvalho Calero e mais umha vez, da nossa entidade, reservamos um bocado de tempo para estar aqui rendindo homenagem a este ferrolano ilustre e vulto da nossa cultura.

Acho que pouco mais se pode dizer e quase nem é necessário defender o velho professor no tocante à sua criaçom, a sua obra e legado tenhem umha fácil defesa em si própias.
Apesar de que ninguém pode negar o valor do seu trabalho científico e literário, a sua atividade continua mesmo desconhecida para o grande público.
O estado do bairro em geral e esta vivenda em particular pode servir como prova do desleixo das autoridades de todo tipo e cor polo nosso património e pola figura de Carvalho Calero.

Homenageamos também o seu compromisso e a sua vocaçom de serviço desinteressado à construçom nacional. Dedicaçom de muitos anos de trabalho silenciada polas instituiçons dominantes. Para as quais, os postulados do professor Carvalho representavam umha presença incómoda. As suas premissas nom eram, nem serám, compatíveis com o estreito e regulado marco previsto para a nossa língua.

Mentar Carvalho é mesmo um ato transgressor.

Ano após ano, e mais de trinta depois da aprovaçom da Lei de Normalizaçom Lingüística, a nossa língua vai sumindo na Galiza e mais em concreto na nossa cidade onde a situaçom é particularmente dramática, as pessoas que empregamos o galego como língua habitual nom chegamos ao 7% da populaçom, segundo um inquérito de 2013, a percentagem mais baixa das 7 cidades do País.

Este é um outro motivo para reafirmamo-nos dizendo que o caminho marcado por Carvalho, cremos, era e é o correto. O caminho da unidade lingüística galego-portuguesa, a imersom linguística, que nom implica, em palavras de Carvalho "...a expulsom insensata do castelhano nem de ningumha outra língua do nosso País" como outras pretendem fazer crer.

'O bilingüísmo é um enriquecimento pessoal, umha realidade cultural hoje imprescindível; mas, que um povo seja bilíngue é umha situaçom de desorde, anti-higiénica e anti-económica'. A realidade é que, como bem dizia Carvalho: 'O bilinguismo acaba sempre na monarquia daquela das duas línguas com maior potência social'. Portanto o uso igualitário é umha utopia.

Da nossa entidade, a qual nasce em grande parte para continuar com o legado deixado por Carvalho, continuaremos trabalhando na direçom marcada polo velho professor, dedicando especiais esforços na divulgaçom da sua obra e teses com ou sem Dia das Letras já que nom seremos nós as que lhe demos legitimidade ao stablishment cultural para impor o que tem de ser lembrado e o que pode ser esquecido.

Na Galiza em galego!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mês da Língua. Palestra: Língua e educaçom com Semente Lugo e Antonio Gandoy esta quinta. BASENAME: mes-da-lingua-palestra-lingua DATE: Mon, 30 May 2016 07:00:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta quinta-feira, dia 2 de junho, às 20h30 dentro do Mês da Língua organizamos umha palestra-debate sobre língua e educaçom. Falarám representantes da Asociación Socio-educativa Antonio Gandoy -Preescolar na Casa e de Escolas de Ensino Galego Semente de Lugo.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Morreu Vicente da Câmara (28.V.2016) BASENAME: morreu-vicente-da-camara-28 DATE: Sun, 29 May 2016 07:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


1928-2016
Morreu o fadista Vicente da Câmara

Vicente da Câmara tinha um percurso artístico com mais de 60 anos Foto: Leonardo Negrão/Global Imagens http://static.globalnoticias.pt/jn/image.aspx?type=generate&name=big&id=5197428&source=&w=744&h=495&t=20160528155600>

28 Maio 2016 às 15:52

O fadista Vicente da Câmara morreu esta manhã de sábado, em Lisboa, disse o filho, José da Câmara.

Vicente da Câmara, com 88 anos, sobrinho da fadista Maria Teresa de Noronha, tornou-se conhecido, entre outros êxitos, pelo fado "A moda das tranças pretas".

O velório do fadista, que nasceu em Lisboa, no seio de uma família aristocrática, realiza-se este sábado a partir das 16 horas, na Igreja da Graça, onde será celebrada missa, disse a mesma fonte.

O funeral sai no domingo às 15.30 horas da Igreja da Graça em direção ao cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

Entre outros prémios, Vicente da Câmara foi distinguido em 2013 com o Prémio Amália Rodrigues Carreira e tinha um percurso artístico com mais de 60 anos, que iniciou na extinta Emissora Nacional.

Em 1948, incentivado pela tia, concorreu a um concurso da então Emissora Nacional. A vitória no concurso radiofónico, que no ano anterior tinha sido conquistada por Júlia Barroso, deu-lhe o passaporte para atuar aos microfones da rádio oficial em programas de grande popularidade, como "Serão para trabalhadores".

O fado "A moda das tranças pretas" que o celebrizou foi composto na década de 1950, quando assinou o primeiro contrato discográfico para a Valentim de Carvalho. Gravou, em 78 rpm, temas como "Fado das Caldas", "Uma oração", "Varina" (de sua autoria) ou "Os teus olhos", com uma letra sua.

Do seu repertório constam ainda temas como "Sino", de sua autoria, "As cordas de uma guitarra" ou "Outono", com letra de seu pai, "Triste mar", "Maldição" e "Menina de uma só trança".

O seu percurso inclui outros fados como "Fado Lopes", "Era mais que simpatia", "Milagre de St.º António", "Fado do Pão-de-Ló", ou "Fado do João", "Guitarra soluçante", "O fado antigo é meu amigo" e "Há saudades toda a vida".

Em 1964 estreou-se no cinema, em "A última pega", de Constantino Esteves, protagonizado por Fernando Farinha, no apogeu da carreira, e contracenando com Leónia Mendes, Júlia Buisel e José Ganhão.

Voltou ao cinema em 2007, sob a direção de Carlos Saura, em "Fados", e ao lado de Carminho, Ricardo Ribeiro, Mariza, Camané e Carlos do Carmo, entre outros.

O fadista, um dos fundadores da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado (APAF), integrou o elenco do espetáculo de inauguração do Museu do Fado, em 1998. Atuou na Alemanha, Luxemburgo, França, Espanha, Países Baixos, Canadá, África do Sul, Macau, Hong Kong, Coreia do Sul, Malásia, Brasil, Moçambique e Angola.

Em 1993, gravou com José da Câmara e Nuno da Câmara Pereira o CD "Tradição" (EMI/VC), em homenagem à tia Maria Teresa de Noronha.

"O rio que nos viu nascer" (2006) é o mais recente álbum de Vicente da Câmara (Ovação).

http://www.jn.pt/cultura/interior/morreu-o-fadista-vicente-da-camara-5197428.html

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Acto de entrega dos prémios literários 2016 BASENAME: entrega-dos-premios DATE: Sat, 28 May 2016 13:37:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 27 de Maio, no local de Portas Ártabras realizou-se a entrega dos Prémios Literários d'O Facho: a) Poesia, b)Teatro Infantil e c) Contos de Nenos para Nenos, que contárom com a doaçom de livros das editoras: Casa Hamlet, Ediçons Xerais, Sotelo Branco, Editorial Galaxia, e Editorial Toxos Outos; as quais expressamos a nossa gratitude. Assim mesmo houvo a oportunidade de escuitar um precioso Duo de violino e violoncelo, polas alunas do Conservatório Profissional de Música da Corunha: Ana Garcia Fernández, violinista; e Sará López Pan, violoncelista, alunas do professor Fernando Ramón.

Na ocasiom estivérom presentes para outorgar os prémios ao seleccionados, os membros dos júris: Manuel Lourenço, Lucía de Fraga, e Mar Hermida , que elogiárom as obras premiadas assim como aos seus autores.

Posteriormente houvo umha refeiçom na que participárom os premiados com as suas famílias.

Prema no enlace pra ver as fotos
https://archive.org/compress/FotosContos2016/formats=JPEG&file=/FotosContos2016.zip

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: O 4 de junho move-te contra Ence! BASENAME: o-4-de-junho-move DATE: Tue, 24 May 2016 22:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Da Associaçom Cultural Amig@s da Cultura, como entidade integrante da plataforma Ence fora para sempre, fazemos um chamamento à participaçom na manifestaçom contra o complexo Ence-Elnosa que decorrerá o sábado 4 de junho. A marcha sairá às 19:30h das Alamedas de Ponte Vedra e Marim e finalizará diante das instalaçons destas indústrias contaminantes.

Ainda estamos a tempo de reverter a cacicada perpetrada polo binómio PP-Ence com a concessom de umha prórroga de 60 anos a Ence. A mobilizaçom popular de todo o País tem que ser quem de evitar esta condena para a nossa comarca e para toda a Galiza.

Contra a eucaliptizaçom da Galiza!
Polo saneamento integral da Ria!
ENCE FORA PARA SEMPRE!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Entrega dos prémios literários BASENAME: o-facho-entrega-dos-premios DATE: Mon, 23 May 2016 17:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Entrega dos Prémios Literários Maio 2016

Convidamos-vos assistir à entrega dos prémios dos prémios literários convocados pola nossa Agrupaçom. O evento celebrara-se o vindouro dia 27 do mês que corre, às 7 p.m., em Portas Ártabras, rua Sinagoga nº 22, Cidade Velha.

Concurso de Poesia

Deserto. O júri considerou que as obras apresentadas nom acadavam a qualidade precisa.

Concurso de Contos de nenos para nenos

Premios da Categoría A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos):

Primeiro premio: ?Amina? de María Carballo Rodríguez
Segundo premio: ?Alá no Bosque? de Antía Mouriño García

Premios da categoría B. (Rapaces e rapazas de 13 a 16 anos):

Primeiro premio: ?Cento Dezaseis? de Alba Pérez Barcala
Segundo premio: ?Cifras? de Alba Pose Castro

Concurso de Teatro Infantil
Premio à obra: ?O castelo de Pena Redonda, o máis tolo da contorna? de Celia Díaz Núñez

Assim mesmo teremos a oportunidade de escuitar um precioso Duo de violino e violoncelo, sendo as suas interpretes: Ana Garcia Fernández, violinista; e Sará López Pan, violoncelista, alunas do professor Fernando Ramón. Este é o programa que interpretarám, de entre 15 e 20 minutos, que inclui duas peças para violino e violoncelo, umha para violoncelo a só, e outra para violino a só.

Duo de violino e violoncelo:
Concertino per camera op. 4 G. Torelli
I. Preludio ? Adagio II. Allegro III. Allegro
Violoncelo a só
Suite em Re mBWV 1008 J. S. Bach
Violino a só
Fantasia nº 9 G. F. Telemann
Duo de violino e violoncelo:
Trois morceaux op.39 R. Glière
I. Prèlude II. Gavotte III Berceuse

Corunha, 23 de Maio do 2016


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mês da Língua. Homenagem a Manuel Maria em Castro de Rei. BASENAME: mes-da-lingua-homenagem-a DATE: Mon, 23 May 2016 14:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O vindeiro sábado 28 de maio celebrará-se umha homenagem popular ao poeta Manuel Maria na area recreativa do rio Azumara em Castro de Rei. Esta iniciativa organizamo-la entre distintos colectivos e associaçons, a maior parte delas da Terra Cha. E a esta federaçom de associaçons chamou-se-lhe aFeAs.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: A chuva acompanhou-nos no roteiro urbano dos 100 anos das Irmandades da Fala BASENAME: a-chuva-acompanhou-nos-no DATE: Sun, 22 May 2016 11:17:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ao invés do que algumhas instituiçons, a Fundaçom Artábria nom podia deixar passar este 1º Centenário da fundaçom da primeira Irmandade da Fala, criada em 1916 na Corunha. Por isso, organizamos para este 21 de maio um roteiro urbano guiado polo historiador, guia turístico e sócio da nossa entidade, Joám Lopes.

A intensa chuva que caiu sem cessar durante toda a tarde nom impediu que quase trinta pessoas participássemos no percurso cultural, com saída do coreto do Cantom de Molins, onde o companheiro Joám salientou a importáncia que para o nosso país tem esta efeméride.

Com efeito, a criaçom das Irmandades da Fala supugérom à maturidade do movimento pola liberdade nacional e pola plena recuperaçom do galego como língua da Galiza, sendo Ferrol um dos centros nevrálgicos das suas atividades até o golpe fascista de 36.

A segunda paragem foi abaixo das arcadas do monumental Teatro Jofre, onde a companheira Pim Patinho explicou o papel pedagógico, artístico e nacionalizador da atividade dramática por parte da geraçom das Irmandades. Aí saírom os nomes do gigante Jaime Quintanilha, e doutros autores como Charlom e Ermida.

A reivindicaçom do labor realizado por aquela geraçom, e a lembrança do assassinato e desaparecimento de muitos dos seus protagonistas, a maos da barbárie fascista espanhola, acompanhou a marcha sob a chuva polas ruas do centro de Ferrol.

A visita guiada ao local do Coro Toxos e Froles serviu-nos para conhecermos um pouco melhor a atividade e o património de umha entidade referencial em Ferrol e na Galiza, com etapas de luzes e sombras, mas pola qual passárom nom poucos nacionalistas e independentistas dos anos das Irmandades, como o próprio Quintanilha.

A companheira Rosalia Cortiças falou na seguinte paragem, de regresso ao Cantom, da experiência das Escolas de Ensino Galego, mais um projeto nacionalizador do também represaliado Ánxel Casal, e das atuais Escolas Semente que reivindicam aquele legado para a galeguizaçom efetiva das crianças galegas.

Umha homenagem a Camilo Dias Balinho, ao pé do seu busto na alameda do Cantom, completou o roteiro cultural. Dias Balinho, artista gráfico, pintor, cenógrafo e nacionalista galego, foi mais um da longa lista de ferrolanos e ferrolanas executadas polos fascistas a partir do golpe militar de 1936. Que melhor ponto final para a nossa visita guiada ao nosso património coletivo que lembrar, através de um dos seus destacados representantes, os milhares de compatriotas vilmente assassinados polo fascismo espanhol?

O canto coletivo do nosso Hino Nacional serviu para concluirmos o percurso. Posteriormente, um convívio fraternal no nosso Centro Social completou umha jornada formativa e de reivindicaçom da nossa memória coletiva como povo.

Virám mais!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Oferenda floral BASENAME: oferenda-floral DATE: Fri, 20 May 2016 16:53:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho realizou a tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques em lembrança de todos aqueles que fizérom que da cultura galega umha constante e permanente jeira na construçom da liberdade do povo galego. O evento tivo lugar o dia 20 de Maio, às 12 e 1/2da manhá,

Findando o acto muitos dos assistentes lêrom poemas de autores e autoras galegas.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Roteiro literário polo Minho. BASENAME: roteiro-literario-polo-minho DATE: Fri, 20 May 2016 16:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá a plataforma Lugo Cara o Miño organiza este roteiro ao que vos animamos a participar.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Manuel Maria por Lois Diegues Vasques BASENAME: lois-diegues-vasques DATE: Fri, 20 May 2016 15:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 18 de Maio 5 de Novembro o escritor e poeta, Lois Diegues Vasques, que falou da figura homenageada neste ano com o galho das Letras Galegas. A sua palestra intitula-se Manuel Maria
Com umha sala ateigada de público, Diegues Vasques partilhou com os assistentes a sua analise sobre a obra Manuel Maria assim como as suas experiências compartilhadas com o casal Manuel Maria-Saleta
Ao findar a palestra, o arqueólogo Filipe Senem deu a conhecer o prémio outorgado pola Associaçom Amigos dos Museus.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cineclube. Morrer aos trinta anos. BASENAME: cineclube-morrer-aos-trinta-anos DATE: Fri, 20 May 2016 08:47:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Roteiro urbano das Irmandades da Fala em Ferrol BASENAME: roteiro-urbano-das-irmandades-da DATE: Wed, 18 May 2016 19:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Roteiros CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No sábado 21, daremos continuidade as atividades de comemoraçom do centenário das Irmandades da Fala com um roteiro urbano pola cidade, onde Joám Lopes, licendiado em história pola UNED e Guia turístico da Galiza, vai guiar-nos polos locais mais significativos das Irmandades em Ferrol. Na atividade contaremos com a colaboraçom do Toxos e Flores e da Semente Trasancos.

http://issuu.com/brunotrasancos/docs/dipticoroteiroweb?e=1017089/35778297

A saída está marcada para às 17.30hs ao pé do palco da música, no Cantom de Molins e terá umha duraçom de aproximadamente 1 hora e 45 minutos.

Entre outros pontos visitaremos a rua irmandinhos, onde está sediado o Teatro Jofre, onde conheceremos a importáncia do teatro na criaçom das Irmandades. Também faremos umha visita polo local do Toxos e Flores, guiados polo seu presidente, Arturo Lamas.

Também saberemos onde estava sediado o local da rondalha Airiños da miña terra, local onde tivo lugar a constituiçom das Irmandades da Fala em Ferrol. No Cantom de Molíns, contaremos com a intervençom de Rosalia Cortiças Leira, da Semente Trasancos, que nos falará um bocado da Semente como projeto continuador das Escolas de Insiño Galego.

O roteiro finalizará na estátua de Camilo Dias Valinho onde rendiremos umha pequena homenagem às pessoas vinculadas às Irmandades que fôrom represaliadas em 1936.

Para finalizar a jornada haverá umha petiscada de irmandade no nosso Centro Social.

Podes ter mais informaçom ligando para o telefone 635 074 071

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mês da Língua. Paramo Pictures esta quinta. BASENAME: mes-da-lingua-paramo-pictures DATE: Wed, 18 May 2016 08:48:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Concerto pola oficialidade das seleçons nacionais BASENAME: concerto-pola-oficialidade-das-selecons DATE: Wed, 18 May 2016 08:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Maio 2016

Sexta-feira (venres) teremos umha jornada de reivindicaçom nacional na nossa cidade. A seleçom oficial, se bem que em jogo amistoso e só masculino, jogará frente a Venezuela em Riazor.

Para reivindicar as seleçons nacionais desportivas e o desporto de base galego, o coletivo Siareir@s Galeg@s marchará às 19 horas desde o Campo da Lenha (mal chamado Praça de Espanha).

Esperamos que a reivindicaçom sirva também para colocar no lugar que corresponde o desporto nom profissional e o desporto feminino.

Um concerto porá fim festivo à jornada da sexta-feira dia 20. Será com a presença dos grupos OS DERRADEIROS (Trasancos) e CRU (Carral).

O horário previsto é às 22h30, ainda que se retrasará para permitir a chegada em hora das pessoas que cheguem do estádio.

Podedes conseguir entradas antecipadamente por 5? em Vigo (CS A Revolta), Compostela (A Gentalha do Pichel), e Corunha (Faluya, Sesfi, BuleBule, CS Gomes Gaioso). Também podes solicitá-la por esse preço polo correio-e gomesgaioso@gmail.com

O preço na bilhetaria da Sala INOX será de 8?

Esperamos-vos com a garganta quente para berrar pola independência política, o desporto popular e de base, as seleçons nacionais, e a igualdade do desporto feminino.

Música EM GALEGO para umha noite com as nossas cores.

Vemo-nos lá!

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Apresentamos manifesto conjunto polo idioma em Marim! BASENAME: apresentamos-manifesto-conjunto-polo-idioma DATE: Mon, 16 May 2016 22:16:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sábado 14 as associaçons Queremos Galego Marim, Trabalíngua e Amig@s da Cultura figemos público um manifesto conjunto que apresentamos na Alameda de Marim. No marco do 17 de Maio, Dia das Letras Galegas, as três associaçons quigemos unir forças em defesa da língua num ato para o que contamos com o integrante de Quempallou Guillerme Inacio e também com a música de Trubincos do Batán.

Deixamos-vos a seguir o texto íntegro do manifesto:

Somos conscientes da situaçom que padece hoje a língua galega. Situaçom provocada polos poderes políticos e económicos que pretendem a assimilaçom do nosso povo e a sua desapariçom. E que melhor forma de perder a identidade que acabar com o idioma próprio.

As decisons políticas e económicas que nos imponhem determinam o nosso dia a dia, destruindo pouco a pouco o nosso agro, o nosso mar, precarizando o mercado laboral e botando-nos à emigraçom. Isto também acontece com o idioma galego, assim as modificaçons legislativas dos últimos tempos tivêrom como finalidade afiançar os privilégios do espanhol apartando o idioma galego do ensino.

Todo isto promovido nos últimos tempos por um partido instalado na Junta da Galiza e no Governo Central que fijo do ataque ao idioma um dos principais elementos da sua açom de governo, junto com a promoçom de umha cultura espanholizante e um baleirado centralizador das pequenas competências autonómicas.

A nossa lingua é umha vítima, embora por interesse político queiram pô-la como culpável. O galego nom agride, é o idioma agredido. O galego nom é imposto, é o idioma proibido e desprezado historicamente pola legislaçom espanhola.

Mas nós temos fe no nosso povo e acreditamos num futuro próspero para o galego, numha Galiza sem complexos onde as novas geraçons nom tenham que emigrar e podam viver, estudar, trabalhar na sua língua.

POR TODO ISTO

Reivindicamos

A necessidade e a obriga de defender e promover o idioma galego em todos os ámbitos da nossa vida. Defendemos polo tanto um direito que nom é só individual, essa é a armadilha que nos querem fazer crer os que pretendem aniquilar o idioma, é um direito coletivo, o direito do povo galego.

Exigimos

Um ensino pleno na nossa língua. Que nengum rapaz ou rapaza tenha que perder o seu idioma materno por umha escolarizaçom em espanhol.

Consideramos

Que o galego é cousa de tod@s e nom só de expert@s ou académic@s, embora sejam necessári@s, o idioma é do povo.

Demandamos

Umha normalizaçom real consistente em implantar um uso normal do galego no ensino, na justiça, no sistema de saúde, nos jornais, nas rádios, na televisom ou no cinema. Essa é a forma de normalizar e prestigiar o idioma e nom como acontece hoje que nom temos nengum jornal diário em galego e só há um único canal de televisom e umha única rádio no nosso idioma.

Reclamamos

Um achegamento real entre o galego e o português para abrir a possibilidade de internacionalizar o nosso idioma e manter relaçons normais com os países lusófonos, o galego é umha grande oportunidade para fazer-nos ver no mundo.

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: Poema de amor verdadeiro BASENAME: poema-de-amor-verdadeiro DATE: Mon, 16 May 2016 08:37:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: intimidades CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Eu não te necessito.
Se não estás
estou sozinho ou com outras pessoas
e não se passa nada.
A tua ausência
não enche o coração de ausências,
porque a minha vida
não és tu.
O meu coração,
que tu tão bem conheces,
também não te pertence.
Afinal, estou a usá-lo
e necessito-o
também com outra gente.
Mas contigo estou melhor que sem ti.
Tu dás valor a coisas que antes nem considerava.
Há algumas que com mais ninguém
consigo compartir.
Contigo o coração é terno
mas não eterno.
Contigo é mais fácil sentir amor à vida
e talvez seja por isso
que a vida te ama
através de mim.
E isso
é
tudo.
E mais nada.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Manifestaçom polo GALEGO BASENAME: manifestacom-polo-galego DATE: Sun, 15 May 2016 13:24:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

GOSTARIA DE QUE SE UTILIZASSE A GRAFIA DO PORTUGUÊS, CONSERVANDO O NOSSO PRÓPRIO IDIOMA

Maio 2016

O reintegracionismo linguístico marchará unido na mobilizaçom nacional que decorrerá na capital martes 17.

A partir do meio-dia, ao pé das Marias na Alameda, os e as partidári@s da normativa soberana para o nosso idioma sairemos atrás dumha faixa com a legenda que abre este post.

O bloco é apoiado pola entidade juvenil BRIGA, o Diário Liberdade, a Associaçom Galega da Língua e a Assembleia de Estudos Galegos, as Escolas Semente de Compostela e Lugo, e os Centros Sociais Fundaçom Artábria de Ferrol, A Gentalha do Pichel de Compostela, Terra de Pontedeume, Faísca e A Revolta de Vigo, Fuscalho do Baixo Minho, e o nosso, o Gomes Gaioso da Corunha.

Podes ver o evento no Facebook cá: https://www.facebook.com/events/163238514079476/

Eis o comunicado que distribuiremos durante a mobilizaçom:

Como cada ano, saímos às ruas para afirmar que nom nos vam deixar sem língua.

Desta vez, fazemo-lo brandindo a imagem, a obra e a memória de Manuel Maria, poeta da Pátria em galego.

Como quase sempre, um autor nom só de prática normalizadora, como também defensor da conveniência de a orientarmos para o ámbito em que mehor afondar nas raízes e melhor garantir um novo florescer: o da comunidade lingüística que, a partir da Galiza, ecoa em centenas de milhons de gorjas e fortalece a nossa fronteira de segurança frente à imposiçom do espanhol.

A identidade lingüística galego-luso-brasileira é o melhor recurso para que a Galiza se emancipe da submissom mental que nos impede um pleno desenvolvimento como povo. Sabia-o bem Manuel Maria, como antes o soubérom Murguia, Vilar Ponte, Castelao, Carvalho Calero... e hoje o sabem Teresa Moure, Séchu Sende e tantas escritoras e escritores. O reintegracionismo prático é umha ferramenta insubstituível para a plena normalizaçom.

Porém, nem chega com termos, como temos, a razom, nem com a adesom da inteletualidade mais comprometida com a língua e o País. É preciso estender o movimento pola recuperaçom plena do direito à língua no tecido associativo, mediático, sindical, educativo, popular...

As entidades e pessoas que juntas nos manifestaremos neste 17 de Maio fazemo-lo para afirmar essa necessidade, erguendo a Escola em galego, construindo centros sociais, meios de comunicaçom, coletivos e espaços de ócio em galego: exercendo a plena galeguidade lingüística em cada ato da nossa vida social.

Agindo como comunidade nacional viva e ativa: Essa será a melhor, a única, garantia de futuro para a nossa língua.

Avante, pois!

Compostela, Galiza, 17 de Maio de 2016

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Actos a realizar polo Facho com o galho das Letras Galegas do ano 2016 BASENAME: o-facho-actos-a-realizar DATE: Sat, 14 May 2016 08:43:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios, nº 46 O.P.
Corunha

Actos a realizar polo Facho com o galho das Letras Galegas do ano 2016

18 de Maio
Conferencia sobre Manuel Maria

Lois Diegues Vasques mostrará um esboço da vida e obra de Manuel Maria, fazendo umha exposiçom sobre os aspectos e próprios da poética do homenageado.
O acto realizará-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22, Cidade Velha.

19 de Maio:
Oferenda floral

Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral diante do monumento a Curros Henriques. O evento terá lugar o dia 19 de Maio, às 12 e ½ da manhá, nos jardins de Mendes Nunes da Corunha em lembrança de todos aqueles que fizérom da cultura galega umha constante e permanente jeira na construçom da liberdade do povo galego.
Solicitamos aos assistentes, se o tenhem a bem, leiam um poema ou pequeno texto de qualquer autor ou autora galega da sua escolha.

27 de Maio
Prémios Literários

Às 8 p.m., em Portas Ártabras efectuara-se a entrega dos prémios literários de poesia, teatro infantil, e de narrativa, convocados pola nossa Agrupaçom.


A Corunha, 5 de Maio do 2016

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d'O Facho

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Letras galegas - Oferenda Floral BASENAME: o-facho-letras-galegas-oferenda DATE: Sat, 14 May 2016 08:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 16 O.P. Corunha

Oferenda floral no monumento a Curros Henriques com o galho das Letras Galegas do ano 2016

19 de Maio 2016

Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral diante do monumento a Curros Henriques. O evento terá lugar o dia 19 de Maio, às 12e 1/2 da manhá, nos jardins de Mendes Nunes da Corunha em lembrança de todos aqueles que fizérom da cultura galega umha constante e permanente jeira na construçom da liberdade do povo galego.
Solicitamos aos assistentes, se o tenhem a bem, leiam um poema ou pequeno texto de qualquer autor ou autora galega da sua escolha..

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Letras galegas - Lois Diegues Vasques: Manuel Maria BASENAME: o-facho-letras-galegas-lois DATE: Sat, 14 May 2016 08:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Palestra

A Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha tem a bem o convidar à conferencia que o vindouro dia 18 de Maio, quarta-feira (mércores), o escritor e poeta, Lois Diegues Vasques, que falará da figura homenageada neste ano com o galho das Letras Galegas. A sua palestra intitula-se Manuel Maria

Diegues Vasques, estudou o Bacharelato na sua cidade natal e Engenhería Técnica Topográfica en Madrid, profissom que exerceu até jubilar-se no Concelho de Lugo. Colabora habitualmente en revistas e jornais de Galiza. Foi deputado polo BNG/PSG na primeira legislatura do Parlamento Galego. Nos últimos anos da dictadura e primeiros da reforma política desenvolveu um gram trabalho como animador das agrupaçons culturais de Galiza desde o Clube Cultural Valle Inclán de Lugo, assí como do idioma e cultura galegos, a través, também, de programas de radio. Desde 1990 retoma a actividade cultural e literária a través da AELG, de secçons periódicas en distintos jornais, das próprias agrupaçons culturais e da sua produçom literária. O seu poema Eu son a voz do pobo, converteu-se numha das cançons emblemáticas o grupo Vozes Ceives.
Entre a sua numerosa obra cabe sublinhar. Poesia: Albre de espranza, Canciós pra un agromar branco e azul, O ferro dos días, Ónfalos. Narrativa: A torre de Babel, O tempo sen saída, A canción do vagamundo, Monólogos no espello, Henriqueta na galeria, O canto do Muecín, A poutada do Oso.

Dia: 18 de Maio do 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: O galego, a chave para abrirmos o futuro! BASENAME: o-galego-a-chave-para DATE: Fri, 13 May 2016 14:22:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

As associaçons culturais Queremos Galego Marim, Amig@s da Cultura (Ponte Vedra) e Trabalingua (Vigo), com motivo da celebraçom do Dia das Letras Galegas queremos fazer um chamamento à dignificaçom do nosso idioma, a sua normalizaçom e a recuperaçom do seu prestígio, polo que elaboramos um Manifesto polo Idioma ao que daremos leitura pública o vindouro sábado 14 de maio na Alameda de Marim às 12h, à beira do monumento a Rosalia de Castro.

Encarregará-se da leitura do manifesto Guillerme Ignacio Costas, componente do grupo folque de música tradicional Quempallou, investigador da nossa música tradicional, mestre e vizinho de Cela. Contaremos também com as intervençons do grupo de música tradicional Trubincos do Batán e as intervençons poéticas das companheiras de Trabalingua.

Somos conscientes da situaçom de debilidade em que se encontra o nosso idioma, mas temos confiança no nosso povo e acreditamos num futuro próspero para o galego, numha Galiza sem complexos onde se poda trabalhar, estudar e viver na nossa lingua.

Por isso reivindicamos a necessidade e a obriga de defender e promover o idioma galego em todos os ámbitos da nossa vida. Defendemos polo tanto um direito que nom é só individual, essa é a armadilha que nos querem fazer crer os que pretendem aniquilar o idioma, é um direito coletivo, o direito do povo galego.

Exigimos um ensino pleno na nossa língua. Que nengum rapaz ou rapaza tenha que perder o seu idioma materno por umha escolarizaçom em espanhol.

Consideramos que o galego é cousa de tod@s e nom só de expert@s ou académic@s, embora sejam necessári@s, o idioma é do povo.

Demandamos umha normalizaçom real consistente em implantar um uso normal do galego no ensino, na justiça, no sistema de saúde, nos jornais, nas rádios, na televisom ou no cinema. Essa é a forma de normalizar e prestigiar o idioma e nom como acontece hoje que nom temos nengum jornal diário em galego e só há um único canal de televisom e umha única rádio no nosso idioma.

Reclamamos um achegamento real entre o galego e o português para abrir a possibilidade de internacionalizar o nosso idioma e manter relaçons normais com os países lusófonos, o galego é umha grande oportunidade para fazer-nos ver no mundo.

Ponte Vedra, maio de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mês da Língua 2016 BASENAME: mes-da-lingua-2016 DATE: Thu, 12 May 2016 17:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Dia 17 de maio. Manifestaçom Nacional em defesa do idioma. 12h00 Alameda de Compostela.
Dia 19 de maio. Palestra com Dani de Paramo Pictures (autores da Bertolina, Veciños...) Fenómeno em galego na rede . No centro social às 20h30.
Dia 28 de maio. Homenagem colectiva a Manuel Maria. Organizamos junto a mais de 20 colectivos na FeAs (Federaçom de Associaçons). Na area recreativa de Castro de Rei durante todo o dia. Chuches Amil, Marionetas Trecola e jogos tradicionais com Xostramu. Mini e Mero , Fran Amil e a Tribo Imcomprensíbel e muito mais.
Dia 2 de junho. Palestra-debate: língua e educaçom com Preescolar na Casa e Semente Lugo. No centro social às 20h30.
Dia 9 de junho. Palestra com Anxo Garcia de Títeres Viravolta e do projeto de recuperaçom de Barriga Verde falará-nos sobre títere galego com demonstraçons. Às 20h30
e sobre às 21h30 Foliada das Letras para rematar as jornadas no centro social.

Exposiçom de cartazes em defesa do idioma de distintos colectivos.
Durante todo o mês.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Campeonato de matraquilhos: 2 entradas para o jogo GALIZA - VENEZUELA BASENAME: campeonato-de-matraquilhos-2-entradas DATE: Wed, 11 May 2016 08:42:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Queres aceder ao jogo GALIZA - VENEZUELA por apenas 2??

Pois este sábado podes consegui-lo! Por apenas 2? por inscriçom individual, forma um par que compita num campeonato de matraquilhos e poderás levar dúas entradas de ganhardes.

As regras ordena-as a casa. Ainda estás a tempo, até 1 hora antes de começar o campeonato, que será às 21 horas deste dia 14 no local da Rua Marcóni.

Se jogares e ganhares, vas direto à escadaria de Siareir@s Galeg@s em Riazor na sexta-feira seguinte, dia 20.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Neste mês das letras Fundaçom Artábria oferta variado programa de atividades BASENAME: neste-mes-das-letras-fundacom DATE: Mon, 09 May 2016 11:27:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Fundaçom Artábria oferece este mês de maio um variado programa de atividades: música, palestras, exposiçons, gastronomia, atelier de repostaria criativa para crianças...

As atividades começárom a passada sexta-feira, 6 de maio, com umha palestra intitulada "Carvalho Calero e a sua açom política", organizada pola Comissom pró Dia das Letras 2017 para o ilustre ferrolano. Na mesma, o historiador ferrolano Bernardo Maiz Vázquez trouxo-nos o Carvalho mais militante.

Também na sexta-feira, a artista ferrolana Tam Sanserif inaugurou a sua exposiçom "Olladas" no nosso Centro Social. Pode ser já visitada em horário de abertura do café-bar e até o próximo 5 de junho.

No sábado 7 decorreu a primeira atividade musical do mês. Da Corunha chegou o speed-folque dos Ulträqäns.

Na sexta-feira 13 de maio, às 20.00hs decorrerá umha palestra que leva por legenda "As Irmandades da Fala: a tomada de consciência de sermos nós" na qual intervirá a companheira Goretti Sanmartín Rei, licenciada e doutora em Filologia Galego-Portuguesa e professora titular de Filologia Galega da UdC.

No sábado 14, Joám Luis Ferreiro, biólogo da confraria de Baralhobre, explicará a situaçom da nossa ria e como repercute no trabalho das mariscadoras e mariscadores da Comarca. A palestra intitulada "A realidade da ria de Ferrol" está marcada para as 20.00hs.

Segunda-feira 16, celebraremos na Fundaçom Artábria o Dia das Letras. Desde as 19.30hs, decorrerá umha grelhada a preços populares. À noite, o cantor ferrolano Manolo Bacalhau porá música à jornada.

No dia 17 de maio, participaremos na mobilizaçom nacional que decorrerá em Compostela, convocada por Queremos Galego, na defesa da nossa língua.

20 de maio, sexta-feira, projetaremos em ecrám gigante o jogo da nossa seleçom nacional contra a Venezuela, no que é a volta da irmandinha. Será a partir das 20.30hs.

No sábado 21, daremos continuidade as atividades de comemoraçom do centenário das Irmandades da Fala com um roteiro urbano pola cidade, onde Joám Lopes, licendiado em história pola UNED e Guia turístico da Galiza, vai guiar-nos polos locais mais significativos das Irmandades em Ferrol.

A saída está marcada para às 17.30hs ao pé do palco da música, no Cantom de Molins.

Às 19.00hs, também no sábado 21, decorrerá no Centro Social um atelier infantil de repostaria criativa ministrado por Maru Alonso. Precisa-se de inscriçom prévia gratuita e há límite de assistência para 15 crianças. A atividade está programa para nenos e nenas a partir dos 4 anos.

Na sexta-feira 27, em parceria com o Beco da Língua, chega a III Luso Paparoca. Desta volta, a protagonista será a comida brasuca. Haverá um atelier prévio onde aprenderemos a fazer feijoada.

Podes apontar-te ao atelier escrevendo para correiodeartabria@gmail.com ou becodalíngua@gmail.com. O preço do atelier mais o almoço é de 10 euros.

No caso de só quereres ir jantar, o preço é de 12 euros e a ementa: Feijoada, bolo de cenoura, beijinhos de coco, guaraná e água. Também haverá caipirinhas. As praças estám limitadas a 25 pessoas.

Fecharemos o mês, sábado 28, com a apresentaçom do último trabalho dos Superoito. O concerto começa às 23.00hs e a entrada é de 4 euros, 3 para pessoas associadas.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apresentaçom livro H.P. Lovecraft BASENAME: apresentacom-livro-h-p-lovecraft DATE: Sun, 08 May 2016 22:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Maio 2016

O autor e amigo Antonio M. Fraga fará umha introduçom à sua obra "H.P. Lovecraft". O escritor eumês apresentará o seu último livro no nosso local a partir das 20 horas da sexta-feira, venres, dia 13.

A obra foi premiada em 2015 com o prémio Antón Risco de Literatura Fantástica.

Também a editora, URCO, estará presente com o Tomás González Ahola. O ato será apresentado polo rianxeiro e também escritor Xosé Duncan.

Oferecemos esta oportunidade para penetrar a o mundo fantástico que tanta tradiçom oral tivo no nosso país, da mao dum autor contemporáneo a escassos dias do 17 de maio.

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: A desfrutar de arroz com o meu irmão mais novo Yoshiyuki BASENAME: a-desfrutar-de-arroz-com DATE: Sat, 07 May 2016 21:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ryôkan CATEGORY: TAGS: arroz, comida, imãos ----- BODY:

O irmão mais velho e o mais novo outra vez juntos,
mas não somos os dois que temos densas sobrancelhas brancas.
É tempo de paz e de alegria no mundo,
e dia após dia embebedamo-nos como malucos!

****

Neste mundo
se um houvesse
com tal disposição -
podíamos passar a noite
a falar na minha cabana.

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA. O título é meu.

(Ryôkan)

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: " A Moura na mitologia galega " por Rafael Quintía Pereira BASENAME: o-facho-a-moura-na DATE: Sat, 07 May 2016 10:54:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado 4 de Maio, o antropólogo, escritor e investigador, Rafael Quintía Pereira, intervéu dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais com a sua palestra: A Moura na mitologia galega. O acto realizou-se em Portas Ártabras.

O investigador, Quintía Pereira, compartilhou com os assistentes a transcendência da figura da Moura na mitologia galega, e como a mesma está entroncada com as grandes deusas da fertilidade e da morte que se manifestam em todas as culturas, até hoje. Maria é umha modernizaçom desse mito ajeitada aos interesses do cristianismo.

Ao findar a sua exposiçom houvo um colóquio com grande participaçom dos assistentes.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: GOLPE sem tanques no Brasil e instabilidade na América Latina BASENAME: golpe-sem-tanques-no-brasil DATE: Thu, 05 May 2016 10:50:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Maio 2016

Terça-feira dia 10 imos achegar-nos da instabilidade na América Latina promovida polas oligarquias rapineiras. Faremo-lo com o coletivo Brasileg@s, criado na Galiza por imigrantes brasileir@s a raiz dos movimentos golpistas no seu País.

Oferecemos pois a possibilidade de conhecer de forma mais próxima de que vai isso do impeachment, que consequências pode ter, quem o promove e porquê, e qual o contexto continental de reofensiva direitosa em que se acha.

Será na mesma hora de abertura, às 20h, quando começaremos com o ato.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Solidarizamo-nos com Galiza Nova BASENAME: solidarizamo-nos-com-galiza-nova DATE: Wed, 04 May 2016 13:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Da Associaçom Cultural Amig@s da Cultura queremos fazer pública a nossa solidariedade com a organizaçom juvenil Galiza Nova e com a militante e o militante sancionados com umha multa de 200 euros pola realizaçom de um mural reivindicativo da figura de Rosalia de Castro.

Ao mesmo tempo denunciamos a decisom política da Subdelegaçom do Governo espanhol como umha mostra de repressom diante da divulgaçom de umha Rosalia livre das manipulaçons que pretendem apresentá-la como umha poeta sentimental e choromiqueira. Rosalia foi umha mulher galega rebelde e identificada com os sofrimentos do seu povo, e era plenamente consciente do que fazia quando escreveu os versos recolhidos no citado mural: "Pobre Galiza, nom deves chamar-te nunca espanhola".

Qual é o mal que faz um mural sobre Rosalia que ademais foi feito num muro sem qualquer valor patrimonial? Ofende alguém? Atenta contra os direitos de alguém? É claro que aqui só se quer castigar a livre expressom de umha opiniom política incómoda para o poder com a surrealista escusa de "danos" ou de "desluzimento".

Nada novo por parte do Estado espanhol, mas nom por isso deixaremos de denunciá-lo nem deixaremos de reivindicar a Rosalia e a liberdade do nosso povo.

Ponte Vedra, 4 de maio de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta no cineclube: Bom povo português BASENAME: esta-sexta-no-cineclube-bom DATE: Tue, 03 May 2016 15:46:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 6 de maio às 21h30 projetamos o filme de Rui Simões "Bom povo português" dentro do ciclo do cineclube Abril 74 - Maio 68. Depois do filme haverá umha ceia e debate sobre o filme.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apresentaçom do livro "Imperialismo. Fase superior do Capitalismo" BASENAME: apresentacom-do-livro-imperialismo-fase DATE: Mon, 02 May 2016 07:48:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Maio 2016

O coletivo editor do Diário Liberdade apresentará no Centro Social Gomes Gaioso a versom em galego-português da histórica obra do marxismo, escita polo Lenine, "Imperialismo. Fase superior do Capitalismo".

A obra será apresentada polo Maurício Castro, linguista e representante da editora, e o professor em história e especialista em História Contemporánea Carlos Velasco.

O ato será na sexta-feira dia 6 às 21h

Esperamos-te!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Jantar popular no Dia da Classe Obreira. BASENAME: jantar-popular-no-dia-da DATE: Wed, 27 Apr 2016 07:34:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 1º de Maio organizaremos um jantar popular no centro social para comemorar o Dia da Classe Trabalhadora. Chamamos também a participar na manifestaçom da CIG que sairá às 12h00 da Ronda da Muralha sob a legenda "reformas laborais e lei mordaça, anulaçom já!"
Participa no bloco anticapitalista. Os direitos defendem-se luitando.

O jantar custa 6 euros e prega-se confirmar assistência no nosso mail madialeva.gz@gmail.com antes da sexta-feira dia 29.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apresentaçom de livro com foliada BASENAME: apresentacom-de-livro-com-foliada DATE: Tue, 26 Apr 2016 13:54:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Onde? Centro Social Gomes Gaioso. Rua Marcóni, 9, rés-do-chao. Atochas. Corunha
Que? Apresentaçom da obra de prisom do preso independentista Carlos Calvo Varela, com colóquio e foliada com Xurxo Suto e Os Musicantes
Quando? Sexta-feira (venres) 29 às 20h30

https://www.facebook.com/events/618213754997196/

Próxima sexta-feira (venres) dia 29, o Centro Social contará com a presença do coletivo Através editora e a Rede de Apoio a Carlos Calvo Varela. A editora e as amizades falarám do conteúdo e as circunstáncias presidiárias e políticas que envolvem a publicaçom da obra "Diários" do jovem ordense.

Graças aos Musicantes e Xurxo Souto, a apresentaçom nom ficará numha palestra, mas também contará com umha parte lúdica e musical.

Esperamos-vos na solidariedade desta jornada antirepressiva e de difusom da cultura e o pensamento críticos.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Rafael Quintía Pereira - A Moura na mitologia galega BASENAME: o-facho-rafael-quintia-pereira DATE: Mon, 25 Apr 2016 17:18:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho d'A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2015-16

Palestra:


O vindouro dia 4 de Maio, quarta (martes), o antropologo, escritor e investigador, Rafael Quintía Pereira, falará dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais. A sua conferência intitula-se: A Moura na mitologia galega. O acto realizara-se em Portas Ártabras, rua Sinagoga 22, Cidade Velha.


Quintía Pereira, é licenciado en Antropologia Social e Cultural, licenciado en C.C. Empresariais, escritor e músico tradicional. Assim mesmo é membro fundador e presidente da Sociedade Antropológica Galega (SAGA) e co-fundador da associaçom cultural e grupo de música tradicional Os Chichisos. Também foi membro fundador do Grupo de Estudos Etnográficos Serpe Bichoca.
Ganhou o Prémio de investigaçom Luís Cuadrado 2010 polo seu trabalho A Nosa Senhora da Lanzada. Estudio antropológico de um santuario marítimo. Dirixe a publicaçom Fol de Veleno. Anuario de Antropoloxía e Historia de Galiza. Como ensaista tem publicado diversos libros, entre os que sublinharemos: La historia de Galicia en 50 lugares, Uso simbólico do cuarzo na cultura galega. Aspectos etnográficos e arqueolóxicos. Alicornio. O poder do corno de unicornio na medicina tradicional galega,Deuses, Mitos e Ritos do Monte do Seixo. Unha proposta interpretativa en clave céltica. É autor, ademais, de numerosos artículos etnográficos, antropológicos e históricos publicados en distintas revistas de investigaçom e divulgaçom.

Data: 4 de Maio 2016
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Decorreu a palestra sobre o projeto de fusom Cerdedo-Cotobade BASENAME: decorreu-a-palestra-sobre-o DATE: Sat, 23 Apr 2016 15:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ontem decorreu a palestra sobre o projeto de fusom entre os concelhos de Cerdedo e Cotobade e a situaçom da ordenaçom territorial da Galiza.

As pessoas assistentes pudêrom escuitar, da mao de Rita Iglesias, as razons da oposiçom à fusom impulsionada polo PP desde os Concelhos e a Junta. Com Xoán Paredes também houvo espaço para a reflexom sobre as necessidades do nosso País em matéria de ordenaçom territorial diante dumha situaçom negativa derivada em boa medida da imposiçom de um modelo alheio e centralista desde o século XIX. Nas intervençons do público assistente ainda houvo tempo para que surgissem reflexons sobre o abandono do rural, a eucaliptizaçom... e também para conhecermos as práticas caciquis e mafiosas dos alcaldes do PP à hora de tentar acalar a oposiçom à fusom de Cerdedo e Cotobade.

Aí vos deixamos algumhas fotos!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta começa ciclo do cineclube comemorando a Revolução dos Cravos BASENAME: esta-sexta-comeca-ciclo-do DATE: Fri, 22 Apr 2016 14:31:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Coa projeçom do filme de Rui Simões "Deus, Pátria, Autoridade" começamos um novo ciclo do cineclube esta sexta-feira 22 de abril às 21h30. Depois deste filme teremos umha ceia de comemoraçom do 25 de abril e da Revolução dos Cravos

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Curso de plantas medicinais BASENAME: curso-de-plantas-medicinais DATE: Fri, 22 Apr 2016 14:23:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

CURSO PLANTAS MEDICINAIS

Duraçom: 8 horas, repartidas em sessões semanais de 2 horas cada umha (4 semanas).

Preço: 25 euros por pessoa (20 soci@s do Madia Leva)

Datas e hora:
Sextas feiras 20 e 27 de Maio; 3 e 10 de Junho
de 19h30 a 21h30

+ info e inscrições:

687 913 857
ervameira@tutanota.com
facebook.com/ervameira.gal

O objectivo de este curso é colocar um primeiro chanço orientado a adquirir certa autonomia a hora de procurar soluçons aos nossos pequenos (e nom tam pequenos) problemas de saúde, familiarizando-nos com as plantas medicinais mais comuns, as suas virtudes, a sua elaboraçom,...

Descriçom do curso

Das perto de 1.400 espécies de plantas silvestres que podemos topar na Galiza, ao redor de 200 tem consideraçom de medicinais e umha longa tradiçom no se uso farmacológico, desde a medicina popular ou tradicional até a moderna fitoterapia. O crescimento, as vezes exagerado, do uso de medicamentos de síntese, fixo com que se evidenciassem os seus múltiplos e indesejáveis efeitos secundários, e os interesses escuros que esconde a industria farmacéutica (o estudo e a elaboraçom de fármacos e excepcionalmente caro, exceptuando os remédios de origem natural, que, a sua vez, nom som patenteáveis).
Se quadra por isto, se quadra por umha necessidade cada vez mais sentida de viver umha outra relaçom com os seres que nos rodeiam, a utilizaçom de plantas medicinais tiradas do nosso entorno ou cultivadas por nós, e a participaçom activa na nossa sanaçom e na das pessoas que queremos, está a tomar pulo e fazer-se um oco nas nossas consciências. Por todo isto, a medicina popular nom é, ainda hoje, somente história.

O objectivo de este curso é colocar um primeiro chanço orientado a adquirir certa autonomia a hora de procurar soluções aos nossos pequenos (e nom tam pequenos) problemas de saúde, familiarizando-nos com as plantas medicinais mais comuns, as suas virtudes, a sua elaboraçom,...

-Chuchamel, cecimbra, parietária, cedronha,... som ervas que nascem às portas das nossas casas, que muitas vezes nom sabemos nem nomear, menos as suas propriedades curativas. Como a melhor maneira de conhecer umha erva e vendo-a, cheirando-a, tocando-a, prescindiremos de inúteis projecções de fotografias, que criam em nós umha sensaçom frustrante frente a um mundo tam amplo como é o das espécies vegetais. Durante as oito horas que dure o curso veremos in situ por volta de 50 plantas medicinais, comuns no nosso entorno.

- Introduçom à elaboraçom das plantas: colheita (momento do ano, luas,...), secado e conservaçom,.... Introduciremo-nos no mundo da alquimia elaborando alguns preparados básicos com ervas, desde os chás mais clássicos até tinturas, aceites, emplastos, bálsamos,... para ir dando forma ao nosso receitário pessoal.

-Achegamo-nos a um dos momentos mais importantes para a botica tradicional, já que ao redor do Sam Joám apanham-se umha boa mao dos remédios mais importantes aos que recurriremos durante todo o ano. Adicaremos especial atençom à mágia do ramo de Sam Joám, e tentaremos dominar os conhecimentos suficientes para poder elabora-lo.

-Para quem querer continuar a formar-se logo de este curso, facilitaremos muita outra informaçom: bibliografia, artigos, fotografias, web... e a possibilidade aberta para criar espaços ou canais de comunicaçom entre nós, para sentir evoluir o nosso conhecimento colectivo. O plantejamento geral será orientado com esta finalidade, partindo da elaboraçom de um quadro da saúde. Vamos tentar encontrar as ervas chave que precisamos e que comecem, a partir de aqui, a formar parte das nossas vidas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: "Da agricultura tradicional ao I+D+I. Um caso de empreendimento sustentável" por Benigno Pereira Ramos . BASENAME: o-facho-da-agricultura-tradicional DATE: Wed, 20 Apr 2016 11:20:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 19 Abril, terça (martes), o o promotor e presidente do Produto Galego de Qualidade "Queixo de Arzúa" Benigno Pereira Ramos, intervéu dentro do Ciclo: Economia, História e Ciências Sociais. A sua exposiçom versou sobre: "Da agricultura tradicional ao I+D+I. Um caso de empreendimento sustentável" O acto realizou-se em Portas Ártabras

Pereira Ramos é filho de labregos e Licenciado em Filosofia iniciou a sua exposiçom sublinhando a evoluçom desde umha produçom artesanal de sobrevivência do queixo levada polos seus país até o desenvolvimento industrial de hoje que produze mais dum milhom de quilos anuais de queixo. Também mostrou como com investigaçom lográrom o aproveitamento dos resíduos -o soro- para obtençom de energia para a sua utilizaçom na fábrica, assim como novos produtos alimentícios. Marcou a importância do desenvolvimento industrial e investigaçom nom seja deslocalizado dos territórios fonte de recursos, pois nom só serve para a industrializaçom do sector primário senom a sua vez criar um tecido de investigaçom cientifica e assentamento de povaçom.

Ao findar a sua exposiçom mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: admin TITLE: Maria BASENAME: maria-1 DATE: Wed, 20 Apr 2016 07:43:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Herança CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nasceste comigo para nascer de mim
mas não consigo
parir-te.
Sinto que estás
dentro das tripas desejando
somente ser tocada.
E quando o ar dá carícias ao peito
por dentro da laringe e borboletas
saltitam na barriga como querendo
querer-me
sei que o faço.
Eu também queria que fosse mais.
Mas passo a vida a ignorar-te e a ignorar-me
guardando as borboletas com uma pedra no peito.
Como farei para querer-te
eu, que mal consigo querer-me?
Como farei para querer-me em ti?
Tu, mulher impossível no meu corpo, como?

* * *

Hoje começa a nossa história.
Hoje vou dar-te a mão e prometo
que não te solto. Hoje
vamos andar juntinhos
sentindo os corações unidos.
Hoje adormeço contigo nos meus braços.
E hoje apresento-te aos amigos,
que há gente que quero que conheças,
e já começa a ser tarde.
Dou-te um presente de anos,
que é simplesmente um nome,
e vamos juntos dançar
a vida.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Ciclo cineclube: Abril do 74 / Maio do 68 BASENAME: ciclo-cineclube-abril-do-74 DATE: Mon, 18 Apr 2016 16:12:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Abril 74 / Maio 68.
Do lume que prendeu apenas ficam as cinças

Abril do 74
Dizia Francisco Martins, activista do grupo Política Operária, que se Portugal fosse honesta consigo própria, deveria celebrar o 25 de Novembro do 76 em troca do 25 de Abril do 75. O golpe de estado de Novembro liquida o processo revolucionário que sucede à queda da ditadura de Salazar presidida por Marcelo Caetano inaugurando umha nova etapa para Portugal sob o regime de estado liberal e as suas instituiçons de democracia formal que hoje agonizam. Dizia também que umha imagem serve melhor que todos os milhares de documentos que o Partido Comunista de Portugal tem elaborado sobre o processo revolucionário em curso PREC, para entender o fracasso revolucionário em Portugal. Esta imagem, que serve para retratar umha época, bem poderia ser a de Álvaro Cunhal, chefe do PCP, assinando o compromisso de obediência ao novo regime instaurado pola corrente direitista dos militares em troca da legalizaçom do partido, atraiçoando assim as camadas populares portuguesas que a golpe de ocupaçons de terras e fábricas, greves selvagens, autogestom dos serviços públicos, etc. criaram as condiçons precisas para a transformaçom revolucionária mais radical da Europa de pós-guerra. Mas forom outras as imagens que servirom para construir umha narrativa dos factos na versom do poder estabelecido, imagens recorrentes e lugares comuns destinados a liquidar da memória colectiva a intensa luita popular e revolucionária em Portugal e da luita armada contra o imperialismo português além mar, em benefício dumha ficçom que coloca o levantamento militar do 25 de Abril como o facto fundacional dum Estado de direito e liberdades em Portugal.

Mais do que celebrar o 25 de Abril, no Cineclube Mádia Leva! procuramos restaurar da memória essas outras imagens perdidas que componhem um outro retrato de Portugal na altura, e também da luita armada nas suas colónias. Imagens que lhe serviram a Rui Simões em finais de 70 para realizar os dous filmes mais complexos e também mais completos sobre a tentativa revolucionária em Portugal. Rui Simões, seguindo a tradiçom documentalista do cinema militante dos 70, monta o seu filme através de imagens de arquivo. Em Deus, Pátria, Autoridade percorre a história moderna de Portugal, desde a instauraçom da república em 1910 até o fracasso revolucionário de 76, seguindo como fio os três dogmas fundacionais do regime fascista português, pronunciados num discurso de Salazar: Nom discutimos Deus e a virtude. Nom discutimos a Pátria e a Naçom. Nom discutimos a Autoridade e o seu prestígio. Seguindo o modelo de montagem dialéctica de Eisensten, Simões enfrenta um plano a outro que funciona como o seu oposto, a Assinatura de pacto de governo segue-lhe a discussom entre operários sobre o modelo de autogestom operária na fábrica, para construir a tese sobre a que levantar o filme, segundo a qual, a história de Portugal nom trata sobre mudanças de regime, senom sobre a luita de classes.
Em o Bom povo português, seguindo a mesma lógica, mas centrando-se na revoluçom de Abril e o processo que seguiu, a trama fai-se mais complexa, fundem-se a sociologia e a antropologia, as discussons na rua com a análise política, os cantos nas tabernas com os discursos partidistas, a luita urbana com a ocupaçom camponesa, a aterragem em Portugal do embaixador Carducci e os EEUU montada a ritmo de Music Hall, etc. Simões recupera para a memória imagens perdidas, imagens significativas como a do nascimento dumha criança com que abre, esperançado, o Bom povo português, ou as imagens dum funeral com que se fecha, demolidor, o mesmo filme.
Maio do 68.

Também o Paris do Maio de 68 com as suas greves selvagens, a tomada da rua, o estado de sítio, foi sepultado, nom só pola vitória eleitoral de De Gaulle, mas também polos montes de imagens que se tenhem voltado icónicas, referentes da modernidade, símbolos dum mundo novo, mas sempre após a tentativa revolucionária ter fracassado. O relato hegemónico, em crise, por outro lado, vem dizer-nos, lá começou todo e nós estávamos ali, para enterrar os fantasmas da segunda guerra mundial, defendendo maior liberdade para os jovens, as mulheres. Muito polo contrário, do mesmo modo que se passa com a revoluçom de Abril, a crónica deve ser contada como o relato dumha morte, mesmo a dum suicídio, como em Morrer aos trinta anos, de Romain Goupil, um filme documentário que o seu director Goupil dedica ao seu companheiro de militáncia, Michel Recanati, nos comités de acçom directa e no partido da Juventude Comunista Revolucionária, que se suicidou em 1981. Morrer aos 30 anos funciona a vários níveis, por um lado é a crónica da luita de poder entre os dirigentes estudantis, por outro lado é o retrato pessoal de Goupil e os seus amigos através do cinema doméstico e do seu percurso político, e finalmente está o retrato pessoal de Michel Recanti, o seu ascenso à cúpula da JCR, a sua responsabilidade no recrudescimento do combate directo, e o seu perfil mais íntimo. Goupil emprega o material gravado por ele mesmo na altura, das manifestaçons contra a guerra de Vietname, das assembleias nas faculdades, da vida quotidiana dos militantes, das barricadas em Paris, para construir a crónica dum fracasso que levou a Recanti e tantos outros a inverter a máxima da revoluçom ou morte para a fórmula reformismo ou morte.. Hoje os livros de história só recolhem a primeira escolha mas forom muitos os que como Recanti escolherom a segunda, senom foi a morte física, o suícidio como no caso do protagonista de Morrer aos trinta anos, foi o isolamento, a enagenaçom, a drogadiçom e outras formas de morte social. O filme de Goupil é um retrato brutal, que serve de antídoto às leituras melancólicas e autocomplacentes da rebeliom alegre e juvenil de Maio de 68.

Embora a Mae e a Puta de Jean Eustache seja um filme de ficçom cuja trama se desenvolve passado o Maio de 68, e só lateralmente se alude a ele, o certo é que, como em Morrer aos trinta anos, a Mae e a Puta vem marcado polo certificado de defunçom das expectativas revolucionárias de Maio de 68. Alexandre é um moço que se resiste a viver a normalidade pos-revolucionária e segue vagando polas ruas e os cafés de Paris, a sua moça, Marie cumpre o rol da mae, trabalha numha loja de roupa e é quem lhe proporciona a Alexandre sustento e casa. Alexandre conhece umha moça, Veronique, num café, ela trabalha como enfermeira e deita-se com quem lho pedir. Os três vem-se envolvidos num triángulo amoroso que se inicia como um jogo despreocupado contra o tédio, mas que pouco a pouco se irá revelando como umha farsa que oculta o vazio e a insatisfaçom de relaçons carentes de qualquer vínculo afectivo. O triángulo que representam Alexandre, Marie e Veronique corresponde-se à perfeiçom com a liberalizaçom do comportamento sexual da geraçom post-68, do mesmo modo que a perpetuaçom do patriarcado através da dialéctica da puta e da mae se corresponde com o fracasso revolucionário. Dizia o cineasta Philipe Garrell, que bebeu do cinema de Eustache, convém lembrar que após o ano 68 seguiu-se o ano 69, e que fica depois de as ruas de Paris terem ardido em 68? a saudade, o tédio, o cinismo, o cepticismo. Só acho digna a minha cobardia, di Alexandre, e no entanto será Veronique quem empurre o triángulo na procura dumha certa verdade, para o reconhecimento dum vazio, que nem a loquacidade boémia de Alexandre, nem a atitude acomodada de Marie conseguem encher de sentido.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Benigno Pereira Ramos - "Da agricultura tradicional ao I+D+I. Um caso de empreendimento sustentável" BASENAME: o-facho-benigno-pereira-ramos DATE: Fri, 15 Apr 2016 07:59:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
G-15037021
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho d'A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2015-16

Palestra:

O vindouro dia 19 Março, terça (martes), o o promotor e presidente do Produto Galego de Qualidade "Queixo de Arzúa" Benigno Pereira Ramos, intervirá dentro do Ciclo: Economia, História e Ciências Sociais. A sua exposiçom versará sobre: "Da agricultura tradicional ao I+D+I. Um caso de empreendimento sustentável" O acto realizara-se em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22 - Cidade Velha.

Pereira Ramos é filho de labregos e Licenciado em Filosofia. É fundador em 1987 de Arquesan, umha pequena queixaria na explotaçom familiar, para em 1989 criar Queixarias Bama, da que é proprietário-gerente e que na actualidade produze um milhom de quilos anuais de queixo e emprega a 32 duas pessoas nas Terras do Ulha, no concelho de Touro. Assim mesmo foi secretário da Cooperativa de Arzúa. Em 2012 encetou o projecto "Castanhas e Vinho da Corga" em Póvoa de Trives.

Dia: 19 de Março 2016 ? Hora: 8 do serám.
Lugar: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: " Galeguismo aquém e além mar " por Uxío Breogán Diéguez BASENAME: o-facho-galeguismo-aquem-e DATE: Thu, 14 Apr 2016 18:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 13 de Abril, no salom de actos de Portas Ártabras acolheu a palestra que o o investigador e professor titular da UDC, Uxío Breogán Diéguez Cequiel , deu sobre: "O Galeguismo aquém e além mar", dentro do ciclo, Economia, História e Realidade Social organizado pola nossa Agrupaçom.

Breogán Diéguez encetou assinalando o desenvolvimento do galeguismo anteriormente ao golpe militar clerical-fascista do 36, assim como posteriormente no exílio e no interior, marcando a ruptura entre Castelao e posteriormente Alonso de los Rios com Pinheiro. Assim como a distinta concepçom do que-fazer político. Ressaltou a figura de Manuel Puente como mecenas da actividade política do Conselho de Galiza (o governo galego no exílio) na primeira etapa presidido por Castelao até a sua morte, para posteriormente ser Alonso de los Rios como secretário geral a cabeça visível do Conselho até o seu suicídio, quando no interior se encetava a actual Autonomia.

Ao findar a sua exposiçom mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Abril. 8 anos. BASENAME: abril-8-anos DATE: Tue, 12 Apr 2016 14:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Abril 2016

Este mês tam invernal que estamos a ter é o do nosso oitavo aniversário. Abril de 2016 representa 8 anos de bagagem no trabalho coletivo pola construçom dum espaço de pensamento e açom alternativas na cidade da Corunha. Desde a identidade comunista, feminista e independentista, orgulhamo-nos de ter facilitado este espaço durante este tempo. Comprometemo-nos a mais anos, mais trabalho e mais rede de coesom com os movimentos populares e os demais locais sociais rebeldes da cidade.

Este mês introduzimos no cartaz das nossas atividades "muito circo". Porque por compromisso com a Liga Gallaecia, tínhamos que acolher de forma obrigatória umha jornada no primeiro fim-de-semana do mês, e teremos umha no penúltimo. E nada nos alegra mais que este circo tam sam, misto, popular, galego e nom profissional. Polo terceiro ano de Liga, de novo voltará a finalizar na Corunha. Mais umha vez a estampa da Torre será o fundo dum campeonato que pola primeira vez tem adquirido Condado FG.

Isso será no finde do dia 23. Para o próximo temos a visita do Davide Salvado, reconhecido cantor nacional, promessa em pé do canto nacional. Será na sexta 16 às 22h polo preço de 5? com aforo restringido à capacidade do local.

Para rematar o mês, sexta-feira 29 às 20h30 teremos umha festa com apresentaçom do livro do preso político independentista Carlos Calvo Varela. Sim, lestes bem. Já vos daremos mais detalhes mas nom será umha simples e aborrecida apresentaçom dum livro, nom. O coletivo de apoio ao Carlos vai-nos deleitar com toda umha celebraçom.

Anota-o na tua agenda.
Aí vamos!

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Palestra "Cerdedo-Cotobade: As fusons de Concelhos solucionam os problemas?" BASENAME: palestra-cerdedo-cotobade-as-fusons DATE: Tue, 12 Apr 2016 08:50:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amig@s da Cultura organizamos umha palestra sobre o projeto de fusom de Cerdedo e Cotobade: "As fusons de Concelhos solucionam os problemas?"

Contaremos com a presença de Rita Iglesias (vizinha de Cerdedo e integrante da plataforma Non á fusión Cerdedo-Cotobade) e de Xoán Paredes (geógrafo).

Será na sexta-feira 22 às 20h no Centro Social do Gorgulhom.

Contamos com a tua presença!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mercado de troco este domingo. BASENAME: mercado-de-troco-este-domingo DATE: Fri, 08 Apr 2016 08:51:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este domingo, 10 de abril, o colectivo Banco de Tempo de Lugo organiza um mercado de troco no nosso centro social. Será a partir das 11h30.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: I Jornadas "Conhecendo o Minho" BASENAME: i-jornadas-conhecendo-o-minho DATE: Mon, 04 Apr 2016 17:18:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nas quintas-feiras de abril, dias 7, 14 e 21 desenvolverám-se as I Jornadas "Conhecendo o Minho" organizadas pola plataforma Lugo de cara ao Minho, da que fazemos parte. Estám destinadas a divulgar os valores naturais, patrimoniais e históricos do rio Minho, centrando-se no treito que discorre pola cidade de Lugo.

PROGRAMA

Lugar e hora: Refeitório do Museu provincial de Lugo, às 20.30 horas.

7 de abril: Umha olhada à história dos caneiros do Minho

Ana Cabana Iglesia, doutora em História e professora do Departamento de História no Campus de Lugo (USC).
14 de abril: Os valores ambientais do rio Minho

Emilio Carral Vilariño , doutor em Ciências Biológicas e Professor Titular da Área de Ecologia no Campus de Lugo (USC).
Teresa Rodríguez López , doutora em Ciências Biológica e professora da Área de Zoologia na Escola Politécnica Superior de Lugo (USC).
21 de abril: Os caneiros para a pesca do rio Minho e o valor patrimonial da fábrica da luz.

Juan Ortiz Sanz, doutor em Engenharia Agrónoma e professor da Área de Enxenharia Agroforestal na Escola Politécnica Superior de Lugo (USC).
Adolfo de Abel Vilela, doutor em Geografia e História.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Joana Amendoeira: "Muito depois" (2016) BASENAME: joana-amendoeira-muito-depois-2016 DATE: Fri, 01 Apr 2016 18:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Muito depois (2016)

http://www.joanaamendoeira.pt/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: A Fundación Artabria reformula a sua filosofía lingüística e asume a normativa do ILG BASENAME: a-fundacion-artabria-reformula-a DATE: Thu, 31 Mar 2016 23:12:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Documentos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje é 1 de abril, dia dos enganos e "vam os burros onde nom devem ir".

Mais info em: pt.wikipedia.org/wiki/Dia_da_mentira

A Fundación Artabria (antes Fundaçom Artábria) acordou en asemblea xeral celebrada a 27 de marzo o reformulamento da sua filosofia lingüística. Esta decisión foi tomada despois de ter constatado o escaso ou case nulo éxito das nosas iniciativas entre a poboación da cidade departamental, chegando a conclusión de que a ortografía era nunha grande medida un factor determinante nesas dificuldades para chegar á xente.

No sucesivo, as nosas comunicacións internas e externas, a nosa propaganda e todo o material que editemos (libros, cadernos, camisolas, etc...) será coa ortografía do ILG e, nas nosas actividades , evitaremos palabras que poidan dar lugar a pensar que concebimos a lingua galega como algo próximo ao portugués (fuxiremos de palabras como "obrigado", "copo", "carro" ou "sexta-feira"). Tamén quedarán suprimidos actos que viñan sendo tradicionais, como a homenaxe a Carballo Calero.

A nosa andaina polo rego do isolacionismo comezará axiña, cunha campaña subvencionada polo Concello de Ferrol que leva por lema "En Galego é mais riquiño e sobranceiro", e da cual adiantamos a imaxen grafica.

Ferrolterra, 1 de abril de 2016, "Dia dos Enganos"

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Programaçom da Fundaçom Artábria para o mês de abril BASENAME: programacom-da-fundacom-artabria-para DATE: Thu, 31 Mar 2016 15:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Concertos TAGS: ----- BODY:

Livros, futebol, exposiçons, música, gastronomia e contos para crianças é a ementa de atividades para este mês de primavera.

A programaçom começa no próximo sábado, 2 de abril, com a apresentaçom do livro "Las brujas de la noche" da autoria do jornalista, politólogo e escritor Alberto Cruz.

"Las brujas de la noche" é um apaixonado percurso pola história da Uniom Soviética através de um surpreendente regimento de mulheres pilotos de guerra. Da mao da vida quotidiana das duzentas sessenta e três mulheres do 46 Regimiento "Taman" e de sua progressiva incorporaçom às mais duras e arriscadas tarefas militares, percorre-se a desoladora invasom nazi, que penetra até Stalingrado, e em frente à qual o Exército Soviético oferece umha vontade férrea de resistência, até a última casa, até a última bala, até o último morto, mas sem poder deter a ofensiva alemá.

O ato dará início às 20.00hs.

No mesmo sábado, às 22.05 projetaremos em ecrám gigante o dérbi galego que jogarám o Celta de Vigo e o Desportivo da Corunha.

Já na sexta-feira, 8 de abril, às 20.00hs, José Alberte Corral Iglesias apresentará na Fundaçom Artábria o seu último trabalho: o livro de relatos "A pena do vigia".

15 de abril, inauguraremos a exposiçom de imagens "25 de abril: sempre!". Umha série de fotografias que trarám a Revoluçom dos Cravos ao nosso Centro Social.

Sábado 16 de abril, chega a primeira cita musical do mês com um concerto de Thrash Metal com os grupos da comarca Sacrament (de Ferrol) e Raze (das Pontes). A entrada é de graça e o concerto começa às 22.30hs.

Na sexta-feira, 22 de abril, haverá contacontos para crianças da mao de Helga Méndez e a sua "Palabra de sombreiro". A entrada é livre e o início está marcado para as 19.00hs.

No dia 23 de abril, chega a já tradicional ceia comemorativa do "25 de abril" organizada mais um ano junto a Associação Cultural O Beco da Língua.

A ementa constará de entradas várias, arroz caldoso, vinho minhoto e sobremesa. Terá um custo de 15 euros, 12 euros para sóci@s da Fundaçom Artábria e do Beco da Língua.
Após a ceia, aproximadamente às 23.30h, e com entrada livre, Eugenia Sanmartim e Sergio Galego trarám músicas do Brasil e outras terras para fechar esta jornada lusófona.

29 de abril, sexta-feira, decorrerá a apresentaçom da nova ediçom galega da obra de V.I. Lenine "O Imperialismo, fase superior do capitalismo" publicada polo Diário Liberdade coincidindo com o 1º Centenário da sua elaboraçom.

A apresentaçom será a cargo do historiador Carlos Velasco e de Maurício Castro, do Coletivo Editor do Diário Liberdade.

Fechamos o mês de abril com música. Será no sábado 30 às 23hs, quando os locais Weather Underground apresentem o seu primeiro disco. A entrada é de graça.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Martires de Carral. Sábado 2 de abril. BASENAME: martires-de-carral-sabado-2 DATE: Wed, 30 Mar 2016 07:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Uxío Breogán Diéguez - Galeguismo aquém e além mar BASENAME: o-facho-uxio-breogan-dieguez DATE: Mon, 21 Mar 2016 20:24:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-lo assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16


O vindouro dia 13 de Abril, quarta (mércores), às 8 do serám; o investigador e professor titular da UDC, Uxío Breogán Diéguez Cequiel, falará dentro do ciclo Economia, História e Realidade Social, com a sua exposiçom intitulada Galeguismo aquém e além mar.

Breogán Diéguez é Lcdo. em História pola USC e doutor en Historia Contemporânea pola UDB com a tese Nacionalismo Galego. Desarticulaçom, resistência e rearticulaçom . Os seus temas centrais de estudo e investigaçom som a historia do nacionalismo galego, os movimentos sociais no tempo contemporâneo e a didáctica das Ciências Sociais. Formou parte da primeira direcçom dos CAE, e depois foi membro dos CAF, sendo claustral na USC, e da Junta Reitora e Padroado da Fundaçom Alexandre Bóveda. Posteriormente foi um dos co-fundadores de Murguia - Revista Galega de História. Tem colaborado também en diversas publicaçons, como A Trabe de Ouro, Grial, ou Terra e Tempo. Assim mesmo tem umha avondosa obra ensaísta publicada tanto individualmente como parceiro: Síntese histórica do soberanismo galego, Síntese da historia social e política da Galiza desde 1800: de Carral á Irmandade Galega, Nacionalismo galego aquén e alén mar. Desarticulación, resistencia e rearticulación, A Asemblea de Concellos de Galiza Pro-Estatuto, Mare Nostrum. A Importancia do Mar en Galicia, O nacionalismo galego nos seus programas políticos. O século XX, Síntese histórica do movemento obreiro galego: das orixes até 1984, etc...

Dia: 13 de Abril do 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22 ? Cidade Velha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d'O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Sam Martinho's Day BASENAME: sam-martinho-s-day DATE: Thu, 17 Mar 2016 09:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Março 2016

Hoje quinta-feira e amanhá sexta-feira o Gomes Gaioso adere à iniciativa de vários Centros Sociais do País e renderemos a homenagem galega aos santos que marcárom a ferro a nossa herança cultural, impondo a religiom católica, arrasando com as identidades populares e pagás, e absorvendo todo o que delas ficou.

O Sam Patrício celebrado comercialmente por todo o mundo, e com origem na Irlanda, coincide com apenas três dias de diferença com a festividade de Sam Martinho de Dume, o apóstolo d@s suev@s. Dias 17 e 20 de março respetivamente.

Teremos chupinhos suevos, sairemos ao pé da Torre donde partiu Ith, filho de Breogám, para conquistar a Irlanda, e escuitaremos música celta. Aconselhamos-vos virdes "disfarçad@s" para a ocasiom.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos. BASENAME: grupo-de-estudos-4 DATE: Thu, 17 Mar 2016 08:14:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira 18 de março às 21h00

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: " As Irmandades da Fala " por Xosé Ramón Freixeiro Mato - BASENAME: o-facho-as-irmandades-da DATE: Wed, 16 Mar 2016 21:07:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Prema no seguinte enlace para ver a presentación
https://archive.org/download/IrmandadesDaFala/Irmandades%20da%20Fala.pptx

O passado dia 15 de Março, no salom de actos de Portas Ártabras acolheu a palestra que o professor doutor da Universidade da Corunha, Xosé Ramom Freixeiro Mato, deu sobre: As Irmandades da Fala dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom organizado pola nossa Agrupaçom.

Freixeiro Mato
encetou o relatório fazendo um esboço de Manuel Maria para o mostrar como um continuador das Irmandades da Fala. Posteriormente assinalou o surgimento e a evoluçom das Irmandades da Fala como: A cerna dum movimento social de reivindicaçom da língua e da identidade nacional galega que mostrou unha nova forma de conceber o País, en tanto colocou por vez primeira a Galiza como centro de decisom e como sujeito do seu devir social, cultural e político. Sublinhando que a recuperaçom do prestígio da Língua galega foi o eixo vertebral de todo o que-fazer político-cultural das Irmandades.

Ao findar a sua exposiçom mantivo um interessante debate com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Convocatórias nesta semana BASENAME: convocatorias-esta-semana DATE: Tue, 15 Mar 2016 09:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta quarta-feira 16 de março às 11h30 a plataforma Queremos Galego convoca umha concentraçom diante do Concelho de Lugo para protestar pola decisom do TSXG de tombar parte da ordenança do concelho de Lugo por nom respeitar os direitos do uso do castelhano.
Em maio de 2012 o governo municipal de Lugo, a iniciativa do BNG aprovava por unanimidade umha Ordenança de uso do galego, que tornava a língua própria de Galiza em oficial dentro da administraçom local. Mas a associaçom espanholista Galicia Bilingüe apresentou umha demanda pedindo a anulaçom de boa parte do articulado da norma.Era de esperar dum colectivo que se caracteriza polo ódio a todo o que soe a galego e a sua cruzada contra colectivos, grupos musicais, instituiçons e pessoas que defendem Galiza e o seu idioma próprio. É mais lamentável a sentença redigida só em castelhano, na que o Tribunal Superior de Xustiza de Galicia, falha de jeito favorável a esta demanda.
Também esta quarta-feira 16 de março às 20h00 haverá umha concentraçom diante da Subdelegaçom de Governo em repulsa contra o miserável acordo entre a UE e a Turquia sobre os refugiados e as refugiadas.
Chamamos também a assinar e fazer pressom diante da Confederación Hidrográfica Miño-Sil para que ordee a retirada do dique contruido no leito do rio Minho. Nom agardedes mais. Assinade aqui

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! em Ferrol BASENAME: ops-em-ferrol-1 DATE: Thu, 10 Mar 2016 17:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Um ano mais, o GNL do Concelho de Ferrol organiza nos meses de março e abril vários obradoiros OPS! 'O português simples' nos liceus da cidade.

