O FACHO: Entrega dos prémios literários

O FACHO: Entrega dos prémios literários

23-05-2016

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios nº 46 O.P.
Corunha

Entrega dos Prémios Literários Maio 2016

Convidamos-vos assistir à entrega dos prémios dos prémios literários convocados pola nossa Agrupaçom. O evento celebrara-se o vindouro dia 27 do mês que corre, às 7 p.m., em Portas Ártabras, rua Sinagoga nº 22, Cidade Velha.

Concurso de Poesia

Deserto. O júri considerou que as obras apresentadas nom acadavam a qualidade precisa.

Concurso de Contos de nenos para nenos

Premios da Categoría A (Nenos e nenas de 9 a 12 anos):

Primeiro premio: ?Amina? de María Carballo Rodríguez
Segundo premio: ?Alá no Bosque? de Antía Mouriño García

Premios da categoría B. (Rapaces e rapazas de 13 a 16 anos):

Primeiro premio: ?Cento Dezaseis? de Alba Pérez Barcala
Segundo premio: ?Cifras? de Alba Pose Castro

Concurso de Teatro Infantil
Premio à obra: ?O castelo de Pena Redonda, o máis tolo da contorna? de Celia Díaz Núñez

Assim mesmo teremos a oportunidade de escuitar um precioso Duo de violino e violoncelo, sendo as suas interpretes: Ana Garcia Fernández, violinista; e Sará López Pan, violoncelista, alunas do professor Fernando Ramón. Este é o programa que interpretarám, de entre 15 e 20 minutos, que inclui duas peças para violino e violoncelo, umha para violoncelo a só, e outra para violino a só.

Duo de violino e violoncelo:
Concertino per camera op. 4 G. Torelli
I. Preludio ? Adagio II. Allegro III. Allegro
Violoncelo a só
Suite em Re mBWV 1008 J. S. Bach
Violino a só
Fantasia nº 9 G. F. Telemann
Duo de violino e violoncelo:
Trois morceaux op.39 R. Glière
I. Prèlude II. Gavotte III Berceuse

Corunha, 23 de Maio do 2016


J. Alberte Corral Iglesias
Presidente d?O Facho

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localizaçom do link)

Sem comentários ainda

Agrupaçom Cultural O Facho

Agrupaçom Cultural O Facho existe desde o ano 1963. Nasce da vontade conjunta de umha vintena de estudantes, trabalhadores e profissionais liberais d?A Corunha. A ideia é originaria dos daquela hora estudantes de bacharelato, Henrique Harguindey, André Salgueiro, e Xosé Luis Carneiro; respondendo ao seu chamamento posteriormente somárom-se entre outros: Eduardo Martínez, Henrique Iglesias, X. Alberte Corral, Xosé L. Rodríguez, etc... É a primeira agrupaçom de resistência cultural criada numha cidade do Pais polos seus cidadaos, já que O Galo é conformada por estudantes universitários de todo o Pais em Compostela, naquelas datas era a única cidade galega com Universidade. O grupo nasceu cos sinais de identidade da resistência contra o franquismo e da defesa da plena valia da língua e da cultura galega. Existia unha claríssima vocaçom política do que se fazia precisamente porque essa era toda a actividade publica com repercussons políticas que se podia fazer. A defesa da cultura e a língua galega é a cerna do que-fazer d?O Facho, que passou de fazer cultura de resistência nos anos da longa noite de pedra a se constituir hoje numha autentica mostra de resistência da cultura. Desde os primeiros momentos O Facho destaca-se com os seus cursos de língua com apoio de alguns exemplares da ?Gramática do idioma galego? de Manuel Lugrís Freire. Estes cursos tivérom umha importância mui grande na Corunha;. Daquela o galego nom se escrevia apenas e estava expulso da sociedade ?bem pensante?, nem sequer tinha secçom galego a faculdade de Filologia de Compostela. Umha das figuras fundamentais dos cursos foi D. Leandro Carré Alvarellos quem dirigiu esta actividade. Os ciclos dedicados á cultura galega, os encontros nos que se tratava economia e sociedade, os concursos literários. O seu grupo de teatro criado nas primeira datas de existência da Agrupaçom do quem eram responsáveis Manuel Lourenzo, e Francisco Pillado, foi dos pioneiros em representar obras no nosso idioma, tanto de autores galegos como de outras nacionalidades ( Brecht, Ionesco...). Na actualidade, O Facho é consciente dos desafio culturais do século XXI. Agora há que tentar ver o significado que pode ter hoje o sermos galegos num mundo globalizado. A ideia básica é que sermos galegos agora implica ser dumha maneira concreta numha sociedade mundial. Entre as iniciativas mais recentes é a criaçom do Facho de Ouro, um prémio para reivindicar galegos, o que amossa a própria agrupaçom é unha cultura que resiste. d’A Corunha.
+ info

Agrupaçom Cultural O Facho
Apartado de Correios n.º 46, Oficina Principal da Coruña
o_facho_a_cultural@yahoo.com.br

Busca

  Feeds XML

Ferramentas de administraçom

powered by b2evolution