«Catorze»

«Catorze»

05-11-07



Tela sem título
(Autor: Peter Jensen)

Artur Alonso.- ... Aprender a desaprender... começar por derrubar da alma o peso que nos afoga, aceitar o passado como algo inevitável... aprender a ver com os olhos da realidade... um primeiro passo para se conhecer, para se recolher... como ser que aspira a ser completo.

«Catorze»
Artur Alonso Novelhe
Inédito - 2007

Resgata teu pai se todavia puderes
Temos seu anel
pesado
entre as dedas de uma borboleta morta
na opulência

mas nom possuímos seu alento
nem sabemos polo de agora
o numero de calçado que suas roupas vestem

tam só isto:
o ouro brilhando
para viver um pouco mais cegos

no seu desejo

a escola no sobrado
a algibeira passiva a espera
como refúgio um outro bar
onde as vezes as horas vam lentas

e tu que já nom sentes
porque nom vem a procurar-te
a saída rala da igreja

E uma mágoa, amigo
mas
ignoramos tantas cousas dos seres a quem queremos ...

Escrito ?s 20:08:39 nas castegorias: Poesia do Clube, Artur Alonso

Endereço de trackback para este post

Trackback URL (clique direito e copie atalho/localização do link)

Ainda sem comentários

      O nosso clube é um grupo de galeg@s comprometid@s com a terra e a língua que tencionamos trazer a voz que chega d@s noss@s avôs e d@s avôs d@s nosso@s avôs.

      Somos pessoas que tentamos transmitir liberdade às novas gerações, enfiando palavras que saem do coraçom e enfeitando-as com acordes e melodias.

      http://poetas.agal-gz.org
      novelhe[arroba]gmail[ponto]com
      Novembro 2020
      Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
       << <   > >>
                  1
      2 3 4 5 6 7 8
      9 10 11 12 13 14 15
      16 17 18 19 20 21 22
      23 24 25 26 27 28 29
      30            

      Busca

    powered by b2evolution CMS