Os dous primeiros ateliês foram ministrados pola professora Loaira Martínez no IES Ricardo Carvalho Calero, onde o alunado do 1º curso de Bacharelato descobriu a enorme potencialidade do galego como ponte para aceder ao universo cultural lusófono.

Nas próximas semanas, as alunas e alunos do IES Canido e do IES Saturnino Montojo assistirão a esta atividade que, por primeira vez, oferece dous níveis de dificuldade: básico e avançado para o alunado que já assistiu ao obradoiro em anos anteriores.

----- -------- AUTHOR: agir_briga TITLE: EIS O PROGRAMA DA XIII ESCOLA DE FORMAÇOM! BASENAME: eis-o-programa-da-xiii DATE: Thu, 10 Mar 2016 15:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: EF ´16 CATEGORY: Programa TAGS: ----- BODY:

Como já temos avançado, este fim de semana decorrrá mais umha Escola de Formaçom, e já vam 13!. Nesta ocasiom, o ponto geográfico escolhido é Ferrol, cidade histórica e um dos referentes para a classe obreira galega. Aliás, o programa de atividades da Escola vém carregadinho de novidades e, portanto, conteúdos que nom encontramos ao longo das ediçons anteriores.

Como bem sabemos, a Escola define-se polos seus três grandes eixos característicos: a formaçom teórica, o conhecimento da realidade do ponto geográfico escolhido e também o tempo de lazer. E estes pontos continuarám a manter-se intactos nesta nova ediçom:

Para começar, sexta-feira desfrutaremos dumha atividade que tivo bastante sucesso nas últimas anos. Estamos a falar evidentemente do ?Trivial?, organizado por umha companheira que, com certeza, porá as cousas difíceis às participantes com perguntas sobre a história de luita da classe obreira galega. Seja como for, é um momento divertido onde podemos encontrar umha incrível mistura de lazer e formaçom, além de oferecer um espaço agradável e convívio que permite umha maior e grande integraçom entre todas as participantes da Escola.

Já dentro do sábado, de manhá poderemos conhecer mais de perto essa cidade histórica que comentamos anteriormente, através dum roteiro intitulado ?Ferrol Rebelde?, onde teremos a oportunidade de ampliar o nosso conhecimento sobre a história da luita da classe obreira galega, e concretamente ferrolá, através dumha terceira pessoa encarregada de conduzir o ato. À tarde, com a Fundaçom Artábria como espaço elegido, desenvolverá-se a projeçom do documentário ?Fios Fora?, o qual tivo enorme sucesso nos últimos meses e onde se amostra a realidade do setor têxtil galego, com entrevistas e conversas mui clarificadoras de trabalhadoras e patrons. Recomendável, sem dúvida!. Aliás, teremos um pequeno espaço de tempo para o debate e a participaçom das presentes no ato.

Mas tampouco queremos deixar passar sábado sem o tempo de lazer, para o qual organizamos à noitinha um concerto com um grupo local, Eira, na própria Fundaçom Artábria.

E para cobrir o programa de atividades, deixaremos para domingo a palestra que tratará, desta volta e como nom podia ser doutra forma num dos pontos referentes do país, sobre história e intervençom sindical, onde um companheiro nos dará algumhas das chaves para umha prática revolucionário no eido do sindicalismo nacional e de classe.

Sem dúvida, um fim de semana no que o compromisso com a formaçom militante e a camaradagem, serám os protagonistas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xosé Ramón Freixeiro Mato - ?As Irmandades da Fala? BASENAME: o-facho-xose-ramon-freixeiro DATE: Thu, 10 Mar 2016 05:39:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra


O vindouro dia 15 de Março terça-martes, o doutor e professor titular na Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha, Xosé Ramón Freixeiro Mato, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua palestra versará sobre: ?As Irmandades da Fala?. O acto realizara-se em Portas Ártabras - Rua Sinagoga 22- Cidade Velha

Freixeiro Mato licenciou-se em Filologia Românica e Filologia Galego-Portuguesa na USC, doutorasse na Universidade da Corunha com umha tese sobre António Noriega Varela. Foi professor en institutos de ensino secundário, ganhando a praça de catedrático de Língua e Literatura Galegas no ensino médio. Depois de obter o doutoramento accedeu como professor titular à Faculdade de Filologia na UDC. Assim mesmo é autor dumha ampla obra de investigaçom e ensaio em temas lingüísticos.

Dentro da sua diversa obra podemos sublinhar: Antonio Noriega Varela. Obra completa, Lingua galega: normalidade e conflito,Gramática da Lingua Galega (Volumes I-II-III e IV), Lingua, nación e identidade, Estilística da lingua galega -Prémio da Critica Galicia á Investigación-, Antoloxía da prosa literaria medieval, Sebastián Martínez-Risco, ensaísta e poeta (obra inédita e esquecida), Os séculos escuros e a Ilustración galega. Antoloxía, etc...

Dia: 15 de Março 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras - Rua Sinagoga 22
Cidade Velha - Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d'O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO:Eduardo Blanco Amor por Francisco Rodríguez Sánchez BASENAME: o-facho-eduardo-blanco-amor DATE: Wed, 09 Mar 2016 17:06:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 08 de Março, o Doutor em Filologia Românica e Catedrático de Literatura espanhola Francisco Rodrigues Sanches, intervéu dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua palestra versou sobre: Eduardo Blanco Amor.

Rodrigues Sanches, deu a conhecer numha mui interessante palestra o itinerário existencial e literário dum dos mais grandes autores da literatura galega, Eduardo Blanco Amor. A sua permanente precaridade levou-no a colaborar em distintos jornais como articulista, tanto do País como do resto do Estado, o que marcou o que-fazer da sua escrita.

Ao rematar a sua exposiçom mantivo um interessante debate com a cidadania assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta cineclube: Eu, tu, el ela. BASENAME: esta-sexta-cineclube-eu-tu DATE: Tue, 08 Mar 2016 18:43:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Roteiro polo Dia da Classe Obreira Galega. BASENAME: roteiro-polo-dia-da-classe DATE: Mon, 07 Mar 2016 09:33:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: roteiros TAGS: ----- BODY:

Desde o Mádia Leva! organizamos umha visita para conhecer a história da Classe Obreira Galega. Será este domingo 13 às 11h00. Para mais informaçom e organizar a viagem é preciso que enviedes um mail a madialeva.gz@gmail.com ou no tf 627232479. A ida será às 9h15 desde o nosso local e voltará-se pola tarde sem hora prevista.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Completo programa de atividades neste mês de março na Fundaçom Artábria BASENAME: completo-programa-de-atividades-neste DATE: Fri, 04 Mar 2016 16:19:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Desde a Fundaçom Artábria trabalhamos dia a dia sem fins lucrativos, para oferecer umha atividade de ócio alternativo às trasanquesas e trasanqueses. Com esta intençom, apresentamos a programaçom deste mês de março, que vem carregado de diversas atividades lúdicas.

As atividades começavam no passado sábado 5, com a representaçom da obra "Dentro é um lugar" do Coletivo Artístico Lampanada.

"Dentro é um lugar" é umha peça de teatro físico e de objetos, sem palavra e musicalizada ao vivo a partir das melodías de Ástor Piazzolla. Um ator e umha clarinetista levam adiante umha série de peripécias, tendo como disparador o objeto Caixa de cartom e a música do bandoneoísta e compositor argentino.

A história desenvolve-se num contexto fantástico no que os objetos se re-significam deixando entrever vários universos. Apresentada de umha perspetiva plástica e apoiada polo sonoro, a personagem explora arredor como quem molda a sua própria realidade.

Na quinta-feira 10 de março, Dia da Classe Obreira Galega fazemos um apelo à nossa base social a participaçom na mobilizaçom convocada polo sindicalismo nacional e de classe representado pola CIG. Após a mobilizaçom, haverá petiscos no Centro Social.

Já na sexta-feira, decorrerá o concerto do 8 de março que fazemos o dia 11, onde a cantora mugardesa Sofia Espinheira vai trazer-nos as suas músicas, tingindo a Fundaçom Artábria de cor lilás.

A entrada é de graça e o concertó começa às 22.30hs.

Meses depois de ganhar os prémios do público e do júri no II Certame de Cançom de autor em Galego Concelho de Teu, Sofia Espinheira acabou de lançar o seu primeiro álbum "Alá onde agromam as ervas", que apresentará no nosso Centro Social. Este trabalho inclui 9 temas em que a autora integra influências da música tradicional e transcendente e perspetiva mais canónica da música de autora.

No dia 12 de março, dentro das atividades que a organizaçom juvenil da esquerda independentista BRIGA organiza com motivo da sua XIII Escola de Formaçom, projeta-se no nosso Centro Social o documentário "Fíos Fora". O trabalho da produtora galega Ilha Bufarda e a associaçom solidária Amarante pretende ajudar a entender a situaçom da indústria têxtil no nosso país.

Será às 17.00hs e a entrada livre. Posteriormente, haverá um debate/colóquio sobre o mesmo.

No mesmo sábado, às 21.00hs, inauguramos umha nova exposiçom no nosso Centro Social. Desta vez, Maurício Castro traz umha nova mostra de aguarelas.

O duo Eira fecha as atividades dete sábado 12 com um concerto em acústico, que começa às 23.30h. A atividade é organizada por BRIGA dentro das atividades da XIII Escola de Formaçom e a entrada é livre.

Na sexta-feira 18, por segundo ano consecutivo celebramos o Sam Martinho's Day com umha nova festa suevo-irlandesa. O Sam Martinho´s day nom é mais que um pinchacarneiro lúdico impulsionado pola Gentalha do Pichel, ao qual nos sumamos com gosto. Eis umha breve explicaçom da celebraçom de este dia.

Como sabedes nos últimos anos estendeu-se por todo o mundo, ajudada polo interesse comercial dumha conhecida marca de cerveja, a celebraçom irlandesa de Sam Patrício. Pois bem, a casualidade favoreceu que exista um forte paralelismo entre a vida do santo padroeiro da Irlanda e um outro santo que, embora bastante desconhecido, tivo umha importáncia na História Galega, Sam Martinho de Dume. Sam Patrício foi o evangelizador da Irlanda, lá polo século V da nossa era, e Sam Martinho cumpriu um papel semelhante na Galiza do século VI, o que lhe permitiu passar à história coma o apóstolo dos e das suevas. Curiosamente, as datas em que se comemoram as festividades de ambos santos están muito próximas no calendário, 17 e 20 de março respetivamente.

A proposta é aproveitar a vontade de festa do pessoal e, já que vamos celebrar Sam Patrício, aproveitemos para celebrar também a nossa suevicidade.

E nom, nom pensedes que na Fundaçom Artábria deixamos de ser laic@s, nom. A ideia é celebrar e reivindicar a suevicidade, nom ao Sam Martinho em si. De facto, um dos contributos fundamentais do bispo de Dume foi a redaçom dum texto conhecido como o "De correctione rusticorum", onde se indicavam e condenavam muitos dos costumes pouco cristaos que @s nossas antepassadas praticavam. Costumes que vos animamos encarecidamente a recuperar, porque, assim entre nós, Sam Martinho era um pouco reaça.

A festa suevo-irlandesa contará com cerveja das duas naçons, "suevitos quentes" e o concerto de "O Puto Coro do Exército Froilanista". Porque nom podemos reivindicar a nossa suevicidade sem ter em conta ao legítimo herdeiro do Reino da Galiza: Froilám III.

O concertó começará às 22.30hs e a entrada é de graça.

Já no sábado 26, mais um ano convocaremos umha concentraçom ao pé das ruínas da casa natal de Carvalho Calero, no bairro de Ferrol Velhor para homenagear ao bulto da nossa cultura no XXVI aniversário do seu passamento.

O ato dará início às 12.30h e o programa ainda esta por fechar, mas adiantamos que haverá música, poesía e intervençons.

Fechamos as atividades do mês de março com a Assembleia Geral de sóci@s que decorrerá no domingo 27 às 11.30h no Centro Social.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Coletivo Artístico Lampanada apresenta "Dentro é um lugar" na Fundaçom Artábria BASENAME: coletivo-artistico-lampanada-apresenta-dentro DATE: Fri, 04 Mar 2016 15:58:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Teatro e conta-contos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O próximo sábado 5 começamos a programaçom da Fundaçom Artábria do mês de março com o teatro do Coletivo Artístico Lampanada, que apresentam em Ferrol a obra "Dentro é um lugar".

Recem chegad@s de Bos Aires, este par galega-argentino começa na cidade departamentall umha gira que @s levará à Gentalha do Pichel de Compostela, a Casa da cultura em O Grove e o Liceo Mutante em Ponte Vedra, entre outros.

"Dentro é um lugar" é umha peça de teatro fíxico e de objetos, sem palabra e musicalizada em vivo a partir das melodías de Ástor Piazzolla. Um ator e umha clarinetista levam adiante umha série de peripecias tendo como disparador o objeto Caixa de cartom e a música do bandoneoista e compositor argentino.

A história desenvolve-se num contexto fantástico no que os objetos se resignificam deixando entrever vários universos. Apresentada desde umha perspetiva plástica e apoiada polo sonoro, a personagem explora a sua contorna como quem moldea a sua própria realidade.

A obra dará começo às 22.00hs e a entrada é de "gorra", é dizer ao final da funçom passara-se um peto para cada quem achegue o que considere.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: CONCURSO NACIONAL DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO. BASENAME: o-facho-concurso-nacional-de-2 DATE: Fri, 04 Mar 2016 10:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO NACIONAL DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Agrupaçom Cultural O FACHO acordou convocar o Concurso de Teatro Infantil, que se regerá polas seguintes bases:
1º) Poderám optar ao devandito prémio qualquer pessoa, sem restriçom, sempre que a obra seja inédita e redigida em língua galega, em qualquer norma ortográfica (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) nom representadas, nem premiadas noutros certames.
2º) Estabelece-se como prémio único de 200,.- ? e umha biblioteca de livros teatrais.
3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será apresentada por triplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.
4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio à Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal d'A Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
5º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2016 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego.
7º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Agrupaçom Cultural O Facho
Na Crunha, 27 Janeiro

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: CONCURSO NACIONAL DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO BASENAME: o-facho-concurso-nacional-de-1 DATE: Fri, 04 Mar 2016 10:27:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CONCURSO NACIONAL DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO


Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participárom ou ganhárom muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, realiza-se a convocatória para 2016 do Concurso Literário de ?Contos de Nenos para Nenos?

BASES DO CONCURSO

1. Poderám participar rapazes e raparigas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.
2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 15 de Abril do 2015 às doce da noite.
3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à Associaçom Cultural O FACHO, Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.
4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.
5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de cinco anos contados a partir do dia do falho do júri.
6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras. As obras presentadas deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADO, LUSOFONA)
7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e raparigas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A
1º: 200,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais.
2º: 100,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

Categoria B
1º: 200,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais
2º: 100,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por triplicado, manuscritas ou mecanográficas, encadernadas ou grampadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.
12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom estejam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.
13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/



Corunha, 27 de Janeiro 2016

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: CONCURSO NACIONAL DE POESIA CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO BASENAME: o-facho-concurso-nacional-de DATE: Fri, 04 Mar 2016 10:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO NACIONAL DE POESIA CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO

A Agrupaçom Cultural O FACHO convoca o Concurso de Poesia 2016, que se regerá polas seguintes bases:

1º) Ao prémio de poesia d'O Facho poderám concorrer qualquer pessoa até os 35 anos de idade e sempre que nom tenha publicado nengum livro individual de poesia e a obra seja inédita e nom ter sido premiada com anterioridade em qualquer outro concurso ou certame.
A obra presentada deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) e com um máximo de umha obra por autor. É responsabilidade do júri do prémio determinar se algum dos trabalhos apresentados possui ou nom as características para ser considerado ?livro?. Porém, recomenda-se que tenham umha extensom mínima de 300 versos.
2º) Os originais para o Concurso enviaram-se por triplicado devidamente encadernados, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara, à Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal da Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
3º) Estabelece-se como prémio único a ediçom da obra premiada. O Facho fará a entrega ao/à autor/a um máximo de 50 exemplares.
4º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2016 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
5º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo estará composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito da escrita literária, da ediçom ou da crítica.
6º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e resolvera aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom. Assim mesmo, o júri escolherá de entre os trabalhos apresentados um único libro. Ademais, poderá deixar constáncia na acta outros títulos considere merecedores de ser publicados, nom significando isto nengum compromisso por parte d'O Facho. Nom se fará referencia na acta ao nome dos autores ou autoras dos livros mencionados.
7º) O Facho disporia do prazo de um ano para editar o livro. Transcorrido esse tempo, o autor ou autora poderá dispor da obra com a única condiçom de que deverá deixar constáncia do galardom em sucessivas ediçons do livro.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/


Agrupaçom Cultural O Facho
Na Crunha, 27 Janeiro 2016

----- -------- AUTHOR: agir_briga TITLE: Chega a XIII ediçom da Escola de Formaçom BASENAME: title-391 DATE: Wed, 02 Mar 2016 21:22:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: EF ´16 CATEGORY: Programa TAGS: ----- BODY:

Mais um ano acolhemos umha nova ediçom da Escola de Formaçom, e já é a décimo terceira desde que em 2004 a organizaçom estudantil AGIR punha em andamento este encontro formativo dirigido por e para a juventude rebelde galega. Desta volta, no contexto do ilusionante processo de unidade do estudantado da esquerda independentista e nacionalista galega que o vindouro 5 de março deverá culminar com a criaçom dumha nova entidade estudantil, BRIGA convoca esta jornada em solitário, após anos desenvolvendo-a junto as companheiras/os de AGIR.

Ante um panorama caraterizado pola fragmentaçom e debilitado estado geral do Movimento Juvenil Galego, falarmos de 13 ediçons consecutivas dum espaço de formaçom, trabalho e convivência auto-organizado pola juventude independentista galega, nom é tam doado como pode semelhar.

A constante perseguiçom e criminalizaçom da esquerda independentista galega acentua a crise na que nos últimos anos se vê sumido o Movimento de Libertaçom Nacional Galego, e nom é umha tarefa simples para as e os jovens organizados em BRIGA continuar a manter acesso o facho da luita por umha Galiza livre, vermelha e lilás.

Porém, nom esperávamos caminhos doados nem que os nossos objetivos tam frontalmente opostos a quem detenta o poder, nos vinhessem dados. E é justamente por isso polo que somos conscientes das enormes eivas e dificuldades que padece a esquerda independentista e da necessidade de formar-nos para saber melhorar a nossa intervençom política, dotar-nos de ferramentas úteis que nos permitam avançar e somar mais moças e moços à fermosa luita pola liberdade.

Em 2016, após a dissoluçom da nossa organizaçom política referencial, Nós-UP, há menos de um ano, e num contexto de alarmante agudizaçom da repressom contra a esquerda independentista, BRIGA anuncia com orgulho esta XIII ediçom da Escola de Formaçom que decorrerá em Ferrol o fim de semana do 11, 12 e 13 de março.

Construindo consciência de classe? é a legenda escolhida para um encontro que, aproveitando a proximidade no calendário de duas datas tam significativas como som o 8 março, Dia da Mulher Trabalhadora, e 10 de março, Dia da Classe Obreira Galega, se centrará no estudo e análise da específica opressom das mulheres obreiras galegas e da luita sindical na Galiza.

Nos vindouros dias iremos concretizando as atividades deste ano, que como novidade, contará com umha parte aberta a pessoas de todas as idades, e que será anunciada proximamente.

Avante a Escola de Formaçom! Avante a juventude da esquerda independentista!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos BASENAME: grupo-de-estudos-3 DATE: Wed, 02 Mar 2016 15:20:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 4 às 21h30 organizamos mais umha sessom conjunta do grupo de estudos co texto "Da Jeira ao Concelho Aberto" de Antom Santos.Continuamos deste jeito co ciclo sobre democracia directa em colaboraçom co Ateneo Libertário A Engranaxe. Haverá ceia e debate posterior.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO:Francisco Rodríguez Sánchez - Eduardo Blanco Amor BASENAME: o-facho-francisco-rodriguez-sanchez DATE: Sat, 27 Feb 2016 17:05:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O. P.
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O vindouro dia 08 de Março (terça-martes), o Doutor em Filologia Românica e Catedrático de Literatura espanhola Francisco Rodrigues Sanches, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua palestra versará sobre: Eduardo Blanco Amor. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22 ? Cidade Velha.

Rodrigues Sanches é autor dumha ampla obra de investigaçom e ensaio em temas lingüísticos, literários, culturais e políticos desde unha perspectiva nacionalista. Inaugura unha linha de análise sócio-lingüística com a publicaçom de "Conflicto lingüístico e ideoloxía na Galiza". Especialista em figuras de grande relevância como Rosália de Castro -Análise sociolóxica da obra de Rosalía Castro-, Curros Enríquez -A evolución ideolóxica de Manuel Curros Enríquez-, Blanco Amor -O desacougo da nación negada, Eduardo Blanco Amor-. Neste âmbito realizou trabalhos como o ?Literatura galega, problemas de método e interpretación?
Paco Rodrigues foi um dos impulsores da criaçom e dinamizaçom de organizaçons sindicais e políticas como INTG e BNG. Também participou como deputado do Parlamento Galego e nas Cortes Espanholas como membro do Bloque Nacionalista Galego.


Dia: 08 de Março - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras
Rua Sinagoga 22 ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO:" Galiza diante a reformulaçom do Estado por Ricardo Garcia Mira BASENAME: o-facho-galiza-diante-a DATE: Sat, 27 Feb 2016 12:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 26 de Fevereiro, o professor da U.D.C. Ricardo Garcia Mira, deputado do PSdeG-PSOE no Congresso, intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. Na sua exposiçom falou sobre Galiza diante a reformulaçom do Estado.

Com umha interessante palestra, Garcia Mira, mostrou é analisou desde a perspectiva do PSOE, A funçom que a naçom galega deve manter diante da vindoura reformulaçom do Estado, mostrando a necessidade da federalizaçom de estado Espanhol.

Ao findar a sua exposiçom o palestrista mantivo um interessante colóquio com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Derradeira atividade das Jornadas Feministas BASENAME: derradeira-atividade-das-jornadas-feministas DATE: Fri, 26 Feb 2016 09:22:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fevereiro 2016

Sábado 27 rematam as sucedidas Jornadas Feministas que ao longo deste mês tenhem deixado muitas horas de convívio nos três Centros Sociais da cidade.

Para pôr fim, momentaneamente, à reivindicaçom feminista com estas atividades, sábado a partir das 20h abrimos o local para acolher umha noitinha multidisciplinar em fotografia, vídeo, atuaçom em vivo e gastronomia.

"As três tenebrosas co Aturuxo Conachil" serám as encarregadas de representar ao vivo, enquanto a arte fotográfica cobrirá as paredes do local com imagens sobre o micromachismos quotidiananos. Também sobre o ecrám se projetarám vídeos caseiros com representaçom de situaçons quotidianas referidas ao machismo invisível e ordinário.

Para acompanhar tanta expressom artística, haverá petiscos.

Agradecemos as mulheres que contárom connosco, o Centro Social A Comuna e o Ateneu Libertário Xosé Tarrio por ter feito possível esta demonstraçom de força feminista. Avante companheiras!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Este sábado apresentaçom da Semente Lugo. BASENAME: este-sabado-apresentacom-da-semente DATE: Wed, 24 Feb 2016 18:38:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Desde o Mádia Leva! animamos-vos a participar no ato de apresentaçom pública da Semente Lugo. Será este sábado 27 de fevereiro às 12h00 no Museu Provincial de Lugo.

- Apresentaçom Semente Lugo.
- Adela Figueroa (bióloga e escritora galega).
- Ruth Rodriguez Bermudez (veterinária e activista social).
- As Sementes de Compostela, Trasancos e Vigo.

Música: Branca Villares e Pablo Pintor (homenagem a Rosalia de Castro).

Logo, às 14h30 haverá jantar de apoio à Semente Lugo no nosso centro social e atividades para as crianças com a presença de Anxo Moure.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta no cineclube. BASENAME: esta-sexta-no-cineclube-2 DATE: Wed, 24 Feb 2016 18:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Penar a Língua BASENAME: canta-o-merlo-lbgpenar-a DATE: Tue, 23 Feb 2016 21:51:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Penar a Língua
por José Alberte Corral Iglesias

Os ideólogos e os políticos ao serviço do capitalismo financeiro, sabem que é preciso que os valores e a concepçom do mundo por parte dos povos e trabalhadores seja o induzido polas sinarquias. Se isto nom acontece, a derrota e o domínio sobre o conjunto das classes trabalhadoras e dos povos nom está assegurada. O engano -alienaçom- é o sustem fulcral do sistema, a força -repressom- é a derradeira medida a tomar pola burguesia para manter o seu poder. A forteza do domínio das oligarquias apousa na ideologia, esta fai que os trabalhadores, em tanto que indivíduos, classe, e povo, assumam como própria a cosmovisom dos seus nemigos de classe.

Por isso estamos mergulhados numha guerra ideológica permanente; e a língua é fulcral neste enfrentamento, pois é sabido que ao perderem os povos a sua língua e cultura própria deixam de ser um colectivo em si e para si para se converter num agregado mais ao ideário e à economia regida polos grandes grupos capitalistas que hoje dominam o planeta. Quando os povos indígenas da América lhes foi ingerido um novo imaginário e perdêrom a sua língua, a sua cultura, desaparecêrom como naçons para se converter em peons do colonizador. Só com o terrorismo económico -precaridade laboral, despido livre, etc...-; e com a dominaçom política, sejam os regimes pseudo-democráticos eleitorais ou os regimes tirânicos, nom é possível garantir a sustentaçom do sistema capitalista. É preciso a identificaçom dos submetidos com a razons económicas, e ideológicas dos grandes patrons. Isto implica que os oprimidos nom percebam nem categorizem os seus próprios interesses de classe.

O submetimento lingüístico e cultural é um dos mecanismos para subordinar aos povos e suas as classes populares aos ditados do grande capital; impossibilita a desenvolver a consciência colectiva dos humildes com os seus próprios interesses, de vez que implementa a aceitaçom do domínio económico e social das oligarquias. A questom lingüística é fulcral para compor as políticas emancipadoras de classe e naçom. É impossível a emancipaçom económica e social sem a emancipaçom cultural, e o eixo articulador no caso galego é a língua galega. É bem significativo a promulgaçom no DOG do 25 de Maio do 2010 das directrizes de ensino de matérias

Artigo 6º.3.- Educación primaria
Impartirase en galego a materia de Coñecemento do medio natural, social e cultural, e en castelán a materia de Matemática

Artigo 7.3º.- Educación secundaria obrigatoria
Impartiranse en galego as materias de Ciencias sociais, xeografía e historia, Ciencias da natureza e Bioloxía e xeoloxía, e en castelán as materias de Matemáticas, Tecnoloxías e Física e química.

Nesta estrutura legal de abuso no lingüístico, manifestado na regulaçom das línguas de uso segundo que matérias oferecidas, evidencia a construcçom do imaginário do alunado através da consideraçom de que o serio, as ciências-puras, som dadas em castelam, mentres o galego fica subordinado as outras disciplinas de menor rango no universo do saber. Esta regulaçom tem os seus alicerces na opressom terroristico-lingüística do franquismo, do que o PP é continuidade.

Esta vontade consciente de hierarquizar às línguas revela-se na cimentaçom dum imaginário colectivo de alienaçom dos galegos com respeito à própria língua. Para vencer esta opressom lingüística é preciso quebrar este discurso de dominaçom e reverter a tendência de assentir com a desigualdade como característica de organizaçom do humano. Esta aceitaçom é manifestaçom da interiorizaçom do discurso de marginalizaçom e discriminaçom do galego, dado que de facto o seu uso está postergado ao nom importante, o que nos vem dizer a realidade social na que estamos mergulhados em tanto que povo e naçom.

O desempenho dumha política de contestaçom em todo-los eidos: económicos, ideológicos, sociais... será o sustentáculo para restabelecer a presença da língua galega em todas-las funçons. O uso consciente da língua por parte dos falantes é a práctica que expressará a nossa vontade de nos empoderar como povo e indivíduos livres.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Ricardo Garcia Mira - Galiza diante a reformulaçom do Estado BASENAME: o-facho-ricardo-garcia-mira DATE: Sat, 20 Feb 2016 17:56:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Palestra

O vindouro dia 26 de Fevereiro, o Professor da U.D.C. Ricardo Garcia Mira, deputado do PSdeG-PSOE no Congresso, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22-Cidade Velha.

García Mira é doutor en Psicologia pola U.S.C., Professor de Psicologia Social e Ambiental, com acreditaçom de Catedrático de Universidade, na U.D.C., a vez que é coordenador do grupo de investigaçom ?Pessoa-Ambente? ,e Presidente da sociedade científica internacional IAPS, ademais de Presidente do IEIPS ?Joám Vicente Viqueira?.
Investigou e avaliou o impacto ambiental de problemas sociais: O desastre do Prestige; ou Os incêndios na Galiza. Foi o Coordenador do Consorcio Europeu. É autor/editor de mais de 100 trabalhos entre artigos e informes de investigaçom sobre avaliaçom ambiental, actitudes ambientais e questons metodológicas. Ademais, é autor ou editor dos seguintes textos: 'La ciudad percibida'; 'Responsabilidad Ecológica y Gestión de los Recursos Ambientales'; 'Psicología y Medio Ambiente'. Tem dado conferencias e seminários científicos en Universidades ao longo de mundo: University of Surrey (Reino Unido), Université de Paris V 'René Descartes' (França), Universitá Degli Studi Di Roma 'La Sapienza' (Itália), University of Groningen (Holanda), University of Tallinn (Estónia), West University of Timisoara (Romanía), Universidade de Sao Paulo (Brasil), Universidad de Monterrey (México), Texas State University (USA) e University of Texas A&M (USA).

Data: 26 de Fevereiro 2016
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: "Galiza diante a reformulaçom do Estado" por Xúlio X. Ferreiro Baamonde - BASENAME: xulio-x-ferreiro-baamonde DATE: Thu, 18 Feb 2016 17:18:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 17 de Fevereiro, o professor e alcalde da Corunha, Xúlio X. Ferreiro Baamonde, intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. Na sua exposiçom falou sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto decorreu no local social de Portas Ártabras, e foi seguida com grande interesse polo publico assistente.

Ferreiro Baamonde mostrou numha significativa exposiçom o processo de configuraçom de Maré Atlántica e como a sua concepçom de fazer política foi significativa para as últimas eleçoes gerais. Mantivo de continuo que a presencia de Galiza como entidade e sujeito político é fulcral para o desenvolvimento do Pais.

Ao findar a conferencia, o palestrista mantivo um interessante debate.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xúlio X. Ferreiro Baamonde - "Galiza diante a reformulaçom do Estado" BASENAME: o-facho-xulio-x-ferreiro DATE: Mon, 15 Feb 2016 15:35:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Agrupaçom cultural O FACHO convida asistir:

O dia 17 de Fevereiro, (Quarta-Mércores), o professor e alcalde da Corunha, Xúlio X. Ferreiro Baamonde, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua exposiçom versará sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22-Cidade Velha.

Ferreiro Baamonde é doutor em Direito pola Universidade da Corunha, assim mesmo foi magistrado suplente da Audiência Provincial de Lugo. Exerceu como professor de Direito Processal na mesma Universidade. Actualmente é alcalde da Corunha polas candidatura de Maria Atlântica

Tem publicado diversos ensaios e livros, entre os que sublinhamos:
Derecho Procesal Penal em parceria com Pérez-Cruz Martín, Piñol Rodríguez, e Seoane Spiegelberg, Matar un reiseñor. O dereito a un proceso xusto, Mercantilización y precarización del conocimiento: el proceso de Bolonia em parceria, A Zona, Metrópole e control do Delito em parceria com Brandariz García, Vencedores ou vencidos? As orixes da xustiza internacional: Os xuízos de Núremberg em parceria com Zapico Barbeito

Data: 17 de Fevereiro 2016
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha
Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Trocos na data do curso de mulher e empoderamento. BASENAME: trocos-na-data-do-curso DATE: Mon, 15 Feb 2016 08:57:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Pola coincidência coa data da manifestaçom feminista do vindeiro 6 de março decidimos modificar o horário do curso. Será concentrado todo no dia 5 de março co horário de 10 a 14 e de 16 a 20. Toda a info aqui

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Carminho: "Saia rodada" (2014) BASENAME: carminho-saia-rodada-2014 DATE: Sun, 14 Feb 2016 17:09:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

carminho.com.pt

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Apresentaçom do livro "Diários" de Carlos Calvo BASENAME: lancamento-do-livro-diarios-de DATE: Sun, 14 Feb 2016 17:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira 19 de fevereiro às 20h00

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Dora Maria: "Encontros" (2016) BASENAME: dora-maria-encontros-2016 DATE: Sat, 13 Feb 2016 17:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://www.hardmusica.pt/lazer/concertos/28517-dora-maria-apresentou-encontros-num-encontro-com-muitos-amigos.html

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cineclube amanhá novo filme. BASENAME: cineclube-amanha-novo-filme DATE: Thu, 11 Feb 2016 22:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: A Derrocada Financeira BASENAME: canta-o-merlo-a-derrocada DATE: Wed, 10 Feb 2016 20:16:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

DERROCADA FINANCEIRA
http://resistir.info/

A derrocada financeira acelera-se. Despencam as cotações em bolsa de bancos importantes da Europa e dos EUA. Em 4/Fev a do Credit Suisse caiu ao nível mais baixo dos últimos 24 anos. Desde que a UE desencadeou as regulamentações do bail-in os bancos europeus começaram a implodir. No caso do Deutsche Bank, a sua exposição aos derivativos (ainda a dívida tóxica desencadeada pela crise dos sub-prime de 2008) é 16,4 vezes maior do que todo o PIB da Eurozona ? não há BCE que lhe valha. Do lado de lá do Atlântico, a situação não é melhor. Um quinto da capitalização dos bancos Morgan Stanley, Citigroup e Bank of America já se evaporou.
Mas no telelixo português a desinformação é contínua. Dizem os seus comentaristas económicos que a situação está a melhorar e a saída da crise está ali ao virar da esquina...

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Comunicado em solidariedade cos titiretistas de Madrid. BASENAME: comunicado-em-solidariedade-cos-titiretistas DATE: Tue, 09 Feb 2016 16:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Mádia Leva!, como Associaçom Cultural, solidarizamo-nos co grupo de monicreques "Títeres de Abajo" diante da sua detençom e posta a disposiçom do tribunal Audiencia Nacional, por considerarmos excessiva a medida por umha suposta inconveniência dum espectáculo de monicreques nas festas do Entroido-Carnaval de Madrid.
Consideramos também que se está a utilizar políticamente un suposto "benefício do menor" quando nom se atua coa mesma eficiência ante outros casos de muita mais audiência que um espetáculo de bairro: programaçom da televisom, produçom-exibiçom de filmes destinadas a um público infantil... nos que se apresentam e louvam valores negativos como competitividade, insolidariedade, individualismo, sexismo, racismo, xenofobia, consumismo, violência...
Somamo-nos por todo esto à corrente solidária cos dous artistas.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no IES de Ponte Caldelas BASENAME: ops-no-ies-de-ponte DATE: Mon, 08 Feb 2016 17:07:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Sexta-feira 29 de janeiro, tivo lugar no IES de Ponte Caldelas mais um ateliê OPS! O Português Simples.

A professora Loaira Martínez mostrou ao alunado de 1º de Bacharelato a vantagem competitiva que representa a nossa língua, o galego, no contexto espanhol e europeu, porque nos permite aceder ao âmbito educativo e cultural dos países que se expressam em português (Brasil, Portugal, Angola...) e, portanto, às suas sociedades, produções culturais e mercados.

A atividade foi organizada e financiada polo SNL do Concelho de Ponte Vedra.

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no CEIP S. Bieito de Lérez, de Ponte Vedra BASENAME: ops-no-ceip-s-bieito DATE: Mon, 08 Feb 2016 16:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No passado 27 de janeiro as alunas e alunos de 5º de Primário assistiram ao ateliê OPS! O Português Simples, ministrado pola professora Loaira Martínez.

Durante os 100 minutos de duração do obradoiro descobriram que, polo simples facto de saberem galego, é mui fácil aprender português, uma das línguas mais faladas no mundo.

A atividade foi organizada e financiada polo SNL do Concelho de Ponte Vedra.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: O sentido comum BASENAME: canta-o-merlo-o-sentido DATE: Mon, 08 Feb 2016 10:43:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sentido comum

Na construçom do socialismo nom podemos prescindir da realidade concreta na que se desenvolve a actividade de fazer agromar a versom subjacente, a que nega a ideologia dominante cimentada polos mass medias instituidoras do imaginário preponderante, constructo que consolida o poder do bloco de classes dominante. Agora bem, este imaginário unificador e coesivo nom se conforma num todo comum, a homogeneidade é proporcionada polos diferentes níveis de ideologia, vem dada desde a heterogeneidade: a religiom, a educaçom, a filosofia, os costumes, o folclore, o sentido comum... som constructos necessários para que as maiorias sociais tenham como natural a sua submissom, que vem sendo um dos muros ideológicos mais forte das oligarquias e dos seus gestores na defesa dos seus interesses de classe; utilizando diversos factores, entre os que adquirem fulcral relevância: o sistema educativo e o sistema religioso, para assim elaborar a ideologia de aceitar a submissom como um componente conatural da organizaçom social. Velaqui, na super-estrutura, onde se produz a hegemonia político-cultural do bloco social dominante. Para manter o domínio sobre a totalidade social, as oligarquias estám obrigadas a dirigi-la, e para isto precisam o controlo do imaginário colectivo. Hoje a televisom e demais médias cumprem o papel de criar a coesom política e cultural do todo social para garantir ao bloco social que conformam as diversas sinarquias a direcçom e o domínio do conjunto da sociedade. O paradoxo é que hoje os mass médias venhem a cumprir o rol do que Gramsci denominava o Príncipe Moderno de jeito invertido. A sua estratégia ideológico-política de produzir e suster o consenso mantem às classes subalternas na mansedume aos poderes reais (financeiros, eclesiásticos, etc...) bloqueando-lhes a possibilidade de análise da realidade social e aceitar a mesma como natural. Esta estratagema permanente furta ao conjunto das classes trabalhadoras a ferramenta mais idónea para traçar políticas que subvertam a situaçom económico-política na que se acham mergulhadas.

As sociedades complexas, de capitalismo avançado, implicam umha heterogeneidade das classes trabalhadoras, entre as que as profissons liberais que até bem pouco constituíam boa parte dos intelectuais orgânicos do sistema, criadores da construçom do consenso (convém nom identificar com os intelectuais políticos), hoje estám proletarizadas, som assalariadas; a sua sobrevivência, que os contratem ou nom, depende da arbitrariedade dos patrons; o que cria umha mudança radical no tecido que conforma a força de trabalho. O que nom supom que estes novos proletários assumam a sua ubiquaçom nas relaçons sociais de produçom, senom que muitos dos mesmos fornecem os corpos gerenciais do sistema, constituindo o que poderíamos denominar desde umha visom sociológica e politica, as classes intermediarias. Pois sendo assalariadas, a sua funçom nas relaçons sociais de produçom é a intermediaçom entre as sinarquias e os trabalhadores.

A existência dumha ditadura do capital nos Estados complexos e mui estruturados é consubstancial com a hegemonia ideológica, política, do bloco social oligárquico. Poderíamos afirmar que para a existência da democracia, é inerente que a ditadura do capital esteja acochada sob a hegemonia cultural e ideológica da grande burguesia. Para a construçom e imposiçom ideológica através do consenso precisa da aliança de classe com as classes intermediarias, estamentos profissionais e gerenciais do sistema; e da propriedade directa ou indirecta dos média para actuar sobre o imaginário das classes trabalhadoras e homogeneiza-las ideologicamente em torno aos mitos e signos da cultura do espectáculo, da publicidade, e da aparência ou imitaçom.

O imaginário colectivo nunca é umha construcçom espontânea, surgida da nada; é sempre expressom da alienaçom real-concreta. Jamais pode ocorrer que um fenómeno de alienaçom ideológica (real-abstracto) nom venha dado por um feito de alienaçom na estrutura sócio-económica (real-concreto). A educaçom junto com a religiom constituem os constructos fulcrais na conformaçom do imaginário dos estamentos profissionais e gerenciais -hoje no Estado espanhol o ensino nas cidades está dominado pola escola concertada, na sua maior parte, eclesiásticas - que é assumido em parelho polo conjunto da sociedade através da imitaçom e na vacuidade da cultura-espectáculo. Este sistema de dependência (alienaçom na estrutura sócio-económica a carom da alienaçom ideológica) forma o sentido comum, o grande acumulo de fidelidades à organizaçom social económica do capitalismo; constituindo umha das mais grande ferramenta ao serviço das oligarquias e sempre disposta a trair qualquer impulso subversivo.

É preciso agir para derrubar o sentido comum. Subverter esta super-estrutura que assimila a visom da realidade dos subjugados à da oligarquia é fulcral para à vez poder acabar o saqueio da riqueza colectiva criada graças à acçom da força de trabalho, seja esta intelectiva o física. Agora bem, sem poder económico, sem poder mediático, como será possível abater o sistema capitalista? Defronte da mais acabada expressom da barbárie, o capitalismo; as mulheres e homens guímaros estám de novo na presença da velha pergunta, Que fazer?

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: * * Conheça os produtos e empresas que deveriam ser boicotados para castigar ao Governo de Israel pola sua massacre em Gaza ** BASENAME: conheca-os-produtos-e-empresas-que-deveriam-ser-boicotados-para-castigar-ao-governo-de-israel-pola-sua-massacre-em-gaza DATE: Sun, 07 Feb 2016 09:08:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ossiam CATEGORY: Ensaio TAGS: ----- BODY:

LISTA DE PRODUTOS A BOICOTAR: -
-FRUTAS: Mangas e melons CARMEL. Abacate ecológico Ecofresh-Carmel.
-TECNOTRON: Foto matom e outras instalações recreativas de rua.
-NANAS: Estropalhos ou buchas saponáceos.
-PATACAS: Variedade Mondial, LZR (Em Mercadona) variedade Vivaldi e Desiree.
-VINHO: Carmel Mizrachi Wines, vinhos de Israel.
-ESHET-EYLON: Classificaçom automática de frutas.
-NETAFIM: Equipas de rego.
-MILONOT: Pensos para o gando, Planta têxtil algodoeira, Central de mecanizaçom do algodom, Matadouro de aves, Envasado de frutas, Processado de frutas e hortaliças ou legumes, Maduraçom e envasado de bananas, Centro de processo de dados...
-DÁTILES CARMEL: Jordan Plains.
-ÁGUA MINERAL EDEN: Garrafas para fontes públicas.
-MENNEN: Sistemas de monitorizaçom de pacientes em cuidados intensivos.
-COSMÉTICOS REVLON: Em quase todas as drogarias e perfumarias.
-AHAVA: Cremas, sais, loçons.
- CALÇONS DE BANHO MAIÔS: GIDEON OBERSON e GOTTEX.
-ROUPA INTERIOR: VITÓRIAS SECRET, WARNACO, THE GAP, NIKE.
-APARELHOS DE AR ACONDICIONADO JOHNSON, WHITE WESTINGHOUSE, AIRWELL e ELECTRA.
-EPILADY: Máquinas de depilar e massagem.
-VEET: Cera de depilaçom.
-INTEL: O maior fabricante de micro processadores do mundo. Foi a primeira empresa estrangeira que abriu uma sucursal em Haifa em 1974.
-EMBLAZE: Esta companhia israelense pola primeira vez estará na prestigiosa pronta de companhias como Nokia e outras que desenvolvem telefones móveis. Emblaze actuará em conjunçom com a israelense Partner Communications, que opera com o nome de assinatura de Orange.
-RAFAEL: Sistemas de segurança para o lar.
-EMPRESAS ESTRANGEIRAS QUE APOIAM A ISRAEL: McDonald's, Timberland, Revlon, Garnier, Hugo Boss, Tommy Hilfiger, Calvin Klein, L'Oreal, Garnier.....
-JOHNSON & JOHNSON: No 50º Aniversário da Independência de Israel, a Johnson No 50º Aniversário da Independência de Israel, a Johnson & Johnson foi-lhe concedido o maior galardom, o Jubilee Award, em reconhecimento a seu apoio à economia israelense.
-TELEFÓNICA: Adquire grande parte de seus produtos em Israel entre eles, os multiplicadores de linhas, componentes para redes e sistemas de facturaçom de telefonemas.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Ucrânia: camisas castanhas e botas pretas Ilegalização do Partido Comunista BASENAME: canta-o-merlo-ucrania-camisas DATE: Sun, 07 Feb 2016 09:03:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ucrânia: camisas castanhas e botas pretas Ilegalização do Partido Comunista

Higinio Polo
http://www.odiario.info/?p=3909

Quando as camisas castanhas dos fascistas, as botas pretas dos gangs paramilitares assolam as cidades ucranianas, e o Partido Comunista é proibido e forçado a passar à clandestinidade começam a faltar na Europa vozes que clamem por liberdade

Com o triunfo do golpe de Estado na Ucrânia, em Fevereiro de 2014, os sinais da extrema-direita no país foram detectados desde o início: a incorporação dos membros do Governo do partido fascista Svoboda, a presença ativa do nazis Pravy Sektor na polícia, na Guarda Nacional criada pelo governo golpista, nas unidades do exército que foram enviadas para esmagar os protestos contra o golpe de Estado, e o controle das ruas das principais de cidades ucranianas por batalhões paramilitares destes grupos fascistas foram o sinal de por onde iriam as coisas nessa "nova Ucrânia democrática", nascida com o golpe, graças ao apoio ocidental, com a sua diplomacia, dinheiro, armas e grupos de choque paramilitares.

Na Polónia foram treinados os grupos de provocadores que atuaram nos dias de Maidan e, com a boa vontade da União Europeia, os serviços secretos norte-americanos e polacos desencadearam os mecanismos que levaram ao buraco negro em que a Ucrânia se encontra hoje.

Os protestos foram esmagados sem piedade: lembremos o horror das cenas dantescas do incêndio do edifício dos sindicatos de Odessa, onde os nazis queimaram vivas muitas pessoas que protestavam contra o golpe e onde o massacre nunca foi investigado pelas autoridades, como não mostraram nenhum interesse em investigar a origem dos franco-atiradores misteriosos que causaram a matança de Maidan anterior ao golpe. Só na Crimeia e no leste do país, os opositores conseguiram resistir com sucesso ao golpe, ainda que no Donbass se viram envolvidos na guerra civil.

Desde então, o governo Poroshenko e Yatseniuk dedicou-se a acabar com a resistência em Donetsk e Lugansk, numa "operação antiterrorista", como eles a chamaram, que já causou quase dez mil mortos, dezenas de milhares de feridos e a destruição de grande parte da infraestrutura e bairros nas aldeias e cidades. As camisas castanhas e botas pretas dos paramilitares fascistas devastaram o país, e eles não têm descansado desde então. São comuns na Ucrânia desfiles fascistas nas cidades, e nos estádios de futebol mostram-se os símbolos nazis sem rebuço. A tortura é uma prática comum nos quartéis e esquadras de polícia, e até mesmo em centros de detenção que a extrema-direita controla.

Contam-se por dezenas os comunistas mortos sem que as autoridades judiciais ou policiais investiguem os crimes.
Um dos objetivos do governo golpista, com o apoio dos EUA, foi a destruição da esquerda ucraniana: os ataques às sedes do Partido Comunista, os incêndios de casas particulares e locais comunistas, os espancamentos e assassinatos cometidos em total impunidade, a caça e militantes de esquerda, foram moeda comum desde o primeiro dia. Deputados comunistas foram agredidos na própria Rada, o parlamento, como o próprio secretário-geral Simonenko, e o governo tentou desde o primeiro dia ilegalizar o Partido Comunista. O processo conduzido por Poroshenko e Yakseniuk atingiu extremos delirantes: o juiz viu seus escritórios invadidos por homens suspeitos armados; registos e documentação roubados, numa atmosfera de ameaças a juízes independentes que não podiam ser denunciados porque hoje todos sabem que na Ucrânia os fascistas matam. O juiz foi forçado a deixar o caso, e feitas muitas pressões e ameaças a jornalistas e críticos honestos que poderiam informar a população, o governo golpista conseguiu que no final de dezembro de 2015 esse tribunal declarasse ilegal o Partido Comunista da Ucrânia, para que não pudesse agir e concorrer a eleições, nem organizar-se livremente: foi forçado a passar à clandestinidade.

As sensibilidades democráticas da União Europeia e os Estados-Membros não demonstraram nenhuma preocupação com a proibição do Partido Comunista, nem com o regresso do fascismo sanguinário à Ucrânia. Mas que os centros do poder do capitalismo, Bruxelas e Washington, não tenham feito a menor objeção está dentro da ?normalidade? hipócrita a que nos têm acostumado; no entanto, é muito preocupante e revelador que boa parte da esquerda europeia, começando pela social-democracia, não tenha esboçado o menor protesto por tal ultraje.

Maus tempos para a liberdade. O próprio Presidente Poroshenko enriqueceu graças à corrupção e negócios sujos, enquanto o seu governo impunha novos sacrifícios à população, aceitando as imposições do Fundo Monetário Internacional e abria as fronteiras á entrada das unidades da OTAN. Enquanto a guerra civil continua no leste do país e os cidadãos ucranianos suportam uma vida cada vez mais difícil; enquanto o país se está afogando numa corrupção delirante e os principais responsáveis do governo roubam às mãos cheias e se apoderam dos recursos da Ucrânia; quando as camisas castanhas dos fascistas, as botas pretas dos gangs paramilitares assolam as cidades ucranianas, e o Partido Comunista é proibido e forçado a passar à clandestinidade começam a faltar na Europa vozes que clamem por liberdade.

* Professor universitário
Este texto foi publicado em: http://www.elviejotopo.com/topoexpress/ucrania-camisas-pardas-y-botas-negras/

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: Improvisação com rima BASENAME: improvisacao-com-rima DATE: Fri, 05 Feb 2016 22:30:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: intimidades CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

deixar fluir o tempo com o tempo
a vida continua pelas mãos afora
e nada mais que o vento pelo vento
se deixa arrastar para o interior da porta
do peito deste peito dos seus peitos
gravados na memória da memória
e no ventre da deusa em que derreto
em carne e voz a diluir na boca
a sensação de polpa que um segredo
deixa na boca da boca dessa boca

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Galiza diante a reformulaçom do Estado por Nestor Rego Candamil BASENAME: nestor-rego-candamil DATE: Fri, 05 Feb 2016 20:38:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 26 de Janeiro, professor de Língua e Literatura Galegas galega e Secretário-Geral da Uniom do Povo Galego (UPG) e membro da Executiva Nacional do BNG, Nestor Rego Candamil , intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social.

Na sua interesante conferencia sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado, Rego Candamil analisou desde a perspectiva da Uniom do Povo Galego, a funçom que a naçom galega deve manter diante da vindoura reformulaçom do Estado,

Ao findar a sua exposiçom o palestrista mantivo um interessante colóquio com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: História do nobre Ponto, rei de Galiza e de Bretanha por Henrique Harguindey Banet BASENAME: henrique-harguindey-banet DATE: Thu, 04 Feb 2016 16:55:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No salom de actos de ?Portas Ártabras? o passado dia 02 de Fevereiro, o professor, tradutor e escritor, Henrique Harguindey Banet falou dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom.
Com umha interessante exposiçom fizo umha analise e descriçom dum dos mais importantes livros franceses de cavalaria do século XIV ?Historia do nobre Ponto, rei de Galiza e de Bretanha"; na que Galiza e Corunha som marcos e referentes da acçom literária da novela, mostrando com o mesmo a importância do nosso País no imaginário cultural europeu da época.

Ao findar o conferenciante mantivo um mui interessante colóquio com o público assistente.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Mês de Entruido com gastronomia, monicreques, música, fotografía... BASENAME: mes-de-entruido-com-gastronomia DATE: Thu, 04 Feb 2016 15:52:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No próximo fim de semana abrimos as atividades de fevereiro na Fundaçom Artábria com a apresentaçom na sexta-feira, 5, da nova entidade reintegracionista de ámbito nacional, a Associaçom de Estudos Galegos.

O ato dará início às 20.30hs e no mesmo intervirám Beatriz Bieites, professora do Departamento de Português da EOI de Compostela; Paulo Painceiras, ativista cultural na Gentalha do Pichel e impulsionador das Escolas Semente; e Maurício Castro Lopes, primeiro presidente da Fundaçom Artábria e atual professor de Português na EOI de Ferrol.

Sábado, 6 de fevereiro, decorrerá a já clássica ceia de Entruido. O preço da ementa é de 15 euros, 12 para sóci@s ou se vinheres disfarçad@, e consisitirá em: Sopa, Lacom com Grelos, pam, sobremesa de Entruido, água e vinho. O início da ceia está programado para as 22.00hs.

Haverá prémios aos melhores disfarces. Podes inscrever-te ao balcom do café-bar ou no correio-e: correiodeartabria@gmail.com

No 12 de fevereiro, sexta-feira, decorrerá o lançamento de Seique, o novo livro de Susana Sánchez Arins, editado pola Através Editora. A apresentaçom começará às 20.30h e contaremos com a presença da autora.

"Seique, é umha historia familiar. Umha micro-história da repressom. Um relato descarnado da brutalidade franquista. Contado, por umha vez, do lado da familia dos vitirmários. Sem concessom. Com toda a dureza. Com toda a dureza. seique reflexiona sobre o jeito como a história se desescreve. Sobre a violência. Sobre a repressom fascista que ficou agachada por se exercer no ámbito familiar próprio e, subretodo, contra as mulheres. E sobre a necessidade de reivindicar que quem causou tanto dano nom tem direito ao anonimato. Mesmo que seja da família de umha. Porque de nada serve o silêncio".

No dia 13 de fevereiro, às 20.30h, inauguramos a exposiçom fotográfica da ferrolana Iris Cabezas ?Vida e Media?. Som 16 imagens cuja temática é umha linha da vida, procurando ensinar umha transiçom à voltade momentos e sentimentos.

Iris Cabezas é umha joven de 20 anos, que como diz "está comezando neste mundo" e esta é a sua primeira exposiçom. Em palavras da fotógrafa "espera que algum dia alguém veja umha fotografía dela e diga, esta chica chamava-se Iris".

A exposiçom poderá visitar-se até 11 de março em horário de abertura do Centro Social (10.30-13.30h e de 17.30 a 22.00)

Na sexta-feira 19, chegará desde Compostela a companhia "Titeres Cascanueces" para nos trazer o espetáculo infantil de monicreques "O dianho na maleta". A atuaçom está marcada para as 19.00hs e a entrada é de graça.

A música chega 20 de fevereiro, sábado, da mao do músico ferrolano Jamie Fifthring, que acompanhado da sua banda, apresenta no nosso Centro Social o seu novo EP "The Pilgrimage".

O concerto será às 22.30h e a entrada é gratuita.

No domingo, 21 de fevereiro, às sócias e sócios junto a todo aquel que quiger botar umha mao temos umha cita com umha umha jornada de manutençom do nosso local, com o fim de arrumar as salas de reunions, biblioteca, limpar o café-bar, pintar paredes... e assim termo-lo um bocadinho mais arrumadinho. A jornada de limpeza começará por volta das 11:00hs;

Na sexta-feira 26, as amigas da Associação Cultural O Beco da da Língua organizam a II Luso-petiscada, com um novo obradoiro e ementa degustaçom ainda por concretizar, em que voltarám a trazer sabores da lusofonia ao Centro Social.

Fechamos as atividades do mês, sábado 27, com a apresentaçom da "Proposta de aglutinaçom normativa" da AGAL. No ato intervirá o novo presidente da entidade reintegracionista, Eduardo Sanches Maragoto. O ato está marcado para as 19.00hs.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Cinco horas de fado BASENAME: cinco-horas-de-fado DATE: Thu, 04 Feb 2016 07:46:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ideal para trabalhar e esquecer o computador.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Concurso de Teatro Infantil BASENAME: o-facho-concurso-de-teatro DATE: Fri, 29 Jan 2016 16:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO DE TEATRO INFANTIL CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO.

Assumindo como próprias as palavras de Juan Ramón Jiménez quando afirmava que ?Teatro infantil é aquele que também lhe gosta aos nenos?, a Agrupaçom Cultural O FACHO acordou convocar o Concurso de Teatro Infantil, que se regerá polas seguintes bases:
1º) Poderám optar ao devandito prémio qualquer pessoa, sem restriçom, sempre que a obra seja inédita e redigida em língua galega, em qualquer norma ortográfica (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) nom representadas, nem premiadas noutros certames.
2º) Estabelece-se como prémio único de 200,.- ? e umha biblioteca de livros teatrais.
3º) A obra, que nom poderá exceder os 80 fólios, será apresentada por triplicado, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara.
4º) Os originais para o Concurso enviaram-se por correio à Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal d'A Crunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
5º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2016 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
6º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo está composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito teatral galego.
7º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Agrupaçom Cultural O Facho
Na Crunha, 27 Janeiro

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Concurso de Poesia BASENAME: o-facho-concurso-de-poesia-2 DATE: Fri, 29 Jan 2016 16:10:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

CONCURSO DE POESIA CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO

A Agrupaçom Cultural O FACHO convoca o Concurso de Poesia 2016, que se regerá polas seguintes bases:

1º) Ao prémio de poesia d'O Facho poderám concorrer qualquer pessoa até os 35 anos de idade e sempre que nom tenha publicado nengum livro individual de poesia e a obra seja inédita e nom ter sido premiada com anterioridade em qualquer outro concurso ou certame.
A obra presentada deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADA, LUSOFONA) e com um máximo de umha obra por autor. É responsabilidade do júri do prémio determinar se algum dos trabalhos apresentados possui ou nom as características para ser considerado ?livro?. Porém, recomenda-se que tenham umha extensom mínima de 300 versos.
2º) Os originais para o Concurso enviaram-se por triplicado devidamente encadernados, em formato DIN A4, a dobre espaço e mecanografados por umha soa cara, à Caixa de Correios n.º 46, Oficina Principal da Corunha. Apresentaram-se sob um lema, que figurará na portada dos textos enviados, e viram acompanhados de um envelope fechado que contenha no exterior o lema da obra e, no interior, o nome, apelidos e telefone do autor ou autora.
3º) Estabelece-se como prémio único a ediçom da obra premiada. O Facho fará a entrega ao/à autor/a de 100 exemplares.
4º) O prazo de admissom de originais finda o dia 15 de Abril do 2016 às doce da noite. O falho do prémio fará-se público no mês de Maio.
5º) Os ganhadores serám elegidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O FACHO. O mesmo estará composto por pessoas de reconhecido prestigio no âmbito da escrita literária, da ediçom ou da crítica.
6º) O júri poderá declarar deserto o prémio do concurso e resolvera aquelas situaçons que se pressentem e que nom esteiam contempladas nestas bases, assim como as duvidas que podam existir na sua interpretaçom. Assim mesmo, o júri escolherá de entre os trabalhos apresentados um único libro. Ademais, poderá deixar constáncia na acta outros títulos considere merecedores de ser publicados, nom significando isto nengum compromisso por parte d'O Facho. Nom se fará referencia na acta ao nome dos autores ou autoras dos livros mencionados.
7º) O Facho disporia do prazo de um ano para editar o livro. Transcorrido esse tempo, o autor ou autora poderá dispor da obra com a única condiçom de que deverá deixar constáncia do galardom em sucessivas ediçons do livro.
8º) A participaçom neste Certame implica assumir as bases do mesmo.
9º) Os originais nom premiados poderám ser retirados, no prazo de 30 dias, no local de O Facho, prévio correio dirigido ao endereço postal da Agrupaçom. No caso de que o autor o autora nom resida na Corunha poderá solicitar que lhe sejam enviados por correio postal.
10º) Esta convocatória entrará em vigor ao dia seguinte da sua publicaçom nos médios.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br

Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Agrupaçom Cultural O Facho
Na Corunha, 27 Janeiro 2016

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Concurso literário de Contos de Nenos para Nenos BASENAME: o-facho-concurso-literario-de DATE: Fri, 29 Jan 2016 16:05:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CONCURSO LITERÁRIO DE CONTOS DE NENOS PARA NENOS CONVOCADO POLA AGRUPAÇOM CULTURAL O FACHO


Recuperados em 2008 os prémios literários que desde os anos sessenta convocou O FACHO e nos que participárom ou ganhárom muitos dos escritores e escritoras que hoje fam possível com a sua obra umha literatura galega de qualidade e de grande importância nas letras universais, realiza-se a convocatória para 2016 do Concurso Literário de "Contos de Nenos para Nenos"

BASES DO CONCURSO

1. Poderám participar rapazes e raparigas que pressentem as suas obras em Língua galega. Os trabalhos presenteados deveram ser originais e inéditos em toda a sua extensom.

2. O prazo de admissom de originais finaliza o dia 15 de Abril do 2015 às doce da noite.

3. A apresentaçom de originais para o Concurso fará-se por correio postal dirigido à Associaçom Cultural O FACHO, Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal. Podendo fazer individualmente ou por médio do centro onde curse os seus estudos.

4. No caso em que sejam os centros escolares os que pressentem os originais ao Concurso, deveram fazer umha pré-selecçom dum máximo de dous trabalhos por categoria, qualquer outro terá que ser apresentado individualmente.

5. As obras haverem de serem relatos originais e nom estarem editados por nengum procedimento impresso ou electrónico, nem terem sido premiados em qualquer outro concurso ou certame literário e em condiçons para que os seus direitos de publicaçom podam ser cedidos à Associaçom Cultural O FACHO por período de cinco anos contados a partir do dia do falho do júri.

6. Para além da originalidade literária, o júri valorizará a riqueza lingüística e o conhecimento gramatical reflectido nas obras. As obras presentadas deve estar escrita em língua galega em qualquer das três normas ortográficas (RAG, REINTEGRADO, LUSOFONO)

7. Estabelecem-se duas categorias:

Categoria A Nenos e nenas de 6 a 12 anos.
Categoria B Rapazes e raparigas de 13 a 16 anos.

8. As quantias dos prémios serám as que seguem:

Categoria A
1º: 200,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais.
2º: 100,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

Categoria B
1º: 200,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais
2º: 100,.- ? em efectivo, e umha valiosa biblioteca doada por diversas editoriais

9. Cada autor só poderá apresentar umha obra atendo-se aos seguintes limites de extensom:

Categoria A Um máximo de cinco fólios
Categoria B Um máximo de dez fólios

10. As obras haverem de se apresentar por triplicado, manuscritas ou mecanográficas, encadernadas ou grampadas e levaram por detrás do último folio os seguintes dados:

Nome e apelidos do autor/a.
Endereço e telefone. Correio electrónico.
Centro onde cursa os seus estudos.
Categoria na que participa.

11. Os prémios serám escolhidos por um júri nomeado pola Associaçom Cultural O Facho em falho que se fará público no mês de Maio.

12. O júri poderá declarar deserto um ou vários dos prémios do concurso e será o que deverá resolver aquelas situaçons que se pressentem e que nom estejam contempladas nestas bases, assim como as dúvidas na sua interpretaçom.

13. A participaçom neste Concurso implica a aceitaçom das presentes bases.

Correio electrónico: o_facho_a_corunha@yahoo.com.br
Segue-nos em Facebook: Agrupación Cultural O Facho
Blogue:
http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/



Corunha, 27 de Janeiro 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta cineclube: Os anos de chumbo. BASENAME: novo-ciclo-do-cineclube-dedicado DATE: Thu, 28 Jan 2016 17:29:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Inauguramos novo ciclo do Cineclube Mádia Leva! desta vez dedicado à temática de género. O filme desta semana será Os anos de chumbo, da cineasta alemá Von Trota.
Convidamos-vos a assistirdes ao primeiro filme do ciclo nesta próxima sexta-feira, 29 de janeiro, às 21h30.
Como sempre haverá cea com debate acerca do filme e da temática do ciclo.

Acerca do filme: Os anos de chumbo (o íntimo é político)

Na longa filmografia da cineasta alemá repete-se o mesmo motivo, por muito variadas que sejam as temáticas, a consigna feminista de o íntimo é político é umha constante dos seus filmes e manifesta-se como umha crítica à separaçom da esfera pública e privada como enmascaramento do exercício de poder. "Nom fago diferença entre a vida política e a vida privada, posto que esta última costuma ser umha expressom dum entorno social" diz-nos a própria directora.

Nos anos de chumbo, Von Trotta traça esse percurso que vai do pessoal e íntimo ao político, da relaçom entre duas irmás aos convulsos anos setenta da RFA. Julianne, umha jornalista feminista e Marianne militante da organizaçom armada RAF, mantenhem umha tensa relaçom pola discrepância na escolha dos meios para desenvolver o seu activismo. O filme abre-se com a irrupçom na casa de Julianne do marido de Marianne que pretende deixar o Jan, filho de ambos, sob a custódia de Julianne, pois ele vé-se superado pola situaçom desde que Marianne decidiu abandoná-lo para se integrar na RAF, Julianne internará o Jan num orfanato, pois esta nega-se a renunciar a sua independência. O filme fecha-se com Julianne assumindo a custódia de Jan, depois de Marianne ter sido suicidada, que diria Foucault, polo governo alemao na cela da prisom; o final do filme remete para o início pois Jan exige de Julianne saber toda a verdade sobre a sua mae, ?contarei-che todo o que sei, responde Julianne?. E no caminho do princípio para o final, o filme segue a evoluçom de Julianne, desde a frontal oposiçom aos métodos da irmá, a entrega e solidariedade com Marianne já na cadeia, até a investigaçom para esclarecer o assassinato de Marianne na sua cela, que a versom oficial do estado alemao transforma num suicídio, no caminho Julianne abandona umha relaçom sentimental aparentemente sólida com um homem mais velho que ela, mas que se vai desgastando quando Julianne presta ajuda incondicional à irmá, pois este é incapaz de compreender as motivaçons de Julianne.
Porém, vom Trotta recusa desenvolver a trama recorrendo às normas da narrativa clássica, o filme vai-se sucedendo através de saltos temporais que racham com a evoluçom lineal da narraçom, estas rupturas temporais servem para estabelecer a ligaçom entre a relaçom íntima das duas irmás e o contexto social e histórico, reconstruindo a unidade entre o íntimo e o político. A memória joga aqui um papel importante, lembranças da infância e da juventude, imagens que ficam gravadas no inconsciente e emergem nos sonhos, referências ao passado que se manifestam como substáncia mesma do presente. O nazismo, a amnésia colectiva de post-guerra, vietnam, os factos históricos aparecem como indissociáveis na história pessoal das duas irmás, deste modo, Von Trotta pom ao descoberto os mecanismos de poder que se ocultam detrás da estratégia de separaçom da esfera privada e pública na sociedade capitalista patriarcal para denunciar o submetimento e o controlo que exercem as instituiçons familiares, educativas, religiosas, políticas, penitenciárias, no corpo e na mente das mulheres. Os anos de chumbo é aliás, umha impugnaçom à República Federal Alemá, pois ditas instituiçons assentam-se na base do processo de reconstruçom do estado após a II guerra mundial.
Julianne e Marianne com distintos métodos luitam e batem contra as instituiçons do domínio masculino, cargam com o peso da sua história e tratam de liberar-se dela, enfrentam-se entre elas na procura dumha identidade, e ao mesmo tempo, sostenhem-se umha na outra apelando à solidariedade.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novo ciclo do cineclube dedicado à temática de género. BASENAME: nov DATE: Thu, 28 Jan 2016 17:22:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Acerca do ciclo: questom de género

Quando os sisudos historiadores do cinema, académicos, críticos e especialistas que constroem a sua história e elaboram o cánone, incerto como o futuro da indústria do cinema em crise, se virom na obriga de introduzir nos seus estudos os nomes de cineastas procedentes de sectores da populaçom excluída do sistema, por razons de raça, de género, de classe,... e quando aliás, o impacto dos filmes destas realizadoras excluídas, ameaça com quebrar a ordem estabelecida por convençons e padrons postos ao serviço da reproduçom em série de valores dominantes e hegemónicos, entom, esses mesmos estudosos do cinema, acham a fórmula para desactivar o potencial desestabilizador destas autoras separando-as da História do cinema, convertendo-as em vozes secundárias no desenvolvimento e evoluçom da arte cinematográfica. Aparecem desse modo epígrafes sobre o cinema do tipo: feito por negros, cinema gay e lésbico, cinema do terceiro mundo, cinema feito por mulheres. A manobra consiste em, por um lado, uniformizar e homogeneizar a diversidade e singularidade das cineastas apresentando-as como um modelo ou arquétipo dum tipo de cinema concreto, e polo outro impedindo que manifeste umha identidade colectiva, pois os modelos e arquétipos ajustam-se à repressentaçom que a cultura dominante constroe sobre a sua condiçom.
É o caso do cinema feito por mulheres, por umha lado, define-se com traços uniformadores o cinema feminino a partir dos estereótipos construídos pola própria indústria do cinema, filmess para mulheres, sentimentalistas, vitimistas, intimistas..., mas ao mesmo tempo oculta-se umha entidade própria e a possibilidade de construir umha identidade em que poidam reconhecer-se as mulheres fora do marco de repressentaçom imposto pola indústria do cinema e a cultura patriarcal.
A intençom do cineclube Mádia Leva, ao apresentar sob o mesmo ciclo quatro filmes feitos por mulheres é inverter os termos da ecuaçom, por um lado, afirmando o carácter singular de cada obra, os quatro filmes som muito distintos, representam diferentes estilos e diferentes discursos, as autoras destacam-se aliás, por manter umha posiçom de independência inegociável frente ao cinema comercial.
Por outro lado, se pudermos estabelecer vínculos comuns entre os filmes estes passam por tratar, de diferentes perspectivas, a questom de género. Se como autoras decidem rachar com as formas narrativas do cinema clássico na procura dumha linguagem própria, como mulheres empregam essa linguagem para abranger de umha posiçom feminista questons excluídas do cinema convencional. Ann Kaplan, crítica norteamericana e feminista de cinema pom como exemplo algumhas das questons recorrentes nos filmes feministas, ?A reflexom sobre a relaçom indivíduo-comunidade, o auto-questionamento, a interrogaçom sobre a própria identidade em desavença ou oposiçom aos conteúdos da ordem simbólica patriarcal?. Questons todas elas presentes nos filmes programados para este ciclo.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Concerto de Böj este sábado na Fundaçom Artábria BASENAME: concerto-de-boj-este-sabado DATE: Wed, 27 Jan 2016 23:23:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No próximo sábdo, 30 de janeiro, fecharemos as atividades do mês com um concerto do grupo Böj.

Böj é umha formaçom nascida em Ferrol que fai música irlandesa e escocesa mas deixando um toque galego. O grupo está composto por Fausto Escrigas: Low whistle e bouzouki Hannah Kitts: Violino e dança irlandesa Matthew Ward: Acordeom Rubén Gómez: Guitarra Pablo Vergara: Bodharm. Ricardo Mouriño: Gaita galega, tin whistlee flauta travesseira.

O concerto começará às 22.30h e a entrada é de balde.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Henrique Harguindey Banet - "Historia do nobre Ponto, rei de Galiza e de Bretanha" BASENAME: o-facho-henrique-harguindey-banetl DATE: Wed, 27 Jan 2016 07:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho d?A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16


Palestra


O vindouro dia 02 de Fevereiro, terça (martes), o professor, tradutor e escritor, Henrique Harguindey Banet falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua charla versará sobre: "Historia do nobre Ponto, rei de Galiza e de Bretanha"

Harguindey Banet é catedrático de Francês de Bacharelato (jubilado). Como tradutor verteu numerosas obras ao galego dende aquela língua. Algumhas atopam-se no sitio Internet ?palabrasdesconxeladas.gal? onde se pode aceder livremente.
Entre as obras traduzidas para o galego podemos sublinhar:
Três peças cómicas medievais, Historia de rei Kabul, O reiciño de Galicia, Gargantúa e Pantagruel, A escuma dos días, A cantante calva, etc...
Como autor tem publicado individualmente assim como em parceria, só imos mencionar algumhas das mesmas:
La Galice, dez séculos de olladas francesas, A saquetiña da lengua, Lerias e enredos para os máis pequenos, Antoloxía do conto popular galego (estas duas últimas junto a Maruxa Barrio)
Sendo ainda estudante na Corunha foi um dos co-fundadores da Agrupaçom Cultural O Facho. Durante a Tirania franquista mantivo umha intensa vida política em contra da mesma que prolongou posteriormente perante muitos anos.

Dia: 02 de Fevereiro 2016 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras
Cidade Velha - Corunha


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d'O Facho

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas: Caixa Rural: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: I Luso-Petiscada: A mouraria Alfacinha em Ferrol BASENAME: i-luso-petiscada DATE: Mon, 25 Jan 2016 15:50:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na próxima sexta-feira, 29 de janeiro, contamos com umha nova jornada gastronómica no Centro Social da mao das companheiras da Associação Cultural O Beco da Língua.

A jornada dará início às 18.00hs com um ateliê onde aprenderemos a preparar Humus, Guacamole, Burguer de Falafel e Cocadas da Síria.

O preço do obradoiro é de 5 euros com direito à degustaçom da ementa preparada a partir das 21.00h. Para aqueles/as que nom poidam participar ou a cozinha nom seja o deles/as também poderám degustar os produtos elaborados por um preço de 5 euros.

Segundo as companheiras do Beco da Língua "Trata-se de continuarmos a aproximar distintos sabores da lusofonia a Ferrol. Nesta ocasião fazemos uma aposta pelo veganismo, através dos sabores mais árabes que podemos encontrar no bairro da Mouraria em Lisboa.

Queremos aprender e que aprendam connosco por isso o evento é mais do que uma simples comida,, prepararemos tudo entre todas, aprenderemos nomes de ingredientes, de processos, de instrumentos de cozinha, etc."

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Novo curso na Fundaçom Artábria desde fevereiro: Pilates BASENAME: novo-curso-na-fundacom-artabria DATE: Mon, 25 Jan 2016 15:13:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O próximo mês de fevereiro dará início um curso de Pilates, que se somará aos que já venhem decorrendo desde o mês outubro. As aulas que serám impartilhadas por umha professora titulada terám lugar as terças-feiras ou quintas-ferias de 19.00 a 20.00hs.

O preço do curso será de 15?/mês para trabalhadores/as e 12 euros para sóci@s da Fundaçom Artábria e desempregad@s.

Lembramos os cursos e horários que há na atualidade. A inscriçom está aberta permanentemente.

Zumba (Professora Vanessa)

Segunda-feira 10.30h / 20.30h
Terça-feira 10.30h
Quarta-feira 19.00h
Quinta-Feira 10.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)
Preço 2 dias: 18 euros (15 euros sóci@s e desemrpegad@s)
Preço 3 dias: 20 euros (18 euros sócid@s e desempregad@s)

Zumba (Professora Maria)

Segunda-feira 18.30h
Terça-feira 21.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)
Preço 2 dias: 18 euros (15 euros sóci@s e desempregad@s)

Taichi (Professora Iolanda)

Segunda-feira 19.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Canto e Pandeireta (Professor Yerai)

Quarta-feira 20.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Dança Tradicional (Professor Uxio)

Quarta-feira 21.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Ioga (Professora Ana)

Quinta-feira 20.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Entruido 2016: compadres, comadres, ceia e mais... BASENAME: entruido-2016-compadres-comadres-ceia DATE: Mon, 25 Jan 2016 11:25:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Janeiro 2016

Durante as próximas semanas o Entruido volve ao bairro mais carnavalesco da Corunha. O nosso.

Por segundo ano consecutivo celebraremos esta mesma semana a Quinta de Compadres, com todos e todas obrigadas a vir disfarçados com motivos próprios da vestimenta masculina, contemporánea ou nom. E na seguinte semana, Quinta de Comadres, com a jornada dedicada ao disfarce com motivos femininos.

Ainda, na quinta 28 haverá a grande Ceia de Entruido às 22 horas: lacom com grelos, bebida, sobre-mesa de filhoas e café por apenas 10? por pessoa. O trabalho e os benefícios serám repartidos entre o Centro Social e a nossa equipa de futebol gaélico, o Cascarilha.

Aponta-te! Participa do entruido popular corunhês!

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: Loaira Martínez Rey BASENAME: loaira-martinez-rey DATE: Fri, 22 Jan 2016 10:15:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Docentes CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Loaira nasceu em Compostela em 1981 onde se formou em Filologia Portuguesa (1999-2001).
Viveu vários anos em Lisboa, onde se formou como professora de PLE no Centro Cial e em técnicas editoriais na Universidade Clássica de Lisboa e na FCSH da Universidade de Lisboa. Desde fevereiro de 2013 forma parte da Ciranda, à volta do português!, onde trabalha como livreira especializada em livro em português e na área de organização de cursos e formações em português.
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta grupo de estudos co texto "Do Confederalismo democrático no Curdistám" BASENAME: esta-sexta-grupo-de-estudos-co-texto-do-confederalismo-democratico-no-curdistam DATE: Wed, 20 Jan 2016 13:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 22 às 21h30 no local do Ateneo Libertário Engranaxe organizamos mais umha sessom conjunta do grupo de estudos co texto "Do Confederalismo democrático no Curdistám" de Abdullah Öcalan. Continuamos deste jeito co ciclo sobre democracia directa com sessons que voltarám ser quinzenais a partir desta sexta. Haverá ceia e debate posterior.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Convocatória local contra a represom BASENAME: title-830 DATE: Tue, 19 Jan 2016 22:13:33 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Janeiro 2016

Antes de que no domingo tenhamos umha cita solidária com a Galiza rebelde na capital, dous dias antes, na sexta-feira 22, teremos umha iniciativa local.

Várias entidades agrupadas na Plataforma contra a Repressom da Corunha convocam às 20h, desde a Praça de Ourense, umha marcha para denunciar a perseguiçom de vári@s ativistas. A dia de hoje, ativistas contra os desafiuzamentos, participantes em convocatórias populares como a resposta ao congresso empresarial em Palexco, siareir@s do Deportivo da Corunha, ativistas sindicais e juvenis, encontram-se encausad@s ou condenad@s.

Distintas administraçons tenhem condenado sistematicamente aquelas pessoas que dam exemplo dumha Corunha resistente e combativa. A própria aprovaçom da Lei Mordaça polo governo saínte de Rajói em Madrid tem agudizado as contradiçons entre poder popular e poder vigente.

Para que isto nom aconteça impunemente. Para que o povo mostre que sabe reagir unido frente ao assédio policial e judicial. Saiamos às ruas. Que nom nos calem. Solidariedade por e para tod@s.

PRAÇA DE OURENSE. SEXTA-FEIRA (VENRES) 22. 20 HORAS

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mádia Leva! apoiamos a manifestaçom deste domingo. BASENAME: manifestacom DATE: Tue, 19 Jan 2016 19:24:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Manifestaçom nacional polos direitos civis e políticos BASENAME: title-829 DATE: Mon, 18 Jan 2016 21:05:48 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Janeiro 2016

Mais um fim-de-semana, desta volta domingo às 12h na Alameda da capital do País, toca estar com @s noss@s e também com nós própri@s. A raíz das detençons e a ilegalizaçom na prática da organizaçom independentista Causa Galiza, ao ser vinculada com um pretenso terrorismo político existente no nosso País, o povo deve reagir.

Frente à criminalizaçom e o permanente estado de tensom que quer gerar no independentismo o complot político-judicial espanhol, temos o dever de mostrar a nossa energia, firmeza e vontade de continuar, sempre à frente e de fazer força na adversidade.

Temos que colocar o inimigo na controvertida situaçom de nom sentir-se cómodo ante os permanentes golpes administrativos, policiais, judiciais, mediáticos, etc... com que nos "adoçam" a vida. Que saibam que medramos com eles, e que nom vamos ficar constrangid@s à mera açom-reaçom limitando o horizonte da nossa intervençom política ao seu compasso.

Corunha em pé POLOS DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS PARA TOD@S!
TOD@S A COMPOSTELA!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Nestor Rego Candamil - "Galiza diante a reformulaçom do Estado". BASENAME: o-facho-nestor-rego-candamil-galiza-diante-a-reformulacom-do-estado DATE: Sun, 17 Jan 2016 18:14:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 26 de Janeiro,Terça (Martes), professor de Língua e Literatura Galegas galega e Secretário-Geral da Unión do Povo Galego (UPG) assim como membro da Executiva Nacional do BNG, Nestor Rego Candamil, intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22-Cidade Velha.

Rego Candamil iniciou a sua trajectória política na juventude, militando na organizaçom estudantil ERGA, na Assembleia Nacional-Popular Galega (AN-PG) e na UPG. Participou, em representaçom de ERGA na comissom gestora que promoveu a fundaçom do Bloque Nacionalista Galego em 1982. Sendo estudante na Universidade de Santiago de Compostela participou também na fundaçom dos CAF (Comités Abertos de Faculdade) em 1984, aos que representou no Claustro Constituinte da USC. Em 1995 entra na Câmara Municipal de Compostela como concelheiro do BNG, fazendo parte do Governo Municipal desde 1999.Entre 2003 e 2008 exerce como porta-voz do BNG no Concelho e como Tenente de Alcalde e Concelheiro de Cultura. No ano 2011 integra a comissom que promove, por participaçom accionarial popular, a criaçom do diário digital e do semanário Sermos Galiza. Em Junho de 2012 é eleito Secretário-Geral da UPG no XIII Congresso do Partido. Posteriormente, na XIV Assembleia Nacional do BNG realizada em Março de 2013, passa a fazer parte da Executiva Nacional da organizaçom frentista, órgao em que desempenha a Secretaria de Iniciativas Políticas e Relaçons Internacionais.


Data: 26 de Janeiro 2016
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha
Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

Todas-las conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/
Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas:Caixa Rural: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Jornada cubana com Titeres e apresentaçom do livro comemorativo da Francisco Vilhamil BASENAME: title-828 DATE: Fri, 15 Jan 2016 23:59:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na próxima sexta-feira 22 continuam as atividades de janeiro na Fundaçom Artábria.
Desta volta decorrerá umha jornada com sabor cubano onde nom faltarám os mojitos.

A programaçom dará início às 19.00hs com a representaçom da obra infantil, mas para todos os públicos, "Redoblante e Menhique" pola companhia Titeres Cascanueces. A obra está baseada num conto do prócer cubano José Martí, e conta as aventuras de "Menhique" onde ensina que o saber vale mais que a força. A entrada é de graça.

A continuaçom, às 20.30hs @s companheir@s da Associaçom de Amizade Galego-Cubana Francisco Vilhamil apresentarám o livro comemorativo "Três decadas de Galiza com a revoluçom cubana" editado com motivo do 30 aniversário da entidade internacionalista.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Curso mulher e empoderamento. BASENAME: curso-mulher-e-empoderamento DATE: Fri, 15 Jan 2016 18:40:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

Programa curso

Módulo 1.

Autoestima e autoconhecimento.

Módulo 2.

Modelos tradicionais frente à construçom de novos modelos de masculinidade e feminidade.

Data 5 Março

A duraçom do curso é de 8 horas. Sábado de 10h. a 14h e de 16h. a 20h.

Ministra:
Cristina Rodriguez Ramos (Especialista em Género e violência. Técnica de igualdade em Vigo)

Inscriçom até 26 de fevereiro em madialeva.gz@gmail.com ou online na seguinte ligaçom Custo 20 euros (18 euros sóci@s)

Há limite de 20 vagas e só se farám efectivas prévia inscriçom e pagamento do curso.
Os pagamento serám feitos na conta de Caixa Rural ES63-3070-0001-27-6086332522 com o conceito de "Quota e nome completo da pessoa inscrita" ou no nosso local dentro do horário habitual.

----- COMMENT: AUTHOR: Sapos [Visitante] DATE: Thu, 21 Jan 2016 09:45:44 +0000 URL:

Pela segunda vez (aguardo que seja a derradeira) escrevo isto para vos lembrar que a palavra impartir é um crasso castelhanismo. Diz-se ministrar. Obrigado.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Prémio Cidade de Ponte Vedra para Calros Solla: Parabéns! BASENAME: title-827 DATE: Thu, 14 Jan 2016 16:02:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Desde a A.C. Amig@s da Cultura queremos enviar os nossos sinceros parabéns a Calros Solla, merecido recebedor do prémio Cidade de Ponte Vedra 2015.

Trabalhador incansável pola língua e património cultural e natural da Galiza, Calros participa activamente e colabora desinteressadamente com toda uma série de colectivos e associaçons, actividades durante as quais temos coincidido em muitas felizes ocasiões.

Quem conhece este etnógrafo e escritor prolífico e incansável sabe que é o amor à Terra o que alimenta a sua paixom contagiante, algo que desfrutamos de primeira mao e que aguardamos seguir partilhando no futuro.

Fica muita obra à frente nesta cidade, nesta comarca e neste País, e sabemos que o Calros é um companheiro senlheiro nesse caminho.

Ponte Vedra, 14 de janeiro de 2016

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Concentraçom Plataforma Feminista de Lugo BASENAME: concentracom-plataforma-feminista-de-lugo DATE: Thu, 14 Jan 2016 12:05:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá dia 15 nova concentraçom na praça Maior de Lugo às 20h00.
Junt@s remataremos co patriarcado criminal.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Joám Bascuas Jardom - Galiza diante da reformulaçom do Estado BASENAME: o-facho-joam-bascuas-jardom-galiza-diante-da-reformulacom-do-estado DATE: Thu, 14 Jan 2016 06:54:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 12 de Janeiro (Terça-Martes), o professor da EUTS da U.S.C., Joám C. Bascuas Jardón, e o actual Secretário Geral de Compromisso por Galiza intervirá dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto realizara-se às 8 do serám em Portas Ártabras, Rua Sinagoga 22-Cidade Velha.

Bascuas Jardom é Licenciado en Ciências Políticas e Sociologia pola U.C.M., na actualidade é professor da Escola de Trabalho Social (EUTS) da U.S.C.Com anterioridade desenvolveu a sua actividade docente em centros das outras duas universidades galegas. No tocante à sua actividade política, militou no B.N.G. O 14 de Setembro do 2012, foi elegido en primarias abertas candidato à Presidência da Junta de Galiza pola plataforma Compromisso por Galiza. O 16 de Dezembro desse mesmo ano, Compromisso celebra o seu congresso fundacional onde a maioria da sua afiliaçom decide por unanimidade que Joám Bascuas seja o seu primeiro Secretario Geral; responsabilidade que revalida no I Congresso Nacional da formaçom o 16 de Novembro de 2014, também por unanimidade.
Também foi delegado provincial da Conselharia de Vivenda na Corunha durante o governo do chamado Bipartito (2005-2009).

Data: 12 de Janeiro 2016
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha
Corunha


J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

Todo-las as conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O Facho. " Compromiso por Galiza " por Joám C. Bascuás Jardón BASENAME: o-facho-compromiso-por-galiza-por-joam-c-bascuas-jardon DATE: Wed, 13 Jan 2016 15:08:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 12 de Janeiro, o professor da EUTS da U.S.C., Joám C. Bascuas Jardón, e o actual Secretário Geral de Compromisso por Galiza intervéu dentro do Ciclo, Economia, História e Realidade Social. A sua charla versará sobre: Galiza diante a reformulaçom do Estado. O acto realizou-se em Portas Ártabras.

Com umha interessante palestra, Bascuas Jardón, mostrou é analisou desde a perspectiva de Compromisso por Galiza, o funçom que a naçom galega deve manter diante da vindoura reformulaçom do Estado, fazendo finca-pé na necessidade que este se artelhe desde a soberania das naçons numha estrutura confederal.
Ao findar a sua exposiçom o palestrista mantivo um interessante colóquio com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: O nosso é estar com @s noss@s BASENAME: o-nosso-e-estar-com-s-noss-s DATE: Wed, 13 Jan 2016 12:04:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Janeiro 2016

O nosso é estar com @s noss@s. Por isso participaremos da X Marcha às Cadeias organizada pola associaçom de familiares e amig@s Que Voltem Para Casa.

A jornada de sábado estará dedicada a visitar vários penais espanhóis onde se encontram afastad@s do País vári@s pres@s polític@s independentistas galeg@s.

"Derrubar os seus muros. Trazê-las para a casa" é a legenda desta ediçom, de cujo seguimento e participaçom podes consultar mais, além de no web, também aqui, no Facebook: https://www.facebook.com/Quevoltemparaacasa/?fref=ts

Eis o humilde vídeo elaborado para a cita pola nossa parte.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Sábado 16: sorteio da cesta de inverno BASENAME: title-825 DATE: Wed, 13 Jan 2016 11:39:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Janeiro 2015

A cesta de natal sae-se de data, e será sorteada neste sábado entre as pessoas que comprárom um número. Ainda estás portanto a tempo de participar. O mesmo sábado antes de fazer-se o sorteio poderás comprar algum número. Os produtos menos perecedouros já fôrom colocados ao longo destas semanas na cesta. Esperamos as achegas dos produtos mais perecedouros para os últimos dias.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Apoiamos a manifestaçom "En defesa dos direitos civis e políticos para todas e todos. Nom à ilegalizaçom de organizaçons políticas" BASENAME: title-824 DATE: Mon, 11 Jan 2016 10:36:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

De Amig@s da Cultura apoiamos e chamamos a participar nesta manifestaçom, convocada para o domingo 24 de janeiro e que partirá da Alameda de Compostela às 12h. A seguir publicamos o manifesto aprovado polas entidades convocantes:

Em 30 de outubro passado, nove independentistas galegas e galegos fôrom detidos pola Guardia Civil numha presunta ?operación antiterrorista? e acusados de dous delitos de ?integraçom en banda armada? e ?enaltecimento do terrorismo? que poderiam supor anos de prisom. As detençons estivéron acompanhadas dum importante dispositivo mediático que socializou a versom policial, condenando sem juízo prévio as nove pessoas detidas, vulnerando a sua presunçom de inocência e ocultando o impulso político do operativo policial. Agora, após a que se donominou Operación Jaro, estes cidadaos e cidadás galegas tenhem un processo penal aberto num tribunal de exceçom como é a Audiencia Nacional. Além disto, a organizaçom política na que militavam, Causa Galiza, conhecida publicamente desde 2007 polo seu trabalho en favor de direito de autodeterminaçom da Galiza e da independência nacional, foi suspendida durante um período de dous anos, o que equivale a umha ilegalizaçom de facto.

As organizaçons políticas, coletivos sociais, associaçons e sindicatos que convocamos a manifestaçom nacional ?En defesa dos direitos civis e políticos para todas e todos. Nom à ilegalizaçom de organizaçons políticas? queremos fazer público o seguinte:

1º Exprimimos a nossa solidariedade com as nove pessoas detidas pola Guardia Civil, exigimos a retirada das graves imputaçons penais às que estám submetidas no que é um novo caso de repressom política e denunciamos o carácter abertamente político da operaçom.

2º Exigimos o levantamento da suspensom das atividades políticas que desenvolve a organizaçom política independentista Causa Galiza e condiçons para o pleno exercício das liberdades de reuniom, associaçom e manifestaçom para todos os galegos e galegas. Nengumha opiniom nem ideologia -excepto o racismo e o fascismo- podem ser ?ilegalizadas?.

3ºDenunciamos o proceso de fascistizaçom do regime espanhol, que é manifesto nesta tentativa de criminalizar e deixar fora da legalidade o independentismo organizado, a imposiçom de normativas como a Lei Mordaça, a aplicaçom sistemática de sançons penais e administrativas ao protesto e a mobilizaçom social, etc.

4º Polas razons arriba expostas, convocamos a sociedade galega a se manifestar no próximo 24 de janeiro às 12:00h desde a Alameda de Compostela a, unindo numha só voz a denúncia de todos os setores sociais, políticos e sindicais contrários a processos e vulneraçons de direitos humanos, constitucionais e políticos como os que estamos a contemplar.

Na Galiza, em 9 de janeiro de 2015

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Juanpa Ameneiros expom "Galiza nos meus ollos" na Fundaçom Artábria BASENAME: title-822 DATE: Thu, 07 Jan 2016 21:00:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá, sexta-feira 8 de janeiro, às 20.30hs terá lugar a inauguraçom da exposiçom fotográfica "Galiza nos meus ollos" do ferrolano Juanpa Ameneiros.

Em palavras do autor ?Galiza nos meus ollos? é umha pequena coleçom de fotografias que pretende dar umha olhadela pessoal a alguns dos locais emblemáticos da nossa geografia desde um ponto de vista diferente:o do seu objetivo.

A monstra fotográfica estará disponível no nosso Centro Social até o 7 de fevereiro, e poderá visitar-se em horário de 10h a 13.30h e de 17.30 a feche do local.

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: Para Keizan, abade de Ganjô-ji BASENAME: para-keizan-abade-de-ganjo-ji DATE: Wed, 06 Jan 2016 17:48:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ryôkan CATEGORY: TAGS: esmola, ganjo-ji, templo, vadio, vagabundo, , yahiko ----- BODY:

Ganjô-ji é a leste de Hokke-dô, um templo
isolado entre rocas e escondido por uma densa névoa.
No fundo vale, o musgo cresce desenfreado e poucas vezes se vê visita.
Os peixes dançam num estanque antigo.
Altos pinhos elevam-se até o céu azul
e entre eles avista-se um bocado do monte Yahiko.
Um dia brilhante de setembro, numa saída a pedir esmola,
tive um impulso e decidi bater à porta do templo.
Sou um vagabundo Zen de espírito livre
e o abade também tem muito tempo de sobra.
Estivemos juntos todo o dia, sem nada que nos preocupasse no mundo,
bebericando vinho, brindando às montanhas e rindo como parvos!

Tradução do inglês a partir do trabalho de John Stevens. Dewdrops on a Lotus Leaf - Zen Poems of Ryôkan, Shambala, 1993, USA.

(Ryôkan)

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novidades da loja. BASENAME: novidade-da-loja DATE: Mon, 28 Dec 2015 19:04:49 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: material TAGS: ----- BODY:

Já se pode comprar o calendário 2016 com desenhos do companheiro e preso independentista Antom Santos baseados nas fotografias de Ruth Matilda Anderson, tomadas nas suas viagens pola Galiza nos anos 1920. Edita Ceivar. O preço som 10 euros.

O 16 de janeiro será a X Marcha às cadeias que organiza a Plataforma Que Voltem Para Casa. Já temos no local o bono solidário(5?), o trabalho de Dakidarría ?Utopías Emerxentes? (5?) ou bem o pack solidário de cd+bono (7?) Também temos outro material da plataforma que pode conseguir no nosso local. Umha boa maneira de fazer da solidariedade o melhor dos presentes.

Outra novidade é Diários de Carlos Calvo Varela editado por Através Editora. Preço 14 euros.
Também temos o cd Músicas para a Semente editado por Semente Trasancos.10 euros.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Mario Paz Grille, Uriel Collazo e Paula López ganhadores/a da IV Ediçom do Concurso Escolar Conhecendo o Apalpador BASENAME: title-821 DATE: Sun, 27 Dec 2015 11:38:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado sábado, 26 de dezembro, o júri encarregado de atribuir os prémios do ?IV Concurso Escolar Conhecendo o Apalpador? nas suas diferentes categorías, figérom público o seu falho.

Este ano participaron no concurso 120 crianças de diferentes centros de ensino da Comarca de Trasancos: Ferrol, Narom, Mugardos e Pontedeume.
Após umha complicada avaliaçom dos trabalhos recebidos, finalmente ficou da seguinte maneira:

Categoria de 3-5 anos

1.- Mario Paz Grille (3 anos) Semente Trasancos (Narom)
2.- Martinho Corredoira (3 anos) Semente Trasancos (Narom)
3. Adriana Fernández Díaz (4 anos) Apelom (Mugardos)

Mençom honorífica: Nerea Seibane Cancela (4 anos) CEIP Paços (Ferrol)
Mençom honorífica: Jimena López Diaz (4 anos) CEIP Paços (Ferrol)

Categoria de 6-8 anos

1.- Uriel Collazo Montes (7 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)
2.- Martín Tominaga Otero (8 anos) CEIP Paços (Ferrol)
3.- Candela Primoi (7 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)

Mençom honorífica: Izan Vieites Legarreta (8 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)
Mençom honorífica: Marcos Muñiz (7 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)

Categoria 9-12 anos

1.- Paula López Mella (9 anos) CEIP Paços (Ferrol)
2.- Julia Maneiros Rodríguez (9 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)
3.- Anxo Grandal (10 anos) CEIP Paços (Ferrol)

Mençom honorífica: Nuria Charlin Pérez (9 anos) CEIP Paços (Ferrol)
Mençom honorífica: Nerea Maria Garcia (9 anos) CEIP Paços (Ferrol)
Mençom honorífica: Sofia González (9 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)
Mençom honorífica: Rosalia Vázquez (9 anos) CEIP Isaac Peral (Ferrol)

A todos e todas queremos trasladar os nossos parabéns e os do júri e indicar que o Apalpador entregará-lhes os prémios no próximo dia 2 de janeiro às 18.30hs no nosso Centro Social.
Também queremos agradescer a colaboraçom, por primeira vez, do Concelho de Ferrol na convocatoria, assim como a das mais e pais e profesorado que ajudam a que o concurso saia adiante e as crianças conhezam um pouco mais a esta personagem do natal galego.

(Imagem Capa Sofia González, 9 anos, CEIP ISaac Peral (Ferrol)

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Sempre com nós. Helena Talho 2005-2015 BASENAME: sempre-com-nos DATE: Thu, 24 Dec 2015 09:03:47 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No seu décimo cabodano queremos lembrar a entrega abnegada e patriótica desta mulher. Reconhecemos a importante atividade que desenvolveu nas associaçons vicinhais, sociais, políticas, feministas e sindicais desta comarca e os valores da independência e o socialismo que sempre defendeu com firmeza e coerência.

Há dez anos polo Natal ela deixou-nos, mas ficou o seu exemplo.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Prémio Nacional de Poesia d'O Facho - "NenaEspiraes" de Tâmara André Padim BASENAME: premio-nacional-de-poesia-d-o-facho-nenaespiraes-de-tamara-andre-padim-2 DATE: Wed, 23 Dec 2015 16:41:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 22 de Dezembro, às 8 da noite, tivo lugar no salom de actos de Portas Ártabras a entrega do Prémio Nacional de Poesia d'O Facho, consistente na publicaçom da obra premiada, o poemário ""NenaEspiraes", de Tâmara André Padim, foi presentada nesse acto.
No evento, ademais da autora, conduzírom o mesmo os membros do júri, Henrique Sánchez Rodríguez -tesoureiro d'O Facho- e a Lúcia Fraga, poeta. A autora premiada leu alguns dos poemas do livro.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: Prémio Nacional de Poesia d'O Facho - "NenaEspiraes" de Tâmara André Padim BASENAME: premio-nacional-de-poesia-d-o-facho-nenaespiraes-de-tamara-andre-padim DATE: Sat, 19 Dec 2015 11:02:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

Convite para o lançamento do livro de poemas "NenaEspiraes", de Tâmara André Padim. Prémio Nacional de Poesia d'O Facho.

A Agrupaçom Cultural O Facho convidam assistir ao lançamento do livro "NenaEspiraes", Prémio Nacional de Poesia d'O Facho do ano 2015, outorgado a Amara André Padim

O evento realizará-se a partires das 8 do serám no dia 22 de Dezembro do 2015 em Portas Ártabras, Rua Sinagoga, 22 ? Cidade Velha ? Corunha

Acto: Dia: 22 de Dezembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras
Rua Sinagoga 22 ? Corunha


J. Alberte Corral Iglesias Presidente d'O Facho

Toda-las conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: ?Manuel Antonio, poeta da vangarda? por Xosé Luís Ajeitos Agrelo . BASENAME: o-facho-xose-luis-ajeitos-agrelo-manuel-antonio-poeta-da-vangarda-1 DATE: Thu, 17 Dec 2015 16:13:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 16 de Dezembro no salom de actos da Portas Ártabras, o Catedrático de Literatura espanhola, Xosé Luís Ajeitos Agrelo, intervéu dentro do ciclo ?Literatura, Língua, e Naçom? organizado pola nossa Agrupaçom, com a sua palestra intitulada ?Manuel António, poeta da vanguarda?.

Com umha rica exposiçom, Ajeitos Agrelo, mostrou é analisou o decorrido existencial de Manuel António, e como o mesmo forma parte consubstancial à sua obra. Expujo como desde novo a rebeldia contra as concepçons clericais e leituras reaccionárias do País e dos humildes foi um eixo vertebrador da sua escrita.

Ao findar a sua exposiçom o palestrista mantivo um interessante colóquio com os assistentes.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Aniversário de Pardo de Cela BASENAME: aniversario-de-pardo-de-cela DATE: Wed, 16 Dec 2015 18:55:27 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este sábado organizamos junto a Carneiro Alado e Cultura do País um ato em lembrança deste feito de grande transcendência na nossa história. Será o vindeiro sábado 19 de dezembro às 13h00 no Claustro do Museu Provincial de Lugo, onde se exibe a cadeia denominada ?Mariscala?, coa que foi preso Pardo de Cela. Neste ato intervirám Antonio Reigosa, Cronista Oficial de Mondonhedo, e o escritor Darío Xohán Cabana.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Terminaçom -vel BASENAME: terminacom-lemg-vell-emg DATE: Wed, 16 Dec 2015 16:59:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ortografia CATEGORY: Fonética TAGS: , , , , ----- BODY:

CONSULTA:

Pergunto-me, na minha ignoráncia das questons etimológicas e ortográficas, por que é que os adjetivos derivados de -bilis latino se escrevem com v na ortografia galego-portuguesa. Quer dizer: por que horrível e nom horríbel. Obrigado!

Casdeiro

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A ortografia galego-portuguesa di-se que é histórico-etimológica, porque a sua fundamentaçom é dupla: por um lado, ela baseia-se, como norma, na etimologia, polo que, na maior parte dos casos, o modo de escrever hoje as palavras reflete a grafia que as suas antecessoras tinham (em latim), mas, por outro lado, a grafia de algumhas palavras galego-portuguesas atuais aparta-se da grafia primitiva, presente no étimo latino, por causa de alteraçons sofridas ao longo da história da língua vernácula. Este é, de facto, o caso do sufixo -´vel, morfema que, proveniente do étimo latino -bilis, escrito com bê, se escreve em galego-português com uvê (pronunciado hoje como [v] nos padrons lusitano e brasileiro, e como [b] no padrom galego), por tal elemento ter sofrido tal mutaçom na fase medieval da língua (já no séc. XIII se abonam as formas estável e móvel, e no século XIV, durável e possível).

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Aí vem o Apalpador! BASENAME: title-820 DATE: Mon, 14 Dec 2015 19:39:14 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Já nom fica nada para as ferias de inverno e com estas a chegada do Apalpador. Embora nom será até o dia 20 de dezembro quando o gigante carvoeiro estará nas ruas do bairro da Madalena e de Esteiro, já leva uns dias na nossa cidade visitando vários Centros de Ensino da comarca junto à Fundaçom Artábria.

O Apalpador quer agradescer a colaboraçom da Concelheria de Cultura de Ferrol na ruada do próximo dia 20, na que haverá surpresas para todas aquelas crianças que se acerquem a el.

O cortejo do Apalpador sairá às 16.30 do nosso Centro Social e após percorrer o bairro de Esteiro dirixirá-se ao bairro da Madalena. Animamos às mais e pais da Comarca a trazer às suas crianças para conhecer esta personagem da nossa cultura popular e até bem pouco tempo quase desconhecida.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: IV Concurso de elaboraçom Tortilha de patacas BASENAME: title-819 DATE: Mon, 14 Dec 2015 19:09:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Umha nova convocatória gastronómica decorrerá na sexta-feira 18, com o IV Concurso de elaboraçom Tortilha de patacas. Será a partir das 21.30h

Queres saber como participar?

É muito fácil: preparar umha tortilha de tamanho meio (Entre 20 e 25 cm de diametro) que, obrigatoriamente, deverá incluir ovos e patacas e trazê-la entre as 19.00 e 21.00 à Fundaçom Artábria na sexta-feira 18 de dezembro.

Poderá participar qualquer pessoa.

Podes engadir, se assim o desejares, os teus ingredientes segredos ou favoritos à base de ovos+patacas para conseguir a melhor tortilha do concurso.

Cada concursante/a apresentará umha só tortilha.

O júri popular valorará o sabor, a criatividade, a grossura, a originalidade e a apresentaçom da mesma.

Cada tortilha será identificada com um número que se anotará no exterior dum envelope fechado em cujo interior figurará a folha de inscriçom (nome da ou do concursante, apelidos, correio-e, telefone)

O falho do júri fará-se à finalizaçom da degustaçom das tortilhas.

O júri estará conformado polas pessoas que assim o desejarem pagando umha inscriçom de 3 euros que lhe permitirá degustar todas as tortilhas apresentadas.

Haverá um total de 3 prémios para @ 1º, 2º e 3º classificad@

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: A nossa cesta de natal BASENAME: title-818 DATE: Sun, 13 Dec 2015 09:28:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Dezembro 2015

Como todos os meses de inverno, já temos preparada a cesta de Natal. Esta irá-se enchendo durante os próximos dias até ser sorteada a começos de janeiro. Podes contribuir com a tua achega doando algum produto nom perecedoiro para que fique em exposiçom até o sorteio.

Os números que se podem adquirir som 150, ao preço de 1? cada um, e estám num cartaz ao lado do balcom do Centro Social.

Que a sorte seja com vós!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: "A Crítica do discurso ideológico? por Francisco A. Sampedro Ojeda BASENAME: o-facho-a-critica-do-discurso-ideologico-por-francisco-a-sampedro-ojeda DATE: Fri, 11 Dec 2015 18:07:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No salom de actos d'Afundaçom, o passado dia 9 de Dezembro o Doutor em Filosofia, Francisco A. Sampedro Ojeda com umha interessante exposiçom fizo umha analise da conformaçom do discurso ideológico na sua palestra "A Crítica do discurso ideológico?.

Apontou como na conformaçom do imaginário ideológico estám implicado todo o tecido nom só do domínio económico senom que no mesmo joga um papel fulcral os ?medias? que ajudam a construir o ?consenso? com a ideologia das classes dominantes.

Também reclamou a necessidade dumha consciência, dumha ideologia que ele denominou matricial para nos dar umha leitura da realidade nom só como imediato senom como conformadora dum discurso emancipador

Ao findar o conferenciante mantivo um mui interessante colóquio com o público assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Recebimento do Apalpador o 18 de dezembro. BASENAME: recebimento-do-apalpador-o-18-de-dezembro DATE: Fri, 11 Dec 2015 15:55:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: II Feira popular de produtos usados. BASENAME: ii-feira-popular-de-produtos-usados DATE: Thu, 10 Dec 2015 19:53:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este sábado de 11h00 a 14h00 trae todo o que precisares vender e leva todo o que precisares comprar, aproveita a oportunidade para nom pisar um centro comercial durante todo o natal.
Quem queira participar tem de enviar um mail a madialeva.gz@gmail.com para reservar o posto.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Constituída a plataforma Lugo, de cara ao Minho BASENAME: constituida-a-plataforma-lugo-de-cara-ao-minho DATE: Thu, 10 Dec 2015 18:34:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado 10 de dezembro 15 colectivos e entidades ecologistas, sociais e políticas, e várias pessoas vizinhas de Lugo unimo-nos na plataforma ?Lugo, de cara ao Minho? para fazer pressom frente a projectos especulativos, urbanísticos, energéticos ou qualquer tipo de atuaçom promovida desde o eido privado ou público que ameace a integridade e os valores naturais e culturais do rio Minho na cidade de Lugo. ?Lugo, de cara o Minho? nasce co objetivo de acadar o respaldo das vizinhas e vizinhos de Lugo na defesa deste bem público ao que, historicamente, lhe temos dado as costas.
A seguir deixamos a nota de imprensa completa.

?LUGO, DE CARA AO MINHO? NASCE PARA FICAR
O 10 de dezembro 15 colectivos e entidades ecologistas, sociais e políticas, e várias pessoas vizinhas de Lugo unimo-nos na plataforma ?Lugo, de cara ao Minho? para fazer pressom frente a projectos especulativos, urbanísticos, energéticos ou qualquer tipo de atuaçom promovida desde o eido privado ou público que ameace a integridade e os valores naturais e culturais do rio Minho na cidade de Lugo. ?Lugo, de cara o Minho? nasce co objetivo de acadar o respaldo das vizinhas e vizinhos de Lugo na defesa deste bem público ao que, historicamente, lhe temos dado as costas.
Desde este movemento consideramos que o impacto que está a xerar no río Miño e na súa contorna as obras da hidroeléctrica da fábrica da luz xa é a gota que colma o vaso das múltiples e constantes agresións que o río vén soportando desde a instalación nas súas marxes do centro comercial de Carrefour: feira exposicións, gasolineira, vertidos, etc. Consideramos que xa é hora de que a veciñanza de Lugo mire de fronte ao río e non de costas e que responda de xeito contundente ao chamado de socorro que nos está a facer o río máis emblemático de Lugo e de Galiza.
Esta plataforma xorde, non só para combater o actual proxecto de privatización e ampliación do caudal da fábrica da luz, senón que ten vocación de permanencia no futuro e, ademais, ten un carácter aberto a todas aquelas persoas, veciñas e veciños de Lugo que a nivel individual ou colectivo compartan estes mesmos obxectivos.
Á agarda de que outras entidades e persoas confirmen a súa participación no movemento, actualmente ?Lugo, de cara ao Miño? está conformado polos colectivos ADEGA, AGCT, Ateneo Engranaxe, Carneiro Alado, CIG, Cultura do País, Madia Leva, Masa Crítica, SLG, SOS Río Miño e as formacións políticas Anova, BNG, Compromiso por Galicia, Espazo Ecosocialista, Equo, Lugonovo e Podemos.
Un atentado ambiental inasumible para o Miño e para Lugo. Fóra dique!
?Lugo, de cara ao Miño? está en contra do proxecto de ampliación do caudal do Miño para o aproveitamento hidroeléctrico da fábrica da luz por parte da empresa asturiana Inca porque non é nin o lugar, nin o momento, nin son as formas.
Non podemos permitir que se constrúa un dique no propio leito do río e no treito fluvial do Miño máis protexido e sensible polos seus valores naturais. Este treito está declarado como Zona de Especial Conservación, Rede Natura 2000 (ZEC Parga-Ladra-Támoga) e zona núcleo da Reserva de Biosfera Terras do Miño, alén de acoller 60 especies de aves, 5 hábitats de interese comunitario e diversas especies protexidas a nivel europeo, estatal e autonómico, das que dúas están en perigo de extinción (fento de río e mexillón de río). Gran parte destes valores foron obviados pola Declaración de Impacto ambiental (DIA) aprobada polo Ministerio e refrendada pola Xunta de Galiza.
Tampouco é o momento de intervir no río, xa que no mes de decembro moitas especies piscícolas comezan a desovar e os impactos que sofren a flora e fauna do efluente son sumamente maiores. E tampouco son as formas, pois un proxecto destas características debería ser consultado coa cidadanía de Lugo, de xeito aberto, participativo e con total transparencia, algo do que adoeceu este proxecto desde as súas orixes.
Por todo isto, apelamos á responsabilidade das Administracións competentes e solicitamos
ante a Confederación Hidrográfica Miño-Sil e á Xunta de Galicia que se paralicen as obras de xeito permanente, restituíndo o espazo ao seu estado natural, e que se anule a Declaración de Impacto ambiental por ser incompleta e inadecuada para a zona afectada. Alén disto, debemos destacar que a empresa concesionaria construíu o dique fóra da área autorizada pola DIA e fóra do prazo marcado pola mesma, polo que esta obra é ilegal.
Tamén se acudiu á Fiscalía de Medio ambiente, a través de ADEGA, para solicitar a apertura de dilixencias por presuntas causas penais e xa se trasladou o asunto a Bruxelas, a través de SOS Río Miño e do Grupo de Esquerdas europeo, desde o que se formulará unha pregunta de urxencia no Parlamento Europeo sobre a lexitimidade destas obras.
Polo aproveitamento e a xestión pública da fábrica da luz
A fábrica da luz do río Miño que debe e merece ser conservada polo seu valor patrimonial, histórico e ambiental e como ben de carácter público. As luguesas e lugueses non podemos permitir que este emblemático edificio que nos pertence aos veciños sexa cedido para os intereses do sector privado, que só busca un beneficio industrial.
Neste senso, ?Lugo, de cara ao Minho? insta ao Concello de Lugo a tomar medidas. Demandámoslle que rescinda o contrato de concesión polo uso da fábrica da luz coa empresa asturiana e que recupere a xestión pública deste ben patrimonial, de xeito que o seu uso tamén sexa público e repercuta en beneficio da cidade de Lugo.
Próximas accións de ?Lugo, de cara ao Miño?
Actualmente, os membros da plataforma ?Lugo, de cara ao Miño? xa están a desenvolver labores de vixilancia a pé de río ante o presumible reinicio das obras do dique para chamar á mobilización caso de que iso suceda. Paralelamente, ao longo das vindeiras semanas, ?Lugo, de cara ao Miño? promoverá accións informativas e divulgativas que consigan espertar conciencias e favorecer unha maior participación dos veciños e veciñas de Lugo na defensa do río Miño.
A vindeira semana acudiremos ás distintas formacións políticas candidatas en Lugo ás próximas eleccións para solicitar e conseguir o seu compromiso firme na defensa do Miño e o seu apoio específico á demanda de paralización permanente das actuais obras e anulación do proxecto de ampliación de caudal da fábrica da luz.
Todas aquelas persoas ou entidades interesadas en formar parte deste ilusionante iniciativa, poden dirixirse ao email: lugodecaraominho@gmail.com

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xosé Luís Ajeitos Agrelo - ?Manuel Antonio, poeta da vangarda? BASENAME: o-facho-xose-luis-ajeitos-agrelo-manuel-antonio-poeta-da-vangarda DATE: Thu, 10 Dec 2015 11:23:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O vindouro dia 16 de Dezembro, (quarta-mércores), o Catedrático de Literatura espanhola, Xosé Luís Ajeitos Agrelo, falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua palestra versará sobre: ?Manuel Antonio, poeta da vangarda?.

Ajeitos Agrelo é autor dumha ampla obra de investigaçom e ensaio em temas literários, e culturais. Participou como relator en numerosos congressos sobre o exílio e sobre distintos escritores galegos. Assim mesmo formou parte do comité organizador de diversos congressos sobre o exílio galego. É membro do conselho editorial da Biblioteca del Exílio. Também forma parte do conselho de redacçom das revistas Citania, Cuadrante, Unión Libre. Como documentalista, colaborou en numerosas exposiçons relacionadas co libro galego na Argentina e com as biografias de Rafael Dieste e Castelao.
Publicou numerosos livros entre os que sublinhamos: As coplas galegas do P. Sarmiento; Antoloxía da poesía galega erótica e amatoria; Manuel Antonio, Poesía galega completa; A poética de Manuel Antonio; Luís Seoane e o libro galego na Arxentina; Rafael Dieste, Obra galega completa; Lorenzo Varela, Poesía Completa; O exilio galego: un mapa de cicatrices, etc. Assim mesmo fruito da sua labor como investigador dam mostra os seus artigos publicados en revistas como Boletim Galego de Literatura, Ínsula, Verba, A Trabe de Ouro, Grial, Zurgai, Citania, Serta,

Acto: Dia: 16 de Dezembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras
Rua Sinagoga 22 ? Corunha

J. Alberte Corral Iglesias Presidente d'O Facho

Toda-las conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta cineclube: Recursos Humanos. BASENAME: esta-sexta-cineclube DATE: Wed, 09 Dec 2015 10:05:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Do Apalpador, a ignoráncia e os enes-agás BASENAME: do-apalpador-a-ignorancia-e-os-enes-agas DATE: Tue, 08 Dec 2015 16:26:39 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Documentos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Reproduzimos artigo de opiniom do nosso companheiro Bruno Lopes Teixeiro ao respeito da opiniom da diretora de um colégio ferrolano da normativa que emprega a nossa entidade.

Do Apalpador, a ignoráncia e os enes-agás

Umha manhá qualquer na Fundaçom Artábria. Toca o telefone. Atendo.

- Fundaçom Artábria, di-me

- Hola, buenos dias. Soy la directora del CEIP ********, llamaba para comunicar que hemos recibido la propaganda del concurso del Apalpador. Es una buena iniciativa. Nosotros llevamos años trabajando con esta figura en la navidad, pero siento deciros que no vamos a participar, ya que desde el colegio no vamos a dar difusión a una actividad que promueve el gallego lusista. Lo sentimos mucho. Pero creo que editar propaganda así es tirar el dinero.

Fico em ?shock?

- Ah oka, que tenha bom dia

Comento o que acabou de acontecer com @s companheir@s que estavam no café-bar nesse momento. Como nom respondim?

Tenho que agir, pego no telefone e carrego no botom de rechamada.

- Olá bom dia, é a diretora do CEIP *********?

- Si soy yo

- Olá, sou da Fundaçom Artábria, acabamos de falar agora mesmo. A verdade é que fiquei um pouco em shock e nom che respondim.

Nom vou entrar em debates lingüísticos, a Fundaçom Artábria tem essa escolha de norma e pronto. Eu nom entro a avaliar que tu como diretora de um colégio público galego estejas a falar-me em espanhol.

- No tengo ninguna obligación, solo en las comunicaciones escritas (sic). Y te iba a hablar en gallego, pero ya que me dices eso, ya no.

- Olha, nom é a minha intençom discutir contigo. Só quero manifestar que por umha decisom sectária da direçom do colégio, as nenas e nenos nom devem ficar sem expressar artisticamente como vem o Apalpador. É a quarta ediçom do concurso, onde levam participado dúzias de colégios de Ferrol e Comarca e doutras partes da Galiza, e nunca nengum colégio manifestou que a normativa escolhida no texto das bases fosse um problema. Além disso, vimos colaborando com várias escolas da zona com as visitas do Apalpador, e insisto, NUNCA tivemos problemas.

- Ya, pero nosotros no vamos a pegar ese cartel en lusista.

- Olha, nom estou a pedir-che que o coles, só que difundas a informaçom e as crianças podam participar.

- Se lo pasaré a normalización y que decidan ellos.

- Oka, olha, há 3 anos editamos em pdf umha unidade didática para difundir a figura do Apalpador e a Coordenadora de Equipas de Normalizaçom Lingüística participou dessa difusom...

Mais nada, que tenha bom dia...

Já na casa, dou voltas ao que aconteceu, à situaçom da nossa língua na Galiza e concretamente na nossa cidade. Penso no alarmente último informe publicado pola Mesa há umhas semanas sobre o ensino em galego nas escolas de Ferrol. E nom acredito.

O problema é que um cartaz leve um ?nh? e um ?ç?.

E pergunto a mim próprio:

Saberá esta senhora, diretora dum centro de ensino público galego, casualmente sediado num dos bairros de Ferrol onde mais galego se fala (e nom é muito) de onde procede o documento etnográfico que facilitou a recuperaçom da figura do Apalpador?

Saberá que o seu autor é reintegracionista?

Saberá que foi a Gentalha do Pichel, Centro Social "lusista" que começou a recuperar e socializar a figura do gigante carvoeiro do Caurel? Saberá mesmo que o primeiro Apalpador que saiu às ruas de Compostela era ancestro do ex-presidente da AGAL?

Nom, nom saberá, porque está cheia de preconceitos. Porque com certeza nom se deu ao trabalho de sabê-lo, e seguramente também lhe importe pouco.

E assim estamos, deixando o galego morrer e com as elites políticas difundindo a língua "franca", isso sim, sempre desde a ?pluralidade?.

É-che o que há!

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Chega IV Ediçom do concurso escolar "Conhecendo o Apalpador" BASENAME: chega-iv-edicom-do-concurso-escolar-conhecendo-o-apalpador DATE: Sun, 06 Dec 2015 12:40:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Com o fim de continuar a promover o conhecimento da figura do gigante carvoeiro do Courel entre as crianças galegas, a Fundaçom Artábria convoca o VI Concurso Escolar "Conhecendo o Apalpador". Desta volta contamos por primeira vez com a colaboraçom do Concelho de Ferrol.

Animamos às crianças da comarca, e da Galiza enteira a participar no concurso.

Eis as bases do concurso

1.- Haverá três categorias. Umha primeira para crianças entre 3 e 5 anos. A segunda para crianças com idades entre 6 e 8. A terceira categoria será para crianças entre 9 e 12 anos.

2.- Para poder participar no concurso, cada criança deverá apresentar um desenho original, com qualquer material ou técnica, relativo à figura do Apalpador. O desenho será apresentado numha folha de papel de tamanho A4.

3.- Estabelecem-se 3 prémios por categoria, que consistirám num lote de produtos relacionados com a figura deste mítico personagem da mitologia galega. O júri poderá concender as mençons honoríficas que considerar oportuno, assim como declarar deserto qualquer um dos prémios.

4.- Os trabalhos candidatos aos prémios terám que ser enviados antes do 23 de dezembro de 2015 ao seguinte endereço: Fundaçom Artábria, Travessa de Batalhons nº 7, baixo. Ferrol.

5.- Para identificar os trabalhos, os debuxos deverám levar um envelope em cujo exterior se faga constar "Concurso conhecendo ao Apalpador" com os dados do curso onde está matriculad@ o concursante, e em cujo interior deve figurar o nome e apelidos, idade, curso, e centro onde está matriculado, além dumha autorizaçom do pai, mae ou tutor/a para participar no concurso.

6.- O juri será composto por 2 pessoas da Diretiva da Fundaçom Artábria e o próprio Apalpador. A decisom do júri será inapelável e dará-se a conhecer na sábado 26 de dezembro de 2015, mediante a publicaçom no nosso web: www.artabria.net

7.- Os prémios serám entregues polo Apalpador no dia 2 de janeiro no nosso Centro Social.

8.- A participaçom no concurso supom a autorizaçom expressa para a difusom das imagens.

9.- A participaçom no concurso supom a aceitaçom de todas e cada umha das presentes bases, assim como o criterio da Fundaçom Artábria na resoluçom de qualquer questom nom prevista nestas bases.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: "O TTIP" porJosé E. Vicente Caneda BASENAME: a-critica-do-discurso-ideologico-por DATE: Thu, 03 Dec 2015 17:59:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 1 de Dezembro o jornalista e professor, José Emílio Vicente Caneda dissertou dentro do ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais com a sua conferencia intitulada: ?O TTIP?

O professor Vicente Caneda desenvolveu a sua palestra com umha exposiçom expressiva e didáctica da mutaçom na existência dos cidadaos europeus significara a implantaçom do TTIP com a subordinaçom dos Estados e a sua povoaçom ao ?dicta? das transnacionais imperiais.

Ao findar a palestra o conferenciante foi felicitado polo público assistente.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Francisco A. Sampedro Ojeda - "A Crítica do discurso ideológico? BASENAME: o-facho-francisco-a-sampedro-ojeda-a-critica-do-discurso-ideologico DATE: Thu, 03 Dec 2015 10:26:40 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 09 de Dezembro (Quarta-Mércores), o Doutor en Filosofia e catedrático de Ensino Médio, Francisco A. Sampedro Ojeda falará dentro do ciclo, Reflexom e Cultura. A sua exposiçom versará sobre: "A Crítica do discurso ideológico?.

Sampedro Ojeda é um reconhecido autor de ensaio filosófico e crítica literária e política. A sua tese de doutoramento ?O imaxinario ideolóxico? parte da ambigüidade e equivocidade do termo ideologia, para analisar os dous usos teóricos que comummente se reconhecer: uso descritivo ou eulogístico, e uso pejorativo, como falsa consciência. Mostra a pertinência deste último uso para a análise do estatuto filosófico que a ideologia possúe no que vários autores reconhecem como a episteme do século XX, constituída polos discursos de Nietzsche, Marx e Freud. Pescuda o conceito de ideologia em Bacon e na Ilustraçom, e o nacimento da ideologia como ciência das ideias em Desttut de Tracy, a teoria conservadora (Pareto, Sorel, Nietzsche... ), o fenómeno da inversom ideológica em Marx e a teoria da ideologia de Althusser.
Assim mesmo traduziu e introduziu as ediçons galegas de ?D'un désastre obscur? de Alain Badiou; ?L'existencialisme est un humanisme? de Jean-Paul Sartre, e ?Robespierre: une politique de la philosophie? de Georges Labica. Tem-se ocupado também da análise cultural e filosófica da obra de Vicente Risco (O nihilismo do inadaptado) e Rafael Dieste (Sobre a vella pel do mundo). É correspondente en Galiza da revista francesa Multitudes e membro do conselho de redacçom d'A Trabe de Ouro.

Dia: 09 de Dezembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: A Fundaçom -Cantom Grande 21-24
Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

Todo-las as conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural: Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Magia, gastronomia, música, poesia? todo isto no mês de Dezembro na Fundaçom Artábria BASENAME: title-816 DATE: Tue, 01 Dec 2015 22:25:46 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: Concertos TAGS: ----- BODY:

Entramos no último mês do ano e na Fundaçom Artábria queremos fechar este 2015 à grande.

Dezembro chega ao nosso Centro Social carregado de magia, música, poesia e gastronomia; além disso, e mais um ano, o Apalpador visitará a nossa Comarca nestas datas.

As atividades do mês começam no próximo dia 4 de dezembro, com a atuaçom de Mago Deimi. Um espetáculo de umha hora, com um estilo dinámico e divertido, fazendo magia muito variada: cartomagia, manipulaçom, mentalismo, escapismo? todo acompanhado de muito humor. O espetáculo começará às 22.00h e tem um bilhete de 2 euros.

No sábado 5, a Fundaçom Artábria colabora com o ?II Recital Solidário Internacional?, organizado polo programa de Rádio Roncudo ?Ò noso xeito?.

Nele intervirám as e os poetas Óscar de Souto, Miguel Melero, Miguel ?Vento de Trasancos?, Branca Vilela, Ricardo Souto, Iolanda Teixeiro e Karlotti Valle. De maneira simbólica, o bilhete será ou um brinquedo ou um livro. Ferrol será a única cidade do planeta que recite no dia 5, pois no resto do mundo decorrerá no próximo dia 17.

Todos os brinquedos recolhidos serám entregues ao coletivo ?Agasallocho Ferrol?. O recital será às 19.00hs.

No domingo 6 de dezembro, e aproveitando que é feriado no dia seguinte, chega a Ferrol em primícia ?O Puto Coro do Exército Froilanista?, acompanhados de DJ PiFi (O eleinfante). O Partido Froilanista acabou de confirmar a possível assistência de D. Froilán III da Galiza e I de Bergonte. O concerto começará às 22.00hs e tem um bilhete de 3 fruelas.

Na sexta-feira 11, decorrerá a I ediçom das ?Luso Paparocas? organizada pola Associação Cultural Beco da Língua, em colaboraçom com a Fundaçom Artábria e o Departamento de Português da EOI.

Neste ciclo gastronómico, poderemos degustar nos próximos meses sabores de Angola, Brasil, Cabo Verde, Galiza? e a lusofonia toda. Esta primeira ediçom é dedicada à comida indo-portuguesa.

A ementa tem um custo de 12 euros e incluirá: Entradas portuguesas e indianas (Bolinhos de Bacalhau, Chamuças, Rissóis de Camarom..), Caril de frango com manga e arroz, água e vinho português, sobremesa e café. Haverá opçom vegana sob demanda.

No sábado 12 às 22.30h teremos um novo encontro com a música em galego. Os Derradeiros (Trasancos) e Os Novos (Compostela) trarám o seu punk-rock à Fundaçom Artábria. A entrada é gratuita.

Umha nova convocatória gastronómica decorrerá na sexta-feira 18, com o IV Concurso de elaboraçom Tortilha de patacas. Será a partir das 21.30h

No sábado 19, chegá da Corunha o punk hardcore de Less Fortunate song, que estarám acompanhados polos locais Klute. O ingresso é de graça e o concerto começará às 22.30h. Antes e depois do concerto, estará picando discos o pessoal de CGTH.

Já no 26 de dezembro, dançaremos ao som do ska d@s corunheses Dandy Fever e dos cedeirenses Os Benignos. O concerto começa às 22.30h e o bilhete é de graça.

E no dia 20 de dezembro, o Apalpador estará mais um ano nas ruas de Esteiro e do Bairro da Madalena, para repartir presentes entre as crianças. Proximamente, disponibilizaremos o resto de atividades ligadas com a chegada do gigante carvoeiro.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: José E. Vicente Caneda - O TTIP BASENAME: o-facho-jose-e-vicente-caneda-o-ttip DATE: Tue, 01 Dec 2015 02:48:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra


O dia 01 de Dezembro (Terça-Martes), às 8 do serám, o jornalista e professor, José Emílio Vicente Caneda falará dentro do ciclo, Economia, História, e C.C. Sociais. A sua conferencia intitula-se: ?O TTIP?

O professor Vicente Caneda é Licenciado em Jornalismo pola U.S.C., actualmente trabalha como docente no ensino médio. Assim mesmo é um reconhecido activista cívico-cultural em prol de Galiza. Nos últimos anos desenvolve a sua dinâmica cultural nom só através da Associaçom Cultural Revira, senom também dentro do Comité Galego de Solidariedade Internacionalista. Assim mesmo colaborou em diversos meios de comunicaçom analisando o TTIP (Associaçom Transatlântica para o Comercio e o Investimento) e as conseqüências possíveis da aplicaçom desse Tratado tam determinante em todos os âmbitos da nossa vida e para o conjunto da economia galega.

Dia: 01 de Dezembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Todo-las as conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural:
Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: De novo sobre castelhano e castelao BASENAME: title-815 DATE: Sun, 29 Nov 2015 20:26:03 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: TAGS: castelao, casteleiro, castelhano, cavaleiro, cavalheiro, faina, grade, labor, reixa ----- BODY:

CONSULTA:

Por que na normativa nom se utiliza a forma castelám para designar a língua originada em Castela, cando a palavra é usada em certas zonas da Galiza? Já sei que há umha palavra que se escreve igual mas tem outro significado, mas esta tem outras variantes (casteleiro). Quer dizer, poderiam usar-se as duas formas, e no contexto de que o senhor do castelo seja de origem castelá, escrever casteleiro como substantivo.

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Transcrevemos a seguir um trecho de O Modelo Lexical Galego, da Comissom Lingüística da AGAL (2012: 84-85), onde se trata a questom posta polo amável consulente:

Os castelhanismos aditivos coordenados enriquecem o léxico galego-português ao estabelecerem em relaçom com certas palavras patrimoniais (as quais eles nom venhem a substituir, mas a complementar) umha matizaçom ou especializaçom semántica útil, polo que também se revela de grande interesse proceder a incorporá-los ao léxico galego normativo. Assim, por exemplo, de harmonia com os padrons lusitano e brasileiro, em galego utilizará-se, por um lado, a voz patrimonial castelao (séc. XIII), sujeita a substituiçom na atual Galiza, para denotar ?o senhor de um castelo?, e, por outro lado, a voz de origem castelhana castelhano (incorporada ao luso-brasileiro no séc. XV) para denotar ?o natural de Castela? ou ?a língua de Castela?.

Outros casos similares som os seguintes:


A este trecho, também acrescentamos, como resposta ao nosso amável consulente, o facto de a voz casteleiro -a, de natureza adjetival, designar, nom o senhor de um castelo, mas ?relativo a castelo?.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Cenoira ou cenoura; lavadoiro ou lavadouro? BASENAME: cenoira-ou-cenoura-lavadoiro-ou-lavadouro DATE: Sun, 29 Nov 2015 19:42:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: TAGS: ancoradoiro, bebedoiro, casadoiro, cenoira, cenoura, comedoiro, embarcadoiro, escondedoiro, fervedoiro, lavadoiro, matadoiro, miradoiro, oiro, ouro, paradoiro, respiradoiro, sumidoiro, varredoiro, vindoiro ----- BODY:
Outro exemplo da histórica alternáncia dos ditongos oi (oiro) e ou (ouro) em Portugal, ainda hoje instáveis

CONSULTA:

Como deveríamos dizer na língua culta, cenoura e lavadoiro, cenoira e lavadoiro, ou cenoura e lavadouro? Muito obrigado!

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Na variedade galega do galego-português, deve utilizar-se a forma lavadoiro e, de preferência, cenoura, ainda que também seja correta a variante cenoira. Para justificar estas escolhas, temos de considerar as alternativas lavadoiro ~ lavadouro, por um lado, e cenoira ~ cenoura, por outro.

Quanto ao primeiro caso, diga-se que, como derivado patrimonial da terminaçom latina ?orius (-oria, -orium), presente em adjetivos, ou como derivado de nomes latinos provindos de particípios de futuro (tipo nasciturus, -a, -um ?o que irá nascer?), surge em galego-português, entre os séc. XIII e XV, o sufixo ?doiro, que forma substantivos que indicam o local onde se realiza a açom expressa polo verbo (ex.: lavadoiro ?local onde se lava (roupa)?) ou adjetivos que indicam a noçom de particípio de futuro (ex.: casadoiro ?que está na idade de casar, que casará?). Posteriormente ao séc. XV, nas variedades lusitana e brasileira da língua, mas nom, em geral, na galega, o sufixo ?doiro passa a ser substituído, em larga medida, pola forma ?douro. Portanto, na variedade galega do galego-português, temos hoje, em geral, unicamente -doiro (exceto no extremo SO da Galiza, onde si se produziu a passagem de -doiro para -douro), enquanto que em lusitano e em brasileiro predomina ?douro sobre ?doiro (em paralelo com coiro [Gz] / couro [Pt+Br]): ancoradoiro, bebedoiro, casadoiro, comedoiro, embarcadoiro, escondedoiro, fervedoiro, matadoiro, miradoiro, paradoiro, respiradoiro, sumidoiro, varredoiro, vindoiro? e, também, lavadoiro.

Já o caso de cenoura ~ cenoira é diferente, porque o étimo é, agora, árabe, e porque a naturalizaçom da palavra em galego-português só se produz no século XV ou XVI, quando o galego inicia os Séculos Obscuros e já nom tem capacidade efetiva para incorporar neologismos de forma autónoma. Portanto, a denominaçom vernácula da planta Daucus carota temos de a habilitar agora em galego por via erudita, e, naturalmente, de harmonia com o lusitano e com o brasileiro, e a forma mais prática de o fazermos é adotando em galego a variante principal, mais habitual, em lusitano e em brasileiro, que é cenoura (embora a variante cenoira também seja admitida).

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Galhas, galhos e bugalhos BASENAME: galhas-galhos-e-bugalhos DATE: Sun, 29 Nov 2015 19:01:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: TAGS: bugalho, , galha, galho, noz de galha ----- BODY:
Galho de carvalho cheio de bugalhos, também conhecidos por cecídios ou (nozes de) galhas na linguagem especializada

CONSULTA:

Como se diria em galego o port. galha, ing. gall, cast. agalla (formaçom grossa nas raízes das plantas produzida por parasitas), aposta a bugalho, excrescência das folhas produzida também por parasitas, tendo em conta que galha em galego comum da Galiza é ?ramo, póla?. Obrigado!

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Para denominar as neoformaçons de tecido vegetal que apresentam aspeto variado, mas freqüentemente esférico e engrossado, causadas pola açom de organismos parasitas, como bactérias, fungos, insetos, etc., o galego-português dispom de um termo de especialidade de origem grega: cecídio. Para designar em concreto o cecídio globular induzido por parasitas no carvalho, pode também utilizar-se o vocábulo culto noz de galha, simplificável em galha, e o vocábulo popular (supradialetal) bugalho (galha também se pode aplicar, informalmente, a qualquer cecídio). Em todo o caso, no modelo de galego culto e especializado que patrocina a Comissom Lingüística da AGAL, o uso da voz galha com o sentido de ?cecídio (do carvalho)? nom colide com galha ?ramo de árvore?, dado que, nesse modelo lexical culto, galha ?ramo de árvore? é conceituado, de harmonia com os padrons lexicais lusitano e brasileiro, como elemento dialetal, frente ao supradialetal galho ?ramo de árvore?.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: I ediçom das Luso Paparocas o próximo 11 de dezembro BASENAME: i-edicom-das-luso-paparocas-o-proximo-11-de-dezembro DATE: Fri, 27 Nov 2015 00:10:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Gastronomia CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O pessoal do Beco da Língua em colaboraçom com a Fundaçom Artábria e o departamento de português da EOI de Ferrol iníciam um ciclo gastronómico sob o nome de "Luso Paparoca" que decorrerá nos próximos meses e no que poderemos degustar sabores da Angola, o Brasil, Cabo Verde, a Galiza... e a lusofonia toda.

A primeira cita será o próximo 11 de dezembro, sexta-feira, às 22h com umha ementa indo-portuguesa que estará composta por:

- entradas portuguesas e indianas (bolinhos de bacalhau, chamuças, rissóis de camarão...)
- Caril de frango com manga acompanhado de arroz
- Água e Vinho verde
- Sobremesa e café

Também haverá ementa vegana sob demanda

A data límite para apontar-se é o 9 de dezembro e o preço da ementa é 12 euros. As praças som limitadas.

Podes apontar-te no café-bar do nosso Centro Social ou escrevendo para correiodeartabria@gmail.com ou becodalingua@gmail.com

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Foro de Cinema Contemporáneo, em dezembro BASENAME: foro-de-cinema-contemporaneo-em-dezembro DATE: Thu, 26 Nov 2015 23:08:20 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Novembro 2015

Em dezembro, no Centro Social haverá um FORO DE CINEMA CONTEMPORÁNEO, dirigido polo cineasta local Andrés Sam-Jurjo.

O curso constará de quatro dias de sessons de 90 minutos orientados ao visionado e interpretaçom do cinema menos mediatizado, reparando em culturas nacionais, autoras e autores e correntes determinantes na arte do cinema atual.

Os dias serám os 2, 9, 16 e 23 entre as 19h e as 20h30, todos quartas-feiras (mércores).

O curso custa 25?. Podes obter mais informaçom ou inscrever-te escrevendo a gomesgaioso@gmail.com ou chamando ao 676 758164.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Morreu Beatriz da Conceição (26.XI.2015) BASENAME: morreu-beatriz-da-conceicao-26-xi-2015 DATE: Thu, 26 Nov 2015 19:01:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/morreu-a-fadista-beatriz-da-conceicao-1715667

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: ?O estereotipo antigalego na literatura peninsular moderna? por Alexandre Peres Vigo BASENAME: o-estereotipo-antigalego-na-literatura-peninsular-moderna DATE: Thu, 26 Nov 2015 16:10:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 25 de Novembro o professor e investigador, Alexandre Peres Vigo falou dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua conferencia intitula-se: ?O estereotipo antigalego na literatura peninsular moderna?, que foi seguida com grande interesse polos assistentes.

O professor Peres Vigo ilustrou a sua rica palestra com didácticas filminas elaboradas com citas obtidas de diversos textos da literatura espanhola onde Nós, os galegos e galegas somos aldrajados de continuo. Textos de Lope, Gongora, Unamuno, etc... manifestando o seu desprezo para connosco.

Ao findar a palestra o conferenciante foi felicitado polo público assistente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta no cineclube. BASENAME: esta-sexta-no-cineclube-1 DATE: Wed, 25 Nov 2015 15:25:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Apresentaçom de "Ernesto Guerra da Cal do exílio a galego universal" esta sexta-feira na Fundaçom Artábria BASENAME: title-814 DATE: Wed, 25 Nov 2015 07:11:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Publicaçons CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na próxima sexta-feira, 27 de novembro às 20,30hs, terá lugar no nosso Centro Social a apresentaçom do livro de Joel R. Gômez 'Ernesto Guerra da Cal do exílio a galego universal'editado por Através Editora.

Injusta mas nom inexplicavelmente esquecida, a figura de Guerra Da Cal constituiu um dos grandes vultos da cultura galega contemporânea na diáspora. Exilado aos Estados Unidos após a Guerra de Espanha, Guerra da Cal chegou a ser o grande especialista mundial na obra de Eça de Queiroz, em particular desde o seu trabalho em diferentes universidades americanas.

Repetidamente reconhecido como escritor e pesquisador nos Estados Unidos, Brasil e Portugal, peça-chave na redaçom dos Seis poemas galegos de Federico García Lorca, amigo de Castelao e Otero Pedrayo e conhecedor de Buñuel, Neruda ou Juan Ramón Jiménez, Guerra Da Cal é também uma figura a reivindicar pelo movimento reintegracionista, ao se ter posicionado sempre em favor do mesmo e contribuído a espalhar as suas teses pela própria Lusofonia.

Joel R. Gômez (Ourense, 1959), jornalista, é pesquisador do Grupo Galabra da USC desde 1999. É autor de diferentes trabalhos de tipo académico e divulgador sobre a figura e legado de Ernesto Guerra Da Cal, entre as quais salientam Fazer(-se) um nome. Eça de Queiroz-Guerra da Cal: Um duplo processo de canonicidade literária na segunda metade de século XX (2002) e A trajectória de Ernesto Guerra Da Cal nos campos científico e literário (2009, tese de doutoramento).

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Ato feminista sobre machismos na vida quotidiana BASENAME: ato-feminista-sobre-machismos-na-vida-quotidiana DATE: Mon, 23 Nov 2015 20:47:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Novembro 2015

O evento forte desta semana vai ser a palestra e debate sobre "Machismos na vida quotidiana" organizado pola entidade juvenil Isca! Estamos às portas dum novo 25 de novembro, e no Centro Social contaremos com esta atividade nesta semana de cor lilás revolucionário.

O encontro decorrerá na quinta-feira a partir das 20 horas com a participaçom da ativista feminista Ximena Gonçales.

A seguir reproduzimos o sentido da convocatória segundo a organizaçom:

"Dentro das múltiples batallas que temos abertas como mozas revolucionarias e feministas está a de reivindicar que a violencia contra as mulleres non é só física e que precisamente o patriarcado estruturou socialmente a violencia contra as mozas mediante un proceso de invisibilización das súas agresións, facendo que se naturalizasen até o punto de que o día a día no que vivimos, traballamos, estudamos, nos relacionamos e combatemos non convida a cuestionalas, facéndoas aínda máis perigosas ao non ser identificadas e, moito menos, cuestionadas para ser mudadas.

O feminismo ensínanos permanentemente a necesidade de aprender unhas das outras, de escoitar para analizar, cuestionar e transformar aquilo que nos somete. Por iso, desde Isca! organizamos este acto coa pretensión de mellorar o noso coñecemento sobre os diferentes comportamentos machistas do día a día. Cremos que as mozas, lonxe dos aparentes avances nas xeracións máis novas, sufrimos constantemente este tipo de agresións no noso cotián e é preciso sermos conscientes de que as padecemos para identificalas e así combatelas e traballar para eliminalas, desde o individual e o colectivo, sumando esforzos na batalla de erradicar progresivamente todas as manifestacións da violencia de xénero e do sistema patriarcal"

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Começo curso de pandeiro. BASENAME: comeco-curso-de-pandeiro DATE: Mon, 23 Nov 2015 19:29:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

O vindeiro 30 de novembro começa um curso de iniciaçom ao pandeiro que se prolongará durante os vindeiros três meses.
O curso desenvolverá-se as segundas-feiras de 21h15 a 22h15 e custa 20 euros ao mês.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Manifesto conjunto 18-N-2015 BASENAME: manifesto-conjunto-18-n-2015 DATE: Mon, 23 Nov 2015 18:28:27 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No dia de onte as associaçons lucenses Cultura do País, Carneiro Alado e Mádia Leva! organizamos um ato de celebraçom polo 97º Aniversário da I Assembleia Nacionalista. A seguir deixamos o comunicado elaborado para esta homenagem.

Un ano máis no nacionalismo e no independentismo de Lugo estamos de celebración. Un día coma hoxe, hai 97 anos, galegos precocupados pola dependencia colonial de Galiza e polo seu futuro, xuntábanse en Lugo organizados nas fileiras das Irmandades da Fala. E facianno aquí mesmo como nos lembra esta placa.
Pasaron 97 anos, mais o que reivindicaban naquel 1918 segue hoxe pendente, porque reclamaban entre outras cousas:
Umha autonomía integral e plena para Galiza, contemplando ata a separación do Reino de Espanha.
A personalidade xurídica das Parroquias, institución histórica de organización na nosa Terra.
O fin das Deputacións, froito artificial da división administrativa de Javier de Burgos (1833).
Cooficialidade do idioma galego
Igualdade de dereitos para a mulher, sobre todo no caso de emigración do marido.
Réxime tributario propio.
Ensino público e nacional galego.
Control das comunicacións, incluso do tráfico marítimo.
Nacionalización do ferrocarril.
Disolución do exército.
Xustiza galega e por funcionarios galegos.
Como vedes aínda fica moito sen facer.
Hoxe non só non milloraron as cousas senon que en moitos sentidos estamos aínda peor. Naquel comezo do s. XX, sen burguesía propia, cumha clase obreira pouco desenvolvida, cun sector primario (campo e pesca) moi precarizado e ailhado entre si, o Estado Espanhol non debeu considerar excesivamente perigoso ese movemento nacionalista.
Mais hoxe o cenario é distinto; temos un Reino Espanhol, herdeiro do franquismo, enfrontándose a varias crises; económica, política, institucional, de modelo de estado. A dereita, a espanhola e a galega e mesmo parte da esquerda espanhola revólvense contra as nacións sen estado que estamos no Estado Espanhol, negándonos ata o exercicio do Dereito de Autodeterminación. Con este panorama o Estado e o seu Goberno tenhen medo e atacan e se non hai inimigos, inventanos.
Cando os asinantes do Manifesto de Lugo en 1918 formulaban a expresión ?autonomía integral? estaban a falar dunha realidade política moito máis ampla que a cativa autonomía que actualmente constrinxe a nosa capacidade de desenvolvernos como nación. Estaban a falar de soberanía, de capacidade de decidir nós propios sobre o noso futuro. Ben diferente é a realidade actual na que o Estado Español e a Unión Europea nos impiden ese dereito.
Nesta situación de dependencia, Galiza está a sufrir a destrución da súa economía, impedíndolle o desenvolvemento dos sectores produtivos básicos: o sector agrogandeiro, a pesca, a construción naval, etc. sofren ataques constantes para beneficiar intereses foráneos e do grande capital, como estamos vendo recentemente no sector leiteiro. Esas políticas foráneas converten o noso país nunha colonia, da que extraer materias pirmas e enerxía a baixo prezo e mandobra barata; condeando á mocidade á precariedade laboral ou a emigración e impedindo á clase operaria galega negociar convenios propios e organizarse de forma autónoma para defender os seus intereses. Destrúen o noso patrimonio natural por medio de industrias enclave e extractivas que non pechan o ciclo en Galiza e levan o beneficio para fóra.
As Irmandades eran Irmandades da Fala, xa para quen se implicaron naquel primeiro terzo do século pasado no nacionalismo o idioma e a cultura propia eran un elemento fundamental como expresión dun pobo, e traballaban pola súa dignificación e prestixio, por normalizar o seu uso en todos os eidos. Hoxe, mesmo coa teórica existencia de institucións que din cumprir esa función, o idioma galego está a sufrir un retroceso no seu uso pola aplicación de políticas que redundan na imposición do español. Facer unha vida 100% en galego, o que debería ser a normalidade neste país, segue a ser inviábel.
O independentismo e o nacionalismo, somos herdeiros daquel movemento nacional das Irmandades de Fala, que se afirmou ?de oxe por sempre nacionalistas galegos?, que uns anos despois tivo concreción na fundación no Partido Galeguista e que deu voz a Galiza para confrontar a visión centralista da Constitución da Segunda República Española. Todos eles/as, protagonistas e continuadores daquel manifesto que hoxe lembramos e que tedes nas maos. Igual que Castelao e Bóveda sufriron o desterro fóra do país naqueles anos da República por defender eses ideas e despois do golpe de Estado de 1936 moitos galeguistas foron asesinados, encadeados e perseguidos pola ditadura franquista até os últimos anos da súa existencia formal e aínda despois; o independentismo somos albo hoxe -umha outra vez- dos ataques e a represión do Estado monárquico e o seu goberno.
Alén dos companheiros e companheiras prisioneiras nas cadeas espanholas -que hoxe están aquí connosco, nos nosos corazóns- temos umha ampla, por desgraza, listaxe de represaliadas e represaliados, numha represión que chaman de baixa intensidade, mais non por eso menos represora; detencións, comparecencias en xulgados e na Audiencia Nacional Espanhola, multas, presións para conseguir colaboracións traidoras... ata chegar a finais do mes pasado a nove violentas detencións de independentistas en todo o País e a suspensión dun partido político, constituido coa sua legalidade. Hai que salientar que esta suspensión de Causa Galiza é un feito sen precedentes na Galiza dende a aparición do que chaman Transición.
Con este panorama, hoxe, igual que hai 97 anos, temos que seguir a loitar por umha Galiza de seu, por umha patria liberada, por umha Galiza independente, que teña voz propia e se relacione en pé de igualdade con todos os pobos do mundo. Temos o compromiso de mostrarmos a solidariedade cos companheiros e companheiras que sofren persecución de calquer xeito. Temos a obriga de superarmos as diferencias no seo deste movemento, de constituirmonos en Irmandade, de construirmos as ferramentas para rematar esta tarefa secular de dignificación e liberación da nosa Matria. Os nosos antepasados e nosas antepasadas na loita exíxennolo e nós debémosllelo.
VIVAN AS IRMANDADES DA FALA
VIVA GALIZA CEIBE

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Alexandre Peres Vigo - ?O estereotipo antigalego na literatura peninsular moderna? BASENAME: o-facho-alexandre-peres-vigo-o-estereotipo-antigalego-na-literatura-peninsular-moderna-1 DATE: Sat, 21 Nov 2015 13:09:45 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46
Corunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra


Por causa da suspensom da conferencia do dia 18 de Novembro, esta será realizada o vindouro dia 25 de Novembro (Quarta ? Mércores), às 8 do serám. Na mesma o professor e investigador, Alexandre Peres Vigo falará dentro do ciclo, Língua, Literatura e Naçom. A sua conferencia intitula-se: ?O estereotipo antigalego na literatura peninsular moderna?

O professor Peres Vigo é Licenciado em Humanidades pola Universidade da Corunha, e actualmente trabalha como docente no ensino médio. Assim mesmo é um reconhecido investigador e divulgador do património histórico e cultural galego. Nos últimos anos desenvolve a sua tese doutoral tutorada polo professor e doutor Manuel Ferreiro arredor da génese e desenvolvimento do estereotipo antigalego na literatura peninsular moderna.

Dia: 25 de Novembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha ? Corunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Todo-las as conferencias em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

Fai-te soci@! Colabora connosco!
Para ajudas e aportaçons económicas
Caixa Rural:
Conta: ES02.3070.0044.58.6090453421

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Ato conjunto polo 97º Aniversário da I Assembleia Nacionalista. BASENAME: de-hoje-para-sempre DATE: Thu, 19 Nov 2015 12:13:20 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Magusto estudantil BASENAME: magusto-estudantil DATE: Tue, 17 Nov 2015 11:17:33 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Novembro 2015

Na quinta-feira (xoves) dia 19, @s estudantes da organizaçom unitária da esquerda nacional celebrarám a tradicional festa do outono galego connosco. O coletivo Assembleias de Base continua a sua campanha de apresentaçom e difusom na Corunha com este ato lúdico.

Com certeza que a participaçom nessa jornada nom está restringida a jovens estudantes: poderedes gozar da troula a partir das 20h todos e todas as que queirades.

Será o segundo magusto deste ano em que participaremos, depois do I Magusto Popular do Campo de Marte com o CS A Comuna.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Vam começar aulas de dança tradicional BASENAME: vam-comecar-aulas-de-danca-tradicional DATE: Mon, 16 Nov 2015 12:26:44 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Novembro 2015

A que esperas? Este ano voltarás a poder aprender a dançar com o António, que polo segundo ano consecutivo dará este curso.

Na segunda-feira dia 16 começará com portas abertas: às 19 horas poderedes entrar e ensaiar, sem compromisso nem custos.


(imagem do curso do ano passado)

A partir da semana seguinte, segundas-feiras (luns) às 19 horas, já se dará por iniciado de jeito regular o curso, ao qual poderedes apontar-vos polo mesmo preço que o resto de cursos: 25?/mês por 90 min à semana.

Vem queimar energias e criar serotonina!

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Horários definitivos cursos 2015-2016 BASENAME: title-813 DATE: Sat, 14 Nov 2015 12:10:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cursos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Disponibilizamos os horários definitivos para os cursos 2015-2016. Lembramos que a inscriçom está aberta permanentemente.

Zumba (Professora Vanessa)

Segunda-feira 10.30h / 20.30h
Terça-feira 10.30h
Quarta-feira 19.00h
Quinta-Feira 10.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)
Preço 2 dias: 18 euros (15 euros sóci@s e desemrpegad@s)
Preço 3 dias: 20 euros (18 euros sócid@s e desempregad@s)

Zumba (Professora Maria)

Segunda-feira 18.30h
Terça-feira 21.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)
Preço 2 dias: 18 euros (15 euros sóci@s e desempregad@s)

Taichi (Professora Iolanda)

Segunda-feira 19.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Pintura (Professora Soraia)

Terça-feira 17.00h

Preço 1 dia: 25 euros (22 euros sóci@s e 16 euros desempregad@s // Inclue o material)

Canto e Pandeireta (Professor Yerai)

Quarta-feira 20.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Dança Tradicional (Professor Uxio)

Quarta-feira 21.00h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

Ioga (Professora Ana)

Quinta-feira 20.30h

Preço 1 dia: 15 euros (12 euros sóci@s e desempregad@s)

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Monólogo de Fiz e música dos Superoito a nossa oferta para a fim de semana BASENAME: title-812 DATE: Wed, 11 Nov 2015 22:50:30 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Mais um fim de semana, a Fundaçom Artábria disponibiliza umha ampla oferta cultural. Desta vez, na sexta-feira, 13 de novembro, o multifacético jovem trasanquês Fiz Patinho trará um novo espetáculo ao nosso Centro Social.

Em palavras de Fiz, "o espetáculo é medíocre, o intérprete é medíocre". Dependendo da cara que leve o público, tentará fazer música, poesia e umha performance de olaria africana, mas "assim contado nom tem graça". O espetáculo pode conter traças de leite e frutos secos.

A atuaçom começará às 22.00hs (pontual) e a entrada é "pola gorra". Quer dizer, após o espetáculo passará-se o chapéu.

No sábado 14, estarám na Fundaçom Artábria chegados de Compostela os Superoito. Com dous trabalhos discográficos e umha impressionante tourné com mais de 50 concertos, o grupo de Giane, Xabi e Glen é na atualidade um dos grupos revelaçom do panorama musical galego.

Atitude gamberra mas sem perder nem um só ápice de frescura e transparência que os caracteriza, com tam só dous anos de vida sabem marcar as suas próprias linhas de identidade, mantendo em todo o momento a energia e faísca juvenil das quais fam justiça em cada um dos seus diretos.

O concerto começará às 22.30hs e tem um bilhete de 4 euros, 3 euros para as pessoas associadas à Fundaçom Artábria.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Homenagem a Martinho no V aniversário do seu falecimento BASENAME: title-811 DATE: Wed, 11 Nov 2015 22:04:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Passado 9 de novembro completavam-se 5 anos do falecimento do nosso companheiro e amigo José Manuel Sanmartim Bouça "Martinho".

Pessoas como Martinho, que desde o primeiro dia demontrárom grande generosidade para o trabalho coletivo, tenhem sido imprescindíveis para que a Fundaçom Artábria tenha ocupado um espaço na defesa da nossa língua e cultura nacionais na Terra de Trasancos.

Nas tarefas mais ingratas, que nunca figuram nos cartazes e crónicas visuais, na assistência aos actos e iniciativas, no contributo económico e de tempo. Martinho estivo sempre disposto a dar o melhor quando foi necessário.

Eis por isso que a Fundaçom Artábria quer lembrar ao nosso companheiro com umha pequena homenagem que decorrerá a próxima sexta-feira, 13 de novembro, e consistirá no descubrimento dum óleo, da autoria de Maurício Castro, no nosso salom de atos. O canto do hino nacional e um brindis completarám esta humilde homenagem para um dos imprescindíveis.

O ato dará início às 20.30hs.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Queres praticar o teu inglês falado? Aponta-te ao "English Coffee" BASENAME: title-810 DATE: Wed, 11 Nov 2015 21:44:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Língua CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O que é?
Um jeito entretido de aprender inglês em grupo de 4 a 10 pessoas. Podemos aprender oralmente a partir do zero, melhorar a nossa fluência se já tivermos um pouco de nível ou entom praticar para nom perdermos a nossa capacidade de nos comunicarmos em inglês.

Como é que o fazemos?

Muito fácil: com jogos e atividades que darám temas para as reunions, sendo todos eles pensados para as pessoas assistentes se verem encorajadas a falar e participar.

O preço será de 4 euros por sessom, dentro dos quais se inclui umha consumiçom (água ou chá), indo o resto para o pagamentod e materiais necessários (cópias, cartons para os jogos...) e o resto para os "tips" d@s professores/as.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO:?A Galiza Celta? por Antonio Balboa Salgado BASENAME: o-facho-antonio-balboa-salgado-a-galiza-celta-1 DATE: Wed, 11 Nov 2015 20:09:58 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 10 de Novembro, o professor e Doutor em história, Antonio Balboa Salgado falou dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais. A sua charla intitula-se: ?A Galiza Celta?.

O professor Balboa Salgado deu umha leitura global sobre a cultura celta em Europa, as distintas correntes de pensamento existentes sobre a mesma. A sua palestra foi ilustrada com didácticas filminas elaboradas com objectos obtidos em diversas escavaçons mostrando o vencelho existente entre os mesmo a pesares de ser achados em lugares bem diversos e distintaes.

Ao remate da sua exposiçom houvo um interessante colóquio.

----- COMMENT: AUTHOR: Breu [Visitante] DATE: Sun, 22 Nov 2015 21:48:35 +0000 URL:

Este audio não contem a palestra de Antonio Balboa Salgado

----- COMMENT: AUTHOR: Jose Abreu [Visitante] DATE: Fri, 13 Nov 2015 23:25:12 +0000 URL:

O audio esta errado, pussestes a palestra passada

Abraços

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: A MEMÓRIA D?O FACHO EM INTERNET BASENAME: a-memoria-d-o-facho-em-internet DATE: Tue, 10 Nov 2015 17:05:49 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Preme no enlace para descargar a Memória D´O FACHO

https://archive.org/download/LibroMemriaOFacho/Libro%20mem%C3%B3ria%20O%20Facho.pdf

A MEMÓRIA D?O FACHO EM INTERNET

Em Dezembro de 1991, 24 anos há, publicava-se na Corunha a Memória da Agrupaçom Cultural O Facho, fundada 28 anos atrás. Trata-se, sem dúvida, dumha publicaçom senlheira, mais que polo seu volumem de quase 270 páginas, polo seu contido, pois que abrange um período fundamental da história da Galiza contemporânea através da crónica deste colectivo cultural corunhês.

Dado que o livro vai além da simples memória é mais conhecido polo título da sua primeira parte, A Corunha na cultura galega, a cobrir practicamente um terço do total do volume, correspondendo os dous terços restantes à Memória propriamente considerada. É que foi isso o que precisamente se perseguira, dar-lhe à publicaçom um interesse bem mais geral do que umha estrita cronologia societária.

E é assim como esta primeira parte compreende um relato pormenorizado, Contra a desmemória, profusamente ilustrado, dos acontecimentos produzidos na cidade corunhesa no delongado lapso dos 180 anos que vam de 1808 a 1988 e que a consagrárom como o faro ?o facho- do país? particularmente reabilitados num momento em que a política municipal ?à que nom queremos nem citar polo seu funesto nome patronímico- fazia e fixo o impossível por desterrar da realidade e do imaginário popular toda aquela espléndida executória galeguista da nossa cidade, e na que O Facho tivo um papel tam relevante nessas quase três décadas que a Memória relembra.

Seguem a essa cronologia três outros textos devidos a outras tantas figuras galegas de primeira magnitude e, sem té-lo assim procurado, pertencentes a três geraçons sucessivas: Castelao (1886-1950), Marinhas del Valle (1908-1999) e Avilés de Taramancos (1935-1992), respectivamente: Arte e galeguismo (1919), Tradiçom nacionalista na cidade da Corunha (1997) e Xohán Casal: os froitos da névoa (1986), este com a regalia engadida de ser um autógrafo, este, como o jornalístico de Castelao, apresentados de jeito fac-similar. Todos três ensaios relacionados dalgumha maneira com Corunha.

É a continuaçom que se desprega, segundo vimos de adiantar, a Memória societária, a qual, precedida por umha introduçom de M. Caamaño Suárez e mais dumha Pequena História, se entrega ao leitor nestes capítulos:

A) Cursos de idioma galego. &amp;#66;&amp;#41; Concursos literários e artísticos C) Actos e iniciativas diversas. D) Publicaçons. E) A nossa opiniom nos meios e o eco neles do nosso labor. F) O grupo de teatro O Facho. G) O colectivo juvenil Edral. H) Outras actividades. I) Atrancos e alentos? para rematar, a jeito de epílogo, co apartado J) O Facho para os sócios (Juntas Directivas, Biblioteca Castelao, Estatutos).

Todo isto ilustrado com desenhos de Urbano González, Castelao, Cebreiro, Bagaría, Maside, Seoane, Díaz Pardo, Villar Chao, Felipe Criado, Reimundo Patiño, Vizoso, Siro, Xaquín Marín, Felipe Senén, Xosé Díaz e Arximiro Corral? fotos dos momentos mais destacados, autógrafos de pessoeiros (Otero Pedrayo, Dieste, Rodrigues Lapa, Neira Vilas?) e alguns fragmentos laudatórios de Victoria Armesto (1970), X.M. Rodríguez Pampín (1972 e 1977), Luis Seoane (1975), Carvalho Calero (1980 e 1983), Manuel Lourenzo (1983), M. A. Fernán-Vello (1983) e Francisco A. Vidal (1988).

Em falando dos ilustradores, cumpre ressaltar a reelaboraçom que do logotipo d?O Facho fixo o citado desenhista Arximiro, restituindo-lhe, ao nosso ver, a sua posiçom correcta, virada 180° da que, inadvertidamente, se vinhera utilizando durante muitos anos, pois, segundo se relata na própria Memória, ?a plasmaçom do símbolo fundiria o facho cum sol a se pôr sobre umha leira, tal como a concebera Patiño num sol-pôr campesino?.

É motivo de celebraçom que agora apareça aquela Memória de 1991 no blog d?O Facho. Bom proveito!

Xosé-Mª Monterroso Devesa

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta sexta no cineclube. BASENAME: esta-sexta-no-cineclube DATE: Tue, 10 Nov 2015 08:35:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Jornada micológica Engraleva este sábado. BASENAME: jornada-micologica-este-sabado DATE: Mon, 09 Nov 2015 19:10:42 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este sábado, dia 14 de novembro, jornada para conhecer, apanhar e degustar cogumelos. Por terceiro ano consecutivo chega esta atividade organizada em colaboraçom co Ateneu Libertário A Engranaxe e que dará começo às 9h saindo do nosso centro social. Logo faremos um jantar que custará 6 euros por pessoa.

No dia anterior, sexta-feira às 21h30, mais umha sessom do cineclube, que logo do sucesso da estrea, esta semana volta co filme a Cerimónia.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "Duas glórias" [versões] BASENAME: duas-glorias-versoes DATE: Sat, 07 Nov 2015 10:58:33 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


Ercília Costa http://fadavante4.com.sapo.pt/carlos_ramos_ercilia_tdg.jpg

Cidália Moreira

Ercília Costa e Armandinho

Mariana Silva e Manuel de Almeida

DUAS GLÓRIAS (João da Mata e popular)

De tão sagradas memórias
Ambas de iguais sentimentos
Duas mulheres, duas glórias
Dois nomes, dois sofrimentos

Uma andou pela Mouraria
E pelo Campo de Santana
Conduzindo a nostalgia
Nos seus olhos de cigana

A outra, em salões doirados
Da triste sorte irmã gémea
Trazia os dias contados
Nos seus olhos de boémia

Ambas souberam cantar
O fado, que as embalava
Se uma cantava a chorar
A outra, a chorar cantava

Cada qual em sua era
Dois nomes cheios de glória
Um... a Maria Severa
Outro... a Maria Vitória

Link: http://www.vagalume.com.br/argentina-santos/duas-glorias.html#ixzz3qnm4Mk2G

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Apresentaçom do último livro de Teresa Moure e Magusto popular as atividades da fim de semana na Fundaçom Artábria BASENAME: apresentacom-do-ultimo-livro-de-teresa-moure-e-magusto-popular-as-atividades-da-fim-de-semana-na-fundacom-artabria DATE: Thu, 05 Nov 2015 17:56:08 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Actividades mês a mês CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A oferta cultural nom para na Fundaçom Artábria, e este mês de outono vem carregado de atividades no nosso Centro Social.

Apresentaçom de Óstracia com Teresa Moure
Esta sexta-feira, 6 de novembro, às 20.30hs a escritora e professora da USC, Teresa Moure apresenta o seu novo livro ?Ostrácia? publicado por Através Editora.
A protagonista de Ostrácia é a revolucionária bolchevique Inessa Armand, russa de origen francesa.

?Após o seu matrimónio com um proprietário rural da alta burguesia com quem teve quatro filhos, subverteu todas as normas da sua sociedade ao se juntar aos 28 anos com o seu cunhado, de 17, com quem tem o quinto. Luitadora incansável, feminista, é enviada ao pior dos ostracismos, o Ártico, porque na sua casa se celebravam reunions anti-czaristas e se encontraram leituras marxistas. À volta do exílio, ingressa no Partido Bolchevique onde chega a ocupar altas responsabilidades. Inessa Armand, mulher de nome esquecido, foi capaz de romper todas as convençons para construir um mundo novo. No entanto, apenas é lembrada com uma frase: «a amante de Lenine».?

Magusto Ártabro

No sábado 8 temos umha das citas clássicas do mês de novembro na Fundaçom Artábria com as castanhas como protagonistas.
Desde as 20.00hs celebramos o Magusto na Fundaçom Artábria, na Travessa de Batalhóns, com castanhas à grelha de balde com cada consumiçom. Além deste exquisito manjar que chega mais umha vez desde os melhores soutos de Viana do Bolo, haverá chouriços e liscos com pam ao preço de 3 euros a raçom.

Exposiçom de Esperanza Vázquez

Aliás lembramos que desde o dia 2 e até final de mês está disponível a exposiçom da fotógrafa ferrolana Esperanza Vázquez ?Branco e Negro? no nosso Centro Social. A monstra pode ser visitada em horário de apertura do Café-bar entre as 10.00h

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Magusto associativo BASENAME: magusto-associativo-1 DATE: Thu, 05 Nov 2015 08:23:07 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: MAGUSTO POPULAR DA COMUNA E O GAIOSO BASENAME: magusto-popular-da-comuna-e-o-gaioso DATE: Wed, 04 Nov 2015 21:35:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No sábado decorrerá o I Magusto Popular de Monte Alto, coorganizado polos Centros Sociais A Comuna e Gomes Gaioso. Será no Campo de Marte.

Parabenizamo-nos imenso de levar à prática esta unidade de açom popular, impulsionada polos locais autogestionados da esquerda corunhesa, em concreto do nosso bairro.

A partir das 19 horas teremos queimada e castanhas à vontade. Também haverá bebidas e foliada para celebrar da chegada do mês de outono.

Animamos-vos a participar da festa!

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Inauguraçom da esposiçom fotográfica "Branco e Negro" de Esperanza Vázquez na Fundaçom Artábria BASENAME: title-809 DATE: Wed, 04 Nov 2015 17:34:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Local Social CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá, quinta-feira 5 de novembro, às 20.00hs terá lugar a inauguraçom oficial da exposiçom fotográfica da jovem artista ferrolana Esperanza Vázquez.
A exposiçom sob a legenda "Branco e negro" consta de 10 imagens e em palavras de Esperanza Vázquez o projeto é umha materia pendente desde que começou na arte da fotografia.

A exposiçom é umha monstra da "sua visom, dos seus caros detalhes e de vários elementos chaves na sua pessoalidade".

"Branco e Negro" estará disponível no nosso Centro Social até o 30 de novembro, e poderá visitar-se em horário de 10h a 13.30h e de 17.30 a feche do local.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Ence fora para sempre! BASENAME: ence-fora-para-sempre DATE: Wed, 04 Nov 2015 09:36:54 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Associaçom Cultural Amig@s da Cultura quer fazer público o seu total rejeitamento a umha hipotética prórroga na concessom a Ence em Louriçám por parte do governo espanhol e a sua participaçom na campanha de mobilizaçom social iniciada polo tecido associativo de Ponte Vedra e dos demais concelhos da nossa Ria e também por diversas instituiçons locais.

Reiteramos que a continuidade de Ence seria umha hipoteca e umha lousa para o futuro da zona e de todo o País. Ponte Vedra e o conjunto da Galiza tenhem que buscar outras vias na economia, conciliáveis com a conservaçom a longo prazo do ambiente e com a justiça social.

Rejeitamos a campanha de chantagens e mentiras de Ence, que se apoia no seu dinheiro para comprar vontades. Cumpre dizer claramente que Ence nom cria postos de trabalho, destrui-os. Destrui-os na própria fábrica, onde a cada vez trabalha menos gente, e impossibilita a criaçom de muito mais trabalho noutros setores. Ence, ademais, continua a contaminar, apesar de que a autorizaçom ambiental que a Junta lhe concedeu está feita à sua medida. Quantas décadas mais quer seguir emporcando o nosso entorno impunemente?

Se Ence fosse o motor económico de que falam, como se explicaria o nível de desemprego de Ponte Vedra? Essa ?importáncia? de Ence nom se teria que notar significativamente numha baixa taxa de desemprego? Nom será que, ao contrário, a presença de Ence contribuiu à destruiçom de trabalho na zona desde a sua instalaçom pola força na ditadura?

O governo do Partido Popular, o braço político de Ence-Elnosa, nom está legitimado para tomar umha decisom que afeta o conjunto da vizinhança da Ria de Ponte Vedra. O governo espanhol está já em funçons, polo que aprovar nos próximos meses a continuidade de Ence seria umha fraude e umha decissom ilegítima e antidemocrática. Nom estamos a falar de umha decisom menor, mas de algo que nos pode condicionar e prejudicar durante décadas, e nom pode ser que a maior capacidade de pressom de umha grande empresa em Madrid imponha a permanência contra a vontade maioritária do povo.

Por sua vez, o governo autonómico do PP nom deve dar o seu visto bom com um informe ambiental positivo. Qual é o futuro que querem para a Galiza? Mais decadência dos setores primários do mar? Mais desertificaçom do rural, abandonado às espécies destinadas à pasta de papel e à produçom energética? Seguir com umha ria contaminada? Querem umha Galiza onde a vontade de empresas alheias se impom à do povo?

Concordamos com a opiniom de que estamos num momento decisivo, e de que é básico que atuemos com unidade para impedir a prórroga a Ence. É umha responsabilidade de todas e todos nós e devemos posicionar-nos e pôr o nosso grao de areia. Jogamo-nos o nosso futuro.

Ence e Elnosa fora para sempre!

Ponte Vedra, novembro de 2015

Visita e divulga a página web encefora.gal

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Esta quinta-feira BASENAME: et DATE: Tue, 03 Nov 2015 18:49:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Animamos-vos a participar nos atos que organiza o Foro Galego de Inmigración dentro da III Semana de Loita contra as Fronteiras.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Assim foi o V Roteiro da Pantalha! BASENAME: title-808 DATE: Mon, 02 Nov 2015 16:39:35 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A comitiva da Pantalha saiu percorrer as corredoiras de Cerdedo mais um ano, e já vam cinco!

Partindo da Eira Grande de Pedre, como noutras ocasions, desta vez a Estadeia caminhou face o monte da aldeia, mas antes disso parou no cemitério paroquial para lembrar e honrar Francisco Arca e Secundino Bugalho, militantes cerdedenses da CNT assassinados polo fascismo em 1936.

Já no monte, em perigo de arrasamento por causa do projeto do comboio de alta velocidade (o inecessário e destrutivo AVE), as ánimas da Companha visitárom os sítios arqueológicos de Laje da Romagem e Laje das Filhoeiras, com os seus gravados rupestres realizados até 4000 anos atrás.

De volta em Pedre, a noite acabou com a ceia em Casa Florinda e com a sessom de contos de medo para continuarmos a celebrar o Magusto.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Antonio Balboa Salgado - ?A Galiza Celta? BASENAME: o-facho-antonio-balboa-salgado-a-galiza-celta DATE: Sat, 31 Oct 2015 08:14:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Taipa 12-1º
15011 Crunha


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 10 de Novembro, terça (martes), às 8 do serám, o professor e Doutor em história, Antonio Balboa Salgado falará dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais. A sua charla intitula-se: ?A Galiza Celta?.

Balboa Salgado foi presidente da Associaçom Galega de Historiadores. Actualmente trabalha como professor de Geografia e História em Ensino Médio. Realizou investigaçons em Alemanha, Áustria, França, Itália, assim como no nosso País. Obtivo o Prémio de Ensaio Manuel Murguía por A Raíña Lupa. As orixes pagás de Santiago en 2005: assim como foi galardoado com o prémio Taboada Chivite entre outros.

Como criador tem publicado diversos livros e numerosos trabalhos de investigaçom, entre os que sublinhamos: As origens pagás de Santiago, Cidades Asolagadas: Augas e o Alén, A Raiña Lupa, A Galicia Celta.

Dia: 10 de Novembro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: Solidariedade com os independentistas detidos hoje. Nom mais montagens políticas! BASENAME: solidariedade-com-os-independentistas-detidos-hoje-nom-mais-montagens-politicas DATE: Fri, 30 Oct 2015 20:42:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Associaçom Cultural Amig@s da Cultura solidariza-se com as nove pessoas, militantes independentistas da organizaçom política Causa Galiza, detidas hoje em diferentes pontos do nosso país sob delirantes acusaçons de ?enaltecimento do terrorismo?, vinculando-as a umha alegada ?Resistência Galega?.

Umha dessas detençons realizadas pola Guardia Civil produziu-se na nossa cidade e, de facto, o detido é umha pessoa bem conhecida e querida por quem conformamos Amig@s da Cultura, tendo participado em diversas ocasions nas nossas atividades. Umha pessoa que, como o resto de detidas, tam só realizou atividade política pública no independentismo galego. Umha pessoa que, como os demais detidos, do único que é culpável é de implicar-se desinteressadamente e luitar polo povo do que fai parte.

Esta operaçom política miserável, contextualizada no momento pré-eleitoral em que nos atopamos, é responsabilidade da organizaçom de extrema direita PP, causante do inumeráveis agressons ao povo trabalhador aprovadas em Consejos de Ministros e Consellos da Xunta. O PP é causante direto da pobreza e da desigualdade crescentes, do corte de direitos e liberdades com a Lei Mordaça ou da legitimaçom da violência machista, por citarmos só alguns exemplos.

O Reino de España mostra-nos mais umha vez a sua verdadeira face antidemocrática. Quem nom pode convencer polas boas necessita usar a força e a mentira para eliminar e criminalizar a dissidência, inventando um suposto inimigo para ocultar que os verdadeiros inimigos do povo estám nos escritórios dos governos e das grandes empresas da oligarquia.

Exigimos a imediata liberdade das pessoas detidas nesta farsa e esperamos que nom sofram nengum tipo de maltrato em maos do Estado. Apelamos à solidariedade ativa que rompa com a indiferença perante o avanço diário do fascismo.

Ponte Vedra, outubro de 2015

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Fechamos atividades do XVII Aniversário com a festa do Samaim e ceia-concerto! BASENAME: title-807 DATE: Thu, 29 Oct 2015 18:01:24 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No sábado 31 de outubro a Fundaçom Artábria programa umha completa jornada de atividades que servirá de feche ao nosso XVII aniversário.

Às 18.30hs dará início o obradoiro de cabaças que decorarám o bairro de Esteiro. A atividade para crianças (e aqueles/as adultos que se queiram somar) completará-se com um obradoiro de maquilhagem especial para o Samaim.

À noite decorrerá a ceia-concerto do XVII Aniversário o preço da ementa é de 12 euros (10 euros para @s associad@s) e constará de sopa, lacom assado, vinho, água, café e sobre-mesa. Também há ementa vegana sob demanda.

E depois da ceia chegará o momento de ouvir a Blues do País. Mais umha vez o duo composto por Bieitta James e Pepe King trazerám ao nosso Centro Social o seu blues cheio de retranca. As reinterpretaçons de clássicos como Sitting on the dock of the bay (Sentadinha no pantalam), I just want to make love to you (Mirar-che o cu), Killing me softly (Matas-me amodo) ou Mercedes Benz (Chimpím) nom deixará a ninguém indiferente.

Para te apontares à ceia-concerto, deverás fazê-lo antes do 29 de outubro no balcom do nosso Centro Social ou escrevendo paracorreiodeartabria@gmail.com. As vagas som limitadas.

Quem queira assistir só ao concerto poderá fazê-lo por 4 euros com direito a umha consumiçom no café-bar.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: SAMAIM: cabaças para espantar @s mal mort@s BASENAME: cabacas-para-espantar-s-mal-mort-s DATE: Thu, 29 Oct 2015 09:59:26 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

Durante este fim-de-semana despedimos o mês de outono, e entramos em novembro com a tradicional festa d@s mort@s, defunt@s, de multidom de culturas europeias.

Como antanho, os frutos da época de colheita que finaliza som utilizados como sarcasmo para atemorizar os espíritos vingativos cuja energia está mais presente do que nunca nestas datas. A prolongaçom das horas sem luz e o começo das baixas temperaturas que nos acompanharám durante vários meses fai com que mudemos muitos hábitos do nosso dia-a-dia.

Para manter-nos bem longe dos mal mortos, hoje quinta-feira começaremos a decorar as cabaças com que ambientaremos primeiro o local, e depois as ruas de Monte Alto, como já figemos o ano passado. Continuaremos amanhá sexta e passado sábado decorando e, finalmente na noite do 31, colocando-as nas ruas.

Traz a tua cabaça para dar cor ao bairro!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: ?A trave d'ouro e os mouros dos castros? por Xosé Ramón Marinho Ferro BASENAME: o-facho-a-trave-d-ouro-e-os-mouros-dos-castros-por-xose-ramon-marinho-ferro DATE: Wed, 28 Oct 2015 17:16:45 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 27 de Outubro 5 de Maio, o Doutor e Antropólogo, Xosé Ramón Marinho Ferro intervéu dentro do ciclo, Economia, História da Galiza e Ciências Sociais, com a sua conferência ?A trave d'ouro e os mouros dos castros?

Marinho Ferro ilustrou a sua rica palestra com didácticas filminas elaboradas com dados obtidos no seu trabalho de investigaçom, mostrando a permanência das lendas e dos mitos sobre os ?mouros? no imaginário galego, e como a sua marca corresponde a umha cultura de auto-definiçom comum a todos os povos europeus formada na Idade Media. Mostrou como a cultura popular galega nom se compom de elementos ilhados senom que está perfeitamente artelhada constituindo nom só um sistema de interpretaçom da realidade senom também umha cosmovisom de afirmaçom do próprio.

Ao remate da sua exposiçom houvo um interessante colóquio.

----- COMMENT: AUTHOR: Valentim Martins [Visitante] DATE: Sat, 31 Oct 2015 22:25:01 +0000 URL:

Tenho pena de não poder ter assistido a esta conferência. Interesso-me pelas linguas e pela proto-historia europeia que me parece muito mal contada. Strabão, antes da era atual, jà evocava um local chamado Mourão e encontram-se muitos toponimos e patronimios cujo radical é “MOR": Moravia, Morvan, Morbhian, Saint Maur, Mormont (Suiça)Moreau em França etc. Em Africa este radical é raro. Penso que os mouros não eram arabes e que a historia foi falsificada. Tenho um explicação para o assunto, largamente documentada. Gostaria de encontrar galegos interessados por uma investigação rigorosa, mas fora dos padrões impostos pela cultura oficial.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Italiano, a partir de novembro BASENAME: title-806 DATE: Tue, 27 Oct 2015 21:10:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

A partir do mês que vem esperamos poder contar com um grupo de pessoas interessadas em aprender italiano com umha professora, especializada em Didática e associada à UdC, e italiana de origem.

Somamos assim a primeira oferta fora do cartaz original de cursos que oferecíamos em setembro, incorporando o interesse de novas pessoas por ministrar cursos em galego, espalhando a cultura e a arte populares no nosso local.

Se quigeres aprender italiano, podes enviar-nos um correio a gomesgaioso@gmail.com

O preço é o mesmo que o de qualquer outro curso: 25? por mês. Por 90 minutos de aulas à semana. O horário será a convir entre as pessoas interessadas e a professora.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cineclube Mádia Leva! BASENAME: cineclube-madia-leva DATE: Fri, 23 Oct 2015 17:58:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Teresa Siqueira: "Fado da minha morte" BASENAME: teresa-siqueira-fado-da-minha-morte DATE: Fri, 23 Oct 2015 17:33:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fado da minha morte (fado georgino)
Música: Georgino de Sousa
Letra: Pedro Baptista
Canta: Teresa Siqueira com conjunto de guitarras de António Chainho

https://pt.wikipedia.org/wiki/Teresa_Siqueira

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: A Fundaçom Artábria reclama que o galego comece a ser a verdadeira língua oficial do concelho de Ferrol BASENAME: a-fundacom-artabria-reclama-que-o-galego-comece-a-ser-a-verdadeira-lingua-oficial-do-concelho-de-ferrol DATE: Fri, 23 Oct 2015 17:11:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Língua CATEGORY: Concertos TAGS: ----- BODY:

A iniciativa municipal abertamente antigalega do partido Ciudadanos na nossa cidade, que pretende suprimir o galego da precária cooficialidade reconhecida por essa instituiçom, pom sobre a mesa a necessidade de um compromisso real do Concelho de Ferrol com o nosso idioma.

Som quase duas décadas decorridas desde a aprovaçom unánime da Ordenança Municipal de Normalizaçom Lingüística e, desde aquela, a Fundaçom Artábria e outros setores comprometidos com a nossa língua nom deixamos de reclamar esse verdadeiro compromisso na prática diária dos sucessivos governos.

Em Ferrol já governárom todos os partidos possíveis e nengum deles assumiu esse compromisso. Certamente, nom fôrom igual os governos do PP e IpF que os do BNG, IU ou mesmo PSOE. Porém, o galego nom deixou de ser um recurso retórico, nem muito menos chegou a contar com um plano de atuaçom efetivo em áreas concretas para conseguir dar-lhe o lugar que merece na instituiçom municipal e na sociedade ferrolana.

Todos os recursos de poder, político, económico, laboral, educativo e mediático dam ao espanhol um papel dominante que nengum governo municipal se atreveu a enfrentar.

Tampouco o atual governo apresentou até hoje nengumha medida significativa para mudar a gravíssima situaçom de perda de falantes e sutil, mas implacável, invisibilizaçom social do nosso idioma em Ferrol.

Sabemos que o desafio da recuperaçom do galego vai muito além dos poderes de um governo local, mas também sabemos que no seu ámbito de atuaçom pode fazer muito mais que umha aparente e parcial galeguizaçom administrativa, objetivo máximo dos governos mais ?ambiciosos? na matéria em todos estes anos.

A falta de estratégia galeguizadora, junto à pressom crescente da ideologia espanholizadora dominante, permitem agora que o grupo ultra Ciudadanos ataque frontalmente o direito coletivo do nosso povo à língua própria.

Situamos, por isso, a responsabilidade pola iniciativa lingüicida da concelheira Ana Rodríguez Masafret corresponde nom só a esse partido extremista, mas também ao conjunto do Pleno municipal que até hoje foi incapaz de mudar significativamente o estatuto institucional e social do galego em Ferrol.

A esse labor continuaremos a dedicar-nos na Fundaçom Artábria, denunciando claramente toda agressom à nossa soberania lingüística, como a agora protagonizada pola representante do partido antigalego Ciudadanos.

Fundaçom Artábria
Ferrol, 23 de outubro de 2015

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Festa ano novo celta. BASENAME: festa-ano-novo-celta DATE: Fri, 23 Oct 2015 16:36:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sábado 31 de outubro celebraremos o ano novo celta. Às 20h00 haverá umha charla sobre o significado desta data nos povos de origem celta. O Samhain ou Samaim da Irlanda e a noite de defuntas na Galiza som festas que partem dumha tradiçom céltica comum. Servirá de introduçom ao ritual de ano novo celta.
E ao rematar começará umha sessom de música metal a que convidamos a participar. Abramos as portas do além.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: O dia 27 de outubro BASENAME: o-dia-27-de-outubro DATE: Thu, 22 Oct 2015 16:43:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apresentaçom da obra literária "Ostrácia" BASENAME: apresentacom-da-obra-literaria-ostracia DATE: Wed, 21 Oct 2015 20:05:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

A professora e escritora Teresa Moure estará connosco amanhá sexta-feira (venres) dia 23 para apresentar o seu livro "Ostrácia". Umha obra ambientada nas paixons mais humanas da Revoluçom comunista de 1917, e a sua experimentaçom polas mais abnegadas militantes revolucionárias.

Sexo, classe, amor, morte, amizade, desengano. Umha trevoada de sensaçons numha época histórica de máxima tensom histórica, social e subjetiva.

A Teresa dirigirá a palestra a partir das 20 horas, com a apresentaçom do também escritor Alberto Lema.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apanha de castanhas para o Magusto BASENAME: title-805 DATE: Wed, 21 Oct 2015 19:55:24 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

No sábado 24, às 16 horas, sairemos do Campo de Marte junto com companheir@s do Centro Social A Comuna para irmos apanhar castanhas. Faremo-la acompanhad@s dumha experta nos melhores soutos da zona.

Com elas, após deixá-las secar durante vários dias, faremos um magusto na rua, com foliada, na primeira semana de outubro.

Convidamos-vos a participardes do roteiro num dia em que nom se agoiram chuvas, escrevendo a gomesgaioso@gmail.com ou chamando ao 606 101 251

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Próxima sessom do grupo de estudos fica adiada BASENAME: volta-o-grupo-de-estudos-2 DATE: Wed, 21 Oct 2015 17:45:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

O grupo de estudos voltará mas nom será nesta sexta-feira 23 de outubro . Avisaremos com tempo para esta sessom que continuará co ciclo de debates centrados na democracia directa que organizamos co Ateneu libertário A Engranaxe. O texto de debate que corresponde é o "Manifesto contra o trabalho" do Grupo Krisis.Leitura completa aqui

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Kurwa este sábado na Fundaçom Artábria BASENAME: kurwa-este-sabado-na-fundacom-artabria DATE: Wed, 21 Oct 2015 15:11:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Sábado 24 de outubro, às 22.30h os ferrolanos Kurwa trarám o seu rock ao nosso Centro Social. A entrada é de balde!

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Séchu Sende apresenta a "República das Palavras" na Fundaçom Artábria BASENAME: title-804 DATE: Wed, 21 Oct 2015 09:30:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Palestras e debates CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nesta sexta-feira, 23 de outubro, o Séchu Sende apresenta o seu último trabalho "A República das Palavras", na Fundaçom Artábria. O ato dará início às 20.30h e haverá exemplares à venda para ser assinados polo autor.

A República das Palavras? é o segundo volume de Séchu Sende na Através. Neste caso o autor de Animais apresenta-nos um conjunto de relatos que som a continuaçom do anterior Made in Galiza.

Séchu Sende, (Padrom, 1972) é poeta e narrador, sociolinguista, ativista social e domador de pulgas no ?Galiza Pulgas Circus?. A sua obra Made in Galiza foi traduzida ao curdo, ao turco, ao catalão, ao euskera. Os seus textos convertem-se em cançons, obras de teatro, lemas de camisolas, curta-metragens ou campanhas de publicidade social. Também escreve textos de guerrilha da comunicaçom, manifestos da Resistência, listas da compra e palavras como tattoos nas mãos das suas duas filhas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Xosé Ramón Marinho Ferro - ?A trave d'ouro e os mouros dos castros?. BASENAME: o-facho-xose-ramon-marinho-ferro-a-trave-d-ouro-e-os-mouros-dos-castros DATE: Sun, 18 Oct 2015 10:20:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 27 de Outubro, terça (martes), o Doutor e Antropólogo, Xosé Ramón Marinho Ferro falará dentro do ciclo, Economia, História da Galiza e Ciências Sociais, A sua exposiçom versará sobre: ?A trave d'ouro e os mouros dos castros?.

Marinho Ferro é professor de Antropologia Cultural na Faculdade de Filosofia da Universidade de Santiago de Compostela. Realizou trabalhos de campo en Bolívia e en Galiza. Fruito da sua estancia entre os povos originários de Bolívia é a monografia ?Muerte, religión y símbolos en una comunidad quechua?. De temática exclusivamente galega som os livros: ?Antropoloxía de Galicia?, ?Autobiografía dun labrego? e vários livros de contos populares. Estudou diversos aspectos da cultura popular galega e europeia en ?Satán, sus siervas las brujas y la religión del mal?, ?La medicina popular interpretada?, ?Las romerías/peregrinaciones y sus símbolos?, ?La medicina mágica?, ?O entroido ou os praceres da carne?, ?Los cuentos maravillosos? e ?El simbolismo animal?.

Marinho Ferro defende a ideia de que a cultura popular galega está entroncada com a cultura popular europeia, formada na Idade Media. Engade que a cultura popular galega nom se compom de elementos ilhados senom que está perfeitamente artelhada. Outra das linhas de trabalho de Marinho Ferro é pôr en evidencia a funcionalidade dos costumes tradicionais por riba da sua aparência supersticiosa.

28 de Outubro 2015
Hora: 8 do serám ? Rua Sinagoga 22
Portas Ártabras ? Cidade Velha
Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: O reino suevo por Anselmo López Carreira BASENAME: o-facho-o-reino-suevo-por-anselmo-lopez-carreira DATE: Sun, 18 Oct 2015 10:16:39 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 16 de Outubro o Doutor e Historiador, Anselmo Lopes Carreira falou dentro do ciclo, Economia e História da Galiza organizado pola nossa Associaçom. A sua exposiçom intitulada: ?O Reino Suevo?, foi seguida com grande interesse polos assistentes.

Lopes Carreira ilustrou a sua rica palestra com didácticas filminas elaboradas com dados obtidos no seu trabalho de investigaçom, mostrando a importância e duraçom do primeiro reino medieval de Europa assentado na província romana da Gallaecia e como a historiografia espanhola agocha e nega este fito histórico para criar umha falácia para com a mesma justificar a existência actual do Estado espanhol

Ao findar a palestra o conferenciante foi felicitado polo público assistente que enchia o local.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Este sábado a Castroverde. Inauguraçom novo centro social A Chave das Noces. BASENAME: este-sabado-a-castroverde-inauguram-novo-centro-social DATE: Fri, 16 Oct 2015 10:13:05 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Apresentaçom da publicaçom "Ouvea" esta sexta-feira na Fundaçom Artábria BASENAME: apresentacom-da-publicacom-ouvea-esta-sexta-feira-na-fundacom-artabria DATE: Thu, 15 Oct 2015 18:18:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nesta sexta-feira 16 às 20.30hs, contaremos com a apresentaçom da revista ?Ouvea?. Revista na defesa da terra e do rural.

Ouveia pretende ser um vozeiro pola defesa da terra e da vida no rural, criado por aldeás, labregas e desertoras do progresso industrial, num contexto de domínio urbanita, amoreamento e isolamento em bolhas de montras, prédios e piche.

Os conteúdos centram-se na denúncia de abusos e imposiçons capitalistas na Galiza, recuperaçom de saberes tradicionais e debate antidesenvolvimentista.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: O uvê de haver BASENAME: o-uve-de-lemghaverl-emg DATE: Thu, 15 Oct 2015 08:51:31 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fonética CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CONSULTA:

Cal é a causa etimológica de que haver se escreva com v?

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A ortografia galego-portuguesa di-se que é histórico-etimológica, porque a sua fundamentaçom é dupla: por um lado, ela baseia-se, como norma, na etimologia, polo que, na maior parte dos casos, o modo de escrever hoje as palavras reflete a grafia que as suas antecessoras tinham (em latim), mas, por outro lado, a grafia de algumhas palavras galego-portuguesas atuais aparta-se da grafia primitiva, presente no étimo latino, por causa de alteraçons sofridas ao longo da história da língua vernácula. Este é, de facto, o caso de haver, voz que, proveniente do étimo latino habere, escrito com bê, se escreve em galego-português com uvê (pronunciado hoje como [v] nos padrons lusitano e brasileiro, e como [b] no padrom galego), por a palavra ter sofrido tal mutaçom na fase medieval da língua (já em 1012 se abona a forma avemus, e no século XIII, haver).

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Galiza ou Galiça? BASENAME: galiza-ou-galica DATE: Thu, 15 Oct 2015 08:30:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ortografia CATEGORY: Fonética TAGS: consoante xorda, , fricativa, iode, , razom, , sazom ----- BODY:

CONSULTA:

Nom é mais ajeitado dizer Galiça que Galiza? Já que o "ç" é produto da uniom de c + i, e na evoluçom desta palavra o que está a ocorrer é:

Callaecia / Gallaecia > Gallicia > Galiça

Sei que Galiza aparece em certos documentos medievais, mais nom é suficiente para justificar o termo, já que em muitas ocasions as palavras que aparecem nestes hoje escrevem-se diferente.

Obrigado

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A forma Galiza responde ao resultado esperado da evoluçom c ou t + iode em posiçom intervocálica em galego-português: fiducia > fiúza; iudicio > juízo; ratione > razom; satione > sazom, etc.

É verdade que, em circunstáncias aparentemente similares, pudo surgir umha consoante xorda (ratione > raçom), mas nom é o caso da forma que nos ocupa. A prática unanimidade dos registos medievais (e nom só) junto com a sobrevivência daquela forma, com fricativa sonora, na variante portuguesa, nom deixam lugar para dúvidas.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Curso assertividade e resoluçom de conflitos na criança respeituosa. BASENAME: curso-assertividade-e-resolucom-de-conflitos-na-crianca-respeituosa DATE: Wed, 14 Oct 2015 15:17:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

Logo de várias baixas de pessoas inscritas no primeiro praço, informamos de que ainda ficam três praças.Actualizado a 9 de novembro.

PROGRAMA CURSO ASSERTIVIDADE E RESOLUÇOM DE CONFLITOS 28 e 29 de novembro.
1. Introduçom ao Conflito. O ciclo do conflito, componentes e tipos de conflito.
2. Estilos de comportamento e estilos de encarar os conflitos.
3. Emoçons e conflito. Adestramento das Habilidades Sociais e de Comunicaçom: autoestima,
escoita activa, assertividade, autocontrolo. A comunicaçom emocional e a comunicaçom nom violenta.
4. O processo de resoluçom de conflitos. Debate métodos condutistas/criança autorregulada ou com apego.

INSCRIÇONS AQUI
Preço: 20 euros

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Anselmo López Carreira: ?O reino suevo?. BASENAME: o-facho-anselmo-lopez-carreira-o-reino-suevo DATE: Sun, 11 Oct 2015 20:56:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º-C
15005 Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O dia 16 de Outubro (Sexta - Venres) o Doutor e Historiador, Anselmo López Carreira falará dentro do ciclo, Economia e História da Galiza. A sua exposiçom versará sobre: ?O reino suevo?.

Anselmo López Carreira é Doutor em História pola USC, professor no IES Maria Solinho de Cangas, Professor-Titor da UNED de Ourense e Doutor Vinculado do CSIC. Anselmo López é autor dumha ampla obra ensaística de investigaçom histórica, centrada na historia medieval de Galiza. Também é co-autor de varias Historias Gerais de Galiza.
O professor L. Carreira é hoje um dos mais salientáveis historiadores do medievo galego, as suas investigaçons encetárom novos caminhos que a história oficial espanhola fechava para nos manter aos galegos ignorantes da nossa própria história.

Da sua obra podemos destacar alguns dos seus livros: O reino medieval da Galiza, A Revolución Irmandiña; Os reis da Galiza; Martiño de Dumio, a criación dum Reino, Os reis de Galicia, A cidade medieval galega, Os irmandiños: textos, documentos e bibliografia, O Miño. Un caudal de historia etc..

Dia: 16 de Outubro 2015 - Hora: 8 do serám
Local Paideia ? Praça Mª Pita

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Morreu Deolinda Rodrigues (10.X.2015) BASENAME: morreu-deolinda-rodrigues-10-x-2015 DATE: Sun, 11 Oct 2015 16:21:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Morreu Deolinda Rodrigues: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=4828121

http://www.museudofado.pt/personalidades/detalhes.php?id=293

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Sense València no hi ha independència! BASENAME: sense-valencia-no-hi-ha-independencia DATE: Fri, 09 Oct 2015 10:23:47 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

Esta semana de atividades nom acaba! Amanhá sábado convidamos-vos a tod@s a umha paelha preparada por nós, de graça com a consumiçom, e também a água de valència.

Fazemos esta pequena festa gastronómica, com música valenciana, para honrar o Dia da Pátria daquele País, do País Valencià, na sua particular Diada.

Nós, independentistas galeg@s amig@s da cusa da emancipaçom nacional, social e sexual dos Països Cataláns, desejamos um País Valencià livre nuns Països livres, socialistas e feministas.

A partir das 15 horas, e durante toda a tarde, tardinha e parte da noite de sábado, passa-te polo Centro Social.

Da Corunha a València toda enviamos umha saudaçom imensa. Sabemos que "SENSE VALÈNCIA NO HI HA INDEPENDÈNCIA".

VISCA VALÈNCIA!
VISCA LA TERRA!
VISCA ELS PAÏSOS CATALÁNS!

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Esta sexta-feira ?O galego impossível? e ?A normalizaçom lingüística, uma ilusão necessária?. BASENAME: title-803 DATE: Thu, 08 Oct 2015 18:59:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Língua CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na sexta-feira, 9 de outubro às 20.30hs, Valentim R. Fagim e Mario Herrero apresentarám duas das novidades de Através Editora: ?O galego impossível? e ?A normalizaçom lingüística, uma ilusão necessária?.

O galego (im)possível nasceu com o objetivo de desnudar o argumentário que se tece em volta da estratégia dominante para o galego, aquela que vê e vive a nossa língua como desligada das sociedades de expressão portuguesa. Ao mesmo tempo, quer oferecer o seu reverso, mostrando outra forma de ver e viver a língua da Galiza, em nossa opinião, mais nutritiva individualmente, mais poderosa socialmente e mais útil para frear o seu avançado estado de susbstituição e de hibridação em relação com a língua estatal do Reino de Espanha.

Nesta segunda edição, a sequência Ainda Mais alude a dous factos. O primeiro é que houve uma reescrita do texto, sobretudo nalguns capítulos que ficaram alterados quase na íntegra, sempre com o guia de comunicar melhor e tornar mais acessível o texto. O segundo alude a que desde a data da 1ª edição, em 2001, é ainda mais palpável que existe um galego possível e um outro impossível.

Em 2011 Mário Herrero oferecia-nos Guerra de Grafias, Conflito de Elites, que repassava as políticas da língua que provocaram que a estratégia autonomista alcançasse o estatuto da oficialidade. Na segunda parte da sua pesquisa onde nos fala de uma ilusão necessária para nada mudar, a da normalização linguística. Assim o explica na contracapa do livro:

?A situação sociolinguística galega resulta do cruzamento de dous processos em aparência paradoxais: um antigo processo de substituição pelo castelhano das variedades galego-portuguesas faladas na Galiza, que se combina com um moderno processo de institucionalização de uma determinada norma do galego-português. Daí resulta um panorama em que a substituição das variedades faladas pode chegar a ficar simbolicamente oculta pela institucionalização de um código autorizado. Por outras palavras: na Galiza de hoje está em curso um terceiro processo, determinado ideologicamente, que estabelece a ocultação da substituição linguística através da propagação do discurso produzido pelas elites políticas que gerem o poder institucional e que se apoiam simbolicamente no saber gerado por setores das elites intelectuais e técnicas. Vivemos num mundo de ilusões. Tentemos desvendar alguma delas?

Mário J. Herrero Valeiro (Corunha, 1968). Licenciado em Filologia Hispánica pola Universidade de Santiago de Compostela e Doutor em Filologia Hispánica Universidade da Corunha, trabalha de tradutor. Para além de umha extensa obra sociolinguística em atas de congressos e seminários, é autor de vários livros de poemas, entre eles, Outra Vida. Ganhou em 2015 o Prémio literário Glória de Sant?Anna, ao melhor livro de Poesia em Língua Portuguesa. É membro da Academia Galega da Língua Portuguesa.

Valentim Fagim (Vigo, 1971). Licenciado em Filologia Galego-Portuguesa, fundador da livraria A Palavra Perduda, é desde 2001 professor de português nas Escolas Oficiais de Idiomas. Especializado em difundir a estratégia internacional da língua galega por meio de artigos de opinião, vários projetos em formato site, ação associativa e vários livros, todos eles editados na Através | Editora: Do Ñ para o NH, O galego é uma oportunidade (com José Ramom Pichel) e Os quês e porquês do reintegracionismo (com vários autores). Presidente da Agal entre 2009 e 2012. Atualmente vice-presidente.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Sam Froilam Associativo. BASENAME: sam-froilam-associativo-2014 DATE: Thu, 08 Oct 2015 18:17:11 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sábado dia 10 de outubro celebramos mais um ano o Sam Froilam Associativo. Estaremos na praça de Santo Domingo desde às 10h00 da manhá e durante o dia com diversas atividades.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Chuches Amil apresenta o seu livro disco este sábado às 19h na Fundaçom Artábria BASENAME: title-802 DATE: Thu, 08 Oct 2015 16:48:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Neste sábado 10 de outubro, as protagonistas serán as crianças já que às 19.00hs estará na Fundaçom Artábria Chuches Amil, que apresentará o seu espetáculo ?Um conto ao revés?, baseado no livro disco que leva o mesmo nome. Trata-se da incorporaçom mais recente à coleçom Sonárbore, da Editorial Galaxia, destinada a achegar música e literatura de qualidade aos mais pequenos e pequenas da casa.

Um conto ao revés é um fermoso álbum protagonizado por dous irmáns, Eirín e Milucha. Duas pequenas snhadoras, que quando vam durmir, vivem umha morea de aventuras acompanhados polos seres mais fascinantes. Umha historia acompanhada das mais marchosas cançons -co rock como um dos seus grandes protagonistas-, da mao do grupo Chuches Amil.

À fronte deste projeto atopa-se Fran Amil. Este músico, compositor e produtor corunhês tem formado desde os anos 90 parte de alguns dos grupos mais representativos do movemento bravú, como Os Papaqueijos, Ruxe-Ruxe ou os Diplomáticos de Monte Alto. Atualmente, ademais de liderar esta proposta destinada ao público familiar, Fram Amil é um dos integrantes das formaçons Tres Trebóns e Ulträqäns.

----- -------- AUTHOR: da Cultura TITLE: V Roteiro da Pantalha! BASENAME: v-roteiro-da-pantalha DATE: Thu, 08 Oct 2015 10:12:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Achega-se a época do Magusto/Samain e Amigas da Cultura e Capitán Gosende, com a colaboraçom da Irmandade Druídica Galaica, organizamos umha nova ediçom do Roteiro da Pantalha.

Mais um ano sairemos da Eira Grande de Pedre (Cerdedo-Terra de Montes) na noite do sábado 31 de outubro, às 19:30h.

Lembrade que é importante levar aparelhos de iluminaçom, tradicionais se possível, para o roteiro. Também é conveniente levar calçado ajeitado para terrenos irregulares.

Depois da caminhada haverá ceia e sessom de conta-contos em Casa Florinda.

Animamos-vos a preparar e levar a vossa própria história de medo ou mistério. Nesta ediçom, os melhores contos terám prémio!

O preço da ceia é de 20 euros. Também é possível reservar um quarto para passar a noite em Casa Florinda (15 euros por pessoa). Nos dous casos as vagas som limitadas.

Para reservardes a ceia ou a dormida devedes ligar para o 687 742 323 ou para o 986 753 180 ou enviar um email ao endereço florindarural@gmail.com

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: «Vir a fazer» ou «vir fazer»? BASENAME: lvir-a-fazerr-ou-lvir-fazerr DATE: Thu, 08 Oct 2015 09:57:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Morfossintaxe CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CONSULTA:

Considera-se a construçom «vir + infinitivo» umha perífrase? Na documentaçom sobre perífrases nom a atopo. Si aparece a perífrase «vir + a + infinitivo», com carácter terminativo («Expressa umha acçom que se achega ao seu final»). Em qualquer caso, é aceitável o uso da forma com preposiçom a (vir + a + infinitivo) co mesmo valor que «vir + infinitivo»? Hai algumha norma ou documentaçom em que se basear para defender o uso correcto? Obrigado.

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Umha das perífrases aspetuais do galego-português é a terminativa «vir + a + INFINITIVO», que apresenta umha açom como conclusom ou desfecho, enquanto que a construçom «vir + INFINITIVO» nom tem caráter perifrástico e, nela, o verbo vir funciona como verbo pleno, conservando o seu valor semántico de movimento. Considerem-se, entom estes dous exemplos:

«Esse estado cristalino nom se manifesta apenas nas substáncias que, nas condiçons do ambiente,
existem já em fase sólida, mas também naquelas que, existindo em fase líquida ou gasosa, nessas
mesmas condiçons, podam vir a solidificar [= ?acabar por solidificar?: perífrase terminativa].» (Cadernos de Iniciação Científica: 103)

«A casa que os Maias vieram [= Gz. vinhérom] habitar em Lisboa, no outono de 1875 [vinhérom habitar: deslocárom-se a Lisboa para a habitarem], era conhecida na vizinhança da Rua de S. Francisco de Paula, e em todo o Bairro das Janelas Verdes, pela [= Gz. pola] ?casa do Ramalhete?, ou simplesmente o ?Ramalhete?.» (Oraçom de início de Os Maias, de Eça de Queirós)

No entanto, tenha-se em conta que, quando na construçom nom perifrástica «vir + INFINITIVO» o verbo vir apresenta um valor figurado, no sentido de umha cousa ter surgido ou ter sido introduzida num dado ámbito, o significado global da construçom nom fica muito afastado do da perífrase supracitada, como testemunham os dous exemplos seguintes:

«Esta noçom, cuja validade é reafirmada polas novas conquistas da medicina, tem vindo revolucionar
certas ideias que pareciam definitivas sobre o comportamento terapêutico em face de afeçons
malignas, perante as quais todo o nossso empenho era de intervençom rápida, fosse qual fosse o estádio da sua evoluçom.» (Deuses e Demónios da Medicina: 38)

«Até à segunda metade do século XX, quase todas as crianças tinham tido estas doenças [sarampo, papeira]. A imunização veio alterar [= Gz. véu alterar] esta situação.» (Enciclopédia Médica da Família: 288)

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Da Flotilha ao Boicote BASENAME: da-flotilha-ao-boicote DATE: Wed, 07 Oct 2015 21:40:57 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

Por desgraça Palestina volta a estar de atualidade. Os episódicos e desesperados rebentos de resistência popular contra o invasor israelita estivérom de passeio esta semana polos meios de comunicaçom. Mais preocupados com encher páginas e minutos de tertúlia intrascendentes, sem achegar nada novo, que por solucionar o genocídio constante a cargo do "amigo sionista".

Com certeza que as nossas ponentes amanhá, sexta-feira dia 9, nom virám ao Centro Social para cobrir o expediente e narrar-nos por enéssima vez a história dum conflito sem sutura. Porque as dúas estám há anos involucradas em virar radicalmente a situaçom para encontrar umha soluçom política e real ao massacre quotidiano do irmao povo palestiniano.

Do Centro Social Gomes Gaioso sabemos que "Palestina cansa", porque assumimos a cadência de fracassos internacionais e de cumplicidade terrorista com Israel como um facto incontornável. É dever nosso porém ajudar a que o cansaço da derrota e a humilhaçom diárias se dissipe na vontade transformadora de pessoas internacionalistas e solidárias como as ponentes deste encontro-debate. Ana Miranda, eurodeputada do BNG e Lucía Barros, ativista de BDS-Galiza, som parte dessas raízes galegas que podem fazer agromar, frente ao cansaço, mais e melhor solidariedade, e frente à derrota, a inevitável construçom dumha Palestina livre como única saída.

Da Flotilha ao Boicote. Sexta-feira a partir das 20h30 no Gomes Gaioso.

GALIZA COM PALESTINA. CORUNHA COM PALESTINA.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: ?Fotobiográfia de Xaquín Villar nos tempos d'O Facho? por F. A. Vidal e J.Monterroso Devesa BASENAME: francisco-a-vidal DATE: Wed, 07 Oct 2015 13:53:25 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Prema no enlace para ver tódalas fotos
https://archive.org/download/Presentacion_201510/Presentaci%C3%B3n.pptx

O passado dia 6 de Outubro O Facho encetou as suas actividades do período 2015-16 com a dissertaçom ?Fotobiográfia de Xaquín Villar nos tempos d'O Facho? a cargo dos ex-directivos da Agrupaçom Francisco A. Vidal e José Monterroso Devesa.

A exposiçom de J. Monterroso foi acompanhada com um desenvolvimento iconográfico realizado por F. Vidal dos anos nos quais Xaquin Villar foi presidente d'O Facho, sendo o mesmo seguido com muita atençom polo público assistente, entre nos quais se encontravam familiares e amigos.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Abre-se prazo para cursos 2015-2016 no Centro Social da Fundaçom Artábria BASENAME: title-801 DATE: Tue, 06 Oct 2015 16:58:42 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cursos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Neste mês de outubro a Fundaçom Artábria retoma a atividade de cursos. De partida, haverá atividades formativas de Dança Tradicional, Canto e Pandeireta, Percussom Tradicional, Pintura creativa, Ioga, Tai-chi, Zumba, Corte e Confeçom e Teatro. Também haverá espaço para @s mais pequen@s com Peque Zumba e Teatro infantil.

O preço dos cursos será de 15?/ mês para pessoas nom sócias e de 12?/mês para sóci@s da Fundaçom Artábria e desempregad@s, menos no curso de Pintura cujo preço será de 25?/mês para pessoas nom sóci@s, 16?/mês para pessoas desempregadas e 22?/mês para @s sóci@s da Fundaçom Artábria. No preço do curso de Pintura vai incluído o material.

As atividades para crianças terám um preço único de 15?/mês.
Todos os cursos som de umha hora de duraçom, menos Ioga que é hora e meia. No caso de Zumba há opçom de apontar-se a 2 ou 3 dias à semana. Nesse caso o preço seria de 18? ou 20?/mês para pessoas nom sócias e 15 ou 18?/mês para sócias e desempregadas.

Os horários dos cursos som os seguintes:

- Zumba (segunda-feira 10.30h / 18.30h) (terça-feira 10.30h / 21.00h) /quinta-feira 10.30h / 18.30h)
- Taichi (segunda-feira 19.30h)
- Teatro (segunda-feira 20.30h)
- Pintura (terça-feira 17.30h)
- Percussom tradicional (terça-feira 19.30h)
- Canto e pandeireta (quarta-feira 19.30h)
- Dança tradicional (quarta-feira 21.00h)
- Corte e confeçom (quinta-feira 19.30h)
- Ioga (quinta-feira 20.30h)
- Peque zumba (segunda-feira 17.30h) (quinta-feira 17.30h)
- Teatro infantil (quarta-feira 17.30h)

O início dos cursos está programado para a segunda-feira 19, e o mês de outubro é gratis. Podes vir a provar e se gostas apontar-te.

Para além dos cursos propostos, lembramos que também temos o Clube de Tricot ao que se pode apontar quem quijer e de graça.

Também se tés algum curso que achas poda interessar podes ligar connosco.

Inscriçom aberta

Durante o que resta do mês de outubro, as pessoas interessadas em participar em algum dos cursos deverám pasar polo nosso Centro Social (Travessa de Batalhóns nº7) em horário de manhá (10.00h a 13.30h) ou de tarde (17.00h a 22.00h) e fazer a matricula.

No momento de fazer a inscriçom depositará-se o primeiro e o último mês a modo de fiança, que seria descontado na última mensalidade.

As pessoas em situaçom de desemprego, na hora de dar a alta em um curso deverám apresentar o cartom acreditativo atualizado. Este requisito é imprescindível para favorecer-se do desconto.

Para mais informaçom podes ligar para o 671 200 160 ou escrever para o correio-e: correiodeartabria@gmail.com.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: VII Polvada contra a Hispanidade BASENAME: polvada-contra-a-hispanidade DATE: Tue, 06 Oct 2015 12:16:26 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O vindeiro 12 outubro a partir das 14h30.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Obradoiro de construçom de pandeiro quadrado BASENAME: obradoiro-de-construcom-de-pandeiro-quadrado DATE: Tue, 06 Oct 2015 12:16:11 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

Este obradoiro será impartido por Xosé Maceda (Quempallou) o domingo 7 de novembro de 10h a 14h00. Cada participante levará o seu próprio pandeiro ao finalizar o obradoiro. Preço: Sóci@s: 53 ? / Nom Sóci@s 56 ? . Inscriçons:698178862 ou no local.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Cursos 2015-2016 BASENAME: cursos-2015-2017 DATE: Tue, 06 Oct 2015 12:15:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Mais três cursos começam esta semana BASENAME: mais-tres-cursos-comecam-esta-semana DATE: Sun, 04 Oct 2015 17:07:48 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

Esta semana começam mais três cursos no Centro Social das Atochas.

Primeiro, amanhá segunda-feira (luns) às 20h30 bota a andar o curso de clarinete polo segundo ano consecutivo. Com o mesmo professor e com ganas de incrementar a participaçom e fazer umha jeitosa coral de vento.

Segundo, será a vez de ukelele, dirigido por Fernando R., quem na quarta-feira (mércores) às 20h30 praticará com quem queira apontar-se este cómodo e manejável instrumento.

Por último, na quinta-feira (xoves) o Pedro Campos, estudante de último curso do conservatório da Corunha, dará aulas de guitarra (quer clássica, quer eléctrica), a partir das 18h30.er desses cursos podes participar escrevendo a gomesgaioso@gmail.com ou passando-te polo Centro Social em horário de abertura a consultar as condiçons, ou diretamente nos horários indicados arriba para provar gratuitamente e sem compromisso.

VENHAM MAIS CURSOS!
ARTE E CULTURA POPULAR NA NOSSA LÍNGUA!

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: A festa dos ladrons e exploradores na Corunha BASENAME: a-festa-dos-ladrons-e-exploradores-na-corunha DATE: Fri, 02 Oct 2015 20:28:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Outubro 2015

O Congreso da Confederación Española de Directivos y Ejecutivos em Palexco em 6 de outubro é um exemplo de turismo de elite e de propaganda e autobombo da grande patronal. Também umha farsa de normalidade num dia em que, enquanto mais de 1.000 diretivos se confabulam contra a maioria social, nós trabalharemos para ir pagando faturas.

Após mais de 8 anos de gravíssima crise capitalista, @s trabalhadores e trabalhadoras da Corunha resistimos o dia a dia com dificuldades e tendo renunciado a direitos e benefícios que faziam menos penosa a nossa existência. A consequência de toda esta catástrofe sistémica, umha equipa de governo pretensamente transformadora alcançou o governo da cidade. A Maré Atlántica e Xulio Ferreiro prometérom governar para 99% e atender o mandado de "modificar o modelo de gestom" da cidade.

Desconhecemos se Carlos Slim, o segundo home mais rico do mundo (portanto o segundo mais ladrom), líder da patronal mexicana da construçom; Pablo Isla, patrom de Inditex; Alierta, de Telefónica; e toda a tropa que os segue som parte desse 99%. Mas Xulio Ferreiro, segunda La Opinión de A Corunha, em palavras sobre o evento, acredita que "a participaçom e a opiniom dos distintos setores, em pé de igualdade, constrói um tecido cidadám plural que tem no benestar o seu principal objetivo".

Menuda trapalhada interclassista! Enquanto o povo da Corunha acumula desafiuzamentos, dívidas, problemas de saúde, colas no INEM ou na ETT, horas da sua vida trabalhando sem cobrar... os nossos colegas "em pé de igualdade" de Telefónica duplicárom no primeiro semestre de 2015 os seus benefícios respeito do mesmo período de 2014 (3.693 milhons de ?). Os colegas do "tecido cidadám plural" de Inditex declarárom no último exercício administrativo mais de 2.500 milhons de ?, aumentando 5%. E o "companheiro do benestar" Carlos Slim tem umha fortuna de 77 mil milhons de dólares. E falamos apenas de dinheiros "declarados"...

Para salientar a contradiçom, queremos lembrar-nos agora da luita d@s trabalhadores/as de Atento na cidade, até 2012 propriedade de Telefónica, e que tem ocasionado um dos mais potentes conflitos laborais na nossa cidade nos últimos anos, com despedimentos massivos que devemos confrontar com os dados económicos da sua companhia matriz.

Nom saber de quê lado se está, confundir arriba com abaixo, ou simplesmente desmentir ou nom perceber a existência de classes sociais e de diferentes interesses é tam perigoso, ou mais, que ser declaradamente partidário da opçom dos poderosos.

Do Centro Social Gomes Gaioso apoiamos todas as medidas de protesto contra esta cita em que os expoliadores do planeta pretendem tomar a nossa cidade por assalto, com a comodidade e o pábulo oferecido polas administraçons públicas, incluida a supostamente rebelde do concelho. Nom som bem-vindos. Som os nossos exploradores. Os nossos inimigos. Som a nossa condena.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: 3 de outubro. Feira popular de produtos usados. BASENAME: 3-de-outubro-mercado-de-segunda-mao DATE: Wed, 30 Sep 2015 18:17:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O sábado 3 de outubro de 11h00 a 14h00 teremos um mercado de produtos de segunda mao e sessom vermu. Adiantaremos a foliada que tinhamos pensada para a tarde para depois do jantar comunitário que faremos. Deste jeito começamos as festas do Sam Froilam e evitamos a coincidência co concerto da noite de Chicos del Maiz.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Neste XVII Aniversário da Fundaçom Artábria (re)inauguramos o Centro Social! BASENAME: neste-xvii-aniversario-da-fundacom-artabria-re-inauguramos-o-centro-social DATE: Wed, 30 Sep 2015 08:45:21 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na próxima quinta-feira, 1 de outubro, (re)inauguramos o nosso Centro Social sediado no bairro de Esteiro, de Ferrol. Após um mês fechado e um grande trabalho militante, o decano dos Centros Sociais da Galiza está pronto para mostrar a sua nova face, e fai-no coincidindo com um mês de atividades para celebrar o nosso dezassete aniversário.

Além dumha lavagem de cara ao café-bar, com claras referências à nossa língua, mas também à cidade de Ferrol, incorporamos na nossa sala de atos umha zona infantil. Além disso, os cursos agradecerám o novo soalho que já melhora as condiçons do chao.

Lembramos que o Centro Social está aberto ao movemento associativo da nossa comarca para realizar qualquer tipo de atividade, sempre e quando esta for em galego.

Dezassete anos de trabalho pola defesa da nossa cultura, os valores solidários e os direitos históricos do nosso País.

E com este motivo que organizamos umha série de atividades para dar conteúdo ao completo programa previsto para celebrar esta data tam assinalada. Ei-lo.

A quinta-feira, 1 de outubro, às 20.00hs com a (re)inauguramos o Centro Social. Haverá petiscos, troula e algumha surpresa.

Na sexta-feira, 2 de outubro, com a obra Medea, representada polo Clube Teatral Elsinor. Será às 21.00hs e a entrada grátis.

No dia 9 de outubro às 20.30hs, Valentim R. Fagim e Mario Herrero apresentarám duas das novidades de Através Editora: ?O galego impossível? e ?A normalizaçom lingüística, uma ilusão necessária?.

No sábado 10, os protagonistas serán as crianças já que às 20.00hs estará na Fundaçom Artábria Chuches Amil, que apresentará o seu disco-livro ?Umha história ao revés?.

Na sexta-feira 16 às 20.30hs, contaremos com a apresentaçom da revista ?Ouvea?. Revista na defesa da terra e do rural.
Mais umha apresentaçom literária chegará no dia 23 de outubro, às 20.30hs. Séchu Sende traz a sua ?República das palavras?.

No dia 24 de outubro, sábado, será a vez dos Kurwa. Os ferrolanos trarám o seu rock à Fundaçom Artábria. Será às 22.30hs e a entrada é livre.

Fecharemos as atividades no sábado 31, com umha jornada muito completa. Desde as 18.30h, celebraremos o Samaim. As crianças e nom tam crianças podem participar no obradoiro de cabaças que decorarám o bairro de Esteiro.

À noite decorrerá a ceia-concerto do XVII Aniversário o preço da ementa é de 12 euros (10 euros para @s associad@s) e posteriormente poderemos desfrutar da música de Blues do País.

Para te apontares à ceia-concerto, deverás fazê-lo antes do 29 de outubro no balcom do nosso Centro Social ou escrevendo paracorreiodeartabria@gmail.com. As vagas som limitadas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Francisco A. Vidal e José Monterroso Devesa - ?Fotobiográfia de Xaquín Villar nos tempos d'O Facho?. BASENAME: o-facho-francisco-a-vidal-e-jose-monterroso-devesa-fotobiografia-de-xaquin-villar-nos-tempos-d-o-facho DATE: Mon, 28 Sep 2015 18:21:40 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Taipa 12-1º-C
15005 Crunha


A Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2015-16

Palestra

O vindouro dia 06 de Outubro, terça (martes), os sócios e ex-directivos: Francisco A. Vidal e José Monterroso Devesa falarám dentro do ciclo, Economia, História e C.C. Sociais. A sua dissertaçom versará sobre: ?Fotobiográfia de Xaquín Villar nos tempos d'O Facho?.

Francisco A. Vidal Branco é um escritor e etnógrafo galego umha com variada obra: Ollos de anxo da morte, O cuarto dos ausentes, Os chanzos da escada...
Como etnógrafo e articulista, há que ressaltar as colaboraçons no periódico A Nosa Terra No 2009 edita, em colaboraçom com Rosa B. Vizcaya o livro "Dos fastos ós festexos, da mitoloxía clásica á relixiosidade galega". De iniciativa sua foi o monumento a Murguía no natal Osseiro-Arteixo.

José Mª Monterrosso Devesa é escritor e animador cultural através d'O Facho (1976-1992), na rádio, na imprensa, em palestras. Tem publicado umha interessante obra: Cara ó lonxe, noite adiante, As ruas da Cruña, Nau enfeitizada, Galegos e galeguismo, A emigración en Castelao (prémio em Montevidéu), O cemitério de Santo Amaro, Aquela luz, Mil e pico de nomes galegos do Uruguai (dous volumes)... Assim mesmo é investigador autodidacta nos campos da Genealogia e da Onomatologia.

Dia: 06 de Outubro 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Rua Sinagoga 22
Cidade Velha ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Presidênte d?O Facho

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Botam a andar mais cursos esta semana BASENAME: botam-a-andar-mais-cursos-esta-semana DATE: Mon, 28 Sep 2015 10:00:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Nesta semana começam três cursos. Além de pandeireta (avançado), que já botou a andar a semana passada, nesta toca a vez de pandeireta (iniciaçom), de catalám e de teatro.

O curso de catalám começará na terça-feira (martes) às 20 horas. A partir de agora esse será o seu horário todas as semanas, com umha duraçom de 90 minutos.

Teatro começará o dia a seguir, mas com umha prova experimental dirigida a todo o mundo. Umha prova aberta, gratuita e sem compromissos que pretende achegar a tod@s o modelo de aulas com Carme Cotelo. Será também às 20 horas. Este curso nom tem, porém, estabelecido ainda horário definitivo para o resto do curso.

Por último, na quinta-feira começará às 18h30 e até as 20 horas, no mesmo horário que o ano passado, o curso de iniciaçom à pandeireta.

Na mesma quinta-feira haverá as provas de nível de inglês para conformar os grupos. Como em teatro, o horário desta semana (20h no local) é apenas para fazer umha prova gratuita e sem compromissos que permita conhecer o nível das pessoas interessadas para eventualmente conformar grupos.

Já depois em outubro esperamos que comecem muitos mais cursos. Por enquanto, se quigeres participar nalgum dos que começam esta semana, apenas tés de apresentar-te no dia e hora indicados e solicitar informaçom, ou escrever-nos a gomesgaioso@gmail.com

----- COMMENT: AUTHOR: loreto [Visitante] DATE: Tue, 29 Sep 2015 17:23:52 +0000 URL:

ola, eu quería participar no curso de ukelele, pero ate o luns que ven non tería o instrumento. Xa empezou este curso? Estou a tempo de me apuntar?

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Festa reivindicativa pola independència de Catalunha BASENAME: festa-reivindicativa-pola-independencia-de-catalunha DATE: Tue, 22 Sep 2015 22:27:44 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2015

No sábado decorrerá no Centro Social umha particular jornada de reflexiom à catalá, com vontade de vulnerar toda a lógica reflexiva do sistema e fazer aberta propaganda da candidatura da esquerda independentista em Catalunha.

O dia antes às eleiçons catalás, o Centro Social abrirá a partir das 21h com petiscos cataláns, com música catalá e com a irreverência catalá de plantar cara a Espanha utilizando a temível ferramenta do voto. Sim, haverá umha cabina para depositardes o vosso apoio à lista que menos raiva vos dé.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Além BASENAME: alem DATE: Sun, 20 Sep 2015 12:59:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: Morfossintaxe TAGS: ----- BODY:

CONSULTA:

Bom dia.

Queria saber qual é a origem da palavra além. É uma palavra árabe? Muito obrigado.

Nunes

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A voz galego-portuguesa além (como a sua forma-irmá castelhana allende), apesar de começar por al-, nom provém do árabe, mas do latim, nomeadamente do étimo illinc 'dali, de acolá'.

Como se sabe, o rendimento em galego-português de além é muito alto, já que, ademais do seu valor semántico locativo (enquanto advérbio), a voz também pode funcionar como substantivo, com o significado de 'o mundo dos espíritos' (o além; cf. além-túmulo) e fai parte das locuçons além de e para além de, de valor somativo.

Assim, por exemplo, além apresenta valor locativo em «A província romana da Gallaecia estendia-se (mais) além da cidade de Leom»; valor somativo em «(Para) além de inteligente, é pessoa de grande cultura».

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Charla: cirugia refrativa ocular, a grande estafa médica. BASENAME: charla-cirugia-refrativa-ocular-a-grande-estafa-medica DATE: Sat, 19 Sep 2015 18:18:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Asociación de Afectad@s pola Cirurxia Refractiva estima que só no estado espanhol há 150.000 operaçons ao ano. Na charla exporám os perigos, consequências e as mentiras desta Industria que busca o máximo rédito económico frente à saude; onde existe um claro conflito de interesses e corporativismo por parte das autoridades e organismos médicos competenentes. Baixo slogans como o'olvídate de tus gafas' que promocionam como a panaceia, escondem-se centos de histórias e vítimas com graves sequelas físicas e psicológicas e que ficam no olvido; entre o sentimento de culpabilidade, o engano e também o medo às possíveis demandas destas mesmas companhias.

Umha trama que cada dia se leva mais gente danificada e que se retroalimenta polo marketing e a publicidade agressiva e graças também aos silêncio cúmplice de quenes conhecem as suas consequências e riscos reais e que pola pressom da industria decidem permanecer silencios@s ou silenciad@s.

O dia 30 de setembro, quarta-feira às 20h30.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: III Festa de afirmaçom e dignidade no Pedregal de Irimia. BASENAME: pedregal-de-irimia-20-de-setembro DATE: Fri, 18 Sep 2015 15:38:23 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O 20 de setembro participaremos mais um ano .

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Exigimos respeito pola língua na propaganda do Concelho BASENAME: exigimos-respeito-pola-lingua-na-propaganda-do-concelho DATE: Wed, 16 Sep 2015 20:35:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Setembro 2015

O Centro Social Gomes Gaioso é umha entidade pró-normalizadora do idioma galego, minorizado e dialetalizado pola imposiçom do espanhol. Queremos expressar o nosso malestar pola utilizaçom exclusiva e excluente do idioma espanhol na propaganda do "Concurso de Tapas Picadillo", do pelouro de emprego da Câmara Municipal.

Em várias ruas da cidade se tenhem instalado cartazes como o que aparece na fotografia, na terceira ronda. Neles aprecia-se claramente o motivo da denúncia que realizamos. A utilizaçom só do espanhol na propaganda. Nom podemos tolerar com normalidade que as instituiçons públicas sirvam de ferramenta reprodutora dumha situaçom histórica de substituiçom lingüística acelerada.

Por desinteresse, por passotismo, por erro... ou por qualquer motivo; a Câmara Municipal e o seu governo nom podem justificar-se por nom emprestar a suficiente atençom à proteçom efetiva da nossa língua, começando por nom deixar NUNCA à margem, como neste caso, o galego.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: CURSOS 2015/2016 BASENAME: cursos-2015-2016 DATE: Tue, 08 Sep 2015 20:15:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Já podemos anunciar a lista de propostas que o Centro Social Gomes Gaioso oferece. Pola primeira vez na nossa história alcançamos a cifra de 19 cursos, dos quais esperamos que a maioria saiam avante graças à inscriçom de sóci@s e nom sóci@s.

O preço é de 25? mensais por 90 min à semana para pessoas nom sócias, e de 5? menos para pessoas sócias.

O cartaz que acompanha esta nova será colocado nas ruas do nosso bairro, e também nalguns outros pontos da cidade. Assim esperamos chegar ao maior número de vizinhos e vizinhas da cidade, e nom só, que queiram contar com os nossos modestos recursos para fomentar a cultura e a arte popular e autogerida.

Se quigeres oferecer-te para ministrar um outro curso, podes também fazê-lo utilizando as mesmas vias de contato.

A maioria dos cursos nom tenhem horário definido; dependem dos acordos a que chegarem professores/as e alun@s interessad@s.

Aqueles que completarem o cupo mínimo de alunado, começarám a ministrar-se em outubro.

Escreve-nos: gomesgaioso@gmail.com
Chama: 676 75 81 64

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Excertos do filme "Fado, história d'uma cantadeira"; canta Amália BASENAME: excertos-do-filme-fado-historia-d-uma-cantadeira-canta-amalia DATE: Tue, 08 Sep 2015 13:43:26 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


http://www.cinemaportugues.net/wp-content/uploads/2010/11/fadocantadeira.jpg

Amália Rodrigues no filme "Fado, história d'uma cantadeira" (1947)
Mais:

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Recuperamos matraquilho para começo de curso. BASENAME: recuperamos-matraquilho-para-comeco-de-curso DATE: Fri, 04 Sep 2015 17:55:14 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: local TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Exposiçom de desenhos de Carlos Calvo. BASENAME: exposicom-de-desenhos-de-carlos-calvo DATE: Fri, 04 Sep 2015 17:44:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Durante todo o mês de setembro, reproduçons de obras artísiticas realizadas polo preso independentista Carlos Varela, serám expostas no nosso centro social. Podes contribuir comprando algumhas delas.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Sobre as desculpas que (nom) me pedem BASENAME: sobre-as-desculpas-que-nom-me-pedem DATE: Thu, 03 Sep 2015 08:54:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

?Por outra parte, nom pretendemos centrar-nos na cabeça do camarada Suso -muito menos nos coletivos dos que faz parte- ainda que ele soubo colher protagonismo bastante em um caso no que umhas desculpas teriam-o desbancado a um segundo plano?

(Charo Lópes: O feminismo encoraja as mulheres)

?Quero pedir desculpas. Desculpas a todas as mulheres às [que] tenho agredido (...) Por sacar a bailar comigo a quem nom queria, invadindo o seu espaço (...) Quero pedir desculpas (...) Acho que NOM É TAM DIFÍCIL (...) e sim, essa é a palavra certa, SEM AGREDIR (...) A respeito do sucedido (...) quando umha mulher tem a coragem de fazer umha denúncia de umha agressom machista (...) adoito ouvimos cousas com: 'Non era para tanto', 'É intolerável o que fizeram com esse rapaz', 'Foi un linchamento'. DISCREPO TOTALMENTE. Podem ser incorretas as formas mas ninguém lhe fez nada a esse rapaz (...) A suspeita sempre mora no outro lado. Claro que nengumha/nengum de nós vai apoiar um linchamento (...) mas a resposta a umha mulher que se sente agredida nom é essa, NUNCA DEVE SER ESSA (...) Exagero? A sério alguém pode aturar que para (...) defender o companheiro militante (...) alguns (e algumhas) insultem, difamem, intimidem, ameacem? Que peçam represálias? Que exijam que a agredida, a vítima, revele a sua identidade para ser lapidada e apedrejada na praça pública? (...) Ninguém é infalível, todas as pessoas temos direito a retificar. O triste é que nestes debates houvo quem sim soubo acertar e arriscou-se a receber insultos, ameaças e incompreensom de todas as partes implicadas. É por estas pessoas que me decidim a escrever este artigo.?

(Xurxo Nóvoa Martins: Carta aberta ao macho militante)

Entre o dia, aliás, a noite de autos (madrugada da quinta-feira, 28 de maio) e o dia, aliás, a noite em que tenho conhecimento do texto intitulado ?Comunicado final agressom machista? que andava e ainda anda a circular por aí (madrugada da quarta-feira, 17 de junho) passaram 3 semanas (21 dias).

No mencionado texto (que consta de duas partes, o arrepiante testemunho dumha tal ?Zorra anónima enfadadísima? [sic] e a apostila dumhas desconhecidas ?Mulheres feministas de Compostela?), por um feito tam banal como o já tristemente célebre e sobradamente conhecido (escolham a versom que quiserem, a minha ou a outra; o feito em si é basicamente o mesmo), injuriava-se-me e caluniava-se-me qualificando-me de ?agressor? (derivados do verbo ?agredir? repitem-se no texto até seis vezes em duas normativas: ?agresores?, ?agresión?, ?agrede?, ?agresores?, ?agressons?, ?agressom?; sete, se contamos o título) e ameaçava-se-me mafiosamente, a mim e aos coletivos de que fago parte, com umha série de acçons caso nom figéssemos o que elas diziam. Naturalmente, quando lim aquilo, fum eu o que se sentiu agredido!

Eu achava que o conflito com essa pessoa tinha ficado resolvido in situ: ela insultara-me por ter-lhe tocado o braço sem o seu consentimento prévio, eu nom lhe retruquei e listo (estávamos em paz, achava eu, vai-se o comido polo servido).

Nem nos mais medonhos pesadelos podia eu imaginar as manobras que se estavam a orquestrar na escuridade para tentar acabar com a minha vida (vida social, espero; ainda que isso de que ?seremos as feministas a que nos tomaremos a justiça pola mao? com que finalizava o ?Comunicado? mui tranquilizador nom soava, na verdade).

Porque nesse período de tempo (21 dias / 3 semanas) ninguém se pujo em contato para nada comigo. Inteirei-me de casualidade, através do amigo-dumha amiga-dumha amiga.

Realmente pode haver algumha pessoa normal (nem por riba nem por baixo da normalidade) que pense que eu, ao ter conhecimento de todo isto, o que devia ter feito era pedir desculpas??? Figem o que tinha de fazer que era ir denunciá-lo ao julgado!! E, mesmo assim, nom o figem imediatamente senom que estivem durante um dia inteiro (dia perdido para o trabalho que, por certo, era bastante naquela altura) tentando contatar, infrutuosamente, com alguém que estivesse por trás de tam demencial movida! Pedir desculpas eu, ainda por riba??? Nom me fagam rir, por favor, que o conto é triste!!!

É mais, três meses depois daquele feito absolutamente intranscendente que acabou por ter umha transcendência tam terrível, depois do enorme dano que me levam causado gratuitamente durante todo este tempo, sou eu quem está ainda à espera dumhas desculpas.

NOM É TAM DIFÍCIL! &amp;#59;&amp;#41; &amp;#58;&amp;#112;

----- COMMENT: AUTHOR: Ernesto [Visitante] DATE: Thu, 03 Sep 2015 12:50:55 +0000 URL:

Ai… Como a vida seria mais simples com humor e sorrisos… Quando por fim - e trabalho levou - conseguimos tirar a carriça mal encarada ao reintegracionismo e um pouco a política… Muito caminho tem ainda a gente que andar para poder arranjar e construir… Apertas150

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Exposiçom de Carlos Calvo polo País, também no nosso Centro Social BASENAME: title-800 DATE: Mon, 31 Aug 2015 09:36:25 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A partir de amanhá e durante todo o mês de setembro, reproduçons de obras artísiticas em diversas prisom do Estado, realizadas polo preso independentista Carlos Varela, serám expostas no nosso Centro Social. Podes contribuir comprando algumhas delas.

A entidade de familiares e amig@s de apoio ao militante ordense contará com umha rede de locais polo País todo para a exposiçom deste mês.

Orgulhamo-nos de ser parte desse tecido de resistência e memória d@s penad@s por motivos político.

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: Cristo BASENAME: cristo DATE: Fri, 21 Aug 2015 07:57:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Herança CATEGORY: TAGS: cristo, dor ----- BODY:

há quanto tempo levantaram
a tua dor aos céus
carpinteiro
da ironia celeste
nesse humor negro
de te pregar ao madeiro?

do Gólgota ao presente construíram
vaticanos inteiros em teu nome
monumentos de amor e medo
e mortes consentidas

atiraste as redes e pescaste isso

agora
a tua dor é a nossa nas alturas

mas abres os braços mortos
a olhar para cima como se não houvesse
ninguém por estes lados

tu já não podes abraçar e a distância
é demais para abraçar-te

o teu único consolo é a consciência
de estarmos juntos sem consolo

pescador pescado

filho de peixe

quem nos dirá agora
que quem sabe nadar não necessita
caminhar sobre as águas?

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Topónimos de Salzeda de Caselas BASENAME: toponimos-de-salzeda-de-caselas DATE: Thu, 13 Aug 2015 11:20:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ortografia CATEGORY: Fonética TAGS: ----- BODY:
Restos do antigo Castelo de Toronha em Entença

CONSULTA:

Venho por este meio solicitar algumas informações no que diz respeito aos nomes das freguesias do Concelho onde moro actualmente, dada a confusão que ainda existe. Os nomes são: Entenza, Parderrubias, a Picoña, San Xurxo, Budiño e Soutelo.

Obrigado desde já pela resposta.

Sérxio

RESPOSTA DA COMISSOM LINGUÍSTICA:

A ortografia correta desses topónimos (entendemos que o consulente está a perguntar em relaçom à forma como devem escrever-se), estabelecida pola CL da AGAL através do programa informático TOPOGAL (atualmente indisponível on-line), é a seguinte: Entença, Parderrúvias, Piconha (a), Sam Jurjo, Budinho e Soutelo.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Triacastela livre de touradas. BASENAME: triacastela-livre-de-touradas DATE: Fri, 07 Aug 2015 12:26:37 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Concentraçom contra as touradas 22 de agosto às 17h30 diante da praça móvel na Avd de Castilla em Triacastela.

Praça de touros montada sem licença, o "chuchutoro" proibido por Tráfico, a DiPPutación que di nom saber nada do patrocínio, os negócios da vila mostrando a sua oposiçom ... Os taurinos já estám regalando entradas em Sárria e ameaçando coa lei mordaça às que nos opomos a tourada para assim evitar o fracasso.
Nom o vam lograr. O 22 todas a Triacastela

Assina a petiçom já vam mais de 7800

https://www.change.org/p/excma-sra-alcaldesa-de-triacastela-dna-olga-excma-sra-alcaldesa-de-triacastela-dna-olga-fontán-contacto-concellodetriacastela-com-descarten-a-celebración-de-touradas-en-triacastela-e-manteñan-a-provincia-de-lugo-libre-de-espectáculos-onde-se/u/11641536

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Karl Marx tinha razão (II) BASENAME: canta-o-merlo-karl-marx-tinha-razao-ii DATE: Thu, 06 Aug 2015 18:36:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Karl Marx tinha razão (II)
Por Chris Hedges (1)/ Tradução: Jorge Vasconcelos
?Information Clearing House? (1-06-2015), publicado em ?TruthDig?
http://www.odiario.info/

A fase final do capitalismo, escreveu Marx, seria marcada por desenvolvimentos que, para a maior parte de nós, são hoje familiares. Incapaz de se expandir e gerar lucros ao nível do passado, o sistema capitalista começaria a consumir as estruturas que o têm sustentado.

Um editorial do ?The New York Time? do 22 de maio permite-nos verificar o que Marx disse que iria caracterizar as últimas fases do capitalismo:
?Durante esta semana, a Citicorp, o JPMorgan Chase, o Barclays e o Royal Bank of Scotland foram declarados culpados pelas acusações de crime de conspiração para falsificação do valor das cotações mundiais. De acordo com o Departamento de Justiça, a prolongada e lucrativa conspiração permitiu aos bancos aumentar os lucros sem contemplação pela decência, pela lei e pelo bem público?.
Continua o ?The Times?:Os bancos vão pagar multas no total de 9 mil milhões de dólares, estabelecidas pelo Departamento de Justiça, assim como por reguladores estatais, federais e estrangeiros. Parece um bom negócio para um golpe que durou pelo menos cinco anos, desde o fim de 2007 até ao início de 2013 e durante o qual os benefícios provenientes do câmbio estrangeiro foi cerca de 85 mil milhões.
As fases finais daquilo a que chamamos capitalismo, conforme Marx percebeu, não têm nada a ver com capitalismo. As super-empresas devoram as despesas estatais, que são essencialmente o dinheiro dos contribuintes, como porcos numa pocilga. A indústria de armamento, com a sua conta oficialmente autorizada para a defesa no valor de 612 mil milhões de dólares (que não inclui muitas outras despesas militares escondidas noutros orçamentos, o que faria a nossa despesa real com a defesa nacional subir acima de 1 bilião de dólares por ano), conseguiu levar este ano o governo ao compromisso de gastar na próxima década 348 mil milhões na modernização das nossas armas nucleares e na construção de 12 novos submarinos nucleares classe Ohio, estimados cada um em 8 mil milhões de dólares. Como exactamente é que estes dois enormes programas de armamento são supostos ser utilizados naquilo que nos dizem ser a maior ameaça do nosso tempo (a guerra ao terrorismo) é um mistério. Ao fim e ao cabo, tanto quanto sei, o ISIS não tem sequer um barco a remos. Gastamos 100 mil milhões em informações (leia-se espionagem) e 70% desse dinheiro vai para empreiteiros privados, como Booz Allen Hamilton, [que] obtém 99% dos seus rendimentos do governo americano. E, ainda por cima, somos o maior exportador mundial de armas.
A indústria de combustíveis fósseis, segundo o Fundo Monétario Internacional (FMI), engole 5,3 biliões de dólares por ano em todo o mundo em custos camuflados para se continuarem a queimar combustíveis fósseis. Nota o FMI que este dinheiro está para além dos 492 mil milhões de subsídios directos oferecidos por governos em todo o mundo através de amortizações, adendas e subterfúgios diversos. Num mundo são, esses subsídios seriam gastos para nos libertar dos efeitos mortais das emissões de carbono causadas pelos combustíveis fósseis, mas não vivemos num mundo são.
Bloomberg News informava no artigo de 2013 ?Porque devem os contribuintes dar aos bancos 83 mil milhões de dólares por ano? que a redução de custos dos grandes bancos por via dos subsídios governamentais tinha sido estimada pelos economistas em 0,8%.
?Multiplicada pelas responsabilidades totais dos 10 maiores bancos americanos por activos?, dizia o relatório, ?tal representa um subsídio dos contribuintes no valor de 83 mil milhões de dólares por ano.?
?Os cinco maiores bancos ? JPMorgan, Bank of America Corp., Citigroup Inc., Wells Fargo & Co. e Goldman Sachs Group Inc. ? representam,? continuava o relatório, ?64 mil milhões do subsídio total, uma quantia aproximadamente igual ao seu lucro anual típico. Por outras palavras, os bancos que estão no posto de comando da indústria financeira dos EUA, com quase 9 biliões de activos que representam mais de metade da dimensão da economia americana, ficariam quase no zero na falta de assistência às superempresas. Em grande parte, os lucros que apresentam são essencialmente transferências dos contribuintes para os seus accionistas.?
A despesa do governo representa 41% do PIB. Os capitalistas das grandes corporações querem apanhar todo esse dinheiro e daí a privatização de sectores militares inteiros, a pressão para a privatização da Segurança Social, a adjudicação a empresas de 70% do serviço de informações de 16 das nossas agências, tal como a privatização de prisões, de escolas e do nosso desastroso serviço de saúde orientado para o lucro. Nenhuma destas apropriações de serviços básicos os torna mais eficientes ou reduz os seus custos. Não é isso que interessa. O que interessa é sugar a carcaça do Estado. Ora, isso irá ditar a desintegração das estruturas que sustêm o próprio capitalismo. Tudo isso foi percebido por Marx.

(1) Chris Hedges, esteve cerca de duas décadas como correspondente estrangeiro na América Central, no Médio-Oriente, em África e nos Balcãs. Enviou trabalhos para mais de 50 países e colaborou para o The Christian Science Monitor, a National Public Radio, o The Dallas Morning News e o The New York Times, no qual foi corresponde estrangeiro durante 15 anos.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Em agosto fechamos. BASENAME: em-agosto-fechamos DATE: Thu, 06 Aug 2015 12:52:25 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Durante o mês de agosto o centro social permanecerá fechado. Quem deseje contactar com nós que o faga via mail.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: II Festival da Polka. BASENAME: ii-festival-polka DATE: Wed, 05 Aug 2015 06:27:17 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O 5 de Setembro II Festival de Polka na área recreativa do Muinho do Pacio. Este é o cartaz do festival que organizam A.C. Polka Pol Kultura Aberta. Nós estaremos organizando o jantar.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Karl Marx tinha razão (I) BASENAME: canta-o-merlo-karl-marx-tinha-razao-i DATE: Tue, 04 Aug 2015 08:07:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Karl Marx tinha razão (I)
Por Chris Hedges (1)/ Tradução: Jorge Vasconcelos
?Information Clearing House? (1-06-2015), publicado em ?TruthDig?
http://www.odiario.info/

A fase final do capitalismo, escreveu Marx, seria marcada por desenvolvimentos que, para a maior parte de nós, são hoje familiares. Incapaz de se expandir e gerar lucros ao nível do passado, o sistema capitalista começaria a consumir as estruturas que o têm sustentado.

Chris Hedges juntou-se aos professores Richard Woff e Gail Dines no Left Forum na cidade de Nova Iorque para discutirem porquê Karl Marx é fundamental numa época em que o capitalismo global está em colapso. Junta-se o comentário feito por Hedges na abertura da discussão.
Karl Marx expôs a dinâmica própria do capitalismo, ou do que chamou ?modo de produção burguês?. Percebeu que o capitalismo tinha gerado dentro de si as sementes da sua própria destruição. Sabia que as ideologias dominantes ? pensemos no neoliberalismo ? foram criadas para servirem o interesse das elites e, em particular, as elites económicas, uma vez que ?a classe que detém os meios da produção material à sua disposição tem ao mesmo tempo o controle sobre os meios da produção mental? e que ?as ideias dominantes não são mais que a expressão idealista das relações materiais dominantes? relações que fazem de determinada classe a classe dominante.? Viu que chegaria um dia em que o capitalismo iria esgotar o seu potencial e entrar em colapso. Não sabia quando viria esse dia. Conforme Meghnad Desai escreveu, Marx era ?um astrónomo da história e não um astrólogo.? Marx estava plenamente ciente da capacidade do capitalismo inovar e adaptar-se. Mas, sabia também que a expansão capitalista não era eternamente sustentável. E, conforme testemunhamos com o desenvolvimento do capitalismo e a desintegração do globalismo, é justificado ver Karl Marx como o mais presciente e importante crítico do capitalismo.
Num prefácio à ?Contribuição para a Crítica da Economia Política?, escreveu Marx:
?Nenhuma ordem social alguma vez desapareceu antes de todas as forças produtivas para as quais nela haja lugar se terem desenvolvido e as novas relações de produção superiores jamais aparecem antes de as condições materiais para a sua existência terem amadurecido no ventre da própria antiga sociedade?.
Portanto, a humanidade estabelece sempre a si própria apenas aquelas tarefas que pode resolver, uma vez que, olhando para a questão mais de perto, encontramos invariavelmente que a própria tarefa só surge quando as condições materiais necessárias para a sua solução já existem, ou pelo menos estão em processo de formação.
O socialismo, por outras palavras, não seria possível até o capitalismo ter esgotado o seu potencial de maior desenvolvimento. Que o fim está próximo é agora difícil rejeitar, embora fossemos loucos querer prever quando. Somos chamados a estudar Marx para estarmos preparados.
As fases finais do capitalismo, escreveu Marx, seriam marcadas por desenvolvimentos que são familiares à maior parte de nós. Incapaz de se expandir e gerar lucros ao nível do passado, o sistema capitalista começaria a consumir as estruturas que o têm sustido. Tomaria como presa a classe operária e os pobres, em nome da austeridade, levando-os cada vez mais fundo para a dívida e a pobreza e diminuindo a capacidade do Estado para servir as necessidades dos cidadãos comuns. Deslocaria, como desloca, cada vez mais os empregos, incluindo tanto os postos fabris como profissionais para países com reservas de trabalhadores baratos. As indústrias iriam mecanizar os locais de trabalho. Isto desencadearia um assalto económico não apenas sobre a classe trabalhadora, mas também sobre a classe média ? baluarte do sistema capitalista ? o qual seria mascarado pela imposição de dívida pessoal em grande escala, uma vez que o rendimento diminuiria ou estagnava. A política ficaria nas últimas fases do capitalismo subordinada à economia, tendo como resultado partidos políticos esvaziados de conteúdo político concreto e abjectamente subservientes dos diktats e do dinheiro do capitalismo global. No entanto, conforme Marx preveniu, há um limite para uma economia assente na expansão da dívida. Chega uma altura, como Marx sabia, na qual deixaria de haver novos mercados disponíveis e novas reservas de pessoas para contraírem mais dívida. Foi o que aconteceu com a crise das hipotecas ?subprime?. Uma vez que os bancos já não conseguem conceder mais empréstimos desse tipo, o esquema desmorona-se e o sistema rebenta.
Os oligarcas capitalistas, entretanto, juntam enormes somas de dinheiro ? 18 biliões de dólares depositados em paraísos fiscais ? o qual é extraído como tributo a quem dominam, endividam e empobrecem. O capitalismo poderia finalmente, segundo Marx disse, virar-se para o assim chamado mercado livre, junto com os valores e tradições que reclama defender. Daria início na sua fase final à pilhagem dos sistemas e estruturas que tornaram o capitalismo possível. Ao provocar mais largo sofrimento, recorreria a formas de repressão mais brutais. Tentaria, em posição frenética final, manter os seus lucros saqueando e pilhando as instituições estatais e contradizendo a sua declarada natureza.
Marx preveniu que nas últimas fases do capitalismo as grandes empresas exerceriam monopólio sobre os mercados globais. ?A necessidade de constante expansão do mercado para os seus produtos persegue a burguesia por toda a face da Terra,? escreveu ele. ?Tem que se aninhar por todo o lado, fixar-se por todo o lado, estabelecer contactos por todo o lado.? Estas grandes empresas, quer do sector bancário, das indústrias agrícolas e da alimentação, das indústrias de armamento ou das indústrias das comunicações, utilizariam o seu poder, tomando normalmente controle sobre os mecanismos do Estado para evitarem qualquer ameaça ao seu monopólio. Fixariam preços para maximizarem os lucros. Desenvolveriam [como têm feito] acordos de comércio como o TPP e o CAFTA (TPP -Trans-Pacific Partnership ou Parceria Trans-Pacífico e CAFTA - Central America Free Trade Agreement ou Acordo de Comércio Livre da América Central ? N.T.) para enfraquecerem mais a capacidade dos Estados-nação de impedirem a exploração através de regulamentações ambientais ou a monitorização das condições de trabalho. E no final, estes monopólios empresariais fariam desaparecer a competição do livre mercado.

(1) Chris Hedges, esteve cerca de duas décadas como correspondente estrangeiro na América Central, no Médio-Oriente, em África e nos Balcãs. Enviou trabalhos para mais de 50 países e colaborou para o The Christian Science Monitor, a National Public Radio, o The Dallas Morning News e o The New York Times, no qual foi corresponde estrangeiro durante 15 anos.

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: Um homem às direitas BASENAME: um-homem-as-direitas DATE: Sun, 02 Aug 2015 18:51:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: intimidades CATEGORY: Herança TAGS: ----- BODY:

Devia de ter eu os meus cinco ou seis anos. Naquela época os meus pais deixavam-me ficar em casa dos meus avós durante longas temporadas no verão, num tempo que eu desfrutava entre o mar e a pouca terra da Arousa, que parecia infinita sob os meus pés. Passava o tempo com amigos ou simplesmente seguindo o meu avô Francisco, o Samaro, nas suas caminhadas. Às vezes levava-me com ele pescar chopos, ou à batea, onde eu ficava maravilhado com a força infinita das suas mãos e braços, capazes de levantar cordas de ostras em peso.

As manhãs eram normalmente para passar o tempo em Pedra Serrada. Em casa dos meus avós, eu brincava com o cão, subia à figueira, ou acompanhava Francisco a fazer todo o tipo de trabalhos, de plantar ou colher batatas e milho a arranjar objetos trabalhando madeira. A minha avó, entretanto, limpava ou cozinhava dentro de casa, e não me queria lá dentro. Ela também plantava e colhia quando era o tempo, mas o que ela mais gostava era de falar com a vizinhança. A casa tinha um caminho que unia Pedra Serrada com a rua do cemitério, e ainda que era privado, era constantemente transido por pessoas que saudavam e davam uma conversa que a minha avó adorava. Por ali falava-se de tudo o que acontecia na Ilha, e dava-se opinião velada sobre a vida de todo o mundo. O meu avô, no entanto, gostava de estar sozinho, com o cão, e trabalhar com as mãos ou caminhar. E falava também com os vizinhos, é claro, mas assim que podia saía de casa para caminhar em silêncio.

Na parte de trás da casa, que agora já é parte de diante, tinham os meus avós um galinheiro. Eu não gostava muito das pitas, que achava bastante aborrecidas, ainda que me emocionava cada vez que encontrava um ovo por baixo do poleiro. Acho que era a minha avó que lidava mais com elas, e foi ela que descobriu nalguma ocasião que os pardais andavam a comer o grão. Depois de um tempo, decidiram pôr uma rede ao grande oco que as reixas deixavam pela parte de cima, e lá ficavam presos os pardais cada vez que tentavam chegar-se a comer.

A partir daí, o galinheiro ganhou interesse para mim. Subido à figueira, onde gostava de passar a maior parte do tempo, estava atento sempre por se nalguma ocasião caía um pardal. Quando acontecia, corria a buscar o meu avô, que, com aquelas mãos grandes, agarrava o pardal com cuidado e baixava-o para que eu visse de perto como era. Às vezes permitia-me segurá-lo eu próprio, mas sempre, sempre, o pardal voltava a ser ceivo.

Numa ocasião que o meu avô não estava em casa, vi de cima da figueira um pardal na rede, e fui correndo buscar a minha avó. Ela veio logo para fora, e descobriu que lá não havia um pardal, mas dois, e perante os meus olhos, apanhou-os um a um e retorceu-lhes o pescoço. Mentiria se dissesse que aquilo me resultou violento, mas evidentemente chocou-me a diferença na forma de agir. Por isso lhe perguntei:

Aquele dia a minha avó comeu um pardal e eu o outro, enquanto o meu avô engolia um grande prato de arroz com qualquer coisa. Eu gostei do sabor do passarinho, ainda que me resultou muito difícil de comer, porque havia muitos ossos e pouca carne. Mesmo assim o meu veredito era claro: o passarinho sabia bem.

Dias depois, estando eu brincando outra vez na figueira, enquanto o meu avô trabalhava no alboio, um novo pardal caiu na rede. A minha avó devia ter ido à vila para qualquer coisa, porque lembro que não estava em casa. Como era habitual, corri a buscar o meu avô, e ele veio e agarrou-o nas suas mãos enormes. Mas desta vez eu não tinha tanto interesse em ver o passarinho:

O meu avô ficou paralisado.

Então o meu avô Francisco, o Samaro, retorceu a cabeça do pardal com suas mãos enormes. Enquanto o fazia, o seu rosto desfigurou-se e as lágrimas saltaram-lhe nos olhos. Eu olhei para aquilo estupefacto e, ao pouco tempo, era eu quem chorava desconsoladamente. Então o meu avô disse-me algo irritado entre as suas próprias lágrimas:

E eu voltei a chorar ainda com mais força, porque era verdade.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: A situação na Grécia e o papel anti-povo do SYRIZA BASENAME: canta-o-merlo-a-situacao-na-grecia-e-o-papel-anti-povo-do-syriza DATE: Fri, 31 Jul 2015 10:15:30 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A situação na Grécia e o papel anti-povo do SYRIZA
? As responsabilidades dos que o aplaudem

por Giorgos Marinos [*]

http://resistir.info/grecia/marinos_29jul15.html

Introdução

Na segunda-feira 13 de Julho, o governo SYRIZA-ANEL com o apoio de todos os partidos políticos burgueses acordaram na Cimeira da Eurozona com um pacote muito duro de medidas anti-povo, o terceiro memorando, o qual destruirá todos os direitos dos trabalhadores e do povo que ainda restam.

Na quarta-feira 15 de Julho, o "primeiro governo de esquerda" aprovou, com os votos dos partidos burgueses ND-PASOK-POTAMI, o acordo da Cimeira e o primeiro pacote de medidas a serem implementadas para a concretização do 3º memorando incluindo novas medidas selvagens de tributação e a abolição de direitos à pensão. O KKE votou contra isto e pediu uma votação nominal, durante a qual 32 quadros do SYRIZA votaram NÃO, 6 votaram "presente" [NR] e 1 absteve-se. Estes membros do SYRIZA disseram que "votamos contra o novo memorando, mas ... apoiamos de todo o coração o governo que está a por isto sobre a mesa".

A experiência dos cinco meses de governação SYRIZA demonstra que ele não quer nem foi capaz de preparar o povo para uma confrontação contra o memorando e os monopólios, tanto gregos como europeus, precisamente porque não tinha orientação para a resistência e o conflito. Ao contrário, enganou o povo [dizendo] que podia abrir o caminho a mudanças favoráveis ao povo mantendo-se no interior da aliança predatória da UE.

Estes desenvolvimentos são uma expressão muito clara do fracasso da chamada "esquerda renovada" ou "esquerda governamental", da teoria de que a UE pode mudar seu carácter monopolista e anti-povo.

A linha de luta do KKE e sua posição vigorosa e firme, que rejeitou a participação em tais governos "de esquerda" que na verdade são governos de gestão burguesa, foi confirmada.

Na base desta experiência específica e da ultrapassagem da ofensiva dos mass media burgueses, os trabalhadores da Europa e de todo o mundo devem tentar descobrir a verdade e utilizar os acontecimentos na Grécia de modo a retirar conclusões úteis.

Eles deveriam examinar e estudar a linha de luta do KKE, romper a muralha da desinformação das forças burguesas e oportunistas que se preocupam com a gestão da barbárie capitalista e trabalham sistematicamente a fim de manipular os trabalhadores.

QUAL É A SITUAÇÃO REAL NA GRÉCIA? QUAL É O PAPEL REAL DO SYRIZA? QUAIS SÃO AS RESPONSABILIDADES DOS QUE O APLAUDEM?


Primeiramente, durante a crise capitalista, com as consequências penosas que a linha política anti-povo do partido liberal ND e do partido social-democrata PASOK trouxeram à classe trabalhadora e aos estratos populares, começou uma reforma extensa do sistema político burguês.

Os partidos burgueses tradicionais estavam enfraquecidos e exaustos, e o SYRIZA e a organização criminosa nazi "Aurora Dourada" foram fortalecidos.

O SYRIZA, que era um pequeno partido oportunista, rapidamente aumentou sua votação nas eleições de Junho de 2012 e venceu as eleições de Janeiro de 2015, constituindo um governo com o partido da direita nacionalista ANEL.

Ao longo deste período o SYRIZA encurralou os trabalhadores no falso esquema "memorando ? anti-memorando", ocultando o facto de que o memorando faz parte da estratégia mais geral do capital. Ele explorou o agravamento dos problemas do povo e fez promessas falsas de que aliviaria a situação dos trabalhadores e satisfaria suas reivindicações.

Neste quadro, o SYRIZA prometeu que aumentaria de imediato o salário mínimo, restauraria os acordos de negociação colectiva, aboliria o imposto sobre a propriedade, aumentaria o patamar de isenção fiscal, poria fim às privatizações, etc.

Apesar dos slogans que utilizou, na prática o SYRIZA construiu uma estratégia social-democrata e deixou claro desde o princípio que administraria o capitalismo e serviria a competitividade e lucratividade dos grupos monopolistas, implementando a estratégia da UE, à qual chamava de "nosso lar europeu comum".

Segundo. Após as eleições de 2015, o governo SYRIZA-ANEL continuou a linha política anti-povo dos governos anteriores. No dia 20 de Fevereiro assinou um acordo com a UE-BCE-FMI (Troika) e assumiu compromissos quanto ao reconhecimento e reembolso da dívida que não foi criada pelo povo, a "rejeição de acções unilaterais", a não implementação das suas promessas eleitorais e a promoção de "reestruturações capitalistas".

O governo SYRIZA-ANEL, durante as negociações que se seguiram em Bruxelas, apresentou uma série de propostas com duras medidas anti-povo, incluindo:

A manutenção do memorando e de todas as leis de aplicação do ND e do PASOK, a imposição de tributação adicional, a demolição de direitos de pensão, privatizações e outras medidas no valor de 8 mil milhões de euros a expensas do povo. Esta proposta era semelhante àquela da Troika, a qual continha medidas anti-povo no valor de 8,5 mil milhões de euros.

As confrontações nas negociações e a retirada do governo SYRIZA-ANEL numa certa fase não estão relacionadas com resistência para a defesa dos interesses do povo, como alguns no estrangeiro afirmaram sem qualquer base.

Eram os interesses dos monopólios que estavam na mesa das negociações e, sobre esta base, manifestavam-se contradições mais gerais relativas à fórmula para a gestão do capitalismo, o rumo da Eurozona e a posição da Grécia nela (incluindo a possibilidade de um Grexit), as contradições sobre hegemonia na Europa entre a Alemanha e a França, entre os EUA e a Eurozona e em particular a Alemanha.

Terceiro. Nestas condições, no sábado 27 de Junho o governo apresentou ao Parlamento uma proposta para um referendo, tentando armar uma cilada para o povo com um SIM ou NÃO ao pacote de medidas anti-povo da Troika, recusando-se a apresentar a sua própria proposta anti-povo a fim de ser julgada pelo povo.

O KKE (no parlamento) pediu que no referendo fosse colocado o seguinte:

A) A proposta da Troika.
&amp;#66;&amp;#41; A proposta do governo
C) A proposta do KKE para "DESLIGAMENTO DA UE, ABOLIÇÃO DO MEMORANDO E DE TODAS AS LEIS DE APLICAÇÃO ANTI-POVO".

O governo arbitrariamente recusou-se a colocar a proposta do KKE em votação. Seu objectivo era chantagear o povo e explorar a votação popular como aprovação à sua própria proposta que constituía um novo memorando.

O KKE resistiu, denunciou a chantagem e apresentou o seu próprio boletim de voto ao julgamento do povo:

"NÃO À PROPOSTA UE-BCE-FMI.
NÃO À PROPOSTA DO GOVERNO.
DESLIGAMENTO DA UE COM O POVO NO PODER".

Este boletim de voto foi distribuído nos lugares de trabalho, nos bairros populares, junto aos centros de votação no dia do referendo, e ao mesmo tempo o KKE conclamava o povo a resistir de todas as maneiras e exprimir sua oposição ao novo memorando.

Nas condições deste falso dilema e desta chantagem, o KKE explicou ao povo que tanto o SIM como o NÃO seriam utilizados para impor novas medidas anti-povo.

Esta decisão é uma grande herança deixada ao nosso povo para que possa continuar sua luta com base nos seus próprios interesses.

Uma secção significativa do nosso povo resistiu. Lançou na urna o boletim de voto do KKE, outros votaram em branco ou anularam o boletim de voto (mais de 350 mil, 6%). Uma secção do povo trabalhador seguiu o caminho da abstenção.

O KKE não estabeleceu um objectivo numérico para este referendo, sua postura foi uma posição de princípio, enviar uma mensagem política ao povo para não se submeter a toda chantagem, a dilemas, quer tivessem origem na troika ou no governo ou nos outros partidos políticos burgueses.

Quarto. Em 6 de Julho, um dia após o referendo, os desenvolvimentos confirmaram do modo mais característico as posições e a linha de luta do KKE e comprometeram os partidos no estrangeiro que celebraram em conjunto com o SYRIZA ou enviaram mensagens de apoio ao primeiro-ministro grego.

No dia seguinte ao referendo houve uma reunião dos líderes políticos por iniciativa do primeiro-ministro, Tsipras, com a participação do Presidente da República. Esta reunião tornou a situação ainda mais clara.

O SYRIZA, ANEL, ND, PASOK, POTAMI, isto é todo os partidos burgueses, assinaram uma declaração conjunta que entre outras coisas mencionava: "O veredicto recente do povo grego não inclui um mandato de ruptura, mas um mandato para continuar e fortalecer o esforço de alcançar um acordo socialmente justo e economicamente sustentável", confirmando que os partidos burgueses como um todo estavam prontos para assinar um acordo/novo memorando com a Troika contra o povo.

O secretário-geral do CC do KKE, cda. Dimitris Koutsoumpas discordou, tornou clara a sua posição diferente. Após a reunião dos líderes políticos declarou dentre outras coisas: "De nossa parte exprimimos claramente, mais uma vez, os pontos de vista do KKE quanto à avaliação do resultado do referendo e principalmente quanto aos enormes problemas que estão a ser experimentados pelo povo grego dentro da aliança predatória da UE, a qual tem uma linha política que agrava continuamente os impasses para o povo, o rendimento do povo, o curso do país e o curso do nosso povo como um todo.

Foi demonstrado, mais uma vez, que não pode haver negociações favoráveis ao povo e aos trabalhadores dentro dos muros da UE, dentro do caminho capitalista de desenvolvimento... Ninguém autorizou qualquer organismo a assinar novos memorandos, novas medidas para o nosso povo".

Quinto. Após o referendo o governo SYRIZA-ANEL enviou ao Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) um pedido para um programa de empréstimo por três anos no valor de cerca de 50 mil milhões de euros, com um novo acordo de empréstimo e um novo memorando.

Na sexta-feira 10 de Julho, o governo propôs à Troika (UE, BCE, FMI) um pacote provocador de duras medidas anti-povo com um 3º memorando no valor de mais de 12 mil milhões de euros! Isto quer dizer 4 a 5 mil milhões de euros a mais do que a proposta que estava a ser discutida antes do referendo.

No mesmo dia, na discussão no Parlamento, o governo pediu e recebeu o apoio e a autorização dos partidos burgueses, ND-PASOK-POTAMI, a fim de assinar o acordo anti-povo, o 3º memorando.

Enquanto isso, na madrugada de segunda-feira 13 de Julho, o primeiro-ministro Tsipras acordou na Cimeira da Eurozona um novo empréstimo no valor de 85 mil milhões de euros e um muito perigoso memorando anti-povo, o qual realmente esmagará qualquer coisa que tenha restado dos direitos do povo.


Aqui estão alguns exemplos característicos:

Manutenção do ENFIA, o imposto sobre a propriedade e outras duras medidas fiscais da ND e do PASOK que levaram milhões de famílias das camadas populares ao desespero e um aumento adicional das taxas de IVA, transferindo alimentos empacotados e outros ítens de consumo popular em massa para a taxa mais alta de 23%, abolição de isenções fiscais para agricultores, um aumento significativo do IVA para as ilhas, etc.

A propaganda do governo diz que aumentar impostos sobre grandes negócios e proprietários de navios não tem fundamento, que é uma gota no oceano. As isenções fiscais para os proprietários de navios e o grande capital como um todo estão a ser mantidas em vigor.

Manutenção das medidas anti-segurança social na sua totalidade, as quais reduzem pensões, aumentam a idade de reforma, isentam o patronato de contribuições para a segurança social e também a introdução de novas medidas que anulam o restante das reformas antecipadas estabelecendo uma única idade de reforma de 67 anos, abolindo os benefícios para pensionistas com pensões muitos baixas, aumentando as contribuições dos trabalhadores para a segurança social, fundindo fundos da segurança social com uma corrida para baixo em termos de direitos. Estão a ser examinadas duras medidas adicionais em nome da sustentabilidade do sistema de segurança social.

Manutenção das relações de trabalho "medievais" que prevalecem nos lugares de trabalho, congelamento de acordos colectivos, manutenção de salários reduzidos e também novas medidas adicionais anti-trabalhador em nome da adaptação às directivas da UE para a expansão de contratos individuais entre trabalhadores e patrões, reforço do trabalho em tempo parcial e temporário, relações de trabalho flexíveis.

Implementação da caixa de ferramentas da organização imperialista OCDE (a qual o governo considera ser um parceiro estratégico) que prevê a liberalização das profissões, a abolição dos feriados de domingo, etc.

Manutenção das privatizações que se efectuaram e a promoção de novas, nos portos, em 14 aeroportos regionais, nas ferrovias, na companhia que administra o gás natural, etc.

Criação de um mecanismo para hipotecar e vender a propriedade pública a fim de obter 50 mil milhões de Euros para reembolsar os empréstimos, etc.

Criação de excedentes primários de 1% em 2015, 2% em 2016, 3% em 2017, 3,5% em 2018 e a implementação de um mecanismo para automaticamente cortar salários, pensões, gastos sociais se houver divergência em relação aos objectivos orçamentais.

O governo SYRIZA-ANEL utilizou a chantagem e o dilema que a ND e o PASOK haviam utilizado a fim de convencer o povo a aceitar as medidas: um novo memorando mais duro ou a bancarrota do estado através de um grexit?

Ele repete o mesmo dilema que foi apresentado por ocasião do primeiro e segundo memorandos e todas as vezes em que uma prestação estava a ser desembolsada. Toda a vez que o povo tem de escolher o mal "menor", no fim este acaba por levar ao mal maior.

Mesmo agora, quando a linha política anti-povo do SYRIZA está completamente evidente, Tsipras ainda tenta promover falsas expectativas, afirmando que o acordo inclui um ajustamento da dívida (a qual aumentou devido ao novo empréstimo) e aos chamados "pacotes de desenvolvimento". Apesar do facto de ser bem sabido que em qualquer caso o povo pagará pela dívida e que os pacotes serão mais uma vez destinados a grandes grupos monopolistas, os quais colherão grandes lucros.

Sexto. A linha política anti-povo do SYRIZXA não se restringe apenas a estas questões mas exprime-se também na sua política externa.

O governo grego em cinco meses proporcionou apoio significativo à NATO, aos EUA, o eixo Euro-Atlântico.

Ele não só manteve como também assumiu compromissos para fortalecer as bases EUA-NATO em Suda, o centro de comando para intervenções e guerra imperialistas, Aktio (centro de radar) e também assumiu compromissos para fortalecer os centros de comando em Salónica, Larissa, etc.


O governo anunciou que em consulta com os EUA instalará uma nova base da NATO no Mar Egeu, na ilha de Carpatos.

O governo assumiu oficialmente um compromisso de disponibilizar suas forças armadas e bases militares para novas guerras imperialistas na região, a fim de enfrentar os jihadistas e "proteger as populações cristãs".

Ele participa em exercícios militares juntamente com os EUA e Israel e fortalece suas relações militares, políticas e económicas com o estado israelense que continua a ocupação e os tormentos do povo palestino.

A chamada "política multi-dimensional" com a Rússia e a China, com os BRICS, está a ser executada do ponto de vista do avanço dos interesses dos grupos monopolistas a fim de fortalecer suas posições no campo da energia, no quadro geral da competição imperialista, enredando nosso povo em novos perigos.

CONCLUSÕES IRREFUTÁVEIS

Os trabalhadores da Europa e de todo o mundo podem retirar importantes conclusões deste curso dos acontecimentos na Grécia a fim de denunciar as forças políticas que defendem o caminho de desenvolvimento capitalista e a União Europeia, a união imperialista inter-estatal.

Os homens e mulheres comunistas, os trabalhadores, devem examinar os desenvolvimentos na base dos dados reais.

Eles deveriam apreciar a posição de dúzias de Partidos Comunistas que tentam analisar os desenvolvimentos na Grécia com base em critérios de classe, mantiveram o princípio do internacionalismo proletário, contribuíram para apoiar luta do KKE, publicaram seus boletins de informação e entrevistas, escreveram seus próprios artigos e combateram contra a confusão semeada pelo SYRIZA e pelo Partido de Esquerda Europeu (PEE).

O KKE agradece às dúzias de partidos comunistas e organizações de juventude comunista de todo o mundo que exprimiram sua solidariedade de muitos modos diferentes e permaneceram ao lado da luta do nosso partido e da KNE (Juventude Comunista Grega).

Agradecemos aos trabalhadores e trabalhadoras, sindicalistas e outras organizações do movimento popular do estrangeiro que apoiam a luta do movimento com orientação de classe na Grécia.

Nosso partido continuará a travar lutas árduas e a honrar a vossa confiança.

Nas condições da forte pressão exercida pelo aparelho ideológico burguês e pela intervenção das forças oportunistas, a expressão em massa de solidariedade internacionalista é um elemento muito importante. Ela contribui para a nossa luta comum. Trata-se de uma experiência valiosa que frutificará no período seguinte.

Ao mesmo tempo, os comunistas e trabalhadores devem examinar cuidadosamente e denunciar as forças oportunistas e outras que durante todo este período ocultaram as posições do KKE e alinharam-se com o SYRIZA, embelezando a essência de classe anti-povo da sua linha política, seu carácter social-democrata.

O PEE desempenha um papel particularmente perigoso na manipulação dos trabalhadores. O Partido de Esquerda Europeu reconheceu a sua própria mutação estratégica rumo à gestão burguesa nas posições sociais-democratas do SYRIZA, as suas próprias posições favoráveis à assimilação dentro da UE.

Isto era expectável.

Este grave problema refere-se a certos PCs que reproduziram as posições do SYRIZA, apresentaram-no como força de resistência contra a UE, ocultando o facto de que este partido é um defensor da aliança predatória da UE e da NATO, um administrador da barbárie do sistema capitalista.

Estas forças saudaram o "NÃO" do referendo mas ocultaram o facto de que por trás disto estava o SIM do SYRIZA a um novo memorando, novas medidas que continuarão a sangrar o nosso povo.

Elas desinformaram ? intencionalmente ou não intencionalmente ? os trabalhadores nos seus países. Estas forças ligaram a posição do governo grego à defesa da "soberania popular", mas a realidade demonstra que o povo não pode ser soberano quando está sitiado pela chantagem das forças do capital, quando está faminto, desempregado, vítima do capitalismo e dos capitalistas que mantêm o poder e possuem os meios de produção e roubam a riqueza produzida pelos trabalhadores.

A postura destes partidos objectivamente foi contra a luta do KKE e a expensas do interesse da classe trabalhadora, das camadas populares na Grécia, em todo país, porque apoiar a nova social-democracia significa fortalecer o adversário dos trabalhadores, promove ilusões e confusão.

Não há desculpa. Eles arcam com sérias responsabilidades. Os partidos que ocultaram as posições do KKE, organizaram eventos para apoiar o SYRIZA e saudaram a social-democracia foram revelados.

Na realidade, as manifestações, como em Paris, Roma, Bruxelas, Nicósia, Lisboa e outras cidades, pouco importando quem as organizou e os slogans usados, foram utilizadas pelo SYRIZA como um álibi "de esquerda" para fortalecer a sua posição, para apresentar-se como um "salvador" e impor novas duras medidas anti-povo sobre os trabalhadores gregos.

Esta não é a primeira vez que falamos acerca destas questões. As consequências da influência oportunista nas fileiras do movimento comunista, consequências da contra-revolução, continuam a ser penosas.

Nosso partido, como é bem sabido, tem exprimido firmemente (durante muitos anos) sua solidariedade internacionalista com PCs que hoje se alinham com os seus oponentes políticos. O KKE segue uma posição de princípio e continuaremos a assim actuar.

Contudo, deve começar uma discussão no Movimento Comunista Europeu e Internacional acerca das escolhas de PCs que tomam o lado da social-democracia e dela devem ser retiradas conclusões.

Quem quer que perca a bússola revolucionária de classe será levado a administrar o capitalismo, mesmo que o nome comunista seja mantido, mesmo que haja referências formais ao socialismo.

A experiência histórica revela isto e este é o problema para certos partidos que usam a calúnia do "sectarismo" a fim de incriminar a luta revolucionária, esconder o seu próprio recuo dos princípios do marxismo-leninismo e a sua opção por administrar o sistema burguês.

Os desenvolvimentos recentes trouxeram à tona questões sérias que devem ser discutidas ainda mais.

Os partidos sociais-democratas da variedade SYRIZA e Podemos trabalham para manipular a classe trabalhadora, salvaguardar a gestão capitalista com falsos slogans de esquerda.

Na prática, o exemplo do SYRIZA demonstra mais uma vez que os chamados "governos de esquerda" são uma forma de gestão e reprodução da exploração capitalista, que eles cultivam ilusões, desarmam as forças populares e levam ao fortalecimento de forças conservadoras, para o retorno de governos de direita. Os exemplos de "governos de esquerda" em França, Itália, Chipre, Dinamarca e países da América Latina confirmam esta avaliação.

A posição que apresenta a substituição do Euro por uma divisa nacional, a exemplo do dracma na Grécia, como um desenvolvimento a favor do povo, uma posição apoiada por vários grupos de ultra-esquerda e quadros do SYRIZA que no parlamento votaram contra o 3º memorando, obscurece a situação real para os trabalhadores. A [mudança de] divisa não pode por si própria resolver favoravelmente qualquer dos problemas do povo. A exploração capitalista continuará a dominar, bem como o factor que determina o curso dos desenvolvimentos, isto é, qual classe social tem o poder e os meios de produção nas suas mãos.

A tentativa de interpretar os desenvolvimentos com posições que apresentam a Grécia como sendo uma "colónia" não tem uma base objectiva. Ela omite os objectivos e interesses da burguesia, não toma em conta o desenvolvimento capitalista desigual (uneven) e as relações desiguais (unequal) entre estados capitalistas.

A continuada participação na NATO e na UE é a posição dominante na classe burguesa e as concessões de direitos soberanos são uma escolha consciente que objectiva reforçar o capitalismo e servir os interesses dos monopólios no interior de alianças imperialistas.

Centrar toda a atenção sobre a postura da Alemanha, a tentativa de interpretar os desenvolvimentos através do prisma do "golpe de Schauble" oculta a essência da competição inter-imperialista, dos interesses que estão envolvidos no conflito.

A escolha de aliados do governo SYRIZA-ANEL, exemplo: os EUA e a França, nada tem a ver com os interesses do povo mas sim com os interesses dos grupos monopolistas, enredando nosso povo ainda mais na teia da competição imperialista.

As recentes declarações de um quadro do SYRIZA e vice-presidente do governo são características. Ele fez a seguinte referência: "Tenho de agradecer publicamente ao governo dos EUA e ao Sr. (Presidente Barack) Obama pois sem a sua ajuda e persistência em que o acordo tem de incluir a questão da dívida e o horizonte de desenvolvimento poderíamos não ter tido êxito".

A LUTA DO KKE

O KKE avançou em frente, tendo enriquecido sua estratégia na base das exigências contemporâneas da luta de classe, ultrapassando a teoria respeitante a "etapas intermediárias" na gestão do sistema explorador e as diferentes formas para a manutenção da democracia burguesa, defendendo as lei da revolução e construção socialista.

Nosso partido utilizou a linha de luta anti-capitalista ? anti-monopolista, a linha para a concentração e preparação da classe trabalhadora e forças populares para o derrube do capitalismo, para o poder dos trabalhadores e do povo, o socialismo, rejeitando a cooperação com o partido social-democrata SYRIZA e qualquer participação em governos de gestão burguesa.

Ele deu uma resposta decisiva nas eleições de 2012, continuando em condições difíceis sua luta político-ideológica e de massa independentes, com as necessidades das famílias da classe trabalhadora e estratos populares como seu critério.

Ele travou a batalha das eleições em 2015, aumentou suas forças e utiliza seu grupo parlamentar de 15 membros para destacar os problemas do povo, apresentando importantes projectos e propostas de lei, como o projecto de lei para a abolição do memorando e das leis de aplicação as quais o governo desde há cinco meses tem-se recusado a discutir no Parlamento.

Ele utiliza o seu grupo parlamentar na UE ao lado dos trabalhadores, alcançando um novo nível nas suas intervenções políticas significativas após a sua retirada do GUE/NGL, o qual foi transformado num apêndice do PEE.

A orgulhosa posição do KKE no referendo recente é uma continuação desta luta política. Esta posição revelou a linha política anti-povo do governo SYRIZA-ANEL, da Troika e dos partidos políticos burgueses que apoiam a permanência na UE "a qualquer custo", apresentando sua própria proposta ao povo.

Nosso partido intervém decisivamente nos desenvolvimentos políticos, combate contra dificuldades e deficiências e trabalha incansavelmente nos lugares de trabalho, no interior do movimento trabalhista e popular, desempenha o papel principal nas lutas da classe trabalhadora, dos agricultores, dos estratos intermediários, da juventude. Ele continua sua actividade internacionalista, fortalece suas relações com dúzias de PCs de todo o mundo e tenta discutir sua experiência com os comunistas e as principais forças da classe trabalhadora no exterior.

Estes deveres são muito sérios. O KKE centra-se em organizar a resistência dos trabalhadores contra o acordo anti-povo do governo SYRIZA-ANEL, de modo a que o nível das exigências populares seja elevado e de que se desenvolva um movimento militante para exigir de um modo maciço a recuperação das perdas e a satisfação das necessidades contemporâneas.

O movimento com orientação de classe, PAME, e os demais agrupamentos militantes estão a escalar as mobilizações de massa, estão a fazer esforços para organizar um movimento de solidariedade para apoiar aqueles que estão a sofrer devido ao desemprego e à pobreza, para apoiar os pensionistas, os trabalhadores que estão de pé nas filas junto aos bancos para receberem uma pequena parte da sua pensão ou salário devido às restrições sobre transacções bancárias.

Através de comités de luta nos lugares de trabalho, fábricas, hospitais, supermercados, serviços, através da mobilização dos "comités populares" nos bairros.

Estas são ferramentas valiosas para o fortalecimento da luta popular.

Continuaremos neste caminho e apelamos à classe trabalhadora, aos estratos populares, a adoptarem em massa e de modo decisivo a proposta política do KKE para a melhor organização possível dos trabalhadores, para o reagrupamento do movimento trabalhista, para o fortalecimento da aliança popular da classe trabalhadora com os agricultores, os outros estratos populares a fim de intensificar a luta por mudanças radicais profundas. Para a socialização dos monopólios, com planeamento científico central da economia, desligamento da UE-NATO e o desenvolvimento de relações mutuamente benéficas com outros estados e povos, com o cancelamento unilateral da dívida, com a classe trabalhadora e o povo segurando as rédeas do poder.
[*] Membro da Comissão Política do Comité Central do KKE

[NR] A figura do voto "presente" é uma especificidade do Parlamento grego. O voto "não" significa uma oposição frontal e total. O voto "presente" significa que em princípio se está contra uma proposta (um projecto de lei, por exemplo) mas que se reconhece algumas ideias úteis na mesma. De certo modo o voto "presente" é quase o equivalente à abstenção, mas não exactamente a mesma coisa.

A versão em inglês encontra-se em inter.kke.gr/en/...

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
31/Jul/15

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Novo colante. BASENAME: novo-colante DATE: Thu, 30 Jul 2015 08:22:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Pardinhas mais um ano. BASENAME: pardinhas-mais-um-ano DATE: Tue, 28 Jul 2015 09:38:04 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Voltaremos a Guitiriz para a XXXVI ediçom do festival de Pardinhas o 1 e 2 de agosto.
Já vam 8 anos montando chigre!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Foliada despedida cursos. Desta vez vai! BASENAME: foliada-despedida-cursos DATE: Mon, 27 Jul 2015 12:44:26 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

A quarta-feira dia 29 no centro social foliada a partir das 20h30 para despedir os cursos por ferias de verao.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Estamos numa depressão global, não numa recessão BASENAME: canta-o-merlo-estamos-numa-depressao-global-nao-numa-recessao DATE: Mon, 27 Jul 2015 07:38:33 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

ESTAMOS NUMA DEPRESSÃO GLOBAL, NÃO NUMA RECESSÃO
http://resistir.info/

A vendas mundiais da Caterpillar estão há 31 meses em declínio consecutivo. Esta transnacional das máquinas pesadas está presente em todos os continentes e as suas vendas constituem um bom indicador do estado da economia mundial. Por ocasião do colapso de 2008 a Caterpillar experimentou um declínio consecutivo de "apenas" 18 meses. Se agora já vai nos 31 meses, será que ainda se pode falar em "recessão conjuntural"? Esta notícia na verdade mostra uma depressão na plena acepção da palavra, longa e prolongada. Contudo, o jornalismo económico português não publica notícias ou análises como esta ? só aquelas que promovam a "confiança dos mercados". Chama-se a isto desinformação por omissão.

----- -------- AUTHOR: suso TITLE: Perante a agressom que venho sofrendo em silêncio desde há já demasiado tempo... BASENAME: perante-a-agressom-que-venho-sofrendo-em-silencio-desde-ha-ja-demasiado-tempo DATE: Fri, 24 Jul 2015 20:28:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: FOX HUNTING CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"Na última semana de maio, num emblemático bar da cidade de Compostela, mentres conversaba cun colega atopeime (violentamente) cun señor que resultou chamarse Suso Sanmartín. Este suxeito interrompeume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar conmigo. Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante."

("Anónima zorra enfadadísima" [sic])
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-agressom.html

Seguindo a recomendaçom de George Lakoff em Don't Think About Elephants (livro que já tem uns aninhos mas que eu só vim ler recentemente) resistim-me até agora a dar a minha versom dos feitos por nom entrar no frame d@ adversári@ nem fazer-lhe o jogo, cousa que a todas luzes parecia um erro. Provavelmente continue a sê-lo ainda mas vou fazê-lo na mesma porque é que isto está já mui saído de madre &amp;#58;&amp;#40;

Visto que a bola de neve, aliás, de bosta nom fijo desde aquela mais que medrar e medrar e que a difusom da grande ?bola? atingiu já uns limites insuportáveis, vejo-me na bochornosa necessidade de ter que dar públicas explicaçons sobre um feito absolutamente trivial e que devia ter sido também intranscendente (como diria o pintor e escritor suíço Friedrich Dürrenmatt: ?Tristes tempos estes em que há que luitar polo que é evidente?).

Farei-no, isso sim, ao meu estilo. Com bom humor e mala leche, como o genial Laxeiro dizia que havia que andar pola vida e como é também a minha máxima. Espero nom ferir a sensibilidade de essas pessoas que som tam sensíveis (no mal sentido) ao exercício do humor e aparentemente tam insensíveis perante um linchamento público como o que contra mim (desde o passado17 de junho, desde há um mês e umha semana já) se vem perpetrando. E, se a ferir, desde já, pido imensas desculpas antecipadas.

Pois resulta que a minha versom dos feitos coincide basicamente com a da pessoa (in)visibilizada como "Anónima zorra enfadadísima" (o pseudónimo é seu; a ver se é que eu, como a coitada da Yoko Ono, vou ter a culpa de todo!). Coincide com alguns matizes. Com alguns matizes importantes.

Com efeito, na noite da quarta-feira 27 de maio (tecnicamente seria madrugada da quinta-feira 28, já), num ?emblemático? bar da cidade de cujo nome nom quero lembrar-me, tivem a pouca fortuna de topar-me com essa ?zorra enfadadísima Anónima?. Tenho que reconhecer que a toquei (que lhe toquei o braço direito, as costas, ou talvez ambas partes em simultâneo) sem o seu prévio consentimento, num gesto convidativo para o baile (como ela interpretou corretamente) que nada tivo de extraordinário. Esse ?colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación)? é dum dramatismo que nada achega e que resulta totalmente desnecessário. Ainda bem que, à sua folhetinesca maneira, a ?Anónima e enfadadísima zorra? esta dixo a verdade! Porque se chega a dizer que eu a arrastei por um braço ou polos cabelos, estava lixado! (Para esta tropa, a palavra da ?vítima? é como a da Polícia: tem ?presunçom de veracidade?).

Ainda que poida perfeitamente entender que a esta pessoa (visibilizada como ?trenô? em galego ILG-RAG) nom lhe agradara que eu a tocasse (talvez se eu fosse mais bonito, mais novo, mais alto, o conto cambiasse), até onde eu sei, um contato físico assim nom é um tabú na nossa cultura. ?Por favor, nom me toques?, ?desculpa? e acabamos.

?Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante". Bem, aqui sim que há algumha cousinha que matizar. Algo bastante.

Nom me lembro mui bem dos detalhes (a cousa tampouco é que tivera demasiada importância) mas do que sim me lembro é de ter cachado à primeira a rejeiçom desta pessoa (visibilizada como ?golpe? nalgumhas comarcas) e lembro-me de, assumindo a derrota com desportividade, sem maior problema, ter-me afastado.

Nesse preciso momento entra no ?emblemático? bar um amigo (mais novo do que eu, mais alto, com mais cabelo e, se calhar, mais 'ghuapo') com o que tinha saído aquela noite e que, por algumha inexplicável razom, chegou atrasado. Ponho-me a falar com ele e, desde umha distância de 4 ou 5 metros, a pessoa visibilizada como ?raposa? em galego vem correndo até nós e di-lhe ao meu amigo (a mim, nom; a ele): ?O teu amigo é um baboso e um nom-sei-o-que!?. A mim deu-me por rir. Mas nom estava a rir dela (como erroneamente ela interpretou) senom do patético da situaçom. Do patético que estava a ver-me eu a mim mesmo naquela patética situaçom. ?Peró, Suso... aos teus anos!?? E por quê lho dizia ao meu amigo e nom a mim?? Enfim...

Mas à pessoa visibilizada como mamífero carnívoro da família dos Canídeos e o gênero Vulpes deveu-lhe parecer mal que eu, em vez de responder aos seus insultos com outros insultos, reagisse botando-me a rir porque se virou para mim e dixo-me (agora a mim, diretamente, nom ao meu amigo): ?A ti todo isto importa-che umha merda, nom??. E eu, vendo esta pessoa fora de si, assentim dando-lhe a razom como um ?zorro?. End of the story! (ou, ao menos, isso era o que ingenuamente eu achava).

No seu relato, a pessoa (in)visibilizada como mulher do forajido mascarado e encapotado que com a sua espada defende o povo de funcionários tirânicos e outros vilões, omite habilmente o facto de que foi ela, e nom ao revês, quem me insultou a mim (tanto no ?emblemático bar da cidade? no dia de autos quanto no injurioso escrito que fijo circular por aí onde se me qualifica de ?fodido baboso? e se me acusa de ser um ?agressor?, o que é muitíssimo mais grave). Dá a entender que aconteceu justamente o contrário quando di que eu me ?mofei? e/ou me ?burlei? dela. Eu a ela nom lhe dirigim nem umha má palavra. Ela, a mim, sim. Bem ao contrário.

Por fortuna "Anónima zorra enfadadísima" nom me acusou de ter feito nengumha barbaridade (se assim tivesse sido, estava perdido!) e qualquer pessoa que saiba ler separando o grão da palha pode ver o que aí há: muita palha (mental) e pouco grão. Desde logo nada que justifique a delirante campanha de acoso à que me vim submetido a partir daí (*) (orquestrada na escuridade como aquelas famosas manobras). Infelizmente semelha que há muita gente que vê/lê só aquilo que deseja ver/ler: Suso Sanmartin (membro de Compostela Aberta, sócio da AGAL e A Gentalha, colaborador do ?Novas?), ?agressor machista?!! De puta madre!!

Daquela, quê? Que é o que vcs acham? Quem é a vítima e quem o/a agressor/a nesta ?emblemático? caso? Julguem vcs mesm@s e condenem quem lhes sair d@ cona/caralho (ou dos colhons/ovários).

Suso Sanmartin
Transgressor marxista


(*) A partir deste momento comeza o meu particular ?vía crucis? do que semella tod@s tedes xa coñecemento. Primeiro mediante a difusión a través de distintos foros dun inxurioso escrito que fixeron circular por aí onde se me cualifica de ?fodido baboso? e se me acusa de ser um ?agresor?. Pedín no propio blogue e no e-mail que aparecía, que eliminaran o citado post, o que non sucedeu, obrigándome a acudir ao xulgado a efectuar unha denuncia.
 
Depois, e sempre dende o anonimato das autodenominadas ?Feministas de Compostela?, comunicaron a todo o meu entorno vital (organizacións nas que participo, amigos, inimigos, etc) estes feitos, esixíndolles a adopción de medidas contra a miña persoa (tristemente debo dicir que algúns, os menos, cederon á chantaxe).
 
Despois foron as rúas tamén ?emblemáticas? da cidade cheas de pintadas co meu nome, e xa por último (que non derradeiro, ao parecer) foi o coñecido comunicado coa recollida de sinaturas que se fixo publico e circula polos foros e grupos mais variopintos e poñendo o meu nome en boca de tod@s vós.
 
Mais o conto foi cambiando, neste punto do affaire onde moit@s vos incorporades ao tema, xa non se fala da conducta, xa non se cuestiona o feito obxectivo ocorrido, o convite ao baile, senón que xa se parte da existencia dunha agresión, co fin de que ninguén poda cuestionar da pertinencia desta campaña de acoso persoal. Por sorte, sabemos quen anda detrás disto e qué se persegue (pero iso xa será outro capítulo para cando toque).

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Membro] DATE: Thu, 03 Sep 2015 09:14:27 +0000 URL:

SOBRE AS DESCULPAS QUE (NOM) ME PEDEM

?Por outra parte, nom pretendemos centrar-nos na cabeça do camarada Suso -muito menos nos coletivos dos que faz parte- ainda que ele soubo colher protagonismo bastante em um caso no que umhas desculpas teriam-o desbancado a um segundo plano?

(Charo Lópes: O feminismo encoraja as mulheres)

?Quero pedir desculpas. Desculpas a todas as mulheres às [que] tenho agredido (…) Por sacar a bailar comigo a quem nom queria, invadindo o seu espaço (…) Quero pedir desculpas (…) Acho que NOM É TAM DIFÍCIL (…) e sim, essa é a palavra certa, SEM AGREDIR (…) A respeito do sucedido (…) quando umha mulher tem a coragem de fazer umha denúncia de umha agressom machista (…) adoito ouvimos cousas com: ‘Non era para tanto’, ‘É intolerável o que fizeram com esse rapaz’, ‘Foi un linchamento’. DISCREPO TOTALMENTE. Podem ser incorretas as formas mas ninguém lhe fez nada a esse rapaz (…) A suspeita sempre mora no outro lado. Claro que nengumha/nengum de nós vai apoiar um linchamento (…) mas a resposta a umha mulher que se sente agredida nom é essa, NUNCA DEVE SER ESSA (…) Exagero? A sério alguém pode aturar que para (…) defender o companheiro militante (…) alguns (e algumhas) insultem, difamem, intimidem, ameacem? Que peçam represálias? Que exijam que a agredida, a vítima, revele a sua identidade para ser lapidada e apedrejada na praça pública? (…) Ninguém é infalível, todas as pessoas temos direito a retificar. O triste é que nestes debates houvo quem sim soubo acertar e arriscou-se a receber insultos, ameaças e incompreensom de todas as partes implicadas. É por estas pessoas que me decidim a escrever este artigo.?

(Xurxo Nóvoa Martins: Carta aberta ao macho militante)

Entre o dia, aliás, a noite de autos (madrugada da quinta-feira, 28 de maio) e o dia, aliás, a noite em que tenho conhecimento do texto intitulado ?Comunicado final agressom machista? que andava e ainda anda a circular por aí (madrugada da quarta-feira, 17 de junho) passaram 3 semanas (21 dias).

No mencionado texto (que consta de duas partes, o arrepiante testemunho dumha tal ?Zorra anónima enfadadísima? [sic] e a apostila dumhas desconhecidas ?Mulheres feministas de Compostela?), por um feito tam banal como o já tristemente célebre e sobradamente conhecido (escolham a versom que quiserem, a minha ou a outra; o feito em si é basicamente o mesmo), injuriava-se-me e caluniava-se-me qualificando-me de ?agressor? (derivados do verbo ?agredir? repitem-se no texto até seis vezes em duas normativas: ?agresores?, ?agresión?, ?agrede?, ?agresores?, ?agressons?, ?agressom?; sete, se contamos o título) e ameaçava-se-me mafiosamente, a mim e aos coletivos de que fago parte, com umha série de acçons caso nom figéssemos o que elas diziam. Naturalmente, quando lim aquilo, fum eu o que se sentiu agredido!

Eu achava que o conflito com essa pessoa tinha ficado resolvido in situ: ela insultara-me por ter-lhe tocado o braço sem o seu consentimento prévio, eu nom lhe retruquei e listo (estávamos em paz, achava eu, vai-se o comido polo servido).

Nem nos mais medonhos pesadelos podia eu imaginar as manobras que se estavam a orquestrar na escuridade para tentar acabar com a minha vida (vida social, espero; ainda que isso de que ?seremos as feministas a que nos tomaremos a justiça pola mao? com que finalizava o ?Comunicado? mui tranquilizador nom soava, na verdade).

Porque nesse período de tempo (21 dias / 3 semanas) ninguém se pujo em contato para nada comigo. Inteirei-me de casualidade, através do amigo-dumha amiga-dumha amiga.

Realmente pode haver algumha pessoa normal (nem por riba nem por baixo da normalidade) que pense que eu, ao ter conhecimento de todo isto, o que devia ter feito era pedir desculpas??? Figem o que tinha de fazer que era ir denunciá-lo ao julgado!! E, mesmo assim, nom o figem imediatamente senom que estivem durante um dia inteiro (dia perdido para o trabalho que, por certo, era bastante naquela altura) tentando contatar, infrutuosamente, com alguém que estivesse por trás de tam demencial movida! Pedir desculpas eu, ainda por riba??? Nom me fagam rir, por favor, que o conto é triste!!!

É mais, três meses depois daquele feito absolutamente intranscendente que acabou por ter umha transcendência tam terrível, depois do enorme dano que me levam causado gratuitamente durante todo este tempo, sou eu quem está ainda à espera dumhas desculpas.

NOM É TAM DIFÍCIL! ;) :p

----- COMMENT: AUTHOR: Populista de Esquerda [Visitante] DATE: Wed, 12 Aug 2015 12:46:44 +0000 URL: https://populismodeesquerdas.wordpress.com/

Mais um detalhe interessante: parece que o que mais indignou a denunciante fundamentalista não foi o convite para bailar, foi a “burla” posterior. Porque já se sabe que o riso mata o medo e sem o medo não há fé.

----- COMMENT: AUTHOR: Populista de Esquerda [Visitante] DATE: Wed, 12 Aug 2015 12:40:53 +0000 URL: https://populismodeesquerdas.wordpress.com/

Deixei um comentário no Sermos Galiza mas está a ser censurado com o estilo habitual do jornal: esperar a que o artigo esteja a piques de sair da capa para aprovar os comentários que desafiam os dogmas teologais da esquerda.

Antes de mais, quero mostrar a minha solidariedade com a pessoa que está a ser vítima deste processo inquisitorial, deste auto de fé virtual.

Haverá duas ou três décadas que soubemos por primeira vez desse novo feminismo norte-americano, dessa ordem religiosa de mulheres néo-puritanas, amarguradas e cheias de ódio, vestidas em negro para denunciar a opressão patriarcal. Naquela altura a esquerda europeia olhava para elas como se fossem animalinhos do zoo. Mas elas souberam evoluir, pintaram os beiços, vestiram roupa mais colorida e agora… já estão aqui amigos!

O mais irónico é que foi a própria esquerda quem assumiu como próprio o seu delirante discurso e alimentou o seu doido fanatismo. Estava visto que tarde ou cedo teríamos que pagar o preço…

E, infelizmente, não é o único tipo de fanatismo, nem o mais perigoso, que estamos a alimentar… Pensemos se não na monja anti-vacinas que o mês que vem poderia vir obter uma cadeira no novo governo catalão.

Acho que estamos da hora de deixar o magufismo e voltar à razão antes de que seja tarde de mais…

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 23:03:31 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Polo que tu sabes, Ánxel? Pois já me contarás, porque já sabes mais do que eu e porque esse enlace que me pôs nom tem nada a ver com o meu nom-caso!

----- COMMENT: AUTHOR: Meu Dónimo [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 22:37:11 +0000 URL:

Hai qualquer colectivo feminista compostelám que diga ter sido consultado para assinar isso como “Mulheres feministas de Compostela"?

Hai qualquer participante da Marcha Mundial das Mulheres na Galiza que diga ter sido consultada, muito menos ter dado a sua aprovaçom, à Xiana de Ourense (BNG, @troleadagalega) para essa organizaçom assinar esta denúncia?

Coa salvedade das rectificaçons que puiderem chegar, acho que a lista de assinantes dessa denúncia é esclarecedora quanto a quais indivíduos e organizaçons estám dispostas a assinar um linchamento sem a máis mínima comprovaçom. Por outras palavras, a quem folgamos máis fazer puto caso.

Folgos e aços, Suso.

----- COMMENT: AUTHOR: Ánxel [Visitante] DATE: Wed, 29 Jul 2015 22:14:58 +0000 URL:

Polo que eu sei, penso que as ameazas non eran esas.

http://www.pikaramagazine.com/2015/07/decalogo-de-actitudes-machistas-ante-una-denuncia-de-maltrato/

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 14:47:50 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Obrigado polo esclarecimento, Edu. Como ia saber eu que nom tinha sido apagado quando o Xosé esse e mais tu afirmavades o contrário? Pois aí estám, para quem as quiser ver, as supostas “ameaças".

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 14:16:16 +0000 URL:

ehem!! eu ao igual que tu pensei que o quitaram, mais nom, por que nesse blogue apareceu por duas vezes o comunicado de marras e de a minha equivocaçom. eu dim-me conta dias depois mas nom lhes pedim que o quitaram por que nom quero tratos com essa gente:

1º do 10 de junho com o meu comentário:
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-agressom.html

2º do 16 de junho com o comentário do Suso, que ninguém quitou:
http://sexualidademedular.blogspot.com.es/2015/06/feminismos-fwd-comunicado-final.html


----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 12:33:56 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

No seu lugar pode ler-se agora o seguinte comentário (óbri, Edu):

“abordaxe 26 de julho de 2015 06:26

Oh!! Onde vai o comentário do Suso?? Quem censura agora?? Quê queredes ocultar?

Quanto durará estoutro?? Tic, tac, tic, tac som as 15.26′ do 26 de julho de 2015

Edu.”

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 12:29:47 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Suponho que o tal Xosé se referia a este comentário que no passado 17 de junho (o mesmo dia em que me inteirei das graves acusaçons que contra mim andavam a circular por aí) coloquei no misterioso blogue sexualidademedular.blospot.es:

“Com ajuda de várias pessoas amigas levo o dia inteiro a tentar localizar algumha pessoa responsável por trás do blogue sexualidademedular.blospot.es. Sem êxito por enquanto. Visto que cada minuto que passa a minha imagem pública e a minha honra se vêm mais e mais prejudicadas polas injúrias e as calúnias que sobre mim nele se dim e visto que sobre a minha cabeça pesa a ameaça de ser denunciado falsa, anônima, pública e maciçamente, vejo-me na obriga de exigir a quem quiser que esteja por trás de todo isto que apague o post e qualquer referência ao meu nome e à minha pessoa imediatamente. E, por suposto, que se abstenha de dar qualquer passo para a frente. Caso contrário, verei-me na obriga de tomar outro tipo de medidas que, sem dúvida, resultarám mais desagradáveis para todos e todas. Cumprimentos.”

O tal Xosé dá por suposto que fum eu quem apagou o comment (nom sei se isso seria possível tecnicamente). Em qualquer caso, que pouco me conhece! Eu sou responsável dos meus atos, nom coma outr@s.

Quem o apagou saberá por que o fijo. O medo está a mudar de bando, ao que parece ;)

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Tue, 28 Jul 2015 07:24:26 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Eu nom apaguei comentário nengum, Xosé. Nem neste nem, evidentemente, em nengum.outro. A que comentário e a que blogue te referes? Gjoder, jà pareço a Yoko Ono levando a culpa de todo! ;-P

----- COMMENT: AUTHOR: mmm [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 19:52:06 +0000 URL:

Porfa, poderíades esclarecer melhor o que é “invadindo o seu espaço e burlando-se dela"? Se a invasom do espaço apresenta um caráter efetivamente machista e a burla também, começarei a pensar em assinar o comunicado.

Terminarei de convencer-me se há proporcionalidade entre o facto denunciado e as medidas punitivas tomadas, como deve ser em qualquer sistema de justiça. Isso é: se há proporcionalidade entre ‘a invasom do espaço e a burla’ e umha campanha pessoal, que ficará para sempre no google e marcará a o tal Suso Sanmartim (a quem nom conheço pessoalmente, mas sei quem é) no seu ámbito.

Se há machismo e proporcionalidade entre os factos denunciados e o castigo, assino sem pensá-lo duas vezes.

Nota: era bom esclarecerdes publicamente, já que poderíades ganhar muitos mais apoios… se se dam essas duas cousas, claro. Entretanto, “yo sólo sé que había nieve".

----- COMMENT: AUTHOR: Xose [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 17:39:08 +0000 URL:

Suso, e logo por que borraches o comentario do blogue? Caían sobre a túa conciencia as ameazas? Non che viña ben ao conto?

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 14:58:37 +0000 URL:

Na internet usar maiúsculas é entendido como berrar. Por muito que berredes nom ides convencer a ninguém mais.

Parvas eu dúvido muito que sejam as assinates mas, porquê se quitou a referência aos feitos em que se basea a suposta agressom no comunicado que se passou a assinar e só se deixou esta frase “Este homem agrediu-a invadindo o seu espaço e burlando-se dela"?

A mim si me passam a assinar algo assim e som mulher envolvida no feminismo, nom vou duvidar em nenhum momento do que lá se di. Por suposto que muitas das assinantes o figerom de boa fe e por esse sentido nato que vos une que ás vezes confunde-se com certo ?corporativismo?.

Mas ainda espero lêr que é o que figera o Suso no bar emblemático além do que contam ambas partes coincidentes e colo o que di a agredida: “Este suxeito interrompeume colléndome como se collen as cousas que son túas (con determinación) supoño eu que para bailar conmigo. Cando o evitei e respostei á invasión do meu espazo, o tal Suso Sanmartín mofouse, riu e pasou do tema cunha facilidade de todo desquiciante".

Juro-o eu sego a ver só umha montagem. Por certo tam mal montada que nenhum medio alternativo dignou-se a dar-lhe pulo ao 1º comunicado e nom me venhades agora com que somos todos machistas.

Ou é que somos tam parvas como para nom publicar algo assim que pom a feder a um membro de Compostela Aberta, no governo da cidade e se o acontecido fora como parece que vos empenhades em crêr algumhas feministas?.

Se vos saiu o tiro pola culata, por algo será.

Edu (colabourador da revista anarquista Abordaxe)

----- COMMENT: AUTHOR: Mlo [Visitante] DATE: Mon, 27 Jul 2015 06:53:34 +0000 URL:

Vestir de feminismo umha pataleta porque o Suso nom entrou a umha provocaçom tua, Anonima Zorra, fai-lhe mal ao Feminismo e à Esquerda. Felizmente, só a leitura do comunicado (o da Zorra, nom o do Suso) já deixa às claras o que já por trás de toda a vossa campanha. Força ao Suso

----- COMMENT: AUTHOR: Álex [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 22:21:42 +0000 URL:

Mira Suso e amighas de…se a mim me passa isso,que ja me passou..nom só o feito(ti nom sabes a nossa historia..e se ja fumos agredidas tantas vezes que nom aghuentamos uma máis?…sabes o que é ser mulher neste mundo? tamém o saberás,co listo e marxista transgressor que es,ou é que como sou galega tenho que ter esse “contacto físico” que ti decidiches sem nem contato visual prévio,"normalizado"?E se che agharro da pirola,e tiro forte e te digho que na minha aldeia é assim e que nom passa nada?E porque nom “convidas a bailar” a um do teu tamanho e “formas"..ighoal che parte a cara,é o que vos mola,nom? EU NOM QUERO QUE ME TOQUES NEM DE LONGE!!),senóm a burla e condescendencia e ameaças posteriores…admitidas,por outra banda… juro-te que se me pilhas de boas o mínimo é um ostióm,listo e culto agressor…más que ganho eu com isso? aparte de entrar no teu jogho violento,e sentir-me uma merda depois?..que ja me passou..e malheira por ser máis débil tamém..)Ou é que temos de esperar ás palizas ou ó assasinato para que depois nos digham pobrinhas,nom se defedenram e mira.. COM O FÁCIL QUE SERÍA DESCULPAR-TE SEM MÁIS E PENSAR…
Por outra banda,NOM SERÁ QUE TOOODAS NOS RECONHECEMOS UM BOCADO NA FIGHURA DO AGRESSOR POIS NINGHÉM NOS LIBRAMOS,SENHORXS!! E DÁ UM BOCADO DE CANGHELO RECONHECER OS PRÓPIOS ERROS E MUDAR..EU TAMBÉM FUI AGRESSORA E ASUMÍ AS CONSECUENCIAS E ADMITÍ MEU ERRO SEM MÁIS E CRESCÍ COMO PESSOA…E SIGHO-ME EQUIVOCANDO E SIGHO RE-FAZENDO-ME DIA A DIA…CUSTA,CLARO QUE CUSTA..O EGO EXACERBADO,O SENTIDO DO HONOR PÚBLICO,POIS ESTÁ CLARO QUE O RESTO CHE IMPORTA TRES CARAJOS É O NOSSO MAIOR INIMIGHO…O PERSONAL É POLÍTICO…E O PRIVADO PARA NÓS JA NOM EXISTE
NÓS NOM FUMOS AS QUE ACUDIMOS Ó PAPAI ESTADO ESPANHOL EM PROCURA DE PROTEÇCOM…NÓS,ELA VALENTE!,ATUAMOS PEDINDO-T EXPLICAÇOMS PRIMEIRO A TI E LOGHO ÁS NOSSAS(ÁS QUE SUPOSTAMENTE DE ESQUERDAS E ANARCAS SE AUTODEFINEM TAMÉM COMA FEMINISTAS)E NOM LHE TIRES A AUTONOMÍA A QUEM SI RESPOSTOU,SERÁ POR ALGHO,NOM CHANTAJEAMOS NIMGHEM,O DEBATE ESTÁ ABERTO,HÁ TRIBUS NO MUNDO ONDE TUDO SE RESOLVE EM RONDA,ENTRE AS PRÓPIAS INTEGRANTES…NOM VÁO A CHIVAR-SE Ó PRÓPIO NÚCLEO DO IMPERIO,O PAPAI,Ó DIRETOR…PARA QUE NOS CASTIGUE POR DEFENDER-NOS…QUE CLASE DE REVOLUÇOM É A QUE NOM TEM CONTA DOS COIDADOS ENTRE NÓS?…BOENO,TU PARA MIM JA NOM ES DOS NOSSOS CHAVAL FEO E SIM,TES DOTES LITERÁRIAS!..ESCREVE,ESCREVE…BEIJOADA LILÁ DE VULPE CADELA CANICUS OU O QUE CHE PETE!

----- COMMENT: AUTHOR: Aine [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 16:09:54 +0000 URL:

EN SERIO ALGUÉN PENSA QUE A DENUNCIA SE FIXO POR CONVIDAR A BAILAR A UNHA MOZA? ASÍ DE SIMPLE? CONVIDAR A BAILAR NON É UNHA AGRESIÓN, MÁIS O SUSO NON FIXO TAL. ABRAMOS AS MENTES. CREDES QUE AS PERSOAS QUE PUBLICAN OS SEUS NOMES SON TAN PARVAS COMO PARA METERSE EN ALGO ASÍ NO CASO DE QUE O ACONTECIDO FORA COMO PARECE QUE VOS EMPEÑADES EN CRER? ESTAMOS A TOLEAR OU QUE? PENSEMOS MÁIS BEN EN POR QUE SEGUEN A PASARSE POR ALTO AS AGRESIÓNS MACHISTAS DENTRO DA ESQUERDA POR MEDO A ADMITIR DE QUE ESTAMOS FEITOS/AS. INSULTAR A UNHA MULLER AGREDIDA E A OUTRAS QUE A APOIARON ALZANDO A VOZ E ATREVÉNDOSE A DAR UN PASO SABENDO O DURO QUE ÍA SER, CARECE DE SENTIDO. ABRAMOS ESPAZOS. DEBATAMOS. PENSEMOS. MUDEMOS. TRISTEZA LER TANTA PATOCHADA, PERO SABER QUE ESAS MULLERES FORTES EXISTEN DAME ESPERANZA.

----- COMMENT: AUTHOR: Andre [Visitante] DATE: Sun, 26 Jul 2015 15:55:09 +0000 URL:

Se por cada vez que unha persoa sacase a bailar sen acordo previo a outra no contexto dunha noite compostelán saíse un manifesto e unha condea pública no noso idioma a presenza do galego na rede tería unha significación e unha presenza case equivalente á que ten o castelán. Denunciade!! A xente en vez de atesourar con fachenda contactos de facebook presumiría de denuncias publicas, que iso si que ten chicha e viste curriculos.
O Galego precisa de nós!

----- COMMENT: AUTHOR: suso [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 17:14:44 +0000 URL: http://angueiradesuso.agal-gz.org

Nom sei de que caste ameaças falas, Maria. Poderias explicar-te melhor? Obrigado.

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 10:55:10 +0000 URL:

está claro que cada quem tem o seu parescer, e cada quem conta como lhe foi na feira; mas se fosse eu o “agressor dançom” em troques do suso, tamém me revoltaria como um tolo ao lêr tal ato de fé inquisitorial por convidar umha moça a bailar mesmo até faria coisas das que depois poida que me teria arrependido. Mas isto fede a caça de brujas (ou brujos mais bem).

Eu som moi partidário de tratar o tema dos abusos nos movimentos sociais; mas mal começamos se esta campanha orquestrada pretende ser o ponto de início desse debate entre todas e todos. Igual as desculpas tinham que vir da outra banda.

Ah! e eu nom fum esse dia á feira.

Edu

----- COMMENT: AUTHOR: María [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 10:45:02 +0000 URL:

Cóntao todo. Se te desculparas e non amenazaras (de m¡forma privada) outro galo cantaría.

----- COMMENT: AUTHOR: edu [Visitante] DATE: Sat, 25 Jul 2015 09:40:55 +0000 URL: https://abordaxe.wordpress.com/2015/07/23/cando-abusamos-do-abuso-machista/

Se bem nom concordo, como bem sabes, Suso, com a tua decissom de apresentar denúncia nos julgados, acho que ambos comunicados denigram a luta feminista; é mais ao considerar os feitos como umha agressom machista estám a minusvalorar o conceito de agressom e de ai que agora a merda lhes venha de volta. bks e ánimos!! Amanhá podo ser eu quem me convirte num agressor por ponher olhinhos a qualquer moça (ou moço)!! Estám a censurar o mais natural achegamento intersexual, quê será o seguinte??

ánimos meu!!

Vos convido a lêr este texto.

https://abordaxe.wordpress.com/2015/07/23/cando-abusamos-do-abuso-machista/

----- COMMENT: AUTHOR: Maria Castelo [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 22:59:31 +0000 URL:

Fraco favor fai esta malta ao feminismo, e muito menos às mulheres. Fraco favor fazemos quando pedimos exceções juridicas tão graves como banir a presunção de inocência, a carga da prova, o dereito a se defender e a ter duas verssões dos factos. Fraco favor faz em geral, este feminismo que nos converte a todas em vitimas por decreto, que não acredita quando dizes nunca te teres sentido violentada nem agredida, quando pretende que a mulher vire num ser indefenso que necessita da tutela judicial, politica e policial para tudo. Fraco favor faz a ninguém o maniqueismo do linchamento público, o pretender criar bandos em que escudar um revanchismo privado, inventando um delito onde não há e exacerbando uma questão trivial até pôr a média sociedade no molho, confundindo uma atitude que a interessada pode entender como mais ou menos educada com uma agressão. Com estas atitudes perdemos todas.
Até onde os meus conhecimentos juridicos alcançam, ser um “baboso", um basto, um maleducado, um incordio, no reino da Espanha, ainda não é delito, nem pode se aplicar, por analogia, a um comportamento violento, agressor nem muito menos machista.

----- COMMENT: AUTHOR: G. [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 22:17:48 +0000 URL:

Mais por deformação profissional do que por outra cousa, aborreço o que se chama «presunção de veracidade». Teoricamente, só é aplicável a determinados funcionários públicos, designadamente os «cuerpos y fuerzas de seguridad del Estado».

Mas parece que há quem pretende exercer para si o dito privilégio, que parece mais próprio de determinado tipo de regimes, especialmente esses que chefia(va)m tipos com bigodes simpáticos que odeia(va)m que a gente pense por si própria. «Mas como ousas pensar? Não che estou a dizer que é ‘assim’ e não ‘assado’?».

Pensemos, (alvíssaras!), pensemos.

Leiamos entre linhas.

Pensemos, pensemos.

Façamos as seis perguntas básicas do jornalismo.

Pensemos, pensemos.

Procuremos o contexto. Percebamos o contexto.

Pensemos, pensemos.

Pensemos se estamos diante de um todo com sentido próprio ou se falta algo. Se falta algo, procuremo-lo.

Pensemos, pensemos.

Pensemos, CONA/CARALHO/REI, pensemos!!!!

----- COMMENT: AUTHOR: Silvia Ribas Ribas [Visitante] DATE: Fri, 24 Jul 2015 21:13:54 +0000 URL:

Incribel e resulta que despois vas denunciar umha agressom certa e olham para uma como se fosse uma cannis lupus……. beijos e anmo

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Mais Amália BASENAME: mais-amalia DATE: Wed, 22 Jul 2015 18:37:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


http://www.amalia.com/_imagens/ani/amaliaolhos.gif

AMÁLIA em Cartago (Tunísia) em 1972:

AMÁLIA canta "Vitti 'na crozza" (canção popular siciliana) em Roma em 1973:

Homenagem ao Max, no Funchal, em 1978:

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Tempos compostos BASENAME: title-799 DATE: Wed, 22 Jul 2015 12:35:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Morfossintaxe CATEGORY: TAGS: , , , , presente do indicativo, ----- BODY:

CONSULTA

Olá! Desejo saber se existem tempos verbais compostos em galego, como existem em português. É estranho ver no paradigma verbal do galego oficial não aparecerem tempos como o pretérito perfeito (tenho cantado) ou o condicional composto (teria cantado). Assumindo que vocês utilizam o mais-que-perfeito simples (eu cantara), como exprimem os outros tempos? Trata-se duma menor riqueza verbal do galego face ao português? (Isso não seria nenhuma tragédia; há línguas românicas que têm simplificado muito o seu sistema verbal, por exemplo o francês e o romeno). No caso de vocês utilizarem tempos compostos, gostaria de saber que verbo utilizam como auxiliar (ter ou haver) e em que tipo de frases. Agradeceria muito me resolverem a minha dúvida.

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

Antes de mais, diga-se que para nós nom se trata de umha questom de gramática do galego face «ao português», mas antes de umha questom gramatical da variedade galega (do galego-português) em comparaçom com a variedade lusitana e com a variedade brasileira. Diga-se também à partida que a Comissom Lingüística da AGAL ainda nom se tem pronunciado de forma explícita e específica sobre a codificaçom gramatical ou morfossintática da variedade galega do galego-português (como si o tem feito nos campos da ortografia, da morfologia, do léxico), embora sim podamos oferecer agora umhas orientaçons gerais sobre a matéria por que se interessa o nosso consulente.
A resposta da CL-AGAL à questom posta é simples: se bem que no galego espontáneo, popular (multissecularmente sujeito a estagnaçom e erosom expressivas), os tempos verbais compostos, também designáveis como perífrases verbais aspetuais de estrutura «ter + particípio», sejam raros, a língua formal, culta, deve incorporá-los abertamente, conforme o modelo luso-brasileiro, para enriquecer a sua expressividade. Nomeadamente, polo que di respeito aos seguintes valores (consultem-se, a este respeito, as pág. 495?500 da segunda ediçom do Manual de Galego Científico, de Garrido e Riera [2011]):

? Perífrase aspetual perfectivo-reiterativa e atualizadora (de estrutura «ter [como presente do indicativo] + particípio»): «A nossa equipa de investigaçom tem feito a experiência com diversos animais de laboratório sem obter qualquer resultado significativo.»; «Como tés estado? Tenho estado muito mal, tenho estado doente.»

? Perífrase aspetual (puramente) perfectiva «ter + particípio»: «É curioso que nom tenham sido descobertos mais depósitos»; «Pensa-se terem sido os orientais os primeiros povos verdadeiramente entendidos na confeçom de medicamentos.».

Apenas duas restriçons, nom absolutas, à incorporaçom destes tempos verbais compostos, ou perífrases verbais aspetuais, ao galego formal: a) pola grande vitalidade e expressividade que mostra em galego o pretérito mais-que-perfeito (eu cantara), poderá limitar-se ou evitar-se na nossa variedade lingüística o uso da perífrase aspetual perfectiva «ter + particípio» em que o auxiliar surge em pretérito imperfeito. Assim, enunciados lusitanos ou brasileiros do tipo «Nunca antes tinha assistido a um congresso de Geofísica», em galego estám bem formulados, também na língua formal, com enunciados do tipo «Nunca antes assistira a um congresso de Geofísica»; b) a perífrase aspetual perfectiva pode construir-se em lusitano e em brasileiro com o auxiliar haver, em vez de ter, possibilidade realizada com certa freqüência na expressom formal; em galego, polo risco de tal proceder ficar associado a umha castelhanizaçom expressiva, recomendamos limitar ao mínimo, e sempre dentro da língua mais formal ou literária, essa possibilidade.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: A voltas coas touradas: nem Sárria nem Triacastela. BASENAME: a-voltas-coas-touradas-nem-sarria-nem-triacastela DATE: Tue, 21 Jul 2015 12:56:12 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este ano coas eleiçons municipais de por médio os do PP de Sárria nom se animarom a apoiar à organizaçom da tourada ficando sozinhos os empresários taurinos desta vila.Sem o apoio económico do concelho (agora já nom governa o PP) era seguro que nom iam fazer as touradas.
Contudo nom serve só justificar-se em razons económicas e cumpre que os concelhos se declarem livres de touradas. Isto estamos a comprova-lo agora quando sem duvidar um momento tratam de deslocar o "espectáculo" face algum concelho do PP próximo. Triacastela pode ser o empraçamento escolhido e semelha que Manuel Sangil (concelheiro do PP em Sárria e empresário taurino)andivo por Triacastela a reunir-se coa alcaldesa Olga Iglesias. Estám a falar de 22 e 23 de agosto como datas possíveis para a tourada. De momento já há umha iniciativa na rede que leva recolhidas mais de duas mil sinaturas.

Devemos pressionar e reinvindicar para que a sua "Festa Nacional" nom contínue em nengum lugar.Declaremos Galiza livre de touradas.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Dia da Pátria na Fundaçom Artábria BASENAME: title-798 DATE: Mon, 20 Jul 2015 22:05:27 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Palestras e debates CATEGORY: Movimentos sociais TAGS: ----- BODY:

Na quinta-feira, 23 de julho, decorrerá no nosso Centro Social a festa do Dia da Pátria, que terá lugar o próximo 25 de julho.
Dentro das atividades programadas para este dia, além dumha grelhada popular, contaremos com umha palestra internacionalista que trazerá a realidade dos Països Cataláns a Ferrol.

Na palestra, que dará início às 19.30hs, intervirám Simón Vázquez, membro de Endavant (OSAN) e Maria Plana, Porta-voz de Som Països Catalans.

Aproveitamos para informar-vos que o nosso Centro Social permanecerá fechado os próximos 24 e 25 de julho, Dia da Pátria.

A Fundaçom Artábria trabalha para que o nosso país esteja no lugar que lhe corresponde no espaço europeu e aportamos o nosso pequeno grao de areia na construçom nacional da Galiza, é por isso que apelamos a:

1.- Secundar ativamente todas aquelas iniciativas patrióticas promovidas nos próximos dias ao longo da Naçom que reclamem a soberania e a independência nacional da Galiza.

2.- Pendurar nas varandas, janelas, fachadas de casas e vivendas da nossa base social a bandeira da Galiza.

----- COMMENT: AUTHOR: Laura [Visitante] DATE: Mon, 05 Oct 2015 12:38:57 +0000 URL:

Me gustaría saber q días son los q impartis clases de zumba para niños.
Podrías poner los dias q corresponden a cada actividad, gracias.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Mais fado pechincha BASENAME: mais-fado-pechincha DATE: Mon, 20 Jul 2015 10:33:49 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

CARLOS ZEL

JOANA AMENDOEIRA (Fado de outrora)

CARMINHO (Uma vida noutra vida)

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: As simulaçons ideológicas de Francisco I, monarca vaticano BASENAME: canta-o-merlo-as-simulacons-ideologicas-de-francisco-i-monarca-vaticano DATE: Sun, 19 Jul 2015 09:03:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

As simulaçons ideológicas do papa Francisco

Maciek Wisniewski*

http://www.jornada.unam.mx/2014/11/07/opinion/030a2pol

Aposto que nem os spin-doctors do Vaticano imaginavam-se que o seu re-branding ia ser tam bem sucedido. Que em pouco tempo converteriam a Jorge Mário Bergondo, conservador próximo dos sectores mais reaccionários da Igreja argentina durante a dictadura, que punha paus na roda do progressismo kirchnerista, num líder mundial de esquerda.

Mas iam de vento em popa. Qualquer conservador sensível "como Bergoglio", em comparaçom com os ultraconservadores-trogloditas que dominam na Igreja post wojtyliana, parece um progressista.

Num mundo onde o centro da política moveu-se (muito) à direita, qualquer que diga algo sobre a pobreza e a injustiça já é marxista e/ou comunista (o mesmo passa com as desigualdades e o seu combate: vende-se-nos como umha demanda revolucionária; em realidade é muito conservadora).

Num mundo onde a crítica escasseia, qualquer que critique ao capitalismo tem hipótese de parecer messias de esquerda.

O truque da operaçom Francisco é que em muita parte o trabalho fazia-se só.

Isso nom quer dizer que Bergoglio nom pusesse a sua parte: despregou e manejou (quase) à perfeiçom todo o arsenal de gestos e mensagens "adrede" ambígüos; coqueteou e seduziu a círculos progressistas dentro e fora da Igreja.

Mas, se um punha atençom, em cada escintileo das suas simulaçons ideológicas viam-se, como umha sombra, o seu passado e presente conservador, e igualmente conservadores princípios reitores do seu papado:

a) Disciplina,
b) Hegemonia,
c) Cooptaçom
d) Neutralizaçom.

Velaquí alguns dos momentos "e assuntos" mais sintomáticos:

" Francisco rejeita as acusaçons da direita estadunidense de ser um marxista trás a sua crítica ligeira ao capitalismo em Evangelli Gaudium (os mesmos círculos que dizem que o debate sobre as desigualdades é comunista, enquanto é... procapitalista): A ideologia marxista está equivocada, mas conhecim a muitos marxistas boas pessoas e nom me ofendo (Página/12, 16/12/13).

Nom? Ok. Entom deveriam se ofender os marxistas.

Mas o mais problemático desta chiscadela à esquerda "fora da sua opiniom que o marxismo está equivocado (nom será um retrocesso a respeito de Joám Paulo II, que em Laborem execens dizia que este é perigoso, mas contém grao de verdade")" é a ligeireza com que Bergoglio joga "hoje" com este termo.

E ?ontem" Estivo perto das hierarquias que temiam que se fracassava a ditadura vinha o marxismo (sic). Castigava aos curas ?villeros? que o punham em prática. Aos cregos Yorio e Jalics tachou-nos de esquerdistas, entregando aos militares (digam digam-no hoje os embelecedores da sua biografia). Seguro nom se ofendêrom, mas quase perdêrom a vida.

Horacio Verbitsky: ?Hoje estes som assuntos teóricos opináveis, como o debate sobre marxismo ou a teologia da libertaçom que Bergoglio reavivou. Mas naqueles anos era questom de vida ou morte? (Página/12, 16/3/14).

" O tema da reabilitaçom da teologia da libertaçom por Francisco merece análise aparte; aqui, só dous pontos:

" Se há umha pedra de toque do sucesso das suas simulaçons é a existência de quem hoje acham que ele sempre estivo influenciado por ela, só se escondia; por outra parte, se por influência percebe-se que se lhe opunha ferozmente (vinde: o seu ?preito? com Pedro Arrupe), pois sim, estivo muito influenciado.

1. " Segue actual a análise histórica de Michael Löwy que o localizava nas antípodas desta corrente (Lê Monde, 30/3/13); os últimos meses confirmárom-no: contrariamente à teologia da libertaçom, ele opta nom polo empoderamiento dos pobres, senom o seu tutelagem ignora os seus predicamentos mais radicais, coopta o seu potencial e neutraliza o mais subversivo.

" O Papa contesta a quem o acusam de ser um Papa comunista e/ou falar como Lenine (sic!): Eu só digo que os comunistas nos roubárom a bandeira da pobreza (A Jornada, 30/6/14).

É algo que diria um colega em armas, ou um rival político de esquerda que luta pola hegemonia entre os pobres" nom será este a cerna do bonapartismo neofranciscano"

1. " O Papa durante o encontro com os movimentos populares (Vaticano, 27-29/10/14), parafraseando a Hélder Câmara: Se pedo ajudar aos pobres, dizem que som comunista (Telesur, 28/10/14).

Löwy também lembrava aquela passagem canónico (Se dou pam a um pobre, dim-me que som um santo; quando pergunto por que a gente é pobre, chamam-me comunista), mas para salientar que Bergoglio ajuda e nom fai perguntas incómodas (até a sua paráfrasis ficou curta...).

No seu enfoque nom há classe oprimida e classe opressora (algo que sim identifica a teologia da libertaçom); para ele, isso nom importa: só há que trabalhar juntos polo bem de todos.

Neste sentido é excessivo o entusiasmo de Ignacio Ramonet, que trás o encontro "ao que assistiu Evo Morais como líder cocalero" aplaudia o grande valor do Papa e o seu novo rol histórico como embandeirado solidário das luitas dos pobres do mundo (Rebelión, 30/10/14).

E mais se lembramos a análise de Rubem Dri, ex-cura terceiro-mundista: Para Bergoglio o verdadeiro rival som os governos progressistas. Mas ele sabe que nom pode chocar frontalmente com eles. Tem que actuar de maneira inteligente, desde abaixo, entre os movimentos populares (Krytyka Polityczna, 1/2/14).

Assim, aquele encontro concreta-se mais bem como a mais grande, até agora, simulaçom de Francisco. O seu acostumam é cooptar, nom cooperar; neutralizar, nom impulsar; disciplinar e meter os movimentos e governos progressistas ao seu curro.
Estes nom devem ignorar as mudanças no Vaticano, mas também nom querer subir ao papa-móvil.

Nem deixar-lhe a Bergoglio a tam almejada bandeira da pobreza (e se alguém sente confusom, que lembre a sua história).

Quando estalou a crise, Reinhard Marx, bispo de... Tréveris, aproveitando o apelido tirou um livro intitulado, claro, Das Kapital (2008) "ao que parece Piketty nom foi primeiro...", com um vago chamado a reformas.

Foi um sucesso mediático. nom de casualidade, continuando a simulaçom, o Papa incorporou-o ao seu grupo de cardeais e conselho de economia.

Confundir a Francisco com a esquerda é como confundir a Reinhard com Karl Marx.

* Jornalista polonês

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Intervençom independentista catalá BASENAME: intervencom-independentista-catala DATE: Fri, 17 Jul 2015 19:59:39 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Achegando-nos ao nosso Dia da Pátria, achegamo-nos também dum outro projeto emancipador nacional, social e de gênero. O representado pola esquerda independentista dos Països Catalans.

Na quarta-feira 22 estarám connosco a porta-voz de Som Països Catalans e um militante de Endavant (OSAN) para atender às nossas inquietudes e dúvidas sobre o trilhado assunto catalám.

Para nós, um prazer receber este companheiro e companheira e escuitar a sua experiência.

A partir das 20h30, passa-te a escuitá-l@s em primeira pessoa!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Mesa redonda: situaçom política em Euskal Herria. BASENAME: mesa-redonda-situacom-politica-em-euskal-herria DATE: Thu, 16 Jul 2015 11:58:26 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este domingo às 19h00 no centro social.Organiza Ceivar. Mais info

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Minicurso de verao: TEATRO EXPRESS BASENAME: minicurso-de-verao-teatro-express DATE: Thu, 16 Jul 2015 10:06:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No verao nom paramos. Adelaida Vidal oferece, num horário a determinar polo alunado, um curso de teatro baseado na preparaçom dumha obra de 10 minutos de duraçom. Como? Em 120 minutos dará-vos as chaves para idear, desenvolver e interpretar umha peça dramática.

O custo da inscriçom é de 10?, e haverá grupos para alunado adulto e alunado infantil, dependendo do número de pessoas inscritas. Para o início do curso precisa-se de entre 5 e 10 pessoas (adultas ou nen@s) por grupo.

Os cursos desenvolverám-se no nosso local na Rua Marcóni.

Podedes anotar-vos escrevendo para gomesgaioso@gmail.com ou ligando para a companheira Aida no telefone 606 101 251

A atuar!

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: O acordo repugnante com o IV Reich BASENAME: canta-o-merlo-grecia-o-acordo-repugnante-com-o-iv-reich DATE: Tue, 14 Jul 2015 10:44:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O ACORDO REPUGNANTE COM A UE
http://resistir.info/

O acordo alcançado in extremis na madrugada de 13 de Julho é uma demonstração flagrante de que a UE nada mais tem a oferecer aos povos europeus. Ele assinala o começo do fim do euro, que arrastará a prazo o da UE. O acordo é de cumprimento impossivel, como assinalou o ex-ministro Varoufakis. Ele nem sequer contempla o problema fundamental da Grécia, a sua dívida externa impagável adquirida em condições odiosas. Ao aceitá-lo o governo SYRIZA-ANEL submeteu-se a condições mais extorsivas e humilhantes do que se o país tivesse sido derrotado numa guerra militar. As exigências do Eurogrupo fôrom inimagináveis, feitas aparentemente para serem recusadas ? mas o governo do sr. Tsipras aceitou. Um tal governo já perdeu toda e qualquer legitimidade ? terá de ser derrubado pelo povo grego.O texto (integral?) deste acordo infame pode ser visto aqui .

http://www.infogrecia.net/wp-content/uploads/2015/07/acordo12julho.pdf

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Os comunistas portugueses pedem um referendo para tirar ao país do euro e nacionalizar a banca BASENAME: canta-o-merlo-os-comunistas-portugueses-pedem-um-referendo-para-tirar-ao-pais-do-euro-e-nacionalizar-a-banca DATE: Tue, 14 Jul 2015 10:38:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Os comunistas portugueses pedem um referendo para tirar ao país do euro e nacionalizar a banca

http://www.elespiadigital.com/

Os cartazes que reclamam umha hipotética saída do euro podem verse nas ruas de Lisboa e O Porto desde há semanas, mas é agora quando o Partido Comunista de Portugal aproveita a conjuntura gerada polo desafio grego para incluir semelhante proposta no seu programa eleitoral para as eleições gerais de Outubro.

O secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, pretende encabeçar um movimento de contestaçom à política actual do Governo de Passos Coelho reclamando um referendo no país vizinho para decidir o retorno à moeda anterior, o escudo.

Na sua opiniom, a Uniom Europeia, o IV Reich, impede o desenvolvimento de Portugal com as suas estritas receitas financeiras, ainda que nom se necessitou um segundo resgate e os prazos de devoluçom de interesses ao Fundo Monetário Internacional estám a se cumprir.

De Sousa considera que a UE é um bloco sem coesom, senom que a maioria dos membros (especialmente, os do sul do continente) limita-se a obedecer a Berlim e Bruxelas.

«O povo português tem direito a sortear esses obstáculos e condicionantes para disociar a questom do euro da integraçom. De momento, estas políticas só nos levam ao empobrecimento, assim que talvez chegou a hora de escutar aos cidadaos», manifestou a cabeça visível do PCP trás a sua reeleiçom como secretário geral o passado fim-de-semana.

O seu objectivo nom é outro que «estudar e preparar a libertaçom de Portugal da submissom ao euro porque representa a degradaçom do aparelho produtivo».

Em qualquer caso, o eventual abandono da moeda única deve basear-se em «o a respeito da vontade popular e umha cuidadosa preparaçom:, ademais da defesa dos salários e das poupanças, dos níveis de vida e dos direitos dos trabalhadores».

Como novas medidas, os comunistas solicitam o regresso ao controlo público da banca e, a partir de 2016, elevar o salário mínimo de 505 a 600 euros.

Amparam na situaçom da Grécia para proclamar que a sua posiçom é «absolutamente justa» e para assegurar de forma categórica: «O euro está vigente em Portugal desde o 1 de Janeiro de 2002 e, desde entom, ficou claro que esta adesom só pode qualificar-se como um grande erro político e financeiro».

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Na Chaira em irmandade. BASENAME: na-chaira-em-irmandade DATE: Mon, 13 Jul 2015 07:31:30 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Poema lido no carvalho de Luxis logo do jantar de irmandade o passado sábado na Chaira.

MANUEL MARIA
A nosa Historia cabe
en poucas páxinas:
o sangue vertido no Medulio,
as revoltas Irmandiñas,
Pardo de Cela,
a voz dos Precursores ardendo
en luminosa profecía:
Faraldo, Brañas, Rosalía,
Curros,Pondal,
os Mártires de Carral,
Vilar Ponte, Cabanillas,
Alexandre Bóveda,
Castelao de Rianxo,
a ringleira sen fin
dos emigrados?
Ao lembrar a nosa Historia verdadeira
todo o noso ser
se pon en pé,
a nosa conciencia
esperta alporecida,
ferve o noso sangue,
latexa máis forte o noso corazón,
sentimos a forza das raigañas
que nos xunguen á terra
ie ao seu sino;
escoitamos como
a voz do vento nos relata
os feitos memorábeis,
esquecidos adrede
nos manuais ao uso.
As árbores, os camiños,
os penedos, os ríos, os cruceiros
gardan a lembranza
daquelo que nunca
poderemos esquecer
porque é o que
nos fai sentir pobo
e nos empuxa cara un futuro
que temos que facer.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Fulmar BASENAME: title-797 DATE: Thu, 09 Jul 2015 10:30:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: TAGS: aves, fulmarus, pardela, , pombalete, ----- BODY:
Fulmar-boreal, também conhecido por pardela-branca e pombalete nalguns pontos da Galiza e Portugal respetivamente

CONSULTA

Em galego-português usa-se às vezes a forma fulmar, com origem no inglês (a partir de falas nórdicas das ilhas Hébridas), para designar umha ave marinha que nom cria na Galiza mas que é comum no Gram-Sol. Recentemente o português recuperou a voz pombalete, usada em documentos dos bacalhoeiros na Terranova. Em galego conhece-se a denominaçom pardela-branca em vários portos da costa Norte. Qual deveria ser a voz recomendada na norma galega (no Brasil a espécie similar é chamada pardelão-prateado). Obrigado!

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

As pardelas ou procelariídeos do género Fulmarus som, em larga medida, exóticos em relaçom ao território galego, pois a espécie meridional, Fulmarus glacialoides, nidifica em volta da Antártida ?embora faga incursons em latitudes mais setentrionais?, e a espécie setetrional, Fulmarus glacialis, nidifica em regions subárticas ?embora faga incursons em latitudes mais meridionais?, polo que a sua designaçom vernácula calha, em princípio, no ámbito da estagnaçom e da suplência castelhanizante padecidas polo léxico galego. A esse respeito, a informaçom fornecida polo consulente de em território galego (ocasionalmente visitado polo Fulmarus glacialis) se registar a denominaçom vernácula popular pardela-branca é deveras interessante, mas achamos que, pola escassa difusom desse nome na Galiza, e pola sua natureza popular (nom erudita), ela nom refuta o que se acaba de dizer, nem invalida a reflexom que a seguir se expom.
Para combatermos a estagnaçom e suplência castelhanizante padecidas polo léxico galego, procedemos, por via de regra, a coordenar o galego com as suas variedades lusitano e brasileiro. Assim, neste caso, vemos que tanto em lusitano como em brasileiro, como denominaçom vernácula das espécies do género Fulmarus, a soluçom mais estendida e tradicional (na bibliografia) é fulmar, de caráter erudito (incorporada ao galego-português a partir de umha língua nórdica através do inglês), e menos estendidas som as soluçons vernáculas populares pombalete (lusitana) e pardelão-prateado (brasileiro) (embora pombalete seja usado, em referência a Fulmarus glacialis, nalgum guia de aves editado em Portugal [o de Svensson, Mullarney e Zetterström], e pardelão-prateado, em relaçom a Fulmarus glacialoides, por exemplo, na Lista das aves do Brasil editada em 2014 polo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos).
Nestas circunstáncias, o mais aconselhável parece ser designarmos em galego as aves do género Fulmarus com a denominaçom vernácula (erudita) que é comúm aos ámbitos lusitano e brasileiro, que é neles mais tradicional (ainda hoje largamente utilizada em todo o tipo de publicaçons) e que harmoniza com as soluçons doutras línguas próximas (ingl. fulmar, fr. pétrel fulmar, cast. fulmar, cat. fulmar). Assim, portanto, em galego recomendamos utilizar as denominaçons vernáculas fulmar-boreal, para denotarmos Fulmarus glacialis, e fulmar-austral para Fulmarus glacialoides.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia debaixo de sítio BASENAME: canta-o-merlo-grecia-debaixo-de-sitio DATE: Wed, 08 Jul 2015 08:17:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

GRÉCIA DEBAIXO DE SÍTIO

http://resistir.info/

Em tempos medievais, quando um exército pretendia conquistar uma cidade bem amuralhada punha-a debaixo de cerco. Na impossibilidade ou dificuldade de um assalto frontal às suas muralhas, tentava assim vencê-la pela fome. É de suspeitar que as tentativas do governo grego de negociar deparem-se com essa táctica ? as delongas pós referendo do Eurogrupo sugerem isso. A Grécia está a míngua. As suas caixas multibanco já pouco dinheiro têm devido à sabotagem deliberada do BCE. Os recursos para importações são escassos. Assim, tudo indica que começou o cerco. O empréstimo imediato solicitado pelo governo está no vamos ver. Quanto à reestruturação da dívida, a Troika nem quer falar nisso. Trata-se, no fundo, de uma tentativa hipócrita de por a Grécia para fora da Eurozona sem o dizer explicitamente. Assim se vê a democracia deles. Por que quer a todo o custo o governo SYRIZA-ANEL manter-se na UE?

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Assembleia aberta 25 julho. BASENAME: assembleia-aberta-25-julho DATE: Wed, 08 Jul 2015 05:07:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Hoje quarta-feira 8 de julho às 21h00 no centro social haverá umha assembleia aberta para organizar o bloco independentista na manifestaçom unitária do Dia da Pátria Galega, sob a legenda Pola rutura democrática. Pola independência nacional.Mais info

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Rússia e China esperam a Grécia com os braços abertos BASENAME: canta-o-merlo-russia-e-china-esperam-a-grecia-com-os-bracos-abertos DATE: Tue, 07 Jul 2015 00:16:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

RÚSSIA E CHINA ESPERAM A GRÉCIA COM OS BRAÇOS ABERTOS

Por Manuel Freytas

O recente nom dos gregos a seguir suportando a USURA FINANCEIRA das potências centrais Europeias com Alemanha à frente precipitou umha situaçom de CRISE SEM PRECEDENTES da Uniom Europeia em diferentes frentes. E o triunfo do nom no referendo deste domingo detonou umha nova desvalorizaçom do euro e umha ALERTA VERMELHA dos mercados internacionais com umha baixa generalizada das bolsas a nível mundial.

O nom rotundo dos gregos (que triunfou por um 64 %) apontoa a posiçom da Grécia de nom PAGAR a sua dívida aos credores USURARIOS encabeçados por Alemanha e o FMI. E como efeito emergente o triunfo do nom pom a Grécia ao bordo de abandonar o euro e SAIR DA Uniom Europeia.

Também poderia declarar umha gigantesca falta de pagamento da sua dívida nas próximas semanas. De concretizar-se esta decisom, o bloco imperial EEUU-Uniom Europeia-NATO .poderia enfrentar a sua pior CRISE HISTÓRICA em directo benefício do eixo estratégico Rússia-China ao qual se INTEGRARIA a GRÉCIA se rompe com a UE. "umha Grécia despedaçada poderia voltar-se para Rússia em busca de apoio. A mudança, os helenos poderiam vetar a próxima enxurrada de sançons da UE contra Moscovo, ou mesmo oferecer-lhe as instalaçons navais que no seu dia empregaram os EEUU", assinala a agência Reuters.

No seu PIOR cenário, a possível saída da Grécia do euro e da Uniom Europeia pode potenciar três EFEITOS simultâneos:
A) Desintegraçom e dissoluçom política, económica e financeira da Uniom Europeia,
&amp;#66;&amp;#41; EFEITO CONTÁGIO a outros países, principalmente as ex naçons soviéticas do Europa do Leste, as vítimas mais vulneráveis da espoliaçom capitalista das potências centrais Europeias,
C) EFEITO DE Dissoluçom geopolítico e militar sobre a aliança EEUU-Uniom Europeia com a possível saída da NATO de países ex soviéticos que sigam o exemplo da Grécia.

Este quadro de situaçom poderia gerar umha CRISE MORTAL da estratégia geopolítica e militar da aliança USA NATO na Europa do Leste. E há umha razom de fundo que o explica. Todo o poderio do CERCO MILITAR NUCLEAR que o eixo USA NATO traçou por volta da Rússia, está em bases despregadas em ex repúblicas soviéticas que integram o dispositivo da Aliança imperial.

Por sua vez, e como resultante do nom deste domingo, umha possível aliança da Grécia com Rússia e China em procura de AJUDA ECONÓMICA E FINANCEIRA, poderia precipitar umha CRISE SEM RETORNO da aliança EEUU-Uniom Europeia-NATO. E dar um emborco impensado nas relaçons de força da GUERRA INTERCAPITALISTA. E este quadro de situaçom fai com que hoje Rússia e China ESPEREM A GRÉCIA com os braços abertos.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: Acerca do referendo-relâmpago BASENAME: canta-o-merlo-grecia-acerca-do-referendo-relampago DATE: Mon, 06 Jul 2015 18:41:05 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Acerca do referendo-relâmpago
por Dimitris Koutsoumbas [*]

Saudamos as milhares de pessoas que seguiram o apelo do KKE a não ceder à chantagem. Saudamos em particular as eleitoras e eleitores que inseriram o boletim do KKE com a sua proposta de formulação da pergunta para o referendo feita no Parlamento mas bloqueada pelo governo. Com isso, o povo foi privado do direito de votar sobre esta proposta, foi-lhe retirada a possibilidade de poder escolher entre várias propostas.

Face à pergunta parcelar e contraditória do referendo-relâmpago, parte da população conseguiu evitar a confusão, dar uma primeira resposta com boletins nulos ou brancos, ao passo que um grande número de pessoas ficaram à margem deste voto, quanto mais não fosse por causa de dificuldades financeiras e dos custos demasiado elevados dos transportes para se deslocaram aos locais de votação.

Desde a decisão tomada de organizar o referendo, constatámos, com razão, que independentemente da questão do voto, não pode haver soluções alternativas, verdadeiramente positivas para o povo, no quadro da UE, das vias capitalistas, do reconhecimento das dívidas. Todas as outras forças políticas, tanto no campo do NÃO como no do SIM apresentam soluções incluídas neste quadro. Elas encontram-se todas a defender a necessidade de se conformar às regras da UE, a defender os interesses das partes do capital que elas representam respectivamente.

Dirigimo-nos particularmente às eleitoras e eleitores que hoje votaram pelo NÃO e acreditaram que poderiam assim ser posto um fim à política de austeridade, que poderiam resistir eficazmente às medidas mais duras e ao memorando. Apelamos a todos aqueles que hoje se sentem reforçados pela vitória do NÃO a não permanecerem passivos e a não validar a tentativa do governo de transformar este NÃO num SIM para novos acordos anti-populares. Nós lhes estendemos a mão para os combates que hão de vir contra o agravamento das suas condições de vida.

Paralelamente, dirigimo-nos também às eleitoras e aos eleitores que votaram SIM sob a pressão do seu empregador, sob o medo do encerramento dos bancos, com a ideia de proteger seu salário, pensão e algumas economias. Apelamos a que reflicta de novo no seu voto, a resistir a partir de hoje às chantagens, a não deslizar para direcções conservadoras e reaccionárias, a não trazer água ao moinho dos partidos anteriormente no governo.

O governo de coligação SYRIZA-ANEL não deve poder ousar utilizar o resultado do referendo para infligir ao nosso povo novos e pesados sacrifícios, novos memorandos válidos duradouros. Os acordos que o Sr. Tsipras prometeu assinar, na base da sua proposta de três dias atrás às "três instituições", ou seja, à Troika, conduzem, com uma precisão matemática, a um novo memorando ainda pior. Ele legitima assim os memorandos anteriores, inclusive as leis que os puseram em aplicação e, ainda mais grave: não hesita em conduzir o povo para uma verdadeira falência. A outra alternativa possível, de que a Troika falou, ou seja um caminho de saída do euro, representa igualmente uma opção que atingiria somente a classe operária e as outras camadas populares.

É mais urgente e necessário que o movimento e o povo retomem maciçamente a proposta do KKE de saída da crise. As condições prévias: a socialização dos monopólios, o desligamento da UE, a denúncia unilateral da dívida, o estabelecimento de uma planificação central científica para o desenvolvimento da sociedade, para o povo, com o povo realmente no poder. O KKE estará na primeira fila de todos os combates do nosso povo no período que está para vir. Continuaremos a reforçar o carácter anti-monopolista e anti-capitalista da luta, sua junção com o KKE.

Organizemos e preparemos a resistência, a disposição para resistir na eventualidade de novos desenvolvimentos negativos. Apoiemos os mais fracos, os desprezados. Organizemos iniciativas para ajudar as famílias das camadas populares a sobreviver, com comités de acção nos lugares de trabalho, nas empresas, nos hospitais, nos supermercados, nos escritórios, com comités populares nos bairros, com grupos de solidariedade e de entre-ajuda, com grupos e comités de controle.

Nossa resposta à tentativa de polarização e divisão do povo reside na unidade da classe operária, na difusão das posições de classe no movimento, no reforço da força popular. A proposta do KKE reúne a maioria do povo no presente e para o futuro, contra o verdadeiro inimigo, a UE, o capital e sua dominação.

Atenas, 5 de Julho de 2015
Resultados finais do referendo :
NÃO: 61,31% dos votos válidos
SIM: 38,69% dos votos válidos
Nulos: 5,046%
Brancos: 0,75%
taxa de participação: 62,5%

[*] Secretário-geral do CC do KKE.

A versão em francês encontra-se em www.solidarite-internationale-pcf.fr/...

Esta declaração encontra-se em http://resistir.info/ .
06/Jul/15

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: Ganhar a batalha, continuar a guerra BASENAME: canta-o-merlo-grecia-ganhar-a-batalha-continuar-a-guerra DATE: Sun, 05 Jul 2015 11:51:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://elterritoriodellince.blogspot.com.es/

Ganhar a batalha, continuar a guerra

Hoje é o dia. Hoje Grécia vota e comentei que apoio o "nom". Ocasional e consciente das circunstâncias. Há que lembrar a Protágoras quando dixo que "o homem é a medida de todas as cousas". Grécia está a optar entre o dilema de se o homem é sob medida de todas as cousas ou o é o dinheiro.

Syriza já nom tem ilusons, a gente já nom tem ilusons. Syriza é social-democrata e comportou-se como tal, aceitando todas e cada umha das propostas de "as instituiçons", antes chamadas Troika, ainda que com muito suaves matizaçons. Syriza nunca esteve disposta a jogar as duas grandes baças que tem, a saída do euro e a saída da NATO. A Troika sempre foi consciente disso, polo que actuou em conseqüência. O referendo nom é mais que a tentativa de legitimar "democraticamente" o acordo menos mau: optar entre a morte e a amputaçom. Syriza nom é que seja débil, que o é; é que elegeu ser débil, polo que agravou as dúvidas da populaçom grega.

O voto "nom" fai parte da batalha, umha batalha na que ocasionalmente há que estar junto a Syriza. Mas até aí. Se se ganha a batalha, de imediato há que continuar a guerra. Incluindo a Syriza.

Syriza poda que considere que se ganha o "nom" conta com o apoio incondicional do povo e fazer como quando um barco muda de rumo: aparentemente avança mas o que fai é traçar um círculo para voltar ao mesmo ponto onde decidiu mudar de rumo. Isso é o referendo. Syriza pode considerar, se ganha o "nom", que está legitimada para voltar onde estava quando decidiu aceitar todas e cada umha das propostas da Troika, ainda que matizando ligeiramente algumhas. Isso é o que há que impedir. Se se ganha a batalha, há que continuar para ganhar a guerra. E isso inclui combater contra Syriza e o que representa com mais coragem que até agora porque já se produziu umha derrota da Troika.

A UE tentou silenciar o relatório do FMI que reconhece que a dívida grega é impagável, que há que ir a umha tira que Syriza estabelece em 30%. É dizer, que é a própria Syriza a que estabelece o que há que pagar e o que nom, descarregando do peso da decisom a "as instituiçons". Syriza nom quer aproveitar um relatório demolidor "e haverá que analisar por que EEUU pressionou para que se conhecesse precisamente agora, antes do referendo, em contra do que pretendia a UE- para desacreditar ao FMI, ao Banco Central Europeu e à Comissom Europeia. Trás este relatório som entidades sem credibilidade algumha, se é que tinham algumha. Mas Syriza sai no seu defesa estabelecendo um tope para tira-a, a terceira parte. Só a terceira parte.

Mas é que, ademais, este relatório é determinante para Espanha, para Portugal, para a Irlanda porque pom de manifesto que todo o que se fixo, a destruiçom dos sistemas públicos de saúde, educaçom, trabalhos era perfeitamente evitável. Ao nom insistir na falta de pagamento da dívida, Syriza é corresponsável de todo isso.

Nom há outra saída que abandonar o euro. A teimosia de Syriza em seguir no euro é suicida. É garantir o desastre financeiro e económico a curto, meio e longo prazo baixo a aparência do pam para hoje ainda que seja fame para manhá. Syriza nom só é social-democrata, senom euro-fanática. Dentro da Europa há muitos países que mantem a sua moeda e nom passa nada. Nom se derrubárom nem estám na bancarrota. Inclusive Grécia poderia aprender do seu inimigo Turquia, que nom está na UE, mantém a sua moeda e cresce economicamente (nom vou entrar noutros parâmetros políticos ou económicos, senom que só menciono o mesmo que outros fam com o euro, que sem o euro seria a quebra o que nom é real em absoluto). Por exemplo, Dinamarca mantém a sua moeda, a coroa, e nom passa nada. Por exemplo, Roménia mantém a sua moeda, o leu, e nom passa nada. É mais, segundo os parâmetros capitalistas inclusive Roménia cresceu o dobro desde que está na UE enquanto que Grécia já vemos onde está com o euro. nom caíram as suas exportaçons, ao contrário.

Na zona euro só há um ganhador: Alemanha. Que os avôs e avós gregos nom podam cobrar as suas pensons deve-se unicamente a que os bancos alemáns foram salvados das perdas porque se descarregárom estas perdas nos gregos, por exemplo. Por isso Grécia deve abandonar o euro. E o mesmo vale para outros países como Espanha ou Portugal.

O Lince

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: Saída da UE, com o povo no poder BASENAME: canta-o-merlo-grecia-saida-da-ue-com-o-povo-no-poder DATE: Fri, 03 Jul 2015 06:55:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Grécia: Saída da UE, com o povo no poder

por Kostas Papadakis [*]
entrevistado por a odiario.info

1. Qual é a posição do KKE sobre o referendo?

Como é bem sabido, o governo do partido "de esquerda" ? e na essência social-democrata ? SYRIZA e do partido de direita nacionalista ANEL, num esforço para gerir a quebra total dos seus compromissos eleitorais, anunciou um referendo para 5 de Julho de 2015, com a única pergunta se os cidadãos estão ou não de acordo com a proposta de acordo apresentada pela UE, o FMI e o BCE e que se refere à continuação das medidas antipopulares, pela saída da crise capitalista com a Grécia no euro.

Funcionários do governo de coligação estão a apelar ao povo a que diga "Não" e deixam claro que este "Não" ao referendo será interpretado pelo governo grego como uma aprovação da sua própria proposta de acordo com a UE, o FMI, o BCE, cujas 47+8 páginas contêm igualmente medidas antipopulares e anti-operárias duras, com o fim de aumentar a rentabilidade do capital, o "crescimento" capitalista e a permanência do país no euro.

O governo SYRIZA-ANEL, que nem por um momento deixou de elogiar a UE, "a nossa casa europeia comum", o "acervo europeu", reconhece que a sua proposta é 90% idêntica à proposta da UE, do FMI, do BCE e tem muito pouco a ver com o que SYRIZA tinha prometido antes das eleições.
Juntamente com os partidos do governo de coligação (SYRIZA-ANEL) e a favor do "Não" posicionou-se o Aurora Dourada fascista, que apoiou abertamente o retorno à moeda nacional.

Por outro lado, a oposição de direita da ND e o PASOK social-democrata, que estiveram no governo até Janeiro de 2015, juntamente com o partido TO POTAMI (nominalmente de "centro" mas na essência reaccionário) posicionaram-se a favor do "Sim" às bárbaras medidas da Troika e afirmam que isto será interpretado como consentimento e "permanência na UE a qualquer custo"

Na realidade ambas as respostas levam a um "Sim" à União Europeia e à barbárie capitalista.

Durante a sessão no parlamento, em 27 de Junho, a maioria governamental de SYRIZA-ANEL rejeitou a proposta do KKE de colocar perante o julgamento do povo grego as seguintes propostas:

Não às propostas de acordo da UE, do FMI, do BCE e do governo grego
Saída da UE ? Abolição dos memorandos e de todas as leis da sua aplicação

Com a sua postura o governo mostrou que quer chantagear o povo para que este aprove a sua proposta à Troika, que é a outra face da mesma moeda. Está a pedir ao povo que aceite os seus planos antipopulares e responsabilizá-lo pelas suas novas opções antipopulares, seja através de um acordo supostamente "melhorado" com os organismos imperialistas, ou por meio de uma saída do euro e o retorno à moeda nacional, que o povo será chamado a pagar de novo.

Nestas condições, o KKE está a apelar ao povo para que utilize o referendo como uma oportunidade para reforçar a oposição à UE, para que se reforce a luta pela única saída realista da actual barbárie capitalista, que tem apenas um conteúdo: Ruptura ? Saída da UE, cancelamento unilateral da dívida, socialização dos monopólios, poder operário e popular.

O povo, com a sua acção e a sua escolha deve responder ao engano da falsa pergunta que o governo coloca e rejeitar tanto a proposta da UE, do FMI, do BCE como a proposta do governo SYRIZA-ANEL. Ambas as propostas contêm medidas antipopulares bárbaras que se acrescentarão aos memorandos e às leis da sua aplicação dos governos anteriores, da ND-PASOK. Ambas servem os interesses do capital os lucros capitalistas.

O KKE sublinha que o povo não deve escolher entre Esquila e Caribdis mas sim expressar no referendo, por todos os meios e formas, a sua oposição à UE e aos memorandos permanentes. Deve "cancelar" este dilema ao votar pela proposta do KKE.

Não à proposta da UE, FMI, e BCE
Não à proposta do governo
Saída da UE, com o povo no poder

2. Como avalia os resultados das negociações do governo grego com a Comissão Europeia?

O governo do Syriza-ANEL está há quatro meses a negociar com a troika, as "instituições", ou seja a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o FMI, mas não a favor dos interesses do povo. Trata-se de uma negociação com os credores, que é a priori antipopular, com a qual o governo está a tratar de assegurar os interesses da burguesia grega no quadro do antagonismo geral que se desenvolve entre os Estados Unidos e a Alemanha, assim como entre os países da zona euro, sobre a fórmula da gestão capitalista. Esta negociação reflecte a confrontação geral em que a burguesia grega tem como objectivo, entre outros, assegurar um superavit baixo para os próximos anos, passando capitais destinados à amortização de empréstimos para o financiamento estatal dos grupos empresarias. Com estes capitais como ferramenta tentam recuperar da crise capitalista. Portanto, os grupos empresariais e as associações (Federação de Industrias etc.) apoiam o governo que se apressou a servir os seus interesses. O acordo antipopular de 20 de Fevereiro já previa que se mantivessem as leis antipopulares do memorando aprovadas pelo ND e pelo PASOK, enquanto se preparam novas medidas antipopulares no sistema tributário, privatizações, abolição de direitos de segurança social, etc. As negociações estão a levar a um novo acordo-memorando, seja qual for o seu nome.

Portanto os interesses do povo grego não são servidos se alinharem por planos antipopulares, que aliás implicam medidas anti-laborais bárbaras; pelo contrário, é necessário lutar contra eles de modo combativo e sem passividade. O povo não é responsável pela dívida da plutocracia; nem a criou nem tem de a pagar. Contra a lógica de uma renegociação antipopular, cujo resultado o povo já pagou e estão a chamá-lo para pagar de novo, o KKE pede ao povo que exija a abolição das leis antipopulares e a recuperação das perdas dos anos anteriores, abrir caminho para o cancelamento unilateral da dívida e, ao mesmo tempo, sair da UE, com o povo no poder.

Cada trabalhador deve pensar que o SYRIZA se tinha comprometido a romper com os memorandos mas agora traz outro e mantém vigentes todas as leis do memorando. O KKE, pelo contrário, apresentou de novo em Fevereiro no Parlamento um projecto de lei para o cancelamento dos memorandos e das leis antipopulares pertinentes. Além disso, apresentou uma proposta para o restabelecimento do 13º salário e do 14.o, aplicação imediata do salário mínimo de 751? como base para aumentos ? que haviam sido abolidos pelo governo da ND e do PASOK ? aplicação obrigatória dos convénios colectivos sectoriais, etc.

3. Como estão a reagir os que votaram com o SYRIZA sobre os retrocessos perante as exigências da Comissão Europeia que invalidam as promessas feitas durante e período eleitoral? E a classe operária?

As "promessas" eleitorais do SYRIZA, o chamado programa de Tessalónica, eram migalhas que de qualquer modo não tirariam as famílias da pobreza e da miséria. Tratava-se de medidas que reciclariam a pobreza mais extrema, mesmo sob a consigna: "contra a crise humanitária", exonerando o próprio sistema capitalista, dando a entender que se trata de uma ocasião excepcional e não da própria natureza de um sistema explorador que está a apodrecer. Constituiriam mesmo os primeiros projectos de lei do governo que iam ser aprovados independentemente do resultado da negociação. Mas logo depois das eleições "o programa de Tessalónica" transformou-se de um programa de 100 dias num programa de quatro anos. Assim as promessas de restabelecer o salário mínimo passaram para um futuro longínquo e dependem do "apetite" dos próprios empregadores. Enquanto o imposto sobre bens imóveis (ENFIA) mantém-se no período próximo. Assim, os impostos existentes estão a aumentar e o povo vai pagar muito caro o aumento das taxas de IVA. Ao mesmo tempo, o 13º mês (pelo Natal) foi adiado, mesmo para os mais fracos economicamente.

O aumento do limiar de entradas isentas de tributação foi também adiado para os finais de 2016. Em contrapartida, estão a promover as privatizações de portos, aeroportos, bloquearam as reservas disponíveis dos municípios, de organismos estatais e os fundos de segurança destinados a cobrir as necessidades populares básicas. Enquanto se está a planificar o corte das pensões antecipadas e entre elas as profissões pesadas e insalubres, das mulheres trabalhadoras com filhos menores de idade, etc. Perante essa política governamental profundamente antipopular, os trabalhadores e outros sectores populares pobres que acreditaram nas esperanças que fomentaram as forças da nova social-democracia do SYRIZA, não devem ficar decepcionados mas sim tirar as conclusões políticas necessárias. Ou seja, que não existem "soluções fáceis favoráveis ao povo" quando o povo concede a responsabilidade a um governo que opera no quadro da UE e na senda do desenvolvimento capitalista. Portanto, o povo é soberano só quando possui os meios de produção, livre da UE, e pode satisfazer as suas necessidades com uma planificação científica central.

4. Como interpreta o enfraquecimento relativo da reacção popular nos últimos meses? Quais são as perspectivas para a luta de massas no futuro próximo?

Para lá da repressão e das provocações utilizadas pelos governos da ND e do PASOK nos anos da crise, um factor determinante que foi usado para enfraquecer o movimento operário e impedir o desenvolvimento da sua união e da sua orientação de classe, foi que a classe burguesa e o seu pessoal proporcionaram a ideia de que outro governo de gestão burguesa se encarregará de resolver os problemas populares e dos trabalhadores. A intenção de apresentar o governo com o SYRIZA no seu núcleo como salvador do povo provocou uma contenção grave do movimento operário. Fomentou a passividade e falsas ilusões, do que resultou que exista mesmo agora um retrocesso na luta operária e popular. Nos primeiros dias depois das eleições o novo governo tratou de por o povo a aplaudir activamente os objectivos da burguesia nas negociações antipopulares. Poucos meses depois, cada vez mais gente compartilha as advertências do KKE sobre o carácter e a missão deste governo. Uma série de mobilizações de trabalhadores não remunerados, grevistas, contratadores nos centros de trabalho são um fenómeno diário. A greve dos trabalhadores no sector da saúde, a 20 de Maio, foi um passo importante porque a situação nos hospitais estatais é explosiva dado que nem sequer têm gaze e os pacientes não só pagam caro por tudo, como ainda trazem os medicamentos de casa, materiais, etc. As mobilizações que o PAME está a organizar a 11 de Junho reclamando que não se aplique o novo acordo antipopular podem significar uma mudança na força, na combatividade do movimento operário, podem marcar um novo ponto de partida para o confronto da ofensiva do governo, da UE e do capital contra o povo, para a recuperação das perdas. A organização do seu contra-ataque para a criação de uma aliança popular forte contra os monopólios e o capitalismo.

5. As divergências no movimento comunista internacional actualmente são óbvias. A que se atribuem? Qual é a posição do KKE?

Sim, efectivamente há desacordos e divergências em assuntos-chave de importância estratégica. Mas o crucial é determinar qual é a base sólida e os critérios para os examinar. Os alicerces estão na cosmovisão marxista-leninista, nos princípios da luta de classes, na estratégia revolucionária. Só nesta base é possível fortalecer o verdadeiro carácter comunista dos partidos comunistas, conquistar a unidade da classe operária e a sua aliança com as demais camadas populares pobres, conseguir agrupar e preparar as forças trabalhadoras e populares para o derrubamento da barbárie capitalista, pelo socialismo-comunismo. De outro modo, os partidos comunistas ficam expostos ao efeito corrosivo das forças burguesas e oportunistas, ao parlamentarismo, à incorporação na gestão burguesa, às alianças sem princípios, à participação em governos de gestão burguesa sob o título de "esquerdas" "progressistas", à opção e à alienação por detrás das uniões imperialistas, a convergência com forças e formações oportunistas, como o chamado Partido da Esquerda Europeia ou a sua expressão política, GUE-NGL. A base de tudo isso é a lógica daninha de etapas entre o capitalismo e o socialismo. O etapismo, que historicamente não se confirmou em caso algum, está a embelezar o capitalismo, está a criar ilusões de que se pode humaniza-lo através da gestão burguesa, com a participação dos partidos comunistas. Este caminho levou à mutação e dissolução de partidos comunistas, por exemplo, em França, Itália, Espanha, etc. Esta percepção de "etapas", que se baseia em elaborações obsoletas do movimento comunista internacional, acalma o derrubamento do poder capitalista, o próprio socialismo, a "segunda vinda" e fragiliza a preparação da classe trabalhadora e dos seus aliados para esta tarefa monumental. Na pergunta crucial "revolução ou transformação", o etapismo opta pela transformação. O KKE quer um debate aberto e essencial entre os partidos comunistas sem etiquetas e sem aforismos sobre assuntos chave de importância estratégica para que se elabore uma estratégia revolucionária contemporânea. Cada partido é responsável por responder e justificar a sua opinião e postura.

6. Como encara o KKE a ofensiva actual do imperialismo em múltiplas frentes: Ucrânia, Médio Oriente, América Latina, China, Rússia?

Os Estados Unidos, tal como a União Europeia, a NATO e os seus governos, estão a levar a cabo planos perigosos contra os povos. O fortalecimento da articulação da UE com a NATO, assim como as intervenções imperialistas independentes da UE com a formação de um euro-exercito regular e o fortalecimento das forças militares para executar guerras e missões imperialistas pelos interesses dos monopólios, confirmam a agudização dos antagonismos pelo controlo dos mercados, das fontes e das rotas de transporte de energia. A corrida armamentista com os estandartes da NATO, os programas avançados de armamento dos chamados países emergentes como a China e a Rússia e de países do Médio Oriente, são reveladores e constituem um prelúdio perigoso da forma e dos métodos com que o sistema capitalista procura recuperar da sua crise profunda. São pura hipocrisia as alianças das potências que estão "dispostas" a actuar contra os jihadistas, que foram apoiados pela NATO, Estados Unidos e a UE, os traficantes de pessoas nos países onde a UE e seus aliados entraram a ferro e fogo em intervenções imperialistas causando enormes vagas de imigrantes.

O governo grego que subscreveu tudo isso, anunciou que vai criar uma nova base da NATO no Egeu para as necessidades da UE e da NATO e dos planos imperialistas e que disponibilizará forças armadas e bases ao serviço da NATO. Subscreveu todos os comunicados militares da UE nas cimeiras e dos ministros de assuntos exteriores e de defesa da UE, enquanto fortalece as relações políticas, económicas e militares com Israel que ataca o povo palestino. É esse o governo das "esquerdas" do SYRZA-ANEL e queremos sublinhar que as forças que se apressaram a celebrá-lo, ficaram irremediavelmente expostas.

Os povos devem intensificar a sua luta para frustrar os planos imperialistas, pelo que é necessário estar em vigilância militante. O KKE desempenha um papel essencial na luta contra a implicação da Grécia nos planos imperialistas, exige que regressem as forças militares gregas das missões euro-atlânticas ao estrangeiro, que sejam encerradas as bases dos Estados Unidos e da NATO. O KKE luta pelo afastamento da NATO e da UE, sendo o povo dono do seu destino.

7. Como vê a nova estratégia de Barack Obama sobre as relações dos Estados Unidos com Cuba?

É particularmente importante que a longa luta do povo cubano em condições muito difíceis e a mobilização mundial de solidariedade contra o bloqueio inaceitável dos Estados Unidos tenham exercido pressão sobre o governo dos Estados Unidos para discutir o seu levantamento. O mesmo acontece com a UE com a chamada Posição Comum e as sanções que impõe há anos contra Cuba. Esta pressão e este movimento mundial de solidariedade que se tem desenvolvido impulsionaram a libertação dos cinco patriotas cubanos.

Mas, não há qualquer complacência ou ilusão já que o imperialismo não deixa de utilizar tanto o engodo como o chicote com o fim de incorporar e subjugar os povos sob a sua estratégia. Por isso é necessário que a solidariedade internacional revele os ajustes da táctica do adversário para que se não apliquem os planos que o imperialismo internacional está a preparar e que se implementem através de sanções, chantagem, e ameaças ou negociações.

8. Qual a opinião do KKE sobre o chamado Socialismo do século 21 e o papel dos intelectuais de esquerda da América Latina a esse respeito? Mesmo hoje em dia, consideram como modelo os chamados governos progressistas, de esquerda, da América Latina?

Ainda hoje os chamados governos progressistas, de esquerda, da América Latina que constroem o "socialismo do séc.21" são considerados como modelo. Esta fabricação ideológica opõe-se à própria experiência popular daqueles países que estão a experimentar a política antipopular, a pobreza, a exploração enquanto os monopólios estão a enriquecer. A fabricação ideológica do "socialismo do séc. 21" reúne as diversas correntes social-democratas e oportunistas, académicos latino-americanos que garantem que falam em nome do marxismo mas distorcem-no, porque o "socialismo do séc. 21" no seu conjunto caracteriza-se pela agressividade contra o marxismo-leninismo e o movimento comunista internacional, promovendo como solução as reformas burguesas que não afectam o poder do capital. É a expressão de certas secções da burguesia, sobretudo na América Latina, que aspiram a uma melhoria do financiamento estatal para a criação de infra-estruturas, mão-de-obra especializada necessária para os monopólios ? que não estão dispostos a financiá-los ? a fim de aumentar a sua rendibilidade. Uma orientação semelhante existiu também nas décadas anteriores nos países da Europa Ocidental. Trata-se das necessidades das classes burguesas desses países para que se reforça a sua posição no antagonismo internacional. O "socialismo do séc. 21" é uma fonte de distorção do conceito do socialismo científico já que não afecta o poder burguês. É apenas uma fórmula de gestão do sistema capitalista a expensas da classe operária e das demais amadas populares de cada país.

9. Quais as razões ? em contradição com a posição de Marx sobre a extinção gradual do Estado ? para que o Estado em vez de enfraquecer estava continuamente a agigantar-se (URSS, Cuba, China)?

O estudo da experiência da construção socialista é o assunto de que o nosso partido se tem ocupado nos últimos 20 anos. Tirámos conclusões sobre os princípios da construção do socialismo através de um estudo a fundo, de um debate colectivo sobretudo da experiência da URSS, principalmente das decisões tomadas no âmbito da economia. Hoje em dia, este debate é necessário para cada partido comunista. Porque, por exemplo, é um problema e uma expressão da situação difícil do movimento comunista internacional o facto de que hoje em dia existem partidos comunistas que negam os princípios, as leis científicas da construção socialista, o poder operário, a socialização dos meios de produção, a planificação e o controlo operário e popular.

O KKE defende a necessidade da revolução socialista e os princípios da nova sociedade e, desse ponto de vista, participa no debate que está em curso no movimento comunista. Nesta perspectiva examinamos, por exemplo, os acontecimentos na China onde, segundo os dados, prevalecem as relações capitalistas de produção.

Para chegar ao ponto de falar da extinção do Estado uma pré-condição necessária é o fortalecimento das relações de produção comunistas, não o seu enfraquecimento. A experiência histórica da contra-revolução, que ainda não acabou, mostra que a tarefa de desenvolver relações comunistas de produção e distribuição requer o desenvolvimento da teoria do comunismo científico pelo partido comunista através do estudo das leis da construção socialista. A experiência mostrou que os partidos no poder, na URSS e noutros Estados socialistas, não só não tiveram êxito nessa tarefa como também sofreram a erosão do oportunismo e se transformaram em veículos da contra-revolução e da restauração do capitalismo.

10. O homem realizou conquistas destacadas no âmbito da ciência e da técnica, mas mudou muito pouco desde a Grécia e Roma, como mostram as guerras, cada vez mais cruéis, e a escalada de crimes do imperialismo. A velocidade com que o "homem velho" reapareceu para milhões na Rússia e na China, e está a aparecer em Cuba, parece mostrar que a transição do socialismo para o comunismo será muito mais lenta do que o previsto por Marx e Engels. A história desmentiu o mito do "homem novo"? Que pensam disto?

Não concordamos com essa ideia. Tudo o que afirmaram Marx e Engels, assim como Lénine, se confirmou e confirma de modo absoluto hoje em dia. A resposta à pergunta surge no próprio carácter da época inaugurada pela Grande Revolução Socialista, que é a época da transição do capitalismo para o socialismo. O capitalismo está na sua última fase imperialista. As condições materiais para a construção do socialismo estão já a amadurecer. O partido comunista deve pois ser capaz de responder com a sua estratégia e táctica para o desenvolvimento da luta de classes, ajudar a classe operária a estar consciente da sua missão histórica, a prepará-la para o confronto com o verdadeiro inimigo, ou seja a UE, os monopólios e o seu poder. A elaboração da estratégia revolucionária é a tarefa dos partidos comunistas independentemente da correlação de forças.

O objectivo é que os partidos comunistas que crêem na luta de classes e seus princípios, na necessidade histórica do derrubamento do poder burguês e na construção do socialismo-comunismo elaborem uma estratégia que cumpra com a própria razão da existência de um partido comunista: reunir forças para o confronto com o poder dos monopólios e não para a gestão e perpetuação da barbárie capitalista. O capitalismo é um sistema apodrecido e obsoleto e nenhum modo de gestão pode dar-lhe rosto humano. A luta pelo socialismo, portanto, não é uma declaração para um futuro longínquo mas um tema chave que determina todos os outros. A questão chave é como trabalha dia após dia um partido comunista para alcançar esse objectivo.
30/Junho/2015

[*] Membro do CC e eurodeputado do KKE.

O original encontra-se em http://www.odiario.info/?p=3692 . Tradução de Manuela Antunes.

Esta entrevista encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Carta de Albert Einstein alertando para o fascismo sionista em Israel BASENAME: canta-o-merlo-carta-de-albert-einstein-alertando-para-o-fascismo-sionista-em-israel DATE: Thu, 02 Jul 2015 14:23:02 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Carta de Albert Einstein alertando para o fascismo sionista em Israel

? Carta enviada ao New York Times em 1948 em protesto contra a visita de Menachem Begin


por Albert Einstein
Universidade de Harvard, 4 de dezembro de 1948

Cartas ao Editor
New York Times

4 de dezembro de 1948

Aos editores do New York Times:

Entre os fenómenos políticos mais perturbadores da nossa época, está o aparecimento, no recém-criado estado de Israel, do "Partido da Liberdade" (Tnuat Haherut), um partido político muito parecido, na organização, nos métodos, na filosofia política e no apelo social, com os partidos nazis e fascistas. Formou-se a partir dos membros do antigo Irgun Zvai Leumi, uma organização terrorista, de extrema-direita e chauvinista na Palestina.

A atual visita do líder deste partido, Menachem Begin, aos Estados Unidos, é obviamente calculada para dar a impressão do apoio americano ao seu partido nas próximas eleições israelenses e para cimentar os elos políticos com os elementos sionistas conservadores nos Estados Unidos. Vários americanos de reputação nacional emprestaram os seus nomes para dar as boas-vindas a esta visita. É inconcebível que os que se opõem ao fascismo, em todo o mundo, se é que estão corretamente informados quanto ao registo político e às perspetivas de Begin, possam juntar o seu nome e apoio ao movimento que ele representa.

Antes que haja prejuízos irreparáveis, com contribuições financeiras, manifestações públicas a favor de Begin, e a criação na Palestina da impressão de que há na América um grande segmento que apoia elementos fascistas em Israel, o público americano tem que ser informado quanto ao passado e quanto aos objetivos de Begin e do seu movimento. As declarações públicas do partido de Begin não são de forma alguma indicadoras do seu verdadeiro caráter. Agora falam de liberdade, de democracia e de anti-imperialismo, mas recentemente pregavam abertamente a doutrina do estado fascista. É pelas suas ações que o partido terrorista revela o seu verdadeiro caráter; pelas suas ações do passado podemos avaliar o que podemos esperar no futuro.

Ataque a uma aldeia árabe

Um exemplo chocante foi o seu comportamento na aldeia árabe de Deir Yassin. Esta aldeia, afastada das estradas principais e rodeada de terras judaicas, não tomou parte na guerra e até lutou contra grupos árabes que queriam utilizar a aldeia como sua base. A 9 de abril (The New York Times), bandos de terroristas atacaram esta aldeia pacífica, que não era um objetivo militar no conflito, mataram a maior parte dos seus habitantes ? 240 homens, mulheres e crianças ? e deixaram vivos alguns deles para os exibirem como cativos, pelas ruas de Jerusalém. A maior parte da comunidade judaica ficou horrorizada com esta proeza e a Agência Judaica enviou um telegrama de desculpas ao Rei Abdulah da Transjordânia. Mas os terroristas, longe de se envergonharem da sua ação, ficaram orgulhosos com este massacre, deram-lhe ampla publicidade e convidaram todos os correspondentes estrangeiros no país para verem as pilhas de cadáveres e o caos em Deir Yassin. O incidente de Deir Yassin exemplifica o caráter e as ações do Partido da Liberdade.

Na comunidade judaica, têm pregado uma mistura de ultranacionalismo, misticismo religioso e superioridade racial. Tal como outros partidos fascistas, têm sido usados para furar greves e estão apostados na destruição de sindicatos livres. Em vez destes, propõem sindicatos corporativos de modelo fascista italiano. Nos últimos anos de esporádica violência antibritânica, os grupos IZL e Stern inauguraram um reinado de terror na comunidade judaica palestina. Espancaram professores que falavam contra eles, abateram adultos a tiro por não deixarem que os filhos se juntassem a eles. Com métodos de gangsters, espancamentos, destruição de montras e roubos por toda a parte, os terroristas intimidaram a população e exigiram um pesado tributo.

A gente do Partido da Liberdade não tomou parte nas ações de construção da Palestina. Não reclamaram terras, não construíram colonatos, e só denegriram a atividade defensiva judaica. Os seus esforços para a imigração, amplamente publicitados, foram mínimos e dedicados sobretudo a dar entrada a compatriotas fascistas.

Contradições observadas

As contradições entre as afirmações ousadas que Begin e o seu partido andam a fazer, e o registo do seu comportamento passado na Palestina, não têm a marca de qualquer partido político vulgar. Têm o carimbo inconfundível dum partido fascista para quem o terrorismo (contra judeus, árabes e britânicos, igualmente) e a falsidade são os meios, e o objetivo é um "Estado Líder".

À luz destas considerações, é imperativo que o nosso país tome conhecimento da verdade sobre Begin e o seu movimento. É tanto mais trágico quanto os líderes de topo do sionismo americano se recusaram a fazer campanha contra os esforços de Begin, e muito menos denunciar aos seus apaniguados os perigos para Israel do seu apoio a Begin.

Os abaixo assinados utilizam, assim, este meio para apresentar publicamente alguns factos relevantes, relativos a Begin e ao seu partido; e para apelar a todos os interessados que não apoiem esta manifestação tardia de fascismo.
Isidore Abramowitz
Hannah Arendt
Abraham Brick
Rabbi Jessurun Cardozo
Albert Einstein
Herman Eisen, M.D.
Hayim Fineman
M. Gallen, M.D.
H.H. Harris
Zelig S. Harris
Sidney Hook
Fred Karush
Bruria Kaufman
Irma L. Lindheim
Nachman Maisel
Seymour Melman
Myer D. Mendelson
M.D., Harry M. Oslinsky
Samuel Pitlick
Fritz Rohrlich
Louis P. Rocker
Ruth Sagis
Itzhak Sankowsky
I.J. Shoenberg
Samuel Shuman
M. Singer
Irma Wolfe
Stefan Wolf.

Nova Iorque, 2 de dezembro, 1948

Ver também:
Porquê o Socialismo? , Albert Einstein
"O perigo fascista e o desemprego" , Albert Einstein
Einstein, a bomba e o FBI , Jean Pestieau

O original encontra-se em www.globalresearch.ca/... . Tradução de Margarida Ferreira.

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
03/Abr/15

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: A Indignidade do Governo Syriza-Anel BASENAME: canta-o-merlo-a-indignidade-do-governo-syriza-anel DATE: Thu, 02 Jul 2015 09:30:39 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://resistir.info/

A INDIGNIDADE DO GOVERNO SYRIZA-ANEL

Entradas de leão, saídas de sendeiro. Mesmo após o anúncio do referendo, o governo SYRIZA-ANEL fez novas capitulações aos credores da Troika. A carta de 30 de Junho dirigida ao sr. Juncker, sra. Lagarde e sr. Draghi é um documento vergonhoso: anuncia novas cedências que o governo grego se dispõe a fazer e dá a entender que o referendo poderia ser cancelado se os três aceitassem as novas concessões.
O desespêro da fraca burguesia grega, representada pelo governo SYRIZA-ANEL, é um espectáculo degradante. Está disposta a submeter-se às maiores abjecções a fim de ter a protecção da UE e permanecer na eurozona.

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Pataca-doce BASENAME: pataca-doce DATE: Wed, 01 Jul 2015 00:18:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Léxico CATEGORY: TAGS: batata, pataca ----- BODY:

CONSULTA:

Existe um projeto para produzir biocombustíveis em Bergantinhos baseado na produçom daquilo que em textos galegos de jornais digitais se chama batata, mas qual seria o nome desta espécie para diferenciá-la da batata (pataca em galego doutras zonas)? Obrigado!

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A resposta à pergunta do amável consulente é pataca-doce.

Na norma lexical da variedade galega do galego-português definida pola Comissom Lingüística da AGAL, o tubérculo comestível da solanácea Solanum tuberosum recebe a denominaçom pataca (planta: pataqueira), correspondente à voz lusitana e brasileira batata (planta: batateira) (cf. O Modelo Lexical Galego: 209). Por outro lado, a planta convolvulácea Ipomoea batatas, por cuja designaçom vernácula galega se interessa o nosso consulente, originária dos Andes e produtora de raízes tuberosas de alto teor em açúcar, utilizadas na alimentaçom e na produçom de álcool, designa-se nas variedades lusitana e brasileira da nossa língua por batata-doce (também batata-da-terra, batata-da-ilha, jatica e jetica). Esta denominaçom luso-brasileira da Ipomoea batatas, também aplicada ao seu tubérculo comestível, baseia-se, evidentemente, na similitude deste com a pataca (luso-br. batata).

Como a designaçom galega da planta Ipomoea batatas e do seu tubérculo calham dentro do ámbito da estagnaçom e da suplência castelhanizante padecidas polo léxico galego (conceito chegado à Europa com posterioridade ao início na Galiza dos Séculos Obscuros, séc. XVI), para habilitarmos em galego a correspondente denominaçom vernácula, adotamos a estratégia da coordenaçom com o léxico luso-brasileiro (cf. O Modelo Lexical Galego: 140-145). Deste modo, a denominaçom lusitana e brasileira batata-doce serve de modelo para a denominaçom galega pataca-doce, por nós recomendada (cf. al. Süßkartoffel, fr. patate douce, ingl. sweet potato).

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia - Paul Krugman: Grécia nom deve temer abandonar o euro BASENAME: canta-o-merlo-grecia-paul-krugman-grecia-nom-deve-temer-abandonar-o-euro DATE: Tue, 30 Jun 2015 17:35:28 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://actualidad.rt.com/economia/178952-grecia-nobel-economia-crisis-euro-referendum

Nobel de Economia explica "forte e claro" por que Grécia nom deve temer abandonar o euro

Partindo da base de que a criaçom do euro "foi um terrível erro", o economista Paul Krugman, ganhador do prémio Nobel em 2008, fai umha radiografia muito concreta das causas reais e os mitos que se tecem por volta da crise na Grécia. Tendo em conta que neste domingo o país vai celebrar um referendo sobre a conveniência de aceitar as exigências da Troika de reforçar, ainda mais, a austeridade, o perito deixa as cousas claras.

"A situaçom na Grécia alcançou o que parece ser um ponto sem retorno. Os bancos estám fechados temporariamente e o Governo impós controlos de capital (limites ao movimento de fundos ao estrangeiro). Parece muito provável que o Executivo logo tenha que começar a pagar as pensões e os salários em papel, o que, na prática, criaria umha moeda paralela", ressalta Krugman num artigo publicado em 'The New York Times'.

"É evidente que a criaçom do euro foi um terrível erro. Europa nunca tivo as condiçons prévias para umha moeda única de sucesso, e sobretodo, o tipo de uniom fiscal e bancária", assinala o Nobel, mas agrega que abandonar umha uniom monetária é umha decisom "bem mais difícil e mais aterradora" e ressalta que até agora as economias europeias com mais problemas deram um passo atrás quando se encontravam "ao bordo do abismo".

Grécia deve votar 'nom', e o seu Governo deve estar listo para abandonar o euro se é necessário."

"Devemos primeiro ser conscientes de que a maioria de cousas que ouvimos sobre o esbanjamento e a irresponsabilidade grega som falsas. Sim, o Governo grego estava a gastar mais ali das suas possibilidades a finais da década dos 2000. Mas, desde entom recortou repetidamente o gasto público e aumentou a arrecadaçom fiscal", ressalta o economista. Ademais, o emprego público haver caído mais de 25% e as pensões, que eram certamente demasiado generosas, reduziram-se drasticamente. Todas as medidas foram, em soma, "mais que suficientes para eliminar o deficit original e convertê-lo num amplo superavit".

O Grexit, a saída da Grécia do euro, nom é necessariamente conveniente. "O problema do Grexit foi sempre o risco de caos financeiro, de um sistema bancário bloqueado polas retiradas, represa do pânico e de um sector privado obstaculizado tanto polos problemas bancários como pola incerteza sobre o status legal das dívidas".

Mas a Troika rejeitou a opçom de manter a austeridade nos níveis actuais. Agora o ponto crave é que os credores ofereceram a Grécia um "toma-o ou deixa-o", umha oferta indistinguível das políticas do últimos cinco anos.

"Esta oferta está destinada a ser rejeitada polo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras: nom pode aceitá-la porque suporia a destruiçom da sua razom de ser política. Portanto, o seu objectivo deve ser levar-lhe a abandonar o seu cargo".

"A adesom ao ultimato da Troika levaria o abandono definitivo de qualquer pretensom de independência da Grécia. Nom nos deixemos enganar por aqueles que afirmam que os funcionários da Troika som só técnicos que explicam aos gregos ignorantes o que devem fazer. nom é umha questom de análise; é umha questom de poder: o poder dos credores para tirar do conexom da economia grega, que persistirá enquanto a saída do euro considere-se impensável".

Assim, Krugman adverte que é hora de pôr fim a este inimaginável. "De nom ser assim Grécia se enfrontara à austeridade infinita e a umha depressom de cujo final nom se tem nengumha pista".

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia - O referendo de 5 de Julho e a posição do KKE BASENAME: canta-o-merlo-grecia-o-referendo-de-5-de-julho-e-a-posicao-do-kke DATE: Tue, 30 Jun 2015 17:09:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O referendo de 5 de Julho e a posição do KKE

Como é bem conhecido, o governo da "esquerda" e na essência social-democrata do partido SYRIZA e a "direita" nacionalista do partido ANEL, numa tentativa de administrar a completa bancarrota dos seus compromissos pré eleitorais, anunciou um referendo para o dia 5 de Julho de 2015, sendo a única pergunta se os cidadãos concordam ou não com o acordo proposto, o qual foi posto em cima da mesa pela UE, FMI e BCE e refere-se à continuação das medidas anti-povo para uma saída da crise capitalista, com a Grécia permanecendo no euro.

Responsáveis da coligação governamental apelam ao povo para dizer "não" e tornam claro que este "não" no referendo será interpretado pelo governo grego como aprovação para a sua própria proposta de acordo com a UE, FMI, BCE, a qual, nas suas 47+8 páginas também contém duras medidas anti-povo e anti-trabalhadores, com o objectivo de aumentar a lucratividade do capital, do "crescimento" capitalista e da permanência do país no euro. Como admite o governo SYRIZA-ANEL, o qual continua a louvar a UE, "nosso lar europeu comum", a "façanha europeia", esta proposta sua é 90% idêntica à proposta da UE, FMI e BCE e tem pouco relacionamento com o que o SYRIZA prometeu antes das eleições.

O fascista Aurora Dourada, juntamente com os partidos da coligação governamental (SYRIZA-ANEL), tomaram posição a favor de um "não" e também apoiaram abertamente o retorno a uma divisa nacional.

Por outro lado, a oposição de direita ND, o social-democrata PASOK que governou até Janeiro de 2015, juntamente com o POTAMI (que constitui um partido do centro, essencialmente um partido reaccionário) tomaram posição a favor de um "sim" às medidas bárbaras da Troika, a quais, declaram eles, serão interpretadas como sendo consentimento a "permanecer na UE a todo custo".

Na realidade, ambas as respostas levam a um sim à "UE" e à barbárie capitalista.

Durante a sessão de 27/Junho do parlamento, a maioria governamental do SYRIZA-ANEL rejeitou a proposta do KKE de que as seguintes questões fossem colocadas perante o julgamento do povo grego no referendo:

NÃO ÀS PROPOSTA DE ACORDO DA UE-BCE-FMI E DO GOVERNO GREGO
DESLIGAMENTO DA UE ? ABOLIÇÃO DO MEMORANDO E TODAS AS SUAS LEIS DE APLICAÇÃO

Com esta postura, o governo demonstrou que quer chantagear o povo levando-o a aprovar a sua proposta à troika, a qual é o outro lado da mesma moeda. O que significa dizer: é pedir ao povo grego o seu consentimento para os seus planos anti-povo e para arcar com as suas novas opções anti-povo, ou através de um novo acordo alegadamente "melhorado" com as organizações imperialistas, ou através de uma saída do euro e um retorno a uma divisa nacional, algo a que o povo será chamado a pagar mais uma vez.

Nestas condições, o KKE conclama o povo a utilizar o referendo como uma oportunidade para fortalecer a oposição à UE, a fortalecer a luta pela única saída realista da barbárie capitalista de hoje. O conteúdo desta saída é: RUPTURA-DESLIGAMENTO DA UE, CANCELAMENTO UNILATERAL DA DÍVIDA, SOCIALIZAÇÃO DOS MONOPÓLIOS, PODER DOS TRABALHADORES E DO POVO.

O povo, através da sua actividade e da sua escolha no referendo, deve responder ao engano da falsa pergunta colocada pelo governo e rejeitar a proposta da UE-FMI-BCE e também a proposta do governo SYRIZA-ANEL. Ambas contêm bárbaras medidas anti-povo, as quais serão acrescentadas ao memorando e às leis de aplicação dos anteriores governos ND-PASOK. Ambos servem os interesses do capital e dos lucros capitalistas.

O KKE enfatiza que o povo não deve escolher entre Scila e Caribdis, mas deve exprimir, com todos os meios disponíveis e por todas as vias, sua oposição à UE e seu memorando permanente no referendo. Ele deve "cancelar" este dilema lançando dentro da urna eleitoral, como seu voto, a proposta do KKE como seu voto

NÃO À PROPOSTA DA UE-FMI-BCE
NÃO À PROPOSTA DO GOVERNO
DESLIGAMENTO DA UE, COM O POVO NO PODER

A versão em inglês encontra-se em inter.kke.gr/en/...

Este artigo

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Sobre a libertação da Grécia BASENAME: canta-o-merlo-sobre-a-libertacao-da-grecia DATE: Mon, 29 Jun 2015 17:25:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

? "A crença em que um carcereiro num campo de trabalhos forçados vai sancionar um dos prisioneiros expulsando-o desse mesmo campo é a estupidez acabada".

por João Vilela

A tentação para acharmos que o imperialismo é uma força indestrutível que tudo pode contra nós enquanto nós nada podemos contra ele constitui a base das teorias kruschevistas sobre a coexistência pacífica e, no fundo, não passa de um convite ao atentismo e à capitulação. Alguns tentam transformar este atentismo numa postura política digna, disfarçando-o (mal) de postura táctica. Já houve quem dissesse que a coexistência pacífica era ? pasme-se! ? um instrumento da luta de classes. Que belo destino teriam tido as revoluções do Vietname, de Cuba, das colónias africanas, se tal tese tivesse recebido o menor crédito.

As estruturas do imperialismo dão-lhe um enorme poder. É um facto. Mas nenhuma delas é invencível, e a crença mágica no Apocalipse que significa a libertação dos povos relativamente a elas, em termos de sanções e isolamento, é só mesmo isso ? uma crença mágica. Uma cobertura pseudo-teórica para uma atitude, objectivamente, reformista. Pode haver justificações da mais variada ordem para uma atitude reformista, reconheça-se: mas o reformismo não passa a chamar-se outra coisa por ser justificável com a conjuntura.

As estruturas do imperialismo mostraram-se cediças recentemente, com os acontecimentos da Grécia. Perante um Governo ciente da impossibilidade de cumprir seja que papel histórico for, ficou exposta uma falha nos mecanismos da dominação europeia. A arquitectura da dominação imperialista dos países da periferia pelo centro alemão é fruto de uma aposta na conservação ficcional de Estados soberanos por falta de condições para o decreto unilateral de uma qualquer República Federal Europeia. Isto criou uma brecha que agora se expôs, e que os trabalhadores gregos têm sabido cavar e alargar num esforço dramático, heróico, pela sua libertação. Esforço tanto mais importante quanto é feito quase às escuras, sob orientações contraditórias e erradas, com uma barragem ideológica de fogo cerrado provinda tanto do imperialismo como do reformismo da euro-esquerda.

O caso é simples e conta-se em poucas linhas: apostado em negociar com a Alemanha, o Syriza apanhou pela frente a irredutibilidade alemã e começou a fazer concessões sucessivamente, temendo sair do euro, temendo sair da UE, temendo a fome, a miséria, o caos, os filhos que matariam mães e os pais que almoçariam filhos se deixasse de drapejar a obscena bandeira azul com estrelinhas sobre os céus de Atenas. Perante as cedências acumuladas, a reacção dos gregos não se fez esperar, desde logo dentro do Syriza: históricos como Manolis Glezos pediram desculpas por apelar ao voto em Tsipras; membros do Comité Central do Syriza, como Stathis Kouvelakis, vieram referir que de há muito vinham sendo denunciadas as ilusões europeístas da direcção de Tsipras; enquanto isso, o movimento sindical de classe da Grécia, organizado na central PAME (Frente Militante de Todos os Trabalhadores), desenvolveu uma avassaladora ofensiva popular contra a capitulação do Syriza. Contam por dezenas as manifestações, as greves, com especial incidência no sector da saúde e da indústria; foram desenvolvidas formas de luta cada vez mais avançadas, de que a ocupação do Ministério das Finanças no passado dia 13 de Junho constituiu um exemplo importante. Ao mesmo tempo, é justo referir aqui o papel desempenhado por outra estrutura anticapitalista grega, a Conspiração das Células de Fogo, de raiz anarco-sindicalista, que invadiu e ocupou a sede nacional do Syriza e cujos activistas, em Abril, cercaram e procuraram agredir o ministro das Finanças, Yannis Varoufakis, à saída de um restaurante em Atenas.

Ante esta reacção popular abrupta e determinada, o Syriza não pôde prosseguir a senda de concessões e cedências com que iniciou o seu mandato. Teve de mudar de estratégia, e agir como se estivesse a fazer músculo perante as instituições europeias. A resposta destas foi uma ameaça de expulsão, ameaça que a não ser na cabeça dos Franciscos Louçãs deste mundo não cabe na cabeça de ninguém: a crença em que um carcereiro num campo de trabalhos forçados vai sancionar um dos prisioneiros expulsando-o desse mesmo campo é a estupidez acabada. A ameaça (que põe o Syriza em guarda e provavelmente assusta uma parte dos trabalhadores gregos, apesar de tudo intoxicados pela propaganda do "a UE ou o caos"), é estúpida, como se vê, e exprime o limite material que a UE encontrou para continuar a espoliar o povo grego dentro da actual configuração do sistema. Mas nem por isso deixou de desencadear uma série de protestos por toda a Europa exigindo solidariedade europeia para com os gregos e... a refundação do projecto europeu, depurado da austeridade, e posto ao serviço dos povos...

Se queremos ser solidários com os gregos, não podemos dizer-lhe que fiquem no campo de prisioneiros connosco, assegurando-lhe que usaremos toda a nossa influência junto dos carcereiros do sítio para obter melhor tratamento para eles. Se conseguiram fazer uma pequena abertura na parede da sua cela, aproveitando uma debilidade da estrutura, o incentivo a dar-lhes é o de que continuem a alargar esse buraco, a cavar essa brecha, a alargar o caminho por onde passarão rumo à liberdade deste pesadelo prisional que a UE significa. Se não querem troika, libertem-se. Se não querem tratado orçamental, libertem-se. Se não querem austeridade, libertem-se. Aqueles que cá ficarem, por teimosia ou dolo dos seus Governos, nunca se livrarão de tal coisa, e é ridículo se se convencerem do contrário.

Isto coloca duas tarefas centrais aos trabalhadores gregos e às suas organizações na luta por uma efectiva ruptura anti-imperialista: a primeira é a compreensão de que esta debilidade estrutural da arquitectura da UE não um erro insanável, mas apenas um percalço da estrutura, facilmente resolúvel da forma como, usualmente, quer os Estados quer as organizações internacionais da burguesia geralmente resolvem estes assuntos ? ou com golpes de Estado a favor de quem manda contra o Governo que hesita, ou com invasões liminares e imposição da vontade do centro imperialista. A segunda hipótese pode ser mais improvável, mas a primeira, por mecanismos mais ou menos palacianos, tem campo aberto para ser aplicada. As massas devem ter organização, capacidade de mobilização de massas, de tomar as ruas, de enfrentar a repressão ? mas o seu objectivo histórico não é resistir. A missão histórica do proletariado é tomar o poder e edificar o socialismo e o comunismo. O momento em que o proletariado grego ou se lança no assalto dos céus ou é cilindrado pelo aparelho repressivo está a aproximar-se a passos largos, e é vital que as estruturas que o representam e lideram comecem desde já acautelar essa situação.

Um outro ponto prende-se com o dia seguinte, o tal dia em que, a fazer fé nas previsões de Merkel e Juncker, de Rui Machete e Nuno Rogeiro, o trigo crescerá para dentro da terra nos campos gregos, as árvores recusarão entregar os seus frutos, e as crianças se negarão a sair dos ventres maternos com medo desse mundo estranho com passaportes e sem quotas leiteiras. Até Tsipras já percebeu, embora o faça apenas por jogos florentinos (a faixa do Syriza, que corre mundo nos protestos de solidariedade promovidos pelos outros partidos-membros do Partido da Esquerda Europeia, onde se lê "Change Europe", diz tudo o que cumpre saber sobre a convicção da diligência), que a saída, após a UE, será um dos BRICs, e naturalmente a Rússia. Um projecto socialista e anti-imperialista pode manter relações, tácticas e à falta de melhor aliado, com uma potência capitalista cujas relações com outros Estados não se pautam propriamente por um respeito escrupuloso pela reciprocidade e a não-ingerência. Contanto saiba conservar a sua própria autonomia e soberania, desenvolvendo-a progressivamente, e contrapondo-a sempre a quaisquer pretensões hegemónicas que o novo aliado revele. Será sempre um trajecto difícil, complexo, cheio de espinhos e novidades difíceis de ponderar, o que a Grécia vai trilhar quando sair da União Europeia. Nunca se disse que o caminho para a libertação não tinha perigos, convivendo com grandes possibilidades. Tudo o que se sabe sobre esse caminho é que tem um horizonte vermelho. E isso, para os explorados e os oprimidos, chega.
22/Junho/2015

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: Fim da chantagem BASENAME: canta-o-merlo-grecia-fim-da-chantagem DATE: Mon, 29 Jun 2015 13:47:15 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Grécia: Fim da chantagem

Alexis Tsipras, "Discurso do Referendum", Atenas, 1h da madrugada - Concidadãos gregos, nesse momento pesa sobre nossos ombros a responsabilidade histórica pelas lutas e sacrifícios do povo grego para consolidar a democracia e a soberania nacional. Nossa responsabilidade pelo futuro de nosso país.

Aos cidadãos gregos

Já há seis meses estamos batalhando em condições sem precedentes de sufocamento econômico para implementar o mandato que recebemos dos cidadãos gregos dia 25 de janeiro.

O que estivemos negociando com nossos parceiros era pôr fim ao arrocho [não é 'austeridade', é arrocho] e fazer que a prosperidade e a justiça social voltassem ao nosso país.

Recebemos mandato para obter acordo sustentável que respeitasse simultaneamente a democracia e as regras comuns europeias e nos levasse afinal a sair da crise.

Ao longo desse período de negociações, nos pediram que implementássemos os acordos concluídos por governos anteriores com os Memorandos, apesar de eles já terem sido categoricamente condenados pelo povo grego nas recentes eleições.

Mas nem por um segundo consideramos a possibilidade de nos render, que é trair a confiança dos gregos.

Depois de cinco meses de dura barganha, nossos parceiros, infelizmente, lançaram no Eurogrupo, anteontem, um ultimato contra a democracia grega e o povo grego. Ultimato que contraria os princípios fundadores e os valores da Europa, os valores de nosso projeto europeu comum.

Disseram ao governo grego que teríamos de aceitar uma proposta que acumula nova carga insustentável para o povo grego e mina a recuperação da economia e da sociedade gregas, proposta que não apenas perpetua o estado de incerteza, mas acentua ainda mais as desigualdades sociais.

A proposta das instituições inclui: medidas para desregulação ainda maior do mercado de trabalho, cortes em aposentadorias, mais reduções nos salários do setor público e aumento do Imposto sobre Valor Agregado sobre comida, hospedagem e turismo, ao mesmo tempo em que se eliminam as vantagens tributárias que as ilhas gregas recebem.

Essas propostas violam diretamente os direitos sociais e fundamentais europeus: mostram que, no que tenha a ver com trabalho, igualdade e dignidade, a meta de alguns dos parceiros e instituições não qualquer acordo viável e benéfico para todas as partes, mas a humilhação de todo o povo grego.

Aquelas propostas destacam sobretudo a insistência do FMI em fórmulas do arrocho mais duro e punitivo e em tornar mais fácil do que jamais, para as grandes potências europeias colher a oportunidade e tomar iniciativas que afinal terminarão definitivamente com a crise da dívida soberana grega, crise que afeta outros países europeus e ameaça o próprio futuro da integração europeia.

Concidadãos gregos, nesse momento pesa sobre nossos ombros a responsabilidade histórica pelas lutas e sacrifícios do povo grego para consolidar a democracia e a soberania nacional. Nossa responsabilidade pelo futuro de nosso país.

E essa responsabilidade exige que respondamos àquele ultimato a partir do desejo soberano do povo grego.

Há pouco, em reunião do gabinete, sugeri que façamos um REFERENDUM de modo que o povo grego possa se manifestar de modo soberano. A sugestão foi aceita unanimemente.

Amanhã, a Câmara de Representantes será convocada em regime de urgência para apreciar a proposta do Gabinete, de que se realize um referendum no próximo domingo, 5 de julho, sobre se aceitamos ou rejeitamos a proposta que as instituições nos apresentaram.

Já dei conhecimento de minha decisão ao presidente da França, à chanceler alemã, ao presidente do Banco Central Europeu, e amanhã, por carta, solicitarei formalmente que os líderes e instituições da UE prorroguem por apenas uns poucos dias o atual programa, de modo a que o povo grego decida, livre de qualquer pressão ou chantagem, como exigem a Constituição grega e as tradições democráticas da Europa.

Concidadãos gregos,

à chantagem do ultimato que quer nos fazer aceitar arrocho [não é 'austeridade'; é arrocho] severo e degradante sem fim, sem qualquer possibilidade de recuperação social e econômica, peço que todos respondam de modo soberano e honroso, como o exige a história do povo grego.

Ao autoritarismo e ao arrocho, responderemos com democracia, decididamente e com calma.

A Grécia, berço da democracia, dará retumbante resposta democrática à Europa e ao mundo.

Pessoalmente me comprometo a respeitar o resultado de nossa escolha democrática, seja qual for. Tenho confiança absoluta de que a escolha da maioria honrará a história de nosso país e enviará ao mundo nossa mensagem de dignidade.

Nesses momentos críticos, todos temos de lembrar que a Europa é o lar comum dos povos. Que na Europa não há proprietários e hóspedes. A Grécia é continuará a ser parte integral da Europa e a Europa é parte integral da Grécia. Mas sem democracia, a Europa será amontoado de países sem identidade e sem bússola.

Convoco todos a manifestarem, em calma, nossa unidade nacional, para que tomemos as decisões certas. Por nós, pelas gerações futuras, pela história dos gregos. Pela soberania e dignidade de nosso povo. [Fim do discurso]

27/6/2015, Alexis Tsipras, "Discurso do Referendum", Atenas, 1h da madrugada
Jacobin Magazin (trad. ao ing. e links de Stathis Kouvelakis*)

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia - Não à continuação da bancarrota do povo BASENAME: canta-o-merlo-grecia-nao-a-continuacao-da-bancarrota-do-povo DATE: Mon, 29 Jun 2015 12:27:05 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O KKE efectuou manifestações em massa em 26 de Junho de 2015 nas principais cidades da Grécia contra as novas medidas e acordos anti-povo com os prestamistas, os quais estão a ser preparados pelo governo SYRIZA-ANEL.

O secretário-geral do CC do KKE, D. Koutsoumpas, afirmou, dentro outras coisas, no seu discurso na praça central de Atenas:

"O povo grego deve dizer um grande NÃO ao acordo, NÃO à continuação da sua própria bancarrota, NÃO aos partidos da via única da UE e do poder capitalista. Ele deve traçar uma rota de modo a que possa realmente tomar as rédeas do poder.

O povo deve lutar ao lado do KKE, deve impedir as medidas anti-povo, nas ruas nos lugares de trabalho.

O SYRIZA tornou-se governo através do sequestro das exigências do povo trabalhador. Ele está agora a tentar enganar o povo mais uma vez, distorcendo e interpretando os votos do povo de acordo com os seus interesses.

Cinco meses após as eleições, o governo está a preparar-se para enviar ao povo a factura com as medidas do novo acordo que são verdadeiramente um nó corrediço em torno dos pescoços das famílias dos estratos populares que sangraram e continuarão a sangrar por cauda dívida, por causa da UE, por causa da lucratividade dos monopólios, se não começarem um contra-ataque seguindo o caminho da ruptura e do conflito com a UE e os monopólios.

O povo grego deve rejeitar tanto as propostas das "três instituições" prestamistas como as propostas do governo Tsipras de 47+8 páginas, ambas são bárbaras, uma guilhotina para o povo.

O governo SYRIZA-ANEL e também seus parceiros europeus e o FMI, com a intervenção dos EUA, não abandonaram os esforços para salvar a Grécia capitalista dentro da estrutura da UE capitalista".

Nas primeiras horas da manhã de 27 de Junho, o primeiro-ministro A. Tsipras anunciou um referendo, cuja pergunta será se o povo aceita as propostas dos prestamistas ou não.

Numa intervenção durante o programa da estação Mega TV, pouco após o discurso do primeiro-ministro, Yiannis Gkiokas, membro do CC do KKE e responsável pelo seu Gabinete de Imprensa enfatizou que:

"A posição do KKE é clara. O NÃO do povo grego deve ser dirigido em conjunto a ambas as propostas ? às propostas dos prestamistas e também às propostas do governo com 47 páginas que tiveram pormenores acrescentados durante todo este período.

Ambas as propostas contêm medidas selvagens a expensas do povo.

O referendo tem as características de chantagem contra o povo e pretende torná-lo cúmplice dos seus planos anti-povo, conclamando-o a escolher entre dois males.

O governo deve cessar de contar contos de fada acerca de alegadamente respeitar a vontade do povo. O povo lutou e sangrou nos anos anteriores contra o memorando e as leis que o aplicavam. E durante estes cinco meses, o governo não aboliu qualquer lei, manteve a estrutura anterior intacta e está também a propor novas medidas aos prestamistas.

Não à continuação da bancarrota do povo

por KKE

O governo diz que as propostas dos prestamistas ultrapassam o mandato popular. Estarão as suas próprias propostas dentro das fronteiras do mandato popular?

O governo contou mentiras ao povo grego. Ele prometeu-lhe que podia libertar-se do memorando e da austeridade dentro da UE e do caminho do desenvolvimento capitalista e agora está a tentar administrar o colapso desta narrativa pré eleitoral.

O povo deve dizer não a ambas de todas as formas e utilizando todos os meios disponíveis. Deve rejeitar o plano dos credores e também o plano do governo. Deve levantar-se e combater pela única solução realista para os seus próprios interesses, a qual é a ruptura com a UE e com o actual caminho de desenvolvimento".
27/Junho/2015

O original encontra-se em inter.kke.gr/en/articles/KKE-NO-to-the-continuing-bankruptcy-of-the-people/

Esta notícia encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Jantar de Irmandade BASENAME: jantar-de-irmandade-1 DATE: Sat, 27 Jun 2015 17:39:47 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Achega-se o Dia da Pátria Galega e voltamos a organizar mais um jantar popular no marco do Festival da Chaira. Será o dia 11 de julho. Ide fazendo reserva.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Terrorismo financeiro & Referendo grego BASENAME: canta-o-merlo-terrorismo-financeiro-aamp-referendo-grego DATE: Sat, 27 Jun 2015 10:39:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

TERRORISMO FINANCEIRO & REFERENDO GREGO

Ao invés de dizer um não rotundo e claro ao terrorismo financeiro da Troika para com o povo grego, o governo Syriza-ANEL saiu-se dia 26 de Junho com mais uma das suas piruetas: Anuncia que vai organizar um referendo no dia 5 de Julho quanto às propostas chantagistas das três "instituições" (FMI, BCE e Comissão Europeia). O governo Syriza-ANEL demite-se assim das suas responsabilidades. Ao longo de cinco meses ele cedeu a quase todas as exigências da Troika, uns 90 por cento delas. Mas agora finge-se envergonhado em capitular nas exigências finais e sai-se com este expediente pseudo-democrático numa tentativa de transferir para outros o odioso das suas cedências. Este referendo até pode ser democrático, mas as condições em que o povo grego irá votar ? com a corda no pescoço ? nada têm de democráticas. Nestes cinco meses de conversações o governo Syriza-ANEL não se preparou nem preparou o povo grego para a necessária ruptura com a Troika ? confiou na benevolência da Troika, mas esta marimbou-se para o sr. Tsipras.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: O debate sobre o acordo ortográfico que obrigou a uma ata (e a uma acta) da CPLP com duas grafias BASENAME: canta-o-merlo-o-debate-sobre-o-acordo-ortografico-que-obrigou-a-uma-ata-e-a-uma-acta-da-cplp-com-duas-grafias DATE: Thu, 25 Jun 2015 13:44:56 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O debate sobre o acordo ortográfico que obrigou a uma ata (e a uma acta) da CPLP com duas grafias

23.06.2015

http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-06-23-O-debate-sobre-o-acordo-ortografico-que-obrigou-a-uma-ata--e-a-uma-acta--da-CPLP-com-duas-grafias

Jose Carlos Carvalho

O acordo ortográfico tirou o ?C? de ?ata? e uma reunião oficial e de alto nível discutiu a eventualidade de se confundir a ata - o documento oficial - com o ato de atar pessoas. Portugal manifestou-se contra a existência de uma ata na grafia pré-acordo, Angola a favor: ?Quando a forma ortográfica muda, as palavras não significam a mesma coisa?, defendeu um governante angolano

Exigências de Angola e Moçambique sobre o Acordo Ortográfico (AO) obrigaram à alteração da ata final da XIV Conferência dos Ministros da Justiça da CPLP, em Díli, para incluir, ao longo de todo o texto, as duas grafias.

Esta foi a solução encontrada depois de um debate que incluiu referências múltiplas à "língua de Camões" e até a análise etimológica da palavra "ata", que o representante da Guiné-Bissau disse poder suscitar uma interpretação alternativa "de atar pessoas".

A solução, proposta pelo ministro da Justiça de Cabo Verde, foi necessária para evitar a alternativa defendida inicialmente pelos representantes de Angola e Moçambique: duas atas, uma na grafia do AO e outra na grafia pré-AO.

Essa posição foi rejeitada por Portugal, Cabo Verde, Brasil e São Tomé e Príncipe, que consideraram que essa alternativa não faria sentido numa comunidade que fala a mesma língua, sendo prejudicial porque daria 'armas' aos que contestam a CPLP.

O representante do secretariado executivo da CPLP recordou, por seu lado, que o critério usado até aqui nas cimeiras de Chefes de Estado e de Governo e nos encontros setoriais da comunidade tem sido de recorrer à grafia usada no país onde decorre a reunião.

Nesse caso, e a manter-se esse critério, a ata final da reunião de Díli seria feita com a grafia do AO, que já foi ratificado por Timor-Leste.

A polémica marcou a sessão de encerramento da XIV Conferência quando os representantes nacionais se preparavam para aprovar o texto das 17 páginas da ata final do encontro, que passou a incluir a grafia do AO como base e a grafia pré-AO entre parenteses.

O debate começou quando estava para ser lida a ata final, tendo o secretário de Estado dos Direitos Humanos angolano, António Bento Bembe, afirmado que Angola ainda não tinha ratificado o AO, questionando por isso o seu uso no texto.

"A questão aqui não é como falamos, mas como escrevemos. Quando a forma ortográfica muda, as palavras não significam a mesma coisa", disse António Bento Bembe.

"Uma vez que se chega a este acordo na base do consenso, não posso assinar este documento que não está escrito da forma que se fala em Angola. Camões não escreveu assim", disse.

A posição foi ecoada pelo ministro da Justiça de Moçambique, Abdurremane Lino de Almeida, e pelo representante da Guiné-Bissau, tendo o secretário de Estado da Justiça português, António Manuel da Costa Moura, afirmando que a decisão deveria caber a Timor-Leste, já que a ata foi escrita em Díli.

"Ter duas atas seria um prato de lentilhas para quem quisesse explorar divergências sobre a língua numa comunidade que fala português. Percebo a questão e tenho até uma opinião pessoal. Mas ter duas versões de uma mesma língua, de uma reunião, de uma comunidade, que fala uma língua não será muito boa ideia", disse Costa Moura.

Também o ministro da Justiça de Cabo Verde, José Carlos Lopes, e o de São Tomé e Príncipe, Roberto Pedro Raposo, questionaram a opção das duas atas, propondo um voto ou a definição, pela presidência, do critério a seguir.

"Independente do respeito que tenho pelas pessoas que ainda não ratificaram o AO, ter duas atas é contraditório. Falamos a mesma língua", disse Raposo, sugerindo que a ata incluísse uma nota a recordar os países que ainda não ratificaram o AO.

Guiné-Bissau, Angola e Moçambique manifestaram a sua oposição à versão com AO, insistindo que o documento "tem que ser apreciado superiormente", com o responsável moçambicano a referir casos, no passado, em que responsáveis governativos devolveram documentos "mal escritos" porque vinham na grafia do AO.

"Conhecendo esta realidade, não posso levar isto, este documento escrito assim. Se prevalece a assinatura da ata, que seja de acordo com a velha língua portuguesa - não temos como apresentar isso às autoridades", disse Abdurremane Lino de Almeida.

Depois de um debate de quase 30 minutos, o impasse acabou por ser resolvido com uma solução invulgar: duas grafias no mesmo texto, ignorando apelos dos que, como o representante do Brasil, recordaram que no passado sempre houve só uma ata. "Até no recente encontro dos ministros da Educação", disse Isulino Giacometi Junior, representante brasileiro.

A ata acabou por referir, no seu próprio texto, a oposição de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique à grafia do texto e a decisão, depois de debate, "que se aplicariam ambos os critérios em simultâneo".

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Apresentaçom livro "Mares de queijo" com colóquio e música BASENAME: apresentacom-livro-mares-de-queijo-com-coloquio-e-musica DATE: Thu, 25 Jun 2015 10:16:20 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá sexta-feira o autor da obra poética "Mares de queijo", Ramiro V. Alvarinho, estará no Centro Social junto com @s também poeta e poetisa Mário Herrero e Maria Castelo.

Com @s três, e mais a presença do Miguel Alonso à guitarra, teremos um evento de arte múltipla e combinada, entre versos, retrousos e conversas mais prosaicas.

Amanhá a partir das 20h no Centro Social Gomes Gaioso, na Rua Marcóni.

Cultura galega e popular!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Obradoiro plantas medicinais BASENAME: obradoiro-plantas-medicinais DATE: Wed, 24 Jun 2015 16:27:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: cursos TAGS: ----- BODY:

O dias 27 e 28 de junho organizamos um obradoiro para conhecer as plantas medicinais do nosso entorno.Também conheceremos as prantas do Sam Joám.
O preço é de 22 euros (20 euros sóci@s do centro social) Inscriçons no nosso mail ou no tlf.687913857.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: "O plano de ajuda à Grécia era ilegal e ilegítimo" BASENAME: canta-o-merlo-o-plano-de-ajuda-a-grecia-era-ilegal-e-ilegitimo DATE: Wed, 24 Jun 2015 13:42:53 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

"O plano de ajuda à Grécia era ilegal e ilegítimo"

por Dominique Berns e Eric Toussaint [*]
entrevistados por Le Soir

Enquanto as negociações entre a Grécia e seus credores estão no ponto morto, a Comissão de auditoria da dívida, estabelecida pelo Parlamento grego, revela seu relatório nesta quarta e quinta-feira. O alvo: o "plano de salvamento" de Maio de 2010, concluído em condições "de irregularidade, de ilegitimidade e de ilegalidade", explica o coordenador científico da Comissão, o economista belga Eric Toussaint.

A Comissão de auditoria denuncia o "plano de salvamento" de Maio de 2010. Por que?

Porque há uma vontade conjunta do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Central Europeu (BCE), da Comissão, em acordo com vários governos chave, em particular o alemão e o francês, e do governo grego, de deformar a realidade e de apresentar a situação como resultante de uma crise grave das finanças públicas. Era entretanto a dívida privada que colocava o problema fundamental. Uma vez no euro, a Grécia e o sistema financeiro grego beneficiaram maciçamente de empréstimos dos grandes bancos, essencialmente franceses e alemães. Seguiu-se uma bolha do crédito privado. Entre 2001 e 2009, os empréstimos dos bancos gregos às famílias multiplicaram-se por sete e os empréstimos às empresas por quatro; ao passo que os empréstimos aos poderes públicos aumentavam somente 20%. Os bancos gregos efectuaram uma política aventureira, emprestando a médio e longo prazos e financiando-se a curto prazo. Em Dezembro de 2008, as autoridades gregas tiveram de injectar 5 mil milhões de euros de capitais no sistema bancário e conceder 23 mil milhões de garantias. Depois, em 2009, o PIB da Grécia caiu 4%; e agentes económicos, famílias e empresas começaram a encontrar dificuldades de reembolso. Em lugar de enfrentar a situação, o novo governo do sr. Papandreu optou por dramatizar a situação das finanças públicas.

Pouco após sua chegada ao poder, Papandreu anuncia que o défice público representava cerca de 14% do PIB ? e não 6% como afirmava seu antecessor...

O governo Papandreu fez pressão sobre o Gabinete Grego das Estatísticas para agravar os números do défice e da dívida. A dívida foi assim inchada em 28 mil milhões, nela contabilizando 19 mil milhões de dívidas de empresas públicas, 4 mil milhões de despesas em medicamentos de hospitais e 5 mil milhões e swaps. Inicialmente, a direcção do Gabinete das Estatísticas contestava a integração destes montantes. O Eurostat, o gabinete europeu de estatística, igualmente. Depois o Eurostat aceitou. Ora, as regras do Eurostat não obrigavam a integrar estes 28 mil milhões na dívida. Dramatizar a situação das finanças públicas permitia ocultar os problemas bancários.

Para evitar impor perdas aos credores estrangeiros dos bancos gregos?

Sim. Assim como se afastou a possibilidade de uma reestruturação da dívida pública...

... Novamente para proteger os grandes bancos estrangeiros e lhes dar tempo para reduzir sua exposição. Isto é conhecido.

O ex-representante grego no FMI, Panayotis Roumeliotis, informou-nos que Jean-Claude Trichet, o [então] presidente do BCE, ameaçou Atenas de cortar a liquidez aos bancos gregos a partir de Abril de 2010 em caso de reestruturação. Os bancos gregos aproveitaram igualmente deste adiamento: entre 2010 e a reestruturação de Fevereiro-Março de 2010, sua exposição à dívida grega passou de 43 mil milhões para pouco de 20 mil milhões. Compreende-se porque tanto o sr. Papandreu como os srs. Trichet e Sarkosy, a sra. Merkel e a direcção do FMI se puseram de acordo em 2010 para excluir toda reestruturação da dívida. Ora, num documento interno de Março de 2010, o FMI espera que as medidas de ajustamento que vão ser impostas à Grécia provoquem uma queda da actividade económica e uma explosão do rácio da dívida pública em relação ao PIB de 150% em 2013. Problema: as regras não permitem ao FMI autorizar um país a exercer um direito de saque se a dívida não for sustentável. Eis porque estas regras foram mudadas, sob a pressão de países como a França ou a Alemanha, do BCE, da Comissão, com o acordo dos Estados Unidos. Portanto foi tomada uma decisão visando proteger os interesses de uma minoria privilegiada de grandes bancos privados, em detrimento do interesse geral. E como contrapartida a estes empréstimos maciços que transformaram dívidas privadas em dívidas públicas, foram ditadas aos sucessivos governos gregos medidas extremamente precisas em matérias de pensões, de salários, etc, que deviam ser aprovadas a mata-cavalos no Parlamento grego. Ora, os credores estavam conscientes das graves consequências económicas e sociais que estas medida iam provocar ? nomeadamente a violação de uma série de convenções internacionais protegendo os direitos humanos, que a Grécia assim como os Estados credores teriam devido respeitar.

Qual pode ser a utilidade deste relatório?

O direito internacional permite a um Estado colocar um acto soberano de suspensão de pagamento sem acumulação de juros atrasados ? portanto uma moratória unilateral ? se a dívida estiver claramente marcada por ilegitimidade e se não puder ser reembolsada senão violando as obrigações em matéria de direitos humanos fundamentais. Mas a decisão caberá ao governo de Alexis Tsipras.

[*] Eric Toussaint: Mestre de conferências da Universidade de Liège, presidente do CADTM Bélgica e membro do conselho científico do ATTAC França.

Ver também:
La dette grecque est illégale, illégitime et odieuse selon le rapport préliminaire du Comité sur la dette
Hellenic Parliament?s Debt Truth Committee Preliminary Findings - Executive Summary of the report

O original encontra-se no jornal Le Soir de 17/Junho/15 e em cadtm.org/Le-plan-d-aide-a-la-Grece-etait

Esta entrevista encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia-Capitulaçao Abjecta BASENAME: canta-o-merlo-grecia-capitulacao-abjecta DATE: Wed, 24 Jun 2015 10:01:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

http://resistir.info/

CAPITULAÇÃO ABJECTA

As cedências do governo grego chegaram agora à abjecção. Ele já rasteja frente à troika. Num acto de vassalagem, no dia 23 de Junho foram anunciadas novas propostas do governo SYRIZA-ANEL de medidas gravosas contra o povo. "Sentimo-nost traídos, este governo continua a política de degola imposta pelos seus antecessores. Ele propõe incontáveis novos impostos directos e indirectos a serem suportados pelo povo", afirmou Manolia Rallakis, secretário-geral da federação dos pensionistas gregos. As pensões anteriormente haviam sido cortados entre 60 e 40 por cento e agora o governo SYRIZA-ANEL propõe a Bruxelas ainda mais encargos adicionais sobre cuidados de saúde e serviços.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Grécia: Todos às ruas! BASENAME: canta-o-merlo-grecia-todos-as-ruas DATE: Tue, 23 Jun 2015 17:24:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

PAME: Todos às ruas
Terça-feira 23 de Junho o PAME organiza uma nova manifestação na Praça Omonia às 18h00.

O PAME [Frente Militante de Todos os Trabalhadores gregos] está a convocar uma "mobilização popular para impedir o novo acordo selvagem anti-povo, o novo pacote anti-povo com que eles querem sobrecarregar-nos.

No mesmo dia os pensionistas farão uma manifestação nacional em Atenas.

Na sua convocatória para a manifestação o PAME nota que:
"A solução tem de ser encontrada nas lutas sob as bandeiras do trabalhadores, dos interesses do povo, com base nos nossos direitos e necessidade e não naqueles dos patrões. A solução tem de ser encontrada na confrontação nos lugares de trabalho, no contra-ataque total contra nossos exploradores, os quais são os únicos que têm aproveitado das novas medidas bárbaras.

Nós estabelecemos as nossas próprias linhas vermelhas

Viramos as costas àqueles que nos querem a aplaudir o governo e seus parceiros, os torcedores de uma negociação que está a levar-nos à pobreza para os lucros de poucos.

Viramos às costas aos defensores da UE, às uniões do capital e dos seus servidores que estão a protestar pelo direito a continuar a viver a partir do suor dos outros, a continuar a explorar a vasta maioria do povo ainda mais selvaticamente.

Não temos nada a ver com eles! Não somos os mesmos!

Nós não colocamos nossas palavras de ordem e cartazes sob falsas bandeiras. Não temos os mesmos interesses, as mesmas necessidades, as mesmas ansiedades e dificuldades dos nossos exploradores.

Você ou está com os monopólios ou com as necessidades do povo! Não há outro caminho! Nosso caminho é da luta, da ruptura com a UE e a via dos monopólios.

Nenhum apoio ao novo memorando, seja qual o nome que lhe seja dado!

Não-aceitação da UE bárbara e anti-povo!

No dia 11 de Junho mais de 700 organizações de trabalhadores e populares deram uma forte resposta em 60 cidades gregas.

Na terça-feira, a voz dos trabalhadores, dos pensionistas, da juventude, das mulheres será ouvida outra vez.

Nossas lutas não são um jogo na competição dos monopólios, as propostas e linha política da UE, FMI, BCE, Rússia e China. O povo não tem interesse em escolher a corda que estas forças utilizarão para enforcá-lo, seu interesse está em por em causa estas forças.

Toda a gente dever juntar-se às lutas!

Trabalhadores, desempregado, jovens.
Não aceitem:
As novas e velhas leis anti-sociais de segurança.
A continuação dos ataques ao rendimento, salários e pensões do povo.
Os novos impostos e gravames.

Nossas vidas não podem aguentar outras medidas. Nossas necessidades não podem esperar. Exigimos, aqui e agora, em oposição à intimidação e à chantagem:
Aumentos de salários, pensões e benefícios
Recuperação de todas as perdas.
Restauração dos acordos de trabalho Colectivos.
Abolição das leis anti-trabalhador.
Protecção real de todos os desempregados.

Organizemos a nossa resposta!

Acumulemos a nossa força!

Fortaleçamos nossos sindicatos em todos os sectores. Respondamos militantemente! Esmaguemos o clima de medo, a chantagem e as ameaças do patronato, do governo, da UE-FMI-BCE.

Só a nossa fortaleza e posicionamento podem abolir as leis anti-povo, o memorando e os patrões!"
22/Junho/2015

O original encontra-se em inter.kke.gr/en/articles/PAME-Everyone-onto-the-streets/

Esta convocatória encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Teatro para crianças na Fundaçom Artábria BASENAME: title-796 DATE: Tue, 23 Jun 2015 09:03:54 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O próximo 2 de julho iniciamos na Fundaçom Artábria um obradoiro de teatro para crianças entre 8 e 12 anos que decorrerá durante os meses de julho e agosto e será ministrado por Lara Soto.

O preço de inscriçom é de 15 euros ao mês por 1 hora à semana ou de 25 euros ao mês se @ nen@ vem 2 horas à semana.

O horário do obradoiro de teatro será de 12h a 13h nas terças e quartas-feiras.

Podes ter mais informaçom ligando para o telefone 671 200 160.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Celebra a chegada do verao com a Fundaçom Artábria BASENAME: title-795 DATE: Tue, 23 Jun 2015 08:42:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ano após ano, a noite de 23 para 24 de Junho tem servido para que a Fundaçom Artábria comemorasse a chegada do Verao, como é tradiçom na nossa comarca e na Galiza toda: com grandes fogueiras, festa, comida e vinho.

Mais um ano estaremos com todos vos na Travessa de Batalhóns a partir das 20.30hs com música, dança e chouriços à grelha a dous euros.

Viva a festa galega e popular!

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Syriza: Saqueio, pilhagem e prostração BASENAME: canta-o-merlo-syriza-saqueio-pilhagem-e-prostracao DATE: Mon, 22 Jun 2015 17:47:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Syriza: Saqueio, pilhagem e prostração
? Como a "esquerda" abraça políticas de direita

por James Petras

A Grécia tem estado nas manchetes da imprensa financeira internacional durante os últimos cinco meses, quando o partido de esquerda recém eleito, o Syriza, que se opunha ostensivamente às chamadas "medidas de austeridade", confrontava directamente a Troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu).

Inicialmente a liderança do Syriza, encabeçada por Alexis Tsipras, adoptou vários posicionamentos estratégicos com consequências fatais ? em termos de implementação das suas promessas eleitorais de elevar padrões de vida, acabar com a vassalagem à Troika e seguir uma política externa independente.

Prosseguiremos esboçando os fracassos sistémicos iniciais do Syriza e as subsequentes concessões, corroendo mais uma vez padrões de vida gregos e aprofundando o papel da Grécia como um colaborador activo do imperialismo dos EUA e israelense.

Ganhar eleições e capitular ao poder

A esquerda norte-americana e europeia celebrou a vitória eleitoral do Syriza como uma ruptura com programas de austeridade neoliberais e como o lançamento de uma alternativa radical, a qual implementaria iniciativas populares para mudanças sociais básicas, incluindo medidas para gerar emprego, restabelecer pensões, reverter privatizações, reordenar prioridades do governo e favorecer pagamentos a empregados em relação a bancos estrangeiros. A "evidência" para a agenda de reforma radical estava contida no Manifesto de Salónica , o qual o Syriza prometeu que seria o programa condutor dos seus responsáveis recém eleitos.

Contudo, antes e imediatamente depois de serem eleitos, líderes do Syriza adoptaram três decisões básicas eliminando quaisquer mudanças significativas. Na verdade, estas decisões puseram em curso uma rota reaccionária .

Em primeiro lugar e acima de tudo, o Syriza aceitou como legítima a dívida externa de mais de 350 mil milhões de dólares, apesar de a maior parte ter sido assinada por anteriores governos cleptocratas, bancos, negócios, imobiliário e interesses financeiros corruptos. Virtualmente nada desta dívida foi utilizada para financiar actividade produtiva ou serviços vitais, os quais fortaleceriam a economia e a futura capacidade da Grécia para reembolsar os empréstimos.

Centenas de milhares de milhões de Euros foram escondidos longe através de contas em bancos e imobiliário estrangeiro ou investidos em acções e títulos além-mar. Depois de afirmar a "legitimidade" da dívida ilícita, o Syriza prosseguiu declarando sua "disposição" para pagar a dívida. A Troika imediatamente entendeu que o novo governo Syriza seria um refém receptivo a nova coerção, à chantagem e pagamentos da dívida.

Em segundo lugar, e relacionado com o acima, o Syriza declarou sua determinação de permanecer dentro da União Europeia e da Eurozona e portanto aceitou a rendição da sua soberania e da sua capacidade para moldar uma política independente. Declarou a sua disposição a submeter-se aos ditames da Troika. Uma vez sob a pata da Troika, a única política do Syriza seria "negociar", "renegociar" e fazer novas concessões aos bancos da UE num processo totalmente unilateral. A rápida submissão do Syriza à Troika foi a sua segunda traição estratégica, mas não a última, ao seu programa eleitoral.

Uma vez que o Syriza demonstrou à Troika a sua disposição para trair seu programa popular, a Troika escalou suas exigências e endureceu sua intransigência. Bruxelas descontou a retórica de esquerda do Syriza e seus gestos radicais de teatro como um sopro de fumaça nos olhos do eleitorado grego. Os banqueiros da UE sabiam que quando chegasse o momento de negociar novos acordos de empréstimo, a liderança do Syriza capitularia. Enquanto isso, a esquerda euro-americana engoliu toda a retórica radical do Syriza sem olhar para sua prática real.

Em terceiro lugar, ao tomar posse, o Syriza negociou uma coligação com a extrema-direita do Partido dos Gregos Independentes , pró NATO, xenófobo e anti-imigrantes, garantindo que a Grécia continuaria a apoiar políticas militares da NATO no Médio Oriente, na Ucrânia e a campanha brutal de Israel contra a Palestina.

Em quarto lugar, a maior parte dos nomeados para o gabinete do primeiro-ministro Tsipras não tinham experiência de luta de classe. Pior ainda, a maior parte eram académicos e antigos conselheiros do PASOK sem qualquer capacidade ou disposição para romper com os ditames da Troika. Sua "prática" académica consistia em grande parte de "combate" teórico, mal adaptado à confrontação no mundo real com potências imperiais agressivas.

De um arranhão à gangrena

Ao capitular à UE desde o início, incluindo a aceitação do pagamento da dívida ilegítima, enganchado à Extrema-direita e submisso aos ditames da Troika, o cenário estava pronto para que o Syriza traísse todas as suas promessas e agravasse o fardo económico dos seus apoiantes . As piores traições incluem: (1) não restabelecer pagamentos de pensões; (2) não restabelecer o salário mínimo; (3) não reverter privatizações; (4) não finalizar programas de austeridade; e (5) não aumentar fundos para educação, saúde, habitação e desenvolvimento local.

A Troika e seus publicistas na imprensa financeira estão a exigir que o Syriza corte ainda mais o sistema grego de pensões, empobrecendo 1,5 milhão de trabalhadores reformados. Ao contrário do que os media apresentaram como "exemplos" de pensões gordas desfrutadas por menos de 5% de pensionistas, os gregos sofreram as mais profundas reduções de pensões na Europa em mais de um século. Só nos últimos quatro anos a Troika cortou oito vezes as pensões gregas. A vasta maioria das pensões foi amputada em aproximadamente 50% desde 2010. A pensão média é de 700 Euros por mês mas 45% dos pensionistas gregos recebem menos de 665 Euros por mês ? abaixo da linha de pobreza. Mas a Troika exige reduções ainda maiores. Estas incluem por fim a subsídios orçamentais a pensionistas que vivem em pobreza extrema, um aumento na idade de reforma para 67 anos, uma abolição de disposições de pensões ligadas a ocupações perigosas e para mães trabalhadoras. As medidas regressivas prévias, impostas pela Troika e implementadas pelo regime anterior da coligação de direita, esgotou gravemente o fundo de pensões grego. Em 2012, o programa de "reestruturação da dívida" da Troika levou à perda de 25 mil milhões de Euros de reservas possuídas pelo governo grego em títulos governamentais. As políticas de austeridade da Troika asseguraram que as reservas para pensões não seriam reabastecidas. As contribuições mergulharam quando o desemprego ascendeu a cerca de 30% ( Financial Times, 6/5/15, p.4). Apesar do assalto frontal da Troika ao sistema de pensões grego, a "equipe económica" do Syriza manifestou sua disposição para elevar a idade de reforma, cortar pensões em 5% e negociar novas traições a pensionistas enfrentando privações. O Syriza não só fracassou em cumprir sua promessa de campanha de reverter as políticas regressivas anteriores como comprometeu-se nas suas próprias liquidações "pragmáticas" junto à Troika.

Pior ainda, o Syriza aprofundou e estendeu as políticas dos seus antecessores reaccionários. (1) O Syriza prometeu congelar privatizações: Agora ele promete estendê-las em 3,2 mil milhões de Euros e privatizar novos sectores públicos. (2) O Syriza concordou atribuir recursos públicos escassos aos militares, incluindo um investimento de 500 milhões de Euros para aperfeiçoar a Força Aérea Grega. (3) O Syriza pilhou o fundo nacional de pensões e tesourarias municipais em mais de mil milhões de euros para cumprir pagamentos de dívidas à Troika. (4) O Syriza está a cortar investimentos públicos em projectos de infraestrutura e criação de emprego para atender datas finais da Troika. (5) O Syriza concordou com um excedente orçamental de 0,6% no momento em que a Grécia está a incidir, neste ano, num défice de 0,7% ? o que significa mais cortes depois deste ano. (6) O Syriza prometia reduzir o IVA sobre bens essenciais como alimentos; agora aceita uma taxa de 23%.

A política externa do Syriza imita a dos seus antecessores. O ministro da Defesa de extrema-direita do Syriza, Panos Kammenos, tem sido um apoiante ruidoso das sanções dos EUA e UE contra a Rússia ? apesar da agitação habitual dos falsos "dissidentes" do Syriza a políticas da NATO, seguidas pela capitulação total ? para permanecer nas boas graças da NATO. O regime Syriza tem permitido a todos os cleptocratas e evasores fiscais bem conhecidos a reterem sua riqueza ilícita e aumentarem seus haveres além-mar com transferências maciças das suas actuais "poupanças" para fora do país. No fim de Maio de 2015, o primeiro-ministro Tsipras e o ministro das Finanças Varoufakis esvaziou o Tesouro para atender a pagamentos de dívida, aumentando as perspectivas de que pensionistas e trabalhadores do sector público não receberão os seus benefícios. Tendo esvaziado o Tesouro grego, o Syriza agora imporá a "Solução Troika" sobre as costas das empobrecidas massas gregas: ou aprovar um novo plano de "austeridade", reduzindo pensões, aumentando a idade de reforma, eliminando leis de protecção à segurança de empregos dos trabalhadores e negociando direitos ou enfrentar um tesouro vazio, sem pensões, aumento do desemprego e aprofundamento da depressão económica. O Syriza deliberadamente esvaziou o Tesouro, pilhou fundos de pensão e haveres locais de municípios a fim de chantagear a população a aceitar como um facto consumado as políticas regressivas de banqueiros da UE ? os chamados "programas de austeridade".

Desde o princípio , o Syriza atendeu aos ditames da Troika, mesmo quando eles encenavam sua "resistência de princípio". Primeiro mentiram ao público grego, chamando a Troika de "parceiros internacionais". A seguir mentiram outra vez chamando o memorando da Troika para maior austeridade de "documento negocial". Os enganos do Syriza pretendiam esconder a sua continuação do "quadro" altamente impopular imposto pelo anterior e desacreditado regime de extrema-direita.

Ao pilhar o país de recursos a fim de pagar os banqueiros, o Syriza escalou sua abjecção internacional. Seu ministro da Defesa ofereceu novas bases militares à NATO, incluindo uma base aérea-marítima na ilha grega de Carpatos. O Syriza escalou o apoio político e militar da Grécia à UE e aos EUA para intervenções militares e apoio a terroristas "moderados" no Médio Oriente, ridiculamente em nome da "protecção de cristãos". A bajulação do Syriza a sionistas europeus e estado-unidenses, fortalecendo seus laços com Israel, evocando uma "aliança estratégica" com o estado do apartheid terrorista. Desde os seus primeiros dias no gabinete, o ministro de extrema-direita da Defesa, Kammenos, propôs a criação de um "espaço de defesa comum" incluindo Chipre e Israel ? apoiando portanto o bloqueio aéreo e marítimo de Israel a Gaza.

Conclusão

A decisão política do Syriza de " embutir-se " na UE e na Eurozona, a todo custo, assinala que a Grécia continuará a ser um estado vassalo , traindo seu programa e adoptando políticas profundamente reaccionárias, mesmo enquanto trombeteia sua falsa retórica esquerdista e finge "resistência" à Troika. Apesar do facto de o Syriza ter pilhado pensões internas e tesourarias locais, muitos iludidos esquerdistas na Europa e nos EUA continuam a aceitar e racionalizar o que eles escolheram alcunhando-as como "compromissos realistas e pragmáticos".

O Syriza podia ter confiscado e utilizado os US$32 mil milhões de propriedades imobiliárias possuídas pelas Forças Armadas Gregas para implementar um plano alternativo de investimento e desenvolvimento ? arrendando estas propriedades para portos marítimos, aeroportos e instalações turísticas comerciais .

O Syriza enterrou a Grécia ainda mais fundo dentro da hierarquia dominada pelas finanças alemãs, ao capitular do seu poder soberano de impor uma moratória da dívida, abandonar a Eurozona, preservar seus recursos financeiros, restabelecer uma divisa nacional, impor controles de capitais, confiscar milhares de milhões de Euros em contas ilícitas além-mar, mobilizar fundos locais para financiar a recuperação económica e reactivar o sector público e privado. O falso "Sector de esquerda" dentro do Syriza repetidamente balbuciou "objecções" impotentes, enquanto Tsipras-Varoufakis prosseguiam a liquidação mistério até a capitulação final.

No final das contas, o Syriza aprofundou a pobreza e o desemprego, aumentou o controle estrangeiro sobre a economia, desgastou ainda mais o sector público, facilitou o despedimento de trabalhadores e cortou nas indemnizações por despedimento ? enquanto aumentou o papel dos militares gregos ao aprofundar suas ligações à NATO e a Israel.

Igualmente importante, o Syriza esvaziou totalmente a fraseologia de esquerda de qualquer significado cognitivo: para eles, soberania nacional traduz-se em vassalagem internacional e anti-austeridade tornam-se capitulações pragmáticas a nova austeridade. Quando o acordo Tsipras-Troika for finalmente assinado e o terrível dano da austeridade durante as próximas décadas afundar-se dentro da consciência do público grego, a traição esperançosamente dará lugar à repulsa em massa. Talvez o Syriza venha ser dividido e a "esquerda" finalmente abandone seus confortáveis postos no gabinete e se junte aos milhões insatisfeitos para formar um partido alternativo.
15/Junho/2015
O original encontra-se em petras.lahaine.org/?p=2039

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
21/Jun/15

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Chega o verao a Monte Alto. A festa grande da cidade, no Centro Social BASENAME: title-794 DATE: Sat, 20 Jun 2015 13:04:16 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Sardinhas, churrasco, música, preços populares...
O Centro Social Gomes Gaioso fará parte da vida noturna da noite mágica corunhesa que celebra a chegada do verao.
Esperamos a vossa participaçom com instrumentos!

Animas-te?

A partir das 20h, na terça-feira 23... armamo-la!

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Lume novo 2015 BASENAME: lume-novo-2015 DATE: Thu, 18 Jun 2015 16:43:41 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Segunda quinzena junho. BASENAME: segunda-quinzena-junho DATE: Thu, 18 Jun 2015 16:38:45 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Fome é o preço que os gregos pagarão para permanecerem na UE BASENAME: canta-o-merlo-fome-e-o-preco-que-os-gregos-pagarao-para-permanecerem-na-ue DATE: Thu, 18 Jun 2015 05:07:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fome é o preço que os gregos pagarão para permanecerem na UE

por Paul Craig Roberts

O Syriza, o novo governo grego que pretendeu resgatar a Grécia da austeridade, chegou a um fracasso. O governo confiou na boa vontade dos seus "parceiros" da UE, só para descobrir que estes "parceiros" não tinham boa vontade. O governo grego não entendeu que a única preocupação era o resultado líquido, ou lucro, daqueles que possuem a dívida grega.

O povo grego está a olhar para outro lado tal como o seu governo. A maioria dos gregos quer permanecer na UE apesar de isto significar que suas pensões, seus salários, seus serviços sociais e suas oportunidades de emprego serão reduzidas. Aparentemente, para os gregos compensa serem enterrados para fazerem parte da Europa.

A alegada "crise grega" não faz qualquer sentido. É óbvio que a Grécia, com a sua economia arruinada, não pode reembolsar as dívidas que o Goldman Sachs escondeu e a seguir capitalizou com a informação privilegiada que dispunha, ajudando a provocar a crise. Se a solvência dos possuidores da dívida grega, aparentemente hedge funds de Nova York e bancos alemães e holandeses, dependesse de serem reembolsados, o Banco Central Europeu podia simplesmente seguir o exemplo do Federal Reserve e imprimir o dinheiro para assegurar a dívida grega. O BCE já está a imprimir 60 mil milhões de euros por mês para salvar o sistema financeiro europeu, então por que não incluir a Grécia?

Um conservador pode dizer que tal rota de acção provocaria inflação, mas não provocou. O Fed esteve a criar moeda durante sete anos e, segundo o governo, não há inflação. Nós temos mesmo taxas de juro negativas comprovando a ausência de inflação. Por que criar dinheiro para a Grécia cria inflação mas não para o Goldman Sachs, Citibank e JP Morgan Chase?

Obviamente, o mundo ocidental não quer ajudar a Grécia. O Ocidente quer saquear a Grécia. O acordo é de que a Grécia obtenha novos empréstimos com os quais reembolsar empréstimos existentes em troca da venda de companhias municipais de água a investidores privados (as tarifas de água subirão para o povo grego), da venda da lotaria estatal a investidores privados (as receitas do governo cairão, tornando portanto o reembolso da dívida mais difícil) e de outras "privatizações" tais como vender as protegidas ilhas grega a promotores imobiliários.

Isto é um bom negócio para toda a gente, excepto a Grécia.

Se o governo grego tivesse algum senso, ele simplesmente incumpriria. Isso tornaria a Grécia livre de dívida. Com apenas algumas palavras, a Grécia pode passar de um país pesadamente endividado para um país livre de dívida.

A Grécia poderia então financiar suas próprias emissões de títulos e, se precisasse de crédito externo, poderia aceitar a oferta russa.

Na verdade, se os governos russo e chinês tivessem algum senso, eles pagariam à Grécia para incumprir e para abandonar a UE e a NATO. O desmoronar do império de Washington começaria e a ameaça de guerra que a Rússia e a China enfrentam afastar-se-ia. Os russos e chineses poupariam muito mais com o salvamento da Grécia do que lhes custariam desnecessários preparativos de guerra.
16/Junho/2015

O original encontra-se em www.globalresearch.ca/...

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Apresentaçom do livro 'Nacionalismo galego aquén e alén mar' de Uxío-Breogán Diegues BASENAME: apresentacom-do-livro-nacionalismo-galego-alen-e-aquen-mar-de-uxio-breogan-diegues DATE: Wed, 17 Jun 2015 12:37:29 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Palestras e debates CATEGORY: Cultura e tradiçons CATEGORY: Movimentos sociais TAGS: ----- BODY:

Na próxima sexta-feira 19 de junho às 20hs, terá lugar no nosso Centro Social a apresentaçom do último trabalho do historiador e professor da UDC, Uxío-Breogán Diegues, Nacionalismo galego aquén e alén mar. Desarticulación, resistencia e rearticulación (1936-1975). Este ensaio, editado por Laiovento, será apresentado polo também historiador e professor da UDC, Carlos Velasco.

Com esta obra, o professor Uxío-Breogán Diegues realiza umha fonda incursom na história do nacionalismo galego. Apresenta umha monografia na qual, pola primeira vez, obtemos umha detalhada panorámica desta realidade entre o plebiscito autonomista de junho de 1936, diante a II República, e a eclosom do movimento nacional-popular galego na primavera do ano 1975, no final da ditadura franquista. Umha viagem que parte dum tempo presidido no campo nacionalista polo Partido Galeguista (PG), fundado em dezembro de 1931, para rematar com a criaçom da Assembleia Nacional-Popular Galega (AN-PG) da qual se completam quarenta anos.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: 18 junho: palestra-debate sobre Brasil com colaborador do MST BASENAME: 18-junho-palestra-debate-sobre-brasil-com-colaborador-do-mst DATE: Mon, 15 Jun 2015 16:45:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:
----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Sexta 19 de junho. Grupo de estudos. BASENAME: sexta-19-de-junho-grupo-de-estudos DATE: Mon, 15 Jun 2015 16:43:14 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 19 de junho continuando co ciclo de debates dobre democracia directa debateremos sobre o texto de Alain C. "O impasse cidadanista.Contribuiçom para a crítica do cidadanismo ". A sessom será às 21h00 no Mádia Leva! com ceia prévia.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Encontro derrubando fronteiras. BASENAME: encontro-derrubando-fronteiras DATE: Thu, 11 Jun 2015 17:06:18 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


DERRUBANDO FRONTEIRAS

O 15 de junho é o Dia Internacional polo Peche dos CIE, Centros de Internamento de Estrangeiros. Centros de amoreamento de pessoas onde, por lei, se pode estar até 60 dias esperando umha suposta deportaçom que, muitas vezes nom se levará a cabo, e que as deixa numha situaçom de ainda maior vulnerabilidade, ao impedir a sua regularizaçom. As condiçons nesses centros som infra-humanas e se exercem sobre pessoas que cometem umha única falta: carecer dum papel que as convirta em residentes neste pais. Estamos pois, diante dumha repressom racista. Umha fronteira que deveriamos derrubar.
Mas as fronteiras vam além dos próprios CIE. Dia trás dia, as pessoas imigrantes estám sendo submetidas a redadas e identificaçons arbitrárias pola sua aparência ou cor de pele. Redadas que se estám executando inclusive nos próprios domicílios.

Nom nos podemos esquecer da Fronteira Sul, das valas de Ceuta e Melilla e as ilegalidades que está cometendo o governo coas expulsons chamadas ?em quente? que nom som outra cousa que expulsons ilegais. Com todo isto, está-se conseguindo a expulsom indiscriminada de pessoas, evitando assim conceder asilo às que chegam fugindo dumha morte segura nos seus países; muitos deles em conflitos bélicos.
Temos outra fronteira fortemente armada nas deportaçons de populaçom imigrante. O governo do Estado Espanhol e grandes empresas estám-se lucrando cos respectivos voos de Deportaçom. Empresas do grupo Globalia, ao que pertencem Air Europa, Viajes Halcón, Viajes Ecuador, Travelplan ou Pepe Phone... som parte de toda esta trama do governo que aprovou pagar a essas empresas algo mais de 12 milhons de euros para este ano e o seguinte em conceito de voos de deportaçom.
A repressom à que é submetida a populaçom imigrante tem outras fronteiras que se volvem invisíveis. A vulneraçom dos seus direitos sociais: no território há múltiplas fronteiras legais que amparan a denegaçom sistemática dos direitos básicos, obrigando as pessoas migrantes a transitar por um labirinto burocrático com altas doses de racismo e xenofobia:
-A exclusom sanitária das pessoas migrantes em situaçom de irregularidade administrativa, provávelmente seja a maior e a mais ruim eliminaçom de direitos básicos que se tenhem produzido no Estado Espanhol nestes últimos anos.
- Resulta muito preocupante também o aumento dos casos de exploraçom laboral do coletivo d@s trabalhador@s migrantes, de forma concreta no ámbito do emprego doméstico; ainda que também em sectores como a hotelaria, o sector pesqueiro ou o agro-gadeiro. Condiçons indignas e de exploraçom resguardada nas sucessivas reformas laborais do governo neoliberal.
-Engadido a esta situaçom, e como um outro exemplo destas fronteiras interiores temos as restriçons que se imponhem às persoas migrantes à hora de aceder a estas prestaçons sociais. A Xunta impide o acesso à RISGA às pessoas que carecem de documentaçom, injustiça que levamos tempo denunciando, e que a aprovaçom da nova Lei de Inclusom Social de Galiza nom só nom mudou senom que vem impor novos atrancos.

Derrubemos as fronteiras que nos separam. Os seres humanos somos todos um. Nom importa procedência, cor, religiom. Nenguma pessoa é ilegal! Nom mais repressom à populaçom imigrante!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Acto de entrega dos prémios literarios 2015 BASENAME: acto-de-entrega-dos-premios-literarios-2015 DATE: Tue, 09 Jun 2015 19:22:17 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 5 do mês que corre, no local de Portas Ártabras realizou-se a entrega dos Prémios Literários d'O Facho: Contos de Nenos para Nenos, Poesia, e Teatro Infantil que contárom com a colaboraçom de Casa Hamlet, Ediçons Xerais, Ediçons Positivas, Editorial Galaxia, e Editorial Toxos Outos; as quais expressamos a nossa gratitude. No acto participárom alunas do Conservatório Profissional d'A Corunha que interpretárom diversas obras.

Na ocasiom estivérom presentes para outorgar os prémios ao seleccionados, os membros dos júris: Xabier P. do Campo, Breogam Riveiro, Xúlio López Valcárcel, Lucía de Fraga, e Gustavo Pernas, que elogiárom as obras premiadas assim como aos seus autores.

Posteriormente houvo umha colaçom na que participárom os premiados com as suas familias.

Prema no enlace para ver tódalas fotos
https://archive.org/download/PremiosLiterarios2015/Premios%20literarios%202015.pdf

Prema na barra para oir a gravación

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Carlos Meixide apresenta "No pensar" na Fundaçom Artábria BASENAME: title-793 DATE: Sun, 07 Jun 2015 23:15:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O próximo sábado, 13 de junho, às 22.00h o polifacético Carlos Meixide apresentará no nosso Centro Social o monólogo "No pensar". O bilhete terá um custo de 3 euros e 2,5 para associad@s.

A poucos minutos dum discurso crucial perante a imprensa, o presidente do governo reflexiona acerca de distintos episódios da sua vida que nos ajudarám a comprender como alguém como el puido chegar a presidente dum pais de 45 milhóns de habitantes. Porque todo tem umha explicaçom...
NO PENSAR

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Rebétiko (como um fado grego)... BASENAME: rebetiko-como-um-fado-grego DATE: Sat, 06 Jun 2015 08:01:39 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Σωτηρία Λεονάρδου

Canta: Σωτηρία Λεονάρδου

http://el.wikipedia.org/wiki/%CE%A1%CE%B5%CE%BC%CF%80%CE%AD%CF%84%CE%B9%CE%BA%CE%B1
http://el.wikipedia.org/wiki/%CE%A3%CF%89%CF%84%CE%B7%CF%81%CE%AF%CE%B1_%CE%9B%CE%B5%CE%BF%CE%BD%CE%AC%CF%81%CE%B4%CE%BF%CF%85

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Entrega dos Prémios Literários convocados do ano 2015 BASENAME: o-facho-entrega-dos-premios-literarios-convocados-do-ano-2015 DATE: Fri, 05 Jun 2015 14:17:49 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 A Crunha

Entrega dos Prémios Literários convocados do ano 2015
05 de Junho do 2015

Temos a bem de informar da entrega dos prémios dos prémios literários convocados pola nossa Agrupaçom. O evento celebrara-se o dia 5 de Junho às 6 e ½ p.m., em Portas Ártabras, rua Sinagoga nº 22, Cidade Velha, Crunha

Concurso de Poesia

Premio à obra: ?Nenaespiraes? de Tamara Andrés Padín

Concurso de Contos de nenos para nenos

Premios da Categoría A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos):

Primeiro premio: ?Mentres Dormes? de María Carballo Rodríguez
Alumna do CEIP Concepción Arenal da Coruña
Segundo premio: ?O roubo de Pontenova? de Clara Brage Amado
Alumna do CPI Virxe da Cela de Monfero

Premios da categoría B. (Rapaces e rapazas de 13 a 16 anos):

Primeiro premio: ?Samaín ? de Jéssica Lorenzo González
Alumna do colexio Filipenses Sagrada Familia de Vilagarcía de Arousa
Segundo premio: ?Pecha os ollos? de Carme Castrillo Solto
Alumna do colexio Maristas Santa María de Ourense

Concurso de Teatro Infantil

Premio à obra: ?Estrela... fugaz?? de Carlos Labraña

Agradecemos às editoriais Toxos Outos, Galaxia, Xerais, Casa Hamlet, as suas doaçons de livros que fam possível a existência destes prémios.

Crunha, 1 de Junho do 2015


J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

----- -------- AUTHOR: CL TITLE: Norma da AGAL BASENAME: norma-da-agal DATE: Fri, 05 Jun 2015 11:57:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ortografia CATEGORY: Fonética CATEGORY: Morfossintaxe TAGS: ----- BODY:

CONSULTA:

Ultimamente observo que algum reintegracionista escreve o galego incorporando à norma da AGAL a terminaçom -ão de forma constante (por exemplo: capitão, canção). Que opiniom tem sobre este assunto a Comissom Lingüística da AGAL? Obrigado.

RESPOSTA DA COMISSOM LINGÜÍSTICA:

A propósito da questom posta polo amável consulente, a Comissom Lingüística da AGAL (CL-AGAL) deseja fazer constar, em primeiro lugar, o seu respeito e consideraçom por todas as pessoas que fam do galego o seu veículo expressivo e de cultura, com independência da norma em cada caso adotada, e, com mais razom ainda, por todas aquelas pessoas que, também com independência das opçons gráficas concretas por elas realizadas, pautam os seus usos (escritos) do galego --contra vento e maré, nesta Galiza ainda dominada pola intoleráncia normativa-- conforme a filosofia reintegracionista, a mais comprometida com a emancipaçom da língua autóctone da Galiza.
Ora, dito o anterior, a CL-AGAL também deve manifestar que, no quadro dos usos escritos de sinal reintegracionista, nom acha conveniente, antes, polo contrário, suscitador de confusom, o comportamento gráfico descrito polo nosso consulente, ou seja, incorporar ao modelo gráfico da CL-AGAL, por iniciativa individual, a terminaçom -ão de forma irrestrita, ou, por outras palavras, «misturar» nalgum grau (variável conforme o utente concreto) a norma galega da CL-AGAL com a norma lusitana (ou brasileira).
A CL-AGAL acha tal proceder inconveniente, em primeiro lugar, porque ele pode suscitar confusom e desorientaçom em muitos utentes da língua, já que a realizaçom de tais escolhas gráficas individuais e improvisadas pode transmitir a falsa ideia de que o galego reintegrado, a variedade galega do galego-português, em claro contraste com o lusitano, com o brasileiro e com o castelhano, nom dispom hoje de referência normativa estável, de uns usos (gráficos) bem codificados, e pode grafar-se segundo o parecer de cada utente. Por isso, devemos exortar os utentes reintegracionistas do galego-português da Galiza a manterem, em benefício da eficácia comunicativa, umha mínima disciplina ou lealdade normativa, com a razoável perspetiva de que entre a norma galega da CL-AGAL e a norma lusitana (também utilizada por galegos para grafarem na Galiza a nossa língua) nom deve surgir umha confusa pluralidade de «passos intermédios» individualmente improvisados.
Em segundo lugar, a CL-AGAL acha conveniente refletir na escrita a realizaçom diferencial que na generalidade dos falares galegos se regista entre a terminaçom -ám (ex.: capitám) e a terminaçom -om (ex.: cançom) --e também -ao: irmao [*]--, pois é expediente plenamente legítimo, perfeitamente natural e, na atualidade, o mais pedagógico e estratégico (v. infra).

1. Com efeito, refletirmos na escrita do galego-português da Galiza o contraste nele existente entre a terminaçom -ám (ex.: capitám) e a terminaçom -om (ex.: cançom) é legítimo porque tal fenómeno, de natureza morfológica, está presente em todos os falares galegos e nom é devido à interferência do castelhano, mas à manutençom da situaçom originária, já plasmada graficamente no galego-português medieval. Por seu turno, em lusitano e em brasileiro, a partir da situaçom original de contraste descrita, no século XVI produziu-se umha confluência na realizaçom fónica dessas terminaçons, para [ãw], o que véu a refletir-se numha representaçom gráfica comum, a terminaçom -ão (capitão, canção)*.
2. Refletirmos na escrita do galego-português da Galiza o contraste nele existente entre a terminaçom -ám (ex.: capitám) e a terminaçom -om (ex.: cançom) --e também -ao: irmao-- é o mais natural porque este traço contrastivo, que é de caráter morfológico (nom puramente gráfico), tem considerável entidade, e nom o refletirmos na escrita do galego acarreta incoerência interna. É verdade que a relaçom entre fonemas e grafemas nom tem de ser necessariamente de tipo 1:1 (biunívoca) e que, de facto, a norma galega da CL-AGAL, em benefício da coordenaçom galego-portuguesa, já apresenta casos de relaçom 1:2 (assim, o facto de o fonema [s], conforme os casos [e de acordo com a etimologia!], se representar por esse simples e por esse duplo) e, mesmo, de relaçom 2:1 (assim, os fonemas e e o abertos e fechados detenhem a mesma representaçom escrita, respetivamente, e e o), mas estes casos nom determinam qualquer incoerência interna, como si o fai grafar em galego do mesmo modo, segundo o modelo luso-brasileiro, as terminaçons -ám e -om (como -ão):

norma galega da CL-AGAL: A JULGARMOS POLO SOM, SOM SAM PEDRO E SAM PAULO.
norma lusitana aplicada ao galego: A JULGARMOS POLO SOM, SÃO SÃO PEDRO E SÃO PAULO.

3. Além disso, refletirmos na escrita do galego-português da Galiza o contraste nele existente entre a terminaçom -ám (ex.: capitám) e a terminaçom -om (ex.: cançom) --e também -ao: irmao-- representa umha medida pedagógica, que nas atuais circunstáncias socioculturais da Galiza facilita a escrita e a leitura do galego-português e permite difundir eficazmente a realizaçom fónica correta de palavras perdidas ou nom surgidas em galego e que este deve hoje incorporar a partir do luso-brasileiro, como alçapom (nom *alçapám; luso-br. alçapão), leilám (nom *leilom; luso-br. leilão) e porao (nom *porám, nem *porom; luso-br. porão).

4. Por último, mas nom menos importante, refletirmos na escrita do galego-português da Galiza o contraste nele existente entre a terminaçom -ám (ex.: capitám) e a terminaçom -om (ex.: cançom) constitui umha medida de caráter vincadamente estratégico, importantíssima na atual conjuntura sociocultural, em que a sociedade galega, ainda na sua grande maioria instruída unicamente em galego-castelhano, continua em larga medida ignorante da unidade lingüística galego-portuguesa e alheada da proposta reintegracionista.

É verdade que numha Galiza em que a unidade lingüística galego-portuguesa for, para todos os efeitos, socialmente assumida poderá ser conveniente codificar a variedade galega da língua omitindo na escrita, em confluência com o lusitano e com o brasileiro, o contraste -ám/-om, mas, polas razons de peso acima aduzidas, parece claro que, nesta altura, esse forçamento nom se revela vantajoso. A este respeito, e para concluirmos, devemos ter em conta, por um lado, que a padronizaçom das variedades nacionais das línguas europeias pluricêntricas, como o galego-português (e o alemám, castelhano, inglês...), justifica hoje a plasmaçom escrita da peculiaridade morfológica galega aqui focalizada, e, por outro lado, e frente a interpretaçons ingénuas hoje bastante estendidas, que a recente aplicaçom em Portugal do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 --ao qual, por sinal, também se adaptou a codificaçom ortográfica da CL-AGAL-- em nada altera as consideraçons acima tecidas, pois, evidentemente, os sólidos fundamentos (filológicos e sociolingüísticos) que sustentam a codificaçom do galego-português da Galiza efetuada pola CL-AGAL (com inclusom do contraste gráfico entre as terminaçons -ám e -om!) em modo algum se vêem abalados ou enfraquecidos polo facto de em Portugal, e em virtude da aplicaçom de tal Acordo Ortográfico, a palavra actividade vir a ser escrita, agora, como atividade.

NOTA

(*) Na norma galega da AGAL, e sem alterar a pronúncia, as palavras de tipo irmao (cirurgiao, cristao, verao...) também se podem escrever com til (irmão, cirurgião, cristão, verão). Naturalmente, o que neste parecer da CL-AGAL se explica nom afeta o uso facultativo do til previsto na norma galega da AGAL (em casos como, além de irmão, corações, maçã, põe).

(**) Ilustraçom do que se acaba de dizer vê-se no provérbio português «Quem rouba um pão é ladrão; quem rouba um milhão é barão», o qual, dito em galego, fica um tanto desluzido pola perda de ligaçom fónica entre pam e ladrom (umha adaptaçom possível para o galego seria, entom, «Quem rouba um lacom é ladrom; quem rouba um milhom é barom»).

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos. Sexta 5 de junho. BASENAME: grupo-de-estudos-sexta-5-de-junho DATE: Thu, 04 Jun 2015 09:01:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta-feira dia 5 de junho continuando co ciclo de debates dobre democracia directa debateremos sobre o texto de Anton Pannekoek "os conselhos obreiros". A sessom será às 21h00 no Ateneu A Engranaxe com ceia prévia.
Pannekoek (1873-1960) foi um astrônomo e teórico marxista neerlandês. Ele se torna o teórico dos conselhos operários e um dos principais representantes do chamado comunismo de conselhos. A visom de Pannekoek da Revoluçom Russa é a de que, ela se caracteriza por ser uma - contra-revoluçom burocrática - que criou um regime denominado por ele como capitalismo de estado. A tese básica de Pannekoek é retomada de Marx: "A emancipaçom dos trabalhadores é obra dos próprios trabalhadores" e os conselhos operários som os orgaos do processo revolucionário e da nova sociedade fundada na autogestom.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Estatutos do Facho BASENAME: estatutos-do-facho DATE: Mon, 01 Jun 2015 19:09:58 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

https://archive.org/download/Estatutos_201506/Estatutos.pdf

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Em lembrança de Suso/Susana do Páramo. 23-5-15 BASENAME: em-lembranca-de-suso-susana-do-paramo-23-5-15 DATE: Mon, 01 Jun 2015 15:45:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Publicamos a seguir alguns dos textos dedicados a Suso na homenagem no passado dia 23 de maio.

NA LEMBRANZA (feliz) DE SUSO DE PÁRAMO
Mero (Baldomero Iglesias), compoñente do grupo de música galega ?A Quenlla?.

Coñecín e precieime de saber a Suso do Páramo.
Aínda xantabamos xuntos moitas veces no Breogán
cociña solemne de calquera mesa normal e familiar.
El, habitando a reflexiva súa soidade desde a dor
na que perdido, aloumiñaba soños e buscaba
esa tola definición ?norte/sur, día/noite, negro/branco,
home/muller, sol e sombra, doce, amargo-
que nunca entenderemos e que sempre nos persigue
e escapa da razón ao noso ego.
Abrumado nos silencios, tentou determinar o mundo,
necia idea, que nos oscupa e que nós, nunca ocupamos.
Esta terra que nós somos é a nosa esencia,
a paisaxe veloz que sempre ao lonxe nos eleva.
E estamos brevemente ocupados nos días de subir e baixar,
ocupados na tarefa imposible de comprender o tempo,
de sabernos a nós no medio das ausencias e nostalxias,
na fonda amargura das distancias e lamentos.
E non damos máis, non podemos atender tanto rancor,
tantos odios que nos sublevan, e que encirraron
tantas rebelións desde a sua palabra, o seu sosego.
Foi connosco, coas causas que defenden dignidades
diante o abuso, só coas verbas e os silencios
sen as armas de matar que nos abafan amenceres;
nos seus días proletarios, da vida común ao andar con xeito,
ir no camiño percorrendo distancias, de vagar
moi a modiño, poñendo as cousas no seu sitio.
Sen máis lerias entendiamonos ben, xa desde a ollada.
E hoxe, aínda hoxe, busco no Breogán o seu espazo
o seu rostro favorable ao meu abrazo!
E busco a súa vitoria, a súa conquista en poesía.
A verdade é o seu triunfo, a súa conquista,
? e é a nosa tamén, en referencias e aromas
en desexos de lembrar, hoxe, un amigo!

Feita para o acto de homenaxe a Suso, no Madia-Leva
Mero, 21 de maio do 2015

A LOITA CONTINUA
Claudio Rodriguez Fer

Dende a memoria da licenciada e arquiveira
Juana Capdevielle, esposa do gobernador
Republicano Francisco Pérez Carballo,
E da mestra Mercedes Romero Abella,
Esposa do socialista Francisco Mazariegos,
Que en 1936 foron secuestradas na Coruña,
Tras ser fusilados os seus homes,
E apareceron torturadas, violadas e asasinadas
En senllas cunetas da España de Franco,
Contra a barbarie,
A loita continúa,

Dende a memoria do editor Ánxel Casal,
Alcalde galeguista de Santiago de Compostela,
Detido nunha aldea de Arzúa
E paseado nunha virada de Cacheiras,
Que algún día florecerá cos libros
Queimados e nonnatos,
Contra a incultura,
A loita continúa.

Dende a memoria da familia socialista Bilbatúa
E da familia comunista Araújo Conde
(Un membro da cal apareceu paseado
Coa lingua curtada e metida nun peto),
Dezmadas nos masacres de Vigo
Que inzaron de sangue o Cabo Silleiro,
O cemiterio de Cabral e a curva de Puxeiros,
Contra a intolerancia,
A loita continúa.

Dende a memoria de Alexandre Bóveda,
Fusilado no alto da fraga da Caeira,
E que antes de morrer escribiu
Que soamente ?Quixen facer ben,
Traballei por Pontevedra, por
Galicia e pola República?
E que o condenaba ?o trabucado xuízo dos homes
(Que eu perdoo e todos debedes perdoar)?,
Contra a violencia,
A loita continúa.

Dende a memoria da familia exterminada
Do comunista Benigno Álvarez,
Ou da conciencia de Marcial Valente,
Un dereitista cristián que se negou
A participar nas sacas e paseos de Ourense,
Polo que foi detivo e arrestado,
Pero a quen nunca se puido encarcerar
A xerminal poesía da dignidade
Que había de agromar nun fillo seu,
Contra a represión,
A loita continúa.

Dende a memoria do albanel anarquista
Luís Souto Neira,
Mutilado e asasinado en Lugo,
Ou do médico masón Rafael de Vega Barrera,
Acusado pola envexa
E fusilado polo terrorismo de estado,
Contra a insidia,
A loita continúa.
Dende a memoria das mulleres e homes
Asasinados na matanza de Montecubeiro
E nos masacres da Guarda e de Tui,
Que encheron de sangue toda a terra
Entre a montaña e o mar,
Ou na redada Brandariz, tramada para acabar
Cos círculos ácratas da Galicia libertaria,
Contra o odio,
A loita continúa.

Dende a memoria dos fuxidos
Polos montes e polos mares
E dos agachados
Nos tobos clandestinos
Que se opuxeron á tiranía,
E que caeron acosados,
Contra a opresión,
A loita continúa.

Dende a memoria dos obreiros
Amador Rey e Daniel Niebla,
Abatidos a balazos
Pola policía franquista
Cando reclamaban melloras salariais
No Ferrol do patrón da patronal,
Contra a inxustiza,
A loita continúa.

Dende a memoria de cada acto
De guerra e de posguerra,
De tortura, de censura,
De depuración, de exilio,
De humillación e de esquecemento
Padecidos polos que sufriron,
Sufrimos e sufrirán aínda o mal
De mil novecentos trinta e seis,
A loita continúa.

Poema que Claudio recitou entre outros no acto de homenaxe a Suso


VIVIREMOS NA FLORESTA

Viviremos na floresta
rodeadas de animais
que reciclarám o lixo
mas non irán á despensa;
teremos a nosa cama
xunto dos nobres carballos,
quentaremos a lareira
que faremos de arxila;
queimaremos xestas, uces,
toxos e tamén carqueixas.
Coidaremos os coellos,
as galiñas e as ovellas.
Os abellóns andarán
á beira da nosa casa
e polinizarán todo
canto rodee o lar noso.
Iremos da biblioteca
para a alcoba e a cociña.
E cando chova ben forte
andaremos baixo as pólas,
anfitrioas de animais
que fuxindo da humidade
e guiados polo cheiro
que sae da comida quente
pasarán días con nós.

Poema de Suso do Páramo, 2014
Lido por Isidro Novo no Madia Leva
23-5-2015


COMO RUXIRÁN OS PAXAROS?

Como ruxirán os paxaros
debaixo das cerdeiras
que medrando desde o chao
buscan a luz do sol
Sobre das outras árbores
dando vermello e branco.
E polos verdes carballos
e os xa vellos castiñeiros
haberá niños cantando
con cambio de horas e sons.
Así se formarán boscos
en anos cheos de vida
que a brutalidade desfai.
As abellas polinizan,
os paxaros gardan gra
e os roedores tamén.

Poema de Suso do Páramo, 2015
Lido por Isidro Novo no Madia Leva
23-5-2015

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Cartaz de projeçons de cinema neste mês de junho BASENAME: cartaz-de-projecons-de-cinema-neste-mes-de-junho DATE: Sun, 31 May 2015 20:22:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Aí o vai!
Este é o cartaz com todos os filmes que projetaremos, na sua vesom original legendada em português, ao longo deste mês no Centro Social de Monte Alto.

Podedes ler de que vai cada um nos resumos a seguir:

Hotel Rwanda- Paul, gerente dum hotel em Kigali (Ruanda), vivirá em primeira pessoa os acontecimentos mais importantes no conflito entre as étnias hutu e tutsi durante a Guerra Civil da Ruanda em 1994, amostrando o sofrimento de parte da sociedade e a pasividade dos cascos azuis da ONU presentes no conflito.

The Informer- Gypo Nolan, expulso do Exército de Libertaçom Irlandês, deseja viajar com a sua companheira a EEUU. Mas a traiçom que supom delatar a posiçom do seu amigo e ativista, Frankie McPhillip, revelará até onde é capaz de chegar perante a sua codícia e egoismo.

Deus, pátria, autoridade- O filme amostra umha análise da sociedade portuguesa durante e após a Revoluçom dos Cravos, analizando o papel do novo Estado, a influência da igreja, a guerra colonial ou a própria Revoluçom de abril.

O que é isso, companheiro?- Fernando e César, jornalistas e amigos, abraçam a luita militar contra a ditadura. César é ferido e feito prisoneiro pola ditadura, enquanto Fernando planeja o sequestro do embaixador estadunidense em troca da libertaçom do seu amigo e outros presos políticos.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Apresentaçom de "O pequeno é grande" BASENAME: title-792 DATE: Wed, 27 May 2015 00:47:38 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Publicaçons CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A próxima sexta-feira, 5 de junho, às 20.30hs decorrerá no nosso centro social a apresentaçom do livro "O pequeno é grande", da autoria de Xoám Carlos Carreira e Emilio Carral. O lançamento do livro, editado por Através editora, será apresentado pol@s companheir@s do Coletivo Pumido ao Natural de Ferrol.

O Pequeno é grande. A agricultura familiar como alternativa: O caso galego é um novo número da coleçom Através das Ideias centrado na importáncia da agricultura em pequena escala. Umha combinaçom de revisões bibliográficas, investigações e conclusões próprias dos autores, hipóteses e ideias prospetivas, que tenciona apresentar um conjunto de ideias e propostas para incentivar um debate necessário na nova fase que deverá começar para a agricultura galega.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Chega o III Concurso ártabro de elaboraçom de Tortilha de patacas BASENAME: title-791 DATE: Wed, 27 May 2015 00:31:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

No próximo sábado 30 de maio, às 21h decorrerá na Fundaçom Artábria o III concurso ártabro de elaboraçom de Tortilha de Patacas.

Queres saber cono participar?

É muito fácil: preparar umha tortilha de tamanho meio (Entre 20 e 25 cm de diametro) que, obrigatoriamente, deverá incluir ovos e patacas e trazê-la entre as 19.00 e 21.00 à Fundaçom Artábria no Sábado 29 de maio.

Poderá participar qualquer pessoa.

Podes engadir, se assim o desejares, os teus ingredientes segredos ou favoritos à base de ovos+patacas para conseguir a melhor tortilha do concurso.

Cada concursante/a apresentará umha só tortilha.

O júri popular valorará o sabor, a criatividade, a grossura, a originalidade e a apresentaçom da mesma.

Cada tortilha será identificada com um número que se anotará no exterior dum envelope fechado em cujo interior figurará a folha de inscriçom (nome da ou do concursante, apelidos, correio-e, telefone)

O falho do júri fará-se à finalizaçom da degustaçom das tortilhas.

O júri estará conformado polas pessoas que assim o desejarem pagando umha inscriçom de 3 euros que lhe permitirá degustar todas as tortilhas apresentadas.

Haverá um total de 3 prémios para @ 1º, 2º e 3º classificad@

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: A Fundaçom Artábria congratula-se pola derrota das candidaturas que excluírom o galego da sua campanha eleitoral BASENAME: a-fundacom-artabria-congratula-se-pola-derrota-das-candidaturas-que-excluirom-o-galego-da-sua-campanha-eleitoral DATE: Tue, 26 May 2015 19:27:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Comissom de Língua CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Como ferrolanos e ferrolanas observadoras do recente espetáculo eleitoral na nossa cidade, ficamos preocupadas com umha novidade negativa neste tipo de processos: O até ontem maioritário e governante Partido Popular, com o seu candidato José Manuel Rei à cabeça, optou por excluir totalmente o nosso idioma da sua ?oferta política? durante os 15 dias que durou a campanha eleitoral das Municipais 2015.

Talvez contagiado por algumhas forças ditas ?emergentes? e por outras tendências objetivas contrárias ao uso do galego, que eles mesmos tenhem alimentado durante anos, o PP considerou desnecessário utilizá-lo, dando por ?finiquitado? o galego como língua de campanha.

Nom dizemos que esse tenha sido o motivo da sua sonora derrota. Porém, achamos que ficárom demonstradas duas cousas:

1ª Que a renúncia à identidade galega nom é garantia de êxito, apesar das posiçons de poder dos defensores da supremacia do espanhol.

2ª Que o galego é umha ferramenta comunicativa e de identificaçom coletiva que ainda vai muito além do cada vez mais reduzido número de falantes efetivos, sendo perfeitamente possível ganhar umhas eleiçons em Ferrol com umha campanha veiculada no nosso idioma.

Com efeito, achamos que as candidaturas de Ferrol em Comum, PSOE e BNG demonstrárom que se pode construir umha maioria política-institucional em galego e transmitimos-lhes por isso os nossos sinceros parabéns. Também fazemos público reconhecimento da aposta da Maré Ártabra e do PCPE, realizando as suas campanhas igualmente em galego.

Esperamos que a nova maioria de governo continue a fazer do galego o principal idioma de uso em todas as suas açons de governo, aplicando também umha planificaçom que ajude a recuperar o uso social mediante medidas de estímulo efetivo nom só a nível administrativo, mas também nos mais diversos ámbitos sociais: laboral, cultural, comercial, etc.

Pola nossa parte, a Fundaçom Artábria, como entidade veterana no trabalho normalizador no concelho de Ferrol, anunciamos desde já a nossa disponibilidade para colaborar nessa necessária tarefa e a nossa firme determinaçom de exigir passos concretos que permitam ao nosso idioma recuperar espaço e prestígio em Ferrol.

Junta Diretiva da Fundaçom Artábria
Ferrol, Terra de Trasancos, 26 de maio de 2015

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Jornadas: experiências de ensino alternativo em galego. 30 de maio. BASENAME: jornadas-o-dia-30-de-maio DATE: Tue, 26 May 2015 12:09:33 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O dia 30 de maio organizamos junto coas Nais cooperativas.
Programa completo

Experiências de ensino alternativo em galego.
Formas de intervençom na educaçom pública e projectos comunitários.

1ª sessom de manhá. (A educaçom pública a debate)

10h30-11h30 Santiago Quiroga. (mestre de primária)
Crítica da escola estatal como mecanismo de controlo da infáncia e reproduçom social.

11h30-12h00 pausa

12h00-13h30 Un paso polo futuro. (Colectivo de nais e pais do CEIP de Sárria)
Experiências de intervençom na escola pública

14h30-15h30 Jantar-Convívio.

2 ª sessom de tarde. (A educaçom comunitária)

16h00-17h00 Narciso de Gabriel (Professor de História da Educaçom da UDC)
A cultura escolar popular e as escolas de ferrado.

17h00-18h00 Escola Semente de Compostela e Ferrolterra.
Umha experiência de ensino autogestionado.

18h00-18h30 pausa

18h30-19h30 Fundación socio-educativa Antonio Gandoy.
Preescolar na casa e a educaçom no rural.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Resoluçons dos Concursos Literários BASENAME: o-facho-resolucons-dos-concursos-literarios DATE: Fri, 22 May 2015 06:02:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tápia 12-1º
15005 Crunha

A Agrupaçom Cultural O Facho tem a bem de informar das Resoluçons dos Concursos Literários convocadas pola Entidade

Concurso de Poesía

Premio à obra: ?Nenaespiraes? de Tamara Andrés Padín

Concurso de Contos de nenos para nenos

Premios da Categoría A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos):

Primeiro premio: ?Mentres Dormes? de María Carballo Rodríguez
Alumna do CEIP Concepción Arenal da Corunha
Segundo premio: ?O roubo de Pontenova? de Clara Brage Amado
Alumna do CPI Virxe da Cela de Monfero

Premios da categoría B. (Rapaces e rapazas de 13 a 16 anos):

Primeiro premio: ?Samaín ? de Jéssica Lorenzo González
Alumna do colexio Filipenses Sagrada Familia de Vilagarcía de Arousa
Segundo premio: ?Pecha os ollos? de Carme Castrillo Solto
Alumna do colexio Maristas Santa María de Ourense

Concurso de Teatro Infantil

Premio à obra: ?Estrela... fugaz?? de Carlos Labraña

Crunha, 20 de Maio do 2015

Agradecendo a sua difusom

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Oferenda floral no monumento a Curros Henriques com o galho das Letras Galegas do ano 2015 BASENAME: homenaxe-curros DATE: Thu, 21 May 2015 16:05:34 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho realizou a tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes diante do monumento a Curros Henriques em lembrança de todos aqueles que fizérom que da cultura galega umha constante e permanente jeira na construçom da liberdade do povo galego. O evento tivo lugar o dia 20 de Maio, às 12 da manhá,

Findando o acto muitos dos assistentes lerom poemas de autores e autoras galegas.

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Colaboracionistas, franquistas. A élite política do franquismo na repressom fria da Ditadurapor Lúcio Martínez Pereda BASENAME: o-facho-lucio-martinez-pereda-colaboracionistas-franquistas-a-elite-politica-do-franquismo-na-repressom-fria-da-ditadura-1 DATE: Thu, 21 May 2015 15:43:48 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 19 de Maio às 8 do serao o professor em História, Lúcio Martínez Pereda intervéu no ciclo, ?Economia, História e C.C. Sociais?, organizado pola nossa Agrupaçom. A sua exposiçom versou sobre: ?Colaboracionistas, franquistas. A élite política do franquismo na repressom fria da Ditadura?

A exposiçom centrou-se na Repressom Fria, nos diversos aspectos da retaguarda franquista durante a Guerra Civil: mobilizaçom, propaganda política e depuraçom administrativa. Demostrou como Filgueira Valverde foi um activo repressor durante a etapa da Tirania franquista. Toda a dissertaçom estivo respaldada pola cativa documentaçom existente e disponível, já que ao encetar a ?Transacçom? do 78 todos os documentos das sedes do ?Movimento Nacional? fôrom mandados desaparecer por Suárez.

Ao findar a exposiçom houvo um interessante colóquio.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Israel-Un Estado Nazi BASENAME: canta-o-merlo-israel-un-estado-nazi DATE: Wed, 20 May 2015 15:12:27 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Controlo de natalidade sem consentimento:

Durante anos, o Governo israelense esteve a administrar injecçons de Depo-Provera "um potente anticonceptivo de comprida duraçom" a mulheres judias de origem etíope "a miúdo sem o seu conhecimento nem consentimento" com o fim de controlar a natalidade desta comunidade, já que a sua procedência judia era a miúdo questionado polos rabinos. Quanto esta prática saiu à luz no ano 2013, ordenou-se o seu cancelamento.

Acçons de nom judeus:

Qualquer com linhagem judia pode transferir-se a Israel e pedir a nacionalidade. Mas se a pessoa nom é judia, o processo pode ser arriscado. De toda a multidom de refugiados dos conflitos africanos que fugiram a Israel em busca de asilo, a só 0,07% lhe concederam. Recentemente, a rádio nacional pública estado-unidense assegurava numha reportagem que muitos deles foram deportados só para que fossem assassinados o grupo jihadista Estado Islâmico.

- Contratos 'sem sexo':

No ano 2003, umha companhia israelense que contratava trabalhadores da China obrigou-os a assinar um contrato no que se comprometiam a nom casar nem ter relações sexuais com pessoas judias. nom foi tomada nengumha medida legal contra a empresa, já que Israel nom tem nengumha legislaçom que proteja aos trabalhadores destes abusos.

- Arrebatar aos palestinianos o direito à terra:

Recentemente, o Tribunal Supremo israelense dispós dous ditames que em essência permitem a Israel demolir as comunidades palestinianas dentro do país (nom nos territórios ocupados) para despegar a terra para os israelenses.

- Leis matrimoniais discriminatórias:

Israel proíbe à sua populaçom contrair casal com palestinianos ao negar-se a reconhecer a esse cônjuge como cidadá. Assim mesmo, o país nom conta com leis maritais civis e deixa o casal em maos dos clérigos, que velam por prevenir o casal interracial.

- Direito de retorno, só para judeus:

A política mais sistemática destinada a manter umha maioria judia é a 'lei de retorno'. Baixo esta lei, os judeus podem ir ao país desde qualquer parte do mundo e demandar a cidadania, mas os cidadaos palestinianos expulsados das suas casas depois de várias guerras, nom.

- Segregaçom no transporte:

O Ministério de Defesa israelense anunciou a entrada em vigor de umha proibiçom que impede aos cidadaos palestinianos viajar nos mesmos autocarros que os cidadaos israelenses.
Os palestinianos de Cisjordânia que viajam a Israel a diário para ir aos seus trabalhos nom poderám usar os mesmos autocarros que os israelenses para voltar a casa desde esta quarta-feira, informa 'Haaretz'.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos a sexta 22. BASENAME: grupo-de-estudos-a-sexta-22 DATE: Mon, 18 May 2015 15:11:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Esta sexta 22 de maio nova sessom do grupo de estudos nesta semana no centro social Mádia Leva!
Texto de debate: A experiencia autoxestionaria durante a guerra civil.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Editoras independentes e usos do galego. BASENAME: mes-da-lingua-1 DATE: Mon, 18 May 2015 12:26:00 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Como no ano passado chega o mês de maio e celebramos o Mês da Língua (Dia das Letras Galegas (17 de maio) e o Dia de Camões (10 de junho) . O sábado 23 de maio às 19h30 organizamos umha mesa redonda com editoras galegas .Na mesma participarám:

- Xemma Tedin de Através Editora
- David Pérez de Estaleiro Editora
- Representante de Editorial Hugin e Munin.
Já desde às 19h00 haverá material à venda das editoras que participam na mesa redonda.

Podemos adiantar que no mesmo dia ao rematar coa palestra às 21h00 organizamos umha homenagem ao escritor e militante independentista Suso do Páramo que nos deixou o passado mês de março.Haverá um recital poético no que participarám Carmen Blanco, Claudio Rodriguez Fer, Isidro Novo. Iremos confirmando novidades sobre este acto nos vindeiros dias.

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Intervençom do centro social no acto do Dia das Letras. BASENAME: intervencom-do-centro-social-no-acto-do-dia-das-letras DATE: Mon, 18 May 2015 12:02:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Reproduzimos a seguir o texto lido no acto de ontem na praça Maior organizado pola Plataforma Queremos Galego.

Hoje, olhando o panorama da nossa língua, nom é um dia de festa, senom que deveria ser um dia de luita e reivindicaçom. Sei que cada quem conta a feira como lhe foi e que haverá gente que esteja de acordo em que este ano se lhe dedique a Filgueira Valverde.
Alguns dim que, para estas cousas, tanto tem a ideologia, mas nom é este o caso porque essa ideologia franquista de Filqueira perseguiu e proibiu o que hoje lembramos aqui, as Letras Galegas e a exaltaçom do nosso idioma.
Alonso Montero empenha-se em seguir metendo a pata engadindo ao primeiro erro (o da eleiçom deste senhor) mais erros escrevendo um livro aclaratório; se quadra pensa, como um cubano famoso, que "a história o absolverá".
Desde logo há muitas pessoas mais merecentes deste dia, alguns falam de Manuel Maria, por outras é proposto Carvalho Calero, e por isso vou ler um pequeno texto seu no que se reflictem as suas posiçons lingüísticas e explica a sua marginaçom passada e presente do mundo académico.

"Por suposto, todo o mundo sabe que eu professo em matéria de Política Linguística as ideias tradicionais, as ideias de Castelão, e como essas ideias são contrárias às ideias que reinam no mundo oficial, no aspecto cultural, pois, não tenho muito predicamento, ao parecer, dentro dessas esferas. Consideram-me como um herege, como um cismático, ou como um corruptor da mocidade, e se me exclui positivamente dos organismos oficiais. Isto é evidente, [...] é verdade que se me considera um obstáculo para o desenvolvimento duma determinada Política Linguística e se me exclui decididamente em geral do mundo cientificoliterário que está servido por pessoas afectas às ideias reinantes, que são mais bem isolacionistas do que reintegracionistas"

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Oferenda floral no monumento a Curros Henriques com o galho das Letras Galegas do ano 2015 BASENAME: o-facho-oferenda-floral-no-monumento-a-curros-henriques-com-o-galho-das-letras-galegas-do-ano-2016 DATE: Fri, 15 May 2015 20:51:11 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 A Crunha

20 de Maio 2015


Com o galho das Letras Galegas, a Agrupaçom Cultural O Facho convida-o assistir à tradicional oferenda floral nos jardins de Mendes Nunes da Crunha diante do monumento a Curros Henriques. O evento terá lugar o dia 20 de Maio, às 12 da manhá em lembrança de todos aqueles que fizérom que a cultura galega umha constante e permanente jeira na sua aportaçom na construçom da liberdade do povo galego.

Solicitamos aos assistentes, se o tenhem a bem, leiam um poema ou pequeno texto de qualquer autor ou autora galega da sua escolha.

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Manifesto em defesa da Língua Galega BASENAME: o-facho-manifesto-em-defesa-da-lingua-galega-2 DATE: Fri, 15 May 2015 20:46:09 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Pasquim CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º
15005 A Crunha


Manifesto em defesa da Língua Galega

A língua galega continua perseguida e proscrita polas política de etnocídio lingüístico do PP


A situaçom da língua galega está em grande perigo ao nom desfrutarmos os galegos de direitos lingüísticos plenos para desenvolver a nossa vida com normalidade na Língua Galega dentro do nosso País.

O galego segue a estar perseguido e proscrito de diferentes âmbitos e usos. Impujo-se um decreto para evitar o ensino em galego. Esta política lingüícida tem responsáveis e cúmplices. Precisasse umha mudança total . Tem-se que lhes dar ferramentas ás geraçons novas. A televisom pública galega nom emite debuxos animados de moda em galego. As moças e moços nom podem escolher jogos, filmes e revistas juvenis na nossa língua, a muitos e muitas impedisse-lhes a escolarizaçom em galego

Como povo e cultura, temos direito a que nossa Língua própria, de origem, seja oficial a todos os efeitos no seu âmbito territorial. Os falantes galegos devemos desfrutar do mesmo "status" legal no nosso território do que o castelá no seu.

O maior descendo de falantes do galego coincide co lustro mais agressivo e lesivo para a normalizaçom da nossa língua e com umha situaçom na que o galego, nom só nom conta com umha oficialidade real, senom que é a própria Xunta quem ataca a oficialidade formal que acadou.

As políticas de etnocídio levadas a cabo contra o galego ditadas desde há séculos pola casta dos altos cortesaos de Madrid e também hoje reiteradas pola actual ?Xunta de Galicia?, ponhem em perigo a Língua Nacional, ao ser violentados decote os galegos falantes.

Esta posiçom de etnocídio é a negaçom da convivência e da igualdade das distintas naçons que conformam o Estado Espanhol.

Reclamamos:

A aboliçom do sistema legal que subordina o galego ao castelá, a aboliçom do supremacismo castelá que procura a desapariçom do galego e exigimos a implementaçom de autênticas políticas de normalizaçom lingüística ao serviço da nossa sociedade. Ampliar a co-oficialidade de todas as línguas do Estado em todo o seu território. O dever de conhecer o galego em todos os territórios onde é fala de seu.

* * *

Ante a necessidade de respostas à política de etnocídio preconizada pola actual ?Xunta de Galicia?, O Facho pede aos sócios e amigos a sua participaçom na Mobilizaçom convocada para o

17 de maio de 2015, ás 12h, Diante do Teatro Rosalía (Rego da Auga).


?Findemos o quinquénio lingüicida para o idioma galego impulsado por Núñez Feijó?

Na Crunha, 14 de Maio do 2015
Agrupaçom Cultural O Facho

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Chega o Dia das Letras BASENAME: acto-de-queremos-galego-17-de-maio DATE: Wed, 13 May 2015 12:01:51 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A Plataforma Cidadá Queremos Galego organizará com motivo do 17 de Maio, Dia das Letras Galegas um acto público o domingo às 11h30 horas na praça Maior (diante do Concelho).
E esta quinta-feira, dia 14 de maio, a partir das 20h00 foliada das Letras.
Participa!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Lúcio Martínez Pereda - ?Colaboracionistas, franquistas. A élite política do franquismo na repressom fria da Ditadura? BASENAME: o-facho-lucio-martinez-pereda-colaboracionistas-franquistas-a-elite-politica-do-franquismo-na-repressom-fria-da-ditadura DATE: Wed, 13 May 2015 10:50:30 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Rua: Frederico Tapia 12-1º-C
15005 Crunha

.


A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2014-15

Palestra

O vindouro dia 19 de Maio, terça (martes), às 8 do serao no local d'A Fundaçom, sita no Cantom Grande, nº 8 d'A Crunha; o professor em História, Lúcio Martínez Pereda intervirá no ciclo, ?Economia, História e C.C. Sociais?, organizado pola nossa Agrupaçom. A sua exposiçom versará sobre: ?Colaboracionistas, franquistas. A élite política do franquismo na repressom fria da Ditadura?

O historiador Martínez Pereda, é licenciado em Geografia e História pola Universidade de Santiago. Na actualidade exerce como Professor de História no IES Valadares de Vigo. O seu labor investigador centrou-se em diversos aspectos da retaguarda franquista durante a Guerra Civil: mobilizaçom, propaganda política e depuraçom administrativa.
É autor dos seguintes livros: La depuración franquista del Magisterio Nacional en el norte de Zamora 1936-1943, Propaganda, mobilizaçom e cerimónias político religiosas em Vigo durante a Guerra Civil e Medo político e controlo social na retaguarda franquista (Xerais) 2015). Actualmente estuda a mobilizaçom e politizaçom de massas na fase inicial da ditadura na Galiza.
Assim mesmo, tem publicado os seus trabalhos de investigaçom em várias revistas de estudos históricos

Dia: 19 de Maio do 2015 ? Hora: 8,00 do serao
Local: A Fundaçom ? Cantom Grande, 8
Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d?O Facho


Toda-las palestras dadas estám em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no Concelho de Ogrove BASENAME: ops-no-concelho-de-ogrobe DATE: Tue, 12 May 2015 11:12:27 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Sexta-feira 8 de maio, Carme Saborido deslocou-se até o Concelho de Ogrove para ministrar um ateliê OPS! dirigido ao público em geral.

20 pessoas aprenderam um bocadito mais da língua portuguesa, aperceberam-se da importância de conhecermos e usarmos o galego e das oportunidades profissionais que nos abre o galego nos 5 continentes graças aos nossos conhecimentos de português, que só por sermos galegos já são muitos!

Têm mais informação do ateliê aqui.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Entrevista a Joana Cota na Abc Portugal Ourém BASENAME: entrevista-a-joana-cota-na-abc-portugal-ourem-1 DATE: Mon, 11 May 2015 21:00:57 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Entrevista a Joana Cota, às 0:00 horas da quinta-feira 15 de maio de 2015:

http://www.radiosetv.com/radio/abc-portugal-online.html (na Abc Portugal Ourém).

http://www.abcportugal.pt/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Completo programa no Dia das Letras organizado pola Fundaçom Artábria BASENAME: title-790 DATE: Mon, 11 May 2015 20:23:59 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Mais um ano, chega o 17 de maio e, mais um ano, a nossa entidade organiza umha intensa jornada lúdico-reivindicativa para festejar o Dia das Letras.

No sábado 16, começamos a jornada na Associaçom de Vizinhança de Santa Marinha, onde às 11.30 realizaremos um mural coletivo, obra da jovem artista ferrolana Névia Lamas.

Posteriormente, às 12.30, haverá umha sessom vermute com música tradicional.

Às 14.00 decorrerá um jantar popular com o churrasco como protagonista, a 5? a refeiçom, acompanhada de pam e crioulo.

Já de tarde, haverá umha gincana infantil com a nossa língua como tema central. Haverá prémios para @s ganadores/as.

Todas estas atividades decorrerám no local da Associaçom de Vizinhança de Santa Marinha.

Já à noite, a atividade deslocará-se para o nosso Centro Social, onde às 22.30h e com entrada gratuita, teremos música galega e em galego: Os Derradeiros, já uns clássicos na Fundaçom Artábria, partilharám cenário com outros clássicos do rock and roll galego: Os Zënzar.

Os da ?cochiqueira? chegam a Ferrol para apresentar o seu último trabalho, com que festejam 25 anos em cima dos cenários.

Já na manhá do dia 17, combinamos na Praça da Tafona, em Canido, para percorrer o bairro com umha ruada normalizadora que nos levará como destino final ao Cruzeiro, onde participaremos na concentraçom convocada pola Plataforma Queremos Galego. Mais umha vez, daremos visibilidade ao reintegracionismo, conformando o ?Bloco Laranja?.

Em Trasancos, em galego!
Na Galiza, em galego!

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no "Colectivo Ollomao" de Barreiros (Lugo) BASENAME: ops-na-as-cultural-colectivo-ollomao-de-barreiros-lugo DATE: Mon, 11 May 2015 09:22:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

9 de maio, o professor Kike Martins esteve na associação cultural Colectivo Ollomao de Barreiros para ministrar um novo OPS! para adultos.

Os presentes aprenderam a ler à galega textos em português, ouviram música em português e aperceberam-se da vantagem que temos @s galeg@s na Lusofonia!

Mais informação do ateliê aqui.

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Palestra analisa nesta sexta em Ferrol "como nos afeta a Lei mordaça" BASENAME: title-789 DATE: Thu, 07 May 2015 14:08:12 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Palestras e debates CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Organizado pola Corrente Sindical Anticapitalista (CSA), o ato conta com a participaçom de Fernando Blanco Arce.

A palestra é organizada no ámbito sindical ferrolano, por parte da corrente Sindical Anticapitalista, formada por filiados e filiadas da CIG.

O advogado Fernando Blanco Arce, integrante do observatório dos direitos civis Esculca, será o encarregado de expor o significado e dimensom das medidas aprovadas pola direita espanhola através da chamada Lei Mordaça, assim como pola reforma do Código Penal.

Dirigida a ativistas sociais e sindicais, além do público geral, a palestra decorre nesta sexta-feira na Fundaçom Artábria (travessa de Batalhons, Ferrol), a partir das 20 horas.

(info diarioliberdade.org)

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Concentraçom solidária esta sexta-feira. BASENAME: concentracom-solidaria-esta-sexta-feira DATE: Wed, 06 May 2015 18:29:50 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

A vindeira sexta feira, o companheiro Miguel está citado a declarar num juízo por estar acusado de ser o autor dumhas pintadas que aparecérom numha sucursal de Abanca da cidade. As legendas que se colocárom contra a fachada da entidade financieira denunciavam o recrudescimento das condiçons laborais das/os trabalhadoras/es e os injustos despidos realizados pola empresa.

A Confederación Intersindical Galega (CIG) convoca umha concentraçom no mesmo dia às 10h45 em solidariedade com a pessoa imputada e contra a repressom sindical.Será diante dos julgados e animamos-vos a participar.

Basta já de represssom contra quem luita contra os abusos e injustiças do sistema, mentres a banqueiros e patronal tenhem absoluta impunidade para quebrantar as normas !!!

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: ?O porvir energético? por José Ramom Flores das Seixas - BASENAME: o-facho-jose-ramom-flores-das-seixas-o-porvir-energetico-1 DATE: Wed, 06 May 2015 15:51:01 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 5 de Maio, o Professor titular da USC, no Departamento de Física Aplicada José Ramom Flores das Seixas, intervéu dentro do ciclo ?O saber cientifico na Galiza?, com a palestra intitulada ?O porvir energético?.
Flores das Seixas na sua dissertaçom e posterior colóquio deu a conhecer com as suas palavras que sempre fórom sustentadas com dados e imagens na êcra, o marco actual do problema energético e a possível situaçom de precariedade energetica que se avizinha. Assim mesmo comentou a ausência dumha comunicaçom e debate aberto sobre a questom energética.
Ao remate da sua exposiçom houvo um interessante colóquio.

Preme no seguinte enlace para ver a presentación
https://archive.org/download/PalestraEnergia/palestra1.pdf

----- -------- AUTHOR: SCMadiaLeva TITLE: Grupo de estudos a sexta-feira dia 8. BASENAME: grupo-de-estudos-sexta-feira-dia-8 DATE: Wed, 06 May 2015 08:50:47 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: album CATEGORY: grupo de estudos TAGS: ----- BODY:

Nova sessom a celebrar nesta sexta-feira no Ateneu Libertário A Engranaxe às 21h00. Recolhe os textos de debate nos centros sociais e participa. Haverá ceia prévia.
O primeiro texto logo da apresentaçom do ciclo sobre democracia directa corresponde ao escritor anarquista estado-unidense Murray Bookchin fundador da escola da Ecologia Social. O texto é o municipalismo libertário.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Cuca Roseta: terceiro disco (2015) BASENAME: cuca-roseta-terceiro-disco-2015 DATE: Tue, 05 May 2015 19:41:06 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Fado adocicado

Cuca Roseta tem um novo álbum. Riu, o disco da maioridade da fadista, chega às lojas no dia 18 e contou com o produtor brasileiro Nelson Motta. A Notícias Magazine esteve nos bastidores desta viagem musical entre dois países.

Chegamos aos estúdios Atlântida e somos levados para uma gigante e opulenta sala de gravação, onde Cuca Roseta faz nascer o seu terceiro álbum, o da afirmação. Há uma calmaria nos técnicos, nos músicos e no staff da cantora que não esperávamos. Ouvimos algumas das músicas de Riu e percebemos que naquele estúdio há luz verde para um território de experimentação. Silêncio que aqui se experimenta fado! A experiência vem, claro, do produtor e ideólogo deste disco, o afamado Nelson Motta, produtor musical brasileiro mítico e grandessíssimo escritor de canções.

Estar assim num estúdio de gravação onde as canções nascem é uma oportunidade rara de testemunhar um ato de criação. Olhar para Nelson Motta e conferir no seu olhar que está ali a ser construído algo de novo. Não é a primeira vez que o fado chega à música popular brasileira, mas com esta perícia talvez seja. Talvez, talvez? No final do ano passado, quando visitámos esta gravação, ainda faltava muito para o Riu ficar pronto. Faltava a ida de Cuca ao Rio, onde se gravaria o segundo tomo de uma obra que cruza Portugal e o Brasil, a guitarra portuguesa e outros ritmos tropicais. Quando ouvimos Primavera em Lisboa, tema escrito por Ivan Lins, sentimos o espírito de fusão, sentimos aquilo que Motta quis fazer.

É Cuca quem nos diz que este disco nasce de uma relação com Nelson Mottta que começou como profissional e depois desembocou em amizade pura: «Ele é um papa da música, adoro-o! E tem muito prazer em revelar-me canções, mesmo algumas que nada têm que ver com o espírito de Riu. Esta nossa boa relação, creio, vai passar para o disco.»

O ambiente é de astral positivo, muito para cima. Nada que se compare ao que vimos no documentário de Bruno de Almeida, Fado Camané, em que se mostrava o fadista português em estúdio enquanto gravava sob a alçada rigorosa de José Mário Branco Sempre de Mim. «Estou mais calma agora do que das outras vezes que fui a estúdio. Aprendi que não vale a pena ficar stressada. É preciso haver boa energia. Uma intérprete tem de estar bem e é importante ainda que se estabeleça uma boa energia entre os músicos. Acredito que não podemos estar a pensar no tempo ou que temos de gravar à pressa porque o estúdio é caro. Isso pode estragar um disco? Se a música não ficou bem, há que tentar fazer melhor. Às vezes, as coisas não saem logo?», reforça a fadista, frisando que cada dia é um dia: «Há dias em que a voz está ótima, outros não. Por exemplo, hoje estou um bocado condicionada. Estive meio doente?»

Riu é um disco, na verdadeira aceção da palavra, luso-brasileiro. Nelson Motta promete que é o trabalho que vai fazer de Cuca Roseta uma estrela no Brasil. «É para estourar no mundo inteiro», avisa. «Sou louco, sempre fui, pela Cuca! Ela é incrível.» Acreditamos, sobretudo porque essa admiração fez que deixasse um retiro de muitos anos (passaram onze desde a última vez que tinha entrado num estúdio para produzir, nesse caso o disco ao vivo de Daniela Mercury). Só mesmo por esta cantora portuguesa seria capaz de regressar e agora exulta com o «comeback», conforme deixa escapar num post no Facebook. «Tinha de ser especial para regressar? Fiz isso tanto tempo e há uma dada altura que cansa, sobretudo a rotina? Vou confessar: nem pensava voltar mais alguma vez a um estúdio para produzir! Nossa, agora estou gostando muito! Mas, claro, tudo é novo para mim: o universo do fado, a aprendizagem. Estive trabalhando neste conceito desde que a ouvi pela primeira vez no filme do Carlos Saura, o Fados. Este disco não foi encomenda coisa alguma! Foi antes uma conspiração a favor», conta enquanto olha para a chuva lá fora.

DE VOLTA À CABINA DE SOM, olhamos para Motta em ação. É um produtor atento, um homem obstinado. Dizem-nos que tem um ritmo forte. Tem gravado duas músicas por dia ? a sua estada é curta nesta fase. Do que ouvimos, percebemos que o disco tem fado, mas tem também muito mais. Os puristas vão aos arames? Depois das experiências de outros fadistas e do «som» António Zambujo, talvez nem tanto. «A Cuca, como qualquer outro grande artista, não podia ficar confinada apenas à sua ?aldeia?.» Quem o diz é o próprio Motta, que admite ter feito um estudo intuitivo sobre fado, sobre o fado de que gostava. Afirma não querer saber dos puristas, mas sabe que o fado em Portugal é tão sagrado como o samba no Brasil. Porém, ressalva: «Afinal, no mundo da música nada é bem sagrado. É isso que mantém a música viva, essa constante renovação. O fado é tão sólido que nada pode abalá-lo! Sempre haverá a cultura tradicional do fado. Sinto que é impossível fazer melhor do que aquilo que já está feito. Logo, o melhor é fazer diferente?» A ideia deste disco é essa: pegar em temas italianos, brasileiros e espanhóis e dar-lhes a voz de Cuca. Há quatro ou cinco canções brasileiras que são transformadas em fado. «Quero que a Cuca cante essas canções com fado!», diz o produtor. «Há só um tema que ela vai cantar com sotaque brasileiro?».

Os nomes que povoam as canções deste disco inspiram respeito: além de Lins, Zeca Afonso, Djavan, Casimiro Ramos, Dorival Caymmi, João Gil, Júlio Resende, Bryan Adams, Sara Tavares , Mário Pacheco, o oscarizado Jorge Drexler e a própria Cuca. Cuca que não acusa o nervosismo. Está no estúdio como quem está em casa. Há um momento em que se abraça a Motta e a ternura entre os dois é pura, nada convulsa. É bonito. Mais tarde, Motta e a fadista escutam uma das canções. Ficam atentos. Entretanto, chega o mestre Pedro Castro, o craque da guitarra portuguesa que não perde tempo e começa a preparar o seu instrumento. Todos são eficientes. O tempo ali é precioso. Continuamos a ouvir o tema de Lins, enviado uns dias antes. Não estava escrito. Um dia depois, Motta deu-lhe uma letra. Foi, segundo dizem, caído do céu? O tempo passa e tudo fica perfeito.

Há um outro guitarrista que grava por cima da música. Os técnicos dizem que se sente um batimento, termo técnico quando o som fica muito em cima da canção. Não se distingue ao ouvido comum, mas é este o grau de exatidão técnica nesta altura. Miguel Capucho, o agente de Cuca, acredita que é o disco mais importante de Cuca: «É o nosso disco de paixão, com tudo o que a Cuca sempre quis fazer.»

http://www.noticiasmagazine.pt/2015/fado-adocicado/

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: Novo documento filtrado sobre o TTIP: Assim se minarám os valores democráticos BASENAME: canta-o-merlo-novo-documento-filtrado-sobre-o-ttip-assim-se-minaram-os-valores-democraticos DATE: Tue, 05 May 2015 14:57:43 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Dezires CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

De acordo com umha nova proposta filtrada da Comissom Europeia nas negociaçons em curso do TTIP (Associaçom Transatlântica para o Comércio e o Investimento), as iniciativas legislativas dos estados membros da UE terám que ser previamente aprovadas em previsom dos seus impactos potenciais sobre os interesses das empresas privadas.

A proposta fai parte de mais um plano amplo para a denominada "cooperaçom regulatória".

Grupos da sociedade civil já denunciárom anteriormente este plano, qualificando-o de ferramenta para deter ou reverter a regulaçom destinada a proteger o interesse público. Os novos elementos filtrados da proposta, pom e de relevo os piores temores dos activistas.

Grupos da sociedade civil tenhem condenado o plano de "mudança normativa" como umha enfrenta à democracia parlamentar. "Isto é um insulto aos cidadaos, aos políticos eleitos e à democracia mesma", di Max Bank da organizaçom Lobby Controlo.

A proposta de "mudança normativa" obrigará a que as leis elaboradas polos políticos elegidos democraticamente, sejam submetidas a um amplo processo de escrutínio.

Este processo realizará-se nos 78 Estados (os 50 de EEUU e os 28 da UE) e nom só em Bruxelas e Washington DC. As leis serám avaliadas para que sejam compatíveis com os interesses económicos das grandes empresas.

A responsabilidade deste exame das leis recairá num organismo de "cooperaçom regulatória", um conclave permanente formado por tecnocratas europeus e americanos, que nom terá carácter democrático e nom renderá contas ante os cidadaos.

"Tanto a Comissom como as autoridades estadounidenses poderám exercer umha pressom excessiva sobre os diferentes governos e os políticos em virtude desta medida. Os dous é muito provável que partilham a mesma agenda: a defesa dos interesses das multinacionais", afirma Kenneth Haar de Corporate Europe Observatory.

"A proposta da Comissom Europeia acredite um labirinto de burocracia para os reguladores, que em cima é pago polo contribuinte e cuja funçom é impedir que se adoptem legislaçons enfocadas ao interesse público", sustém Paul de Clerck de Friends of the Earth Europe.

Esta vigilância sobre as leis, poderá aplicar-se antes mesmo de que umha proposta seja apresentada formalmente e antes de que se adopte, e ademais poderá ser aplicada sobre as normativas já existentes, proporcionando com isso, umha oportunidade contínua de debilitar e atrasar todo o tipo de leis que nom interesses às multinacionais:

"O que talvez é mais aterrador desta proposta é a sua possível aplicaçom à regulaçom existente, já que nom só paralisará a legislaçom futura senom que paralisará a legislaçom actual retroactivamente", sustém David Azoulay do Center for International Environmental Law (CIEL).

"Qualquer legislaçom vigente de interesse público que nom senta bem aos grandes interesses comerciais a ambos os dous lados do Atlântico poderia ser submetida ao mesmo processo, para que se adapte aos interesses das grandes corporaçons".

Por dizer de outra maneira: estamos a viver um golpe de estado a nível intercontinental, no que o poder absoluto será entregado às multinacionais e no que a democracia, já extremadamente debilitada na actualidade, converterá numha piada de mal gosto.

A ditadura corporativa está ao virar a esquina...

Fonte: http://www.globalresearch.ca

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Helena Leonor em direto... e mais BASENAME: helena-leonor-em-direto-e-mais DATE: Tue, 05 May 2015 13:37:22 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


http://i.ytimg.com/vi/GkFIvXg2tJM/hqdefault.jpg
"Maria Lisboa":

Mais:
https://www.youtube.com/channel/UCMqDK6xH44QOju3U2IHzsTA

http://helenaleonor.home.sapo.pt/

http://www.moraleja.es/sites/default/files/imagenes/noticias/1356-6192778%5B1%5D_0.jpg

----- -------- AUTHOR: eugeniote TITLE: - BASENAME: morte-quotidiana DATE: Tue, 05 May 2015 10:46:11 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Herança CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

como dizer que morro em cada coisa?

que cada objeto é a medida dos limites
da própria vida

que em cada abraço morro nesses braços

que quando vejo morro e se sou visto mato

que a vida é sempre este morrer em tudo

que morro em cada flor e em cada flor renasço

----- -------- AUTHOR: ops TITLE: OPS! no Português Perto de Ourense BASENAME: ops-no-portugues-perto-de-ourense DATE: Tue, 05 May 2015 08:51:19 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Experiências CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Ontem, 4 de maio realizou-se na Faculdade de Ciências Empresariais e Turismo de Ourense, o ateliê Ops! O galego como oportunidade competitiva e privilexiada, dentro da programação da 5ª edição do Português Perto de Ourense, da mão de Kike Martins, que incidiu na importância que o galego tem como vantagem para entrar no mundo lusófono.

O OPS! foi apresentado pela antropóloga Fátima Braña, que incidiu em que o galego além de se conformar como património cultural, ajuda a abrir novas oportunidades profissionais.

Têm mais informações sobre as atividades que decorrem neste Português Perto aqui.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: Aldina Duarte: entrevista, filme e fado [Público 22.IV.2015] BASENAME: aldina-duarte-entrevista-filme-e-fado-publico-22-iv-2015 DATE: Mon, 04 May 2015 19:53:13 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O jornal Público ainda não adotou a ortografia atual.


Entrevista
O filme de Aldina Duarte

Nuno Pacheco

22/04/2015 - 08:36

(actualizado às 08:36)

Romance(s) é um único fado em vários andamentos, uma história que Maria do Rosário Pedreira escreveu, Aldina Duarte cantou e Pedro Gonçalves, dos Dead Combo, produziu. Isto em dois discos: um fiel ao fado tradicional, o outro contando a mesma história como num filme.

Maria do Rosário Pedreira imaginou um romance cantado. Pedro Gonçalves, dos Dead Combo, viu nele um filme. O resultado, surpreendente e único no universo do fado, é o novo disco de Aldina Duarte, Romance(s), que na verdade são dois discos num só.

Um romance cantado em 12 fados tradicionais, uma história de um triângulo amoroso que joga com estereótipos (a morena e a loira, o amor e a amizade) para deles extrair muito mais do que as aparências. E a mesma história reinventada por Pedro Gonçalves, que criou um segundo disco para a contar como se fosse uma banda sonora pop. Depois de

Apenas O Amor (2004), Crua (2006), Mulheres Ao Espelho (2008) e Contos De Fados (2011), Aldina Duarte tem em Romance(s) o seu maior e mais arriscado desafio até à data. Curioso paralelo: o trio fictício da história ficou nas mãos de um trio criativo real (Rosário, Aldina e Pedro), que produziu uma obra extraordinária. Chega às lojas no dia 27 de Abril.

- Ao ver este disco é impossível não lembrar Crua, que tinha letras de um só autor, João Monge, para vários fados tradicionais. Agora, as letras são só de Maria do Rosário Pedreira. Há algum paralelo? Estará aqui um ?Crua? da maturidade?
- Dessa vez, fui eu que achei que podia ser interessante cantar um letrista que vivesse o mesmo tempo que eu. Queria cantar com as linguagens e os seus sinais do meu tempo. Desta vez, não fiz mais nada senão cantar. Que é uma coisa única no meu percurso, porque eu é que faço tudo. Achei que nos discos chegara ao fim. Enquanto na casa de fados sinto que evoluo diariamente, nos discos restava-me fazer o quê? Além disso os tempos não estão famosos. Costuma dizer-se que quando a realidade é grave os artistas têm mais trabalho. O meu sentimento é contrário a isso. Se começo a achar que isto é tudo uma grande inutilidade dá-me vontade de parar. Não tenho nada para dizer.

- Como é que surgiu, então, o ?click? que a levou a gravar?
- Não sei como nem porquê, a Maria do Rosário Pedreira, por sua livre iniciativa, disse-me: ?tive a ideia de escrever um romance em verso para os fados tradicionais, para ti?. Disse-me que já tinha os capítulos, mas precisava que eu a ajudasse?

- Ela já tinha um guião preparado?
- Já. Era um romance de um triângulo amoroso. Eu sempre gostei muito do Tchekhov por causa da banalidade aparente dos assuntos e da forma como ele transforma aquilo numa coisa artística e literariamente de uma grandeza extraordinária. Sendo a Rosário uma das minhas melhores amigas, ela e o Manuel Valente, jantamos quinzenalmente e o assunto são os livros. Porque eles são editores e temos essa paixão comum. Começámos a discutir o triângulo amoroso e eu propus fazer o cliché do cliché, mas à Tchekhov. O que dependeria muito da forma como ela escrevesse e eu cantasse. Eu não estava muito empenhada em levar aquilo para a frente, mas a Rosário começou mesmo a escrever?

- Foi aí que começaram o trabalho conjunto?
- De cada vez que íamos jantar, mostrava-me letras. E dizia: ?anda cá que temos que trabalhar?? Isto nunca me aconteceu, era sempre eu a dizer ?vamos trabalhar?. Não resisti. Abriu-se aquela porta e não deu para fechar mais. Mas como sou a minha própria editora e já não tenho pachorra para ir à procura de dinheiro e de apoios, disse-lhe que o mais que podia acontecer era começar a cantar aquilo no S. Vinho, ir para palco e não gravar o disco. Perguntei-lhe se ela não se importava e ela respondeu: ?Não, não, até é uma ideia?? Como fiquei com essa liberdade, achei interessante. Um caminho bonito para fazer com uma amiga, e ainda por cima uma pessoa que eu admiro tanto.

- Ela já lhe aparecia com as letras escritas?
- Já. E eu é que procurava a música. O grande problema era: como é que se vai cantar um romance com princípio, meio e fim, com quatro personagens e discursos directos, onde eu vou ser protagonista mas ao mesmo tempo narradora omnisciente, onde vou cantar coisas nas quais não me revejo, algumas até sou contra. Aí propus-lhe que pelo menos assegurássemos o fim: eu nunca percebi a raiva que as mulheres têm umas às outras quando há traições amorosas. Porque na realidade quem trai é quem vive com quem. Nisso, os homens são muito mais inteligentes. Nunca vi um homem virar-se contra o amante da mulher, vira-se é contra a mulher. As mulheres não, viram-se contra a amante. E isto só pode ser cultural, porque não tem sentido nenhum.

- Mas aqui havia uma ligação: elas já eram amigas, ele é que vem de fora. Conhece ambas ao mesmo tempo, casa-se com uma delas e passa a ser amante da outra.
- Nós extremámos isso, acentuando aquilo que já não é imoral, é amoral. Uma amiga que trai a melhor amiga. E com um desconhecido. Ele conhece-as, repara nas duas, acha que uma é boa para casar e a outra? é boa para outra coisa qualquer. E acaba por trai-la mesmo, e logo no casamento, que é uma coisa terrível. A ideia era extremar tudo, porque eu gosto de emoções e linguagens extremas. As minhas afinidades artísticas são com quem é mais negro, mais violento. Por exemplo: no cinema não suporto violência física, mas na literatura adoro. E na pintura também. Então, aqui fomos ao limite.

- Isso levou a Maria do Rosário Pedreira a retocar as coisas que ia escrevendo?
- Sim, sim, e aceitou inclusive o meu final. Há um filme do George Cukor que eu adoro, o

Célebres e Ricas [1981], que é um bocado essa trama. No fim, a amizade vence a paixão. E isso agrada-me imenso. Porque na realidade o que se percebe é que aqui não houve amor, houve paixão e amizade. Aquele homem atraiu-se por uma mulher e apaixonou-se por outra, mas na realidade queria era tudo. E quem tudo quer nada tem. Foi desta discussão que nasceu isto tudo, mas é evidente que o conceito, a ideia, a definição da linguagem, é toda da Maria do Rosário. E é absolutamente nova para mim.

- E novo no fado, não há nenhum disco com esse conceito.
- Não tenho referência de nenhum disco de fados a contar uma história do princípio ao fim, tenho referências mas fado a fado. Por isso fiz duas audições fundamentais. De todos os meus discos, este foi o que eu mais preparei, porque achei que precisava.

- E que audições foram essas?
- Fausto, a trilogia [que começa com Por Este Rio Acima], porque é a única pessoa que eu conheço que conta em disco uma história com princípio, meio e fim, e com personagens muito variadas. Para mim ele já era uma grande referência mas eu não tinha, e muita gente não tem mesmo, a noção do que é a grandeza daquele trabalho. E é uma pena. Porque é de uma qualidade, de uma criatividade, de uma originalidade? Outro dia, estava a ouvir os Divine Comedy na minha alta-fidelidade (que é o único instrumento da minha casa) e de repente pensei: caramba, parece que este homem ouviu o Fausto!

- Mas além dele e dos Divine Comedy, quem mais ouviu?
- O Marceneiro, como sempre. É o grande contador de histórias e, por excelência, o grande intérprete. Eu tenho andado a fazer as oficinas do

Fado para Todos (que agora vai ser uma comunidade) e fui à fonte, explorar mais ainda os fados do Marceneiro. Tinha que ir aprender com o grande mestre. E há um tema, que é o Remorso, do Linhares Barbosa, que só lido já é exímio (é uma letra eximiamente escrita e pontuada à Cesário Verde), com o qual eu fiz um teste aos participantes da oficina. Ouvimo-lo, e eu pedi a cada pessoa que exprimisse numa palavra a emoção que retirou da audição. Ouvi medo, pena, compaixão, até doçura. Mas qual é a história? É a de um homem que matou uma mulher, ouve bater à porta, pensa que o vão buscar para o levar preso. E afinal era só vento. O Marceneiro interpreta aquilo de uma tal maneira que nós não percebemos que nos estamos a identificar, compadecidos, com um assassino! E é tudo claro, não é metafórico. Ora eu disse, para mim, que tinha que conseguir minimamente (porque não me vão chegar cem anos de vida para ter o génio do Marceneiro) trabalhar assim.

- Isso obrigou-a moldar a interpretação a vários e contraditórios estados de alma?
- O mais difícil é que são estados de alma de todos nós. Podiam ser de um determinado grupo de pessoas, mas são de toda a gente. Mais liberais ou mais conservadores, toda a gente passa por estas contradições, por estas foleirices, isto faz parte de nós, queiramos ou não. Isso é que foi doloroso na interpretação, descobrir coisas horríveis em mim.

- Teve aqui algum lado biográfico, mesmo que involuntário?
- Teve, claramente. Tornou-se muito claro o que era meu e o que não era meu. Não gosto de pensar muito em mim, incomoda-me um bocado. Mas aqui não tive alternativa.

- Como é que surge o Pedro Gonçalves, dos Dead Combo, neste projecto?
- No meio disto tudo, aparece-me a Paula Homem [da Sony] a dizer que estava na altura de eu gravar um disco. Contei-lhe o que estava a preparar, mas que se calhar era só para apresentar ao vivo. Ela insistiu e acabámos por gravar um contrato de artista, coisa que já ninguém faz, nem mesmo com quem vende muito. Uma semana depois ela falou-me no Pedro Gonçalves. Quando o conheci, percebi logo que era da minha família artística. Conhecia o meu trabalho como ninguém, mas nem acreditava que lhe pedissem para produzir o meu disco, pensava que eu não precisava de ninguém para nada.

- Ele até disse que não percebia nada de fados?
- Mas centrou a ideia numa coisa: disse-me que o timbre que me ouvia ao vivo queria pô-lo num disco, porque isso ainda não tinha sido feito. Achei um bom princípio. Não quis pôr-se a dar sugestões, a mim ou aos músicos, porque achava que não tinha competência para isso. Foi de uma grande dignidade. Só as pessoas com muito talento é que têm genuinamente esta postura. Passado um tempo ele aparece com a mulher [a bailarina e coreógrafa Ainhoa Vidal] e foi ela que sugeriu que fizéssemos dois discos. Ele reagiu: ?Dois discos?? E ela: ?Inventa!?. Ele assim fez.

- E conseguiram separar os dois conceitos?
- No primeiro disco foi muito revelador. Eu nunca tinha tido uma pessoa a ouvir-me de fora enquanto gravo e às vezes a ouvir-me de uma maneira completamente diferente. E quando acabámos o disco com os fados tradicionais, ele aparece-me com outro. Não com os arranjos exactamente como estão, mas já com o ?esqueleto? todo feito.

- A estrutura desse segundo disco faz lembrar a de um filme?
- Ele quis afastar-se do universo das guitarras e violas do fado. Está feito, não há nada a mexer e mexer era estragar. Pensou fazer um disco radicalmente diferente, achando que o ideal era eu encontrar uma forma diferente de cantar. As nossas referências comuns são P. J. Harvey, Ry Cooder, Björk, Patti Smith... Ora quando me vi perante aquilo, a minha grande dificuldade era inverter a acentuação das palavras. Enquanto no fado o balanço está na tónica, ali eu tinha que esmaecê-la, embora ela esteja lá. Que ninguém espere que eu cante ?fadú? ou ?amore?, isso nem que a música seja de Beethoven! E então surgiu uma ideia extraordinária. Uma vez o José Mário Branco disse-me: ?Bom vai ser quando te esqueceres de cantar? (e ele para mim é um deus da música). Pois neste segundo disco, eu, que sempre pus a palavra à frente, acho que consegui chegar ao limite do não-cantar. Porque a ideia foi de que aquilo se tornasse uma espécie de banda sonora e ali eu já não canto uma história, canto fado a fado, e sou muitas pessoas. Mas chamei para cantarem comigo o Camané, a Filipa Cardoso e a Ana Moura.

- No final do disco, a amizade vence. E na vida?
- Eu acho, ao contrário do poeta, que é possível ser feliz sozinho. Porque senão eu não existia, sempre fui uma solitária desde criança. E aprendi a ser feliz. Mas nunca vamos tão longe se não tivermos os nossos companheiros. Eu não consigo valorizar mais o amor do que uma amizade. A maior dor que tive na minha vida, irreparável, foi a perda de uma amizade e não de um amor. É pior do que uma morte. É um copo que se parte, não tem como se refazer. E deixa estilhaços por todo o lado, é horrível.

- Como é que se recupera de uma coisa dessas?
- Não se recupera, integra-se. Não se consegue aceitar isso nunca.

- E essa integração dá o quê?
- Dá uma dor que nos ensina a viver com ela e a não fugir dela. Abomino o sofrimento, acho-o um lamaçal, mas a dor é fundamental para crescer. Faz parte da vida e há que olhá-la de frente. Quem não cresce por medo da dor, mais tarde ou mais cedo definha.

http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/o-filme-de-aldina-duarte-1693032

MAIS:
http://www.ionline.pt/artigo/388438/aldina-duarte-a-arte-nao-pode-ser-tratada-como-uma-corrida-de-cavalos-nao-vive-de-apostas-?seccao=Mais_i

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: - ?A maçoneria na Galiza? por Joám Carlos Pereira Martins BASENAME: jose-ramon-flores-das-seixas DATE: Sun, 03 May 2015 16:59:24 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Resenhas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

O passado dia 28 de Abril, o historiador, Joám Carlos Pereira Martins, intervéu dentro do Ciclo: Economia, História, e Ciências Sociais, com a sua exposiçom intitulada: ?A maçoneria na Galiza?.

Pereira Martins expujo a sua moi emocionante palestra fundamentando-se em investigaçons tanto levadas por ele mesmo como por outros estudiosos da maçoneria, da importância desta instituiçom na construçom do livre pensamento nos séculos passados e assim como o custo em vidas e perseguiçom padecida polo clerical-fascismo durante e post a insurreiçom militar do ano 1936. No seu relatório lembrou os nomes dos muitos dos assassinados numha homenagem as suas pessoas.

Como sempre ao finalizar a palestra o conferenciante mantivo um interessante colóquio com os presentes.

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "Saudades do Brasil em Portugal" [versões] BASENAME: saudades-do-brasil-em-portugal-versoes DATE: Sat, 02 May 2015 13:46:14 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Vinícius de Morais e Amália Rodrigues:

SAUDADES DO BRASIL EM PORTUGAL
(Letra: Vinicius de Morais / Música: Homem Cristo)

O sal das minhas lágrimas de amor
Criou o mar que existe entre nós dois
Para nos unir e separar.
Pudesse eu te dizer
A dor que dói dentro de mim,
Que mói meu coração nesta paixão,
Que não tem fim,
Ausência tão cruel,
Saudade tão fatal,
Saudades do Brasil em Portugal Meu bem, sempre que ouvires um lamento
Crescer desolador na voz do vento
Sou eu em solidão pensando em ti
Chorando todo o tempo que perdi

Amália Rodrigues:

Carminho:

Carminho (no Brasil):

Kátia Guerreiro:

Cuca Roseta:

Joana Cota:

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: José Ramom Flores das Seixas - ?O porvir energético? BASENAME: o-facho-jose-ramom-flores-das-seixas-o-porvir-energetico DATE: Thu, 30 Apr 2015 14:24:03 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
Frederico Tápia 12-1º
15011 A Corunha

A Agrupaçom Cultural O Facho de A Corunha convida-o a assistir aos seus ciclos de palestras públicas do período 2014-15

Palestra

O vindoiro dia 5 de Maio, terça (martes), o Professor titular da USC, no Departamento de Física Aplicada José Ramom Flores das Seixas, falará dentro do ciclo ?O saber cientifico na Galiza?, com a palestra intitulada ?O porvir energético?.

Flores das Seixas é Licenciado e doutor em física pola Universidade de Santiago de Compostela. Investigador visitante na Portland State University (Portland, EUA), no Laboratoire Central de Recherche da Thomsom-CSF (Paris, França) e na Univesity of Kent (Canterbury, Reino Unido).

Além do seu trabalho docente e investigador, com as publicaçoes correspondentes em revistas científicas da sua especialidade, tem desenvolvido também um labor cívico nas áreas do software livre e do activismo lingüístico, sendo um pioneiro na traduçom do software ao galego e autor de dicionários para correctores ortográficos. É autor do livro cientifico-técnico Dispositivos optoelectrónicos, e coordenador do livro divulgativo Quês e porquês do reintegracionismo.

Dia: 5 de Maio- Hora: 8 do serám
Local: Portas Ártabras ? Sinagoga 22
Cidade Velha ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d'O Facho

Toda-las palestras dadas estám em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Voltamos a Canido a fazer o nosso Maio BASENAME: title-788 DATE: Wed, 29 Apr 2015 11:37:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Este domigno 3 de maio a partir das 11.15h voltamos à praça da Tafona, no popular bairro de Canido, para festejar a despedida do Inverno e a chegada da Primavera com a apariçom das primeiras flores e frutos elaborando os Maios. Cobriremos a nossa estrutura , seguindo a tradiçom da na nossa comarca, com fiuncho, laranjas, flores...

Mas o dia antes, sábado 2, combinamos no Centro Social às 12hs para ir apanhar flores.

O próprio domingo combinamos previamente às 10.30 na Fundaçom Artábria para deslocar-nos posteriormente a Canido.

Também Podes trazer o próprio domingo as tuas flores, verde e frutas para ajudar a enfeitá-lo. Esperamos-te!

?Cúbrete de verde e canta?

"Fiuncho, carriza, laranjas, ovos, milho, flores, carqueixas, urces, carrabouxos e muita imaginaçom. Estes som os principais ingredientes dos "Maios", as construçons vegetais que a primeiros de Maio enchem as praças de toda Galiza para arredar de pestes, virus e males as colheitas. E, de passo, fazernos rir coas suas coplas.

A primeiros de maio a vegetaçom sae à rua em forma de "maio", umha construçom de diferentes formas feita com elementos vegetais em funçom da zona na que se elabora e que pode ser enxebre ou artístico. Os "maios" gestáronse para invocar o crecemento das plantas cultivadas e para protegelas de possíveis ameazas naturais, coma os ratos, toupas... ou os sobrenaturais, as sempre temidas meigas que cos seus poderes podem botar um "mal de olho" à colheita.

A Festa dos Maios tem a sua origem na prehistória quando os primeros habitantes preguntabam-se sobre essa força renovadora que cada ano, trás a época das chuvias e o frio fazia brotar a semente e revestia os campos de moitas cores."

**********
A morte do inverno
está sentenciada
fugírom as neves,
morreu a geada,

Parárom as choivas
já tempo lhes era !
pois fartas de água
estavam as terras.

Borrarom-se as néboas,
O ceio está claro...
axota a perguiza,
desperta-te Maio!,

Estende as orelhas,
escoita os falares
de velhos e velhas
em feiras e bares.

**********

Levamta-te Maio
que tanto dormiches,
passou o inverno
e nom o sentiches.

O maio maiado,
o maio do sol,
o maio das flores,
o maio do amor.

E venhem os maios
um ano tras outro
e as árvores todas
cheínhas de froito.

Ehi vem o Maio
Mainho é
Ehi vem o Maio
Coa festa em pé.

**********

Para fazer os Maios
temos que colher
um feixe de flores
e algo que dizer.

Para fazer o Maio
tivemos que roubar
flores e fiunchos
na horta do S.Blas.

Para fazer o Maio
tivemos que roubar
flores e fiunchos
na beira do mar.

Traemos fiunchos
ovos e mais flores
para este Maio
ter mil amores.

**********

Maio romeiro
bicou as campinhas
i en cada bicada
naceron florinhas.

Perfume de flores
pregom da gram festa
cançom que nos fala
da Nai Primavera.

Quando o papo seca
hai-no que molhar
cum grolo de vinho
e volver a cantar.

Já chegou o Maio
florido e galám
chegou tra-lo inverno
e antes do verám.

(Texto tirado do Blogue do Colectivo Sociocultural "A Revolta de Trasancos)

----- -------- AUTHOR: facho TITLE: O FACHO: Joám Carlos Pereira Martins - ?A maçoneria na Galiza? BASENAME: o-facho-joam-carlos-pereira-martins-a-maconeria-na-galiza-1 DATE: Tue, 28 Apr 2015 08:15:36 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Novas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Agrupaçom Cultural O Facho
15011 Crunha


A Agrupaçom Cultural ?O Facho? d?A Corunha convida-o assistir aos seus ciclos de palestras publicas e abertas do período 2014-15.

Palestra:

O dia 28 de Abril, o historiador, Joám Carlos Pereira Martins, intervirá dentro do Ciclo: Economia, História, e Ciências Sociais, com a sua exposiçom intitulada: ?A maçoneria na Galiza?.

Pereira Martins é Lcdo. em Geografia e História, realizou os cursos de doutorado em Historia Medieval, sendo um dos maiores especialistas na Orde do Temple nos reinos da Galiza e Leom. Actualmente é historiador do Concelho de Culheredo.. Entre a sua obra publicada podemos salientar:
?Fábrica de Armas de A Coruña. Seis décadas de historia?; ?Anxo Senra Fernández, vida e obra?; ?Os Templários. Artigos e ensaios?; Asociacionismo e movemento obreiro em Oleiros (1900-1936); ?Germinal, Centro de Estudios Sociais (Cultura obreira na Coruña, 1902-1936)?, com Ana Romero Masiá; ?O orballo da igualdade. Asociacionismo femenino progresista na Coruña?, com Ana Romero Masiá; ? A Galicia heterodoxa?; etc...

Assim formou parte do colectivo poético corunhês ?Os habitantes do Lago?, cursou estudos vários anos no Conservatório de Música da Crunha, e também foi um dos fundadores do grupo de teatro ?Maio-longo? de Culheredo. Artista plástico, tem realizado exposiçons, individuais ou colectivas, por toda Galiza e Portugal.


Dia: 28 de Abril 2015 - Hora: 8 do serám
Local: Portas Artabras
Rua Sinagoga 22- Cidade Velha ? Crunha

J. Alberte Corral Iglesias
Secretário d'O Facho

Toda-las palestras dadas estám em: http://agal-gz.org/blogues/index.php/ofacho/

----- -------- AUTHOR: Ibérico TITLE: "Velho fadista" [versões] e Alcindo de Carvalho BASENAME: velho-fadista-versoes-e-alcindo-de-carvalho DATE: Sun, 26 Apr 2015 19:10:32 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Fadistas CATEGORY: TAGS: ----- BODY:


http://i.ytimg.com/vi/0kE2PVUSsn8/hqdefault.jpg

Velho fadista (fado modesto)
António Vilar da Costa (letra) e Júlio Proença (música).
Repertório de Alcindo de Carvalho, Joana Cota...

Na Mouraria, numa noite, a fadistagem
Cantava e ria numa sã camaradagem.
Saudosamente ali estava ao nosso lado,
Velho e doente, um fadista já cansado.

Quando cantei, dediquei-lhe, no corrido,
Uns versos em que falei num fadista já esquecido.
Ele escutou, porém notei-lhe no rosto
O seu amargo desgosto, quando o passado lembrou.

Ao terminar, ele, sorrindo com mágoa,
Veio-me abraçar, com os olhos rasos de água.
E, qual demente, desapertando a samarra,
Nervosamente, abraçou uma guitarra.

A banza trina, e ele encetou com fervor
Uma cantiga em surdina, no velho fado menor.
Não terminou, pois, com a alma em pedaços,
Veio cair em meus braços, não pôde cantar, chorou.

Procuramos algum áudio ou vídeo da versão do grande e ímpar

ALCINDO DE CARVALHO.

JOANA COTA:

Versões com a letra de Carlos Conde e música popular (fado das horas):

HELENA SANTOS:

JOSÉ PRACANA:

----- -------- AUTHOR: artabria TITLE: Projeçom do documentário "Proxecto Zeca" BASENAME: title-787 DATE: Wed, 22 Apr 2015 22:23:55 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Concertos CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Na sexta-feira 24 de abril daremos início às atividades comemorativas do 41 aniversário da Revoluçom dos cravos com a projeçom do documentário "Proxecto Zeca". A projeçom está marcada para as 21h00.

'Proxecto Zeca' é um pequeno documentário escrito e dirigido por Pablo Portero no ano 2012, com a produçom de Volta e com as intervençons de Najla Shami, Carlos Blanco, Gonzalo Bouza Brey ou Joao Afonso entre outros/as.

Foi apresentado no evento 'Terra da Fraternidade', celebrado no Auditorio de Galicia em 10 de Maio de 2012.

----- -------- AUTHOR: csggaioso TITLE: Quico Cadaval, grande evento no sétimo anuversário BASENAME: quico-cadaval-grande-evento-no-setimo-anuversario DATE: Tue, 21 Apr 2015 13:37:10 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Associaçom CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

Amanhá quarta-feira a partir das 20h30 poderedes, polo preço de 5? (salvo sóci@s, por 3?), aceder aos relatos "Inocentes" com que nos alegrará a noitinha o polifacético ribeirense Quico Cadaval.

A entrada estará aberta até completar aforo, à volta das 60 pessoas. Podedes comprar hoje por adiantado as entradas, em horário de abertura de 20h a 23h aprox. no local do Centro Social.

Esperamos que podades assistir e gozedes deste galego universal com nós.

----- -------- AUTHOR: Corral TITLE: CANTA O MERLO: EE.UU desenha umha saída para o regime: Rajoy deve pôr o seu cargo a disposiçom de Felipe VI BASENAME: canta-o-merlo-ee-uu-desenha-umha-saida-para-o-regime-rajoy-deve-por-o-seu-cargo-a-disposicom-de-felipe-vi DATE: Sun, 19 Apr 2015 17:34:30 +0000 STATUS: publish PRIMARY CATEGORY: Ensaio CATEGORY: TAGS: ----- BODY:

www.espiaenelcongreso.com

EE.UU desenha umha saída para o regime: Rajoy deve pôr o seu cargo a disposiçom de Felipe VI


"Ainda que nom o requeira a Constituiçom, e ainda que só fora por cortesia protocolar, o actual chefe do Governo deveria pôr o seu cargo a disposiçom do novo rei". Esta é a sugestom que o catedrático Príncipe das Astúrias na Universidade de Georgetown (EE.UU), Josep M. Colomer, realizou a Mariano Rajoy para que aceite a onda de mudança que reclama Espanha trás o 25-M, com 10 milhões de votos perdidos polo bipartidismo PP-PSOE em só 2,5 anos. A sua proposta está em sintonia com o interesse estratégico que desde EE.UU está a pôr ao processo de mudança em Espanha (umha simples olhadela à sua imprensa de referência acredita-o), muito similar ao que já tivo quando se produziu a morte de Franco e desenhou, junto com Alemanha, o passo da ditadura à "oligocracia" ou "partitocracia" com Juan Carlos. Despejado o caminho com a inesperada e surpreendente abdicaçom do monarca (muitas miradas dirigem-se além do Atlântico), Rajoy tem agora que eleger entre desempenhar o efémero papel daquele presidente continuista chamado Arias Navarro ou converter-se em "mártir" como o seu predecessor, Carrero Branco. E como a valentia nom parece estar entre as suas qualidades, em Estados Unidos dam por seguro de que nom porá obstáculos e facilitará que Felipe VI tenha ao menos umha oportunidade de salvar o trono. Em meios diplomáticos assegura-se que Washington e Berlim já decidiram: e o polegar virou cara abaixo.

A "operaçom", que ainda nom tem nome e que argalham os reformistas do regime, passa por adquirir algo de legitimidade até maio de 2015 (eleiçons locais) para tentar avançar num processo que a actual "caste" levou até o abismo. E tendo em conta de que a conhecida inacçom de Mariano Rajoy ante os dramáticos momentos que vive a sociedade espanhola já dinamitou ao PP e ao PSOE, levou-se por diante ao rei e agora ameaça mesmo a sobrevivência da própria monarquia, desde EE.UU querem pôr sobre a mesa umha "folha de rota".

A referência é a Itália, com umha "partitocracia" muito similar à espanhola e onde Beppe Grilo (Génova, 1948) e o seu Movimento 5 Estrelas desempenhou o papel reactivo que agora jogam de forma incipiente em Espanha Pablo Iglesias (Madrid, 1978) com Podemos-EU-Equo (Primavera Europeia) e Julio Anguita (Fuengirola, 1941) como ideólogo desde "Frente Cívico-Somos Maioria". Ou Alexis Tsipras (Atenas, 1974) com o seu "Syriza" e Nigel Farage (Downe, 1964) com o seu UKIP no Reino Unido. Foi algo parecido ao que ocorreu em Espanha quando nas vésperas da morte de Franco formou-se a Junta Democrática (1974) com republicanos, democristiás críticos e comunistas que se arracimarom-se por volta de Dom Juan, enquanto que socialistas, monárquicos e democristiás do regime faziam-no com o seu filho Juan Carlos, que finalmente traiu ao seu pai e arrebatou-lhe o trono num dos períodos mais decisivos e desconhecidos da História de Espanha.

Josep M. Colomer desvelou um estado de opiniom muito estendido entre as elites de Washington em relaçom com Espanha, à que freqüentemente se assemelha com Itália, "um país que era conhecido como umha "partitocracia", é dizer, por um grau de controlo das cúpulas dos partidos sobre as instituiçons públicas igual ou mesmo superior ao que adopta ser denunciado em Espanha". Colomer culpa veladamente a Juan Carlos de abdicar muito antes de fazer pública a sua decisom, o que levou ao país à ruína: "o chefe do Estado também deve arbitrar e moderar o funcionamento regular das instituiçons. Esta tarefa deitou-se muito em falta em Espanha nos últimos anos quando o Parlamento, o Governo e a justiça deixárom de funcionar de acordo com as suas missons constitucionais".

De acordo a este guiom, Felipe VI "talvez com a discreta ajuda do seu pai, como Juan III, quando se aproximou à Junta Democrática, fixo com o seu filho Juan Carlos I, que o fazia por sua vez ao regime de Franco" teria que "usar as suas prerrogativas para facilitar um novo impulso de recuperaçom e renovaçom". Para isso, recomenda usar o exemplo do sucedido em Roma: "Há dous anos e meio o Governo italiano, surrado por umha série de escândalos e a perseguiçom judicial do seu líder, estava paralisado ante a crise económica do país e as pressões da Uniom Europeia. O chefe do Estado tirou entom ao chefe do Governo